One Piece RPG
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Os 12 Escolhidos, O Filme
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Fran B. Air Hoje à(s) 05:24

» Cap 3: O alvorecer da névoa trovejante
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Wesker Hoje à(s) 03:53

» Jade Blair
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Kylo Hoje à(s) 03:42

» Seasons: Road to New World
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Ravenborn Hoje à(s) 02:26

» The Victory Promise
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Akise Hoje à(s) 00:33

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Fukai Hoje à(s) 00:27

» Kit Phil Magestic
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor GM.Muffatu Ontem à(s) 22:25

» 10º Capítulo - Parabellum!
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Marciano Ontem à(s) 22:12

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Achiles Ontem à(s) 21:59

» II - Growing Bonds
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor War Ontem à(s) 21:36

» Xeque - Mate - Parte 1
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Ceji Ontem à(s) 21:20

» Pandamonio, Vol 1 - Rumo à Grand Line!
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Fran B. Air Ontem à(s) 19:58

» Livro Um - Atitudes que dão poder
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Quazer Satiel Ontem à(s) 18:28

» Galeria Infernal do Baskerville
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Blum Ontem à(s) 18:16

» O Log que vale Dois Bilhões de Berries
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Blum Ontem à(s) 17:48

» Hey Ya!
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 17:25

» Blackjack Baskerville
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Baskerville Ontem à(s) 17:21

» Cap. 2 - The Enemy Within
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 16:07

» ブルーベリーパイ ~ Blueberry Pie
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Skÿller Ontem à(s) 16:07

» Mini-Aventura
O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Emptypor Akaza Ontem à(s) 16:03



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 O Legado Bitencourt Act I

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptyTer 16 Jul 2019, 02:21

Relembrando a primeira mensagem :

O Legado Bitencourt Act I

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Ineel Von Ritter Bitencourt. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Ineel
Membro
Membro


Data de inscrição : 13/06/2012

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptyDom 06 Set 2020, 00:09




O maldito persistia em sangrar minha carne, a dor que mal suportava pela bocanhada no ombro seria o menor dos problemas, em uma tentativa falha de afastar o animal fui mordido na perna tendo como consequência uma contusão seguida de alguma fratura que não conseguia analisar a gravidade, apenas a dor poderia talvez falar por si só. - AHHHHHHHH!! - Gritava, liberando um certo pânico, tendo ainda visto que o pulguento saltava para trás saindo mais uma vez do alcance do meu disparo, aplicando ainda mais força em minha perna com seu impulso piorando cada vez mais a situação. ''Não fode, essa coisa é racional? Como um animal consegue agir dessa forma?! - Refletia, em contradição com a realidade que estava vivenciado com meus olhos. Encarando a fera mais uma vez, aguardava pelo seu próximo ataque com minhas mãos coladas em meu rifle, seria minha última chance já que estava praticamente imóvel, a dor que sentia não me permitiria mais mover minha perna direita, era o momento da vitória ou da morte.. Até que, como minha heroína, pieck saltava pela retaguarda do monstro lhe cravando duas adagas e naquele momento não conseguia segurar a emoção que sentira. - Incrível.. - Dizia, vagamente em quanto esbanjava um leve sorriso para oque via. Porém o momento era curto, a fera arremessava minha companheira para alguns metros atrás lhe causando um bom dano contra a parede da caverna, a garota se esforçava para se recompor em pé mostrando uma alta determinação em acabar com aquilo, e aquela coragem me contaminava por dentro, como uma chama que me esquentava... Mas naquele momento, o local realmente estava quente, suávamos como porcos inalando aquele enxofre de fato.

Sem perder tempo, pieck revelava o plano para dar um fim a coisa, era arriscado e tinha uma certa chance de dar errado porém o jovem soldado percebia que era a melhor estratégia que poderia ser empregada, visto que sua perna estava fraturada a ponto de não conseguir se reerguer. '' Se eu errar minha companheira morrerá, se eu acertar, há uma remota chance de acerta-la também..'' - Deduzia o marinheiro assumindo a culpa e a responsabilidade, que no nervosismo do momento precisava tomar a decisão rápida quando já percebera que o animal se voltava contra pieck. - Droga, não temos escolha, MANTENHA A CABEÇA ABAIXADA! - Gritaria ineel em acordo com a jovem, já se ajeitando ao chão mesmo onde tentaria elevar o rifle até sua alça de mira de encontro a cabeça da fera, tinha de ser um disparo certeiro e preciso, a respiração ofegante com o calor exagerado do ambiente e com as dores de seus ferimentos eram fatores que poderiam influenciar o balanço de seus antebraços que mantinham o armamento em linha, prendendo a respiração o mais fundo que pudesse, enchendo seus pulmões de ar em quanto rangia os dentes com brutalidade para suportar toda aquela dor por mais alguns segundos, ineel firmaria aquela mira no seu alvo com os olhos focados aguardando o momento que pieck colocasse o plano em prática. E sabendo que não poderia também demorar, efetuaria o disparo, liberando o ar comprimido dos pulmões ao mesmo tempo que pressionava o gatilho com o dedo indicar direito, disparando rumo ao crânio do animal, e naquele momento após a pólvora se dissipar pelo ar, apenas a visão da minha companheira viva e o animal estirado ao chão poderia me fazer sorrir.

De alguma forma, caso a criatura consiga se safar do plano de pieck, a prioridade do marinheiro seria automaticamente aliviar a pressão sob sua companheira, recarregando seu rifle e efetuando disparos rápidos contra o animal visando suas pernas para anular sua movimentação, permitindo que pieck conseguisse se afastar, porém se os disparos forem frustrados mais uma vez, continuaria a disparar contra o alvo visando partes do animal em que estariam pouco afastadas da minha companheira para evitar que houvesse fogo amigo, como a retaguarda exposta, cauda,traseiro, coluna, e assim chamando a atenção do lobo mais uma vez, liberando pieck para se safar do perigo. - SE AFASTE DELE! - Gritaria, em quanto não perderia tempo já recarregando o rifle e aguardando a investida da criatura, onde desesperadamente ineel tentaria se esquivar forçando o quadril para se rotacionar pelo chão, gritando em dor, rolando para o lado oposto da bocanhada do monstro, tentando como último recurso no total desespero, erguer o rifle a '' queima roupa'' contra seu alvo quando lhe fosse perceptível uma bocanhada e tentando realizar um disparo que pegasse o animal de boca aberta em seu golpe final.
OFF>
Spoiler:
 






Histórico de posts do player: 35 posts.
Ganhos e perdas
Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptySeg 07 Set 2020, 15:03

Da mesma forma que o lobo começou a correr na direção de Pieck, a garota começou a correr, mesmo que cambaleando, na direção do lobo. Quando os dois trombaram, uma luta para ver quem seguraria quem se deu início, onde o lobo tentava morder Pieck por um lado enquanto a garota fazia de tudo para evitar enquanto tentava segurar a criatura de uma forma ou de outra, como se fosse seu último movimento.

Hora ou outra o monstro conseguia morder Pieck, da mesma forma que a garota o cortava com sua adaga a fincando e cortando a dura pele do animal. Demorou bem mais que alguns segundos, mas enfim ela conseguiu imobilizar a criatura que apenas balançava sua cabeça tentando se libertar, conseguindo inclusive morder Pieck no braço e ficar se contorcendo para a machucar. Foi quando Ineel viu a oportunidade de disparar, onde a bala foi perfurando o ar quente e enfim atingiu o monstro na cabeça pela lateral, foi um tiro certeiro que fazia o sangue da criatura voar e cobrir o corpo de Pieck, onde com o impacto, ambos caiam n o chão.

Pieck deixou o animal no chão e começou a se levantar, ela estava muito ferida, então ainda cambaleante foi andando vagarosamente na direção de Ineel enquanto falava. – Conseguimos! Cof... Cof... Nós vence... – Foi quando a fera se levantou mesmo com o crânio perfurado e começou a correr na direção da garota. Quando saltou no ar para a pegar rosnando. - GRRRRRR. - Ineel realizou vários disparos que acabaram atingindo a perna da criatura, onde a mesma foi de encontro com Pieck caindo em cima da garota, o canino não parecia que se levantaria mais.

O problema é que ele estava morto em cima da garota que também não se levantava mais, até que um som fraco no fim do túnel era escutado. – Ineel, Cof... Cof... Eu ainda tô viva, pelo jeito ele morreu de vez... Consegue tirar essa coisa de cima de mim? Acho que ele quebrou meu braço. Cof... Cof... Não consigo sair! – O lobo se mexia um pouco, mas não saia do lugar, a garota estava com tanta dor que não tinha forças o bastante para retirar a criatura e ficar em pé novamente.

Ambos estavam a beira da morte em um lugar de temperatura escaldante, as próximas decisões poderiam ser a diferença entre a vida e a morte tanto de Pieck, quanto de Ineel. Alguns problemas estavam lançados a mesa, como o tesouro volumoso, a perna quebrada de Ineel, o lobo morto em cima de Pieck, as várias armadilhas e o longo caminho para a saída daquela caverna.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ineel
Membro
Membro
Ineel

Créditos : 2
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 8010
Masculino Data de inscrição : 13/06/2012
Idade : 21
Localização : East Blue - Shells Tow

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptyTer 08 Set 2020, 15:10



Sobreviva para mais um dia!




A vitória se mostrava custosa, a situação era caótica e cheirava a morte... E cada vez mais, também ficava mais quente a ponto de sentir aquele ar transpassando meu corpo de forma nada agradável e a esta altura provavelmente já estava ensopado de suor, porém o que preocupava era a tosse seca que castigava a mim e minha companheira. E por falar em pieck, a garota estava em sérios apuros e precisava de ajuda mas no momento eu também precisava. '' Mas que droga! O quê eu faço agora?! - Resmungaria em pensamento, até que decidira que o tempo estava correndo e precisava tentar algo. - Economize folego pieck! - Gritaria.

Com a perna visivelmente quebrada, ineel não arriscaria move-la e portanto tentaria a única coisa que lhe vinha em mente, com cuidado, travaria o gatilho do seu rifle para evitar um disparo acidental e em seguida tentaria se reerguer usando o corpo de seu rifle como base de apoio, evitando todo esforço possível que resultasse em mais dor para sua perna, forçando sua perna saudável para se firmar com a ajuda do rifle que seria utilizado como uma espécie de bengala, e então se esforçaria para caminhar realizando minúsculos saltos com sua outra perna em quanto arrastava a perna ferida imóvel, e assim faria seu trajeto a medida do possível até pieck. - Maldição!!! Isso doi muito RGGGGGG - Indagaria, rangendo os dentes. Chegando até pieck, tentaria se abaixar com cuidado próximo ao cadáver do animal, e com um momento rápido de inspiração e espiração tentaria canalizar o máximo de força que restava e forçaria o animal para a lateral em um impulso com seus braços para tira-lo de cima de pieck, caso não funcionasse partiria para o plano alternativo. - Ei pieck, consegue me passar uma das suas facas? Você não vai gostar disso vai feder muito hehe - Diria em tom de ironia, mas completaria logo em seguida. - Mas acho que pode te salvar! - Diria já em um tom sério, pegando uma das adagas, ineel tentaria cortar a pele da criatura até que despejasse bastante sangue sobre o corpo de pieck e então tentaria puxa-la por debaixo do animal esperando que o sangue a torna-se escorregadia a ponto de se mover por debaixo daquele peso.

Tendo sucesso em retirar pieck debaixo do pulguento maldito, ineel devolveria sua faca e em seguida observaria a situação da companheira, em primeiro momento como prioridade para amenizar a inalação do enxofre, o jovem marinheiro pediria com cautela para que ambos retirassem suas camisas e enrolassem sobre seus rostos para assegurar um pouco mais de tempo antes que a respiração ficasse crítica. - Espero que você esteja usando sutiãs haha - Diria Ineel em ironia, tentando amenizar um pouco a tensão do momento e então continuaria. - Acha que conseguimos chegar naquela ilhota? Se você achar que está no limite fique aqui, prometo tentar não morrer queimado naquela lava! - Completaria, e então buscaria se reerguer novamente usando como base seu rifle como apoio, e se direcionaria com cuidado até a passagem estreita atento ao máximo ao caminho sempre olhando ao chão para evitar alguma armadilha, e então chegando ao local de origem de descanso do lobo, jogaria a mochila ao chão, abriria e começaria a jogar o máximo de moedas e riquezas que conseguisse para dentro até que a mesma lotasse até o limite. E caso ficasse pesado de mais para carregar a mochila em quanto se equilibrava com o rifle, o marinheiro a arremessaria para o outro lado e então a pegaria quando realizasse a travessia mais uma vez. Quando retornasse para perto de pieck, ineel realizaria um pedido pessoal para a companheira, pedindo que cortasse dois dentes da fera caída para que servisse de material para o confeccionamento de dois colares. - Será uma lembrança de nossa aventura nesse lugar! hihi - Diria, esbanjando um sorriso largo para a jovem. 

Agora, estava na hora do momento mais crucial da aventura que seria retornar vivo ao navio pelo mesmo trajeto, analisando mais uma vez a situação, ineel tentaria chegar a um acordo com pieck onde o que estivesse com mais energia e menos ferido tomaria a dianteira da saída dali guiando o grupo, se possível ajudando a carregar a mochila com o tesouro caso pesasse de mais para uma pessoa. - Se você puder caminhar bem, poderia talvez me ajudar a andar mais rápido..- Sugeria o atirador, por fim, tendo em mente que um dos braços de pieck estaria bastante ferido ineel se auto voluntaria para carregar a lampada com um de seus braços livres e iluminaria o trajeto com cuidado até a bendita saída daquele local. Tendo passado o perigo, o jovem soldado buscaria amenizar as tensões da aventura conversando com pieck durante o trajeto até o navio ancorado no litoral que vós aguardava. - O quê você acha que a sargento vai falar para nós? hahahaha - Começando com a conversa. Chegando as proximidades do navio, chamaria por ajuda imediata dos outros marinheiros, pedindo por cuidados médicos para si e para pieck e então, finalmente.. Poderiam ter um merecido descanso em uma cama. - É uma longa história sargento lucy, ficaremos felizes em compartilhar! hihihi - Diria a sua superior, bastante eufórico.  




Histórico de posts do player: 36 posts.
Ganhos e perdas
Spoiler:
 

____________________________________________________

Ficha :
Spoiler:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptyQui 10 Set 2020, 00:05

Mesmo que tropeçando um pouco, Ineel vai até Pieck e depois de analisar um pouco a situação pede à garota sua faca emprestada. Com um pouco de dificuldade ela consegue tirar seu braço de baixo da criatura e entregar para Ineel a faca. Feito isso, o jovem começa a cortar o monstro deixando que o sangue ainda quente escorresse pelo corpo de Pieck que começava a se mexer e reclamar sem entender nada. – Ei! Tá caindo em mim! Pera... Pera aí! O que você tá fazendo? –

Estando tudo pronto, o rapaz puxa a garota que desliza pela terra da caverna se ralando um pouco, mas saindo de baixo do lobo. Ela estava totalmente ensanguentada, mas parecia bem, com exceção de seu braço. Quando o rapaz tira a própria camisa e faz um sinal para que Pieck fizesse o mesmo, ela se recusa meio envergonhada, talvez estivesse sem sutiã, vai saber. De toda forma, segurando seu braço quebrado, quando questionada sobre a ilha, ela olha meio sem esperança e responde Ineel. – Quer mesmo pegar isso agora? A gente tá nas últimas, devíamos sair logo daqui! –

De toda forma, ele pede que ela fique lá enquanto ia pegar o tesouro, foi capengando até a ilha no meio da lava utilizando seu rifle como apoio e encheu a mochila com tudo que estava no lugar e parecia realmente ter algum valor. Na volta, escorregou e quase caiu na lava, mas ainda não foi o seu momento, ele conseguiu atravessar com tudo e inteiro.

Então pedindo para Pieck, cortaram os dentes da fera como lembrança e saíram andando em direção a saída daquele lugar. Com um ajudando o outro, praticamente replicaram seus passos evitando as armadilhas, onde quando perguntada sobre sua superior, Pieck sorriu com Ineel apoiado em seu ombro e disse. – Não sei, talvez ela fique orgulhosa ou nos dê uma bronca, vai saber... – Depois de algumas horas andando, com os dois nas últimas, finalmente saíram da caverna, passaram pela floresta e avistaram o navio.

A questão foi que quando viram a embarcação, tanto Ineel quanto Pieck caíram desmaiados, sua adrenalina tinha baixado e seus corpos exaustos não aguentaram. Tudo que Ineel via enquanto caia apagado, eram vários marinheiros vindo acudir os heróis que faziam sabe-se lá o quê no meio da floresta.

Alguns bons dias depois Ineel acorda na cama com gesso na perna, em sua frente estava Pieck sentada em uma poltrona com gesso no braço. Foi ai que Pieck acordou também e vendo o rapaz se aproximou com um sorriso e o rosto levemente corado. – Você acordou! Dormimos por 10 dias, pelo jeito estávamos em um estado de coma ou coisa parecida, vou chamar a sargento. –

Ela se levanta e sai da sala, alguns segundos depois volta com a sargento que encara Ineel por alguns segundos até começar a falar séria enquanto Pieck se mantinha mais acanhada. – Então você está bem... Pieck me contou tudo, passe na tesouraria do QG depois para pegar o valor referente ao tesouro, já deduzimos a parte da marinha com todos os impostos e coisas do tipo em cima, você vai ficar com B$ 5.000.000,00. – Sem mostrar nem mais um pingo de empatia, ela continuava. – Eu sei que está machucado, mas acha que pode realizar uma missão mesmo que de cadeira de rodas? É bem simples, estamos em uma base da marinha de Dawn Island agora, preciso de alguém para cobrir a vigia na entrada do banco mundial pelos próximos três dias, seria a partir de amanhã, acha que consegue fazer isso mesmo machucado, soldado? Pieck vai estar com você também... -

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ineel
Membro
Membro
Ineel

Créditos : 2
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 8010
Masculino Data de inscrição : 13/06/2012
Idade : 21
Localização : East Blue - Shells Tow

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptySab 12 Set 2020, 02:21

Não era um sonho, de fato tínhamos conseguindo chegar ao navio e em seguida socorridos por nossos companheiros, uma sensação de ternura e acolhimento me preenchia assim que meus olhos se abriam sobre aquele teto de madeira, tentava me levantar rapidamente mas fui impedido por uma forte dor que me amaldiçoava e dai percebi que não estava em uma boa situação, o gesso estava novo mas a perna não. '' Mas que droga, tinha me esquecido do que aquele animal maldito fez.. Tsc! - Resmungava, abrindo uma careta de desdenho, até que observava pieck também engessada, e com isso abria um leve sorriso para a moça. - Passamos por um mau bucado lá em hihihi - Indagaria, já com um semblante calmo, que em instantes se alterava para um nervosismo repentino, minha superior a sargento lucy chegava ao local e me agraciava com mais trabalho, e com a noticia que a marinha levara uma parte do meu tesouro. '' Impostos, impostos.. Sempre tem impostos para quem mais trabalha não é mesmo?!!!! - Pensava enraivecido, demonstrando com modéstia que não estava satisfeito, mas concluía que nada poderia ser feito e era melhor do que nada e por fim, não poderia negar uma missão da minha superior ainda mais em minha situação onde temia que fosse transferido para me recuperar em outro lugar, uma missão de estadia na ilha seria ideal para evita-lo. - Si-Sim senhora sargento! Como estou com uma perna inutilizada, se a senhora me providenciar uma cadeira de rodas terei os meios para cumprir a missão! - Diria, em tom sério.

 
De qualquer forma, o jovem soldado aguardaria ou pediria instruções sobre sua missão, assim recebendo um meio para se locomover, se direcionaria rapidamente aos seus aposentos para se uniformizar e ter uma boa apresentação, procurando também por seus pertences que caso não estivesse em seu quarto, questionaria por eles aos seus superiores. - Licença senhor(a) Permissão para falar?  Eu gostaria de recolher meus pertences que estavam comigo no dia em que fui socorrido. - Perguntaria o marinheiro educadamente,de tom baixo em respeito a hierarquia, prestando uma continência ao inicio  da fala como é de costume das normas militares. Tendo sua mochila de volta, ineel checaria uma última vez se todos seus pertences estariam ali, realizando também uma pequena manutenção em seu rifle tirando a sujeira, se possível pedindo para que lhe fornecessem um cordel para desobstruir qualquer vestígio de sujeira nas partes delicadas do armamento incluindo o cano e o gatilho, e então partiria para sua missão já com a bandoleira ajustada nas costas prendendo seu rifle, convidando pieck para lhe acompanhar. - Ei pieck você vem? - Diria, em seguida já complementando com uma brincadeira.. Ou não. - Se quiser me empurrar até lá fique a vontade hahaha - Falava o soldado em um leve tom de deboche, porém não recusaria caso a marinheira o fizesse, pois já sentia uma certa intimidade e companheirismo com a mesma.



Histórico de posts do player: 37 posts.
Ganhos e perdas
Spoiler:
 
Perna quebrada: 1/?

____________________________________________________

Ficha :
Spoiler:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptyTer 15 Set 2020, 01:17

Não demorou para a mulher sair da sala, sendo que junto dela foi Pieck. A questão é que poucos segundos depois, a garota voltou com a mochila do rapaz, nela estavam todas as suas coisas, incluindo seu uniforme e os B$ 5.000.000,00 que tinha ganhado a mais de recompensa pelo tesouro que tinha recuperado. A jovem então disse com um sorriso enquanto se retirava. – Vou deixar você se trocar, acho que consegue fazer isso sozinho. –

Ela então saiu, sendo que não demorou para que Ineel se trocasse e sentasse na cadeira de todas, foi quando saiu do quarto e viu Pieck escorada na parede arrumando o próprio cabelo, perto dela estava uma outra garota um pouco mais baixa, estava em pose de soldado e quando viu Ineel, disse de forma extremamente séria. – Olá Sr., sou a Soldada Pri, é um prazer conhecer você, fui designada como sua ajudante hoje. –

Foi ai que Ineel pediu ajuda para Pieck que olhou para ele com um semblante de deboche. – Tá brincando comigo né? Não tá vendo isso aqui? – Apontava para o gesso no braço, mas logo olhou para Pri sendo que seu rosto se avermelhou, a levando a falar meio baixo. – Herm... Pri? Poderia levar a cadeira do Ineel? A gente não tá nas melhores condições aqui, sabia? –

Sem nem pensar duas vezes, a garota fez uma reverência ao colocar a mão direita na testa e a retirar rapidamente falando séria. – Pode deixar Pieck! Vou proteger ele com a minha vida! – Pieck ficava meio sem graça ao responder a garota. – Também não precisa levar tão a sério... – Com isso, os três foram andando em direção ao banco com Pri empurrando a cadeira pelas ruas de Dawn Island.

No caminho, Pieck foi explicando o que teriam que fazer para os dois. – A sargento disse que tudo que vamos ter que fazer é ficar na frente do banco e não deixar ninguém suspeito o roubar, ela me deu esse den den mushi... – Ela tirava de dentro dos seios o caracol que estava com pequenos corações e o rosto corado do peito. – Se a gente ver qualquer coisa suspeita, é só ligar por esse den den mushi e os marinheiros vão vir correndo, acho que é melhor tomar cuidado com isso, aqui, fica com ele Ineel. – Ela entregou o aparelho para o rapaz ao concluir. -Acho que ninguém roubaria um cadeirante... Melhor isso ficar com você mesmo. –

Não demorou muito para que o trio chegasse ao banco, lá haviam dois marinheiros segurando armas de fogo, sendo que quando chegaram, um deles disse. – Então vocês é que vão assumir o posto aqui? – Para só então o outro completar. – Tomem cuidado, dizem que bancos em ilhas próximas foram atacados recentemente... – Com isso falado, os homens se retiraram indo em direção ao quartel general. Com isso, Pri se posicionou em um dos lados do portão ao falar. – Vou cobrir esse lado e vocês pegam o outro, qualquer coisa eu aviso pra vocês alistarem o QG! Confio minha vida a vocês. -

Post: 08

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ineel
Membro
Membro
Ineel

Créditos : 2
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 8010
Masculino Data de inscrição : 13/06/2012
Idade : 21
Localização : East Blue - Shells Tow

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptySeg 21 Set 2020, 05:13

Não era algo agradável de se fazer, a guarda sugava a vitalidade do soldado aos poucos, onde era possível sentir o mínimo de ânimo se esvair do rosto de qualquer um marinheiro que era condenado para este tipo de serviço, e inacreditavelmente a bola da vez era eu, já me sentindo inutilizado de certa forma nesta cadeira de rodas e ainda tinha que trabalhar sem ao menos uma dispensa médica para a recuperação total de minha perna. ''Isso é tão chato..'' - Pensava, interminavelmente, ainda que recordava vagarosamente do alerta do corpo da guarda anterior. '' Bom, se acontecer algo o máximo que um cadeirante sem sorte pode fazer é atirar da onde está, imóvel.. E por favor em imóvel eu bem que poderia tirar uma sonequinha afinal.. - Indagando para mim mesmo, duvidando se de fato seria algo sábio ao final uma vez que seria punido caso descoberto.

Aproveitando da proximidade do posto de pieck, ineel observaria se vinha alguém suspeito até a entrada que requisitasse um pouco mais de atenção, e caso não houvesse, tentaria chamar a atenção da companheira assoviando ou buscando uma pedrinha no chão e arremessando-a para perto da soldado. - Ei pieck, por quê você sempre é calada? hihihi - Perguntaria, buscando um assunto com a mesma naquele momento de tédio, porém com a atenção voltada a todo civil que cruzasse caminho até a entrada do banco para vasculhar algo suspeito se preciso, comandando para que parasse e mostrasse seus pertences que carregaria consigo e então seria liberado para adentrar o local. Caso algum civil não obedecesse as ordens automaticamente ineel reforçaria a autoridade em seguida. - ALTO LÁ! MÃOS NA CABEÇA, SE IDENTIFIQUE! - Gritaria, apontando seu rifle ainda travado para o cidadão, apenas por precaução para evitar um disparo acidental, porem caso a situação pedir o jovem soldado não exitaria em destravar seu rifle e efetuar um disparo de advertência próximo ao suspeito alertando-lhe mais uma vez e já informando o QG através do Den Den mushi que há um desordeiro não respeitando a autoridade da guarnição, e caso o suspeito demonstrasse perigo imediato, o marinheiro não exitaria em efetuar disparos nas pernas ou braços do civil para imobiliza-lo em seguida já alertando o QG para trazerem apoio médico, ainda assim caso a situação de mostrasse emergencial com um risco de morte eminente para a guarnição causada pela revelação de alguma arma por parte do suspeito, o marinheiro já efetuaria um disparo certeiro para abater seu alvo, visando sua cabeça ou peito.

A todo caso, o jovem soldado se estufaria em seu posto provavelmente até o raiar do dia, e por isto buscaria se descontrair com pieck sempre que possível para não se enlouquecer, não esquecendo de dar prioridade de atenção para pessoas que viriam a adentrar o banco por seu posto neste momento. Ao final de seu serviço, ineel retornaria ao navio atracado ao litoral onde finalmente poderia desfrutar de um descanso em sua cama. - Vamos voltar para o navio pieck, amanhã vamos ao centro buscar por um alfaiate para confeccionar as presas daquele lobo em colares para nós, o que acha? hihihi - Perguntaria o soldado, liberado de seu serviço.


Histórico de posts do player: 38 posts.
Ganhos e perdas
Spoiler:
 
Perna quebrada: 2/?

____________________________________________________

Ficha :
Spoiler:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptyQua 23 Set 2020, 13:18

Os três marinheiros se posicionaram em frente ao banco, onde montaram guarda naquele tédio absurdo, acontece que ninguém ia para o banco, nem um cliente sequer, mesmo várias horas foram passando. O Sol estava no alto do céu e o calor era sentido por todos, mesmo que estivessem no frescor da sombra, nem um ventinho era sentido, o que dificultava bastante ficar naquele lugar.

Nesse meio tempo, Ineel fez uma pergunta um tanto quanto curiosa para Pieck, que apenas segurou o queixo olhando para cima pensando um pouco antes de o responder normalmente. – Não sei dizer, pra mim eu falo normalmente com todos... Acho que só sou um pouco tímida talvez, é como se não quisesse atrapalhar ninguém ou algo assim. – Terminava sua frase olhando para Ineel e sorrindo um pouco.

Foi aí que um civil finalmente apareceu, ele andava vagarosamente e foi adentrando com uma mochila, mas quando indagado por Ineel que pedia para ver suas coisas, se acanhou todo falando. – Eu não vou mostrar minhas coisas, tá doido? – Foi aí que Ineel apontou seu rifle para o suspeito que levantou as mãos morrendo de medo e gritando desesperado. – QUE DESGRAÇA É ESSA? SÓ QUERO DEPOSITAR MEU DINHEIRO! – Pieck que estava um pouco distante se aproximou rapidamente junto de Pri.

Foi quando Pri se colocou à frente de Ineel falando. – Calma ai garoto, não precisa exagerar. – Ela fazia um sinal para que o civil entrasse e continuou. – Tem den den mushis detectores de metais nas portas e ele não me parece nem um pouco suspeito, não precisa vasculhar todo mundo. – Ela apontou o dedo para o nariz do rapaz continuando com o tom firme. - Não saia apontando a arma pra qualquer um, desse jeito você vai morrer cedo. –

Depois de mais algumas horas, com um ou outro civil entrando e saindo do lugar, o dia finalmente passou, foi ai que outros soldados chegaram para assumir o posto e os três voltaram para o navio. Nesse meio tempo, Ineel falou sobre o colar, foi quando Pieck colocou a mão no bolso e retirou 2 colares colocando 1 nela mesma e o outro em Ineel. – Eu ia te fazer uma surpresa, é quase como se você tivesse adivinhado, tá aí. – Então finalmente voltaram para o navio onde poderiam reportar a tranquila missão no banco.


Post: 09

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ineel
Membro
Membro
Ineel

Créditos : 2
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 8010
Masculino Data de inscrição : 13/06/2012
Idade : 21
Localização : East Blue - Shells Tow

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptyDom 27 Set 2020, 04:15

O dia havia finalmente passado, a missão era cansativa e finalmente tinha o momento de descanso, sendo antes surpreendido pela pró atividade de pieck ao revelar que já havia encomendado nossos colares, era uma sensação boa de amizade e laços que sentia se formar com aquela marinheira, certamente alguém em que poderia confiar a vida dali para frente. '' Acho que eu realmente tenho uma boa amiga cara, alguém que eu possa confiar de verdade a partir de agora, desde que meu avô se foi... - Me afirmava, em um momento de deslumbre ao me recordar do que havia acontecido até então.

Com uma boa noite de sono, o soldado buscaria repor todas suas energias, encontrando uma boa posição que sua perna não lhe incomode. Aos primeiros raios de sol que penetram a face, o marinheiro despertaria, calmamente se sentando sobre sua calma e então se apoiando no travesso da cama, se repousaria sobre a infame cadeira de rodas para começar seu dia. - Quanto tempo vou ter que ficar nisso? Que saco! - Resmungaria, e então se direcionaria para realizar sua higiene pessoal, para escovar os dentes, enxaguar o rosto e buscar seu café da manhã, logo após passaria pela sala de tesouraria do navio onde tentaria buscar informações sobre seu saldo bancário. - Permissão ao mais antigo para entrar! Eu gostaria de ver meus dados bancários, sou o soldado bitencourt. - Diria, e então observaria quanto dinheiro havia guardado apenas para conferir, e então partiria para o convés onde buscaria por pieck. - Bom dia moça! hihi - Cumprimentaria, estampando um sorriso energético no rosto, em seguida complementando. - E então o que você está fazendo? Eu andei pensando sobre nossa primeira missão.. Sabe... - Falaria, ao final encurtando a voz com sutileza para não ser ouvido. - Existe muita desigualdade no mundo não é? Muitas das vezes nós temos que fazer o trabalho sujo da elite, eu realmente fiquei com a consciência pesada com aquilo.. - Perguntaria, discretamente. Tendo uma conversa rápida sobre o assunto, o marinheiro então se direcionaria mais uma vez aos seus aposentos onde organizaria seus materiais novamente em sua mochila, e então convidaria pieck para irem ao centro da cidade mais uma vez. Quero comprar algumas coisas novas boas, você quer vir? Um cadeirante é indefeso na rua hehe - Perguntaria, sendo positivamente respondido ou não, ineel se aprontaria, e então partiria para a cidade, onde passaria pelo banco e realizaria o saque de 1 milhão de berries. '' Espero que ninguém mexa com um homem da lei cadeirante'' - Indagava, e então procuraria por lojas que poderiam vender  um kilt completo para arqueologia contendo os seguintes itens : Lupa(1), Colheres (5), Par de Luvas de borracha(5), Pá (1), Folhas de papelx100(1), Material de escrita(1), 10 Sacos Plásticos para catalogação (1), Peneira(1), Pinças (3), Picareta (1), Pico(2), Pincel (5), Fita Métrica 10m(1), Diário(1), então pagando pelo preço e logo ajeitando todas as suas aquisições em sua mochila, e em seguida procuraria por alguma loja onde poderia adquirir uma corda de 10 metros também, pagando por seu preço e logo a guardando em sua mochila. E por último buscaria também adquirir uma boa luneta para auxiliar em navegações. - Acho que acabamos as compras por hoje haha, quer comer algo? - Diria a pieck, caso ela tivesse aceitado ir, e então procurariam algum lugar para comer e em seguida retornariam para o navio.
Material para Arqueólogos, Estudiosos em geral, Escribas entre outras funções.


OFF COMPRAS

:
Spoiler:
 
Histórico de posts do player: 39 posts.
Ganhos e perdas
Spoiler:
 
Perna quebrada: 3/?

____________________________________________________

Ficha :
Spoiler:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptySeg 28 Set 2020, 19:58

Chegando no navio, Ineel foi dormir enquanto Pieck e a outra garota foram reportar tudo para seus superiores. Quando acordou, reclamando da perna ainda dolorida e se posicionou em sua cadeira de rodas, a situação do soldado era triste, mas por sorte, temporária, ele não tinha se tornado um inválido, ao menos ainda não. Só precisava esperar um pouco e com certeza sua perna voltaria ao normal.

Depois de se aprontar, o garoto foi até a contabilidade do navio onde estava uma garota estranha com óculos de lentes arredondadas e bastante espessas. Ela tinha duas tranças, era ruiva e possuía diversas sardinhas no rosto. Apesar do aspecto, por trás daqueles óculos estava uma garota bastante atraente e ocupada mexendo com papeladas que quando perguntada, se manteve atenta ao que estava fazer por alguns breves segundos, até que olhou para o rapaz. – Ah sim, a sargento me disse que você passaria aqui, pode verificar aqui... – Ela entregou um papel para Ineel que continha tudo sobre seu dinheiro de forma bastante detalhada sobre as deduções e quanto ele possuía.

Foi então que o rapaz saiu em busca de Pieck que estava na proa do navio observando o oceano enquanto bebia uma xicara de chá e o respondeu com um grande sorriso. – B-bom dia! Nossa, você me surpreendeu... Estava distraída com a paisagem e sua cadeira é muito silenciosa. – Só depois da fala de Ineel, a garota o olhou mais séria se apoiando na borda do navio e o respondeu calmamente. – Sim... Precisamos tomar cuidado, senão podemos acabar nos perdendo. – Foi aí que o rapaz foi se aprontar para sair do navio.

Quando chamada para ir fazer compras, a garota que ainda observava o mar sorriu e aceitou o respondendo anima. – Pode apostar que sim! Também queria comprar algumas coisas. – Depois de pegar algum dinheiro no banco, ambos compraram várias coisas que queriam, onde Ineel gastou 450 mil berries comprando tudo juntamente com alguma comida para ele e Pieck, depois voltaram novamente para o navio. No caminho, Pieck que o ajudava empurrando a cadeira mesmo que com apenas uma mão o questionou. – Ermm... Ineel... O que você espera se tornar na marinha? Quer ser ou fazer algo grandioso? -

Post: 10

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ineel
Membro
Membro
Ineel

Créditos : 2
Warn : O Legado Bitencourt Act I - Página 8 8010
Masculino Data de inscrição : 13/06/2012
Idade : 21
Localização : East Blue - Shells Tow

O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 EmptyTer 29 Set 2020, 03:42

Diferente de antes, a conversa sobre os abusos de autoridade e a vista grossa dentro da organização não causava tanto espanto em pieck, mas no fundo saberia que a jovem também se importava com tudo que experienciava nesse período da ativa, o mundo inevitavelmente é injusto e se realmente há figuras maiores pelos bastidores do governo seria necessário provar uma grande teoria da conspiração, algo que já me deixava pensativo em alcançar dado o cargo baixo que temos. '' Se um dia, for perceptível aos meus olhos essa relação entre os órgãos de governo e a opressão, voltarei a pensar nisso de forma comprometedora..'' - Afirmaria para mim mesmo. Em quanto que, no mesmo momento respondia a pieck. - Eu quero ver as pessoas ao meu redor serem livres, independente de suas raças ou credos.. Sabe, há muita opressão neste mundo, me enfurece pensar na ideia de que em algum lugar neste momento exista pessoas privadas de seus direitos básicos. - Diria, deixando escapar uma tonalidade emotiva.
~Flashback~

Era tarde, uma noite escura e chuvosa que engolira até mesmo a mínima iluminação do céu noturno em um silêncio e escuridão que beirava o absoluto, de repente grandes lampejos de trovão clareavam a visão da janela do quarto do garotinho ineel, que com medo corria para debaixo da cama de seu avô. - Moleque medroso! - Resmungava o homem de meia idade, ascendendo as iluminarias do quarto fazendo-se a luz em um instante para os olhos. O inesperado acontecera, logo após o intervalo de um estrondoso lampejo gritos de uma criança era ouvidos ao lado de fora da residência, pouco abafados pela chuva porém o suficiente para que o avô de ineel encarasse o temporal para verificar do que tratava, espiando pela janela ineel observava tudo atentamente onde viu em primeira mão um garotinho de sua idade, com trapos rasgados, se debatendo de frio e ensopado, provavelmente faminto. A família rapidamente abrigou e alimentou a criança, que por sua vez revelou que era orfã, mas o pior veio ao dia seguinte quando Reiner Bitencourt, avô de ineel, utilizando de psicologia reversa e alguns engodos dedutivos havia descoberto que na verdade a criança havia fugido da casa dos pais, que abusavam constantemente da criança. - Fique aqui e não saia, estou levando o menino pra o quartel, vou trabalhar e resolver esse caso.. Olhe para o estado de espirito dessa criança e veja a barbaridade que é uma vida sem liberdade, não esqueça disso! - Falava o capitão, tendo suas palavras se enraizado na mente de ineel, profundamente.. Cada vez mais.
 

~Fim do Flashback~



A lembrança de seu avô acabava por deixar o jovem soldado um pouco emotivo, optando por tentar se controlar para não se desabafar publicamente, o marinheiro então se direcionaria para seus aposentos onde deixaria escapar algumas lágrimas em homenagem ao velho. - O Senhor foi um grande homem vovô! - Resmungaria baixinho, em quanto se afegava ao seu travesseiro, talvez um momento ali para reflexão e para mentalizar suas boas lembranças com o ente querido fosse suficiente para se recompor, e então se preparar para mais uma missão trilhando os passos de seu avô, assim que sua perna se curar é claro.




Histórico de posts do player: 40 posts.
Ganhos e perdas
Spoiler:
 
Perna quebrada: 4/?

____________________________________________________

Ficha :
Spoiler:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: O Legado Bitencourt Act I   O Legado Bitencourt Act I - Página 8 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O Legado Bitencourt Act I
Voltar ao Topo 
Página 8 de 9Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Yotsuba Island-
Ir para: