One Piece RPG
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Capitulo II: Sangue e navalhas! O Golpe em Las Camp
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Oni Hoje à(s) 10:01 am

» The Hero Rises!
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Achiles Hoje à(s) 9:57 am

» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Furry Hoje à(s) 9:40 am

» VIII - The Unforgiven
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 8:52 am

» Evento Natalino - Amigo Secreto
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Zed Ontem à(s) 10:23 pm

» Onde terra e mar se encontram, o início da jornada!
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor rafaeliscorrelis Ontem à(s) 10:19 pm

» A inconsistência do Mágico
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Jean Fraga Ontem à(s) 10:14 pm

» Meu nome é Mike Brigss
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Oni Ontem à(s) 9:36 pm

» [MINI-*Kan Kin*] *Uma vida de merda*
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Shideras Ontem à(s) 9:10 pm

» O que me aguarda em Ponta de Lança? Espero que belas Mulheres, hihihi
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Pippos Ontem à(s) 8:27 pm

» Que tal um truque de mágica?
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Kenshin Himura Ontem à(s) 8:02 pm

» Vol 1 - The Soul's Desires
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Arthur Infamus Ontem à(s) 8:01 pm

» Ato 157: Se eu quisesse tua opinião, Eu tirava na Porrada
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor K1NG Ontem à(s) 6:57 pm

» Livro Um: Graduação
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor ADM.Noskire Ontem à(s) 6:41 pm

» [FICHA] Sonny Delahunt
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Shogo Ontem à(s) 6:15 pm

» 10º Capítulo - Parabellum!
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor OverLord Ontem à(s) 6:10 pm

» The One Above All - Ato 2
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor CrowKuro Ontem à(s) 6:00 pm

» Phantom Blood
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Johnny Bear Ontem à(s) 4:50 pm

» II - Growing Bonds
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor War Ontem à(s) 3:59 pm

» 11º Capítulo - Cataclismo em Skypeia!
Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Emptypor Far Ontem à(s) 2:04 pm



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Art. 4 - Rejected by the heavens

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 68
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptySex Set 04, 2020 9:54 pm

Relembrando a primeira mensagem :

Art. 4 - Rejected by the heavens


Aqui ocorrerá a aventura do(a) revolucionária Helves. A qual não possui narrador definido.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Ryoma
Super Nova
Super Nova


Data de inscrição : 04/06/2011

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptyDom Out 25, 2020 12:04 pm

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Fazia sentido todos os guardas terem conhecimento dela naquele ponto, mesmo que as habilidades de sua akuma no mi não fossem tão claras para aqueles homens, provavelmente tinha uma análise maior nas mãos dos superiores. Até aquele momento Helves tinha exposto suas habilidades em alguns lugares, não era algo tão fácil de se deduzir todos os poderes dela, mas com o pouco que tinham poderiam tentar evitar a combater tão de perto. – Podre... – comentava depois de escutar o discurso do líder deles. Enfrentar pessoas assim não era tão proveitoso quanto lutar em um combate mais acirrado, principalmente se o adversário tivesse algum tipo de honra. Os matar nunca seria uma opção na cabeça da celestial se isso não houvesse se tornado uma guerra entre ela e o governo atual de Stanford. "Fui forçada a fazer isso igual eles também foram." A tristeza dominava os olhos dela, observar crianças tendo que matar adultos na busca pela sobrevivência era terrível.

A troca de golpes mostrou-se intensa, tendo muito mais acertos por parte da pirata, recebendo apenas um corte de volta durante os avanços. A dor era aceitável ali, sendo tão pouca que Helves nem mesmo notou o corte a princípio. "Merda..." Tanto sangue, sofrimento e dor acabavam sendo criados por ela, ver o rosto de cada um dos oponentes que levava para a morte literalmente faziam o coração da celestial apertar de leve. Com uma última explosão as coisas terminavam do modo esperado, enfrentar tantos guardas pareceu preocupante no início, só que a força deles não era tão incrível assim. – É bom ver que todos estão bem. – levava os olhos para ambas as crianças e sorria, guardando as armas com calma até notar o ferimento dito por Aya. – Oh, vou precisar de sua ajuda outra vez. – seguia até um lugar mais elevado, sentando-se tão tranquila com a situação atual. Os equipamentos médicos eram colocados ao lado e da mesma forma que antes a garota indicava e ajudava Aya em todos os procedimentos necessários para o tratamento do corte.

Confiar nas crianças tinha dado mais certo do que qualquer um realmente esperava. Helves sorria por ser aceita daquela forma, mesmo que não tivesse feito tantas coisas assim, estava ao menos tentando proteger e mudar a situação de todos ali. – Vou dar um jeito de tirar todos vocês daqui... Realmente agradeço a ajuda de vocês dois, tomem cuidado e fiquem bem! – antes de tudo ela retirava o respirador e dava um beijo na testa de cada um dos garotos, acariciando a cabeça deles até que fossem para a entrada do local. A chave e a localização exata da antiga capitã finalmente estavam nas mãos dela, faltando apenas a coragem de enfrentar Natalie depois de tudo que havia feito na ilha. Helves reunia todos os pertences na mochila outra vez, guardando tudo e então seguindo para perto de sua amada sirena. Sem esperar autorização ou algo do tipo os lábios dela encostavam no pescoço de Aya, primeiramente num beijo e logo em seguida os dentes dela começavam a trabalhar na suave mordida. Algum tempo seria perdido nisso, separando os dentes aos poucos do pescoço dela, lambendo o ponto mordido e logo assim afastou-se com os olhos abertos e muito mais confiança de encontrar a pessoa que provavelmente era tão forte quanto ela.

Obrigada. – diria sorrindo amavelmente. Ainda que houvesse resquícios das dores, morder a pessoa que amava tinha deixado seu corpo tão mais leve e relaxado. Helves estava no seu melhor estado, quase não sentia o cansaço depois de tanta luta e com passos confiantes avançava para o caminho onde encontraria a mulher tão desejada por sua superior. "Armadilhas... Não deve ser tão complicado de lidar, estou muito mais preocupada com Natalie no momento." Sem tanta pressa a pirata procurava chegar no esconderijo da ex capitã, abrindo a porta enquanto tomava todo o cuidado possível para evitar qualquer tipo de armadilha por onde passava. Helves analisaria os arredores antes de avançar, vendo se existia qualquer coisa suspeita em seu caminho. Saltar por cima, para os lados ou até para longe era uma das formas que evitaria as armadilhas. Faria também questão de carregar Aya em seus braços, imaginando que precisariam ser rápidas em todos os movimentos ali, algo que uma sirena não teria tanta vantagem em terra. E se finalmente estivesse no local onde Natalie escondia-se não restaria muito a ser feito. Sem qualquer movimento a celestial aguardaria a reação da mulher, olhando-a triste só de lembrar de tudo que havia ocorrido com a família Ford, principalmente por ter sida ela quem encerrou a vida de Andrew. – Precisamos conversar. – nada mais seria dito ou feito após tais palavras.


Objetivos:
 
Histórico:
 
Informações:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kenshin Himura
Comandante Revolucionário
Comandante Revolucionário
Kenshin Himura

Créditos : 2
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 22/04/2012
Idade : 24

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptyQui Out 29, 2020 12:50 pm



A batalha tinha chegado ao fim contra o grupo de guardas que estavam em busca da ex chefe da guarda da ilha. Os garotos se revelavam ser tipos de guardas mirins do local, escondendo a mulher de qualquer um que quisesse o mal das pessoas dali, oque Helves não queria, muito pelo contrário, a vontade de mudar a ilha era tamanha no coração da celestial. Agradecendo pela confiança depositando nela, Helves retirava sua máscara dando pequenos beijos em suas testas.

As crianças riam e saiam correndo na direção da entrada do ferro-velho, deixando Helves e Aya sozinhas, a celestial arrumava suas coisas para então confrontar a antiga capitã da guarda, mas ante de voltar a colocar sua máscara, ela se aproximava da Cirena, o cheiro do local era extremamente forte por conta das toxinas.

A garota dava um breve beijo no pescoço de sua amiga, fazendo seu rosto corar, em seguida fiz uma mordida de costume, no qual a jovem sirena soltava um breve gemido, a cena durava por um tempo, até que Helves soltava sua amiga, a celestial podia ver que a garota estava um tanto tímida perante a situação mas era algo bastante comum para dizer a verdade.

Logo então ambas andavam pelo ferro-velho, o local era bastante silencioso, como as crianças tinham adivertido, muitas armadilhas como linhas que acionaria diversos projeteis eram desviadas pela garota, mas conforme iam adentrando pelo local Helves ia ficando mais cansada, isso devido o fato da celestial ter esquecido de usar as máscaras, uma pessoa que não estava acostumada com as toxinas do sumidouro certamente ficaria cansada mais rapidamente, principalmente em um ponto como o orfanato onde o despejo de sucatas e toxina eram mais frequentes.

- Anjinha, a máscara, se não colocar ficará doente! A sirena pegava a máscara da garota colocando em seu rosto para que assim o ar fosse filtrado.

Após a caminhada logo mais chegavam em um grande galpão, portas gigantescas feitas de aço estavam diante a celestial, a chave se encaixava tranquilamente na fechadura, na qual conseguia abrir sem acessar uma armadilha.

Do lado de dentro a garota via um galpão lotado de prateleiras, o local estava escuro, nas prateleiras pedaços de mecanismos autômatos, dentre vários outros tipos de itens, a es capitã não era vista em nenhum local inicial. O galpão era enorme, no qual necessitaria que Helves e Aya se dividissem para poder cobrir um espaço maior, assim custava a celestial investigar, mas o fato era claro, nenhuma pessoa viveria ali tranquilamente, certamente havia algum tipo de esconderijo, bastava a garota conseguir encontrar sem acionar nenhuma armadilha.
Legenda:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Sempre estarão comigo:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.onepiecerpg.com/t33737-cla-shadows-league
Ryoma
Super Nova
Super Nova
Ryoma

Créditos : 83
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Feminino Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 22
Localização : hell

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptySab Nov 07, 2020 8:06 am

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Ainda que fosse um pouco problemático e vergonhoso fazer aquele tipo de coisa num lugar aberto, Helves não tinha total controle de seus impulsos, simplesmente mordendo e beijando Aya sem pensar muito. Tornou-se tão natural fazer isso com ela mesma ou simplesmente alguém próximo que seria estranho não o fazer, ao menos enquanto ninguém estivesse disposto a reclamar das atitudes tomadas por ela nessas situações. Os olhos dela mostravam um pouco mais de felicidade observando o quão tímida a sirena sentia-se, algo natural para a maioria das pessoas. Já a celestial apenas ria, sua mente não conseguia pensar nada errado de suas mordidas e beijos, acreditando ser apenas uma forma diferente de se acalmar, relaxar ou mostrar como está se sentindo na hora. – É... Como eu poderia viver sem você? Até disso esqueço. – sorria, deixando a máscara ser colocada em si, caminhando lado a lado com Aya até o galpão.

Olha só... Nada de interessante, fácil não poderia ser. – suspirava ao passar mão direita em seus cabelos verdes, caminhando até o centro do local onde se encontravam. Primeiramente o seu Haki apareceria, buscando uma varredura simples na região em busca de qualquer outro ser vivo fora as duas ali, movendo-se do centro se necessário para alcançar lugares mais isolados. Todo o cuidado seria tomado, evitando pisar em locais estranhos, suspeitos ou apenas convidativos. Helves faria questão de checar tudo também com os olhos junto da magia da observação, esperando que aquilo fosse o bastante para finalizar a busca. "Não pode ser tão simples assim." Seria seu pensamento se nada fosse encontrado ao fim da checagem, precisando retornar ao certo da sala, mas dessa vez a garota iria se sentar com cuidado já em preparação pro que faria em sequência. – Tentei do modo complicado, agora vamos da maneira fácil e rápida. – dito isto os fantasmas seriam liberados de uma vez, todos procurando lugares isolados onde os olhos e ouvidos não podiam alcançar.

Com todos posicionados a consciência da criadora dos mesmos seria dividida entre todos, observando, escutando e movendo-se pela região onde seu alcance de poder conseguia chegar. O corpo real ficaria no estado sem vida, simplesmente caindo para a frente por estar sentada nesse sentido. Aya poderia cuidar disso, Helves apenas faria seu trabalho rapidamente e deforma tranquila, sabendo que nenhuma das fantasminhas causaria qualquer problema com alguma armadilha ou algo do tipo por conta da intangibilidade que carregavam. "Apareça..." O último trunfo só apareceria se o alcance fosse um problema, precisando voar e atravessar paredes mais distantes, sumindo com todas as criações para surgir a forma astral de seu corpo real que faria o mesmo trabalho dos fantasmas sozinha, podendo demorar um pouco mais por isso.

Ao fim das buscas o caminho seria tomado, checando antes qualquer tipo de armadilha, destruindo a mesma se necessário com alguma explosão e então avançando com o corpo real ao encontro de Natalie. Sempre que preciso pararia Aya, segurando a mão da mesma, lançando então algum fantasma para lidar com a armadilha se fosse preciso. Quando necessário até mesmo a carregaria para em seus braços, saltando para longe dos problemas com toda sua velocidade, tentando evitar tudo de alcançar a sirena, bloqueando projeteis ou simples ataques das armadilhas com seu próprio corpo se preciso.  – Quase lá. – o objetivo estava tão próximo, restando apenas saber o quão irritada ou aliviada a ex-guarda estaria por ser Helves ali e não algum guarda querendo a matar. Abrir a porta do esconderijo com a chave recebida das crianças era o último passo, mas mesmo assim algum tempo seria levado nisso, preparando-se mentalmente pro que aconteceria do outro lado.


Objetivos:
 
Histórico:
 
Informações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kenshin Himura
Comandante Revolucionário
Comandante Revolucionário
Kenshin Himura

Créditos : 2
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 22/04/2012
Idade : 24

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptySeg Nov 09, 2020 6:23 am



Hevels e Aya chegavam no galpão em que supostamente a antiga chefe da guarda fordista estava escondida, o lugar aprecia estar vazio no que se diz respeito a pessoas. O local cheio de sucatas de cima a baixo não parecia ser um lugar apropriado para abrigar alguém, mas era aquilo, Hazelton não iria se esconder em uma mansão para assim chamar a atenção indesejada da cidade alta.

- Estamos no lugar certo? Perguntava Aya andando pelo local, Helves procurava por qualquer coisa que fosse uma pista, as crianças não teriam pregado uma peça nela, a chave abria aquele lugar, certamente a ex capitã estaria em algum lugar por ali.

Logo então a garota tentava usar de seu haki, para que assim pudesse encontrar qualquer forma de vida que estivesse por ali. A celestial sentia várias pessoas pelo sumidouro, mas não alguém por ali, de todas as formas de rastrear sobrava para a garota tentar utilizar dos poderes de sua akuma no mi.

Se sentando ali Helves se preparava para utilizar da sua forma astral, Aya rapidamente se sentava junto com ela apoiando o corpo de sua amiga. - Tome cuidado anjinha! A mesma falava assim que sentia o peso do corpo da amiga e a “alma” da mesma sair do corpo dela. Helves agora estava livre para procurar qualquer pista sem se ferir ou chamar tanta atenção.

A garota passava por todos os cantos possíveis daquele galpão, e nenhum rastro era visto, até se aproximar do fundo do local. Helves conseguia ver uma pequena fresta em uma das paredes, aquilo poderia sim ser uma armadilha, mas para sua forma astral aquilo não seria problema algum. Assim a garota atravessava a parede onde encontrava uma escadaria escura, sendo iluminada por uma luz noturna de emergência que tinha forças apenas para deixar os degraus iluminados.

Helves descia flutuando indo até o final da escadaria que levava ao que parecia ser uma porta, um esconderijo dentro do esconderijo, a garota sem muitas cerimonias adentrava no local, um quarto enorme circular com diversos equipamentos mecânicos por todo lado, iluminado por uma lâmpada central que as vezes dava uma breve piscadinha, quando flutuava pelo local, Helves escutava o barulho de tiro mas a bala passava diretamente pela mesma sem causar nenhum ferimento.

- Esse não é seu corpo verdadeiro! Uma voz feminina vinha de trás de uma das montanhas de sucata do quarto, a mulher era totalmente diferente do que Helves esperaria, a ex capitã era loira e se vestia como uma grande líder, e a mulher a sua frente era morena vestia roupas um tanto que acabadas. Mas se forçar um pouco conseguia reconhecer a mulher, onde ficaria seu braço automato de alta tecnologia estava um braço um tanto menos desenvolvido segurando a pistola que tinha usado para disparar.

- Se fosse uma usuária de Logia certamente teria sentido algo! A mulher falava colocando a mão livre em sua cintura olhando diretamente para Helves, a mulher não estava feliz de uma estranha estar diante da mesma principalmente do seu esconderijo. - Você não me é estranha, me diga quem é você e oque esta fazendo aqui? Era o momento de Helves convencer a mulher, a mesma ainda não a reconhecera e nem percebeu onde estava seu corpo verdadeiro.
Legenda:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Sempre estarão comigo:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.onepiecerpg.com/t33737-cla-shadows-league
Ryoma
Super Nova
Super Nova
Ryoma

Créditos : 83
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Feminino Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 22
Localização : hell

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptySeg Nov 09, 2020 5:59 pm

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Toda a trajetória por aquele lugar sujo tinha sido para encontrar aquela mulher, mas Helves estava esperando algo totalmente diferente, mesmo que ela estivesse se escondendo, aquela pessoa mostrou-se tão diferente que nem mesmo a celestial conseguiu notar a princípio. Tudo ali era estranho, escondido e perfeito para Natalie. Felizmente o disparo feito por ela não tinha efeito algum em sua forma astral, recebendo perguntas logo de cara sem realmente conseguir explicar nada. "Realmente achei que ela se importaria mais com a família Ford, nesse momento não parece que lembra de quem causou tantos problemas." Seria para o melhor se a própria celestial não fosse tão honesta em situações assim. – Bem... Meu nome é Helves, sou uma Super Nova do mar azul, mas alguns me conhecem como a dama de verde, ou simplesmente aquela que matou Andrew Ford. – finalizava com seriedade, sendo bem transparente sobre tudo sem realmente tentar aproximar-se da ex-guarda naquele momento.

O maior motivo desse nosso encontro é a necessidade de uma aliança... O estado de Stanford não é dos melhores, ter aquele ruivo no poder me dá nojo... Matar Andrew foi justamente a minha forma de livrar esse lugar de um governante ruim, tinha planos sobre ajudar Maddie a alcançar a regência mas... Bem, meu ponto aqui é nos unirmos. – ainda que houvesse confiança em sua fala e olhar, Helves estava apenas colocando sua melhor forma em ação, usando até mesmo um pouco de atuação para tirar todo o potencial que tinha naquela conversa. – Sua influência na guarda poderia me ajudar mesmo que tenha escapado disso tudo ao vir aqui, duvido que vá querer voltar, mas eu preciso de você... Stanford precisa de alguém melhor no comando, aquele ruivo não trará nada de bom com a atitude superior dele. – Vladimir era um homem complicado, estava longe de ser a melhor opção, mas também não era a pior. Com toda certeza ele chegaria longe, só não faria da forma correta e mais interessante para todos.

Acabar com Andrew só aumentou o problema, ele mesmo parecia incomodado com a situação... A marinha e o governo tendo tanta influência aqui é outra coisa que me incomoda, justamente por conta deles a situação chegou num ponto onde somente a morte do prefeito resolveria essa ligação. – os punhos dela se fechavam de maneira firme, mantendo os olhos em Natalie a todo momento, tentando aproximar-se dela ao menos um pouco com tudo que dizia, tirar algum sentimento dela para a trazer ao seu lado. – Conheço uma mulher que pode nos ajudar nisso tudo, juntas podemos resolver boa parte dos problemas que Stanford possuí... Preciso que confie em mim e me ajude, nos ajude... Posso até chegar em ti com meu corpo real se achar que estou tentando te enganar, mas eu prometo que vou te proteger com tudo que tenho. – com a mão direita sobre seu peito a garota proferia determinada. – Estou disposta a sacrificar até meu corpo se for necessário para salvar essa ilha, meus companheiros e todas as vidas inocentes. Só quero o melhor para todos. – terminaria com confiança e sem mais palavras.

Com a autorização de Natalie para ir até ela com seu corpo real ou simplesmente se ela estivesse disposta a sair, Helves aguardaria ou seguiria até ela após retornar sua alma ao corpo que estava apoiado em Aya. – Vamos, ela está nos esperando. – existia um pouco de medo ao levar a sirena para um lugar desconhecido onde a ex-guarda poderia simplesmente atacar ambas com armadilhas se fosse do seu agrado mas Helves precisava confiar nela, não importava muito se era arriscado. Todo o caminho seria seguido com cuidado até conseguir chegar no esconderijo dela, abrindo a porta com a chave. "Não acho que será simples conseguir a confiança dela, Natalie está aqui por um motivo, espero mesmo que não me odeie." Já caso a mulher estivesse indo ao encontro das duas tudo que seria preciso era aguardar algum tempo sentadas onde já estavam.


Objetivos:
 
Histórico:
 
Informações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kenshin Himura
Comandante Revolucionário
Comandante Revolucionário
Kenshin Himura

Créditos : 2
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 22/04/2012
Idade : 24

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptyQua Nov 11, 2020 7:33 am


Helves finalmente se encontrava diante da mulher que tanto procurava, mas ela não parecia ser a mesma pessoa, a queda da família Ford causada por Helves e os revolucionários, fez com que a garota perdesse tudo que ela tinha conquistado esses anos todos. Em seu olhar já não havia esperança, e sim apenas o instinto de uma sobrevivente.

A celestial de cabelos esverdeados respondia a pergunta da ex capitã da guarda, revelando quem ela era para enfim introduzir todo o contexto da conversa. Natalie arregalava os olhos enquanto Helves falava, mas no lugar de tentar disparar mais para afugentar a provável inimiga, ela apenas guardava sua arma. - Por isso eu reconheci você! A mulher falava indo em direção a um bule de chá que estava esquentando em um pequeno fogão ali perto. - A garota que atrapalhou anos de confiança que estava construindo para com Ford para no fim eu tomar o controle da ilha e salvar esse povo! A mulher terminava de falar colocando um pouco do chá em uma xícara.

- Ofereceria se você estivesse realmente aqui! A mulher dava um pequeno sorriso para Helves pronta para escutar oque a garota tinha mais a falar.

O pequeno sorriso da mulher se esvaia ao escutar as falas da ruiva sobre o motivo de estar ali, Natalie dava uma breve suspirada abaixando suas vistas. - Queria eu ter o poder de retomar a guarda e a ilha! A mulher ia até uma cadeira próxima se sentando. - Enquanto eu planejava o meu golpe, meus próprios chefes da guarda estavam planejando um golpe contra mim, e pelo que me falaram a população gora esta apoiando Vladimir!

A mulher terminava de escutar oque Helves tinha a dizer - Principalmente após os seus ataques, você pode sim ser uma celestial, mas não cresceu nessa ilha, não conhece as dores das crianças do orfanato e nem da população do sumidouro! A raiva poderia ser vista em seu rosto naquele momento. - Anos, ANOS me aproximando daquele nojento vendo ele fazer coisas horríveis, para enfim poder dar meu golpe, e assim do nada um grupo do mar azul acaba com tudo! Agora querem minha ajuda!? Uma gargalhada debochada vinha de Natalie.

- Isso tudo apenas me fez esconder, como um rato, sem forças para poder fazer nada, me dê um motivo para não ir atrás do seu corpo verdadeiro e meter um tiro nele? Um motivo real para esquecer tudo que você fez para realmente ajudar você, me apresente provas plausíveis para isso, caso contrário ficarei aqui, e esse problema na ilha ficara por seu encargo resolver, a final foi você quem causou! Natalie apesar de não gostar do governo atual a mesma estava desgastada com tudo isso, Helves sendo a causadora da sua ruína ao menos na mente dela, não ajudaria muito qual seria o plano para Helves ao menos convencer Natalie subir para encontro de seu corpo.

Legenda:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Sempre estarão comigo:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.onepiecerpg.com/t33737-cla-shadows-league
Ryoma
Super Nova
Super Nova
Ryoma

Créditos : 83
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Feminino Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 22
Localização : hell

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptyQui Nov 12, 2020 6:47 am

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


A diferença de toda as imagens já havia surpreendido um pouco, mas aquela atitude era algo que Helves não esperava de Natalie. Uma pessoa que até mesmo tinha rumores sobre alguma relação com Andrew também estava atrás de o tirar do poder. "É... Eu fiz merda, mesmo que tenha sido ordem de um superior, ainda foi errado acabar com todos os planos dela sem saber de nada." No fim a razão para a ex-guarda não gostar da pirata era algo completamente diferente, tendo sim algo haver com o assassinato de Ford. – Me desculpe, não queria estragar tudo... Foi algo que já estava nos meus planos e ainda recebi a confirmação que ele precisava desaparecer. – tudo teria se resolvido muito melhor caso Vânia estivesse por dentro da situação bem antes, impedindo aquela missão. – É claro que não conheço a dor de vocês completamente, ainda estou longe de entender, mas ando tentando fazer isso. Já vi coisas parecidas, não é como se somente aqui ocorresse esse tipo de situação. – a quantidade de ilhas que já sofreram por conta de seus governantes era enorme em toda a história do mundo, lembrar causava dor e confirmava que boa parte das pessoas não merecem estar em uma posição de poder.

Depois de tudo que aprendi, saber sobre pessoas que eu amo sendo usadas de cobaias em experimentos organizados pelo governo e o prefeito dessa ilha... Infelizmente não consegui me conter, por isso me aliei aos revolucionários que já estavam aqui. – o punho direito da garota era fechado e colocado a frente do peito durante suas palavras. – Acabei com aquele laboratório deles, subi aqui para escutar da boca de Andrew toda a situação e ele não me convenceu. As coisas terminariam bem se não fosse a marinha se envolver, Maddie não teria morrido e eu teria feito as coisas da forma correta. – erros eram naturais e a culpa geral daquilo tinha sido do governo e da marinha, que simplesmente acabou com a ilha sem se importar, desaparecendo logo em seguida. – Os mais poderosos que me acompanhavam tinham outras situações para seguir, então tive que recorrer a outra revolucionária que está aqui. Ela e seus subordinados podem nos ajudar. – lentamente Helves se aproximaria de Natalie, olhando-a com arrependimento de tudo feito até ali. – Eu estraguei sua vida, acabei com seu plano e deixei Stanford cair nas mãos de um homem terrível... Eu sinto muito por isso, estou tentando arrumar tudo. Não sou uma pessoa horrível, ao menos tento ser alguém que faz o bem... Não seria melhor me dar uma chance de provar que podemos mudar tudo isso juntas do que deixar Vladimir fazer exatamente tudo que planeja? – finalizava com alguma esperança no olhar, esperando que tudo dito conseguisse alcançar o coração da mulher de algum modo.

A última esperança da garota estava em suas palavras, não existia modo de forçar ela a fazer qualquer coisa. A levar até Vânia era o objetivo, não importava se estava se expondo muito, entregando os planos ou algo do tipo, pois sua superior garantiu que conseguiria lidar com esses problemas. – Meu corpo está próximo, posso vir até aqui com a minha companheira se for te deixar mais confortável... Estou arriscando tudo nessa missão de salvar Stanford, não posso deixar meus iguais sofrerem tanto enquanto eu vivo uma vida boa fora daqui. – ainda que pudesse ser desesperado, Helves estava tranquila naquele ponto. A ajuda da mulher garantia algumas coisas, mas o plano em si era que a pirata fizesse todo o trabalho sujo de livrar-se dos cabeças da guarda. – Apenas me ajude, nos ajude... Preciso de você. – não restava mais nada a ser dito para convencer Natalie, tudo que ela poderia fazer agora era aguardar a resposta da mulher na sua frente e assim seguir o rumo definido. Seja voltar ao corpo e encontrar Natalie de frente para irem de volta à sua superior, apresentando a ex-guarda finalmente para a revolução, ou simplesmente sair de lá junto de Aya sem a ajuda da peça importante que Vânia tanto queria. "Acontece." Qualquer das situações seriam enfrentadas de cabeça, aceitando aquilo que o destino lhe reservava sem reclamar. Acreditar que pode resolver tudo sozinha não é a melhor coisa, mas ao menos impede qualquer preocupação se alguma aliança não der certo.


Objetivos:
 
Histórico:
 
Informações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kenshin Himura
Comandante Revolucionário
Comandante Revolucionário
Kenshin Himura

Créditos : 2
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 22/04/2012
Idade : 24

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptySab Nov 14, 2020 1:50 am


Helves se via em um impasse para conseguir o apoio da ex capitã da guarda, as ações dela contra o antigo prefeito da ilha, tinha estragado todo um plano que a própria Natalie estava desenvolvendo. A ex chefe da guarda não se mostrava nenhum pouco receptiva com a ideia de ajudar aquela que fez sua vida ser resumida em se esconder.

Mas Helves estava determinada a conseguir o apoio da mulher, ou ao menos conseguir levar a mesma ao encontro de Vânia, a líder revolucionaria tinha algum plano para poder convencer a mulher a trabalhar com eles.

A celestial de cabelos esverdeados permanecia na frente de Natalie, a garota pedia desculpas por ter intervindo, mas querendo ou não a mesma tinha seus motivos, e suas ordens a serem cumpridas. A ex chefe da guarda prendia sua atenção enquanto escutava Helves falar sobre o mundo além de Stanford, onde muitas outras ilhas passavam por um governo opressor como aquele.

- Os eventos que se sucederam após a morte do Ford foram algo que fugiam do meu controle! A mulher falava após escutar tudo que Helves tinha a falar, a mulher realmente estava sensibilizada com as palavras da pirata, ela parecia um pouco relutante, mas estava mais receptiva do que momentos atrás.

- Conheço Vladmir, sabia que ele estava tramando algo, mas estava tão focada em Ford que quando percebi, olha onde vim parar! A mulher suspirava terminado de tomar seu chá. - Eu seria infantil demais deixar as coisas toda em sua mão, só porque estragou meus planos, meus objetivos eram manter essa ilha em segurança e visto que Vladimir está pronto para começar uma segregação isso não posso deixar.

A mulher ia até a parede pegando uma espingarda. - Como diria, o inimigo do meu inimigo é meu amigo! A mulher olhava se a arma estava carregada. - Conseguiu me convencer garota, tenho que concordar com algumas coisas que você falou, mas vou com uma condição, assim que Vladimir cair, você tem de deixar essa ilha! A mulher colocava a arma em suas costas esperando a resposta de Helves.

Mas antes mesmo que a garota pudesse responder, ambas percebiam a aproximação de algo bem rápido vindo de encontro com o local. - Acho melhor você voltar para seu corpo! Natalie falava correndo para a porta de seu esconderijo, subindo para o galpão.

Assim que ambas chegavam no local, conseguiam ver o corpo de Helves jogado ao chão, Aya estava de pé de frente para um homem mascarado. Natalie tomava a frente, antes que Helves voltasse para seu corpo, retirando sua arma das costas apontando para o visitante.

- Senhora Natalie é assim que recebe os amigos? A voz do homem era abafada pela máscara do mesmo, a mulher continuava apontando a arma enquanto Helves conseguia voltar para seu corpo.

- Pelo visto não está para papo! O Homem retirava sua máscara, revelando um rosto meio desfigurado com um cristal no lugar do olho esquerdo, rapidamente Helves reconhecia o homem como um dos apoiadores de Vladimir que estava no palco no dia do discurso.

- Alastor… A mulher proferia o nome do homem, mas mantinha a arma apontada para o mesmo. Com um sorriso um tanto sarcástico o homem arrumava seu cabelo deixando mais a mostra seu olho brilhante. - Como imaginava, a senhora estava escondida por aqui, a final não é todo dia que algo faz o céu do sumidouro ficar claro.

Ele terminava de falar olhando para Helves e Aya, seu olho normal se arregalava ao ver a presença da pirata, junto com um grande sorriso. - Natalie, vim aqui em sinal de amizade, apenas prendê-la, mas em comunhão com a procurada número um, acho que nem mesmo eu poderei intervir em sua causa! O homem retirava sua katana apontando para Helves. - Pirata Helves e Natalie Hazelton eu Alastor Thorne, sexto apóstolo da ordem de Vladimir lhes dou voz de prisão, se rendam ou sofrerão as consequências! Com o sorriso sádico em seu rosto esperava o primeiro movimento de suas inimigas.

- Vamos matar esse crápula, depois continuamos nossa conversa, ao menos vai poder pensar em minha condição, e cuidado, ele é mais resistente do que aparenta! Natalie Falava ainda com sua arma apontada para o homem.

Legenda:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Sempre estarão comigo:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.onepiecerpg.com/t33737-cla-shadows-league
Ryoma
Super Nova
Super Nova
Ryoma

Créditos : 83
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Feminino Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 22
Localização : hell

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptyDom Nov 15, 2020 12:19 am

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Tanto trabalho e esforço para simplesmente partir daquele lugar. Helves olhava o pedido um pouco chateada, mesmo que já fosse parte do seu plano ir para longe daquele lugar ao fim de tudo, não era exatamente divertido ser basicamente expulsa daquele jeito. Tanto tempo em Stanford a fez amar muito a ilha, sua cidade e também as pessoas que passavam tanta dificuldade por culpa de quem os comandava. "Nada mais justo... Sou parte do problema aqui, causei mais desgraça do que qualquer um. Suponho que muitos vão me ver como a vilã caso consiga derrotar Vladimir." A resposta estava clara, faltava apenas coragem dela ser dita naquele instante e mesmo querendo, não houve tempo o bastante após a aparição de uma presença desconhecida na região. – Aya... – murmurou ao escutar o aviso de Natalie, avançando rapidamente ao encontro de seu corpo e da sirena que o guardava.

A segurança da sirena era confirmada, encontrando apenas um ser mascarado à frente dela. Retornando ao corpo as coisas ficavam melhores, escutando toda a conversa entre os dois claramente conhecidos da guarda. "Ele estava lá." Lembrava do discurso feito pelo ruivo naquele dia, notando a semelhança daquele sujeito na sua frente com a de um dos apoiadores de Vladimir. Helves tocava a cabeça de sua amada com a mão direita, acariciando-a um pouco, aproveitando que Natalie conversava com o tal Alastor. – Me dê cobertura de algum lugar seguro se preciso, não fique muito exposta. Quero lutar, sem me preocupar tanto em defender outras pessoas. – aquilo poderia não terminar em uma luta, ela estava apenas se precavendo antes de algo ruim acontecer, preparando o terreno para não ser surpreendida e felizmente o caminho seguido pelo guarda terminava onde a celestial imaginou.

Sim, vamos terminar isso. Tome cuidado, vou me manter próxima dele o máximo possível. – não tinha nenhuma razão para ela lutar de longe quando se tinha duas pessoas para apoiar sua retaguarda naquele momento. Aya era uma combatente de perto se preciso e aquela arma de Natalie seria útil. "Dúvido que ela esteja no mesmo nível de poder de quando estava na guarda, as coisas mudaram muito." O melhor machado era a arma perfeita para o momento, trazendo este na mão direita, deixando a esquerda livre para qualquer opção dentro do combate. Helves estava pronta para enfrentar Alastor, resolvendo avançar na direção dele antes de qualquer coisa. Cinco fantasmas negativos surgiriam do corpo dela no meio do avanço, rodando em círculos ao redor dela. No primeiro momento onde houvesse alcance suficiente para atacar a movimentação mudaria, realizando um simples corte com o machado pela direita, visando o tronco do homem. Como uma esquiva naquele tipo de ofensiva era simples, Helves prepararia os fantasmas, liberando todos do círculo na direção alvo durante a esquiva ou bloqueio do mesmo.

Helves não esperaria muito para continuar sua ofensiva, avançando mais se Alastor estivesse distante após o primeiro golpe. Os fantasmas permaneceriam atormentando-o enquanto outros 5 surgiriam para fazer a proteção dela, rodeando o corpo da garota simplesmente aguardando algum ataque do adversário para o emboscarem com a negatividade. O avanço da celestial seria em pequenos impulsos para a frente, realizando diversos cortes contra tronco, braços e cabeça durante a distração das criaturas. A qualquer momento onde o homem estivesse um pouco mais distraído que o normal, Helves faria um fantasma explosivo surgir junto de um dos cortes, balançando o machado enquanto a criatura saia de seu braço em velocidade ao encontro do guarda, explodindo assim que se aproximava do mesmo. E junto do primeiro outros fariam a mesma coisa, seguindo ele o bastante junto da pirata, que continuaria mantendo a pressão no guarda sem se afastar.

Durante os avanços e mesmo depois deles a estratégia defensiva da celestial se manteria a mesma. Haki para sentir aproximações, junto do Kami-e que ajudaria na esquiva rápida dos golpes apenas movendo o corpo de forma leve e fluída. Situações mais complicadas onde esquivar não estivesse dentro do possível seriam tratadas com o machado, usando este de bloqueio ao pôr à frente do golpe e segurar com ambas as mãos para aguentar o impacto junto das pernas que firmariam no chão querendo evitar ser lançada longe. Toda a movimentação feita pela garota visava manter Alastor longe das outras duas, tentando sempre se manter próxima dele, guiando sua movimentação com golpes em se afastar delas. Helves só se arriscaria para salvar alguém se fosse óbvio que o espadachim estivesse mirando em Aya, nessa situação não restaria opções, ela saltaria na frente do golpe tentando bloquear com sua arma, braços ou mesmo o corpo sem ligar pro resto.


Objetivos:
 
Histórico:
 
Informações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kenshin Himura
Comandante Revolucionário
Comandante Revolucionário
Kenshin Himura

Créditos : 2
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 22/04/2012
Idade : 24

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptyQua Nov 18, 2020 11:57 am


Helves não digeria a condição muito bem, mas era fato, as pessoas da ilha provavelmente não a veriam como salvadora mas sim como a grande causadora de todos os males que aconteceram na ilha. E isso podia ser confirmado com o novo inimigo que estava a frente do trio, um homem de aparência estranha, e sorriso malicio em seu rosto.

Natalie parecia um tanto incomodada com a presença do homem, talvez pelo fato de seu esconderijo ter sido revelado, o sumidouro era o lugar mais discreto que existia na ilha, bom ao menos não mais com a presença de um dos apóstolos de Vladmir. Helves que estava de volta ao seu corpo pedia para que Aya a desse cobertura, elas estavam em vantagem eram três contra um.

- Vocês poderiam facilitar a vida desse velho! O homem suspirava entrando em sua posição de combate.

O plano da celestial era lutar o mais próximo possível de seu inimigo, enquanto Aya e Natalie cuidam da sua retaguarda. Assim era feito Helves avançava conta o guarda enquanto Natalie disparava contra o mesmo, o homem bloqueava as balas que vinham em sua direção, o olho dele aprecia que brilhava enquanto estava combatendo, quando Helves atacava com seu machado o mesmo conseguia bloquear com êxito, em seguida empurrando a garota, que por sua vez jogava vários fantasmas negativos na direção do Alastor.

O homem ao perceber isso pulava para se esquivar dos fantasmas, a maioria errava o alvo, mas um deles conseguia acertar o tronco do Alastor, o mesmo pausava do salto colocando as mãos no joelho. - Achei que ia morrer, não que isso seja ruim! O homem era velho e já estava conformado com a morte, ou com seu desejo de viver, oque fazia com que os efeitos dos fantasmas negativos fossem bem poucos. - Mas estranho estou me sentindo meio para baixo, será que chegou aqueles dias!? O velho suspirava quando Natalie atirava novamente contra o mesmo.

O tiro acertava em cheio o braço direito de Alastor, mas não conseguia ver sangue vindo do braço do meso. - Parece que encontrou um dos últimos protótipos do Ford, aquele seu tava ultrapassado! A preocupação podia ser visto no rosto de Natalie.

- Não chegue perto daquele braço, não sei do que ele pode ser capaz! A mulher gritava para Helves e Aya.

Helves e Aya partiam para uma nova investida contra o guarda, Helves começava a desferir diversos golpes contra Alastor que eram todos bloqueados, enquanto Aya tentava acertar sua cabeça o homem utilizando do Soru se esquivava se reposicionando atrás da sirena e desferindo um chute em suas costas fazendo a mesma ser arremessada e jogada contra uma das prateleiras. Natalie continuava suprimindo o homem de tiros que recebia diversos em seu braço esquerdo, esse já começava a sangrar, revelando que apenas algumas partes dele era feita de metal.

Ele partia para cima de Helves que estava mais próxima dele, onde ele fazia uma sequência de vários cortes contra a garota que eram esquivados pelo rokushiki da mesma, fazia ela parecer uma folha dançando ao vento. Assim que ela terminava ele aproveitava para desferir um tiro com seu braço mecânico, o projetil saia dos dedos do homem e acertavam o braço esquerdo de Helves, fazendo a garota sentir bastante dor.

Natalie, vinha de seu encontro que aproveitava o recuo da arma do Alastor para desferir uma forte coronhada com o cabo de sua espingarda fazendo o homem voar alguns centímetros. - Cuidado, aquele olho faz ele conseguir ver em vários ângulos diferente! A mulher falava ajudando Helves a se manter de pé, enquanto Aya tentava se levantar dos escombros que ela fora jogada.

Legenda:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Sempre estarão comigo:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
https://www.onepiecerpg.com/t33737-cla-shadows-league
Ryoma
Super Nova
Super Nova
Ryoma

Créditos : 83
Warn : Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 10010
Feminino Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 22
Localização : hell

Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 EmptyQui Nov 19, 2020 7:31 am

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


As coisas pareciam tão boas inicialmente, tendo muitos acertos por parte das 3 mulheres sem grande retorno do guarda. Helves até mesmo sentia um pouco mais de confiança, avançando sem realmente sentir medo do homem na sua frente. Toda a pressão de derrotar um dos tais apóstolos estava quase desaparecendo, tendo total controle da luta e movimentação do adversário. "É isso!" Foi exatamente seu pensamento quando o primeiro fantasma se conectou seguido de um disparo feito por Natalie e ela estava pronta para contar vitória depois daquilo. A única coisa que a garota não esperava era encontrar o sujeito sem ferimento algum, como se o braço dele não fosse o de um humano. A explicação esclareceu tudo e só fez o clima ficar um pouco mais pesado. Os próximos momentos da luta tinham se transformado em um borrão aos olhos de Helves, que logo após ver a sirena ser lançada longe acabou perdendo a noção do que estava ocorrendo, simplesmente preocupando-se com o estado de Aya enquanto seu corpo reagia ao combate como havia planejado.

Somente a dor conseguiu a tirar rapidamente do transe, acordando um pouco pra trás, ferida e com muita dor. "Que merda eu tô fazendo?" Toda a culpa só podia cair nela, lutar de perto sempre foi o foco, mas com o tempo a celestial mudou seu estilo. A magia dos fantasmas também ajudou nessa mudança, tendo que se adaptar ao que o mundo lhe dava e mesmo assim sua força não era o bastante, seu foco não era o melhor, parecia estar em outro lugar. "Me foquei tanto em deixar claro que não podia me preocupar com ela e acabei perdendo meu alvo da mesma forma." Natalie e Aya estavam bem mais dentro da luta, ajudar as duas já era o objetivo, Helves apenas não pensou que seria tão complicado manter-se perto do guarda. – Dessa vez eu vou com tudo... – a dor estava lá, era irritante, fazia o braço esquerda dela não estar em seu melhor dia. Reclamar da dor não faria bem, apenas aguentar aquilo, sem mostrar fraqueza na frente do inimigo ou dos aliados foi a escolha da jovem pirata. Assim ela armou-se até mesmo com a soqueira conseguida de um oponente anterior, encaixando-a na mão esquerda por conta de a direita estar ocupada pelo machado.

Ainda era cedo para saber tudo que a magia dos fantasmas poderia fazer, Helves não tinha nem mesmo testado o tempo e por qual motivo os inimigos ficavam deprimidos depois de serem acertado por eles. Aquelas criaturas estavam vivas, conforme a criadora e seus pequenos "filhos" se acostumavam um com o outro as coisas seriam descobertas. Foi assim até aquele ponto, não faria sentido se alguém fosse até ela anunciando tudo que poderia ser ou não feito. E esse era o exato motivo das criações de Helves estarem ativas mesmo depois de acertar Alastor, simplesmente serviam de proteção, uma simples precaução que faria o oponente pensar antes de atacar a garota durante sua movimentação pela arena do combate. Só que dessa vez não eram apenas cinco nela, teria 5 em cada uma das garotas. Todos protegendo o avanço daquele velho, deixando espaço o suficiente para que nenhuma delas fosse tocada, apenas protegida pelos fantasmas. Isso deixaria apenas alguns que poderiam surgir durante a ofensiva de sua mestra.

Cuidem bem das duas. – anunciava para todas as criaturas criadas, começando então mais um avanço sem ligar muito se o braço estava doendo ou não. O foco era muito mais na movimentação daquele membro, fazendo alguns testes antes de tentar alcançar Alastor o bastante para atacar. Com toda a rapidez natural de seu corpo o primeiro golpe surgiria, vindo por baixo o machado visava cortar a barriga até o peito do alvo à sua frente. E exatamente durante o corte um fantasma explosivo seria liberado do braço direito dela, indo direto ao encontro do tronco do guarda, explodindo quase que imediatamente após o corte ser finalizado. O erro do machado seria cobrado pela explosão, aproveitando da possível distração para avançar e destruir o guarda. – Vai ter que me matar se quiser manter seu chefe no comando, pois eu não vou deixar isso se continuar enquanto estiver viva. – e assim ela continuaria, impulsionando-se para a frente em um salto junto de mais um golpe do machado, só que dessa vez vindo de cima para baixo, buscando cortar a cabeça/rosto do sujeito na sua frente. O tal olho esquisito estava na lista, querendo mesmo destruir aquela bizarrice num golpe. Mais uma vez outro fantasma sairia do corpo da pirata, vindo do braço esquerdo até o pescoço/rosto do homem sem demora para explodir aquela região junto do ataque. A sequência não pararia por aí, seguindo com um soco de esquerda no estomago de Alastor se o braço ainda estivesse com forças para tal, fazendo um fantasma explosivo sair pelo braço junto de outro negativo liberado diretamente no ponto de contato do soco. Era improvável que outra negatividade seria aplicada, mas Helves estava querendo causar o máximo de dano possível, querendo bagunçar a mente do velhote. Com esse último golpe ela explodiria os fantasmas e recuaria um pouco para respirar.

Atacar tanto a faria receber golpes de volta, podendo esquivar-se de forma simples com o Kami-e junto do Haki para prever ataques e também a movimentação do alvo antes de realmente pensar em atacar. Helves saltaria para longe se apenas os movimentos da magia do papel não fossem o bastante, ou simplesmente traria o machado junto da soqueira para bloquear golpes, buscando mudar sua trajetória de um modo que não fosse acertar seu corpo e ainda pudesse deixar Alastor aberto à contra-ataque. Os movimentos feitos para contra-atacar o guarda seriam golpes simples visando o braço direito, punhos, pernas e também o olho aperfeiçoado do mesmo. Cortes com o machado, socos com a mão da soqueira, chutes ou apenas a explosão do máximo de fantasmas possíveis no momento seriam as armas dela nesse tipo de ataque. As criaturas de proteção ao redor de todas as garotas estariam bem ativas, impedindo aproximação, avançando até o velhote para o distrair e proteger todas elas.


Objetivos:
 
Histórico:
 
Informações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: Art. 4 - Rejected by the heavens   Art. 4 - Rejected by the heavens - Página 4 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Art. 4 - Rejected by the heavens
Voltar ao Topo 
Página 4 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Grand Line - Paradise (Paradaisu) :: Karakui :: StanFord-
Ir para: