One Piece RPG
Em busca da resistência - Página 2 XwqZD3u
One Piece RPG
Em busca da resistência - Página 2 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» I - Vós que entrais, abandonai toda a esperança
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Meursault Hoje à(s) 09:29

» Pandamonio, Vol 1 - Rumo à Grand Line!
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor PepePepi Hoje à(s) 02:56

» Caçadoras Eternas: Pesar Crescente!
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Wild Ragnar Hoje à(s) 02:33

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor gmasterX Hoje à(s) 01:30

» União Flasco: Inicio do Sonho
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor ADM.Tidus Hoje à(s) 01:11

» Wu-HA!
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor CaraxDD Hoje à(s) 00:58

» Cap 4: O Silêncio dos Inocentes
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Wesker Hoje à(s) 00:29

» Cortes e Tiros, resgate na ilha das aranhas!
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Achiles Ontem à(s) 23:34

» Ato III: Not Fast but Furious
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Jean Fraga Ontem à(s) 23:19

» Ep 1: O médico e o marinheiro
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor TerryBogard Ontem à(s) 22:58

» Hey Ya!
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 22:47

» 11º Capítulo - Cataclismo em Skypeia!
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Far Ontem à(s) 22:00

» Livro Um: Graduação
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor ADM.Noskire Ontem à(s) 21:12

» [Kit] Silver Ash
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor rafaeliscorrelis Ontem à(s) 20:53

» O Log que vale Dois Bilhões de Berries
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Blum Ontem à(s) 20:48

» Seagull Newspaper - A alegria floresce em Parthenon.
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor GM.Alipheese Ontem à(s) 20:39

» O que me aguarda em Ponta de Lança? Espero que belas Mulheres, hihihi
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Pippos Ontem à(s) 20:09

» [mep] Luna
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor lunabrag Ontem à(s) 19:46

» [mini-luna] Afiando
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor lunabrag Ontem à(s) 19:44

» Tony Redstorm
Em busca da resistência - Página 2 Emptypor Dante Ontem à(s) 18:26



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Em busca da resistência

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 71
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : Fishman Island

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptyTer 29 Dez 2020, 16:23

Relembrando a primeira mensagem :

Em busca da resistência

Aqui ocorrerá a aventura do(a) marinheiro Calros Lazo. A qual não possui narrador definido.


Equipe One Piece RPG

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
PepePepi
Membro
Membro


Data de inscrição : 15/03/2013

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptyDom 03 Jan 2021, 18:27



Posts em Utopia: 90



Acabava me surpreendendo novamente com as situações daquele quartel general. Helena e um velho, que ela apresentava como Kane. – Prazer senhor. – Falava dando o soquinho como ele indicou, mas depois tive que comentar enquanto ele pedia para acompanhá-lo. – Na verdade sou sargento senhor. Recusei a promoção ontem... – Falava com medo dele demonstrar que não me ensinaria por causa disso.

Como continuamos a andar, imagino que não tenha um problema real com isso já que iam me promover de qualquer forma? Até porque me levavam para um lugar que eu realmente nunca vira e que me parecia muito estranho como um todo. Onde estava aquele povo no ataque dias atrás para nos ajudar? Todos pareciam fortes, tinha gente socando metal, rocha e outros com vendas. Aquilo fazia um pouco de sentido com o que ela me falara ontem, mas até onde esse tal de haki conseguia ir? Quebrar uma parede já era impressionante por si só ontem...

E tudo podia ficar ainda mais impressionante, pois ele começava a explicar mais detalhadamente o Busoshoku Haki até aceitando levar um tiro. Para a minha surpresa a única coisa que acontecia era a flecha atravessando-o... Kane falava sobre akuma logia e finalizava com ele comentando um massacre... estava com a minha mente a mil. – Ok... – Falava tentando me acostumar um pouco com tudo aquilo tudo.

– Deixa eu ir por partes para ter certeza de que não perdi nada. – Comentava porque realmente era muita coisa que se passava na minha mente. – Eu podia estar aqui mesmo? Vocês estão me tratando como tenente, mas eu não sou isso. Falei para o vice-almirante que não merecia o cargo ontem. – Reforçava o que havia falado mais cedo já que parecia ter passado batido. – Dito isso, não acho que haki deveria envolver cargos, porque mesmo sendo sargento realmente vi meu peito ficando escuro quando a lança lá do Tsukasa me atravessou. Então eu acho que tenho esse tal haki aí. – Falava apontando para o povo maluco que socava metal. – Se isso ajudaria nossos soldados a sobreviver aquela confusão de dez dias atrás, deveríamos ensinar isso para todos dos nossos... – Havia traidores dez dias atrás, mas na média havia mais do nosso lado.

Com aquele primeiro ponto esclarecido, podia passar para o outro, que era um pouco mais triste. – Sobre as akumas... consigo enumerar... meu primeiro contato com akuma foi um maluco que me teleportou para me roubar cinquenta mil berries. – Falava levantando o primeiro dedo. – O segundo foi o capitão Karyo Shen que é um esqueleto andante. – Levantava o segundo dedo. – O terceiro foi outro que conseguiu me teleportar para uma ilha paradisíaca no calm belt. – O terceiro dedo era levantando e aí eu podia completar. – E tem aquela voz misteriosa que mandava no Ishisaki Oota e que ainda provavelmente consegue falar comigo quando quer... o que é até perigoso eu ficar por aqui... não sei se ele consegue ver o que eu vejo... – Comentava levantando o quarto dedo e olhando a minha volta pensando se não poderiam usar isso para atacar o local.

Só que pensar nisso seria um pouco de perda de tempo já que ali provavelmente só tinha gente forte. – Não tive nenhum outro contato com akuma no mi. – Falava deixando claro a minha ignorância, se havia algo que havia entendido com o tempo era como ela era perigosa. – Eu não sei o que você quis dizer com Logia, mas acho que deu para entender o que difere essa tal Logia das outras pelo que deu para ver de você... – Falava apontando para a parte do corpo dele que a flecha atravessou. – Preciso saber mais sobre akumas no mi no geral. Poderia me explicar melhor? – Falava pedindo a explicação básica.

Quando ele terminasse, precisava ver primeiramente se ainda me aceitariam como aluno ali, pois havia simplesmente demonstrado a minha ignorância. – Vamos atrás de um potencial usuário de logia então... por que acha que ele é usuário de logia? Eu não vi a cena do crime, não vi nada lá da Alice, então eu simplesmente estou perdido até agora. – Perguntava para a tenente Helena, precisava assumir um pouco do controle na minha vida para entender o que estava acontecendo.


Histórico:
 

Ficha para ajudar:
 

Inventário Atual:
 

Objetivos:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 31
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptyQua 06 Jan 2021, 21:29


Em busca da resistência!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

NARRAÇÃO
Utopia
Manhã
Ensolarado, 12ºC

Quando Calros corrigia o homem, ele dava um sorriso enquanto puxava sua longa barba e o respondia. – Eu sei, mas não por muito tempo. Assim que você aprender haki, vai praticamente se igualar à força de um capitão. –

Depois de toda aquela demonstração e princípios dos hakis, mais perguntas do que respostas surgiam na cabeça de Calros que começava a perguntar várias coisas, sendo todas respondidas pelo velho na lata. - Não se preocupe, o vice-almirante já foi resolver coisas em outra ilha, mas ele e o comodoro estão a par de tudo. – Ele então arqueava a sobrancelha com a fala de Calros sobre o peito ficando preto. – Entendo, realmente, haki não tem a ver com cargos, mas é como tratamos ele na maior parte dos QGs da marinha. Dificilmente seria ensinado ou sequer mencionado sobre haki de forma formal para um simples soldado. Pelo jeito você já despertou o seu, isso vai facilitar muito o treinamento. É comum em situações de estresse pessoas despertarem o haki do armamento ou da observação, por mais que não tenham controle. –

Ele apontava para cima agora com uma fala sonhadora. – É claro que o Haki do Rei não pode ser desperto por qualquer um mesmo com treinamento, só pessoas com uma forte determinação para alguma coisa nessa vida herdam esse haki. Mesmo na marinha apenas alguns vice-almirantes e almirantes o possuem. – Quando questionado sobre os homens treinando haki, Kane os encarava e voltava a falar com Calros. – Não é qualquer um que consegue treinar haki, é um treinamento muito rigoroso, então a maioria dos soldados nem sequer teriam chance de aprender, é melhor que gastem seu tempo se desenvolvendo fazendo missões de patrulha e coisas do tipo até que peguem alguma experiência, por isso a preferência por treinar tenentes e pessoas com potencial como você. –

Conforme Calros falava sobre as akumas que tinha visto, o homem concordava com a cabeça, mas na última ele encarava a garota, de forma que Helena dava um passo a frente e começava a falar. – Eu sei que é muita informação, mas foi descoberto que o akumado era realmente Ishisaki, ele conseguia afetar as pessoas de forma alucinógena ou algo parecido por um certo tempo e os efeitos duram por até dias mesmo depois de ele parar de usar. Agora que ele está preso, acorrentado com kairouseki e bem longe daqui, não tem com o que se preocupar, se ainda houver algum efeito, logo deve desaparecer... – Ela colocava a mão no ombro do marinheiro e completava ao sorrir. – Caso escute de novo, pode me avisar. -

Quando perguntado sobre logias, o homem mais uma vez começava com suas explicações fazendo três com os dedos. – Existem basicamente três tipos de akuma no mi... Paramecia, zoan e logia são seus nomes. – Logo puxava ar e começava a falar de uma em uma. – As logias permitem que os usuários criem, controlem e se tornem algum material ou fenômeno da natureza como fogo, gelo, rochas, pântanos e por ai vai. – Ele se aproximava de Gwen fazendo carinho na aranha que se balançava feliz e continuava. – É uma bela aranha, é de aracne, não é, ela já comeu? Elas comem três refeições ao dia com cerca de 3 kgs cada podendo ser carne fresca ou podre. A sua tá meio magra. –

- Cof cof... – Kane tossia e dava andamento a conversa. – Voltando, eu ia falar de Zoans e me distrai com a aranha. Zoans permitem que os usuários se tornem animais, seres mitológicos, seres ancestrais ou híbridos entre humanos e esses animais e criaturas, como aranhas, cachorros, dinossauros, elefantes, criaturas folclóricas... – Então ele segurava o queixo e dizia pensativo. – As últimas são as paramecias, elas alteram os corpos dos usuários e podem dar alguns poderes bem inusitados. No seu caso, o primeiro, segundo e quarto casos eram de paramecias. Apenas o esqueleto seria uma zoan. -

Quando questionada, Helena começava a falar e logo dava a resposta. – Os homens do Desgraçado Junior usam máscaras de palhaço de acordo com a investigação e uma testemunha disse que viu homens com máscaras estranhas no dia do ocorrido. – Ela segurava a cintura e finalizava. – Sobre a logia, é só um boato, mas a família Kodiac é detentora dessa akuma a gerações. A fruta dos tufões, dizem que o usuário pode lançar ventos cortantes a quilômetros de distância, mas não se sabe se eles ainda tem essa akuma ou mesmo qual deles comeu ela. Mas a chance do Desgraçado Junior ser um deles é alta já que onde o nome dele estava envolvido, os Kodiac ganharam de alguma forma financeira ou em questão de status. De toda forma, é melhor prevenir, enfrentar um oponente que você não possa nem sequer tocar seria suicídio. - A garota finalizava dando um soquinho no peito de Calros com um sorriso ao falar. - Não quero ver você morrer. -

Considerações:
 

Histórico Calros:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 158
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptyQui 07 Jan 2021, 02:27



Posts em Utopia: 91


Eles me deixavam mais a par sobre o haki em si, apesar de discordar deles sobre potencial e atingir a força de um capitão, se conseguisse atingir a força de um tenente já estaria de bom tenente nesse começo. Kane citava também algo sobre haki do rei, mas não me importava muito com isso no momento, citar vice-almirantes ou almirantes mostrava que estava longe de sequer imaginar isso ainda. Além de quê, pela descrição anterior dele, eu tinha um tal de Busoushoku Haki e treiná-lo já seria difícil o suficiente.

A situação, no entanto, não parava por ali, pois como falara bastante, ouvia muita coisa, a próxima era uma fala completamente estranha da tenente Helena. Se o akumado era o Ishisaki, com certeza alucinação não era, pois não só eu, como vários outros ouvíamos a mesma coisa no mesmo momento, desde ordens para os aliados deles, como injúrias para tentar enlouquecer a tenente Erza. Mas, sendo ele, respirava fundo e comentava. – Bom, menos um problema para eu lidar então. Eu ouvi a voz ainda logo após a prisão do Ishisaki, porém do hospital em diante eu não ouvi mais nada mesmo.

Foi então, que o mestre Kane passava a explicar as akumas de maneira mais geral. A pobre da Gwen não pesa nem os três quilogramas que ele falou que ela precisava comer por refeição... ele provavelmente estava confundindo com as aranhas gigantescas ou aquele escorpião do tamanho de um barco de pesca médio que encontrei na ilha.

Para finalizar antes de começarmos realmente o treinamento, Helena me dava um panorama melhor sobre a situação do Desgraçado Júnior e concluía toda fofa falando que não queria ver eu morrendo. Talvez a morte do sargento Nexus ainda batia em sua consciência, principalmente com ela socando meu peito que foi atravessado. – Relaxa tenente, eu ainda tenho muito para fazer antes de bater as botas. Nem sendo atravessado bati as botas. – Comentava sorrindo para deixá-la mais tranquila e então me virava para Kane. – Bem, vamos lá então?

Início do treinamento de Haki
O começo definitivamente era o momento mais difícil, pois como treinar algo que nunca havia usado por vontade própria? A primeira parte do treinamento era entender o que o haki fazia e tentar replicar a sensação que tive quando o despertei. Mas, bem, isso era impossível já que quando despertei só senti dor da lança me atravessando meio segundo depois. Por isso era até engraçado a explicação falar que o haki do armamento melhorava a minha resistência, o que aconteceria comigo se não tivesse despertado naquele momento?

Como não possuía forma de lembrar da sensação, diversos testes foram feitos para que aos poucos acabasse surgindo e pudesse me acostumar com a sensação. Socar aquela placa de metal com as mãos nuas era um deles. O primeiro dia não aconteceu nada realmente importante além de tentarmos fazer o meu corpo demonstrar o haki do armamento mais algumas vezes para que eu me acostumasse.

A partir do segundo dia deixei Gwen com Karin para que as duas não sentissem muito a minha falta, pois avisei que treinaria de forma intensa. A partir daquele momento me dediquei completamente ao treinamento, além de acordar, comer e tomar um banho no final do dia, o resto do meu tempo era dedicado ao treinamento.

No terceiro e quarto dia o número de aparições do haki se tornavam mais constantes. Pode ser porque o mestre Kane acabava me socando também para tentar relembrar a dor do impacto do golpe de Tsukasa.

Aos poucos e com muita persistência acabava chegando num patamar bom onde já conseguia ativar e desativar o haki quando queria em uma parte do meu corpo. Só que quando tentava socar o metal com ele acabava perdendo-o, fazendo com que minha mão estivesse bem machucada por boa parte do treinamento. Algo interessante do haki do armamento é que realmente havia toda a questão do entorno negro que me cobria ao ligá-lo. Isso me dava algumas ideias em conjunto com a minha luva que Karin havia me dado. Só que isso só seria realmente efetivo se conseguisse manter meus braços enegrecidos durante a luta.

Já no começo da segunda semana sentia que o meu controle ia melhorando com o corpo básico, o número de falhas em ataques ia diminuindo e minhas mãos agradeciam isso em particular. Quando estava encoberto com haki conseguia minimamente mostrar um arranhão no aço sem minha babylon, porém com haki, meu dano é exatamente 50, isso era simplesmente incrível, acabava entendendo por que falavam que o meu corpo ficava muito mais forte com aquele poder. Ainda não sei se ficava no patamar de um capitão. Lembrava da capitã Katt fazendo muito mais com o chicote dela.

Foi quando o treinamento passava para a etapa de encobrir as minhas luvas. Geral se impressionava com a tecnologia que elas possuíam. Reagindo a meros pensamentos e encobrindo as minhas mãos. Era importante saber se defender de mãos nuas, mas ao mesmo tempo ficava difícil imaginar um dia eu precisando disso com aquelas luvas. No começo novamente encobrir as luvas e socar era difícil por não ser um membro direto do meu corpo. Mesmo assim o metal já ficava danificado absurdamente, o que mostrava que as luvas eram incríveis.

Como percebemos que meus reflexos para tornar meu corpo negro não era tão bom quanto poderia ser, acabávamos nos focando no ataque. Foram três dias socando todo tipo de superfície com as luvas até me acostumar a mantê-las encobertas. Como um último teste, Kane pedia para que o tocasse e tentássemos verificar se conseguia, e o teste era um sucesso. Esse pedido foi realizado por ele diversas vezes nos dias que treinei, e só na segunda semana que conseguia isso de forma mais prática, chegando até o final, onde sempre conseguia. Claro que podia ser por puro costume com o mestre, mas já era um importante passo.

Fim do treinamento de Haki


Com o fim do treino, não me restava muito tempo a mais antes das duas semanas completas que a tenente Helena havia comentado, só um dia livre para que meu corpo descansasse do treinamento. Naquela noite tomava um longo banho pensando no tanto que havia melhorado nessas duas semanas e no desafio que surgiria contra o possível logia.

Ia para a cama com a cabeça cheia, mas quando acordava sentia que realmente o descanso faria bem, relaxando ao máximo que dava, ia para o refeitório onde pegava um pouco de comida para um café da manhã calmo, observando meus arredores para ver como o quartel general estava após essas duas semanas.


Histórico:
 

Ficha para ajudar:
 

Inventário Atual:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 31
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptySab 09 Jan 2021, 12:50


Em busca da resistência!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

NARRAÇÃO
Utopia
Manhã
Ensolarado, 12ºC


Com tudo acertado, o homem que usava uma espécie de kimono velho o retirava e forçava um pouco os músculos, o que fazia ele parecer ao menos duas vezes mais malhado do que já era quando ainda estava de roupas. Ele então se aproximou de um pedaço cubico enorme de metal que estava no canto da arena em que estavam e enegreceu o braço direito dando um soco extremamente forte. Houve até um efeito retardado com sua força, mas logo aquele pedaço de metal saiu voando até uma das laterais do lugar batendo em uma parede, o que levantava muita poeira e fazia com que todos que treinavam parassem por alguns instantes para o observar, onde ele falava. – Certo Calros, precisava liberar espaço, vamos começar então! –





O treinamento começava e se estendia por duas semanas com Calros treinando quase 16 horas por dia. Era extremamente rigoroso, não só pelo treinamento, mas o próprio mestre Kane cobrava muito do rapaz. Meditavam, socavam, canalizavam energias, chegava a beirar a insanidade onde o jovem chegava em seu quarto e praticamente caia morto na cama dormindo sem parar até o próximo dia.




Mas... Duas semanas se passaram e finalmente o treinamento era finalizado, Calros tinha com certeza dominado tudo que precisava saber para começar a utilizar o haki do armamento, sua evolução e controle da nova habilidade dependeria apenas dele agora e não mais de seu mestre. O mestre Kane chegava no último dia, onde Calros estava no chão todo suado e arranhado devido aos treinos intensos e comentava. – Você foi muito bem, na verdade bem melhor do que eu esperava. Normalmente se leva 6 meses apenas para começar a utilizar o haki do armamento, acho que você ter usado uma vez mesmo que por acidente teve um grande impacto sobre o treino. –

O mestre se aproximou do jovem e deu um cordão, nele tinha o pingente de uma nota de 1.000,00 berries que ficava pendurada pela diagonal e estava escrito no verso "Kane", onde o homem falava. – Agora você pode se considerar um dos discípulos do Mestre Kane... Não são muitos, mas a maioria teve grandes feitos. Dois dos almirantes atuais foram discípulos meus. – Helena que estava no lugar e treinou também durante duas semanas, mesmo que fosse um treinamento diferente já que ela já dominava o haki, deu um sorriso colocando a mão sobre o joelho de Calros que estava sentado de tão cansado e dolorido ao falar. – Vamos descansar, logo teremos uma missão bem complicada. –

Após descansar, no dia seguinte foi para o refeitório, onde Helena já estava tomando um café e lendo o jornal enquanto o aguardava, ela estava simplesmente deslumbrante apesar de sua aparência mais séria que o normal diante do rapaz. Ao se aproximar, ele viu que ela já tinha separado a comida para ele, mas nada parecia ter mudado nesse meio tempo com relação aos outros marinheiros e o QG. A garota o dava um jornal apontando para um artigo ao comentar. – Aqui Calros, pelo jeito os Kodiac estão organizando um evento para divulgar seu novo produto, não sei se você sabe, mas eles produzem aquele que é considerado o perfume mais cheiroso do mundo. Vai acontecer por 1 dia em Jaya. Eu falei com a capitã e ela deu pra gente duas missões. –

A garota levantava o dedo médio desviando o olhar do jornal para o jovem ao dizer séria. – Primeiro descobrir o que aconteceu com o pai de Karin e escoltar ela pra ilha... Não estão conseguindo fazer contato infelizemente. – Ela levantava o dedo médio e finalizava. – A mais importante é nos infiltrar no evento e investigar nos infiltrando e tentando descobrir qualquer coisa que interligue a família Kodiac e o Desgraçado Junior, quer dizer, os ganhos deles em cima dos atentados do Desgraçado podem ser mera coincidência... Pode ler o jornal se quiser, ainda temos duas horas até pegarmos o trem do oceano. -

Considerações:
 

Histórico Calros:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 158
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptyQua 13 Jan 2021, 01:11



Posts em Utopia: 92



O treino foi longo, mas Kane me elogiava e entregava um pingente que demonstrava que fui aluno dele. – Muito obrigado senhor! – Falava pegando o presente e colocando-o. Ele comentava sobre até almirantes já terem sido aprendizes dele, isso me soava meio surreal, mas agradecia o tanto que aprendi nos últimos dias. Realmente sabia que estava mais forte quando conseguia usar o haki do armamento. Lembrava das primeiras explicações de Kane sobre o haki ter envolvimento com o meu “espírito”. Considero que ele queira falar isso em relação a vontade, precisava confiar mais de que seria capaz de realizar atos absurdos para progredir de onde estava.

No dia seguinte, já no refeitório, Helena parecia concentrada e falava não só sobre a família Kodiac, como também sobre duas missões que recebemos: uma escolta e uma investigação. Não sei se gostava muito da parte da escolta. – Levar Karin para então procurar pelo pai dela não é muito arriscado? – Perguntava apesar de saber que era uma missão direta da capitã. – Principalmente sem termos contato com ele, imagina chegarmos lá e descobrirmos que o pai dela morreu. Sendo uma missão secreta isso poderia arriscar não só a missão, como principalmente a vida de Karin. – Comentava já abominando a ideia.

Precisava falar com a capitã para talvez deixarmos Karin em Utopia se a própria tenente não sinalizasse que não podíamos deixar a pequena em Utopia, de qualquer forma já me preparava para o pior. Coçava um pouco a cabeça pensando em como seria uma missão com a baixinha. – Se vamos nos infiltrar levando Karin e para um evento de uma empresa famosa por causa de perfume. O disfarce já começará a partir da viagem? Imagino que sim... – Me lembrava um pouco dos fundamentos de atuar que tinha aprendido semanas atrás, seríamos personagens então decidir como eles eram seria o primeiro passo. – Não lembro de ouvir algo bom sobre Jaya e marinheiros, então provavelmente seremos civis, não é? Vamos ser o quê? Irmãos? Indo checar qual é o novo produto dos Kodiac? Somos todos ruivos, então facilita um pouco diria. – Perguntava para ela curioso enquanto pegava o jornal. Obviamente teria algum disfarce envolvido já que ela até me ensinou a atuar para isso. Provavelmente era algo nessa linha. – O problema é perguntar sobre isso e sobre o pai de Karin e não trazer suspeitas pelas perguntas. – Não sabia quantos anos a tenente tinha, porém ela aparenta ser ainda mais nova do que eu. Karin tem oito anos, então não tem como fingir que sou pai dela sem ter tido ela absurdamente precoce, sendo ainda mais impossível para a tenente a ideia de ser mãe da pequena.

– Na verdade, com ou sem Karin não estou vendo um disfarce que abranja as duas situações ao mesmo tempo. – Comentava até ter uma ideia. – Esquece o que falei, podemos sim ser irmãos indo checar o produto da família Kodiac e após o evento podemos sair perguntando sobre o pai dela, falando que é um amigo da nossa família que havia informado que estava na ilha, mas que não apareceu no evento. – Falava já solidificando um pouco mais a ideia de como seria o personagem em minha cabeça.

Após ler as notícias, comer e ouvir o que a tenente teria a falar sobre isso, iria fazer mais uma pergunta para ela antes de partir na direção de Karin. – Se vamos viajar sob disfarce, tem algum tipo de padrão de roupa que precisamos ter? Tirando a minha roupa da marinha eu só tenho aquelas roupas escuras que comprei numa loja qualquer. – Provavelmente teria que comprar outra muda de roupas se fosse um evento chique ou algo do tipo. – Ok. – Falava batendo continência. – Nos vemos no expresso então. – Falava me despedindo dela.

A primeira parada, caso a tenente tivesse deixado em aberto Karin poder ir ou não, seria a capitã Katt, onde perguntaria se não poderíamos deixá-la por motivos simples de segurança. Com a possível resposta seja negativa ou positiva, iria até Karin, onde bem vai ficar pro próximo post né veria se a baixinha já estava acordada.

Se em qualquer momento a tenente comentasse que o disfarce seria sendo a mãe de Karin, levantaria a sobrancelha meio surpreso. – Tem certeza? Você é nova demais para se passar pela mãe dela. – Comentava pensando em que tipo de família disfuncional ela queria interpretar com a baixinha.

Histórico:
 

Ficha para ajudar:
 

Inventário Atual:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 31
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptySex 15 Jan 2021, 23:18


Em busca da resistência!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

NARRAÇÃO
Utopia
Manhã
Ensolarado, 12ºC



Quando questionada sobre o risco, a garota se reclinava um pouco na cadeira já respondendo Calros. – Sim... Eu concordo com você, mas todas as missões são arriscadas e foi uma ordem direta da Capitã... Acho que não deve ter problema, ela é comportada, vamos resolver isso bem rápido espero eu, aqui, olha isso. – A garota colocava um mapa de Jaya sobre a mesa e apontava para um lugar no mesmo ao dizer. – Aparentemente o pai dela está aqui em um laboratório escondido do governo, deve ser tranquilo de levar ela lá, só não podemos ser seguidos. –

Calros começava a questionar a garota que ia respondendo cada pergunta normalmente. – Sim, já vamos pro trem disfarçados... – Ela então assentia com a cabeça já confirmando com o plano do rapaz. – Acredito que se formos como irmãos vamos ser bem convincentes, eu estava pensando em irmos como um casal, mas acho que assim pode dar certo também... – Ela dava um sorriso malicioso e finalizava. – Também não quero ver você fazendo nenhuma gracinha... –

Sendo questionada sobre as roupas, Helena segurava o próprio queixo olhando para cima e mais uma vez respondia o ruivo analisando seu visual. – Imagino que sim, acho que aquelas vão ficar muito boas pra um disfarce. Naquela ilha só tem bandidos, piratas e pessoas de baixo escalão, é melhor não irmos de uma forma muito formal, senão só vamos acabar chamando atenção naquele lugar. –

Com tudo resolvido, Calros se despediu da tenente e foi até Karin onde mais uma vez deu de cara com a recepcionista, Karin estava em uma mesinha ao lado do balcão do QG, parecia estar desenhando algum coisa como uma criança qualquer, apesar de que quando Calros se aproximou viu no papel vários desenhos bem elaborados, com várias medidas, vistas, escalas e anotações indecifráveis, pareciam estar com algum código ou uma língua estranha que Calros nunca tinha visto. – Oi tio Calros. A tia Katt disse que você ia me levar pro papai. -

Considerações:
 

Histórico Calros:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 158
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptySab 16 Jan 2021, 03:59



Posts em Utopia: 93


Pelo visto não havia o que fazer quanto a ida de Karin com a gente. Com exceção disso, Helena me passava algumas informações novas interessantes. Sabia que havia muitos piratas, mas ela se referiu a Jaya literalmente como uma “ilha de piratas”, o que será que havia lá que fazia isso ser possível? Seria uma ilha meio deserta igual a ilha Aracne?

Tirando isso, não compartilhava muito a visão “positiva” da tenente quanto a ser algo de se resolver rápido. Se o pai dela não respondia igual ela falou mais cedo é porque obviamente alguma coisa havia acontecido ao laboratório. Na melhor das hipóteses o den den mushi havia sido roubado, quebrado, ou algum tipo de interferência foi criada, na pior um ataque em massa no laboratório do governo.

Como não havia nada a fazer além de ir, ia na direção de Karin e via a pequena desenhando coisas complexas num papel. – Sim, mas você não pode me chamar de tio Calros mais não. – Falava sorrindo para a pequena e indicando para Gwen vir até mim. apesar de não saber se ela está aqui na real – Nós vamos disfarçados. – Falava ainda em um tom mais alegre apesar de ser algo sério. – Eu serei o seu irmão mais velho e a tenente Helena também. Seremos três irmãos até chegarmos no seu pai. Ok? – Perguntava para ver se ela tinha entendido direitinho.

Se ela tivesse entendido, a minha curiosidade não me deixaria em paz enquanto não perguntasse. – O que você estava desenhando? – Falava realmente curioso já olhando para o papel.

Após a resposta, ou algum tipo de enrolação para não responder, iria então a chamar. – Vamos andando, acho melhor você e a Gwen comerem antes de irmos. – Antes de sair com as duas, falaria para a recepcionista. – Obrigado por cuidar dela. – Levaria as duas para o refeitório, claro que se Karin comentasse sobre já ter comido e alimentado Gwen acabaria mudando meu rumo para o meu quarto.

No refeitório pegaria algo para as duas comerem. – A ilha que seu pai está não é lá das mais seguras, por isso é importante você fingir ser nossa irmã e não se distanciar da gente em hipótese alguma, ok? – Comentava com ela enquanto ela comia reforçando o que havia dito antes para deixar mais claro o porquê do fingimento. Após isso esperaria elas acabarem para irmos até o meu quarto.

Chegando nele pegaria as minhas roupas escuras acabadas e olharia para a pequena. – Você não teria uma roupa surrada na sua casa não, teria? – A mansão que ela vivia provavelmente indicava que todas as roupas que ela tem são de alta qualidade, não combinavam muito com o que vestiríamos. No caso da resposta negativa comentaria com ela. – Vamos ter que comprar roupas para você então.

Levaria Karin para o banheiro primeiro, indicando para ela escovar os dentes, entraria eu mesmo no banheiro e escovaria os meus e trocaria minhas roupas. Após sair do banheiro esperaria pela pequena se ela já não estivesse fora e então indicaria para ela me seguir. – Você ainda está com o baby den den mushi que deixei com você, não está? Melhor o devolvermos já que não condiz muito com o que vamos fazer na outra ilha, era daquela missão antiga que a capitã havia me passado. – Comentava indo na direção do almoxarifado da marinha.

Olá. – Falaria para a pessoa responsável do local quando chegasse. Estava ali para entregar alguns itens que ficavam pesando na mochila, mas que não utilizava mais havia um tempo. A luva bem fraca que havia pegado quando entrei na marinha, agora que possuía a manopla super poderosa que Karin havia me passado. A pistola, antes pensava que ela era incrivelmente poderosa pelo estrago que havia feito com ela, mas percebi na batalha algumas semanas atrás que não era tão potente assim. A devolveria e perguntaria em seguida. – Tem alguma pistola melhor? E um coldre também por favor... é muito ruim levar a pistola na mochila, não é das coisas mais práticas... – Após pegar uma melhor se fosse possível, devolveria o relógio de pulso que não usava mais, afinal, não só havia cumprido seu papel como também era inviável utilizá-lo agora com os “braceletes” que a manopla se tornava.

Pensando ainda nas luvas, pegava a luva de espinhos que ficou comigo por pouco tempo. Na realidade só lutei com ela duas vezes. E ambas de forma bem patética. Então não era muito difícil para mim entregar aquelas luvas para o homem. – Elas são boas, muito boas, apesar de parecerem amaldiçoadas... – Falava em um claro tom de piada para o homem. Elas realmente não tinham a melhor sorte, as peguei logo após a morte de Noxus. Depois disso a minha primeira luta com elas foi na traição da marinha e depois naquela luta onde fui simplesmente atravessado. Literalmente nenhuma boa lembrança com essas luvas. Por último o baby den den mushi que estava com a pequena, isso estava realmente na dúvida de devolver, poderia ser uma boa para nos comunicarmos em Jaya, algo até mesmo essencial dependendo da situação. Porém ao mesmo tempo não acho que combinava muito com o que precisávamos ser na ilha. Fui pobre a vida inteira, sei muito bem que não tinha dinheiro para um desses.

Com tudo isso resolvido olhava para os dois problemas emergentes que possuía para resolver antes de partir, o primeiro eram as roupas da pequena se ela falasse que precisávamos comprar umas piores. Porém o mais urgente era bem óbvio. Alguém pobre não pode ter uma joia encrustada nas costas da mão igual tenho... não que entendesse por que tinha uma joia ali, era algo que um dos akumados superpoderosos havia feito como prêmio por ter nadado enlouquecidamente naqueles redemoinhos.

Levaria a minha outra mão até a joia e puxaria para ver se estava realmente preso de forma firme. Assim... estava a semanas ali e não havia simplesmente caído, então imagino que sim, mas se saísse pouparia certo tempo. – Vamos indo então Karin. – Falava indicando para a baixinha me seguir. Caso a joia não saísse por conta própria, minha primeira parada seria na enfermaria da marinha.

Nela olharia a minha volta para ver se encontrava alguém para realizar algum procedimento simples para retirar a joia da minha mão. Não deveria ser algo muito complicado.

Histórico:
 

Ficha para ajudar:
 

Inventário Atual:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 31
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptySeg 18 Jan 2021, 12:30


Em busca da resistência!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

NARRAÇÃO
Utopia
Tarde
Ensolarado, 16ºC



Quando Calros via a garota, ela olhava para ele com um enorme sorriso, ainda mais quando ele dizia que não podia chamar mais ele por esse nome, ela parecia entender exatamente o que ele queria dizer com aquilo. Pegando sua aranha, ele explicava para a menina como fariam o disfarce para colher informações em Jaya, onde ela o respondia. – Legal... Sempre quis ter irmãos mais velhos! –

Quando questionada sobre os desenhos, a garota pegava e mostrava para Calros, ele não entendia bem o que eram e as palavras eram simplesmente indecifráveis. A garota começava a explicar orgulhosa de sua arte. – São esboços de máquinas voadoras que eu estava fazendo, seria bem mais fácil pra marinha acabar com os piratas se atacassem os navios pelo ar, não acha? Esse código eu que inventei pra não conseguirem roubar, legal, né? –

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Os três foram comer, onde a menina concordava com tudo que Calros falava para ela. Isso até que foi perguntada sobre as roupas, onde ela simplesmente balançou a cabeça para os lados negando, mas falando logo em seguida. – Não se preocupe, a tia Helena disse que vai conseguir algum disfarce pra mim... - Então se ajeitavam e deixando o den den mushi com a marinha, além de outras coisinhas e pegando com o marinheiro uma pistola e coldre melhores. Na hora de devolver a luva, o marinheiro ficava meio apreensivo comentando. – Sempre aparecem coisas amaldiçoadas por aqui, é mais comum do que você imagina... –

O rapaz tentou tirar a joia em seu pulso, mas ela simplesmente não saia, então foi até a enfermaria para que resolvessem. Lá uma enfermeira muito bonita olhou por alguns instantes e disse. – Deixa comigo. – Foi tão rápido que Calros nem viu como ela fez pra tirar, mas no instante em que recebeu a joia em mãos, chegou Helena no quarto fazendo sinal para que a enfermeira os deixassem a sós. – Aqui estão as passagens e as roupas da Karin, é só ela se trocar e podemos ir... Eu vou ser a Frya e Karin vai se chamar Rika, escolha algum nome pra você, assim que Rika se trocar podemos ir pra estação pegar o trem. -

Considerações:
 

Histórico Calros:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 158
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptySeg 18 Jan 2021, 18:18



Posts em Utopia: 94



Karin parecia embarcar no fato de sermos “irmãos mais velhos”. Ela falar aquilo me lembrou um pouco Marcela, mas preferia esquecer isso e me concentrar na missão. Os Números já foram presos, Ishisaki era o dono da voz e não havia mais ninguém envolvido no assassinato dela que precisava me preocupar. O foco agora era aquela menininha que precisava se juntar com o pai, que espero que esteja bem.

Além disso, meio que sem relação com o fato da missão em si, Karin era no mínimo genial. Mesmo sem fazer aquela manopla que me dera, meramente deduzir ou entender como funcionava e me explicar já mostrava um pouco do potencial dela. E só havia me tocado disso quando a menina parecia desenhar asas para que voássemos e conseguíssemos atacar os bandidos por cima.

Claro que no primeiro momento minha mente se dividiu em duas com a fala dela. Não sei se pensava “que inocência” ou “será que é possível?”, pois ela claramente tinha feito contas e até uma criptografia própria para que quem pegasse aqueles papéis não entendesse. Podia ser tudo piada dela, mas não parecia. – Você é incrível Karin. – Falava passando a mão na cabeça dela realmente surpreso com o pensamento da baixinha. Afinal, seja algo real, seja imaginação, aquilo era incrível.

Avançando mais no tempo, no almoxarifado devolvia vários itens que ficavam pesando desnecessariamente em minha mochila. Ainda havia vários livros nela que pesavam de forma “desnecessária”, livros em si nunca são desnecessários, mas seria interessante que eu simplesmente os lesse logo. Parecia que nunca tinha tempo para isso. Tudo bem que não ajudava toda hora procurar por algo diferente para fazer, mas ler era bom, então tentaria ler pelo menos um no expresso.

Seguimos então para a enfermaria onde uma bela mulher, igual todas do quartel general, retirava com tamanha facilidade a joia que ficava impressionado com não ter conseguido. Ficava marcado ali que o primeiro livro que leria seria o de cirurgia. Não que pudesse pensar muito nisso, já que Helena chegava, ou melhor dizendo Frya.

Não sei se a tenente Helena queria fazer uma brincadeira com os nomes já que ela era a “fria” e a baixinha era a “rica”. Seria interessante pensar em algo que o nosso pai imaginário acharia lógico vendo esses dois nomes. Talvez demonstrássemos o avanço que ele desejava para nossa família? – Bom, vou ser o Pobry. – Falava sorrindo daquele nome tosco, não que o delas fossem muito melhores. – Ok então vamos indo? – Comentava pegando a passagem. – Acho que só preciso passar no banco para deixar essa gema lá. – Falava passando a mão nas costas de minha outra mão, onde havia surgido aquela gema.

Após Rika se trocar partiríamos, passaria no banco com uma legítima curiosidade. Após passar pela porta e ser atendido, mostraria a gema. – Da para depositar ela diretamente na minha conta? Ou tem algum tipo de compartimento para deixá-la em segurança? – Perguntava, se a resposta fosse positiva, sorriria e comentaria falando mais baixo. – Sou o marinheiro Calros Lazo. – Mostraria a farda da marinha que estava na mochila. – Além de depositar, quero saber quanto tenho em conta, já me contaram que meu salário caí na minha conta diretamente, mas nunca soube quanto realmente tenho. – Na verdade não sabia nem quanto um sargento da marinha recebia. Com tudo concluído agradeceria e sairia em seguida.

Partindo para o expresso em seguida. – Sabe quanto tempo leva a viagem? – Perguntava para Frya. Perguntava já preparado para uma resposta que me decepcionaria um pouco em relação a quanto tempo teria para ler o livro de cirurgia que tinha. Minha maninha Frya comentou que o evento duraria 1 dia, mas não comentou quando ele começaria.

Quando chegasse na estação simplesmente seguiria do lado de Frya e Rika. Mostraria a passagem para quem fosse necessário e entraria. Se Rika precisasse de ajuda para subir no expresso, carregaria e colocaria ela nas minhas costas em cavalinho. – Onde vamos nos sentar Rika? – Perguntava para minha pequena irmãzinha começando a andar pelo expresso.


Histórico:
 

Ficha para ajudar:
 

Inventário Atual:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 31
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptyQua 20 Jan 2021, 12:16


Em busca da resistência!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

NARRAÇÃO
Utopia
Tarde
Ensolarado, 16ºC



Escutando o nome que Calros se dava, Helena caia na gargalhada já falando enquanto segurava a própria barriga apontando para o ruivo. – Puffff. Pobry? Que tipo de nome é Pobry? HAHAHAHA. Muito bom. – Depois de sua risada eufórica, os três se aprontaram e foram em direção ao banco que ficava próximo do caminho para o trem do oceano onde Calros deixou a sua gema sendo respondido pela maravilhosa garota morena que trabalhava como atendente enquanto ela analisava a joia com algum tipo de luneta. – Ah sim. Outras pessoas trouxeram gemas como essa, são bem raras, vamos depositar cinco milhões em sua conta. –

Quando questionada sobre o valor, a garota entrou em uma sala e poucos segundos depois saiu de lá com um papel que foi lendo até que o olhou e disse o valor de forma que apenas o marinheiro escutasse. – Com essa joia você vai ter exatamente B$ 24.587.956,00. Eu diria que você está muito bem... – Com isso ele saiu de lá deixando mais uma beldade para trás e indo se encontrar com suas companheiras que o aguardavam do lado de fora.

Os três foram em direção à estação sendo que quando questionada sobre a demora, Helena pensou um pouco e logo respondeu. – Bem, creio que vamos chegar pela manhã, isso se não houver atrasos, de navio leva alguns dias daqui pra Jaya, mas o trem e bem rápido. O evento começa amanhã no horário do almoço, então vamos ter a manhã pra achar o pai da Ryka, senão vamos ter que levar ela no evento. –

Os três chegaram na estação e foram direto para o trem que já estava lá sendo embarcado. Após apresentar as passagens, subiram e foram se sentar, sendo que quando perguntada Karin sorriu e disse. – Podemos nos sentar atras tio Pobry? Quero ter uma vista legal da ilha ficando pra trás, eu nunca sai de Utopia. – Então os três se sentaram no último vagão que tinha uma grande janela com uma boa vista, não havia varanda, logo não tinha chance de haverem espiões, Gwen ficou muito animada com a janela, já subindo nela e andando de um lado pro outro fazendo com que Karin risse da aranha. Depois de se sentarem, Helana perguntou para Calros o encarando com seu rosto inocente embora suas últimas atitudes não demonstrassem isso. – Pobry, o que você acha de mim como pessoa? -

Considerações:
 

Histórico Calros:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 158
Warn : Em busca da resistência - Página 2 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 EmptyQui 21 Jan 2021, 20:05



Posts no expresso: 1/3


Frya ria muito do meu nome, o que era no mínimo irônico dado o nome dela, mas acho que assim estava bom. E não era a única coisa boa, minha conta bancária estava abarrotada. Deveria haver algo de errado com isso. O salário de um marinheiro não é tão bom assim, os cinco milhões da gema entendia tranquilamente, mas de onde veio o resto? Como não podia perder tempo indagando sobre isso, ficava para depois.

Já no expresso sabia que teria um pouco de tempo para ler um livro inteiro. Precisava descansar, não poderia ficar o tempo todo no expresso lendo, ou poderia?

Quando chegamos no último vagão, pouco antes de se sentar, ao ver que não havia como ter espiões no vagão, comentei com as duas num tom mais comedido, para que só elas me ouvissem independente dos arredores. – Não é pai da Rika. É o nosso pai. Ou fingiremos que ele é outra pessoa. – Comentava olhando para a tenente Helena, ou no caso, Frya. Depois me virava um pouco para Karin, ou seja, Rika. – E eu sou o irmãozão Pobry, ou o one-chan, ou outra coisa, mas não o tio Pobry. Ou vamos desperdiçar o nosso disfarce muito cedo.

Com aquilo dito e me sentando para relaxar ouvia uma pergunta aleatória de Frya. – Está tudo bem Frya? – Perguntaria tentando entender o porquê da pergunta naquele primeiro momento. Como enrolar a tenente era inútil, talvez ela estivesse perguntando por algum motivo, então começaria de forma simples. – Bem, você é minha irmãzinha querida. – Sorria, porém com certa estranheza ainda por não saber o que ela queria ouvir exatamente, então responderia de forma sincera a seguir, não havíamos comentado sobre o tipo de personagem que seríamos, então tomava como verdade que seríamos nós mesmos, mas fingindo que somos irmãos. Assim, só precisava adicionar alguns elementos para continuar no disfarce. – Diria que é uma boa pessoa, igual fomos criados para ser. – Uma pequena pausa enquanto pensava em como continuar. – – É forte, porque a nossa vida cobrou isso, o mundo cobrou isso de nós na verdade. Mesmo sendo mais nova do que eu, já sabe muito mais do mundo. – A vergonha batia um pouco e coçava um pouco a minha cabeça ao falar aquilo. Isso não precisava nem de disfarce para falar na verdade, era um completo ignorante comparado com ela. – Sou o irmão mais velho, mas você acaba sendo mais forte, inteligente e bonita do que eu. Então o que posso falar de você além de que estou orgulhoso de ser seu irmão mais velho? – Terminava sorrindo, depois passava a mão na cabeça de Rika. – Só que mesmo em inteligência nós dois perdemos feio para a baixinha aqui.

Ao acabar de falar olharia para Frya esperando ver se ela estava satisfeita com a resposta, ou se possuía mais alguma pergunta ou algum comentário. Estando tudo bem, retiraria meu livro de cirurgia da mochila e começaria a folheá-lo para ver o tempo passar devagar enquanto não partíssemos.

Nunca havia entrado no expresso. Então estava um pouco animado com a ideia da viagem. Na verdade, até em questão da Grand Line era um novato, conhecia a Ilha Aracne e Utopia e só. Então até Jaya seria uma experiência nova, por mais temporária que fosse. Quando o expresso partisse olharia pela janela enquanto nos afastávamos de Utopia.

A partir do momento que não conseguisse mais ver a ilha pegaria o meu livro de cirurgia, mas não sei se esse tipo de ação era o ideal para um irmão. Talvez precisasse ser mais comunicativo. Só que não sabia o que falar com todas elas durante todo aquele tempo, pensei em perguntar se Karin estava animada para ver o “nosso” pai, mas não queria dar uma esperança dessas sendo que não sei nem se ele estava bem. – Querem fazer alguma coisa enquanto estamos no expresso?

Histórico:
 

Ficha para ajudar:
 

Inventário Atual:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Em busca da resistência - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Em busca da resistência   Em busca da resistência - Página 2 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Em busca da resistência
Voltar ao Topo 
Página 2 de 3Ir à página : Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Grand Line - Paradise (Paradaisu) :: Utopia-
Ir para: