One Piece RPG
Falência declarada - Página 7 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Bizarre Adventure: Welcome to the Jungle
Falência declarada - Página 7 Emptypor Achiles Hoje à(s) 00:26

» Masimos Titã Howker
Falência declarada - Página 7 Emptypor Marciano Ontem à(s) 23:47

» I - Dançando No Campo Minado
Falência declarada - Página 7 Emptypor Achiles Ontem à(s) 23:31

» Rumo à Grand Line?
Falência declarada - Página 7 Emptypor GM.Kekzy Ontem à(s) 22:10

» Cortes, Tiros e Socos, rumo a Grand Line!
Falência declarada - Página 7 Emptypor GM.Noskire Ontem à(s) 21:39

» Timbre Mudo
Falência declarada - Página 7 Emptypor Oni Ontem à(s) 20:07

» [MINI - Lily Ann] Rainha das Rosas
Falência declarada - Página 7 Emptypor Lily Ann Ontem à(s) 19:36

» Phantom Blood
Falência declarada - Página 7 Emptypor Rimuru Ontem à(s) 19:31

» [MINI- Kiryu] Cumprindo uma promessa.
Falência declarada - Página 7 Emptypor Shroud Ontem à(s) 17:54

» II - Armas Químicas & Poemas
Falência declarada - Página 7 Emptypor ADM.Ventus Ontem à(s) 17:43

» II - Aliados
Falência declarada - Página 7 Emptypor Bijin Ontem à(s) 17:32

» O começo do grande catálogo! Aventura na ilha das flores
Falência declarada - Página 7 Emptypor ADM.Tidus Ontem à(s) 17:14

» ☆☆I'm a motherf#$%in' starboy!☆☆
Falência declarada - Página 7 Emptypor CrowKuro Ontem à(s) 16:38

» [KIT] - Coldraz
Falência declarada - Página 7 Emptypor Blum Ontem à(s) 16:05

» 1° Versículo - Gadeus, os Ateus do Gadismo!
Falência declarada - Página 7 Emptypor ADM.Kiodo Ontem à(s) 15:47

» [Ficha] - Muffatu - Phil Magestic
Falência declarada - Página 7 Emptypor Muffatu Ontem à(s) 15:38

» Jade Blair
Falência declarada - Página 7 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 15:38

» Jade Blair
Falência declarada - Página 7 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 15:37

» A justiça não é cega!
Falência declarada - Página 7 Emptypor Van Ontem à(s) 14:18

» Cap. 2: Da alvorada ao Crepúsculo, os aspectos da liberdade surgem!
Falência declarada - Página 7 Emptypor Kenshin Himura Ontem à(s) 11:41



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


Compartilhe
 

 Falência declarada

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 73
Warn : Falência declarada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui

Falência declarada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Falência declarada   Falência declarada - Página 7 EmptySab 02 Fev 2019, 00:40

Relembrando a primeira mensagem :

Falência declarada

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Karelina Lawford. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
love.licia
Membro
Membro


Data de inscrição : 20/01/2019

Falência declarada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 7 EmptyTer 26 Nov 2019, 13:01

Me vejo a caminhar alguns passas atrás de Martha enquanto abotoo o casaco até fechá-lo colocando as mãos por dentro do bolso mantendo apenas os polegares para fora, com uma postura mais relaxada distraída observando a neve se a mesma estivesse a cair, tomando apenas cuidado para não sujar-me com a lama que ainda poderia estar no caminho, até escutar as poucas palavras da empregada.

Então retornando a realidade aceleria os passos até parar ao lado de Martha. - Não fiz nada que mereça ser exaltado, a sensação de estar em dúvida com alguém me desagrada, acredito que agora não exista mais pendências entre mim a senhora Badeaux. - Diria mantendo minha atenção voltada para frente, me sentindo um pouco entediada por não ter tido a oportunidade de testemunhar a reação de Bellatrix antes de partir. - E também meus olhos doem ao observar alguém com potencial desperdiçando o próprio talento em uma função que não condiz com o nível de habilidade pessoal. - Agora dizendo enquanto observo Martha por cima dos ombros com o canto dos olhos, querendo dizer que tais palavras também são direcionadas para ela, na verdade até mesmo uma parte de minha fala anterior poderia ter sido direcionada para a empregada.

>><<

Ainda com o ar de desinteresse me vejo chegando no ponto de encontro, no final a empregada se mostrou ainda mais útil resolvendo as formalidades com o segurança, o que me poupou uma conversa tediosamente desnecessária, e sem dar a menor a atenção para o homem que estava de guarda no local entrei no restaurante, apenas acenando para Martha por cima dos ombros. - Apenas certifique-se de retornar em segurança. - Dizendo sem demonstrar uma preocupação, sendo apenas uma cordialidade, e então segui caminhando como o de costume, mantendo a postura ereta apenas olhando superficialmente de cima o local e os frequentadores do restaurante, até que minha visão identificasse o Hen.

Seguiria o atendente até encontrar-me com Hen, e logo solto um sorriso de canto por vê-lo ainda a me esperar e despreocupadamente caminharia até ele sem demonstrar importar-me com o tempo que ele ficou ali. - Ótimo, você já está aqui, detestaria ter que esperá-lo sem saber se viria ou não. - Dizendo em tom de provocação por ter feito justamente o que acabei de falar com ele, e já esperando por algum comentário rude sobre meu atraso, e calmamente desabotoaria o casaco deixando-o cair de meus ombros o impedindo de cair no chão por causa dos braços, e escovaria meus cabelos para “arrumá-los” preferencialmente admirando-me em um espelho, então volto minha atenção para Hen inclinando sutilmente o tórax em sua direção. - Disseste algo? - Fingindo não entender o que ele havia acabado de falar, e esperando que minha vislumbrante aparência fosse suficiente para ao menos deixá-lo desconcertado, mantendo a provocação mas dessa vez com um tom de voz ligeiramente sedutor, e apesar da demora ainda esperaria ser elogiada por ele.

- Irá continuar a tratar-me com falta de cortesia ou dessa vez pretende me recepcionar apropriadamente como um cavalheiro. - Continuando com as implicâncias dessa vez para fazê-lo "me ajudar" a retirar o casaco e puxar a cadeira para minha pessoa sentar-se, e se assim ocorresse eu me viraria de costas para ele mantendo-me mais próxima que o necessário o olhando por cima do ombro com um sorriso de aprovação colocando o casaco de pele no encosto da cadeira, então sento-me na cadeira mantendo a coluna reta e cruzos pernas o que poderia fazer com que o vestido subisse um pouco revelando um pouco mais de minhas pernas, e esperando que Hen a empurrasse a cadeira na direção da mesa. - Obrigada pela gentileza. - Apesar das provocações dessa vez eu diria de maneira mais afetuosa enquanto olho para cima observando-o. Porém se ele não fizesse nada do tipo apenas manteria o sorriso sentaria-me na cadeira por mim mesma sem retirar o casaco totalmente. - Nada diferente do esperado.- Dizendo com um tom de irritantemente provocativo.

Assim que estivesse devidamente sentada na companhia de Hen, eu o observaria com ar de interesse e me sentindo um pouco ansiosa. - Então, por qual motivo fez com que eu viesse até aqui? - Dizendo casualmente apenas aguardando para que Hen conduzisse a conversa.


Histórico:
 
Objetivos:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Furry
Game Master
Game Master
GM.Furry

Créditos : 67
Warn : Falência declarada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Falência declarada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 7 EmptyTer 26 Nov 2019, 18:14




- Na verdade não foi um problema, eu estava com fome. - Henry respondia a Kare que agora que havia chego a mesa podia notar que já havia comida disposta sobre a mesma em uma completa e total falta de cortesia.  Era é claro apenas uma entrada, pão torrado e alguns molhos de diversos sabores, alguns em pasta outros parecendo mais com geléias. Havia ali também uma garrafa de vinho que já se encontrava pela metade. - E Gosto de ter tempo para pensar.

No entanto, enquanto Henry falava Kare já nem sequer mais o olhava tendo sido distraída por algo extremamente belo -- O seu reflexo em um dos espelhos próximos. Após dar-se conta que Henry havia se calado ela retorna para ele questionando-o se havia dito alto. - Hun? Não, não se preocupe. - ele ergueu a taça a boca com um sorriso desenhado em seus lábios. Aparentemente cachorros velhos também aprendem alguns truques e Henry parecia estar bem preparado para aquele encontro.

Kare no entanto não se dava por satisfeita e resolveu mais uma vez questioná-lo sobre sua cortesia para com uma dama magnífica que nem ela, ó, ele claramente havia notado isso e sorriu para ela. - Certo, é claro. Erro meu. - No entanto ele não se levanta, no lugar de fazer isso ele realiza um aceno com a mão chamando um dos funcionários que estava próximo. - Faça a gentileza e ajude a dama. - disse ele ao depositar novamente a taça na mesa e voltar seu olhar para os pãezinhos. - Espero que esteja com fome, estão uma delícia. - O som do pão torrado sendo mastigado era incrivelmente alto naquele ambiente.

Henry calmamente continuou a mastigar, enquanto isso Kare havia sido auxiliada pelo funcionário que agora também lhe servia uma taça de vinho. Se houvesse alguma reclamação de Kare sobre a descortesia de Henry ele apenas sorriu enquanto acenava para o ambiente. - Pago os outros para serem por mim. - Fez-se uma pequena pausa enquanto ele mordia novamente o pãozinho. - HNNNNN. - engoliu. - Prove esta, é apimentada, uma maravilha em um dia frio. - Henry apontou para o potinho com uma geleia avermelhada.

>><<

- Pra terminarmos a nossa conversa é claro, agora que você está mais confortável. - disse ele com leve ênfase na palavra. - Mas você deve estar com fome também. Porque não comemos antes? O camarão daqui é ótimo, eles tem uma excelente massa ao molho verde também. Mas se você quiser algo mais leve tem uma salada verde com frutas com um molho cítrico que é divina. - Henry parecia feliz, muito, mas muito feliz ao ponto que poderia chegar a ser irritante. Era como se ele tivesse passado uma tarde agradável romântica e revigorante. - Ah sim, gostei da roupa. Realmente esta ficou muito melhor que aquele vestido cinza… Espero que Martha tenha lhe sido útil.

Sem muito esperar por Kare ele fazia novamente sinal chamando ums dos funcionários locais. - Vou querer o de sempre e mais uma garrafa de vinho, um branco agora. - O garçom acenava, mas não anotava o pedido olhando para Kare. - A senhorita já se decidiu? Posso lhe recomendar algo se desejar!

>><<

Após o pedido Henry continuaria beliscando os pãezinhos. - O que achou de Bellatrix? Espero que vocês tenham se dado bem, ela é uma grande amiga minha. - Bebeu mais um pouco do vinho.

- Sua vez, pergunte algo se quiser.

O prato principal demoraria em torno de 20 minutos para ser servido, Henry parecia bem disposto e irritantemente alegre. O ambiente era aquecido e as mesas afastadas davam-lhes bastante privacidade para as conversas a não ser que alguém tivesse a descortesia de gritar. Não era possível ouvir nada concreto de qualquer mesa próxima a não ser o indistinto burburinho de conversas paralelas e os sons dos talheres.



____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
love.licia
Membro
Membro
love.licia

Créditos : 9
Warn : Falência declarada - Página 7 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 20

Falência declarada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 7 EmptyTer 26 Nov 2019, 20:33


A atitude do Hen ao chamar o garçom para auxiliar-me faz com que eu arqueie uma sombranchelha para ele estando realmente impressionada, aquele simples ato já havia superado minhas reais expectativas, porém demonstraria apenas indiferença e piedade por Hen, afinal ele perdeu a oportunidade de poder contemplar-me, sério que tipo de pessoa em sã consciência cometeria tal ultraje? Entretanto eu demonstraria toda minha gratidão ao garçom ao me sentar na cadeira o observando com um olhar de admiração. - Muitíssimo obrigada caro rapaz, nos tempos hoje tem se tornado muito árduo encontrar cavalheiros tão gentis feito vossa pessoa. - Mesmo sabendo que era apenas a função do garçom eu faria questão de elogiá-lo verdadeiramente, com tom de voz mais afetivo e de lamentação, para que ele sentisse “pena” de mim e ao mesmo tempo ficasse feliz com o agrado, enquanto propositalmente deslizo meus dedos lateralmente por cima do decote o que poderia desviar as atenções para o local e trazendo mais intensidade para minha “vitimização”, claro que tais atitudes por minha parte não seriam gratuitas assim, na verdade é apenas para atingir o Hen de alguma forma, me vendo ser incomumente afetuosa.

Os ruídos elevados de Hen mastigando o pão me deixaria muito incomodada, então eu começaria a observar o restaurante movendo o pescoço de um lado para o outro como se estivesse procurando por algo, olhando até mesmo para o teto, e diria confusa. - Que inusitado, posso jurar que estou ouvindo estalos da paredes, será que a estrutura daqui é realmente confiável... Oh! - Nesse momento minha atenção se volta para Hen, me fazendo ficar “envergonhada” e cobrir os lábios pelo “descuido”. - Que falta de atenção a minha, não pude perceber que era apenas você agindo normalmente. - A fala seria acompanhada de um risinho muito falso e debochado enquanto ainda permaneço com os lábios cobertos pelos dedos, sério, MUITO FALSO E DEBOCHADO, se possível coloca em um outdoor  só pra deixar claro o quanto quero transparecer esse ato de provocação, mas claro que seria apenas o começo, Hen tendo uma crise de estrelismo começou a fazer ainda mais escândalo, eu apenas manteria-me plenissima e elegantemente sentada lendo o cardápio deixando-o dar seu showzinho. - Imagino que os pratos servidos pelo chef do restaurante devem ser divinos, um simples pão faz com que vossa pessoa parece um canino esfomeado, posso dizer que estou ansiosa para degustar o menu. - Utilizando um tom de voz mais alto do que o normal mas sem gritar, apenas para chamar um pouco de atenção, e talvez conseguir a risada de algum funcionario que estivesse próxima, eu já me sentiria por satisfeita, mas sem esperar que Hen fosse se incomodar de fato, e como de costume o “elogio” seria acompanhada de um belo e simpático sorriso por minha parte, que até mesmo fecharia momentaneamente os olhos para parecer ainda mais carismática. - Por favor, peço que continue a deleitar-se com os aperitivos, não quero roubar vosso prazer em devorá-los animalescamente. - E como se nada estivesse acontecendo voltaria a prestar atenção no cardápio, visto que o objeto com certeza é mais civilizado que o “cavalheiro” com quem estou sentada.

>><<

- Não sabia que você também trabalhava de garçom aqui, visto o quanto conhece bem o cardápio acredito que vossa pessoa deva ser um funcionário bem eficiente. - O comentário irritante poderia ter sido evitado se Hen estivesse agindo normalmente, mas visto que ele está tentando irritar-me eu o rebaixaria a garçom apenas para continuar com a troca de irritações, apesar de ainda manter-me calma perante as atitudes infantis de Hen o elogio dele seria como uma flecha sendo disparada diretamente em meu orgulho, o que me deixaria imediatamente irritada e de mal humor. - Se gostou tanto assim dele, pode pegá-lo para si, ele ficaria ótimo em você. - Diria de maneira seca muita rispidez sem me importar se parecesse grosseiro, demonstrando meu total desprezo pelo elogio dele, mas sem dar explicações sobre o real motivo, afinal como ele pode elogiar só o vestido e esquecer da modelo magnífica que o veste, isso me deixa deveras irritadiça. - Posso dizer que estar na companhia de Martha foi agradável. - Dizendo brevemente apenas para cortar o assunto. “Ao contrário de você, quem nem elogiar alguém.” Apesar de ter muita vontade de transmitir meus pensamentos por fala, eu não quero deixar que ele sinta o prazer de me se divertir com minha raiva, e assim que o “verdadeiro” garçom viesse tirar nossos pedidos eu já teria decidido o que escolher para beber pelo menos. - Por gentileza eu gostaria de um suco de frutas vermelhas, sem açúcar por favor. - Por acreditar que o jantar duraria tempo de mais, afinal minha companhia faz um segundo parecer um século, eu opto por não ingerir nada alcoólico evitando o risco de ficar completamente bêbada por beber exageradamente com a intenção de fugir do tédio, e bom açúcar engorda, e a última coisa que preciso neste mundo são quilos extras. - E para comer eu gostaria de uma refeição mais leve que harmonize com a bebida, tem algo assim para me sugerir? - Apesar de Hen ter feito uma sugestão para esse tipo de prato, eu faria questão de perguntar ao garçom como mais um sinal de desinteresse por ele, e então aceitaria a sugestão mesmo se fosse igual ao prato que Hen sugeriu, assim que o funcionário se retirasse eu daria uma migalha de minha atenção para Hen. - Então no fim você é um cliente frequente deste local? O garçom saber qual seu pedido mesmo que vossa pessoa tenha feito informalmente me fez tirar tal conclusão, ou será que você sempre convida outras mulheres para esse restaurante. - Com um ar de provocação mais leve e saudável do que as implicações anteriores, eu o questiono casualmente para que ele não perceba que busco mais informações sobre ele, mesmo podendo imaginar que não receberia nenhuma informação útil com tal pergunta.

>><<

A pergunta de Hen sobre Bellatrix me deixaria paralisada por alguns segundos, engolindo a seco relembrando todos os trágicos momento que passei com ela, como por exemplo quase ser escorraçada da companhia logo quando a conheci e sobre ter sido ameaçada de morte caso meu plano com a Nic falhasse. - A Sra. Badeaux foi muito receptiva para com a minha pessoa, até poderia dizer que sinto algum afeto por ela, visto quão bem nós interagirmos. - Porém Hen poderia ver notar facilmente que minha fala não soava com naturalidade e que estou visivelmente nervosa, em outras palavras apenas um cego não veria que as palavras bonitas não condizem com meu semblante de nervosismo, até mesmo tomaria um gole do suco para falhamente disfarçar o nervosismo ou caso o suco ainda não tivesse sido servido eu comeria um pão enquanto olho para o lado igual uma criança que não sabe mentir.

Após o breve momento de nervosismo eu já estaria recomposta, eu o observaria com uma expressão de confusão. - Grandes amigos, realmente? Que estranho, ela não me falou nada sobre você, na verdade não recordo-me dela ter ao menos citado vosso nome, desculpe por isso, mas não foi essa a impressão que ela me transmitiu. - Agora eu utilizaria um tom de voz como se realmente estivesse com dúvida e desconfiada da situação, diferente da mentira anterior dessa vez eu realmente me esforçaria para convencê-lo de o que acabei de falar é a mais pura verdade,  apesar de não ser totalmente mentira, visto que a relação deles não é o que eu chamaria de “amizade”, mas nesse caso minha intenção era de causar dúvida em Hen, e fazer reconsiderar sobre as pessoas que ele chama de “amigos”. - Por acaso já fizeste algo que a deixasse magoada? Nesse caso seria compreensível a atitude dela. - E continuando com a atuação tentando cada vez mais veracidade para cena, tanto no tom de voz confuso e apreensivo quanto na expressão de dúvida, mas na realidade não passa de uma oportunidade para conseguir mais informações sobre o Hen e também uma forma de começar a abalar os relacionamentos dele, por mais que estivesse com vontade de esboçar um sorriso discreto e diabólico eu evitaria o máximo possível, para não dar qualquer indícios de que estou mentindo e/ou fingindo.


Histórico:
 
Objetivos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

- Fala. -
"Pensamento."
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Furry
Game Master
Game Master
GM.Furry

Créditos : 67
Warn : Falência declarada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Falência declarada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 7 EmptyQua 27 Nov 2019, 19:57




O atendente era simplesmente profissional, mas mesmo alguém treinado como ele não conseguia evitar totalmente o charme e a beleza da mulher a sua frente e acabava por sorrir ao comentário de Kare. Henry no entanto mostrava-se alheio perfeitamente distraído com seu crocantissississsississimo pãozinho com geléia apimentada. - Ao seu dispor senhorita. - respondeu o jovem atendente que devia estar por volta dos 19 anos de idade. Ele desviava muito sutilmente o olhar para acompanhar o movimento da mão de Kare e então completava. - Se precisar de qualquer coisa não hesite em chamar. - Fosse talvez uma coincidência coincidente ou outra coisa o nome do rapaz era Henrique. Ao menos, era o que estava escrito em um pequeno crachá junto ao bolso do peito esquerdo do seu uniforme.

>><<

- Ah… Hnn, Hnn, perdão. Ouvidos incríveis que você tem. - foi a resposta de Henry quanto a crítica sobre o quão alto era o barulho voltando a morder o pãozinho agora com muito mais sutileza. - Com uma audição dessas você deve escutar uma quebrando a vários metros de distância.

>><<

- A sim, claro. Esse para mim é um dos melhores restaurantes da cidade. Se não o melhor. Bom… é claro. Tem aquele restaurante no QG da marinha. - ele não explicou os motivos de não ir lá já que eram provavelmente fáceis de entender.

Henry havia respondido no mesmo tom de voz que estava utilizando desde o início, mesmo que Kare houvesse elevado levemente sua voz. Não houve risada por parte do atendente que lhes esperava, mas certamente a coluna ao lado direito a qual ele passou a encarar havia subitamente se tornado bastante interessante.

>><<

- Na verdade… - Henry movia a mão com um pãozinho entre os dedos. - Eu trabalhei aqui quando jovem. É um restaurante iconico. Está a muitas e muitas gerações em funcionamento. - Respondia ele como um guia turistico.

>><<

Henry não conseguiu evitar arregalar um pouco os olhos ao súbito rompante de irritação de Kare, aquele de fato era pra ser o único momento em que ela não devia explodir, mas ali estava, na frente dos seus olhos uma mulher que por mais que ele tentasse seria incapaz de compreender. A hesitação durou um tempo até que com um dar de ombros ele disse. - Tenho certeza que ele fica melhor em você do que em mim… Mas fico tentado a vê-la nua aqui. - Um sorriso bastante cafajeste surgiu no rosto dele antes que ele risse e completasse. - Estou brincando. Foi um presente, não o pegaria de volta.


>><<

O garçom anotou o pedido do suco de Kare, enquanto Henry lamentava. - É uma pena, os vinhos aqui são maravilhosos.

O garçom acabou por sugerir uma entrada de salada e um prato principal composto de salmão com um vinagrete de framboesa com um purê suave.

- A sim.. Eu janto aqui pelo menos umas três vezes por semana, geralmente a negócio. O ambiente é bem reservado e aconchegante para tratar dos mais diversos assuntos. - após uma pequena pausa pegando mais um pãozinho, este que já devia ser o décimo ele completa. - E eu gosto dos pãezinhos. - Apos terminar de mastigar ele terminou de explicar. - Algumas vezes são mulheres. Gostaria que fossem mais vezes.

>><<

- Que bom que vocês se entenderam. Depois que Martha a levou eu realmente fiquei preocupado. Mas isso não vem ao caso, felizmente eu estava enganado. - ele sorria e pela primeira vez demonstrava uma gentileza ao não ''notar'' o nervosismo de Kare.

- Hnnm. Estranho. - o olhar dele se mostrou levemente confuso ao Kare afirmar que Badeaux nada havia comentado sobre ele. - Bom, não há nada que se possa fazer, talvez você só não tenha escutado. Sabe? - ele agora pegava o vinho. - Você parecia bastante nervosa com a situação, mas não faz mal. Agora não é o momento pra se preocupar com isso.

>><<

- Magoada? Hnm… Essa é uma pergunta dificil responder. O que os anos me ensinaram é que é impossível saber o que pode ou não magoar ou irritar uma mulher. Principalmente mulheres com temperamento forte e determinadas como vocês. Hahaha, lembro ainda de um conselho que meu falecido pai me deu quando eu tinha… Uns 12 anos talvez. Ele disse: " Filho, se algum dia uma mulher que você goste estiver irritada com você não pense em nada, apenas se desculpe." Eu tentei insistir com ele, mas a resposta era sempre a mesma. "Não importa se você acha que não fez nada, ou que está certo. Se desculpe." Acho que ele tinha razão. Talvez eu passe lá pra me desculpar, hahahaha. - Ele bebeu mais um gole de vinho. - Espero não ter feito nada. - Disse por fim. - Mas deve estar tudo bem, se não ela não teria lhe ajudado…. Ou talvez sim, quem é que é capaz de entender a cabeça das mulheres. Eu até hoje não entendo porque ela adotou aquela garota…. Como era o nome… Nicolle? Acho que era esse. - Ele mais uma vez dava os ombros.

Durante este tempo a entrada chegou e foi desposta na mesa a frente deles. Por algum tempo Henry se manteve calado enquanto comia sua salada. Bom, ele era certamente um homem de grande apetite. Momentos mais tarde o prato principal foi servido.

Embora Henry houvesse indicado uma grande variedade de frutos do mar ele mesmo comia um grosso bife de carne vermelha com purê de apimentado.


(Momento que Kare pode puxar assuntos e respondo no último post, conversas triviais.)

>><<

Esperavam a sobremesa, mas Henry finalmente mostrava-se disposto a falar de negocios. Não havia agora nenhum atendente próximo e até mesmo o casal que antes estava sentada na mesa mais próxima havia ido embora.

- Bom, vamos aos negócios então. Como lhe expliquei mais cedo eu tenho esse esquema para achar pessoas com boas habilidades e interessadas em dinheiro e se você me desculpar… Que não tenham muitos dilemas morais. - Introduziu ele novamente o assunto. - O pessoal que a gente encontra se oferecendo para trabalhar por aqui….   - ele acenava negativamente com a cabeça. - Bom, você os viu. Não é possível confiar neles nem para proteger umas caixas de vinhos baratos.

Ele bebia agora o que havia restado do vinho branco. - Os trabalhos são diversos. O pagamento também é variável. Mas fica em média de 1 a 10 milhões. Isso depende é claro do serviço. Dar um susto em alguém é mais difícil que acabar com alguém por exemplo. Você sabe, a pessoa que se assusta pode não ficar tão assustada assim e decidir se vingar depois. - Ele explicava o que para ele era óbvio, mas que no entanto poderia não ser exatamente para Kare.   - No meu ramo há sempre a concorrência. Rasnak é bom o suficiente para lidar com a maioria, mas ele não tem muito tato. O negócio dele é entrar e matar todo mundo, falta um certo refinamento o qual eu não tenho esperança que ele atinja. Não posso mandar ele para a casa de um nobre por exemplo… A não ser é claro que eu queira o extermínio da família e a queima de todas as propriedades. As vezes eu preciso de um pouco mais de sutileza, uma abordagem mais discreta. Noutras é mais simples, mas acaba sendo um serviço muito grande para Rasnak sozinho e de acordo com ele os inúteis mais atrapalham do que ajudam em algo, não servem nem para gastar algumas balas dos capatazes.

Ele esperava para ver se Kare teria algo a perguntar ou caso contrario apenas continuaria explicando. - Claro que nesse primeiro momento você iria ir com o Rasnak, não posso simplesmente confiar que você vai fazer o serviço direito. Depois disso, com uma equipe mais qualificada penso em expandir, a bastante mercado nesse mar.

- E então, tem interesse? Se tiver prossigo com o serviço atual.


Ele aguardaria a resposta e se caso positiva explicaria a mesma. Havia um certo barão que estava causando problemas, tentando incitar outros pequenos produtores. Até então não havia havido problema já que os outros não estavam lhe dando muitos ouvidos, mas recentemente ele havia começado a contratar muitos homens e Henry queria posar a erva antes que ela se espalhasse.

Rasnak seria geralmente capaz de lidar com isso sozinho, mas já passavam de 20 capangas. Então seria bom ter um apoio competente visto que sozinho acabaria sobrando tempo para o barão fugir e os outros capangas de Henry não eram confiáveis para o serviço.

Kare devia ajudar com distrações que fossem facilitar o trabalho de Rasnak, mas principalmente impedir o barão de escapar. Também poderia ficar a cargo dela o susto no homem. Henry não o queria morto, apenas o pôr no seu devido lugar, ou seja, submisso. Como sinal de boa fé Henry daria um peque o adiantamento. Um décimo do servico para Kare poder se preparar. O restante seria pago na conclusão. O valor seria de 300k.

- O que me diz?

Ele também não entraria em detalhes como: quem era o barão e quaisquer informações particulares dele. Apenas dizendo que esses detalhes seriam tratados no dia seguinte no escritório dele a uma da tarde junto a Rasnak.




____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
love.licia
Membro
Membro
love.licia

Créditos : 9
Warn : Falência declarada - Página 7 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 20

Falência declarada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 7 EmptyQui 28 Nov 2019, 11:07



- A Nic tem as virtudes necessárias para ser uma atriz, a Sra. Badeaux provavelmente vizualizou o potencial, esse seria meu melhor palpite, não me aprofundei no relacionamento das duas para saber que se tratam de mãe e filha. - A resposta seria direta, mas não diria grosseiramente, apenas manteria a casualidade sem intenção de prolongar tais assuntos menos importantes mantendo-me reservada em uma zona de segurança para não expor informações desnecessárias para Hen, e também como uma forma de desviar o rumo da conversa visto que ele poderia suspeitar de mim se minha pessoa prosseguisse com a estratégia de fazê-lo questionar as próprias amizades enquanto tento descobrir algo, mantendo as informalidades durante os momentos de provocações e possíveis "flertes".

- Poderia começar melhorando os elogios, e não tentar irritar quem está o acompanhando, principalmente quando se espera construir algum relacionamento. - Dizendo com um tom ácido misto de repreensão e provocação. - Talvez eu até possa aceitar seu próximo convite, preferencialmente um local mais íntimo que permita a minha pessoa concretizar vossa tentação, claro que é apenas uma sugestão, então por enquanto satisfaça-se apenas com a própria imaginação do que anseia por visualizar. - Utilizando um tom de voz sedutoramente luxurioso, digo dando a entender que haveria um próximo encontro mesmo não aprovando tal possibilidade ainda sim é muito divertido para mim atiçar o Hen, além de que ser adorada é um ótimo exercício para o ego, eu esperaria por um momento oportuno onde mais ninguém além de Hen estivesse prestando atenção em mim  então tomaria em minhas mãos a taça de vinho dele curvando levemente o corpo para frente mantendo os ombros abertos para evidenciar meus seios, "bebendo" um gole que na verdade apenas molharia meus lábios deixando um pouco escorrer pelo canto da boca. - Ops, como sou descuidada, não consegui engolir tudo e acabei ficando com o rosto melado. - Esboçaria um sorriso perverso e limparia o líquido escorrendo pelo canto da boca usando o polegar, enquanto faço uma expressão erótica insinuando como se estivesse limpando outro tipo de fluido, então devolvo a taça para ele, voltando a agir normalmente apenas me deliciando com as possíveis reações de Hen, e quem sabe assim ele não se torne mais dócil e suscetível a ser obediente. - Gostaria de tentar recomeçar me dizendo algo? - Como de praste não perderia a oportunidade de atiça-lo, dessa vez esperando um elogio decente acompanhado por olhares de desejo.

>><<

Teria que fazer um esforço para me manter atenta as palavras de Hen pois apesar de estar demasiadamente interessada no assunto ainda é tedioso ficar escutando discursos longos. - No momento não me vejo com outras opções de conseguir recursos rápidos e fáceis, se fosse de minha vontade recusar vossa proposta nem de daria o esforço de vir. - Apesar de considerar o tema da conversa revelante por se tratar de futuros benefícios que minha pessoa pode conseguir, continua sendo difícil deixar de agir com arrogância comportando-me como se estivesse a controlar toda a situação. - O dinheiro não é a única coisa que busco, se eu acreditar que minha imagem ficará manchada, simplesmente me recusarei a executar minha função em vosso planejamento. - Dilemas morais não é algo que faço questão de prezar, principalmente quando se trata dos mundanos inferiores, porém eles ainda necessitam de idolatrar-me, então seria imprensável para mim aceitar algum tipo de trabalho que afete negativamente minha reputação com o público. - Essa é minha única exigência, se concordar dou-lhe a permissão para prosseguir. - Digo enquanto mantenho o comportamento confiante e um pouco autoritário por assim dizer.

- Desde que o cãozinho de guarda que irá colocar para vigiar-me não seja um estorvo durante o trabalho, vou deixá-lo acompanhar-me. - Digo demonstrando todo meu descontentamento com o fato ser ficar sob os olhos de um vigia durante o "período de treinamento" no trabalho, aproveitando para retribuir a falta de confiança em minha pessoa por parte de Hen, demonstrando todo o excesso dela que tenho por mim e no que faço.

>><<

Um estranho aumento de atenção repentino e incomum por minha parte poderia ser notado por Hen quando escutei a respeito da  tarefa a ser executada,  "barão" e "rebelião" especificamente, fariam-me arquear uma sobrancelha por causa da surpresa/interesse, enquanto começo a enrolar uma mecha de cabelo nos dedos. - Um barão, vejo que possuí colaboradores importantes nos negócios, acho difícil causar que eu consiga apavoro em alguém, mas convenhamos que existem outras maneiras de convencer as pessoas a cooperar. - Digo dando a entender que poderia usar meus "atributos físicos" para manipular o dito barão.

Imaginando que o jantar havia ocorrido sem maiores complicações e que pude aproveitar satisfatoriamente minha refeição, assim que o assunto se desse por encerrado visto que Hen não informaria-me com mais detalhes, eu então começo a despedir-me após receber o adiantamento se o mesmo fosse pago. - Obrigada pelo convite, no final não foi um desastre completo como havia imaginado. - Após sofisticadamente limpar os lábios com o guardanapo, diria sorrindo sendo simpática ou ao menos tentado parecer, visto que a escolha de palavras por minha parte, sendo apenas mais uma provocaçãozinha. - Agora com sua licença gostaria de adiantar-me e organizar os preparativos para amanhã. - Então levantaria-me elegantemente  me certificando de pegar o casaco de pele e o vesti-lo mas sem abotoar, e sorriria de maneira "suspeitamente" meiga, enquanto faço um aceno com a mão.

Antes de deixar o restaurante procuraria brevemente pelo garçom que atendeu a mesa anteriormente e assim que o encontrasse iria me aproximar dele. - Com licença, o cavalheiro que me acompanhar continuará no restaurante um pouco mais, parece que ele ainda tem negócios a tratar, sabe como são esses homens viciados não sabem apreciar os momentos prazerosos da vida mesmo diante uma beldade, porém eu preciso de alguns preparativos para uma noite especial, um bom vinho e alguns chocolates seriam perfeitos, não se preocupe ele irá cuidar do financeiro, mas por se tratar de uma ocasião privilegiada você poderia pensar em uma promoção exclusiva para mim certo?.- Diria sendo bem carinhosa com o garçom, ficando ainda mais próximo dele para que pudesse sentir meu apelo, aproveitando para "arrumar" o uniforme dele, talvez puxando-o sutilmente pela gravata, então faria escolha do vinho e chocolate apenas me certificando sobre o sabor e qualidade sem me importar com o preço, afinal seria mais um "presente" por conta do "gentil cavalheiro" que me convidou, além de ser mais uma forma de implicar, mas se Hen também fosse deixar o local de imediato eu não me importaria em pagar pelo vinho e chocolate se tivesse recebido o adiantamento, apenas mudando um pouco as palavras e escolhendo produtos de menor custo porém ainda considerando o sabor, em ambos os casos pediria apenas por uma embalagem que facilitasse o transporte. Mas se o garçom ficasse receoso ou se recusasse a diminuir o valor das compras eu tentaria "persuadi-lo" um pouco mais, puxando-o pela gola para ficar ainda mais próximo de mim enquanto acariciaria o rosto dele afetuosamente e passando as unhas superficialmente por suas bochechas. - Tudo bem, eu entendo vossa situação, mas permita-me contar-lhe um segredo. Depois de um bom jantar, eu me sinto estranhamente muito generosa, com vontade de agradar as outras pessoas, principalmente se forem rapazes jovens, bonitos e educados, então se você puder me agradar, eu vou sentir tanta vontade de fazer o mesmo por ti. - Sussurraria sedutora e afetuosamente no ouvido dele, de forma que a proximidade entre nós permitisse que ele sentisse o calor de minha respiração, não que eu pretenda realizar tudo isso, mas se de toda forma não tivesse como conseguir o vinho e chocolates por um preço menor, eu os compraria normalmente, afinal gastar dinheiro nunca me foi um problema.

>><<

E assim que deixasse o restaurante levando comigo as "comprinhas" eu usaria a mão livre para pegar o endereço de Licia no bolso do casaco e tentaria encontrar o caminho que me levasse até a residência da loira, mas sem pedir informações para algum estranho visto que pelo horário não seria uma boa idéia.

Caso eu encontre a casa da loira sem maiores problemas eu bateria na porta mas dando preferência para tocar a campainha se caso houvesse, aguardando um pouco ansiosa por ser recebida, e assim que a porta abrisse eu não conseguiria esconder a felicidade e alívio por ela estar em casa. - Posso entrar? - Diria sorrindo alegremente por vê-la, o que é até um pouco estranho para mim, ficar feliz por ver outra pessoa. - Trouxe um pequeno presente para nós. - Então estenderia minha mão mostrando a garrafa de vinho e os chocolates, esperando para que Licia os pegasse, e assim que ela estivesse com os presentes em mãos, eu imediatamente a envolveria pela cintura puxando-a em minha direção enquanto me aproximo deixando nossos corpos se tocarem, e a beijaria sem hesitação, se ela retruibuísse eu aprofundaria o ato de afeto deixando as coisas bem calorosas até que eu fique ofegante, gentilmente segurando e acariciando o rosto da loira para deixá-la segura e confortável em meus braços, deslizando minha mão pelas curvas dela até chegar na coxa onde apertaria um pouco. - Perdoe-me a indelicadeza, mas eu precisava tomar de volta o que você me roubou. - Diria sem acreditar realmente que precisasse pedir desculpas, sendo apenas uma forma de tentá-la, com um tom de voz caloroso repleto de luxúria, sem esconder minha "curiosidade" sobre esses sentimentos novos que ardem em meu interior.

Mas se caso eu não encontrasse o endereço da loira ou ela não estivesse em casa, me veria tendo que procurar por um hotel ou algum tipo de estabelecimento onde eu pudesse passar a noite sozinha, tendo que caminhar até encontrar algum local assim, estando um pouco decepcionada por não encontrar-me com Licia. - Hunpf, quem perde é você. - Reclamaria sozinha mantendo a postura convencida.


Considerações:
 
Histórico:
 
Objetivos:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Furry
Game Master
Game Master
GM.Furry

Créditos : 67
Warn : Falência declarada - Página 7 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Falência declarada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 7 EmptyDom 08 Dez 2019, 18:18




Uma guerra de sexos? Talvez possa ser este o nome dado ao jantar que compartilhavam. Um jogo de gato e rato onde nenhum dos dois parecia aceitar prontamente se tornar o rato. Cada um fazia seu jogo enquanto o outro evitava ser pego por ele. Henry bancava um alegre e inocente homem que não consegue perceber o quão inconveniente está sendo, Kare por sua vez fingia bem que esse comportamento era apenas o esperado de alguém de baixa estirpe como ele e por isso não se afetava com tal ignorância, enquanto tentava traçar seu próprio jogo que visava colocar Henry sobre seus encantos, fazê-lo curvar-se ante sua beleza e com isso fazê-lo perder a postura que buscava manter, mas Henry encontrava-se empenhado em seu próprio papel de inocente homem e por isso continuava a resistir ao charme de Kare.

Sem dúvidas ela era uma mulher bonita, mas por outro lado Henry já era um homem bastante calejado no mundo e sua experiência e preparo o habilitam a conseguir se manter sobre controle do seu ímpeto masculino.

- Esses são realmente bons conselhos. - ele acenava em sua "ingenuidade" antes de pegar um pão. Ao menos para Sorte de Kare ele até então estava mantendo o mínimo de civilidade ao não falar de boca cheia, mas o barulho da mastigação, que embora houvesse sido reduzido ainda permanecia, era constante durante toda a oferta tentadora da magnífica jovem.   - Eu adoraria a ver dançar. - confessou Henry após o que deveria ter sido uma irresistível proposta para qualquer outro homem. Quanto a proposta de começar de novo Henry fez-lhe um ''elogio''. - Cantar também, sua voz não é nada mal. - falou com um sorriso que poderia ser sincero se ele fosse melhor ator, mas que só parecia contente com a peça que estava desempenhando.


>><<

- Acredito que Bellatrix deva ter lhe ensinado algo para seu problema de expor sua imagem. Ao menos tenho certeza que ela tentaria. Mas esse é um problema que resolveremos se ele aparecer.

- Ele foi o cãozinho que capturou você mais cedo, então não deve ser nenhum atraso. - Henry tosciu cobrindo a a boca com a mão. - Quero dizer. O gentil cavalheiro que a guiou ao meu escritório.

>><<

- Você vai perceber que não sou ruim depois que se acostuma, hahaha. - Ele havia se levantado quando Kare fez menção de se retirar, o que poderia ser tido como uma evolução em seu comportamento. - Fique a vontade. - ele voltava a se sentar para terminar de apreciar o vinho.

>><<

Encontrou o Garçom enquanto o mesmo voltava para a cozinha para entregar um pedido novo, abordando-o próximo a uma coluna de pedra. O olhar do homem foi de Kare para onde Henry estava sentado bebendo o vinho relaxadamente. Kare que era mais baixa que ele estava agora bem próxima ao corpo do mesmo enquanto delicadamente ''arrumava'' a lapela do sujeito que estava levemente inclinada para o lado esquerdo aproveitando o momento para que suas mãos deslizam sobre o peito do sujeito antes de se afastar com um olhar doce.

- Ele é um homem de sorte por poder ser recebido com uma surpresas da senhorita. -- A voz fora um pouco envergonhada e o rosto do mesmo encontrava-se bastante vermelho ao proferir essas palavras e fosse essa ou não a intenção o garçom havia entendido que o pedido seria para que Kare fizesse uma surpresa para Henry mais tarde quando se encontrassem.

Foi assim que momentos mais tarde a bela morena deixava o restaurante em direção a noite de Micqueot. A neve parecia ter dado tregua, mas o tempo ainda permanece bastante frio. Em sua mão havia uma sacola com uma garrafa de vinho e uma caixa retangular com bombons recheados de sabores diversos.

Felizmente para Kare o endereço contava com algumas instruções, ou seja, era um lugar localizado a duas ruas do teatro onde antes havia estado de modo que houve certa facilidade em associar o caminho que deveria seguir. Precisou no entanto de mais de 30 minutos caminhando na neve, o que felizmente pelas roupas que estava usando foi suportável.

Passavam de 10 da noite naquele momento, mas ainda havia certo movimento nas ruas por onde transitou, principalmente de casais enamorados que passeavam pela neve aproveitando o que para muito era uma noite agradável. As ruas naquele trecho eram iluminadas por lampiões em postes de poucos em poucos metros. Em algum ponto cruzou com um funcionário que estava substituindo o óleo de uma das luminárias, não que ela houvesse lhe dado atenção.

Muitas das construções ali pareciam ser de pedra, mas com segundos andares de madeira. Havia letreiros de lojas que agora encontravam-se fechadas e alguns bêbados andando pela rua. Kare precisou esquivar-se de alguns no caminho até a casa de Licia.

Passou em frente o teatro e prosseguiu por mais duas quadras, ponto este que a iluminação diminui bem como a quantidade de pessoas nas ruas. As construções ficaram menores, mas ainda assim todas pareciam ser pequenos prédios de 2 a 4 andares de compleição estreita e fachadas marrons sem muita graça ou beleza. Foi nesse ponto que encontrou o nome do lugar que procurava em um letreiro acima da porta, ou melhor, da entrada pois não havia realmente uma porta e sim um corredor que terminava em uma escada.

O numero que estava anotado era o 24, com isso Kare subiu as escadas e avançou por um corredor no segundo andar até chegar ao fim do mesmo onde encontrou uma porta com o numero procurado inscrito.

O lugar não era bonito, muito menos chique e requintado. Mas a construção parecia bem cuidada mesmo que suas cores fossem de fato sem graça.

>><<

- Achei que não vinha mais. - Licia respondeu ao abrir a porta e a julgar pela roupa que usava parecia realmente estar esperando Kare. Vestia um tecido semi-transparente por cima de um conjunto roxo escuro que deixava revelada sua pele alva. O tecido era de cor levemente amarelada, um tom pastel e flutuava levemente com o vento que que cruzava a porta, para completar ela também sorria de forma um tanto perversa.

A segunda coisa que percebeu foi o calor vindo de dentro do ambiente, o que por si só era uma notícia tão boa quanto a presença da própria Licia no local. Mais adiante via um tapete felpudo que cobria o chão de madeira logo a frente de um sofá de três lugares de cor marrom escuro. Nada parecia realmente caro, o sofá era um pouco gasto nas laterais e o tapete havia sido outrora mais felpudo, mas talvez a companhia pudesse compensar essas precariedades.

Kare esticou então os presentes, Licia baixou o olhar para a sacola, mas não a pegou ao invez agarrou o pulso de Kare a puxando para dentro enquanto girava o próprio corpo. A porta bateu com força atrás delas e Kare se sentiu novamente puxada. O movimento havia sido repentino e um tanto quanto inesperado, mas considerando o que Licia havia mostrado até então ver-se-ia fazer bastante sentido.

Kare sentiu a porta a suas costas no momento seguinte e o corpo de Licia colado ao seu quase simultaneamente ao toque de seus lábios. Naquele momento não pensou, a sacola caiu ao seus pés fazendo um baque surdo ao atingir o chão e suas mãos correram ao redor da cintura da loira. O tecido havia se aberto no movimento permitindo que as belas mãos da morena fossem diretamente ao encontro da pele macia do abdômen da jovem. Sentiu nesse momento as mãos de Licia ''forçando'' seus ombros para trás com incrível afobação expulsando o seu casaco. Realmente estava quente ali, então porque não tirar?

Ainda assim, Kare não estava nem perto de ser uma jovem indefesa. - UIII. - gritou assustada ao ser girada e prensada contra a parede ao lado da porta. O casaco de Kare foi jogado ao chão e as mãos dela agarraram os pulsos de Licia prendendo-os contra a parede.

- E… o que … é que roubei de você? - A voz dela soou pausada, baixa e igualmente provocante. Efegava… ambas ofegavam. - E quem sabe eu roube um pouco mais? - Ela avançou novamente!










~Avaliação Licia~


Perdas:
● 50k Berries (OK!)

Ganhos:
● Perícia Atuação e Disfarce. (OK!)
● Roupas novas: Conjunto (OK!)
Casaco (OK!)
● Adição do Ofício Artista. (OK!)
● 300k Berries, pagos como adiantamento no post 29/30 (OK!)


Relação de personagens:
● Ela faz durante a att da ficha.

Exp: 11 EXP.
EdC: 11 EXP.


Localização: Micqueot - North Blue (OK!)

Quantidade de posts do(s) Narrador(es): Furry (4 Créditos)

Feedback Player:
 

____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Falência declarada - Página 7 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 7 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Falência declarada
Voltar ao Topo 
Página 7 de 7Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: North Blue :: Budou Island-
Ir para: