One Piece RPG
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Licia Hoje à(s) 04:25

» Vallerie P. Breathnach
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 03:48

» Vallerie P. Breathnach
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 03:46

» [Mini-Aventura] A volta para casa
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Ryoma Hoje à(s) 00:38

» Enuma Elish
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 00:10

» [MINI-ARTHURBRAG] COMEÇANDO UMA AVENTURA
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Ryoma Hoje à(s) 00:04

» [Kit - Makei] Red Saber/Mordred Pendragon
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Makei Hoje à(s) 00:02

» O que me aguarda em Ponta de Lança? Espero que belas Mulheres, hihihi
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Pippos Ontem à(s) 23:31

» Xeque - Mate - Parte 1
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor TheJoker Ontem à(s) 23:26

» Arco 5: Uma boa morte!
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Kenshin Himura Ontem à(s) 23:12

» Supernova
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 22:34

» I - O bêbado e o soldado
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Masques Ontem à(s) 21:39

» Capítulo I: Raízes Perdidas
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor ADM.Tidus Ontem à(s) 21:30

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Achiles Ontem à(s) 20:27

» Drake Fateburn
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor CrowKuro Ontem à(s) 19:59

» Hermínia Hetelvine
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor ADM.Noskire Ontem à(s) 19:51

» Akira Suzuki
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor ADM.Noskire Ontem à(s) 19:49

» Sette Bello
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor ADM.Noskire Ontem à(s) 19:46

» Bell Farest
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor Far Ontem à(s) 19:43

» Alipheese Fateburn
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Emptypor GM.Alipheese Ontem à(s) 19:31



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 9 ... 15  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptySeg 10 Dez 2018, 16:13

Relembrando a primeira mensagem :

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) piratas Aaron DeWitt e Masimos Titã Howker. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
GM.Doodles
Game Master
Game Master


Data de inscrição : 08/08/2017

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptyQui 14 Fev 2019, 10:05



THE CALAMITIES





Aaron e Shido



Apesar de caminhar sozinho no deserto, isso não durou muito tempo já que o Fantasma Escarlate logo recebeu a ilustre presença de um outro assassino da Rosa Negra, e era um que usava máscara diferenciada, o que era esperado que não fosse um membro qualquer dentro da organização. Logo de cara, Aaron o questionava sobre a loira que havia fugido de sua batalha anterior, sentindo um nojo ainda maior pela Rosa Negra por deixarem essa cena deplorável acontecer onde precisam enviar um segundo assassino para terminar o serviço do primeiro. Ao ouvir tal pergunta, Corvus arqueou as sobrancelhas e deu uma rápida gargalhada.

- Mulher de cristal? Está falando da Serena? Não faço ideia do que possa ter acontecido entre vocês, como disse, minha presença aqui é completamente independente… - Respondeu de maneira a tentar explicar que não estava ali porque foi enviado por alguém.

Depois dessa introdução, Corvus produzia sua arma de areia e partia para cima de Aaron atacando-lhe com uma tentativa de perfuração usando o seu tridente. Por conta da técnica de velocidade do assassino, Aaron já sabia que seria difícil para suas pernas reagirem na mesma velocidade para se esquivar do ataque, portanto seus reflexos agiram de uma maneira diferente ao expelir pelas suas costelas a barriga do cadáver de Samiro que acabaria por servir como um escudo de carne.

Por um instante, Corvus veio a achar que havia conseguido perfurar o corpo de Aaron, mas acabou sendo surpreendido no segundo seguinte quando o ruivo absorveu Samiro de volta para o seu pântano e assim puxou também o tridente do assassino, desestabilizando sua postura de batalha. Por conta do Haki encorpado no tridente, o pirata não poderia sugar também a arma do seu inimigo, mas ao menos serviu como um distrativo para seu movimento de ataque que viria a seguir. Agarrando a arma de areia do oponente com sua mão mais próxima, Aaron limitaria Corvus a fazer uso dela durante a sua ação ofensiva que seria um corte de cima para baixo tentando cravar suas adagas na máscara do assassino, porém este conseguiu interceptar a descida das lâminas segurando o pulso da Calamidade com a sua mão livre.

- Uh, gostei da sua criatividade. - Elogiou ele antes de dar seguimento ao seu próximo movimento.

Aaron estava certo quando pensou que a arma de areia poderia se desfazer, assim que o tridente se esfarelou em grãos e voltou a se misturar com o deserto, Corvus aplicou um chute na barriga do ruivo, não era um chute poderoso ou perigoso, seu intuito era apenas usar isso para afastar o pirata ao mesmo tempo que pegava impulso para recuar. O chute deveria ter sido mais forte se fosse da intenção do assassino conseguir tempo para se recompor, algo que Aaron não daria a ele, já começando a partir para cima dele fazendo uso do seu geppou para ganhar agilidade no terreno arenoso. Rapidamente o Fantasma Escarlate conseguiu alcançar Corvus e então desferiu contra ele um corte de baixo para cima que se o atingisse iria rasgá-lo da barriga ao tórax, porém o mascarado agiu rápido ao dar um mortal para trás e encostar uma das suas mãos no chão, outra vez aquele brilho veio a ser produzido e então uma parede sólida de areia emergiu entre ele e Aaron, fazendo com que a Calamidade atingisse isso ao invés dele.

- Hoje não, rapaz! - Gritou o assassino falador.

A parede rapidamente iria se desfazer depois de ser destruída pelo ataque do pirata, o grande porém disso é que a construção de areia não serviu apenas para defender Corvus, como também agiu como um bloqueio da visão de Aaron para onde ele estava, surgindo no meio dos farelos da parede que havia criado, o assassino atacou o ruivo usando uma nova arma, dessa vez uma lança de areia revestida com o negro do seu Haki. Seria um golpe perigoso de se tomar, mas Aaron passou longe de ser atingido por isso, rodando com velocidade no chão para desviar da estocada e em seguida avançando contra ele para realizar o seu movimento de ataque.

Dali por diante a batalha se mostraria equilibrada, Corvus conseguindo bloquear ou se esquivar das ofensivas da Calamidade, e Aaron conseguindo se esquivar ou bloquear das ofensivas da Pétala. Em meio aos seus movimentos, o ruivo faria com que Shido fosse expelido para fora do seu corpo através de uma poça de lama, e por estar claramente no meio de uma batalha, o cientista não teria dificuldade alguma em entender o que precisava fazer nessa situação, já erguendo seu arco de energia e se preparando para disparar contra as costas do assassino.

- Ora, ora, boa tentativa, Calamidade... - Diria ele pouco tempo antes de usar o seu soru para se reposicionar alguns metros de distância e assim fazer com que Shido perdesse a mira do seu ataque. - Mas não pense que é só você que pode trazer convidados para essa festa. - Então suas mãos voltaram a produzir aquele brilho azulado e ele bateu ambas no solo arenoso, fazendo com que a luz se espalhasse rapidamente muitos metros ao redor dele.

Caso Aaron não fosse do tipo que gosta de esperar e resolvessem atacar nesse momento, quando entrasse no círculo de energia sua perna seria agarrada por uma mão de areia que vinha do chão, mas não seria trabalho para a Calamidade se livrar dela e ficar livre, principalmente porque seu corpo lamacento conseguia atravessá-la. Também seria válida a opção de ser mais calculista e pedir para Shido fazer o ataque do lado de fora da zona brilhante, só que a flecha de energia do cientista seria bloqueada por um corpo humanoide que também estaria se erguendo do chão.

Entre esses momentos seria quando Masimos faria a ligação para o Den Den Mushi de Aaron, que poderia muito bem ignorá-lo ou atendê-lo para dar uma resposta explicativa do que estava fazendo se não fosse lhe atrapalhar de alguma forma.

De qualquer forma, não seria necessário muito mais que dez segundos para que a habilidade de Corvus tivesse êxito e os bonecos de areia se levantassem ao seu redor como um exército de quase 20 soldados. Todos os bonecos tinham um corpo humanoide e a cabeça com o formato parecido com a máscara de seu criador, visto que eles não eram negros, Aaron poderia deduzir que nenhum deles estavam usando Haki, mas ainda assim isso não significava que eles não poderiam atrapalhá-lo de outras maneiras durante o combate.

- Apreciem a beleza de um maravilhoso trabalho artesanal! - Bradou ele voltando a ficar de pé e abrindo os braços para exaltar sua criação. - Vão, meus soldados! - E dada a ordem, os bonecos de areia correram na direção da dupla Aaron e Shido.

- Uh, são rápidos! - Comentou o cientista logo que viu a agilidade que os soldados se moviam. - Mas vamos ver se são resistentes! - Exclamou erguendo seu arco na direção de um dos bonecos e disparando uma flecha de energia bem na cabeça dele.

A princípio pareceu ser um ataque bem efetivo de Shido, o soldado caiu no chão por conta do impacto, mas logo depois começou a absorver a areia do solo e sua cabeça foi reconstruída, permitindo que ele continuasse a avançar com a sua forma completa. Com isso já era possível deduzir que enquanto Corvus estivesse consciente, seus bonecos de areia continuariam se regenerando e talvez até aumentando a quantidade. Por mais que fossem meros peões nesse combate de batalha, a presença deles era suficiente para atrapalhar a dupla, pois em questão de força dificilmente algum dos dois sairia em desvantagem contra um desses. O problema maior está talvez na desvantagem numérica, pois por mais fraco que sejam individualmente, juntos pode ser que tenham o necessário para enterrá-los.

- Eu posso cuidar dos bonecos, te dou cobertura, cuide do artesão! - Sugeriria Shido caso Aaron já não tivesse feito isso ou quem sabe sugerido um plano melhor. Agora com o poder do adversário ficando cada vez mais claro, talvez o ruivo tivesse mais liberdade para atacar.




Masimos e Luthiem



Depois da aula intensiva sobre geografia, Masimos dizia ao seu professor, George, que a Deusa iria se lembrar disso um dia e então ele seria recompensado de alguma forma por tê-lo ajudado, ainda que o rosto do senhorzinho não demonstrasse muito conforto em ser gratificado por uma entidade da morte. George ofereceu à Masimos alguns livros que pudessem lhe ajudar daqui para frente nos estudos, mas o tritão optou por ficar apenas com aquele que falava sobre Alabasta. Quando saiu da sala de reuniões onde esteve estudando a perícia, o titã achou que seria uma boa ideia dar a sua nova aliada, Luthiem, um Den Den Mushi, pois assim poderiam se comunicar caso algo acontecesse. Ao receber o presente, a tritão-polvo sorriu em gratidão e fez uma breve reverência àquele que entitula como mestre.

- Fico contente que me oferecido isso. Estive prestando atenção na sua aula com aquele professor, e embora eu não tenha tido a capacidade de entender tão bem quanto você, não pude deixar de me interessar pelo assunto das tais cavernas de cristais que ele mencionou… Sinto de alguma forma que elas podem estar escondendo algo. - Comentou ela enquanto guardava o seu comunicador em um dos bolsos de suas vestes. - Por isso, mestre, se me permitir, gostaria de sair em procura dessas cavernas e trazer para o senhor as informações adquiridas a respeito. Claro, se achar que estou fazendo um trabalho desnecessário eu abandonarei por completo essa ideia e seguirei ao seu lado para onde desejar. - Independente da resposta dada pelo tritão, ele falaria sobre terem que comer, o que significava que concordando ou não com a ideia de Luthiem, o próximo destino dos dois seria a cozinha, por isso ela apenas concordou com a cabeça e o acompanhou até lá. - Certo, obrigada, mestre.

A mesa de jantar dos rebeldes não era a mais farta de todas, não havia cortes nobres de carne, inclusive as opções de carnes variava entre répteis do deserto ou peixes, podendo ser tanto de água doce retirados do lago de Yuba e do rio Shandora ou de água salgada pescados no litoral da ilha. Para acompanhar eles teriam vários tipos de grãos cozidos à disposição e alguns pães bem finos e circulares que muitos na mesa de jantar usavam como um tipo de prato, embrulhando toda a comida no pão e devorando os alimentos todos juntos. Gostar ou não do sabor da comida era relativo, mas era inegável que era uma refeição bastante seca, não possuindo na receita deles algum molho para trazer mais sabor ao prato, mas visto que tinham pouco recurso a disposição era difícil cobrar algo do gênero e pelo menos havia água para molhar a boca.

- Tudo bem, entrarei contato caso algo aconteça ou se descobrirmos alguma coisa. - Respondeu Husani quando Masimos disse que iria se retirar para Rainbase. - Não sei se Rainbase é a cidade certa para você ir, não vejo como poderia encontrar algo de útil naquele covil de cobras que vestem ouro… Mas se a tal Rosa Negra estiver mesmo espalhada pelo reino, provavelmente encontrará algum deles por lá. Boa sorte, Calamidade.

Quando fossem se retirar da base do Punho Árido, Luthiem abasteceria suas garrafas de água para poder enfrentar o sol do deserto assim que este voltasse, algo que o titã também poderia fazer se achasse necessário manter sua cabaça sempre cheia. Feito isso e estando de barriga cheia, a dupla poderia partir sem problemas para seus destinos, sendo que no caso da tritão-polvo, se Masimos tivesse concordado com a sugestão dela, ela seguiria para um caminho diferente em direção às montanhas para procurar pelas tais cavernas de cristais.

Seja o que for decidido para Luthiem, isso não muda o que o capitão das Calamidades faria em seguida, ligar para seus companheiros e verificar como está o estado deles, afinal já faz um bom tempo que nenhum deles entra em contato com ele. Primeiro o tritão tentou falar com seu navegador, mas Bell não atendeu a sua chamada e muito menos a retornou, levando-o a ficar um pouco incomodado, porém não surpreso com o ocorrido. Em seguida tentaria contato com Aaron, que nesse exato momento estaria travando uma árdua batalha no deserto do outro lado do rio Shandora, portanto seria difícil para ele atender essa chamada, ainda assim não seria impossível que ela fosse atendida e Masimos pudesse explicar para onde estava indo.

Pulando toda essa parte e avançando algumas horas para o futuro quando o sol escaldante de Alabasta já estivesse outra vez queimando sua pele, chegaria um momento onde o tritão com sua visão privilegiada já poderia começar a visualizar as luxuosas construções de Rainbase no fundo do horizonte. Caso Luthiem tivesse tido a permissão de fazer a sua missão individual, ela teria optado em ir nadando pelo rio, assim chegaria no norte da ilha com mais velocidade e ainda evitaria o calor do deserto, algo que Masimos também poderia fazer se não tivesse se tornado um usuário de Akuma no Mi. Se a tritão-polvo continuasse ao lado da Calamidade, bem, isso não iria interferir em nada na caminhada até a cidade ao norte da ilha, exceto que o tritão-carpa teria uma companhia para conversar durante a viagem.

Ainda antes de alcançar a entrada de Rainbase, Masimos já poderia começar a pensar no que faria primeiro na cidade, talvez fazer mais uma refeição ou quem sabe até comprar vestes mais adequadas ao seu estilo ao invés das roupas de um desconhecido. Em todo caso, seus pensamentos rapidamente seriam ocupados quando sua visão aguçada lhe desse a imagem de três homens suspeitos conversando próximos da entrada da cidade. Eles pareciam suspeitos por conta de suas vestes negras e o capuz que ocultava suas faces, antes que pudesse chegar perto o bastante para ouvir o que eles estavam falando, o trio se dividiu e cada um seguiu para uma direção, dois deles seguindo de volta para Rainbase, enquanto o terceiro caminhou isolado em direção ao leste.

Havia uma grande possibilidade dos três encapuzados serem assassinos da Rosa Negra, portanto não seria uma surpresa o tritão decidir ir atrás de algum deles, principalmente daquele que seguiu sozinho para o leste, isolando-se do restante da cidade, o que praticamente deixava muito mais fácil para Masimos pará-lo e interrogá-lo onde ninguém mais estava vendo. Porém não pode ser descartada a opção dele escolher perseguir algum dos outros dois que se misturou aos cidadãos, pois quem sabe assim o tritão não acabasse descobrindo o que eles estariam procurando ali.




Em algum lugar no oceano



Um homem estava sozinho caminhando por um corredor escuro. O sujeito andava de um jeito diferente, havia uma certa elegância na maneira em que ele dava os seus passos. Ele aparentava estar usando uma máscara e em sua cintura estavam presas algumas variedades de armas de fogo e explosivos. Com a sua mão direita ele girava uma pistola branca, enquanto sua mão esquerda estava encostada em uma das armas em sua cintura. Ao adentrar o salão no fim do corredor, o homem fez uma reverência àquele que estava sentado no trono logo adiante, um cenário já bastante conhecido entre nós por ser o local onde o Conquistador apareceu uma outra vez.

- É sempre uma honra estar diante de ti, milorde. - Pronunciou o sujeito com uma voz serena e de maneira muito educada ao fazer a sua reverência. Logo depois disso ele continuou a se aproximar do Conquistador para poder ter um diálogo mais próximo. - Acredito que algo sério deve ter acontecido para que minha presença tenha sido requisitada tão repentinamente. - Então, pouco depois de proferir tais palavras, o ar ao redor do homem mascarado deu uma leve distorcida e todo seu corpo foi forçado a cair de joelhos no chão diante da pressão que foi exercida sobre seu corpo. Parecia ser torturante para ele estar no meio disso, soltando um leve gemido de dor e apresentando uma respiração ofegante em poucos segundos sobre esse efeito. O homem de cabelos prateados próximo ao Conquistador abriu um leve sorriso ao ver a cena. - Majestade… Por favor…

- Meu querido Lúcifer… É inadmissível que alguém na sua atual posição tenha deixado um serviço incompleto... James Darrell ainda está vivo! - Falou o Conquistador com um tom de voz um pouco mais rígido do que o que ele normalmente usa.

- Isso é impossível! Ninguém seria capaz de sobreviver àquilo… Foi uma morte magnífica. - Respondeu o mascarado ainda fraquejando diante da pressão que estava sendo de alguma forma exercida sobre ele.

- Não, não foi, Darell continua andando por aí, e pior, ele está trazendo pragas para atacar nosso jardim. Termine o que deveria ter feito, ou irá descobrir da pior maneira possível como um jardineiro faz para arrancar uma raiz. - E ao final de suas palavras, a aura sobre o assassino com o título de Lúcifer se desfez e ele pode finalmente voltar a respirar com tranquilidade e se reerguer.

- Peço desculpas pela minha falha, milorde, irei agora mesmo resolver esse problema… Não voltará a se repetir. - Disse ele já se preparando para partir de volta para a escuridão do corredor de onde veio.

- Espere… Tem mais uma coisa. Dentre as pragas de Darell há um garoto, se me lembro bem você deveria ter cuidado dele há um tempo atrás… - Comentou o Conquistador com a dúvida presente em sua voz. O mascarado soltou uma leve risada ao ouvir a respeito.

- Huhuhu, oh, não se preocupe com esse aí, farei o espetáculo dele muito em breve… Sua morte será a minha obra-prima!

Spoiler:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
Marciano
Emissário da Morte
Emissário da Morte
Marciano

Créditos : 48
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 6010
Masculino Data de inscrição : 15/09/2014
Idade : 26
Localização : Na Monstrolandia...

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptyTer 19 Fev 2019, 19:08


Emissário da Morte

Cidade de Yuba

Após entregar um dos comunicadores que carregará comigo para Luthien, a mesma havia se interessado sobre as tais caverna, mencionadas outrora. Refleti sobre um momento referente a sugestão da tritã-polvo. Talvez não fosse a melhor opção nos separarmos. No entanto, separados poderíamos cobrir maior parte de Alabasta, o que seria extremamente útil devido a obtenção de informações. ~ Hmm... faz sentido. Está bem, Luthien. Qualquer situação fora do comum ou informação de relevância, me comunique imediatamente. Diria ao fintar nos olhos da mulher-polvo de forma clara e objetiva. Estava fornecendo um pouco de minha confiança a mulher, já que, a própria Deusa havia a posto em meu caminho.

Havia dialogado com Husani para que nos comunicássemos mesmo com minha saída de Yuba. O revolucionário dizia para mim que Rainbase era um covil de cobras e que eu não passaria despercebido. Hunf! Como se eu já não soubesse de algo tão óbvio. Nunca tentei me esconder, afinal... sei que isso é praticamente impossível com minhas características. Mas já estava na hora da Rosa Negra ser arrancada pela raiz, um lugar como Rainbase certamente seria um dos locais ao qual eles também tentariam sequestrar alguma figura importante, importante para eles é lógico. “Boa sorte?” Quando se é o escolhido da Deusa da Morte, sorte é meramente casual. A Deusa está comigo e eu exerço sua vontade através da minha vontade, nada temerei enquanto Ela for meu farol na noite mais escura.

Confesso que a saudade surgia inesperadamente, já fazia algum tempo que não havia e se eu pudesse vê-la... minhas energias certamente seriam renovadas. Todavia, não possuía o luxo de parar, em razão de que poderia ser atacado a qualquer momento pela organização, possuía isso em mente e perpetuava meus sentidos alertas.

Sairá da base dos revolucionários e seguia com Luthien até a fonte para repor a água necessária em minha cabaça. Estávamos saindo da cidade quando ditei para a mulher-polvo. ~ A Deusa está ao nosso lado e nada deverás temer, Lut! Entretanto, nunca deixe de provar seu valor para Ela e jamais dependa sempre dela, afinal... os poderes dela nesse plano são limitados e necessitam principalmente de nossa fé nela. Terminaria de proferir ao colocar a mão sobre o ombro de minha aliada. Deixava fluir sobre as palavras minha liderança composta de convicção e determinação.

Após me separar de Luthien, decidirá por tentar me comunicar com Bell e Aaron, mas o resultado era nenhuma resposta. ~ Tsch. Isso não parece ser um bom sinal. Comentava comigo mesmo, apresentando estar um tanto incomodado com a situação. Pensará comigo mesmo que, possivelmente, eles estariam em uma situação onde não poderiam atender. Essa situação poderia ser divido em duas hipotéticas formas: primeira estarem infiltrado em um local onde não poderiam se comunicar. Segundo; poderiam estar em um combate. Independe da hipótese, eles certamente viram que tentei-me comunicar com eles. Irei esperar seu retorno, por hora.

A noite extremamente fria naquela ilha era totalmente o inverso do calor escaldante, mas para mim era um clima agradável. Devido a isso peregrinava a noite toda até a próxima cidade sem qualquer cansaço exorbitante. A manhã raiava com seus raios solares ardentes e repugnantes, já começando a me aborrecer.

Avistava a cidade de longe, devido minha excepcional visão, mas ainda assim demorou algum tempo até chegar em frente da entrada. Logo ao chegar, percebia um trio de humanos um sussurrando de forma suspeita. Era fácil deduzir que estavam falando sobre minha aparência, já que, era raro ver um tritão nessa maldita ilha. Ou talvez, só “talvez”, pudessem ser membros de baixo escalão da Rosa Negra, mas seria tão fácil encontra-los assim? Seria decepcionante eles possuírem membros desleixados dessa forma. Poderiam ser olheiros, aqueles típicos informantes. Ainda assim, não mudaria o fato de serem tão óbvio. Pelo menos para mim se apresentava dessa forma, mas como poucos possui meu intelecto, certamente jamais desconfiariam desses reles sujeitos.

Eles se separavam e decidia por seguir um dos humanos encapuzados que seguia para o leste. Parando para refletir agora, os outros membros possuíam capuzes parecidos. Hmm. A probabilidade de ele ser um membro realmente é alta, melhor eu abordar a situação com cautela. Concluía que seria mais sábio e preciso aproximar-me de forma astuta. Assim que ele continuava a caminhar e, provavelmente, me ver de longe e acelerar o passo, fazendo com que ele olhasse mais para frente, me aproveitaria desse momento para explodir em um Dash extremamente acelerado e colidir com o humano. Agarraria pelo seu pescoço e ergueria para o alto, não apertaria com toda minha força para não esmagar sua garganta. ~ Me responda! Quem está na mira de vocês nessa cidade? E, onde posso encontrar os piratas que foram contratados por vocês da Rosa Negra! Interrogaria o humano de forma objetiva. Utilizaria minhas capacidades em interrogatório e intimidação para pressiona-lo até ele desembuchar.

Caso negasse ou tentasse atuar de alguma forma, utilizaria minhas capacidades em psicologia para estudar suas respostas e ao notar suas, possível, mentira... apanharia um de seus braços e pressionaria lentamente até ele responder com sinceridade, ou assim eu achasse, ou se não seu braço seria esmagado. Caso ele continuasse a negar, ou assim eu achasse dessa forma, mesmo com um dos braços esmigalhado, apanharia seu joelho e faria da mesma forma. Se ele fosse um mero membro de baixo escalão, certamente não demoraria muito para falar tudo que saberia, pois que, a dor era um ótimo motivador para os fracos de coração.



HISTÓRICO


Posts: 09

Vantagens: Pele Escorregadia, Aceleração, Audição Aguçada, Visão Aguçada e Liderança.

Desvantagens: Monstruoso, Desprivilegiado, Devoção, Obsessivo, Fantasia e Má Fama: Calamidade Morte.

Perícias: Anatomia Humana, Psicologia, Estratégia, Interrogatório, Lógica, Armadilha, Intimidação, Física.

Nikyu Nikyu no Mi: Level 1

Tekkai:  Level 2

Kenbunshoku no Haki: Level 1

Haoshoku no Haki: 04/10


Ganhos: Roupas;

Perdas: 1 den den mushi;

NPCs/Players:
~ Husani, líder revolucionário.

Objetivos na Aventura:
~ Conquistar/Destruir Yuba/Alabasta.
~ Perícia Geografia.
~ Perícia História.
~ Perícia Meteorologia.
~ Matar Byakushi.
~ Vingança contra a Rosa Negra.





____________________________________________________

~Fala / Narração

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Conquistas:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Yami
Super Nova
Super Nova
Yami

Créditos : 35
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 28/11/2011
Idade : 24
Localização : Far, Far Away ♫

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptyQua 20 Fev 2019, 02:26


Crimson Ghost

Rolling Dices



A velocidade do garoto era impressionante, mas eu não ficava atrás quanto à destreza. Apesar de não ser capaz de utilizar Soru, compensava na maneira de me mover e nos usos de minha Akuma no Mi. Enquanto os movimentos fluíam como um fluxo de água, juntava as informações de que ele estava ali por si só, me fazendo questionar se ele de fato estava obedecendo ordens superiores ou fazendo aquilo pela própria conta... E se Serena não tinha conhecimento daquilo, então existia uma pequena possibilidade dela reaparecer. Seria uma noite interessante de lidar.

E apesar de ter expelido Shido de maneira ágil, não havia sido de grande ajuda até então, visto que sua presença havia sido notada rapidamente. Se distanciando do alcance do cientista, o assassino começava uma nova tática, que eu já sentia o cheiro de não ser nada bom. Deixando que o cientista disparasse contra o assassino antes que ele pudesse completar seu movimento, surgia um corpo arenoso que bloqueava o ataque com sucesso, me deixando atônito com a situação até sentir as vibrações do Den Den Mushi em meu corpo indicando o chamado de Masimos. Apontando o braço para Shido, arremessaria o caracol para que ele atendesse, pois por mais que ele não estivesse desocupado, com certeza teria mais brechas do que eu em fazê-lo.

Com os soldados de areia partindo em nossa direção, notava rapidamente que sua maior qualidade não seria a resistência, mas sim a persistência em se manter lutando até que fosse ordenado o contrário. E eu achava que Akumas no Mi eram únicas. Se o Bell possuí a fruta da areia, então o poder desse cara é algo além... Pensava comigo. E se meus cálculos estavam corretos, aqueles soldados estavam a comando do assassino, que precisava constantemente manter seu poder ativo para que tal tática funcionasse, me fazendo questionar se isso não reduziria suas capacidades em combate. - Diferente de você, não preciso gastar minha própria energia pra fazer o mesmo. - Deixando uma poça ao meu redor novamente, expeliria não 20, mas 40 dos zumbis que eu havia drenado de Sakura. Eles podiam não lutar por mim, mas com certeza lutariam com qualquer outra coisa que se mexesse. E adivinha? Os bichos também eram bem persistentes. E de acordo com meus cálculos, eu ainda deveria ter mais centenas dentro de meu pântano, mas eu precisava de espaço para lutar naquele deserto também.

Com os soldados de areia devidamente ocupados, Shido poderia ter mais liberdade para avisar à Masimos do que estávamos fazendo e de me ajudar ao invés de precisar focar no combate contra os peões. Com os minions lutando entre si, partiria para cima de Corvus novamente com todo o gás para que aquele combate não se prolongasse, afinal eu precisava ter em mente que ainda havia um deserto de viagem adiante e qualquer ferimento que demorasse tempo demais para ser tratado poderia me fazer ser apenas mais uma vítima daquelas dunas. E então, com os pés leves pisando acima dos grãos de areia, inclinaria o meu corpo para maior aerodinâmica e para alcançá-lo antes que ele desse o primeiro ataque.

Sabendo que suas armas eram compostas por lanças ou tridentes, eu teria a vantagem ao manter o combate a curta distância. Imaginando que Corvus fosse novamente recuar para poder me atacar, eu interceptaria a sua esquiva ao correr ainda mais em sua direção, onde eu deixaria que ele fizesse seu ataque diretamente contra mim para que eu me abaixasse e fosse rente ao cabo de sua arma, vindo com um golpe ascendente contra seus antebraços, passando as lâminas em seu corpo com o negro do Haki me acompanhando, ignorando ar, carte ou armas.

A corrida ao redor do assassino não parava por aí. Quase como se fosse uma dança sincronizada, eu desviaria com rolamentos pelo chão e até mesmo movimentos bruscos em plano ar, utilizando do geppou para me fornecer uma "plataforma" e alterar minhas trajetórias mesmo durante um salto. Para interceptar o assassino, entretanto, não deixaria que o mesmo repetisse o movimento de antes, pois caso ele se esquivasse, eu correria para cima, mas caso ele fizesse paredes ou modos de se defender, eu observaria o tom azulado de seu poder se manifestar e, antes que a estrutura fosse formada, eu daria uma rápida volta ao seu redor, contornando o problema antes que ele tornasse um.

Durante todos os meus movimentos, eu deixaria que boas quantidades de lama fossem se espalhando pelo meu corpo como se eu estivesse "suando". Deixando, dessa maneira, que o deserto se tornasse aos poucos um pântano para ser meu habitat, além de dificultar que o assassino utilizasse da areia para lutar, assim como dificultar sua movimentação. O que estaria por debaixo dos panos, entretanto, seria difícil de prever. Aos poucos, durante meus movimentos, começaria a transferir minha consciência através da lama no chão, me concentrando para manter um cadáver coberto de lama em meu formato enquanto eu acumularia uma massa de lama abaixo da areia. Seria então, em algum movimento entre toda aquela dança, que eu deixaria ser atingido pela estocada da lança de Corvus, deixando novamente um defunto surgir em minha barriga para servir de escudo de carne, mas a tática dessa vez mudaria um pouco além da defensiva.

Pois exatamente no momento em que eu fosse atingido, começaria a acumular abaixo da terra os ingredientes necessários para o golpe planejado. Recuaria com o golpe recebido e começaria a absorver a arma para dentro, dessa vez jogando meus braços na direção do corpo de Corvus para segurá-lo perto, ao invés de sua arma que iria se desfazer facilmente. Seria então, no instante final, que eu faria uma extensão de meu corpo projetar por debaixo do solo, com o braço triplicado de tamanho e cheio de escombros acumulados dos últimos tempos, focando um golpe direto no queixo do assassino. - FULL..... BUUUUURSSSSTTTTT!!! - Gritaria, enquanto meu verdadeiro corpo projetaria para fora da areia, jogando Corvus para longe assim como todo o acúmulo de pedras, madeira e areia que eu havia arremessado com o golpe.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Full Burst:
 



HISTÓRICO

Posts: 8 - (Log Pose - 10/30)

Vantagens: Aceleração, Aparência Inofensiva, Audição Aguçada e Ambidestria

Desvantagens: Timidez, Trauma Profundo e Devoção (Acabar com a Rosa Negra).

Perícias: Acrobacia, Luta de Rua, Primeiros Socorros, Atuação, Furtividade, Anatomia Humana, Rastreio, Cirurgia e Botânica

Carteira: B$ 51.704.000

Ganhos:

Perdas:

NPCs/Players:

Feitos:
- Assassinato de vários nobres num leilão de escravos;


Localização: 6ª Rota - Alabasta




____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por GM.Yami em Seg 25 Fev 2019, 19:48, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Doodles
Game Master
Game Master
GM.Doodles

Créditos : 99
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 08/08/2017
Idade : 25

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptyQui 21 Fev 2019, 19:32



THE CALAMITIES





Aaron e Shido



Quando Aaron trouxe Shido para a batalha e adquiriu a vantagem numérica, Corvus não perdeu tempo e usou uma das habilidades de sua Akuma no Mi para produzir soldados de areia que lutariam ao seu lado. Seria mais ou menos nesse momento que o ruivo jogaria o seu Den Den Mushi para o cientista atender a chamada de Masimos, enquanto isso usaria da mesma estratégia do seu adversário e colocaria para fora do seu pântano parte do exército de zumbis que absorveu em Sakura. Por mais que os cyber-zumbis não lhe obedecessem, o simples fato deles estarem presente ali já era suficiente para atrapalhar a liberdade dos soldados de areia em combate, botando-os uns contra os outros.

- Sou eu, Shido… Digamos que Aaron e eu estamos ocupados no momento, mas gostaria de deixar um recado, senhor? - Respondeu Shido ao atender a ligação e ainda fazer uma graça simulando uma secretária de recados. Ele prestaria atenção no que o tritão tinha para dizer, não sendo problema algum para o cientista guardar a informação e repassar para Aaron quando terminarem de lidar com isso.

- Você tem mais segredos escondidos aí do que eu imaginava… - Comentou Corvus observando o número duas vezes maior de guerreiros que o ruivo soltou no campo de batalha desértico. - Porém um soldado meu com certeza vale por três dos seus!

Quando Aaron partiu para cima do seu oponente para um combate a curta distância, Corvus não recuou como a Calamidade pensou que talvez ele fosse fazer, na verdade ele comprou a briga do pirata e sempre que o ruivo realizava um ataque, o assassino atacava a adaga utilizada como uma maneira de bloqueio, podendo usar tanto a parte laminada da sua arma como o seu longo cabo. Seria nesse momento que Aaron notaria a habilidade do Pétala, ele não havia anunciado seu rank, mas julgando pelo seu desejo de crescer na organização ele não estaria em outra posição senão essa.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

A batalha corpo-a-corpo e a troca de golpes com suas lâminas criaria uma bela coreografia de luta entre os dois, certamente se ficassem apenas nisso iria demorar horas para que algum dos dois cometesse o erro de ser atingido, quanto mais forte são os dois guerreiros, mais tempo demoram suas batalham… Mas em um confronto de assassinos essa ideia é repudiada, uma luta não pode demorar tanto e ambos sabiam disso, por isso que cada um deles nesse momento já estava pensando em uma estratégia para surpreender o adversário, sendo que no caso de Aaron seu plano consistia em espalhar sua lama aos poucos pelo cenário.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

O objetivo do pirata era usar a lama no chão e transferir sua consciência para lá, ou no caso, seu verdadeiro corpo, deixando apenas uma cópia lamacenta no lugar de onde saiu. Acontece que durante sua tentativa de fazer isso, Aaron seria atingido por um golpe de Corvus que ele teria total capacidade de bloquear o dano, mesmo que no reflexo, colocando suas adagas na frente, porém o impacto iria lhe empurrar para trás. O assassino poderia chegar a pensar que estava com a situação sobre controle, dificilmente seu oponente teria mobilidade para desviar nesse momento, mas mal sabia ele que tudo faria parte do plano do ruivo. Para atacar, o Pétala pulou girando sua lança para realizar uma poderosa estocada no corpo do pirata, que jogou seu corpo verdadeiro para dentro do pântano e deixou lá cópia para ser atingida pela lâmina de Corvus.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

O sangue jorrou para cima enquanto o assassino cravava o corpo do jovem ruivo na areia, perfurando-o no abdômen com a estocada de sua lança. O sorriso no rosto de Corvus, no entanto, iria desaparecer no instante que a pele de Aaron começou a se desfazer em lama, revelando que o corpo que havia sido atingido na verdade era um dos cadáveres que tinha guardado em seu pântano. Antes que pudesse reagir e recur, a Calamidade se revelou saindo da lama que estava debaixo de Corvus, subindo para um poderoso soco usando sua técnica Full Burst que consistia em aumentar a força do seu braço usando destroços do seu pântano e uma enorme quantidade de lama.

O assassino foi atingido em cheio pelo ataque de Aaron, um golpe que o acertou no queixo, mas foi suficiente para danificar seu rosto por completo, quebrando sua máscara, seus dentes, seu nariz e vários outros ossos de todo o seu crânio. Automaticamente os soldados de areia dele se desfizeram, deixando Shido e os cyber-zumbis sem ter o que atacar, ou melhor, os zumbis mudaram o foco para o inimigo mais próximo, forçando o cientista a sair correndo atirando nos mortos que começaram a perseguí-lo.

- HEY, AARON, DÁ UM JEITO NISSO AQUI! - Gritou o rapaz para o pirata, que provavelmente iria o ignorar por ter algo mais importante para tratar.

O sangue que jorrava de sua face deixava o rastro que seu corpo fazia ao ser arremessado para cima e depois vinha caindo em direção ao chão, batendo na areia do deserto e ali permanecendo, agonizando de dor, mas ainda vivo. Nesse momento Aaron poderia tentar tirar alguma informação do sujeito, mas com a boca toda destruída ele provavelmente não seria capaz de dizer muita coisa… Porém o Baby Den Den Mushi que começou a tocar no interior das vestes dele seria bem diferente.

- Hey, Corvus, retorne para Rainbase imediatamente… Já estamos com a coroa. - Diria a voz do outro lado da linha no instante que a chamada fosse atendida por Aaron.




Masimos



Depois de se separar de Luthiem que seguiu sozinha pela ilha para uma missão de exploração, Masimos tentou contato com seus aliados, ambos não atenderam de primeira e fizeram o capitão se questionar o motivo disso, mas ao menos Aaron retornou sua chamada através de Shido, que explicou a situação deles ao mesmo tempo que ouviria o que o tritão tinha para dizer, incluindo o pedido para que eles fossem para Rainbase, local onde estava nesse exato momento. Já era possível para o titã ver o sol nascendo por detrás das montanhas de Alabasta, diferente da área do deserto onde Aaron e Shido estavam que o céu permanecia completamente escuro.

Dando sequência a sua caminhada solitária, na medida em que o sol ia ficando cada vez mais alto no céu, Masimos ia ficando cada vez mais perto da cidade de Rainbase. Com sua visão apurada o tritão conseguiu enxergar uma movimentação suspeita de três pessoas encapuzadas, aproveitando o momento para seguir aquele que se direcionou sozinho em direção ao leste, deixando que os outros dois sumissem cidade adentro. Acompanhando os passos apressados do desconhecido, Masimos não fazia ideia de para onde ele estava indo, mas seu conhecimento na geografia local indicavam a possibilidade dele estar seguindo em direção ao rio Shandora.

O tritão ficava atento aos olhares do homem para saber se ele teria ou não notado que estava sendo seguido. Virar a cabeça para trás por um breve segundo já foi o bastante pro encapuzado perceber que o enorme homem-carpa estava atrás dele, figura que seria facilmente reconhecida por qualquer um dentro da Rosa Negra ou até mesmo por civis mais bem informados de Alabasta. Correr do tritão seria inútil, mas mesmo assim ele tentou, sendo alcançado por ele instantes depois e agarrado pelo pescoço pela grande mão do Emissário, que poderia ali mesmo aplicar a força necessária para matá-lo, mas antes precisava saber se estava realmente capturando um membro da Rosa Negra, e se estivesse, ele poderia ainda lhe responder algumas perguntas antes de ser assassinado.

- Cha-chavi… Dar-darwi-wishi! - Respondeu ele com uma certa dificuldade enquanto estava sendo enforcado pelo tritão. Graças a informação que Husani lhe passou horas atrás, Masimos reconheceria esse nome como Chavi Darwishi, um nobre maldito que possui um cassino em Rainbase e uma grande influência no mercado negro. - Nã-não sei de nada disso… - Falou em resposta à segunda pergunta, aquela que se refere aos piratas aliados da organização.

- É inútil, Howker… Mexer em uma pétala tão externa não o fará enxergar o verdadeiro conteúdo de uma rosa. - Disse uma voz vindo por trás do homem-carpa. Ele não precisava se preocupar, já que sua audição também indicava que ele não estava tão perto dele para ser uma ameaça.

Spoiler:
 

Virando-se na direção de quem lhe disse isso, Masimos veria um homem de longos cabelos loiros e olhos avermelhados, cor que também se repetia em seu capuz, variando um pouco naquela que estava presente em todos os assassinos da Rosa Negra que viu até então. Além do manto vermelho que trazia um ar mais luxuoso ao homem, havia também alguns adereços dourados pelo corpo dele que exaltavam sua aparência mais poderosa, sinal de que ele não era um membro comum dentro da organização, inclusive a maneira como ele lhe dirigiu a palavra passava bastante essa impressão de que ele sabia bem mais do que o homem que segurava pelo pescoço.

- Você está se envolvendo demais onde não foi chamado, Calamidade… Acredito que pela pergunta que fez à este homem você esteja procurando pelo homem que carrega a mesma alcunha que você, não é? Kukuku. - Disse Gio soltando uma leve risada no final da sua frase. - Ele cometeu um erro ao deixá-lo vivo, mas o Conquistador não se importa com os motivos dele para ter feito isso… Irei tirá-lo do nosso caminho antes que sua praga se espalhe ainda mais pelo nosso jardim.

Masimos poderia questionar Giovanni durante esse pequeno tempo de diálogo, mas não necessariamente o Espinho iria respondê-lo com o que estava querendo ouvir. Abrindo ambas as mãos ao lado do corpo, Gio fez chamas surgirem ao redor delas, não parecia ser um efeito pirotécnico, principalmente porque o fogo não estava lhe causando queimaduras, então quando as chamas se propagaram para o restante dos braços do assassino, o tritão teria certeza de que se tratava de mais um usuário de Akuma no Mi. Com um movimento do braço direito, Giovanni arremessou uma bola de fogo na direção de Masimos… Ótimo, como se já não bastasse o calor infernal que está fazendo nessa manhã, o tritão ainda teria que enfrentar outra vez um inimigo com habilidades quentes.

- Mesmo que por algum milagre você consiga sair vivo hoje, Calamidade, ouça o meu conselho… Não entre no caminho da Rosa Negra!

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
(Link da ficha na imagem)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Marciano
Emissário da Morte
Emissário da Morte
Marciano

Créditos : 48
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 6010
Masculino Data de inscrição : 15/09/2014
Idade : 26
Localização : Na Monstrolandia...

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptySeg 25 Fev 2019, 11:49


Emissário da Morte

Cidade de Rainbase

Não demorou muito para aquele suspeito humano começar a revelar seus segredos perante meu breve interrogatório. Um nome era proferido pelo homem, Chavi Darwishi. Um suposto nobre que possui algum status na cidade de Rainbase e que influencia o mercado negro de Alabasta, mas certamente eu estava pouco me lixando para esse reles nome.

Pressionava mais um pouco o homem encapuzado com intuito de espreme-lo até que me contasse tudo que soubesse, mas pelo visto não era muita coisa. As respostas do humano não me agradavam em nada e pouco a pouco meu semblante facial se tornava mais raivoso. Já estava bem aborrecido devido aquele maldito sol e principalmente por não conseguir informações do pirata Byakushi.

Uma voz ecoou próximo a mim e viria pelas minhas costas. ~ Hunf. Expressava um ar de soberania ao ouvir aquelas tolas palavras direcionadas a mim. Era fácil deduzir que agora sim! Havia encontrado um maldito membro da organização. Virava-me lateralmente enquanto num aperto mais intenso destruiria a traqueia do interrogado e deixaria cair sobre o chão, agonizante até o fim de sua míseral vida. ~ Apesar de você ser um lixo... sua alma será bem aproveitada pela minha Amada! Diria para aquele homem caído sobre meus pés e logo tomaria minha atenção ao novo visitante.

O sujeito de madeixas louras a minha frente começará a dialogar comigo como se fossemos conhecidos, mas quanta petulância de sua parte. Todavia permanecia quieto e atento ao homem enquanto drenava as informações ditas pelo mesmo. Mais uma vez esse tal de Conquistador surgia enigmaticamente, maldição! Que raios de ser é esse? Talvez seja o líder da Rosa Negra. E se for?! Seria ele que haveria mandando aqueles piratas que ousam usar meu epiteto dado pela própria Deusa!? Tsc. A paciência está quase no limite, estou até surpreso por manter-me calmo durante tanto tempo num clima tão... repugnante.

Andava alguns passos a frente enquanto encarava o sujeito nos olhos, demonstrando minha autoconfiança. ~ É interessante como algumas pessoas mesmo diante de um abismo imensurável, ainda assim tendem a querer ultrapassa-lo. Diria ao me manter parado e sem qualquer reação ofensiva. Minha face voltava a ficar neutra, não expondo qualquer sentimento ou informação visual perante o humano.

~ Eu poderia interroga-lo, tortura-lo e no fim seria o mesmo cenário, talvez não necessariamente igual, do outro membro de vocês que se suicidou numa tentativa falha em levar minha vida. Diria me referindo ao usuário de akuma que houvera enfrentando outrora e no fim se auto explodiu. ~ Obviamente que não é o primeiro a tentar tomar minha vida! A lista é definitivamente longa e poucos nomes estão gravados em minha memória. Contudo, minha vida pertence apenas a Deusa da Morte. Proferia de forma clara enquanto manifestaria minha convicção e determinação em cada palavra.

O membro da Rosa Negra parecia ter se irritado ou talvez coagido perante minhas palavras, já que, ia manifestando fogo pelos seus membros. ~ Tsc. Mais um usuário de fogo? Diria ao largar minha enorme cabaça sobre o chão e retirar a tampa. Apesar de repudiar aquele clima escaldante, talvez pelo tempo que já estivesse lá ou muito provavelmente pela boa vontade da Deusa, já estava me adaptando. Logicamente que isso não significaria que era mais fácil aguentar o calor. Porém, conforme o tempo passava e iria aturando aquele deserto como também haveria enfrentando usuários com habilidades de calor, apenas agregava em minha adaptação naquela ilha. Contudo, não mudava o fato de ainda me aborrecer constantemente.

Um ataque viria em minha direção, basicamente se resumindo a uma bola de fogo, que por sinal, era visivelmente maciça e certamente potente. Muito mais intenso que aquele vapor quente do outro usuário, apenas com um olhar era fácil concluir tal lógica. Mas eu já havia aprendido num primeiro momento como combater esse tipo de ataque e agora bastava utilizar uma boa tática para antecipar o movimento e assim neutraliza-lo. Exatamente por isso que havia largado a cabaça anteriormente e retirado sua tampa, com intuito de usufruir de seu conteúdo.

Enfiava o punho dentro da cabaça e sentiria a mão submergir sobre o liquido para então agarrar uma quantidade abusiva de água e sem delongas dispersa-la em um formato de rajada contra o fogo com objetivo de apaga-lo e, talvez, atingir em sequência o oponente. Claro que era uma tática chula, se em comparação as minhas mais elaboradas, entretanto seria o suficiente para mostrar ao desgraçado que mesmo seu fogo seria inútil contra mim.

~ Deixe-me corrigir sua frase, inseto! Não fui “EU” que entrei em seu caminho! Mas sim vocês que cruzaram o meu, o caminho do escolhido da Deusa da Morte! Grave bem minhas palavras, lacaio. Indagaria manifestando um certo nível de zanga sobre o rosto. Não faria qualquer movimento hostil, inicialmente. Esperaria pelo avanço do oponente para avaliar seu estilo de combate, apesar de já possuir uma certa noção. Os ataques de fogo não seriam problema, se minha cabaça possuísse água ilimitada. No entanto, devido a limitação de ataques aquáticos que poderia utilizar e assim neutralizar os do inimigo, logo se esgotará a fonte e os ataques se tornaram árduos de lidar, levando em conta se forem mais poderosos que o outro usuário que havia enfrentando outrora.

Pelos meus cálculos, possivelmente, poderia utilizar mais dois ou três ataques dessa mesma forma. É lamentável essa quantidade, mas é melhor que nada. Hmm. Claro que ainda possuo uma carta na manga, afinal... ainda não demonstrei meus poderes da Nikyu Nikyu no mi. Há a possibilidade, mesmo que ínfima, do inimigo já saber de meus poderes. No entanto, não terá grande diferença ao pega-lo desprevenido. ~ Hunf! Está me comparando a uma praga de jardim? Quanta audácia! Não me iguale a vocês, insetos! Eu sou o infortúnio que se sucede sobre seu jardim e extermina-o completamente. Diria demonstrando um pequeno sorriso misturado com um ar macabro.

Caso o oponente viesse a atacar novamente com alguma bola de fogo ou mais de uma em sequência, utilizaria mesmo ataque aquático até esgotar a água na cabaça e em seguida esperar pelo seu avanço corpo-a-corpo. Na hipótese de o mesmo avançar, manter-me-ia atento a sua ofensiva e tentaria acompanhar seus ataques para bloqueá-los no mesmo momento que fossem desferidos, independente qual parte do corpo alvejasse, usaria os punhos para defender. Obviamente não permaneceria apenas na defensiva, apenas analisaria os primeiros ataques para então formular e explorar algum ponto fraco em algum ataque onde pudesse, ou percebesse, um momento para agarrar pelo seu membro mais próximo e assim arremessa-lo contra o solo e em sequencia novamente contra o solo do lado oposto e por fim lança-lo em direção a alguma estrutura para lhe causar, se possível, mais danos.



HISTÓRICO


Posts: 10

Vantagens: Pele Escorregadia, Aceleração, Audição Aguçada, Visão Aguçada e Liderança.

Desvantagens: Monstruoso, Desprivilegiado, Devoção, Obsessivo, Fantasia e Má Fama: Calamidade Morte.

Perícias: Anatomia Humana, Psicologia, Estratégia, Interrogatório, Lógica, Armadilha, Intimidação, Física.

Nikyu Nikyu no Mi: Level 1

Tekkai:  Level 2

Kenbunshoku no Haki: Level 1

Haoshoku no Haki: 03/10


Ganhos: Roupas;

Perdas: 1 den den mushi;

NPCs/Players:
~ Husani, líder revolucionário.

Objetivos na Aventura:
~ Conquistar/Destruir Yuba/Alabasta.
~ Perícia Geografia.
~ Perícia História.
~ Perícia Meteorologia.
~ Matar Byakushi.
~ Vingança contra a Rosa Negra.






OFF:
 

____________________________________________________

~Fala / Narração

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Conquistas:
 


Última edição por Marciano em Ter 26 Fev 2019, 19:31, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Yami
Super Nova
Super Nova
Yami

Créditos : 35
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 28/11/2011
Idade : 24
Localização : Far, Far Away ♫

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptyTer 26 Fev 2019, 01:16


Crimson Ghost

I will find you...



Eu possuía uma enorme familiaridade com a sensação que a faca fazia ao romper a resistência de uma pele ou órgão, assim como os espasmos de um corpo que rejeitava a adaga presa em suas costelas de forma tão agressiva, mas era algo completamente novo a sensação de sentir ossos estilhaçando e virando cacos pelo meu punho que, mesmo através de adagas, ainda assim era uma sensação única. Com o corpo de Corvus voando para o ar, enquanto seus soldados de areia iam na mesma velocidade para o chão, me dizia que o combate se finalizava agilmente, um combate típico de assassinos onde um golpe bem feito era sempre fatal.

A respiração era ofegante e eu sentia meu braço se reduzindo enquanto os destroços iam caindo no chão próximo a mim. Mesmo com o frio da noite, gotas de suor escapavam pela testa enquanto eu tentava recuperar o fôlego, enquanto meus olhos travavam na face destruída do assassino, mesmo que Shiro estivesse gritando não muito longe. Sentindo o corpo tremer pelo nervosismo do combate, um nervosismo típico daqueles que sempre precisam lidar com a morte diariamente, sabendo que não importava o tempo que passasse, jamais iria se esvair por completo.

Querendo esvair os gritos do cientista, eu jogaria minha mão na direção da horda de zumbis para formar uma espécie de rede ou onda lamacenta, prendendo-os firmemente e começando a drená-los de volta para as profundezas do meu corpo, onde ficariam guardados até poderem ser usados novamente. Após o feito, deixando que Shido parasse de fazer tanto barulho e botar ele de volta para o mesmo lugar por onde os zumbis foram, eu perceberia o den den mushi de Corvus tocar, alertando-o que já estavam com "a coroa". Se a princesa está comigo... Então outra pessoa da realeza está em perigo. Rainbase? Seria um local conhecido ou o esconderijo deles? Com a cabeça a mil na escolha de palavras, pegaria o den den mushi ainda atento ao assassino, que apesar de atordoado, não deixava de ser uma ameaça até que estivesse devidamente morto.

Com um longo suspiro, ainda de olho em Corvus, eu atenderia o caramujo sem receios, encarando a fisionomia do comunicador para tentar imaginar como era o rosto daquele que falava do outro lado. - Corvus foi caçar sozinho uma presa muito maior do que ele. Papéis se invertem em situações assim. - Andaria próximo ao corpo do assassino, aproximando meu pé de seu tórax. - Se acham que caçarão a cria de Vlad com assassinos subalternos, espero que repensem suas ideias... - E, com o pé sendo erguido, eu faria minha adaga surgir abaixo da minha sola, pisando no peito de Corvus bem em direção ao seu coração, sentindo seus batimentos cardíacos vibrarem o cabo da lâmina através de meu pé, deixando que seus gemidos abafados pela mandíbula destruída fossem os últimos a ecoar naquela fatídica noite. - Me mandem o seu melhor... Me mandem Virtuoso. - Esmagando o caracol em minhas mãos, jogaria o que havia restado acima do corpo de Corvus, recolhendo os fragmentos da máscara do mesmo junto a mim, onde eu poderia imaginar funcionalidade para ela futuramente.

Olhando para Shiro, acenaria com a cabeça enquanto eu recuperava o fôlego da batalha. - Já que está aqui, acho que precisaremos arriscar de novo a viagem de waver. - Liberando o veículo com a lama, deixaria que o mesmo ficasse disponível para o cientista pilotar. Caso ele não me desse muita segurança, eu liberaria alguns escravos para perguntar se algum deles sabia pilotar, perguntando até mesmo para a princesa caso fosse necessário. De qualquer modo, sabendo pilotar bem ou não, seria melhor arriscar seguir com o veículo do que andar até o outro lado do deserto, que parecia sem fim. Andar aquele caminho todo poderia gastar todas as minhas energias, me deixando extremamente vulnerável posteriormente.

No caminho, ficaria reflexivo quanto a tudo que havia escutado, acima de tudo do quão perto eu estava chegando de meus objetivos. O nervosismo de enfrentar a Rosa Negra diretamente não me deixava trêmulo, tampouco hesitante. Eu sentia que estava me preparando para aquilo a vida toda e eu não iria vacilar no último minuto, portanto a serenidade me dominava, me permitindo respirar fundo e descansar pelo trajeto que estava adiante. De olho no deserto e sentindo a segurança necessária, percebia estar ainda mais perto da vingança que um dia jurei.



HISTÓRICO

Posts: 10 - (Log Pose - 11/30)

Vantagens: Aceleração, Aparência Inofensiva, Audição Aguçada e Ambidestria

Desvantagens: Timidez, Trauma Profundo e Devoção (Acabar com a Rosa Negra).

Perícias: Acrobacia, Luta de Rua, Primeiros Socorros, Atuação, Furtividade, Anatomia Humana, Rastreio, Cirurgia e Botânica

Carteira: B$ 51.704.000

Ganhos:

Perdas:

NPCs/Players:

Feitos:
- Assassinato de vários nobres num leilão de escravos;
- Derrota de Corvus, assassino da Rosa Negra (recompensa B$ 92.000.000)

Localização: 6ª Rota - Alabasta




____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Doodles
Game Master
Game Master
GM.Doodles

Créditos : 99
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 08/08/2017
Idade : 25

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptyQui 28 Fev 2019, 17:37



THE CALAMITIES





Aaron e Shido



A voz que saía do Den Den Mushi de Corvus trazia informações que deixavam o jovem ruivo com algumas perguntas em mente… O que ele queria dizer quando disse sobre uma “coroa”? E onde seria Rainbase? Algum lugar de Alabasta ou o nome do esconderijo deles? Visto a temática de rosas da organização, chuva parece algo válido para ser encaixado no tema. Como Aaron estava ocupado e concentrado na conversa que estava tendo, Shido continuou correndo dos cyber-zumbis, gritando inutilmente para a Calamidade lhe ajudar no assunto. Enquanto dava o golpe final no coração de Corvus, o ruivo também dizia ao Den Den Mushi para que a Rosa Negra mandasse o seu melhor assassino… Virtuoso.

- Sua morte chegará em breve... Aaron DeWitt. - Respondeu de maneira direta a voz pelo comunicador antes da ligação ser finalizada.

Ao fim da chamada, o pirata destruiu o Den Den Mushi em suas mãos e recolheu os destroços da máscara de Corvus, guardando em seu interior para quem sabe encontrar uma utilidade depois. Nesse momento, quando ele foi em direção a Shido, o cientista estaria completamente ofegante, deitado na areia do deserto enquanto o exército de zumbis-cibernéticos estariam todos derrotados no chão, então quando Aaron fizesse o comentário sobre o waver, Shido olharia para ele extremamente puto.

- EU SOU UMA PIADA PARA VOCÊ?! - Gritou o cientista completamente exausto e full pistola por ter sido ignorado no meio dos mortos-vivos. Porém isso não iria durar tanto tempo assim, depois de respirar fundo, o rapaz se mostrou um pouco mais calmo, mas ainda permaneceu deitado enquanto Aaron estava ali. - Masimos ligou para você, ele disse que estava indo para Rainbase com… Bem, não sei quem diabos era a pessoa que ele falou, mas não era o James, me soou como um novo aliado. - Quando o cientista mencionasse o nome da cidade Rainbase, Aaron poderia facilmente ligar os pontos e comentar o que ouviu ser dito pelo Den Den Mushi de Corvus. - Hummm, então é possível que Masimos já saiba de alguma coisa que está acontecendo lá, ou talvez tenha sido apenas sorte… Aff, não faço ideia de onde fica essa cidade, queria tanto que de alguma maneira tivesse alguém dentro do seu pântano que tenha nascido em Alabasta e por conta da sua posição na nobreza tenha sido obrigada a conhecer todas as cidades do reino que futuramente teria que governar… - E era óbvio que Shido estava se referindo a rainha Ísis.

- Rainbase? Não fica muito distante daqui, basta seguir a noroeste e atravessar o rio Shandora… Por quê? O que está acontecendo lá? Eu preciso ir para Alubarna, vocês podem me deixar lá antes de ir para a outra cidade. - Responderia Isis no momento em que Aaron a botasse para fora para questioná-la sobre a tal Rainbase. - Hey, que tipo de montaria é essa? - Perguntou ela indo na direção do waver para olhá-lo mais de perto. - O tamanho dele me lembra o dos super-patos que temos aqui em Alabasta.

- E você já montou nesses super-patos antes? - Perguntou Shido tirando as costas da areia para ficar sentado.

- Claro, é a montaria mais rápida da ilha, qualquer alabastiano precisa saber montar um desses. - Disse ela em resposta à pergunta do cientista.

- Ótimo, então Aaron, me leva para dentro, preciso descansar… E ela vai pilotar isso melhor do que eu. - Falou o rapaz dando a permissão para que o ruivo lhe absorvesse para dentro do pântano.

- Certo, não deve ser muito difícil controlar isso. Vamos para Alubarna então, preciso resolver uns assuntos por lá, daí depois te digo para onde seguir e você pode ir para Rainbase. - Dito isso, a rainha montou no waver das Calamidades e começou a mexer nos mecanismo para ter certeza de como deveria pilotar isso, aprendendo sem muita demora. - Sobe aí, rapaz, mas acho que você deveria aprender a pilotar isso, tem certeza que não quer aprender?

Independente da resposta de Aaron, Isis o levaria em direção ao norte pilotando o waver. Mesmo sendo uma viagem mais rápida por conta da montaria, ainda assim seria uma viagem longa, portanto os dois poderiam ir conversando durante o caminho, permitindo que a rainha desse algumas informações ao pirata sobre as cidades do reino, dessa forma ele não teria mais dúvidas caso ouvisse algum dos nomes e não soubesse para onde seguir. Algumas horas seriam necessárias para que a dupla chegasse a Alubarna, o que significa também que a o sol já teria começado a subir no céu quando alcançassem os portões da capital.

Os olhos de uma pessoa comum como os da rainha não seriam capazes de enxergar, mas o de um assassino atento ao que estava acontecendo ao seu redor iria ver bem o corpo caído a alguns metros de distância da entrada de Alubarna… Aqueles longos cabelos prateados lhe fariam deduzir rápido quem poderia ser, portanto o ruivo poderia sair do waver e se movimentar às pressas na direção daquela pessoa para tirar a sua dúvida e concluir que sim, era Vayu que estava ali… Mas se ela estava sozinha, onde estaria Bell?

- A-Aaron… - Diria ela com a voz fraca. Seu corpo estava cheio de queimaduras que agora estavam cobertas pela areia do deserto, seu rosto sangrava bastante assim como boa parte do seu corpo repleto de ferimentos. Se questionada sobre Bell ou sobre o que aconteceu, a espadachim iria se esforçar para poder responder: - Provavelmente… Morto.

- Santo Faraó! - Exclamou a rainha com uma provável expressão local. Quando virasse os olhos na direção da capital, Aaron iria reparar no que fez ìsis reagir dessa maneira… Havia uma enorme nuvem de fumaça negra saindo da cidade e cobrindo os céus, algo comum em cenários onde ocorreu ou ainda está ocorrendo um incêndio. Os muros gigantes de Alubarna não os deixavam enxergar o estado da cidade, mas era fácil deduzir que ela havia sido de alguma forma destruída, restava saber qual a gravidade desse dano.

- Eles são poderosos demais, Aaron… A Rosa Negra… Se continuarmos aqui vamos todos morrer… - Falou Vayu com o restante das forças que tinha, e então desmaiou nos braços do ruivo.

OFF:
 




Masimos




Graças ao seu Karatê Tritão e a sua cabaça, Masimos conseguiu tirar proveito da água que carregava consigo para disparar uma torrente na direção da bola de fogo que Giovanni criou para atacá-lo. Por maior que fosse a esfera flamejante, de nada ela podia fazer contra a água que naturalmente era capaz de apagá-la, neutralizando o ataque do Espinho e ainda avançando em uma quantidade significativa na direção dele. Para não ser molhado pela corrente de água, Gio pulou para o lado e se esquivou, preparando com ambas as mãos mais uma esfera de fogo que seria jogada para cima da Calamidade em sequência.

- Vejo que seu recipiente com água é limitado… Mas eu por outro lado posso fazer isso o dia todo. - Falou o assassino momentos antes de disparar a segunda bola de fogo para cima do tritão.

Não seria problema para Masimos parar esses golpes simplórios do inimigo, o problema é que ele estava certo na sua afirmação, e o titã sabia disso muito bem… A sua água uma hora iria se esgotar e ficaria bem mais difícil para ele bloquear os ataques de fogo do Espinho, ao menos quando essa hora chegasse, Masimos tinha uma arma secreta para usar, pois tinha convicção de que provavelmente seu oponente ainda não sabia sobre sua aquisição da Nikyu Nikyu no Mi. Os primeiros minutos da batalha seriam resumidos nos disparos de calor de Gio, enquanto o Emissário se contentaria em fazer defesas com seu Karatê Tritão, ficando bem óbvio que o objetivo do assassino era realmente acabar com o estoque de água do homem-carpa e assim diminuir seu poder defensivo contra ele.

Sem a água para poder ajudá-lo, Giovanni se sentiu mais confiante na hora de avançar contra o tritão usando do Soru para ganhar ainda mais velocidade. Todos os seus ataques que viriam a seguir estavam reforçados com uma camada de fogo produzida pelo poder da sua Akuma no Mi, fosse o primeiro soco que ele aplicou no rosto de Masimos, a joelhada que ele encaixou logo depois ou a cotovelada que ele deu para finalizar. Não seria problemas para o titã especializado em bloqueios lidar com esses ataques, o problema mesmo estava no calor gerado em cima do seu corpo sempre que as defesas fossem feitas, pois mesmo usando as manoplas gélidas para se defender, o fogo dos ataques dele passariam pelas laterais de seus punhos e acabariam causando um certo dano aos seus braços que ainda estariam irritados por conta das queimaduras da batalha anterior.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Mesmo com seu corpo sendo ferido por conta dos bloqueios, isso não impediu Masimos de enxergar uma oportunidade para agarrar um dos braços de Giovanni e puxar o corpo dele através disso para arremessá-lo no chão. No entanto, o Espinho não se deixou ser puxado de graça e usou a outra mão para explodir uma rajada de fogo para cima do peito do homem-carpa. A dor iria consumir a Calamidade naquele momento, mas isso não iria impedi-lo de concluir seu movimento onde batería o corpo do loiro duas vezes contra a areia do deserto e depois o jogaria para longe. A localização atual deles já não estava tão próxima de Rainbase por conta da caminhada que o tritão fez para seguir o assassino que seguiu para o leste, portanto não havia nada além de areia para Giovanni ser jogado… No entanto se continuassem se jogando desse jeito acabariam retornando para Rainbase, pois por mais que ela não estivesse próxima, ainda era possível ver as paredes da cidade no horizonte oeste.

- Os boatos são verdadeiros então… Você é bastante resistente, Calamidade. - Comentou Giovanni enquanto levantava do chão arenoso com os braços ficando ainda mais flamejantes e poderosos, espalhando esse fogo já para os seus ombros e parte do seu peito. - Mas até mesmo o mais resistente dos metais possui um ponto de fusão!

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Apontando o braço direito para Masimos, Giovanni disparou uma poderosa rajada de fogo que avançou com velocidade na direção do tritão, essa tendo tamanho o suficiente para cobrir praticamente todo o enorme corpo do titã se ele se deixasse ser atingido. Masimos podia tentar desviar, bloquear ou revidar o fogo com alguma de suas habilidades, o fato é que Gio não estava interessado no resultado desse golpe, ele o fez apenas como uma distração para poder usar seu Soru uma segunda vez e avançar contra o tritão para golpeá-lo com um soco de fogo pela sua esquerda em suas costelas. O movimento do assassino seria tão rápido que quando ele realizasse o seu soco, o fogo que havia arremessado antes sequer teria se dissipado ainda. Ele não sofreria dano do próprio fogo, diferente de Masimos que nesse momento poderia estar sendo engolido pelas chamas se não fizer nada a respeito.

Giovanni também era bom em realizar bloqueios, sua Akuma no Mi lhe dava uma boa capacidade em lutar a longa-distância, mas seu corpo musculoso também lhe permitia ótimos resultados na batalha corpo-a-corpo, portanto se o tritão resistisse aos seus ataques anteriores e viesse para revidar, Gio estaria pronto para bloquear os ataques usando suas habilidades de combate que estariam sempre revestidas pelo fogo de seus braços, estes que pareciam ficar cada vez mais intensos na medida em que a batalha ia se estendendo.

Movimentos simples de ataque resultariam em uma defesa simples de Giovanni, portanto se o tritão não realizasse ataques mais complexos, a batalha entre os dois acabaria demorando horas onde um defende o ataque do outro e revida com algo que acabaria sendo bloqueado também. A batalha entre os dois seria tão intensa que independente de estarem acertando ou bloqueando os golpes, o impacto provocado por suas forças acabaria arrastando eles pelo deserto… A sorte é que não havia nada ao redor deles para ser destruído, mas se a batalha durasse mais, era só questão de tempo até que acabassem sendo jogados para o meio da cidade de Rainbase.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

OFF:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
(Link da ficha na imagem)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Marciano
Emissário da Morte
Emissário da Morte
Marciano

Créditos : 48
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 6010
Masculino Data de inscrição : 15/09/2014
Idade : 26
Localização : Na Monstrolandia...

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptySeg 04 Mar 2019, 16:10


Emissário da Morte

Cidade de Rainbase

Enfim, como eu havia suposto, a água disponível dentro da cabaça chegará ao fim. No entanto, houvera um proposito por trás daqueles bloqueios aquáticos. Não eram apenas torrentes de águas para impedir o ataque do inimigo, mas como também uma oportunidade de avaliar a intensidade, qualidade e capacidade de suas habilidades.

O adversário ao notar que havia esgotado minha fonte de recurso, aproveitou-se para tornar o combate mais próximo. Obviamente que esperava pelo seu avanço. A velocidade do capanga da Rosa Negra era notória, mas em comparação ao Byakushi, ainda lhe faltava muito. Uma sequencia de ataques surgiam após o inimigo avançar em alta velocidade. Entretanto, já estava ciente e possuía êxito ao interceptar seus golpes, com certa facilidade devo dizer.

O real problema estava nas chamas que blindavam seus membros e assim geravam danos a cada impacto mesmo eu bloqueando os ataques. ~ Hunf. Me aborrecia ainda mais sabendo que aquele maldito clima e as chamas do oponente eram sem sombra de dúvidas capacidades que exploravam a fraqueza de minha raça.

Apesar dos tritões possuírem capacidades aquáticas, estamos numa ilha que pouco se encontra isso. E, mesmo se encontrasse o rio ou mar, devido meus novos poderes, não poderia mais voltar para dentro do mar, o que acaba reduzindo as minhas capacidades de ataques marítimos. Abdiquei tudo pela Deusa e logicamente que não me arrependo de minha escolha, afinal... se ela pedisse algo bem pior, como por exemplo que eu retirasse meu próprio coração, faria de bom grado apenas para ver seu jubilo encantador.Contudo, essa troca de poderes não havia me enfraquecido! Muito pelo contrário, havia me fortalecido. Chegará um momento que eu dominarei completamente os poderes da Nikyu Nikyu no mi e serei imbatível. Exatamente por isso Ela havia me presenteado com esses poderes.

Era só pensar em minha amada que uma onda de alegria emergia em todo aquela massa de aborrecimento acumulado. Apesar do breve devaneio, voltava a me centralizar no combate, portanto que, logo sondei uma abertura em um dos ataques do inimigo e ao lhe agarrar, estava pronto para jogá-lo contra o solo desértico. Porém, o maldito conseguia desferir um de seus golpes mesmo numa posição desfavorável, ou, apenas havia deixado ser apanhado para assim aproveitar um ataque a curta distancia e me causar mais danos. ~ Arrgh. O ataque havia sido poderoso, detesto admitir.

Por um momento recuei o corpo e estava prestes a solta-lo e assim deixar incompleto meu golpe. No entanto, a raiva emergiu como um vulcão em erupção e preencheu todas as lacunas de minha alma e mesmo com a dor culminando meu tórax, a raiva enraizava meu foco e com uma pisada mais forte que o comum, impedia meu corpo de recuar ainda mais e finalizava meu ataque ao fazer o inimigo colidir diversas vezes contra o solo e por fim lhe arremessava.

A dor fazia-me até esquecer que havíamos se distanciado da cidade de Rainbase. Não seria sábio adentrar ainda mais naquele repugnante deserto, ainda mais sem minha cabaça com água. Enquanto refletia sobre nossa atual localização, o lacaio da Rosa Negra começara a dialogar. ~ Cale a boca, verme! Por acaso terminamos de lutar? Proferia de forma mais irritada e expressando uma faceta carregada de zanga.

Certamente que minha frase havia possuído impacto, já que, um ataque ainda mais poderoso do que antes surgia em seguida. Mas não fazia muito sentido aquele ataque, em razão de que o oponente já havia notado minhas capacidades defensivas, pelo menos uma parte dela. Provavelmente era alguma tática para me distrair e assim tentar me pegar desprevenido, nada mal. ~ Tekkai... Diria ao visualizar o ataque em chamas do inimigo como também sua tática e em seguida ativar minha técnica defensiva. ~ Shahei! Liberando uma explosão muscular para assim atingir o pináculo de minha blindagem defensiva e comprovando ao inimigo o poder de meu vigor, tanto para o ataque em chamas como também o ataque pelas costas que apresentavam estar em sincronia e me atingiam quase simultaneamente.

Apesar de minha alta resistência combinada com minha técnica especializada, ainda sim não era o suficiente para neutralizar os danos do elemento fogo. Meu corpo passava por um estágio de ardência como como a tempos não sentira. ~ Maldito! Proferia enfurecido devido a dor que as chamas geravam por toda minha musculatura após a desativação da técnica. Mas não demorou muito para eu me atirar sobre as areias e assim rolar para um lado e para o outro e por fim apagando as chamas. Novamente minhas vestes se tornavam trapos, devido a chama se propagar por toda parte. Mas o que realmente me deixava furioso era que havia subestimado o poder ofensivo daquele desgraçado.

Eu abominava o clima e o deserto, mas o calor da ilha havia me proporcionado uma adaptação ao calor e as areias haviam servido para extinguir o fogo, chega ser cômico. ~ Acabei me adaptando ao clima quente dessa ilha. Foi bom você aparecer, afinal... como eu poderia me bronzear nesse clima onde minha blindagem natural é superior! Mas suas chamas realmente estão fazendo jus ao seu propósito! Proferiria de forma orgulhosa, arrogante e uma expressão diabólica enquanto olharia nos olhos do humano, constantemente. ~ Mas me diga: é tudo o que consegue fazer? Diria ao retirar os restos de trapos das vestes que que cobriam meu tronco.

Subestimei esse maldito, mas não ocorrerá uma segunda vez. Está na hora de lutar um pouco mais a sério e isso significa: mostrar meu verdadeiro poder. Respirava um pouco mais afundo e em seguida expirava para reunir minhas forças como também controlar a maldita dor que corroía aos poucos partes de meu corpo.

Sem mais delongas flexionaria as pernas, com intuito de agrupar forças em cada fibra, e saltaria em direção ao inimigo. A minha tática começaria retirando o campo de visão dele e a melhor forma era utilizando o próprio campo de batalha. O ataque aéreo demonstraria atingir o inimigo, mas não era essa a intenção. Seu propósito era colidir contra o solo desértico e assim erguer, possivelmente, uma enorme cortina de fumaça. Obviamente atingiria o chão com os olhos fechados para não receber o vapor arenoso que o ataque causaria.

Mesmo que o oponente usasse esquiva, efetuaria o golpe no solo da mesma forma. No entanto, caso o adversário optasse por bloquear o ataque ou tentasse contra-atacar, eu almejaria não atingir ele diretamente e sim um ponto a alguns metros de sua distância. Atingiria o solo com as palmas abertas, alguns metros à frente do inimigo, para então erguer essa cortina de fumaça e, provavelmente, destroços.

Em seguida manifestaria meu Kenbushoku no Haki para localizar o alvo e então utilizar um Dash acelerado buscando um ângulo diagonal, de forma a não deixar algo tão obvio quanto um ataque em linha reta, e assim ao localizar o inimigo tentaria colidir contra ele com um soco potente, usufruindo da própria velocidade para buscar mais força na hora do ataque devido meus conhecimentos em física, em sua cabeça seguido de outro e mais outro, buscando revezar os braços e pontos no crânio, e por fim agarraria sua face, enfatizando a palma da mão sobre o rosto e dispararia com toda minha velocidade em direção a cidade. Deixaria o braço esticado para o corpo do inimigo servir de escudo e assim atingir tudo a frente; parede, casa e etc. não me importando com quem, ou o que, estivesse a frente.

Finalizaria ao parar e em seguida colocar a palma de minha outra mão sobre o tronco do alvo e com ambas as mãos sobre o corpo do humano, utilizaria o poder de minha Akuma no mi para defletir ambas as palmas da manopla gélida e criar um impacto repleto de ar misturado com estilhaços da própria arma. Serviria tanto para arremessar o oponente como também para criar danos. Recuperaria meu folego enquanto continuaria a encarar meu adversário. ~ Pelo visto você não é qualquer um, já que, ainda está vivo mesmo depois de meus ataques. Diria ao estalar meus punhos. ~ Me diga seu nome e sua colocação nessa organização? Devo supor que é mais forte do que aquele verme que enfrentei na cidade de Yuba. Terminaria de perguntar para saber com quem estava lidando. Era raro me interessar pelos meus inimigos, já que eram muitos. Mas alguns casos raros me interessavam e, se ele estava vivo mesmo depois desses meus ataques, provavelmente era alguém já com certo nível de poder.



HISTÓRICO


Posts: 11

Vantagens: Pele Escorregadia, Aceleração, Audição Aguçada, Visão Aguçada e Liderança.

Desvantagens: Monstruoso, Desprivilegiado, Devoção, Obsessivo, Fantasia e Má Fama: Calamidade Morte.

Perícias: Anatomia Humana, Psicologia, Estratégia, Interrogatório, Lógica, Armadilha, Intimidação, Física.

Nikyu Nikyu no Mi: Level 1

Tekkai:  Level 2

Kenbunshoku no Haki: Level 1

Haoshoku no Haki: 02/10


Ganhos: Ferimento no tórax (indefinido pelo narrador);
Queimaduras pelo corpo (indefinido pelo narrador);

Perdas: 1 den den mushi;

NPCs/Players:
~ Husani, líder revolucionário.

Objetivos na Aventura:
~ Conquistar/Destruir Yuba/Alabasta.
~ Perícia Geografia.
~ Perícia História.
~ Perícia Meteorologia.
~ Matar Byakushi.
~ Vingança contra a Rosa Negra.






Tekkai:
 

OFF:
 

____________________________________________________

~Fala / Narração

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Conquistas:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Yami
Super Nova
Super Nova
Yami

Créditos : 35
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 28/11/2011
Idade : 24
Localização : Far, Far Away ♫

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptyDom 10 Mar 2019, 21:33


Crimson Ghost

Through the sand



Ignorando e deixando para trás todo o chilique deixado por Shiro antes do mesmo recuar ao pântano novamente, ficaria ouvindo atentamente as palavras da princesa Isis, que demonstrava ter conhecimento de que a tal Rainbase não era uma base secreta, mas sim um local conhecido na ilha. Sabendo que Masimos também estaria indo para lá me indicava que era o local certo para ir. Com Isis me oferecendo o conhecimento necessário para pilotar o waver, eu botaria a mão no queixo, pensando que seria útil não depender de outras pessoas para me mover com aquilo, podendo inclusive ter um pouco mais de conhecimento quanto a outros tipos de veículos, que com certeza seriam úteis visto que eu poderia armazenar centenas comigo. - Fechado... Mas preciso entender a teoria por trás disso antes. Sou leigo nisso. - Explicaria, deixando claro de que não me contentaria apenas em entender como funcionava aquele waver, mas sim qualquer veículo movido a motor que eu pudesse vir a utilizar.

Com o silêncio do deserto servindo de calmaria para que Isis me ensinasse o necessário, deixaria que a exaustão de meu corpo também fosse aos poucos se esvaindo junto ao vento, até que eu tivesse todo o conhecimento e confiança necessária para pilotar sozinho aquele veículo. - Deixe comigo. Será um bom treino. - Diria, tomando as rédeas da situação e pilotando eu mesmo. Eu poderia armazenar Isis comigo no pântano, mas eu gostaria de suas instruções quanto a passar por aquele deserto pelo melhor caminho, fora que seria interessante saber mais uma coisa ou duas sobre essa ilha dos infernos. Com as mãos meio receosas no guidão daquela máquina, daria a partida e, lentamente, começaria a sair do lugar, deixando Isis atrás de mim enquanto prosseguíamos viagem.

Apesar de apreciar o silêncio, quando se tem uma companhia é meio perturbador. E com o rosto meio corado por ter uma mulher abraçando minha cintura, pigarrearia, tentando quebrar o clima esquisito que estava se formando em minha cabeça. - Então... Pra que tudo isso com os escravos e tal? - Não era muito bom com palavras, principalmente se tratando de mulheres. - Quero dizer, você tem tudo pra ser igual a todos os outros nobres. O que te faz diferente? - Era uma pergunta bem válida, me fazendo ver um pouco mais do real coração da mulher. Deixaria que a mesma filosofasse enquanto eu manteria o foco do trajeto estipulado, absorvendo toda a informação como se ela estivesse entrando em meu próprio corpo pantanoso.

Após finalizar, eu compreenderia o que havia sido dito e então tentaria ser mais prático, já imaginando a situação que me aguardava ao longo do dia seguinte. - E sabe... Eu poderia muito bem ir pilotando direto para Rainbase, sabe? O que eu ganho te servindo de motorista até sua cidade? - Eu nunca fui altruísta, tampouco misericordioso. Deixá-la no meio do deserto com algumas dezenas de escravos não me incomodariam nem um pouco se isso significasse que eu teria maior velocidade em meu objetivo que seria de me reencontrar com Masimos e darmos um fim na Rosa Negra. Apesar de ser importante em ter uma aliada como Isis ao nosso lado, duvidava que poderia ser mais efetivo do que cravar pessoalmente uma adaga na testa do líder da organização. - Enfim... Me conte mais sobre as cidades. Pra onde estamos indo e o que me aguarda em Rainbase. Pelo jeito, alguém da família real foi levado para lá também pela Rosa Negra. - Falaria, vendo a sua reação com isso enquanto prosseguiríamos a viagem.

Com a proximidade de Alubarna, assim como os primeiros raios solares, eu rapidamente perceberia o corpo pelo deserto, me despertando rapidamente a imagem de Vayu, a companheira do Farest que havia se separado junto a ele. Saltando do waver as pressas, sem nem mesmo avisar para Isis, eu seguraria a mulher pelos ombros para que ela me olhasse diretamente, enquanto minha expressão de espanto não iria disfarçar meu temor. - Onde está Bell? O que aconteceu?? - Não tinha preocupação de fato com a mulher, mas se o seu estado era aquele, significava que meu companheiro não estaria muito melhor.

Foi então que o choque percorria meu corpo com aquelas poucas palavras. Provavelmente morto? Minha vontade era de dar um tapa na boca daquela mulher por insinuar algo tão ridículo. Bell não morreria tão facilmente, tampouco nos deixaria na mão numa situação daquelas. E com Isis me alertando do caos na cidade, respirei fundo com o ódio me consumindo. Primeiro Nero, depois Diana e agora Bell...? A Rosa Negra estava realmente querendo me provocar com tudo aquilo. - Não vou deixar... Acontecer de novo... - Com os dantes rangindo, me referiria ao fato de sempre perder os grupos no qual eu faço parte, inclusive tendo perdido Vlad durante esse caminho sangrento. Eu não perderia mais ninguém e havia ficado mais forte para impedir que isso acontecesse.

Eu perderia tempo demais tratando de Vayu, portanto eu precisaria guardá-la comigo antes de poder dar o devido tratamento a ela. Olhando para Isis, jogaria uma poça de lama logo na minha frente, indicando que ambas entrassem. - Tentarei unir todos vocês num espaço em comum lá dentro. Tentem tratá-la enquanto eu cuido das coisas por aqui. Rápido! - Absorvendo a dupla, começaria a correr diretamente para a entrada da cidade, com o sangue nos olhos necessários para matar qualquer um, mas a seriedade o suficiente para não perder a cabeça e focar no que realmente importava. Se eu mantivesse a princesa ao meu lado, com certeza chamaria muita atenção e as coisas poderiam se complicar, afinal se estavam tendo ataques por ali, com certeza iriam querer sequestrá-la também.

Partindo em direção aos focos do conflito, eu correria entre becos e vielas enquanto, com os ouvidos mega atentos, tentaria captar qualquer informação relevante entre os moradores do lugar. Percebendo que não seria muito furtivo seguir pelo solo, eu faria meu braço se esticar em lama até um telhado de alguma casa próxima, me puxando para lá para que eu seguisse entre as telhas, saltando de prédio em prédio para chegar o mais rápido possível sem chamar atenção. Utilizando de toda a minha furtividade e pés leves, tentaria me aproximar o máximo possível sem ser detectado. Como um bom assassino que sempre fui, o primeiro passo primordial era tomar o máximo de informações possíveis do conflito, para só então agir com o máximo de desempenho.



HISTÓRICO

Posts: 11 - (Log Pose - 12/30)

Vantagens: Aceleração, Aparência Inofensiva, Audição Aguçada e Ambidestria

Desvantagens: Timidez, Trauma Profundo e Devoção (Acabar com a Rosa Negra).

Perícias: Acrobacia, Luta de Rua, Primeiros Socorros, Atuação, Furtividade, Anatomia Humana, Rastreio, Cirurgia e Botânica

Carteira: B$ 51.704.000

Ganhos: Perícia Pilotagem (11º post),

Perdas:

NPCs/Players:

Feitos:
- Assassinato de vários nobres num leilão de escravos;
- Derrota de Corvus, assassino da Rosa Negra (recompensa B$ 92.000.000)

Localização: 6ª Rota - Alabasta




____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Doodles
Game Master
Game Master
GM.Doodles

Créditos : 99
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 10010
Masculino Data de inscrição : 08/08/2017
Idade : 25

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptyQui 14 Mar 2019, 03:00



THE CALAMITIES





Masimos



A batalha entre o Espinho e a Calamidade estava ficando cada vez mais quente, literalmente. Os ataques de Gio ficavam mais intensos na medida em que ele os usava, tornando cada vez mais difícil para o tritão resistir ao poder de suas chamas, porém seus golpes físicos não eram de grande dificuldade para Masimos que conseguia bloqueá-los com eficácia, tornando a batalha corpo-a-corpo dos dois bastante equilibrada, tendo apenas o fator fogo como o principal peso a favor do assassino loiro. Quando Giovanni atacou com mais fogo, Howker optou por utilizar de seu Tekkai especial para minimizar os danos da técnica adversária, mas mesmo com o uso da técnica as chamas do Espinho queimaram seu corpo e levaram embora parte das suas vestes.

- Hahaha, você nem faz ideia… - Respondeu Giovanni quando Masimos lhe perguntou sobre este ser o seu poder máximo. Nesse momento ele olhou para o céu, e então o tritão achou a oportunidade de avançar para realizar seu movimento de ataque.

Após Masimos saltar para cima de Giovanni, este pulou para trás de maneira a se esquivar do corpo do titã, mas de qualquer forma não fazia parte do plano dele atingir o assassino com isso, tendo como intuito usar da sua queda para levantar a areia do deserto e assim criar uma cortina de poeira ao redor deles. Fazendo uso do Kenbunshoku, Masimos saberia localizar o seu inimigo dentro dessa nuvem de areia, porém, ele não podia ter certeza de que seu oponente não seria capaz de fazer o mesmo… Por isso quando avançou para atacá-lo com um soco, o tritão viu seu ataque sendo bloqueado, então atacou uma segunda vez e este foi desviado, depois desviado de novo, e de novo, até que ao perder parte da sua paciência, Masimos conseguiu agarrar a face de Giovanni e arrastá-lo pelo deserto até chegar aos muros de Rainbase, por onde saiu destruindo todas as paredes que estavam em seu caminho, usando o corpo do assassino como escudo para essa ação.

Howker realmente conseguiu arrastar Gio pela cidade, mas era de se imaginar que o Espinho não se deixaria ser atingido dessa forma sem revidar de alguma maneira, portanto antes de começar a ser esmagado de parede em parede, o assassino disparou chamas sobre o peito do tritão, estas que só pararam de ser produzidas porque o impacto do concreto explodindo em suas costas tirou sua concentração para continuar usando sua Akuma no Mi. A cena no entanto permaneceria com o efeito visual do enorme homem-carpa arrastando seu inimigo por Rainbase enquanto um rasto de fogo era deixado por onde ele passava, até que as chamas finalmente se dissiparam por completo e o tritão pode finalizar seu ataque explodindo suas manoplas no peito de Giovanni usando da habilidade de sua Nikyu Nikyu no Mi.

Os civis da cidade começaram nesse momento a correr para longe do cenário de batalha, gritando assustados por conta da destruição que a Calamidade havia provocado em questão de segundos. Masimos permaneceu observando seu inimigo que foi atirado para longe, esperando para saber se ele iria ou não se levantar dos destroços de concreto depois de tudo isso… E sim, ele se levantou, mas talvez isso não fosse uma grande surpresa para o capitão pirata a essa altura do combate. Ainda havia fogo queimando o corpo de Giovanni enquanto ele saia debaixo dos tijolos, o sangue escorria pelo peito dele e por sua cabeça, mas isso não parecia ser ferimentos que o impediam de continuar lutando. Um pouco impressionado com seu adversário, Masimos lhe fez algumas perguntas para saciar seu interesse sobre quem estava enfrentando, pois certamente não era um qualquer como aquele outro que encontrou em Yuba.

- O Emissário da Morte está interessado no meu nome? Huhuhu, eu sou Giovanni, um dos Quatro Espinhos do Conquistador… - Respondeu o loiro enquanto as chamas que saiam do seu corpo iam se alastrando por ele todo com uma certa velocidade. Quando o rosto de Giovanni se ergueu, seus olhos vermelhos se fixaram em Masimos revelando a determinação que queimava seriamente dentro do seu olhar. - Sim, sou mais forte do que o Korin… Mas dizer isso não é suficiente para que você entenda. Olhe para cima, Calamidade. - Pediu ele apontando seu dedo indicador direito para o céu e em seguida erguendo todo o seu braço para o alto. Se Masimos fizesse o que foi pedido ele não veria nada demais no céu, a não ser que fosse intenção do Espinho lhe fazer olhar para a bola de fogo brilhante chamada Sol. - O sol atingiu o seu auge no céu… E durante esse momento, não há ninguém nessa ilha que seja mais forte do que eu.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Quando voltasse a olhar para Giovanni, Masimos veria uma enorme quantidade de fogo se espalhando pelo chão ao redor dele, queimando o solo, os destroços e as casas que ainda estavam de pé nas proximidades, porém isso não era nada comparada a gigantesca bola de fogo que havia se formado na ponta do seu dedo direito, algo tão grandioso que o tritão tinha certeza que era poderoso o bastante para destruir toda essa cidade… Quem dirá o que pode fazer com o seu corpo. Era uma demonstração de poder assustadora, mas para Masimos, o Emissário da Morte, isso seria diferente, seria empolgante. Depois de Byakushi parecia ser impossível encontrar alguém forte o bastante para lhe fazer sentir outra vez a verdadeira emoção de uma batalha, mas parece que Giovanni estava perto de conseguir fazer o tritão reviver esse sentimento.

Masimos era esperto o bastante para notar que o poder de fogo do seu inimigo estava ficando mais forte na medida em que a batalha prosseguia, poderia ser apenas uma coincidência já que é normal liberarmos mais força depois que a adrenalina começa a ser liberada na corrente sanguínea, mas no caso dele isso poderia estar ligado literalmente à temperatura local ou no caso a potência do sol, já que há momentos do dia onde ele está queimando com mais intensidade. A bola de fogo que Giovanni havia criado ali era quente o bastante para parecer que o próprio sol estava na mão dele (óbvio que apenas maneira de dizer, não é tão quente assim), o calor era tanto que algumas pessoas que ainda não haviam se afastado o suficiente da batalha começaram a desmaiar por conta disso, e Masimos poderia até se incomodar com a alta temperatura, mas era forte o bastante para resistir a essa pressão e continuar de pé.

- Mas me diga: o que me mostrou até então… é tudo que consegue fazer? - Perguntou ele com um sorriso convencido no rosto momentos antes de apontar a mão para Masimos e disparar na direção dele essa enorme bola de fogo que sairia consumindo tudo que havia no caminho com a força de suas chamas.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Sem sua cabaça de água, não havia qualquer possibilidade do tritão usar desse artifício para tentar apagar o ataque de Giovanni e não tinha nenhuma fonte de água em quantidade suficiente ao seu redor para ser utilizada, inclusive poderia até suspeitar que líquidos seriam facilmente evaporados perto de tamanho calor. Portanto restava à Masimos poucas opções do que fazer para lidar com essa técnica, fugir para alguma direção e tentar se esquivar ou encarar o ataque de frente, nesse caso podendo arriscar tankar a bola de fogo com sua resistência, mas sem fazer uso do Shahei, ou pode também arriscar revidar a técnica inimiga atacando-a com alguma técnica sua, ainda é arriscado, mas pode funcionar…

Óbvio que a opção mais fácil e segura é correr para sair da área de perigo da bola de fogo, e Giovanni certamente está preparado para essa opção, tendo a vantagem de estar oculto atrás de todo esse fogo e com seu Kenbunshoku ligado na movimentação de Masimos para acompanhá-lo para onde for, portanto, se optar por desviar da bola de fogo, a iniciativa do primeiro ataque volta para as mãos do Espinho, que avançará com um intenso dash de fogo e com isso acertará a barriga do tritão com uma poderosa joelhada flamejante que explodirá em chamas para dar início a mais uma batalha corpo-a-corpo… Só que dessa vez o poder do assassino parece estar muito maior do que da última vez e já começar tomando essa pressão pode atrapalhar o desempenho de Masimos no restante dessa troca de golpes.

A decisão é difícil e não há caminho fácil, porém, pode ser menos arriscado receber alguns socos e chutes flamejantes de Giovanni, do que falhar em lidar com a bola de fogo gigante e ser engolido por suas chamas… O Emissário da Morte precisará se esforçar para não vir a conhecer sua amada deusa no dia de hoje.

OFF:
 




Aaron



Graças aos ensinamentos da rainha, as horas de viagem pelo deserto acabaram se transformando em uma sessão de aprendizado para o ruivo dominar as técnicas de pilotagem, tendo ainda o bônus de Isis lhe dar algumas informações a mais sobre outros tipos de veículos. Aaron aprendeu tão bem o domínio desse assunto que ele mesmo finalizou o trajeto até Alubarna como o piloto do waver, ganhando também alguns conhecimentos sobre o reino de Alabasta que serviriam para ele saber se localizar melhor dentro da ilha. Quando o rapaz fez a pergunta para Isis sobre a opinião dela para os escravos, o motivo pelo qual ela era diferente dos demais nobres, a Rainha respirou fundo mantendo-se um pouco pensativa antes de dar sua resposta.

- Eu nunca gostei muito disso, sabe? Ser uma nobre… Sempre gostei de estar ao lado do povo, brincar com crianças nobres sempre foi um saco, enquanto as crianças da cidade eram sempre mais divertidas e puras. Pode parecer que eu como atual Rainha poderia mudar o jeito como as coisas acontecem aqui no reino… Mas a verdade é que nós, os Nefertari, já não comandamos essa ilha tem muitos anos, somos apenas o representante escolhido para se comunicar com o Governo Mundial, ir às reuniões, falar com o povo. Acontece que depois de tantos anos, o povo de Alabasta já não acredita mais nos Nefertari, foram anos e anos fazendo vista grossa, deixando o reino ser dominado pela corrupção, permitindo que os nobres continuassem a enriquecer abusando da escravidão. É por isso que a minha família precisa acabar… Os Nefertari precisam sair do comando de Alabasta e um verdadeiro líder merece assumir esse posto, alguém que passe confiança para o povo, alguém que seja visto como um herói. - Explicou ela durante a viagem, algo que Aaron pareceu não ter muito o que comentar, mas poderia passar a entender o que levou a rainha a fazer o que estava fazendo e o que mencionou anteriormente sobre acabar com a própria família. Ao invés de falar sobre esse assunto, o ruivo preferiu mudar a conversa para algo que lhe interessava mais no momento. - Rainbase é a cidade que tem sido controlada por Chavi Darwishi, no momento ele encontra-se aprisionado após uma tentativa falha de usurpar o trono de Alabasta, se Alubarna é a capital do reino, Rainbase é a capital do mercado negro da ilha, o coração de toda a corrupção. E... hã? Alguém da família real foi levado para lá? Isso é impossível, eu sou a única sobrevivente dos Nefertari. De onde você tirou essa informação?

Mas antes que Aaron pudesse explicar o que aconteceu para chegar essa conclusão, ele avistou o corpo de Vayu caído no deserto quase que na entrada para Alubarna, o que o fez deixar o waver de lado e se apressar para chegar até a aliada para verificar seu estado. Ela não estava nada bem, seu corpo estava repleto de hematomas, queimaduras de sol e outras um pouco mais sérias, o sangue manchava mais da metade do seu corpo e era evidente os sinais de desidratação na mulher que já devia estar ali naquele deserto há algum tempo. Quando ela falou que Bell poderia estar morto, Aaron sentiu um choque de realidade, pois outra vez a história estava se repetindo, outra vez ele estava perdendo seus companheiros… E outra vez a Rosa Negra estava envolvida.

Algo dentro do ruivo lhe dizia que ainda dava tempo, uma sensação de esperança como a que tem com Diana, mas no caso de Bell era um pouco mais de confiança no poder do seu parceiro do que esperança de que ele teria conseguido sobreviver. Ao olhar para Alubarna seria possível ver as nuvens de fumaça que se erguiam dela em direção ao céu, um claro sinal de destruição, algo estava acontecendo lá e ele não podia perder tempo se quisesse saber o que Bell havia aprontado na cidade, por isso sem tempo para cuidar dos ferimentos de Vayu, o ruivo apenas a absorveu para o seu pântano e pediu para que Isis fizesse o mesmo, mas antes que pudesse entrar em contato com a rainha, Aaron a veria correndo às pressas para as escadarias da cidade, atitude imprudente, mas previsível de alguém que é responsável pela segurança do povo dessa ilha.

Se o plano de Aaron era ser discreto ao entrar na cidade, Isis havia estragado isso no momento que saiu na frente, adentrando primeiro a confusão que estava rolando em Alubarna… E não era pouca coisa, um verdadeiro caos havia se instalado ali e era impossível até mesmo para Isis dizer quem estava lutando contra quem. Era uma verdadeira guerra civil. Cidadãos estavam lutando contra guardas e guardas estavam atacando possíveis assassinos da Rosa Negra e os assassinos da Rosa Negra matando cidadãos. Casas e prédios estavam pegando fogo ou em destroços, mortos e feridos por todos os cantos, mas sem dúvida nada chamava mais atenção que o palácio real coberto pelo fogo e o principal motivo pelo qual uma nuvem de fumaça estava se formando no céu.

- HEY! AQUELA É A RAINHA ISIS?! - Gritou um civil qualquer ao ver Isis correndo pelas ruas da cidade completamente espantada com o que via.

- DESGRAÇADA, ONDE VOCÊ ESTEVE ESSE TEMPO TODO ENQUANTO ESTAMOS SENDO ATACADOS?! - Falou um segundo cidadão completamente enfurecido apontando uma espada para ela. Isis estava tão em choque que nem conseguiu responder.

- Calma, ela ainda é nossa rainha! - Disse um terceiro homem, tentando abaixar a espada que foi apontada para Isis.

- NÃO, NOSSO LÍDER É AQUELE QUE ESTÁ LUTANDO POR NÓS, MORRA EM NOME FARAÓ, NEFERTARI ISIS! - Gritou ele avançando na direção de Isis para atacá-la com sua espada.

Aaron poderia ver a cena acontecendo de onde estava, se quisesse impedir o civil de atacar a rainha ele teria que se apressar, mas caso ele não tivesse a menor intenção de salvá-la, caso ache que ela não lhe será útil para nada, poderá deixar que aquele homem mate a rainha e realize o desejo dela de pôr um fim a família Nefertari… No entanto, havia ainda algumas curiosidades a respeito do que o cara havia dito, como por exemplo quem é esse tal faraó que ele mencionou? E se Nefertari Isis é a única integrante da família real, o que aquela mensagem recebida pelo Den Den Mushi queria dizer com “já estamos com a coroa”?

OFF:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
(Link da ficha na imagem)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Marciano
Emissário da Morte
Emissário da Morte
Marciano

Créditos : 48
Warn : 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 6010
Masculino Data de inscrição : 15/09/2014
Idade : 26
Localização : Na Monstrolandia...

7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 EmptySab 16 Mar 2019, 17:26


Emissário da Morte

Cidade de Rainbase

A princípio minha estratégia possuía êxito. No entanto, um certo preço era cobrado para tal exatidão tática. O maldito, sabendo que sua fuga era quase impossível, utilizou ataques a queima roupa com o proposito de que eu lhe solta-se. Entretanto, mesmo com a dor percorrendo meu tórax devido as chamas intensas, não lhe soltava de jeito nenhum. Apesar de eu receber sério danos com seus ataques, o oponente também sofria com os impactos pela cidade.

Observava aquele humano que dizia se chamar Giovanni, um dos quatros espinhos da Rosa Negra. Como suspeitava... aquele desgraçado era alguém de rank elevado na organização. ~ Hunf! Apesar das palavras sarcásticas do maldito, não me importei nem um pouco e apenas continuava a lhe fintar nos olhos com uma gana inabalável.

O inimigo retribuía o olhar e demonstrava de fato não ser iguais aos outros insetos aos quais havia enfrentando outrora. As palavras se tornavam um tanto mais arrogante conforme o Espinho dialogava. Todavia, logo ao direcionar meus olhos para o alto, vislumbrei os verdadeiros poderes ocultos daquele desgraçado.

~ Por mil demônios! Não pude evitar as palavras ao presenciar uma enorme bola de fogo maciça que cobria grande parte do céu e emanava um calor infernal. ~ Entendo! Veio me enfrentar possuindo em mente o horário que mais lhe fornece poder, para assim ter vantagem em combate caso necessário... nada mal! Diria esboçando um pequeno sorriso, apesar da situação estar deveras contra mim. Mas eu me pergunto... se ele disse que nesse horário ninguém é mais poderoso que ele, mesmo em sua organização, e eu vier a lhe derrotar... significa que meu poder superou até mesmo o mais forte da Rosa Negra e, inclusive, o de Byakushi.

~ Kyahahahahaha! Interessante! Era inevitável tais palavras serem proferidas pela minha parte, já que, havia possuído uma epifania nesse exato momento. Isso era um teste da Deusa! Ela havia colocado alguém tão poderoso quanto Byakushi exatamente para eu dominar meus poderes e assim ultrapassá-lo e enfim ceifar sua vida, mas não antes é lógico, ceifar a de Giovanni.

Conforme refletia sobre a inusitada aparição, como também no exato horário que seu poder estaria no auge de seu nível e logo perceber que era um teste de minha Amada, quanto mais observava o Espinho mais seu poder aumentava, ratificando meu pensamento referente seu poder. Amaldiçoava aquele clima da ilha, mas quem diria que ele seria nada comparado a zona infernal ao qual me encontrará, devido aos poderes de Giovanni.

O vapor ardente que incinerava os destroços da cidade como também fazia parte da população ser torrada pelo notável calor escaldante. Meu corpo recebia aquelas rajadas de vapor, mas minha tenacidade prevalecia. Se fosse qualquer outro, certamente já haveria sucumbido com esse clima. Os ferimentos em meu corpo pareciam sumir, ou melhor dizendo, eram reprimidos devido minha resiliência estar focada naquela cálida bafagem.

A frase dita pelo Espinho era direta, invertendo as situações de momentos atrás. Tsc. Desgraçado! Estava sendo bombardeado e não me referia as suas chamas, mas sim pela cólera que expandia por dentro de meu ego. A fúria não era pelo fato de ter subestimado meu inimigo, afinal... não havia, o que uma vez que outra ocorre. Era simplesmente por crer que Byakushi seria o mais poderoso da organização. Talvez no fim... eu tenha subestimado em si a Rosa Negra. De qualquer forma, agora já não importa mais. Está na hora de evoluir novamente! E, mostrar para esse maldito e a sua organização o motivo de eu ser o vassalo da morte! O motivo de eu ter sido escolhido por ela. Como provar para minha Amada que dominarei os poderes dados a mim por ela.

O ímpeto mesclado com a fúria emanava de minha alma incessantemente. Era como uma sublime sinfonia, mas que também apresentava uma apurada agressividade. ~ Se é tudo que consigo fazer? Proferia ao pisar um passo a frente de forma brutal. ~ Quanta audácia! Deixe-me lhe mostrar, espinho! Mostrar o poder da Calamidade Morte! Terminaria de proferir enquanto aquela enorme bola repleta de chamas seguia em minha direção.

Era inegável a dor que percorria meu corpo, mas jamais poderiam abalar minha feroz determinação. Meu corpo, meu espirito e cada pedaço de mim rugiam de forma indômita. Apesar do meu lado selvagem querer predominar meu lado racional, ainda permanecia no controle. Não iria apelar para isso, por enquanto.

A esfera destruía quase tudo que atingia e, obviamente, não recuaria. Jamais recuei! Jamais desonrarei minha amada com tamanha afronta. Apenas tática não daria certo perante aquele poder. Entretanto, muito provavelmente eu seria o único com a habilidade que poderia simplesmente neutralizar o ataque inimigo, ou melhor dizendo... defleti-lo. Era uma boa oportunidade para testar os limites de minhas capacidades e doma-las para bel prazer da Deusa.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Já havendo em mente quais seriam minhas opções, que seria: recuar, defender ou atacar, pelo menos a grande maioria encontraria tais possibilidades. Mas para mim? Com meu intelecto, poderia unificar duas possibilidades em apenas uma. Mas antes de iniciar minha tática, começaria rapidamente a trabalhar minha respiração para buscar ativar uma de minhas técnicas que me permitissem atingir um novo patamar de foco, precisão e exatidão. ~ Fumetsu Gyojin Karate! Daikokyuu! Ao pronunciar o nome da técnica, expiraria profundamente e em seguida respiraria exageradamente. O máximo que meu corpo conseguisse acumular de oxigênio para enfim concluir a ativação de minha técnica. Em pouco tempo uma aura é visivelmente avistada como também dissipada.

Com Daikokyuu ativo avançaria desenfreadamente em direção a bola flamejante. Dispondo de meu estilo de combate especializado e conciliando a Nikyu Nikyu no mi com intuito de harmonizar minha investida de maneira que atingisse uma defesa impecável, ou seja, basicamente um ataque que geraria uma defesa e que permitiria outro ataque. Agregando meus conhecimento em física, armadilha e estratégia para possuir em mente uma rota de fuga especificamente para lateral, como também beneficiando-me de minha aceleração nata e manifestando Kenbunshoku no Haki para enfim desferir um ataque em um ângulo onde colidisse com a palma de minha mão a parte diagonal da esfera de fogo, buscando um ângulo que direcionasse como assim eu almejaria, e assim tentaria defletir de maneira mais rápida e precisa possível para o lado direito, me beneficiando é óbvio de minha técnica que expandia minha destreza em combate.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Havia uma boa possibilidade de o inimigo achar que eu recuaria ou tentaria resistir aquele ataque. Mas ele esperaria uma investida com tamanha ofensividade de maneira que gerasse uma defesa como essa minha? Lógico que não! Entretanto, consideraria que meu adversário poderia também esperar alguma tática desse gênero, apesar de eu achar bem improvável. Porém, como diz o ditado: antes prevenir do que remediar.

Caso obtivesse êxito em defletir a enorme bola de fogo, sem saber com precisão se demandaria muito esforço, no entanto, apresentando desfrutar de meus músculos para gerar força na hora do impacto e assim manifestar as notórias capacidades de meus poderes demoníacos, continuaria minha investida contra Giovanni com acelerados Dash’s, mas que ao invés de seguirem em linha reta, buscaria uma investida inclinado para a lateral do Espinho. ~ Você teme a morte, Espinho? Proferia assim que me aproximasse do inimigo enquanto meus punhos assumiriam formas especificas de Karatê.

O punho esquerdo em forma de “Teisho” enquanto o direito em forma de “Kumade”, tentaria atingir de cima para baixo o crânio do adversário, devido minha vantagem de envergadura, e em sequência com o punho direito, antes mesmo do inimigo atingir possivelmente o chão, colidiria com minha força já quase atingindo o ápice do momento, para então enterrar a cabeça do Espinho. Já estava alta a adrenalina como também minha fúria em busca de ceifar aquele desgraçado, exatamente por isso atacaria antes mesmo de me preocupar com o impacto que aquela enorme bola de chamas acarretaria. Por fim, atingiria com ambas as mãos unidas de maneira que enterrasse ainda mais a cabeça do Espinho naquele solo desértico.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Possuindo êxito em minha ofensiva e havendo em mente a explosão que aconteceria, utilizaria alguns saltos para trás e observaria com Kenbunshoku no Haki os destroços junto com aquele maldito calor para então utilizar as patas para redirecionar os destroços e calor que pudessem chegar a me atingir. Apesar de confiar bastante em minha resiliência, os danos que já havia recebido de Giovanni eram diversos. Tsc! Esse maldito realmente é forte. Mas é exatamente por isso que vale a pena mata-lo e enviar sua alma para minha amada, certamente ela apreciará. Apesar de que só por ele ser da Rosa Negra e por ter cruzado meu caminho, sua morte é inevitável.

Caso Giovanni conseguisse esquivar de meus ataques e visse a me atacar, tentaria analisar seus golpes de maneira ágil e assim manifestar meu Haki da Observação e tentar estar um passo à sua frente, devido minhas capacidades analíticas que se interligam no meu estilo de combate especializado, para então bloqueá-los com a Nikyu Nikyu no mi e assim defleti-los e, se possível, atrapalhar a investida do inimigo, afinal... ele certamente ficaria confuso com seus ataques sendo direcionados para lados opostos e contra ele mesmo, dependo dos ângulos.

Caso surgisse uma abertura em algum ataque dele ao ser defletido pelos coxins, se possível, avançaria de maneira bruta com golpes na cabeça para definitivamente lhe causar sérios danos. Atingir seu corpo seria perda de tempo, já que, poderia criar chamas que dificultariam meus ataques. Exatamente por isso focaria num ponto mais pratico para lhe gerar poderosos danos. Desfrutando ao máximo minha técnica Daikokyuu.

Claro que estava ciente da explosão que, talvez não de imediato, mas que logo eclodiria naquela cidade. Devido a isso, se fosse impossível me focar no combate contra Giovanni e defender os possíveis destroços do impacto, utilizaria o Tekkai para diminuir ou neutralizar os danos que viessem. Todavia, estava convicto de que usando meu estilo de combate especializado, minha técnica focada em precisão, neutralizar os destroços que surgisse após a explosão não seria algo árduo de se fazer.

Havia a possibilidade de Giovanni tentar me atacar em algum momento que eu estivesse me defendendo da explosão, sem ele se importar em ser atingido pelo impacto, possuindo isso em mente, tentaria usufruir e abusar ao extremo de meu Haki da Observação com proposito de bloquear os golpes do Espinho, independe de quais fossem. Socos, chutes, chamas... qualquer que viesse, usaria as patas para redirecionar para ele mesmo com seu próprio dano. Exigiria bastante focar no combate e na explosão, mas não era algo impossível. Principalmente para mim, o portador da Morte.


HISTÓRICO


Posts: 12

Vantagens: Pele Escorregadia, Aceleração, Audição Aguçada, Visão Aguçada e Liderança.

Desvantagens: Monstruoso, Desprivilegiado, Devoção, Obsessivo, Fantasia e Má Fama: Calamidade Morte.

Perícias: Anatomia Humana, Psicologia, Estratégia, Interrogatório, Lógica, Armadilha, Intimidação, Física.

Nikyu Nikyu no Mi: Level 1

Tekkai:  Level 2

Kenbunshoku no Haki: Level 1

Haoshoku no Haki: 01/10


Ganhos: Ferimento no tórax (indefinido pelo narrador);
Queimaduras pelo corpo (indefinido pelo narrador);

Perdas: 1 den den mushi;

NPCs/Players:
~ Husani, líder revolucionário.
~ Giovanni, um dos 4 Espinhos da organização Rosa Negra.

Objetivos na Aventura:
~ Conquistar/Destruir Yuba/Alabasta.
~ Perícia Geografia.
~ Perícia História.
~ Perícia Meteorologia.
~ Matar Byakushi.
~ Vingança contra a Rosa Negra.






Fumetsu Gyojin Karate:
 

Estilos de Punhos do Karatê:
 

OFF:
 

____________________________________________________

~Fala / Narração

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Conquistas:
 


Última edição por Marciano em Dom 17 Mar 2019, 03:10, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty
MensagemAssunto: Re: 7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!   7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse! - Página 4 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
7º Capítulo - A Guerra do Apocalipse!
Voltar ao Topo 
Página 4 de 15Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5 ... 9 ... 15  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Grand Line - Paradise (Paradaisu) :: Alabasta-
Ir para: