One Piece RPG
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Kyo Hoje à(s) 21:22

» nova aventura
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Makei Hoje à(s) 21:21

» nova aventura
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Makei Hoje à(s) 21:20

» X - Some Kind Of Monster
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 20:56

» [Mini-Saitoshiba] A Aventura está apenas começando
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Saitoshiba Hoje à(s) 20:16

» [M.E.P-DarkJohn] O começo de algo
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor DarkJohn Hoje à(s) 19:27

» [Mini-DarkJohn] O começo de algo
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor DarkJohn Hoje à(s) 19:18

» I - Vós que entrais, abandonai toda a esperança
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Achiles Hoje à(s) 19:10

» Uriel Seraphim
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor ADM.Noskire Hoje à(s) 18:29

» O que me aguarda em Ponta de Lança? Espero que belas Mulheres, hihihi
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Pippos Hoje à(s) 18:20

» O Log que vale Dois Bilhões de Berries
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Handa Hoje à(s) 18:08

» [MINI-Subaé] OXE! agora a aventura começa mesmo!
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Mephisto Hoje à(s) 17:40

» As Raízes do Vigilante Lucífugo
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Kekzy Hoje à(s) 16:05

» Virtudes do ódio, votos de sangue
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor GM.Midnight Hoje à(s) 15:10

» Cap.1 Deuses entre nós
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor arthurbrag Hoje à(s) 15:02

» Apresentação 7 ~ Falência Premeditada
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Furry Hoje à(s) 12:24

» Em busca da resistência
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Fran B. Air Hoje à(s) 12:16

» Right Punch, Left Punch!
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Graeme Hoje à(s) 12:01

» [MINI-Koji] Anjo caído
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Makei Hoje à(s) 02:00

» Mess in Grand Line: The Red-Haired Arrived
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Emptypor Dante Ontem à(s) 23:35



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 [Mini - Aventura] O Imparável Junichi

Ir em baixo 
AutorMensagem
Brizza
Membro
Membro
Brizza

Créditos : 5
Warn : [Mini - Aventura] O Imparável Junichi 10010
Masculino Data de inscrição : 23/01/2019
Idade : 20

[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi EmptyTer 10 Nov 2020, 14:04

Nome: Ryota Junichi
Idade: 18
Sexo: Masculino
Raça: Humano
Tamanho: 1,97
Estilo de Combate: Boxeador
Localização: Polestar Island
Grupo: Civil
Vantagens: Líder Nato
Desvantagens: Vício 5 em 5 posts, cigarro

____________________________________________________


[Mini - Aventura] O Imparável Junichi WxRYgyG[Mini - Aventura] O Imparável Junichi ZOwqVCR


Última edição por Brizza em Qua 11 Nov 2020, 20:57, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Jinne
Game Master
Game Master
GM.Jinne

Créditos : 47
Warn : [Mini - Aventura] O Imparável Junichi 10010
Data de inscrição : 13/05/2019

[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: Re: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi EmptyQua 11 Nov 2020, 13:46

~Mini-Aventura APROVADA~


Olá, seja bem-vindo ao OPRPG!!

Eu sou um Orientador, minha função é lhe ajudar a se adaptar neste universo do OPRPG.

Sendo assim irei lhe orientar de todas as formas possíveis, a partir de dicas no decorrer desta Mini-Aventura. Como esse fórum é bem complexo em suas regras, também irei tentar responder suas dúvidas, por isso, no menu de navegação (parte superior do site) existe um link M.P. O mesmo corresponde às mensagens privadas. Lá você poderá, em qualquer momento que achar necessário, me enviar dúvidas de como prosseguir no jogo; ou pode entrar no seguinte link: https://www.onepiecerpg.com/f3-duvidas-criticas-e-sugestoes , e criar um tópico para algum membro da Staff responder; mas caso tenha dúvidas durante a Mini, pode colocar em "off" no próprio post.

Sim... Vamos ao que importa?

Abaixo seguirão algumas dicas para que leia antes de criar seu primeiro post.

DICAS:


  • Lembre-se que você apenas narra as ações de seu personagem, seu personagem nunca FAZ ele sempre TENTA e também demonstre desde o 1º post qual o seu objetivo na aventura.
  • O ambiente que você se encontra, NPC's e todo o resto que compõe sua aventura, quem cuidará disso sera seu narrador.
  • As mini-aventuras servem para corrigir seus erros na narração durante a aventura e também formas melhores de deixar sua narração mais interessante.
  • Caso a Mini-Aventura fique sem post durante 5 dias por parte do player, a mesma será cancelada.


O 1º post é seu e eu serei o seu Orientador.

Att, Equipe One Piece RPG

Nota escreveu:
Sinceridade excessiva não te permitirá mentir nunca, o maximo possivel é escolher não falar, e dizer "Não vou falar" ou nem responder, ou seja tu pode escolher ficar calado, mas se responder é sempre a verdade, caso não concorde com isso, deixe essa coisa de falar sem pensar apenas como algo da sua personalidade e escolha outra desvantagem e pá. Mas é inflexivel nesse ponto, mentir é impossivel pra quem tem essa desvantagem.

____________________________________________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
Brizza
Membro
Membro
Brizza

Créditos : 5
Warn : [Mini - Aventura] O Imparável Junichi 10010
Masculino Data de inscrição : 23/01/2019
Idade : 20

[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: Re: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi EmptyQua 11 Nov 2020, 20:56


Como de praxe esta teria sido outra noite turbulenta de sono, onde sequer pudera descansar como alguém normal. Fariam algumas semanas que vim a perder meu pai para um grupo de desordeiros que se intitulavam piratas, e está é uma das justas causas de toda minha insônia. Meu pai era um chefe de segurança de um proprietário de terras não muito distantes daqui. Seu patrão é um homem até que complacente, e mesmo tendo tantos prejuízos causados pelos tais "piratas" ainda se importou em me ajudar até que eu me sustente sozinho. Chegara até me oferecer um emprego em suas terras, mas meu objetivo é outro.

Não penso em buscar vingança, muito menos direcionar toda minha ira aos piratas. Acredito que é uma ideia tola que sugará minha energia em poucos anos, fora que meu pai não ficaria orgulhoso disto. Ele sempre fora um homem exemplar, lutando pelo bem, por mais que isto nunca o trouxe nada de bom, exceto a confiança daqueles que o cercavam. Era um homem admirável, isto é o que eu venho escutando desde sua partida.

Por mais que não tenho a determinação de viver uma vida baseada na vingança, tenho a força de vontade para servir a marinha como um homem bom, carregando os ideais que meu pai me deixou como legado e tentando ao máximo evitar que mais famílias ou garotos de minha idade ou mais novos tenham o mesmo fim que o meu. Se minha vontade pode ser capaz de mudar a vida de alguém, mesmo que nos mínimos detalhes, estou mais que disposto a acender a chama da justiça sobre meu peito e caminhar em direção do posto de alistamento.

Arrumaria aquilo que me dói ter que deixar, para levar comigo. Seria isto um broxe prateado em formato de um lobo que minha mãe deu a meu pai no último aniversário de casamento em que ela comemorou com ele, antes que fosse acometida por uma doença. Me lembro dela ter dito que aquele lobo representava a força e a lealdade, duas qualidades que meu pai tinha e a demonstrava muito bem em seu emprego, o que faz um item especial para que eu me lembre dos dois. Outra coisa seria uma túnica preta acinzentada, mais que simples, que meu falecido pai usava nos dias chuvosos. Colocaria o broxe sobre a camisa e vestiria a túnica meio aberta, para deixar o broxe a mostra, quase como um objeto de orgulho.

Com apenas isto em posse, deixaria o pouco que tinha da maneira que estava, e então partiria ao posto mais próximo da marinha. Não teria sequer sacado a cabeça fora da janela este dia, por tanto quaisquer clima que pintasse seria uma surpresa. Passaria as mãos por entre os bolsos para averiguar se me restava algum trocado, caso sim, passaria numa venda que se fizesse no caminho até o posto mais próximo a procura de um maço de cigarros, visto que a tempos não fumava e isto já estava me fazendo tremer.

Supondo que estivesse no estabelecimento, faria o contato visual com o vendedor e então diria o motivo da visita no momento.  - Ei, velho, o cigarro de sempre, e um isqueiro também. Levando em conta que já era um fumante habitual, o balconista saberia de cara de que cigarro eu falava. Entregaria o dinheiro ao velho e sairia com o que me interessava.

Sem pensar em mais paradas, abriria a caixa e colocaria um na boca, guardaria o maço e pegaria o isqueiro, fazendo uma espécie de cobertura em volta dos dois para que uma possível chuva ou vento não atrapalhassem na minha estrada para calmaria, e então guardaria o isqueiro no bolso. De passo em passo, iria em direção ao lugar qual poderia mudar minha vida por completo.

Durante o caminho, tentaria acabar o cigarro o quanto antes, já que não é do gosto de ninguém sentir este cheiro seja onde for, ainda mais em um ambiente que possa ser fechado. Chegado em meu destino, olharia bem nos arredores do local, para então entrar mais a fundo, sempre de cabeça erguida e com os olhos afiados e atentos. Procuraria alguém que aparentasse cuidar dos assuntos de alistamento, alguém gerenciando uma fila ou alguma placa que indicasse algo, se não houvesse, perguntaria ao primeiro marinheiro que visse, olhando sincera e diretamente nos olhos.   - Aí, onde eu vou pra me alistar? No mesmo tom contralto de sempre, que é difícil ser ignorado ou levado levianamente.

Agora, caso esteja mais claro onde e o que eu devo fazer, entraria no rumo da fila ou onde quer que eu tenho que ir e diria minhas intenções.    - E aí?! Eu vim me alistar pra ajudar no pouco que posso. O que eu tenho que fazer? Desta vez diria ainda com mais clareza, demonstrando até certa excitação, excitação está que não se via em meu rosto deste a perca de meu pai, mas não podia continuar assim para sempre, eu tinha que tocar a vida de alguma forma.

OFF:
 

____________________________________________________


[Mini - Aventura] O Imparável Junichi WxRYgyG[Mini - Aventura] O Imparável Junichi ZOwqVCR
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Jinne
Game Master
Game Master
GM.Jinne

Créditos : 47
Warn : [Mini - Aventura] O Imparável Junichi 10010
Data de inscrição : 13/05/2019

[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: Re: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi EmptySab 14 Nov 2020, 13:45

Mini Aventura - Post 1
Interação & Dialogo


Era um dia quente em polestar, aquele calor abafado, sim aquele mesmo que faz você ficar todo grudento de suor, por que é quente e úmido, o suor sai e não evapora, e tudo parece grudar como se sei lá, fosse açúcar derretido. Talvez mais tarde houvesse chuva, já que ainda eram as 9 da manhã e tava tão quente.

Nosso rapaz no entanto ainda estava se preparando para sair de casa, ele fazia todos os preparativos, principalmente pegar o seu colar precioso, e checar seus bolsos, onde ele encontrava ali seus 50.000 berries, uma quantia muito baixa por sinal, mas que dava pra comprar seus cigarros, isqueiro, ou uma arma, porém é claro os cigarros eram a prioridade.

Ele saia com tranquilidade de casa, e o caminho não era tão difícil até a primeira loja, ele podia ver que pelo calor, parecia que o ar quente tremulava próximo ao chão, uma barraquinha ali que vendia os picolés, parecia ser a atração da rua, tinham várias pessoas em volta, a maioria com filhos, comprando.

Durante o caminho o calor assolava o rapaz, mas em dado momento finalmente ele entrava na loja, e os ventiladores de teto eram algo que realmente pareciam abraçar ele como um presente. Ele se aproximava do balcão, e já falava com o velho atendente.

Era aparentemente um senhor de uns 55 anos, ele tinha uma barba longa branca, e usava um óculos daqueles meio redondinhos, vestia uma camisa florida, que parecia que ele tava curtindo uma praia antes. Ele ouvia o que pedia o rapaz e já pegava o maço e o isqueiro.-Ta aê, custam 30.000 berries.- e assim que o rapaz pagava, ele entregava o maço.

Então no caminho ao segundo destino ele ascendia e fumava, e fumava, até que finalmente ele chegou a central da marinha, ironicamente no exato momento que o cigarro acabou. O QG era uma enorme construção de ferro, completamente imponente, com o simbolo gigantesco da marinha pintada sobre ela.

O portão era grande e estava aberto, assim ele podia facilmente entrar e seguia inicialmente por um gramado até a porta do primeiro hall de entrada, onde ele via uma marinheira por trás do balcão, uma moça jovem nos seus 18 provavelmente, cabelos pretos, um sinal abaixo do olho direito. Seus olhos eram de cores diferentes, azul para o direito, amarelo para o esquerdo.

Algo que era bem perceptível e chamava atenção. Suas roupas eram a farda padrão da marinha. E assim que ele se comunicava ela olhava para o rapaz o respondendo.-É aqui mesmo senhor, você precisa só preencher um pequeno formulário e depois disso chamarei alguém para conduzir seu teste.- ela então entregava a folha pra ele.

Formulario escreveu:

Nome:
Idade:
Peso:
Altura:

  • Possui antecedentes criminais?

  • Possui alguma doença que possa comprometer sua integridade, como problemas cardíacos por exemplo?

  • Possui habilidades de combate? Ou usa algum tipo de arma?

  • Por qual motivo você deseja se alistar na marinha?




Era um formulario bem simples, com algumas perguntas mais basicas, que ele deveria responder antes de ser levado para algum tenente que fosse seguir com o recrutamento, era bem padrão na realidade, apenas cabia agora responder.

Dicas e Orientações:
 

____________________________________________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
Brizza
Membro
Membro
Brizza

Créditos : 5
Warn : [Mini - Aventura] O Imparável Junichi 10010
Masculino Data de inscrição : 23/01/2019
Idade : 20

[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: Re: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi EmptySab 14 Nov 2020, 21:19


De primeira não havia reparado, mas quando bati os olhos fiquei em transe. Me refiro a heterocromia que se fazia presente nos olhos daquela moça, a única coisa capaz de me deixar mais fissurado que o próprio QG. Uma coisa tão simples me fazia pensar sobre como a natureza e as coisas que a englobam eram, em sua essência, perfeitas e complicadas. Num mundo com tanta adversidade como o nosso, só me fazia sentir cada vez mais normal conforme assimilava a complexidade dos seres vivos. Parecia que com um simples relance sobre duas cores distintas em um par de olhos eu já tinha mais um motivo para estar ali, eu preciso me provar para mim mesmo, mostrando-me não ser somente mas um nessa estrada.

Sem tanto tempo para estas reflexões, chacoalharia a cabeça para me tirar de pensamentos tão distantes e me trazer para onde eu deveria manter meu foco. Tomaria o formulário para dar uma olhada, e quando terminasse a encararia de volta, esperando que viesse de acompanhamento uma caneta. Caso ela não entenda toda minha sutileza, pediria por algo que pudesse usar para escrever.  - Sim, mas e o tinteiro?  Uma vez com a "faca e o queijo" na mão, procuraria uma superfície plana para usar de apoio, o balcão que residia a moça ou uma mesa por aí mesmo.

Formulario escreveu:

Nome: Ryota Junichi
Idade: 18
Peso: 93 kg
Altura: 197 cm


  • Possui antecedentes criminais?
    Não, senhorita!
  • Possui alguma doença que possa comprometer sua integridade, como problemas cardíacos por exemplo?
    Eu tenho QUASE certeza que meu dedo mindinho esquerdo é maior que o direito, mas não sei se isso é muito bem uma doença...
  • Possui habilidades de combate? Ou usa algum tipo de arma?
    Eu traço o caminho da vitória ao lado do Trovão (braço esquerdo) e do Trovoada (braço direito), meus fiéis companheiros.
  • Por qual motivo você deseja se alistar na marinha?
    Fui cativado por mim mesmo a me alistar após a morte de meu pai, que me deixou como herança seus fortes valores morais e de ética. Preciso encontrar meu próprio caminho, e acredito piamente que esta seja a estrada pela qual eu quero caminhar.



Revisaria uma ultima vez antes de devolver e então entregaria o papel para a moça.  - Com licença, aqui está. A propósito, seus olhos... Eles são bem bonitos! Diria despretensiosamente assim que ela olhasse para mim, da maneira mais casual possível. Era um fato que fiquei encantado pelos olhos da garota, visto que me tiraram da realidade por um instante. Eu acredito que por menor que seja - ao menos funciona assim pra mim -  um elogio do coração pode mudar o dia de alguém positivamente, mas isso era o menos importante. Caso ela me designasse para algum lugar, iria de uma vez, mas caso ainda tivesse gente na minha frente ou coisa do tipo, procuraria algum lugar para me escorar ou sentar.

Esperando ou indo em direção onde acorreria esta próxima etapa, minha cabeça não deixaria de me importunar, sempre no turbilhão de pensamentos habitual. O que deveria me deixar ocioso era aquele tal de teste que ela havia mencionado, cujo eu poderia estar caminhando em direção a ele neste instante. Aliás, não "deveria", pois já vinha me encubando na ansiedade desde o momento em que peguei no papel. Quem sabe foi por isso que fiquei vidrado nos olhos dela, como uma maneira de me distrair de minha inquietação. "NÃO! Não posso me dar desculpas agora. Eu preciso focar. Provavelmente não vai ser uma entrevista, já que ela me entregou aquela folha antes. Seja lá quais informações eles precisam deviam estar todas na folha, o que quer dizer que este teste será físico... Bom, eu sempre me saí bem na teoria da luta, mas quando eu tentava treinar com o meu pai eu ainda levava um baita esculacho. Não deve ser tão certo eu me comparar com o pai, vou pensar apenas que estou na média. Tenho uma vida inteira de conquistas e aprendizados por aí, e acho que consigo dar uma gastada com tudo o que eu aprendi na época de treino com o velho." Após um quase incontável segundo de paz, me vinha novamente à cabeça. "Espera, DROGA! Que merda eu tô falando?! Eu não vim aqui pra estar na "média", eu vim aqui pra mudar por completo, pra me provar para mim mesmo! Seja lá o que me espere eu vou dar o meu melhor e vou fazer com que todos vejam isso. Nem que eu arranque forças de entidades superiores, mas aqui vai ser o lugar onde eu começo minha caminhada para o topo!" Cerraria os punhos e os dentes, pararia com a inquietação nas pernas, estufaria novamente o peito e manteria a cabeça erguida, tudo o que eu precisava era de confiança em mim mesmo, eu sabia que era capaz. "Calma, mas e se o teste não tiver nada a ver com isso? E se for algo como estratégia ou QI? Droga, droga, DROGA!"

Eu me encontrava aflito. Totalmente na mão da insegurança. Não sabia bem o que fazer, e o pior de tudo, não sabia sequer como descobrir... Foi então que tive um momento de iluminação: Meu pai me levando nos ombros enquanto conversava com a minha mãe... Não era nem mesmo uma daquelas lembranças que passam uma mensagem inspiradora, era uma que me lembrava de quem eu sou e do que eu preciso fazer. Parece covarde pensar assim, mas não me encontrava aqui por mim mesmo e sim por eles, meu pai, minha mãe e os garotos do futuro, que jurei para mim mesmo não deixar passarem pelo que eu passei a pouco tempo. Não estou aqui diretamente por mim, e sim por um compromisso que firmei comigo. Falhar com esse compromisso é o mesmo que falhar com a minha pessoa, e eu não estou em posição de fazer isso.

Fazia um tempo que eu não vinha me entendendo. Fazia um tempo que eu me forçava a levantar a cabeça e fingir que estava tudo ok. Fazia um tempo que eu tentava enganar a mim mesmo, e nessas tentativas eu assumi tantos compromissos que não sei se vou conseguir carregá-los. Mas isso já não era tão importante, a final, eu já estava ali, não é?! O que mais eu poderia fazer? Viver em uma casa cheia de lembranças que me traziam sentimentos sufocantes? Da maneira que eu via, eu só estava fugindo... fugindo de mim mesmo e daquele lugar. Eu nem saberia se conseguiria me alistar e já abandonei aquela casa. Sequer fiz uma mala, e peguei apenas aquilo que não suportaria deixar, ou melhor, peguei aquilo que me faria pensar que não estava fugindo.

"É, mas que droga. Parece que conhecer a si mesmo é um saco. Mas olha o lado bom, a aflição passou... o que eu sinto agora é um gosto amargo na boca, nada mais." Encerrando este pensamento, voltaria a mesma cara de paisagem de sempre, só que com um tom aéreo no rosto desta vez. Seguiria esperando, ou fazendo meu trajeto até que chegue meu momento. Assim que fosse chamado, se já não tivesse sido, traçaria meu rumo até onde fosse preciso e então aguardaria as ordens que fossem dadas. Parecia até meio estranho, a ideia de seguir ordens de gente que possivelmente nunca vi na vida com tanto fulgor, isso quando eu ainda nem mesmo era um marinheiro de verdade. Independente do que fosse, sabia que estava preparado para exceder o meu máximo, visto que já me aprofundei em mim e falhar comigo mesmo não era uma possibilidade.



OFF:
 

____________________________________________________


[Mini - Aventura] O Imparável Junichi WxRYgyG[Mini - Aventura] O Imparável Junichi ZOwqVCR
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Jinne
Game Master
Game Master
GM.Jinne

Créditos : 47
Warn : [Mini - Aventura] O Imparável Junichi 10010
Data de inscrição : 13/05/2019

[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: Re: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi EmptyTer 17 Nov 2020, 05:39

Mini Aventura - Post 2
Interação & Dialogo

Naquele momento o rapaz que fitava o formulário, procurava ali uma caneta, que assim que ele terminava de olhar já havia sido deixada sobre o balcão não precisando de pedir nada. Ele escrevia o que precisava e devolvia para a moça, acabando por falar algo que ia um pouco como uma quebra de clima ali.

A moça que ouvia o elogio enquanto lia o formulário, rapidamente respondia sem rodeios.-Obrigada, espere um instante e logo vou lhe direcionar pra a sala.- Respondia ela educadamente, parecia bem seria e não demonstrava ter sido muito balançada pelo elogio, talvez por ouvir muitos durante seus dias ali.

Demorava em média 3 minutos até que ela recebia uma ligação de retorno pelo den den mushi que estava na gaveta embaixo do balcão. Ela falava com alguém por um tempo depois levantava e dizia.-Vem comigo, vou te levar a um superior. -E assim ela caminhava até uma espécie de ginásio grande, havia diversas demarcações no chão dele.

Enquanto isso nosso rapaz, estava ali seguindo no automático, já que sua mente era devorada pelos seus próprios medos, suas inseguranças, elas assolavam ele de modo a o fazer estar preocupado a cada passo. Mas quando ela abria a porta do tal ginásio, agora sim ele podia ver, era um lugar onde provavelmente ocorriam os testes. Dentro tinha uma pista de curta distância, também alguns halteres e outros pesos para treino.

E no centro ali estava esperando um homem alto de mais ou menos 2,10 metros, que usava um tapa olho, era careca, e tinha uma grande cicatriz onde ficava esse tapa olho. Seus músculos eram todos bem torneados, era um cara claramente forte. Sua careca era bem limpa praticamente brilhava. Ele usava uma farda composta, com algumas medalhas no sobretudo.

Logo que via o rapaz chegando ele falava.-Bem vindo garoto, qual seu nome?- questionava ele com uma voz calma e branda, mas que apesar disso era bem grossa, e passava uma sensação de respeito, a pergunta não parecia ser por ele não saber e sim como uma apresentação. Logo em seguida quando o rapaz falasse ele então diria.-Eu sou o Tenente Andrew Cruz. É um prazer-falava estendendo a mão para que o rapaz apertasse.

Sem demora ele seguia explicando a situação para que pudesse chegar ao importante.-Bem, vamos a parte mais importante, eu quero ver se você é capaz de se defender, quais suas habilidades de combate, quero que você me ataque com tudo que tem, se precisar de alguma arma, pode ir nos armários tem luvas, bastão, lanças, espadas e por aí vai. Se precisar pegue o que for e vamos começar.-Ele diria já ficando ali olhando o garoto.

Ele esperaria que ele se decidisse, o armario de fato tinha todas as armas basicas se ele quisesse alguma, e o homem esperaria até ele dizer que estava pronto, quando isso ocorresse ele então posicionado ao centro falaria. -Pode me atacar quero ver seu potencial

Dicas e Orientações:
 



____________________________________________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
Brizza
Membro
Membro
Brizza

Créditos : 5
Warn : [Mini - Aventura] O Imparável Junichi 10010
Masculino Data de inscrição : 23/01/2019
Idade : 20

[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: Re: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi EmptyQua 18 Nov 2020, 18:27


"Ué?! Nem sequer chamou outra pessoa para me acompanhar... Porque será?" Uma outra dúvida sem importância que passou brevemente por meus pensamentos, mas já não tinha tanto tempo assim para pensar sobre coisas como estas. Naquele instante já me encontrava em frente ao homem que prosseguiria com o meu teste.

Me distraí por um instante com aquele homem. Eu não me achava pequeno, mas mesmo assim ainda precisava olhar para cima para olhá-lo nos olhos. "Ele..." Suas palavras, por mais que fossem calmas, mas transpareciam algo como uma repreensão. "Claro, sequer me apresentei quando entrei no lugar." Chegando nesta conclusão, por mais que possa ser absurda, de súbito juntaria os calcanhares e alocaria as mão à cintura.  - O ainda civil Ryota Junichi se apresenta ao maior superior da sala. Tentaria passar uma certa compostura, a primeira impressão é a que fica, então tentaria corrigir o erro que senti cometer logo cedo.

 - Ah? Deixava escapar. Ele me estendia a mão informalmente, o que me deixava mais confuso ainda. "Será que a sensação que tive foi precipitada?" Não podia perder meu tempo pensando. Apertaria firmemente sua mão já que me foi estendida, novamente tentando demonstrar compostura de um homem.  - Por favor, Sr. Tenente Cruz, o prazer é unicamente meu. Diria assim que segurasse sua mão, sempre mantendo o contato visual, mas cuidando para não aparentar desrespeito. Ainda sentia um pouco de tensão com o que estava acontecendo, portanto me sentia um pouco em choque com tudo.

Suas palavras a seguir, acredito que foram as que melhor me fizeram sentir.  - Graças a Deus, não tem nada a ver com cérebro ou contas! Com isto, deixava sair um sorriso bobo na cara, mas logo que o percebi, recolhi-o. De fato, a tensão do momento ainda se alastrava pelo meu corpo, é então que penso nas minhas próximas decisões.  - Sr. Tenente Cruz, não sou tão adepto de armas, e mesmo manoplas não costumam me fazer sentir bem com meu corpo. Dito isto, vou apenas lhe tomar alguns instantes para me aquecer e tirar a tensão dos ossos. Com isso, olharia nos arredores procurando algum lugar mais aberto, sem ninguém para me atrapalhar ou que eu mesmo possa atrapalhar. Juntamente, procuraria ver se havia mais alguém ali, tal como se a moça que me atendeu já havia voltado.

No lugar que achasse, tiraria a túnica que peguei antes de sair, e junto, tiraria a camisa por baixo. Dando uma ultima olhada no broxe que ali repousava, dobraria as peças de roupa e as colocaria no canto. Fazia alguns agachamentos e daria alguns pulos, somente para assentar as calças que estava usando, a fim de que possa me locomover um pouco melhor. Feito isto, estava pronto para começar a me aquecer.

Me lembraria da sensação de quando estava frente a frente com ele, principalmente sua altura. Tentaria ao máximo materializar seu queixo na altura correta na minha frente, tal como a extensão de seu braço quando ele me estendeu a mão. Com estas informações na cabeça, começaria minha luta contra um oponente que nem estava ne minha frente de verdade. Não entendia a velocidade de sua força, nem se ele lutava com as mãos, mas faria o máximo para não ser acertado por meu oponente ilusório.

Meu pé direito a frente do esquerdo, com o tronco um pouco torcido para a direita. O pé direito com o calcanhar sempre erguido para facilitar o jogo de pés ou as esquivas. Meu braço esquerdo para o ataque, protegendo o nariz, a boca e o queixo, enquanto o direito protegia sua respectiva maçã do rosto e a lateral do queixo, as duas mão cerradas na altura abaixo do olho. Levemente inclinado para a frente, esta seria minha posição de combate.

Ficaria por alguns instantes soqueando na altura do seu queixo, tórax e costela, me movimentando pelo espaço em que eu tinha. Desferindo golpes apenas com o baço esquerdo, por mais que eu seja destro. A cada soco ou movimento brusco, expurgaria o ar de meus pulmões com toda a força, uma técnica de respiração que aprendi com meu pai para me garantir mais duração em combate, por mais que ele sempre dissesse que não pretendia me fazer ganhar a vida lutando. Seguiria fazendo isto até que começasse a soar um pouco, o suficiente para fazer a pele reluzir. O tempo que passei nesse aquecimento foi o necessário para me deixar isento de pensamentos, assim como toda aquela ansiedade que sentia.

Deixando minhas roupas no mesmo lugar, caminharia até estar de frente com o Tenente. Minha expressão agora outra, já que todos aqueles pensamentos foram embora. Tudo que tinha na cabeça eram as distâncias que havia marcado naquele sparring mental.  - Sr. Tenente Cruz, estou pronto. É bom saber que não vou pegar leve com o senhor só por não enxergar direito. Embora fosse isto que saía da minha boca, tinha total certeza que aquele homem era mais forte que eu, mas provocações pré luta são uma lei, eu diria. Independente de como ele respondesse a esta provocação, assumiria minha postura de olharia diretamente para ele, não mais com aqueles olhos respeitosos e sim com olhos afiados cheios de excitação.

Passaria o primeiro minuto esperando, enquanto o circulava lentamente. Planejava rodiá-lo por até metade do círculo que formava na cabeça ao redor dele, do qual a linha se traçava por debaixo de meus pés. Aguardaria seu ataque primeiro, já que se tratava sobre eu saber me defender ou não. Na minha cabeça se passavam as possibilidades: caso ele avance com um soco, seja um direto, um jab ou qualquer outra coisa, flexionaria somente os joelhos para uma esquiva leve, usando o que eu podia de minhas pernas apenas para não ser atingido, se necessário, poderia inclinar o pescoço e a coluna para os lados para manter a esquiva bem sucedida e então, com o braço contrário do de seu soco, usaria dos joelhos ainda agachados da esquiva para um oppercut visando seu queixo, mas antes voltando o pescoço e o torso ao normal, mantendo os ombros firmes e as pernas ainda mais, desinclinando a coluna para um maior aproveitamento da força.

Uma rasteira, responderia com um salto diretamente no próprio tenente, um salto ligeiro que usaria mais do tornozelo que da própria perna. Ainda no ar pelo salto, ergueria as pernas pronto para pousar com um chute de dois pés em cima do tenente, mirando seu estômago.

Chutes que viesse na altura da cintura até o peito, lidaria me agachando para ajustar a distancia de uma cotovelada usando o braço respectivo ao chute. A cotovelada não seria de tanta força, visto que não procurava tirar o braço da guarda, a maior parte da força viria da agachada que daria para ficar na altura. Os chutes que passassem do peito pra cima seriam esquivados como com os socos, só que no lugar de atacar o queixo, continuaria abaixado e com um passo ligeiro à frente, usando do tornozelo que se faz levantado do pé direito, daria um soco mirando a lateral do joelho, e numa rápida levantada usando da força no meu joelho, ajustaria o torso para um gancho na lateral do abdômen, usando também de forçar com o pé esquerdo para o lado onde aplicaria o golpe, dando mais força junto a rotação da coluna.

Para os chutes abaixo da cintura, na coxa, usaria o jogo de pés para deixar o pé respectivo ao lado do chute na frente, numa rápida e simples inversão de base, como se estivesse dando um passo, mas sem sair do lugar, como um pequeno pulo com o tornozelo onde o pé de trás iria para frente e vice versa. Feito isto, Ajustaria um pouco a altura se necessário, para que conseguisse acertar um soco com o braço contrário da perna que estiver na frente. Um soco rápido usando apenas do torso e do próprio braço, já que o que impactaria viria a seguir. Após o soco, tendo êxito ou não, daria um passo a frente, usando do pé atrás para aumentar em velocidade, até que o mesmo se encontre na frente, quase como a inversão de bases antes, mas mais lento. Isto seria devido que antes de firmar o passo, o enviaria um soco mirando o queixo, mesmo que este estivesse com a guarda alta. O soco se encaminharia antes mesmo de firmar o passo para que quando firmasse eu pudesse de súbito dar outro passo, para aumentar exponencialmente a força colocada no golpe, juntando com a firmeza nos pés e a possível agachada, poderia causar ainda mais impacto, mesmo que com a guarda alta.

Não tinha tantas bolas para atacar, portanto, todos os golpes se concentrariam em contra ataques. E cada um deles, incluindo as esquivas, seriam seguidas de uma respiração rápida, rápida o suficiente para terceiros ouvirem. Em casos de golpes em sequências, tentaria manter o foco nas duas áreas visadas fazendo uso da visão periférica ao máximo que meu foco me permitir.


OFF:
 

____________________________________________________


[Mini - Aventura] O Imparável Junichi WxRYgyG[Mini - Aventura] O Imparável Junichi ZOwqVCR
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Jinne
Game Master
Game Master
GM.Jinne

Créditos : 47
Warn : [Mini - Aventura] O Imparável Junichi 10010
Data de inscrição : 13/05/2019

[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: Re: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi EmptySab 21 Nov 2020, 16:44

Mini Aventura - Post 3
Interação & Dialogo

O rapaz tirava seu tempo pra se aquecer se afastando um pouco do tenente e olhando em volta, vendo que a moça da recepção provavelmente saiu no mesmo instante que o deixou lá dentro.

Ele se alongava corretamente, tirava a camiseta e se preparava pro combate. A princípio ele girava em torno de seu oponente tentando estudar ele, ele não ia começar batendo, apenas girava em torno dele por quase um minuto inteiro.

Nesse ponto o Tenente já tinha notado que uma ofensiva não surgiria por parte do garoto… Então ele simplesmente girava o corpo movimentando o torso enquanto se abaixava desferindo um soco em direção a o joelho do garoto.

Que simplesmente sentia o soco acertando, era um movimento rapido e inesperado, já que não era bem uma rasteira, e não era um soco direto, era um cruzado no joelho. Entretanto depois de tomar esse primeiro golpe ele já se recompunha, vendo outro soco vindo alto em direção ao seu torax o fazendo se abaixar esquivando rapidamente.

Mas no momento em que ele ia abaixando o corpo, ele notava, o soco era um tipo de finta, e o joelho do Tenente vinha com tudo no seu queixo o jogando pra trás naquele momento. Não ficando abalado ele se levantava bem rapido quando via outro golpe, agora uma rasteira do oponente, que ele rapidamente saltava por cima. Visando descer com um chute duplo no tenente, Que apenas se esquivava dando alguns passos para o lado.

Ele era um tenente então era esperado que ele fosse poderoso de todo modo, e assim que ele terminava seus movimento chegando ao chão via um uppercut subindo, do qual ele desviava, usando um giro do rosto e alguns movimentos corporais para manter uma firmeza. E logo em seguida mais um chute alto esse vindo em direção a sua cabeça.

Ele colocava o cotovelo na frente tentando bloquear conseguindo parar a perna do tenente com isso no entanto, o impacto era tão forte que fazia ele ser afastado para o lado, e em seguida, ter de esquivar de outro chute direcionado a sua coxa. Com isso os movimentos dele tinham sido suficientes pra provar que ele entendia de combate.

O tenente cessava a investida falando.-Boa garoto, eu gostei, você passou na primeira fase, agora você pode dar uma descansada, pode comer no refeitório se quiser, diga que eu quem dei autorização, depois volte aqui de novo e vamos te testar em outras áreas.-Ele tinha sido aprovado na primeira parte de seu recrutamento, agora cabia a ele continuar e conseguir passar do resto das fases, mas por enquanto era o que era necessario para tal.

Dicas e Orientações:
 

____________________________________________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Jinne
Game Master
Game Master
GM.Jinne

Créditos : 47
Warn : [Mini - Aventura] O Imparável Junichi 10010
Data de inscrição : 13/05/2019

[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: Re: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi EmptySeg 30 Nov 2020, 10:01

Mini-Aventura CANCELADA...


Mini-aventura cancelada por inatividade. Caso queira reabrir sua mini mande PM para algum orientador, GM ou ADM.

Att, Equipe One Piece RPG

____________________________________________________

Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




[Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty
MensagemAssunto: Re: [Mini - Aventura] O Imparável Junichi   [Mini - Aventura] O Imparável Junichi Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[Mini - Aventura] O Imparável Junichi
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Personagem e Mundo :: Mini-Aventura :: Mini-Aventuras Concluídas ou Canceladas !-
Ir para: