One Piece RPG
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» 1º Cap: O começo de uma grande aventura
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Muffatu Hoje à(s) 15:20

» Unidos por um propósito maior
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Muffatu Hoje à(s) 15:10

» Busca Implacável
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Gyatho Hoje à(s) 14:08

» [MEP - Kuroper]
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Kuroper Hoje à(s) 12:16

» [Mini-Kuroper] Começo da Jornada
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Kuroper Hoje à(s) 12:12

» Mini - Themis
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Themis Hoje à(s) 11:29

» Vamos nos aventurar! Anjinhas me aguardem...
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Pippos Hoje à(s) 10:52

» The Claw
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Achiles Hoje à(s) 09:31

» Gregory Ross
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor GM.Noskire Hoje à(s) 08:43

» Xeque - Mate - Parte 1
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Jacob Allan Hoje à(s) 04:19

» [LB] O Florescer de Utopia III
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor GM.Noskire Hoje à(s) 01:06

» Hello darkness my old friend...
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Alek Hoje à(s) 01:03

» Rumo à Grand Line?
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Takamoto Lisandro Hoje à(s) 01:02

» The Victory Promise
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Akise Hoje à(s) 00:00

» VI - Seek & Destroy
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 22:56

» What do You do For Money Honey
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Lancelot Ontem à(s) 21:46

» O início da pesquisa.
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor BlackHole99 Ontem à(s) 20:18

» Island End! Goodbye Utopia!
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Wander Ontem à(s) 16:49

» III ~ Uma Loira na Ilha das Aranhas?
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor Noelle Ontem à(s) 16:40

» Kizumonogatari
3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Emptypor yaTTo Ontem à(s) 15:36



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 3° Tale - Blizzard of Revolution

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptySeg 30 Maio 2016, 16:47

Relembrando a primeira mensagem :

3° Tale - Blizzard of Revolution

Aqui ocorrerá a aventura do(a) revolucionário(a) Elsa Às Volkerbäll. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Volker
Frozen
Frozen


Data de inscrição : 23/03/2013

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptyTer 16 Ago 2016, 15:35

Celebrações sempre eram bem vindas, ainda mais quando eram regadas a bebida e boa comida. Mas dentre todas, esta tinha uma motivação diferente, uma sensação que a diferenciava fortemente de todas as outras festas que havia vivido. Havia dançado até meus pés queimarem, comido até me sentir completamente cheia, beijado até minha boca ficar dormente e bebido até perder a consciência, pelas minhas estimativas tudo aquilo só poderia culminar em uma real satisfação e a noção de que havia aproveitado aquilo de forma plena. Dormia um sono pesado e rápido demais para dar chance a qualquer sonho, no entanto tinha a percepção de notar que havia dormido até demais quando sentia o sol da manhã tocar meu rosto, ao mesmo tempo em que uma melodia surgia em meus ouvidos.

Era um homem tocando um violão em meio ao convés, o sol forte dificultava a visão de sua identidade, ainda mais para quem estivesse acordando, mas a voz era extremamente familiar. – Poderia ser? – comentava, tentando forçar a visão para identificar quem era o tal músico, até que o sol poeticamente cedeu o brilho e nos permitiu vislumbrar a face de Marco. – Não acredito. – sussurrava atônita com o que observava. Aliás, não era uma exclusividade minha, mas sim de todos aqueles que se surpreendiam com a presença do revolucionário. – Ele acordou Mi, Marco despertou do coma! – celebrava, inicialmente abraçando a mulher, antes de ir em direção ao homem.

Todos pareciam ter tido a mesma ideia e cercavam Marco com palmas e gritos de felicidade, mas nada era tão bonito quanto ele indo até Vicent, seu amigo de longa data, em uma cena que representava muito bem o sentimento de união que existia no grupo. – Vicent nunca abandonou o barco e muito menos fugiu da responsabilidade quando Marco esteve incapacitado, ele sempre esteve firme quando todos achavam que sem Marco, não teríamos um rumo. – comentava com Mindy, claramente emocionada, enquanto aplaudia o que meus olhos observavam. – Agora estamos cem por cento! – pensava com alegria, enquanto movia a cabeça, em sinal de positivo a pergunta do líder revolucionário. – Mi você é boa de navegação, vá para o leme, certamente vão precisar de você. – comentava com a jovem, direcionando-a para seu possível afazer no navio, mas não antes de junto dela ir até Marco.

Chegando até o rapaz, o abraçaria com força, afinal de contas a última vez que o tinha visto, havia sido em Micqueot. – Que bom que está bem. – diria, mas logo voltava a expressão mais extrovertida. – Sabíamos que você sairia dessa. – diria, olhando para Vicent. – Mas você ainda me deve um jantar. – brincava com ele, ao mesmo tempo em que entregava o log pose. – Bom tê-lo de volta Marco. Quais as ordens? – me colocaria a disposição do revolucionário e pronta para seguir viagem rumo ao desconhecido.



Histórico:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Far
Pirata
Pirata
Far

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2015
Idade : 22
Localização : Your worst nightmare

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptyQui 18 Ago 2016, 00:51

Narração
A festança durava um bom tempo, mas como tudo também chegava ao seu fim, dando lugar ao sono que praticamente contagiava toda a tripulação fazendo-os descansar até a hora de partida, ou pelo jeito até um pouco mais. Mas o que ninguém esperava era a cena que estavam prestes a vivenciar, Marco havia se recuperado de suas limitações pós-coma e estava em frente a todos cantando uma de suas músicas, realmente com uma harmonia sem igual, e quando finalmente conseguiam ver a verdadeira identidade do revolucionário todos se surpreendiam, comemorando ainda mais. Já havia se passado um bom tempo que não havia um verdadeiro contato entre a tripulação e seu líder original, e por isso a animação era sem igual, não que menosprezassem Vincent mas Marco também deixou seu nome gravado na memória de cada um.

- Poderia ser? – Não acredito. - Comentava Elsa surpresa com o que via diante seus olhos. - Ele acordou Mi, Marco despertou do coma! - Acrescentava abraçando Mindy, deixando transparecer toda sua felicidade.

Ás até pensava em ir falar com o líder, mas aparentemente todo mundo estava querendo fazer a mesma coisa, gerando uma fila enorme, fazendo com que a garota esperasse um pouco mais caso realmente quisesse se encontrar com Marco. Nesse meio tempo a jovem aproveitava para fazer uma análise sobre Vincent, que durante todo esse tempo se esforçou ao máximo para manter tudo em ordem e liderar o grande grupo que seu companheiro havia deixado em suas mãos, não podendo deixar de notar a bela cena que se desenrolava entre os dois. Agora o grupo estava reestruturado pro completo, com seu comandante de volta ao posto e Vincent ao seu lado para tudo que estivesse por vir, de fato uma bela dupla, e que ainda passariam por muitas coisas juntos, assim como todos que estivessem lhes acompanhando.

- Mi você é boa de navegação, vá para o leme, certamente vão precisar de você. - Direcionava suas palavras a mindy após concordar com as palavras de Marco, e assim partir para vê-lo, esperando que a garota lhe acompanhasse antes de seguir para a função designada.

- Vou indo lá. - Respondia com um sorriso, deslocando-se em direção ao leme, pois não havia nenhuma pendencia ou sequer uma relação com Marco.

Alguns homens ainda rodeavam o homem que havia ressurgido das cinzas, mas a revolucionária conseguia ser mais rápida e abrir passagem em meio a multidão, apenas para abraçar Marco e demonstrar seu afeto, que por sinal era retribuído pelo mesmo envolvendo seus braços sobre a garota. Todos estavam felizes com essa notícia, mas já era hora de deixarem isso de lado e partir para o real objetivo, até porque haviam perdido um bom tempo com a festa de última hora que ocorrera na noite passada. Vincent assumia seu posto observando o horizonte, enquanto o líder tomava o rumo da jornada, pegando o tal Log Pose das mãos de Ás e passando a lhe observar com atenção, ao menos até que a jovem chamasse sua atenção com algumas palavras.

- Que bom que está bem. Sabíamos que você sairia dessa. Mas você ainda me deve um jantar. - Pronunciava seu alívio, aproveitando para uma breve brincadeira. - Bom tê-lo de volta Marco. Quais as ordens? - Questionava sua posição.

- Parece que vão precisar mais do que isso se querem me ver no chão... Ah, e eu não esqueci do jantar. - Sorria um pouco, confiante e seguro de sua posição, além de brincar um pouco com as palavras desviando o olhar nas últimas palavras dando a entender que poderia não ser verdade. - Baixar velas, levantar ancora!! Vamos seguir viagem até a próxima ilha. - Pronunciava em voz alta suas primeiras ordens após um bom tempo.

Desse modo logo os homens seguiam seu comando, arrumando todo o necessário para que o barco de fato pudesse sair de onde estava ancorado, e assim Marco levava o Log Pose até o navegador para que ele tomasse conta do restante. Inicialmente o mar não era tão agitado quanto a entrada da Reverse Mountain, mas nunca se sabe o que lhes espera na Grand Line e todos sabiam mais do que nunca que não poderiam subestimá-la, portanto deveriam ter cuidado com esse vasto mundo a sua frente. Sequer sabiam o que lhes aguardava em seguida, mas com Marco em comando todos se sentiam mais confiantes.
Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS


____________________________________________________


Fala (#B22222 - FireBrick)
Pensamento (#4682B4 - SteelBlue)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptySex 19 Ago 2016, 18:54

Que bom, pois irei cobrar aquela lagosta. – divertia-me com Marco durante a breve conversa que tínhamos Mindy já havia seguido até o leme onde iria auxiliar na navegação e todos os demais aguardavam as ordens do revolucionário para seguir a viagem, após lhe dar o log pose e ouvi-lo dar suas ordens, voltava a chamar sua atenção com um rápido pedido. – Quando tiver tempo, quero falar com você em particular. – falava antes de o revolucionário seguir até o navegador. Minutos depois o navio partia vagarosamente, mas logo começava a ganhar velocidade no mar relativamente calmo da Grand Line. Enquanto os demais agiam conforme as ordens e baixavam as velas e moviam-se agitadamente pelo convés, eu permanecia próxima a amurada, observando o farol se perder de vista e depois o próprio oceano até que decidi ir para o interior da embarcação, esperando encontrar algo no qual pudesse ajudar.

- Início do Aprendizado: Perícia Estratégia. –

Não tardou para Marco viesse a meu encontro no interior da cozinha, havia me sentado a não muito tempo para beliscar algumas sobras da festa da noite anterior, doces em um pote e algumas pontas de carne, o vinho branco era apenas algo a mais que trazia para aquele momento. – Queria falar algo comigo? – dizia ele de forma fugaz, adentrado ao local tão rápido quanto suas palavras. Naquele momento podia tomar mais tempo para vislumbrá-lo e perceber que de fato ele estava recuperado de seus problemas. – Sim, queria. – dizia ao nota-lo sorrindo para mim, retribuindo da mesma maneira a expressão. – Gostaria que me ajudasse a aprender sobre estratégia. – da mesma maneira que havia dito com Mario, era direta ao assunto e sem muitos rodeios, no entanto Marco parecia surpreso a repentina proposta.

Aprender? Você tá brincando não? – ele realmente parecia não acreditar em minhas palavras enquanto sentava-se junto a mim, beliscando um pedaço do que antes fora um porco assado. – Porque eu brincaria? – era retórica em minha resposta, mas na realidade tinha completa noção da estranheza do revolucionário, ele parecia hesitante a princípio, mas logo retomou ao assunto e pelo menos não decidia iniciar um revezamento de perguntas sem respostas. – Bem, o que você fez em Micqueot foi impressionante, digo, o plano de ataque, a ação dos navios também. – ele citava os fatos, na grande maioria ele próprio não estava presente, mas fazia questão de ressaltar como havia tido tamanha noção de minhas ações. – Vicent me contou, assim como muitos outros. Por isso estou surpreso, por você não se considerar uma estrategista, mas você também ter esse talento consigo. – ele ria, enquanto permanecia beliscando a comida próxima, antes de buscar uma garrafa de vinho próxima. – Pois bem, não vejo problemas em lhe ensinar, mas já lhe adianto que não sou um dos mais tradicionalistas ou convencionais na prática de uma aula.

Não procuro métodos tão tradicionais assim. – ria, enquanto esperava ele começar seja lá o que tivesse em mente. E Marco iniciava de uma forma tão fidalga e sutil que qualquer um poderia supor que ele fosse o mais sábio dos homens. – Então Às, o que a estratégia significa para você? – ele enchia um copo com o vinho e o tomava, encarando-me como se fosse capaz de ver a resposta pelas minhas expressões. Confiante, respondia-o sem titubear. – Estratégia é um instrumento de batalha, uma definição do que fazer e como fazer. Grandes estratégias podem vencer um combate. – procurava dar uma resposta confiante, sem me comprometer ou me enrolar com as palavras, mas imediatamente após termina-las, Marco já se encontrava em meio às risadas, fazendo-me ficar até mesmo encabulada com o resultado do que havia dito. – Posso presumir que errei não? – comentava.

Sim, mas não se preocupe você não está totalmente errada, mas também não está certa. – ele gesticulava e logo em seguida tomava um bom gole do vinho. – Estratégia, por mais que em sua essência remeta a arte de comandar ou liderar uma tropa, não deve somente estar atrelada a batalha. Estratégia vai, além disso, e pode ser aplicada a muitas outras coisas do que simplesmente agir de forma coordenada e criativa, objetivando uma vitória. Está nas coisas simples como estudar até as mais complexas, define não apenas ação, mas reação, fuga e como obter auxílio. Mas saiba que um bom estrategista já é capaz de vencer um combate, os grandes esses sim são capazes de ganhar guerras, pois estão dispostos a sacrifícios que ninguém faria ou ousaria tentar. – ele voltava a encher um copo. – Mas uma das grandes maravilhas dessa arte está no fato dela ser palpável a todos. – ele abria os braços. – Olhe para mim, eu fervia pela batalha e estratégia era uma grande perda de tempo para mim, não havia talento em mim e só a aprendi quando me imbuíram de uma responsabilidade da qual percebi que não poderia suportar apenas com a força de minhas lâminas. Mas você... – ele apontava para mim. - ...você tem talento e ainda sim, eu sou capaz de subjugá-la, pois não adianta ter só talento, tem de haver esforço, falha e humildade para aprender com tudo isso.

Compreendo. – dizia, absorvendo cada palavra dita. – O uso pode variar para os mais diversos campos, mas posso presumir que todos os casos não fujam de precedentes básicos, algo comum a todos eles não? – perguntava claramente instigada pelo rumo que aquilo estava tomando. -  Exato! – ele batia na mesa rapidamente, antes de voltar a recostar na cadeira. – Eu chamava de PITI, Planejamento, Inteligência, Tempo e Informação, mas elas não estão em ordem de prioridade, mas alguém inteligente como você pode supor qual seja não? – ele me desafiava, seu tom de voz entregava isso claramente, e como boa moça que sou, aceitava e me colocava a pensar, tendo de lembrar-se do passado, do tempo em que vivia no navio de meu pai e ouvia minha irmã comentar sobre as ações dele.

Inteligência! – dizia a primeira, pessoas capazes e com aptidões específicas, distribuídas em locais diversos, coletando informações, fragmentos de algo que ainda não possuía uma forma. – Meu pai possui espiões, mulheres em sua maioria e pessoas de bem, que não são capazes de levantarem suspeitas. – pensava, enquanto levava um tempo para prosseguir. – Informação. – continuava. – Informações obtidas são coletadas e unidas nos dão panoramas para serem explorados, o quadro do papai, os nomes, as imagens e os documentos. Nada era enfeite, tudo está conectado de alguma forma, só é preciso observar bem. – permanecia concentrada em analisar não apenas as palavras provenientes do PITI de Marco, mas das lembranças do passado que de alguma forma estavam me ajudando, ou pelo menos até aquele momento. – A partir daqui eu não sei dizer se Tempo vem antes ou depois do Planejamento. – comentava abertamente com o revolucionário.

Ele docemente sorria e então se aproximava. – Tempo e Planejamento caminham lado a lado, tal como Informação e Inteligência, coloca-los em linhas é uma formalidade para a grande maioria, mas prefiro que você entenda que pode deixa-las alinhadas dessa forma se você receber uma situação e tiver de resolvê-la de maneira quase imediata. Estratégias podem mudar de acordo com o tempo, tal como a eficiência de cada etapa, uma forte Inteligência pode obter informações mais rápida e melhor que seus inimigos, Informações privilegiadas a colocam em vantagem no campo, o Planejamento quase executado corretamente torna o mais impossível dos combates, algo palpável de sucesso, e o tempo, este é um caso a parte. Dê o tempo que for a alguém não competente e ele não fará nada, dê tempo a alguém excepcional e ele se tornará imbatível. – ele parecia feliz com cada palavra dita, era visível a satisfação dele em transmitir esse tipo de conhecimento.

Existem protocolos então, uma questão organizacional, uma linha de raciocínio voltada a estabelecer funções e prioridades básicas, mas sem a obrigação de segui-las ao pé da letra. – comentava. – Obter informações privilegiadas, colocar-se sempre a frente de seus oponentes, posso compreender que estratégia, pelo menos da forma que você quer me explicar é estar preparado não para uma única situação, mas para todas as variáveis que ela pode apresentar, seja em batalha ou não? – colocava a cabeça para funcionar, enquanto Marco apenas concordava. – Exato. Você tem uma teoria forte e uma dedução bem acima da média. – ele trazia um semblante mais sério. – Em Micqueot, você disse que havia algo em seu passado que não quer contar, por ora. Mas algo me diz que está relacionado a todo esse conhecimento que você tem. – ele sorria por fim, fazendo-me corar um pouco, antes de perguntar e sair do rumo que aquilo poderia dar. – E como posso praticar minha estratégia? – perguntava, coçando a cabeça e com o olhar circulando o ambiente.

Ora, estamos chegando à primeira ilha de nossa rota! – ele gargalhava, mas logo voltava a falar normalmente. – Não há uma forma eficiente de praticar estratégia, pois todo o cenário com que você vai trabalhar pode mudar, eu diria que você procurou um conhecimento mais teórico do que prático, mas você pode começar avaliando a última situação em que você precisou utilizar desse meio. Aprender com os erros sempre é bom. – dizia ele, enquanto eu voltava a me por em meio aos pensamentos. – Em Micqueot, durante a invasão ao QG, tudo ocorreu bem até o momento em que encontramos Amara. – dizia de maneira pensativa, enquanto vislumbrava Marco gesticular, para que eu prosseguisse. – O plano consistia em entrar e sair da mesma maneira, utilizando os agentes infiltrados para nos dar cobertura além das roupas que havíamos conseguido ao derrotar marinheiros a alguns metros antes do nosso destino, mas o confronto estourou ao longe, você e seu grupo. Os marinheiros estavam alerta demais e Pollyna não havia seguido para o combate.

Tomava um gole do vinho, mordendo o lábio enquanto me recordava de toda aquela situação. – A passagem foi descoberta e fomos encurralados, os arqueiros estavam próximos demais e haviam sido emboscados na entrado do Quartel, o que os deixou incapazes de abaterem os atiradores e nos dar caminho livre pelo portão principal. – relaxava o corpo, notando os erros que havia cometido. – Devia ter incumbido alguém de patrulhar o caminho, teríamos sido capazes de identificar os marinheiros se aproximando e alertado os arqueiros para um reposicionamento. Tínhamos a cobertura de nossos homens no QG, mas não nos certificamos de que Pollyna estava por lá. – Encontrava erros consecutivos, alguns de planejamento, outros de execução e conforme os apontava para Marco, sugeria uma resolução minimamente palpável.

É, bom saber que você é capaz de enxergar isso. – Ele parecia contente com o que tinha ouvido, enquanto guardava o copo em um canto. – Você tem a teoria certa agora. Pratique-a com frequência, querendo ou não você sempre age como se fosse acima da sua patente atual. – ele brincava, levantando-se da cadeira e saindo da cozinha, não antes de pousar a mão em meu ombro, em um gesto afetuoso.


- Fim do Aprendizado –

Andaria pela embarcação e me dirigiria até a ala médica, buscaria prontamente informações com o responsável da área. – Há algum ferido que precise de atenção? Estou me colocando a disposição. – diria ao médico do local, rapidamente me preparando para atender alguém caso de fato fosse preciso. Ainda sim, permaneceria atenta e pronta para agir caso fosse chamada por Marco e os demais, embora a viagem seguisse calma, estávamos na Grand Line e qualquer coisa deveria ser encarada com seriedade.



Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.



Última edição por Volker em Seg 10 Out 2016, 15:44, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Far
Pirata
Pirata
Far

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2015
Idade : 22
Localização : Your worst nightmare

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptyTer 23 Ago 2016, 00:37

Narração
Elsa interagia com Marco antes que ele deixasse o local para direcionar os navegadores, ou talvez apenas alerta-los sobre algo que rodeava sua mente agitada, de qualquer forma Ás em forma de brincadeira cobrava a refeição que supostamente o revolucionário estava lhe devendo. Marco apenas ria e concordava com a o último pedido da jovem, o qual lhe incluía em uma conversa, não havia porque negar e nem ao menos desejava isso, portanto não hesitava em aceitar o convite e relaxar a garota de certa forma. Sem mais delongas o grande navio partia em direção a Grand Line rumo ao desconhecido, tudo que se via em frente era água e mais água, e por isso os navegadores deviam bastar para leva-los até a próxima ilha, claro, acompanhando a indicação do Log Pose que já apontava para uma direção em especifico. Assim Elsa deixava o convés se direcionando para o interior da embarcação, ou ao menos era o que desejava fazer antes de ser interrompida por uma voz conhecida.

- Queria falar comigo, certo? - Questionava Marco com um sorriso no rosto.

Isso abria espaço para que Ás terminasse suas pendencias com o líder, afinal de contas aprender coisas novas sempre é bom, e o revolucionário parecia estar mais disposto do que nunca, aliás quem não estaria em uma situação dessas? Ele estava preso a uma cama até pouco tempo atrás, portanto isso até lhe fazia se sentir útil assim como nos bons tempos. Logo passou-se algum tempo em que a garota aprimorava seus conhecimentos, e o líder se contentava em ser o tutor, até que tudo isso tivesse um fim. Ás estava liberada para seguir seu caminho até a ala hospitalar e quem sabe ajudar algum necessitado, pois não havia muito que pudesse fazer durante o tempo na água, portanto tentava fazer o possível para oferecer sua ajuda em outros cantos.

- Há algum ferido que precise de atenção? Estou me colocando a disposição. - Indagava desejando ajudar da forma que tinha a oferecer.

- An? Hmm... Você de novo. - Dizia um homem com semblante conhecido, era Doutor Mario, o qual Ás havia pedido ajuda anteriormente. - Estão trocando os curativos dos feridos, aparentemente estão todos se recuperando. Parece que não tem trabalho para mim... Mas você pode ajudar se quiser. - Sorria pela primeira vez, mas permanecia escorado em um canto isolado da ala médica.

Pouco mais a frente era possível ver vários quartos com pacientes, alguns acompanhados com enfermeiros, outros com doutores, e por fim alguns apenas com os feridos aguardando por atendimento médico afim de trocar os curativos. De fato era uma cena muito mais agradável do que a que presenciara anteriormente, a recuperação é sempre melhor do que a morte, podendo ser considerado até um ato de superação, por que não? Realmente algo bonito de se ver, mas isso não retirava a necessidade de receber atendimento e assim acelerar ainda mais sua recuperação, para logo estarem novamente com a tripulação completa a seu dispor.

2/5 Posts para a primeira ilha

Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS


____________________________________________________


Fala (#B22222 - FireBrick)
Pensamento (#4682B4 - SteelBlue)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptyTer 23 Ago 2016, 17:31

Após passar um bom tempo conversando e aprendendo novas aptidões com a ajuda de Marco, estava livre para fazer o que queria dentro do navio. A viagem permanecia tranquila e pela primeira vez desde que havia me juntado ao grupo, sentia que fazíamos uma viagem tranquila e sem preocupações além do navio e do oceano. – As coisas poderiam ser sempre assim. – pensava enquanto me dirigia a ala médica, notando o clima leve que havia por toda embarcação, ainda que alguns ainda estivessem extasiados pela festa ou pelo próprio fato de enfim estarmos na Grand Line. Dentro do navio, não tinha motivos para estar devidamente caracterizada com Às e talvez por isso, decidia manter tanto a manta quanto a máscara em minhas mãos, pelo menos até chegar na ala médica onde encontrava um rosto familiar.

Sim, sou eu novamente. – respondia, sorrindo para Maria com espontaneidade, o médico que havia me ensinado toxicologia ainda em Lvneel parecia ser o responsável no local e prontamente me esclarecia qual era a situação na enfermaria. – Então a situação aqui, dado a situação na qual chegamos a Lvneel é infinitamente melhor. – cruzava os braços, observando o local enquanto conversava com o homem. – E eu vou ajudar! – dizia, usando a manta como uma faixa na cintura, onde aproveitava para pendurar a máscara e então ter as mãos livres para trabalhar no local. – Eu tenho me metido em tanta confusão que nem parece que sou médica. – brincava com as missões feitas. – As vezes seria bom estar em dois lugares ao mesmo tempo, eu poderia ter ajudado tanto por aqui também. – as palavras tinham uma ponta de desapontamento, não por tudo o que tinha feito, mas pelo que poderia ter feito a mais.

Mario por sua vez sorria com tudo aquilo, algo raro? Era difícil entender, mas podia julgar que se aquele homem tão sisudo e isolado se permitia a sorrir perto de alguém, certamente era algo a ser valorizado. – Eu posso ficar por aqui se quiser. – dizia ao médico, retribuindo o sorriso. – Talvez seja bom pra você sair um pouco daqui, o dia está bonito lá no convés, talvez você queira fazer alguma coisa que não seja trocar ataduras. – sugeria uma pequena folga a ele, embora tivesse dúvidas se ele aceitaria ou não.

Após conversar com Mario, seguiria até uma pia próxima, para higienizar minhas mãos antes de seguir até os pacientes. Observaria cuidadosamente quais eram aqueles a quem deveria priorizar na troca de curativos e começaria por eles, mas não antes de falar com todos no local. – Olá, como estão vocês? – diria com um largo sorriso, me direcionando até o primeiro paciente. – Se alguém estiver sentindo algo é só me avisar. – tentaria ser bastante prestativa com todos enquanto trocava os curativos, removendo-os devidamente, avaliando o estado da ferida antes e após limpá-la caso fosse preciso para só então cobri-las com gaze e atadura. Repetiria o processo com todos, e caso algum dos revolucionários do local estivesse sentindo algo, prestaria atendimento imediato, questionando-o sobre os sintomas, antes de tomar as medidas médicas necessárias. Se não houvesse nada além dos curativos a serem substituídos, após terminar com tudo por ali permaneceria no local, pronta para alguma emergência e a disposição tanto de médicos, quanto de Vicent e Marco.



Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Far
Pirata
Pirata
Far

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2015
Idade : 22
Localização : Your worst nightmare

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptyQui 25 Ago 2016, 04:44

Narração
Finalizando as pendencias com Marco, Elsa logo partia para o interior do navio onde poderia fazer muito mais do que apenas permanecer parada apenas aguardando a chegada ao destino, até porquê a garota é uma médica que já não tratava pacientes a um bom tempo. Entretanto ao chegar lá a primeira pessoa a qual Ás se deparava era o Dr. Mario que havia lhe ajudado a algum tempo atrás, e que por sinal ainda estava com seu anel, o homem aparentava estar um pouco mais contente com a situação atual mas ainda procurava manter-se discreto deixando escapar apenas um sorriso durante o diálogo. De qualquer forma não era para isso que ele estava ali, era visto mais como um observador do que alguém que realmente seria útil para trocar curativos, e portanto apenas designava a tarefa a garota, se ela desejasse é claro.

- Sim, sou eu novamente. Então a situação aqui, dado a situação na qual chegamos a Lvneel é infinitamente melhor. E eu vou ajudar! - Respondia, aproveitando para ajeitar a manta usando-a como uma faixa, além de pendurar a máscara para não lhe atrapalhar. - Eu tenho me metido em tanta confusão que nem parece que sou médica. As vezes seria bom estar em dois lugares ao mesmo tempo, eu poderia ter ajudado tanto por aqui também. - Comentava sobre sua ausência na ala médica.

- Entendo... Não se dá para estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Mas, talvez seja melhor assim. - Dizia retirando um de seus cigarros e girando-o entre seus dedos, brincando enquanto falava. - Ao menos agora você esta aqui. - Firmava seu semblante sério olhando-a.

- Eu posso ficar por aqui se quiser. Talvez seja bom pra você sair um pouco daqui, o dia está bonito lá no convés, talvez você queira fazer alguma coisa que não seja trocar ataduras. - Elsa colocava-se a disposição.

- É acho que você tem razão... Olhava para o cigarro por alguns segundos, e retirava um isqueiro de seu bolso ascendendo o cigarro enquanto se retirava do local, virando-se de costas e balançando as mãos em um sinal de "até logo".

A conversa havia rendido mais que os dois esperavam, mas ainda havia muito trabalho a ser feito na ala médica e tempo era o que não se podia perder nesse momento, sendo assim a jovem apenas seguiu até uma pia, que por sinal não estava muito longe, e higienizou suas mãos para evitar uma possível infecção. Elsa ainda tentava alguma aproximação com os feridos, mas a maioria deles aparentava estar cabisbaixo por não ter tido a possibilidade de participar dos recentes eventos, para muitos era uma vergonha não estar presente em uma conquista tão grande. Apesar de estarem felizes pelo grupo ainda permaneciam abalados em seu interior, e por isso a maioria apenas balançava com a cabeça concordando com as palavras da revolucionária, permanecendo sentados em sua cama ao aguardo de atendimento.

Desse modo com a ajuda dos demais médicos do local, ao menos dois deles, a garota se prontificava a trocar os curativos, e de fato o fazia um por um até que todos estivessem ajeitados em seu devido lugar, limpos, cobertos com gazes e ataduras e por fim ajeitando-os de forma firme. Nenhum problema era encontrado além de feridas em processo de cicatrização, mas isso já era esperando, o único problema estava mais para as condições climáticas do local, pois em questão de minutos o calor passou a ser insuportável, o suor escorria do corpo de cada um naquele cômodo. Não havia como saber exatamente o porquê dessa mudança repentina, e nem ao menos sabiam se isso estava acontecendo apenas dentro do navio por conta do tanto de pessoas acumuladas em um local só, mas ao menos possuíam o conhecimento de que aquilo não era normal.

- Nossa... Chegamos no inferno? - Dizia Kim se aproximando com uma aparência de que havia acabado de acordar, limpava o suor de seu rosto com um de seus braços.

3/5 Posts para a primeira ilha

Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS


____________________________________________________


Fala (#B22222 - FireBrick)
Pensamento (#4682B4 - SteelBlue)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptyQui 25 Ago 2016, 20:10

Após uma agradável conversa com Mario, aproveitava do pouco movimento do local para substitui-lo na ala médica, mesmo que fosse apenas para trocar alguns curativos, embora não fosse uma tarefa fácil supor sua resposta a simples necessidade do fumo já parecia ser um convite para se retirar do local e assim ele partia, acenando enquanto eu me preparava para atender os que ainda estavam feridos. O clima de descontração que havia carregado desde o convés parecia se perder conforme atendia cada uma daquelas pessoas, com a ajuda de outros dois médicos para agilizar o tratamento passava a notar o desânimo de muitos dali. – Algumas feridas precisam de muito mais do que remédios e curativos. – pensava enquanto vislumbrava aqueles homens tão cabisbaixos. Era uma ferida que não poderia curar de imediato, mas poderia ajudar a cicatrizar quando a hora chegasse.

Precisamos de vocês totalmente recuperados! – comentava com todos, enquanto limpava as feridas de um. – Seja lá qual for o desafio que nos espera, a força de vocês é necessária e importante. – sorria, já enfaixando o paciente. – Então tratem de tirar essas caras de derrota, elas não combinam com vocês. – dizia em tom sério a princípio, mas logo voltava ao sorriso aconchegante. – E obviamente, o pensamento negativo atrapalha o tratamento de vocês! – dava um tapinha no último paciente, caso ele se mostrasse igualmente desanimado, como em uma bronca. O clima no local era tranquilo apesar das circunstâncias. – Nenhuma infecção, todos estão se recuperando bem. – pensava, enquanto limpava as mãos. – Talvez seja interessante aguardarmos um pouco na ilha, esperar que todos estejam completamente curados. – inconscientemente, começava a me abanar com a própria mão.

E aos poucos o calor no local ia aumentando, inicialmente pensava ser apenas coisa da minha cabeça, ou algo do próprio navio, mas conforme meu corpo suava e aquela sensação apenas aumentava começava a me preocupar. – Que calor insuportável. – praguejava com razão, não bastasse o calor ainda havia o vestido que estava usando, havia o encontrado no navio e seu tecido era quente e pesado, meu corpo parecia estar sendo cozido por ele e a sensação térmica só aumentava. Procurava alívio na própria pia, buscando molhar o rosto e jogar um pouco de água fria sobre a nuca e a região acima do busto. Kim se aproximava no mesmo momento, com uma expressão de sono e incômodo, o calor deveria tê-lo acordado. – Espero que sim. – comentava a princípio, ainda me refrescando, caso a água da pia não estivesse igualmente quente. – Do contrário, só significa que vai ficar pior. – sem querer acabava falando em tom sério, o calor não era algo no qual estava habituada, na realidade não gostava tanto de climas quentes.

Fiquem de olho nos pacientes, o calor pode gerar mal estar neles. – comentava com os médicos que estavam no local. – Os mantenham hidratados e chamem por mim ou Mario caso algo aconteça. – comentava com eles, claramente incomodada com aquele calor. Na realidade, aquele ambiente fechado havia se tornado praticamente sufocante para mim. – Vamos ao convés Kim, talvez as coisas estejam melhores por lá. – comentava com o revolucionário. Iria até o convés e imediatamente observaria o céu, antes de observar o horizonte. Buscaria o leme, na esperança de encontrar não apenas Mindy, mas também Marco ou Vicent. – Que calor é esse? Estamos navegando sobre um vulcão? – perguntava, claramente incomodada.



Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Far
Pirata
Pirata
Far

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2015
Idade : 22
Localização : Your worst nightmare

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptySab 27 Ago 2016, 22:43

Narração
- Precisamos de vocês totalmente recuperados! Seja lá qual for o desafio que nos espera, a força de vocês é necessária e importante. Então tratem de tirar essas caras de derrota, elas não combinam com vocês! - Dizia sorrindo, tentando alegrar os homens cabisbaixos de alguma forma.

A garota após ter sido designada a cuidar da ala médica por conta do doutor Mario, finalizava a troca dos últimos curativos, por sorte nenhum deles continha uma infecção ou algo do gênero, portanto o tratamento foi simples e de certa forma rápido, quer dizer, isso desconsiderando a quantidade de pessoas a serem cuidadas. De qualquer forma o trabalho da jovem por ali estava feito, e pouco tempo após concluir os afazeres um calor tremendo se instalava na parte interna do barco, não sabia-se exatamente como ou porquê mas aparentemente todos ali estavam sentindo isso. Para comprovar essa teoria Kim ainda aparecia, todo sonolento, pois havia acordado devido ao calor repentino, e já sem paciência questionava em um tom de desgosto, mas sem deixar de ter razão, até porquê o grupo todo estava acostumado ao clima do North Blue.

- Espero que sim. - Comentava a garota, passando a ficar um pouco séria. - Do contrário, só significa que vai ficar pior. -

- Hmmmf... Nem fale uma coisa dessas. - Respondia Kim limpando o suor que escorria constantemente, e sem muita opção retirava a camisa para aliviar-se.

Por outro lado Elsa não podia fazer o mesmo e contentava-se apenas com água corrente, a qual limpava seu rosto na tentativa de amenizar a temperatura, e até funcionava por alguns segundos, mas logo o calor tomava conta novamente. Vendo que não havia jeito de melhorar as condições climáticas a garota apenas instruía os demais médicos a manter os pacientes o mais confortável possível, realmente era uma situação complicada, mas ter pessoas desidratadas seria um cenário pior ainda. Desse modo já havia feito sua parte, logo estava disposta a ir até o convés e ver como estavam as coisas por lá, e quem sabe até aliviar um pouco a sensação de estar derretendo em meio a madeira do navio, algo não muito agradável de se lidar.

- Vamos ao convés Kim, talvez as coisas estejam melhores por lá. - Pronunciava-se para saírem dali o mais rápido possível.

- Espero que estejam, vamos lá. - Comentava colocando a camisa sobre seu ombro.

Subindo as escadas até a parte superior o calor não diminuía, mas ao menos lá o vento amenizava um pouco a sensação térmica deixando-os mais tranquilos comparado a situação encontrada na parte interior do barco, que se encontrava, literalmente, um inferno. A tripulação toda podia sentir o calor e o suor saindo de seu corpo apenas reafirmava isso, porém mesmo assim estava centrados para com algo em específico, olhando mais a frente a figura de uma ilha era possível ser avistada. O barco se aproximava cada vez mais daquele local e não deveria demorar muito para que chegassem até lá, porém a vista era totalmente caótica, um local totalmente cercado por rochas sem um resquício de vegetação. A princípio não era possível avistar a presença de pessoas no local, mas o Log Pose estava apontando para lá e não havia muita escolha de caminhos a serem tomados.

- Que calor é esse? Estamos navegando sobre um vulcão? - Indagava a Marco, ainda preocupada com as condições climáticas.

- Parece que estamos chegando em uma ilha de verão. - O homem apontava para a porção de terra perdida no meio do mar, ainda um pouco confuso com o que poderiam encontrar naquele local, aparentemente inóspito.

4/5 Posts para a primeira ilha

Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS


____________________________________________________


Fala (#B22222 - FireBrick)
Pensamento (#4682B4 - SteelBlue)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptyDom 28 Ago 2016, 20:00

Atormentada pelo calor insustentável que havia subitamente se instaurado no interior do navio decidia junto de Kim, que também parecia não muito feliz com aquele clima tão intenso, seguir até o convés na esperança de que por lá as coisas estivessem melhores. A água corrente poderia ter amenizado a sensação térmica, mas o alívio era apenas imediato, diferente do arqueiro eu não poderia simplesmente me ver livre do vestido, ou até mesmo poderia, mas não seria lá uma situação muito conveniente para alguns. O calor apenas retornava pouco a pouco e a brisa que percorria o convés era um sopro bem fraco de alívio, mas que não ajudava muito a resolver o problema. – Mais do mesmo por aqui. – comentava, enquanto me abanava por um pouco mais de frescor. – Se bobear até mesmo se pescarmos algo, o peixe já virá cozido. – fazia uma observação esdrúxula, apenas para reforçar o quanto estava quente por ali.

No horizonte era possível avistar uma ilha, a primeira de nossa nova jornada. – Lá está ela Kim. – comentava, antes de seguir até o leme onde Marco se encontrava. Conforme nos aproximávamos dela, era possível tomarmos noção de suas formas, um pouco de suas características e talvez os seus mistérios. Era um pedaço rocha vermelha e amarela sobre a água, uma pedra que havia se esquecido de afundar e tão inóspita que nem mesmo as plantas pareciam dispostas a dar boas vindas às pessoas que por lá chegavam. Neste meio tempo, questionava o líder revolucionário sobre o calor e sua resposta era no mínimo irônica. – É realmente. – minha voz saía mais irônica e debochada do que desejava, mas sabia que pelo menos Marco já conhecia bem esse meu comportamento, afinal de contas havia sido a primeira coisa que demonstrei a ele em Micqueot. – Ficaria surpresa se com todo esse calor essa ilha fosse coberta de gelo, como um sorvete. – comentava com palavras desejosas, era exatamente aquilo o que eu queria afinal. Encostei-me próximo da amurada e deixava meu corpo ceder, sentando no chão de madeira. – Eu só espero que não tenhamos grandes problemas com desidratação e insolação. – comentava, vencida pelo calor.

Porém, dentre tantas coisas que havíamos notado da ilha, mesmo que de longe era a aparente ausência de pessoas. Não sabia se isso era ou não algo atípico na Grand Line e talvez por isso ficasse receosa com aquilo. – Marco. – chamaria a atenção dele. – Não sabemos o que nos espera por lá, acha seguro atracarmos no porto? Se houver um é claro. – diria, aguardando pela resposta do homem. Se ele demonstrasse pouca segurança em uma chegada direta, iria sugerir. – Porque não mandamos um barco pequeno até lá? Poucas pessoas, apenas para saber qual é a da ilha. – Não me colocaria a disposição de ir ao barco, na realidade estava em dúvida se caso minha ideia fosse aceita, deveria seguir ou permanecer no barco. – E se o calor por lá for pior? – pensava, mas se Marco quisesse minha presença na ilha, iria sem reclamar, muito.

Se ele preferisse uma chegada normal também, não havia razões para questioná-lo, caberia apenas aguardar nos aproximarmos da ilha para atracar no porto ou em qualquer lugar que fosse bom o suficiente para isso. Voltaria minha atenção aos revolucionários que estivessem no convés. – Tragam os feridos para cá, o interior do navio está insuportável. – demonstrava preocupação com aqueles que não tinham escolha a não ser permanecer na embarcação, se recuperando. Eles mereciam no mínimo permanecerem confortáveis. Levantar-me-ia e assim que o navio aportasse, seria uma das primeiras a descer, chamando obviamente aqueles a quem estava acostumada andar, Vicent, Kim, Durong e Mindy. Era o melhor grupo possível para explorar a ilha comigo, todos nós conhecíamos nossas capacidades e isso na Grand Line seria uma grande vantagem, a meu ver.



Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Far
Pirata
Pirata
Far

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2015
Idade : 22
Localização : Your worst nightmare

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptyTer 30 Ago 2016, 17:35

Narração
Subindo as escadas a dupla percebia que o calor não sessava apesar de amenizar um pouco, e por isso Elsa não podia deixar de mostrar o quanto se sentia incomodada, proferindo algumas palavras de ironia, mas que de certo modo não deixava de ser verdade, uma frustração justificada pelo calor intenso aos que não estavam acostumados. Marco por outro lado parecia mais relaxado que o normal, apesar do calor que estava sentindo, aguentava bem aquele clima, talvez já fosse acostumado devido a outra época ou algo do gênero, de qualquer modo não havia muito bem como saber. Assim que avistavam a ilha Ás não podia conter seus comentários sobre o que via, indicando a ilha como foco principal. Mas perguntando a Marco na tentativa de receber alguma informação a mais não obteve muito sucesso e acabou apenas com uma informação não muito difícil de reconhecer, passando a brincar com a situação.

- É realmente. Ficaria surpresa se com todo esse calor essa ilha fosse coberta de gelo, como um sorvete. Eu só espero que não tenhamos grandes problemas com desidratação e insolação. - Comentava sentando-se em meio ao chão de madeira.

- É bom começar por você então. - Sorria ignorando a primeira parte de seus comentários, lançava uma garrafa de água para que a garota segurasse e pudesse beber se desejasse.

A imagem da ilha ficava cada vez mais próxima dos olhos de todos, de fato não era nada agradável ver algo tão deserto e sem vida, mas não havia muita escolha ali, afinal de contas precisavam esperar que o Log Pose se acertasse antes de prosseguir para o próximo destino, e talvez ter mais sorte. Sendo assim a única opção seria parar na ilha e permanecer lá a procura de algo para sobreviver esse tempo, e o mais importante sem perder nenhum de seus homens, o que poderia até ser um desafio julgando a onda de calor que a ilha emitia se alastrando até a parte externa. De qualquer modo o barco se dirigia para as encostas da ilha e Marco sinalizava para avançar até alguns rochedos mais baixos, um lugar possível para desembarque sem grandes dificuldades.

- Marco. Não sabemos o que nos espera por lá, acha seguro atracarmos no porto? Se houver um é claro. Porque não mandamos um barco pequeno até lá? Poucas pessoas, apenas para saber qual é a da ilha. - Questionava Ás antes que chegassem a ilha.

- Vamos atracar próximo aquela rocha... - Comentava apontando para o local, que aparentemente parecia bem estável apesar de não se comparar a um porto. - Lá faremos os grupos de busca e decidimos o que será o melhor a fazer durante a estadia na ilha. Isso deve bastar, mas não se esqueça de tomar cuidado, a ilha parece inabitada mas nunca se deve confiar na Grand Line. - Acrescentava virando-se para a garota com um olhar sério marcando seu rosto.

Por fim a decisão estava tomada e sem mais delongas o barco atracava na costa possibilitando a entrada e saída da ilha, agora de frente com o local ele parecia cada vez mais degastado, as terras vermelhas e rochas dominavam a paisagem, nenhum resquício de água parecia sequer ameaçar sua aparição. De qualquer forma Ás solicitava que os pacientes fossem trazidos até o convés, para seu maior conforto e também querendo evitar a desidratação, seu pedido fora ouvido e seria atendido, mas esse não era o grande foco no momento. Primeiramente Marco começava a analisar as possibilidades e se colocava a frente para controlar a situação antes que algo ruim acontecesse, e portanto passava a ditar as ordens.

- Faremos dois grupos, Vincent reúna um grupo de cinco e procure por recursos. Já Ás também deve reunir um grupo, preciso que vasculhe a ilha e veja se realmente estamos sozinhos por aqui, afinal de contas não queremos nenhuma surpresa, não é mesmo? - Pronunciava-se o líder, permanecendo aberto a questionamentos e reclamações, enquanto isso Kim e Durong passavam a se aproximar de Vincent que por sinal se aproximava de Ás.

- Alguma ideia? - Questionava o revolucionário ao se aproximar da jovem.
Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS


____________________________________________________


Fala (#B22222 - FireBrick)
Pensamento (#4682B4 - SteelBlue)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 EmptyQua 31 Ago 2016, 19:48

Enfim alcançávamos a ilha misteriosa, sob um sol escaldante o navio encontrava espaço próximo a uma rocha, indicada por Marco como um ponto seguro para atracar a embarcação. Tudo naquele local era estranho, seu silêncio, suas formas, o vermelho que já era forte visto de longe parecia ganhar tons ainda mais fortes, reforçando o aspecto inóspito e claramente me dando a ideia de um ambiente não muito convidativo. – Obrigada, espero que não se importe de eu ficar com ela. – agradecia ao revolucionário a respeito da água, mesmo quente ela era um alívio para mim e certamente gostaria de mantê-la comigo. – Eu sei que devo tomar cuidado mas... – olhava ao redor. - ...é só observar pra saber que isso não irá prestar. – levantava-me, recomposta do calor.

Infelizmente, não era uma opção seguir caminho, era preciso aguardar pelo log pose e certamente, seria preciso repor algumas poucas coisas no navio com o que pudéssemos encontrar na ilha, mesmo que fosse apenas areia e pedras. – Agora só resta definirmos os grupos. – dizia a Marco, após confirmar todos os pacientes no convés. O revolucionário prontamente tomava as rédeas da situação e começava a ditar o que deveríamos fazer como o esperado era preciso enviar grupos para ilha ao invés de todos irem de uma só vez. Eu teria optado por apenas um grupo, mas talvez dois fossem de fato o ideal, porém contrariando o que imaginava, havia posto tanto eu quanto Vicent para liderar grupos diferentes. – Se eu encontrar algo, qual a orientação? Volto e aviso ou fico e tente descobrir qual é a da ilha? – era talvez meu único questionamento, estava sendo enviada para explorar, mas o que faria se de fato encontrasse algo? Meu ímpeto certamente seria ir ao local, mas talvez fosse mais seguro avisar a todos primeiro.

Neste meio tempo, Vicent se aproximava de mim, arrastando junto de si Kim e Durong. – Hmm, sabe que eu sempre tenho uma né? – dizia de forma altiva e divertida, enquanto levava uma das mãos ao queixo, pensando um pouco mais. – Se você comandará um grupo de recursos, talvez seja melhor levar pessoas capazes de identificar tais coisas. Temos Mario, ele pode ser útil na identificação de qualquer erva que possa ser útil no tratamento de alguém, temos também nosso ferreiro para descobrir minérios e aqueles que podem identificar como funciona a geografia da região. Além de é claro alguém que possa ajuda-los em caso de combate. – fazia uma pausa, antes de direcionar ao meu grupo. – Eu vou precisar de pessoas rápidas e capazes de se misturar a multidão, a dançarina que pintou meu cabelo, certamente está entre elas, podemos divdir Kim e Durong, ambos se provaram bem versáteis e já conhecemos bem suas habilidades. – terminava de falar, aguardando um posicionamento do trio.

Se as opções agradassem a Vicent, tomaria a liberdade de escolher o meu grupo. – Durong eu escolho você dessa vez! Pensei em chamar Mindy, mas enquanto ela for útil para o navio ela deve permanecer aqui para alguma emergência, então me sobram os artistas do grupo. – falava, direcionando meu olhar pra Durong. – Se importaria de ir até eles e chama-los? – perguntaria ao arqueiro, a dançarina fora a única pessoa que não havia me dito seu nome, mas seu ar extrovertido poderia ser útil, daria a Durong a descrição física dela e pediria também que ela chamasse outros artistas, com habilidades notáveis para seguir conosco. Uma vez com o grupo completo e com as devidas apresentações de cada um, aguardaria o sinal de Marco para seguir até a ilha, mas não antes de falar com Mindy. – Quero que você fique no navio, há muitas vidas aqui para proteger e poucos que podem mover o navio, você é essencial aqui até que voltemos com notícias. Se houver uma cidade aqui, talvez possamos passear nela depois. – sorriria. – A não ser que lá seja mais quente que aqui, ai eu prefiro ficar no navio. – brincava antes de partir.

Uma vez fora do navio, seguiria com o grupo de forma veloz e cautelosa, inicialmente com o grupo de Vicent ao nosso lado, mas lentamente nos separando pelo caminho. Permaneceria atenta as coisas ao nosso redor, usaria minha visão levemente superior a das demais para tentar evitar problemas assim que os avistasse, até se com sorte, encontrar uma cidade. Se isso ocorresse, manteria distância, observando junto dos demais como eram as coisas por lá, tal como suas construções.



Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution - Página 8 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
3° Tale - Blizzard of Revolution
Voltar ao Topo 
Página 8 de 10Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: North Blue :: Lvneel Kingdom-
Ir para: