One Piece RPG
Falência declarada - Página 6 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Galeria Infernal do Baskerville
Falência declarada - Página 6 Emptypor Oni Hoje à(s) 16:57

» Arco 1: Passagem pela ilha do riso
Falência declarada - Página 6 Emptypor Milabbh Hoje à(s) 16:47

» [MINI-HITSU] - Hope
Falência declarada - Página 6 Emptypor Jinne Hoje à(s) 16:05

» Um Rugido Inicial
Falência declarada - Página 6 Emptypor Graeme Hoje à(s) 15:47

» I - As rédeas de Latem City!!
Falência declarada - Página 6 Emptypor Felix Hoje à(s) 13:51

» Unidos por um propósito menor
Falência declarada - Página 6 Emptypor Oni Hoje à(s) 11:28

» 1º Cap: O começo de uma grande aventura
Falência declarada - Página 6 Emptypor JaponeisLK Hoje à(s) 10:48

» Unidos por um propósito maior
Falência declarada - Página 6 Emptypor Jean Fraga Hoje à(s) 03:13

» 1° Act - It's Navy Time
Falência declarada - Página 6 Emptypor Roy Collins Hoje à(s) 01:31

» Art. 3 - Our memories
Falência declarada - Página 6 Emptypor Ryoma Hoje à(s) 01:01

» Seasons: Road to New World
Falência declarada - Página 6 Emptypor ADM.Tidus Hoje à(s) 00:01

» [Ficha] Fenrir Seawolf
Falência declarada - Página 6 Emptypor Fenrir SeaWolf Ontem à(s) 23:43

» The Lost Boy
Falência declarada - Página 6 Emptypor Madrinck Dale Ontem à(s) 23:01

» Hey Ya!
Falência declarada - Página 6 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 20:20

» The Claw
Falência declarada - Página 6 Emptypor Achiles Ontem à(s) 20:04

» Cap 3: O alvorecer da névoa trovejante
Falência declarada - Página 6 Emptypor Akuma Nikaido Ontem à(s) 19:56

» Terminando assuntos inacabados
Falência declarada - Página 6 Emptypor Aokine Daiki Ontem à(s) 19:54

» ~ Acontecimentos ~ Ilha Aracne
Falência declarada - Página 6 Emptypor PepePepi Ontem à(s) 19:28

» III ~ Uma Loira na Ilha das Aranhas?
Falência declarada - Página 6 Emptypor PepePepi Ontem à(s) 19:25

» Una Regazza Chiamata Pericolo
Falência declarada - Página 6 Emptypor DarkWoodsKeeper Ontem à(s) 18:21



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Falência declarada

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 56
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptySab 02 Fev 2019, 00:40

Relembrando a primeira mensagem :

Falência declarada

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Karelina Lawford. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas


Data de inscrição : 20/01/2019

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptySab 02 Nov 2019, 03:40



Citação :
Narradora comendo cereal lendo a cena com olhar desconfiado: Não gostei nem um pouco desse sorriso perverso, mas por que tô preocupada? Essa mulher sempre vai achar tudo fácil e entediante…

>><<

Escutar a garota contar um pouco mais de si, me deixaria muito incomodada e principalmente curiosa, afinal é o cúmulo da ironia uma atriz com medo de palco, eu permaneço alguns segundos estática apenas encarando Nicolle fazendo uma expressão de confusão tentando assimilar se isso era realmente a realidade ou vim parar em um universo paralelo. - Isso é algum tipo de piada? - Perguntaria com a maior sinceridade do mundo sendo quase doloroso.  - Se for por favor me diga, porque estou com vontade de furar meus ouvidos depois de tamanha besteira. - Sem medir as palavras ou o tom de voz eu diria de maneira bem ríspida e até mesmo grosseira.

- Em que tipo de mundo estou vivendo? Uma atriz com medo de palco, só pode ser uma piada de extremo mal gosto. - Diria muito inconformada andando de um lado para o outro colocando minha mão sob a testa tentando não me estressar. Após conseguir me acalmar eu solto um suspiro e volto a observar a jovem aprendiz. - Platéias nada mais são do que pessoas carentes necessitando de algo para admirar, e claro que as divindades acima do pedestal demonstram sua bondade agraciando os súditos demonstrando um pouco de todo talento e habilidade. - Então começo a devanear imaginando um palco lotado de aplausos e gracejos. - O palco deve ser o local onde todo artista quer estar sempre, recebendo aplausos e elogios de platéia eufórica. -

Bom talvez a jovem aprendiz comece a chorar por causa das palavras a princípio rígidas, então para não ter que ficar escutando lamúrias de adolescente eu tento consolá-la, e também porque fere meus olhos e ouvidos lidar com alguém chorando, eu caminho calmamente até ela me abaixando para ficar na na mesma altura dela olhando-a nos olhos, gentilmente eu enxugo as lágrimas que escorrem dos olhos de Nicolle utilizando os polegares. - Não chore assim, é muito deselegante e nem um pouco bonito. - Novamente dizendo sem medir o tato da tonalidade na voz, porém eu continuaria a confortá-la. - Quer ser tratada como uma aprendiz para sempre? - Fazendo uma pequena pausa para a resposta dela, e então continuaria “dando bronca”. - Imaginei que não, então pare de portar-se como uma criança chorona, e se comporte como uma mulher. - A partir daqui meu tom de voz se torna mais amigável e atencioso.  - Nem sempre a plateia pode aplaudir as atrizes, mas você precisa suportar as críticas e não simplesmente fugir delas, se esconder não vai te levar a lugar algum, a única diferença entre você e uma atriz de sucesso é a falta de coragem para suportar as adversidades. - Nesse ponto eu esperaria que ela já tivesse parado de chorar ou pelo menos já consiga controlar melhor as lágrimas. - Agora mostre-me um sorriso orgulhoso e não se esconda mais atrás de desculpas, lave esse rosto e torne-se mais forte, afinal o sorriso de um mulher confiante em si mesma faz bastante sucesso principalmente com os... rapazes. - Terminaria dizendo de forma mais doce, para fazê-la de fato sorrir e deixa-la inspirada, sempre tentando mantê-la olhando para mim, para que não desvie o olhar e tentando esconder-se ou fugir, acrescentando um leve tom de malícia na ultima frase, para Nicolle ter um segundo motivo para sentir-se motivada. Assim que esse “trabalho” tivesse terminado eu me levanto e volto para a missão de achar um belo vestido deixando um suspiro escapar de alívio e indignação escapar. ”Assim é melhor, se essa pirralha começasse a chorar escandalosamente, eu perderia ainda mais o meu momento de calma.”

>><<

- Ara ara, não se preocupe, você ainda é bem jovem e está em fase de crescimento, pode ser que fique mais bonita, mas para isso vossa pessoa deve alimentar-se direito e dormir bastante. - Posso dizer que essa é minha cota para boa ação, tentando ajudar a garota a cuidar melhor de si mesma, talvez não pelos motivos certos, mas se funcionar que problema teria? E também dessa forma minha pessoa possa ser elogiada e reconhecida como uma ótima pessoa, o que traria um ótimo benefício para minha reputação. E só para não perder a oportunidade eu faria uma pequena provocação, inclinando-me um pouco para frente enquanto abraço a cintura por baixo dos seios os apertando. - Então quem sabe um dia você não consiga algo próximo dessas obras primas. -

>><<

Citação :
Narradora ainda comendo cereal, mas dessa vez falando de boca cheia: Ainda bem que a minha senhora não pode ler isso, se não iria ficar deveras chateada pra não dizer coisa pior depois dessa objetificação.

Uma intensa névoa assombrosa espalha-se pelo porão carregada com a mais profunda intenção assassina.

Um belo sorriso amável escondendo falhamente as intenções “genocídicas”. - E quem disse que não? -

Narradora com tanto medo que o c# parou na garganta, vira lentamente o pescoço para trás igual a menina do exorcista: Me fud%....

Cenas de uma terrível violência indescritível ocorrendo, acompnhada melodicamente por gritos de dor desespero e o mais genuíno sofrimento.

Ruídos de interferência. - Você. É. O. Próximo. - Mais ruídos.

Tela azul!

MENSAGEM DO SISTEMA: Devido a problemas técnicos a transmissão foi interrompida, e nossa programação adiada, pedimos compreensão aos leitores, enquanto isso fiquem com a mensagem dos nossos patrocinadores.
Att: A direção.

*Intervalo comercial.*

>><<

Com as bochechas avermelhadas e a respiração ofegante ofegante, minha expressão é de alívio após sentir a dor passar, minha pessoa então vira o rosto para Nicolle se contorcendo um pouco enquanto deixa a semi-fechada abaixo dos lábios. - Gozei… huunnf! - Soltando um gemido mordendo os lábios para abafá-lo antes de completar a frase. - Gozei de alguns homens que trabalham pro Hen, eram oito ao total dentro de um armazém eles me molharam inteira com seus fluidos viscosos e quentes, minhas roupas ficaram tão imundas que tiveram de ser jogadas fora, pude dar conta de quatro deles antes de ficar exausta, mas irei fazer muito pior com os que sobraram. - Diria com um pouco enquanto fico arfando e com os olhos semi cerrados, além do rosto corado. Falando com bastante naturalidade utilizando palavras mais sutis por se tratar de uma adolescente, porém pode causar uma interpretação ainda mais errônea.
Narradora: Gozar nesse caso era pra ser interpretado como caçoar, debochar… e por aí vai, mas no atual contexto  acho difícil que interpretem da maneira correta, O que convenhamos não é problema algum. .

Porém a reação de Martha seria bem satisfatória para mim, diferente de uma certa “proprietária de loja” e também de um certo “dono de armazém” que não sabem nem lidar com uma pessoa, já ficaria feliz em ver o pequeno progresso, afinal foi tudo por minha causa. - Certamente que é, mas não precisa ser tão tímida comigo. - Diria de maneira até de maneira bem carinhosa e afetuosa, acariciando o rosto dela por baixo do queixo, para que ela o erguesse e olhasse para mim, mas não a forçaria.

>><<

Citação :
Narradora indignada depois de apanhar horrores, estando muito mal mas passando bem: Eu mereço… Agora tenho que escrever fanservice pros outros com essa desculpinha de poder usar GodMode, e nem tão me pagando… é foda! Mas vamos lá que o público pede, é apenas pelos leitores ok? Não estou nem um pouco feliz de fazer essa cena. Sorriso pervertido.

Aviso de ""fanservice"" que na verdade de fã não tem nada, é tudo pro narrador, Dont Click!:
 

>><<

Citação :
Narradora te olhando com um sorriso de canto utilizando tom de voz recriminador e sarcástico: Eu vi que você clicou antes de ler isso.

>><<


- Ara ara, não seja tão exagerada não o vestido apenas realça evidência minhas virtedes, se assim posso dizer, ele não operar milagres ou realizar transformações. - Diria um pouco irritada com uma pitada de arrogância na tonalidade, então olho para Nicolle por cima dos ombros e volto o olhar para Bellatrix. - Ela foi bem prestativa. - Digo sorrindo pela companhia agradável que a jovem me fez, então faço uma expressão séria/emburrada e levemente sarcástica. - Mas não cobre tanto dela, Nic ainda é muito nova para ficar sem dormir direito, desse jeito pode atrapalhar o desenvolvimento dela e vai ter mais rugas horríveis antes dos vinte. - Claro que eu não sei a veracidade dessas palavras se esse seria o tempo exato, mas eu faria esse exagero para sensibilizar as duas.

- Claro claro, não vamos perder mais tempo, como disse anteriormente apenas me ensine o que acha necessário. - Diria impaciente com um pouco de descaso na voz, - Se é que consegue. - E apenas para estimular a competição saudável, eu a provocaria.

>><<

Citação :
Narradora pegando um punhal e sorrindo psicoticamente com o corpo todo trêmulo a ponto de fazer uma besteira: Claro que ajudo, também faço fanservice, (De graça! Gostaria de deixar isso claro, sei que estou me repetindo mas acho válido enfatizar esse fato.) quer mais o que? HÃÃÃ!?

Aprendizado: Atuação.

A primeira coisa feita por Bellatrix Badeaux foi ensinar a sua aluna nem um pouco aplicada a como se posicionar no palco e as técnicas de respiração para faze-la corretamente e como mante-la constante para manter o corpo relaxado e evitar que a atriz fique sem folego no meio da cena e não fique com dores toráxicas após uma cena longa com muitas falas em sequencia da mesma personagem, ela então deu as costas e começou uma explicação extremamente elaborada repleta de detalhes e com dicas minuciosas porem que diferenciam uma atriz medíocre de uma atriz fantástica. Porem assim que voltou sua atenção para a minha senhora posso dizer que a surpresa foi grande, seguida de um sentimento de raiva mas ela não sabia como repreender á aluna displicente, afinal a minha maldita digníssima senhora  estava casualmente conversando com Nicolle super entretida e imersa no assunto afinal a conversa era muito menos tediosa que as explicações de Bellatrix, e ela estava perfeitamente aplicando tudo que lhe foi dito de maneira tão natural quanto ser irritante linda, apesar de parecer que a mesma não havia prestado atenção em nenhuma palavra.

Bellatrix então engoliu a seco toda a raiva e frustração que sentiu, tossiu algumas vezes e passou para passo seguinte, desta vez mais complexo, e para dificultar a vida da aluna irresponsável ela acrescentou mais estágios que só seriam aprendidos futuramente em suas instruções, apenas para vê-la errando ou se atrapalhando por não aparentemente não dar a mínima para o que lhe é falado, Bellatrix então sorriu de satisfação mesmo que sua presença ali não fosse sequer notada, apenas aguardando o momento que minha senhora errasse ou passasse vergonha, ela aguardou, aguardou, aguardou..... Aguardou um pouco mais, e.... Já é possível imaginar que ela esperou um bocado e não ocorreu nada disso que ela tava esperando certo? Enfim, continuemos com a cena, a minha senhora é tão odiosa incrível que facilmente conseguiu adaptar-se as mais diversas, instruções, desde a simplesmente como projetar a voz, por mais que isso tenha sido um emepecilho visto a falta de costume para ela elevar e manter o tom por muito tempo, mas nada que alguns goles de água não resolvessem evitando com que a garganta dela doesse, sempre mantendo o tom de voz e falando pontuadamente pronunciando as palavras de forma correta, evitando de falar muito rápido ou devagar e sempre mantendo a naturalidade, e até mesmo assumir os mais variados personagens e suas personalidades, trejeitos, tiques nervosos, como se a própria fosse daquele jeito dando vida aos personagens, e o mais impressionante isso eu admito que é realmente impressionante é a capacidade que ela tem de interpretar cada um desses personagens em situações adversas enquanto conversava com Nicolle sobre muitos assuntos variados, e o pior ela não demonstrou nenhuma artificialidade, e até mesmo quando cometia algumas gafes a minha senhora habilmente as disfarçava, de forma que somente uma pessoa com experiencia igual Bellatrix pudesse notar, mas ainda assim aquela aluna desatenta contornava com maestria a situação.  

E para aumentar a raiva de Bellatrix que estava quase arrancando os cabelos por ser ignorada apesar de ser a professora e ainda não podia descontar suas frustrações pois a Srta. Karelina Lawford era impecável com a atuação, as aulas prosseguiram sem maiores problemas e tudo parecia fluir muito bem, pelo menos para a minha senhora, pois Bellatrix estava a beira de ter um ataque de nervos, ocorreu um impensável imprevisto.

- Não! Jamais! Impossível! Impensável! Prefiro que me arranquem o pescoço do que fazer tal ato vergonhoso e humilhante. - A minha senhora estava completamente irritada e fora de controle, pois como posso dizer.... Ela precisava fazer expressões que não fossem esteticamente agradáveis, afinal uma atriz completa precisa ter total controle dos músculos do rosto e precisa atuar nos mais variados papeis e fazer qualquer tipo de cena com perfeição, incluindo as cenas e expressões que não são bonitas de se olhar. - Como poderia eu, a bela, a magnifica, a personificação da Deusa da beleza, a perfeição esculpida em matéria,  aquela que os anjos invejam por tamanha graciosidade, poderia fazer tais expressões horrendas, é incabível. - Minha senhora então cruzou os braços, inflou as bochechas de ar e começou a fazer birra.

- Mas se quiser ser uma atriz legítima precisa atuar em todos os tipos de cena assim como fazer qualquer expressão se quiser passar convencimento para o público. - Bellatrix tentava enfiar juízo na cabeça dessa detestável majestosa mulher, apesar de ser uma tarefa muito difícil, e ainda sim Bellatrix se esforçou e fez das mais variáveis explicações para tentar convence-la, porém........ - Me pedir para fazer tal ato é  a mesma coisa que um paradoxo universal, como pode exigir que uma Deusa não seja onipotente nos âmbitos da beleza? -, eu juro que minha vontade nessa hora é de esfregar a cara dela no asfalto até ela ficar irreconhecível pelos pais que mulher insuportável só fica me dando trabalho eu só não faço isso porque fere a integridade do personagem porque quem apanha sou eu, mas ninguém precisa saber u.u, foi quando Bellatrix deu um sorriso debochado de canto. - Então quer dizer que a senhorita perfeição não é capaz de fazer algo tão simplório, que até mesmo uma aprendiz com menos de um dia de prática executa sem nenhum problema, espere só até o mundo saber disso. - E com um tom de voz tão sarcástico que praticamente escorre pelos cantos da boca e seguida de uma gargalhada irônica Bellatrix debochava da esplendorosa (só que não) Karelina Lawford.

Claro que a minha senhora não gostou nem um pouco, essa fala foi uma lança direta e reta no orgulho olha ai eu contando os pontos fracos da char pro mundo, pqp, eu devo ser masoquista a Srta. Karelina Lawford olhou torto para Bellatrix, sentindo o ódio dominar seu ser. - Agora você conseguiu sua bruxa velha. - A minha senhora então transformou toda a raiva em determinação, e começou a realizar a expressão quando.... Um curto circuito de mais ou menos quinze minutos ocorreu, apagando todas as luzes do palco, ninguém foi capaz de enxergar mas a minha senhora conseguiu fazer tais expressões indignas de estamparem seu esbelto rosto, agora você me pergunta como? Ela se lembrou dos piores momentos de sua vida, como por exemplo quebrar a unha, de quando ela ainda era criança e seu vestido favorito não servia mais pois ela cresceu e achou que engordou (esse dia foi realmente uma tragédia, principalmente para quem estava perto dela.... pobres humanos, ninguém no mundo merece passar pelo o que eles passaram), ou da vez que o Sr. Stuart demorou mais de um dia para comprar o pônei que ela tanto queria em sua infância (ah sim....esse dia foi horrível, minha alma quase deixa o corpo só de lembrar, sniff snif, desculpe eu ainda não pude superar tal momento...), apesar de que durante tais episódios "trágicos" ela não fez nenhuma expressão feia, pois mesmo quando estava com raiva ela conseguia ser linda, dessa vez ela externou tais sentimentos e conseguiu reproduzir as temíveis expressões. Por favor se tem algum tipo de empatia ou sentimento por mim, não me faz descreve-las, ou não sei do que essa louca maníaca é capaz, eu te imploro.

E assim as instruções acabaram com a minha senhora sorrindo gentilmente, (mas de forma bem artificial, claramente disfarçando a raiva, qual é? É a primeira aula dela, da um desconto) como se nada tivesse acontecido durante o pique de energia. - Tem algo a mais para ensinar Senhora Badeaux? - E um leve sarcasmo/raiva é sentido em sua voz.

Fim.

Histórico:
 
Objetivos:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Furry
Game Master
Game Master
GM.Furry

Créditos : 54
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptySeg 04 Nov 2019, 10:35




Kare mostrou-se repentinamente exasperada, alguém que não era capaz de aceitar as tolices ditas por Nic, o que a garota lhe dizia era simplesmente algo inaceitável, algo que não podia ser tolerado, uma abominação que a mera existência lhe trazia tanta perturbação.

- Eu.. eu… - Nic no entanto não conseguia responder ao questionamento de Kare, a raiva subida da mulher a sua frente lhe pegara completamente desprevenida e como uma marinheira de primeira viagem ela ficou sem reaçao em frente a tempestade. - Eu… não.. - a face da jovem empalideceu, seus labios tremiam. Ela conseguia se controlar, ao menos o suficiente para não começar um escanda-lo, mas não conseguia manter o rosto erguido para Kara sendo que os pés nervosos da mulher eram a única coisa que ela observava. Kare que andara de um lado para o outro com clara raiva havia agora parado e um de seus maravilhosos e divinos pés, os quais só podem ter sido criados pelos deuses e inclusive eles tenho absoluta certeza devem ter precisados de muitas tentativas tal é a perfeição alcançada neles, mas estou divagando sobre essa beleza divina. Tac, tac, tac era repetido enquanto Kare começava a explicar o quão banal era o sentimento de Nic e o que na verdade um palco era. Talvez seu pensamento fosse ser um pouco demais para a garota, admito não saber como essa maravilhosa mulher poderia esperar que alguém como Nic conseguisse ver as coisas do mesmo jeito que ela.

Nic ao contrário das "expectativas" de Kare havia conseguido manter mínimo de compostura, mas isso não queria dizer que seu rosto não estava uma confusão de sentimentos com seus olhos espremidos contendo as lágrimas que havia começado a se acumular ali.

" - Quer ser tratada como uma aprendiz para sempre?"

A pergunta de Kare foi acompanhada pelo silêncio, este que ao menos durou um pouco antes de ser acompanhado pelo farfalhar dos cabelos de Nic, que balançava a cabeça em uma resposta negativa. Era, claro, o esperado. Certo é; ninguém quer ser incapaz, mas nem todos possuem a força de vontade para se superar. - Eu… Já… - fungou e começou a endireitar o corpo, houve uma respiração profunda que fizeram com que os ombros estreitos da jovem subissem. Nic susteve o ar antes de exalá-lo pela boca o que parecia ter sido o suficiente para fazê-la ter uma postura mais digna. Fosse o que ela fosse dizer se perdeu no momento, ou talvez houvesse desistido de proferir suas palavras. Kare a via respirando mais uma vez profundamente antes de um sorriso levemente trêmulo surgir nos lábios da jovem, levou alguns segundos, mas por fim este se estabeleceu com uma aparencia agradavel. - Volto já. - disse antes de se retirar, provavelmente indo seguir o conselho de Kare.


Talvez se Kare houvesse ido um pouco mais longe, talvez se houvesse insistido em saber o porque daquilo, talvez se não houvesse simplesmente se exasperado pela deficiência de Nic ela pudesse por fim ter compreendido a profundidade do sentimento da jovem, mas essa era talvez algo que ela infelizmente nunca fosse saber.


>><<

- GoGoGoGoGo. - SIM GAROTA, PELO AMOR DE TUDO É GOZAR, É SO DIZER. GOZAR. o rosto de Nic tornou-se subitamente vermelho, todo o sangue do corpo da garota havia provavelmente sido dirigido a sua face, ambas as mãos correram a esconder sua vergonha, mas seus olhos apenas por um momento foram tapados visto que logo alguns dedos se afastaram criando uma fresta por onde ela observava.

Kare ofegou novamente ao toque de Martha que dedicava toda sua atenção a tratar com cuidado e esmero as partes inferiores da bela mulher. O que fez o "sofrimento" de Nic ser prolongado. Toda sua atenção havia sido completamente desviada, a pergunta que ela havia feito fora completamente esquecida e por isso ela em todo o seu ser não conseguia acompanhar o verdadeiro significado das palavras daquela perversa mulher. Em "choque" Nic murmurava por trás das mãos algo que não era possível discernir completamente, mas parecia que a mesma repetia constantemente o numero Oito.

- He..hehe….hehehe….heheheheheeeee. - parece que algo havia quebrado e esse era o único som emitido por Nic que parecia ter se perdido em algum devaneio sombrio. - Hehe...fazer pior… - sua voz soava bem baixa, sua boca tremia e seu olhar parecia estar em algum lugar inapropriado como se houvesse olhado para algo muito além da capacidade de compreensão de uma pessoa comum. Bom, o que se pode fazer, é certamente isso que acontece quando humanos espiam o domínio dos deuses.

Nic não pareceu despertar complemente nem mesmo quando Martha se pronunciou, parecendo que somente havia piorado, pois agora Nic havia percebido que ambas pertenciam a um mundo que ela não era capaz de compreender. - Heheh..hehe… - Nic começou a se afastar um pouquinho delas, sua cabeça poderia ser vista literalmente soltando fumaça enquanto seu cérebro fantasiava alguma coisa que não devia.

Infelizmente para esta pura alma mortal sua tortura de caminhos pecaminosos não havia terminado ali, pois o mais alto grau de perversão ainda percorreria o interior do seu corpo. Ao menos em partes, felizmente havia sido apenas em partes, pois não sei se Nic seria capaz de suportar presenciar em primeira mão. Ela não conseguia no entanto se afastar da porta, tentou… ah como tentou e por muitas vezes seu pé foi impedido por uma força que ela não era capaz de compreender. Não conseguia se afastar da porta, não conseguia deixar aqueles ruídos para trás e buscar outra coisa para fazer. Começava a sentir algo desconhecido, algo que subia até alcançar sua cabeça. A vermelhidão que antes havia tomado conta da sua bela face havia se atenuado, ainda estava lá, mas representava outro sentimento que muito divergia da vergonha. Seus dedos tremeram em espasmos enquanto ela tentava se controlar, não podia afinal… Sua mão parou antes de alcançar, tremeu e sacudiu a cabeça antes de voltar a se encostar na parede. Algumas das garotas que passaram por perto lhe olharam, sorrisos brotaram dos lábios de cada uma. O cansaço havia desaparecido momentaneamente do rosto da jovem que agora mostrava-se vividamente corado.

Nic não conseguia olhar para as outras garotas, não depois destas terem lhe visto planejando entrar no banheiro. Ao que parece outras além de Nic haviam conseguido ouvir. Cochichos rolaram, sim.. Ao que parece elas sabiam que Licia estava no banheiro naquele momento. Ouvir o nome da desta tornou o rosto de Nic levemente mas rubro agora que um pouco de vergonha misturava-se a falta dela.

Não resistindo buscou um "puff" próximo, de lá jogou algumas das roupas que estavam em cima no chão e sentou-se, cruzou as pernas com força e apoio o rosto nas mãos. Sua respiração estava acelerada muito embora não houvesse corrido nem nada, mas quem lhe olhasse poderia jurar que havia acabado de sair de algum exercício. Pequenos risos chegaram ao ouvido dela antes de uma das garotas se aproximar. Parece que algumas outras coisas haviam despertado também do lado de fora, mas não é esse o momento de entrarmos nestes detalhes.

O banho havia terminado, bom.. Um pouco mais que isso na verdade. Licia havia encontrado uma Nic muito mais desperta do lado de fora sua pele inclusive parecia brilhar com uma intensidade renovada. Era provável que Kare não questionasse, mas se o fizesse receberia uma resposta alegre parecida com. - UHn? Não, hehehe, nada aconteceu. Estou ótima, revigorada. E com isso seria guiada até Bellatrix onde deu uma aula? Tornou-se um pouco confuso devo admitir, pois a verdade é que não sei quem ensinou quem naquele lugar. Enquanto uns ensinavam atuação outros pareciam ter lições mais irritantes a lecionar.

Bom, ao que parece havia sido algo assim e no fim depois de pouco mais de duas horas haviam concluído aquela lição. Um relógio na parede lateral marcava 5hs, supondo-se que o jantar com Henry ocorreria possivelmente as 8 havia ainda tempo suficiente restante.

Durante o ''ensaio'' os olhos de Nic puderam ser vistos constantemente sendo desviados para o colo de Kare, eram movimentos sutis, mas que devido a constância não poderiam ser outra coisa se não propositais. - Foi divertido. - Nic disse ao lado de Kare, ao que parecia ela estava confortável desde que a plateia estivesse vazia e inclusive executou muitos dos exercícios junto a Kare.

- Sim. - disse Bella. - Atuar com perfeição não é somente dar vida as emoções, elas também precisam transparecer no corpo e não só na alma. Seja com maquiagem ou figurino. Então uma atriz precisa saber se vestir em seu personagem. - Bella começava a andar indo em direção ao camarim onde provavelmente prosseguiriam.

- A senhora parece irritada. - Nic comentou após Bellatrix se afastar delas.






____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptyQui 07 Nov 2019, 11:27


Eu não poderia conter um riso vendo o quanto Nicole ficou nervosa com a minha história contada por palavras ambíguas, mesmo com a melhor das intenções o efeito surtido não foi o esperado, então cobri meus lábios com as mãos rindo baixinho. "Será que exagerei? Não importa, mas ela é uma graça ficando tão envergonhada com apenas algumas palavras."

>><<

Saindo do banheiro e vendo Nicolle sentada no puff eu me recordo de como ela estava anteriormente mas como já parece estar bem melhor e recuperada decido provocar um pouco mais, me aproximo calmamente da aprendiz enquanto ela ainda estava sentada e me inclino na direção de Nicolle aproximando meu rosto ao dela, colocando as costas das mão na minha testa e a palma da mão na testa dela, fazendo nossos narizes se tocarem. - Você está melhor Nic?  Antes seu rosto estava tão rubro, achei que pudesse ser febre. - Diria de maneira bem afetiva como se estivesse me preocupado com a saúde dela, mesmo que minha verdadeira intenção seja apenas me divertir mais um pouco.

>><<

Vendo que os olhos de Nicolle por vezes desviavam involuntariamente para dois pontos específicos em meu corpo, a minha pessoa "sem intenção alguma" envolve a cintura por baixo dos seios de forma que eles fiquem mais evidentes para a aprendiz aprecia-los, claro que sempre mantendo a naturalidade e agindo como se não fosse proposital. - Faltou apenas os aplausos e gracejos da plateia eufórica completamente fascinada. - Diria sorrindo em um devaneio acordado sobre esse momento que eventualmente eu terei o prazer de vivenciar, afinal é assim que a ordem natural da vida flui.

Solto um suspiro de raiva e indignação. -Francamrnte! Se devemos voltar ao camarim poderia ter explicado tudo antes, agora preciso andar em círculos.- E então sigo Bellatrix com passos pesados e ansiosos por causa do descontentamento e da pressa por acabar logo com toda essa enrolação.

-Verdade, não entendo porque a Sra. Badeaux está irritada, enfim ela deve ter os próprios motivos.- Dizendo com um tom de voz sutilmente irônico, claro que eu sei o motivo mas agiria como se não soubesse apenas para alimentar tal sentimento no interior da proprietária, com um pequeno riso malicioso formado nós lábios.

Então acelero um pouco meu passo parando ao lado de Bellatrix e olho para ela por cima dos ombros. -Afinal pra que preciso aprender todas essas coisas, Hen não me parece ser do tipo que pretende abrir uma companhia de teatros para virar seu concorrente. - Reclamaria ao vento demonstrando um pouco de irritação, na tentativa de disfarçar a pergunta que tem p real objetivo de descobrir um pouco mais sobre os negócios do pirata.

Aprendizado: Disfarce

Retornando ao camarim percebo que ele é maior do que pude reparar antes, afinal não sabia que precisaria prestar atenção nele para aprender algo, enfim, possui tantas coisas aqui, roupas, sapatos, acessórios, adereços, maquiagem, muita maquiagem, provavelmente noventa porcento é apenas para Bellatrix disfarçar a idade.

Apesar de ser um pouco incômodo ter que trocar de roupa logo após ter demorado para escolher um vestido que combinasse comigo, confesso que fiquei curiosa de experimentar tantas possibilidades.

Vestidos, cachecóis, casacos, sapatos, óculos, até mesmo perucas, por que não? Foi bem divertido testar tantos estilos novos, afinal minha pessoa ficou perfeitamente bela em todos, admito que não pude escolher qual foi o meu segundo favorito, fiquei incrivelmente linda em todos, mas claro que a beleza divina e natural continua sendo superior.

Meu ilustre desfile de moda ocorria muito bem, comigo tendo a prazer de me admirar em um espelho de corpo inteiro posando luxuosamente com elegância. - Oh Deus, são tantas tantas visões esplendorosas, meus olhos não poderiam ter o prazer de visualizar algo mais belo. - Uma pena que tal momento proveitoso chegou ao fim, com o início de mais uma tetempestade.

- Não! Nem pensar! Me recuso! Não sou obrigada! Nem mesmo morta! Prefiro que meu corpo arda nas chamas do inferno do que outra humilhação. - Disse profundamente irritada e desgostosa com o que Bellatrix me disse, eu precisava…. Ficar f-fe-fei… Me recuso até mesmo a terminar tal frase extremamente ofensiva, sem condição alguma, nem mesmo que o mundo seja engolido por um mar de chamas isso iria acontecer, e como se não bastasse aquela bruxa velha maldita também disse que eu precisa usar roupas para me ocultar, tal ato não faz sentido algum, é totalmente contra as leis universais, a personificação da divindade mais bela existente ter sua presença ocultada por meras roupas mundanas, tal ação deve ser considerada um sacrilégio, o mais grave dos pecados que pode ser cometido pelos seres terrenos.

E com muita insistência de Bellatrix eu concordei de extrema má vontade pelo menos dar a oportunidade de talvez quem sabe escutá-la, mas obviamente eu não iria concretizar nada do tipo, enquanto ela falava eu apenas busquei algo para me distrair enquanto dava alguma atenção para ela mesmo sendo bem mais do que o suficiente para aprender, e mesmo a contra gosto me maquiar era muito menos doloroso do que usar roupas horrendas, então como uma opção de distração aproveitei o tempo para terminar de lixar as unhas deixando-as milimetricamente simétricas, também as pintando de preto, fiz um delineado nos olhos para evidenciar o traçado deles, deixando-os mais marcantes e intensos, batom avermelhado tornando os lábios mais atraentes e chamativos, base e blush para deixar meu tom de pele com aspecto mais saudável e corado, mas nada exagerado apenas realçando toda a beleza genuína de minha face, mesmo sem necessidade alguma para tal, era melhor que parecer esteticamente agradável.

Fim.


Histórico:
 
Objetivos:
 



____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Furry
Game Master
Game Master
GM.Furry

Créditos : 54
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptySex 08 Nov 2019, 15:11




O rosto de Nic tremia levemente ao toque da sedosa mão de Kare, mas não era so em seu rosto que ocorriam reações diversas, pois ao seu alcance estava também o doce perfume que o corpo da morena exalava. Kare havia se inclinado para tal, posição a qual dava a Nic uma das visões mais belas que se pode ter em uma vida.

- Eu… eheheh, estou ótima. - O rosto da jovem fugiu ao toque de Kare no momento que envergonhada ela dirigiu seu olhar para o lado e para baixo antes de apressadamente e de forma ligeiramente atrapalhada se levantar chamando Kare para lhe acompanhar.


>><<

- EU… eu .. peço desculpas senhorita. - Nic havia interpretado que a reclamação quando a falta de lógica da logística daquela empresa era culpa sua e não de Bellatrix. - Eu… vim pra cá.ç.ç .. er.. Por ser a hora da aula de teatro.. Eu … não quis…. - ela abaixou a cabeça… Bom ao que parece a garota estava realmente vivendo uma montanha russa de emoções enquanto servia de acompanhante para Kare. Não posso culpá-la afinal eu mesmo adoraria me divertir naquelas curvas.

>><<

Ainda que muito houvesse reclamado e estado desgostosa com a situação ela rendeu-se por fim a "diversão" do que Bellatrix tinha a lhe mostrar. Está que havia optado deliberamente em não responder a pergunta de Kare sobre o motivo de tudo aquilo… Bom, talvez aquilo sequer fosse algo que Henry desejasse e sim apenas algo que uma velha senhora estava fazendo para se sentir bem? Está de fato era uma possibilidade, um ato egoísta de uma bruxa no final da vida… Ainda que bruxas vivam bastante….

Todavia também poderia ser que Bellatrix fosse capaz de julgar as intenções de Henry e por isso em um ato de extrema bondade e altruísmo estivesse transmitido para aquele diamante bruto lições que precisava aprender para tornar-se ainda mais brilhante.

Fosse o que fosse não houve resposta e Kare precisou resignar-se a aprender o que a velha lhe desejava ensinar e arrisco dizer que por um bom tempo se divertiu ainda que duvido sermos capazes de ouvir estas palavras de sua linda e perfeita boca. Há também algo muito importante que precisa ser dito neste magnífico e impar momento da história. Um momento onde a perfeição divina ultrapassou toda e qualquer barreira que um dia possa ter existido, onde o espécime mais belo brilhou. Um ser de magnífica beleza natural, mas que com poucos e simples cuidados havia sido capaz de tornar-se ainda mais bela. A princípio não houveram exageros e a maquiagem serviu apenas para maximizar a sua já estonteante beleza e por um momento arrisco a dizer que seria até mesmo perigoso olhar diretamente para aquela mulher já que meros mortais não devem ser realmente capazes de vislumbrar de forma segura uma verdadeira divindade.

ISSO AI, AFRODITE O QUE? KARE PARA DEUSA DO AMOR.

Ainda assim o momento mágico terminou e Kare se via mais uma vez frente a um dilema terrível, um dilema mortal, algo tão ou mais preocupante que uma unha quebrada. Então por tal não descreverei os acontecimentos, manter-me-ei resoluto a registrar tal ofensa à vida.

>><<

Martha havia chego em algum momento, mas assim como antes sua presença era tão discreta que era quase impossível nota-lá. E assim como muitos daqueles cabides ela apenas existia na sala, mas sem despertar o olhar para si.

Por outro lado Nic parecia feliz naquele momento, havia também "brincado" durante aquele tempo e assim outras duas horas haviam se passado.

- Com isso você deve se sair bem no que suspeito que precisará fazer. - Ao que parece Bella tinha realmente alguma noção do que talvez seria o destino de Kare. - Mas isso não vem ao caso agora. Creio que Martha já está lhe aguardando. - - Senhorita? Está pronta para irmos? - a empregada havia pego a deixa para se aproximar silenciosamente por de trás da jovem.

- Einn? Você… já? - Nic se interpunha, afinal ela não havia sido de fato comunicada que Kare não iria se juntar a companhia, ela talvez estivesse achando que a jovem iria se juntar ao grupo, o que foi confirmado no momento seguinte por ela própria. - Eu achei que você ia entrar na companhia.

Bellatrix sorriu para a jovem e negou com a cabeça antes de apoiar o rosto em uma das mãos com um dos braços cruzado a frente do abdome. - Ela era só uma convidada. - Bella explicou antes de por um sorriso que certamente podia ser chamado de falso dizendo. - Mas creio que ela já esteja de saída, o que é certamente uma pena. Nossa companhia iria certamente se beneficiar de alguém com as qualidade dela. - Nic que parecia ser um tanto ingênua não haveria notado o sarcasmo e por isso alegre concordava. - ISSO, Sim… Porque você não fica ? - perguntou animada, com fé nessa possibilidade.










____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptyDom 10 Nov 2019, 15:20


O comportamento atrapalhado e sem nenhuma confiança de Nicolle era realmente um incômodo para minha pessoa apesar de que eu devo admitir ser um pouco engraçado, ao menos a sua sinceridade tornava as coisas mais fáceis de corrigir, então para evitar que ela piore eu tento confortá-la afagando seus cabelos.  - Certo, certo, não é para tanto, pelo menos suas intenções foram as melhores, não se culpe tanto. - Diria após suspirar, e aproveitando para bagunçar um pouquinho os cabelos, sem poder evitar uma pequena risada por causa da situação. Mas após alguns instantes eu tenho um raciocínio instantâneo que me deixa um tanto desconfortavel. ”Estou me sentindo uma irmã mais velha, vai ser um problema se essa pirralha ficar muito apegada.”

>><<

E sem receber qualquer resposta por parte de Bellatrix a respeito de Hen eu não toco mais no assunto, apenas coloco as mãos por dentro do bolso do casaco e começo a olhar para cima reclamando sozinha. - É melhor que tudo isso tenha alguma utilidade, minhas pernas vão ficar inchadas de tanto ficar andando. - Dizendo indignadamente sobre a situação para que Bellatrix possa acreditar na reclamação sobre meu tempo perdido e não pela pergunta sem resposta. " Quanto mistério, ela me contou sobre a vida pessoal dele, mas não quis falar sobre isso, e não me pareceu que ela desconhece tal informação, mas sim que evitou responder propositalmente, francamente, agora preciso esperar até voltar para aquele local assombroso."

>><<

- Ara ara, já está me expulsando Sra. Badeaux? Bom, não posso culpá-la afinal todas as atenções se focariam em minha pessoa dentro do palco, seria um problema para as outras atrizes mortais serem completamente ofuscadas por todas as minhas virtudes.- Diria me lamentando muito falsamente sem fazer questão alguma de esconder o sorriso de satisfação que formou-se em meus lábios, além do tom de voz escorrendo deboche pelo canto da boca, enquanto faço uma expressão me vitimizando por ser tão incrível e superior, colocando meus dedos na bochecha e inclinando o rosto para o  lado fazendo uma cena dramática.

Eu ainda não posso deixar a companhia e por tal motivo minha pessoa não pode simplesmente sair. - Eu ainda tenho tenho algo importante para fazer aqui Martha, por gentileza aguarde um pouco mais. - Após educadamente pedir a compreensão da empregada, eu me viro para a aprendiz esboçando um sorriso suspeito como se estivesse planejando algo maligno. - Fufufu...Eu gostaria de contracenar mais uma vez com vossa pessoa, mas vamos tentar algo mais profissional, separe algumas roupas para compor seu figurino que irei auxiliá-la na escolha, vai ser um prazer inestimável poder te ajudar com as roupas. - Não posso negar que a ideia de vestir Nicolle como uma boneca seria um entretenimento no mínimo interessante, mas logo meus pensamentos vêm para me assolar. " Se isso continuar assim eu vou realmente me tornar a irmã mais velha…. Não é bom, nem um pouco.”

Esperando que NIcolle tivesse ido separar algumas roupas eu caminho até Bellatrix para conversar com ela.  - Me entregue uma cópia do roteiro para sua próxima peça, não devo dizer que precisa ser uma cena da protagonista certo? Me recuso a interpretar mesmo que como um passatempo algo menos digno do que o papel principal, ah sim, e também chame quem estiver no local para assistir no teatro, mas matenha as luzes da plateia apagadas além de pedir para que permaneçam em silêncio, e tente por um holofote na direção do palco, de preferencia o mantenha em Nic.- Diria apressadamente e mantendo o tom de voz baixo, ja esperando reclamações do tipo “Eu não sou sua empregada.”, “Você não tem autoridade alguma.”, “Eu não tenho a obrigação nenhuma de fazer o que você quer.” ou “Porque eu faria algo do tipo para sustentar seus mimos.” Enfim, ja esperando por qualquer tipo de reclamação ou demonstração de desgosto eu a interromperia colocando o dedo indicador erguido na frente dos lábios da bruxa velha,  - Pode reclamar o quanto quiser depois, mas agora não temos muito tempo, aposto que você não deseja ver Nic sendo uma aprendiz para sempre, e nem ela está satisfeita assim, apenas faça o que falei, se der errado, o que sinceramente não vai acontecer você pode soltar toda sua personalidade de velha ranzinza rabugenta e reclamar até meus ouvidos caírem. - Se desse certo eu esperaria que ela me entregasse o roteiro de forma um tanto grosseira e estando de cara fechada, então eu cuidadosamente pego o roteiro e belamente esboço um sorriso debochado repleto de confiança por ter saído por cima. - Ótimo, vou conseguir algum tempo enquanto vossa pessoa prepara o palco para o espetáculo. - Porém, se ainda sim Bellatrix se recusasse eu apenas suspiraria me conformando com a situação e daria as costas para ela indo embora.  - Ao menos me poupou de aturar uma despedida chorosa, adeus. - E começo a caminhar para fora da companhia mantendo o queixo empinado olhando para as pessoas de cima com um ar de desprezo e superioridade abotoando alguns botões do casaco durante meu caminhar sem dizer uma palavra para que Martha me siga, mas acredito que da mesma forma ela me seguiria,

E no caso de Bellatrix ter aceitado, apesar de eu imaginar que seria um pouco a contragosto da mesma, minha pessoa então iria até Nic soltando um sorriso de satisfação e impertinência. - É hora da transformação. - Com um tom de voz diabólico eu encaro a aprendiz sorrindo perversamente apenas planejando na quantidade de visuais que eu poderia fazê-la provar. Então eu escolheria diversas roupas diferentes, mas sempre mantendo meu critério para que cada peça combinasse perfeitamente, o que poderia levar algum tempo, e também fingiria dúvida, dizendo coisas como. - Não sei. -, - Acho que o anterior fica melhor. -, - Talvez esses sapatos com o primeiro vestido. - Enfim, diria apenas respostas incertas para fazer ela se trocar muitas vezes, mesmo se já tivesse decidido um figurino perfeito para a cena, apenas para gastar mais tempo, ah sim, e isso não seria divertido se minha pessoa não provocasse a ingênua Nic um pouco, durante uma de suas vezes dentro do vestiário eu me aproximaria até a porta me escorando nela. - Nic se você demorar muito dentro desse provador, eu vou entrar e vestir pessoalmente cada peça de roupa no seu corpo, sem exceção alguma ou direito de discordar. - Diria com uma tonalidade provocante, mas tendo que conter a vontade de rir, esperando escutar algumas reações engraçadas dela se atrapalhando, porém eu não iria parar com algo tão simplório, - Ou prefere que eu entre nesse provador pequeno e apertado para nós duas e que eu também me troque enquanto dividimos o mesmo espaço, até mesmo posso deixá-la a usar as próprias mãos para vestir algumas roupas em mim. - Minha voz soaria ainda mais luxuriosa e até mesmo um pouco erótica, mas eu teria que me afastar da porta para rir baixinho abafando o máximo possível com as mãos, para Nic não perceber que tudo é uma provocação, e durante esse momento engraçado eu procuro por um lenço ou pedaço de pano macio, se encontrasse o dobraria e colocaria dentro do bolso do casaco. "Apenas para uma emergência.”

Caso Martha estivesse presente nesse momento, eu a encararia virando o pescoço lentamente para ela com um sorriso intimidador nos lábios e uma intensa intenção assassina. - Ah sim, como eu pude negligenciar algo tão importante que afeta diretamente a minha imagem. - Então eu avançaria contra a empregada abraçando-a com firmeza e segurança.
- Martha sua rebelde, você me desobedeceu tantas vezes, agora não irei deixá-la escapar, eu tenho a punição adequada para você, depois de sofrê-la vossa pessoa ficará irreconhecível, eu posso garantir. -[/color] Apesar da atitude brusca, eu a envolveria gentilmente em meus braços, para que Martha se sinta confortável e segura em meu abraço caloroso, enquanto sussurraria tais palavras para ela. Mas já esperando algum tipo de negação ou tentativa de fuga por parte dela eu logo respondo - Não adianta se desculpar, só vai piorar sua situação, se eu escutar mais uma demonstração de desagrado vou colocá-la no mesmo provador que a Nic e vestirei as duas ao mesmo tempo, com certeza seria uma bagunça nós três dentro de um cubículo.- E assim que eu sentisse que Martha concordou, eu a soltaria e daria a ela um vestido longo de preferência azul escuro ou com tonalidade próxima, com o corte sério porém elegante para manter a personalidade dela, ou falta de personalidade… Esperando que ela o vestisse, mas eu a ajudaria assim que terminasse apenas com alguns ajustes se fosse necessário, por exemplo desdobrar algum amassado e coisas do tipo. - Certo, agora vamos para o próximo passo. - Então a guiaria até o espelho do camarim onde fica as maquiagens, pentes, escovas e derivados, começaria tirando os óculos dela e os colocando com cuidado acima da mesa, depois iria desfazer as tranças dela e gentilmente utilizar uma escova para pentear os cabelos dela para abaixar um pouco o volume e desfazer os nós que poderiam ter se formado, mas com muita cautela para não causar dor na empregada, e por último eu tento maquiá-la, primeiro uma base para dar mais cor ao seu rosto pálido e também um aspecto saudável, depois batom vermelho claro apenas para dar um pouco de vida aos lábios, depois eu faria um esforço maior para a maquiagem dos olhos. - Por favor mantenha os olhos fechados agora.- Então começaria passando delineador com o traço mais marcante e rímel, fazendo também uma sombra mais escura voltada para o azul, e com a desculpa de nunca ter me maquiado antes eu ficaria com meu rosto próximo ao dela, para que não ficasse nada borrado ou pesasse a mão, mantendo a sutileza e um certo carinho por cuidar dela, e assim que eu terminasse meu trabalho iria pegar os óculos acima de mesa e colocaria nas mãos dela e logo iria até Nicolle. - Eu disse que te deixaria irreconhecível, só não estou completamente satisfeita porque seu cabelo ainda precisa de um corte e esses óculos não combinam, apenas tente não chorar, se não vai borrar tudo, apesar de eu duvidar que vossa pessoa possa derramar lágrimas por algo tão supérfluo. - Sem esperar para receber agradecimentos eu vou até Nicolle, mas não podendo esconder a sensação de satisfação.

E de volta para Nicolle eu finalmente opinaria com sinceridade para ela escolher um ótimo figurino para que a aprendiz possa interpretar a cena. - Agora esconda essas olheiras, naturalmente vossa pessoa deve ter mais prática do que eu, mesmo sendo um ensaio não irei aceitar algo inferior ao nível de uma atriz internacional, então é melhor se esforçar, e caso você se saia bem, eu posso digamos… recompensá-la. - Diria a última palavra bem baixinho no ouvido da aprendiz para que apenas ela pudesse escutar, e depois assopraria atrás da orelha dela para deixar Nicolle arrepiada graças ao ar quente em contato com a pele sensível, ou pelo menos fazê-la se atrapalhar um pouco, eu confesso que isso está se tornando um esporte divertido. E assim que Nicolle terminasse de se maquiar eu mostraria o roteiro para ela. - Quero que interprete a protagonista, eu posso ser a vilã, ou… talvez ser o seu par romântico, isso vai me ajudar a descobrir se consigo ganhar destaque interpretando outros papéis, então preciso que você de o seu melhor, posso contar com isso Nic?. - - E então esperando uma resposta positiva eu diria. - Certo, mas antes precisamos decorar as falas. - Esta seria mais uma das estratégias para ganhar tempo, e para a decepção de Nicolle eu iria decorar as falas do(a) vilão(ã).


Histórico:
 
Objetivos:
 



____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Furry
Game Master
Game Master
GM.Furry

Créditos : 54
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptyQui 14 Nov 2019, 12:22




- Que isso, esse certamente não seria nenhum problema. As garotas que se apresentam aqui são todas hábeis. Não acho que você roubaria atenção alguma aqui, não precisa se preocupar com isso. - Bella devolvia em uma voz suave e até mesmo alegre. - Mas sempre podemos fazer uso de um rosto bonito. - completou como se para deixar claro que Kare era apenas isto. Seu rosto continha um sorriso fino.

- Algo mais? - - Algo mais? - Tanto Martha quanto Bella responderam com semelhante perplexidade embora seus tons de voz fossem muito diferentes.

Deixando-as sem resposta Kare virou-se para Nicolle informando-a do seu desejo. - E..E...E...Comigo? MaMaMaMas porquê? - Imediatamente a garota se tornou uma pilha de nervos. - Ela deve querer praticar um pouco mais Nicolle, seja uma boa menina e a ajude com isso. - Estranhamente havia sido a própria Bellatrix que havia intervido, obviamente a mulher não era tão relapsa quanto Kare supunha.

- Ah… certo. Será um prazer. - o sorriso aliviado voltou ao rosto da garota que saiu de forma ligeira para escolher alguma roupas. - Devo escolher para você também? - Perguntou ao deter-se alguma passos depois.

>><<

- Ela lhe contou suponho. - Bella olhava para a direção que Nic estava escolhendo algumas roupas. Havia tristeza em seu rosto. - Você está subestimado o problema.

Bella não teria discutido como Kate havia pressuposto, ela parecia entender exatamente o que estava acontecendo a sua frente sem que lhe fosse preciso explicar. A mulher inclusive parecia gostar muito de Nicolle se fôssemos observar a genuína tristeza em seu olhar. - Espero que você consiga. - Talvez Kare houvesse passado muito tempo convivendo com pessoas egoístas e por tal talvez fosse justificado não ter sido capaz de discernir os verdadeiros sentimentos daquela mulher. - Irei providenciar algo. - dito isso virou-se diretamente para Kare afastando os olhos da direção em que Nic estava e com um tom profundo anunciou. - Se você magoar Nicolle é melhor que desapareça rapidamente dessa ilha.

Bella não esperava resposta após a ameaça proferida simplesmente teria se virado e saído provavelmente para providenciar o texto, bem como o restante.

- Já estamos atrasadas senhorita. - Martha tentava impedir Kare de prosseguir com aquilo, mas era completamente ignorada pela morena e se via obrigada a tendo que seguir uma ''apressada'' mulher.

>><<

Nicolle estava com algumas roupas em seus braços quando o diabo lhe visitou. Foi ali, que durante muitas negativas um roteiro foi entregue a Kare por ninguém menos que Licia, a loira do banheiro.

Nic já estava pela quarta vez dentro do provador, que nada mais era que um biombo preto em um canto. Roupas estavam jogadas por cima do mesmo e eram puxadas pela jovem para serem provadas.

- ERRR… NÃO PRECISA. JÁ TO PRONTA. - Nicolle com o rosto vermelho ''voou'' para fora do provador negando precisar de ajuda para se vestir. - Viuuu, hehe. Esse ta bom né? Eu gostei desse. É só um ensaio afinal né? - não é preciso dizer que foi preciso apenas um olhar sanguinário em sua direção para que ela se arrependeu profundamente de suas palavras. Afinal o look dessa vez estava em completo desarranjo visto que ela se apressou a terminá-lo devido às palavras de Kare.

Enquanto aguardava Nic provar o próximo conjunto ela foi capaz de encontrar um lenço o qual guardou em um bolso interno do casado, neste momento também dirigiu seu olhar para Martha que encontrava-se parada a alguns metros a direita resignada em esperar a senhorita para levá-la até Henry.


Kare avançou na direção da empregada e com firmeza prostrou ambas as mãos sobre os ombros de Martha dirigindo-lhe um olhar perfurante. Martha fora capaz de manter-se firme com seu olhar sem vida, ainda que agora fosse um pouco mais azul do que o cinza anterior.

Após esse olhar firme os braços antes bruscos de Kare deslizaram pelos ombros da mulher aproximando o corpo de ambas até que seus rostos estivessem colados. Martha manteve a compostura, aparentemente era muito mais dona de suas emoções do que a pequena Nicolle.

- Não lembro de ter-lhe desobedecido senhorita. - Acusou-se inocente, mas Kare obviamente discorda disso, pois obviamente vestir-se daquele jeito era uma óbvia desobediência, muito embora tudo que Martha houvesse feito até então era obedecer as ordens de Henry e em nenhum outro momento serviu obediência a Kare, ainda que isso muito provavelmente não fosse observado pela jovem que já havia assumido em algum momento que Martha era sua.

- Não estou autorizada a mudar de roupa senhorita. - Martha se explicou ao negar levar suas mãos ao vestido que Kare lhe entregava. Ela então se curvou. - Serei repreendida se o fizer. - Ela então se ergueu olhando diretamente para Kare com um início de sorriso nos lábios. - Obrigada.

Martha não explicaria o obrigado, não diria o que de fato agradecia, ou se o obrigado fazia parte de alguma desculpa deixando para a própria Kare determinasse o que aquelas palavras queriam dizer.

Assim sendo, naquele momento, nada iria demover Martha da opinião expressada. Mesmo que força fosse utilizada a mulher iria se mostrar completamente inflexível em sua resposta. E caso Kare insistisse respostas como:

- Obrigada. - seriam continuamente ditas, até que após a um possível quarto "discurso" de Kare a emprega diria após um leve suspiro. - Eu gostaria de lhe servir senhorita… houve uma peque a pausa onde Martha se endireitou olhando pra Kare. - Mas sirvo a Henry. Sei que a senhorita no lugar meu mestre teria a mesma opinião quanto a este assunto. - ela havia se inclinado de forma respeitosa a mulher a sua frente após terminar de falar. - Peço que entenda a minha situação. - finalmente Martha havia expressado uma opinião completa e talvez em uma única frase muito mais palavras que durante o dia inteiro. - Obrigada. - diria finalmente mais uma vez e agora com um sorriso completo no rosto.


>><<

- Eeeee?? Cococococomo assim me reconlmppeepepepeçar? - o Rosto de Nic tornou-se imediatamente vermelho, mas Kare obviamente não lhe respondia com palavras e apenas soprava em seus ouvidos/pescoço o seu hálito doce.

- CLARO QUE PODE CONTAR COMIGO, FAREI PELA RECOMPENSA…. QUER DIZER, FAREI O MEU MELHOR. - ela respondeu completamente animada quase gritando.

Todavia Nicolle já tinha todas as falas decoradas da peça proposta, a verdade seria dizer que ela possuía as falas de toda e qualquer peça da companhia decorada e além disso haveria uma outra surpresa. - Ahhh, eu ajudei a senhora Bellatrix a escrever essa. - disse contente ao pegar o script em mãos e com isso ela inclusive se prontificou em ajudar Kare com suas falas e o figurinha.


>><<

A organização estava como a dama havia pedido. Excetuando as primeiras cadeiras nenhuma das outras era possível enxergar. O palco estava iluminado com uma luz suave, mas havia dois grandes focos mais potentes apontados atualmente para as para as laterais do palco.







____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptyQua 20 Nov 2019, 11:52


- Apenas torna a situação mais interessante, um simples rosto bonito ganhar a atenção do público mesmo com tantas atrizes habilidosas estando no palco, seria uma ótima oportunidade para testar nossas perspectivas. - Desculpe, é mais forte do que eu posso suportar, minha pessoa pode dizer que se diverte com tal troca de provocações, diria com o tom divertido e ao mesmo tempo ácido colocando um braço abaixo dos seios abraçando a cintura e apoiando o cotovelo  no braço livre acima do pulso  gesticulando a mão debochadamente, respondendo a alfinetada de Bellatrix como se quisesse dizer que mesmo sendo “apenas” um rosto bonito poderia acabar ganhando todo o foco.

- Eu aprecio a consideração, mas não precisa Nic, acabei de escolher essas roupas, e trocá-las agora seria um tempo gasto que gostaria de evitar. - Digo tentando parecer gentil com a negação enquanto balanço a mão negativamente esboçando um sorriso simpático.

>><<

- Ela não me disse muita coisa, apenas deixou escapar enquanto acompanhava minha pessoa escolhia durante a escolha para um vestido apropriado, posso apenas supor alguma situação que aquela menina tenha vivenciado, para ter desenvolvido tal trauma, enfim, no momento só posso… como é mesmo que a plebe diz nessas horas…. “Dar um empurrãozinho”, acredito ser esse o termo adequado, enfim, após isso resta tanto a ela quanto a você para dar continuidade ao que iniciei. - Dizendo com bastante confiança em minha pessoa sem que a comoção  pela clara demonstração de tristeza feita por Bellatrix atinja-me, afinal é impensável alguém como eu falhar com uma tarefa tão simplória, apesar de sentir a língua queimar por causa do palavriado chulo.

Se eu fosse questionada do porque tal ato benevolente e aparentemente sem nenhum benefício direto para a minha pessoa, iria apenas responder. - Como uma apreciadora de belas  artes é natural que eu fique interessada em assistir boas peças de teatro, e aquela menina demonstrou ter as capacidades de ser uma atriz renomada, talvez algum dia eu a veja atuando lindamente em um teatro prestigioso. - Diria sorrindo meigamente com os olhos fechados, o que apesar de não ser mentira também não chega ser toda a verdade por detrás de tal atitude.

- Que meeedo… Será que serei amaldiçoada por algum feitiço, talvez ela faça nascer rugas e verrugas no meu lindo rosto, aaahh… Seria tão terrível. - A princípio começaria à fala com bastante deboche na voz sem fazer muita questão de ser ou não escutada, porém logo um calafrio percorre meu corpo me deixando toda arrepiada a ponto de me fazer dar um “pulinho”. " É bom provável que aquela bruxa faça algo tão assombroso, meu rosto ficaria arruinado com as feitiçarias que ela pode fazer... “ Então engoli a seco depois de pensar melhor no que aquela bruxa seria capaz.

- Ara ara, é natural que uma dama se atrase, isso deixa os homens mais ansiosos e instigados, a surpresa dele ao me ver será ainda maior caso me demore mais que o previsto. - Digo enquanto sorrio divertidamente e continuo com meus afazeres. "Ele merece o benefício da dúvida depois de tudo, minha única lamentação é não ver a expressão ansiosa do Hen, se perguntando se minha pessoa  irá ou não encontrá-lo."

>><<

Quando a loira veio entregar o roteiro não pude conter um sorriso malicioso que se formou em meus lábios, segurei firme nas folhas de papel de forma que "acidentalmente" meus dedos tocassem na mão dela, ficando mais tempo do que deveria segurando o roteiro enquanto meu olhar se cruza com o da Licia. - Que prazer revê-la tão cedo, ainda existe uma pendência entre nós que precisa ser solucionada, você sabe certo? Eu não tive a oportunidade de deleitar-me com seus toques, imagino que essa companhia seja o local mais fácil para encontrá-la certo? Ou tem outro lugar onde eu possa visitá-la? - Então esperaria por alguma resposta por parte da loira. Assim que ela respondesse eu certo meus olhos sentindo uma sensação quente percorrer meu corpo e aproximo minha mão ao rosto dela, e se Lícia permitisse eu acariciaria o rosto dela tomada pelo impulso aproximo meu rosto ao dela até nossos lábios quase tocarem-se, e minha pessoa ter um surto de realidade. - Não, ainda não é o momento apropriado, estar perto de ti faz meu corpo arder como se estivesse em chamas, eu não entendo o motivo, mas me sinto tão bem, e imagino que você pode me ajudar a entender melhor o que é essa sensação. - Minhas bochechas logo ficaram coradas, e com a voz repleta de sentimentos lascivos, apesar de estar calma e respirando pausadamente eu sentia como se estivesse ofegante com a respiração quente. - Quando eu tiver tempo irei ao seu encontro, mesmo que eu odeie esperar, ainda tenho alguns problemas para resolver. -

>><<

- Não entendo como alguem poderia desaprovar uma mudança positiva aparência, na verdade deveriam me agradecer por isso. - Digo acenando positivamente com a cabeça confirmando minha indagação. - E Hen não parece ser do tipo que se importaria. - Diria casualmente sem enxergar o problema que Martha mencionava. - Até porque se ele desse importância não te deixaria usar tais vestimentas por tanto tempo. - Dessa vez eu digo pensando alto com tonalidade de desgosto na voz por causa do Hen. - E a Sra.Badeaux provavelmente ficaria satisfeita com a mudança e não iria reclamar por ter pego mais um vestido. - Não que eu continuasse a insistir na ideia mas se assim fosse interpretado pela criada eu sigo com outra resposta.

-Confesso  não ter a capacidade de entender vossa linha de raciocínio.- Digo ficando pensativa tentando me por na situação de Martha, porém sem sucesso algum. - Qual o sentido de viver em função de apenas obedecer ordens sem nenhuma vontade como uma boneca sem vida. - Diria ficando até mesmo um pouco irritada só por causa do pensamento da possibilidade de talvez poder me imaginar vivendo minha prestigiosa vida de tal maneira. - Não considera demasiadamente monótono e tedioso a própria existência? - Apesar de minhas palavras poderem parcer grosseiras e até mesmo ofensiva, eu realmente me vejo com dúvida nessa situação podendo ser notada na entonação de minha voz com ar de questionamento. - Acredito que se deve viver pelas próprias escolhas e vontades, se privar dessa liberdade eu considero a mesma coisa que decretar a própria sentença de morte, você quem deveria fazer as escolhas de sua vida e não permitri que outra pessoa tenha esse direito. - Tomada por pensamentos melancólicos eu digo tais palavras sem pensar muito apenas sendo guiada pela emoção do momento. Mas após alguns instantes refletindo sobre o que falei apenas dou as costas para a serva e digo com frieza. - Apenas esqueça, isso não é de meu interesse e não tenho obrigação alguma para com sua pessoa. -

>><<

" Nada mal, essa pirralha é uma caixinha de surpresas, ela me pareceu ter habilidades de atuação acima da média, mas ela pode tornar-se realmente grande, fico feliz por minha intuição não ter me enganado." Me vejo imersa em pensamentos enquanto observo Nicolle, - Então você também escreve roteiros, devo confessar que estou impressionada. - Diria ficando um pouco boquiaberta e com os olhos abertos de surpresa. - Você deve realmente amar o que faz, memorizou tantas falas apenas por diversão? - Questionaria a garota tentando entender melhor as motivações dela.

Após o momento de praticar as falas, se é que posso chamá-lo assim, afinal a aprendiz já tinha tudo decorado basicamente fui a única que precisou lidar com o roteiro, ao menos serviu para ganhar mais tempo, e devo dizer que valeu a pena esse esforço para distrair a aprendiz, o palco estava montado, tudo parecia estar de acordo para que Nicolle não percebesse, agora depende apenas de nós duas para que tudo ocorra bem. "Nicolle esse pode ser o início de sua ascenção aos maiores palcos, ou pode piorar ainda mais vosso medo, dessa vez permitirei que me conduza nesse pequeno espetáculo." Apesar de ser uma situação crítica onde falhar significa lidar com os traumas mais profundos de uma adolescente e a fúria de uma bruxa velha, eu estaria perfeitamente confortável, afinal não há outro lugar que minha pessoa não se sinta mais a vontade do que acima de um palco, como o de costume eu estaria com meu fiel sorriso repleto de confiança que sempre adorna meu belíssimo rosto, e uma postura mais relaxada afinal ainda é apenas um "ensaio", de forma que se fosse o caso meu comportamento poderia deixar Nicolle menos tensa.



Histórico:
 
Objetivos:
 



____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Furry
Game Master
Game Master
GM.Furry

Créditos : 54
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptyQui 21 Nov 2019, 18:05




- Hunf! - Licia empertigou-se empinando o nariz. - Você teve a chance de aproveitar e se deleitar. - Embora com o rosto virado era possível ver que observava Kare com o canto dos olhos, esta que não deixou o movimento despercebido e aproximou-se de Licia.

Sentiu o corpo da loira tremer ao seu toque, mas a mesma não se afastou. Com leveza o rosto dela foi puxado e seus olhos se encontraram antes de ambos serem voltados em direção a boca da outra. Os lábios -- rosados e macios de ambas, levemente abertos se aproximam até o ponto que Kare se detém pensando melhor em suas atitudes e impedindo-se de ceder à luxúria do momento.  "Não, ainda não" -- Ela começou a dizer, mas não teve chance de prosseguir visto que Licia avançou calando sua boca durante alguns instantes antes de se afastar enquanto mordiscava e puxava com suavidade o lábio inferior de Kare.  

- Tá ai dentro. - Licia bateu no texto, se virou e foi embora sem dar chance para Kare dizer quando poderia ir.

Como dito, ao folhear o texto a bela encontraria entre as páginas um papel amarelo com o endereço da loira.

>><<

"- Não considera demasiadamente monótono e tedioso a própria existência?"

-Eu… - Martha que começava a responder logo teve o foco e a cor do seu olhar roubados, ela já não mais parecia olhar para Kare como fazia a alguns instantes e novamente era como se olhasse para algo extremamente distante. Seu rosto que havia recuperado um pouco de expressão voltava a tornar-se tão apático quanto no primeiro momento em que haviam se visto e seu olhar era mais uma vez colorido em um cinza apagado e frio.

Kare não tinha como saber, na verdade ninguém além da própria Martha teria. Na verdade haviam alguns homens que sabiam, homens em um passado que ela lutava em esquecer, mas que teimavam em assolar seus pensamentos sempre que ela começava a "acordar".

Kare esperou alguns segundos, mas como não houve resposta por parte da empregada ela simplesmente prosseguiu dando a mulher a sua opinião, mas novamente não houve reação por parte de Martha excetuando um maneio de cabeça, por fim Kare decidiu que não queria saber nada daquilo o que levou Martha a dizer um simples ; - Como desejar senhorita. - afastando-se alguns passos na sequência.

>><<

- Tudo que eu tinha… Antes da Senhora Bellatrix, era minha imaginação. Ela me deu a chance de usa-la para algo mais. - começou com um pouco de tristeza, mas concluía a fala com animação. - Vou te ajudar, vamos.

Kare no entanto também possuia grande facilidade na memorização, mas conforme passavam as falas uma pequena preocupação e um entendimento se enraizaram na mente da jovem. Bellatrix havia dado um jeito de lhe devolver uma alfinetada com aquele roteiro.

A história tratava de uma mulher que por muito tempo era a mais bela de todo o reino, mas sua beleza era apenas exterior, pois por dentro era alguém dominada pela inveja e pela ganância. Uma mulher orgulhosa e altiva era pois não, nobre e também uma rainha agora que havia se casado com o rei.

A primeira esposa do rei havia morrido em circunstâncias complicadas e esta mulher chamada Magda esteve pronta para aparar o desolado rei e a pequena filha dele. Anos se passaram na história e esta bela mulher havia se casado com o Rei o qual também acabou por falecer deixando para ela um reino e uma enteada de 14 anos.

A mulher, agora rainha, era alguém completamente obcecada por sua beleza e a seu mando muitas jovens do reino haviam simplesmente -- puff, sumido.  A enteada, chamada Branca, havia até então escapado dos seus olhos, mas no 16 sexto aniversário a Rainha finalmente se deu conta.

Era nesse ponto que a cena que realizariam começava.

O palco havia sido arrumado, era possível ver Bellatrix sentada na primeira poltrona. Nic acenou para ela que retribuia o gesto. Havia um sorriso contente no rosto da mulher o que daria a Kare a certeza que aquela peça havia sido escolhida propositalmente.

No palco havia uma mesa, a cena era um jantar e havia também mais um ator que iria participar. Este era um homem de cabelos castanhos e tez dourada. Seu rosto era belo e possuía uma barba rala, mas bem definida. Seu cabelo era longo e dourado, ele era alto e parece bastante forte. Além disso, como se não bastasse seu sorriso era incrivelmente branco.

- Bella pediu para que eu completasse a cena, me chamo Thor. - Ele se dirigiu a Kare e até mesmo sua voz era irritantemente bela.

A cena era um jantar, Thor seria um jovem príncipe que havia visto Bela passeando pela cidade. Oh! Ele era ousado e impetuoso, havia se apresentado e roubado a atenção da jovem Branca e por ela havia sido chamada a um jantar. Nele estariam presentes a Rainha, a princesa e o príncipe que agora via-se em um incrível dilema entre a pura beleza de Branca e as irresistíveis investidas da bela e formosa rainha.







____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptySeg 25 Nov 2019, 16:44


E assim fui surpreendida, meus lábios foram tomados pela loira, não posso dizer que foi completamente inesperado dado a situação, mas claramente deixou-me estupefata paralisada por cerca de um segundo até compreender o que acontecia nesse breve momento, só teria tempo de reagir a ação da loira segurando os braços dela com firmeza sem q capacidade de controlar a força puxando-a um pouco mais para perto de mim enquanto fecho meus olhos me dando conta de que acabou tão rápido quanto começou, sentindo meu lábio inferior sendo puxado arrancando-me um suspiro de revirar momentaneamente os olhos e soltando um gemido abafado dor e lascividade me permitindo ser puxada para a direção dela em busca de mais, precisando de mais alguns segundos para compreender o que as palavras dela queriam dizer.

Eu pude sentir que meu corpo estava mais caloroso, ainda observando Lícia afastando-se estando de olhos atentos ainda por causa da surpresa, até finalmente um sorriso sedento de satisfação se formar em meu rosto enquanto fito-a com o olhar cerrado, e gentilmente toco meu lábios sentindo-os doerem minimamente assim como o calor que ainda resta neles, por causa dos lábios aveludados da loira, então começo a enrolar uma mexa de cabelo nos dedos. - Tão impulsiva… - Diria praticamente sussurrando em tom de repreensão. - Tudo bem eu posso lidar com isso. - Agora dizendo com tom de satisfação e prazer, enquanto perco-me nos pensamentos, imaginando quais outras sensações Licia poderia oferecer-me. E devidamente eu guardaria o papel amarelo dobrado dentro de outro bolso do casaco após tentar decorar o que estava escrito.

>><<

Lendo mais sobre a história do roteiro me vejo um tanto incomodada com a personagem que escolhi interpretar mas não é algo que me faria mudar a escolha. - Essa rainha é totalmente superficial e mesquinha, com certeza não é agradável conviver com alguém assim, e francamente, ela não tem o mínimo de confiança. - Diria reclamando sozinha.

Assim que minha pessoa chegasse ao palco logo ficaria impressionada com o cenário todo montado estando além do que eu havia imaginado. "Isso não é exagerado para um ensaio falso, a Sra. Badeaux realmente levou isso a sério.." Pensaria enquanto tento disfarçar a expressão de surpresa e estranhamento para Nicolle não perceber. "Mas eu posso me divertir um pouco." Nesse momento em pequeno sorriso aparente surge em minha face.

- Tudo bem, vai ser bom termos um coadjuvante para apoiar-nos, eu me chamo Karelina Lawford, o prazer o todo seu. - Diria em resposta a Thor com um leve tom de malícia, então viro-me para Nicolle apoiando meu braço sobre o ombro dela e digo baixo. - O que acha de fugirmos um pouco do script e transformar-mos esse ensaio em um pequeno jogo? Acho que pode ser mais divertido assim, basicamente eu não pretendo perder esse jogo de sedução, e se você não fizer nada o príncipe ficará perdidamente apaixonado pela rainha. - Mesmo não tendo reais intenções de fazer o príncipe se apaixonar pela rainha, acredito que dessa forma Nicolle ficaria mais motivada e transmitir mais vivacidade em sua atuação além de eu poder me divertir um pouco com essa pequena competição. - Mas eu não irei exagerar, afinal é apenas um jogo para deixar esse ensaio mais emocionante. - Diria tentando diminuir o peso da situação para não deixá-la nervosa.

O olhar e sorriso e cínico de Bellatrix parecia como uma seta sendo cravada diretamente no meu tórax, eu não poderia deixar de rir um pouco imaginando o quão longe ela iria com essa implicância um tanto quanto infantil e então daria de ombros para ela, mas sem desaprovar o comportamento e sim achando graça da situação. " Não se preocupe Sra. Eu entendi perfeitamente o recado, é natural que os fãs sempre façam questão de sempre exaltar a beleza de suas ídolos." Infelizmente não seria coerente com a situação dizer tais palavras em alto e bom tom, então tenho que me contentar apenas com esse pensamento enquanto sustento um sorriso de aceitação e indiferença, afinal é o momento no qual todos aguardam, e preciso entrar na personagem.

>><<


Encenação escreveu:

A cena iniciou-se já no fim do jantar, quando o prato principal foi recolhido, então ordenei para a criadagem. - Por gentileza Stefanie adoce a noite de nosso exímio hóspede trazendo-nos a sobremesa.- Digo com uma voz impondo autoridade porém sem soar friamente elevando um pouco o timbre vocal para deixar com um aspecto mais grave, por achar que combina melhor com a personagem que está sendo interpretada. " A rainha não me pareceu ser do tipo que refere-se aos servos pelo nome,  mas como é de Interesse dela impressionar o príncipe, deve ser para transmitir  a imagem de uma pessoa respeitosa com todos, até mesmo os de classe inferior."

Assim que a personagem da criada deixou a cena virei-me para o príncipe com um olhar de mistério e interesse. - Príncipe Mark, ao que devo a honra de sua ilustre visita até meu reino? - Faço uma pequena pausa para resposta tomando em mãos em uma taça e apreciando o que deveria ser o vinho da cena enquanto continuo a contemplar o príncipe mantendo o olhar de Interesse.

Furry*

E por alguns instantes eu acabo perdendo o tempo da fala, afinal o elogio para a Nicolle/Branca não seria um problema, afinal minha pessoa sabe o quão incrivelmente linda é, mas sem ter tempo de reclamar e arruinar ainda mais a cena, logo comecei a fazer movimentos circulares com a taça fazendo o vinho sutilmente rotacionar em seu interior, enquanto olho intimidadoramente para Branca com o canto dos olhos, e volto minha atenção para o príncipe sustentando um falso sorriso. - Claro, nosso reino é conhecido por suas belezas. - Dizendo a última palavra com uma rispidez discreta virando novamente o olhar para a afiliada da Rainha. " Interpretar essas personagens sem autoestima é realmente uma complicação, essa rainha deveria aprender algumas coisas comigo." Pensei durante minha fala mas sem deixar transparecer a indignação contra a personagem interpretada.


E então dando continuidade para a cena estou com a atenção voltada para o príncipe. - Está sendo um momento tão tortuoso de suportar, o óbito de meu amado marido, porém sinto-me tão agraciada com vossa presença, é muito importante ter uma pessoa  benevolente para apoiar-me nessa situação rígida. - E como manda a personagem fiz o melhor que pude para transparecer estar realmente abalada com situação e ainda sim fazer as insinuações para o príncipe Mark.

Furry*

Cerrei meus olhos observando Branca com desgosto estampado neles. - Não está claro o suficiente? O príncipe Mark logo irá cair de amores por mim, e assim terei um novo monarca para sentar ao meu lado no trono, mas não preocupe-se, em respeito ao vosso falecido pai, deixarei com que viva no castelo. - Escovei os cabelos algumas vezes com os dedos sorrindo de satisfação por estar vislumbrando o glorioso futuro que aguarda a personagem e logo em seguida disse com certa confiança na voz, como se eventualmente as vontades da rainha fossem se realizar independente do percurso.

Furry*

Um sorriso satisfatoriamente maligno formou-se em meus lábios  não apenas por estar atuando, mas também por ver o quão Nicolle emprestava a si mesma para dar a vida a personagem que está atuando, posso dizer que tanto meu plano quanto o da rainha estão fluindo adequadamente, porém ainda não é o momento de comemorar, e apesar do sorriso eu demonstrava  estar irritada com aquele chilique de Branca. - Se não fosse uma criança mimada que vive no mundo dos sonhos entenderia o que fez o "antigo" rei escolher-me como sua rainha. - Fazendo questão de enfatizar a palavra antigo deixando claro de que o rei não se encontra mais neste mundo, e após a raiva momentânea deixo-me ser tomada pelo sentimento de felicidade da Rainha Magda já prevendo o futuro que lhe aguarda. - Atualmente sou a monarca que governa este reino, então é melhor para si própria que me respeite como tal, vossas atitudes não condizem com a de uma princesa, se assemelha a uma plebéia escandalosa de baixa estirpe, príncipe Mark jamais iria se interessar por uma mulher que se portar de maneira tão chula, e assim que o príncipe firmar seus votos matrimoniais comigo eu terei o controle de dois reinos. - E após terminar a fala soltei uma curta gargalhada maléfica.

>><<

E assim concluiu-se minha parte na encenação, agora era apenas questão tempo até Nicolle encerrar sua parte, já poderia até arriscar a prever os próximos acontecimentos, as luzes da platéia sendo acessas e o palco sendo tomado por aplausos eufóricos da plateia.

E se meu plano obtivesse o que minha pessoa possa considerar como sucesso eu apenas esboçaria um sorriso extremamente debochado e arrogante para Bellatrix, enfatizando o quanto eu fui bem sucedida e daria de ombros deixando o palco acenando para Nicolle por cima do ombro. - Isso não acontecerá uma segunda vez, é impensável para mim dividir os aplausos e gracejos da platéia, porém eles não são para mim, lembre-se dessa sensação toda vez que for subir ao palco, o público necessita de uma estrela para adorar, e não estão ali para assustá-la. - E sem me despedir ou prestar agradecimentos continuo meu elegante caminhar até a saída do palco. " É mais fácil mostrar do que explicar com palavras essa sensação, acho que fiz um trabalho minimamente apropriado."

Caso o ensaio fosse finalizado adequadamente eu não deixaria a companhia imediatamente, procuraria por Martha me sentindo satisfeita com a situação. - Gostaria de beber um pouco de água antes de partirmos, minha garganta está seca depois de interpretar aquela rainha, depois podemos partir. - E então sigo para beber um copo de água antes de seguir para o local de encontro, o que poderia dar tempo de Nicolle se recompor e vir chorando para se despedir ou pedir para que minha pessoa fique, sentindo-se muito grata pela minha "boa ação".

Porém se por algum motivo algo fugisse de meu controle, provavelmente por Nicolle congelar no palco e não saber o que fazer eu apenas suspiraria decepcionada. - Se não consegue continuar, desista de atuar, nunca irá progredir se deixar esse medo dominá-la, ao menos você é capaz de escrever, deveria se focar no que consegue fazer e parar com a brincadeira de ser atriz. - Se por ventura Nicolle viesse a chorar enquanto eu estivesse saindo do palco, eu faria uma pausa em meus passos, retirando o lenço do bolso e com muito descaso sem ao menos me dar o trabalho de virar o rosto na direção da aprendiz  jogaria o lenço de pano sob os pés dela não me importando sob o local que o lenço fosse realmente cair . - Use isso para enxugar essas lágrimas vergonhosas, e não espere mais nada de mim. - Em tal momento desgosto seria a única coisa que poderia ser notada no tom de minha voz, e então caminharia com passos rápidos para deixar a companhia sem nunca mais querer ver Nicolle novamente depois de sentir tanto desgosto, procurando por Martha. - Vamos, desculpe ter feito com que vossa pessoa esperasse sem motivo. - E então a seguiria até o ponto de encontro com Hen.



Histórico:
 
Objetivos:
 


Última edição por love.licia em Ter 26 Nov 2019, 13:11, editado 2 vez(es) (Razão : Tive que corrigir um code que deixou o post todo rosa anteriormente.)
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Furry
Game Master
Game Master
GM.Furry

Créditos : 54
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 27/03/2015
Idade : 28

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptySeg 25 Nov 2019, 19:14




Um beijo roubado em um momento parcialmente esperado, mas de fato sabia Licia o que havia roubado? Talvez se soubesse teria se demorado. A inocência daqueles lábios rosados havia sido tirada, mas cabe apenas a própria Kare julgar se aquele havia sido um nobre furto e ao que posso perceber tal ato ousado havia sido apreciado. O beijo curto, a mordida e finalmente o leve resquício de pressão e calor que deixavam a suave e acalentadora sensação de desejo.  Palavras sussurradas ao vento como uma promessa de disciplina a uma garota levada. Haveria este tempo em outro momento, tempo no qual ambas poderiam se doar uma a outra em um duelo de vontades de ímpeto.


>><<

Nicolle ria a reclamação de Kare sobre a superficialidade da rainha. - Essa era a intenção afinal. Seria estranho se o vilão fosse amado.

>><<


Ao avaliador: O post acima da Licia pode ter parecido um pouco estranho na parte do Ensaio, mas é porque montamos as falas pelos Docs para não precisar fazer uns 4 ou 5 turnos para a ação ser concretizada. Abaixo vai seguir os trechos do roteiro realizado pelos NPCs.
Onde tiver  [Kare] entenda que eh o paragrafo do post dela.




>><<
Teatro escreveu:

[Kare]
- É um dos costumes da minha família. Quando o primeiro príncipe completa 16 anos ele deve partir em uma viagem pelos reinos vizinhos com o propósito de adquirir experiência para reinar.

Branca inclinava-se sobre a mesa do jantar com olhos virados para o príncipe, tinha em seu rosto um olhar animado e bastante sonhador de alguém que somente imaginava poder viver algo assim. - Você deve ver tantas coisas maravilhosas podendo viajar pelo mundo.

Mark tirava então os olhos da rainha e voltava-se para a princesa. -  Encontrei a mais bela delas hoje. - O príncipe falou em tom ousado com o olhar completamente voltado para Branca antes de dar-se conta e um pouco desconcertado virar-se para a rainha. - As duas mais belas. - Então voltando a falar sobre seus motivos Mark punha um sorriso no rosto prosseguindo. - Eu tenho esperança de poder ver o reino e seus encantos. - tinha um tom respeitoso nesse momento. - Meu pai era um velho amigo do falecido rei e esse é o segundo motivo da minha visita. - Mark aparentemente havia ido prestar condolências a morte do antigo rei, visto que sua família não poderá comparecer na época do acontecimento.


[Kare]


A sobremesa chegava não muito depois. Comeram, mas era notável os olhares dirigidos de Branca para a Rainha. O príncipe por sua vez parecia um tanto quanto desconcertado sem entender muito como deveria portar-se naquela situação. Enquanto apreciavam a sobremesa a rainha continuo a conversar com o mesmo e suas palavras eram de tal forma tecidas que até mesmo o mais idiota dos homens seria capaz de perceber os significados ocultos carregado por elas. E se mesmo o mais relapso dos homens poderia notar o que poderia ser dito de uma jovem e bela garota sonhadora?

A mesa era recolhida e com ela o príncipe pediu licença. Criados o guiaram a um quarto do palácio que havia sido preparado para ele após a descoberta de sua chegada. Branca e a rainha Magda estavam agora frente a frente, o último empregado havia terminado de limpar e fechado a porta do salão ao sair.

- O que você tá tentando fazer? - Sem a presença do príncipe toda e qualquer compostura mantida por Branca desapareceu.

[Kare]

Branca praticamente congelou com sua boca semi-aberta. Seus lábio tremia assim como seu corpo. A cor havia literalmente fugido do rosto da jovem. Se não fosse um ensaio era possível que Kare realmente acreditasse que Nic estava apavorada com algo. - Você é podre. Não… Não sei como meu pai pode ter se casado com alguém como você. MAL ELE MORREU E VOCÊ JÁ QUER… QUER… - a voz se elevou preenchendo o auditório. - ESSE É O CASTELO DO MEU PAI ELE NÃO É SEU!

[Kare]
- VOCÊ NÃO TEM O DIREITO DE SER NADA. - A jovem parecia perder a razão em sua racionalidade deixando-se levar completamente pelo sentimento do momento, mas era afinal algo a se esperar de uma adolescente que havia perdido ambos os pais e que embora fosse a princesa legítima via o reino e o povo de seu pai sendo governado por uma mulher que ela não suportava. - Você vai perder tudo. - disse a jovem com raiva antes de se virar para sair.

Por direito seria Branca que assumiria o trono quando possuísse a idade adequada e talvez ela pudesse ter vivido mais tempo em paz se não tivesse feito questão de lembrar a rainha deste fato. A história prosseguiria dali é claro, com uma tentativa falha da rainha de matar Branca e as reviravoltas esperadas deste tipo de história fantasiosa, mas aquele era um ensaio e com isso este era o fim do ato.
>><<

As luzes da plateia se acenderam o que interrompeu o ''avanço'' de Nic que caminhava batendo o pé para sair do palco. Os aplausos que se seguiram não poderiam ser chamados de ensurdecedores, mas eram claramente empolgados. Aproximadamente 30 pessoas sentadas na quarta e quinta fileira  batiam palmas, assobiavam e gritavam. Nicolle era bem quista por seus colegas, fato que era amplamente evidenciado pelo ânimo dada as palmas realizadas que faziam muito mais barulho do que seria esperado de um grupo tão modesto.

Bellatrix não aplaudia, seu olhar era concentrado e focado em Nicolle, ela sorria, mas era possível ver receio em sua face.



Essa é uma história de dez anos atrás, uma tragédia ocorrida com uma pequena e inocente garota que viria a gravar a ferro e fogo em seu ser um trauma profundo e cruel.

Joshep e Lyana se conheceram no teatro e desde sempre este havia sido uma das paixões do casal. Por alguns anos namoraram e nesses anos o seu amor só se fez crescer. Fruto desta união uma bela criança foi gerada.  Nicolle Nyaley foi o nome que ela recebeu.

Nicolle cresceu no teatro, cresceu assistindo sua mãe atuar enquanto seu pai prestava o suporte de palco. Desde cedo se familiarizou com a família que é uma companhia, mas aos seus seis anos. Um acidente ao final de uma das peças, durante o agradecimento dos atores para a plateia, durante os aplausos um acidente aconteceu. Uma das cordas se soltou e um dos aparatos despencou. Nicolle estava sentada na primeira fila.

Joshep e Lyana morreram nesse dia. Bellatrix era uma amiga do casal, haviam atuado juntos muitas vezes. Bella inclusive havia sido aquela que os apresentou e incentivou a relação e talvez por isso não abandonou Nicolle naquele momento.



Bella parecia preocupada, era visível que suas mãos agarravam o encosto da poltrona em que estava, mas ela tentava sorrir e olhar confiante para Nic.

O Nic ficou parada onde estava, próxima a saída do palco apenas virada para os aplausos. Gritos como "Você foi ótima Nic." "É isso ai Nic." "Eu te amo Nic." -- Sério? Quem é o pervertido que diz isso nesse momento?

Seus lábios tremiam, mas neste momento ainda era difícil discernir se por medo, raiva, ou alegria. (PS: Não consegui decidir por mim mesmo se a cena terminaria bem ou mal e por isso joguei um rand 3 vezes. Considerando a dificuldade 7. Primeiro deu 9, segundo 6 e repetiu o 6. Então… é… deu média 7. Agradeça ao Google. )

Algo parece trancado, Nicolle continuava travada. Aos poucos suas pernas cederam e ela se ajoelhou. Ela engoliu em seco, um filete correu por seu rosto indo até o canto do seu lábio. Este subiu ligeiramente antes dela afundar o rosto nas mãos. Ela parecia ''bem'', emocionada é claro, mas bem. Seria fácil ter confundido a reação com desesperos, mas o viva vindo dos seus companheiros de teatro apenas aumentou ao ver sua reação, e mesmo Bellatrix pareceu relaxar, visto que outra atitude teria sido esperada caso o plano houvesse falhado.

Ela não foi realmente capaz de ouvir as palavras de Kare. Bom… Os aplausos não deixaram. As únicas que viram Kare saindo foram Bellatrix e Martha que lhe aguardava no acesso lateral do palco. Como uma sombra ela foi seguida pela empregada que parecia um pouco mais contente nesse momento, embora fosse preciso muita percepção para notar o fato.

Pararam na mesma sala onde tudo havia começado. A sala que Bellatrix usava como recepção dos convidados. Martha saiu para buscar a água. Do lado de fora, pela janela, Kare observou que já era noite, mais precisamente pode ver pelo relógio no cômodo que eram 8hs. Sentia fome além de sede visto que apenas havia comido algo na chegada.

Após beber água deixaram o local. Nicolle não apareceu. Kare poderia não saber, mas ela havia ficado presa com todos os seus amigos de teatro querendo abraçá-la e só alguns minutos depois da partida de Kare é que ela havia conseguido chegar a recepção onde encontrou um lenço em cima de uma mesinha junto a um copo vazio com uma leve marca de batom.

>><<

Martha seguia a frente com ambas as mãos prostradas a frente do corpo. A noite havia esfriado ainda mais a ilha e neve novamente caia. Felizmente para Kare seguiam agora para um ponto mais civilizado de modo que o barro já não era um problema. O casaco e o calçado eram agora também adequados ao clima. Martha usava novamente o casaco. - Foi legal. - disse simplesmente após alguns minutos de caminhada.

Foram precisos algo em torno de 15 minutos para que chegassem em frente a um restaurante de fachada ampla todo feito em pedra com um toldo negro acima onde podia ser lido o nome anteriormente dito por Henry. Não havia fila, mas na entrada havia um homem grande vestindo terno preto e um sobretudo de lã na mesma cor.

Martha cuidaria de tudo ali, informando que possuíam reserva e quem iriam encontrar. Quando entrasse Kare encontraria o lugar com bastante clientes, mas com mesas bem afastadas e cada uma com sua própria iluminação de modo que cada uma parecia bastante privativo. Havia o burburinho das conversas e ocasionais risadas, mas era um local bastante silencioso visto sua natureza.

O interior era todo de pedra com vigas de madeira envernizado a decoração era bastante minimalista. Alguns espelhos com molduras douradas, alguns quadros retratando os vinhedos também com suas molduras douradas. Os funcionários vestiam branco e preto em um conjunto clichê de atendente.

Seria guiada por um dos funcionários, Martha não teria passado da porta despedindo-se de Kare ali e seguindo seu próprio destino.





____________________________________________________



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Voltar ao Topo Ir em baixo
Licia
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Licia

Créditos : 14
Warn : Falência declarada - Página 6 10010
Feminino Data de inscrição : 20/01/2019
Idade : 21

Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 EmptyTer 26 Nov 2019, 13:01

Me vejo a caminhar alguns passas atrás de Martha enquanto abotoo o casaco até fechá-lo colocando as mãos por dentro do bolso mantendo apenas os polegares para fora, com uma postura mais relaxada distraída observando a neve se a mesma estivesse a cair, tomando apenas cuidado para não sujar-me com a lama que ainda poderia estar no caminho, até escutar as poucas palavras da empregada.

Então retornando a realidade aceleria os passos até parar ao lado de Martha. - Não fiz nada que mereça ser exaltado, a sensação de estar em dúvida com alguém me desagrada, acredito que agora não exista mais pendências entre mim a senhora Badeaux. - Diria mantendo minha atenção voltada para frente, me sentindo um pouco entediada por não ter tido a oportunidade de testemunhar a reação de Bellatrix antes de partir. - E também meus olhos doem ao observar alguém com potencial desperdiçando o próprio talento em uma função que não condiz com o nível de habilidade pessoal. - Agora dizendo enquanto observo Martha por cima dos ombros com o canto dos olhos, querendo dizer que tais palavras também são direcionadas para ela, na verdade até mesmo uma parte de minha fala anterior poderia ter sido direcionada para a empregada.

>><<

Ainda com o ar de desinteresse me vejo chegando no ponto de encontro, no final a empregada se mostrou ainda mais útil resolvendo as formalidades com o segurança, o que me poupou uma conversa tediosamente desnecessária, e sem dar a menor a atenção para o homem que estava de guarda no local entrei no restaurante, apenas acenando para Martha por cima dos ombros. - Apenas certifique-se de retornar em segurança. - Dizendo sem demonstrar uma preocupação, sendo apenas uma cordialidade, e então segui caminhando como o de costume, mantendo a postura ereta apenas olhando superficialmente de cima o local e os frequentadores do restaurante, até que minha visão identificasse o Hen.

Seguiria o atendente até encontrar-me com Hen, e logo solto um sorriso de canto por vê-lo ainda a me esperar e despreocupadamente caminharia até ele sem demonstrar importar-me com o tempo que ele ficou ali. - Ótimo, você já está aqui, detestaria ter que esperá-lo sem saber se viria ou não. - Dizendo em tom de provocação por ter feito justamente o que acabei de falar com ele, e já esperando por algum comentário rude sobre meu atraso, e calmamente desabotoaria o casaco deixando-o cair de meus ombros o impedindo de cair no chão por causa dos braços, e escovaria meus cabelos para “arrumá-los” preferencialmente admirando-me em um espelho, então volto minha atenção para Hen inclinando sutilmente o tórax em sua direção. - Disseste algo? - Fingindo não entender o que ele havia acabado de falar, e esperando que minha vislumbrante aparência fosse suficiente para ao menos deixá-lo desconcertado, mantendo a provocação mas dessa vez com um tom de voz ligeiramente sedutor, e apesar da demora ainda esperaria ser elogiada por ele.

- Irá continuar a tratar-me com falta de cortesia ou dessa vez pretende me recepcionar apropriadamente como um cavalheiro. - Continuando com as implicâncias dessa vez para fazê-lo "me ajudar" a retirar o casaco e puxar a cadeira para minha pessoa sentar-se, e se assim ocorresse eu me viraria de costas para ele mantendo-me mais próxima que o necessário o olhando por cima do ombro com um sorriso de aprovação colocando o casaco de pele no encosto da cadeira, então sento-me na cadeira mantendo a coluna reta e cruzos pernas o que poderia fazer com que o vestido subisse um pouco revelando um pouco mais de minhas pernas, e esperando que Hen a empurrasse a cadeira na direção da mesa. - Obrigada pela gentileza. - Apesar das provocações dessa vez eu diria de maneira mais afetuosa enquanto olho para cima observando-o. Porém se ele não fizesse nada do tipo apenas manteria o sorriso sentaria-me na cadeira por mim mesma sem retirar o casaco totalmente. - Nada diferente do esperado.- Dizendo com um tom de irritantemente provocativo.

Assim que estivesse devidamente sentada na companhia de Hen, eu o observaria com ar de interesse e me sentindo um pouco ansiosa. - Então, por qual motivo fez com que eu viesse até aqui? - Dizendo casualmente apenas aguardando para que Hen conduzisse a conversa.


Histórico:
 
Objetivos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Falência declarada - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Falência declarada   Falência declarada - Página 6 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Falência declarada
Voltar ao Topo 
Página 6 de 7Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: North Blue :: Budou Island-
Ir para: