One Piece RPG
Everybody Ye Ye Ye XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Vol 1 - The Soul's Desires
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Milabbh Hoje à(s) 20:55

» O Log que vale Dois Bilhões de Berries
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Handa Hoje à(s) 20:08

» Bell Farest
Everybody Ye Ye Ye Emptypor ADM.Noskire Hoje à(s) 19:25

» Helves
Everybody Ye Ye Ye Emptypor ADM.Noskire Hoje à(s) 19:22

» Caçadoras Eternas: Almas entrelaçadas!
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Kenshin Himura Hoje à(s) 18:53

» O Segredo de Um Ladrão
Everybody Ye Ye Ye Emptypor ADM.Tidus Hoje à(s) 18:11

» Art. 5 - The hunt is on
Everybody Ye Ye Ye Emptypor ADM.Tidus Hoje à(s) 18:10

» Cap.1 Deuses entre nós
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Thomas Torres Hoje à(s) 18:09

» The Hero Rises!
Everybody Ye Ye Ye Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 17:21

» VIII - The Unforgiven
Everybody Ye Ye Ye Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 17:10

» 11º Capítulo - Cataclismo em Skypeia!
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Far Hoje à(s) 16:17

» Ato 157: Se eu quisesse tua opinião, Eu tirava na Porrada
Everybody Ye Ye Ye Emptypor K1NG Hoje à(s) 15:52

» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Furry Hoje à(s) 13:22

» Seasons: Road to New World
Everybody Ye Ye Ye Emptypor GM.Muffatu Hoje à(s) 10:55

» [FICHA] Sonny Delahunt
Everybody Ye Ye Ye Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 10:10

» Sonny Delahunt
Everybody Ye Ye Ye Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 10:09

» Capitulo II: Sangue e navalhas! O Golpe em Las Camp
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Oni Hoje à(s) 08:33

» Meu nome é Mike Brigss
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Oni Hoje à(s) 08:18

» Evento Natalino - Amigo Secreto
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Hisoka Hoje à(s) 03:24

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
Everybody Ye Ye Ye Emptypor Fukai Hoje à(s) 01:54



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Everybody Ye Ye Ye

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 68
Warn : Everybody Ye Ye Ye 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptyDom 23 Dez 2018, 04:14

Everybody Ye Ye Ye

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) civis Asger e Henry Meursault. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Sargento
Sargento
Achiles

Créditos : 47
Warn : Everybody Ye Ye Ye 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : The Wonderful Land - 1º Rota

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptyDom 23 Dez 2018, 15:29




I - The Start



Quando nós temos muito tempo para pensar em nossa vida, é algo comum voltarmos ao nosso passado, principalmente em nossos erros dos quais mais nos atormentam ou nas vergonhas que passamos em diversas ocasiões. Você para e começa a imaginar: “Por que eu não tomei essa decisão? Eu fui tão cego a ponto de esquecer que existiam outras opções?” E aí os pensamentos começam a se tornarem outros, seu cérebro lhe faz pensar no futuro e você fica: “Vou fazer diferente da próxima vez, não será dessa forma que agirei” e quando percebe, você evoluiu, mesmo que um pouco. As minhas cicatrizes mostram onde errei e por onde devo acertar, minhas batalhas me renderam experiências e sangue de ambos lados foram derramados em prol de uma causa. Começo a sorrir. Tenho certeza de que agora será diferente e estarei mais forte do que já fui antes, trarei os tritões para o topo de qualquer hierarquia, olhando para os meus pés e vendo as cabeças de meus inimigos, um trono de caveiras humanas, é isso que eu vejo.

Ainda ouço os gritos de dor de meus inimigos, mas também dos meus antigos aliados, sofrendo pelas suas espadas, martelos e armas de fogo, tentando defender a embarcação da qual havia conquistado junto com meus antigos colegas, dos quais estavam desaparecidos ou mortos. Queria saber uma notícia deles, algo que me deixasse mais feliz ao escutar. Esses pensamentos me atormentam as vezes, mas nunca tiraram meu sono, eles se sacrificaram pela nossa raça e muitos outros também irão, sei que pessoas morreram e não devo perder o meu tempo lamentando por infortúnios, devo ser forte e mostrar a eles que é possível, trazer e unir os tritões.

Retomando a minha consciência para o presente, olharia ao meu redor tentando encontrar onde estava e tirar o branco que fazia em minha mente por ter me esquecido brevemente, ergueria o meu volumoso corpo para cima, batendo sobre qualquer poeira que estivesse em minhas vestes e corpo e procurando com minha mão esquerda encontrar o ombro do meu amigo, Henry. - Você é o único humano que consigo desprezar menos do que os outros. – Sorriria de forma cínica. Estava confiante de que algo bom estava para acontecer e sairíamos daquele local em breve, procurando desta vez, encontrar os olhos do meu colega cego. - Vocês também estão sentindo isso? – Caso os mesmos não estivessem próximos o bastante, adiaria minhas falas e ações.

Respiraria fundo, sentindo o ar entrar nos meus pulmões e expirando devagar, observando tudo o que estava ao redor e quem também estava, tentando enxergar nas paredes ou nas grades, quaisquer detalhes de enfraquecimento do metal ou rachaduras, qualquer coisa que pudesse resultar em uma maneira de escapar mais facilmente daquele local. Tentaria cronometrar em minha mente, o tempo dos quais os guardas costumavam passar, guardando a informação e realizando novamente todas as vezes que passassem. Procuraria contar conforme o tempo passasse, os horários, procurando saber quais horas nós estaríamos a comer, banhar ou qualquer que parecesse significante.

Esses homens que dividem as celas devem estar desesperados para uma forma de fugir, ninguém gosta de ser capturado, por mais que possam temer a morte, eles procuram uma maneira, sinto em seus olhares essa vontade, o fogo ainda vive no coração desses homens, o fogo que irá levá-los a agarrar uma espada e romper as traqueias dos guardas. Haviam duas pessoas das quais havia confiança, o cego e o navegador, não sei o quão bem lutam, mas sei que estariam ao meu lado em qualquer decisão tomada. Só que agora, é só esperar...



Objetivos:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Meursault
Agente em Treinamento
Agente em Treinamento
Meursault

Créditos : 3
Warn : Everybody Ye Ye Ye 8010
Masculino Data de inscrição : 28/01/2018
Idade : 23
Localização : Loguetown - East Blue

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptyTer 25 Dez 2018, 03:43



Kintsukuroi




Correntes, muros e grades nunca foram o suficiente para conter um homem determinado, Meursault sabia bem disso, infelizmente, por experiência própria. O tempo que passou como escravo foi, sem dúvidas, a pior época da sua vida. O navegador ainda carrega marcas, tanto físicas quanto mentais, desse período sombrio, amargos lembretes que Henry teve de aprender a aceitar. Os homens costumam cobiçar aquilo que não possuem, tratando o objeto de seu desejo como essencial, por outro lado, tomam por garantido aquilo que já possuem, Meursault desprezava grande parte daqueles que o rodeavam por isso, mas, se fosse sincero consigo mesmo, saberia que não era diferente dos demais.

O jovem já havia tido sua liberdade cerceada uma vez, justamente por isso, valorizava a mesma mais que tudo. O medo de perdê-la novamente era tão grade que Henry aprendeu a enxergá-la em lugares que outras pessoas não veriam. Tome um escravo acorrentado como exemplo, para qualquer pessoa com o mínimo de bom senso se trata de um homem sem liberdade, para Meursault, é um homem livre, afinal de contas, existe algo que nenhum homem pode tirar do outro, seu poder de escolha. Um escravo acorrentado pode escolher entre ser complacente com seu status ou se rebelar, podia parecer pouca coisa, mas, para Henry, se tratava de um estilo de vida.

Devido a tal fato, o navegador não se importava com a sua atual condição, não desejava estar em nenhum lugar, assim sendo, não se importava em estar onde quer que estivesse. - Se realmente quisessem manter alguém preso, eles deveriam enviar mulheres. - Diria o homem, como se fosse um pensamento em voz alta. - Correntes e barras de ferro podem prender homens por dias, semanas, meses ou até anos, mas o doce beijo de uma bela mulher prende um homem para sempre. Seria mais prazeroso e eficaz. - As palavras seriam ditas em tom de sarcasmo e descrença, mesmo contendo certa verdade. Após a breve reflexão, o navegador simplesmente exibiria um sorriso debochado e se sentaria, escorando-se na parede mais próxima, se existisse.

Caso fosse capaz de escutar as palavras de Asger, gargalharia, não era o tipo de atitude que esperava do tritão. - Não sabia que você era sentimental desse jeito. - Henry faria uma pequena pausa para recuperar seu fôlego e voltaria a caçoar de seu companheiro. - Desculpa, mas eu te vejo só como amigo. - Na hipótese de ser indagado sobre sentir algo, responderia com uma literalidade que provavelmente não era esperada. - Sim, se chama abstinência. Eu mataria qualquer por um cigarro agora. - Não se tratava de exagero, Meursault se sentia incompleto sem um cigarro em seus dedos e sem calor em seus pulmões. O homem simplesmente permaneceria sentado, observando o ambiente ao seu redor até algum evento prender a sua atenção.

Histórico:
 



____________________________________________________


Voltar ao Topo Ir em baixo
Mephisto
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Mephisto

Créditos : 111
Warn : Everybody Ye Ye Ye 10010
Masculino Data de inscrição : 06/04/2017
Idade : 22
Localização : Wars Island (North Blue)

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptyDom 30 Dez 2018, 08:25

O Calabouço, o tritão, o cara com nome estranho Meursault? Merusalt? Puta nome esquisito, vou chamar de Henry, e a luxúria.

O dia estava começando no calabouço, eles tinham mais uma vez que ver o sol nascer quadrado, o lado bom disso era que havia tempo para pensar na vida. O tritão tinha em mente o que ele tinha passado, as coisas que o levaram aquele momento, os erros e aprendizados de seu passado, mas além disso ele tinha o futuro, sabia que alguns ali poderiam ajudar ele. Depois de todo esse momento pensativo ele estava quase chegando a uma nova conclusão. Já o humano, naquele ponto tinha outro pensamento, um sobre liberdade e escravidão, a ideia que sempre se tem uma escolha. Mas claro ele tinha algo ainda maior, a ideia da maior prisão do mundo, um rabo de saia claramente… Barras de aço podiam falhar, umas coxas atraentes, e belas curvas não, um beijo decente, todas essas coisas poderiam prender muito mais que isso. Como já dizia o filósofo Pyton, tudo na vida depende do quanto você quer comer alguém.

O lugar onde eles estavam era um tipo de subterrâneo de alguma instalação, a parte das paredes era feita de rocha maciça, mais ou menos uns 30 cm de rocha maciça de uma parede, era algo bem duro de escapar, as grades não eram barras de aço qualquer, aparentemente grossas o suficiente para manter um cara de 2m com um tiro no pescoço pianinho por ali. Asger verbalizava algo para com Henry, que rapidamente comentava de que aquilo ali era só na brotheragem, sem namoro, eram apenas brothers, mesmo com essa fala poderia talvez rolar aquela mão amiga quem sabe, provavelmente mas não passaria disso não é mesmo? Pessoas presas por muito tempo podem tomar medidas desesperadas. Porém mais que qualquer coisa ele desejava um cigarro.

O dia ia se passando enquanto o tritão claramente buscava meios de escapar dali, ele procurava fendas nas paredes, talvez problemas nas grades, mas se tinha algo certo, é que essa não era a saída, mesmo a parede mais fodida ainda tinha diâmetro suficiente, para o tritão precisar de anos socando pra abrir ela. Pelo lado bom, um dia ele conseguiria abrir… Eu acho… Mas o que ele mais observava naquele lugar era com toda certeza os guardas, os turnos que eles exerciam, ele tinha notado que era a cada duas horas a troca, e os almoços começavam as 12:00 a comida daquele dia era macarrão, eles davam uma porção de macarrão meio mal cozido, com um copo de água para todos os prisioneiros, provavelmente sobras do que os homes ali comeram.

Chegando ao meio dia era fácil ver isso, e o dia continuava avançando até que as 18:00 ele podia ver que trocava o turno para uma guarda definitiva. Uma moça de belas madeixas negras, um estilo gótico de chamar atenção, calças coladas que exibiam suas belas curvas seus olhos castanhos eram claramente a cara da perdição, quando somado aos lábios grossos que eram ressaltados ainda mais pelo batom vermelho. Seus quadris eram claramente bem alinhados, era possível ver que o posicionamento que aquela parte tinha tornava ela extremamente atrativa, além disso eles tinham um movimento hipnotizante. Mas a mulher não trazia apenas a luxúria consigo, ela trazia algo que o garoto estava disposto a matar pra ter, ela tinha nicotina, estava fumando bem na frente de todos ali.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ela ia passando de cela em cela, checando os prisioneiros, até chegar bem onde Meursault estava, ela então dava uma enorme tragada no cigarro e soltava fumaça para dentro da cela, aquela fumaça ia bem na cara do garoto. -Você é novo aqui. Nunca tinha o visto no calabouço, mas por que foi preso?- A curiosidade da mulher era genuína, ela trabalhava pra os homens ali a pouco tempo e não entendia completamente os objetivos deles ao prender pessoas ali, alguns aparentemente que tinham sido presos eram piratas, e ela os entendia como caçadores de recompensas, mas não sabia muito bem o que rolava. - Não se preocupe, é só um leve ritual com os prisioneiros, me falar os crimes, ou por que vieram parar aqui.- Falava ela dando a ultima tragada naquele cigarro que estava com ela, apagando e pegando outro.

Ela colocava o novo cigarro na boca e ascendia ele, agora questionando ao garoto. - Quer dar um trago? Estar nessa situação sem poder dar uma tragada deve ser desolador imagino.- falava a moça oferecendo o cigarro que tirava da boca, ela parecia realmente se interessar a dar esse cigarro pra ele, já que parecia pronta a pegar outro do maço. O chão era de terra, então dificilmente poderia se causar algum incêndio por ali.Ou ao menos não daquela cela que eles estavam. No entanto pelo lado bom, mesmo com a alta segurança, os homens eram presos apenas pelas barras, sem correntes internas para os manter completamente imóveis, provavelmente confiavam nas barras e na parede extremamente grossa.

____________________________________________________

Make love, not war


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

2017 Achievements:
 


2018 Achievements:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Sargento
Sargento
Achiles

Créditos : 47
Warn : Everybody Ye Ye Ye 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : The Wonderful Land - 1º Rota

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptySeg 31 Dez 2018, 00:00




II –In need of more Intel



Nosso ambiente poderia ser caracterizado com simples palavras: “Terrível, mas forte.” As paredes de concreto eram um sinal forte para separar a liberdade de nós, as grades estavam bem reforçadas pelo que aparentavam o que não era um bom sinal para fugirmos dali. Por outro lado, as agendas dos guardas eram fáceis, com uma diferença de duas horas para cada turno e apenas as seis da tarde para uma mais definitiva, dava uma abertura de tempo grande em cada um desses intervalos, haveriam mais nas suas trocas de turno, mas estariam todos desalinhados em posições que não seriam estratégicas para sua defesa o que facilitaria na hora de uma pancadaria. Henry era engraçado de sua maneira, as suas palavras saindo cínicas e atingindo sentido duplo em palavras comuns.

Como sentia, o dia parecia ser diferente hoje, foi quando uma moça com uma aparência mais gótica aparecia, suas curvas bem definidas e atrativas para os corações daqueles humanos, era claro a excitação que eles sentiam ao ver um belo espécime de sua raça, estavam dispostos a darem várias coisas para ter uma única noite com ela, mas em meus pensamentos, apenas via defeitos, um corpo frágil que se quebraria na menor das joelhadas, suas curvas de nada adiantariam em uma batalha corpo-a-corpo, talvez fosse mais ágil que a maioria. Ela havia uma peculiaridade, diferentes dos outros guardas, esta tinha um destaque a mais, estava com o cigarro em sua boca e o cheiro de sua fumaça chegava em minhas narinas após uma expirada na cara de Henry, o garoto tinha chamado sua atenção.

O chão feito de terra poderia ser uma escapatória, mas seria facilmente percebido por qualquer guarda que passasse pelas celas, em meus pensamentos, eram como várias peças de um quebra-cabeça e apenas seria descoberta a solução se juntasse os pedaços, ainda não tinha todas as informações que queria, reparei em seus horários, só que não tinha visto como estavam devidamente vestido e suas armas, começaria pela mulher, olhando da cabeça aos pés e tentando encontrar algum volume em suas roupas referentes a alguma arma, faca ou o que pudesse estar escondido que não estivesse a mostra. Grande parte dos homens utilizavam armas em um lado do corpo, nem todos eram ambidestros e isso dava uma boa ideia de pôr onde atacavam, tentando assimilar os rostos de cada um com o lado de suas armas. Olharia precisamente para cada detalhe, tentando em meio aos intervalos de suas passagens, olhar também para dentro das outras celas, procurando detalhes e quem estivesse por ali, procurando seus rostos, vestimentas. Contaria também quantas armas estavam sendo carregada por eles o que também me dariam a quantidade de homens que estavam fazendo a mesma, era importante saber desses números para o futuro.

Nesse tempo, tentaria sempre tentar disfarçar a maneira que olhava para eles, procurando estar em pontos de onde queria vê-los e eles não percebessem que estava fazendo aquilo, meus olhos não encarariam ele por muito tempo, mas em caso de perceber que me encaravam, sorriria, estava acostumado a ser o centro das atenções, um tritão forte e excepcional como eu não era comum de se ver no dia a dia. Esperaria Meursault terminar a conversa com a mulher, ouvindo cada palavra que era dita e tentando ver as suas expressões, no fim de tudo, quando ela virasse as costas, diria para o meu companheiro se ela tivesse lhe dado o cigarro. - Ela não acostumará a ver nós aqui por muito mais tempo. – Diria em um tom razoável, não me importaria se ouvissem, não me importava com eles, até porque em uma prisão, pessoas falando sobre escapar era a coisa mais comum que havia.



Objetivos:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Meursault
Agente em Treinamento
Agente em Treinamento
Meursault

Créditos : 3
Warn : Everybody Ye Ye Ye 8010
Masculino Data de inscrição : 28/01/2018
Idade : 23
Localização : Loguetown - East Blue

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptySeg 31 Dez 2018, 23:21



Your lips tasted like nicotine




Ao avistar a silhueta da mulher e notar que a mesma se aproximava, Meursault abriria um largo sorriso. Ter uma visão agradável em um cenário tão repulsivo como o que se encontrava era uma sensação similar a se deparar com um oásis no meio do deserto. Com o sorriso estampado no rosto, que refletia luxúria e malícia, Henry se viraria para o seu companheiro tritão. - Parece que Deus finalmente começou a escutar as minhas preces. - O navegador pensaria na situação por um momento, em seguida, retiraria o sorriso de seu semblante e daria de ombros. - Ou talvez seja o Diabo me atentando com os meus desejos mais profundos. Estou sendo recompensado pela minha fé ou punido pelos meus pecados? - O homem daria as costas para Asger e caminharia lentamente até as grades, onde se apoiaria para esperar a chegada da figura desconhecida. - Acho que nunca saberemos, meu caro amigo. - Diria, em um tom mais baixo e com certa melancolia, dando assim fim ao seu monólogo.

Após observar as palavras e atitudes da moça, qualquer dúvida existente na mente de Meursault era erradicada, claramente se tratava de uma tentação diabólica, mas que homem se recusaria a dividir um cigarro com o demônio? Ainda mais sendo um demônio bem-apessoado como aquele era. Ao escutar a oferta da mulher, o navegador simplesmente estenderia sua mão direita através das grades, deixando a mesma aberta, a espera do cigarro que fora prometido. Parecia ser uma resposta clara o suficiente, afinal de contas, alguns costumavam dizer que ações valiam mais que palavras. Recebendo ou não o cigarro, o jovem exibiria um sorriso capcioso e diria em tom amigável. - Eu não esperava encontrar uma alma tão gentil aqui. - Henry faria uma pequena e observaria a figura da cabeça aos pés. - E nem tão formosa, se me permite ser sincero. - Sem esperar nenhuma reação, Meursault se afastaria das grades. Se estivesse em posse do cigarro, deixaria o mesmo em sua mão direita, entre o dedo médio e o indicador. Obviamente, o homem sentiria uma vontade pulsante de levar o objeto até a sua boca, mas não seria cortês realizar tal ato antes de sanar as duvidas de sua benfeitora, além do mais, não era todo dia que uma mulher bela como aquela mostrava tanto interesse em sua figura.

Henry suspiraria, tentando manter sua compostura, já que parte de sua consciência dizia que ele simplesmente deveria agarrar a mão da moça e puxá-la com força e selvageria para dentro da cela, fazendo seu belo corpo chocar-se contra as grades inúmeras vezes até suas belas curvas perderem toda a vida. É provável que tal alternativa fosse um caminho eficaz para deixar aquela cela, tendo em vista que não seria loucura presumir a existência de uma chave, guardada com afinco por uma carcereira curiosa demais para o seu próprio bem. Da forma que fosse, Meursault decidiria que não era tempo de findar a vida de algo tão belo, ao menos ainda. - É uma pergunta mais complicada do que parece. - Falaria suavemente, demonstrando seriedade em sua feição. - A verdade é que eu não sei. - A aparente seriedade aos poucos daria lugar para um sorriso sádico. - Eu agredi algumas pessoas? É claro que sim. Matei outras? Obviamente. Roubei, saqueie e pilhei, não nego. Torturei meia dúzia de pessoas, fiz inocentes sangrarem e me diverti com isso. Falando assim, parece que eu sou um bastardo desprezível e sem coração, não parece? - A pergunta era, claramente, retórica. O navegador voltaria toda a sua atenção para a figura que residia no outro lado das grades, encarando a mesma. - Mas eu também fiz coisas boas, eu acho. - A dúvida era genuína. - Eu também amei, salvei pessoas, poupei pessoas, tive amigos, ou melhor, uma família pela qual daria a vida. - A melancolia tomaria conta da voz de Meursault na medida em que o homem se dava conta do que havia perdido. - Resumindo, já que seu tempo deve ser mais precioso que o meu, eu sou culpado por ser humano. Assumo a culpa de transcender com naturalidade entre aquilo que é profano e aquilo que é divino, afinal de contas, é isso que significa ser humano. - O homem começaria a tirar a sua camisa, ou qualquer peça de roupa que cobrisse a parte superior do seu corpo. - A questão é que só podemos dar aquilo que recebemos. - Henry exibiria um sorriso malicioso e, em seguida, viraria de costas, mostrando as cicatrizes que carregava. - E tudo que eu recebi foi isso, então não me surpreendo de acabar aqui, agora, se você perguntar o motivo específico, eu realmente não vou saber dizer, provavelmente estava bêbado. - As palavras seriam ditas com uma tranquilidade assustadora.

Na hipótese de ter o cigarro em mãos, Meursault levaria o mesmo até a boca e inalaria a fumaça, prendendo a mesma por instantes enquanto seu desejo era saciado, aproveitaria o momento ao máximo e em seguida viraria para encarar a mulher novamente. Soltaria a fumaça sobre a mulher, como ela havia feito com ele anteriormente, e bateria as cinzas do cigarro, para apagar o mesmo em seu antebraço esquerdo, logo em seguida. - Então, agora que você sabe a minha história, quais são as chances de você abrir essa cela e me deixar sair? - Diria o navegador com um sorriso estupidamente otimista no rosto.

Histórico:
 



____________________________________________________


Voltar ao Topo Ir em baixo
Mephisto
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Mephisto

Créditos : 111
Warn : Everybody Ye Ye Ye 10010
Masculino Data de inscrição : 06/04/2017
Idade : 22
Localização : Wars Island (North Blue)

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptySex 04 Jan 2019, 19:57

Gado D++

A preocupação de Asger ainda se dava em sua procura por informações, talvez por ele não ter visto os homens carregando armas ali embaixo, e de fato eles não carregavam, por isso ele não tinha notado, a mulher no entanto, tinha o que parecia uma pistola na lateral do corpo, talvez fosse atiradora, ou usava a arma apenas como um meio alternativo, talvez pudesse usar mais de uma arma. Mas a questão não era essa é claro, ela se vestia de maneira trivial, comum, assim como todos, o que indicava não serem marinheiros, ou qualquer organização com o mínimo de rigidez.

Já para Henry, não era uma questão de roupas é claro, era uma questão de curvas, por mais que ele pensasse algumas vezes que talvez bater ela contra as grades fosse o instinto correto, apenas estendia a mão recebendo o cigarro já aceso plantado ali para que ele se satisfizesse. Seu vício poderia ser saciado, mas não antes de dar respostas a moça, ele falava o que ela tinha perguntada, e a mulher? Ela apenas ouvia o que ele tinha a dizer, parecia ter algo importante pra fazer ali. Mas o melhor não era tas as coisas que ele dizia, sobre ser um humano, nem mesmo a ideia de profano e divino, mas sim sua última pergunta.

O homem era otimista demais, ou talvez apenas Gado d+ tivesse a muito tempo ali. Mas o que a mulher dizia era ainda mais interessante. - Sua pergunta é mesmo relevante garoto. Na verdade isso depende do quão cooperativo você poderia ser nos meus planos. Dependendo disso posso ou não soltar vocês dois.- Falava ela com um olhar agora bem mais sério que o anterior, ela então se aproximava mais da cela para evitar ter de falar em um tom exageradamente alto ou coisa similar, podendo falar mais confortavelmente, porém não com o lado direito onde guardava a arma, fazia questão de deixar ele virado de forma oposta.

A moça tinha o mínimo de esperteza para ao menos isso fazer, e logo começava a explicar a que viera. - Bem, tenho algo que posso sugerir na verdade. Eu não estou aqui pra ganhar o trocado do mês, estou aqui procurando alguém, em uma cela, sei onde ele está na verdade, mas soltar ele e fugir seria impossível, visto que tem guardas lá em cima, pra lidar com muitos prisioneiros. São quase 3 guardas para cada um na cela, sair daqui sozinha ou em dupla é impossível.- Comentava a moça, que imaginava que talvez agora sim tivesse a atenção dos dois homens em questão para poder fazer um devido trato com eles.

Ela então prosseguiu falando mais uma vez contando agora com mais detalhes o que queria fazer, afinal sem isso como eles poderiam concordar, com um plano que não tivessem certeza. - Eu vendo isso queria tirar meu irmão daqui, e pra isso quero abrir algumas celas, porém, tirar todos daqui poderia me ser maléfico, muitos homens nesse lugar, quando tentei me aproximar me atacaram, foi uma bala para cada um deles obviamente, mas o que esperar de prisioneiros não é mesmo?- Falava ela dando um sorriso irônico, visto que mesmo falando isso parecia não só compactuar com alguns deles mas ter um prisioneiro na família.

A jovem naquele momento então se afastava mais um pouco das grades e se apresentava mais corretamente para eles. - Eu me chamo Envy, sou procurada por algumas coisas que fiz por aí… Digamos que eu fiz uma baguncinha no QG de Las Camp uns anos atrás, entretanto os homens ali de cima não me conhecem, estava sumida a alguns anos, enfim, se estiverem dispostos a tentar causar o Caos, vou soltar vocês amanhã a noite, provavelmente por volta desse horário, os caçadores não vão estar provavelmente, ou se estiverem, apenas 2 ou 3 deles, já que são homens perigosos, e são em 10, os guardas não posso atestar o poder, vi apenas um em ação e era meio ruinzinho.- Falava ela novamente sorrindo após atestar um guarda de péssima qualidade em relação a combate, era irônico, por que ela também é uma péssima guarda… Porém por outros motivos.

Ela então estendia a mão para que Henry pudesse fechar contrato com ela mas se dirigia a Asger também, afinal precisava da ajuda de ambos para sequer pensar naquilo. - Trato feito? Digo, vocês dois concordam?- Perguntava a moça agora se dirigindo de maneira calma e cordial. Ela sabia o que estava fazendo (Ou não) e fosse como fosse, a confusão seria algo com toda certeza bem grande.

____________________________________________________

Make love, not war


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

2017 Achievements:
 


2018 Achievements:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Sargento
Sargento
Achiles

Créditos : 47
Warn : Everybody Ye Ye Ye 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : The Wonderful Land - 1º Rota

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptySex 04 Jan 2019, 23:07




III – I don't Know,Henry, sounds false to me



Os guardas estavam desarmados, todos tinham vestes triviais das quais não tinham uma sequer significância e suas armas eram apenas os punhos ou os pés o que me trazia um sorriso diabólico no rosto, em um combate mano a mano desarmado confiava muito em minhas habilidades com o Karatê Tritão, mas não poderia descartar alguns deles saber utilizar o próprio corpo para o combate, um cuidado a mais é sempre bom de se carregar. Henry havia recebido seu cigarro, a garota era diferente dos outros, ela tinha uma pistola e parecia ser mais ligada do que os outros naquele ambiente, ela se aproximava da nossa cela com a arma virada para o lado oposto o que mostrava que também era experta, gostava de ver aquilo, a inteligência é uma arma fundamental para qualquer ser, apenas músculos não são o suficiente. Envy revelava os números de guardas das quais já tinha conhecimento, estava ciente da quantidade e que eles poderiam provocar um certo atraso em nossos planos, mas duvidava muito que ao estarem perto de mim não tremeriam de medo ao ver o quão majestoso sou.

As possibilidades começavam a formar linhas em minha cabeça, encaixando cada parte do que era dito com os meus conhecimentos, procurando estar sempre um passo a frente do que poderia acontecer, a maior ideia que eu tinha em minha mente naquele momento era que a pessoa que Envy queria libertar era o seu irmão e que poderia se tornar um ótimo refém para evitar uma traição da mesma pessoa, uma traidora sempre é uma traidora, independente de qual seja o seu motivo, tinha isso em mente e não abaixaria a minha guarda independente para quem fosse. “E ele é um peixe tão honrado quanto um homem.” Brincava Henry, querendo provocar, mas não se deixaria levar por simples palavras. - Aham. – Concordaria em tom de ironia. Sorriria, mais uma vez, vendo a excitação que isso estava começando a causar pelo meu corpo, aquela adrenalina e ansiedade dominando. Estaria de pé, me aproximando lentamente dela, ela havia dato informações o suficiente para começarmos a nossa fuga dali se ela fosse cumprir a sua palavra, mas haviam ainda mais coisas que faltavam entre essas. - Por que você é a única com arma aqui? – Sussurraria para ela, a dúvida estava em minha cabeça desde que havia visto todos sem. Esperaria por sua resposta antes de dar o veredito de minha participação naquele plano, percebia que era uma das únicas formas de fugir dali, não esperando que Meursault dissesse antes que a mim. - Eu estou dentro. – Veria que Henry também concordaria com isso.

Com isso dito, voltaria a me sentar no lado oposto das grades, colocando os meus braços acima do joelho com os mesmos em “V”. Não achava que o humano recusaria uma daquelas propostas, de qualquer forma, talvez mudasse de ideia com o decorrer do tempo ou tivesse uma ideia melhor do que aquela. Esperaria que a garota fosse embora para me aproximar do meu companheiro antes de tudo. - A garota está desesperada, é burra ou está mentindo para nós. – A minha desconfiança era comum, queria que fosse compartilhada, pois queria ouvir os pensamentos que Henry também tinha, dos quais complementaria os que eu tinha em mente. Se me fosse perguntado o porquê, responderia. - Ela revelou a nós que tem um irmão, que quer soltá-lo. Nós não temos o rosto mais bonito do mundo e nem somos pessoas boas. Estamos presos e faríamos tudo para observarmos o sol nascer redondo. O que faz ela pensar que nós não usaríamos ela como uma refém? – De certa forma, aquilo me incomodava, algo estava estranho naquela história, humanos são traiçoeiros e desprezivos. - Posso contar com você para agarrar o irmão dela assim se a situação ficar feia? – Henry era um humano assim como os outros, embora fosse o único que tinha um respeito e uma amizade. O garoto estaria a brincar sobre o fato de agarrar homem e não conteria meu riso sobre tal, eram brincadeiras como essas que deixava o bom humor em alta. Estaria sempre sussurrando no tom mais baixo audível pelo humano, esperando uma resposta dele antes de continuar para que não interrompêssemos um ao outro.

Voltaria a descansar em algum dos cantos da parede, repetiria toda a rotina entediante como todos os outros dias, esperando ver se tinha alguma coisa nova, estando sempre de olho sobre qualquer outra coisa, apenas uma simples agitação em alguma das celas ou alguém com um penteado novo, um rosto novo, tinha que ficar esperto para todas as coisas, talvez acabasse surgindo uma oportunidade nova e melhor do que a de Envy. Contaria em minha mente as horas passadas, procurando ter uma espécie de contagem regressiva até o momento em que ela tivesse nos dito e quando estivesse próximo do horário, avisaria a Henry, lhe cutucando com os dedos da mão ou do pé. Se o momento chegasse, não demonstraria ansiedade, esperaria que ela abrisse a grade antes de me levantar, estando em prontidão para o começo daquela situação e sairia daquela cela caminhando em passos lentos e olhando para os dois lados, tentando identificar onde era o começo e o fim do corredor. Estaria próximo a ela e em um rápido movimento, tentaria agarrá-la pelos braços, procurando levantá-la alguns centímetros do chão. - Saiba que se você estiver mentindo para nós ou tentar trair, você será esmagada. – Apertaria levemente os mesmos para mostrar que não estava brincando e a soltando. - Para onde, garota? – Meus olhos tentariam medir a largura do corredor, tentando identificar onde poderia posicionar estrategicamente os seus companheiros de fuga. Se fosse largo o bastante para caber os três ou apenas dois em linha, explicaria o que havia pensado anteriormente. - Eu fico pela esquerda e você vai pela direita, Henry. Deixe a garota no meio e ela terá vantagem para atirar em quem quiser. – Daria uma leve pausa. Se houver homens se aproximando rapidamente pela retaguarda, giraremos, formaremos uma linha pelo túnel protegendo a garota no centro. Arrume algum ângulo e atire em quem puder. Henry, sempre gire para a sua direita nessa situação.

Esperaria pelos primeiros movimento dos guardas, queria ver as suas reações e de que forma reagiriam a aquilo, estava pronto para lutar contra aqueles seres, mas antes esperar para ver uma forma certa de atacá-los, não queria atacar desenfreadamente sem ter uma noção de quantos estavam ali. - Vocês tem duas escolhas, podem vir até a morte ou correr para viverem, sintam-se livre para escolher. – Meu sorriso sairia nesse momento, tentando intimidá-los o máximo que poderia e possivelmente enfraquecer alguma de suas forças, os gritos dos outros presos provavelmente começariam para se soltarem e isso intimidaria ainda mais os guardas.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Objetivos:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por GM.Achiles em Sab 05 Jan 2019, 03:18, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Meursault
Agente em Treinamento
Agente em Treinamento
Meursault

Créditos : 3
Warn : Everybody Ye Ye Ye 8010
Masculino Data de inscrição : 28/01/2018
Idade : 23
Localização : Loguetown - East Blue

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptySab 05 Jan 2019, 02:44



Quid pro quo




Meursault sempre escutou os homens dizerem que: ''Quando Deus fecha uma porta, abre uma janela'', mas, pela sua experiência, quando Deus fechava uma porta, trancava uma janela. Alguns podiam achar tal constatação sádica e depressiva, mas Henry a achava divertida, afinal de contas, se fosse o caso, simplesmente precisaria arrombar tudo para criar o seu próprio caminho. Mesmo que as coisas costumassem ser sempre difíceis para Meursault, desta vez, a roda do destino girava ao seu favor, já que a mulher misteriosa se mostrava propensa a ajudar na fuga.

Era claro que não se tratava de uma bondade súbita por parte da moça, ninguém é generoso ou idiota o suficiente para libertar dois criminosos sem desejar nada em troca e, mesmo que Meursault estivesse em um dia de sorte, não era tão sortudo assim. O navegador escutaria cuidadosamente os objetivos da pistoleira, mas não daria a mínima para eles, só existia uma pessoa cuja os desejos Henry tinha interesse em cumprir e essa pessoa era, pasmem, ele mesmo. A atenção se daria por informações úteis que a atiradora poderia mencionar, o que de fato aconteceu, como a quantidade de guardas, por exemplo. - Realmente, parece extremamente amedrontador. - Diria o homem, em claro tom de ironia. Henry desprezava qualquer tipo de autoridade e guardas de terceira categoria conseguiam ser mais desprezíveis que os cães sarnentos do governo.

Quando a moça mencionasse os ataques sofridos, Meursault não seria capaz de conter os risos, cedendo as gargalhadas eventualmente. O motivo das risadas era óbvio, havia pensado em fazer o mesmo e agora agradecia a si mesmo por resistir aos seus impulsos. - Criaturas selvagens. - Sussurraria, ainda ofegante devido ao fato de estar recuperando o fôlego, em seguida, tentaria se recompor e encararia a pistoleira. - Não precisa se preocupar com isso, sou um homem honrado. Só bato em mulheres quando elas pedem. - A afirmação era inverídica, Henry não fazia distinção entre massacrar homens e mulheres, sua fúria era unissex, mas a portadora de sua liberdade não precisava saber disso, ainda. O navegador sorriria maliciosamente, de forma provocativa, em seguida, se viraria para Asger. - E ele é um peixe tão honrado quanto um homem. - Meursault sabia que o tritão provavelmente se sentiria provocado pela declaração e, justamente por isso, a faria. Após a pequena farpa, prestaria atenção na apresentação da mulher, assim finalmente descobriria seu nome e seu passado, que não lhe interessava nem um pouco. Quando o acordo fosse oferecido, Meursault aceitaria os termos propostos, mesmo que não tivesse intenção de cumprir aquilo que foi combinado. Não existia honra entre criminosos, mas o caminho oferecido por Envy era o único para sair daquele local deplorável, que já estava começando a ser entediante nesta altura. - Pode contar comigo. - Declararia em tom afável, após isso, estenderia sua mão para efetuar um aperto cordial, firmando tudo que fora dito.

Deixaria Envy seguir o seu rumo e, quando Asger exteriorizasse seus pensamentos, complementaria. - Mulheres raramente são burras, costumam ser espertas como raposas e traiçoeiras como cobras. - Meursault havia chegado a tais conclusões após uma série de frustrações, quando ainda era jovem, e não desejava ser ludibriado por um belo par de curvas outra vez. Quando Asger mencionasse o fato de não termos os rostos mais bonitos do mundo, esboçaria um pequeno sorriso, fruto do escárnio. - Fale por você mesmo. - Henry sabia que não era a personificação da beleza, mas gostava de provocar sempre que possível. Continuaria escutando as suposições de meu companheiro e quando ele fizesse menção a agarrar outros homens, interromperia. - De jeito nenhum, você jamais pode contar comigo pra agarrar outro homem, não é minha praia. - O navegador sabia que ambos estavam se referindo a diferentes tipos de agarrar, mas gostava da brincadeira. - Mas eu posso matar ele se as coisas derem errado. - Diria de forma banal.

Após o breve diálogo, Henry se deitaria na cela, mas não dormiria, pensaria em Envy, havia gostado da mulher a primeira vista, principalmente pelo cigarro, mas agora tinha suas dúvidas. A moça era uma atiradora,  algo que Meursault detestava, o navegador amava o combate, a tensão proveniente do balançar de uma lâmina, a doce dor de um corte, um soco que tira o ar e um chute que faz o seu mundo virar de cabeça para baixo, Henry amava tudo isso pelo fato da adrenalina o fazer se sentir vivo. Uma luta violenta era algo belo, o mundo era cinza até que a primeira gota de sangue coloriu tudo, mas os atiradores acabaram com isso, não existia nenhuma diversão em puxar o gatilho e deitar seu inimigo, era algo que sequer exigia habilidade, não era uma forma de arte como os outros modos de matar, algo verdadeiramente desprezível. Da forma que fosse, simplesmente descansaria até ser acionado por Asger ou Envy e, se deixasse a cela, seguiria qualquer instrução que fosse fornecida por seu amigo tritão, ao menos até ver o primeiro inimigo. Quando avistasse um guarda e notasse que o mesmo também havia lhe notado, bateria no peito e rosnaria, em tom de provocação. - Eu vou quebrar suas pernas, mas vou deixar você vivo, você vai ver eu matar qualquer um que tiver uma gota do seu sangue imundo e transformar tudo o que você ama em cinzas. - Após a ameaça, faria uma pausa e adotaria um tom muito mais amigável. - A não ser que você decida deixar a gente passar, é claro. - Meursault usaria um tom sarcástico e exibiria um sorriso malicioso ao proferir tais palavras, sair em paz seria bom, mas Henry queria sentir o calor da batalha novamente, ansiava por sangue, mesmo que fosse o seu. Não perseguiria o inimigo, apenas esperaria que ele se adiantasse em sua direção e, se fosse o caso, elaboraria algum plano de combate.

Histórico:
 



____________________________________________________


Voltar ao Topo Ir em baixo
Mephisto
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Mephisto

Créditos : 111
Warn : Everybody Ye Ye Ye 10010
Masculino Data de inscrição : 06/04/2017
Idade : 22
Localização : Wars Island (North Blue)

Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye EmptySab 05 Jan 2019, 13:30

Gado D++

Asger parecia intrigado com tudo que acontecia e sua forma de pensar o levava a crer que as coisas não eram bem como ele queria, porém outra coisa o incomodava naquela hora, era basicamente o fato de ela carregar uma pistola. A moça o respondia de forma indireta explicando o motivo, e não explicando ao mesmo tempo. - Eu? Há, digamos que preciso de meios alternativos além de minha maneira de luta, por que eu não posso correr muito bem.- Naquele momento ela abaixava a barra da calça, ela mostrava um pedaço de sua coxa, exibindo escamas, sim era a cauda de uma Sirena, por isso que um lugar como aquele era horrível para ela lutar. - Sou versada, em outro tipo de luta, mas quando a coisa aperta, às vezes preciso de algum meio de atrasar as pessoas, no entanto eu luto com as técnicas me ensinadas na ilha, Merman Combat, eu estou aqui apenas em busca do meu irmão, e nada mais, essa arma é um meio de conseguir fugir dos mal intencionados.- Depois de todo o papo ela se retirava do local, indo para cima novamente, eles então discutiam sobre tudo que tinham em mente sobre o que fazer.

Asger como sempre desconfiado, Henry, um pouco desconfiado mas sempre gado um pouco mais tranquilo, os dois tinham apenas uma coisa pra fazer ali, esperar a história começar. Asger ia contando as horas na mente, eram um total de 6 horas até que a mulher voltasse, já Henry tinha passado seu tempo perdido em outros pensamentos distintos, coisas que sua cabeça lhe levava a programar. Depois de todo esse tempo, o barulho vindo do alto se fazia grande aparentemente pessoas sendo jogadas, barulhos de tiro, a confusão tinha começado antes de a cela ser aberta, a mulher vinha em velocidade mas agora estava junta de um outro ser, era um homem de cabelos igualmente negros, que se vestia apenas com uma tanga de texugo naquele momento, provavelmente coisa dos guardas, e era um Sireno também, ele mostrava escamas azul escuras quase negras, e carregava um grande barril nas costas, água? Provavelmente sim, algo para o modo como deveria lutar. - VAMOS!! Eles me descobriram antes da hora, sabem que estava aqui pra buscar ele.- Falava a mulher que começava a abrir o cadeado e tinha certo desespero. O seu irmão no entanto ficava afastado das grades, e parecia sempre preparado para qualquer ataque.

No momento que eles saiam ela começava a se mover para frente mas Asger tinha planos diferente ele partia tentando agarra a moça para a levantar violentamente do chão, coisa essa que era claramente pressentida por ela. A moça colocava os braços na frente não deixando que ele a pegasse como desejava, ele ainda a levantava do chão, mas não demorava muito para que sentisse um queimor enorme pelo corpo, era um choque elétrico… Sim ela tinha usado o que deveria ser sua habilidade de cauda, e aquilo, mesmo com a resistência do tritão o deixava um pouco dolorido, e fazia que seus músculos contraissem, porém o objetivo era maior, sabem como o choque é potencializado pela água? Então… O seu irmão usando do Merman Combat, rapidamente soltava uma enorme quantidade de água que atingia o rosto de Asger, o molhando da cabeça aos pés, o choque intensificado, o fazia quase soltar a mulher, que voltava a falar. - Vamos começar uma briga interna agora? Está querendo ser preso de novo por acaso? Te garanto se começarmos a brigar aqui não vai ser rápido, e independente do vencedor, todos perdem, imagino que tenha neurônios pra pensar nisso.- Comentava ela já no chão tocando o pulso onde o tritão tinha apertado. - Olha todos aqui estão com problemas, agora vamos correr. - Falava o sireno naquele momento. Ele estava certo pois, logo depois dos primeiros passos, eles davam de frente com 3 dos guardas comuns, ops eram 4, um deles estava tapando as escadas.

Naquela hora o combate estava para começar e os guardas vinham falando. - Acharam que iam escapar peixinhos?- Dizia o sem dois dentes da frente, e o ao lado dele falava. - Tem um humano ali chef- Sim, eram 3 peixes e um humano, essa deveria ser a frase correta, com toda certeza. - Beleza, beleza, peixes e humanos…- Era um cara que estava de mãos nuas também, apenas o da direita carregava um chicote, e Asger não lembrava de ter visto ele em momento algum, provavelmente fazia turno em outra área, ou nem descia para lá. O jogo tinha começado, era hora de lutar.

____________________________________________________

Make love, not war


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

2017 Achievements:
 


2018 Achievements:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Everybody Ye Ye Ye Empty
MensagemAssunto: Re: Everybody Ye Ye Ye   Everybody Ye Ye Ye Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Everybody Ye Ye Ye
Voltar ao Topo 
Página 1 de 6Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: West Blue :: Las Camp-
Ir para: