One Piece RPG
Escaping Mean! Run Ria, Run! XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Cap.1 Deuses entre nós
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor K1NG Hoje à(s) 23:41

» Ato 157: Se eu quisesse tua opinião, Eu tirava na Porrada
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor K1NG Hoje à(s) 23:12

» [LB] O Florescer de Utopia III
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Kekzy Hoje à(s) 23:10

» Karatê Cindy
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Oni Hoje à(s) 22:49

» John Knudarr
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor John Knudarr Hoje à(s) 22:42

» Seasons: Road to New World
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor GM.Muffatu Hoje à(s) 21:29

» [Ficha] James Howlett
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Lurion Hoje à(s) 21:26

» The Victory Promise
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Hooligan Hoje à(s) 21:07

» [FICHA] Sonny Delahunt
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Shogo Hoje à(s) 21:02

» The One Above All - Ato 2
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Thomas Kenway Hoje à(s) 19:26

» Cap. 2 - A New Day
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor ADM.Tonikbelo Hoje à(s) 19:03

» Bakemonogatari
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor yaTTo Hoje à(s) 18:48

» Arco 4: Segredos enterrados em gelo!
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Jean Fraga Hoje à(s) 17:43

» ~ Acontecimentos ~ Cactus Island
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Kekzy Hoje à(s) 17:17

» Um Destino em Comum
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor (Orochi) Hoje à(s) 17:08

» Xeque - Mate - Parte 1
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor GM.Midnight Hoje à(s) 16:51

» Pandamonio, Vol 1 - Rumo à Grand Line!
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor AoYume Hoje à(s) 16:42

» A busca da liberdade
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Thomas Kenway Hoje à(s) 15:23

» As Crônicas de Mizushima – Episodio № 01: Apresentando Mika Mizushima!
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor ADM.Tidus Hoje à(s) 13:44

» Apresentação 5 ~ Falência Sensacionalista
Escaping Mean! Run Ria, Run! Emptypor Furry Hoje à(s) 12:43



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Escaping Mean! Run Ria, Run!

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 59
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptySeg 13 Jul 2020, 14:44

Escaping Mean! Run Ria, Run!

Aqui ocorrerá a aventura do(a) pirata Fanalis B. Ria. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptySeg 13 Jul 2020, 19:44

Prison Break! Part 1!


Com aquela sirene ecoando e incomodando a mim e todas as prisioneiras seria impossível dormir e descansar ainda mais, não que fosse necessário, eu já tinha dormido bastante e provavelmente já havia amanhecido ou estava próximo disso, sendo que para confirmar, olharia para meu belo relógio de ouro confirmando que horas eram e imaginando o porquê de os marinheiros não terem o apreendido. Ainda sim estava inconformada com aquela barulheira toda, o que me levava a andar para os lados dentro da cela mesmo até que me sentasse na cama de baixo da beliche e fechasse os olhos com força desejando que aquela balbúrdia terminasse.

- Se quisesse silêncio e uma vida mansa, não devia ficar aprontando por ai, Senhorita Ria... - Dizia o Mordomo sério como sempre, onde se mantinha sentado e escorado contra as grades da cela bebendo de seu chá enquanto esperava minha resposta, que até que seria educada apesar da irritação que ele me causava com suas palavras, embora por dentro quisesse falar outra coisa, mas ao mesmo tempo não queria dar o gostinho da vitória para ele, onde abriria os olhos e o responderia com um leve sorriso. - Ah Mordomo… - “Não enche o saco meu!” - Até que você tem razão... - “Fica quieto, tô tentando pensar!” - Vou usar esse tempo pra rever os meus atos. - “MAS QUE DIABOS, COMO EU SAIO DESSE INFERNO EM QUE ME METI?” Onde com a resposta ele dava um sorriso sarcástico e continuava descansando, enquanto eu me mantinha sentada balançando a perna direita e ansiosa para tentar bolar alguma forma de sair da prisão.

Eu precisava bolar uma forma de sair daquele lugar, então ainda sentada começaria a imaginar possíveis situações onde eu conseguisse fugir de algum jeito, pensando e relembrando tudo que eu tinha visto desde que tinha chegado ali. Concentrada era a palavra que me definiria naquele momento, tentando ignorar tudo a minha volta, inclusive a sirene se ainda tocasse e o Mordomo se continuasse com as suas ladainhas que em nada condizem com meus planos futuros na pirataria.

“O guarda vem em horários programados pras refeições e com certeza algo de diferente tá acontecendo nesse QG ou fora dele a julgar pela sirene demorada, as duas situações parecem propícias pra uma possível fuga.” Olharia para as algemas de kairouseki que restringiam muito minha força e meus movimentos. “Seria difícil tomar a chave dele com essas algemas, mesmo que fosse só um guarda.” Andaria até as grades para analisar se as mesmas eram feitas de kairouseki ou outro material, já que eu tinha facilidade com tais materiais, não deveria ter problemas em definir apenas por olhar e tocar nas mesmas, antes de voltar a me sentar e dessa vez começar a encarar as algemas. ”Se eu quebrasse meus pulsos pra arrancar essas coisas, ou arrancasse minhas mãos fora, não demoraria muito mais que algumas horas pras elas se regenerarem...”

Olharia a beliche e começaria a imaginar formas de gerar uma alavanca com a mesma para quebrar meus ossos de forma que as algemas pudessem sair, isso se achasse que fosse possível de algo assim acontecer ao criar uma alavanca com a mesma e utilizar de seu próprio peso em conjunto com minha força, assim conseguindo o que almejava. Agora se parecesse impossível de remover as algemas quebrando os pulsos, analisaria a beliche e a pia da cela, já que talvez com o pedaço de algum dos objetos quebrados talvez fosse possível de decepar minhas mãos e esperar que se regenerassem para que a fuga pudesse ocorrer.

O que eu queria mesmo era encontrar algum método de remover as algemas de forma que eu me machucasse o mínimo possível, coisa que era bem difícil já que nunca nem sequer tinha pensado em me machucar propositalmente até aquele momento. Tudo que fazia era colocar a mão no queixo imaginando as possíveis cenas tortuosas de automutilação que provavelmente estariam por vir, onde minhas sobrancelhas tremiam só de pensar nessas coisas já que eu era bem mais "S" do que "M". "Queria quebrar é aquela capitã maldita que quase matou Yue..."

Nesse meio tempo, ficaria prestando atenção no próximo guarda que passasse em frente a minha cela, tentando identificar se era o mesmo que havia trazido a refeição da última vez e se ele possuía as chaves da cela. Utilizaria de meu relógio para cronometrar o tempo sempre que algum guarda passasse dando ainda mais ênfase se carregasse as chaves, além de memorizar as horas já que talvez houvesse alguma lógica nos horários que eu pudesse usar para o atacar e conseguir a chaves das celas. Tomaria cuidado para que não percebessem ao me manter arrumando com os dedos meu longo e lindo cabelo ruivo enquanto os guardas passassem ao sorrir e disfarçar. “Não é possível que a marinha seja aleatória, algum padrão eles devem ter.”

Objetivos:
 

Histórico:
 

Feitos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milabbh
Narrador
Narrador
Milabbh

Créditos : 36
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Data de inscrição : 13/04/2020

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptyTer 14 Jul 2020, 02:29




narração - escaping mean! run ria, run!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Andando de um lado para o outro inquieta e incomodada com o barulho, a ruiva se dirige até sua cama e senta, esperando que tudo passe. A aurora chega e, com ela, o desejo de Ria se realiza, o barulho cessa. Com o silêncio é possível ouvir outros sons.

- Já era hora hein?! - Dizia Joan em tom irritado encostada na grade da cela

- Finalmente porra! - Exclamava a outra.

O momento pacífico, contudo, não durou muito, logo o fantasma começava a atazanar Ria, e como se não bastasse, subitamente um conjunto de vozes bradava, o que falavam não podia ser discernido por ela, mas era certo que todas possuíam ímpeto inabalável.

Olha para seu relógio, que marcava exatamente 6:00 AM, ela então se apressa em pensar no plano de fuga, e se concentra para lembrar de todo o caminho que fizera até sua cela, infelizmente, sua memória falha e tudo o que está registrado, são os locais em que Yue e Boujin estão, na ala hospitalar e masculina, respectivamente. Além disso, não havia prestado muita atenção nos horários dos guardas na noite anterior, uma vez que estava conversando com suas vizinhas de cela.

Andando pelo quarto ela se põe a analisar o que lhe pode ser útil por ali. A luz matinal entra pela janela, formando sombras no chão de pedra. O beliche de ferro é firmemente preso na parede, os raios solares batem no metal e são refletidos nos cabelos rubros de Ria. Os lençóis caem dramaticamente ao lado da pia de porcelana velha, porém resistente. Nada parecia quebrável por ali.

Quando alcança as grades da cela, nota que são feitas de ferro reforçado, que exigia grande força ou habilidade para que pudesse ser destruída, tudo parecia inútil para decepar um membro, mesmo que não fosse, cortar os dois pulsos, sendo que por eles passam artérias, poderia causar uma hemorragia fatal. Mas como sabemos, a esperança é a última que morre, ou seria o protagonista? De qualquer forma, olhando mais atentamente para a cama, usando seu conhecimento de física, a moça de cabelo escarlate percebe que com a quantidade de força necessária e uma ajudinha da gravidade, poderia criar um sistema de alavanca, que possibilitaria a quebra de seus ossos, e provavelmente, a libertação de seus membros superiores.

Não satisfeita com suas informações, Fanalis observa o exterior de sua cela, prestando atenção na movimentação dos guardas, com isso, ela determina algumas coisas, a primeira é que as rondas são feitas a cada 10 minutos, algumas demoram um tempo a mais, talvez pela comoção, mesmo assim, a variação máxima era de 5 minutos, além disso, havia um marinheiro no fim do corredor, que vigiava as portas, e em todo o tempo que Ria observou, ele não deixou seu posto. E agora, o que faria nossa dama de vermelho?




Histórico:
 

Imagens:
 

Considerações:
 

Off:
 

                                     

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptyTer 14 Jul 2020, 19:58

Prison Break! Part 2!


Me sentia inconformada com a minha situação, tinha que sair de lá de uma forma ou de outra e o mais rápido possível. Aparentemente as informações que eu tinha coletado pareciam ser mais do que suficientes, bastava aplica-las e eu provavelmente conseguiria sair da desventura que me assolava naquela prisão. Eu só sabia de uma coisa, teria que libertar a mim e meus companheiros por mim mesma.

Me mantinha de cabeça baixa sentada na cama com os longos cabelos rubros cobrindo meu rosto de uma beleza rara e estonteante, o que com certeza era um infortúnio para os que poderiam ter a chance de me vislumbrar mesmo que por alguns segundos, até mesmo os marinheiros que passassem rapidamente, eu mesma me sentiria mal na pele deles. De toda forma, muito provavelmente logo iam querer desviar sua atenção para mim e me levar para o tão falado interrogatório, então eu não tinha muito tempo para fazer o que tinha que fazer já que aparentemente a marinha estava ocupada com algo e provavelmente não duraria muito.

“Eu não quero fazer isso, mas acho que não tenho escolha. Fugir como uma humana enfraquecida parece ser mais difícil do que me livrar do fantasma do Mordomo.” Deixaria com cuidado meu relógio dourado sobre a cama, morderia os lençóis da cela esperando que não estivessem tão sujos. Esquecendo todo o resto, apenas encaixaria minhas mãos na beliche para realizar o movimento acrobático que me tiraria daquela situação. Me prepararia para a dor melancólica que viria a seguir e sem tirar Yue e Boujin da cabeça ao manter meus olhos fechados como uma criança que está testando os limites da dor, pularia com tudo ao dar um mortal e deixar que a gravidade fizesse seu papel para que a ação realizada resultasse na reação que quebraria minhas mãos com cuidado para não causar uma fratura exposta e possibilitar que as mãos saíssem do aparato de kairouseki.

No instante que fizesse isso, fecharia os olhos com ainda mais força, onde o mesmo faria ao morder os lençóis para tentar aguentar a dor em silêncio ou pelo menos com o mínimo ruído possível, por mais que por dentro estivesse agonizando. “AAAAAAAAAAAAAH. QUE DIABOOO DO CARAMBAAA. Nossa, dói bem mais fazer isso sozinha do que quando eu tô lutando com alguém. MAAS QUE INFERNOOO, VOCÊÊ ME PAAAGA KAAAATTTTT!” Estaria lacrimeijando e acabada de dor, mas mesmo assim nesse instante olharia para frente e veria o Mordomo de olhos arregalados comentando como se aquela fosse uma péssima escolha. - Sério isso? Acha mesmo que isso vai funcionar? Não me diga que ficou maluca, Senhorita Ria??? - Eu apenas olharia séria para ele, mas não o responderia, quer dizer, o responderia sim, não tinha como ficar calada com um comentário daquele, então sugando as lágrimas de dor para tentar demonstrar minha confiança por mais que não fosse possível, ainda com a voz trêmula, comentária. - É… Como dizem, Mordomo… O que não te mata… Fortalece! - Após essa breve fala, direcionaria minha atenção para o estado de minhas mãos que provavelmente estariam horríveis, o que faria com que a dor se elevasse ainda mais ao ver seu estado se é que isso seria possível.

Tentaria remover minhas mãos das algemas, mas talvez aquele primeiro movimento não tivesse sido suficiente, o que me daria uma sensação horrível no peito além da dor que sentia, já imaginando se aquilo ia realmente valer a pena e até onde eu teria que ir para conseguir realizar o que pretendia. “Não tem como, preciso dar um jeito de me livrar dessas algemas, é a única forma de termos alguma chance.” Então mais uma vez faria o movimento, e outra, e outra, até que percebesse que seria impossível de remover o objeto.

Talvez achassem que eu estava maluca, afinal, era a opinião do Mordomo, mas o que você faria nessa situação? Deixaria que sua aventura acabasse por ali e ficaria mofando na prisão? Esperaria que uma chance de fugir brotasse do céu? Eu queria criar a minha própria chance, nem que para isso eu tivesse que sofrer uma dor imensurável, eu só tinha uma coisa em mente. “Eu me recuso a apodrecer aqui!” Esse era um pensamento tão poderoso, que ficava se passando em minha mente durante cada segundo em que eu me mutilava, ainda mais porque essa era uma enorme motivação.

Me manteria sempre de olho no relógio já que não poderia perder o timing e deixar que um guarda me visse e entendesse o que eu queria fazer. É claro que se desse certo, limparia qualquer vestígio do ocorrido e me deitaria na cama com o lençol me cobrindo juntamente com as algemas que manteria ao meu lado sem me encostar, já transformada em minha forma completa para esperar algum tempo até que minhas mãos ao menos parassem de doer e eu pudesse tentar tomar as chaves de algum dos carcereiros seja lá como.

Objetivos:
 

Histórico:
 

Feitos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milabbh
Narrador
Narrador
Milabbh

Créditos : 36
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Data de inscrição : 13/04/2020

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptyQua 15 Jul 2020, 00:42




narração - escaping mean! run ria, run!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Após uma observação de aproximadamente 30 minutos, o relógio já marcava 6:30 AM, e Ria havia ouvido antes que sua interrogação seria umas das primeiras do dia, por volta das 7:00 AM, com isso ela teria no máximo 25 minutos para fazer tudo o que pretendia. Perdida em seus devaneios e percebendo alguns olhares furtivos e envergonhados lançados pelos guardas que ali rondavam. Ela estava decidida, precisava fugir dali o mais rápido possível e o pior, sem a ajuda de ninguém.

Ela se levanta, respira fundo e enfia o lençol manchado e empoeirado em sua boca (esperamos que nossa protagonista não tenha rinite), com isso, ela fecha os olhos e pula com tudo, mantendo seu braço da maneira mais firme possível e puxando-o com força para baixo. O que se seguiu ao movimento foi uma dor latejante que atingia a base de sua mão, era bem intensa, mas não o suficiente para completar o objetivo pretendido. Após um momento de xingamento e processamento de dor de maneira interna, além de lágrimas que rolavam por seu rosto, Ria, ao abrir seus olhos tem uma surpresa desagradável, sua mão permanecia intacta, ela tinha ralado sua pele, mas aquilo não era o suficiente para quebrar suas mãos. O mordomo estupefato tinha razão, só aquilo não seria o bastante.

Olhando novamente para suas mãos vermelhas e levemente inchadas, notava um pouco de sangue escorrendo por debaixo das algemas de Kairouseki. Motivada por seus companheiros que mantinha em mente durante o processo, além de sua vontade ardente de se livrar das garras dos marinheiros, ela tomava coragem para enfrentar novamente aquela dor, sabendo que desta vez seria ainda pior. Após 3 tentativas, quase sem conseguir continuar, Ria investe uma última vez em seu plano, pulado quase que da altura do beliche e forçando suas mãos para baixo, ela experiência a pior dor até o momento,  sente sua pele rasgando ainda mais, a dor lacerante afligindo seus braços, da ponta de seus dedos até a altura de seu cotovelo. O sangue pinga no chão da cela, respingando em seus pés e, por fim, seus ossos fazem um barulho ensurdecedor, para ela pelo menos. Os polegares de Ria estavam quase da altura de seus dedos indicadores, deslocados, o que antes era maciço em suas extremidades superiores, agora eram apenas pedaços inúteis repletos de cálcio e outros minerais dispensáveis no momento. As vizinhas de cela desconfiam dos barulhos e perguntam.

- Que porra você tá fazendo? Já teve aquela sirene infernal, agora esse barulho de corrente do caralho!! - Indagou Joan se aproximando das grades de sua cela afim de ver o que Ria fazia.

- É, fica quieta ai caralho, eu quero dormir!! - A vizinha gritava deitada em sua cama, tentando tapar os ouvidos com o travesseiro.

Além de lidar com a dor absurda que sentia no momento, a ruiva teria que tirar os lençóis da boca e fingir que estava tudo bem, ou apenas poderia ignorá-las e torcer para que não desconfiassem da barulheira. De qualquer forma, ela faria sua investida final, puxando as mãos, era uma cena macabra de se ver, tanto que até um fantasma sentia-se enojado. As mãos de Ria estavam  deformadas, em um ângulo completamente não natural, ao puxá-las, era possível ver seus dedos se encolhendo mais do que normalmente fariam, seu polegar agora estava apenas seguro por músculos e pele, uma vez que que a falange proximal já estava separada por completo do trapézio. O sangue que escorria ajudava no deslizamento das mãos para fora das algemas, mas seus movimentos estavam limitados, a dor era tanta que até o mínimo movimento se tornava insuportável.

Era isso, estava livre, mas o preço foi alto, lá estava ela, depois de limpar o chão da melhor maneira possível, encolhida sob os lençóis que haviam ganhado outra mancha e, com ela, uma história. Já transformada, esperando que se regenerasse em breve, agora Ria ainda precisava lidar com dois problemas, o primeiro eram suas vizinhas, o segundo seu tempo, ela perdera cerca de 10 minutos, e por pouco não foi avistada por um guarda, que passou na frente da cela quando ela estava deitando em sua cama.

- Que mancha é essa no chão ai?? Isso é sangue?! - Indagou o guarda se aproximando das grades.

No momento seu relógio, antes dourado, agora coberto por sangue, marcava 6:40 AM, a hora do interrogatório estava cada vez mais próxima e a ronda seguinte só ocorreria em 10 minutos aproximadamente.

Histórico:
 

Imagens:
 

Considerações:
 

Off:
 

                                     

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptyQua 15 Jul 2020, 12:45

Prison Break! Part 3!


Respondia as garotas tranquilamente, ou pelo menos era como queria responder, já que por causa da dor em seu auge não conseguia o resultado desejado com a voz ainda abafada por me segurar para não gritar. - Argh. Não foi nada, só estava me alongando, foi mal aí. -

Ao escutar a fala do marinheiro, virei imediatamente os olhos para as grades e suei frio, não era possível que eu seria descoberta sem nem tentar nada, o desespero simplesmente começou a tomar conta de meu corpo, enquanto as várias possibilidades começavam a se passar em minha cabeça juntamente do medo de perder aquela chance e a dor que me afligia. “Droga, droga, droga, droga, DROGA! E agora? Se ele achar que eu me machuquei pode ser que chame os médicos e vai ser complicado dar conta de mais de uma pessoa sem começar uma confusão.”

Começaria a rotacionar meu corpo sem sair do lençol já voltando para minha forma humana e direcionando meu rosto na direção das grades, onde aproveitaria do movimento para que ele não percebesse a transformação ocorrendo. “Ele provavelmente não vai entrar na cela sozinho para checar se estou ferida, é melhor dar uma desculpa para que ele vá em bora mesmo.” Removeria vagarosamente o lençol e o responderia com um sorriso abobalhado e a voz meio desconcertada, talvez até um pouco trêmula ainda pela dor que sentia em minhas mãos, como se eu fosse apenas uma garota comum, se é que isso era possível de se acreditar mesmo com mais uma de minhas performances teatrais impecáveis. - Erm… Eu tô naqueles dias, sabe? Tentei limpar o piso, mas só a água da pia não resolveu… Acho que você pode mandar alguém aqui para resolver isso enquanto eu estiver no interrogatório, não é? E teria como me trazer alguns absorventes? -

Contaria que essa resposta simples daria conta da situação, talvez ele insistisse em entrar para checar o que quer que estivesse acontecendo, se fosse esse o caso, estaria pronta para pular nele para dar conta e correr em direção ao outro que vigiava o portão no corredor do bloco de celas para o finalizar antes que chamasse qualquer outro. Mas esperando que tudo fosse resolvido ali, viraria novamente o corpo ao me cobrir e dizer de forma delicada. - Vou tentar cochilar um pouco, me acorde na hora do interrogatório. -

O Mordomo estava sentado na beliche de cima, onde tudo que via eram as pernas dele penduradas, mas ainda sim sua alta risada me perturbando durante a cena era evidente para logo em seguida comentar. - AAHAHAHAHAHA. Até que foi bem bolado, mas o que vai fazer se uma equipe vier te levar para o interrogatório e não só uma pessoa? - Eu olharia para o lençol me mantendo em silêncio por alguns segundos para tentar bolar algum plano me mantendo em minha forma completa desde o momento em que o guarda saísse para tentar acelerar a regeneração o máximo que conseguisse.

“Ele tem razão, se vier mais de uma pessoa, eles com certeza vão ter tempo de reagir e gritar, aí isso vai chegar no guarda do corredor que vai chamar outros, o que vai tornar a fuga impossível.” Olhava para minhas mãos quebradas. “Agora já era, no instante em que perceberem que consegui tirar as algemas dos pulsos provavelmente vão prender minhas pernas e colocar uma coleira ou algo assim.”

Me lembrava do estado de Yue e que também tinha que tirar Boujin dali, além de pegar minhas coisas. “Eu vou ter que sair com uma maca provavelmente, já que Yue acabou de fazer uma cirurgia, só nós três sairmos daqui vai ser impossível mesmo. Isso aqui vai ter que ser uma rebelião, vou ter que soltar todo mundo que conseguir dessas celas.” Com a ponta de minha cauda, coçaria a cabeça pensando no provável combate que aconteceria. “O cenário ideal seria onde uma pessoa viesse me escoltar para o interrogatório, aí eu teria que apagar a pessoa sem que o guarda percebesse, para só então partir para cima do guarda no corredor, qualquer pessoa a mais e tudo se complicaria.”

Depois de analisar a situação em que eu estava, mesmo sabendo que era o pior cenário possível, daria um sorriso e responderia o Mordomo em um tom confiante. - Eu vou contar com... - Após uma pausa dramática onde ele impacientemente perguntava empolgado. - Contar com…? - Eu finalizaria de forma firme e clara. - A sorte! - Onde ele dava um grito surpreso, suando por trás da cabeça e sem acreditar no que eu estava falando. - A SORTE? -

Então me manteria imóvel com espaçamento no lençol para apenas um olho ficar a mostra, aguardando para ver quem viria me buscar e quantos seriam já preparada para reagir. É claro que se o guarda que tinha me perguntado sobre o sangue tivesse entrado na cela para conferir o que estava acontecendo por não ter acreditado em minha fala, aguardaria sua aproximação para dar uma resposta apropriada sobre o ocorrido.

Objetivos:
 

Histórico:
 

Feitos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milabbh
Narrador
Narrador
Milabbh

Créditos : 36
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Data de inscrição : 13/04/2020

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptyQua 15 Jul 2020, 13:39




narração - escaping mean! run ria, run!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Reunindo todo o seu esforço para falar normalmente, Ria respondia suas vizinhas, que pareciam levemente desconfiadas ainda, contudo, o cansaço por não terem dormido durante a noite anterior era maior.

- Ãn?? Alongando? Ta ne, mas vê se para com essa porra ai! - Joan, disse ainda tentando olhar pelas grades, mas o ângulo não ajudava, com isso, voltou para sua cama.

- Hmph, tsc... - A vizinha de frente se mexia na cama já adormecida, aparentemente sua reclamação foi desnecessária, já que conseguiu dormir mesmo com as peripécias da Ruiva.

Achando que já estava fora de perigo, Ria abaixa a guarda e vira de costas para as grades de sua cela, é neste momento que um guarda a aborda, perguntando sobre o sangue no chão. Sua feição era irritada e severa, mas quando Fanalis diz que está menstruada, o guarda fica mais vermelho do que os fios de cabelo da ruiva. Ele olha para o lado e cobre o rosto com uma das mãos, claramente desconfortável com a conversa.

- AH SIM! Claro, claro, me desculpe senhorita, digo detenta! A... Ab... Absorventes?.... Err, ta, vou ver se consigo algum e chamo alguém para limpar.

Ele sai apressado, deixando Ria sozinha em sua cela. Sua atuação digna de Oscar afugentou o marinheiro, se havia algo que pudesse ser identificado na voz da pirata, o homem não percebeu, talvez fosse novato, ou apenas pouco experiente em assuntos femininos, de todo jeito, ela conseguiu um tempo para se regenerar, e foi isso que fez em sua forma completa, deitada na cama inferior enquanto ouvia a voz de seu mordomo fantasma. Ele tinha um ponto, provavelmente uma pirata daquele calibre não seria escoltada por apenas um homem até o interrogatório, sem contar a dificuldade que teria em sair de lá sem ser vista. Então uma ideia surge, como uma luz no fim do túnel, que poderia ser o farol do trem que passaria por cima dela, mas surge. Se ela libertasse as pessoas das celas, uma rebelião poderia ter início e ela aproveitaria essa chance para escapar. Mas como fazer isso?

Deitada em sua cama, Ria percebe que já são 6:45 AM, a hora do interrogatório se aproxima, e o guarda do sangue volta carregando absorventes, ainda envergonhado com a situação e diz.

- Err, aqui os seus... seus suprimentos detenta!  - Ele diz jogando alguns absorventes para dentro da cela e saindo apressado.

Agora era hora de pensar, ela esperaria sua escolta ou tentaria fugir de outra forma? A situação não era das melhores para nossa ruiva.

Histórico:
 

Imagens:
 

Considerações:
 

Off:
 

                                     

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptyQua 15 Jul 2020, 19:08

Prison Break! Part 4!


Por sorte eu tinha mais alguns minutos sozinha na cela e não era como se eu fosse ficar esse tempo todo sem fazer nada, ao menos ficava imaginando situações possíveis para o que estava prestes a ocorrer, até que algo me surgiu juntamente com um comentário do Mordomo. - Você sabe que eu não vou conseguir te ajudar, né? Me parece um peso grande demais para carregar sozinha, mesmo sendo você, não acha? - E realmente, ele tinha razão, de alguma forma, eu precisava de ajuda, mesmo que essa ajuda não quisesse necessariamente me ajudar.

“Essas piratas provavelmente agarrariam qualquer oportunidade de fuga… Mesmo no East Blue eu ouvi histórias sobre Impel Down e ir pra lá provavelmente é fim de jogo mesmo.” Me mantia relutante devido as minhas experiências anteriores com piratas, mas mesmo assim, não via outra alternativa. “Não gosto de trabalhar com piratas mesmo sendo uma, ainda me lembro do desgraçado do Savage que matou o pai de Yue e ele vai ter o dele… Mesmo assim, por enquanto acho que vou precisar de ajuda quando os guardas vierem até mim, mesmo que por alguns milissegundos pra conseguir alguma vantagem e nocautear os carcereiros antes mesmo desles perceberem o que aconteceu.“

Colocaria o relógio que tinha removido e me levantaria ainda em minha forma completa com cuidado para não me machucar ainda mais e a todo momento tentando aguentar a dor que sentia, não queria perder nem um segundo da regeneração que a fruta me proporciona, é claro que manteria o lençol envolvendo meu corpo ao deixar apenas a cabeça de fora por mais que não ficasse de frente para as grades nem por um momento para que não fosse vista. Também tomaria cuidado para que as algemas sobre a cama não fossem notadas colocando um travesseiro, outro lençol ou os absorventes por cima, onde voltaria imediatamente para a cama caso algum marinheiro fosse ter visão de minha cela, para só depois que ele passasse eu me dirigisse novamente até a pirata para continuar com minha conversa. Também tomaria cuidado para que não me vissem transformada, sendo que caso alguém estranhasse qualquer coisa, ainda envolta pelo lençol voltaria imediatamente para a forma humana.

Com isso, andaria até as grades de minha cela, encostada na parede da cela da garota que ficava ao meu lado e começaria a sussurrar tentando falar com ela de forma que não fosse audível para os guardas. - Ei, Dalecorte… - Onde continuaria a chamando até que ela viesse ao complementar quando eu fosse respondida falando baixinho. - Vem cá, quero falar com você uma coisa! - Quando a garota se aproximasse, continuaria a falar meu plano. - Você é uma pirata experiente, não quer acabar em Impel down, né? O que acha da gente sair daqui agora? -

Escutaria a garota e sabendo de sua provável resposta positiva, continuaria mesmo que ela não respondesse como eu esperava. - Olha, aquela sirene de agora a pouco com certeza quis dizer alguma coisa, provavelmente algo aconteceu na ilha ou no QG, acho que eles não estão com força total, talvez estejam em menor número mesmo que só um pouco... - Lamberia os lábios com minha grande língua de axolotl por estar empolgada e continuaria. - Imagino que só alguns soldados de baixa patente estão aqui no QG vão me levar já que acham que eu estou fraca por causa das algemas de kairouseki... - Continuaria falando ainda mais baixo, mas em uma altura que a mulher pudesse escutar. - Eu tirei elas... -

Então voltando a sussurrar na altura de antes, olhando para frente, mesmo que fosse para o vazio, quer dizer, para o Mordomo que se mantinha de braços cruzados observando, com um sorriso sádico por mais que estivesse na forma do animal abobalhado, finalizaria. - Sabe me dizer se os guardas andam com as chaves de todas as celas sempre? Ou com algum tipo de chave mestra? - Aguardaria ansiosa pela resposta e continuaria ainda mais animada. - Bem, vamos ver. -

Abaixaria levemente a cabeça ainda sorrindo e explicaria a ajuda que ia precisar. - Tá, escuta, se vier mais de um guarda, acha que pode fingir que está passando mal pra alguns deles irem te acudir? - Escutaria sua resposta antes de explicar melhor minhas intenções. - Preciso que faça isso no instante em que eles abrirem minha cela, eu vou ficar deitada e esperar que ao menos um deles entre, vai ser ai que vou nocautear ele, tentar pegar as chaves e jogar pra você, daí você se solta e me ajuda com os guardas e a libertar as outras, o que acha? -

No tempo que conversasse, sem que eu percebesse o Mordomo montou uma fogueirinha na cela e começou a ferver água, parecia que estava fazendo chá, eu só perceberia quando ele comentasse animado. - Acho que isso não vai dar certo, mas parece divertido de se ver. - Arregalaria os olhos surpresa com o que ele fazia. "Até que ser um fantasma parece ser conveniente." Mas logo em seguida franziria as sobrancelhas fofas de axolotl, ou ao menos a pele acima de meus olhos já que o animal não as possuía e o responderia já em um tom normal de voz e mantendo o semblante de uma pessoa animada. - Vai dar certo sim! - Então sussurraria mais uma vez para a pirata. - Isso vai ser em alguns minutos, conto com você! Assim que eu sair, dou um jeito de conseguir as chaves pra te libertar, vou precisar de você pra essa rebelião dar certo, sozinha não vai ter como. -

Eu sabia que as chances de uma aliança pirata darem errado eram absurdas, mas nesse caso me parecia algo simples, não era como se fosse ter muita margem para traição ali. Afinal, no instante em que a garota fosse solta, estaríamos ambas no mesmo barco, duas prisioneiras querendo fugir e lutar por nossa liberdade. Com tudo esclarecido, voltaria para minha cama e me deitaria esperando pelos guardas com apenas os olhos do lado de fora do lençol, onde voltaria para minha forma humana quando estivessem vindo ou caso algum marinheiro fosse passar já que não queria ser notada logo de cara com facilidade.

Objetivos:
 

Histórico:
 

Feitos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Milabbh
Narrador
Narrador
Milabbh

Créditos : 36
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Data de inscrição : 13/04/2020

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptyQua 15 Jul 2020, 20:37




narração - escaping mean! run ria, run!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Sozinha e sem saber o que fazer para se livrar do destino cruel que selou para si mesma, Ria pensava. O fantasma até se apiedava dela, pois sabia que não poderia ajudá-la. A ruiva pondera sobre pedir ajuda para sua vizinha de cela, com certeza ela gostaria de fugir também, mas será que seria confiável o suficiente? Suas experiências diziam que não, mas seu desespero era maior.

Cuidadosamente, ela se levanta e anda até a grade da cela, deixando as algemas para trás, na cama, cobertas por um travesseiro. Ao alcançar seu objetivo, ela encosta na parede e chama sua vizinha, que se aproxima e responde sua pergunta.

- Que foi agora porra?? Hmmm, fugir ne?! Parece bom, mas o que uma ratinha como você pode fazer??  - Perguntou dando uma risada sarcástica, mas ainda ouvindo Ria e prosseguiu. - É, a sirene nunca quer dizer boa coisa. Você tirou as algemas... Como?  - Ela perguntou parecendo interessada na conversa de Fanalis.

Ria continua conversando com Joan, olhando para seu mordomo que parecia estar achando tudo aquilo muito divertido. A vizinha por sua vez, parecia cada vez mais interessada na história da ruiva, se aquilo era bom? Só o tempo diria.

- Se carregam as chaves? Que pergunta burra, claro que sim, como acha que abririam sua jaula ai??  - Falou em tom irritado e impaciente, e continuou. - Esse seu plano parece meio estranho, quem te garante que vão acreditar em mim?

A ruiva parecia decidida, olhando para seu mordomo fantasma perdida em seus devaneios. Rapidamente ela desperta, com seu companheiro invisível de cela falando, talvez ele estivesse certo, ou não, quem liga para a opinião de quem já morreu não é?! Ria estava convencida de que daria certo, e era o que importava, ela então reafirmou sua vizinha sobre o que pretendia, e Joan apenas disse.

- Claro, pode contar comigo...  - Sorrindo maliciosamente ela se recolheu para a cama, aguardando o momento certo para agir.

Era de se imaginar que pessoas em situações precárias se uniriam em prol de um objetivo em comum, mas quando se tratava de piratas, tudo ficava um pouco mais complicado, ainda mais alguém como Joan Von Duarte Delacorte, com uma recompensa exorbitante e um histórico de fuga, que não sabemos como foi realizada. Ria pensava sobre enquanto esperava sua escolta, que chegou adiantada, inclusive. Dois homens vinham pelo corredor, Ria ouvia seus passos e rapidamente voltava para sua forma humana, os marinheiros estavam armados, os dois portavam armas de fogo, e um deles possuía também uma espada. Agora era tudo uma questão de tempo, segundos , mais precisamente.

Histórico:
 

Imagens:
 

Considerações:
 

Off:
 

                                     

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Escaping Mean! Run Ria, Run! 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! EmptyQui 16 Jul 2020, 00:02

Prison Break! Part 5!


Quando perguntada sobre as mãos, apenas sorri olhando por dentro do lençol para as mãos ao falar confiante. - Eu quebrei elas para que saíssem... - E sobre as chaves, concluiria retrucando a deselegância da pirata. - De repente eles vêm até aqui só com a chave que abre exclusivamente a minha cela, Senhora Inteligente. - Para então concluir respondendo sua última pergunta após uma revirada de olhos. - Vou confiar em seus talentos teatrais. - Não esperava muito dela, eu faria algo assim facilmente, mas até para um leigo deve ser fácil fingir que está com dor.

O momento estava chegando, era agora ou nunca, meu coração disparava de nervosismo enquanto os sentimentos subiam e meu sangue ficava a flor da pele. A cada passada dos guardas e enfiada de mão do Mordomo no saco de pipoca que ele tinha tirado sabe-se lá da onde, só pensava em duas palavras. “É agora… É agora… É agora...” Eu tinha esperado e me planejado, por mais que o plano fosse simplório, cheio de brechas, facilmente parável e…

Naquele instante eu percebia o que realmente estava prestes a acontecer. “E se eu não conseguir vencer o primeiro guarda antes mesmo que o segundo perceba? Minhas mãos estão quebradas, estou seriamente ferida e não tenho nem sequer uma arma comigo.” Olhava para cima pensando naquele curto espaço de tempo no que aconteceria. “O primeiro guarda daria um grito que avisaria o segundo, que provavelmente chamaria um terceiro e antes que eu me desse conta, teria que derrotar o QG inteiro para sair daquela cela, se transformando em uma situação absurda onde não teria tempo para libertar ninguém.”

A capitã tinha me mostrado claramente que ainda existiam pessoas muito mais fortes que eu e que me poderiam vencer facilmente em um combate mano a mano, então porque não levar suas lições dadas na base da porrada como preciosos ensinamentos? “Se a capitã estiver aqui, existir outra pessoa tão forte quanto ela, ou mesmo quase tão forte não teria o que fazer, em meu estado atual seria simplesmente impossível de reagir. Será que essa é mesmo a melhor hora para uma revolta? Eu nem sei se aquela sirene teve mesmo algum efeito na quantidade de guardas.”

“É isso, não tem porque tentar alguma maluquice ainda, digamos que dessa vez foi a marinha venceu a batalha, mas nessa guerra de futura fugitiva e carcereiros, eu é quem vou vencer! Ponto para vocês marinheiros.” Forçaria minhas mãos contra os buracos da algema tentando evitar a dor ao máximo já que provavelmente teria que empurrar com força e os ossos quebrados da mesma acabariam incomodando, por mais que doesse um pouco menos desde a hora que tinha quebrado elas.

A ideia era passar as mãos por completo, se não conseguisse, deixaria no máximo possível para disfarçar depois ao andar como se nada estivesse acontecendo, me levantaria mantendo meu longo e lindo cabelo ruivo pela frente de meu corpo, fazendo de uma forma que tentaria manter a cabeça levemente abaixada como se estivesse triste e deixando os fios rubros encobrindo minhas mãos com as algemas e os ferimentos que tinha causado a mim mesma. - Vamos indo então? - Diria meio baixo, como se estivesse desanimada com a vida, não queria demonstrar nenhum sentimento que lembrasse alguma determinação para fugir dali.

Provavelmente a pirata da cela ao lado agiria conforme o plano para distrair os marinheiros, de toda forma, averiguaria sua atuação apenas para referências futuras, ao menos perceberia se dava para confiar nela ou não e quando chegasse em frente a sua cela, ainda com o rosto levemente abaixado, olharia diretamente para seus olhos e afirmaria sorrindo. - Eu já volto, tá? - Concluiria dando uma piscadinha para a mulher esperando que ela entendesse o recado de que o plano inicial tinha dado ruim e voltaria a andar até a sala, prestando atenção em cada detalhe do caminho para possíveis rotas de fuga, sendo que cronometraria o tempo de locomoção de minha cela até cada uma das possíveis saídas. Ficaria de olho também se o volume de marinheiros no lugar ainda era o mesmo que antes da sirene ou se se mantinha igual e as coisas realmente não eram como eu imaginava.

O Mordomo que veria toda aquela cena onde eu não faria nada do que tinha comentado com a mulher se manteria na cela de braços cruzados e diria de forma tranquilo com um leve sorriso. - Acho que foi melhor assim, tenho certeza de que vai bolar algo melhor. Eu acredito nisso, vou te esperar aqui! - Então ele se sentaria também de pernas cruzadas e se manteria olhando para mim enquanto eu me afastasse.

No caminho, perguntaria preocupada por minha preciosa amiga já que não tinha tido notícias dela desde a cirurgia dos marinheiros. - E Yue? A loirinha que chegou comigo... Sabem me dizer se ela está bem? - Chegando na sala me sentaria, sempre tomando cuidado para ser discreta e não chamar atenção para minhas mãos por todo o trajeto desde a cela em que estava sendo mantida.

Objetivos:
 

Histórico:
 

Feitos:
 
[/color]

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty
MensagemAssunto: Re: Escaping Mean! Run Ria, Run!   Escaping Mean! Run Ria, Run! Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Escaping Mean! Run Ria, Run!
Voltar ao Topo 
Página 1 de 7Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Grand Line - Paradise (Paradaisu) :: Utopia-
Ir para: