One Piece RPG
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 XwqZD3u
One Piece RPG
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» All we had to do, was cross The Damn Line, Elise!
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor PepePepi Hoje à(s) 17:02

» [Mini-Mila] - Último Capitulo
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Ryoma Hoje à(s) 16:00

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Kyo Hoje à(s) 15:57

» Pandamonio, Vol 1 - Rumo à Grand Line!
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor AoYume Hoje à(s) 13:52

» A HORSE WITH NO NAME
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Axell Hoje à(s) 13:21

» União Flasco: Inicio do Sonho
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Dante Hoje à(s) 12:26

» Ficha nova
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 11:35

» Grandhao Scale
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 11:35

» Em Busca do Crédito Perdido
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor PepePepi Hoje à(s) 01:27

» Chapter II: EDEN - Drugs ♪♫♪
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Nolan Hoje à(s) 00:44

» I - Justiça: Um compromisso obstinado!
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Hammurabi Hoje à(s) 00:23

» M.E.P - Mini Mila
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Ryoma Hoje à(s) 00:04

» Vol 2 - The beginning of a pirate
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Arthur Infamus Ontem à(s) 23:38

» Uma promessa ao céu
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Bolin Ontem à(s) 23:27

» Ep 1: O médico e o marinheiro
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor TerryBogard Ontem à(s) 23:17

» M.E.P. - MINI AVENTURA HOKI - RECOMEÇO
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Hoki Ontem à(s) 23:00

» [MINI-HOKI] O Espadachim Negro
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Hoki Ontem à(s) 23:00

» Entrementes
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Oni Ontem à(s) 22:44

» Ato I - Antes da tempestade
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor Dante Ontem à(s) 21:15

» Virtudes do ódio, votos de sangue
As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Emptypor GM.Midnight Ontem à(s) 20:50



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 As Raízes do Vigilante Lucífugo

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 77
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : Fishman Island

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptyQua 08 Jul 2020, 12:21

Relembrando a primeira mensagem :

As Raízes do Vigilante Lucífugo

Aqui ocorrerá a aventura do(a) revolucionário Hisoka Kurayami. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Hisoka
Revolucionário
Revolucionário


Data de inscrição : 15/06/2017

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptySab 21 Nov 2020, 18:15



As Raízes do Vigilante Lucífugo

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Post 15


Que resistentes... Os olhos semicerrados de Hisoka refletiam os oponentes se reerguendo. Eles não haviam sido derrotados mesmo diante do forte impacto. Não pareciam ser meros seguranças, o que indicava certo brio na proteção daquela fábrica. Ao seu braço direito, um fio de sangue escorria; um corte superficial, que ele mal sentira, mas que ligava um alerta. Preciso ser mais rápido...

Notando a recomposição da dupla de inimigos, Hisoka decidiu dar um basta naquela peleja. Um dos homens já avançava com a arma em punhos, porém desequilibrado, fraqueza que o arqueólogo se apoiaria para evitar ser alvejado outra vez. Saltaria da árvore onde estava noutro mortal invertido, diminuindo a superfície de contato para dificultar a mira do atirador. Assim que seus pés tocassem o chão, um rápido movimento com o braço esquerdo, que cortou horizontalmente à frente de seu corpo, carregando Dark Hunter rente ao solo numa linha à vanguarda dos sentinelas. Buscou levantar uma nuvem de areia ao atingir o solo arenoso daquela forma, atrapalhando a visão dos oponentes com os grãos de sílica no mesmo momento que partiria para outro avanço, desta vez num arco em formato de lua crescente, diminuindo sua distância pelos flancos dos guardas.  – Tsumedoi no Tora! – Sua garganta vociferou ao cruzar os braços à frente do tronco, levando-os de encontro ao chão. Sua faixa, cuja extensão estaria firmemente agarrada aos seus dedos, estender-se-ia em forma de "x" contra a dupla, intentando talhar seus troncos ao meio.

BOOOOOM! – Qu!? – Um frêmito álgido arrefeceu seu estômago ao ouvir a explosão, que, de tão próxima, estremecera seu corpo. Se já tivesse derrotado os adversários com quem lidava, Hisoka não perderia tempo, imediatamente correndo de encontro à fábrica, em especial para o ponto onde ouvira o estrondo. Não titubearia se pudesse ajudar seus aliados de antemão, principalmente se fosse capaz de imobilizar algum adversário com suas faixas. Agiria já de longe, em seu alcance máximo, arremessando Dark Hunter contra o pescoço daquele que julgasse como um inimigo. – Desculpem a demora. – Proferiria ao chegar, apertando com veemência a atadura entre os dedos caso prendesse algo.


Técnica Utilizada:
 

Histórico:
 

Informações do Personagem:
 

Objetivos:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
Kekzy
Capitão
Capitão
Kekzy

Créditos : 83
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 06/11/2013
Idade : 22
Localização : Utopia - 7ª Rota

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptyDom 06 Dez 2020, 19:08


Narração


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Os dois guardas não eram suficientes para suportar a voracidade do Leão da Noite. Com seus rápidos movimentos acrobáticos, Hisoka surpreendia os ofensores, manejando habilmente a Dark Hunter contra seus corpos, agora dilacerados. O chicote voltava para seu dono com as lâminas cobertas por uma fina camada de sangue, trazendo ao chicoteador aquele familiar cheiro férreo. O que não lhe era familiar era a cena dos homens caídos à sua frente, quase sob seus pés. Quando havia ficado tão forte assim?

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Após derrotar seus inimigos com facilidade, ao escutar o barulho de uma grande explosão, Kurayami rapidamente correu em direção à frente da fábrica. Chegando lá, a primeira coisa que viu foi uma fumaça; não preta, não cinza e tampouco branca, como era habitual ver, mas vermelha. Essa cortina rubra se espalhava para os lados, envolvendo duas silhuetas escuras que podia-se ver no meio dela. Quem quer que estivesse ali levava os braços desesperadamente à boca, tossindo, cambaleando, até... desabar.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Em mais alguns passos, Hisoka conseguiu ângulo para olhar para o lado e ver uma figura familiar. Um chapéu que já havia visto antes, os cabelos pretos e selvagens, e uma barba a fazer idêntica a do homem que havia lhe prendido outrora. Este era Clay, o carrasco do Xerife Troy, o homem que resolvia os problemas quando o próprio Xerife não podia fazê-lo ou eles não eram tão dignos de sua atenção. Com seu fumo na boca, o cowboy olhava para os corpos de Yoasiwe e Suhirima, além dos outros dois guardas, os quais haviam sido pegos no fogo cruzado, mas que provavelmente já haviam sido abatidos pelos Guerreiros de Sahale.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]O que estava nas mãos do homem não era uma arma comum, mas sim uma espécie de lançador. Uma arma grande, com uma estrutura semelhante a um RPG ou um lança-granadas, a qual ainda estava apontada para a direção da explosão. Ao vê-lo naquela posição, o revolucionário relembrava das primeiras palavras que escutou do homem. "Não o deem ouvidos! Ele é um revolucionário perigoso que se faz passar por um pobre coitado... não a toa que ele possui uma recompensa de 42.000.000 de berries e é conhecido como o Doutrinador! Abram seus ouvidos e ele logo entrará em suas mentes!" - naquela ocasião, estavam do mesmo lado, pois a ingenuidade de Hisoka colocou em risco o tratado secreto entre caçadores e revolucionários, obrigando Clay a agir sagazmente para não permitir que rumores de um revolucionário entrando pela porta da frente da sede dos caçadores não começassem a correr.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Na última vez, Clay o prendeu no calabouço para soltá-lo logo depois, o que não aconteceu, visto que Kurayami aproveitou a oportunidade para investigar os caçadores e fugiu do local. Desde de então, as relações entre caçadores e revolucionários só se deteriorava. E, mais uma vez, as tensões estavam a ponto de explodir. O que ele estava fazendo ali? Não era difícil para Hisoka entender que os caçadores controlavam quase tudo em Cactus, inclusive fornecendo segurança para as atividades comerciais. Se um negócio era benéfico para a Matilha do Deserto, eles a protegeriam; e quanto mais importante fosse, mais esforço eles colocariam naquilo. Não era a toa que haviam usurpado o controle de Cactus. Eles tinham seus métodos; e Hisoka tinha o dele.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Eenfrentaria um dos homens de confiança do Xerife Troy Fox, sob o risco de acabar com qualquer possibilidade de reconciliação entre os revolucionários e os caçadores que permitiam estes ficarem na ilha em segredo? Ou seguiria estreitamente as ordens do Comandante Jared e continuaria do lado dos Sahale? Inclusive, há quanto não recebia uma notícia do Quartel General? A situação política sequer ainda era a mesma? Pois, ao que rememorava, as suas ordens eram de conquistar a confiança dos Sahale para se preparar para um possível confronto, uma medida preventiva, mas no dia que saiu em missão, as relações com os caçadores ainda não haviam ido por água abaixo. E seus novos companheiros? Poderiam ficar sob os efeitos daquela fumaça estranha e desconhecida por mais tempo? Como sabia, cabia a um líder tomar difíceis decisões. A questão era: qual das árduas decisões era a certa?




Mapa - Fábrica:
 






First Quest: Conquistando o interesse do Chefe Sahale Wahkan, o Búfalo Negro ✓
Second Quest: Conquistando a confiança dos Sahale [6/10]
Third Quest: Rumo aos Tesouros!

Hidden Quest: ??



Off


Considere que você chegou na cena e ainda não foi percebido, mas não está propriamente furtivo. Se ele te notou ou não, você não sabe, mas ele não olhou para você. Joguei uma série de questionamentos no último parágrafo para você ter ciência do que está em jogo!


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hisoka
Revolucionário
Revolucionário
Hisoka

Créditos : 17
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 15/06/2017

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptySeg 07 Dez 2020, 18:17



As Raízes do Vigilante Lucífugo

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Post 16


O cadáver dos sentinelas ruiu ao chão num baque surdo, sendo observados pelas frias íris cetrinas do historiador. Próximo as suas botas, gotejava o sangue viscoso das vítimas, oriundo das faixas enroladas em seus antebraços de veias a saltarem à pele. O tipo de cena que costumava lhe embrulhar o estômago meses atrás, hoje era quase como rotina, tão habitual quanto uma atividade qualquer do dia-a-dia, embora não pudesse diluir aquele duplo assassinato nem se assim quisesse; a explosão que o chamara a atenção ocorreu logo depois e, em questão de instantes, as retinas já fotografavam Clay, o carrasco do xerife de Cactus Island. Não pode ser... Deveria ter imaginado quando mencionaram o chapéu... O rosto apreensivo não escondia os questionamentos que invadiram sua mente ao ver aquele homem.

Como se já não bastasse as burocracias políticas, os aborígenes aparentavam estar em maus-lençóis. Pareciam ter sido intoxicados de alguma forma por aquela estranha fumaça rubra. Um mero sonífero, ou um poderoso veneno? Os olhos leigos não conseguiam decifrar, ainda que a lógica gritasse à cabeça para que não respirasse o que quer que fosse aquilo. – Nos encontramos novamente, Clay. – Num beco sem saída, Hisoka precisou tomar a iniciativa. Conseguir algumas respostas era o mínimo para ao menos pensar numa solução para aquele imbróglio. – Peço desculpas por fugir dos calabouços da mansão sem avisar... –  O revolucionário estava com o tronco vergado, de pulsos apoiados sobre o joelho direito, que estava elevado num escombro. Uma postura tranquila e descabida, como quem não temesse o caçador. – É que senti que não estava sendo bem tratado. Me lembrou as prisões da marinha, sabe... – Mostrou os dentes num sorriso com requintes de cinismo. Seus olhos, por outro lado, afiaram, semicerrados e atentos ao rosto de Clay na busca por alguma reação à frase dita. Esperava que ele entregasse alguma pista do acordo com os marinheiros, que até um mês atrás se encontrava sob mera suspeita.

Se nada conseguisse, teria de apertar a corda um pouco mais. – Acabei tomando uma bronca do meu superior. Disse que o tratado com os caçadores tinha de ficar o mais estável possível. Afinal, é benéfico para ambos, não? – Já ereto, sinalizou com o queixo, como se jogasse a ele a incumbência da resposta. Seus olhos, então, resvalaram nos companheiros Sahale. Não podia esquecê-los, e não somente no que tange à política. – O que carrega aí? Um veneno? – Apontou para seu lançador. Usou o mento outra vez. Queria deixar as mãos livres para um eventual saque rápido de suas ataduras. – Que baixo... – Responderia se ele confirmasse, negando com a cabeça com os lábios num bico de desaprovação. – Me dê o antídoto. Alguém como você certamente carrega um para si ou para os companheiros. – Diria, com a palma esquerda esticada. Seu tom ainda seria plácido, esmerado pelo gracejo da mordacidade; o que não se manteria caso recebesse um retruque negativo. – Hahahaha... Não foi um pedido, Clay. – O riso, de início ao fundo da garganta, se tornou mais grave, até reverberar, sendo seguido do comentário em clara entoação de ameaça, desta vez dito sob um semblante ríspido; sem mais risadinhas. Suas mãos, então, permeariam pelo bolo de faixas em seu pescoço, ciciando pelo áspero tecido da arma, desenrolando-a. A mão direita agarrava um naco, enquanto a esquerda graciosamente deixava Dark Hunter se derramar entre os dedos polegar, indicador e médio. – Não irei pedir de novo. – Intimaria. O maxilar rígido, enaltecendo os zigomáticos. Seria seu último aviso. Estava disposto a sacrificar quaisquer resquícios da aliança dos Revolucionários – se é que ainda existia – para resgatar seus companheiros Sahale e fortalecer seu laço com a tribo.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Histórico:
 

Informações do Personagem:
 

Objetivos:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kekzy
Capitão
Capitão
Kekzy

Créditos : 83
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 06/11/2013
Idade : 22
Localização : Utopia - 7ª Rota

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptySeg 07 Dez 2020, 19:34


Narração


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Vigilante, o revolucionário se aproximou. Lembrava do homem e não se dava o luxo de negligenciar a situação. Analítico e cuidadoso, buscava a melhor abordagem. Teve a sua resposta — Já faz algum tempo, revolucionário... - não chamou-lhe pelo nome e tampouco pela alcunha. Fumava tranquilamente o seu charuto, virando lentamente a cabeça para trás, na posição que Hisoka se encontrava, próximo ao seu flanco — Não gostou da comida? Soube que a culinária dos selvagens é boa - sua voz era tranquila, lenta como o círculo de fumaça que saia de sua boca. Revelados, ambos os olhos se cruzavam e mantinham-se ali, imóveis, deixando claro que nenhum dos dois estava intimidado.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]O Sub-Xerife, pois podíamos chamá-lo assim, era experiente e não deixava escapar tantas informações quanto Hisoka gostaria. Era um homem sério; um homem de negócios, compromissos e soluções. Antes de pegarem em suas armas, enfrentavam-se com palavras — Desculpas aceitas - o lançador caía de seus ombros e fica suspenso em sua mão, com o cano apontado para baixo, em sinal de não agressão — É claro. Vocês ganham proteção e nós o ocultamos. Mas e nós, o que ganhamos? Não declararem a ilha como uma base revolucionária? Isso não é uma face da mesma moeda? - abria um sorriso risonho, sem deixar o cachimbo, balançando a cabeça de forma negativa — Foi isso que o contaram?¹ - dava uma pausa — A pergunta é: o que não te contaram? - provocava — Não há razão para segredos entre nós. Não quer saber a verdade? - instigava, abrindo um dos braços.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]De soslaio, Clay olhava para o lado, para onde estava Yoasiwe e Suhirima — Isso? - alternava o olhar entre a fumaça e Kurayami — Não, apenas um sonífero. Um tranquilizante, sendo mais preciso. Como disse, não precisa existir segredos entre nós. E como deve saber, não há cura para a selvageria - se referia aos indígenas de forma pejorativa. Se estava falando a verdade ou não, era difícil dizer — Quanto aos meus companheiros... creio que estejam mortos. Eram caçadores de nosso clã. Como você pretende reparar isso? - apontava o dedo livre para Hisoka, erguendo-o em seguida, como quem silenciava qualquer resposta — Tenho uma proposta. O Xerife não precisa saber que um revolucionário matou nossos homens, em comungo com os selvagens... isso seria... desastroso. Deixemos a culpa cair sobre os culpados - mais uma vez, alternava o olhar entre Yoasiwe, Suhirima e Hisoka. Proposta feita, o Revolucionário tinha uma saída — Temos um acordo? - dava o que seria a sua última tragada daquele charuto, qualquer que fosse a resposta. E, sendo negativa, continuaria — É uma pena, mas esta arma feita por um hábil artesão meio-gigante ainda tem umas surpresinhas - levantaria-a rapidamente à altura do ombro, colocando Kurayami em sua mira.





¹ Isso é a informação que consta na História da ilha. Como o seu personagem é um revolucionário e Arqueólogo, pode supor que você sabe dessa informação. Vou deixar o trecho completo aqui sobre essa info:


Citação :
O conflito entre os dois clãs encerrou-se de maneira brutal: após a morte do grande xerife Walton Eagle, além da derrota de uma frota de marinheiros sob a jurisdição do comodoro Till Volkerball, os revolucionários ocuparam a ilha. Troy, que encontrou-se em um conflito contra sua rival Florita, derrotou a outra "pretendente" do cargo de regente, e firmou um trato com a Revolução: eles seriam permitidos de agir como queiram, contanto que não declarassem Cactus Island pertencente a eles.


Mapa - Fábrica:
 








First Quest: Conquistando o interesse do Chefe Sahale Wahkan, o Búfalo Negro ✓
Second Quest: Conquistando a confiança dos Sahale [6/10]
Third Quest: Rumo aos Tesouros!

Hidden Quest: ??


Off


Escolhas tortuosas!


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hisoka
Revolucionário
Revolucionário
Hisoka

Créditos : 17
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 15/06/2017

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptySeg 14 Dez 2020, 23:29



As Raízes do Vigilante Lucífugo

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Post 17


– O que ganham? – Retrucou de imediato, aborrecido. Lembrou-se da conversa que tivera com Suhirima, de seu semblante furibundo ao mencionar os "civilizados" e dos reincidentes problemas que eles causavam. – Desmatar as terras dos Sahale? Poluir seus rios? É isso que ganham!? – Esbravejou, de dentes rangidos, dando um firme passo à frente. – Quando irão parar!? Quando os arrancarem de suas casas!? Quando os matarem através da água contaminada!? – Não lhe entrava na cabeça como os Revolucionários responsáveis pela ilha não sabiam disso. Como os caçadores conseguiam fazer tudo isso por baixo dos panos? Que ardilosos!

O rosto cínico e entonação atrevida de Clay praticamente arrancaram a placidez de Hisoka, que somente pôde se tranquilizar e respirar fundo ao saber que a dupla de guerreiros não passava perigo. Segundo o carrasco, aquela névoa era apenas um tranquilizante, e ele provavelmente não mentiria em meio ao discurso diplomático. – Não os chame assim. Possuem nome. – Apertou o olhar, repugnando a maneira como o carrasco se referia aos Sahale. O mesmo olhar se manteve ao ouvir o relato dos caçadores assassinados. O historiador não parecia ter compadecimento com seu clã, tampouco tinha intenção de indenizá-lo. Ainda assim, ouviu com cautela a desastrosa proposta de Clay, a qual reagiu com um súbito riso atolado à garganta, em desdém. – Pf. – Tratou de revirar os olhos, soltando um ar amargurado e cheio de ojeriza entre os lábios, como quem já tivesse perdido a paciência. – Direi a minha proposta, Clay. Você e seu clã irão sumir daqui e deixar de serem um estorvo na vida dos Sahale. – Após encarar fervorosamente o sub-xerife, suas íris desviaram a Yoasiwe e Suhirima, mostrando-se pesarosas assim que vislumbraram o rosto desacordado da guerreira. [...] E por mim esse será o último. A voz da curandeira ecoou em sua mente. Hisoka tinha um dever ali, algo que ia além de sua relação com os Revolucionários. Era uma incumbência própria, germinada e desenvolvida em seu mês de estadia com os aborígenes. Pela primeira vez, não cumpriria uma missão dada por um superior do Exército; era uma missão dada por ele mesmo.

O tratado de paz, então, se reduziu ao seu corpo à mira do lançador inimigo. O que mais aquela arma fazia além de atirar um gás tranquilizante? Hisoka teria de testar para saber. – Uma pena. – De expressão sisuda e convicta, o professor disse suas últimas palavras antes de agarrar Dark Hunter com veemência. Os músculos rangeram, de nervuras a marcarem o bíceps, tamanha a força que segurava o látego, que, por sinal, também havia sido forjado por um ferreiro meio-gigante. Esperava o movimento do adversário. Queria que ele atirasse antes, o que quer que fosse atirar. Naquele instante, recordava-se de seu treinamento com Yoasiwe; a forma como precisava reagir ao som de suas argolas. Aqui, porém, teria de reagir a um fragor bem maior.

Ao sinal, seu corpo vibraria, deixando para trás uma mera figura ilusória. Soru. O véu cor de tição passearia pelo campo de batalha, atravessando os escombros da construção até enfim se perder nas árvores dos arredores. Com a movimentação, as folhas farfalhariam enquanto caíssem aos ramos, sempre buscando dificultar a mira do oponente que provavelmente sequer saberia para onde olhar. Até que, por fim, Hisoka se deslocaria para uma região obstruída pela névoa rubra, isto é, um local que o tranquilizante o ofuscasse ao ficar entre seu corpo e o do carrasco. Evidentemente, prenderia a respiração por alguns poucos segundos, suficiente para que lançasse seu ataque da surdina. – Tsumedoi no Tora! – O brado viria pouco depois das faixas irromperem a névoa num golpe cruzado, rasgando o ar em direção do peito do sub-xerife. O mesmo golpe que finalizara aquela dupla de caçadores pouco tempo atrás, agora seria usado para nocautear seu líder.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ao fim da arremetida, outro recuo, tão veloz quanto o primeiro. Usaria o terreno ao seu dispor, planejando sempre usufruir de sua acrobacia e furtividade para se manter de tocaia detrás dos troncos ou dentre as copas das árvores. – Argh... Argh... – Resfolegava durante o ínterim. Precisava ficar atento para não respirar quaisquer gases saídos daquele lançador. Não sabia quais outras arapucas ele escondia sob as mangas.


Tsumedoi no Tora:
 

Histórico:
 

Informações do Personagem:
 

Objetivos:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kekzy
Capitão
Capitão
Kekzy

Créditos : 83
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 06/11/2013
Idade : 22
Localização : Utopia - 7ª Rota

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptyQui 17 Dez 2020, 21:37


Narração


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]E o Leão da Noite rugiu ao cruzar a centelha vermelha. E o lançador nas mãos de Clay tremeu, tremeu e chacoalhou. Entre eles, a fumaça que saia do charuto do caçador tomou uma forma de caveira. Era o presságio que pairava sobre aquele luta. Dali, apenas um podia sobreviver, sob severas consequências para ambos os lados. As criações dos meio-gigantes cruzaram o ar, de formas diferentes. De um lado, a Dark Hunter sibilou em direção ao cowboy; de outro, um feixe vermelho cruzou o ar, em direção a Hisoka. Os dois ataques não podiam colidir, pois um era sólido, já o outro, não — Isso é a Revolução! - bradou Clay. Assim, ambos golpes chegaram aos seus alvos; e mais sangue manchou a terra sagrada.

[..]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Momentos atrás.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Paz. Ordem. Progresso. - respondeu Clay, agitando os ombros, como se aquecendo para o que estava por vir. Deu mais uma tragada em seu charuto, lançando mais uma leva de fumaça em círculos — Vejo que essa conversa será tão redonda quanto isso - disse, rígido, inclinando a cabeça e encarando Hisoka com um olhar mais severo. A sombra que seu chapéu fazia em seus olhos escuros, junto à sobrancelha grossa e a pele marcada por algumas rugas, apesar de estar pra lá de seus trinta, dava um ar soturno ao seu rosto — Nomes foram feitos pelos civilizados para os civilizados. Aqui, só uma coisa é necessária. Força. - disse, agitando sua arma, que começou a vibrar e a emitir um brilho amarelado, que transpôs para laranja.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Vendo a arma vibrar e brilhar, Hisoka presentiu que coisa boa não era. Exposto, o revolucionário imediatamente começou a correr, fazendo um arco ao redor do atirador, em direção à proteção conferida pela nuvem de fumaça vermelha - proteção essa apenas visual — Você não pode escapar! Se não por mim, outros te caçarão! - o arqueólogo escutou, enquanto prendia a respiração para ultrapassar a fumaça vermelha — Olhe para o céu! Não anoiteceu, mas já podemos ver a lua cheia! Talvez não seja sequer um de nós a te caçar! - exclamou, concomitantemente o chicoteador adentrava a névoa, passando por Yoasiwe e Suhirima — Que ótima noite para o Comandante Jared! Aposto que ele terá uma ótima refeição hoje após permitir, ou melhor, se omitir, que nós, caçadores, façamos o que quiser em nossa ilha! Isso é a Revolução! - exclamou, no ápice do momento final, com a fumaça rompendo e Kurayami surgindo.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]O que era para ser um golpe surpresa, não foi. Assim que deixou a proteção da fumaça, Hisoka viu que Clay sabia onde ele estava. O cano da arma, fervendo em vermelho de sobreaquecimento, estava apontada para ele. Porém, a Dark Hunter era rápida, bem como Hisoka, e quando o feixe luminoso cruzou o espaço entre eles, igualmente o fez a Dark Hunter. Depois de desferir o golpe, a visão do Professor foi tomada por um clarão deslumbrante. Sentiu sua pele arder; sua carne; seus ossos; era o seu corpo entrando em colapso. Do lado de fora, podia-se ver:

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]A energia atingiu o sentinela da noite com um tremendo impacto, explodindo a área ao redor e queimando toda a grama verde, criando uma área preta e chamuscada. Sentiu o gosto férreo em sua boca e o líquido escorrendo por sua boca. Havia sido um golpe forte; mais forte que qualquer um que já havia levado de Yoasiwe. De alguma forma, no entanto, estava apenas com os joelhos flexionados, agora com uma fumaça escura ao seu redor — Não adianta se esconder... Urff... Eu posso lhe ver - anunciou Clay, com a voz pausada, fora de sua vista encoberta pelo cinza — Droga... - escutava-o resmungar por alguma coisa, enquanto instintivamente, após machucado, recuava rapidamente para o limiar da floresta — Não adianta! - quase trôpego, Kurayami alcançou a proteção dos robustos troncos, sentindo projéteis sendo disparados durante sua fuga. Todos passaram especialmente perto, zumbindo perto de seus ouvidos. O atirador era perigoso e sabia manejar uma pistola.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Sob a proteção temporária, em uma breve olhadela que quase lhe custara a cabeça penetrada por um projétil, Hisoka pôde ver a arma de outrora, ainda superaquecida, jogada no chão, enquanto a roupa de Clay estava rasgada na altura do tronco, em forma de X, com bastante sangue escorrendo peito abaixo. Ele havia abandonado a grande arma e agora apontava para a floresta duas pistolas que havia retirado de seus coldres. Sstuck! Sstuck! Era o som dos tiros ao serem cravados na madeira. Ali, o revolucionário estava seguro, até o momento... pois Clay pegava uma garrafa de bebida do interior de sua jaqueta. O que ele ia fazer? — Você cometeu um erro. Entregue-se agora... ou... - levantou a garrafa, que podia ser reconhecida como um molotov. Queimaria a floresta que era tão preciosa para os Sahale?! Foi o que passou pela mente de Hisoka; mas Clay deu sua resposta — É como dizem. O deserto de Cactus é cruel; mas benevolente para quem se mantém, sempre... fiel - apontou a garrafa para os próprios Guerreiros Sahale, que já podiam ser vistos após o dispersar da fumaça vermelha (prossegue a preta, em local adjacente), em um momento que o coração do historiador palpitou, dando-o um boost de adrenalina, que sentiu arrepiar todo o seu corpo. Podia controlar aquele impulso; seu temperamento permitia isso, mas certamente seria de grande valia se resolvesse agir — E os homens do deserto vencem mais uma vez. Nunca deixe seus homens sozinhos no campo de batalha - escutou, como se fosse uma reprimenda.





Mapa - Fábrica:
 








First Quest: Conquistando o interesse do Chefe Sahale Wahkan, o Búfalo Negro ✓
Second Quest: Conquistando a confiança dos Sahale [6/10]
Third Quest: Rumo aos Tesouros!

Hidden Quest: ??


Off


Escolhas tortuosas!


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hisoka
Revolucionário
Revolucionário
Hisoka

Créditos : 17
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 15/06/2017

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptyTer 22 Dez 2020, 19:10



As Raízes do Vigilante Lucífugo

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Post 18


Ao passo que Dark Hunter vibrou ao ar, um intenso clarão obrigou Hisoka a premer os olhos, átimo antes de sentir um poderoso impacto contra seu corpo, que estremeceu sua cabeça. – AAAARGH! – Era como se tivesse abraçado o próprio sol. Seu peito por inteiro parecia em brasas. A respiração estava pesada. A boca, inundada em sangue, que extravasava ao canto dos lábios. – Urf... Urf... – Uma das pernas cedeu contra sua vontade, obrigando-o a apoiar o joelho ao chão. Não sentiu a relva, e sim uma terra abrasada, completamente consumida pelo fogo. Quanto poder... Pensou. Se tivesse sido acertado por aquilo há dois meses, certamente estaria morto agora. A resistência que ganhou no meio tempo que treinara com Yoasiwe havia sido imprescindível naquele instante. Aguentar todos aqueles golpes teve seu benesse afinal.

À julgar pela maneira como Clay arfava e rezingava, Hisoka pôde atinar que ele também havia sido acertado pelo seu ataque. No fim das contas, havia sido uma troca; olho por olho, dente por dente. Ainda assim, não esperou para confirmar. Tratou de mudar de posição o quanto antes, ao menos para conseguir resfolegar. Os disparos do sub-xerife zuniam à madeira das árvores as quais o historiador se esgueirava, porém sem atingi-lo. Mudou de arma? Questionou-se. Pelo barulho que os projéteis faziam e seus traços de destruição bem aquém de outrora, acreditava que ele não mais carregava aquele grande lançador. Foi quando decidiu dar uma olhadela; falhou na primeira tentativa, sentindo o vento e o calor da bala a raspar sua pele, mas, na segunda espiada, flagrou a arma principal do caçador no chão, além do próprio, completamente ensanguentado. Seu ataque havia o atingido em cheio. – Droga... Se eu tivesse dominado Haki... – Reclamou, de beiço frustrado. Talvez o tivesse derrotado se soubesse utilizar a cor do armamento à bel-prazer. Foi quando ouviu o fragor de chamas sendo acesas. Clay ergueu uma garrafa embebida com algum líquido inflamável, de ponta a queimar, uma típica molotov. – Sabe que consigo derrotá-lo e depois acabar com o incêndio na flores- NÃO! – O rosto, até então aprumado com um confiante tom de deboche, imediatamente esgazeou os olhos assim que percebeu as reais intenções de Clay. – Não ouse! – Seus dentes rangeram e as mãos firmaram em Dark Hunter com fervor. Por um momento, passaria um espírito intimidador, o mesmo que aprendera com seu mestre tempos trás. Queria fazer Clay titubear mesmo que por um breve segundo, segundo suficiente para que agisse.

Era uma armadilha, claro, e Hisoka sabia disso. Sabia, pois, ainda que estivesse colérico, mantinha sua frieza, sua placidez. A mente sempre disciplinada não se deixaria cair num truque tão barato, porém, também não podia ficar parado. Era um blefe, mas somente até certo ponto. Clay não deixaria de matá-los se sua vitória dependesse disso, todavia, não o faria enquanto não pudesse vê-la com clareza. Então o professor a mostraria, ou, ao menos, o faria pensar que poderia ganhar aquela peleja. – Não ouse, Clayyyy!!! – Se jogaria da árvore onde estivesse escondido junto ao brado, ficando à mostra, exatamente o que o sub-xerife queria. O Doutrinador estaria à mira do caçador, mas não se desesperaria. Assim que os pés tocassem o chão, sumiria. Seria o espírito do vento lhe guiando. Um avanço em zigue-zague; primeiro um dash à esquerda, depois um à direita, para que então, por fim, saltasse. E, praticamente como numa ironia poética, se poria contra a lua que brilhava à abóbada celeste, a mesma lua cheia que ele mencionara há pouco. A pelagem negra de sua túnica esvoaçava ao vento. Um alvo fácil. Talvez fosse, senão pelos braços já cruzados à frente do corpo, cujos dedos seguravam suas ataduras também a bailarem à dança das lufadas; e por falar em lufada, seria uma desta que soltaria contra o sub-xerife ao abrir os braços concomitantemente à vanguarda, na horizontal. – Todoroko no Shishi!!! – O Leão da Noite rugiria ao crepúsculo e à figura lunar, gerando, a partir de seu esturro, uma poderosa golfada afiada que avançaria afervoradamente contra o peito de Clay, batalhando contra os eventuais disparos que ele intentasse numa queda angulada propositalmente – e fisicamente, para que não atingisse os corpos desacordados de seus companheiros. Seria um bom momento pra... Esperava que, desta vez, ao contrário do golpe de outrora, sua faixa estivesse negra, brilhando em cor de carvão assim como os pelos do manto que carregava ao tronco. Seria o espírito da cor do armamento e o espírito do vento lado a lado, rumo à vitória.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Vencendo o oponente, ou não, assim que voltasse a aterrissar, Hisoka já trabalharia para manejar habilmente suas faixas num jogo com seus dedos e pulso. Tentaria agarrar o coquetel molotov com as bandas mais próximas e puxá-lo em sua direção, para que o tirasse das garras do sub-xerife.


Todoroko no Shishi:
 

Histórico:
 

Informações do Personagem:
 

Objetivos:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kekzy
Capitão
Capitão
Kekzy

Créditos : 83
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 06/11/2013
Idade : 22
Localização : Utopia - 7ª Rota

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptyQua 23 Dez 2020, 14:21


Narração


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]"Encurralado" - Clay abria um pequeno sorriso de gracejo, no canto de sua boca. Era assim que enxergava a situação de seu oponente. Preso em um beco sem saída, na qual a sua única opção era se entregar. Era experiente em usar a fraqueza do adversário, muito mais quando era emocional. Podia não ser um fora da lei, mas tinha a natureza de um carrasco. Era o pastor alemão do Canil, sempre vigilante, até tranquilo, mas pronto para mostrar suas presas e vencer. O desespero na voz de Kurayami reforçava isso. O que o caçador não havia considerado era que um animal encurralado não se entregava. Ele lutava. E seu inimigo não era apenas um revolucionário; e sim o Leão da Noite.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Em uma rápida decisão, Hisoka saiu das sombras. Em uma posição vantajosa, Clay não tinha o que temer. Estava com a moral no teto e com uma confiança sobressalente. Entretanto, até o momento, devido ao seu contato prévio com Kurayami, não o enxergava de outra forma que não o revolucionário ingênuo e inexperiente que havia batido na porta da frente de sua base. Sua opinião mudou em um breve momento. E foi quando os pés do chicoteador tocaram o solo. De cabeça erguida, os olhares dos combatentes se encontraram por um átimo de segundo, antes do arqueólogo sumir à sua frente. Clay, então, reconheceu que não estava diante de um inimigo qualquer. Não era medo, pois ainda tinha a vantagem ao seu favor; mas a sensação de cautela o tomou. Não podia vacilar, hesitar, senão o olhar que viu o devoraria. Ele conhecia aquele tipo de olhar. Entre os Cães da Matilha, alguns o possuíam. Inclusive... ele.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Entre seus rápidos dashs que faziam Hisoka sumir ao olhar, avançando contra seu oponente, ele notou um brilho. Um brilho debaixo da sombra de seu chapéu de cowboy, que lhe cobria parcialmente a face. Uma centelha amarela e um sorriso canino. E assim como Clay havia reconhecido Hisoka como um verdadeiro inimigo, podia-se dizer que o posto também era verdade, logo o frêmito subiu à espinha de Kurayami. Tal como o atirador, o revolucionário não tinha medo, mas eram seus sentidos lhe alertando. Era um problema maior do que parecia. E realmente maior, pois em instantes a fisionomia do cowboy crescia alguns bons centímetros, em altura e envergadura — Não adian- - fuoooosh! Em um rápido movimento, Clay desviou da ofensiva de Hisoka, deixando as lâminas enegrecidas de ar passarem, criando um sulco na terra e jogando água para os lados, como quando um veículo passa em alta velocidade na pista molhada, quando entraram no rio e se dissiparam.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Os rápidos instintos de Clay podiam lhe salvar a pele. Seu senso de alerta não o engava, pois ao ver e sentir as lâminas voadoras, naquela tonalidade, não teve opção que não desviar. Era como um xeque, mas não um mate, forçando o inimigo a realizar um movimento obrigatório. E perdendo tempo desviando, a iniciativa era de Kurayami. A Dark Hunter voou mais uma vez, enrolando-se no molotov e tirando-o forçosamente da mão do adversário. Mas não parava por aí. O Cão ainda tinha sua pistola e em um rápido saque, quando o coquetel estava no meio do caminho, fez jus à sua precisão. Bang! Os cacos estouraram e o fogo impregnou a última metade da Dark Hunter, também caindo no chão e consumindo a grama e se espalhando ligeiramente ao arredor.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]As chamas refletiam a raiva nos olhos de Clay, o qual contorcia o rosto como um cachorro que rosna. E, assim, seu nariz se transformava em um focinho; suas mãos, em unhas relativamente afiadas; e sua barba rala agora cobria toda a face — Bokushi no kari! - bradou, disparando uma saraivada de rápidos e contínuos tiros em direção ao revolucionário, com mais frequência e menos precisão. Seu corpo continuava a se transformar à medida que ele iniciava uma corrida em direção ao chicoteador. E, pulando muito acima da altura do fogo, em uma velocidade surpreendente, ele se transformava por completo em um grande cachorro, com as presas afiadas, de pele marrom com manchas pretas, e o peito vermelho de sangue, passando por entre - início - da Dark Hunter esticada em chamas, coberta por uma camada mais escura que o normal. Hisoka sabia o que era aquilo, que aflorava do sentimento de desespero que sentira, ainda que contido. As chamas consumiam tudo ao redor rapidamente e logo chegariam em seus companheiros! Suas emoções eram ainda mais fortes, pois o verdadeiro combate começava agora!





Mapa - Fábrica:
 








First Quest: Conquistando o interesse do Chefe Sahale Wahkan, o Búfalo Negro ✓
Second Quest: Conquistando a confiança dos Sahale [6/10]
Third Quest: Rumo aos Tesouros!

Hidden Quest: ??


Off


As últimas ações dele não foram completas, você pode narrar como faria para lidar com os tiros e o avanço dele!


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hisoka
Revolucionário
Revolucionário
Hisoka

Créditos : 17
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 15/06/2017

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptyDom 17 Jan 2021, 23:41



As Raízes do Vigilante Lucífugo

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Post 19


Foi por um breve instante, durante aquela singela troca de olhares antes de seu avanço, mas Hisoka notou. Notou que havia algo de diferente com seu adversário. Era quase como se ele tivesse adotado outra postura, como se exalasse outra aura. E ele não estava errado. Momentos depois das chamas começarem a tomar conta do centro do combate, Clay revelou sua carta na manga, sua transfiguração. O historiador franziu o cenho, pensativo. Já havia enfrentado alguns usuários das famosas frutas do diabo em sua trajetória até ali, mas um daquele tipo, era a primeira vez. Uma Zoan... São àquelas que permitem que seus portadores se transformem em animais. Mais força, mais resistência, mais velocidade... Seu inimigo estava em outro patamar naquele momento. Hisoka não podia errar.

O estrido das rosnadas logo foram dominados pelo brado dos projéteis que saíram às saraivadas da pistola do caçador. Os olhos do arqueólogo esgazearam de imediato, quase como se tivesse saindo de um estado de transe, e o corpo seguiu, com dois ágeis saltos à direita, em piruetas, para escapar da linha de tiro. Enquanto no ar, não perderia a vista do oponente sequer por um segundo. Lá vem... Pensou, observando Clay finalizar sua transformação e saltar sobre a parede de chamas. – Tsc! Que rápido. – Estava bem mais veloz que outrora, mas Hisoka sentia que ainda não era capaz de superá-lo, principalmente por conta do Soru. E assim ele agiria, recuando dez metros de imediato assim que os pés tocassem o solo com o auxílio do espírito do vento, na intenção de escapar das garras e presas do carrasco. Por cima do ombro do canídeo, porém, vislumbrou seus companheiros quase a serem consumidos pelas labaredas. Não podia resgatá-los com suas faixas, porque estavam banhadas de fogo, e também não podia simplesmente ignorar Clay a sua frente e retirá-los de lá com suas próprias mãos. Estava encurralado. Precisava finalizar aquele combate o mais rápido possível.

– O cão do deserto... Agora vejo o porquê lhe chamam assim. – Apertou os olhos, fitando-o; e não tardou a tomar as rédeas ofensivamente. Puxou Dark Hunter ao seu encontro, mantendo a região inflamada distante, imediatamente lançando as pontas abrasadas contra o rosto de Clay. Seu objetivo, porém, não era cortá-lo, era controlá-lo. Tentaria enlaçar as ataduras em seu focinho, próximo à base do nariz, onde há menor poder de abertura da mandíbula¹. De quebra, talvez o queimasse, aproveitando do fogo que cobria sua arma de antemão. Imaginando uma esquiva, e intentando prevê-la, bobinaria Dark Hunter em outro alvo, suas patas dianteiras, para que o tirasse o equilíbrio. Então, assim que o tivesse sob seu controle, giraria as faixas com um movimento efetuado com os dedos em sua lateral, e a puxaria com ambos os braços cruzados, para que dilacerasse a carne de Clay com seu gume. Hisoka sabia que pouco provavelmente o ganharia num confronto direto, de força contra força; precisava minar suas energias primeiro, pouco a pouco, para então finalizá-lo de uma única vez.



¹ Tendo em vista o conhecimento de Hisoka em anatomia humana, que lhe garante saber que a mandíbula de mamíferos é formada por um único osso (dentário) e um processo coronoide na base, que culmina em maior força da mordida na região dos dentes, e não da ponta (para mastigação), busquei fazer esse paralelo com a anatomia do canídeo.

OFF – Desculpa a demora... Devo dizer que... Uma toupeira asiática invadiu minha casa e rompeu meus fios de internet... Por isso o sumiço... Perdão...


Histórico:
 

Informações do Personagem:
 

Objetivos:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kekzy
Capitão
Capitão
Kekzy

Créditos : 83
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 06/11/2013
Idade : 22
Localização : Utopia - 7ª Rota

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptyQua 20 Jan 2021, 16:05


Narração


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Com ágeis acrobacias, Hisoka conseguia esquivar da saraivada de tiros de seu oponente, mas ainda não estava fora de perigo. O rápido avanço canino surpreendia, forçando Hisoka a recuar ainda mais. A iniciativa era do oponente e ele não pretendia deixar ela escapar de suas mãos; e o revolucionário não pretendia deixá-la com ele, principalmente após vislumbrar os seus novos companheiros em uma situação de risco. Se permitisse ser pressionado, o tempo logo se alastraria e as chamas alcançariam eles. Sabia disso; e Clay também.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Determinado a contra-atacar, a primeira aposta do chicoteador foi utilizar as chamas que revestiam a Dark Hunter. Com o brilho do fogo exclamando a ameaça que refletia em seus olhos, o caçador de recompensas imediatamente recuou, manobrando em um freio súbito, seguido de um giro, que o colocava novamente no impulso em direção à sua presa. Essa era a melhor resposta que conseguira encontrar, mantendo a vantagem da pressão exercida sobre o rebelde. Kurayami, no entanto, tinha uma resposta, prevendo que sua primeira ofensiva seria esquivada. O látex se contorceu sabiamente em direção às pernas traseiras do oponente, entrelaçando-se nelas e limitando seus movimentos.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Kurayami, no entanto, tinha uma resposta, prevendo que sua primeira ofensiva seria esquivada. O látex se contorceu sabiamente em direção às pernas traseiras do oponente, entrelaçando-se nelas e limitando seus movimentos. Clay imediatamente sofreu um solavanco, sentindo-se debilitado e soltando um grunhido de dor pelas queimaduras que sofria - era o feitiço virando contra o feiticeiro, mas isso era longe do suficiente. A forma completa de sua Zoan havia sido contida pelo chicote inimigo, e sem perder tempo ele se transformou novamente. As pernas cresceram, bem como o tronco e os braços, preservado o focinho alongado, os dentes afiados, as garras e o olhar selvagem, com a roupa quadriculada mais apertada.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Transmutado, Clay agarrava o chicote, sentindo a lâmina cortar suas mãos — Eu não sou o Cão do Deserto - era verdade, este era o seu chefe, Troy Fox, que Hisoka conhecia superficialmente. O homem que estava diante dele, apesar de também ser um cão, era conhecido de outra forma — Me chamam de O Pastor - e com suas mão grossas e peludas, ele puxava com bastante ímpeto o chicote, forçando o seu portador a se aproximar cada vez mais. A força do revolucionário ficava para trás da de Clay; não era o suficiente para trazê-lo voando em sua direção, mas arrastava-o de forma trôpega — Porque sou eu que ordenho as ovelhas rebeldes! - exclamou, abrindo um sorriso que se misturava com a ameaça de cravar os seus dentes afiados na carne do arqueólogo. Este acabaria no meio de sua boca ou estaria desarmado - este era o pensamento do obstinado caçador!





Mapa - Fábrica:
 








First Quest: Conquistando o interesse do Chefe Sahale Wahkan, o Búfalo Negro ✓
Second Quest: Conquistando a confiança dos Sahale [6/10]
Third Quest: Rumo aos Tesouros!

Hidden Quest: ??


Off



____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hisoka
Revolucionário
Revolucionário
Hisoka

Créditos : 17
Warn : As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 15/06/2017

As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 EmptyTer 23 Fev 2021, 20:49



As Raízes do Vigilante Lucífugo

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Post 20


Colocado contra a parede, Hisoka se via numa situação apertada. Seu adversário, além de forte fisicamente, também era ardiloso. Sabia que tinha a vantagem do combate em suas mãos, tendo em vista a ameaça das chamas para com os Sahale. – O Pastor... – Repetiu, de expressão cingida, como quem estivesse resistindo a algo com todas as suas forças; e de fato estava. Apesar de usar todo seu corpo para manter Dark Hunter em sua posse, Clay não parecia ter dificuldades de puxá-lo junto à arma somente com seus braços. Quanta força... Este era o poder de uma Zoan.

Tinha pouco tempo para tomar uma decisão. A cada segundo que passava, estava mais próximo de Clay, que já demonstrava querer essa aproximação para um ataque com sua mandíbula. Estando em apuros, talvez seu oponente imaginasse que o arqueólogo fosse largar a arma, já que num duelo de força estaria em clara desvantagem. Porém, Hisoka também sabia ser ardiloso e usar de seu conhecimento ao seu favor. Então é isso que você quer...? Assim, quando Clay estivesse pronto para puxá-lo com toda sua força e agarrá-lo com seus dentes afiados, o Revolucionário deixaria de se impor. Permitiria que fosse levado pelo chicote, provavelmente sendo erguido do chão dada a inércia do movimento, e, usufruindo da própria inércia aliada à força potencial elástica da faixa, o historiador faria sua armadilha, mantendo a mente plácida para agir no momento exato. Pois é isso que darei!

Então, quando estivesse prestes a ser mordido pelo Pastor, Hisoka rodopiaria no ar, acrobaticamente, levando seu corpo por cima da cabeça do homem-cão, começando por um giro dos pés que seguiria por toda a coluna, aproveitando da força elástica gerada¹. Assim que ultrapassasse seu adversário acima de sua cabeça, voltaria a fazer força com ambos os braços, desta vez para puxar a faixa junto a si, que enovelaria ao redor do pescoço de Clay. Então, quando os pés tocassem o chão mais um vez, outro giro, desta vez em torno do próprio eixo, e um último puxão das faixas com ambas as mãos cruzando à frente do tronco, para que não somente rasgasse a garganta do inimigo, como também a queimasse com os restos das labaredas que ainda a banhassem.

– Desista, Clay! – Tornaria a bobinar Dark Hunter de volta às suas clavículas, virando-se de frente para Clay, para que o pudesse ter à vista. Além de forte e ágil, era resistente, não podia se dar o luxo de ter a certeza que já o tivesse derrotado. – Deixe os Sahale em paz! Eles já estão cansados de terem suas vidas perturbadas. Vocês não têm o direito! – Havia compaixão em suas palavras, apesar do tom ríspido. Tinha comprado completamente a batalha dos aborígines para si.


¹ Utilização das perícias Física e Acrobacia, assim como a vantagem Temperamento Calmo.


Histórico:
 

Informações do Personagem:
 

Objetivos:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: As Raízes do Vigilante Lucífugo   As Raízes do Vigilante Lucífugo - Página 4 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
As Raízes do Vigilante Lucífugo
Voltar ao Topo 
Página 4 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Grand Line - Paradise (Paradaisu) :: Cactus Island-
Ir para: