One Piece RPG
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Os 12 Escolhidos, O Filme
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Fran B. Air Hoje à(s) 05:24

» Cap 3: O alvorecer da névoa trovejante
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Wesker Hoje à(s) 03:53

» Jade Blair
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Kylo Hoje à(s) 03:42

» Seasons: Road to New World
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Ravenborn Hoje à(s) 02:26

» The Victory Promise
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Akise Hoje à(s) 00:33

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Fukai Hoje à(s) 00:27

» Kit Phil Magestic
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor GM.Muffatu Ontem à(s) 22:25

» 10º Capítulo - Parabellum!
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Marciano Ontem à(s) 22:12

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Achiles Ontem à(s) 21:59

» II - Growing Bonds
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor War Ontem à(s) 21:36

» Xeque - Mate - Parte 1
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Ceji Ontem à(s) 21:20

» Pandamonio, Vol 1 - Rumo à Grand Line!
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Fran B. Air Ontem à(s) 19:58

» Livro Um - Atitudes que dão poder
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Quazer Satiel Ontem à(s) 18:28

» Galeria Infernal do Baskerville
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Blum Ontem à(s) 18:16

» O Log que vale Dois Bilhões de Berries
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Blum Ontem à(s) 17:48

» Hey Ya!
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 17:25

» Blackjack Baskerville
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Baskerville Ontem à(s) 17:21

» Cap. 2 - The Enemy Within
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 16:07

» ブルーベリーパイ ~ Blueberry Pie
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Skÿller Ontem à(s) 16:07

» Mini-Aventura
Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Emptypor Akaza Ontem à(s) 16:03



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Terceiro Ato: The Swordless Knights

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1 ... 5, 6, 7 ... 12 ... 19  Seguinte
AutorMensagem
Axell
Comandante Revolucionário
Comandante Revolucionário
Axell

Créditos : 33
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 14/05/2011
Idade : 24
Localização : 5ª Rota - Pindorama

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptySeg 26 Dez 2016, 20:53

Relembrando a primeira mensagem :

Terceiro Ato: The Swordless Knights


Aqui ocorrerá a aventura do pirata Buzz Bee. A qual não possui narrador definido.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Pedrão
Civil
Civil


Data de inscrição : 15/10/2015

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptyQui 30 Mar 2017, 04:15




RISE OF THE DRAGON


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Lentamente a tripulação dos sonhos ia tomando a sua forma. O grupo tinha um médico, cozinheiro, navegadora, e não menos importante, uma arqueóloga, que durante toda a conversa nem ao menos se pronunciou, exibindo uma timidez um tanto quanto estranha, diga-se de passagem.

Já Ryu representava não mais que músculos e força bruta, ainda que demonstrasse esperteza diante algumas situações. Ele seria a alma do grupo pirata, o capitão, mesmo que Bee não concordasse em manter qualquer tipo de hierarquia.

O sorriso bobo no rosto do loiro desapareceu restando um semblante sério a partir do momento que o médico começou a fazer “exigências”. O pior de tudo é que o companheiro de Umika parecia ter dado o assunto como encerrado, ignorando-o enquanto falava com Guinn normalmente.


“O que você faria nessas horas oyaji? Ele não parece uma má pessoa, mas sinto que ele não irá baixar sua guarda tão facilmente.” – Diferente de Jacob, com quem tinha se entendido através de troca de socos, Ryu não sabia nem por onde começar a desarmar as “defesas” que resguardavam o coração do jovem médico. Socos claramente não resolveriam, e ele também não tinha a menor intenção começar uma briga desnecessária com um aliado.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


- Eu já lhe disse antes, quando homens de verdade trocam socos, eles são capazes de se entender. Entretanto, Ryu, nem sempre você poderá agir dessa maneira. Quando seu punho não conseguir falar, e as palavras não forem o suficiente, nesse momento meu filho...

Você deve falar com o seu coração.


Riu ao ouvir a voz do seu velho reverberar na sua mente, lembrando-se que naquela época ele não tinha entendido nenhuma de suas lições. Hoje, mais maduro, compreendia melhor o que estava nas entrelinhas. Cerrou os punhos demonstrando sua determinação, mantendo um sorriso discreto no canto dos lábios.

- O que os dois pombinhos estão aprontando? – Com um tom gentil, aproximar-se-ia do casal sentando-se em um banco ao lado, mas ao invés de ficar de frente para o balcão, iria utilizá-lo como um apoio para as costas, repousando os cotovelos em cima. Ficou o mais a vontade que podia, seus olhos corriam de um lado para o outro observando o movimento local.

- Não posso concordar com os seus termos. – Falaria com suavidade antes que Buzz pudesse responder a sua pergunta, deixando claro que ela tinha servido apenas para “quebrar o gelo”, e provocar o rapaz que parecia tão na defensiva.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


- Provavelmente você deve está pensando que eu sou algum retardado ou algo do tipo, mas eu não o culpo, apenas tive uma boa sensação a seu respeito. Por mais que isso possa soar inocente da minha parte, eu realmente acredito que o destino colocou você e a Umika-chan no meu caminho. – Voltar-se-ia brevemente para a moça dirigindo-lhe um olhar afetuoso, ciente de que estava tratando-a com muito mais intimidade do que deveria. Era inegável, todavia, que ela demonstrava ser muito mais gentil e atenciosa que o companheiro ao lado. Lidar com Umika seria, aparentemente, menos trabalhoso do que convencer Bee.

- Entretanto, se você acha que negociar com um pirata é algo inteligente, então o inocente é você. – A suavidade da sua voz desaparecia subitamente, tornando-se tão fria e mortal quanto uma lâmina que retalha tudo em seu caminho. Simultaneamente o ar a sua volta ia ficando pesado, quase intimidador. Buzz precisava entender que ele estava se juntando a uma tripulação pirata, e não a um grupo infantil de aventureiros.  

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


- Não me entenda mal, eu não planejo acorrentá-lo, tampouco submetê-lo a minha vontade, isso jamais passou pela minha cabeça. Tudo o que eu desejo é navegar pelo mundo com meus amigos, e descobrir coisas novas.

O meu velho sempre me dizia que o capitão não é responsável somente pelo destino do grupo, para onde ele vai ou que irá fazer, mas também é aquele que mantém a tripulação unida nas horas difíceis.


- Eu não estou pedindo que você abandone os seus sonhos por minha causa, pelo contrário, eu desejo realizá-los ao seu lado, e apoiá-lo nas horas mais importantes. É assim que um amigo deve ser não é mesmo? – Relaxaria o corpo abandonando todo aquele ar sério, suavizando a voz novamente. Ryu não tinha pretensão alguma de intimidar o casal, apenas queria ser levado mais a sério, tentando mudar a visão não muito positiva que o médico tinha a seu respeito.

- No início eu não entendi muito bem o porquê de você ficar tão na defensiva, mas agora... Pensando melhor... Eu sinto que você é exatamente como eu costumava ser. – Chame de instinto ou não, Tetsu começava a imaginar a partir daí que Bee era um cara tão sozinho quanto ele costumava ser antes de conhecer Jacob.

A solidão... Dolorosa e insuportável parecia ter formado uma defesa impenetrável ao redor do seu coração, algo que nem Umika demonstrava ter percebido. – “Bee, se você for como eu... Eu irei destruir essa parede custe o que custar.” – Levantar-se ia ficando de frente para os dois mostrando um sorriso sincero enquanto estendia a destra para o amigo. Se ele estava imerso na escuridão, Ryu seria a pequena luz no túnel que o guiaria para fora dali. Tudo o que Bee precisava fazer era aceitar a sua mão.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


- Eu não sei o que aconteceu com você, mas isso já é o suficiente. Você não precisa ficar mais sozinho. Bee, eu vou te perguntar de novo, você quer vim comigo e ser meu amigo?

Histórico de Pedrão:
 




Uma nova lenda. Inicio em Dawn Island!
Voltar ao Topo Ir em baixo
BuzzB
Pirata
Pirata
BuzzB

Créditos : 83
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 03/04/2016
Idade : 21
Localização : Nos anais do Acre

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptyQui 30 Mar 2017, 23:15

Permaneça calmo


As coisas iam progredindo de maneira calma, mas talvez isso não fosse ruim. Fazer as coisas às pressas nunca dá certo para ninguém. Mesmo com toda a calma, eu sentia como se tivesse feito algo errado e isso estava me incomodando um pouco. Depois de repassar mentalmente tudo que tinha feito depois de entrar no bar, cheguei à uma conclusão lógica. * Tá, acho que eu dei uma mancada com a garota... * * Noooooossa! O que fez você chegar à esta conclusão incrível? Ah, talvez tenha sido o sussurro em que ela expressa o desgosto pela demora da pergunta... Mas isso é só minha humilde opinião. * * Tá, eu entendi. Mas o que fazer para melhorar a situação? * * Bem, você poderia... * * Pare ai mesmo. Eu não vou nem beijá-la nem abraçá-la, então desista. * * Eu ia dizer para você pedir desculpas, sua mula. Você consegue pelo menos fazer isso, certo? * Por alguns instantes, me mantive imóvel, sem saber como reagir àquilo. Essa era a primeira vez que ele dizia algo realmente útil, então era evidente a minha surpresa. Aproveitando que milagres estavam ocorrendo, resolvi fazer o que me foi sugerido e viraria meu rosto em direção da jovem. Falaria em um tom normal, sem me preocupar em sussurrar aquilo como se fosse um segredo. - Me desculpe por não ter feito aquela pergunta para você antes. Acho que eu acabei deixando ela para lá, pois não importando o que você soubesse fazer, eu a levaria comigo. Mas aparentemente isso te aborreceu, então eu peço desculpas. - Após isso, eu manteria a atenção nela para o caso dela ter algo a dizer, mas caso ela se mantivesse em silêncio, ou após ela falar, voltaria a minha posição original e continuaria tomando meu suco.

Aproveitando o tempo livre que ainda me concernia, resolvia organizar alguns pensamentos que começavam a surgir. O primeiro deles era sobre os criminosos de maiores destaques da ilha, dos quais Guin pouco falou sobre. Por que ela não havia me dado nomes ou endereços? Lembrando exatamente das palavras que ela usou, pude presumir que se tratava de alguma máfia ou de ladrões. E sim, eu sabia sobre máfias e o que geralmente faziam. Como? Simples. Snatch não fugiu da ilha em que vivíamos à toa, mas sim para fugir de alguns mafiosos com que se envolveu. Mas isso não era o motivo pelo qual eu os odiava, até porque eles são praticamente piratas que vivem em terra firme. O que eu não gostava neles era o jeito com que eles lidavam com as coisas, matando pelos motivos mais variados que você possa imaginar. Já ouvi histórias sobre um mafioso que matou um dono de bar apenas porque ele não vendia sua bebida favorita. Por isso, sim, eu não simpatizava muito com eles, o que tornava meu objetivo de dar uma surra neles mais fácil ainda. E agora que eu conhecia a identidade dessas tal "pessoas" a qual ela se referiu, podia pensar em alguns motivos para ela não me contar seus nomes e localização. * Talvez ela não queira que eles pensem que ela teve algo com a minha ida até eles, já que isso poderia acarretar uma guerra por aqui. Mesmo sabendo que Guin é forte, eu não sei a extensão do poderio desses caras, então é melhor ser mais discreto quando tocar nesse assunto. * Com isso em mente, resolvi deixar isso em aberto por hora e continuar com a minha reflexão.

O segundo e último pensamento que me assombrava era sobre as recentes ações da voz. Era costume dele ficar dizendo para que eu fizesse coisas embaraçosas com a garota, mas ultimamente ele parece ter ficado mais insistente. Poderia ser que ele só estivesse ficando mais chato, mas por via das dúvidas eu preferia perguntar. * Você está ai? * * Acho que ambos sabemos que eu sempre estou. * * Posso te perguntar uma coisa? Por que quer tanto que eu beije ela? Claro, isso seria bom, mas você parece estar quase que desesperado por isso. * * Era o que eu temia. Então você não consegue ouvi-la? * * Ouvir quem? * Um silêncio foi mantido por alguns poucos segundos, e em seguida ele prosseguiu. * Há uma voz de garota por aqui. Não sei bem porque, mas ela fica falando para que você "tome a iniciativa" com a menina, e isso já está me enchendo o saco. Não estava entendendo o motivo de você conseguir ignorá-la tão fácil, mas agora tudo se encaixa. Eu achei que se você fizesse o que ela queria, ela calaria a boca e eu teria alguma paz por aqui. * * Por que eu não posso ouvi-la? * * Quer minha opinião? Ela ainda não está "acordada" o suficiente para isso, ou eu desenvolvi poderes de leitura de mentes, e estou lendo a da sua amiguinha ai. * * Não entendi muito bem essa primeira, mas com certeza ela é bem mais plausível que a outra. * * De qualquer modo, eu tentarei não compartilhar as falas dela com você, mas trate de pensar em um jeito de fazê-la se calar! * Ele fazia isso parecer tão fácil... Como eu conseguiria saber pelo menos por onde começar? Eu queria acreditar que aquilo poderia ser resultado de stress ou sono, então poderia resolver isso apenas dormindo. Por hora, era o melhor que eu poderia oferecer. Mas não podia dormir nesse momento. Precisava esperar o tal cozinheiro, para saber o que ele achava sobre a aliança, e jeito que as coisas iam, ele podia demorar um pouco.

O plano era ficar na minha. Não havia nada mais a ser dito naquele momento, então eu só precisava aguardar. O problema aqui, era que o loiro parecia ter outros planos em mente. Se aproximando de mim e da jovem, ele começa de maneira sutil a tentar iniciar alguma conversa, e eu me viraria para fitá-lo. A maneira que ele utilizou para isso poderia até me deixar um pouco envergonhado, não fosse a fala que se seguiu. * Não pode concordar, é? * Tomaria um bom gole da bebida, pois em meu âmago, algo me dizia que aquilo seria mais que apenas uma exposição de ideias das duas partes. Ele começa com o óbvio, minha opinião pobre sobre sua utilidade como "lutador", mas em seguida ele começa a passar um pouco do ponto. Qualquer um acharia que o motivo para que eu achasse que ele passou exagerou, seria o jeito que ele olhou a jovem, mas eu não me importava com isso. Não importa o quanto ele olhasse, o fato de que ela estava comigo e não com ele não mudaria. O que ele errou foi em tentar me intimidar, dizendo que eu era ingênuo por negociar com piratas e usando um tom de voz que mostrava rispidez. Era deveras risível essa tentativa, até porque eu era um pirata. Tentaria conter minha risada da melhor maneira possível, até que não aguentaria mais e riria alto, de uma maneira que não fazia à tempos. Depois desse momento de descontração, respiraria fundo e diria com um largo sorriso em meus lábios. - Você parece achar que sabe mais do que realmente sabe. Em primeiro lugar, você não tem nada que indique ser um pirata, então não haveria como saber. Mas eu vim falar com você, já sabendo dessa possibilidade. E sabe por quê? Pelo simples fato de que, para atingir meus objetivos, eu preciso de uma tripulação que possa cobrir minhas costas. Se realmente você fosse um pirata, isso não seria problema. De fato, talvez fosse até melhor, já que eu não teria de convencer você a se tornar um bandido, nem teria de te ensinar a lutar. E em segundo lugar, espero que esse tom de ameaça tenha sido apenas uma brincadeira de mal gosto. Eu nunca irei reconhecer como capitão alguém que só consegue resolver seus problemas com os punhos, e que recorre à intimidações quando as coisas não saem do jeito que ele quer. Então vá em frente e me chame do que quiser, mas eu não vou abaixar a cabeça e acatar as ordens de um cara que acabei de conhecer. Confiança não se conquista com palavras e promessas ao vento, e sim com ações e tempo. Ah, e mesmo que eu um dia o chame assim, só obedecerei as ordens que não vão contra os meus ideais. - Finalizaria minha fala tomando mais um pouco do suco e aguardando o que mais ele podia ter para falar.

O rapaz continuava explanando seus pontos, e dando sua versão do que era ser um capitão. * Basicamente, fora ser o cara que dava as ordens, ele deveria ser um elo entre todos os tripulantes? Eu não discordo disso, mas minha opinião não muda. O título é pesado demais para se usar em alguém que se conheceu à poucos minutos. * Para finalizar, ele parecia se identificar comigo de alguma forma, e refazia seu pedido de uma maneira um pouco estranha. * Ele acha que eu sou solitário? * * HAHAHAHAHAHAHAHAH AO VIVO! * * Por que ele acha isso? * * E eu é que sei? Mas isso quer dizer que você não é? * * Teve alguns momentos que eu me sentia sozinho. Mas, principalmente agora, isso não ocorre. * * Ei, ei, será que eu não sou um amigo imaginário que você criou pra não ficar abandonado? * * Eu não tenho essa sorte... * * Isso foi muito cruel. Fez muito bem. * Eu jurava que havia ouvido algumas palmas naquela hora, mas talvez fosse só minha imaginação. A constatação de Ryu não condizia em nada com minha realidade. Eu não era cauteloso por ser sozinho, ou por algum trauma de infância, e sim porque eu sempre confiei na lógica para tomar as melhores decisões, e era apenas isso que eu estava fazendo.

O rapaz estendia sua mão para selar o acordo de parceria, e, apesar de um pouco relutante, estenderia minha mão e apertaria a dele. Estava disposto a dar uma chance ao autoproclamado capitão e ver até onde sua história o levaria. * Me mostre se eu fiz a escolha certa ou não. Surpreenda-me. * Soltaria sua mão e tentaria manter uma expressão neutra no rosto, simbolizando a seriedade do acordo. Depois, me aproximaria de Guin e diria. - Posso falar com você em particular? - Caso ela não pudesse, faria uma expressão de chateado e me sentaria no meu lugar. Mas se ela aceitasse, caminharia com ela até onde ela resolvesse ir e diria em um tom baixo. - Sobre as pessoas de quem falávamos mais cedo... Pode me dizer a localização ou o nome de algum deles? - Se ela aceitasse e me desse a informação, eu decoraria tudo e então diria. - Obrigado por isso. Não sei se isso pode te prejudicar ou não, mas vou manter isso em segredo para que eles nem sequer pensem que foi você que me falou isso. Se ela não quisesse me revelar nada, olharia para ela com a cara emburrada e diria. - Nem mesmo um nomezinho? Como é que eu vou achar esses caras? - Se mesmo assim ela se recusasse, eu voltaria ao banquinho e ficaria ali, um pouco decepcionado, esperando o tal chef.

Histórico:
 

____________________________________________________

* Pensamento * (Buzz)
* Pensamento * (Staz)
- Fala

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por GM.BuzzB em Ter 04 Abr 2017, 19:03, editado 1 vez(es) (Razão : Faltavam algumas coisas nos ganhos)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kekzy
Tenente
Tenente
Kekzy

Créditos : 61
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 06/11/2013
Idade : 22
Localização : Utopia - 7ª Rota

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptySeg 10 Abr 2017, 22:29

Jacob



Em seu rosto, Jacob vislumbrava não só as linhas de uma bela mulher, mas o que aparentava ser de uma exímia cozinheira. Seus instintos mais sacanas lhe passavam a mente, ainda que reprimidos. Mesmo a vitória ainda não o contentava, um chefe que não o levasse até os limites de sua habilidade não o satisfaria, ainda que reconhecesse sua maestria.

Vicenzo, apesar de possuir certas habilidades, era dotado de uma personalidade arrogante. Ainda assim, ele reconhecia os valores de um chef.

Não faça isso comigo, signore. Um chef deve reconhecer a sua derrota, fique com a faca, ela representa a alma de um cozinheiro, algo que eu preciso reconstruir, a partir de agora... começarei uma nova jornada em busca da perfeccion e de meu menu completo! - o cozinheiro proclamava alto, fazendo as pessoas simpatizarem por sua causa — Venham, comprem um delicioso pedaço de Carpaccio de salmão, reunam-se a minha volta e conheçam a lás felicité, reconhecida como boa pela La Arcana Famiglia!

Apesar de tudo, um bom vendedor nunca perde uma chance.

Destarte, Jacob haveria de encontrar-se com o seu irmão na Red’s Pub, e assim o procurou fazer. No caminho, encontrou a famigerada dama de outrora, acompanhada de quatro capangas, todos trajados de ternos pretos listrados. A mulher olhava para as mãos, e apontava para a descente da rua; os homens apertavam os punhos e passavam por Jacob, soltando algumas palavras, mas não o reconhecendo, uma vez que estava na multidão.

Do que ele pode entender, as palavras cozinheiros medíocres e unha não faziam nenhum sentido, no entanto, ordem e silenciar, junto dos olhares vis dos homens denunciavam que algo estava para ocorrer.

Ryu e Buzz



Um novo grupo começava a tomar forma na Red’s Pub, um lugar lendário, palco de lutas ilustres de diversos infames piratas.
Buzz desculpava-se com Umika, a qual assentia e aceitava as desculpas, mas sem pronunciar nenhuma palavra. Ela virava o rosto, olhando para a lateral do bar. Guin interferia e botava os braços em volta do pescoço dela, virando-a novamente para Buzz e apertando suas bochechas, que via o seu rosto corado.

Com um rostinho lindo desse, vocês já deveriam ser namorados.

Ryu chegava no balcão, escorando-se nele e chamando a atenção de Buzz. Os dois piratas acordavam os termos e tentavam se entender para dar início a uma aliança. Todavia, as divergências sobressaltavam-se. A pirataria não era uma brincadeira de criança, Ryu entendia isso. Em sua maturidade, ele reconhecia a importância de um capitão e via as qualidades deste nele, propondo que Buzz aceitasse a sua condição.
Mesmo relutante em seu fórum íntimo, com todas as dicotomias, Buzz aceitava a mão estendida de Ryu, selando um novo pacto. Ali, surgia o prelúdio de uma nova amizade.
No bar, Guin aproximava-se dos garotos, pondo uma mão sobre o balcão e a outra apoiando o queixo.

Parece que os dois estão prestes a formar um complô, hã? Não se esqueçam de me chamar para a brincadeira – a mulher fazia uma cara sugestiva e apertava os seios por baixo com o braço — O que me dizem, que tal mais um drink para comemorar? Uma união entre homens só é real quando se envolve sakê! – ela oferecia bebidas para os dois — Quanto ao que falei antes, rapazinho, não posso falar nada, mas alguém te dará as instruções depois – ela sussurrava em seu ouvido, pondo o dedo em seus lábios como signo de silêncio.




____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jacob Allan
Super Nova
Super Nova
Jacob Allan

Créditos : 29
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 19/08/2015
Idade : 27
Localização : Bingo Bingo Island - 2ª Rota

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptyTer 11 Abr 2017, 03:32

O Broto e O Cozinheiro

Desafios e Encrencas






”Vincenzo-Boy” é uma decisão sua, mas vá em busca do que deseja, mas lembre-se eu vou voltar, e quero você com seu menu completo bem preparado...

Aprendi naquela batalha culinária, Vincenzo continuava sendo um bom vendedor, mas sim, ele podia tornar-se um bom cozinheiro, era evidente, podia ser visto isso em seu amago, não tinha como discordar de um homem que tinha o profissionalismo crescendo em si, apenas guardei a faca assim como ele pediu , afinal eu tinha ganhado e era um mérito próprio. Me vesti, sereno como sempre estive e prossegui, passo após passo em busca do caminho que me levaria ao Red Pub’s, ao menos assim esperei, mas a vida é uma caixinha de surpresas e foi no momento que segui meu caminho que me deparei com aquele pedaço de perdição mais uma vez, agora cercada por seus “ capangas “ , dois belos borra botas de terno que empolgados apenas seguiram ordens. Sabe quando você sente o erro em tudo que vê? Pois é, eu podia sentir o sabor amargo da confusão, mas antes de fazer o que tinha de ser feito, existia um alguém que precisava dos meus “ conselhos culinários “ , transa o que eu falo?  E foi me aproximando a passos sutis ( não furtivos ) que passei a mão pelos meus cabelos e falei :

Sabe broto, você de fato me impressionou pelo seu...talento?

Não posso negar, ela era muito talentosa, mas o que eu podia fazer se quando vejo um corpo tão sexy a única coisa que vem a minha cabeça é o sexy vestido jogado no chão de meus aposentos? Mas aquele momento não era o gala ( não totalmente ) mas sim o cozinheiro chef que estava falando com aquele broto, um cozinheiro chef com uma voz macia ( Voz Encantadora ) , com uma  feição gentil  ( Boa Aparência ) e com um bom gingado, tudo isso para que a atenção daquele belo par de quadris fosse totalmente minha por um instante e foi me aproximando ao máximo que falei as palavras do meu discurso preparado  para quando encontrasse com essa belezinha, claro tudo isso com um belo sorriso :

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Mas um “ Chef do Balacubaco” não faz o outro de “ pagem “ sem deixar ele mostrar como é a sua transa não concorda? Bem, acredito que podemos resolver isso de maneira mais “ supimpa “ se a moça permitir, uma competição simples com um menu fechado e claro para agradar os melhores paladares, se não gostarem, o broto esta mais que certo, o meu “ rango “ nunca mais será servido sem antes aprimorado...mas se estiver com medo de perder, sem problemas, afinal é normal “ brotos sensíveis “ terem medo.



Foi uma provocada sutil, sim queria causar a curiosidade daquele broto e que broto, pois o ar estava quase me faltando quando comecei a andar de costas virando rapidamente com um risinho de canto de boca “ sedutor “ e olhando para ela falei as ultimas palavras antes de seguir na direção dos seus “ capangas “ e descobrir o que estava para acontecer naquele monte de esterco que era a vida e as ruas:

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Pensa com carinho no que te falei Broto, se ainda estiver interessada depois de pensar, me procura no Red Pub’s, manja? Um cozinheiro precisa tomar uns “ biringhts “ as vezes não é mesmo? Agora vou seguindo, tenho dois ternos para passar.


De costas acenei, continuei a caminhar independente do assunto falado, aquele Broto era quente, ficar perto poderia super aquecer as minhas cuecas e não queríamos isso no meio das ruas movimentadas não é mesmo? Apenas segui, segui com cautela ( não furtivo ) e rápido como podia ser, afinal tinha que encontrar dois brutamontes rapidamente eles logo iriam aprontar e como adoro quando aprontam coisas, as soqueiras eram colocadas levemente, prontas para serem usadas, afinal tinha que testar essas novas belezinhas e enquanto caminhava ficava observando todos os pequenos detalhes como se tudo aquilo fosse uma cozinha e o ingrediente final ainda estivesse pronto para ser cozinhado, independente de onde as investigações me levassem, meu destino era obvio após observar o máximo de coisas “úteis “ e inúteis ao longe de minas investigações, esse lugar era o Red Pub’s que seria para onde iria após conseguir também uma informação básica de onde poderia ser precisamente com a seguinte pergunta:

Onde fica o “ Red Pubs “ se é que me entende meu chapa ?


bichaelson



Menu Completo:
 

Historico Afro:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Pedrão
Civil
Civil
Pedrão

Créditos : Zero
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 15/10/2015

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptyTer 11 Abr 2017, 12:46




RISE OF THE DRAGON


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Ryu não respondeu às palavras de Bee, nem se sentiu ofendido pela risada alta e fora de hora, apenas fechou os olhos mantendo um tímido sorriso, achando graça. – “Yare, yare, você não pega leve mesmo.” – Por mais que o novato seguisse uma resposta lógica, mecânica, e sem peso emocional algum, o loiro via naquela atitude do companheiro a necessidade de se autoafirmar, talvez por receio de parecer diminuído ao lado de uma dama tão gentil quanto Umika.

No entanto, no fim das contas, a racionalidade de Bee não estava necessariamente errada, apenas não era a melhor forma de lidar com a situação, ou com o temperamento de Ryu. Em alguns casos, e esse era um deles, a melhor opção é seguir o que o seu coração manda, deixando de lado qualquer receio e insegurança do que o futuro lhe reserva.


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


- Sabe... Por trás de cada grande decisão que tomamos em nossas vidas é preciso dar um salto de fé, pular antes de olhar... Sempre tendo em mente que esse pequeno passo para o desconhecido é também um passo para o inesquecível.

Olharia diretamente nos olhos de Bee ainda segurando a sua mão. Tetsu reconhecia que a decisão do garoto não tinha sido fácil, e sentia por trás daquele simples aperto de mão, o peso daquela escolha, daquela parceria. Entretanto, enquanto o novato tinha suas dúvidas no que diz respeito à confiança, o brilho nos olhos do loiro não dava qualquer sinal de hesitação.

- Conto com você, Bee. – Soltaria a mão do amigo sentindo lá no fundo do seu âmago que tinha feito à escolha certa. Até mesmo Guin que observava toda a cena fez uma pequena brincadeira deixando o ambiente bem mais descontraído. Ryu voltar-se-ia para a moça rindo, exibindo os dentes perfeitos e de dar inveja. Sentia-se tão à vontade ao seu lado que parecia conhecê-la de longas datas.

- Você não desiste mesmo em? Sem o aniki por perto não vai ser a mesma coisa, mas ao invés de sake nós vamos comemorar com suco! O que acha em Bee e Umika-chan? – Por mais que estivesse se divertindo, não podia deixar de pensar também no seu irmão. Horas haviam se passado desde que tinham se separado, e até agora Jacob nem sequer tinha dado sinal de vida. – “Aquele ero-cook... O que ele está fazendo?” – Estava preocupado, ainda que a sua mente soubesse que o cozinheiro sabia muito bem se virar sozinho.

Quando a bebida fosse colocada em cima do balcão, ergueria o copo antes para um brinde dizendo "kanpai". Tomaria um pequeno gole e em seguida mostraria o medalhão prateado preso ao pescoço para dona do bar. – Senhorita Guin, não quero ser abusado nem nada, mas você já viu esse símbolo antes? – O símbolo um dragão muito bem desenhado com a boca aberta. Era a única lembrança que tinha da sua família biológica.

Histórico de Pedrão:
 




Uma nova lenda. Inicio em Dawn Island!

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
BuzzB
Pirata
Pirata
BuzzB

Créditos : 83
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 03/04/2016
Idade : 21
Localização : Nos anais do Acre

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptyQua 12 Abr 2017, 01:18

Esperando o terceiro


Um contrato silencioso foi formado. O quanto vale um aperto de mão? Aparentemente, as pessoas sempre fecham um acordo com um aperto de mão, mas por quê? Seria pelo simbolismo de confiança em deixar sua mão na de um desconhecido? Ou seria a representação concreta do acordo, sem deixar tudo só em palavras? Seja qual for o motivo, eu havia acabado de utilizar isso. O loiro em minha frente proferia algumas palavras, talvez querendo que eu tivesse mais fé nele. Bem, apesar de não ter religião, eu acredito que há uma força maior que comanda tudo, então ter fé não é problema. O problema é depositá-la em alguém que acabei de conhecer. Não havia a menor chance de que eu iria cometer um erro de principiante desses. Por hora, eu apenas iria observar e aprender sobre aquela pessoa, e o futuro diria se ela merece um voto de fé ou não. Após aquela fala sobre confiança, ele profere uma frase, demonstrando que pelo menos um de nós confiava no outro. Fiquei tentado a responder aquilo com um "igualmente", mas eu queria pelo menos ser honesto com ele. E dizer aquilo só por educação seria até rude da minha parte. * Pelo menos eu estou evitando mentiras... É um bom começo. *

Ao fim do trato, a ruiva resolveu entrar na conversa com um tom irônico. A sua forma de falar até me lembrava um pouco a voz na minha cabeça, só que Guin era mais bonita e sabia a hora certa para uma frase de descontração. Um sorrisinho começava a se formar no canto da minha boca, mas logo ele parava, devido ao constrangimento que se seguiu. * Essa mulher certamente sabe usar os atributos que tem. E que atributos! * Daria um peteleco na cabeça, na esperança de que ele também sentisse a dor. * Pensar nesse tipo de coisas enquanto está acompanhado de uma jovem é uma falta de educação da mais alta ordem. Se ninguém te ensinou nada sobre etiqueta, então eu vou passar a lhe ensinar isso. * * Você pode tentar o quanto quiser, mas não vai adiantar de nada. Para quê mudar o que já é perfeito? * Ele podia não ter um pingo de educação, mas tinha uma autoestima invejável. No meio da minha discussão interna, uma proposta tentadora fora feita.

Até onde eu sabia, sakê era uma bebida alcoólica, que algumas pessoas usavam para brindarem quando criavam um elo forte com uma pessoa. Tudo que eu sabia sobre a bebida veio dos livros, então apesar de saber sua composição, nunca havia sentido seu gosto. Na verdade, nunca havia provado nada alcoólico, o que aumentava minha curiosidade. Decerto, em outra situação eu poderia até ter aceitado o drink. Mas como eu era o responsável por Umika e não sabia o que poderia acontecer caso bebesse, como passar um vexame dos grandes ou algo assim, o recomendado era que isso fosse deixado para depois. Logo, Ryu resolveu mudar a bebida para algo menos "perigoso". A primeira vista, você nunca pensaria naquele cara recusando um drink, mas é como dizem: Quem vê cara, não vê coração. Como ele também havia pedido minha opinião e a da jovem, resolvi respondê-lo de maneira simples. - Que seja suco então. -

Um novo intervalo de tempo era criado com aquele pedido, permitindo novamente a mim um tempo para reflexão. Pensar sempre foi o meu forte, então apesar de parecer chato, para mim isso não era um aborrecimento. Sentia mais que aquilo era importante para saber o que fiz, o que posso fazer, de que maneira fazê-lo, etc... Mas naquele momento, o que preenchia minha cabeça não eram teorias, planos ou qualquer coisa desse tipo. O que me vinha era uma imagem clara como uma foto. Claro, não era a primeira vez que eu conseguia visualizar imagens do passado como se elas fossem fotos em minha mente, mas dessa vez era diferente. Geralmente as foto/memórias eram de páginas de livros, locais e outras sortes de coisas. Mas dessa vez era um rosto que estampava minha mente. O rosto envergonhado da jovem quando Guin a provocara parecia ser uma obra de arte que me provocava uma variedade de sensações. Já havia visto aquela expressão antes, mas dessa vez ela me chamava ainda mais a atenção. Só o que me vinha a mente era que esse estranho interesse poderia estar relacionado com a frase que se seguiu. * Namorados, é? Será que ela pensa isso também? * * É só perguntar a ela. * * "Só". Você fala como se fosse a coisa mais simples do mundo. Isso é como uma batalha, então eu preciso de um período de preparo. Talvez depois de derrotar esses caras os quais Guin fez uma menção eu já esteja pronto para perguntar isso. Até lá, eu devo fortificar as defesas e preparar as tropas. * * Você realmente toma isso como uma guerra, não é não? *

À espera do cozinheiro do qual Ryu falou, resolveria investigar mais sobre as pessoas com quem estou me juntando. Primeiro, esperaria Guin dar a resposta ao loiro sobre aquele medalhão. Depois, iniciaria a coleta de dados com uma pergunta simples feita ao loiro. - Então, de onde você é mesmo? - Ao fim de sua resposta, emendaria uma nova pergunta, ainda buscando informações. - Como eu já havia dito, meu objetivo é ser livre e fazer o que quiser, mas e o seu? Se vamos viajar juntos, acho que tenho que saber disso, pelo menos. - Como um bom ouvinte, absorveria tudo e aguardaria o fim da resposta. Quando ele houvesse terminado de dizer tudo, olharia agora para a mink panda e diria em um tom mais meigo, tentando usar isso para que ela relaxasse e se abrisse comigo. - E quanto a você? De onde você é e o que pretende viajando pelo mar? - Quando já houvesse obtido as informações que eu estava buscando, resolveria ser justo e não só fazer a pergunta para os desconhecidos. Isso não serviria de muita coisa para mim, já que eu já tinha uma boa pista de qual era seu objetivo, e sabia que ela era de Loguetown. Mas havia verdade em minhas palavras quando eu disse que pelo menos essa informação era necessária. Por conta disso, me viraria de frente para Umika e diria. - Acho que agora só falta você. Não precisa entrar em detalhes se não quiser, mas acho que esse tipo de informação é importante. - Deixaria que ela tomasse a palavra e falasse o tanto que quisesse, sem forçá-la a nada.

Histórico:
 

____________________________________________________

* Pensamento * (Buzz)
* Pensamento * (Staz)
- Fala

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kekzy
Tenente
Tenente
Kekzy

Créditos : 61
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 06/11/2013
Idade : 22
Localização : Utopia - 7ª Rota

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptyQui 13 Abr 2017, 20:54

Jacob

Jacob encantava-se com a mulher mais uma vez, como a sorte lhe permitira. Tanto para o contento de seu lado charlador, como para o seu lado culinário, que ansiava por uma disputa com a mulher. Enquanto isso, os homens desciam a rua. Ele dirigia a palavra à mulher, a qual abria um sorriso gentil e radiante, expondo seus dentes perfeitamente brancos.

Fico lisonjeada, apesar de não saber o motivo. Seria algo sobre a competição de mais cedo? - ela cruzava as pernas e falava em tom meigo.

Jacob fazia o seu discurso, a desafiando para um duelo culinário.

Ora, então é isso. Você até tem um rostinho bonito e um jeito um pouco atraente, mas eu creio não ter tempo para te oferecer um duelo. Então, sendo só isso, eu vou indo - ela virava, dando um leve acenar e estampando o mesmo sorriso — Ah, é claro, eu ia esqueecendo... - voltou a virar — Se por acaso você me trouxer um bom exemplar do peixe dourado telescópio, eu te darei um duelo, na La Arcana Famiglia, os melhores chefs da cidade estarão presentes. Apareça a hora que quiser, mas não demore tanto. Adeus - ela saia com um risinho de garota, sem se quer escutar as últimas palavras do cozinheiro.

Assim, ele se dirigia para...


Ryu e Buzz


Ryu mantinha-se paciente, lidar com Buzz aparentava ser uma tarefa mais árdua do que imaginado. Afinal, ambos já haviam discordado, mas não fora o suficiente para impedir a aliança. Assim, apesar da oferta, os dois recusaram a proposta de Guin e optaram por um suco de laranja.

HAHAHAHA, que pirata teme o perigo do álcool e ainda se acha corajoso para se aventurar nos piores dos mares? - a mulher chegava com uma bandeja com copos de suco — Aqui está, a bebida das crianças! - abria um sorriso.

Ao fundo, algumas pessoas sentadas nas mesas próximas davam-se o luxo de rir discretamente. Mesmo assim, ambos já haviam selado o aperto de mãos. Destarte, Ryu erguia o copo para o alto, iniciando o primeiro brinde do grupo. Liu brindava animada, com uma empolgação atípica, já Umika estava feliz, mas ainda reservada, olhando para baixo enquanto erguia seu copo. Buzz aproveitava para conhecer melhor o seu companheiro, assim uma conversa se estendeu entre o grupo.

Neste momento, um grupo entrava no bar, deixando todos em silêncio por alguns instantes. Alguns sussurros podiam ser ouvidos, mas logo eram abafados. As setes pessoas sentaram, sem fazer nada digno de atenção e continuaram a conversar. As únicas vozes que podiam ser ouvidas no bar. Além da de Ryu e Buzz.

Guin limpava o balcão despretenciosamente, não os encarando. Ryu a abordava, mostrando o seu colar prateado, herdado da sua família e envolto em mistérios, perguntando se ela saberia de algo relacionado a ele.

Ele me é semelhante, mas não sei te dizer... Ele é importante para você? É uma bela pela, daria um bom dinheiro - a mulher fazia uma cara sugestiva, ainda sim, discreta, falando baixo.

Mesmo com o notório silêncio insólito, Buzz continuava a falar, conhecendo cada vez mais os seus membros.

Bem... Eu sou daqui, estou em busca da minha irmã, que se tornou uma pirata. Tenho medo do que possa acontecer com ela, então queria ao menos encontrá-la novamente... E claro... me tornar tão livre quanto ela! - Umika falava baixo, um tanto triste, mas determinada.

Já eu sou de uma ilha da Grand Line, Mawakun... Preste atenção,
Ryu
- Li Wan mudava o seu semblante a medida que ia falando, ficando mais triste, chamando a atenção também de seu amigo — Gostaria que o Jacob estivesse aqui, mas tenho que falar isso logo... Devo voltar para a minha ilha, encontrar com o meu noivo, e não posso demorar demasiado. A minha família, mesmo sendo de ordem superior, há muito tempo está em débito com outra. Os dois patriarcas da família são amigos de infância e um dia o Patriarca Nihein salvou a vida de meu pai em uma de suas aventuras, fortalecendo seus laços. Assim, uma promessa entre famílias foi feita, que quando a próxima filha alcançasse a idade certa, ela se casaria com um dos herdeiros da outra família - ela batia as mãos umas nas outras, apreensiva e começava a gaguejar — É c-claro q-que sou grata a eles,
e-e que não queria e-estragar a relação entre as famílias, m-mas...
— ela olhava para eles, com os olhos cheios de lágrimas — E-Eu quero... sair em uma aventura com vocês... e-eu não quero c-casar com alguém que não amo... - ela desatava-se a chorar.

Spoiler:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por Kekzy em Qua 19 Abr 2017, 22:09, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jacob Allan
Super Nova
Super Nova
Jacob Allan

Créditos : 29
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 19/08/2015
Idade : 27
Localização : Bingo Bingo Island - 2ª Rota

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptySab 15 Abr 2017, 05:59

Um desafio de classe.

Um peixe por uma peleja.





Sabe Broto, você é de fato muito ousada, eu gosto disso, gosto quando encontro um  Broto assim, isso me deixa sentindo o “ groove “ , transa o que falo? Nós vemos depois...

Falar isso por cima do ombro foi fácil, difícil foi aceitar que aquele mulherão conseguira me dar um boa contra proposta, um desafio por outro desafio, tenho que admitir, aquela mulher tem classe. Um peixe tão específicos não deveria ser nada fácil, mas eu tina um longo caminho pela frente, não perderia um segundo sequer, apenas caminhei, existiam capangas agindo e ela podia ser uma bela mulher, mas, nada me cheira bem quando uma dama pede para dois robustos cavalheiros andarem por ai e por isso seguir passo a passo foi o que pude fazer e o que pretendia, ate chegar próximo o suficiente para velos, próximo o suficiente para acha-los e ver o que de fato precisava para compreender o que eles estavam fazendo afinal , “ um homem precisa apenas saber o necessário “ e com essa politica é isso que tenho que fazer. Após conseguir ( ou não ver ) o que era possível, partir para as lojas e mercados de peixes eram a minha opção, não se tinha muito o que fazer se não procurar de loja em loja por essa iguaria tão incomum, ou encontrar suas informações.

E foi após essa procura que resolvi ser mais breve e dar as caras para minha “ família “, estava atrasado, muitas coisas aconteceram, mas todas valeram a pena e por isso depois de conseguir o peixe ( ou informação ) seguir para o Red Pub’s foi a minha próxima escolha, afinal era o nosso ponto de encontro, mas não sem antes perguntar aos mais informados :


Chapa, poderia me dizer onde encontro o Red Pub’s para tomar uma boa “ ampola “ , transa do que falo?



bichaelson



Menu Completo:
 

Historico Afro:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Pedrão
Civil
Civil
Pedrão

Créditos : Zero
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 15/10/2015

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptyQui 20 Abr 2017, 00:43




RISE OF THE DRAGON


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

A resposta de Guinn não era nem um pouco satisfatória. Embora a figura incrustada no medalhão lhe fosse familiar, a moça parecia não saber o que responder, sugerindo que o rapaz o vendesse. Ryu fechou a cara por um momento deixando escapar um pequeno ruído, estava claramente decepcionado, afinal, se a dona de um bar tão famoso não tinha informações sobre o símbolo, quem mais poderia ter?

– Ele não está à venda. Esse medalhão é a única pista que eu tenho para encontrar minha família biológica. – Guardou medalhão dentro na camisa, evidenciando em suas palavras desconfortáveis e diretas que ele tinha um grande valor sentimental. Independentemente de quanto ele valesse, o loiro jamais planejava se livrar de um item tão importante.

Curiosamente um grupo de estranhos recém-chegados no Red Pubs parecia ter intimidado às pessoas o suficiente para deixar o ambiente praticamente silencioso. – “Quem diabos são esses caras? O clima mudou de repente, até mesmo a senhorita Guinn parece desconfortável com a presença deles.” – Tetsu olhou de relance para o grupo, mas sua atenção logo foi desviada quando Buzz perguntou de onde ele vinha.

– De onde eu vim han? Eu venho de Dawn Island. – Respondia sem pensar, já sendo devorado por outra pergunta que vinha logo em seguida. Ryu olhou para Buzz com afeição e um sorriso no canto dos lábios, um pouco surpreso por aquela atitude inesperada. Achava que o rapaz estava fazendo um grande esforço ao sair da sua zona de conforto ao tentar buscar uma aproximação.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


– Liberdade... – Disse com suavidade, como se o simples pensamento tivesse acabado de escapar da sua mente. Ryu apoiou os cotovelos em cima do balcão, e entrelaçando os dedos, respirou fundo tentando ser o mais honesto possível em sua resposta, virando-se para o amigo exibindo um olhar extremamente saudosista e melancólico.

– Esse é um bom objetivo... Na minha infância era tudo o que eu mais queria. – Fez uma breve pausa voltando-se para o cenário em frente ao balcão, até cerrar os olhos remoendo lá no fundo do seu âmago o prazer que sentia ao se aventurar nas florestas e bosques. Lembrava-se do vento tocar a sua face gentilmente nos dias mais calmos, do barulho dos animais, e também do pequeno riacho que cortava a floresta.

Mais do que ninguém se sentia livre e completo, como parte da natureza. Quando voltou a abrir os orbes, certificou-se de que a sua realidade era outra, mas não menos animadora, dando continuidade ao diálogo na esperança de que o garoto não tivesse desanimado ou desistido da sua resposta.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


– O mais engraçado é que desde aquela época eu já era livre e não sabia. Eu acreditava que o meu pai estava me segurando, me prendendo, e eu o culpava por isso, mas a verdade é que eu estava enganado.

Só depois que ele morreu foi que eu pude perceber que as minhas algemas invisíveis eram meramente invenções da minha própria mente.  


– Eu já sou livre Bee, sempre fui, e meu objetivo não mudou desde criança. Eu quero ser um grande pirata, navegar pelo oceano e conhecer novos lugares. – Ergueu o punho direito cerrado, apertando-o com força fazendo com que as veias do antebraço surgissem. Não havia hesitação em suas palavras, tampouco em seu semblante cheio de confiança e determinação.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


– Eu quero ser desafiado por tudo o que esse mundo tem a oferecer e saber até onde esses punhos irão me levar. – Assim que terminou de falar, foi à vez de Umika tomar a frente, e depois Li Wan. O loiro esperava que a timidez covarde da mink a impedisse de dizer qualquer coisa, mas foi surpreendido pela sua força de vontade. Ela também estava decidida a seguir seu próprio caminho, mesmo que para isso tivesse que encarar a fúria da sua família e ser amaldiçoada por isso.

“Li Wan-chan... Você...” – Ryu estava orgulhoso da companheira, pois sabia que não era nada fácil dizer tudo aquilo, ainda mais na frente de pessoas que tinha acabado de conhecer. Enquanto a mink chorava, o loiro repousaria com suavidade a mão direita em cima do seu ombro, sorrindo.

– Estou feliz... De ter feito a escolha certa. Não importa o que aconteça, jamais deixarei que você faça algo que não quer. – Por mais que tivesse as qualidades de um galanteador, faltava-lhe “tato” para lidar com o sexo oposto, ao contrário de Jacob. A essa altura o cozinheiro teria beijado a moça com ela em seus braços, todavia essa era uma linha que Ryu não pretendia cruzar nem tão cedo. Passado o momento, voltar-se-ia a Guinnn, querendo saber quem era aqueles sujeitos que tinham acabado de chegar.

– Senhorita, quem são esses caras que acabaram de chegar?

Histórico de Pedrão:
 

Obs: Postei sem imagens pq o PB ta em manutenção. Altero depois.





Uma nova lenda. Inicio em Dawn Island!

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
BuzzB
Pirata
Pirata
BuzzB

Créditos : 83
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 03/04/2016
Idade : 21
Localização : Nos anais do Acre

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptySex 21 Abr 2017, 00:33

Os novos convidados


O comentário da ruiva feria de certo modo os meus sentimentos, mas aquilo não era grande coisa para mim. Em outra situação, aquilo poderia ter acabado em discussão. Mas talvez por se tratar de Guin, eu levei isso numa boa e esqueci daquilo rapidamente. Um brinde rápido foi feito pelo loiro, mas resolvi não me juntar aquilo. Selar uma aliança com um copo de suco me parecia algo fraco ou até sem importância. Apesar de não compactuar muito, tenho que admitir que se o objetivo era aquele, deveria ser feito com uma bebida mais adulta. Mesmo assim, não reclamaria ou discutiria a decisão, apenas continuaria com o que havia planejado. As perguntas foram feitas de maneira direta, e obtive as respostas de maneira fácil, apesar de que elas não eram nada do que eu esperava. Mas o dia se provava cheio de coisas que eu não aguardava, como o que se seguiu após isso. Pessoas entrarem no bar mais movimentado da cidade não é nada extraordinário. Mas sete ao mesmo tempo? Aquilo não parecia boa coisa. E levando em conta os murmúrios seguidos do silêncio repentino e o jeito cauteloso de Guin, a situação parecia delicada. * Talvez não seja uma boa ideia mexer com esse pessoal até saber quem são. * * Sempre o capitão óbvio. Esses caras cheiram a gangue. E sabe o que rima com gangue? Espancamento. * * Por hora, rima com "fica na tua" *

Deixando os convidados de lado, a hora das apresentações continuou, chegando a hora das damas falarem. As palavras de Umika já eram esperadas por mim, já que ela havia me contado isso no dia anterior. Mas o acréscimo do desejo de ser livre era novo, e me fazia questionar o porquê de todos ali terem o mesmo objetivo. * Foi-se a época em que os piratas viajavam em busca de dinheiro e mulheres. * * Bem, a gente meio que tá fazendo isso desde que chegamos aqui. Além de que, acha mesmo que uma garota pura como essa ia estar atrás dessas coisas mundanas? * * Tá, você me pegou. Pelo menos o drama da mink é interessante. Apesar de que eu acrescentaria que esse tal noivo é maluco e veio até a ilha para levar ela de volta, e ai todo mundo teria de se juntar e dar uma surra nele. * * E desde quando você é escritor? * * Eu faço o que eu posso. *

Ao fim de sua história, a jovem panda acaba soltando algumas lágrimas, o que me deixou incomodado. Seria rude da minha parte não consolá-la, mas como acabamos de nos conhecer, fazer isso seria forçar muito a barra, além de que Umika poderia interpretar mal a situação. * Então vai deixar por isso mesmo? Que tipo de homem é você? Pelo menos dê um lenço ou algo assim para ela secar as lágrimas. * Eu tinha certeza de que não havia nenhum lenço em minha mochila, mas parando para pensar um pouco, conseguia pensar em um equivalente legal. Lembro de ter rasgado um pedaço da fronha para fazer a bandagem improvisada, então ainda havia um pouco para usar nessa situação. Pegaria o pano e rasgaria um pedaço do tamanho e da largura de minha mão, e entregaria este pedaço para a mink, dizendo. - Aqui, use isso. - Ela aceitando ou não o tecido, guardaria o que sobrou na mochila, para caso eu precisasse de outra atadura improvisada. * Eu tenho que comprar alguns itens médicos, porque isso aqui está uma bela bosta. Tenho de lembrar de lavar o ferimento quando tiver tempo também. *

Com a boa ação realizada, restava saber quem eram as pessoas que entraram no bar. Mas como Ryu parece ter tido a mesma ideia que eu, deixei à cargo dele a pergunta. Afinal, não importava qual de nós fizesse a pergunta, ambos ouviriam a resposta. Ouviria atentamente a resposta de Guin enquanto agiria normalmente e tomaria o conteúdo do meu copo aos poucos. * Quanto mais informação se tem, melhor. *

Histórico:
 

off:
 

____________________________________________________

* Pensamento * (Buzz)
* Pensamento * (Staz)
- Fala

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kekzy
Tenente
Tenente
Kekzy

Créditos : 61
Warn : Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 06/11/2013
Idade : 22
Localização : Utopia - 7ª Rota

Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 EmptySex 21 Abr 2017, 14:51

Narração




Jacob


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Jacob aceitava o desafio proposto pela mulher; afinal, uma batalha culinária não poderia ser forçada. Ademais, ele ainda havia de ficar atento aos capangas. Podia ser uma bela mulher, mas o seu intento ainda não havia sido revelado, e era algo a se precaver. Assim, o cozinheiro ia em procura do bendito peixe, mas não sem antes seguí-los, fazendo o seu caminho, esbarrando em uma ou outra pessoa.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Os homens já estavam fora da linha de visão do boxeador, mas ele refazia os seus passos. Havia parado para charlar a Draag, perdendo o tempo que precisaria para alcançá-los. No entanto, os homens haviam parado, justamente onde a sua batalha ocorrera, cercando o vendedor e cozinheiro Vicenzo.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Allan não conseguia atentar-se ao conteúdo da conversa, se quer aproximar-se, pois um círculo de curiosos era formado. Ele conseguia, naquele momento, escutar o que as más línguas falavam — Ele vai levar um coro dos capangas da Stern, sempre soube que faziam maldades por baixo dos panos!
- alguém falava — Pois acho que estão aqui apenas para intimidá-lo. - diversas eram as opiniões.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]O fato era, algo estranho estava ocorrendo. Vicenzo carregava um semblante pasmo, dotado de uma estranha palidez. Suas pernas tremiam, era notável. Assim, os dois capangas começavam a carregá-lo rua acima.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Jacob, após ver o que estava acontecendo, se dirigia aos mercados próximos, que estavam do lado de onde encontrava-se. Apesar de seus esforços, ele não encontrava nenhum exemplar do tal peixe dito. Aliás, recebia algumas informações dos vendedores, que falavam com um tom descrente — Não há nenhum peixe com este nome nestes mares, não que eu saiba, e já trabalho no ramo há anos - declarava um dos vendedores. O restante também adotava discursos semelhantes.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Haveria a mulher enganado Jacob?




Ryu & Buzz


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Ryu continuava o seu diálogo com Guin, a qual fechava os olhos vagarosamente e suspirava — És tão inocente garoto, ainda quer ser um pirata? Não tenho nenhum interesse em comprá-lo. Pois bem, deixe para lá - virava as costas, indo de encontro às prateleiras de bebida.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Ryu continuava o seu diálogo com Buzz, exalando a sua confiança e determinação. Afinal, eram características que não poderiam faltar em um líder. Do contrário, levaria os seus próprios amigos à desgraça. Todavia, era uma realidade que ele não queria, muito menos depois de ouvir a situação de Liu. Apesar de ser um objetivo distante, com certeza um homem que preza a liberdade não deixaria uma de suas companheiras ter o seu destino atado por sua família.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Os dois ainda notavam a presença dos homens, aumentando a sua curiosidade sobre eles. No entanto, a reunião não podia parar. Buzz tentava o seu máximo para consolar a Umika, mesmo em seus dilemas mentais que pouco pareciam o ajudar. A garota o aceitava de boa vontade, enxugando o rosto molhado e agradecendo ao garoto com o olhar.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Tetsuya ainda se dirigia a Guin novamente, que organizava algumas bebidas. No momento que ela estava para responder, um homem chegava no meio do grupo, pondo uma das mãos no balcão — Apenas um grupo de mercenários - ele dava um sorriso para Guin, que o olhava furiosa — Dê o que os garotos quiserem, por minha conta - ele sentava-se — Está interessado em nós, garoto? Talvez vocês pudessem entrar para a nossa organização, serem nossos subordinados - ele apontava para uma garrafa, recebendo-a de Guin, a qual fazia de má vontade e com demasiado rancor.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Pouco importava ao homem estar rodeado pelo grupo. Ele trajava um sobretudo preto, adornado com detalhes dourados e com muita lã em suas bordas. Era ruivo, prendendo seus cabelos em um coque, o que deixava uma cicatriz em sua testa exposta. Seu jeito era despojado, mas pretencioso, com um tom provocativo de quem achava-se intocável, mesmo sem a arrogância explícita em suas falas — Soube das notícias? Por acaso ainda está com aquela ideia de sabotar a La Famiglia Arcana, meu amor? - ele virava parte da garrafa, soltando um grande suspiro de alívio — Mesmo com essa infamia, as bebidas deste bar ainda são as melhores - seu rosto corava, enquanto olhava para o teto.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Guin rosnava, estava visivelmente ofendida, seus punhos cerravam, mas ela não fazia nada além de fuzilar o ruivo com o olhar — Ainda ousa por os pés aqui, como se atreve? - o homem soltava alguns risos infantis dada as palavras — Você faz de tudo para me afrontar, não é? Eu já estou farta - a mulher batia o punho na mesa, furiosa. Todavia, acabava se virando, tentando ignorar a presença do homem.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Liu e Umika entreolhavam-se, certamente incomodadas com a presença do homem. Esse dava mais um gole em sua bebida, pondo os braços ao redor dos ombros de Liu e Umika e trazendo-as para perto de si — Prometo que se vocês entrarem para o nosso grupo, terão um tratamento especial - vestia a sua melhor cara de bêbado pervertido — É claro que as crianças não iriam se importar, certo? - ele se diriga a Buzz e Ryu.


Spoiler:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Terceiro Ato: The Swordless Knights   Terceiro Ato: The Swordless Knights - Página 6 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Terceiro Ato: The Swordless Knights
Voltar ao Topo 
Página 6 de 19Ir à página : Anterior  1 ... 5, 6, 7 ... 12 ... 19  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Polestar Islands-
Ir para: