One Piece RPG
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Arco 5: Uma boa morte!
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Kenshin Himura Hoje à(s) 04:17

» Xeque - Mate - Parte 1
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Jacob Allan Hoje à(s) 00:45

» Art. 4 - Rejected by the heavens
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Ryoma Hoje à(s) 00:40

» Hey Ya!
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 23:53

» [LB] O Florescer de Utopia III
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Vincent Ontem à(s) 23:19

» Blues, Bourbon e balas
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor ADM.Tidus Ontem à(s) 22:58

» Sorte ou Azar? Uma Ascensão Pirata!
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Misterioso Ontem à(s) 22:51

» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Furry Ontem à(s) 22:23

» Livro Um: Graduação
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Jean Fraga Ontem à(s) 21:40

» Um Destino em Comum
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Jean Fraga Ontem à(s) 21:03

» Capítulo I: Raízes Perdidas
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Zeitgeist Ontem à(s) 20:27

» Cap 3: O alvorecer da névoa trovejante
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Akuma Nikaido Ontem à(s) 19:56

» Um novo tempo uma nova história
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor new man reformed Ontem à(s) 19:50

» MEP _ IRUH
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Iruh Ontem à(s) 19:49

» Mini-Aventura
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Iruh Ontem à(s) 19:44

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Akuma Nikaido Ontem à(s) 19:39

» [Mini-Azarado] Um falastrão beberrento
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor Azarado Ontem à(s) 17:31

» [MINI-ARTHURBRAG] COMEÇANDO UMA AVENTURA
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor arthurbrag Ontem à(s) 11:37

» Escuridão total sem estrelas
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor K1NG Ontem à(s) 11:33

» Cap. 2 - The Enemy Within
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Emptypor King Ontem à(s) 10:41



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Apresentação 4 ~ Falência Articulada

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyTer 09 Jun 2020, 20:49

Relembrando a primeira mensagem :

Apresentação 4 ~ Falência Articulada

Aqui ocorrerá a aventura do(a) caçadora de recompensas Karelina Lawford. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas


Data de inscrição : 20/01/2019

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptySeg 06 Jul 2020, 16:43



A tão precavida Vick novamente mostrava sua prestatividade ao me ceder a garrafa com água. - Muitíssimo obrigada. - Iria apanhar a garrafa para tomar um grande gole de água, tanto tempo apenas cantando e exercitando a garganta deixou-me com muita sede, além da garganta bem seca, então acabei optando por beber mais água do que o comum, apesar de manter intervalos curtos entre um gole e outro, a fim de manter a etiqueta, ao invés de simplesmente virar a garrafa e beber água feito uma selvagem. - Minha pessoa realmente precisava disso. - Dizendo enquanto sorrio de maneira leve e satisfeita, em meio uma lufada alívio, assim iria beber a água até minha garganta não ficar mais tão seca ou até a garrafa ficar vazia.

Eu teria aguentado os comentários de desaprovação por parte de Khot por tempo demais, e assim que chegarmos ao hotel e descer do jog, iria puni-lo por ter o mesmo comportamento de um idoso amargurado. - Vossa pessoa é demasiadamente chata. - Reclamaria entediada com Khot, devido ao fato dele apenas conseguir enxergar o lado negativo e possíveis problemas das situações. - Por acaso esqueceu-se de que primeiro irão procurar por minha pessoa, e assim não devem incomodar-lhe. - Dizendo em tom de repreensão iria apertar com firmeza uma de suas bochechas. - Agora para de comportar-se feito um ancião ranzinza, você viu toda a minha apresentação, e só consegue pensar nas dificuldade que minha pessoa lidará. - Implicando com o jovem guia num tom reclamão, assim iria apertar a outra bochecha utilizando da mão livre, não iria apertar com força, apenas firme o suficiente para segurá-las, então faria uma inocente brincadeira de fazer Khot rir, mesmo que seja apenas eu movendo suas bochechas.

>><<

Novamente no hotel, o ar sério retornava para Vick, trazendo novamente o assunto da possível repreensão. - Sendo assim, irei mostrá-los o quão será inútil usar de tais métodos. - Mantendo os olhos fechados e um sorriso muito adorável nos lábios, diria como se lidar com tais atitudes vingativas fosse bem simplório, apesar não necessariamente dizer que usaria somente de métodos pacíficos.

Em seguida iria caminhar até a área externa do quarto por acreditar ser mais arejado e assim poder refrescar-me um pouco com a brisa local, enquanto manteria minha atenção ao longe. - E também creio que poderemos atrair a atenção de nossos reais alvos. - Com pernas esticadas e pés entrelaçados, observaria Vick por cima dos ombros num olhar maléfico olhos, expressando minha animação com um sorriso satisfeito de canto. E ficaria por ali, durante alguns minutos esperando que a euforia e o calor da apresentação na praça sejam apagados por completo.

Tendo refrescado-me, iria adentrar no quarto e sentar na cama cruzando as pernas. - E sobre o Sr. Santo… - Desviando meu olhar para cima, manteria o dedo indicador ao lado da bochecha pensando com um pouco mais de calma a seu respeito. - Se ele fosse obediente e disciplinado, ele poderia ser um brinquedo bem estimulante de se usar. - Permitindo-me devanear um pouco, comigo cravando as garras no ruivo e o apertando forte com as coxas, enquanto o mesmo me idólatra, bom, a aparência dele não é desagradável e tem aquela presença que fascina o público como se o prendesse em um feitiço, essa última característica é de fato a mais excitante, talvez eu realmente decida tomá-lo para mim, porém, seria apenas depois o ruivo implorasse pelo meu perdão.

Não vejo algo para se fazer ainda hoje, então iria aguardar até o horário da janta, esperando para Vick trazê-la, e tomaria um banho bem rápido, apenas para remover o suor do corpo devido a performance apresentada na praça, e ainda no começo da noite iria deitar-me na cama trajando o vestido dado de presente por Sapph, e antes de adormecer. - Venha, durma durante algumas horas. - Daria dois tapinhas no colchão convidando Vick para deitar-se comigo.

- Se formos sofrer algum ataque, acredito que farão isso apenas de madrugada, então não vejo razão para vossa pessoa permanecer acordada. - De maneira corriqueira Iria argumentar logicamente com Vick, mas não seria meu único ponto. - Também porque seria irritante vossa pessoa simplesmente desmaiar de maneira repentina por não, e eu realmente prefiro evitar algo do tipo. - Diria expressando um sentimento maior de preocupação, principalmente em relação a última frase. - Além do mais, eu passei a apreciar dormir abraçada, mesmo que implique em dividir a cama. - Desviando meu olhar, com as bochechas um pouco ruborizadas, afinal não era um motivo racional e sim completamente emotivo.

Se Vick viesse dormir comigo, iria envolvê-la por cima barriga e entrelaçar os dedos de minha mão direita aos dela, abraçando-a com firmeza e trazendo-a para mais próximo, querendo me "encaixar" para mantê-la segura e confortável comigo, com a mão esquerda lhe iria afagar os cabelos, fazendo carinhos na pele com a ponta dos dedos, e tentaria algo novo, começaria cantarolar uma melodia bem baixinha num ritmo lento, desejando soar bem calma e relaxante, com intenção de fazer Vick adormecer rapidamente. - Boa noite. - Diria próximo ao ouvido de Vick, num sussurro quase que inaudível.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 30

Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptySeg 06 Jul 2020, 18:40




- Ahhhh, estou cansado... - As reprimendas de Kare não eram o suficiente para restaurar a energia do guia. - Sim… Atrás da sua pessoa… E Gerald atrás da minha. - As preocupações do Guia pareciam não advir daquela ilha, e sim de Aracne. Aparentemente as recomendações de Gerald para ele haviam incluído algumas cláusulas extras das quais Kare não tinha conhecimento.

>> De volta ao quarto do Hotel.<<


Enquanto conversavam seguiam andando para a varanda da sala principal. - Acredito que deva ser mais do que provável devido a performance de hoje Senhorita. A sua aparição junto a Bast seguida da música na praça deve fazer com que as pessoas tenham o que comentar… Embora talvez os comentários não sejam todos do seu agrado Senhorita. - Era provável que conforme fossem falar estivessem realmente mais inclinados a defender Bast do que ficar ao lado de uma jovem recém chegada na ilha, mas o mais provável era que Kare sequer fosse se afetar com esses comentários.

O quarto dava vista para a praça abaixo, o quarto delas estava localizado acima dos panos vermelhos que se estendiam até a torre central, por entre essas faixas elas conseguiam observar o movimento abaixo. Várias lanternas já se encontravam acesas e os últimos raios de sol davam adeus. No entanto o fato de estar acontecendo nada tinha haver com as pessoas se recolhendo, pois a verdade era exatamente o oposto daquilo e muitas pessoas começavam a deixar a pousada em suas próprias Jogs em direção ao centro da cidade.

O vento começava a aumentar um pouco, o que trazia um pouco de frio ao corpo de Kare incentivando-a a retornar para o quarto, Vick indo atrás de si fechou as portas duplas e a cortina ao entrar.

Kare seguiu até uma das poltronas ali acomodando-se, Vick por sua vez mantinha-se em pé, pois alguns costumes eram especialmente difíceis de perder. - Acredito que ele não é o tipo de pessoa que abria facilmente mão do poder conquistado. Não deve ser tão fácil assim dobrá-lo Senhorita. - Talvez Kare já não estivesse ouvindo, pois perdia-se em seus próprios devaneios luxuriosos.

Vick se retirou não muito depois indo tomar banho, quando Kare fez o mesmo encontraria a jovem no quarto com a janta sobre uma pequena mesa na saleta do quarto. - Ainda estou bem Senhorita, não precisa se preocupar. - Kare no entanto não parecia muito disposta a aceitar essa resposta. - Isso não é algum tipo de plano para fins mais obscuros Senhorita? - Uma mínima e quase inexistente ruga formou-se na testa de Vick acima do óculos enquanto ela observava com suspeita a morena sentada na cama. - Suspeitei que a Senhorita possuísse outras intenções. - Rigidamente Vick andou para o outro lado da cama sentando-se ereta de mecanicamente na lateral da mesma se livrando dos sapatos e então virou-se e se deitou de barriga para cima como se fosse um tipo de ''robô'' programado para aquela função, virou-se levemente apagando o abajur do seu lado, enquanto Kare fazia o mesmo do outro lado.

E foi assim que Vick foi transformada em um travesseiro de corpo…. Travesseiro de Corpo Vick ao seu dispor…. A mão de Vick era um pouco fria, mas isso talvez fosse o ideal para conter o fogo eterno que emanava da morena.

>>No dia Seguinte<<


Aquela seria a primeira vez que Kare acordaria e veria Vick na cama… Sendo justo a jovem havia se visto impossibilidade de abandonar o colchão tendo sido feita de refém por sua Senhorita. Kare estava não só com o braço sobre a morena como também com sua perna e sua cabeça se encaixava na curva do pescoço de Vick. Um entonar baixinho e repetitivo pouco a pouco retirava Kare de seu transe sonolento.

- Senhorita...Senhorita…. Tem alguém batendo na porta Senhorita… Acorde por favor. - Assim que Kare abrisse realmente os olhos conseguiria ouvir com mais clareza a voz de Vick lhe chamando. - Preciso ir ver a porta Senhorita.

Vick deixaria o quarto quando possível, calçando-se e pegando sua arma na entrada do quarto e indo até a porta da saleta. Ao retornar teria um pouco atrás de si o jovem Khot. - O Senhor Khot nos trouxe o jornal local Senhorita. Gostaria de ler? - Vick o virou para Kare o folhetim, logo na frente do que ela mostravam haviam duas grandes fotos, uma de Bast em cima do palco do teatro Chords e outra não podia ser outra senão a dela em meio ao público enquanto cantava na praça.

Ao ler, o conteúdo seria uma narrativa do atrito ocorrido entre o Santo de Tuntz Tuntz e a Succubus tentadora que havia vindo do North Blue e aterrissado explosivamente na ilha. A matéria sensacionalista deixava o leitor se perguntando se estes dois já nutriam algum tipo de relacionamento antigo ou se aquilo tudo era apenas a atuação de uma jovem imprudente sedenta por atenção.

- O pátio lá fora está um pouco caótico. - Se ontem o guia estava branco hoje ele havia atingido um novo patamar e estava transparente.


____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyTer 07 Jul 2020, 17:35




Ainda sentindo-me sonolenta por ter meu sono interrompido, iria forçosamente abrir os olhos, abafando alguns gemidos curtos de de reclamação, ao menos podia sentir Vick ainda deitada comigo, sensação que fazia-me sorrir um pouquinho, então iria apertá-la com maior firmeza, contraindo a coxa acima do corpo de Vick, e espremendo-a com braço a envolvendo e apertando minha mão junto a dela, transformando os gemidos de insatisfação, em gemidinhos de alívio, aproveitando para acariciar as costas do pescoço de Vick com minha bochecha. - Bom dia. - Diria devagar e bem baixinho no pé do ouvido de Vick num tom bem humorado, então lhe beijar-ia a face, alongado a demonstração de afeto por alguns e finalmente suavizar-ia o aperto preguiçoso no corpo de Vick.

Enquanto Vick estivesse a vestir-se, minha pessoa iria até o banheiro para lavar o rosto, a fim de diminuir toda a sonolência matinal, e também iria pentear meus cabelos usando os dedos, para então retornar até o quarto, imaginando que algo urgente possa ter acontecido para Vick sair tão apressada do cômodo, e assim iria sentar na cama cruzando as pernas. "Jornal?" Não é sempre que Vick questiona-me se minha pessoa gostaria de lê-lo, então essa atitude me deixou ligeiramente confusa e imaginando que poderia haver alguma matéria interessante, arqueei uma sobrancelha na direção dela, então optei por ler o jornal graças ao interesse e curiosidade em saber do que se tratava a notícia, iria apenas inclinar-me para frente caso Vick segurasse o jornal diante de mim, e iria ler rapidamente a matéria indicada por ela

Terminando a leitura iria cerrar os olhos desgostosa com o que minha pessoa acabou de visualizar no jornal, esboçando uma expressão de aflição realmente preocupada com o conteúdo ali posto e as possíveis consequências que a matéria traria consigo. - Por qual razão minha foto não ocupa a página inteira? E ainda colocaram o Sr. Santo para dividi-la com minha pessoa, francamente, agora os leitores irão pensar que somos rivais. - Reclamando desgostosa com essa matéria claramente tendenciosa, afinal se fossem retratar a legitimidade da situação deveriam ter me tratado como sendo superior ao ruivo, e não em igualdade. "Jornalistas imprestáveis." A indignação realmente tomou posse de meu ser, iria bufar e revirar os olhos em sinal de desaprovação, então optaria por banhar-me, e assim poder esquecer da existência deste pedaço de papel.

Iria levar as roupas comigo para dentro do banheiro, pois quando terminasse de banhar poderia trocar-me ali mesmo, então retornando para o cômodo iria fazer meu desjejum sem a menor pressa, esperando Vick trazê-lo ou então indo até o restaurante do hotel. - O que vossa pessoa quis dizer com o pátio estar caótico? - Iria questionar o jovem guia demonstrando interesse nesse "caos", isso se o mesmo ainda estivesse comigo.

Assim minha pessoa iria belamente deixar o hotel e se possível iria até o dito pátio, interessada em ver do que o caos se tratava, mas se o guia comentasse ter pessoas hostis e agressivas eu logo abandonaria a idéia, mas se porventura houvessem paparazzis… *sorriso malicioso e cheio de interesse* - Não, não, parem, respeitem minha privacidade. - Iria desfilar por entre eles fingindo usar as mãos para esconder o rosto, mas na verdade iria posar para as lentes de suas câmeras, esboçando expressões espontâneas como se não estivesse vendo ninguém ali. - Espere! Este é meu melhor ângulo. - Então faria algumas poses e expressões para os fotógrafos, adorando toda aquela obsessão e também por querer aparecer lindíssima nas fotos.

Depois de "sobreviver" a toda aquela atenção exagerada por parte dos fotógrafos eu iria conversar com o guia e se necessário iria procurar por ele na praça. - Jovem Guia, poderia sugerir-me um local onde posso apresentar meu espetáculo? - Perguntaria interessada em saber sobre um possível palco disposto a receber aquela que desafiou o santo, talvez algum outro rival do mesmo?


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 31



Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyTer 07 Jul 2020, 20:36




A pobrezinha da Vick estava ali completamente indefesa frente as garras afiadas de Kare, como uma pequena ave que não percebe a astuciosa raposa a sua espreita. - Sim. Bom dia Senhorita. - Finalmente havia conseguido ser libertada dos braços luxuriosos da outra morena e podia por fim ir abrir a porta.

A matéria do jornal LOCAL foi rapidamente lida por Kare, era na verdade bastante longa mais o passar de olhos por cima da mesma era o suficiente para conseguir absorver o conteúdo do que a mesma tratava.

- Mas… não … era isso que ... - Jovem bombeava enquanto falava, parecia estar realmente esgotado. - … queria?

- Sim, mas acho que o Senhor, Senhor Khot não será capaz de entender ainda. - Vick falava em um tom que Kare não era capaz de escutar, provavelmente evitando que a morena quisesse lhe explicar.

>>Em uma mansão distante.<<


- Esses abutres emprestáveis…. O que eles pensam que vão ganhar com isso? EIII, HELENA? - Sim Senhor Bast? - Quero que de um jeito em quem escreveu isso aqui. - É claro senhor, mas e quanto essa tal de Karelina? - Ela? Ela não é nada, vai se afogar sozinha. Me recuso a dar mais atenção para ela além do que já conseguiu. ….. - Você me ouviu Helena, não irei dar mais nada para ela, então não faça nada desnecessário. - É claro senhor.

>> De volta ao quarto da pousada<<


Deste lado a leitora também estava igualmente incomodada com os abutres que havia escrito aquela matéria, embora os motivos de ambos os lados fossem completamente diferentes.

O jornal foi então deixado de lado para mulher que bufando seguiu em direção ao banheiro para banhar-se. - O que deu…. [engole] ….. Nela? - Nada, não precisa se preocupar com isso Senhor Khot, preocupe-se apenas com seus afazeres. Acredito que a maioria das pessoas lá de baixo devam ser hostis estou certa? - Esse é o caso. Nem sei se conseguiremos sair daqui. - Como disse Senhor Khot, preocupe-se apenas com seu trabalho. Leve a Jog para próximo a ponte, também gostaria que pudesse trocar o carro para algum coberto. - Certo, me deem meia hora. - Vick apenas acenava enquanto o guia deixava o quarto e após arrumar seu óculos na face séria ela recolheu as roupas jogadas de Kare e arrumava o quarto enquanto a morena se banhava, aproveitava também para trazer um suco natural para a jovem junto a pães brancos e frutas.

Enquanto comia após o banho Vick a explicava o que havia pedido ao guia enquanto também explicava a situação do pátio. - A grande maioria são alguns fans revoltados de Bast e crentes fervorosos que consideram a Senhorita como algum tipo de demônio que precisa ser expurgado, também há claro repórteres que desejam conseguir mais imagens da Senhorita, ou talvez estejam esperando ver o seu linchamento, acredito.

Após terminar de comer a jovem seguia por ela mesma para ver a cena do lado de fora, indo até a sacada do apartamento.

Do lado de baixo a praça se encontrava cheia, não era realmente uma multidão desenfreada, mas haveria ali ao menos uma centena de pessoas. - LAHH, NA JANELA.   - um coro de vozes se ergueu quando enxergaram Kare aparecendo na janela. Na multidão haviam alguns cartazes ofensivos e inclusive uma grande faixa com maldizeres para a jovem. Algumas pessoas entre a multidão tiravam fotos, havia até mesmo um ou outro fotógrafo nos telhados das construções a frente.

BANG, BANG, BANG. - Disparos vieram do meio do público, o que acabou gerando gritos de pânico nas pessoas próximas que acabaram se abaixando enquanto berravam, todavia para Kare aqueles tiros não eram qualquer problema e pode evitá-los com um simples inclinar de corpo. Em meio ao público havia uma única mulher de cabelos vermelhos olhando para Kare com um olhar inflamado. - MORRA PECADORA. - Mais disparos infrutíferos foram feitos na direção de Kare que inclusive usava de suas esquivas para mudar de pose para outras fotos.

Depois de um tempo voltou a entrar. - Acredito que não deva ser problema para a senhorita Evitá-los? Eu sairei pelo telhado. - Vicl explicava quando Kare entrou novamente. - Pedi ao Senhor Khot que nos esperasse na ponte arqueada a duas quadras daqui, já que não seria possível sair com a Jog devido aos seus fãs Senhorita. - Não que eles pudessem ser chamados daquilo, mas….


Kare poderia optar neste momento entre sair pelo telhado, ou esquivar-se da multidão enquanto seguia em direção a ponte onde Khot às estariam esperando.


>>Se chegassem a Jog<<


Khot estaria no local combinado, o carro havia mudado para uma pequena carruagem com espaço coberto para duas pessoa, mas também um banco a frente onde era possível ir sentado a céu aberto. Seria próximo ao meio da manhã e o clima era bastante ameno comum vento suave e céu limpo.

O barulho da multidão revoltada de crentes poderia ser ouvido atrás não muito longe. - A … senhorita tem uma visita. - Khot diria naquele momento e como se fosse uma deixa a porta do pequeno carro se abriu revelando uma mulher????

- Olá Querida. Porque não entra? Parece que logo logo irão lhe alcançar. - Nesse momento Vick estaria saltando de cima de um telhado próximo quicando sobre um toldo junto a parede antes de aterrissar se agachando ao lado de Kare. - Algum problema Senhorita?

A voz da mulher??? Era estranha, um tanto grossa e forçada, tinha um leque sobre o colo. Aqueles músculos deixariam muitos homens com inveja. - Eu apenas quero lhe fazer uma proposta querida, então dê uma chance para a Alvida aqui.




____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyQua 08 Jul 2020, 16:46




Não é difícil imaginar que na multidão em frente ao hotel poderiam haver os fiéis a religião do Santo desgostosos com minha performance na praça, mas a ponto de levantarem armas ainda em plena luz do dia e no meio da cidadade, de fato minha pessoa não imaginava que poderiam ir tão longe na tentativa de "exorcismo". "Isso é o que chamam de extremismo?" Sim, fiquei um tanto perplexa com os disparos, mesmo com Vick tendo avisado-me sobre os mundanos rancorosos, entretanto, também haviam os fotógrafos desejando por belos ângulos de meu majestoso ser. "Mesmo diante tal saraivada de projéteis, como poderia eu ser tão egoísta em não privilegia-los com alguns segundos de minha presença?" Tomada pela benevolência em atender as necessidades do público, principalmente por tal necessidade ser minha pessoa, ficaria ali durante alguns segundos, desviaria graciosamente das munições, inclinando-me e dando alguns passos laterais, para os projéteis passarem ao meu lado, e claro, durante as evasivas iria me certificar de somente mostrar ótimos ângulos, dobrando o braço e segurando o queixo com os dedos, de forma que uma munição pudesse passar pelo "triângulo" feito por meu antebraço e braço, iria virar-me de costas olhando-os por cima do ombros, simulando uma arma com o polegar e dedo indicador enquanto fingiria assoprar a ponta do dedo enquanto um projétil teria passado acima de meu dedo, e óbvio, tomando cuidado para não quebrar a unha durante tal pose. E depois de agraciá-los com com o ar de minha presença iria adentrar novamente no quarto, me despedindo da multidão eufórico com acenos e beijos despreocupados. - Não será a última vez que me verão nessa ilha, então não há razão para desespero. - Diria bem animada por ter recebido tantos "gracejos" do público.

- Não se preocupe Vick, irei pessoalmente distraí-los para que vossa pessoa poder deixar o quarto sigilosamente. - De imediato teria concordado com a morena, acenando positivamente com a cabeça, e dizendo de maneira obstinada como se estivesse pensando na situação de maneira totalmente funcional e eficiente, mas talvez Vick perceba minhas real intenção, principalmente por minha pessoa não ser capaz de conter a felicidade sentida por ter outra oportunidade de estar diante das câmeras, virando-me de costas e soltando uma risada duvidosa, com a lateral dos dedos dobrados em frente aos lábios. " Sim, sairá sem ser notada, e assim terei toda a atenção dos fotógrafos." Um sorriso maléfico teria se formado em meus lábios, enquanto meus olhos cor de âmbar teriam ganho um brilho mais radiante devido aos pensamentos genuinamente felizes de minha pessoa se ver no centro dos holofotes. - Hã!? Vossa pessoa ainda está aqui? - Teria me assustado se caso Vick comentasse algo durante o momento em que estou sonhando acordada, sem conseguir esconder o constrangimento pelod meus planos terem sido possivelmente descobertos.

Prosseguindo com a trama, eu apenas iria apanhar uma bomba de fumaça, antes de deixar o cômodo e… "Que estranho, ninguém surgiu no último momento para roubar meus holofotes, por que essa sensação logo agora?" Usando a unha do dedo indicador iria coçar superficialmente a bochecha ficando pensativa, com a sensação de estar esquecendo algo, ou nesse caso alguém. - Bartholomew Poky Robberts! - E como um estalo a imagem da doninha viria a minha mente.

Com sorte ainda restaria as frutas que Vick trouxe para o café do manhã, então apanharia um prato ou bandeja com elas, e iria procurar rapidamente pela doninha. - Poky!? - Exclamando alto, mas sem gritar, olharia superficialmente pelos arredores do quarto, acima da mobília, colocando a bandeja abaixo da cama, esperando que a doninha sentisse o cheiro das frutas, também iria abrir a porta e procurar pelo corredor levando a bandeja para fora do quarto. - Onde aquela bolota de pelos foi parar? - Coçaria os cabelos com a mão livre me sentindo um pouco confusa. - Ele deve saber se cuidar, ficou dias escondido em Lvneel. - Se não o encontrasse, iria simplesmente dar de ombros, acreditando que eventualmente ele irá surgir, apesar de eu desgostar dessa possibilidade. Mas se o encontrasse. - Finalmente lhe achei! - Exclamaria indignada por ter tido o trabalho de procurar por ele. - Estamos de partida. - Colocaria a bandeja na frente dele, e iria aguarda-lo terminar de comer as frutas, o que geralmente não demora… - Não há tempo para infantilidades. - Comentaria num tom mais amargurado e desgostoso no caso de Poky se recusar ou estiver enfezado comigo. - Já lhe disse que irei comprar as uvas, não seja apressado, mas se for de vossa vontade pode ficar aqui sozinhos com os mundanos malvados empunhando armas, e sem uvas. - Não estaria nem um pouco disposta a negociar, meus fãs estão me aguardando no exterior do hotel, então se Poky continuasse de pirraça apenas iria deixá-lo para trás. - Será realmente uma pena, terei de comer a cesta de uvas e outras frutas suculentas sozinhas, afinal ninguém estará lá para dividir. - "Lamentaria-me" enquanto estaria a caminhar afastando-me da doninha, enfatizando o fato das frutas serem gostosas, se mesmo com tal apelo Poky não me seguisse, eu realmente o deixaria para trás. Mas se ele viesse eu o pegaria com suavidade nas mãos e o colocaria em meu ombro, acariciando abaixo de sua bochecha com as costas dos dedos médio e indicador.

>><<

Com ou sem a bomba e Poky, eu iria até o aglomerado de pessoas ansiosas por mim, se estivesse com a bomba teria a escondido dentro do decote. - Olá damas e cavalheiros, por acaso estariam a procurar por meu digníssimo ser. - Desfilando pela porta teria elevado minha voz ao falar com o público, mantendo os braços abertos interpretando uma hospitaleira anfitriã a recebê-los. - É com grande prazer que lhes informo, nada nesta ilha irá impedir de minha pessoa chegar ao topo do estrelato. - Dizendo ainda com o ar de empolgação, sem ficar abalada com o ódio de alguns, e claro querendo intensificar suas emoções já existentes em relação a mim. Se durante minha aparição o público atirasse, eu iria apenas desviar com passos tranvesos, indo rapidamente de um lado para outro, e no caso de alguém se aproximar com intenção hostil, eu iria girar em torno do pé esquerdo e chutar o tronco do dito cujo com o calcanhar direito. E para meu gran finale, iria começar a rodopiar na ponta do pé almejando atingir uma grande velocidade de giro, então iria retirar a bomba do decote e arremessá-la para cima mirando no cerne da multidão, enquanto estou de costas para o público, mostrando apenas as costas da mão, e logo em seguida iria interromper as rotações ficando com a perna direita totalmente erguida e a perna esquerda parcialmente fornada posicionando um pé atrás do outro e lentamente iria curvar somente o tronco na direção os agradecendo com uma magestosa reverência enquanto iria abrir os braços e rotacionar os punhos até até a abertura total dos braços. - Vocês foram adoráveis meus súditos, agora preciso deixá-los, contudo, não há razão para preocupações, pois garanto-lhes que ainda irão escutar muitas vezes o meu nome enquanto eu estiver na ilha. - Apesar de estar com a cabeça abaixada manteria meu olhar repleto perversão erguido em direção a seus rostos, e assim também poder notar a bomba caindo no meio da multidão.

Agora seria o momento de escapar, iria correr na direção da multidão e acima de suas cabeças, para poder saltar usando-os de apoio até atingir a rua livre de pessoas, se houvesse a fumaça eu tentaria observar suas silhuetas, para poder me impulsionar em quem estivesse mais próximo e assim não pisar em falso, ahhh, e apenas por implicância tentaria pisar especialmente no rosto da ruiva, por algum motivo ela se destacava… Era inevitável não lembrar das palavras de Sapphira, então porque não fazê-la beijar a sola de meus sapatos? E mesmo se a ruiva não tiver relação com Lust ela ainda havia se comportado mal, assim não há razão para me sentir desconfortável. Se escapasse da multidão, restaria apenas correr até chegar a carroça, tomando cuidado para fazer pequenos desvios caso recebesse mais disparos, e se tivesse jogado a bomba de fumaça iria correr apoiando principalmente a ponta do pé, a fim de amortecer meus passos e poder "desaparecer" sem ser notada. Caso minha pessoa chegue até o Jogo, eu saltaria acima dela aproveitando o pique da corrida, se possível o salto seria para adentrar pela janela, no caso de haver uma e que fosse grande o suficiente para eu passar. Na ausência da janela minha pessoa iria permanecer acima da carruagem esperando o Jovem Guia abrir a porta.

...Err… Visita… Inesperado, para dizer o mínimo. - Claro, um momento por gentileza. - Diria no caso de estar acima da carruagem, incliando o corpo para ficar de "cabeça para baixo", iria me segurar no teto e balançar o corpo como um pêndulo e cair no interior do veículo. Bom, não era uma forma muito corteza ou sofisticada de entrar na carruagem, principalmente considerando a demonstração de etiqueta da minha convidada, porém ainda me sentiria elétrica pela proximidade recente com o público, seria uma maneira de gastar energia. - Creio que vossa pessoa terá de ficar no teto, mas e preferir pode sentar-se em meu colo, temos uma visitante inusitada a bordo. - Responderia a Vick quando a mesma chegasse ao lado da carruagem, teria entonando a última parte da frase de maneira ligeiramente maliciosa como se fosse uma brincadeira impertinente, mas se a morena de fato senta-se em meu colo, minha pessoa não iria se incomodar. - Sugiro que faça a carruagem mover-se jovem guia. - Diria elevando minha voz para Khot, e assim ele poderia me escutar com clareza.

- Chamo-me Karelina Lawford, o que trás a graça de sua pessoa nessa carruagem? - Comentaria agora com maior formalidade e leveza, tendo um certo interesse Alvida, que justifica minha forma inconsequente de agir e tratá-la bem, mesmo que ela tenha simplesmente aparecido na carruagem enquanto há uma multidão enfurecida comigo, um dia após eu ter desafiado o tal Santo, bom, como ela já estava no interior da carruagem eu presumo que o jovem guia a deixou entrar ou não é capaz de impedi-la, por tal razão nem tentou, para não mencionar o a forma como Alvida se referiu a mim, logo após eu ter visto uma ruiva, talvez seja apenas o destino querendo pregar peças em mim, porém nesse caso eu prefiro assumir o risco e descobrir se essa mulher inusitada já teve algum contato com Lust no passado, então é de meu interesse ter uma boa relação com Alvida minhas suspeitas serem esclarecidas.

Hã? A aparência dela? Tem algo errado? Ela é como qualquer mundano, inferior a mim, não há nada de especial nisso.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 32

Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyQua 08 Jul 2020, 20:15




Kare estava naquele momento descobrindo que qualquer extreme de qualquer coisa que fosse era na verdade ruim, muito embora ela não fosse dar-se conta disso. Os mais fanáticos pelo Santo, aqueles que acreditavam que os poderes por ele possuídos eram sem dúvida de fonte divina, não mediriam limites em suas ações para expurgar aqueles que publicamente zombaram das suas crenças.

No entanto aqueles mundanos não passavam de moscas irritantes para Kare que já havia superado em larga escala as habilidades de simples humanos, ao menos no que se tratava em suas técnicas de Evasão. Os tiros nada mais eram que um tipo diferente de aplauso para os quais ela se mantinha contente em receber enquanto esbanjava graciosidade para os reportes com suas poses. Estranho seria pensar que tipo de matéria isto poderia gerar no dia seguinte: Novata abusada dança com o perigo e flerta com a insanidade?

- PORQUE VOCÊ NÃO MORRE. - A ruiva gritou lá embaixo pouco antes de alguém saltar sobre a mesma dominando-a no chão. Estranhamente essa ação combinava com o momento em que Kare "disparava" em sua pose fotográfica.

Com a mulher contida a maioria das pessoas voltava a se levantar, os repórteres acostumados a contratempos e aos perigos da profissão haviam se mantido clicando suas fotos durante todo o ocorrido. Agora sem os disparos as vaias e gritos que mandavam-na embora da ilha retornavam com novo vigor.

- É claro Senhorita. - Respondia Vick que sabia que Kare não iria fazer aquilo por tal motivo e sim apenas porque iria se recusar veementemente a sair pelo telhado. Kare por outro lado não poderia estar mais feliz com a tomada de decisão de Vick de sair de forma imperceptível para que assim toda a atenção fosse exclusivamente dela, bem… Não que ela de fato estivesse preocupada que Vick pudesse roubar qualquer um dos seus holofotes.

- Com licença Senhorita. - Vick se despedia e partia.

Com a saída de Vick a jovem se preparava para deixar o recinto, mas…. Algo faltava, ninguém havia aparecido no último momento para roubar os seus holofotes… Onde estava aquela doninha metida?

Bem, ele estava no outro quarto, aquele que deveria ser o quarto de Vick, parecia enfraquecido e desmaiado sobre a cama, mas isso somente até sentir o cheiro das frutas que Kare trazia-lhe em um prato. Felizmente para Kare a doninha também tinha a ideia de devorar as frutas com a maior rapidez possível e então começava a bater a pata na cama reclamando e parecendo revoltado com algo, algo que Kare parecia ainda se lembrar do que se tratava. - Pokyun Pokyun Pokyun !!! - A doninha metida parecia estar dando um ultimato a Kare, algo como: "Acho bom comprar mesmo." Tendo dito o que desejava ele saltava para os ombros de Kare onde ficava em pé sobre duas patas e segurava-se a cabeça da jovem com a outra. POKYUNNNNNN.   - Aquele havia se tornado seu grito de Avante?

>><<

-  FOOORAAAA.   -  VAGABUNDAAA.   - SUMAAAAA DAQUIIII. - UUUUUUHHHHHHH -  VADIIIAAAA! - Era uma magnifico coro de elogios para ela. Atrás do balcão da recepção nas suas costas a atendente se escondia. - A ….se...senhorita poderia não provocá-los? Eles vão destruir a pousada…. Talvez seria bom se pudesse arranjar um outro lugar para ficar.


Kare apenas passava pela mulher e parava na praça frente a seus "fãns", agraciando-os com seus cumprimentos. E embora muitos ali talvez não fossem atirar nela isso não lhe garantia em nada que não seria alvo de algumas agressões físicas dado os olhares rancorosos que recebia.


Nesse momento uma laranja foi arremessada de dentro da multidão a frente, mas antes de Kare precisar desviar Poky saltou no ar com seu grito esbravejando. POOOOOOKYUNNNNN!! - E aplicou um chute giratório na fruta por ele odiada aproveitando o impacto para aterrissar novamente no ombro de Kare…. Talvez ele houvesse aprendido Kung-Fu no tempo em que estava desaparecido, mas por outro lado aquela poderia apenas ser uma técnicas especialmente desenvolvida para retalhas laranjas, suas inimigas mortais.

As pessoas acabaram ficando meio chocadas com a doninha e em sua perplexidade acabaram interrompendo-se em seus gritos o que dava tempo para Kare começar a girar.

-  OQUE?   - OQUE?   - OQUE? - OQUE? - OQUE?  

As pessoas lai não haviam entendido, mas de toda forma Kare a frente deles estava fazendo uma reverência, mas ao erguer seus olhos para para o público os mesmos recuaram dois passos para longe dela, seu olhar vil de baixo para cima por entre seus cabelos era de alguma forma arrepiante para aquelas pessoas normais. Havia uma grande diferença nos olhos de alguém acostumado a carnificina para os olhos daqueles que não a conheciam, esse era o abismo que existia entre Kare e aquelas pessoas.

Logo após dar o seu recado a bomba de fumaça anteriormente atirada para o alto caia, o vidro rachou permitindo os quimicos se misturarem e a fumaça começava a se levantar circulando rapidamente Kare o que fez as pessoas que já haviam recuado agora tropeçar ante o olhar de Kare envolto em fumaça.

Aproveitando que as primeiras pessoas haviam caído ela os utilizou como degraus e por cima da cabeça destes correu para a saída da praça.

- EIIII!   - OWWWW!   - MEU ROSTO! - QUEEE? - ONDE?  

>> Em cima do teto da JOG<<

Olhando de cabeça para baixo para o interior a jovem percebia quem era a visita pelo guia informado. Devido a adrenalina e animação que corriam em suas veias a jovem esquecia de toda sua cortesia e entrava para dentro do veículo como uma trapezista.

- Irei sentada na frente Senhorita. - Poky aproveitava a deixa e saia do ombro de Kare correndo para o banco ao lado de Vick. - IEEEPII. - Khot colocava a carruagem em movimento enquanto a Alvida fechava a porta ficando assim Kare e ela no interior.

>>Dentro da JOG<<

- Me chama Alvida Ambrose, sou dona e gerente do Estúdio Ambrose. Um dos meus olheiros estava na praça ontem e como acredito que você minha Querida é assim como eu, ocupada irei direto ao ponto. Vossa pessoa tem talento, mas está longe de ser boa o suficiente para os padrões da ilha, todavia ele é um dos olheiros mais experientes que tenho e me relatou que por mais que a Senhorita tenha tentado ocultar o fato ele a viu começando a praticar ontem mesmo na praça. Deixe-me perguntar, foi sua primeira vez cantando?

….

- Imaginei que fosse assim. - Ela diria se Kare confirmasse o fato. - Não poderei pôr-lá no Teatro Chords, não com seu experiência e contatos atuais, para piorar você acabou conseguindo a antipatia do fantasma ruivo Bast e infelizmente para você Querida ele é muitíssimo amigo do dono do local o que dificulta muito a vossa situação, todavia tem algo que posso lhe oferecer, um outro tipo de palco que lhe permitirá ir ganhando o apoio popular até que não possam mais negá-la acesso ao palco. Bast é um idiota rancoroso, então não se deixe enganar por aquela fachada de bom moço dele. Ele não fará nada diretamente, mas ele é muito bom em ler as pessoas e sabe ser bastante irritante por isso.


… Se Kare proseguisse o assunto e quisesse saber o que ela teria a ganhar a Alvida responderia também de forma direta.

- Você é Caçadora não é Querida? Sendo assim não imagino que qualquer proposta financeira que eu fosse lhe oferecer iria lhe parecer atraente, então o que farei é dar-lhe um tratamento VIP em troca dos seus serviços como modelo e atriz. Hnmmm, acho que não falei sobre o meu Estúdio. - Ela deu um sorriso e pegou o leque do seu colo abrindo-o à frente do rosto. - Somos o único estúdio da ilha que não é focado exclusivamente em música, meu maior foco Querida é na moda.

Se Kare quisesse entender melhor o que VIP significava para a mulher a mesma completaria a resposta dizendo que durante o tempo em que estivessem trabalhando juntas as necessidade de Kare quanto a roupas, estadia, comida e tratamentos de beleza seriam todos atendidos, a jovem teria que unicamente se preocupar em seu trabalho e poderia deixar todas as outras preocupações para o Estúdio Ambrose.

Do lado de fora Khot conduzia a Jog já em direção ao estúdio, o mesmo ficava um pouco deslocado do centro e levaria mais um tempo para que chegassem lá.


____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyQua 08 Jul 2020, 23:29



Minha vontade inicial era ameaçar a deixar Poky no meio da multidão enfurecida, sinceramente vê-lo acreditar que pode ordenar algo era irritante, mas também adorável, tanta ingenuidade… Se não fosse o contratempo provavelmente eu iria atormentá-lo um pouco.

>><<

E antes Poky fosse a única razão de minha pessoa se irritar nesta manhã, na carruagem com Alvida, eu não senti que as palavras dela possuíam intenção de me ofender, mas era justamente por isso que suas palavras faziam minha magnificente pessoa se remoer de ódio, iria cerrar os dentes com força a ponto deles doerem um pouco, e fechar o punho tremendo de raiva, com os olhos fechados tentava controlar toda essa ira, a princípio sem sentido, em todas as situações até então eu simplesmente ignorava as ofensas que era proferidas contra mim, eram meras palavras sem qualquer peso jogadas ao vento por pessoas incapazes de sequer possuírem estirpe para ficarem no mesmo nível do solo onde meus sapatos pisam, agora qual era a razão, por que essa cretina me fazia ferver a ponto de quase explodir, ela acredita veementemente que não sou capaz de chegar ao maior palco desta ilha medíocre, em qualquer outra situação neste momento eu estaria gargalhando por algo tão ilógico sendo dito, mas, essa mundana despertou facilmente a raiva de meu íntimo. - Cale-se. - Diria de forma abafada ainda com os dentes cerrados, mantendo meu olhar abaixado em direção ao corpo, eu apenas queria que ela parasse de falar, fiquei tão enfurecida que até mesmo o soar de sua voz me incomodava. - Ordenei para que ficasse quieta! - Elevaria abruptamente o tom de voz ao mesmo tempo que iria esmurrar o banco da carruagem.

Minha respiração iria acelerar-se, o olhar congelante teria se fixado em Alvida, sem brilho ou o calor intenso, apenas uma frieza ofuscante que parecia cegar minha visão assim como a audição, eu só poderia identificar a mulher diante mim, aproveitaria a paz por alguns segundos, apenas escutando os sons de minha respiração e os batimentos fortes no peito, inspirando e expirando rápido, ainda sentindo como se uma espécie de eletricidade estivesse a percorrer meu ser, fazendo os dedos das mãos ainda tremularem. - Engolirá tais palavras, pois irei lhe mostrar o quão equivocada está. - Teria sido infinitamente mais fácil agredi-lá, mas, não seria o suficiente, essa mulher precisa e ver o quão estúpida é por acreditar que EU! Não irei chegar ao ápice dos palcos de Tuntz Tuntz, e minha pessoa terá o imenso prazer de provar que estou certa.

Inspirando fundo iria permanecer sentada, consertando a postura, mantendo os ombros abertos, as costas eretas no encosto da carruagem com o rosto erguido, também cruzaria os braços e pernas com firmeza e iria expirar de uma só vez pelo nariz o ar preso nos pulmões. - Tsc! Vistes tal humilhação. - Eu não queria acreditar que alguém havia me visto aprender a cantar, era péssimo imaginar alguém me escutando enquanto não havia me aperfeiçoar, mas agora não há motivos para ocultar este fato, e nem estou com a mentalidade pacífica o suficiente para isso. - Exato, a canção ainda está incompleta, apenas pensei em alguns versos enquanto aprendia a cantar. - Responderia com frieza apenas querendo encurtar esse assunto muitíssimo irritante, até mesmo a letra da música parecia ter ficado horrenda por causa desta conversa desagradável.

- Idiotice. - Responderia grosseiramente o comentário de Alvida sobre minha falta de experiência em contatos, apesar daquela raiva explosiva ter se amenizado, ainda ficava rancorosa. - Não é o suficiente que apenas deixem-me negar, os farei implorar humilhantemente por mim, eventualmente perceberão que resistir diante minhas aptidões é ineficiente. - Continuaria a falar ainda mantendo a tonalidade fria, porém com a voz carregada de prepotência, afinal o "talento" de minha pessoa sempre irá sobrepujar qualquer outro empecilho, nada poderia se opor a genuína perfeição. - Então qual é a razão de vossa pessoa ter se interessado por mim? - A mesma parecia não ter muito credo nas minhas capacidade, mas ainda sim veio me ver, e com uma proposta de emprego, era no mínimo curioso, para não dizer suspeito.

E aos poucos minha raiva iria se esvair, as propostas e benefícios de trabalhar para Alvida eram como alfinetadas na barriga, que em outra situação teriam me feito dar "pulinhos" na cadeira, receber mimos, roupas, tratamentos de beleza e ainda ter meu rosto estampando as revistas de moda… Tsc… Então me vi em um dilema sentimental e psicológico, minha pessoa iria adorar esses benefícios, porém ainda estou irritada com as palavras ditas por Alvida, e quero continuar irritada com ela, mas ao mesmo tempo todas essas regalias oferecidas me faziam querer gostar dela… E mesmo que eu estivesse enfezada o suficiente para conseguir esconder meu interesse, acho que minha sobrancelha ter me entregado, com ela se erguendo de maneira nada discreta a cada benefício dito por Alvida. "Hmmmm…." Fechei os olhos para que minha pessoa pudesse pensar melhor no assunto, mas o conflito de sentimentos discordantes continuava a me perturbar, então consegui soltar apenas um zumbido pensativo. - Espero que vossa pessoa esteja preparada para no mínimo dobrar a estrutura de seu estúdio, para atender a demanda de clientes que terá após meu primeiro trabalho ser concluído. - Por mero orgulho infantil não iria dizer com todas as palavras que aceito a oferta, mas acredito que está bem subentendido em minhas palavras as intenções que possuo.

- Apenas consiga alguma acomodação longe dos demais funcionários e pessoas que vossa pessoa deseja manter a salvo, minha cabeça está a prêmio nesta ilha, e não por causa dos fãs do Sr. Santo, seria problemático perder essa oportunidade de trabalho, mas de qualquer forma não pretendo deixar o peixinho que estou perseguindo nadando livremente por muito tempo. - Meu olhar ainda permaneceria frígido, e minha voz teria soado terrivelmente séria, iria soar quase que como um ameaça para Alvida, mas eu não teria raiva em meu interior para externar, e sim estaria a avisando que minha pessoa pode sofrer ataques devido a ocupação de caçadora. Meu interesse seria unicamente profissional, pois se o estúdio for destruído perderei uma boa oportunidade de sair mas revistas de moda, porém, também foi uma tentativa de ser decente com Alvida, avissndo-a para caso queira proteger alguém importante, isso para não mencionar da última vez que uma proprietária do ramo artístico perdeu uma pessoa importante a companhia fechou, então é também uma forma de proteger meus benefícios ofertados por Alvida. No mais iria apenas aguardar até que o jovem guia chegue ao local de destino.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 33


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyQui 09 Jul 2020, 09:47




Vendo a reação explosiva de Kare, Alvida se calava. Não por medo. Era uma mulher experiente e sabia o que esperar nesse tipo de situação. Quantas, afinal, não haviam sido as vezes que havia precisado lidar com atrizes temperamentais?

Seus olhos apenas mantiveram-se atentos a Kare, perscurtando-a. Vick preocupou-se um pouco do lado de fora, mesmo Poky havia exclamando alarmado do assento da frente ao sentir a ira que emanava de sua "dona". Alvida parecia ser a única pessoa tranquila ali e conforme percebia que a jovem voltava a ter controle sobre suas emoções ela prosseguia o assunto.

- É pra isso que eles servem Querida, se eu fosse ter um olheiro que não é capaz de ver tudo, porque eu o teria? - Era provável que Kare pudesse facilmente concordar com aquela retórica, afinal de nada serve ter empregados ineficientes.




- De acordo com ele o ritmo também precisa de alguns ajustes, mas como disse, está bom para algo improvisado, mas não creio que seja assim que você gostaria de ser conhecida não é mesmo Querida?


….

- Ohhh… Aposto que emplorarão. - Com o devido tempo e ela realmente acreditava que sim.


A conversa continuava, aquele jogo perigoso onde nenhuma das duas parecia realmente entender onde estava pisando. Kare por seu lado ainda era muito inocente e deveras imatura para lidar com a malícia que Alvida possuía para os negócios, enquanto do outro lado Alvida estava confiante de mais sobre essa inocência e não era capaz de perceber os perigos que a imprevisível Kare poderia lhe trazer.

- Gosto de pessoas que não se curvam. - o sorriso dela cresceu. - De espírito forte e que não aceitam nada diferente do que almejam sem se importar com as consequências ou com o que os outros dizem. - Era uma resposta sobre suas motivações, mas seria toda ela?


Kare por sua vez aos poucos ia percebendo os "perigos" daquela mulher que havia acertado com assustadora precisão na proposta feita ali. Dinheiro? Isso era fácil de se conseguir e sim, Kare poderia conseguir todo o teatro através dele, mas teria que ficar indo atrás dessas coisas…. Alvida por outro lado oferecia-lhe a comodidade junto a ausência de preocupações e isso a.lhe deixava em outro.dema terrível, odiar ou amar aquela mulher? Mas, porque não ambos? Afinal… Kare é alguém de muitas facetas não é?


- Ora, ora, apenas dobrar Querida? - Um sorriso sádico se.mostrou no rosto masculino da mulher. - Não vá me dizer que estou me enganando em estar aqui, pretendia quadruplicar.





- Hora, mas veja só que mulher perigosa que encontrei, mas …. Ohohohohoh, eu não sou apenas esse rostinho bonito e exuberante Querida, eu sei me cuidar muito bem, mas agradeço-lhe o aviso e preocupação e tomarei as devidas providen…


Antes que tivesse tempo de terminar de falar a Jog parou abruptamente.

- Estão bloqueando a ponte Senhorita. Três ruivos.

- Parece que você Querida, não estava exagerando. Quer ajuda? Não gostaria que meu investimento mais recente sofresse qualquer interferência.


>><<



Estavam quase no limite da cidade, havendo pouco comércio na região, assim a rua possuía quase nenhum movimento de pessoas exetuando algumas donas de casa estendendo roupas nós telhados. A rua porqual seguiram tinha cinco metrôs de largura e dava em uma ponte de igual largura onde, assim como dito por Vick, haviam três indivíduos ruivos afastados e enfileirados bloqueando a travessia.

A frente da ponte uma rua cruzava acompanhando o canal do rio, este que possui aproximadamente dez metros de largura.

- OH.. QUERIDA, EU SEI QUE ESTA AI, PORQUE NAO APARECE PARA CONVERSAMOS? - A voz era masculina, proferida pelo ruivo do meio o qual tinha um bastão em suas costas. O da direita possuía uma espada em sua cintura e a mulher da esquerda não portava armas.




____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyQui 09 Jul 2020, 13:37



Não era de meu interesse discutir a eficiência ou razão de se contratar um olheiro, na verdade estou a questionar-me se durante a conversa dei a entender que tal tópico seria de alguma relevância, meu único descontentamento era alguém ter escutado meu aprendizado quando não deveria, e justamente para evitar que o assunto fosse prolongado não respondi Alvida, apenas teria permanecido de braços cruzados com o semblante enfezado.

Ei! Agora a maldita fez de propósito não fez? O abuso de Alvida em continuar com os comentários provocativos faria uma veia começar a saltar na minha testa e o maxilar iria tremer devido a eu continuar cerrando os dentes com força, considerando realmente a hipótese de cometer um pequenino assassinato com claros sinais de tortura… Mas talvez fosse essa justamente sua intenção após minha clara demonstração de indignação, e é realmente irritante pensar que Alvida iria se divertir com mais acessos de raiva repentinos. - Você realmente tem coragem. - Apenas uma constatação muito enraivecida dos fatos, mas qualquer resposta resposta ou justificativa que minha pessoa poderia dar na sequência não passaria de uma repetição de palavras, já deixei claro que Alvida eventualmente notará o próprio equívoco, e isso basta.

A menção da mulher sobre seus objetivos e a fixação por pessoas que recusam a curvar-se não me impressionava, porém não era desagradável de qualquer modo, Alvida conseguia apenas um pouco de minha indiferença nesse momento. - Isso é inferior ao mínimo de se esperar quando se trata de minha pessoa, alcançar objetivos é algo tão natural e repetitivo quanto respirar. - Não havia razão para gabar-me ou me motivar por coisas tão simplórias, iria virar meu rosto e empinar o queixo após respondê-la desinteressada.

E quanto o planejamento de Alvida sobre quadruplicar a estrutura de seus negócios, creio que a escolha de palavras foi feita para menosprezar-me, mas era um pouco satisfatório notar que a mulher sempre desejava por mais, normalmente os mundanos são incapazes de atender até mesmo a mais baixa das minhas expectativas, mas ela estava disposta a ir além, lentamente iria abrir um olho enquanto o canto de minha boca curvar-se-ia num sorriso de satisfação e interesse, como se quisesse dizer "nada mal", tanta prepotência me fez querer descobrir se Alvida era alguém que realmente concretiza suas palavras, ou se é apenas um dos padrões mundanos, uma pessoa de muitas falácias e pouca atitude.

Não sei lhes dizer se Alvida realmente teria capacidade de lidar com minhas presas, é realmente complicado compreender o nível de inferioridade dos mundanos, quer dizer, estou basicamente pescando peixinhos dourados indefesos que seriam incapazes de oferecer qualquer risco para mim, porém, aos meus olhos, Alvida também parece um desses peixinhos, assim como o restante dos mundanos, realmente não sei lhes dizer quais destes seres indefesos teria a maior capacidade de ser ineficiente. - Vossa pessoa apenas iria tornar a situação mais entediante. - Iria suspirar desapontada, talvez minha atitude de a entender que estou subestimando a mulher contudo não daria importância se fosse o caso, apenas por ouvir a respeito dos arruaceiros já estaria me sentindo cansada mentalmente por ter de lidar com 3 ruivos misteriosos me chamando de Querida, se isso não for a Lust, provavelmente o tal Deus Ichos desta ilha tem um senso de humor deveras sarcástico. - Apenas tente se manter distante deles, espero não estar pedindo algo exorbitante. - Meus olhos de repente pareciam mais pesados, a ponto de eu fechá-los parcialmente devido ao quão maçante esse confronto pode tornar-se, além de provavelmente não me render qualquer fruto, o que intensifica meu desestímulo.

Abriria a porta da carruagem e iria descer devagar, sem muito pressa ou vontade de lidar com o trio de ruivos. - Vossa pessoa trouxeste a lança? - Com os olhos erguidos na direção de Vick, iria piscar algumas vezes mantendo o semblante de cansaço, se a resposta fosse positiva iria erguer o braço em sua direção com a palma aberto, esperando Vick entregar-me a arma, afinal ela quem arrumou nossos pertences para deixarmos o hotel. - Quando a oportunidade surgir apenas corra com a condução. - Diria agora direcionando minha atenção para o jovem guia. - Irei alcançá-los antes que metade da roda termine de girar, e mantenham distância. - Continuando com as sugestões para tentar tranquilizá-los no caso de terem preocupações em relação a mim, e ao terminar de dizer iria suspirar deixando os ombros caírem por um instante. "Espero que não se torne tão cansativo quanto imagino."

Imaginando que os convidados indesejados estariam ansiosos para interagirem comigo iria desconsiderar a idéia de calçar as tornozeleiras, e assim iria caminhar na direção deles, me afastando aos poucos da carruagem. - Sinto muito mas, a sessão de fotos e autógrafos com os fãs foi encerrada, poderiam retornar outro dia? Talvez um dia após vossas mortes? - Iria elevar meu tom de voz ao dizer sem empolgação.

Com a lança em mãos iria ao combate, sim iria partir direto para a ofensiva, prolongá-lo apenas aumentaria meu tédio, correria na direção do trio segurando no centro da haste apenas com a mão direita, e iria estocar o tronco do ruivo mais próximo, mas antes de poder acertá-lo, eu iria pisar firme com o pé esquerdo e segurar próximo a base do cabo com a mão esquerda, e assim iria girar rapidamente em torno do calcanhar esquerdo usando ambos os braços para impulsionar o giro completo do corpo junto a arma, para poder realizar um corte em diagonal ascendente, partindo da direito após ter concluído o giro.

Se algum deles passasse por mim, e fosse na direção da carruagem, a princípio eu o deixaria prosseguir até o(a) ruivo(a) se afastar alguns passos, então flexionaria os joelhos e tomaria impulso para saltar em sua direção, rotacionando o corpo ainda no ar, enquanto iria trazer a lança empunhada apenas pela mão direita em um corte horizontal, acompanhando o movimento corporal, durante o golpe iria deixar a haste deslizar pela palma da mão até chegar próximo a base na intenção de ganhar mais alcance, e assim iria firmar novamente o aperto no cabo.

Tentaria também me posicionar no palco de maneira a ter pelo menos dois ruivos dentro de meu alcance, primeiro iria atacar um deles empunhando a lança com ambas as mãos para realizar um corte horizontal, mas durante o movimento iria erguer a lança deixando-a apontada para cima, e então a puxaria para baixo a fim de cortar meu alvo. Após o corte descendente iria chutar na lateral do cabo com pé direito, ao mesmo tempo que iria projetar os braços na mesma direção e sentido, e assim poder um segundo corte mas desta vez na horizontal, usando o impulso dos braços e chute para poder cortar rapidamente o segundo ruivo, girando na ponta do pé esquerdo se fosse necessário ganhar mais angulação para acertá-lo.

- Poderiam apenas avisar ao tal santo que qualquer tentativa de vingança ou repreensão será infrutífera? É uma extrema perda de tempo ele enviar mercenários. - Comentaria desestimulada durante a luta, até mesmo parando de me mover e mantendo a base da lança apoiada no chão, tratando os ruivos como se acreditasse que eles estão a mando de Bast. Pois acredito poder descobrir se de fato estão sobre o controle de Lust e também se a mesma tem conhecimento sobre minha união de interesses com a Greed, mas isso dependerá de como os ruivos irão reagir, e também é uma forma de esconder o fato de minha pessoa ter conhecimento dos poderes de Lust.

Mesmo estando desgostosa com a luta eu o levaria a sério pois não quero prolongá-lo, observando a trajetória de seus golpes iria mover-me de acordo com o estilo do golpe desferido, me abaixando para desviar de golpes altos, inclinando-me lateralmente a fim de esquivar dos ataques diretos, verticais e diagonais, também me afastando rapidamente no caso de golpes horizontais baixos. Durante as esquivas tentaria também contra-atacar, com golpes simples e diretos da lança, esperando por uma abertura em suas guardas após a execução dos ataques para rapidamente poder estocá-los, recolhendo a lança logo na sequência, e tentaria conduzir todos para a um ponto longe do trajeto da carruagem, para o jovem guia poder se afastar com o veículo, assim evitaria que algum deles fossem contaminados. Se não estivesse com a lança, apenas manteria-me a esquivar, e me aproximar com chutes rápidos e simples mirando principalmente os joelhos e tornozelos, enquanto iria atraí-los para distante da carruagem.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 34


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyQui 09 Jul 2020, 14:32




- Ora, ora, parece que estou sendo menosprezada. - Alvida respondia ao lhe ser pedido para apenas manter-se longe. Todavia ela não parecia disposta a somente olhar, pois desembarcou pelo lado contrário a Kare, ficando assim uma em cada lado de Vick que sentava-se no banco da frente.  

- Está aqui Senhorita. - Vick realmente havia saído com a mesma, no entanto os demais pertences haviam ficado no quarto. Avançando alguns passos Kare conversou com Khot montado sobre a ave que devido a breve parada começava a agredir o chão com suas garras e sacudia o pescoço enquanto o jovem montando passava a mão por suas penas tentando acalmá-la. - Assim que ver a oportunidade passarei pela ponte. - Concordou o guia.

- Porque todos eles se parecem? - Alvida caminhava do outro lado, ignorando completamente o pedido de Kare, muito provavelmente por sentir-se desafiada e com a necessidade de também provar algo.

Mas Kare não estava disposta a prolongar aquilo e logo partia para a ofensiva antes mesmo de qualquer resposta. - Ara Ara Querida, sem nenhum debate espirituoso hoje? - A mulher do trio falava, algo em seu tom era realmente familiar.

O ruivo central com o bastão avançava, sua velocidade era deveras inferior a de Kare, mas… Algo nele lembrava o Glutty, muito provavelmente a inconsequência em seus atos. Não houvera tentativa de defesa, nenhuma pretensão de evitar o golpe o que permitiu a lança afundar facilmente na carne do ruivo a frente, um sorriso existia em seu rosto mesmo enquanto ele engasgava cuspindo sangue. Assim que Kare tentou elevar sua lança abrindo mais o corte viu sua arma sendo travada pelo aperto de ambas as mãos do homem. - Você devia ser mais paciente Querida. - Ambos os ruivos de cada um dos lados disseram em uníssom conforme moviam-se em pinça para atacar Kare no centro de sua formação. O espadachim pela direita de Kare quanto a lutadora vinha pela esquerda de Kare. O espadachim movia seu ataque em um amplo movimento circular horizontal na altura das costas de Kare enquanto a chutadora do outro lado parecia copiar o movimento, mas pelo lado oposto e em direção às pernas da jovem.

Aquilo era de fato curioso, pois embora nenhum deles fosse realmente forte a sincronia apresentada era deveras exemplar, como um grupo muito bem treinado de alguma escola de dança, seus movimentos sincronizados que se contemplavam a abarcavam uma gama bastante variada de estilos possíveis, não só isso, pois Lust também não precisava manter qualquer sentimento de autopreservação.

- NÃO ESTRAGUEM MEU INVESTIMENTO. - Alvida aparecia pela esquerda de Kare saltando sobre a lutadora, enquanto do outro lado, tendo que evitar apenas um dos ataques a lanceira conseguia se inclinar para trás em seu tronco quase deitando-se para o lado oposto de modo que a espada cortava por cima onde antes seu corpo estava e acabava por atingir o ruivo central com um corte no peito o qual somado a perfuração era demais para aquele corpo que acabava por perder as forças liberando assim o aperto na lança.

A mulher que havia sido socada por Alvida fora arremessada até o rio caindo na água e não voltando a superfície.


Com esse resultado o espadachim saltava afastando-se. - Ara, Ara Querida, vejo que fez algumas amizades desde a última vez…. - Nesse momento a carruagem passava por trás de Kare e Alvida que haviam se virado para o espadachim e seguia seu caminho trotando por cima da ponte. - Não se atrase Senhorita. - Vick falou na passada. - Vejo que ainda está junto de Martha, como ela está? Parece está falando mais. - Lust já parecia não esconder muito, talvez naquele ponto já houvesse suposto que Kare já havia descoberto sobre ela, ou por outro lado esperava conseguir causar algum momento de hesitação ao revelar aquele tipo de tópico. - Ara, Ara? Com o Santo? Creio que você está confundindo um pouco as coisas Querida. - Antes que a conversa continuasse a jovem avançava mais rápido do que o espadachim podia revidar e cortava-o no peito fazendo com que cambalea-se para trás.

Nesse momento a Jog terminava de atravessar a ponte. - Só isso? Do jeito que você havia falado havia esperado mais Querida. - … Se havia um jeito preciso de atrair mau agouro era aquele. - Hahahaha. - Sangue fluía com as risadas. - Este é apenas o começo, logo ele chegará. - Com isso o espadachim tombava.

Mas ele caia e elas ouviam. - Tenga no Ori. - Um vento suave correu pelo local e então o silêncio se manteve por um momento. No meio da ponte, aterrissou um homem sem camisa com duas grandes asas nas costas. Seu corpo era repleto de tatuagens.

Usava um quimono branco com faixas vermelhas, um dos seus ombros estava desnudo e ali máscaras tengu estavam tatuadas em sua pele. Seu rosto era marcados por pinturas vermelhas e seu cabelo preto estava preso em um rabo de cavalo alto por uma faixa vermelha.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Assim que pousou ele embainhou sua espada e virou-se para as duas mulheres, nesse momento parte da ponte a suas costas caia no rio erguendo uma grande explosão de água que chuviscava nele.

Ele começava a caminhar para frente, seu sapato era de madeira e produzia um toc toc toc conforme ele se movia. Haviam duas espadas presas no lado direito do seu corpo, as bainhas apenas encaixadas na faixa vermelha que envolvia sua cintura.

- Olá minhas jovens…. O que é você? - ele ficou surpreso ao ver Alvida. - Uma dama é claro. - NEM FUDENDO QUE É. - Seus olhos se abriram e ele inclinava-se para frente apontando na direção de Alvida completamente contrariado.



____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 EmptyQui 09 Jul 2020, 17:14



- Investimento… - Não posso dizer que Alvida está errada, mas ser chamada de investimento, soava como um adjetivo bem mediano para se fazer, não ficava ofendida, porém era desconfortável ser considerada apenas um investimento, a salvação ou principal estrela teria sido mais apropriado e digno de descrever-me.

Bom, de fato era a Lust, ou seria mais correto dizer, "eram" a Lust. - Provavelmente todos ostentam o mesmo gosto questionável para tonalidade e penteados. - Notando o desinteresse de Lust em atacar, minha pessoa daria de ombros fingindo não saber de nada e casualmente iria responder Alvida, de propósito respondendo-a erroneamente, pois mesmo com Lust praticamente tendo dito quem era, eu ainda gostaria de aparentar não ter qualquer conhecimento sobre os poderes da fruta. E claro, não poderia deixar de provocá-la, comentando sobre os cabelos das "marionetes".

Mesmo com minha pessoa não estando animada o suficiente para uma intensa troca de elogios nesse momento inicial, haviam certas nuancias naquelas marionetes que contavam mais detalhes da habilidade de Lust, contudo ter notado esses detalhes era o único evento positivo deste encontro, afinal as descobertas indicavam que a akuma tinha potencial para causar grandes inconveniências.

Em dado momento da conversa eu iria abrir bem os olhos e erguer as sobrancelhas enquanto ficaria boquiaberta, fingindo uma reação de espanto, por finalmente conseguir notar que os ruivos são a Lust. - Eu imaginei que a aparência de vossa pessoa fosse desagradável ao olhos, mas jamais sonharia que tal desprazer poder ser triplicado. - Diria numa tonalidade de surpresa, para manter as aparências, mas seria facilmente distinguível a intenção maliciosa em querer irritá-la.

Se houvesse tempo de trocar mais palavras afetuosas com Lust. - Vossa pessoa conseguiu uma interessante habilidade graças a fruta do diabo, entretanto seria nada além de um grande desperdício de tempo lidar com esses corpo falsos, então irei rapidamente capturar-lhe assim que descobrir onde a raposinha acuada se esconde. - Fechando meus olhos e sorrindo meigamente, para manter uma expressão bem adorável eu diria num tom de voz doce querendo aparentar ser algo que farei com extrema facilidade. Creio que "deduzir" o fato de Lust possuir uma akuma no mi não seria problemático para meu plano, afinal segundo Sapph em qualquer ilha minha pessoa poderia ter esse conhecimento.

- Vossa pessoa realmente tem um exótico gosto para brinquedos. - Comentaria em tom de surpresa para Lust, mas minha intenção estaria voltada para o espadachim alado que acabou de entrar em cena. Mas na ausência de resposta por parte dela iria voltar minha atenção para o espadachim ruim, apenas para vê-lo caído. - Ela nem mesmo mencionou se gosta desse brinquedo, assim não vai ser divertido quebra-lo. - Dizendo em tom de lamúria e confusão, coçaria o rapidamente os cabelos com a ponta dos dedos, olhando para o corpo do espadachim ruivo e ignorando por completo o mundano de asas.

E assim voltaria a falar com Alvida após todos o ruivos estarem fora de cena eu iria esclarecer rapidamente algumas possíveis dúvidas que ela pode ter. - Aqueles três eram controlados pela mesma pessoa, até onde sei se alguém for beijado por eles passa a também ser controlado, por isso vossa pessoa deveria ter ficado na carruagem. - Não iria explicar nesse momento como eu sabia aquelas coisas ou porque fingir não saber, apenas iria mencionar abaixando a voz para o espadachim com asas não pode escutar.

- Enfim, você conhece esse sujeito? - Apontaria na direção do espadachim alado enquanto manteria casualidade da conversa com Alvida, apesar de ainda estar desanimada e minha pessoa pode soar um pouco monótona. - Não desejo enfrentá-lo sem nada a ganhar. - Lamentaria-me se caso Alvida não o conhecesse ou o tal espadachim não possuísse alguma recompensa por sua cabeça. - Vossa pessoa disseste algo?- Perguntaria ao mundano de asas se o mesmo demonstrasse alguma irritabilidade por estar sendo ignorado, observando-o normalmente sem dar muito importância.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 35




____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 7 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Apresentação 4 ~ Falência Articulada
Voltar ao Topo 
Página 7 de 8Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Grand Line - Paradise (Paradaisu) :: Farol-
Ir para: