One Piece RPG
What do You do For Money Honey XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Una Regazza Chiamata Pericolo
What do You do For Money Honey Emptypor Muffatu Hoje à(s) 16:06

» 1º Cap: O começo de uma grande aventura
What do You do For Money Honey Emptypor Muffatu Hoje à(s) 15:20

» Unidos por um propósito maior
What do You do For Money Honey Emptypor Muffatu Hoje à(s) 15:10

» Busca Implacável
What do You do For Money Honey Emptypor Gyatho Hoje à(s) 14:08

» [MEP - Kuroper]
What do You do For Money Honey Emptypor Kuroper Hoje à(s) 12:16

» [Mini-Kuroper] Começo da Jornada
What do You do For Money Honey Emptypor Kuroper Hoje à(s) 12:12

» Mini - Themis
What do You do For Money Honey Emptypor Themis Hoje à(s) 11:29

» Vamos nos aventurar! Anjinhas me aguardem...
What do You do For Money Honey Emptypor Pippos Hoje à(s) 10:52

» The Claw
What do You do For Money Honey Emptypor Achiles Hoje à(s) 9:31

» Gregory Ross
What do You do For Money Honey Emptypor GM.Noskire Hoje à(s) 8:43

» Xeque - Mate - Parte 1
What do You do For Money Honey Emptypor Jacob Allan Hoje à(s) 4:19

» [LB] O Florescer de Utopia III
What do You do For Money Honey Emptypor GM.Noskire Hoje à(s) 1:06

» Hello darkness my old friend...
What do You do For Money Honey Emptypor Alek Hoje à(s) 1:03

» Rumo à Grand Line?
What do You do For Money Honey Emptypor Takamoto Lisandro Hoje à(s) 1:02

» The Victory Promise
What do You do For Money Honey Emptypor Akise Hoje à(s) 0:00

» VI - Seek & Destroy
What do You do For Money Honey Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 22:56

» What do You do For Money Honey
What do You do For Money Honey Emptypor Lancelot Ontem à(s) 21:46

» O início da pesquisa.
What do You do For Money Honey Emptypor BlackHole99 Ontem à(s) 20:18

» Island End! Goodbye Utopia!
What do You do For Money Honey Emptypor Wander Ontem à(s) 16:49

» III ~ Uma Loira na Ilha das Aranhas?
What do You do For Money Honey Emptypor Noelle Ontem à(s) 16:40



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 What do You do For Money Honey

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 53
Warn : What do You do For Money Honey 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptySeg 15 Jun - 18:45

What do You do For Money Honey

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) civis Bellamy Navarro & Proteus Matchinglines. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Greny
Civil
Civil
Greny

Créditos : Zero
Warn : What do You do For Money Honey 10010
Masculino Data de inscrição : 31/08/2012
Idade : 20
Localização : No seu coração

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptyQui 18 Jun - 2:53






[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


O começar de um novo dia


Podia ser só mais um acordar comum, como qualquer outro que eu já tive ao longo desses 21 anos de vida. Mas não foi o caso. Eu acordei com os nervos à flor da pele, sentindo como se um terremoto estivesse abalando meu quarto. Mas quem estava tremendo era eu. Suava como se estivesse em uma sauna, meu coração parecia acelerado, não sabia que diabos estava ocorrendo. Tinha apenas uma certeza: - EUPRECISODEUMCIGARRO - esbravejei assim mesmo, como um tiro.

Após isso, me arremessei para fora da cama com um salto e comecei a vasculhar minhas coisas, e assim continuaria até achar meu maço de cigarros e alguma de minhas caixas de fósforos. Já iria no bolso de minha bermuda, guardada no armário da pousada.  Com meu estado emocional e físico, abriria a porta igual um troglodita e afastaria grosseiramente o que estivesse na frente da peça de roupa, pegando o maço em minhas mãos e colocando logo três cigarros em minha boca ao mesmo tempo, mesmo que com relativa dificuldade. Riscaria o fósforo e os acenderia simultaneamente. Após isso, balançaria o fósforo, visando apagá-lo e me sentaria de forma completamente largada, encostado na parede, com ambos os meus braços soltos ao lado de meu corpo. Daria tragadas ofegantes no trio entre meus lábios, que gradativamente se tornariam mais vagarosas a medida que a nicotina entrasse em meu organismo e eu começasse a me acalmar. Após isso acontecer, daria uma vagarosa piscada e começaria a encarar o teto, me perguntando - ”Que porra foi essa, Bellamy?...” - quando eu mesmo respondi a pergunta, mais como uma dúvida do que uma certeza - Eu estava… começando a ter uma crise de abstinência?

Não entendia como poderia ser possível, afinal eu havia chegado em Lvneel no dia anterior, fumado um cigarro e ido dormir, certo? ”Não...” - só então perceberia a camisa vermelha a qual estava vestindo - ”Não foi isso...” - então minha mente começaria a me esclarecer os ocorridos. Começaria como uma fumaça em meus pensamentos, que ironicamente iria se desocultando a medida que outra fumaça entrava em meu corpo. Seguiria com minhas tragadas fortes e pesadas, enquanto as lembranças regressariam.

Alguns segundos e “pimba”. Tudo estaria voltando ao seu lugar. Lembraria de ter sido teletransportado para a ilha de Lessmeaning. ”Achei que tivesse sido tudo um sonho...” - e pelo visto não, não havia sido. Eu havia ficado um bom tempo sem fumar. Não me lembrava de já ter ficado tanto, mas não tinha dúvidas que não seria algo que eu não voltaria a praticar.

O resto das lembranças continuariam voltando. Lembraria da carne, da cerveja, do churrasco, da piscina, da picanha -ok, admito que a fome começaria a aparecer, da rinha de gigantes, do frango, do concurso de comilança, quando eu fiz amizade com Groomer, o gigante… ”Rapaz, eu realmente faço todo tipo de amizade quando estou bêbado...” - e por fim me lembraria do que talvez fosse mais proveitoso em tudo aquilo, desconsiderando meu óculos de sol, claro… - O sereio… Como ele se chamava mesmo…?- faria um esforço para lembrar  - ”Acho que era Mateus… não não não...” - balançaria a cabeça negativamente. Então, viria um insight - Proteus! - exclamaria, feliz, pela lembrança. Mas, logo em sequência, começaria a lamentar por não ter marcado um ponto de encontro com ele.

Logo então, soltaria um suspiro repleto de fumaça, me conformando e dizendo - “A gente ainda deve se encontrar… Mais cedo ou mais tarde… - e olharia para o teto com um sorriso. Ele só sumiria de meus lábios após eu finalmente ter todas as lembranças do final de semana, quando me questionaria - Eu realmente ganhei uma competição de mergulho contra um peixe…? - um pouco desacreditado, com a sobrancelha curvada. Após alguns instantes, voltaria a saborear os resquícios da sensação de minha vitória, cumprimentando a mim mesmo com um - Toca aqui! - e o sorriso voltando ao rosto.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Esperaria pela fome apertar ou os cigarros acabarem, então os apagaria e jogaria as bitucas e mais o que tivesse sobrado deles na lixeira do quarto. Lavaria bem minhas mãos com sabão xô covid, as secaria e pegaria as cartas de Amélia. Ainda com as roupas que havia voltado do Calm Belt, iria até o salão da Fairy Tale e perguntaria suas opções de café da manhã para a recepcionista. Como meu estômago deveria estar alterado por conta do tempo nicotina em meu organismo e, consequentemente, eu estaria com uma fome desproporcional, pediria - Bom dia, me vê dois omeletes de queijo, dois mistos quentes e uma caneca grande de café com leite, por favor. E bota na conta do quarto, acerto antes de ir embora  - sendo que este pedido seria alterado, caso eu julgasse ser muita ou pouca coisa, e o ajustaria para algo mais coerente para saciar minha fome. Antes de procurar uma mesa para sentar, faria como última pergunta - Vem cá, há quanto tempo eu tô aqui mesmo? - apenas para me certificar de quanto havia passado desde que fui enviado até Lessmeaning.

Sentaria em uma mesa que estivesse vazia, e começaria a ler as cartas, enquanto esperava meu café da manhã. Caso não houvesse mesa vazia, iria até a mesa com menos gente e perguntaria - Com licença, posso me sentar? - e esperaria uma resposta positiva, indo de mesa em mesa fazendo a mesma pergunta até alguém deixar ou acabarem as mesas e eu desistir, esperando meu pedido e indo comer em meu quarto. Responderia a todas as respostas, fossem positivas ou negativas, com um singelo - Gracias. -  

Objetivos & Legendas:
 
Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Falas (#ff6633) | Pensamento (#993300)

Objetivos:
 

R.I.P:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gaiden
Civil
Civil
Gaiden

Créditos : 6
Warn : What do You do For Money Honey 4010
Masculino Data de inscrição : 04/05/2012
Idade : 24
Localização : Micqueoto - Northo Blueo

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptySex 19 Jun - 23:04


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Let's Start Investing...



Ali eu me encontrava, no fundo do mar. Tocando o solo arenoso das zonas mais profundas das praias de Lvneel, naquele local finalmente me recordava do que era realmente ser um sireno, entretanto ~ Como vim parar aqui? ~ Refletia, em uma excitação de curiosidade. Sabia que estava ali antes de ir para Lessmeaning, mas não sabia como retornara ~ Que peculiar ~ Retocava em pensamento, me lembrando do que ocorrera no churrasco que se sucedera.

Já que estava ao mar, e mais especificamente numa praia, aproveitaria a oportunidade para buscar uma concha, a maior que achasse, deveriam existir ermitões grandes na área, mas caso não tivesse a sorte de encontrar nenhuma, seguiria meu caminho ~ Onde será que se encontra Bellamy? Será que voltou? ~ Questionava a mim mesmo, em um devaneio breve. Saindo do mar e indo à areia, observaria os arredores, raciocinando sobre as possibilidades. Meu próximo passo seria aprender oratória com alguém na cidade, posteriormente encontrar Gimenez e depois de tudo, constituir a empresa.

- Bem, lá vamos nós, mais uma viagem para a fama civil, o que será que o mundo me reserva? - Murmurava em um pensamento de voz ativa, enquanto rapidamente vislumbrava toda a minha história, como em um flashback de luz, ou pelo menos... na velocidade dela. Colocando meus óculos escuros, rumava ao meu destino.


________________________________________________________________________

Atributos, Vantagens e Desvantagens, perícias:
 

Histórico Aventuresco:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 134
Warn : What do You do For Money Honey 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptySeg 22 Jun - 3:13


Narração
Sensação térmica: Agradável
Localização: Lvneel Kingdom - North Blue
Manhã


Bellamy
O coitado do Bellamy voltava mais louco do que o Batman atrás de um cigarro. Após uma cena que a grande maioria das pessoas consideraria triste, o jovem conseguiu se acalmar e percebeu que o que imaginava ser um sonho realmente aconteceu. Só assim para explicar essa falta repentina de nicotina em seu corpo.

Aos poucos as memórias voltavam e lembrava em particular de um sireno que havia conversado bastante naquela ilha paradisíaca. Comemorava que havia vencido o homem numa competição de mergulho... ou seja, aquele sireno poderia desistir da própria vida, perder para um fumante numa competição de mergulho era provavelmente a coisa mais ridícula possível para alguém que consegue respirar embaixo d'água.

Após parabenizar sua própria pessoa, Bellamy desceu as escadas e foi pedir pelo café da manhã. Percebeu que não era Mirajane que estava lá e sim um velhote baixinho que só indicou para ele que poderia se sentir a vontade que logo estaria servido. Mas como o café da manhã não era a única coisa que ele queria, o baixinho precisava responder. - Três dias. - Ele olhava desconfiado para Gimenez. O que será que aquele homem estava fazendo no quarto para ter que fazer uma pergunta dessas? Independente disso, Navarro percebeu que não havia passado nenhum dia sequer entre o último dia em Lvneel e o dia atual, sendo que havia ficado mais de dois dias na ilha paradisíaca.

Como a maioria das mesas estavam vazias, era bem fácil para Bellamy pegar uma e começar a ler as cartas.

Clã Drop Money, XX de XXXX de XXX duas semanas atrás

Olá,

Meu nome é Amélia, e estou desesperada atrás de ajuda. Moro em Lvneel Kingdom, numa região específica da ilha, o Lago Balka. Vivia em função da venda de peixes. Mas já tem um tempo que alguns piratas vem aqui e roubam toda a região. Os guardas reais foram subornados por eles e por isso não fazem nada contra eles. Eu não sei se eles tem alguma recompensa pela cabeça deles, mas eu prometo pagar alguma compensação se vocês cuidarem deles.

Att,
Amélia


Nada muito impactante naquela primeira carta, apesar de possuir algumas informações importantes.

Clã Drop Money, XX+5 de XXXX de XXX nove dias atrás

Olá novamente,

É Amélia mais uma vez. Eu sei que vocês receberam a minha primeira carta e que ela não motivou caçadores a virem me ajudar, porém eu só posso contar com a ajuda de vocês. Meu amigo uma vez me contou que vocês são bastante festeiros, prometo bancar diversos banquetes se me ajudarem. Além disso, eu descobri a recompensa do pirata. Ele se chama Leonard Levísson, possuí uma recompensa de oito milhões de berries, o cartaz está junto da carta.

Eu estou desesperada e percebi que os guardas continuam comprados, preciso de ajuda urgente ou não sei o que pode acontecer comigo e com vários outros pescadores.

Att,
Amélia


Poucas informações de novo, mas percebia que aquele clã de caçadores parecia bem pior que o que conhecera, eles não pareciam realmente dispostos a ajudar a pobre mulher.

Clã Drop Money, XX+10 de XXXX de XXX quatro dias atrás

Olá,

Aqui é Amélia mais uma vez, precisei pedir uma máquina de escrever dessa vez porque estou com a minha mão boa machucada. O pirata atacou e roubou diversos pescadores. Ele quase matou todo mundo, eu fiquei viva por pouco. Eu sei que oito milhões de berries é pouco para vocês virem para outra ilha fazer algo. Mas descobri que aquela recompensa era a antiga. Não tenho o cartaz novo, mas ele esta valendo doze milhões de berries agora.

Como ele machucou civis o rei agora ficou sabendo do caso e pediu para resolverem da forma mais rápida possível, mas como eu falei, os guardas da região foram subornados, eu tenho medo do que pode acontecer por aqui. Por favor, venham ajudar.

Att,
Amélia

Com a leitura da última carta Bellamy viu seu café da manhã chegando e era mais que o suficiente para matar a fome dele.



Proteus
Era difícil explicar porque um homem que vivia no mar tinha uma fixação tão forte com algo tão simples quanto uma concha. E era óbvio que ele acharia tal objeto na praia. Pegou uma concha e saiu do mar todo ensopado obviamente. Começou a andar naquela manhã ensolarada ensopado pela cidade.

Obviamente o povo o evitava, era impossível aquele homem todo ensopado não chamar a atenção na rua numa hora tão cedo quanto aquela. Por ser tão cedo, ele simplesmente andava aleatoriamente na cidade, era difícil entender o que Proteus queria, alguém discursando na rua aquela hora da manhã? O sireno ia andando aleatoriamente por aquelas terras até acabar em uma praça realmente cheia. Todos pareciam estar lá por algum motivo, e essa causa foi rapidamente descoberta.

Uma guilhotina estava preparada, com um homem já pronto para morrer, e havia dois homens na fila para serem executados. Proteus percebia que uma mulher havia gritado alguma coisa e tentava impedir aquilo, mas era facilmente parada pelos guardas. O local era perto do palácio.

O sireno começava a ouvir as acusações do carrasco. - Pelo crime de invasão do castelo e tentativa de assassinato de diversos civis na região do lago Balka, esses três homens que recusam a se identificar serão executados. - Percebeu que apesar de alguns ali acharem a situação estranha, a maioria parecia animada com as decapitações que ocorreriam daqui a pouco.


Legenda:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gaiden
Civil
Civil
Gaiden

Créditos : 6
Warn : What do You do For Money Honey 4010
Masculino Data de inscrição : 04/05/2012
Idade : 24
Localização : Micqueoto - Northo Blueo

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptyQui 25 Jun - 0:35


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Death and Taxes $

O mar sempre me dera frutos, sempre, e até as marés de fluxos mais intempestivos me resultavam em experiências dignas da nobreza, sempre me recompensando de sua forma indômita e infalível. É difícil acreditar em mudanças, ainda mais quando não se tem uma perspectiva muito aprazível do que pode ser uma vida na superfície...  mesmo após me recauchutar diversas e diversas vezes o mar sempre se lembrava de mim, me dando comida, me dando morada, me dando amigos e, não menos importante, água... ahhhh a água, através dela, já dizia meu pai - "o mar nunca esquece", um dito que me recordo ter escutado em algum momento específico por entre os inúmeros sermões ~ Irei fazer valer sua morte, caro Oji-san, pela água, o lembrarei ~ Terminava a atônita reflexão, esboçando uma face de desalento e incerteza.

Algum tempo se passava e logo eu era agraciado ~ Olá senhorita concha, te achei, você será altivamente útil... ~ Confirmava em pensamento, esfregando os míseros resíduos de areia em meu colete. A saída de um sireno à superfície sempre fora algo temeroso, mesmo pros mais velhos. Contavam-nos histórias macabras sobre como malévolos humanos raptavam, acorrentavam e vendiam crianças e adultos do reino Ryuugu em função do seu alto valor comercial. Não sabia o que esperar da terra firme... claro, eu já havia por várias vezes me passado por humano, perambulando pelos reinos da Grand Line como procurador administrativo do meu Pai, mas nada de maneira tão solitária, nada de um cunho tão... perene.

Como todo peixe que sai do mar, eu saía... molhado, e as pessoas aparentemente sentiam uma estranha necessidade de me evitar. Claro, caso alguém molhado fosse se esfregar em suas roupas secas você provavelmente não o recepcionaria, assim como até mesmo tritões e sirenos o rejeitariam nessas condições, mas aparentemente minha situação era passível de olhares e arrodeios. Apesar de tudo, era manhã, e como o clima se mostrava agradavelmente ensolarado, supus que minhas vestes eventualmente secariam com a incidência do Sol.

O período matutino de um reino humano parecia bastante com o amanhecer corriqueiro do reino dos tritões, mas claro, com o adendo de estarmos uma espécie totalmente desprivilegiada em aparência, força e mentalidade ~ Ahh, humanos, tão involuídos, porém tão clássicos e interessantes ~ Repescava em retrospectiva, evocando brevemente as lembranças das muitas viagens por Dressrosa, Alabasta e Lulusia. Apesar da relevância do turno, um tumulto se via pouco à frente em uma praça, situação que posteriormente se revelaria como um ato de execução em tríade, algo que, para os moldes modernos de qualquer sociedade se consolidaria como uma atrocidade...mas nada que não se pudesse esperar de humanos.

As acusações eram ouvidas pelo público, uma mulher aparentemente reclamava em favor dos apenados (ou seriam penalizados?). Um fato intrépido me chamava a atenção ~ Se recusam a se identificar? ~ Ponderava de maneira forçosa ~ Porque não dizer seus nomes? Existem só duas alternativas plausíveis para tal omissão... Ou essa informação é irrelevante, ou talvez eles guardem um segredo que salve suas vidas no último minuto ~ Cogitava em exortação, já levantando o dedo em objeção ao executor - Caro senhor, caro senhor!! Espere, deixe-me falar com você, tenho uma informação imprecindível!! - Exprimia em diligência, buscando chamar a sua atenção para minha encantadora voz. Chegando mais perto do homem, falaria sussurrando - Nobre oficial, sei que estas mortes tem um valor significativo para o bem-estar social, mas peço que espere, sou um comerciante, e pelo que sei, bandidos que não falam seus nomes geralmente tem segredos que envolvem muito dinheiro - Pausava em entreolhares - Se você me deixar hipnotizá-los com certeza conseguirei esta informação, e talvez, mas só talvez, ganhe seu merecido aumento no final das contas. - Terminava, ansiosamente em espera.

Caso o sinal verde fosse dado pelo homem, eu procederia com a execução da hipnose. Colocando meus óculos na testa e tirando minha concha das partes (não sei bem onde guardei), eu iria colocá-la ao ouvido de cada um dos homens e murmuraria de forma calma e individual - Eu posso te ajudar, me diga quem é e o que esconde... me diga...3...2...1...o mar leva tudo - Finalizaria com um estalo de dedos, esperando a reação dos réus.

Caso não houvesse nenhuma possibilidade de interrogá-los hipnoticamente, ou até mesmo não conseguisse recolher informação alguma dos homens, iria direto para a mulher e falaria em tom bastante firme - Fale-me, o que eles escodem? Quer que eu ajude a salvá-los ou não? A vida deles está nas suas mãos.


________________________________________________________________________

Atributos, Vantagens e Desvantagens, perícias:
 

Histórico Aventuresco:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por Gaiden em Sex 26 Jun - 1:24, editado 9 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Greny
Civil
Civil
Greny

Créditos : Zero
Warn : What do You do For Money Honey 10010
Masculino Data de inscrição : 31/08/2012
Idade : 20
Localização : No seu coração

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptyQui 25 Jun - 2:50






[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Café da manhã


Após dois dias de férias forçadas - não que eu esteja reclamando, longe disso, e inclusive quero mais - aproveitei o momento do café da manhã para colocar minhas leituras em dia. A autora em questão, era uma mulher chamada Amélia, mas eu também poderia a chamar de “a razão de eu estar ali”.

Comecei pelo começo, e após ler o conteúdo da primeira carta, meu pensamento fora - ”Falou, falou, mas não disse quase nada...” Mas pelo menos eu sabia onde os piratas atacavam. Já era um bom começo. ”Ir até o Lago Balka e não confiar nos guardas, check” - comecei uma lista de anotações mentais.
 
A terceira carta então, já teve uma atenção maior de minha parte desde o início, por conta de algo que chamara minha atenção logo de cara: - ”A letra… mudou?” - me indaguei, mesmo sabendo já qual era a resposta. Agora, o motivo daquilo era algo que eu não sabia se esperava ou não, mas mesmo assim despertou a minha raiva. Se eu tivesse visão de calor, naquele momento o papel estaria entrando em chamas. Mas eu não sabia para onde direcioná-la. Se ficava mais irritado com os piratas por tudo o que estavam fazendo, com os guardas por não fazerem nada, ou com o Drop Money por não ter agido. Havia tido apenas dois dias com o Copas, e já sabia que eles não eram do tipo que recusaria aquela carta. Fiquei feliz por sair da ilha com a certeza de ter começado minha nova vida ao lado das pessoas certas.

Comecei a saborear meu café da manhã, talvez com mais voracidade do que prefiro me lembrar, mas o que eu posso dizer? A larica estava realmente forte. Enquanto mastigava, pensava sobre os passos que deveria tomar a partir dali, em busca do pirata de oito milhões. Voltei meu olhar para a terceira carta, que dizia que o valor havia subido. - Mandou o cartaz junto com a outra, mas não com essa… Tenho certeza que é migué… - conclui, falando sozinho. Julguei que fosse apenas um meio para ver se os interesseiros do Drop Money apareceriam. Pensar que a moça teve de recorrer aquilo para atrair ajuda aumentava minha irritação. Talvez a morte deles nem fosse uma tragédia tão grande assim. Falar isso me torna uma péssima pessoa?

De qualquer forma, terminaria minha refeição e regressaria ao meu quarto com as cartas. Lá, tomaria um banho, fazendo uso de shampoo e condicionador, caso os mesmos fossem disponibilizados pela pousada, e escovaria meus dentes, caso tivesse escova e pasta. Então, vestiria novamente minhas roupas sociais, e penduraria as que vieram comigo da “colônia de férias”, mantendo apenas os óculos escuros no rosto. Ainda me certificaria de estar com meu maço de cigarros e meus fósforos, além de meu revólver. Conferiria quantas balas ainda possuía e guardaria-o dentro de minhas vestes, de modo que tentasse mostrar estar desarmado.

Sairia do quarto e trancaria a porta, levando a chave comigo. Iria até o saguão, onde me dirigiria à pessoa da recepção, perguntando - Oi, como faço para chegar até o Lago Balka? - e ouviria atento suas instruções. Agradeceria e seguiria no caminho que me fosse instruído. Caso me dissessem para ter cuidado, diria - Obrigado, vou ficar atento Lá, observaria meu redor, tentando entender o cenário. Localizando algum pescador, preferencialmente os que parecessem feridos, me dirigiria até eles e perguntaria - Hola, estou procurando uma moça chamada Amélia. Sabe onde eu a encontro? - e esperaria por uma resposta positiva. Não havendo, procuraria outros pescadores para me ajudarem. Caso fosse perguntado do porquê de estar procurando-a, considerando que aquelas pessoas talvez estivessem traumatizadas e perturbadas, diria - Sou apenas um amigo.

Uma vez tendo a localização, iria até lá. Caso fosse uma residência, bateria na porta. Esperaria ser atendido por uma mulher, estranharia caso isso não ocorresse. Em todo caso, me certificaria estar tratando com a pessoa certa. - Amélia (está)? - perguntaria dependendo do caso como fosse recebido. Sendo fosse indagado sobre minha identidade, diria - Sou um amigo, tenho um assunto importante para tratar com ela - para o caso de não ser ela a me atender e - Recebi suas cartas, e vim aqui te ajudar com seu problema.

Tentaria manter-me atento ao meu redor a todo momento, fazendo uso de meus sentidos aguçados para ver se captava algo que chamasse minha atenção.

Objetivos & Legendas:
 
Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Falas (#ff6633) | Pensamento (#993300)

Objetivos:
 

R.I.P:
 


Última edição por Greny em Qui 25 Jun - 2:52, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 134
Warn : What do You do For Money Honey 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptySex 26 Jun - 1:40


Narração
Sensação térmica: Agradável
Localização: Lvneel Kingdom - North Blue
Manhã


Proteus
Ao ouvir toda a situação, Proteus percebeu que havia muito ali de errado e por isso pouco se importou com a situação como um todo. Estava pronto para simplesmente interferir e tentar ajudar na situação. Ele chamava a atenção do carrasco que ia executar o primeiro dos prisioneiros. O povo olhava para aquele ser meio molhado ainda apesar do sol.

Proteus falava sobre a hipótese deles esconderem algo e por isso não terem falado seus nomes. Foi quando o homem que estava literalmente com o pescoço em risco gritou. - EU JÁ FALEI QUE ME CHAMO É O... - Mas a fala dele não acabou porque a guilhotina o calou no meio de seu nome, sangue jorrou por ali e a mulher, que agora o sireno conseguia ver melhor, gritava em desgosto vendo a cena logo a sua frente. Um guarda do soldado real se aproximou do povo em cima do local de execução e compartilhou uma informação com o povo. - Não se enganem com a última fala desse homem, nós temos guardas testemunhas dos crimes cometidos por esses homens. - A voz do homem era forte e imponente. - Eles mentiram seus nomes e fingem ser meros pescadores, mas mesmo que isso seja minimamente verdade, não modifica os crimes cometidos por eles. - Falava o homem já sinalizando para partirem para a próxima execução.

Apesar de sua possível boa intenção, Proteus simplesmente viu sua ação e sugestão ser completamente ignorada pelos guardas, que eram muitos para ele simplesmente pensar em realizar alguma ação impensada além de morrer. Aqueles soldados fizeram questão de executar os três criminosos. Sangue jorrou por toda a parte naquele local e muitos civis comemoravam aquilo, mas havia uma ruiva que claramente se destacava por odiar o ato. Ela gritava para os guardas que eles eram monstros. Além do rosto com uma cicatriz proeminente, o sireno notava também que a moça possuía a sua mão direita completamente enfaixada e imobilizada. Apesar dos insultos proferidos aos guardas, estes não a machucavam, talvez um mínimo de compaixão, ou simplesmente não queriam denegrir a beleza da moça.


Bellamy
As cartas eram simples e não contavam muito, mas eram o suficiente para situar Bellamy da situação. Já criava uma teoria sobre um possível golpe que a moça dava para chamar a atenção dos caçadores e parecia um pouco enojado da situação ter que chegar a tal para que os caçadores fizessem alguma coisa.

Após a carta e o café da manhã, subiu e tomou um bom banho. Obviamente não escovou os dentes, afinal, onde já se viu uma pousada distribuir isso? O cheiro de cigarro e o gosto do café da manhã ficaria por ali mesmo. Colocou suas roupas normais, e não as que vieram juntos da ilha maluca que ele sonhara.

Ao descer notou que o rosto conhecido de Mirajane voltava a aparecer no saguão de entrada. Ele indagava sobre o lago Balka. - Não é muito difícil de chegar nele. Ele é gigantesco e a cidade toda foi feita perto dele, é só andar na direção contrária do mar é óbvio que você vai acabar chegando. - Falava ela com um sorriso no rosto. - Mas recomendo que não se banhe, o lago é cheio de piranhas. - Agradecendo a mensagem Bellamy saía na direção indicada.

E realmente chegar no lago não era difícil. Ele viu que havia uma quantidade até boa de pescadores na região. Se aproximou deles e perguntou sobre Amélia. A maioria já o olhou de cara feia e ele indicou que era um amigo dela. Foi quando um deles, desdenhando da fala dele e até mesmo meio nervoso. - Um amigo saberia que ela está na praça tentando impedir a execução dos bodes.




Legenda:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Greny
Civil
Civil
Greny

Créditos : Zero
Warn : What do You do For Money Honey 10010
Masculino Data de inscrição : 31/08/2012
Idade : 20
Localização : No seu coração

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptySeg 29 Jun - 4:04






[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


No conto do pescador


Nada melhor para começar o dia do que o sorriso de Mirajane na recepção. Podia estar nublado, chovendo ou nevando, o semblante simpático dela já valeria como o sol. Ela me instruiu a direção até o local o qual eu desejava ir, além de me dar um aviso sobre os riscos de me banhar lá. - Relaxa, na maré de azar eu mergulho de cabeça - disse, devolvendo o sorriso para ela.

Me botei em direção até o lago. Cheguei lá não querendo bancar uma espécie de “salvador da pátria”, ou qualquer coisa desse tipo. Visualizei um grupo, e então perguntei para os pescadores que lá estavam sobre o paradeiro da desconhecida a quem eu buscava. Foi quando fui tratado com uma rispidez que me incomodou. Tudo bem que eles estavam tendo que conviver com violências diárias, agressões, extorsões, além de ter pairando sobre suas cabeças a sombra da morte a todo momento. Mas, mesmo assim, eu ainda me sentia no direito de desejar um pouco mais de simpatia. Só que estava nítido que não seria o caso. Comecei a nutrir uma certa preocupação sobre o desenrolar daquela cena, pois sentia que qualquer tipo de rusga maior poderia gerar um conflito, e eu não queria brigar com aqueles homens. Pelo menos, não ainda. Julguei que o mais inteligente a se fazer fosse tentar sair dali antes que me visse na intenção de chutar a cabeça de alguém, ou talvez tomasse uma peixeirada no pescoço.

- Beleza, amigão - diria, tentando manter os ânimos ainda baixos - Como eu faço pra chegar até lá? É minha primeira vez nessa ilha - perguntaria. Ao ser instruído uma direção por algum daqueles cidadãos, me aproximaria do que me respondesse e diria, de maneira baixa, tentando fazer com que só ele me escutasse - Na moral? Como ela é? Sério, eu só a conheço por carta, não tenho idéia de como seja a aparência dela… - e, com minhas perguntas respondidas, agradeceria com um singelo - Obrigado!

Caminharia em direção até a tal praça, a fim de encontrar Amélia. Caso não tivesse uma direção da mesma, perguntaria para alguma pessoa que passasse por mim - Hola, como faço pra chegar à praça? - e agradeceria, indo na direção do local. Lá, procuraria por Amélia, se soubesse a aparência da mesma. Não sabendo, lembraria da carta a qual li por último, e procuraria por mulheres que aparentassem estar com a mão machucada. Encontrando alguém que batesse com a descrição, confirmaria estar falando com a pessoa certa. - Amélia? - perguntaria. Não sendo, pediria desculpas pelo infortúnio com - Lo siento - e repetiria esse padrão de pergunta-resposta até, finalmente, encontrá-la. Ao ouvir um “sim”, naturalmente esperava que ela perguntasse minha identidade. Acontecendo ou não, diria a mesmíssima coisa: - Eu sou a solução dos seus problemas. Bellamy de Malkiham, muito prazer - apertando sua mão e tentando falar próximo a mesma, para garantir que o mínimo possível de pessoas escutasse o que eu diria. - Pode me explicar o que está acontecendo aqui?


Objetivos & Legendas:
 
Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Falas (#ff6633) | Pensamento (#993300)

Objetivos:
 

R.I.P:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gaiden
Civil
Civil
Gaiden

Créditos : 6
Warn : What do You do For Money Honey 4010
Masculino Data de inscrição : 04/05/2012
Idade : 24
Localização : Micqueoto - Northo Blueo

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptyQua 1 Jul - 3:30


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Must... be... love on the brain.

Por um breve e considerável momento eu achei que poderia salvar a vida daqueles homens ~ Não pode ser ~ Realizava, estupefato pelo acontecido. A cabeça caía ao chão como um coco seco despencava de uma árvore, sem mais vínculo com a vida terrena. Havia uma terceira possibiidade para os bandidos não relatarem seus nomes ~ Não deixaram... ~ Ponderava a real alternativa que havia esquecido de cogitar, a que ignorei em uma passada de incrível inocência e ingenuidade.

~ Não devo mais agir, há muitos guardas, e não quero saber de desavenças políticas, eles que morram, eu viverei ~ Continuava a consideração, em uma negação quase que instantânea de pesar e penúria, assim me escondendo sob o capuz marinho em uma estado nítido de vergonha e impotência. Mas ali, ali se encontrava Deus. A vida de um ser, quando grafada ou contada verbalmente pelo costume dos povos, tende a ser "diminuída" e condensada em uma série específica de eventos, série esta que busca captar a essência mais pura do sentido de sua jornada, observando as situações que mais lhe foram importantes e significativas. Sempre pensara que minha vida seria contada, bem mais pra frente, no foco de meus feitos como comerciante e imperador do sub-mundo, como um sireno forte e correto, que entendia o balanço dos valores e a posição das castas, ousando desafiar protocolos, mas o fazendo de maneira pacífica e estratégica. Meu mundo teria sido abalado naquele momento ~ Amor à primeira vista...? Não pode ser ~ Refletia enquanto a olhava... não, enquanto sentia a mulher à minha frente. Seu ódio aos guardas lhe davam um ar de mulher forte, preparada para lutar pelo que é seu por direito. Suas cicatrizes e machucados diziam que dor e angústia não seriam percalços que a impediriam de seguir em frente com seus planos. E sua aparência... ah, sua aparência, um misto de Deusa da guerra e vontade indômita dos humanos em suas mais primais necessidades. Ali eu conheceria a mulher da minha vida, uma verdade absoluta que me caçaria, senão em vida, em sonhos... uma verdade que, mesmo carcomendo meus outros objetivos, a tanto idealizados, não me faziam sentir um pingo de frustração ao colocar em dúvida toda a minha história, todos os meus anseios, contados em um futuro incerto.

Após momentânea pausa eu recobrava meus pensamentos pertinentes, até então aturdidos por sentimentos antes nunca vistos. Sabia que não deveria chamar atenção, os guardas ja tinham me notado, e, caso estivesse correto, aquilo não seria uma execução legitima (não obstante o fato de que nenhuma deveria ser), mas sim uma chacina de propósitos sombrios e torpes. Dali em diante, em low profile, eu tentaria puxar a mulher para fora do raio de visão dos guardas, sussurrando - Venha, eles já estão mortos, façamos jus às suas vidas, honremos os sacrifícios destes cavalheiros, eu posso te ajudar - Expelia de forma sincera e estoica, ressaltando minha belíssima voz para a milady, enquanto, cabisbaixo, procuraria avistar todos os possíveis guardas que se encontravam no recinto. Caso ela me seguisse, falaria no caminho - Sou Proteus Matchinglines, dirigente comercial e amante de uma boa história - Aspirando, na verdade, ser amante dela - Conte-me a sua, irei fazer de tudo para ajudá-la, milady, tenho contatos que com certeza lhe fornecerão auxílio - terminava em desalento, ainda pela incapacidade demonstrada no evento que ainda não teria se findado em sua totalidade ~ Onde estaria Bellamy numa hora dessas? Ele me seria de irrevogável ajuda ~ Matutava.

Caso ela não quisesse me seguir, fosse em prol da vida dos dois restantes, ou em qualquer outra razão, atestaria - Você é forte, vejo em seu semblante, não a tema... não tema a morte, mas não viva por ela, sinta o ar da vida e lute pacificamente pelo que é correto, enquanto entende que o passado é uma construção pérfida, porém necessária para o futuro... - Terminaria, a deixando em paz... caso quisesse, procurando assim por sinais de Bellamy pela multidão... um ótimo começo para esta história. Na absurda sorte de encontrá-lo, iria discretamente até ele para cumprimentá-lo, junto ou separado da menina.

________________________________________________________________________

Atributos, Vantagens e Desvantagens, perícias:
 

Histórico Aventuresco:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
PepePepi
Membro
Membro
PepePepi

Créditos : 134
Warn : What do You do For Money Honey 10010
Data de inscrição : 15/03/2013
Localização : Utopia - 7ª rota

What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey EmptySeg 6 Jul - 1:33


Narração
Sensação térmica: Agradável
Localização: Lvneel Kingdom - North Blue
Manhã


Bellamy
Percebeu que sua primeira tentativa era totalmente falha. As pessoas não eram das mais amigáveis quando ele tentava se comunicar, porém Bellamy não se importava realmente com isso, achava "normal" considerando a situação que havia sido descrita nas cartas. Ele se retratava rapidamente para eles e comentava que era a primeira vez dele na ilha. - Primeira vez na ilha e vem me falar que já é amigo de alguém que nunca havia saído? - O homem estava ficando claramente mais nervoso ao ouvir a fala dele. Porém outro homem no fundo comentava que estavam não só espantando os peixes, como também lembrou que Amélia havia mandado cartas pedindo por ajuda. Isso bastava para acalmar o homem a sua frente por um instante. - É só seguir na direção do palácio, acho que não tem como você se perder. - Falava ele apontando para um lugar. Quando olhasse, Gimenez perceberia o castelo lá longe, claramente o rei do tal "kingdom" que estava morava por lá.

Sabendo que eles sabiam da existência da carta, foi fácil contar que só a conhecia por carta e que não sabia como ela era. Mas talvez isso era abusar da sorte, o homem já estava perdendo a paciência de novo. - Espera... você só apareceu agora? Ela mandou essa carta tem muito tempo seu filho da puta. Agora que ele vale mais você quer ajudar? - A raiva do homem ia aumentando exponencialmente ao lembrar de tudo que havia acontecido. - Vá lá ver ela! Ela é ruiva e está com uma cicatriz que acabou com um dos olhos dela. Durma sabendo que sua ganância ridícula que causou aquilo! - O homem ao terminar de gritar foi embora batendo o pé no chão. Não queria bater naquele homem, afinal, se Bellamy havia vindo caçar o pirata, ele com certeza era mais forte do que o pobre pescador.

Com isso não restou muita opção a Bellamy além de seguir na direção da praça.


Proteus
Proteus se apaixonou a primeira vista e quem poderia culpá-lo por isso. Ele literalmente entrava num mundo paralelo simplesmente elogiando a beleza daquela mulher. Com o passar do tempo ele acabava voltando para a realidade. Ele se aproximava da moça e aos poucos tentava relaxá-la para que ela fosse com ele. Percebia que ela estava lendo-o atentamente, obviamente não confiaria cegamente num desconhecido, principalmente após xingar guardas em praça pública, aquilo claramente não cheirava bem.

Apesar de claramente não confiar no sireno, a moça aceitava e no começo ele que guiava o passo dos dois. Só que não demorava para ela mesma começar a guiar o caminho que iam andando. - Por que você me ajudaria? - Perguntou ela realmente suspeitando dele, a voz dela deixava claro que ela simplesmente não confiava nele de forma alguma. Só que quando ele ia responder, uma figura conhecida dele acabou aparecendo e falando com a mulher a sua frente.


Dupla
Bellamy deduzia no caminho que a execução ocorrera, tanto pelo clamor do público, quanto pelo povo que estava aos poucos indo embora. Ele ao chegar na praça viu uma dupla diferente do usual andando para a mesma direção que ele estava vindo. Uma era uma mulher ruiva linda com uma cicatriz em seu rosto e que tomava seu olho, já o outro era ninguém mais ninguém menos do que Proteus.

Chegando até eles perguntava se ela era Amélia, ela concordava com a cabeça, mas estava estranhando agora que dois homens desconhecidos estavam a abordando. Ele se apresentava e obviamente Proteus já havia o reconhecido. E também era óbvio que o jovem a sua frente dava muito mais atenção a moça do que a ele. Bellamy perguntava o que estava acontecendo e ela respondia estranhando os dois ali. - Eu que pergunto... - Falava ela já dando até um passo para trás. - Quem são vocês e o que querem comigo?


Legenda:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




What do You do For Money Honey Empty
MensagemAssunto: Re: What do You do For Money Honey   What do You do For Money Honey Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
What do You do For Money Honey
Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: North Blue :: Lvneel Kingdom-
Ir para: