One Piece RPG
Azazel XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Hello darkness my old friend...
Azazel Emptypor K1NG Hoje à(s) 21:30

» Ato 157: Se eu quisesse tua opinião, Eu tirava na Porrada
Azazel Emptypor Dante Hoje à(s) 21:28

» Vol 1 - The Soul's Desires
Azazel Emptypor Arthur Infamus Hoje à(s) 21:07

» Evento Natalino - Amigo Secreto
Azazel Emptypor Blum Hoje à(s) 20:15

» Caçadoras Eternas: Almas entrelaçadas!
Azazel Emptypor Alek Hoje à(s) 20:08

» Wu-HA!
Azazel Emptypor ADM.Tidus Hoje à(s) 19:36

» [MINI-Koji] Anjo caído
Azazel Emptypor Proto_ Hoje à(s) 17:39

» Sorte ou Azar? Uma Ascensão Pirata!
Azazel Emptypor ADM.Tidus Hoje à(s) 17:12

» The Hero Rises!
Azazel Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 17:09

» VIII - The Unforgiven
Azazel Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 16:37

» A primeira conquista
Azazel Emptypor Misterioso Hoje à(s) 15:42

» 10º Capítulo - Parabellum!
Azazel Emptypor Marciano Hoje à(s) 14:09

» Blues, Bourbon e balas
Azazel Emptypor ReiDelas Hoje à(s) 13:35

» II - Growing Bonds
Azazel Emptypor Teo Hoje à(s) 13:34

» Mess in Grand Line: The Red-Haired Arrived
Azazel Emptypor Akise Hoje à(s) 11:57

» Meu nome é Mike Brigss
Azazel Emptypor Oni Hoje à(s) 10:37

» Cindy Vallar
Azazel Emptypor Oni Hoje à(s) 08:56

» Que tal um truque de mágica?
Azazel Emptypor Veruir Hoje à(s) 08:56

» Mao di Lut Ima
Azazel Emptypor Alek Hoje à(s) 04:24

» [Mini] Albafica Mino
Azazel Emptypor Albafica Mino Hoje à(s) 03:42



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Azazel

Ir em baixo 
AutorMensagem
Kerigus
Agente em Treinamento
Agente em Treinamento
Kerigus

Créditos : 74
Warn : Azazel 10010
Data de inscrição : 13/09/2015
Idade : 30

Azazel Empty
MensagemAssunto: Azazel   Azazel EmptyQua 21 Nov 2018, 22:42

~ PESSOAL ~


Nome: Azazel
Idade:16 Anos
Altura: 1,91 M
Peso:83 Kg
Mão predominante: Ambidestro
Sexo: Masculino
Raça: Celestial
Tamanho/Espécie: Normal
Origem: Ilha do Céu
Localização: East Blue - Organ Island
Grupo: Civil


~ ATRIBUTOS ~


(Começa com 10 pontos, BÔNUS RACIAL EM AZUL E BÔNUS DE EDC EM VERMELHO)

LEVEL: 1
EXP: 10/25
BERRIES: 50.000

HP: 44
SP: 62

DANO: 6 + 2= 8
ACERTO: 2+2 = 4
PONTARIA: 0
ESQUIVA: 2+ 3 = 5
BLOQUEIO: 0
RESISTÊNCIA: 4 = 4
PERCEPÇÃO: 2 = 2
MANIPULAÇÃO: 3 = 3
VELOCIDADE DE ATAQUE: 3 = 3


KENBUN-SHOKU HAKI

Citação :
LEVEL: -X-
EXP DO PODER: 000/050
BUSOU-SHOKU HAKI

Citação :
LEVEL: -X-
EXP DO PODER: 000/050

~ ESTILOS DE COMBATE ~

Citação :
• Estilo de Combate: Ceifador
LEVEL DE COMBATE: 1
EXP DE ESTILO: PRIMÁRIO NÃO POSSUI EXP

~ Perícias ~
Citação :

• Diagnose
• Farmácia
• Primeiros Socorros
• -X-
• -X-

~ Ofícios ~
Citação :

• Médico
• -X-
• -X-
• -X-
• -X-
• -X-

~ FAMA & REPUTAÇÃO ~

Photoplayer:

Imagem:
 

(imagem de um personagem DESENHADO no qual você baseou o seu)
Alcunha: O Monstro
Recompensa:
Citação :
LINK DOS JORNAIS:
~ AKUMA NO MI ~

Citação :

Nome:
Tipo:
Energia:
Bonificação:
~ EQUIPAMENTOS ~


• ARMA(S)
-Nome:
Bônus:
Dano:
Requerimentos:
Custo:

• CABEÇA
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• TRONCO
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• BRAÇOS
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• MÃOS
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• PERNAS
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• PÉS
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

~ INVENTÁRIO~

(MÁXIMO DE 10W)

~ EMBARCAÇÕES ~

Nome:
Tipo:
Descrição:
Velocidade:
Número de tripulantes máximos acomodados:
Lotação máxima no transporte:
Número de ilhas sem precisar reabastecer:
HP:
Canhões:

~ TÉCNICAS ~

• -X-
• -X-
• -X-
• -X-
• -X-

~ TÉCNICAS SUPREMAS~

• -X-
• -X-
• -X-


~ EXTRAS ~


APARÊNCIA:  Azazel é um jovem muito alto para uma pessoa comum de 16 anos, possui 1,91 metros de comprimento e em suas costas pode-se ver bem assas de anjo, características de sua especie, pesa 83 quilogramas bem distribuídos em seu corpo, pois não possui músculos incrivelmente grandes, porém, mesmo assim tem uma força imensa, tendo uma presença imponente, além de ao mesmo tempo assustadora. Ele usa uma camisa com capuz na cor marrom e com uma seta negra apontada para cima, onde se encontra o zíper para abrir a camisa, além de uma calça vermelha e uma bota preta. Todo o seu corpo está coberto de bandagens que são usadas para esconder sua pele deformada. Carrega com ele uma foice comprida e negra, dada pelo homem que o acolheu no orfanato, para que se defenda caso for necessário. Embora não seja possível ver sua pele por culpa das bandagens é possível ver seu cabelo preto por dentro do capuz, pois este cobre bem o seu rosto pela frente, chegando até seus ombros. Seus olhos tem o contorno afilado e possuem a coloração interna na cor vermelha como sangue.
(Pede-se no mínimo cinco linhas, entretanto não há limite.)

PERSONALIDADE:  Azazel costuma falar em linguagem chula. Ele ocasionalmente jura nas situações em que está, e dificilmente respeita algo só por ser "santo". Sempre de mau humor, dificilmente se comporta de maneira educada ou mesmo respeitosa com alguma pessoa e ou lugar, exceto quando alguém realmente próximo a ele pede que ele fique mais "comportado".

Aparentemente, pode-se considerar que azazel não seja academicamente inteligente, pois ele é, para aqueles que não o conhecem realmente, muito mau educado e até mesmo ignorante, porém, ele tem muito conhecimento em relação a medicina e é rico em inteligência instintiva / de sobrevivência, onde confia em seus instintos para lidar com situações. O que confirma o como ele foi capaz de sobreviver quando criança, e até agora. E talvez possa até ser descrito como um animal de certa forma.
Azazel também é extremamente forte e rápido, sendo capaz de lutar a taxas de velocidade incríveis, o jovem também é muito brutalmente honesto, na maior parte dos casos, já que ele odeia pessoas que mentem ou fingem ser quem não são para impressionar e enganar outras pessoas, além do fato dele sempre ser direto com seus sentimentos em relação a como seu humor esta naquele determinado momento. Ele também odeia ver crianças ou animais indefessos sofrerem, pois isso lembra o quanto ele sofreu em seu passado.

Azazel entrou em acordo com ser visto como um monstro, devido a sua aparência e a tudo que causou as pessoas ao seu redor, aceitando-o esse fato ele é capaz de se ver como "normal", além de no presente conseguir viver tranquilamente com seus novos companheiros que conheceu no orfanato e o aceitaram mesmo assim. Assim, embora todo o amargor e ódio que recebeu das pessoas ao seu redor durante sua vida, fator que reflete fortemente em sua personalidade, Azazel é capaz de continuar vivendo em função de ajudar aqueles perseguidos pelos que se consideram superiores e aventurar-se pelo mundo com seus amigos do orfanato, os quais respeita e protege sem pensar duas vezes.

(É necessário que se faça no mínimo algo entre cinco linhas, entretanto não há limite.)

HISTÓRIA:

Era mais uma manhã monótono em Organ Island, o sol brilhava forte e o vento soprava levemente por toda a cidade, os cidadãos passeavam tranquilamente pelas ruas, ao mesmo tempo em que fazia suas atividades diárias. Entre estas pessoas, estava um conhecido médico da ilha, seu nome era Victor Reiss ou como é mais chamado na região Dr. Reiss, o mesmo estava a caminhar pela costa em apenas mais um de seus muitos passeios que fazia para procurar algo que ajudasse suas pesquisas, porém, no alvorecer daquele dia, ele viu uma criança deitada inconsciente na areia da praia, ao se aproximar lentamente daquilo, percebeu logo que não era um ser humano, pois aquilo tinha asas como as de um anjo em suas costas, o homem impressionado abriu um sorriso amedrontador no rosto e se aproximou mais ainda, assim percebendo que o ser em questão era um jovem menino, usando nada mais que um par de roupas rasgadas, além do fato de estar muito magro ou mesmo quase desnutrido, tendo em torno de 1,30 metros de comprimento, um curto cabelo negro e aparentava ter no máximo dez anos de idade, além de que ele estava muito ferido, tendo provavelmente perdido muito sangue. Quando entendeu a situação em que aquele jovem se encontrava, o homem ficou nervoso e de forma muito apressada pois a criança em seus braços, assim correndo em direção a sua casa para tratá-lo.
Depois de dois dias adormecido o jovem acorda assustado, ele estava deitado sobre uma cama com algumas cobertas em cima de seu corpo, em algum lugar que não conhecia, ao observar o local, percebe que é um quarto grande, consegue ver uma enorme prateleira cheia de remédios, além de um grande armário, com mais remédios e muitos materiais usados na medicina dentro dele, além de mesas de cirurgia. Próximo do menino havia um homem usando um jaleco branco, com cabelos bagunçados e um óculos em seu rosto, o mesmo está sentado em uma cadeira de madeira com o olhar direcionado ao jovem, estando representado em seu rosto um sorriso aliviado e caloroso. O rapaz fica sem compreender o porquê da expressão daquele homem, enquanto se mantém amedrontado, ele se encolhe contra a parede e logo em sequência cobre com a coberta quase todo o seu corpo, deixando apenas seus olhos, de cor negra, arregalados em direção ao homem. Percebendo o estado psicológico em que a criança se encontra, Victor mantém sua expressão fixa, falando de maneira lenta e com tom suave, ao mesmo tempo em que evita se mexer ou fazer algo que possa assustar mais ainda o menino:
- Se acalme, você está seguro aqui.
- Não precisa ter medo, tudo bem?
O jovem escuta as palavras de Victor e observar sua postura inofensiva, percebendo que ele não pretende fazer nada de ruim, assim, seu corpo começa a relaxar, fazendo a criança retirar lentamente as cobertas de seu rosto, enquanto se mantém olhando para o médico. O clima entre os dois começa a ficar mais "leve", sentindo-se mais seguro com a "aura" transmitida pelo homem ao menino, o mesmo faz uma pergunta, com um tom ainda de receio e um olhar ainda amedrontado, ele diz:  
- Quem é você?
Ao ouvir as palavras do menino, o coração do homem se enche com um sentimento diferente, algo que nem o próprio sabe explicar, ele segura essa sensação para que seu sorriso não se "deforme" e responde gentilmente a pergunta do menino logo em seguida:
- Eu?
- Bem, meu nome é Victor Reiss, eu sou um médico dessa ilha e aqui onde estamos é a minha casa.
- E você, quem é?
Estranhamente, ao ouvir a pergunta de Victor, o menino percebe que não sabe a resposta, ele tenta lembrar de seu passado, enquanto seu olhar fica fixo na direção do médico, porém não é um olhar "focado" no mesmo, deixando claro que ele está pensando. Alguns minutos se passam e lágrimas começam a escorrer dos olhos do rapaz ao mesmo tempo em que ele olha para suas próprias mãos feridas e tremendo, levando o homem a mudar sua expressão para um olhar aparente de preocupação, porém no momento em que tenta falar algo para acalmar novamente o jovem, ele apenas escuta novamente a voz do menino, enquanto ele fala em um tom apavorado, porém mantendo sua voz baixa:
- Eu não sei senhor.
- Eu não consigo lembrar nada, nem mesmo meu nome.
- Pai. Mãe. Estou com medo.
Assim que encerra estas palavras, o jovem coloca suas mãos trêmulas em seus olhos bruscamente e começa a chorar, com muito mais intensidade, ao ver essa cena, Victor se levanta rapidamente da cadeira em que estava e abraça o menino, enquanto seu tom de risada se confunde com um de um choro, ele fala:
- Não se preocupe pequeno.
- A partir de hoje, eu vou cuidar de você.
Depois de alguns dias cuidando do menino, Victor descobriu pela cidade que um barco transportando escravos tinha sido atacado no mar perto da ilha, assim concluiu que pelo estado da criança e esse acontecimento, ele era um dos escravos daquele navio e sofreu algum tipo de ataque que deve ter o deixado inconsciente e por um milagre o mar o trouxe para a costa, mas ao preço de suas memórias. Porém, o médico manteve segredo de suas descobertas do jovem, para que este não decidisse tentar encontrar seu local de origem e fugisse dele, assim, Victor começou a criar a criança como seu filho e o chamou de Azazel. Ele deu ao menino roupas novas e brinquedos para usar no seu tempo livre, além de que passou a lê ensinar medicina em sua própria casa e o levar constantemente junto em seu trabalho, para que assim o jovem construísse uma experiência prática mais rápido.  
Ao passar de seis meses, Azazel já havia se acostumado totalmente com sua nova vida, ele brincava com as crianças na cidade, se dedicava aos seus estudos, tendo a maior parte de suas feridas saradas e sua saúde recuperada por completo, além do fato de ter um "pai" cuidadoso e muito gentil, no qual confiava totalmente, era uma criança alegre e feliz. Um certo dia em sua casa, Victor começou a dar uma dose diária de um tipo de soro a Azazel, soro esse que dizia o próprio médico, ter a propriedade de curar totalmente todas as suas feridas, além de fazer com que ele se tornasse mais forte e saudável, o menino começou a tomar o soro sem reclamar e de muito bom grado, no entanto, com o passar de alguns dias, em certos pontos na pele do jovem, começaram a aparecer pequenas feridas, não eram feridas que interferissem em sua saúde, muito menos mobilidade, mas esteticamente eram horríveis. Com o passar de alguns meses, o corpo de Azazel estava basicamente tomado por essas feridas e  junto com elas, quase que simultaneamente, uma força física enorme parecia ter despertado no garoto, assim como uma incrível agilidade, além de mudanças drásticas em seu físico, como um crescimento rápido em relação a sua altura e seus olhos que antes eram negros, se tornaram vermelhos.
Ao passar do tempo, o menino se encontrasse com seus onze anos de vida, mas ele tinha uma altura de 1,60 metros de comprimento, além das mudanças que o efeito do soro já haviam lê proporcionado, com todos esses acontecimentos em tão pouco tempo, as pessoas a sua volta começaram a ignorar Azazel ou até mesmo implicava com ele, caso o mesmo cruzasse o caminho delas, pois tinham medo de ficar como ele, caso chegassem muito perto. Porém, quando chegava em casa e contava das coisas que sofria no cotidiano a Victor, o mesmo dizia ao jovem que isso era inveja de sua força e de como ele tinha se tornado incrível, o garoto foi sempre fiel e acreditava nas palavras do médico, pois era a única família que tinha, além do fato dele confiar plenamente em seu "pai". Depois de dois anos terem se passado, Azazel tinha treze anos apenas e já tinha 1,90 metros de altura, além de muito mais força e habilidade física que a maior parte dos adultos de sua região, o mesmo também já havia lutado com diferentes pessoas e até mesmo quase matado algumas. Muito graças ao tempo, os insultos, as provocações e as diversas agressões que sofria diariamente por ser "Horrível" em questão de aparência, sua personalidade mudou totalmente, passando ele de um rapaz gentil e honesto, para alguém violento e "mau educado". Passou a ser conhecido em toda a cidade como "O monstro ", um ser violento, que atacaria qualquer um que tentar se aproximar dele, não tendo amigos e muito menos alguém para amar, porém, em meio a toda a miserável vida que vinha levando, o único ser que ele tratava com respeito e gentileza, era Victor, o homem que o adotou e o criou com tanto "amor" e "carinho".
Em uma certa manhã, Azazel, estava cheio das pessoas ficarem olhando tanto para ele, que o mesmo cobriu seu corpo inteiro com ataduras e vestiu uma camisa casaco, além de uma calça comprida e botas. Sempre que tentava esconder suas feridas, Victor o impediu e dizia para que ele nunca o fizesse, mas naquela manhã, o médico havia saído, deixando espaço para o rapaz fazer algo que sempre quis. Ao sair na rua, o garoto percebeu que com as ataduras no corpo e a roupa comprida, as pessoas a sua volta pararam de ficar encarando seu corpo tanto tempo, elas apenas olhavam para a figura em questão e logo viravam o rosto, esta reação deu a Azazel um sensação incrível de "liberdade", levando o próprio a depois de anos, sorrir por um dia.
Mas, ao chegar em casa, no momento em que abriu a porta, entrou em casa e fechou a porta, encontrou  Victor parado no meio da casa olhando diretamente pra ele, com um olhar que ele nunca tinha visto antes, não era apenas um rosto furioso, era uma expressão de ódio uma expressão de extremo desgosto e fúria, ele estava revelando finalmente sua verdadeira natureza. Ao ver aquilo, Azazel entrou instintivamente em posição de combate e começou a suar frio, porém o mesmo se manteve estático, paralisado pelo medo, enquanto os dois se olhavam, Victor começou a caminhar lentamente em direção ao rapaz, enquanto falava com um tom de voz amedrontador:
- Porque você está assim Azazel?
- Porque caminhou pela cidade com essa aparência?
- Você esqueceu tudo que eu fiz por você?
Ao encerrar sua frase, o médico estava parado na frente do rapaz, que olhava para Victor imóvel, sem saber como reagir àquela situação, o lugar fica silencioso por alguns momentos, até que subitamente, Victor segura forte com as duas mãos no pescoço de Azazel, enquanto fala gritando em seu rosto e aperta seu pescoço em um ataque de fúria:
- Seu maldito miserável, sabe o quanto de trabalho deu pra te deixar assim!?
- Foram anos de pesquisa, noites em claro!
- E quando finalmente apareceu a cobaia perfeita, quando o experimento tinha dado certo.
- Você esconde a marca do meu sucesso com essas faixas imundas.
- Seu moleque desgraçado.
- Você é realmente um monstro sem coração!
Enquanto ouvia tudo que era dito por aquele que tinha sido um "pai" para Azazel, algo dentro de si começava a desmoronar, até que a palavra "monstro" foi dita por Victor, no instante em que o som da voz de Victor chega aos ouvidos de Azazel carregando essa palavra, uma sensação corre por todo o corpo do rapaz, um sentimento mais forte e profundo que toda a raiva que ele havia sentido em todos os anos em que andou pela cidade com suas feridas a mostra, começou a circular por todo seu corpo, naquele exato momento, ele tinha conhecido o desprezo, em sua mais pura essência, ele desprezava aquela casa, desprezava todas as formas de vida que conheceu, desprezava a roupa que vestia, desprezava Victor e acima de tudo, desprezava ele mesmo. Tomado por esse sentimento devastador, o corpo de Azazel voltava a se mexer, assim, ele coloca as palmas de sua mão logo abaixo dos punhos de Victor e acima de seus cotovelos, enquanto aperta com muita força para Victor soltar seu pescoço.
A força de Azazel era tanta, que os braços de Victor se quebram naquela posição, levando ele a soltar imediatamente o pescoço do jovem, se afastando um pouco dele enquanto grita de dor, o médico ainda mais furioso olha diretamente para os olhos do jovem com seu rosto vermelho e com lágrimas escorrendo em sua face devido a dor de ter seus membros quebrados. Ao fazer isso, dessa vez, Victor ficou paralisado de medo, pois ele viu um olhar frio e obscuro, ele observa estático Azazel e percebe que ele estava com seu rosto levemente inclinado, além de uma "aura" impiedosa em sua direção, levando o médico a entender que o jovem estava desprezando ele de uma maneira assustadora, nunca antes vista em toda sua vida. Azazel estava em silêncio, ele apenas olhava nos fundos dos olhos de seu "pai", enquanto todos os sentimentos que sentia naquele momento, eram transmitidos de forma esmagadora a Victor.
Após mais algum tempo de "silêncio" no lugar, Azazel para de encarar Victor e fica em posição de batalha, com sua perna direita para trás em relação ao seu corpo e seu pé esquerdo virado na horizontal, ao ver aquela cena Victor tenta andar lentamente para trás, ao mesmo tempo em que pede que o rapaz se acalme, mas isso tudo é em vão, pois rapidamente Azazel "arranca" para cima do médico, cobrindo a distância que separava os dois em segundos, no momento em que Victor está ao alcance de Azazel, o rapaz inflige um poderoso soco com sua mão direita, bem na cara de seu "pai", fazendo o mesmo ser arremessado e caiu um pouco mais a esquerda do rapaz. Victor cai no chão gritando e se debatendo pela dor do golpe, além da dor acumulada pelo seus braços quebrados, ele tenta se levantar em pânico, mas Azazel rapidamente chega até sua posição e coloca a sola de sua bota, bem na garganta do homem, impedindo que ele se levante e pressionando com força o local. Azazel olha para Victor e antes de esmagar sua garganta, ele pergunta em um tom de voz baixo e com a voz pesada:
- Porque?
O médico escuta a pergunta do rapaz e nota que o peso em sua garganta diminui momentaneamente, assim Victor, mesmo com toda a dor que sentia naquele momento e a situação de morte iminente em que se encontra, ele faz um olhar tranquilo e orgulhoso, ao mesmo tempo em que diz de forma extremamente calorosa e gentil:
- Porque eu te amava.
Ao ouvir as palavras de seu "pai", os olhos de Azazel escorrem lágrimas, embora seu olhar amedrontador se mantenha, levando o rapaz a desfazer lentamente a face que fazia, apertando seus lábios para não chorar, enquanto seus olhos escorrem lágrimas e seu corpo começa tremer, ele junta todas as forças que lhe restavam naquele momento e diz com uma voz trêmula e um forte tom de tristeza:
- Eu também.
Depois de pronunciar essas palavras,  Azazel sorri uma última vez para Victor e logo em seguida esmaga a sua garganta, matando instantaneamente o homem. Azazel tira o seu pé de cima do corpo de seu "pai" e caminha um pouco em direção a porta, mas no caminho, ele cai de joelhos no chão e libera todo o choro que havia acumulado naquele momento, junto com as lágrimas, o sentimento de desprezo, além do clima tenso no local , vai deixando o espaço para apenas uma voz de um jovem triste e sozinho, chorando pela morte de seu "pai".
Depois de um certo tempo, as lágrimas de Azazel se encerram e o mesmo começa a abrir um leve sorriso sarcástico em seu rosto, enquanto olha para suas mãos enfaixadas e trêmulas,  falando com uma voz triste e de derrota:
- Eu sou mesmo um monstro.
Ao dizer essas palavras, Azazel escuta repentinamente uma voz, era um timbre que nunca havia ouvido antes, um tom pesado e determinado, que diz:
- Não, você não.
Assim que essas palavras são ditas no local, Azazel olha para sua frente e observa que a porta estava aberta, porém, não havia ninguém em sua frente, antes que pudesse perceber, a voz falou novamente e dessa vez, ela vinha claramente de suas costas, falando:
- Você é apenas mais uma vítima desse mundo.
Antes que Azazel pudesse virar o rosto, ele sente um forte impacto na nuca, golpe esse que leva o jovem a desmaiar repentinamente.
Algum tempo passou, Azazel acordava novamente em mais um cenário que nunca havia visto, mas dessa vez, ao acordar ele se encontra sozinho em um quarto, ao observar os arredores, vê que é um quarto pequeno e que só possui uma pequena mesa de madeira no canto esquerdo do local, tendo em cima dela uma folha de papel e uma pena com tinta, além de uma cadeira de madeira posicionada um pouco atrás dela, já no canto direito, havia um pequeno armário de madeira fechado. Depois de observar o local, Azazel tenta se levantar da cama, mas percebe que suas mãos e pés estão amarrados a cama, levando o rapaz a gritar furioso, enquanto se debate com o intuito de se soltar, ainda sem entender como ele foi parar ali, ele grita pela pessoa que seria a dona da voz que ouviu antes de desmaiar:
- Me solte imbecil!
- Se não quiser morrer, apareça desgraçado!
Os gritos continuaram até o momento em que Azazel escuta o barulho da tranca da porta sendo aberta, porém, assim que o som para, a porta é aberta através de um poderoso chute, fazendo um barulho imenso e levando o jovem a se silenciar por um instante. No momento em que a porta se abre, o jovem percebe um homem com o pé esticado, ele veste uma roupa preta, sendo ela composta por uma jaqueta preta, tendo outra camisa preta mais clara por dentro e uma gravata no pescoço, observa também que o mesmo usa uma calça da cor da camisa e uma bota preta em seu pé, o homem abaixa o pé e começa a entrar na sala enquanto grita com o menino, com um tom muito irritado:
- Dá pra calar a boca?!
- Não dá pra chamar por alguém normalmente?
Ele entra no quarto, arrasta a cadeira de madeira em direção a Azazel, colocando-a em sua frente e logo em seguida se senta, enquanto o homem acende um cigarro, o rapaz olha para ele furioso pela situação em que se encontra, levando o estranho a dar um suspiro e começar a falar de forma mais calma perguntando:
- Então, o que você quer?
Ao finalizar a pergunta, Azazel fica mais furioso, pois pela situação, estava muito óbvio o que ele queria saber, mas mesmo assim ele pergunta, com seu tom furioso de sempre:
- O que mais seria seu retardo!
- Quem diabos é você e porque você me prendeu aqui nessa droga?!
O homem dá uma forte tragada no cigarro e logo em sequência coloca suas mãos nas pernas enquanto segura o cigarro, ele começa a responder a pergunta do jovem com um tom sério:
- Bem, acho que podemos começar assim.
- Meu nome é Adam e eu prendi você aqui para que não tentasse fugir.
- Afinal eu não quero que você seja preso ou acabe sumido em algum lugar.
- Sua fama já não é nada boa, depois de um assassinato então. Seria o motivo perfeito para as pessoas se livrarem de você.
Ao ouvir as palavras do homem, Azazel se acalma, ele para de forçar as amarras em seus braços e respirou fundo dando um pesado suspiro, em sequência responde com um tom de voz e um rosto sarcástico:
- E então você apareceu pra salvar a merda do garoto indefeso?
- Foi mal imbecil, mas eu não caio nessa desgraça de novo.
- Diga logo a porra do motivo de você ter me trazido aqui. (Enquanto volta ao seu rosto e tom de voz mau humorados de sempre)
Com o fim das palavras do jovem, o homem dá uma última tragada no cigarro, solta ele e pisa pra apagar o fogo, assim, Adam se levanta da cadeira e começa a desamarrar Azazel da cama, começando pelos pés até a cabeça. Logo que se solta o jovem, o homem se afasta da cama e aponta em direção a porta com o braço enquanto diz com um tom e um olhar sério:
- Já que pensa isso, pode ir embora.
- Depois que for preso, não venha me procurar.
Azazel olha para o homem parado, retira as cobertas e se levanta, ele caminha em direção a porta enquanto fala com seu tom costumeiro:
- Ainda bem que você desistiu rápido dessa merda.
- Até nunca mais idiota.
Porém, quando se afasta um pouco do homem, o mesmo grita em sua direção, no entanto, mantém sua posição, dizendo com um tom sério e furioso:
- Vai mesmo viver o resto da vida assim?!
- Só porque um desgraçado te enganou, não significa que todos os seres vivos sejam assim. Se sair por essa porta, nunca mais vai poder ser alguém normal.
- Então pare de fugir e enfrente a realidade seu idiota!
Quando Adam começa a dizer suas palavras, Azazel para no caminho e permanece ouvindo, assim que o homem termina de falar tudo que tinha para dizer, o jovem vira para ele furioso e parte para lhe acertar um soco no rosto enquanto grita:
- Do que você me chamou?!
Ao acertar o golpe na cara de Adam, o mesmo sai voando e se choca com a parede, com o homem no chão, Azazel começa a gritar furioso com homem:
- O que você acha que sabe da desgraça da minha vida!?
- Você sabe por acaso o que é viver a droga de três anos com alguém e depois descobrir que a merda dessa pessoa estava só te usando para a desgraça de um maldito experimento esse tempo todo!?
Inconscientemente, Azazel começa a desabafar com Adam, enquanto grita com um tom que mistura raiva e tristeza, dizendo:
- Eu era apenas a desgraça de uma criança. Sem porra nenhuma de memória e nem droga de lugar pra ir.
- Como eu poderia não ter confiado naquele maldito?
                                       (Alguns minutos de silêncio se seguem)
- Mas olha pra mim agora porra!(Enquanto aponta para todo o seu corpo)
- Eu me tornei a merda de um maldito monstro! e eu que só queria ter a desgraça de uma família novamente!
- Eu sou realmente um verdadeiro idiota.
No momento em que termina de dizer suas palavras, Azazel não controla as suas lágrimas, porém, ele abaixa seu rosto para que Adam não o veja chorar, enquanto cerrou seus punhos e dentes, para que o homem não perceba a situação em que ele se encontra. Quando Adam escuta as palavras do jovem, ele se levanta do chão sorrindo, enquanto limpa o sangue de seu nariz causado pelo soco que Azazel deu nele, depois que se coloca de pé, o homem sorri e diz calmamente para o jovem, com um tom de seriedade:
- Você está errado. Você não é um idiota e nem muito menos um monstro.
- Você é apenas um jovem muito forte que ainda não encontrou seu caminho na vida.
Depois de proferir essas palavras, Adam se aproxima lentamente de Azazel e coloca a mão no seu ombro, enquanto diz com uma voz calorosa e um enorme sorriso no rosto:
- Então limpe essas lágrimas e levante o rosto...
- Você é uma pessoa incrível.
- E nunca deixe ninguém dizer o contrário disso.
Azazel escuta as palavras do homem e começa a limpar as lágrimas de seus olhos, assim que terminar, ele levanta o rosto e olha diretamente para a face do homem, enquanto pergunta com um tom de felicidade misturado ao seu tom bruto natural:
- Quem diabos é você afinal de contas?
Ao ouvir as palavras do jovem, Adam se afasta um pouco do menino e começa a limpar suas roupas de pó do chão e começa a explicar quem realmente ele é:
- Agora que já sei como você se sente de verdade, vou te contar tudo.
- Bem, para começar, assim como eu havia dito para você Azazel, meu nome Adam e você está no meu orfanato.
- Você deve estar confuso de como eu sei seu nome e porque eu ter te trazido para cá, mas acontece que eu já vinha te seguindo a algum tempo.
- Eu queria ter te salvo bem antes daquele homem, mas se eu te contasse como ele era de verdade, você não acreditaria em mim.
- Então tive que esperar o momento que você descobrisse tudo para te trazer aqui, me desculpe por ter sido de uma forma tão traumática.
- Mas, voltando ao assunto principal. Eu te trouxe aqui para te ajudar a encontrar um caminho melhor na vida.
- Sabe, durante a vida eu também vivi coisas horríveis, causadas por pessoas terríveis também, por isso eu junto crianças neste lugar e ajudo elas, para que elas não venham a viver por vingança ou acabem se perdendo no mundo.
- Sei que deve ser difícil confiar em alguém depois de tudo que você passou, mas acredite, eu quero realmente te ajudar a ter uma vida melhor.
- Então por favor, aceite viver nesse lugar, tenho certeza que com o tempo, você irá se acostumar muito bem e vai encontrar algo que você queira fazer. (Enquanto estica a mão para Azazel apertar em sinal de que ele concordaria em viver ali)
Ao ouvir as palavras de Adam, Azazel se mantém onde está, dá um último suspiro e fala, mantendo o tom em que estava usando antes:
- Bem, não é todo idiota por aí que fica parado pra tomar um soco meu e ainda mais se levanta.
- E se os desgraçados que moram aqui são como você.
- Acho que não seria tão ruim ficar nesse maldito lugar.(Enquanto estica a mão para apertar a de Adam)
- Então pode contar comigo pra qualquer merda que vier.(Enquanto aperta a mão de Adam e abre um sorriso sincero)
Assim, Azazel conheceu Adam e passou a viver no orfanato durante mais três anos e três meses, conhecendo durante esse tempo Usagi, Aldan e Niklaus, além de todos os membros do local, que viriam a formar um forte laço de amizade e respeito. Com a morte de Adam, Azazel e seus amigos decidem partir para conquistar o mundo, além de fazer tudo aquilo que sempre tiveram vontade e nunca conseguiriam fazer se permanecessem na ilha, enquanto para que para Azazel, acabar com alguns caras que o irritasse e ajudar seus amigos a realizarem aquilo que eles quisessem fazer, se tornou sua rotina e seu caminho de vida, além da companhia de seus amigos e de toda as lições que aprendeu com Adam, Azazel carrega inconscientemente um forte desejo de liberdade para si e para aqueles à sua volta, sentimento resultante de toda perseguição que sofreu na infância. Porém, antes de sair para explorar o mundo,Usagi pede que Azazel e Niklaus partam em direção a alguma cidade próxima em busca de dinheiro, enquanto ela e Aldan ajudam aqueles que ainda restarem no orfanato a encontrar um lugar para ficar, assim, Azazel e Niklaus se preparam para ir.  
 


~ VANTAGENS E DESVANTAGENS ~

(MÁXIMO DE 6 PONTOS GASTOS. TODOS COMEÇAM COM 2)

Vantagens:
• Ambidestro(Gasta 1 ponto)
• Aerodinamicidade (Gasta 1 ponto)
• Aceleração(Gasta 2 pontos)
•Genialidade (Gasta 2 pontos)

Desvantagens:
• Mau Humor(Ganha 1 ponto)

• Amnésia(Ganha 1 ponto)
Spoiler:
 

• Má Fama(Ganha 2 pontos)
Spoiler:
 

~ PERSONAGENS CONHECIDOS ~


PLAYERS:
 

NPC's Importantes:
 

NPC's Criados:
 

Link da Mini Aventura concluída ou da ficha antiga cancelada: https://www.onepiecerpg.com/t42771-mini-kijartan-anjo-do-mar

____________________________________________________

Ficha | Aventura

Azazel Linda_sign_1

Azazel QKBJs1B

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: Regras | Mudanças Importantes | Crie seu Personagem | Mini-Aventuras
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Azazel
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Personagem e Mundo :: Criação de Personagens :: Fichas Esquecidas!-
Ir para: