One Piece RPG
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Evento Natalino - Amigo Secreto
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor OverLord Hoje à(s) 01:34

» Caçadoras Eternas: Almas entrelaçadas!
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Fran B. Air Hoje à(s) 00:30

» One Piece RPG Awards 2020
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor ADM.Tonikbelo Hoje à(s) 00:00

» Vol 1 - The Soul's Desires
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Arthur Infamus Ontem à(s) 23:55

» VIII - The Unforgiven
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor GM.Alipheese Ontem à(s) 23:31

» BOOH!
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor CaraxDD Ontem à(s) 23:06

» [LB] O Florescer de Utopia III
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Vincent Ontem à(s) 22:56

» Mess in Grand Line: The Red-Haired Arrived
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Revescream Ontem à(s) 22:33

» O Samurai
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor K1NG Ontem à(s) 21:30

» Capitulo II: Sangue e navalhas! O Golpe em Las Camp
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Oni Ontem à(s) 21:28

» Cap.1 Deuses entre nós
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Tensei Ontem à(s) 20:00

» Julian D'Capri, das Mil Espadas
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor ADM.Tidus Ontem à(s) 19:55

» Carregada de Culpa / Amanhecer em Prata
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Adrian/Vampiro Ontem à(s) 19:28

» The One Above All - Ato 2
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Thomas Kenway Ontem à(s) 19:01

» Cortes e Tiros, resgate na ilha das aranhas!
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor jonyorlando Ontem à(s) 17:47

» Cap IX ~ Esperança ~
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Kenshin Himura Ontem à(s) 16:34

» A Ascensão da Justiça!
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor K1NG Ontem à(s) 16:27

» Ato 157: Se eu quisesse tua opinião, Eu tirava na Porrada
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor K1NG Ontem à(s) 15:56

» Art. 4 - Rejected by the heavens
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Ryoma Ontem à(s) 15:02

» The Hero Rises!
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Emptypor Achiles Ontem à(s) 14:36



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte
AutorMensagem
Mephisto
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Mephisto

Créditos : 111
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 10010
Masculino Data de inscrição : 06/04/2017
Idade : 22
Localização : Wars Island (North Blue)

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptySex 02 Nov 2018, 18:43

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada

Aqui ocorrerá a aventura do(a) pirata Ahab. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

Make love, not war


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

2017 Achievements:
 


2018 Achievements:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Shiro
Pirata
Pirata
Shiro

Créditos : Zero
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 5010
Data de inscrição : 23/04/2015

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptySex 02 Nov 2018, 20:47


AHAB
POST 01

Meu corpo balançava com o mar. Tudo o que eu via eram os caracóis de luz no céu. Era como se a abóbada celeste fosse um mar no qual os deuses artistas haviam derrubados toneladas de suas tintas mágicas que formavam redemoinhos hipnóticos que me deixavam num tipo de transe que petrificava meu corpo.

Apesar de bonito toda aquele bailar de cores, aquilo era uma tortura, e eu já estava nela fazia um bom tempo. ‘Então é este o inferno?’ Perguntei-me mais de uma vez, sem nem poder fazer uma feição de dúvida pois até o controle do rosto aquele maldito transe me tirara. E eu ainda sentia uma velha e enrugada mão pegar desde a raiz de uma mecha de meu cabelo até à sua ponta. Sim, eu tinha sensibilidade no cabelo, estranho, não? Talvez essa seja uma das características do inferno, você simplesmente sente mais. Se eu fosse o diabo eu faria isso só de sacanagem para os condenados sentirem mas dor. BAHAHAHAH! Mas como não sou o melhor, éhh, eu prefiro que não seja esse o propósito dessa sensibilidade toda.

Mas sério, se o inferno for isso, olhar para o céu enquanto eu sou acariciado, eu acho que eu aguento. Será agoniante, entediante e frustrante, mas ao menos não era o inferno do qual vovó me contava, aonde os demônios te espetavam com um tridente por um trilhão de anos.

Falando em minha vó, era ela a tortura que este lugar me impõe. Os dedos nus que penteiam o meu cabelo são os dela, eu sinto isso, mas não tem como eu olhar para trás ou falar qualquer coisa com ela. A minha sentença era essa: estar tão próximo da pessoa que eu mais amo e não poder matar as saudades. Além disso, nem ela falava coisa alguma. E o seu cafuné era mecânico e repetitivo. A sensação que eu tinha era que quem estava ali não era ela, mas sim seu cadáver reanimado.  

Mas de repente, todo a carícia parou. A atmosfera em volta de meu corpo ficou infinitamente mais leve, me livrando daquela prisão agoniante. Mas eu ainda sentia que a velha estava atrás de mim. Abri um largo sorriso, coloquei ambas as mãos no chão e inclinei meu tronco para cima. Quando fui virar meu rosto para vê-la, quando seu vulto entrou no canto do meu campo de visão, eu acordei.

O sonho fora, até o momento, bem real para mim. Mas a realidade, bem, aquela era ainda mais real. É meio engraçado ter que falar isso mas acho que todos que sonham entendem do que eu estou falando. É só sentirmos a sensação da verdadeira realidade, que percebemos o quão idiotas  estávamos em ver que o que sentíamos estava bem longe de ser, de fato, real.

Tentei abrir meus olhos e, por uma fração de segundos, eles estavam tão pesados que eu achei que não conseguiria. Mas com um pouco mais de força eles abriram e minha visão caminhou da completa escuridão para um enxergar turvo das cores a minha volta até que meus olhos se habituaram ao ambiente e eu voltei a ter a costumeira visão nítida das coisas. “Então não morri?” Foi a primeira coisa que pensei. Minha mão avançou até meu peito, por cima do bolso interno que tinha em minha blusa, e cravou seus dedos no pano de minha camisa para sentir a foto da velha que eu sempre guardava ali. Ela tinha que estar lá. 'Foi ela que me protegeu da morte...' eu bufava pelo nariz, o medo de que aquela foto tivesse ido embora no tufão tomou-me por completo. 'Foi ela quem me salvou, eu sei disso! Ela tem que estar aqui, não posso ter perdido...' Quando senti o tato retangular da fotografia eu suspirei, fechei os olhos e sorri.

Eu estava de costas para o convés de uma canoa, igualzinho no inferno pelo o qual passei. Ou foi o purgatório? Pensando bem, não quero pensar nisso agora. Quando abri o lho de novo eu percebi que  eu não estava sozinho ali, um homem de chapéu liderava a embarcação. - Ahnn, Oi? - Minha voz sairia em um tom de dúvida. Pousaria a palma da mão esquerda no chão e utilizaria meu braço como uma alavanca para erguer minha cabeça e tronco. Sentado, eu esfregaria os olhos com a mão direita, dedão e indicador massageando cada pálpebra para mandar o sono e a remela embora. Depois de dar essa massagem à vista, bocejaria, arregalando tanto a boca que não seria estranho ouvir meu maxilar estalar. - Então, quem é você? - Questionaria, enfiando o dedo mindinho numa de minhas narinas e limpando suas paredes com minha unha. Eu passaria então a outra mão no tiro que eu havia levado no pescoço, para ver se sangrava ou se ao menos o sangue já havia coagulado. 'Aquele maldito marinheiro...' praguejaria, escarrando no mar ao meu lado.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Objetivo:
 

____________________________________________________



Ficha
| [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Boreal
Pirata
Pirata
Boreal

Créditos : 4
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 20

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptyDom 04 Nov 2018, 02:13

Não havia mais nenhum sinal de tempestade, ou tornado, ou qualquer coisa do tipo, no céu. Estava limpo, e o sol era, na verdade, escaldante. A vontade que Ahab tinha ao acordar era até de se jogar nas águas, mas não fazia aquilo por prudência.

Ele tentava falar com o ser de chapéu, que cobria os olhos, com uma longa barba branca, com um amarre no meio. Não respondia a primeiro momento, apenas olhando para ele enquanto ajustava a vela do pequeno bote onde só cabiam os dois.

Quando o pirata questionou seu nome, então ele respondeu, revelando uma voz que até combinava com sua aparência, típica de um senhor mais velho como ele aparentava ser. - Sigmund. - E mais alguns instantes de silêncio enquanto ele continuava o serviço da navegação. - Estamos a caminho de Kyanon. Salvar meu filho. Você me pareceu útil. - Na prática, ele não parecia mais tão misterioso. Parecia mesmo ser um pouco tímido, não ser muito social talvez.
Sigmund:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Shiro
Pirata
Pirata
Shiro

Créditos : Zero
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 5010
Data de inscrição : 23/04/2015

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptyDom 04 Nov 2018, 03:40


AHAB
POST 02

Diferente da catástrofe que me colocou ali, em que o céu havia se fechado de maneira agressiva e cinzenta, agora ele estava aberto, mas tão aberto, que o sol chegava a me castigar com sua luz, esquentando tanto a minha pele que me fazia querer pular na água. Não o fiz, até porque não tenho tanta certeza assim se sei nadar.

Após cutucar o nariz, estiquei a mão para fora da amurada do pequeno bote e tentei limpá-la na água do mar. O velho não havia respondido minha pergunta e, com uma sobrancelha mais elevada que a outra, encarei-o. ‘Ele me ouviu?’ perguntei-me de forma sincera, até porque velhos surdos não são seres tão raros assim, vai por mim.

Agora, sentado, eu podia vê-lo com mais clareza. Era um velho com um chapéu de palha e uma vistosa barba branca, mas, apesar da velhice, tinha músculos bem trabalhados, o que de certa forma chamou minha atenção. Minha vó era velha, coitada, e tinha tão pouca carne que eu temia que um vento um dia fosse levar ela longe. Ela teria sido a primeira a voar naquele tufão, te juro. Mas aquele sujeito era diferente, seu corpo demonstrava que ou ele trabalhara muito ou era um sujeito bom de luta. Pensando nessa última possibilidade eu sorri meio que de canto de rosto, se ele fosse bom de luta, o fato dele estar me escoltando fazia toda aquela situação no mínimo interessante.

Ele então disse o seu nome. "Sigmund, hmm..." A quebra do silêncio me fez nivelar as sobrancelhas e transformar o sorriso num trejeito da boca para baixo, um sorriso invertido talvez, com os lábios para frente formando um bico de pato. “Surdo ele não está.” Foi tudo o que pude pensar, pois ele logo emendou mais algumas falas e eu tive que prestar atenção à elas.

Ahn? Salvar o seu filho? - Soltaria ar pelo nariz, achando aquilo engraçado. - Não sei se eu serei muito útil meu velho. Eu sou um pirata, sabe? - Esticaria ambas as mãos agora para fora da embarcação, cada uma delas pendendo para um lado da canoa com a ponta dos dedos tocando o mar. - Nós não somos muito conhecidos por sermos heróis... - Sorriria de puro deboche, dando alguns tapas sobre a água salina. - E aqueles que se envolveram comigo, bem, não se deram muito bem. Nem mesmo meus companheiros! BAHAHAHAHAHA! - Gargalharia, inclinando a cabeça de leva para trás. Falando neles, eu realmente acho que os três devem ter morrido naquele tufão, não, pensando bem, tenho certeza! Não tem como eles terem sobrevivido àquela merda. E se não morreram, que corram, porque eu sinceramente não vou esperar, tenho que ir para a Grand Line logo e aqueles  estavam mais me atrapalhando do que ajudando. Ta certo que tinha aquele pele de pedra… Edmund… Edmure… Não lembro muito o nome dele. Ele era o mais comprometido dos três, mas era também, de longe, o que mais me causava desconfiança… Algo naquele cara não me cheirava bem e eu não to falando daquela pele podre...

O senhor tem alguma bebida ai? - Mudaria um pouco de assunto, ainda com as mãos tocando o oceano. Esperaria pela resposta do velho e beberia o que é que ele me oferecesse, se é que ele me oferecesse. Independente da resposta, eu faria uma pausa, respirando um pouco de ar e observando o horizonte para ver se alguma tempestade se aproximava. - Ehh, o que aconteceu com o seu filho? - Perguntaria a ele, colocando ambas as minhas mãos no colo e cruzando minhas pernas se o espaço da canoa permitisse. Se por um acaso o calor começasse a me doer nos ferimentos de bala que eu tinha, eu tentaria coçá-las utilizando o pano de meu colete para ver se tais machucados parariam de me incomodar.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Histórico:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________



Ficha
| [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Boreal
Pirata
Pirata
Boreal

Créditos : 4
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 20

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptyDom 04 Nov 2018, 12:07

- Que se foda. - Era a resposta que o velho Sigmund dava para o gigante Ahab, que com os braços para fora da canoa, um de cada lado, sentia que a embarcação era realmente bem construída e nivelada ao ponto de que aquele movimento, apesar do peso do pirata, não produzia muita movimentação. Aparentemente, o velho não se importava no fato do homem ser um pirata. - Você é grande, qualquer confusão que me ajudar a causar vai servir.

O som do silêncio permaneceu por mais alguns instantes, enquanto o titã de dreadlocks tentava se lembrar dos companheiros que tão rápido adquiriu, e tão rápido perdeu. Se lembrava de Edmure, ou melhor, quase se lembrava, ficando em dúvida e passando a refletir um pouco sobre a estranha figura monstruosa.

O mar estava calmo e sereno, e o barco velejava sem nenhum problema deslizando por sobre as águas com a leve brisa que impulsionava-o pela vela branca. Prestando um pouco mais de atenção, o pirata gigante notava que a vela parecia mais um lençol, algo meio improvisado, mas a forma como havia sido colocado fazia com que fosse totalmente efetivo.

- Sim. - Dizia, pegando na parte interna do pequeno barquinho uma garrafa térmica vermelha, com uma tampa que serviria de copo. O cheiro do café era claro enquanto Sigmund servia uma pequena quantia, mas quando Ahab tomava o pequeno copinho, que para ele quase nem mataria a sede, notou o teor alcoólico. - Whisky com café. - De fato, apesar da dose muito ínfima, o sentir da cafeína despertava de vez o pirata.

Aos poucos, uma enorme ilha foi surgindo no horizonte a frente deles, com uma característica tão selvagem quanto uma selva propriamente dita. Na verdade, a ilha parecia mesmo uma grande floresta, e era possível ver, em seu meio, uma enorme árvore que crescia e se destacava de todas as outras. Na costa, numa praia não muito grande, um trio de macacos saltava de um lado para o outro e ria, enquanto pareciam dialogar (?) com uma [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]. Na verdade, eles pareciam estar mais discutindo e caçoando do pequeno ser, e nenhum deles havia notado a pequena embarcação cada vez mais próxima.

Ahab perguntava sobre o filho de Sigmund, enquanto coçava seus ferimentos de bala ainda abertos, sentindo um pouco de dor, mas aliviando momentaneamente o desconforto, mesmo que os machucados ainda estivessem abertos. - Ele é complicado. - O velho voltava a ajeitar as velas, talvez uma última vez, visto que estavam próximos do fim da viagem. - Veio com esses papos de mudar o mundo, igualdade para selvagens e humanos, coisa de comunista. - Parava, baixando a cabeça um pouco pensativo por um instante. - Aí os animais pegaram ele. Eu falei que ia dar merda.

O barco então parou na prainha, faltando alguns poucos metros de águas rasas para chegarem à areia. Sigmund pegava dois revólveres de tambor no mesmo lugar onde havia catado a garrafa térmica, colocando-os na cintura. - Difícil é ter que resolver problema de filho já crescido, mas fazer o que...? Família é sempre família. - Um princípio de sorriso brotou nas expressões meio ocultadas do homem, enquanto ele lançava um pequeno saco de peso para fora do navio, e baixava a vela. - Vai vir comigo ou prefere esperar que os selvagens te devorem?

A conversa que antes acontecia entre os macacos e a menina-raposa se findava quando os primeiros notavam o atracar do barquinho. Surpresos, levantando as sobrancelhas, eles saíam naquele típico jeito primata floresta adentro, deixando a menina ali, que olhava para eles, mas com um semblante cansado se sentava no chão de areia. Estava a uns 5 metros da dupla.

De praia não haviam mais do que 4 metros, e nenhum sinal de civilização adentro, além da floresta, da grande árvore, e de umas regiões mais acidentadas, algo mais montanhoso, que Ahab conseguia notar mais ou menos olhando floresta adentro. A sensação que se tinha era de que era uma ilha repleta de animais.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por Homero em Seg 05 Nov 2018, 18:36, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Shiro
Pirata
Pirata
Shiro

Créditos : Zero
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 5010
Data de inscrição : 23/04/2015

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptySeg 05 Nov 2018, 08:48


AHAB
POST 03

Um pouco antes de eu ter perguntado ao homem sobre seu filho, surgiu no horizonte uma titânica ilha. Esta era completamente ornada de árvores que formavam um teto de folhas verdes por toda sua extensão e tinha em seu centro uma árvore desproporcionalmente maior do que as outras, com sua copa tão acima das copas alheias que fazia com que as ramagens de suas irmãs menores parecessem arbustos. Eu me identifiquei, de forma um tanto que idiota e metafórica, com aquela imensa árvore. Por isso após segundos de contemplação eu dei um leve sorriso, mas logo retornei à realidade do barco e fiz a pergunta ao velho.

Ele respondeu-me com a bizarra história de um filho que queria mudar o mundo. Achei aquele papo de animais e selvagens meio maluquice, mas ouvi tudo o que o homem tinha a dizer, enquanto coçava as feridas de minhas costas e do pescoço. ‘Merda!’ Exclamei em meu espírito. A dor que elas me causavam não era tão forte, mas era o suficiente para me incomodar. Olhei de relance para a ilha mais uma vez. 'Espero que tenha alguém lá que possa cuidar disso...' Desejei, voltando meu olhar ao homem que ainda terminava de falar.

Quando o homem terminou o falatório nós já estávamos na praia. Sigmund pegou duas pistolas próximas à garrafa de Whisky com café. Ah! Eu não falei sobre isso, falei? Que maravilha era aquela mistura. Foi a menor dose que já bebi na vida, mas que negócio bom viu, vou te falar… Só não pedi mais porque meu estômago está vazio, e eu sei que beber de estômago vazio é acenar pro capeta. Por isso eu me contentava em passar a língua por dentro da boca, pois assim dava pra sentir um retrogosto, mesmo que fraco, daquela belezura da qual eu havia bebido.

Mas prosseguindo, o velho lançou uma âncora improvisada para fora do mar e me deu um ultimato.

Se tiver um selvagem nessa ilha capaz de me matar e comer ai pode desistir de salvar o seu filho! BAHAHAHAHA - Respondi, ficando de pé. - Andarei contigo até achar um barco que me possa levar à Grand Line. Eu roubaria essa canoa, mas não sei se seria muito inteligente um cara do meu tamanho navegar nela... - Colocaria um pé para fora da embarcação e logo o outro, mergulhando-os na rasa maré que banhava a praia. - Aproveite minha companhia, velhote. Até eu achar o barco, se algum desses selvagens aparecerem no nosso caminho pode deixar que eu cuido deles… Mas o seu filho, bem, isso dai já é problema seu... - Espreguiçaria, esticando os braços para cima da cabeça e depois forçaria o pescoço para a direita para que este estalasse. - Ah, falando em barco, quando você me salvou tu não viu nenhum barco à deriva com uma carranca cabeçuda na ponta por aí não? Duas velas, bem robusto...

Quando eu visse a garota com feições caninas na praia eu afastaria rapidamente a cabeça para trás, franzindo o semblante e fazendo um bico numa expressão de dúvida. Depois esfregaria os olhos e olharia para ela de novo, dessa vez projetando meu pescoço um pouco mais para frente. - Essa menina parece um lobo vermelho ou é impressão minha? - Diria a Sigmund, sorrindo com uma criança de frente a um mundo fantástico. Faria isso dando alguns passos na direção da areia seca.

Argh! - Rugiria em resposta à aflição que as feridas me causavam. - Eu tomei uns tiros no pescoço e nas costas, velho, e essas merdas estão me deixando puto já... - E tentaria coçá-las novamente com a ajuda do pano de minha roupa. - Se você jogar esse whisky nas feridas, será que elas param de doer? - Questionaria em um tom sincero. Estaria disposto a qualquer coisa para mandar embora aquela dor fraca e contínua que tanto me importunava.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Histórico:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________



Ficha
| [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por Shiro em Ter 06 Nov 2018, 14:20, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Boreal
Pirata
Pirata
Boreal

Créditos : 4
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 20

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptySeg 05 Nov 2018, 18:56

- Não, não vi. Você estava boiando em alto mar, sem nada, nem ninguém perto. - Respondeu Sigmund ao questionamento de Ahab sobre ele ter visto um barco quando o salvaram, se referindo a querida Brice, que não via desde que apagou em meio ao tornado. O gigante e o velho, assim, deixavam a embarcação, molhando os pés e, no caso do segundo, as pernas, para atingirem a praia.

O boxeador até estranhava aquela figura com aspectos de raposa, com detalhes humanos, e notava, inclusive, que ela assumia um olhar um pouco mais preocupado, não muito, quando via que eles decidiam descer na praia. Enquanto ela vinha, Ahab lançava mais dizeres, reclamando de seus ferimentos, e perguntando sobre a possibilidade do Whisky com Café lhe ser útil, teve uma resposta direta do novo "companheiro" de chapéu. - Você não tem nada a ver com meu filho, e eu não tenho nada a ver com seus ferimentos. - E deixava um sorriso de canto de rosto.

- Não, não, não, não, não! - Ela vinha correndo, apontando as mãos para a dupla como se quisesse pará-los. - É melhor vocês irem embora! Só vão ser mais argumentos para os radicais legitimarem suas atitudes humanofóbicas!

- Minha filha, eu vim buscar meu filho, e eu não vou sair daqui sem ele. - Sigmund dizia, ajeitando o chapéu e cruzando os braços. - É bom que ele esteja em perfeitas condições, ou o bicho vai pegar.

- Vocês não estão entendo. O bicho vai pegar se vocês não forem embora, os radicais... - Ela parou sua fala, enquanto suas orelhas se levantavam, como radares que haviam acabado de perceber algo. Ela virou a cabeça para trás, e eles podiam ouvir vindo de dentro da floresta o barulho de diversos passos, em corrida, e entre eles inclusive algum um pouco mais pesado. - VÃO! ELES IRÃO CAPTURÁ-LOS! - Ela voltava a dizer, gritando desesperada.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Shiro
Pirata
Pirata
Shiro

Créditos : Zero
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 5010
Data de inscrição : 23/04/2015

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptyTer 06 Nov 2018, 17:17


AHAB
POST 04


Eu já esperava que ele não teria visto Brice, mas ouvir ele respondendo negativamente me deixou aborrecido do mesmo jeito. Investi meu dinheiro quase todo naquela carrancuda, dinheiro que juntado nos últimos anos de duro trabalho como saqueador, e bastou o sopro da mãe natureza pra que quase todas minhas economias fossem pro diabo. Estiquei um canto da boca, estalei a língua. - Beleza. - Comentei chateado. Mas as feridas, ah, aquelas malditas! Estas vieram me incomodar de novo e eu comecei a me coçar que nem um gorila. Quando perguntei ao homem sobre se o whysky faria aquilo parar de me atiçar, o velho respondeu-me com audácia.

BAHAHAHAHA! - Gargalhei, dando mais um passo para longe do mar. - Você é engraçado, velhote. - Disse, balançando o indicador no ar.

Foi nesse momento que, de súbito, a garota lobo avançou na nossa direção, desesperada, tentando impedir que prosseguíssemos. Eu parei e ouvi o que ela tinha para dizer, minha mão esquerda estava sobre o ferimento do pescoço. A garota exclamou coisas das quais eu não entendi muito e mesmo depois de Sigmund respondê-la eu preferi me manter calado. Já que ele havia entendido toda aquela maluquice ele que respondesse ela.

No entanto, eu continuei com minha atenção virada ao que ela dizia. E só foi ela dizer a palavra ‘radicais’ que o som de uma marcha ressoou por todo o local. Eram diversos barulhos uns sobrepostos aos outros, o que indicava uma corrida, e havia algo no meio dessas passadas que parecia vir de um sujeito muito mais pesado que o normal. Aquilo, somado ao anúncio da garota de que iríamos ser presos, fez meu corpo se embebedar em adrenalina. O ar cheirava a batalha e só a perspectiva de lutar após uma experiência de quase morte me parecia como um presente do destino, uma cena da vida dada de brinde para que eu me sentisse vivo. Respirei o ar salino da costa, bati com a junta dos dedos de ambas as mãos no peito e disse: - Que venham!  BA! - E olhei para Sigmund, tentando captar sua reação de soslaio.

   Antes que aqueles incógnitos radicais chegassem, eu olharia para a canoa. Eu lembro de estar usando minhas manoplas quando o ciclone me pegou, então talvez o velho tenha pego elas  quando me salvou do naufrágio. E eram elas que eu procuraria em toda a minúscula área da canoa. Caso as encontrasse, voltaria para a embarcação em passos largos, quase saltitando, pegaria as duas e então eu tornaria para o local do qual eu havia partido, de frente para a menina lobo, dessa vez com passos lentos pois enquanto andava eu me focaria em vestir as manoplas. Armado, eu bateria antebraço com antebraço esperando ouvir o barulho do ferro com um sorriso que deixaria meus dentes superiores expostos.

- Então são esses os selvagens radicais? - Diria em alto e bom som quando toda aquela turba chegasse à costa, estando ou não com as manoplas. Meus braços estariam nas laterais de meu corpo, musculatura tesa, com ambas as mãos fechadas em punho. O sorriso em meu rosto se tornaria mais largo, formado por duas carreiras de dente brancos. Encararia todos que chegassem no local com os olhos arregalados e com as sobrancelhas franzidas, faiscando de empolgação. Queria deixar claro qual era a minha intenção ali e que todos estavam convidados a se tornarem meus alvos.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Histórico:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________



Ficha
| [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Boreal
Pirata
Pirata
Boreal

Créditos : 4
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 20

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptyQui 08 Nov 2018, 17:46

A reação imediata que Sigmund tivera ao ver que Ahab iria mesmo enfrentar os "radicais", era de perceber que ficaria feio fazer diferente, e no instante seguinte sacar seus dois revólveres. Quando o pirata lembrou de suas manoplas, com a intenção de procurá-las na canoa, sequer teve tempo para isso, não só porque os inimigos chegaram, mas também porque o velhote o parara no segundo anterior mostrando que as mesmas estavam com ele, as dando.

O gigante, agora munido das proteções de suas mãos, viu então os supostos radicais chegarem naquele pouco espaço de praia que havia. - UHA-AH-AH-AH! - [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.], que vinha na frente do grupo, possuindo 2 metros de altura. Logo atrás dele, uma enorme [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.], [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] e, por último, um titânico [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.], que possuía a mesma altura de Ahab, mas, a julgar pela aparência, parecia ser mais forte, talvez.

- Agora ferrou tudo... - A menina-raposa batia a mão na testa, já se distanciando uns passos, mas não saindo dali.

- Eu não sei você, mas eu acho que vamos morrer. - Disse Sigmund, sem expressar alguma preocupação real com isso. Ele dizia com o mesmo semblante de sempre, com os olhos encobertos pelo chapéu.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Shiro
Pirata
Pirata
Shiro

Créditos : Zero
Warn : Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada 5010
Data de inscrição : 23/04/2015

Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada EmptyDom 11 Nov 2018, 14:23


AHAB
POST 05
Os radicais se revelaram no horizonte. O primeiro era um primata que era grande para sua espécie mas bem pequeno para mim, não chegava nem na minha cintura o coitado. ‘Eh, não vai ser tão difícil…’ foi a primeira reação que tive e também a qual eu sustentei, mesmo quando vi dois outros grandes animais chegarem, um felino e um canino, acreditando que com meus braços e o velho com as armas conseguiríamos derrotá-los sem grandes esforços. Mas uma quarta figura me fez repensar a dificuldade daquela luta. Um enorme gorila do meu tamanho caminhava atrás dos outros três animais, de longe eu percebi que ele tinha o meu tamanho e que era ele a fonte daqueles pesados passos que ouvimos segundos antes. ‘Merda…’ meu sorriso morreu, mas minha sobrancelha continuou meio franzida, dando um ar de preocupação ao meu semblante. Lutar contra três animais que eram metade do meu tamanho era uma atividade complicada, mas possível, só que aquele bicho gigante mudava todo o balanço do conflito. Se ele me segurasse, o que seus músculos enormes denunciavam serem capazes de fazer, os outros três ficariam livre para me atacar de todos os lados e isso poderia significar meu fim. Ainda mais no lugar amplo que é a praia, onde eles terão mais facilidade de explorar meus pontos cegos e de burlarem minha altura.

O velho foi até a beira do pessimismo e anunciou que ali iríamos morrer. - Morrer? - Respondi para ele, erguendo a sobrancelha direita ligeiramente acima da esquerda. - Ba! Relaxa! Tenho um plano. - Daria um sorriso pra ele e então voltaria a olhar para a trupe zoológica que se aproximava. - Deixa tudo comigo…

Relaxaria o pescoço, balançando a cabeça para direita e esquerda, tocando as orelhas em cada um dos ombros. Meus joelhos se flexionariam levemente e ambas as minhas mãos se abririam na frente do meu peito com os dedos apontados para frente como garras. Inclinaria então minha cabeça para frente, depois o tronco e então iniciaria uma investida utilizando meu próprio peso como força inicial de propulsão. O meu alvo era o macaco que caminhava na frente do grupo. Avançaria na direção do mesmo ligeiramente virado de lado, como se eu fosse atingi-lo com meu ombro direito. Quando chegasse próximo o bastante para conseguir tocá-lo minhas duas mãos avançariam na direção do braço esquerdo dele. A esquerda agarraria seu pulso e a direita o seu ombro por debaixo do sovaco. Pressionaria então o meu corpo contra o dele e espaçaria bem as pernas, posicionando-as uma atrás da outra em linha reta, formando um espaço vertical entre elas em comparação com o vazio horizontal entre os pés do alvo.

- aaaAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!! - Começaria a gritar, ao mesmo tempo que eu giraria em torno do meu próprio eixo, puxando o primata pelo braço e arrancando-o do chão como se ele fosse um porrete. Quando eu completasse o giro e, mais uma vez, o grupo animalesco estivesse de frente de meu rosto, eu soltaria o macaco branco no ar, utilizando do peso de seu próprio corpo e da breve rotação que eu havia empregado sobre ele para arremessá-lo na direção de seus companheiros.

- CORRE NEGADA! - Gritaria, sorrindo largamente dando os passos mais rápidos possíveis na direção do velho e da jovem. Meus dois braços se esticariam horizontalmente como se eu fosse dar um abraço em algo extremamente largo. E quando eu chegasse perto dos dois eu envergaria meu tronco para baixo, tentando apanhar ambos, pressionando meu bíceps contra a parte frontal do corpo deles e meu antebraço contra suas costas, agarrando-os. - Se segurem no meu ombro! - Exclamaria aos dois, erguendo os punhos acima de minha cabeça e afrouxando a segurada que eu estaria dando em ambos, abrindo espaço para que eles pudessem fazer o que eu estava pedindo. Meus olhos estariam a procura de alguma outra entrada na floresta que não fosse a da qual o quarteto havia entrado. Encontrado-a, eu começaria a correr em sua direção. Caso tal busca falhasse, eu correria pela orla praia, tentando desaparecer da vista do grupo através de uma corrida que caso se estendesse por muito tempo poderia me fazer circundar toda a ilha.
   
Por que eu teria pego a menina? Bem, porque no meio da correria eu gritaria para ela. - Ei, garota, onde ficam as montanhas? - E então seguiria suas indicações, caso ela as desse. Apesar de ela ser um ser meio animalesca como os outros, suas atitudes haviam provado que ela não era amiga dele e que talvez estivesse disposta a me ajudar na fuga. No entanto, se ela não me respondesse eu tentaria seguir o que meus olhos me mostrassem, procurando por aquele relance montanhoso que eu havia visto quando atracamos na ilha para então segui-lo.
   
Procuraria as montanhas pois esconder-me na floresta é suicídio. Seria como se eu estivesse correndo de uma cobra e fosse me esconder em seu ninho. Nas montanhas, além de eu ter uma visão privilegiada sobre os radicais, eu poderia buscar algum barco na costa que pudesse me fazer fugir daquele local. - BAHAHAHA! Velho, seu filho é maluco de ter vindo pra cá! - Comentaria no meio da correria.  Apesar da situação tensa, eu certamente estaria animado.

Nada como um pouco de confusão para começar o dia se divertindo.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Histórico:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________



Ficha
| [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty
MensagemAssunto: Re: Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada   Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Sessão da Tarde: Um Zoológico da Pesada
Voltar ao Topo 
Página 1 de 9Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: West Blue :: Kano Country-
Ir para: