One Piece RPG
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Sidney Thompson
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Zed Hoje à(s) 01:19

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Fukai Hoje à(s) 00:49

» Seasons: Road to New World
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Ravenborn Hoje à(s) 00:26

» Hello darkness my old friend...
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Zed Hoje à(s) 00:09

» Phantom Blood
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Licia Ontem à(s) 23:50

» [M.E.P]Kujo
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Kujo Ontem à(s) 23:42

» [Mini-Aventura] A volta para casa
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Ryoma Ontem à(s) 23:30

» Enuma Elish
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Thomas Kenway Ontem à(s) 23:07

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Blum Ontem à(s) 22:44

» Xeque - Mate - Parte 1
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Ceji Ontem à(s) 22:22

» Ain't No Rest For The Wicked
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Hoyu Ontem à(s) 22:00

» BOOH!
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Oni Ontem à(s) 21:35

» [LB] O Florescer de Utopia III
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Kekzy Ontem à(s) 21:27

» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Furry Ontem à(s) 21:24

» Meu nome é Mike Brigss
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Oni Ontem à(s) 21:07

» The One Above All - Ato 2
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Thomas Kenway Ontem à(s) 21:07

» Que se ascenda o fogo!
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor ADM.Tidus Ontem à(s) 21:01

» Mise en place
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor ADM.Tidus Ontem à(s) 21:01

» [MINI - Gates] O Pantera Negra
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Ryoma Ontem à(s) 20:46

» [M.E.P - Gates] O Pantera Negra
Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Emptypor Ryoma Ontem à(s) 20:44



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Apresentação 4 ~ Falência Articulada

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptyTer 09 Jun 2020, 20:49

Relembrando a primeira mensagem :

Apresentação 4 ~ Falência Articulada

Aqui ocorrerá a aventura do(a) caçadora de recompensas Karelina Lawford. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas


Data de inscrição : 20/01/2019

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptyQui 18 Jun 2020, 16:48





Eu teria pedido pelo sabor mais simples que me veio a mente, Erva Doce, apesar desse detalhe não ser realmente importante, e também por não saber quais sabores seriam os disponíveis. Puxar a própria cadeira para sentar era a menor de minhas preocupações naquela situação, quer dizer… Era esquisi…Não, exótico… Excêntrico talvez… "Como ela consegue esse penteado? Sem considerar o gosto duvidoso." Fato é que o penteado de Sapphira tomava toda minha atenção nesse momento inicial, mas não ficaria olhando muito para os cabelos platinados, tentando fazer ela não perceber meu espanto.

- Olá, Eu me chamo Karelina, é um prazer conhecê-la. - Com sorriso amigável e olhos fechados tentando aparentar mais meiguice cumprimentaria a filhote de cabelo azul. "Só espero que "essa coisa" não comece a fazer pirraça, seria um fardo imensurável." Quer dizer, não é o que filhotes fazem? Choram por qualquer coisa? E desviando minha atenção da pentelha exageradamente entusiasmada eu finalmente notaria os aracnídeos na parede. "Elas sempre estiveram aqui?" Um pouco surpresa por tê-las notado somente agora, talvez a atmosfera sombria da residência as tenha ocultado, eu não daria um xilique, não deve ser por falta de limpeza, e sim o apreço que os habitantes locais demonstram por essas aranhas.

>><<

- Fico deveras contente por sua gentileza em recompensar-me. - Fechando os olhos e deixando que um sorriso ganhasse forma em meus lábios, eu teria dito com uma sutil entonação irônica. - Então, assumindo que somos aliadas, a quem devo eliminar? - Diria encarando-a pela primeira vez diretamente nos olhos com meu olhar semicerrado e sobrancelhas ligeiramente arqueadas, mas sem expressar agressividade ou desejo por violência, apenas um interesse curioso para com a resposta de Sapphira, enquanto meu sorriso demonstraria a confiança e tranquilidade apesar da tensão. E de maneira implícita eu teria feito duas perguntas. "Somos aliadas?" e "Quem é o alvo" apesar de ter afirmado a primeira, a regente ainda poderia contrariar, mas as palavras do taberneiro me fazem acreditar que: Eu saberia se fosse vista como inimiga.

>>
**Furry
<<

"Não devo ter sido direta o suficiente." Imaginando que a conversa se tornaria demasiadamente longa se continuasse nesse ritmo eu esconderia meu tédio tomando um gole de chá. - Eu não julgo que minhas histórias seriam interessantes ao seus ouvidos, eu apenas repetiria os acontecimentos monótonos escritos nos jornais. - Cedendo um pouco ao interesse da regente tentaria extinguir o interesse dela pelo meu passado recente, por simples vontade de não querer falar sobre acontecimentos maçantes, e como foi desestimulante lidar com esses assuntos, talvez a falsa modéstia me faça parecer prepotente, mas não que minha pessoa se importe. - E também, tal assunto não seria adequado devido aos presentes nessa reunião. - Nesse momento eu iria apontar com os olhos na direção da filhote mundana, deixando que a regente percebesse. Tudo bem, eu não entendo como os outros seres inferiores pensam mas, não me parece muito intuitivo falar sobre massacres na frente de uma criança.

- Mas eu presumo que não foi minha ilustre companhia que a fez convidar-me. - Dizendo sem expressar muitas emoções, apesar de que se a razão fosse de fato minha companhia seria mais fácil para eu compreender. - O fato de não considerar-me uma aliada não me incomoda, mas se vosso interesse convergir com o meu, acredito que posso que rapidamente tornar seus problemas mais fáceis de se lidar, apenas não estando em meu caminho é mais do que suficiente. - Diria como se não fosse nada demais, considerando ser algo perfeitamente simplista de ser feito por mim, até porque não tive boas experiências contando com o auxílio de outros mundanos (com exceção de Vick), principalmente os de maior hierarquia social.

>>
**Furry
<<

- Precisamente. - Falando com um discreto sorriso, e logo em seguida iria tomar um gole do chá.

>>
**Furry
<<

Finalmente eu me sentiria confortável no jantar, afiando meus olhos alaranjados prazerosamente de encontro as orbes vermelhas da regente. - Em outras circunstâncias eu poderia perseguir sua pessoa, pelas mesmas razões que estou atrás dela, mas. - Pausa dramática para beber um pouco de chá, e tornar o semblante mais leve. - Não haveria nada que minha pessoa pudesse ganhar, então não vejo objeções para colaborar contigo. - Falando de forma despreocupada com os lábios curvando-se de satisfação.

>>
**Furry
<<

A insinuação da regente me causava um real desconforto, eu não me recordo de ter considerado a possibilidade de Lust não ser uma procurada, tenho um breve lampejo da marinha não ter registros desse nome como criminosa, mas não que eu possa afirmar a veracidade disso. - Então isso traria-me mais problemas para lidar, mas nada que eu não possa resolver. - Sem me importar muito com as consequências apenas daria de ombros, afinal minha incrível pessoa ainda poderia ter outros ganhos expondo a líder de uma organização criminosa tão influente.

>>
**Furry
<<

- Eu sei que Lust sofreu perdas significativas em seu recebimento de bebidas e equipamentos, e que também ela nutre um grande desgosto por minha pessoa, eu realmente detesto a idéia de perseguir um fantasma, então pretendia fazê-la me perseguir, e eu planejava tal façanha lidando com o "centro comercial" em Tuntz Tuntz, e baseando-me em experiências passadas acredito que lá também haveria mais informações sobre Lust e como chegar até ela. - Apesar do longo discurso eu não estaria entediada com a conversa, talvez por ser a primeira vez que esse tipo de discussão esteja demonstrando dar bons frutos para se colher, e pode ser que eu tenha aumentado um pouquinho o tamanho dos fatos, a fim de conseguir mais facilmente o interesse da regente em colaborar comigo, mas é apenas uma hipótese…

>>
*Furry
<<

Vick ter tomado a fala me surpreendia positivamente, não apenas pelos elogios, mas sim pela atitude audaciosa. - Ou aqueles que desejam atingir o alvo sejam apenas ineficazes para tal objetivo. - Dizendo de maneira falsamente carismática enquanto menosprezo Lust e sua organização pela falta de competência, mas como poderia eu culpá-los, afinal estão lidando com alguém absurdamente superior.

Desviando meu olhar para o alto enquanto me forço a lembrar, algumas imagens de "containers" metálicos me vêem à mente. "Então aqueles objetos são uma embarcação?" O pensamento retórico me surpreendia um pouco, eu não imaginava que esse tipo de barco pudesse existir. - Certo, certo, não tenho problema para arcar com os custos. - Diria desinteressada sobre o assunto de finanças, até porque é muito mais fácil pagar para alguém resolver esses detalhes.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 10

Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptyQui 18 Jun 2020, 18:58





off ao avaliador:
 

Após todos terem se sentado e antes mesmo da janta ser servida elas começavam a conversar sobre o que de fato lhes interessava.

- Direta. - bebia seu café enquanto observava Kare por cima da xícara. - No entanto não é algo fácil de responder, já que não se pode resumir isso a uma única pessoa, mas se fosse ter um principal a resposta é aquela que você mesma parece querer. - Ela colocava mais algumas colheres de açúcar. - Sobre sermos aliadas. - Ela dava um sorriso e voltava a beber o seu café. - Ainda é cedo para afirmar.

- Achei que poderia me entregar um pouco, mas essa não parece ser a situação. Como você provavelmente deve saber, Lust tem uma certa influência no mercado, hnmmm, informal. - ela aliviou o teor das palavras. - Um pouco de tudo, bebidas, equipamentos, bens Pessoais. - ela frizava bem a palavra pessoais mostrando que na verdade falava sobre outra coisa. - E simplificando, eu ganho se ela perder. Não necessariamente preciso que ela sofra um acidente, mas qualquer perda dela é num ganho para mim. Nimura me disse que você planeja ir daqui para Tuntz, logo devo supor que foi no seu empreendimento anterior que conseguiu essa informação?

- Realmente posso lhe conseguir algumas informações e até mesmo alguns contatos no local. Por outro lado, me pergunto se você sabe alguma coisa sobre ela, ou está apenas correndo atrás de um fantasma?

- Ousada, mas o que a faz pensar que vai ter algum ganho caçando ela? - Um sorriso de diversão surgiu no rosto da regente. - Sabe… é realmente difícil atuar nessa área com um valor por você, talvez você tenha percebido isso já não?

- Então seus planos são?

Um riso escapou dos lábios da regente que teve de levar sua mão a frente da boca para se segurar. - Desculpe, mas… - novamente ela se segurava. - É a primeira vez que ouço isso, uma caçadora querendo ser caçada. A prerrogativa é curiosa, mas também promissora. Ainda assim, não é sempre que se encontra alguém tresloucado o suficiente para pendurar um alvo em suas costas.  
- A Senhorita não tem porque ter receio em ser pega de surpresa. - Vick interveio nesse momento, como que se quisesse dizer que Kare poderia andar com um alvo em suas costas e que mesmo assim nada sofreria.

- Óh, quanta confiança, o que a leva a crer isto?

- Os reflexos da Senhorita são muito rápidos, ela evitaria qualquer ataque. - Respondeu Vick fazendo com que a sobrancelha da regente se erguesse de forma inusitada. - Logo vejo. - Voltava a beber o café.

Aranhas corriam pelo teto, enquanto um silêncio se estendia por alguns segundos. A regente pousou a xícara. - Você deve ter visto o expresso oceânico quando chegou, aquele veículo de metal logo a frente da Estalagem. Através dele é possível ir para a grande maioria das ilhas na GL, todavia existe uma demanda. É como qualquer negócio, eles não ganhariam nada enviando um trem sem passageiros de uma ilha para outra. Então eu posso conseguir que ele vá para Tuntz em alguns dias.

[A partir deste ponto a conversa deixou de ser feita em OFF]

- Não poderia ser de outra forma, afinal não cheguei até aqui fazendo caridade. No entanto, se você foi bem sucedida lá a história pode mudar um pouco. - Não era exatamente certo o que Sapphira estava querendo dizer, mas aparentemente ela insinuava que futuramente poderia fornecer recursos para Kare a depender dos resultados que a jovem alcançassem. - Isso é claro, se você não se importar com a origem do dinheiro.

Nesse momento os criados, três ao todo, começavam a servir os pratos que eram principalmente saladas e frutos do mar, além de arroz, quando eles saírem a mulher continuou. - O custo total. - Ela abaixava o garfo limpando a boca antes de falar. - Girará em torno de 18 milhões. Nisso está incluso o passe do Expresso Oceânico, não o perca se precisar adquirir outro terá de pagar outros 5 milhões e também as passagens de vocês duas. - Ela informou o valor e explicou parte dos custos. - Vocês também podem conseguir mais informações da ilha e possíveis contatos com Gerald, acho que seria mais cômodo que que estragarmos o jantar com esse tanto de informação. - Isso permitiria que Vick pudesse agir com essa parte enquanto Kare não precisaria se preocupar com os detalhes massantes da viagem.

A jovem Ruby comia em silencia, parecendo que era uma menina bem educada, ela na verdade era quieta demais e seu olhos apresentavam um brilho inteligente de alguém que mesmo naquela idade estava entendendo perfeitamente do que era falado.

Elas poderiam seguir comendo com tranquilidade enquanto conversavam coisas mais banais, até que ao fim do jantar Sapphira teria explicado algo mais. - Devo demorar ao menos uns dois dias para desviar um trem para cá, durante esse tempo pode aproveitar a ilha tranquilamente sem se preocupar com incidentes. Temos ótimas fontes e lagos naturais não muito longe da cidade e se tiver alguma necessidade mais específica em mente peça para um dos rapazes. - Ela dava um sorriso. No entanto Sapphira não as estava dispensando, apenas aproveitando o momento para falar enquanto mandava a seguir a própria filha ir dormir.

Seria assim opção de Kare deixar o local naquele momento ou permanecer para algo mais.



____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptySex 19 Jun 2020, 11:49




- Não existe outra opção além do sucesso. - Ao dizer iria esboçar um sorriso singelo carregado de confiança por minha pessoa. - Creio que vosso auxílio seria mais proveitoso se pudesse fornecer-me "equipamentos e ferramentas" ao invés de algumas cédulas, e quanto a origem, dificilmente poderia me incomodar. - Continuaria com minha atenção em Sapphira olhando-a com um ligeiro de ar curiosidade a mantendo tranquilidade apesar da temática implícita na conversa, aguardando pela resposta da regente.

"Perder" a quantia estipulada por Sapphira não estava em meus planos. "Pensava que poderia comprar algumas roupas decentes com o dinheiro." Mas não era um incômodo de fato. "Então apenas preciso caçar por presas adequadas, para manter os custos." Rapidamente me conformando com aquela quantia irrelevante iria sorrir amigavelmente. - Ara… Ara… Com a ênfase que vossa pessoa carregou as palavras achei que o valor seria uma quantia considerável, mas se basta apenas alguns milhões de bellys para desviar a trajetória do trem não possuo objeções. - Dizendo num tom excessivamente alegre sem dar qualquer importância para meros 20 milhões.

No mais eu iria terminar o jantar com a regente, me sentindo contente pela filhote de humano parece ter tido algum tipo de adestramento. Me permitiria olhar discretamente para "os rapazes", movendo apenas as orbes alaranjadas de meu rosto em direção a eles, e logo em seguida direcionando-as novamente para Sapphira. - Na verdade posso dizer que sinto-me saciada momentaneamente com vossa hospitalidade. - Lhe iria retribuir o sorriso expressando uma certa malícia com os olhos e lábios. - Devo lhe confessar que meu primeiro contato com a ilha me fez acreditar que eu não poderia relaxar. - Comentando despretensiosa, sem me importar se fosse parecer grosseira.

Nesse ponto iria interromper a fala até que filhote deixasse a sala. - Se houverem fontes termais na ilha, me sentirei extremamente contente pelo julgamento inequívoco. - Agora dizendo mais amistosamente. - E talvez com a companhia correta, possa tornar a situação mais relaxante. - Permitindo que a sutil perversidade naquelas palavras pudesse deixar subentendido que a companhia em questão seria a da regente, mesmo que ela tenha outras preferências, é uma sede inesgotável que possuo por querer cativar as pessoas, mesmo sem a realização de algo concreto. E quanto a Nimura… Ele apenas deixou de ser interessante, não vejo muitas maneiras de me divertir com ele ao saber que não passa de um brinquedo da mulher em minha frente.

>><<

- Quando cheguei a ilha não havia como deixar de notar que os habitantes foram capazes de domesticar os aracnídeos, há algum local ou alguém que possa instruir-me em técnicas de doma? - Perguntando curiosa para a regente. - Não há uma razão em específico, talvez satisfação própria em ter o controle de ferozes bestas indomáveis. - Comentando de maneira quase que ingênua apesar do certo sadismo naquelas palavras. - Além de serem possíveis companhias adoráveis. - Diria num ar de meiguice beirando a fofura, com um sorriso quase que infantil nos lábios.

Antes de ser convidada a retirar-me. - Um último capricho Senhorita Regente, poderia ceder-me algum baú onde eu possa guardar meus pertences em segurança durante a viagem? - Perguntando de maneira formal mas com a voz um sutilmente adocicada, tendo intenção de ganhar um pouco mais do afeto e boa vontade de Sapphira.

>><<

Se tudo no jantar ocorresse bem no jantar, e eu e Vick saíssemos inteiras. - Dos desfechos que poderiam ter ocorrido, acredito que tenha sido um dos mais agradáveis. - Comentando com Vick me sentindo realmente aliviada e um pouco contente por não ter tido necessidade de confronto com a regente da ilha que de nada me seria útil. Se Vick viesse a repreender-me ou falasse para ser mais cuidadosa eu apenas iria suspirar e acenar cabeça de maneira positiva. - Porque é tão difícil compreender os mundanos… - Comentando alto um pouco cabisbaixa, na minha concepção eu havia tomado os devidos cuidados mas ainda sim a execução não foi perfeita, por causa de Nimura ter se distraído comigo sendo "muito sedutora".

- O que acha de dormimos um pouco, e amanhã você conversa com o Sr. Estalagem (Gerald)? - Questionando Vick em tom de sugestão. Por fim comigo tendo retornado ao quarto eu trocaria de roupas para dormir, apanhando do Poky do travesseiro de Vick se caso a doninha ainda estivesse lá, e dormiria com ele encostado na barriga. - Boa noite Vick e Poky. - Dizendo já sonolenta antes de adormecer.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 11



____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptySex 19 Jun 2020, 12:47




- Compreendo. Não deve haver problemas quanto a isso a depender do tipo de equipamento. Meu ramo aqui é um pouco diferente, um pouco mais vivo, mas possuo alguns amigos nessa área.

A conversa prosseguia e Kare conseguia arrancar de Sapphira alguma surpresa ao tratar a quantidade citada como se fosse nada, embora fosse sim um valor substancial. - Isso torna as coisas mais fáceis. - Ela também sorriu de volta logo que sua expressão anterior de surpresa deixou seu rosto. - É muito mais prático resolver os assuntos quando as pessoas entendem que o dinheiro não é um problema e sim a solução.



>><<


- Essas pequenas acabam sempre surpreendendo os turistas. - Sapphira olhava para o teto distraidamente. - Mas você não precisa se preocupar com as que vivem na cidade e arredores, mas devo lhe alertar para não se aventurar nas profundezas da floresta. Lá você pode não encontrar tanta tranquilidade. -

- Há sim, a floresta circundante a cidade é cheia de surpresas agradáveis… Bem. - A regente se inclinava um pouco sobre a mesa. - Não só a floresta. - Ela demorava um pouco seu olhar em Kare como se considerando algo, mas logo voltava a sentar ereta na cadeira. - Infelizmente muitos assuntos detêm a necessidade da minha atenção, mas... - Um pequeno sorriso brotou nos lábios da mulher e logo ela mudava um pouco de assunto. - Gerald poderá lhe providenciar alguém para lhe mostrar as fontes amanhã.


>><<


- Há sim, eu sou uma dessas pessoas. - Sapphira olhava agora de modo intenso para Kare enquanto a morena podia perceber os olhos da regente tornando-se completamente negros e dando-lhe a impressão de estarem começando a se dividir assim como os grandes olhos das aranhas, mas isso logo desaparecia e ela voltava a sua fala normal - É realmente uma questão de mostrar quem é que domina quem. - Devido a conversa anterior o tom da regente havia mudado um pouco, uma alteração sutil, mas ela estava realmente lá, aquela perversidade sedenta. As mãos da regente se abriram sobre a mesa e começaram a deslizar como se estivesse lembrando de algo, suas unhas longas e levemente afiadas arrastaram-se por cima do tampo de vidro. - Mas há outros, aproveite sua manhã, pedirei para lhe encaminhar a alguém a tarde.

Levantaram-se enquanto, como se para encerrar a conversa antes de Kare mais uma vez se pronunciar. - A Senhorita é realmente bastante caprichosa. - Comentou Sapphira ao ouvir o pedido. - Verei o que pode ser feito.



>><<


- Acredito que seja devido a Sorte da Senhorita. - Respondia-lhe Vick que andava dois passos mais atrás. - Pois certamente não é pela prudência.

- Acredito que os Mundanos devam ter a mesma opinião quanto a Vossa pessoa Senhorita.


>><<


Ao chegarem na estalagem a música ainda tocava alta no bar. - Com sua licença Senhorita, irei ficar um pouco mais aqui em baixo. - Vick olhava para o salão cheio de pessoas mais a frente com muitos bebendo, gritando e dançando. Garçonetes passavam por entre as mesas com suas roupas propositalmente curtas. Ali dentro haveriam provavelmente umas 60 pessoas, o que correspondia a quase a totalidade de habitantes da ilha.


Era de fato um desejo curioso o de Vick, Kare por sua vez poder-se-ia manter em sua ideia original e ir para cama, ou acompanhar a empregada para um bar repleto de mundanos.



____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]




Última edição por GM.Furry em Sex 19 Jun 2020, 18:27, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptySex 19 Jun 2020, 16:32



Não poderia concordar mais com Sapphira a respeito do dinheiro solucionar os problemas ao invés de causá-los. Mas o momento qual mais ganhava minha atenção era a regente demonstrando certa receptividade às minhas travessuras despretensiosas, por assim dizer. - Compreendo perfeitamente vossa posição de importância na ilha, porém atrevo-me a dizer que momentos prazerosos poderiam aliviar-lhe toda a tensão que as obrigações de regente te causam. - Diria de maneira mais audaciosa brincando com Sapphira enquanto daria a ela um sorriso discreto mas terrivelmente lascivo com o canto dos lábios. - Deixando-a melhor humorada, e talvez mais disposta a exercer o cargo, mas… - Ainda tentando envolver Sapphira nesse meu joguete sedutor faria uma pausa. - Vossa pessoa é a regente, acredito que saberá muito bem escolher a opção de maior satisfação. - Dizendo com os meus olhar penetrando ao de Sapphira deixaria que a lascividade em meus lábios tornar-se mais evidente, apenas para logo em seguida dar de ombros para a regente querendo esnobá-la um pouco, erguendo uma sobrancelha e agora meu sorriso iria apenas expressar uma confiança luxuriosa, tentando expressar nitidamente que ela teria muito a deixar de ganhar.

Se antes eu estava apenas jogando, agora meu interesse se tornava real, quando aqueles olhos tornaram-se totalmente negros e se fixaram em mim, senti um grande ardor no íntimo de meu corpo, era como estar diante uma fera faminta e perversa querendo devorar-me, como eu poderia deixar de ser tomada pela excitação momentânea que logo se incinerava em uma labareda estimulante, forçava-me a pressionar as coxas uma contra a outra para conter todo o calor da região. - Fico deveras contente por termos um interesse em comum, irei tirar grande proveito do dia e a tarde de amanhã, contudo eu fico mais atiçada durante o período em que a lua se encontra no céu em uma fonte quente e privativa. Seria o palco perfeito para demonstrar todo meu interesse em dominar, ou... ser dominada… -

Faria propositalmente uma pausa em minha fala, para tomar um gole da bebida oferecida pela regente, querendo mantê-la por mais tempo atenta a mim. - Mas não me interesso por frágeis aranhas adestradas, apenas mais intensa e impetuosa é capaz fazer com que eu me sinta profundamente excitada. - Não teria desviado meu olhar nem por um instante, como se toda a intenção maléfica de Sapphira houvesse me prendido em um feitiço irresistível de excitação, minha voz teria soada mais calma e calorosa, enquanto meus olho iriam se afiar contra os da regente estando a realmente desafiá-la naquele momento, e eu não teria conseguido conter um sorriso repleto da mesma sede demonstrada por Sapphira, com meu corpo se inclinando sutilmente na direção dela. Assim teria a convidado, marcado horário e local, agora, resta apenas a própria Sapphira escolher o mais prazeroso para si.

>><<

"Victória malvada…" Tudo bem, eu poderia esperar ser repreendida, mas as palavras de Vick doíam, o que é bem estranho para mim, não sei quais seriam as melhores palavras para explicar, minha pessoa está acostumada a ser alvo de ofensas, mas elas nunca abalaram a confiança em meu ego, era como se simplesmente as palavras dos demais não tivesse peso algum, mas com Vick era diferente, me fazendo cruzar os braços e ficar olhando para frente com o semblante fechado pelo resto do caminho.

- Hmmm…..! Divirta-se Vick, não quero incomodá-la, e confesso estar um pouco ansiosa pelo dia de amanhã. - Despedindo-me de Vick com um sorriso largo cheio de malícia e travessura, colocando a ponta dos dedos em frente a boca fingindo esconder meu sorriso travesso, mas deixando grande parte de minha expressão impertinente visível. - Espero que aproveite a noite a ponto de retornar apenas de manhã para o quarto. - Fazendo outro comentário duvidoso com um ar cômico para encerrar a despedida, mas realmente esperando que Vick se divirta, apesar de que da última vez ela tenha cometido um ato violento ao dizer que "passaria a noite fora", então não iria me surpreender se ela negar o interesse em alguém.

Tendo deixado Vick aproveitar sua noite como bem entendesse, eu iria até o quarto, e a primeira coisa a ser feita após trancar a porta seria despir-me e indo direto banhar-me com água fria. "Aracne é realmente uma ilha quente…" Tendo um pensamento divertido iria rir baixinho, enquanto meu corpo esfriava em diferentes sentidos… "Quero me certificar de estar bem acesa amanhã" Talvez fosse natural essa reação, quer dizer, tive de lidar com certos estímulos sem alcançar a satisfação, é como se meu corpo pedisse por mais, porém em minhas experiências passadas, com as pessoas certas o prazer é maior, após o banho frio e me enxugar, eu iria apanhar Poky para dormir comigo.


>><<

Não teria intenções de acordar cedo, mas assim que eu avistasse Vick, iria me espreguiçar rapidamente e sentar-me sobre os joelhos encarando-a com um ar de interesse. - Desfrutou da noite anterior? - Agindo como uma amiga querendo saber das fofocas da outra, apesar de meu interesse nesse assunto ser tão grande é pelo fato de nunca ter visto interessada em algo semelhante a festas.

Minha rotina se iniciaria comigo trocando de roupas, e fazendo o desjejum, no quarto caso Vick tivesse trazido o café da manhã, ou então não veria problema algum em ir até a "taberna" na hospedaria para comer. Lá eu teria pedido a sugestão de algum funcionário sobre qual era o melhor prato servido ali assim como a bebida ideal para acompanhar. Porém meu real interesse seria em Gerald, o procuraria com meus olhos enquanto estivesse comendo, caso não o encontrasse na recepção da estalagem, e se o encontrasse no prédio. - Bom dia Sr. Estalagem, sua senhora o avisou sobre meus compromissos para o dia de hoje? - Perguntando de maneira carismática sem formalidade ou seriedade na tonalidade da voz.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 12

Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptySex 19 Jun 2020, 18:31




Os olhos selvagens de Sapphira despertavam na bela jovem algo em seu íntimo que até aquele momento estava apaziguado, as chamas subiram por seu ventre ameaçando tomar-lhe conta se não fosse seus esforços para reter-se. Sapphira que a observava atentamente parecia ter percebido também algo, talvez seus instintos fossem apurados o suficiente para conseguir ver algo além da bela máscara que Kare vestia a frente do seu perfeito rosto.

Talvez algo ainda mais a tivesse agradado a ausência completa de medo da jovem ao ter testemunhado o que ela lhe havia lhe mostrado, a audácia demonstrada em frente ao desconhecido. Sapphira era uma arqueóloga, aquela que por muitas vezes é a primeira a desbravar terrenos a muito inexplorados aquela que busca a verdade a muito escondida por mais perigosa que possa ser desbravar estes segredos e por tal nunca pode-se dar o luxo de temer e essa exata falta de temor era algo que muito a instiga.

Já era impossível para Sapphira manter sob domínio seu sorriso lascivo a esta altura da conversa, ainda mais com o tentador convite insinuado a sua frente. - Também sempre me atrai pela noite e os mistérios que podem ser revelados à luz do luar. - Ela também inclinava-se para frente agora, e como sentavam-se relativamente próxima estavam agora ainda mais próximas de modo que até mesmo o perfume uma da outra eram capazes de sentir. - Entendo o que quer dizer, então não ficará satisfeita com nada que seja muito fácil e deseja algo mais … voraz? - fazia uma pequena pausa, seus olhos mais uma vez passavam por aquela transformação como se a mulher por pouco estivesse contendo seus instintos. - Algo que seja realmente um desafio a ser dobrado? - Seus olhos piscavam e voltavam ao normal, mas o vermelho intenso não era menos selvagem que o negro completo. - Fique tranquila, garantirei-lhe esse desafio.

>><<

O relacionamento delas haviam se estabelecido de alguma forma e com tal companheirismo que Kare mesmo que não percebia por qual motivo era afetada pelas palavras de sua companheira, talvez Vick tivesse algum talento especial para reprimendas? Ou talvez conhecesse Kare bem o suficiente para saber se colocar? Todavia este humilde servo que vos serve crê que a verdade era muito mais simples do que poderes mágicos podem explicar. Kare se importava em como Vick a via, talvez ainda não em demasia, mas essa importância e o respeito que tinha para a mulher trazia uma completamente nova perspectiva ao que a jovem empregada dizia sobre ela.

>><<

- Quer que eu leve gelo para o quarto Senhorita? - Essa era a inesperada resposta de Vick para os comentários maliciosos de Kare quanto aos planos da mulher em ir para o salão em festa a frente e sem esperar por retruca a mesma seguia em frente com seu andar rígido nem um pouco sensual.

Felizmente para Kare a jovem não estava usando seu uniforme de empregada, caso contrário as coisas poderiam não ser tão amistosas durante a festa.

>><<

A banheira se enchia devagar demais para as necessidades de Kare e por tal ela apenas ligava o chuveiro enfiando-se embaixo da água gelada, seu corpo inteiro sentiu um súbito choque, mas o calor que sentia era tanto que até mesmo essa torrente fria tinha dificuldades em detê-lo. A água lhe causava um pouco de dificuldade de respirar, mas mesmo essa era apenas um pequeno incômodo irrelevante para ela nesse momento que sequer era capaz de desviar os pensamentos de sua mente sedenta. Mas sabia ela, que não muito longe dali, algo bastante similar se ocorria, mas o caminho escolhido pela outra parte era levemente oposto ao por Kare.

>><<

Ofegante uma certa mulher de olhos vermelhos deitada em um emaranhado feito de lençóis ofegava. - Eu… quase… pulei nela ali mesmo. - Sua respiração atrapalhava um pouco suas falas, ela estava sozinha na cama, mas não no quarto. Jogado no chão, amarrado e um pouco machucado encontrava-se um certo homem loiro sentado meio curvado encostado em uma parede enquanto apenas podia olhar para a mulher sobre a cama.

>><<

- Consegui reunir algumas informações uteis, se é o que quer dizer Senhorita. - Kare havia acordado devido ao barulho que a porta fizera ao Vick adentrar o quarto com a bandeja do café da manhã. - Trouxe seu café Senhorita e também algumas frutinhas para o comedor de travesseiros. - Essa era a primeira vez que Vick chamava alguém…. Ou nesse caso algo, por um apelido. E bem…. Ao visto Vick havia ido trabalhar e não, como esperado, festejar.


>><<


- Sim, fui informado. - Gerald estava contando dinheiro e assinando alguns papéis sobre uma das mesas da taberna, a qual neste momento encontrava-se quase que completamente vazia. - Mandei chamar o rapaz para lhe guiar até as termas e também me foi pedido para providenciar o necessário. Também foi-me dito que deseja aprender sobre a doma, estou correto? - O homem não havia se levantado para conversar, mas ao menos agora olhava para Kare. - Geralmente seria Nimura a ensinar, mas ele não vai poder, no entanto o próprio foi ensinado pelo Eddie que é o outro responsável pela administração da ilha. Ele ta cuidando de um carregamento, mas estará livre próximo ao meio da tarde. - - Pedi que separassem comida para nós Senhorita, irão nos buscar nas fontes mesmo. - Vick pelo visto havia organizado um tipo de piquenique. - Sim, foi arrumado. O mesmo jovem de ontem vai levá-las até lá, ele está ali fora lhes esperando. -

>><<


O caminho pelo qual seguiram era um aclive leve com degraus feitos de terra e madeira, bastante cuidado de modo que não era difícil a locomoção. A floresta era de um verde bastante exuberante e com múltiplas flores coloridas pelo caminho. O numero de aranhas já não era tão grande e raramente eram vistas.

Passaram por um ou dois turistas no caminho, mas sem qualquer contato e quanto mais subiam mais quente o ambiente ia se tornando, até que por fim chegaram ao local.

[Ia por imagem, mas o link que achei é ridiculamente grande, é o lugar do print q mandei]

Pequenas construções de madeira surgiram em meio a floresta em um espaço onde os vapores subindo ao ar eram claramente visíveis, Muitas poucas pessoas estavam no local, mais especificamente dois homens que compartilhavam uma fonte enquanto bebiam e conversavam.

Haviam várias pequenas piscinas, cada uma com uma pequena construção de madeira onde era possível deixar seus pertences e se resfriar. - Geralmente as fontes são pagas, mas.. - O garoto deu os ombros explicando quando passaram pelo posto de entrada do local. Haviam caminhado por cerca de meia hora até ali. - Volto de tarde moça. - Dessa vez ele não havia esticado a mão pedindo gorjeta.


____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptySab 20 Jun 2020, 15:00



Não creio que haveria necessidade de mais palavras serem ditas por mim, visto que Sapphira poderia facilmente notar o quanto eu estava cativada e demonstraria ainda mais excitação a cada afirmação feita pela regente a respeito das dificuldades e desafios, agora que seu cheiro perfumava-me as narinas, aflorando instintos mais despudorado em meu íntimo, admirando aquele olhar maléfico que faziam-me retorcer as pernas, mas não de medo, mordiscando rapidamente o lábio inferior eu concordava fazendo pequenos acenos involuntários com a cabeça. E no fim, a regente fazia a escolha mais relaxante, mesmo que a situação não houvesse sido planejada por mim, a recebi como uma surpresa agradável. Ter a companhia da mulher olhos rubros na noite seguinte, enquanto eu era tomada por uma ansiedade leve, interessada em descobrir qual seria o ato que a regente iria exibir para mim, felizmente as nossas naturezas instintivas foram contidas, me permitindo recobrar melhor a racionalidade. "Lhe aguardarei pacientemente, e espero que fique deveras ansiosa." Tendo um último pensamento sádico antes de nos afastarmos.

>><<

Na manhã seguinte, após o "caloroso banho gelado" minha animação logo voltava ao nível de normalidade. - Imagino que tenha sido bem sucedida como o de costume. - Comentando com casualidade. "Isso é um bom sinal?" Muito confusa colocava o dedo indicador abaixo do lábio inferior e fiquei olhando para Poky e em seguida Vick, repetindo esse ciclo algumas vezes, era a primeira vez que ela dava chamava alguém por um apelido. - Você deve gostar muito dele. - Caçoando um pouco de Vick a respeito dela ter dado o apelido, esperando por alguma resposta que me ajude a decifrar Vick. Enquanto iria comer o café da manhã trazido por Vick.

- Vossa pessoa está correta. - Afirmando sobre meu compromisso no horário da tarde. - Sem problemas Sr. Estalagem, espero que não haja ressentimentos entre nós devido ao ocorrido de ontem. - Respondendo-o de maneira mais bem humorada que o habitual. - Creio que sua senhora também deve ter lhe informado sobre o transporte, aqui estão os custos da viagem estipulados por ela. - Nesse momento iria entregar os 18kk, não me importando em receber as passagens ou o passe agora, afinal preciso deles apenas no momento de deixar a ilha.

>><<

Sem mais o que fazer na estalagem iria seguir o garoto até às fontes. - Ara… Ara… Você não acha que alguém como eu merece privilégios? - Iria brincar com o garoto, falando de maneira mais persuasiva e manhosa, deixando-o ter a honra de contemplar-me com os olhos, enquanto sorrio com bastante confiança.

Já dentro dentro das termas eu iria escolher a piscina mais distante dos outros dois sujeitos que se banhavam, porque nesses momentos de relaxamento não gosto de ser incomodada por bisbilhoteiros ou pessoas escandalosas. Logo iria despir-me por completo e entrar pouco a pouco na fonte, primeiro um pé, depois no outro, e ir afundando esticando as pernas para frente deixando minhas costas encostadas na borda da piscina desde que não me queimasse, com os braços dobrados acima da borda, submergindo quase que todo o corpo, ficando apenas com a parte superior dos ombros acima da água, me permitindo soltar alguns gemidinhos e suspiros de prazer, aproveitando a fonte natural de água em contato com minha pele.

"E pensar que haveria um lugar assim em Aracne" Refletindo sobre o fato dessa ilha estar tomada por aranhas, mas nessas fontes a sua quantidade ser bem reduzida. - Você não vem? - Virando meu rosto em direção a Vick iria questioná-la se caso não tivesse entrado na piscina junto de mim, as maçãs de meu rosto estaria um pouco avermelhadas e meus semicerrados por causa do momento relaxante. - Se tentarem nos incomodar, vai ser a última coisa que farão em vida, agora tente aproveitar um pouco, vai lhe ajudar a tirar toda tensão do corpo. - Responderia sorrindo satisfeita no caso de Vick se recusar a entrar por causa dos outros dois, e se o problema fosse eu, minha pessoa simplesmente iria virar de costas até ela adentrar a piscina.

Eu aproveitaria o restante da manhã para ficar uma generosa quantidade de tempo ali na piscina por vezes sentada próximo a borda e outras boiando no centro da piscina com a face voltada para o céu. E se caso Vick estivesse junto a mim. - Viu, não é tão ruim quanto parece ficar menos tensa. - Comentando com leveza na fala, até porque eu estaria bem leve e relaxada nesse momento, e talvez essas fontes possam relaxar a musculatura da face de Vick.

Próximo ao horário de almoçar eu deixaria a piscina, enrolar-me em uma toalha se caso houver e iria resfriar o corpo nas "cabanas de madeira", para então comer a refeição que fora preparada na estalagem e trazida por Vick até aqui, para assim podermos ter tempo de comer com calma, trocar de roupas e esperar o pequeno guia retornar para nós levar até o Eddie.

Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 
Post: 13


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptySab 20 Jun 2020, 23:22





Vick olhava para Kare, talvez sem entender de onde havia surgido aquela afirmação sobre ela gostar de Poky. - Ele é um companheiro assim como a Senhorita, mas também um comedor de travesseiros que merece ser repreendido. - Pokyun ? - A Doninha que estava estava lambendo suas patas se interrompia olhando para Kare.

>><<



- Só fiquei surpreso…. É a primeira vez que acontece. - Explicou o garoto devido às palavras de Kare.

>><<

Kare, completamente despida,entrou em uma das termas locais, não era uma quantidade exagerada, mas o suficiente para poder ficar longe da outra dupla. O rio aquecido flui de uma região mais acima e logo antes de chegar nas piscinas ele era dividido em diversos canais que reduziam sua velocidade e permitem um fluxo constantemente novo de água limpa e quente. A leve correnteza por ele gerado era como uma massagem suave na pele.

Vick por sua vez não parecia realmente ter problemas em entrar nas termas imitando desde o início os movimentos de Kare, a não ser pelo fato de não estar nua e sim o tempo todo enrolada em uma toalha branca.

Pouco a pouco elas se moviam para dentro da banheira, enquanto deixava seus pés dentro podia sentir que no fundo havia algumas pedras perfeitamente arredondadas que forneciam uma gostasa sensação ao rolar pelas solas dos pés.

Poky por sua vez farejava a cesta que Vick havia trazido. - Sim, eu lhe trouxe frutinhas, mas elas são para mais tarde. - Vick o repreendia puxando a cesta para o alto afastando-a de Poky que reclamava e tentava correr para o outro lado e alcançar a cesta só para ser pego por trás do pescoço e colocado na água. Ele gritava enquanto era movido, pokyun pokyun pokyun pokyun  dizia ele, mas assim que seu corpo entrou em contato com a água quente e confortável ele se calou e relaxou e começou a boiar a esmo na fonte.

- A Senhorita pode se virar? - Vick falou quando estavam por fim completamente submergidas na fonte… Teria ela ficado agora com vergonha de Kare? - Se vire por favor Senhorita, de costas para mim. - Assim que Kare o fizesse sentiria o toque firme das mãos de Vick em suas costas, não eram como as mãos de Richard, eram mais fortes, mas igualmente sabiam onde tocar. - Se a Senhorita começar a gemer irei parar imediatamente, então se comporte. - Vick a ameaçava, porém não pararia por qualquer gemido, afinal entendia que uma boa massagem poderia realmente arrancar tais reações, na verdade se Kare começasse a exagerar nos gemidos ela não pararia, mas sim apertaria uma região da omoplata com um pouco a mais de força o que faria uma onda de dor fugaz correr pelas costas de Kare. - Sem gemidos Senhorita.


Vick teria espontaneamente se oferecido e na verdade após aproximadamente uma hora ela pararia. - Pronto senhorita. - Não era possível ver os olhos da empregada, pois seus óculos estavam completamente embaçados. Ela se levantava um pouco da fonte enrolando-se na toalha para sentar-se à beira. - Era costume de onde vim. - Ela mexia na cesta e retirava de dentro uma garrafa de cor verde de saque e dois pires. Revelando que essa era a tradição de qual falava. - A senhorita aceita? - Ela iria então servir ambos os pires alcançando um para Kare e na sequência soltando algumas amoras nas pedras da beirada. - E a primeira vez que divido saque com alguém. - Permitiu-se escorregar novamente para dentro das termas. - Tome cuidado a noite Senhorita. - Diria ela revelando alguma preocupação, talvez novamente pela primeira vez.

>><<

A refeição não era muito substancial, composta realmente do que se espera em um piquenique. Havia pequenos sanduíches de pão branco cortados triangularmente e frutas, era uma refeição leve que caia bem com chá gelado que fora providenciado.

Não muito depois o jovem teria as vindo chamar.

>><<

- Então você é ela? - Estavam agora em um ponto limite oposto da cidade, tendo passado por um outro tipo de trilha e chegar em uma construção que lembrava um curral de madeira. Em alguns pontos da região eram possíveis se ver jaulas espalhadas com diversos tipos de animais e agora não só aranhas. - Me chamo Eddie. - A voz dele era tranquila, sua pele era bastante bronzeada, tinha um rosto retangular rígido e bem delineado com uma barba rala, seu cabelo de corte mais comprido era preso em um rabo de cavalo e suas vestes não combinavam com a dos outros moradores da ilha, pois vestia algo mais orientar, um quimono azul com padrões xadrez.


O sujeito não parecia ter as tendências mostradas por Nimura e Gerald, nem ao menos piscando ante a beleza de Kare. - Fui instruído pela Senhorita Sapphira em lhe prover um treinamento intensivo sobre doma. Devo dizer que talvez não lhe seja possível aprender tudo hoje e que também não irei aceitar reclamações quanto aos meus métodos. Por mais que você se julgue habilidosa não lhe colocarei treinar com algo que não julgue estar pronta. Também fui informado do seu compromisso a noite e não desejo ser o responsável por cancelá-lo. É provável que tenhamos 3 dias antes de você poder deixar a ilha, poderá voltar aqui em todos eles no período da tarde para praticar. - Ele tinha uma voz séria e grave o que acabava lembrando muito como era conversar com Vick, embora ele fosse muito mais falante que a empregada. - Se estiver bem com esses termos nós podemos começar.

Os animais disponíveis de se encontrar ali seriam inicialmente alguns macacos que gritavam em suas jaulas, estes pareciam possuir algumas feridas no corpo e eram bastante agressivos. - São poucas espécies que conseguem sobreviver na ilha por causa das aranhas, essa é uma delas. Esse foi capturado ontem e depois podemos testá-lo.

Alguns animais teriam chegado ali por viajantes, outros eram algumas aranhas com quase 1m de altura as quais também estavam em jaulas. E também havia um tigre. O local propriamente dito para doma era uma grande jaula metálica aos fundos da construção, com mais de 20m de largura. - Vamos iniciar assistindo um de meus aprendizes, irei lhe explicar os conceitos durante isso.

>><<

[Faça seu aprendizado, podemos também considerar que você poderá retornar nos próximos dias para se aprimorar.

>><<

Seria quase noite quando a seção houvesse terminado, Kare teria aproximadamente 1h para retornar a Estalagem e se preparar para a noite.




____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptySeg 22 Jun 2020, 17:38




Não conseguiria conter uma risada cômica e divertida tendo de esconder a boca com as costas do dedos dobrados, vendo a batalha que Vick travava com Poky. - Vocês dois realmente se dão bem. - Comentando com um ar de divertimento na voz, vendo que no fim tudo se encerrava pacificamente com as frutinhas intactas e Poky aproveitando a terma.

- Não é de propósito… Mas farei o possível para evitar. - Iria comentar com as bochechas infladas de ar, irritada como uma criança mimada, mas isso logo passaria quando Vick apertava-me os ombros de forma bem relaxante. - Aarrrrfff… É muito agradável, e relaxante. - Estaria me forçando a não gemer de maneira escandalosa, mas deixaria um longo suspiro fluir de meus pulmões até a boca, apoiando minhas costas em Vick, e deitando com a cabeça apoiada no ombro próximo a clavícula e pescoço da morena, não estaria tentando nada de indecente, apenas relaxando todo o corpo coberto pela água quente. - Poderia continuar por mais algum tempo? - Com meus olhos quase que totalmente diria bem baixinho com a voz soando calmamente e de maneira reconfortante, respirando bem fundo tentando somente aproveitar o momento, esfregando toda a sola dos pés, os dedos, calcanhares nas pedras ovaladas, enquanto recebia a reconfortante massagem de Vick.

Após mais alguns minutos de massagem nos ombros e onde mais Vick quisesse iria virar-me para sua direção, e com uma mão iria gentilmente tocar o lado esquerdo de seu rosto fazendo carinho com o polegar, e então beijaria de maneira inocente e afetiva sua bochecha esquerda. - Obrigada por cuidar de mim. - Não pensei, apenas essas palavras saíram de minha boca, num tom doce sem qualquer malícia, enquanto lentamente me afastava e me sentei ao lado dela, para compartilharmos o saquê. - Na verdade, eu também nunca o dividi com alguém, mas fico satisfeita que você seja a primeira. - Iria sorrir de maneira muito amigável e erguer o pires de saquê como se fosse um brinde antes de tomar. "...por quê eu passei a me importar tanto?" Eu não entendia o que estava acontecendo perfeitamente, antes eu apenas podia enxergar a mim mesma e meus pais, mas agora Vick é alguém que também não consigo mais deixar de ver. Outra parte da cena que não poderia simplesmente ignorar era a preocupação dela. - Hunpf! Como se algo insignificante pudesse me afetar. - Com um sorriso genuinamente propositalmente no rosto iria arrebitar o nariz e dizer num tom pouco mais divertido.


- Agora é minha vez de lhe retribuir o favor, apoie suas costas em mim, não vou fazer nada impertinente. - Iria parecer bastante obstinada com esse objetivo. - Recusas estão negadas. - Continuaria incisiva, caso houvesse mais resistência. - Pode se afastar quando quiser caso não se sinta confortável. - Se as Recusas continuassem iria simplesmente desistir. - Tanto faz. - Dando de ombros.

Se Vick por aceitasse eu iria primeiro retirar-lhe os óculos e deixá-los guardados cuidadosamente próximo a cesta. - Você não precisará deles por enquanto. - Usaria o dedo indicador para cobrir a boca dela no caso de Vick protestar dizendo com num tom calmo e confiante. Então iria afastar minhas pernas uma da outra, esperando que Vick se sentasse de costas para mim, então de maneira gentil iria lhe envolver pelo abdome e trazê-la para mim, deixando nós duas definitivamente próximas. - Feche seus olhos, e não pense em mais nada, apenas sinta esse momento, a água quente lhe cobrindo o corpo. - Diria bem próximo ao ouvido dela, mantendo o tom bem baixo e reconfortante, em seguida iria afagar cabeça e cabelos com os dedos bem devagar, trazendo sua cabeça para próximo de meus ombros. - Esqueça todas as suas preocupações, e tente apenas descansar vosso corpo e mente. - Com a voz adocicada soando cada vez com maior delicadeza iria suavizar os afagos em seus cabelos, mas manteria um aperto mais acolhedor na barriga tentando transmitir a sensação de proteção. - Eu estou lhe protegendo agora, então não precisa hesitar em relaxar totalmente, esfregue seus pés contra as pedras e aproveite esse momento ao máximo para descansar, pois não deixarei que nada te aconteça enquanto estivermos assim. - E assim se encerraria meus discurso, agora apenas manteria Vick acolhida a mim, enquanto lhe faço carinhos e a mantenho por um bom tempo junto a mim.

>><<

Aprendizado de perícia: Doma.

Eu não poderia ter tido um professor mais irritante… Revirava os olhos entediada sem a mínima intenção de esconder o desgosto que eu sentia por aquele comportamento autoritário como se quisesse mandar em algo. - Três tardes aqui é muito além do necessário. - Diria após suspirar irritadiça num ar esnobe repleto de convencimento. Apesar de estar desgostosa com meu atual instrutor eu lhe cedi meus ouvidos para aceitar os ensinamentos, afinal eu somente queria ficar a menor quantidade de tempo possível no local, e retornar três dias estava fora de cogitação, ao menos era assim que imaginei de início.

O primata hostil, não, não estou falando de Eddie, havia sido meu primeiro passo, segundo os ensinamentos do instrutor eu deveria me impor em cena, não demonstrar vulnerabilidade, assim como não deveria assustar o animal, mantendo-me evitando de fazer movimentos súbitos e/ou bruscos. A teoria era perfeita, a prática deu um pouco mais de trabalho, o macaco estava enjaulado até pouco e era naturalmente agressivo com outros seres, talvez consequência da convivência e batalhas com as aranhas da ilha. E a todo momento ele tentava me intimidar, seja urrando, batendo no peito, ou ficando de pé tentando parecer mais alto, enquanto eu precisei ficar o tempo todo ali mantendo contato visual, com apenas algumas frutas em mãos, aos poucos eu pareci ter ganho a confiança dele, apesar de algumas vezes ele ter me ameaçado com agressões física eu me mantive imponente mas sem oferecer perigo evitando que a ameaça fosse concretizada, após algum tempo conseguia me aproximar até poder trocá-lo e eventualmente fazê-lo comer em minha mão. Após ter tido esse primeiro contato bem sucedido não tive maiores problemas com o primata, desde que eu não o assustasse e mantivesse-me calma ele não tinha reações hostis hostilidade.

Com o aracnídeo a experiência não foi tão diferente, apesar de que as táticas da aranha em me intimidar eram diferentes, exibindo suas quelíceras e fazendo um barulho semelhante a um rosnado, assim como também ela era mais reativa a mim, com o mínimo movimento de meu corpo a aranha já se "armava", precisei ter mais cuidado, e a relação se estabeleceu principalmente pelas iscas que Eddie me deu, a aproximação foi lenta e eu precisava atraí-la ao invés de invadir seu "território", e mesmo após eu ter estabelecido o primeiro contato bem sucedido ainda era alvo de mordidas e ataques surpresos, talvez algo inato à natureza dos aracnídeos, mas os ataques da aranha eram facilmente evitados, afinal eu era mais ágil do que ela. Eu demorei mais tempo para lidar com ela do que com o primata, primeiro eu conseguia atraí-la até mim com maior facilidade graças as iscas, e depois havia sido capaz de aproximar-se, e com certa paciência os ataques sorrateiros cessaram-se.

Mas o tigre, ele havia sido meu inexplicável ponto fraco, com aquelas orelhinhas e patinhas almofadas, era como um gatinho gigante. "Por que tão adorável?" Meu aprendizado com ele iniciou-se no dia seguinte onde eu precisei levar minha lança, por orientação de Eddie, mas não para atacá-lo e sim desviar sua atenção de mim, pois aquele tipo de animal era um predador nato, então eu não podia usar apenas a tática comum de aproximação, precisava também "confundi-lo", desviando sua atenção entre mim, a lança erguida, e as iscas, assim a reação natural dele era de esperar para analisar a situação ao invés de atacar, e assim pude me aproximar sem que ele sentisse ameaçado e por consequência me ameaçasse. O primeiro contato com ele foi o mais demorado, era como se o felino demorasse a me reconhecer como a mais forte ali, primeiro eu o fiz comer as iscas algumas vezes, e somente depois eu pude tocá-lo sem que ele reagisse de maneira hostil, e diferente da aranha depois de ter ganho a confiança do felino ele não me atacava de surpresa. Apesar de que suas demonstrações de afeto e brincadeiras eram um tanto perigosas, a ponto de quase ter me ferido algumas vezes não intencionalmente, então eu o precisei fazer entender que não deveria agir assim mesmo sem agressividade, o recompensando com iscas toda vez que permanecia manso e aceitava meus toques sem brincar de morder e arranhar. Esse processo teria durado toda a tarde do segundo dia.

- Talvez eu volte amanhã. - Dizendo de maneira arrogante para Eddie enquanto desviava o olhar na direção do felino. "Porque aquelas orelhinhas felpudas parecem tão adoráveis…" Abraçando o próprio corpo com um pouco mais de força para conter a vontade de apertar o gatinho gigante.

Fim do aprendizado.

Deixando as jaulas, animais enraivecidos, e o instrutor metido para trás, eu retornaria para a estalagem, aproveitando para banhar-me tirando odores do animal irritante, e nem estou falando do tigre ou do macaco, me certificando de limpar todo o corpo, e apesar de ter um baixo nível eu iria trajar o vestido preto (conjunto). "Tsc… Eu preciso usar roupas descartáveis quando for voltar naquele lugar" Afinal imagino que o odor dos animais durante a aula de doma teria se impregnado nas vestes.

Estando devidamente limpa e banhada, se houvesse tempo eu iria jantar escolhendo o prato do dia se houver  algo ou então aceitaria sugestões de algum funcionário. No mais eu apenas iria aguardar em frente à estalagem esperando o guia para levar-me até a regente, nesse momento eu teria um discreto sorriso em meus lábios, em contrapartida eu estaria bem satisfeita com o ato que acredito estar por vir.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 

Post: 14


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Furry
Game Master
Game Master
Furry

Créditos : 62
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptySeg 22 Jun 2020, 21:20






- É claro Senhorita. - Vick acatou o pedido de Kare e por bastante tempo massageava a jovem morena, bem… Realmente ela estava podendo tirar bons momentos de relaxamento, pois não havia sido a muito tempo que também havia podido aproveitar uma certa ilha paradisíaca com uma certa loira oxigenada????? Trigered pela Lícia.

Vick não precisou nenhuma vez apertar-lhe com força, embora em alguns momentos tenha pedido a Kare que se afastasse um pouco para que pudesse alcançar outras regiões das costas dela. Passou-se um bom tempo assim, muito embora para Kare fosse realmente impossível dizer. Sua mente havia se desligado e distanciado, o som da água correndo era um dos poucos sons audíveis naquele lugar, pois mesmo os turistas que chegavam mantinham-se em silêncio. Poky também boiava relaxadamente, sendo um incômodo apenas em um breve momento que saiu das águas e se sacudiu do lado de fora, mas devido ao relaxamento Kare sequer percebeu, embora Vick não tenha ficado muito contente com a doninha.

Uma hora se passou, já fazia algum tempo que Vick havia parado de massagear, mas Kare continuava com seu corpo deitado sobre o da outra mulher. - Senhorita? Terminei. - Vick falou baixinho tirando Kare do estupor que se encontrava.

Ao se afastar e antes de Vick se levantar a jovem levou sua mão de forma carinhosa ao rosto da ex-empregada agradecendo-a, não só por aquilo, mas por tudo que vinha fazendo. Vick não se afastou do toque, permitiu que a mão da jovem se aproximasse do seu rosto sem qualquer medo ou receio como já havia demonstrado em vezes passadas. - Não precisa se preocupar com isso Senhorita.   - Disse pouco antes de pegar o saquê.

- Tentarei me lembrar disso Senhorita. - Aceitava a resposta "humilde" de Kare a sua preocupação.

Vick parou por um momento no instante seguinte, como se fosse-lhe realmente dificil absorver aquelas palavras que ouvia de Kare, a morena por sua vez estava decidida e Vick logo percebeu isso em seu olhar. Sentada quase que completamente imersa ela se moveu como Kare a ''mandava'' e posicionou-se a frente da outra.

Vick fechava então seus olhos e aguardava as palavras de Kare, seguindo-a como se fosse um daqueles processos de hipnose, na verdade isso era inclusive o que Vick pensava ser, e por tal motivo tinha aceitado, suspeitando que Kare desejava apenas praticar com ela o que havia treinado por aqueles livros. - Espero que a Senhorita não me faça comer pedras. - Ela manifestou sua preocupação, mas havia riso em sua voz, ainda que tenha vindo com uma nota de cansaço extremamente discreta.

- Esse é um pedido um pouco difícil Senhorita… Esquecer minhas preocupações quando o que mais me preocupa é a Senhorita. - A fala havia sido sincera, não era nenhum tipo de deboche quanto qualquer possível incapacidade de Kare, era só um tipo de cuidado que vinha do coração daquela mulher sem expressão. - Farei o melhor. - Por fim concordou.

Kare a envolvia então com suas pernas, puxando-a contra si o que fez Vick largar um suspiro surpreso. - Achei que não iria fazer nada suspeito Senhorita. - No entanto, as palavras seguintes de Kare foram capazes de a deixar completamente desprovida de resposta e apenas um leve aceno de cabeça foi dado pela mulher, foi preciso quase um minuto inteiro, mas Kare finalmente sentiu o corpo de Vick se soltando em seu abraço, os ombros dela caíram levemente o seus braços se soltaram sobre as pernas de Kare, suas costas até então rígidas estavam agora completamente encostadas no busto da jovem.

Kare sentiu uma longa e profunda respiração vinda de sua amiga. - Desculpe Senhorita, eu não queria lhe preocupar. - Vick começou a falar após cerca de cinco minutos aninhada. - Obrigada. - Vick soltou-se um pouco mais, sua cabeça moveu-se para trás aninhando-se no ombro de Kare. - A Senhorita se importa se eu dormir um pouco? Não o faço desde que saímos de Flevance. - Obrigada Senhorita.

>><<

Tudo transcorreu bem nas duas tardes que Kare dedicou-se ao aprendizado, bem ao ponto de Eddie mudar parte do seu comportamento em relação a ela. - Você gostou mesmo do tigre não foi? - Ele dizia com humor em sua voz. - Mandarei dar banho nele pra amanha.

>><<

- Está tudo bem com a Senhorita? - Vick perguntou assim que viu o semblante de Kare.

- Sapphira lhe enviou isto. - Vick erguia um pacote de coloração vermelha. - Ela pediu que usasse. - Pedi também sua refeição enquanto estava no banho. - Assim como dito havia uma bandeja sobre a mesa.

>><<

O local para qual foi guiada seguiu-se para um pouco mais além do que as termas que antes haviam visitado, a floresta escura circundava e oprimia os sentidos, a sua frente apenas aquele mesmo garoto, mas desta vez ele não corria à frente enquanto a conduzia pelo caminho e até mesmo olhava nervoso para os lados vez ou outra. A trilha era bem formada, como todas até então e logo alcançaram um ponto com uma pequena construção. Uma guarita onde um homem estava sentado em uma cadeira de madeira, em sua cabeça um chapéu surrado e apoiado em seu ombro uma carabina. Nada foi dito por ele, seu olhar apenas se ergueu de encontro ao do garoto e com um simples sinal de cabeça ele assentiu.

- É só seguir por aqui. - O garoto falou, sua voz era apreensiva e muito diferente daquela alegre do dia anterior. Assim que deixou Kare ele desceu o caminho de volta correndo. O guarda apenas evitava olhá-la enquanto mantinha o portão aberto lhe dando passagem.

Silêncio… Era tudo o que existia, nenhum som era ouvido da floresta circundante. O caminho, assim como o anterior era iluminado por pequenas lanternas a óleo penduradas em postes de madeira em intervalos regulares, a lua não passava de uma nesga no céu, um pequeno fiapo do astro que quase desaparecia conforme as nuvens se moviam. No entanto, a ausência de ampla civilização junto a ausência da luz de outras fontes tornavam aquele céu um mar de pontos brilhantes.

O ambiente era quente e um pouco enevoado devido as vapores que se erguiam da terra, e também devido a esses era um local perfumado devido ao cheiro das ervas que se permeia a estes vapores.

Pouco a pouco o silêncio sepulcral começou a ser violado, de início um ruído indistinto, mas que logo se fazia entendível. Água, um fluxo corrente de água que assemelhava-se a uma pequena queda. Os ouvidos não lhe traíram, pois logo seus olhos revelavam aquilo que seu outro sentido havia antecipado.

Uma clareira se formava a frente, um reduto coberto por um pequeno e raso lago que se formava acima das termas que antes havia frequentado, na ponta oposta havia uma pequena queda d'água, está possuía pouca altura, mas era bastante larga, nessa mesma queda logo abaixo havia uma grande pedra chata na qual Kare podia ver depositado acima alguma pequena lamparinas fora do ponto onde a água caia e não só sobre a pedra, pois os mesmo focos de luz eram possíveis de serem vistos por trás da fina cortina de água.

Nas margens circundantes haviam vários postes cravados com chamas bruxuleantes queimando para iluminar o local, as pedras eram acumuladas ao redor do lago criando um tipo de mureta que circundava logo atrás dos postes. Essas pedras haviam sido removidas do leito o que havia deixado apenas areia fofa a ser tocada quando por fim entrasse. A água soltava pequenos vapores, talvez levemente mais quente que as termas abaixo, mas ainda muito confortável.

Sobre seus pés um manto de folhas secas de coloração avermelhada, seus olhos também conseguiam captar a única coisa que destoava do restante, um pequeno balde metálico com uma garrafa dentro.

- Que bom que você veio. - da outra margem, por entre as árvores soa a voz de Sapphira, o brilho dos seus olhos refletindo as chamas é o primeiro a ser visto por Kare. A mulher parecia muito como antes, mas sua roupa desta vez era muito mais singela, mas nem por isso de mal gosto. Um vestido simples de cor prata feito de cetim com um caimento solto ao redor do corpo da mulher. Sapphira possuía curvas atraentes, obviamente não tão bem formadas quanto as de Kare, mas ainda assim bonitas. Seu corpo ainda mantinha o formato violão tão apreciado, seu busto era levemente menor que o da jovem, mas formava um suave contorno convidativo por de trás da roupa. - Gostou do presente?   - Ela perguntou sobre o vestido.

O lado as separava, mas não por muito tempo, Sapphira logo leva ambas as mãos as finas alças que sustentam sua roupa e as permite escorregar para o lado, o tecido desliza suavemente por seu corpo enquanto ela tira a ''coleira'' de cetim que estava em seu pescoço. Com um andar lento começa a andar para a terma erguendo seu braço e soltando a "coleira" que cai suavemente no chão. - Essa é minha fonte privada. - Explica assim que seus pés entram na água, Kare ouve o som da água a cada passo da regente.

Sapphira caminha meio lateralmente a Kare enquanto se move em direção a pedra chata junto a pequena cascata. - Você é a primeira convidada a este reduto. - Sapphira anda lentamente, suas mãos deslizam apenas com as pontas dos dedos sobre a água enquanto ela se move sem olhar para Kare.

A pouco mais de um metro ela para, ficando de costas para a morena enquanto mantém seu olhar na água que cai a sua frente. - Adoro as noites sem luar. - conversava enquanto parecia aguardar a outra parte. - Elas são sempre as mais …. Perigosas.


>><<

Assim que Kare se aproximasse a regente iria se virar, sua mão seria estendida em direção a morena. Um sorriso perigoso flutuava em seu rosto, assim como o brilho cruel em seus olhos negros. A sensação de opressão era ainda mais forte agora, era como se a floresta inteira se calasse para não atrair a atenção de um predador perigoso.

Quando Kare estendesse a mão sentiria no mesmo instante um forte aperto em seu pulso e seu corpo ficando leve ao ser jogada em direção a pedra lisa a frente e logo sendo prensada ali pelo corpo nu de Sapphira. Não houvera dor e sim somente um possível susto pelo movimento repentino.

Sapphira era forte, na verdade a força física da mulher estava muito além do que qualquer outro que ela já houvesse enfrentado, Varus? O bárbaro na floresta? August? Glutt? Não. Nenhum deles sequer chegava perto daquela força por ela demonstrada.

A outra mão da regente moveu-se puxando os cabelos de Kare de modo que o pescoço da jovem era agora completamente exposto. Estava meio sentada sobre a pedra e com o corpo inclinado para trás pelo puxão, Sapphira havia se enfiado no meio de suas pernas e sua voz tinha agora um sibilar.

- Você… - os lábios de Sapphira tocaram o pescoço da jovem enquanto sua mão apertava-se em seu cabelo e pulso. - É também a primeira mulher que me desperta. - Ela beijou e mordeu o pescoço de Kare com voracidade. - A primeira que me desperta o desejo de possuir. - Se afastou um pouco liberando um pouco o aperto de modo que podia agora se olhar nos olhos, os seus novamente vermelhos. - Não imaginei que chegaríamos a isso. - ela largou o pulso de Kare, mas manteve o aperto no cabelo. Sua mão começou a deslizar no corpo da morena subindo em direção ao seu pescoço. - Você… ahhh…   - a mão dela se apertou sob o seio de Kare. - Eu não fui completamente honesta com você… Eu tenho um outro nome. - A mão continuou subindo até chegar ao pescoço de Kare, onde o envolveu em um sutil aperto. - Greedy, a Ganancia. - sua voz havia assumido uma perversidade sem fim. - E como tal. - Ela puxou novamente os cabelos de Kare, apenas firmando seu domínio. - Eu desejo tudo, e muito além do que possuo agora, inclusive o que pertence a Lust e vi essa sede em você. - Sua mão largou os cabelos de Kare. - Em você que acendeu um desejo que nunca antes tive. - Afastou-se um pouco e um sorriso brotou brilhante em seus lábios. - Eu quero sentir as palavras que você ontem proferiu, me mostre. - Ela continuou andando para trás e então largou seu corpo flutuando para longe de Kare enquanto a olhava com olhos sedentos.



____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 EmptyTer 23 Jun 2020, 13:30





- De forma alguma. - Com a suavizada como um cochicho quase inaudível teria respondido Vick sobre ela adormecer em meus braços, continuaria a acariciar os cabelos com os toques dos dedos cada vez mais sutis, até ela ser agraciada pelo sono, momento o qual interromperia os afagos e passaria apenas a mantê-la cuidadosamente confortável entre minha clavícula e busto. Não teria me deixado irritar pelos comentários anteriores, apesar de realmente me incomodar com eles. " Como minha pessoa pode causar tantos problemas para alguém." Era uma sensação sem nenhum tipo de agrado para mim, e parecia ainda pior por se tratar desta que está em meus braços agora. Fitando-a com um ar de ternura enquanto está adormecida sob a proteção de minhas pernas iria sem perceber esboçar um sorriso pequeno porém com muita gentileza expressa, então me permitiria apoiar minha o lado de meu rosto no topo de sua cabeça com cautela para não acordá-la, e fecharia os olhos por poucos minutos, compartilhando do momento pacífico, então de maneira lenta iria abri-los parcialmente, continuando a mantê-la segura até que acordasse.

>><<

Com os olhos bem abertos e brilhando num ar de fofura virei o rosto na direção de Eddie, com as bochechas mais cheias e ruborizadas,  e acenei que "Sim" duas vezes movendo a cabeça para cima e para baixo, mantendo as mãos juntas em frente ao corpo. E o comentário seguinte de Eddie me faria sorrir genuinamente alegre, sem conseguir conter a felicidade e começar a mover o corpo de um lado para outro um pouco ansiosa por querer brincar com o tigre limpinho no dia seguinte.

>><<

- Na verdade minhas preocupações acabaram de se esvair. - Responderia Vick segurando o vestido que estava dentro do embrulho pelas alças finas com os polegares, observando-o um pouco melhor e alguns segundos depois sorrindo com discreta malícia nos lábios, e apesar apesar das características um tanto apelativas daquela vestimenta meus olhos refletiam satisfação.

Assim teria jantado no quarto e agora já trajando o vestido presenteado por Sapphira estaria junto ao "valente" guia naquele trajeto obscurecido. - Sabia que muitos dos animais podem sentir o medo nas pessoas? Mesmo que os mundanos tentem escondê-lo, então o segredo para lidar com situações assim é conseguir controlá-lo. - Teria dito calmamente ao acaso ainda na companhia do garoto, fazendo parecer que as palavras não seriam para ele em específico, esperando por alguma reação que pudesse me entreter até chegarmos ao local ou pelo menos tentando não fazê-lo surtar por causa do medo.

Dali teria apenas acenado de maneira afirmativa com a cabeça exibindo um sorriso aparente na boca e seguido em frente como orientado pelo guia. A sensação de estar caminhando por aquela fonte com tão pouca iluminação não era muito diferente do segmento anterior, o silêncio opressor na trilha de lamparinas, o mistério de apenas seguir em frente rumo ao desconhecida, ainda com nada além naquele vestido tão fino e soltinho no corpo, meu corpo até tremia um pouco de tamanha excitação estando ali aparentemente tão vulnerável.

- Como poderia eu não vir, sabendo o quanto você precisa de certos cuidados… - Comentando calmamente com palavras sendo ditas devagar num tom provocativo. - É um vestido adorável e confortável de se vestir, porém eu tenho fortes razões para acreditar que ele não foi escolhido para eu trajá-lo por muito tempo. - Dizendo ainda com o ar malicioso, enquanto meus olhos iriam percorrer meu corpo embrulhado como um presente naquele vestido vermelho, e numa forma de tentar demonstrar meu ponto de vista, iria colocar os dedos indicadores por dentro e das alças e simplesmente movê-las para fora dos ombros, deixando o vestido escorregar suavemente por meu corpo, como uma maneira travessa de mostrar o quão fácil era tirá-lo. E ainda com o vestido a deslizar pela superfície do corpo começaria a desfilar em direção da regente, exibindo meu rebolado natural mas que naquele momento o movimento do quadril estaria mais acentuado e chamativo, enquanto o vestido iria caindo a cada passo dado em direção a Sapphira, primeiro escorregando abaixo do busto, em seguida descendo por minha cintura até finalmente cair sobre os calcanhares a poucos passos de chegar até fonte esfumaçada de água quente.

- Neste caso preciso demonstrar o quanto me sinto contente por ser convidada a este recinto. - Respondendo perversamente os comentários de Sapphira sobre eu a ser a primeira a estar aqui.  E estava novamente eu diante aqueles olhos tiranos cheios de ansiedade para devorar a presa que adentrou de bom grado em seu território, sim, eu posso afirmar isso, pois é da mesma maneira que me sinto agora, não conseguindo nem mesmo piscar diante o fascínio, me fazendo arrepiar e estremecer prazerosamente. - Você é o que há de mais perigoso aqui... - Meu coração acelerava fazendo o corpo e as respirações se aquecerem. - E isso me deixa tão estimulada. - Dizendo em meio um gemido tortuoso de pura satisfação a lascividade.

Lhe cedi fragilmente minha mão, apenas para ser oprimida contra a pedra, antes de ter tempo para me assustar ou suspirar já me via sendo atacada pelas presas Sapphira cravadas em meu pescoço vulnerável, ficando a mercê de seu esmagadora presença. Não me contive, ou melhor, não tive tempo ou forças para me conter, quando o aperto mútuo do pescoço e cabelo foram cravados toda líbido logo foi exposta, altos gemidos longos e obscenos preenchidos pelo misto de dor com prazer intenso me fazia contorcer o corpo e revirar os olhos, minha única reação foi firmar as mãos com as pontas dos dedos entrelaçadas atrás da cabeça de Sapphira e apertá-la puxando-a em minha direção, fazendo o mesmo com uma de minhas pernas entrelaçando-a por detrás da coxa, querendo que ela continuasse a me consumir com toda aquela voracidade estimulante.

Apoiada com as costas na pedra enquanto a água estaria a escorrer das cascatas acima até meu corpo, iria permanecer ali por alguns segundos com os olhos quase cerrados e um largo sorriso luxurioso estampado na face, seria uma combinação de alívio pela água aquecida percorrendo os pescoço recém atacado e sensível pelas presas violentas, mas ao mesmo tempo era frustrante e eu a desejava muito mais, uma vontade insaciável de tê-la a me consumir impetuosamente sem qualquer inibição, levando os dedos até o pescoço na região dolorida, iria diminuir a frequência de respirações, mas elas seriam mais longas e ardentes. - Interessante… - Eu estava com a mente dominada com todas aquelas sensações, que mal podia escutar o que ela me dizia, mas definitivamente eu havia compreendido a mensagem passada por aquele ato. - Muito interessante…. - Cerrando os dentes com força começaria a rir como uma diaba a deliciar-se de agonias abaixando a cabeça de modo que os cabelos molhados iriam cobrir os olhos, mas neste caso era eu quem estava atormentada, a situação mudava drasticamente com a revelação feita, eu sentia raiva por ela ter me escondido algo, ao mesmo tempo queria destruí-la por inteira por ser um de meus alvos, a racionalidade fugia momentaneamente de meu ser, enquanto eu me deleitava na própria insanidade, e não iria me conter, pois apesar de tantos pensamentos e ações conflitantes que assolavam-me tanto em corpo quanto mente, havia uma semelhança, sim, tantos estímulos, e todos me faziam arder, queimar, um incêndio parecia alastrar-se de meu íntimo até o exterior, meu corpo estaria a tremer diante tanta excitação, eu teria mantido o controle, mas não pela razão e sim pelos sentimentos perversos e ardentes, assim também iria perceber o quanto nada daquilo dito por Sapphira era relevante dada a situação, afinal eu não era capaz de enxergar nenhuma razão ou lógica em nós duas ali, ambas movidas apenas pelas emoções carnais, era assim que eu nos via, e foi justamente para saciar esse desejo mútuo que vim, se houver algo que necessite de nossa racionalidade para se resolver, não iríamos concluir.

Passando a mão na testa por debaixo dos cabelos eu os colocaria por trás da cabeça, para poder desejar a mulher em minha frente sem a mínima intenção de ser discreta, e novamente estando a caminhar devagar em sua direção para que eu tivesse tempo de admirá-la, o quanto estava tão ansiosa por mim. - A regente…? O pilar de uma grande organização criminosa…? Pfff! Tolice! - Me ergueria impondo-me diante Sapphira, com os ombros abertos encarando-a intensamente com olhos cheios de repúdio, enquanto nossas faces estão intimamente próximas, e minhas palavras soariam carregadas de um deboche ácido. - Diante mim nesse momento, apenas vejo uma mulher  gananciosa e devassa, muito cobiçosa por ter suas necessidades e desejos saciados. - Agora fazendo minha voz soar com maior perversão ao invés de desprezo, me permitiria a sorrir satisfeita, fitando-a com certa piedade, ao mesmo tempo que levaria minha mão até a cintura de Sapphira e iria percorrê-la até a altura dos ombros acariciando o corpo dela com toques firmes e despudorados, então continuaria o percurso até seu pescoço envolvendo-o em um aperto indelicado. - Não que eu esteja diferente. - Ainda mantendo o clima perverso e sombrio iria segurar no pulso de Sapphira com a mão livre e fazê-la percorrer meu quadril até abaixo do umbigo, e pressionaria minhas coxas uma na outra, mantendo os dedos dela tocando-me intimamente, mostrando-a o quanto também desejo ser saciada. E com meus dedos envolvendo o pescoço de Sapphira simulando uma coleira iria tomar seus lábios em um beijo profundo, puxando-a minha direção enquanto nossas línguas iriam dançar instigando-a aventurar-se nessa nova descoberta para si, tentando fazer a água aquecida que nos envolve parecer gelada em comparação ao calor produzido por nosso beijo, então iria o lábio inferior de Sapphira e puxá-lo, enquanto minha mão sairia de seu pescoço indo até a nuca pouco abaixo da cabeça, para que eu pudesse lhe apertar os cabelos e puxá-la para trás.

- Mas felizmente eu me sinto muito disposta e estimulada a fazer com todas vossas necessidades sejam supridas com intenso deleite. - Dizendo em tom de serventia maliciosa, ainda com nossas bocas próximas, apenas para logo em seguida abocanhar-lhe o pescoço com voracidade, e massageando libidinosamente o busto farto, demonstrando toda minha generosidade as regiões mais sensíveis, os toques de meus dedos não seriam gentis ao torcer e puxar enquanto a palma aveludada de minha mão iria acaricía-la com firmeza, e em seguida suavizando o toque do dedo indicador movendo-o em círculos sobre a ponta da região sensível, tendo intenção de fazê-la farta-se com diversos estímulos. - Eu não posso lhe dar o que sua pessoa procura, eu posso dar muito mais, afinal eu não poderia satisfazê-la apenas com o necessário, irei fazê-la farta-se em uma abundância mas… Não contenha sua ganância agora, peça, deseje, me deixe provar o gosto de toda vossa ambição insaciável. - Com minha face colada a de Sapphira eu teria sussurrado devagar, com a voz luxuriosa e ardente, beijando, mordendo e até lambendo lentamente sua orelha entre uma palavra e outra, para que ela se perdesse um pouco em minhas palavras enquanto ainda estaria presa pelos cabelos com o corpo junto ao meu, e durante esse período eu estaria a estimular e brincar com minha outra mão, tudo para fazê-la me obedecer de bom grado e com muito prazer. - Então? - Ainda a provocando-a com a voz soando baixo próximo ao ouvido, iria lentamente descer a mão que não está no cabelo até o mais íntimo de Sapphira, e começaria a mover apenas um dedo para cima e para baixo, num ritmo desacelerado e suave. - Mas eu entendo, talvez vossa pessoa não seja tão gananciosa assim, e por isso devo deixá-la lidar com as próprias ambições. - Nesse momento o toque suave de meu dedo se tornaria ainda mais sutil, comigo o afastando da intimidade de Sapphira, mantendo apenas a ponta se movendo cada vez mais devagar ameaçando encerrar a noite por ali mesmo.

Com Sapphira fazendo seu pedido, eu iria nos levar de volta a pedra enquanto iríamos trocar outro beijos libidinoso durante o curso, mas dessa vez seria ela a ser pressionada. - Vossa pessoa não irá se arrepender, agora, apenas deleite-se com sua recompensa. - Diria com um certo convencimento sorrindo perversamente. Não iria mais torturá-la com jogos mentais ou estímulos, iria logo saciar toda sua ganância, levando minha boca e mão até os seios, onde iria estimulá-la chupando intensamente e percorrendo o ponto sensível com a língua, hora em círculos, hora deixando que apenas a pontinha da língua ficasse em contato com a pontinha do local sensível, enquanto minha mão esquerda estaria a apalpar seu seio direito, e com os dedos em forma de pinça iria pressionar a região de maior sensibilidade ao mesmo tempo que prossigo com a massagem, minha mão direita no entanto logo iria abaixo de seu umbigo, onde começaria a estimular com dois dedos atritando-os para cima e para baixo, e alternando com movimentos circulares, o toque apesar de macio seria bem audacioso e indiscreto, quando sentisse que meus dedos estivessem bem cobertos pelo mel da regente eu iria introduzi-los, movendo-os constantemente metade deles para dentro e para fora num ritmo rápido, mas ainda me contendo com a intensidade e velocidade de meus movimentos, para fazer Sapphira aproveitar essa sensação por um bom tempo, e assim permaneceria até que sua ganância fluísse para fora do corpo. Mas eu não iria para aqui, pois seria apenas o começo, agora eu aumentaria a voracidade que a chupo e pressiono, assim como a velocidade de penetração nos dedos e agora iria também usar o polegar da mão direita para excitá-la no local mais sensível de seu íntimo, movendo-o em círculos, e também eu iria pressioná-la com mais força contra a pedra como se quisesse devorá-la, para fazê-la aproveitar uma segunda vez seus desejos sendo saciados, e quando ela estivesse prestes a chegar novamente, nesse momento eu iria mordiscar e apertar com um pouco mais de força, além de introduzir os dedos mais fundo em seu interior.

Com a segunda vez de Sapphira tendo chegado, eu logo iria me certificar de abraçá-la no caso de suas pernas falharem, com uma das mãos passando por baixo do braço até o meio dos ombros nas costas, e a outra segurando com os dedos cravados abaixo do cóccix. - Estamos apenas começando Saph, a noite será muito agitada. - Comentando cheia de malícia com um sorriso travesso e muito libidinoso.


Histórico:
 
Perdas e Ganhos:
 
Objetivos:
 

Post: 15


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty
MensagemAssunto: Re: Apresentação 4 ~ Falência Articulada   Apresentação 4 ~ Falência Articulada - Página 3 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Apresentação 4 ~ Falência Articulada
Voltar ao Topo 
Página 3 de 8Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Grand Line - Paradise (Paradaisu) :: Farol-
Ir para: