One Piece RPG
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» ~ RESET ~
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor Shiro Hoje à(s) 12:53

» [Kit - Garou]
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor Ainz Hoje à(s) 12:06

» V - Into The Void
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 11:03

» Mini - DanJo
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor DanJo Hoje à(s) 02:51

» Crisbella Rhode
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor ADM.Ventus Hoje à(s) 02:48

» A Aparição de Mais Um Meio a Tantos
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor Wave Hoje à(s) 00:53

» O vagabundo e o aleijado
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor Ghastz Hoje à(s) 00:40

» Mini Aventura - Agyo Shitenno
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 23:16

» O Legado Bitencourt Act I
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor Faktor Ontem à(s) 22:16

» Apenas UMA Aventura
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor Van Ontem à(s) 17:49

» Bellamy Navarro
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor Greny Ontem à(s) 12:43

» Unbreakable
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor Ainz Ontem à(s) 11:55

» (Mini) Gyatho
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 01:02

» (MEP) Gyatho
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:55

» [MINI-Tenzin]Here we go again
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:53

» [M.E.P]Tenzin
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:43

» [Extra] — Elicia's Diary
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor GM.Noskire Ontem à(s) 00:27

» M.E.P DanJo
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:27

» Mini Aventura - No Mercy
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:20

» [Mini-Rosinante-san] O homem que quer ser livre
I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:15



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG

Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


Compartilhe
 

 I - For Whom The Bell Tolls

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Senshi
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas


Data de inscrição : 27/05/2018

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptyQua 25 Jul 2018, 02:08



Passo 5: I Ain't No Nice Girl


A luta começava da maneira que eu bem esperava, o homem em nenhum momento tinha baixado a guarda não importando o quão louco parecesse qualquer movimento absurdo, afinal quem espera um pulo com uma joelhada? Você sabe me dizer? a resposta pra isso é: Todo mundo. Mas naquele instante estava além disso, Alexis também tentava atacar, mas de nada adiantava ela apenas parecia perder um tanto de tempo indo pra cima do inimigo, coisa que bem… Ao menos ela era empenhada… Nem todos podem fazer algo grande nesses casos, o cara aparentemente entendia de usar o rabo, uma nata habilidade que poucos compreendem, pode ser usada na arte na vida, no amor… É talvez não esse rabo no último, mas podemos concordar que faz sentido. Entretanto eu só queria saber uma coisa… Assim, não é por nada… Mas… PORRA MACACO COM RABO DE FURADEIRA? QUE VOCÊ ANDA LENDO CARA? TA PENSANDO O QUE? MANUAL DE COMO SER UM MACACO PEDREIRO? FURADEIRA PRA QUE? USE SEU RABO E ABRA AS FRONTEIRAS ATRAVÉS DAS CONSTRUÇÕES. É só isso sem mais reclamações. Mas bem meus ataques eram mesmo que nada ali inicialmente, ele apenas esquivava belamente… Até que o peixe sim eu disse que essa porra ia ser meu trunfo.

Há que satisfação sem tamanho, o peixe bem ele ia diretamente na fossa poplítea do indigente, o fazendo desequilibrar, que era seguido de mais um ataque meu puxando sua cauda, o desequilíbrio era automático naquele instante o que me possibilita finalmente cumprir a minha promessa, o peixe estava romanticamente, cara a cara com o inimigo, uma cena de fato linda de se ver, não existem fronteiras para o amor de fato. Alexis novamente vinha com tudo que ela tinha em seus golpes, ela queria mais uma vez ajudar, fazer algo que pudesse ser de fato útil, entretanto ela não conseguia ser efetiva, apenas no momento exato que havia começado sendo derrubada, no instante que visse aquilo eu apenas pediria para que ela não se esforçasse tanto, afinal o inimigo era claramente estranho. -Alexis, melhor ficar um tanto afastada, esse cara é estranho, ele tem uma furadeira na bunda. - Sim, aquilo não era coisa do meu mundo não… Tinha visto muito macaco na minha vida, mas nenhum fazia essas paradas aí não, eu só acho que isso é culpa sua, sim você mesmo, acha que eu não to ligada nesses seus esquemas ai? Sentado de boas na sua cadeirinha rindo da situação… Sabe… Você precisa se tratar, é claramente doente, rindo de uma mocinha inocente apanhando na rua… Eu não quero nem ver onde isso vai parar.

Como o destino tinha gostos peculiares, pois é não venha me dizer que não tem… Eu apenas via o rabo vindo em direção a meu rosto, um rabo com uma ponta de ferro aparentemente, inicialmente parecia apenas mais um golpe comum.. MAS O FODENDO DESTINO, FAZIA AQUILO SER UMA DROGA DE UM GOLPE PODEROSO, QUE DEIXAVA SANGUE SAINDO DO MEU OLHO… CARA NA BOA, ESSE CARA PODERIA TER ALGUMA CHANCE DE VIVER ATÉ AQUI, P - O - D - E - R - I - A. As pessoas infelizmente não tem mais nenhum apreço pela vida hoje em dia, jogando ela fora assim sem pensar muito… Sabe eu queria dizer que… Você… PODE IR PRA CASA DO CARALHO. Neste exato instante minha mão ia levemente para o rosto, onde o sangue tinha chegado, ele não só tinha conseguido ferir, como fazer dar dois passos para trás. Naquele momento, vendo meus olhos ele saberia de uma coisa, a morte talvez seja uma boa opção pra um vagabundo que nem esse. O meu olhar de reprovação e ódio, seria claro e conciso, enquanto eu subia velozmente sem nem mesmo pestanejar ou responder a pergunta dele com um rápido avanço eu partiria de uma única vez com o braço estendido para a lateral visando acertar sua região dorsal com a base do meu braço, famosamente conhecido como lariat. A ideia era que talvez tal golpe pudesse levar o indigente ao chão.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Caso conseguisse com a técnica derrubar ele nesse momento minhas ações seriam claras. - Vuelo del angel- rápidamente saltaria com os braços para trás como se fossem asas em uma investida feroz contra o provável corpo caído… Inconsequente? talvez, mas só ME DEIXA, EU QUERO SER FELIZ… Só hoje… o golpe seria visando ali a parte torácica dele, não era nada demais apenas para manter a forma sequencial, e em seguida buscaria efetivamente usar o cotovelo assim que estivesse atingindo o golpe para potencializar aquilo, dando um duplo smash nas costelas dele, usando os dois cotovelos de maneira uniforme. Logo partindo disso rolaria para sair de cima dele por alguns instantes levantando posteriormente, apenas prender ele ali, provavelmente não seria possível ainda sem que ele estivesse muito machucado. Precisava ser efetiva e causar o máximo de dano possível.

Entretanto tinha eu em minha mente a possibilidade do maldito ser do inferno das profundezas do tártaro, desviar do meu avanço, por que? Porque você não vai fazer as coisas serem funcionais né? O cara já começa podendo furar paredes, o que eu devo esperar disso aqui? Caso eu viesse a passar direto naquele momento, eu não perderia tempo automaticamente giraria meu corpo em 180 graus, com a perna, visando acertar ele com meu calcanhar, era apenas um giro simples que poderia bater ali um pouco acima do pescoço de preferência o maxilar. Mas o vacilo, não estava a meu favor, e desse modo tentaria já ter em mente que o indigente pudesse esquivar de novo, no cenário que ele se abaixasse, desceria o pé com força contra ele, partindo diretamente do golpe. No cenário em que ele se afastasse pra trás, minha estratégia era óbvia, refirmaria meu pé no chão, e rapidamente PEIXE NELE, giraria meu animalzinho, com força visando o peito do nosso mink. -Dead FISH SHOT- a técnica do peixe nunca falha, é… Quase nunca…

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Para caso ele desviasse da peixada, rapidamente me lançaria para o chão girando, dessa vez com mais um certo cuidado, fazendo, com que o giro fosse feito por cima do ombro , eu não sabia ao certo o que se passava na cabeça do grandão mas… É fosse o que fosse não era coisa boa, mas ele bem… Devia saber que não tinha nada de bom na minha cabeça também. Afinal nesse exato momento eu me lembrei de CEBOLAS, e eu posso te dizer uma coisa, eu odeio cebolas… E esse cara… Ele me lembra uma cebola agora, o formato da cabeça dele… Olha pra isso, essa coisa nasceu de uma raiz plantada bem no fundo do inferno, só pode… Acho eu que cebolas são o mal da humanidade, quando a caixa de Pandora foi aberta no mundo… Então todos conheceram a dor.. e ela tinha várias camadas e era uma hortaliça fedida. De todo modo, aquilo apenas, bem, me dava mais vontade ainda de partir ele em dois, e MANO NA BOA EU PRECISO QUEBRAR ELE, Diz que eu posso quebrar ele vai, só me deixa fazer isso, só uma vez… Eu não preciso matar ele mais de uma vez, seria só uma, nunca te pedi nada.

Assim que o giro terminasse levantaria de uma única vez, iniciando um uppercut para cima do indivíduo, subiria com o punho reto visando atingir a ponta do queixo dele com a subida por baixo, independente dele desviar ou não, meu próximo movimento já estava na cabeça, assim que eu mantivesse a base firme de pé novamente avançaria com tudo, mas pisando com toda a força de uma vez em direção ao pé dele tentando esmagar a base do pé contra o chão. Nesse mesmo instante ainda com a base colocaria a mão esquerda apoiando o punho fechado fazendo um arco com os dois braços, avançaria jogando todo o peso do corpo de uma vez só na pancada contra o plexo solar do indivíduo. - CEBOLA SMASH-, acredito que aquele golpe ia ser algo que ele não ia esquecer, mas nem se aproximava da minha técnica suprema. - Acho que agora o jogo está começando, você precisa de duas coisas pra poder participar, um peixe, e nascer de novo, só isso.- diria pra ele enquanto me reposicionaria após o golpe. Sim essa frase não tem sentido, e essa é a intenção… afinal desestabilizar ele mentalmente era uma ideia interessante, se bem que, é, todo mundo aqui já não tem a cabeça certa, e pra alguém com cabeça idêntica a uma cebola, ele já tem problemas demais nesse segundo. Na verdade te pergunto, quem é mais doente, o maluco que estou lutando, ou você? Afinal, sei que essa coisa veio da sua cabeça, não poderia existir algo tão perturbado naturalmente no mundo… Eu só queria um dia normal, relaxar, passear por aí.. TER UM INIMIGO NORMAL, QUE NÃO FODE COM MINHA VIDA, NEM ATIRA METEOROS NAS PESSOAS, SÓ UM CARA SIMPLES COM BIGODE MEXICANO E UM SOMBREIRO, QUE TAL? NÃÃÃÃÃAÃÃO VAMOS COLOCAR UMA COISA ESCROTA NO CAMINHO DELA. Vai se ferrar.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

A partir daquele ponto acredito que já teria estudado o suficiente a velocidade do meu inimigo, talvez um pouco mais cedo, entretanto a garantia disso, me era bastante benéfica no fim das contas, e por isso tinha esperado tanto tempo, mas a ideia agora era que compreendendo melhor a velocidade do inimigo, eu pudesse com minha noção de tempo perfeita, fazer com que o mundo passasse a girar ali. Pois nessa hora a precisão que eu gostaria de ter era grande, afinal, atingir pontos de pressão em um corpo é algo que requer uma certa habilidade, não basta conhecer os locais. Entretanto compreendendo a movimentação e aplicando desses conceitos para a velocidade que até ali esperava já ter perfeitamente em mente, sabendo o tempo que ele leva entre os golpes. Começaria a fazer o que bem… De certo estava premeditado de minha mente desde o início.

Inicialmente começaria agora com a tentativa de desestabilizar o inimigo, um golpe um tanto sujo, e sorrateiro, a cara do que Diego me falava, ele dizia, acerte os ouvidos do seu inimigo e desestabilize ele, se não funcionar, você corre… Porque de certo seja o que for, não é humano. Rapidamente moveria de uma única vez as duas mãos com as palmas abertas tentando bater cada uma contra um dos ouvidos do inimigo usando de toda a força que tivesse nos braços, o golpe nesse caso poderia desestabilizar, ele o que era claramente minha intenção. - TALK TO HELL- e rapidamente após o golpe caso esse tivesse acertado aproveitaria o momento para com o meu pé chutar a lateral do joelho adversário, tentando ali deslocar possivelmente a rodilha. Talvez esteja estranhando minha seriedade não é mesmo? Pois é eu sei ser séria também, e você está me forçando a isso, se fosse um cara com sombreiro e bigodinho, nada disso seria necessário… Podíamos andar de mãos dadas… na praia, maior brisa… MAS VOCÊ NÃO AJUDA, VOCÊ QUER FODER O BATALHÃO DE TODA FORMA.

Após o chute no joelho aproveitaria o momento para prosseguir a sequência visando agora um soco na têmpora do adversário, o princípio era parecido, o faria com um cruzado pela esquerda, enquanto com a direita tentaria um soco no pescoço, mais especificamente visava a traqueia. Mas apenas de acertar a região os danos poderiam ser grandes. Eu também não estava ali para brincadeiras, não não mais, a partir do ponto que o inimigo é descortês, e retira nosso lado ruim, não temos mais muita escolha a não ser bem… fazer com que ele comece a entender por que foi uma péssima ideia me procurar… Se bem que fui eu que procurei ele… Mas isso não vem ao caso, o importante é que ele ta errado, e você sabe disso… Mesmo que eu não tenha um exato motivo, 5 milhões de recompensa falam por mim… Eu acho. Assim que o golpe na têmpora fosse executado, acertando ou não, eu me lançaria para o chão novamente tentando girar, para ir pra traseira dele a intenção era assim que terminasse o giro aplicar um golpe bem na base da coxa próximo as nádegas, esquerda ou direita, a que eu conseguisse visar na hora. - ASS PUNCH BREAKDOWN-, o comum era que um golpe ali causasse uma dor intensa, e claro rouba um pouco da dignidade.

Bom, sei que provavelmente conhecendo minha sorte, esse cara vai tentar tantos ataques quanto eu, e bem, ele pode ainda ter um membro extra… Mas eu tenho um peixe, isso me levará a vitória, não tem como perder com isso. Nesse momento, a ideia mais linda surgia na minha cabeça, algo fenomenal que eu não havia sequer cogitado antes, minha mente tinha um choque de realidade na hora que tal façanha genial e extremamente planejada surgia… Cara… Era uma verdadeira explosão mental.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Nesse momento você se pergunta, que ideia tão boa ela teve? Qual o propósito maior ao qual aquele momento poderia servir… Bem eu tenho um peixe, ele é uma pessoa, juntou os pontos? Provavelmente não por que isso não tem nada haver… Só olha. Naquele exato momento após a grande revelação divina que mudaria todo o rumo do combate estrearia meu novo golpe. - FISH BALL CRUSH- e com um giro rápido com as mãos, tentaria subir o peixe horizontalmente tentando atingir a virilha do rapaz. Sim talvez agora tudo fizesse sentido, talvez fosse isso que me faltava, só faltou um gato no lugar para fazer a técnica suprema que tanto Diego citava Fish Ball Cat, segundo ele isso derruba qualquer cara, de uma vez só… Bem ele nunca me ensinou isso, mas deve ser de fato uma arma poderosa. Mesmo apenas com metade espera que aquele peixe recobrasse as esperanças, dos países baixos do rapaz, não sei até onde essa luta vai se estender, mas um dia, ele deve… Bem… Cair… Acho que posso passar mais de 24 horas nisso… Não afirmaria mas, tenho uma certa convicção.

Estaria dessa vez mais atenta a golpes que me pudessem ser dados, o ideal era que tentasse resistir a todos, e não parar nenhuma das minhas sequências, sempre fazendo o possível pra aguentar os impactos, no entanto, eu não podia deixar que tudo que viesse realmente passasse, até porque sem nenhum motivo aparente, não consegui virar meu rosto junto do golpe que foi dado para reduzir o impacto, BEM SÃO SUAS IDEIAS NÃO É MESMO? VAMOS ESQUECER DISSO, DEIXA O ROSTO SANGRAR, TANTO LUGAR CARA, TANTO LUGAR, TEM A PORRA DUM TÓRAX GIGANTE AQUI, PERNAS, AS MÃOS JÁ TÃO FODIDAS, AÍ NÃO, VAMOS COLOCAR UM CORTE… É vamos fazer isso, podemos danificar ela, vai ser legal onde você acha uma boa ideia? NO ROSTO, ISSO VAMOS, TA PROMOVIDO… Cara tanto que eu acreditei… E me vem essa, e logo onde tinha a única prevenção principal, bem… Seguimos em frente o que tá feito está feito. Se qualquer golpe viesse em direção ao rosto novamente a ideia seria similar, eu giraria ele juntamente com o golpe, para assim diminuir o impacto, com a noção exata do tempo, fazer isso não devia ser algo tão difícil, visto que já estávamos a algum tempo trocando golpes, e medir o tempo de um golpe e outro para fazer uma reação não devia ser assim tão difícil pra mim, isso é algo bastante usado nos ringues, não é uma coisa que se goste de fazer afinal se está fazendo isso significa que se foi acertado, e a maioria das pessoas não ama essa ideia, entretanto é uma forma de reduzir o impacto efetiva.

De todo modo, ainda existia a possibilidade de os danos que ele causasse serem fortes o suficiente para me desestabilizar, bem o corte no rosto mostrava isso, por mais que esse não havia sido bem descuido, era o destino… Sim você mesmo, e aliás tenho uma pergunta, sabe o que você acha que eu pretendo fazer agora? Algo insano não é? Está esperando a personificação do caos, vestida de saia… Se bem que não estou de saia, mas você entendeu… Mas não, dessa vez eu vou ser sensata… Ou não… No momento que tomasse qualquer golpe que tivesse força suficiente para me desestabilizar. - FLY FISH SWORD DANCE.- Sim, eu tentaria agarrar o membro que o tivesse feito automaticamente, a ideia era que eu não saísse ali do close combat, podendo estar sempre o mais perto do meu inimigo, e manter meu equilíbrio. Usando mais uma vez da noção exata do tempo, assim que recebesse o punho, rabo ou perna, ou… Cabeça? Nunca se sabe, os tempos são outros… Não temos mais os amáveis mexicanos de chapéu. Eu tentaria segurar o local me apoiando puxando ele contra mim mesma, ou seja na mesma direção que o golpe foi dado, se o ataque fosse um soco nesse mesmo momento aproveitando o puxão para que eu pudesse chutar diretamente a barriga do inimigo, com toda a força que conseguisse, dando um único chute firme nessa direção.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Se ele me atacasse com a cauda ou coisa similar, tentaria, segurar ela e puxar também da mesma forma, tomando cuidado com os giros, por já ter visto ele fazendo uma vez, eu prestaria atenção e caso ele fosse tentar girar tal usando do tempo exato soltaria a cauda, mas apenas abrindo as mãos para que ela girasse livremente, e assim que visse o fim de tal agarraria de novo, prosseguindo com o puxão seguido de um lariat, quando o corpo viesse contra mim, visando bater com todo o peso do corpo naquele instante. Se em algum momento ele me chutasse me desestabilizando eu tentaria chutar de volta no local, no momento que ele acertasse um golpe bateria no golpe dele, causando um choque rápido ali, de preferência no joelho dele, aproveitando disso para manter também o equilíbrio, posicionando-me. Mas ainda não era suficiente conheço sua maligna mente terrível que está planejando destruir meus sonhos nesse dia… But… NOT TODAY BITCH!!!!

Se o golpe dele fosse capaz de me derrubar, aproveitaria para fazer a melhor coisa possível ali, aquela técnica poderosa, que ninguém está na mente. - ROLLOUT- Começaria a girar rapidamente e massivamente como um pneu desgovernado muito motivado, tentando atingir as pernas dele loucamente para poder talvez derrubar, assim que chegasse até elas as agarraria rapidamente, começando a socar em vários pontos. Começaria socando a área interna da coxa, seguido da panturrilha, depois MORDERIA A CANELA DESSE DESGRAÇADO FILHO DA MÃE QUE É PRA APRENDER. Mas acha que esse é meu nível mais alto de maldade? ESTÁ COMPLETAMENTE ENGANADO, SE TIVESSE A OPORTUNIDADE PUXARIA OS PELINHOS DA PERNA DELE, COM FORÇA PRA ARRANCAR… Acha que aqui é amadora? Eu sei onde dói…

Em qualquer oportunidade enquanto me mantivesse agarrada ali, golpearía o Cóccix, com toda a força que tivesse, se possível tentaria também os rins. Ainda mais se pudesse, daria uma cabeçada no baixo ventre, com a intenção de manter uma sequência forte. Se preciso me desgrudar, novamente iniciaria o melhor golpe de todos. - ROLLOUT SUPREME MODE FLY FISH SWORD EXTREME EXPLOSION- E girando rapidamente em torno dele tentaria recobrar a posição e novamente agarrar ele nas pernas e repetir os golpes.

Se em qualquer momento ele segurasse minha perna em um dos chutes, para visar me derrubar, aproveitaria das acrobacias, santas salvadoras dos fracos e oprimidos, para na hora que a perna estar segura, rapidamente usar da própria força do inimigo, para subir com a outra perna em um giro rápido chutando ele de forma a me impulsionar de volta pra trás. Caindo já com um giro simples para amortecer o impacto. Se o destino assim quisesse, por que o trabalho dele… É acabar com minhas chances de sobrevivência aqui, e por qualquer motivo que fosse, ele segurasse a segunda perna, aproveitaria das duas pernas sendo seguradas e subiria o dorso do corpo jogando todo meu peso contra o cidadão rabudo. Visando que eu pudesse derrubar ele, se tal acontecesse o mais rápido possível tentaria assumiria a posição dominante ali, como Diego gostava de chamar “A Posição do cavalinho” Subindo em cima do inimigo e rapidamente tentando desferir sequências de socos no seu rosto. - THE JUDGMENT DAY- entretanto se ele mostrasse resistência para me tirar de cima, de forma que eu não estivesse suportando, ou pudesse me desestabilizar, rapidamente com as duas mãos bateria nos ouvidos dele, como da outra vez para atordoar, seguido de um rápido golpe na área de controle sensorial batendo não só com a palma aberta com força como fazendo provavelmente que a parte de trás da cabeça se chocasse contra o chão, e por fim a tentativa mais uma vez de um soco rápido na garganta. A ideia de levar ele ao chão e manter me era quase uma chance plena de sequenciar ele com diversos golpes.

Acredito que as chances ainda eram de fato as mais bizarras possíveis, mas existia algo ainda na minha manga, um fenomenal atributo, que poderia ser meu trunfo naquele combate… Bem, minha técnica suprema, estava por vir, aquela que eu precisaria da melhor oportunidade, ela… não era fácil… Ela era cruel, e maldosa, mas efetiva, precisava de precisão, audácia, e claro eu não sabia como ia ficar depois de executar aquilo, mas, bem era necessária estaria sempre atenta aos movimentos que ele pudesse estar fazendo, eu já estava a tanto tempo calculando que isso melhorava minhas chances, então sabe… Eu tentaria MORDER O RABO DO INDIGENTE… Sim você não está vendo errado, é isso que faria, se em qualquer hora notasse, a possibilidade, rapidamente avançaria com a boca em direção a traseira do inimigo, e com toda a força que tivesse nos dentes cravaria eles no rabo. - TOMA ISSO CRIATURA VIL- eu sabia da crueldade daquele ato, mas como juiza, só tinha mais uma palavra pra aquele ser. -SOFRA- Tomaria no entanto cuidado, afinal ele costuma girar aquele troço se visse isso acontecendo calcularia o momento certo para rapidamente abrir a boca antes que fosse tarde, assim como tomaria cuidado para não morder na parte coberta por o metal, bem, havia outras escolhas, mas essa é sem dúvidas a mais sensata, pra me levar a vitória.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

A vida é uma caixinha de surpresas, e eu sou a surpresa desse filho de chocadeira, quero ver aguentar esse na cauda… Diego sempre me falou que quando é por trás todo mundo reclama, a dor infernal deve atingir você e te queimar como a chama do inferno. MORRA COM SUPREMA ARTE DA PUNIÇÃO… Diego tinha outra palavra pra isso mas… Ela é estranha, então prefiro minha versão, bem fica na sua curiosidade o que diabos ele dizia, mas a vida é como se fosse uma cachoeira, a gente apenas desce seguindo o fluxo, e encontra um monte de filhos da puta, meu lema poderia ser “Todo dia um filho da puta diferente” e assim seguimos para o próximo round, quanto ferrada eu vou estar? bem de fato não sei, mas de certeza o rabo dele vai estar mais depois dessa maravilhosa ideia, obrigada Diego, suas dicas sempre salvam o dia.

Histórico:
 


Off:
 




Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Pirata
Pirata
Achiles

Créditos : 38
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : Loguetown - East Blue

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptySex 27 Jul 2018, 22:31



I - For Whom The Bell Tolls



O olhar de Sophia para o mink era mais do que claro, o desejo que o homem morresse da forma mais horrorosa e humilhante possível, mas o homem não se abalava com aquilo, abrindo um sorriso ao ver o sangue escorrendo pelo corte aberto no rosto de Aldebaran. - Tudo bem! – Dizia Alexis um tanto triste ao ver que não estava sendo tão útil quanto gostaria. Rockfeller era persistente e estava vingativa, seus pés se moviam em uma alta velocidade com um avanço na direção do homem macaco correndo atrás de mim, o braço dela estendido e deixando um pouco previsível o golpe, Catatu rapidamente se contorcia deixando que o golpe passasse em vazio por cima do mesmo e como o destino era traiçoeiro, Narua conseguia também esquivar do calcanhar de Sophia movendo se rapidamente para trás, mas o próximo movimento surpreendia ele mais uma vez, o peixe nunca falha e isto era colocado a prova naquele momento com o Dead FISH SHOT de Senshi passando em vazio do homem, é… Talvez as vezes ele falhasse mesmo.

Mas o que realmente surpreendia o homem era o giro que a garota fazia no chão terminando com ela levantando de uma vez em um uppercut para a cabeça de cebola do indivíduo que deixava ele desnorteado por um momento, mas que era o suficiente para que com uma base preparada, a garota viesse com uma enorme cotovelada direcionada ao plexo solar do cebolaman, a cotovelada era forme o suficiente para que o homem desse um grito de dor andando vários passos para trás. - O jogo vai começar e você vai morrer de novo, desgraça. – O mink estava visivelmente irritado com os ataques e a maneira que a jovem estava se portando naquela batalha. O estudo de Sophia era mais do que inteligente, sabia como deveria se portar naquela luta e ela estava certa em relação a velocidade de movimento do macaco, ele era bem rápido acelerando os seus golpes e se movendo, mas devido ao seu corpo alto, demorava para recompor de golpes rápidos e era por isso que ela havia conseguido acertar o giro e a cotovelada relativamente rápida.

Sophia partia em direção ao mink com uma estratégia de golpe diferente e um estilo mais sujo, agindo de forma aberta com as duas palmas da mão abertas e tentando fechar na cabeça do seu inimigo como se tivesse dois pratos musicais em suas mãos, mas sua movimentação era previsível e o Talk to Hell falhava, a garota estava séria, mas aquele golpe não havia uma continuação certa o que fazia ela tentar um soco na têmpora do seu adversário, o tempo de um golpe para o outro era grande o que facilitava ao mink macaco para se esquivar abaixando a sua cabeça e um golpe vinha em direção ao seu pescoço, o cabeça de cebola tomava aquele golpe, mas ele havia se movido para frente apenas pegando perto da nuca e ele aproveitava daquele momento para interromper a sequência de Rockfeller, usando do impulso que conseguia para se direcionar a frente, ele agarrava ela pela cintura e levantava acima de seu corpo, lançando-a para cima e dando um giro em seu próprio eixo para que com o rabo, acertasse a corta de Aldebaran.

O macaco estava prestes a continuar a sua sequência de golpes quando a pequena baixinha finalmente conseguia fazer a sua técnica mais do que esperada por ela. - HEAADNUTS! – E lançando-se com toda a velocidade possível, acertava com a cabeça bem naquela área, sim, aquela área mesmo onde todo homem sente o outro lado onde se enxerga aquela luz branca no final do turno, sim, aquele lado. O destino parecia estar tanto do lado de Sophia como de Catatu Narua e como o golpe havia sido em um contra-ataque direto, não havia tido tempo para que a garota conseguisse segurar o braço do mink e isto havia causado a sua queda temporária.
Mas ahá! Como o destino havia proposto a oportunidade para uma técnica tão esperava e ao mesmo tempo, inusitada! Como um pneu desgovernado, Senshi partia para cima rolando e pegando no meio do tempo em que o macaco estava desnorteado, tinha sucesso em agarrar a perna do mesmo, começando a realizar vários socos por ali e obviamente, o golpe mais mortal para todos os seres humanos, uma fucking mordida e diversos pelos sendo puxados! - Arranca os pelos desse maldito! – Gritava Alexis ao seu lado e participava da tortura que acontecia com aquele mink, só que o homem estava parecendo um sayajin, se tornando mais forte conforme apanhava e like a um Goku extremamente furioso, ele empurrava as garotas para duas direções opostas.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

E parecia que o destino mais uma vez voltava-se contra a garota que tentava repetir o seu rolamento  like a beyblade, mas o homem parecia invocar o pégasus e em um giro forte lançava o pneu como uma bola de beisebol para o lado, a resistência da garota não era capaz de parar aquele golpe forte e mais uma vez ela acabava sofrendo os danos daquele golpe. A sua companheira desta vez ajudava mais uma vez, empurrando o homem pelas costas com uma ombrada forte e que fazia ele se virar próximo de Aldebaran que percebia a oportunidade perfeita para desafiar as leis da física e fazer o golpe mais cruel contra um ser que tem rabo, mordê-lo! Seu rápido avanço e sua boca afiada acertavam em cheio o mink macaco, o homem gritava e ele já estava em um estado mais do que furioso com os golpes baixos que a garota estava usando, fazendo com que ele aplicasse um de seus giros, mas desta vez ele queria ser mais mortal e abusar do enjoo que poderia causar na caçadora. Ele passava uma de suas pernas por cima da cabeça da garota, chutando a área que havia acertado antes, o golpe doía mas do que deveria doer pelo fato de já estar machucado ali e conseguia fazer com que ela soltasse os seus dentes de seu rabo, com uma rápida ação, ele agarrava as pernas da garota e começava a girar em seu próprio eixo. - Monkey Spin! – Com a garota girando e começando a se sentir enjoada, ele jogava-a para qualquer direção e fazia com que ela batesse sua boca no chão, o golpe acabava quebrando um dos seus dentes inferiores da boca perto do dente do ciso.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

O macaco também se sentia tonto por aquele golpe, mas estava de pé e segurando com uma mão a sua cabeça para ajudar a recuperar o seu equilíbrio, o homem estava mais do que machucado, haviam vários pelos faltando, sangrava em algumas áreas e já se via não tão bem em pé devido aos golpes que a garota havia conseguido acertar, além de estar com aquelas áreas doloridas. Enquanto que Sophia, sentia o efeito de uma embriaguez bem forte, seu mundo girava sem parar e era como se estivesse com labirintite, para a sua alegria, Alexis sentava-se em meio aos seus seios, forçando-a a abrir seus olhos e olhar diretamente para a pequena que segurava a sua cabeça. - Você está bem?! – Ela parecia preocupada com a sua companheira.


Considerações:
 

Ferimentos:
 

Dicas:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Senshi
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
ADM.Senshi

Créditos : 37
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 27/05/2018
Idade : 25

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptySex 03 Ago 2018, 17:41



Passo 6: There ain't no grave can hold my body down


Bem, dessa vez eu só posso dizer que… Aconteceu uma série de coisas, e nenhuma delas me vem na mente agora, então bem, vamos pra próxima, eu só sei que tenho ferimentos, e perdi um dente e preciso seguir em frente, nada de novo no mercado, só espero que isso não vire moda, negócio de perder dentes não faz nada bem. De todo modo em algum momento do dia eu devo descobrir por que as coisas chegaram nesse ponto mas eu tenho um palpite, sabe qual é? Você sabe? Só se esforçar um pouquinho… Pensa bem pou…. AH FODA-SE, É TUDO SEU PLANO SEU MALDITO ANIMAL DE TETA!!! A gente podia ter achado aquele cara que eu citei, tudo estaria feliz, Sombreiro, bigodão, sabe? Cara clássico, aí eu tenho um estranho maldito, ha…. Eu tenho uns livros novos pra te recomendar sabe, umas coisas mais felizes juvenis, menos problemáticas, e aí você pode mudar um pouco quem sabe…

Bem, acho que o que ainda tenho que fazer aqui é quebrar a cara dele certo? Certo, se você pensou em dizer errado, quero que morra… Mas então inicialmente não tenho muito pra onde me afastar eu tenho ideias… Bem se o que estava funcionando, eram golpes rápidos eu já sabia exatamente como agir. -FISH RYU SEI KEN- usando os dois punhos rapidamente começaria a desferir uma sequência rápida de socos um após o outro com socos intercalados.Tentando não dar espaço para que ele pudesse esquivar daquilo, entretanto não perderia a ideia principal, acertar zonas interessantes, o primeiro soco iria direcionado a têmpora, imaginando já que ele pudesse esquivar, partiria com o outro punho nas costelas, enquanto este estivesse nas costelas daria um outro cruzado, visando a orelha dele, para possivelmente atordoar, e depois centrando na região entre o peito e o umbigo, deferiria a maioria deles, se ele fosse se afastando avançaria conjuntamente desferindo forçadamente a série de socos e colocando pressão contra tal, se ele nesses tempos tentasse me atingir, eu deixaria que o fizesse EXCETO NO ROSTO. NÃO FODE CARALHO. Sempre tentando resistir aos golpes apenas enrijecendo a musculatura para que pudesse reduzir os danos, mas caso algum desses viesse NO ROSTO, tentaria girar a face conjuntamente com o punho ou a cauda do maluco, ou o que diabos ele pudesse usar PORQUE EU LEMBRO QUE ELE SÓ PODE ESTAR FOCANDO NO MEU ROSTO, PORQUE NÃO TEM COMO PORRA, NÃO TEM COMO, EU VOU MATAR ESSE DESGRAÇADO.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Entretanto talvez minha precisão não fosse o suficiente com os punhos, mas uma ideia me vinha disso, talvez usar meus dedos que teriam menor área de contato pudessem fazer disso mais fácil. Minha ideia era simples, atingir lugares que externa ou internamente pudessem causar sangramento, ou mesmo hemorragia, e para isso teria de usar minha técnica, especial. -ONE FINGER SCARLET FISH NEEDLE- Utilizando apenas o dedo indicador, partiria para aplicar golpes variados no indigente, existiam muitas coisas que eu poderia fazer, mas quer saber por que essa é minha escolhida? Quer mesmo saber? Bem, na verdade se você souber me diga, porque não faço ideia do porque tô escolhendo essa aqui, tinha um monte de coisa que poderia ser mais sensata, mas há… Só me deixa… Eu vou fazer isso e pronto. Não é como se isso fosse me matar NÃO É MESMO? N Ã Ã Ã O É???? HEIM?

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

O primeiro golpe prosseguindo a sequência iniciaria com uma tentativa direta de atingir a área ali próxima ao peito, a artéria pulmonar, começaria dando um ataque rápido com a direita bem no local, já deixando a esquerda pronta para o próximo golpe, mas a esquerda ficaria num lugar mais abaixo, colocando o foco do dedo na Artéria Femoral, atacaria rapidamente visando que pudesse vir nesse movimento, tentaria ser rápida, sem demorar muito entre um golpe e outro, e avançando sempre pra cima dele caso ele fosse se afastando, além disso, manteria cuidado pra quando ser atingida aproveitar disso, se ele usasse os braços pra me atacar aproveitaria do momento para atacar as artérias que ele tivesse no braço, aproveitando inicialmente para atacar a artéria radial, ulnar, e posteriormente a branquial, mas não precisaria ser necessariamente em sequência, sempre que ele me atacasse e tivesse a chance de fazer isso o faria. E mesmo que alguma vez falhasse tentaria repetir.

Mas essa não é a melhor coisa que posso fazer com o braço dele, tá achando que eu não pensei em nada melhor não é mesmo? Eu pensei sim, se em algum momento eu conseguisse segurar o braço dele, ou visse a oportunidade de fazer eu o faria, há… Mas não para por aí, nem pensar que pararia por aí, eu morderia o indicador dele, tentando acertar na artéria digital SIM ISSO MESMO, MORDER O DEDO DELE SERIA MINHA SUPREMA DESSE BLOCO. Assim como no caso dos golpes nos braços tentaria mais de uma vez atingir as artérias da zona do tórax mas ainda haviam mais duas tentativas para avançar no meio da minha sequência. Tentaria as duas artérias mais perigosas, com a direita miraria na carótida, e com a direita na aorta, dois golpes rápidos que seguiria de um chute na canela, por que? por que ele MERECEU UM CHUTE NA CANELA, posso não? Eu quero chutar a canela dele.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Depois daqui eu partiria para o mais comum de sequências de golpes, por que precisaria de um intervalo entre esse tempo antes de voltar pra algo maluco não acha? Sim, possivelmente eu devesse dar um tempo, mas bem, vamos aos nosso momentos de ataque, inicialmente nesse momento avançaria denovo pra cima dele, com um rápido movimento de chute, ops um não, dois movimentos de chute inicialmente um simples chute cruzado pela direita seguido de um veloz cruzado pela esquerda, que seria usado muito mais como distração que como ataque completo, já que o foco principal era que o próximo golpe acertasse, já que assim que os chutes tivessem sido feitos, rapidamente partiria com dois cruzados com as mãos, um de direita seguido com outro de esquerda, ambos visando as costelas do indigente.

Após esse golpe iniciaria então mais um sequencial assim que esse terminasse mas dessa vez um pelo chão, me lançaria para o chão abusando da aceleração, e rapidamente com um giro, tentaria colar na perna dele, dando alguns golpes baixos enquanto segurava ela como uma criança que quer o ursinho mas não ganhou. Rapidamente tentaria bater contra a região glútea dele, seguida de um golpe na traseira da panturrilha, e outro na base da coxa, visando desestabilizar, e posteriormente tentaria socar ele na área da virilha, mas não pra acertar as bolas dele, e sim na parte entre a base da perna e a ligação que liga a perna a o fêmur. Se necessário para isso puxaria com força a perna agarrada para o lado, visando deixar com que tivesse a possibilidade de acertar ele bem onde poderia fazer tal dor.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Bem as coisas seriam por aí, mas sempre temos a chance de ser pior não é mesmo, então lá vamos nós de novo e bom, não vai ser tão diferente da outra vez, você sabe como funcionam minhas prevenções, mas vamos deixar elas aqui bem claras. Primeiro de tudo, isso serve pra qualquer momento em que isso venha a acontecer, afinal, o objetivo é que as sequências sempre sejam finalizadas maaaassssss sabemos que o mundo não é gentil e essas possibilidades, são sempre pequenas, precisamos criar casos para se elas não forem não é mesmo? NÃO É? Então lá vamos nós de novo, para se em QUALQUER MOMENTO, só frisando que é uma tentativa para casos separados, afinal esse maluco pode conseguir fazer isso qualquer hora né? Então vamos lá. Se ele com algum golpe durante minhas sequências conseguisse me desestabilizar, fazendo ir pra trás ou mesmo abrindo a possibilidade de me derrubar, tentaria segurar o membro que me golpeou APÓS RECEBER O GOLPE, me segurando nele para recuperar a estabilidade e REINICIAR a sequência que estava quando o golpe me acertou e desestabilizou, mas apenas… APENAS se ele me desestabilizar, em caso o golpe seja recebido e eu conseguisse eficientemente continuar a sequência, apenas a continuaria, sem pensar duas vezes, nem mesmo acudiria o local.

Se em algum momento durante algum dos golpes recebidos, onde eu tenha chance de segurar o pulso de meu oponente durante a desestabilização, rapidamente giraria meu dorso para esquerda ou direita (Posicionamento mais favorável) e rapidamente com minha perna atacaria o pé de meu inimigo visando derrubar ele para o chão, sim usando do movimento do próprio corpo dele mais um pouco de força adicionada ali, em um solavanco rápido com meu pé, tentando colocar o desgramado no chão, se preciso adicionaria ali uma cotovelada nas costelas durante meu giro, apenas para diminuir o foco do rabudão, removendo algo assim da face dele seria algo que eu prezaria em fazer… Pois é o mundo é complicado, esse maldito não imaginava algo como isso… Eu acho que não imaginava ao menos… Eu não leio a mente dele, quer dizer ainda não… Bem só lembrando que se ele por algum motivo TENTAR ACERTAR A PORRA DO ROSTO DURANTE ESSE MOVIMENTO, eu tentaria reduzir o impacto girando conjuntamente meu rosto para que não houvessem danos graves para com este, ou ao menos reduzisse algum possível dano ali.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Há como o mundo é um lugar TERRÍVEL e eu preciso bater nesse desgraçado, ainda existiam algumas coisas que eram boas de se remover do meu caminho, e existiam coisas que ele podia fazer que me seriam úteis para o combate, afinal o que pode ser melhor do que deixar o inimigo ser usado contra ele mesmo? Na verdade várias coisas como tomar uma cerveja por exemplo, mas não vem ao caso, aqui é outro mundo, nesse instante se em algum momento ele me levantasse do chão em qualquer um que fosse, ou mesmo tentasse me agarrar, usando de acrobacias, tentaria rapidamente girar o corpo no ar usando a força do próprio inimigo para me manter, me apoiando com as mãos, e com a própria força do giro, para rapidamente aprisionar ele meio as minhas pernas quando as fechasse na cabeça do indivíduo, o puxando rapidamente para baixo com um giro corporal visando o mandar para o chão, sim essa era uma das minhas chances, mas nada dizia que eu faria isso e nem tinha qualquer certeza do que pudesse acontecer e por isso haviam mais precauções.

Se ele mesmo assim se mantivesse firme e me jogasse para contra o chão usaria de giros rápidos sempre, eles seriam normalmente tentando realocar o corpo ainda no ar, e posicionando corretamente o corpo na queda para que não houvessem danos realmente relevantes, ou se houvessem danos relevantes evitasse que fossem algo como perder um dente de repente, e pra isso se não tivesse a chance de usar de acrobacias para escapar, bem meu próximo passo, era usar das mãos na frente do rosto, sim essa é a última opção para todo caso, afinal a coisa é evitar danos grandes nessas áreas se possível.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Caso fosse para o chão em alguma hora, o que deve ser algo muito provável, você ama me derrubar né? Sei que ama, eu vi isso acontecendo umas 15 vezes já, na realidade eu to esquecendo de contar várias, mas vamos deixar assim, ao menos parece bem menos. De todo modo eu não gostaria de me levantar normalmente, sempre que caísse giraria rapidamente em direção ao indigente e tentaria subir de uma vez só com meu punho para o queixo dele, um golpe rápido, que talvez ele esquivasse, mas se o fizesse, rapidamente giraria com o cotovelo partindo do fim do golpe para o maxilar dele, sim era um golpe solto, para voltar a qualquer uma das sequências anteriores que eu pudesse estar executando naquele instante, então, bem… vamos em frente ainda temos muito a fazer não é mesmo? Não não é, acho que por hoje estamos quase lá em? Ou não… eu vou descobrir isso bem depois, mas acho que esse filho da mãe tem umas 6 vidas no mínimo.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Quando tudo isso estivesse perto do fim existia mais uma coisa que eu queria fazer, há… sim tem algo que eu não fiz ainda, mas que se eu conseguir, essa sim, será a finalização mais assustadora possível e sabe por que? Porque ela é simplesmente demais. Ela é chocante, e você não espera por ela certo? Talvez esteja esperando porque nunca sei o que se passa na sua cabeça, mentira eu sei sim sabe o que você pensa agora ?
SABE? Você está matutando assim: “É AGORA QUE EU VOU FODER ELA DE NOVO NESSA LUTA!!!” você está me vendo e escolhendo as 40 maneiras mais dolorosas de falhar nisso certo? E você ainda nem sabe o que eu vou fazer por que eu não disse, ou talvez você saiba desde o inicio, é melhor eu não pensar sobre isso, afinal você quem planejou essa droga, eu podia tá no bar, e bebendo umas coisas sabe? E talvez comprar um barco e começar a vender bananas em algum lugar por aí, já sei um COMÉRCIO MÓVEL DE BANANAS NA GRAND LINE. Ou não, vai que isso atrai esses malditos macacos rabudos e eles querem atacar meu barco… Péssima ideia… Vou vender sombreiros, gente normal usa sombreiros, resolvido.

Mas agora vem a estratégia final onde meu único objetivo é derrubar ele, com uma técnica que você já conhece e sei que ama- ROLLOUT- começaria a rapidamente girar pelo chão tentando acertar as pernas dele e levar ele para o solo, sim, tentaria girar rapidamente pegando velocidade para as pernas dele, uma técnica infalível de compressão, quer dizer, ela as vezes falha, mas não vem ao caso, por que eu estava disposta a tentar mais vezes , eu logo começaria a várias vezes colocar isso em prática, até se depois de várias tentativas não desse certo, eu agarraria a perna dele no meio de um desses, e tentaria atingir a fossa poplítea dele com um golpe veloz, ou nem tão veloz assim mas forte, já que estaria grudada por ali por trás.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Mas é agora que as coisas estavam ficando interessantes, sim, agora elas de fato avançavam, e se ele caísse agora as coisas iriam para meu rumo, naquele momento o primeiro movimento que teria era correr para cima dele e segurar a cauda do indivíduo, onde lentamente a puxaria, lento, porém forte e nesse momento passaria a cauda pelo meio das minhas pernas onde rapidamente subiria sobre as costas dele, com a cauda passaria ela pelo pescoço dele a puxando, começando a enforcar ele, enquanto prenderia a base entre minhas pernas a virilha e as costas dele, no caso forçando ela próxima a base muscular, pois desse modo poderia fazer com que ela não tivesse força para realizar os giros, fora que essa não deve ser uma das piores sensações, ao menos não até eu começar a enforcar ele, com a própria força da cauda dele e minhas mãos é claro

O tipo de finalização que eu pensava até ali era essa, claro que muitas coisas poderiam mudar no meu pensamento naquelas horas, e bem… Parando pra pensar, é uma péssima ideia meter a cauda dele.. Bem… Deixa pra lá, já é tarde pra pensarmos nisso, agora o que preciso é de mais fluxo onde pudesse seguir com aquilo sem medo e pudesse fazer com que ele fosse subjugado, e quando fosse, eu teria a vitória e um rabo de 5 milhões na minha mão, algo que é bem válido de se entregar.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Se na hora que eu estivesse tentando segurar a cauda ele a girasse, eu rapidamente usando da aceleração soltaria durante o instante do giro, e rapidamente a pegaria assim que ele terminasse, minha noção do tempo era sempre importante para essas coisas, e tentaria usar ela com a maior precisão que aquilo me permitisse. O mundo não é lá um mar de rosas e tudo isso pode dar extremamente errado, mas se der, bem aí eu terei que começar a jogar o jogo dele, e nesse jogo eu não vou perder, ou eu acho… Se depender de você é… Eu to muito fudida né? Bem uma hora isso vai ter de terminar, e acho que está virando aquele tipo de jogo que tudo depende de paciência na realidade espero que se for algo assim, eu fique até o final não é mesmo? bem a partir daqui é com você meu caro destino, me diga o que reservou pra mim hoje

Histórico:
 


Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] / [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Andando muito tempo por aí
Percebo que não tenho muito onde ir
E todos os caminhos percorridos
São páginas velhas viradas de um livro já lido.

(Jimmy & Rats)

Best Gang:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Pirata
Pirata
Achiles

Créditos : 38
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : Loguetown - East Blue

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptyDom 05 Ago 2018, 00:14



I - For Whom The Bell Tolls



O combate havia seu início novamente com Sophia indo para cima com toda velocidade tentando uma sequência de socos para cima de Catatu, os golpes eram rápidos, mas pareciam previsíveis para o homem que mesmo demonstrando uma certa lerdeza em conter aqueles golpes, conseguia esquivar com precisão, acertando a área de dentro das costelas de Aldebaran, o golpe saia mais forte que o previsto, exigindo um tempo para recuperar o fôlego da garota, ele toma um tempo para respirar dando um salto para trás. Como uma nova técnica que Rockfeller desenvolvia, ela começava a usar mais os seus dedos no combate como principal arma, o seu primeiro golpe na artéria falha e o segundo entra com sucesso, era um golpe forte e que causava uma dor visível no homem que dava um gemido, mas ele resistia, conseguindo ir para as costas da garota e aproveitando do seu impulso, girava com mais força e usando da sua cauda com o pedaço de ferro, acertava-a em cheio em suas costas já acertada anteriormente.

O golpe desestabilizava a garota que andava para frente, devido a área fragilizada de já ter recebido golpes antes, exigia novamente um tempo para que recuperasse o fôlego e isso fazia com que a cauda do homem não fosse agarrada. Com uma nova sequência usando novamente de seus punhos e com uma novidade de suas pernas, os dois primeiros chutes erravam, mas os socos entravam em suas costelas e o homem ia par atrás, conseguindo uma leve distância com um salto, os socos haviam sido fortes, só que o Mink estava resistindo bem aos golpes. Antes que pudesse respirar, ela partia novamente para cima dele, desta vez tentando agarrar as pernas do homem que conseguia ver com clareza o movimento, dando um grande salto para cima e escapando do agarre, como uma forma de punir aquele golpe que a deixava muito aberta, ele girava no meio do ar para cair com tudo em cima dela. Ela tentava agarrar ao mesmo, só que mais uma vez, o golpe deixava que o seu fôlego não deixava isso ser possível, para o bem da agora, Sophia conseguia girar quando ele saia de cima da mesma levantando com todo um impulso para tentar o primeiro golpe que passava no vento, mas o segundo pegava em cheio e desestabilizava o homem que ia bastante para trás.

O homem voltava com uma cotovelada que pegava em cheio, mas a garota já havia planejado uma consequência para aquilo, conseguindo resistir bem ao golpe, ela segurava o pulso do mesmo para tentar uma rasteira, Catatu era flexível e conseguia girar bem o seu corpo para que não fosse ao chão, mas recebia a cotovelada em meio ao seu peito que fazia-o andar para trás. Aproveitando do momento, Alexis aparecia em um momento crucial. - Agarrão! - O homem era rápido para escapar do agarrão da garota, mas aquilo distraia o mesmo que era pego em cheio com o Rollout de Aldebaran, os movimentos de Senshi a partir daí eram feitos com categoria, ficando em cima do mesmo e começando a enforcá-lo, o homem sentia o seu ar se esvaindo, mas não desistia, ele agarrava as pernas da mesma já que seus braços estavam livres e os empurrava, fazendo com que ela viesse a frente e o homem conseguisse girar o seu corpo já que sua cauda era afrouxada naquele instante, nesse momento, ele aproveitava da curta distância para acertar um golpe em cheio das costelas da garota que caia para trás com uma dor mais do que o normal.

Ele conseguia se levantar, o homem sentia as suas costas da mesma forma que a garota sentia que tinha algo de errado com o seu peito, a dor era maior do que o normal e que não se moveria com tanta facilidade como havia feito anteriormente, toda vez em que ela respirava, ela conseguia sentir a dor como se algo estivesse prestes a quebrar. - Isso já está durando mais do que o previsto, merda. – Catatu não parecia feliz em passar tanto tempo lutando contra a mulher.


Considerações:
 

Ferimentos:
 

Dicas:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Senshi
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
ADM.Senshi

Créditos : 37
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 27/05/2018
Idade : 25

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptyDom 05 Ago 2018, 18:41


Passo 7:Seek and Destroy




A luta seguia implacável, parecia que ainda tínhamos ambos muito pela frente, claro que é… ainda estamos no começo disso aqui, e vai ser um tanto quanto problemático quando terminarmos, carregar esse cara até o QG e receber algum tratamento por lá mesmo quem sabe. Afinal eu devo receber 5 milhões na mão, então vai ser interessante, apesar de todos os danos dessa vez eu não estaria como antes, lembra eu estava um pouco irritada? Pois é… mas agora eu não estou mais um pouco irritada, eu sou a PERSONIFICAÇÃO DA MORTE PRA ESSE FILHO DA MÃE, ELE VAI APRENDER COM QUANTOS RABOS SE FAZ UM MACACO, HÁ MAS VAI, tudo que eu preciso agora é de mais algum tempo de porrada com ele e posso finalmente partir para a glória, mais um julgamento feito, mais um dia finalizado.

Entretanto naquela hora eu de fato me questionava o quanto ainda poderia me machucar, visto que algo havia chegado ao ponto de deixar realmente alguma sequela grave, bom, acreditava pelos meus conhecimentos de anatomia que ele tivesse ferido uma costela minha, de algum modo, ter de abrir o corpo pra concertar isso não era minha ideia de diversão, mas não sou médica pra dizer se de fato algo ali tinha se quebrado ou era apenas uma contusão ou fratura simples, de todo modo era algo que ia me atrapalhar, e bem eu não podia me dar ao luxo de simplesmente deixar aquilo me vencer, eu teria de sentir a dor e seguir em frente independente de quanto ela me atrapalhasse, entretanto era uma hora boa pra começar a fazer o trabalho sagrado. De inicio dessa vez começaria com um chute alto, sim ousado não é? Eu já esperava que ele fosse esquivar, e bem, talvez fosse hora de eu começar a evitar tomar danos diretos, o inimigo é claramente forte o suficiente pra que eu precise fazer algo além nesse momento. Mas devia ter pensado nisso tempos atrás, e logo ter começado com uma brincadeira diferente da que estamos, de todo modo, começarei com um chute direto mirando a barriga dele como já havia pensado, imaginava que ele fosse esquivar disso, e por esse motivo me jogaria para o chão, sim eu sabia que as costelas deveriam doer naquele ponto mas eu tinha uma estratégia pra isso, que era simples respiração intercalada aos movimentos. Sempre que eu fosse fazer os ataques puxaria o ar antes, o soltando no exato momento do golpe, isso não acaba com a dor mas poderia suavizar ela um pouco.

E nesse momento do giro para o chão era o que eu faria, exatamente isso, rapidamente me moveria para o ataque visando a perna dele mais uma vez mas diferente das outras eu pararia diretamente tentando bater, com o cotovelo nela, e independente do que ocorresse levantaria com um uppercut, direcionado ao queixo do indigente, sim uma sequência simples, fazer algo mirabolante não ia me ajudar em nada agora, ou ao menos era o que se passava na minha cabeça quando começava com esse combate.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Agora o que mais fazer, bem, assim como anteriormente partiria pra cima dele visando o tórax, mas agora atrás de Jabs, queria aos poucos delimitadamente colocar alguns socos encaixados, mas sem fazer socos longos ou cruzados, apenas jabs leves sem mover diretamente as costelas, ou qualquer coisa desse tipo, ao menos inicialmente, claro que teria de mover elas quando fosse fazer os ataques mais sérios, mas o intencional era que simplesmente eu começasse a avançar e me manter o mais perto possível dele, não ia ajudar se eu não pudesse me manter em uma distância justa, mas estava no ponto de fazer algo que ele nunca tinha me visto fazer também, esperar a hora certa, já sabendo o tempo dos golpes nesse momento eu tentaria começar a esquivar, sim exatamente isso, ele não espera que eu faça isso, mas é esse o ponto, não usarei a esquiva de foco mas de distração, não é pra literalmente não deixar ele me pegar mas pra que ele me pegue. No futuro claro, farei parecer sério em primeiro momento.

Quando ele me atacasse prestaria atenção na movimentação dos golpes, se fosse um soco alto, rapidamente me abaixaria ou o mais rápido que eu conseguisse, ou melhor, não necessariamente soco, mas qualquer golpe realmente alto, poderia ser de cauda, e quando me abaixasse partiria com um ou dois jabs para em direção a ele também, uma coisa que não esperava muito que o ferisse, mas que pudesse pressionar ele, já se fosse algo baixo pelo tórax ou algo assim, visaria o lado direito ou esquerdo, tentando desviar para um deles, entretanto o que dizer, ele ainda poderia acabar me acertando em meus movimentos, se bem que eu esquivo tão bem quanto qualquer coisa que sei fazer ao menos por enquanto… Existem alguns poréns nisso, já que eu parecia ter adotado uma postura diferente, e isso poderia ou não confundir ele, se em algum momento ele tentasse aplicar um golpe próximo ao ponto da dor, esses eu visaria esquivar realmente para evitar, o que poderia melhorar ainda mais minha finta em relação a isso. Se bem que era uma finta apenas em parte, eu parava pra pensar que talvez eu devesse ter agido assim logo de início, mas seria sem graça provavelmente se eu tivesse feito.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Nesse ponto onde estaria literalmente flertando com o destino, vamos começar o que eu realmente quero fazer até aqui, a partir do momento que percebesse que ele estava tentando me acertar com tudo que tivesse era esse o momento que precisava, sim exatamente esse. Assim que visse que algo pudesse estar de fato vindo, giraria meu corpo para o lado bom, pra que a costela não fosse novamente prejudicada, esse golpe seria realmente recebido, mas não diretamente, eu avançaria para cima do ataque e rapidamente subiria com um golpe com a mão diretamente visando a garganta dele seguido de outro com a outra mão nas costas, que visava que ele se abaixasse, e quando tal ocorresse rapidamente subiria com o joelho no tórax ou rosto do homem. O Golpe no entanto seria apenas um modo de tentar realmente completar um ataque, onde giraria o corpo em 180 graus tentando finalizar o golpe com uma cotovelada, diretamente nas costas  se ele ainda estivesse de pé. Caso caísse com a sequência anterior aproveitaria para com o momento exato tentar ir novamente para cima dele, tentando dessa vez montar nele por a frente.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Caso ele ainda estivesse de pé depois de tudo isso, ou tivesse se esquivado de todas as coisas começaria novamente com os jabs, tentando sempre mirar ali a região do tórax, usando em cada golpe a respiração bem feita e compassada visando reduzir sempre um pouco da dificuldade que pudesse estar apresentando por a situação em si, e claro talvez bem, não estivesse 100% mas eu podia lutar ou achava que podia na realidade, até que eu não estivesse mais consciente. Nesse momento esperaria que ele fizesse algo, sim exatamente isso sabe quando não queremos simplesmente fazer alguma coisa? Esse não é o meu caso, eu até queria prosseguir violentamente pra cima dele, mas em algum momento do meu dia isso virou um jogo de xadrez sabe lá Deus porquê, e eu que não vou ficar pensando nessas merdas, se a vida te dá uma laranja enfie ela no meio da bunda dos seus inimigos, é isso que eu digo.  

Eu não podia no entanto deixar escapar a chance de derrubar ele se ele ainda estivesse de pé, e nesse caso esperaria o próximo golpe dele, teria o máximo de atenção possível pois me partiria desse golpe que iria fazer alguma coisa, no momento que recebesse ele eu já calculando o tempo que pudesse ele pudesse desferi-lo, tentaria segurar a mão dele após o impacto onde segurando ela rapidamente puxaria o braço dele para a lateral, enquanto segurava com uma das mãos perto da base da mão o girando a outra mais próxima ao músculo o forçando rapidamente para baixo onde tentaria fazer com que o tórax dele fosse levado para frente e rapidamente, enquanto subiria com o joelho visando atingir o rosto dele, de preferência o nariz mas tinham sempre outras possibilidades na descida, a ideia era causar o maior dano que eu conseguisse com esse movimento e claro, assim que terminasse esse primeiro golpe, soltaria de uma vez o braço, avançando com um giro rápido, visando a perna do inimigo, para levar ele para o chão, um golpe na traseira dele.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Quando estivesse em cima do indigente no entanto não tentaria algo como enforcamento, eu tentaria partir para cima dele com tudo que tivesse, tentaria não com socos, mas usando as bases dos cotovelos para machucar tanto quanto conseguisse. Seriam sempre golpes alternados visando o rosto do mesmo, pancada após pancada, tentando verdadeiramente desacordar o inimigo, tentaria isso mais de uma vez se fosse necessário, sempre que ele caísse a intenção era justamente essa, partir para cima dele, montar e tentar desacordar o inimigo, se visse a oportunidade meio às cotoveladas de encaixar um soco na têmpora, ou mesmo um golpe de cotovelo tentaria o fazer, e se batesse, tentaria fazer com que não só a tempora fosse danificada pelo soco, mas que a parte traseira da cabeça fosse para o chão com força sendo danificada pelo recuo do impacto. A ideia aqui é que isso seja uma tentativa sempre que ele cair, pois assim teria cada vez mais chances de danificar o mink, é uma coisa interessante que ao mesmo tempo não é nada bonito de se fazer ou de se testar mas, fazer o que não é mesmo? Às vezes as escolhas são poucas e temos que agir de acordo com o que a vida nos dá, com aquilo que muitas vezes poderíamos preferir ignorar.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

A única coisa que eu poderia ter a mais aqui nesse momento era proteger meu rosto, sim, era algo que continuaria fazendo quando fosse acertada, tentando girar a cabeça pra algum dos lados, para que eu pudesse de fato tentar reduzir os danos na face, se isso fosse algo muito recorrente bem, eu só poderia dizer que algo está errado no mundo, alguma coisa no tecido da realidade provavelmente deseja que eu me fira no rosto, e quer isso fortemente e por isso que a vida continua me acertando ali, a gente já só tem um lugar bom, ferrar com ele aí já passa dos limites do meu bom senso. Por isso bem, era ali que eu queria prevenir qualquer coisa que pudesse piorar a situação.

E claro existia uma última coisa uma ação um tanto desesperada para caso ele não tivesse caído em nenhum momento ainda, bem, ela consiste no mais basico do basico. Correr loucamente pra cima dele agarrando de uma única vez ele no tórax visando jogar o peso do meu corpo pra cima dele com o agarrão o levando para o chão. Sim era uma tentativa solta, que mais parecia um touro aleatório tentando atacar o homem com o pano vermelho, mas era o que me sobrava pra tentar em algum momento derrubar ele.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Para quando fosse acertada e desestabilizada, a estratégia se manteria, tentar segurar o membro que o fizesse rapidamente, tentando evitar a queda, puxando ele e usando para me reposicionar e começar qualquer sequência que eu pudesse no meio disso, bem cada coisa em seu tempo e em seu lugar, uma hora esse cara vai ter de cair e quando ele fizer isso eu vou poder carregar ele pra longe daqui mais uma vez. Mas o que fazer? eu de fato não saberia te dizer até que ponto esse é o caminho correto desse combate, mas não vamos tentar alongar essa coisa ainda mais, eu tenho muito a fazer no dia, como comprar um barco por exemplo. Então pensemos assim, tempo é dinheiro, e macacos são banana entende? A gente só precisa fazer as coisas seguirem dessa forma e vai dar certo.

Histórico:
 


Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] / [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Andando muito tempo por aí
Percebo que não tenho muito onde ir
E todos os caminhos percorridos
São páginas velhas viradas de um livro já lido.

(Jimmy & Rats)

Best Gang:
 


Última edição por Senshi Akuma Yundi em Seg 06 Ago 2018, 03:21, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Pirata
Pirata
Achiles

Créditos : 38
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : Loguetown - East Blue

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptySeg 06 Ago 2018, 02:51



I - For Whom The Bell Tolls



A tensão estava chegando ao seu limiar, ambos pareciam bem cansados e machucados, Catatu parecia estar bem mais quebrado do que Senshi, faltavam pelos, haviam marcas de mordidas, hematomas e machucados que mostravam que não estava em um estado muito favorável, a sua respiração ofegante era o ponto em que Sophia dava o seu primeiro passo em direção ao homem. Com um rápido avanço, a garota partia para cima com dois chutes, um mais alto e o outro mirado no estômago e como já previa, o mink conseguia esquivar de ambos e garota priorizava os seus dois golpes seguintes, estes sendo o giro no chão e acertando com o cotovelo em sua coxa esquerda e o segundo com um uppercut bem-dado em seu queixo que fazia ele bater os seus dentes e ir para trás sentindo que um de seus dentes havia quebrado. Os ataques não haviam um intervalo de tempo grande e a caçadora ia para cima novamente, os dois jabs em direção ao homem falhavam como esperado pela garota, mas faziam o mesmo recuar, ao se ver perto de uma parede, o mink aproveitava da sua flexibilidade para girar com em 360º na direção da garota com a sua cauda tentando acertar um golpe direcionado ao rosto dela, a garota estava bem preparada para isso e conseguia esquivar do mesmo acertando mais dois jab no peito do homem que batia contra a parede.

O homem estava encurralado e isso fazia com que ele fosse para cima tentando escapar da parede direcionando dois socos na direção das costelas da garota e tendo um foco ainda maior para aqueles golpes, ela escapava de ambos, mas ela dava o espaço que ele precisava e ele não parava de atacar, com um segundo golpe vindo com tudo, ele usava de seus braços para rodar na direção da garota e virando para o lado bom, ela resistia o golpe e conseguia surpreendê-lo com uma sequência de movimentos dos quais bem executados como os dela, provocavam um dano massivo ao homem, mas não o levava ao chão, o nariz de Narua sangrava, mas ele conseguia recuar, desta vez para uma direção que não havia parede.

A sequência de golpes continuava com dois jabs que acertavam o homem e ele continuava a ir para trás, mas conseguia esquivar dos seguintes e como uma maneira de contra-atacar, ele partia para cima com mais ferocidade que o normal e era o momento em que Sophia se aproveitava para aplicar uma chave de braço em seu ataque, a garota forçava-o bastante para baixo, mas o homem conseguia trazer de volta para cima, a estratégia da mesma funcionava e aquele era o único momento em que ela havia falhado, mas ela não desistia e partia para cima como um touro furioso, aproveitando de seu ombro para acertá-lo em cheio indo ao chão. Os golpes contínuos de cotoveladas e socos causavam cada vez mais dano na face do homem, a mulher parecia realmente enfurecida em cada golpe que nada, mas ele ainda resistia empurrando Senshi para o lado, só que não havia acabado com uma participação especial de Alexis com um chute forte em seus testículos que não deixava o homem levantar e dando chance para que Sophia continuasse até que o homem finalmente tinha seus olhos fechados e seus movimentos parados, a vitória era da caçadora.

- Mas que filho da **** com testículos de aço! Meu pé está doendo! – Ela saltitava segurando o pé tentando diminuir a dor provocada pelo chute e colocando-o no chão. Alexis olhava diretamente para Rockfeller e via que ela não estava em estado tão bom, caindo ao chão com sua respiração mais ofegante, mas levantando-se aos poucos conforme sua força permitia, com a adrenalina se esvaindo, as dores davam uma aumentada, mas a sua pequena companheira segurava-a fortemente para se manter em pé.


Considerações:
 

Ferimentos:
 

Dicas:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Senshi
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
ADM.Senshi

Créditos : 37
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 27/05/2018
Idade : 25

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptySeg 06 Ago 2018, 13:30



Passo 8:Is the nature of my game

Naquele instante a luta se seguia por mais uma série de ataques, não sabia exatamente o que me levou a tanto tempo dentro daquele combate, eu sabia que as coisas não seriam fáceis mas foi um inimigo formidável. Entretanto a hora de todos chega, e bem era o momento em que eu precisava decidir, ele vive ou morre? Bem, era essa parte do trabalho, que você sabe muito bem o por que de eu nunca pensar muito sobre, mas bem ele ainda estava acordado, mesmo que meus punhos tivessem o acertado eu não conseguia parar, golpe atrás de golpe e mesmo assim ele estava ali, até que na última estratégia desesperada, um golpe final, que nada mais era que uma investida qualquer desgarrada de tantas outras, mas que funcionava, aquilo sim determinou o final da luta, depois do homem no chão, apagado agora o momento chega, matar ou não ele.

Nessas horas eu me pergunto, o que você faria no meu lugar? Provavelmente você nem teria procurado esse homem e sim um bigodudo de sombreiro, mas fingindo que você viesse atrás de algo como ele… bem o que você faria agora? O mataria? A resposta, era algo que você não me daria provavelmente… mas é exatamente esse o ponto, você me fez juíza por que acredita que pode confiar não é? Nesse momento eu puxaria a espada que estava nas minhas costas e passaria ela sob o peito dele, a ponta mirada para seu coração enquanto eu segurava ela pronta pra estocar bem no peito ele, mas era decisivo que o que eu fizesse agora definiria o futuro, e naquele segundo eu decidia apenas por, dar uma segunda chance aquele cara, a minha vontade de matar ele não havia sumido, eu de fato pensava, mas não seria justo se eu o fizesse, parte do que carrego dele é raiva pelo combate intensivo, e não por os atos dele.

Era alguém que eu não podia simplesmente tirar a vida ainda, mas se nossos caminhos se cruzassem de novo, e ainda fosse um procurado, aí, ele teria de pagar. - Alexis, vamos entregar ele. O trabalho está terminado.- Naquele momento levantaria de cima do homem retirando a espada do julgamento de cima dele e a colocando de volta em sua bainha, sempre me tinha uma aparencia agradavel quando a puxava, aquela aura mística e cheia de poder que a envolvia. Você claramente sabe disso não é? só existe uma coisa nesse mundo que me dá propósitos de seguir em frente e é esse trabalho, essa espada, essa vida de punições e redenções, eu sei que sabe disso, e sei que está sempre na sua cadeira observando e rindo dos desastres. Mas ainda assim eu tenho uma coisa pra te dizer sobre esse dia de hoje. VAI SE FERRAR, SEU ANIMAL DE TETA, OLHA MEU ESTADO, OLHA ATÉ ONDE TIVE DE IR PRA ACABAR COM UM MALUCO COMO ESSE, VAI PRA A MERDA, há…. como viver no meio da desgraça criada… VOCÊ AMA ISSO NÃO É? Sim, negue o quanto quiser, eu sei que ama.

Nesse momento levantaria a criatura colocando ela sob os ombros, passando o braço por ali. - Alexis, da uma ajudinha aqui, que não to lá nos meus melhores dias.- e realmente não estava mesmo, estar de pé já era uma coisa grande naquele instante e caminharia como melhor pudesse em direção ao QG da cidade, para entregar o homem, se em algum momento visse algum marinheiro o chamaria. - Ei!! Homem da lei, me ajuda a carregar ele, é um procurado, estou indo entregar ele.- ele ajudando ou não eu seguiria em frente, levando o homem para o QG, onde assim que chegasse, tentaria levar para o responsável por recolher procurados ou o que quer que fosse. Sim, eu precisava entregar ele logo, e no momento que avistasse um homem assim diria. - Lhes apresento Catatatu Narua, homem de 5 milhões.- e jogaria ele para o chão enquanto esperaria a resposta do homem, não é como se estivesse eu entregando lá um procurado muito poderoso, esse valor não é tão alto na realidade, mas o homem era bem forte, então era alguma coisa. Se ele me desse o dinheiro o guardaria no sutiã colocando no peito direito. -Obrigada, espero que tenha um bom dia mas onde fica a enfermaria?- questionaria naquele instante, eu precisava de fato me tratar antes de seguir em frente. Os ferimentos tinham sido sim relevantes desta vez e precisava de um médico que soubesse o que está fazendo em vida.

Caso ele me respondesse onde ficava tal agradeceria. - Obrigada senhor, digamos que eu levei uma surra do rabo dele, então tenho de me tratar antes de partir. -E dali eu seguiria diretamente para o médico, eu esperava encontrar alguém ali que pudesse realmente me tratar o mais rápido que fosse, eu não gostava de ficar tanto tempo com alguém metendo a mão em ferimentos dolorosos, e assim que eu chegasse no lugar perguntaria. - Você é o médico/médica do lugar?- Se a resposta me fosse sim, tiraria o dinheiro do sutiã, colocando na parte da frente na calcinha, e depois rapidamente removeria a parte de cima das minhas roupas deixando todo o corpo exposto, desde a blusa até o sutiã, rapidamente em um puxão só pra cima, era minha maneira de acelerar as coisas ele precisaria ver meu tórax de todo modo, e ia pedir vez ou outra, e sempre que vi alguma menina brincar de médico o resultado é sempre esse. - Eu me feri em um combate, e preciso de tratamento, meu tórax dói em pontos variados, e acho que a costela está trincada, perdi um dente que acho que precisa de algum remédio, e to com um hematoma nas costas, gostaria que me tratasse se possível, eu posso pagar já que não sou marinheira, e isso venha a ser necessário.- Eu esperava que remover as roupas assim do nada não assustasse ele, na verdade talvez essa tenha sido uma péssima ideia, esperava que o homem fosse profissional, a maioria não é, e só agora que isso veio na minha cabeça, ele poderia ser um babaca completo, mas foda-se eu não quero saber se ele puder me tratar fosse como fosse eu ia em frente, só queria ir embora dali com o corpo bem, bem de todo modo se ele pedisse, deitaria sobre a maca me acalmando um pouco naquele momento.

Eu teria um olhar sincero naquele momento, eu tinha uma única preocupação, se ele precisava me abrir… era possível que sim… e esse fato me dava uma leve agonia. - Seja sincero, você vai precisar me abrir pra tratar alguma coisa? por que eu queria me preparar mentalmente se isso for acontecer.- sim, era algo que eu não gostaria que acontecesse, tenho lembranças do meu pai me fazendo isso, sem anestesia, e não foi agradável, digamos que não somos muito resistentes por dentro, e quando se faz uma operação a seco na filha com adrenalina no corpo, ela provavelmente vai gritar bastante, e não queria passar por isso nessa mesa, mas se fosse preciso dessa vez era uma questão e sobrevivência, e eu sei exatamente quem eu vou culpar, sabe quem é? SABE? É ISSO MESMO VOCÊ SEU DESGRAÇADO QUE TA LENDO ISSO E RINDO, SEU MALDITO CAVALO DA CARRUAGEM DO FARAÓ, VAI SE FERRA MALDITO, HAAAAAAAAAAAAAAAA VAMOS OPERAR A MENINA AGORA POR QUE ELA TEM TRAUMA, VOCÊ UM DIA VAI VER SÓ… faz isso não… já foi um dia pesado, a gente pode negociar, eu arrumo um sobreiro e tal, ou coloco bigodinho, algo assim, não sei, só não era uma boa, ME DEIXAR PRA MORRER NA MESA DE OPERAÇÃO. Calma, vai dar tudo certo, deve ser um cara competente… espero…

Histórico:
 


Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] / [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Andando muito tempo por aí
Percebo que não tenho muito onde ir
E todos os caminhos percorridos
São páginas velhas viradas de um livro já lido.

(Jimmy & Rats)

Best Gang:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Pirata
Pirata
Achiles

Créditos : 38
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : Loguetown - East Blue

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptySeg 06 Ago 2018, 17:04



I - For Whom The Bell Tolls



A multidão estranhava o comportamento da garota, assim como Alexis, ser a juíza com uma espada que apenas Sophia conseguia enxergar era de fato diferente para todos que observassem, mas Rockfeller sabia que o destino havia dado aquela escolha, com um pouco de pensamento, ela decidia que não seria a executora naquele caso, dando uma segunda chance ao procurado. Ao receber o pedido de ajuda, a pequena assentia com a cabeça e parecia preocupada com Aldebaran, mas isso não as impediam de começar o seu caminho em direção ao quartel. Não demorava até as garotas encontrassem um marinheiro pela rua que perguntava o que havia acontecido com elas e o por quê de estarem carregando o homem todo acabado e assim a caçadora respondia para o mesmo, ele olhava com mais atenção ao homem e também conseguia reconhecê-lo, ajudando a garota a levá-lo em direção ao quartel.

A caminhada havia sido longa e haviam passado por volta de vinte minutos, Senshi estava mais do que exausta, embora continuasse progredindo para dentro do quartel, o marinheiro que as havia acompanhado direcionava elas até o responsável pelas recompensas e um homem de bigode e terno estava perto das celas dali. O homem olhava com atenção para ele e para o cartaz, tentando reconhecer cada detalhe do mesmo antes que retirasse de seu bolso a quantia de cinco milhões de berries e a entregando para a caçadora. - Belo trabalho, caçadora de recompensas. – Ele assentia com a cabeça enquanto que o marinheiro jogava ele em uma das celas, registrando o seu nome em uma prancheta. Sophia, que não estava tão bem, perguntava para onde era a enfermaria e o homem direcionava ela através dos corredores do quartel. O lugar todo era da mesma forma que Rockfeller havia visto antes, seus padrões de cores azul e branco.

A enfermaria estava vazia e a médica responsável aguardava pela moça como se já soubesse que haveria um paciente, colocando-a em uma das macas presentes, ela perguntava o que Senshi sentia e o que havia acontecido com a mesma e com os detalhes, a médica entendia melhor da situação, a atitude de Aldebaran era estranha, mas seria pedido de qualquer maneira, se despindo em frente a mulher, os movimentos dos quais precisava fazer aquilo eram mais do que duros, provocando grandes dores e fortes gemidos de dor da garota. A médica não aceitava receber um pagamento pelo tratamento, dizendo que como ela havia entregue um procurado, a marinha arcaria com os gastos. Tendo uma melhor visão do que estava de errado e os machucados que a caçadora havia, ela começava a tratá-la. Alexis estava ao lado, sentada em outra maca balançando os seus pés. - Não será necessário operar, pode ficar tranquila. Sua costela não está quebrada, apenas trincada, é melhor que você não faça exercícios muitos duros por um tempo para não prejudicá-las, mas remédio e uma faixa ajudarão em sua recuperação. – Era passado pomada nos hematomas mais aparentes e na costela da garota o que causava um bom alívio, analgésicos eram o próximo item da lista do tratamento, relaxando ainda mais Sophia dos seus tratamentos e por fim, passando uma faixa por todo o tórax da garota, deixando bem firme e prendendo com esparadrapos. A médica não havia se importado com cicatrizes aparentes da garota de eventos anteriores, apenas sendo bastante profissional e não perguntando sobre. - Você está livre para descansar aqui se quiser.

A mulher sorria para Rockfeller, recolhendo o que havia usado, jogando fora aquilo que não era mais útil e sentando em uma cadeira onde preenchia uma prancheta. - Está melhor? – A garota dava leves tapas na coxa da caçadora, olhando diretamente para ela. O clima parecia ter esfriado com o tempo passando, como a adrenalina havia passado e o suor havia secado, o corpo estava mais uma vez “frio” e deixando-a com mais frio.


Considerações:
 

Ferimentos:
 

Dicas:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Senshi
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
ADM.Senshi

Créditos : 37
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 27/05/2018
Idade : 25

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptyTer 07 Ago 2018, 01:33



Passo 9: Living Easy, Livin’ Free

Depois de todo aquele embate e sofrimento de carregar um cara como aquele até a Marinha, finalmente o homem me entregava o dinheiro apesar de ele parecer demorar para reconhecer o rosto, não sabia se por minha causa já que quem sabe eu tivesse deformado o coitado, bem isso poderia ser ruim se ele não tivesse me entregado o dinheiro por ele ser irreconhecível… Era algo que era bom eu me lembrar, preservar características importantes, como cicatrizes ou cores de cabelo, ou itens importantes que possam dar nomes aos procurados, se bem que… Quantos homens andam com armas na cauda? ACHO QUE SÓ AQUELES QUE VOCÊ COLOCA PRA TENTAR ME FODER NÉ? PORQUE ESSA PORRA SÓ PODE APARECER AQUI QUE EU TÔ LIGADA. To de olho nessas suas audácias aí… Quase que o homem nem é reconhecido, e olha não tem como… Maluco com um rabo gigante ali… Porra, só se for cego pra não ver isso velho, não pode sê… Bom ao menos ele me dava o útil, uma informação sobre a onde eu deveria ir ,e bem, era perto dali aparentemente, eu apenas precisei andar um pouco e estava de frente a mulher que ia me tratar, guardar o dinheiro que antes estava no sutiã e por na calcinha era a estratégia de cuidado… E eu estava certa, pois tirar as roupas doeu… É doeu bastante… E não iria ter pego isso no ar nunca se tivesse caído do sutiã.

Nota mental “Se for ser tratada por um médico, não ponha a grana no sutiã. Ela provavelmente vai ter de ser removida dali.” pronto, coisas pra me lembrar, nada de grana ali antes do tratamento. Talvez deixar apenas o que fosse ficar pra ele. hum… É não pode ser uma boa ideia, vai que ta a quantia errada… É vamos a próxima etapa desse sofrimento, a mulher bem… Metia a mão em tudo, me enfaixava, metia um monte de coisas em mim até dizer chega e caralho, acho que as coisas estão ficando bem loucas, porque velho, deve ter uma série de ferimentos ali, e bem de fato dói tudo, e ela tocando dói também, e eu respirando dói também, acho que eu morrendo deve doer também, que merda que aconteceu. Cara eu sabia que você ia me foder de todo jeito, mas acho que você passou um pouco dos limites, lembra do lubrificante da próxima, que ta difícil aqui… Ao menos uma notícia era boa. NÃO VAI PRECISAR ME ABRIR AQUI, AMÉM ESSA ERA A MELHOR PREOCUPAÇÃO, quando a mulher dissesse não precisar me abrir automaticamente eu abraçaria ela. - EU TE AMO!!! não sabe o quanto eu estou feliz em saber que não vão ter que me fatiar numa mesa de operação enquanto dão risada dos meus gritos, já é um progresso no meu dia.- E de fato estava feliz demais por aquilo não precisar ir por esse rumo, e bem, tudo terminava por ali.

Alexis a muito parecia preocupada e bem era hora de acalmar um pouco ela também, ficaria ainda deitada naquele momento, sem sair da cama agradecendo a mulher por me deixar ficar um pouco e descansar. - Obrigada, eu irei ficar apenas alguns minutos repousando o corpo por conta da medicação mas não devo ocupar esse espaço por muito tempo, e Alexis eu estou bem sim, acho que já passei por coisas piores.- um sorriso sincero surgiria em meu rosto quando falava, e eu não estava dizendo aquilo apenas pra fazer ela se sentir melhor, de fato, isso agora não foi muito comparado a passados que já me disseram respeito, claro que hoje eles são meras sombras que acompanham minhas vitórias, e eu rio deles, pois a cada momento que me aproximo do meu destino, eles choram, pois não puderam me derrotar, e as mãos deles estão no chão, esperando que alguém me derrote, pra eles poderem me puxar pra baixo, e me destruir passo a passo, mas não foi hoje, e talvez nunca seja, pois é assim que tem que ser, é assim que precisa ser, é pra isso que eu nasci, é pra esse trabalho que eu fui designada e faço com honra, mas algo que Alexis deve ver e que eu não deveria mostrar talvez.

Existem coisas na vida que nos arrependemos e eu espero que mostrar isso não seja uma dessas. Naquele momento eu mostraria pra ela algo profundo, a nudez, não a de meu corpo, ela já estava vendo isso, e não tem nada impactante nele, mas a nudez de minha alma. -Alexis pode chegar um pouco mais perto?- e esperaria que ela se aproximasse ou ao menos dissesse vir, e quando ela estivesse removeria lentamente minha luva, e mostraria as minhas mãos para ela. - Você vê isso? Essas cicatrizes? Essas costuras, não são em si as cicatrizes, eu tenho muitas no meu corpo como pode ver, no meu dorso, e nas costas, até espalhadas pelos braços, queimaduras, ou mesmo cortes, mas essas são diferentes.- Eu sentia de fato um pouco de vergonha de exibir aquilo pra ela, na verdade pra qualquer um, e pra médica que naquele momento poderia talvez ver ou ouvir de fundo, mesmo que meu tom de voz fosse reduzido para falar um pouco. - Antes de eu me chamar Senshi, eu tive outro nome um dia Sophia Aldebaran Rockfeller, já deve ter escutado isso, esteve em todos os jornais, o nobre caído ou coisas desse tipo sobre meu pai, bom ele fez isso nas minhas mãos, ele colocava elas dentro do vidro e me fazia apertar ele, às vezes a colocava dentro da água fervendo, o que ele mais machucava eram as minhas mãos.- E nesse momento pararia por alguns segundos para respirar antes de continuar qualquer coisa sobre essa história, e não que isso ainda me afetasse ou me fizesse sentir menor que qualquer outro, eu na verdade sou grande hoje, e tenho plena noção do quanto meu trabalho é parte de algo maior o que me torna algo grande também.

O que me afetava era ainda as mãos expostas, mas por que eu não tinha guardado elas você me pergunta? Ela já tinha as visto não é? Simples, não valeria se eu apenas as escondesse enquanto falava, eu não estaria colocando as coisas pra ela como deveria, e meio a esse pequeno descanso que dava para a minha fala, as memórias do que acontecia na ilha do gelo sempre passavam em flashes na minha cabeça. -Sabe por que ele fazia isso nas minhas mãos? Porque ele dizia, que eu era o que ele queria para o futuro, que eu deveria gerar a companhia, e fazer com que eu fosse respeitada e um dia tomar o lugar dele, e então antes de meter minha mão no vidro, água quente, ou o que quer que fosse ele falava “A mão que segura a pena, que vai escrever as regras do destino, precisa ser forjada com dor, e disciplina, ou elas jamais serão capazes de suportar o peso que está sobre elas, pois suas decisões estão em cada palavra escrita, o que você escrever não serão pedidos, serão ordens” e a partir disso os castigos começavam, eu não me esqueço disso, e não me esqueço de meu passado, porque ele me construiu, eu não sinto peso nos ombros por isso, porque hoje eu sei pra que eu nasci.- Assim que dissesse isso, apenas viraria um pouco o corpo para a lateral que não estivesse as costelas trincadas, deixando elas mais livres enquanto colocava as luvas de volta, pois aquele momento estava no fim.

Eu precisava dizer poucas coisas ainda mas essas eram relacionadas a o que realmente eu agora me tornei e por que eu estou aqui. - Alexis, eu hoje tenho certeza que eu fui feita pra caçar vagabundo, e jogar eles atrás das grades, existem apenas 3 princípios quando se nasce pra isso, e ninguém precisa te dizer eles, quando você foi trago pelo próprio destino pra esse caminho, isso flui no seu sangue, quando você vê algo de errado seu sangue ferve, seu corpo se move, seu cérebro te diz, você precisa ir lá… Então só existem 3 escolhas e você sorri pois sabe quais são, Curar, Conter ou Destruir, só se pode fazer uma destas, e no fim quando o inimigo estiver no chão e você de pé, você tem o destino dele nas suas mãos, e não se preocupe, porque ele sempre vai estar no chão quando eu terminar!!- Eu daria um enorme sorriso quando dissesse isso, quando mostrasse pra ela quem eu sou, por que não importava a onde eu fosse, essa é Senshi, essa sou eu, o que o mundo fez de mim, o que eu mesma fiz de mim, e o que o destino quis que eu fosse, enquanto eu estiver em sintonia com o mundo, eu sei como isso vai acabar. No final teremos uma pilha enorme de corpos, e o meu também vai estar lá, pisando em todos eles, não sou sádica, apenas sei aonde meu caminho me leva.

Após isso descansaria por mais uns 30 minutos deitada ali, apenas relaxando as costas e a musculatura como um todo, após isso, levantaria da maca, provavelmente um pouco menos cansada. - Alexis, é hora de irmos, muito obrigada por tudo senhora, até mais.- Diria agora caminhando para fora da sala, bem não havia muito mais para fazer ali, e logo questionaria a Alexis, o que será que ela pensaria de comprarmos um barco só nosso? Há algum tempo eu queria ir para Loguetown, e quem sabe bem, fazer algo melhor naquele ambiente, do que eu faria por aqui, dizem ser uma ilha maior e por conta disso talvez dos locais que estavam nas minhas possibilidades, esse fosse o melhor para poder ir. De todo modo com a resposta positiva da pequenina eu sabia o que tinha de fazer, falar com civis idiotas E LA VAMOS NÓS MAIS UMA VEZ… POR QUE SENHOR? POR QUE? LOGO EU… Há é… Civis com problemas mentais é isso que eu sempre encontro, por que não alguém normal comendo uma banana na avenida, que possa dar uma resposta simples e sem arrodeios… BUT NOT TODAY.

Aproveitaria de ainda estar no QG, e nada demais civil doente hoje, perguntaria a algum marinheiro, HAHAHAHAHAA ACHOU QUE IA ME PEGAR DE NOVO NESSA NÉ? NÃO NÃO, CHEGA DE BABACAS, TIVE DEMAIS DELES POR UM DIA, pronto procuraria ainda no QG algum marinheiro que desse nas vistas me aproximando dele. - Bom dia senhor sabe me dizer onde eu poderia comprar uma Escuna por aqui?- falaria com um olhar calmo, e a certeza de que não seria novamente passada por um BABACA ALEATÓRIO COM SÍNDROME DE GRANDEZA, bem esperando a resposta do marinheiro, quando ela me fosse dada seguiria as instruções calma e tranquilamente. Se o primeiro não me soubesse dizer iria a outro e outro, e outro, até que alguém me dissesse algo sobre, não tinha problemas com tempo, não é como se eu fosse ter muito pra fazer por aí no dia, o que eu mais faria? Sentar na porta do QG e comer um burrito? Bem, não, eu não vou fazer isso, então eu tenho o dia todo.


Se preciso em alguns momento parava de andar e descansaria na grama, caso a dor ou os ferimentos me pesassem, e depois voltaria a caminhar mais uma vez, até achar, quando achasse seguiria as instruções do mesmo, indo para a loja de barcos, ou marceneiro ou o que quer que fosse o próximo. Se chegasse a tal lugar, bem minha pergunta seria clara e fácil. - Senhor, quanto custa uma escuna? Eu gostaria de adquirir uma, faz algum tempo que penso nisso mas hoje tenho dinheiro suficiente, quer dizer eu acho que tenho… - Se a escuna fosse mais que 5 milhões o velho era bem careiro com toda certeza, porque não era lá o tipo de coisa que eu via custando esse preço, a menos que ela fosse muito maior, e personalizada, aí poderia valer a pena, tipo, imagina só uma escuna, com uma carranca de sombreiro, e bigodinho, famoso mustache… Cara… Isso sim valia um bom preço, vários quartos, um tapetão verde no chão, cor da grana que eu ainda vou ganhar, era impossível não passar a língua nos lábios pensando nisso.

De toda forma se a escuna que ele me mostrasse estivesse em bom estado e dentro do que eu pudesse pagar, eu pegaria a grana e colocaria na bancada para ele, ou se ele preferisse entregaria direto na mão. - Tá aqui senhor, espero que ela seja bom negocio, eu lembro bem de rostos hihihi.- Falaria com um sorriso bem sinistro, sabe aquele sorriso que diz “Espero que seja bom se não te mato?” já viu um desse antes? Pois é… será igualzinho a esse, mas assim que a tivesse entraria para ver tudo por dentro também, entretanto antes da compra ser finalizada pediria para que Alexis olhasse tudo. - Você entende um pouco de barcos né? poderia checar as coisas lá dentro?- Falaria para que ela fizesse todo esse tipo de coisa, enquanto eu apenas a acompanharia indo atrás dela.

Histórico:
 


Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] / [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Andando muito tempo por aí
Percebo que não tenho muito onde ir
E todos os caminhos percorridos
São páginas velhas viradas de um livro já lido.

(Jimmy & Rats)

Best Gang:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Pirata
Pirata
Achiles

Créditos : 38
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : Loguetown - East Blue

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptyQua 08 Ago 2018, 01:28



I - For Whom The Bell Tolls



A médica se assustava com o abraço de sua paciente, chegando a sorrir para a mesma estando também feliz em não ter que operar, os tratamentos eram realizados após isso e Alexis parecia mais tranquilizada com a sua companheira após receber palavras da mesma que estava apenas se recuperando e descanso, ao receber um pedido de aproximação, ela fazia isso, sem entender muito do que se tratava. Senshi retirava as suas luvas, mostrando as suas mãos e os jeitos que elas eram, a garota não exibia uma expressão certa, ela estava surpresa, isso era certeza. A garota começava a contar sua história, o que tais mãos significavam e o que seu pai tinha feito ela passar, Alexis sentia uma dor em seu peito, a tristeza consumindo ela a cada pouco em meio a cada palavra que Sophia ia dizendo, seus olhos enchiam-se de lágrimas ao término da mesma, estava ao mesmo tempo que determinada com sua companheira, emocionada com a história de sua amiga. - Você é incrível, Senshi! Eu te amo! Nós acabaremos com qualquer charlatão metido a pirata! – E o seu abraço era demorado até que ambas deitavam-se em macas para descansarem.

Trinta minutos se passaram e Rockfeller estava pronta para ir, Senshi não demonstrava muita dor ao se levantar, os remédios estavam fazendo efeito, mas Alexis se levantava pulando da maca para ajudar a sua companheira a se levantar, embora seu tamanho não ajudasse naquilo e suas mãos acabassem por escorregar para uma área melhor de apoio. Nesse espaço de tempo que descansaram, alguns marinheiros haviam chego feridos e a médica estava a cuidar deles, ao escutar que Aldebaran iria embora, ela assentia a cabeça com um sorriso. - Se cuide! – E ao sair, ela se encontrava com um marinheiro que parecia estar de folga, seu uniforme estava folgado e segurava uma banana mordida, este olhava para ela e começava a responder a sua pergunta. - Olá, bela moça, você pode ir para o porto, em uma loja de barcos ou para uma marcenaria encomendar que construam um, mas esta segurança opção demoraria mais… Tem sempre alguém vendendo uma escuna em sua loja ou pronto para começar a construir um, não é difícil de encontrar, apenas procure por uma vitrine cheio de miniaturas de barcos. – O homem dava um sorriso antes de continuar o seu caminho.

Com as informações dadas, Alexis a acompanhava em direção ao porto, não haviam problemas em seus caminhos e a cidade parecia tranquila como o usual, seus machucados davam algumas dores quando tinha que descer um terreno mais íngreme ou um degrau, mas ela conseguia resistir bem a eles. Não demorava até que encontravam a loja, a mesma era feita de vários projetos de barcos, nas vitrines tinham modelitos pequenos de barcos para atrair a multidão, nas paredes marrons estavam pôsteres dos mesmos e o homem que atendera a moça estava atrás do balcão, vestindo uma roupa de marujo. - A escuna está saindo por três milhões de berries. Eu imagino que esteja empolgada para sair viajando – Era um homem de idade média com um cabelo feito e uma barba rasa, ele sorria vendo que a garota poderia ser um negócio fácil para ele, com um pedido, ambos seguiam em direção a escuna para mostrar a sua mercadoria. Do lado de fora, ela parecia ser uma bela escuna, bem esculpida, sem amassados, furos ou sequer, tábuas de consertos, sem qualquer coisa que parecesse desgastar a mesma. Ao voltarem, a garota pagava pela escuna e o homem assentia com a cabeça contando o seu dinheiro. - Os melhores barcos são comigo, lembre-se do meu rosto e divulgue para os seus amigos. – Ele sorria, o homem parecia ter entendido a semi-ameaça de Sophia, mas ignorava aquilo e tentava usá-la como meio de propagação para a sua loja.

As duas subiam a escuna e ao receber o pedido de Senshi, Alexis começava a andar para avaliar melhor a embarcação, a garota começava a olhar minuciosamente cada detalhe, tentando achar alguma imperfeição ou algo que pudesse estar errado. Rockfeller ia acompanhando ela a cada momento e começavam a ver os detalhes do barco, dois canhões apontados para as laterais da embarcação, dois mastros com velas bem cuidadas e duas salas, das quais uma era o dormitório e a outra a cozinha, todo o ambiente parecia ser bem favorável para a garota e o barco era de fato, bom. - Está tudo certo, pelo que parece. Mais alguma coisa, Senshi?! – Ela estava tão animada quanto a sua companheira para aquilo, saltitando pelo barco e aproveitando da brisa do mar que batia nos cabelos das garotas, o clima parecia esfriar cada vez mais com a noite de aproximando.


Considerações:
 

Ferimentos:
 

Dicas:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Senshi
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
ADM.Senshi

Créditos : 37
Warn : I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 10010
Feminino Data de inscrição : 27/05/2018
Idade : 25

I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 EmptyQua 08 Ago 2018, 18:35



Passo 10: Season ticket, on a one way ride

A reação da pequenina não ia muito distante do que eu esperava, talvez um pouco apenas, mas tudo estava certo no fim das contas, tínhamos terminado o serviço eu estava recuperada, e o mundo girava, quisesse ou não, tempo também é dinheiro, e precisava sair dali, a mulher se despedia de mim o que eu respondia apenas com um acenar de mão, ela me dizia um velho “Se cuide” pois é, é complicado, não entendo esse tipo de incentivo, o que exatamente seria “Se cuidar” não faz qualquer sentido, nesse mundo a única coisa que dá pra fazer é sobreviver, e ainda assim é uma coisa que tem de se contar com a sorte, às vezes um “boa sorte” faz muito mais sentido, porque disso eu tenho certeza que eu vou precisar.

Mas não é algo que eu fosse responder, ela foi gentil comigo, não responderia com grosserias, menos ainda tentaria qualquer coisa para afrontar alguém como ela, eu guardo meu fôlego pra encher o saco de vagabundos, isso sim… Mas o tempo não tinha parado, encontrava finalmente o marinheiro com informações sobre o lugar que vende barcos… E te falar… Marinheiros andam desinformados… “Bela moça?” Ele provavelmente precisa de melhores referências, mas fazer o que não é. Ele me tinha informações claras e era isso que eu procurava, e esperava que nesse ponto as referências dele fossem realmente boas, porque se não eu provavelmente vou naufragar no meio do mar… de fato, espero que o gosto dele para barcos, seja melhor que o pra mulheres.

De todo modo não perdia meu tempo com isso, seguindo calmamente para a loja o homem me cobrava 3 milhões como já esperava, barcos são caros, é melhor que ele valha a pena mesmo, porque caramba… 3 milhões, é muito, eles representam 2/4 dos meus machucados, e boa parte do que era a recompensa do filho da mãe que me fez eles, então é bom que esse barco dure… OUVIU? VOU REPETIR PRA VOCÊ, É BOM QUE ESSE BARCO DURE MUITO!!! Porque o valor dele são de uma costela trincada, um dente a menos, e dores no corpo todo, te dizer, se essa coisa naufragar, eu vou precisar tomar medidas drásticas aqui, e vou precisar resolver isso de um jeito diferente… Sério, não afunda esse negócio… Não quero brincar com os peixes hoje…

O homem no entanto ficava pacífico, apenas aceitava o que vinha e Alexis me dava um resultado do que esperava, e de como tudo aconteceu até ali, o barco estava todo correto. - Bem, acho que tenho apenas uma pergunta… então, eu acabo de comprar um barco… legal né?- daria um sorriso de canto, pois bem… eu não sei pilotar um barco, é, eu adquiri uma coisa que eu não sei usar, mas bem rezemos para que a pequena saiba, por que porra, comprei tão no impulso de sair da ilha. - Então… sabe… eu não sei pilotar… haha… você por acaso já pilotou um barco antes?- eu ficaria com o olhar sério pra ela esperando a resposta, se ela dissesse que sim, automaticamente partiria abraçando ela com um abraço apertado. -Eu sabia!! Nunca duvidei.- há…. ainda bem que a coisa deu certo, se não ia ter de contratar um piloto, e isso podia ir me custando mais e mais, se bem que eu poderia ser a pessoa a pilotar, meu rosto mostraria bem meu alívio ao saber que alguém pilotaria aquilo.

Bom, antes de partir ainda tinham algumas coisas que eu queria fazer, e era pra esse rumo que iriamos. Acho que vale a pena comprar umas roupas novas, e bem, itens úteis que eu posso usar para minha organização pessoal. Por fim convidaria a pequenina para ir às compras comigo. - Alexis, o que acha de irmos a alguma loja por aqui em?- olharia com aquele olhar que mostrava felicidade e satisfação e de fato, eu estava satisfeita, fazia algum tempo que eu não ficava nesse estado pessoal onde nada de errado está acontecendo e eu posso simplesmente viver minha vida na santa paz, sem ALGUÉM tentar acabar com meu dia, mas aproveitaria desse momento para falar com o vendedor do barco novamente, pois pedir informação a ele era mais facil. - Senhor, você sabe me dizer, onde teria alguma loja que vendesse, roupas novas? e itens de maneira geral? como cadernos por exemplo, ou canetas? tintas?- diria olhando pra ele, estava com um rosto bom diferente de antes, pois o fato de o barco de fato se mostrar em bom estado, tinha me agradado.

Se ele soubesse me dizer o agradeceria normalmente sem muitos arrodeios. - Obrigada, eu vou procurar por ele, espero que tenha boas vendas nesses dias- A partir desse ponto seguiria a procura do lugar que ele tivesse me indicado, e caso ele não pudesse me indicar… bem… Lá vamos nós de novo… procuraria o primeiro civil que pudesse dar nas vistas me aproximava dele, com calma, e perguntaria. - Olá senhor, saberia me dizer onde posso achar uma loja que venda roupas, e itens diversos como cadernos, canetas e afins?- e lá vamos nós eu já sabia que a resposta dele não vai ser direta, não vai ser precisa, e que ele vai fazer questionamentos desnecessários a tudo e mais um pouco, a torto e a direito. - Senhor, só a informação por favor, eu não faço ideia do motivo, eu não posso ir a um lugar apenas por eu querer ir? Pois é eu estou indo lá apenas por vontade mesmo.- tentaria ser o menos rude possível falando isso, não era hora de exagerar, e de todo modo se um não soubesse teria que ir ao próximo, e por fim para todo caso eu seguiria as instruções da informação.

Caso conseguisse em algum momento achar uma loja entraria normalmente pela porta, e daria bom dia para o homem ou mulher que fosse dono do local. - Boa tarde senhor, como vai? eu queria saber se você tem algumas coisas que eu queria, uma jaqueta pra mim, uma calça e um quepe. Teriam essas coisas por acaso?- falaria com um leve sorriso eu estava começando a me animar naquele momento, lembrava de vários momentos que tive assim antes, um deles que me marcou, foi quando comprei um colar em uma loja, ele tinha um formato de coração e era todo vermelho, claramente era falso mas parecia um ruby, ou no mínimo lembrava um, fosse como fosse, as coisas estavam começando, mas naquele momento me lembrava de mais algumas coisas. - Há e senhor, tem aí por acaso cadernos, caneta e tintas? e algo desse modo? há e uma vara de pescar e iscas? é que pretendo ir para uma viagem então devo ir bem preparada, quero também alguns ingredientes de cozinha se me permitir. Já que vou precisar de comida.- falaria em tonalidade amigável, sempre tentando ser respeitosa com o homem, afinal, não é bom irritarmos nosso negociador, exceto após a compra é claro, aí depois dela a gente pode ferrar com tudo, esperava que esse não fosse o caso dessa vez. Caso ele me deixasse caminharia por dentro da loja e procuraria os itens que me interessassem, desde a jaqueta que me parecesse mais bonita e confortável, calça, um quepe e claro caderno, lápis e tintas, e meu trunfo supremo que vai ser a diversão de toda a viagem, minha vara de pescar, e por fim voltaria a ele. - Quanto custam estes?- diria ainda calma pensando em como a viagem poderia ser, eu já andei muito de barco, mas nunca tão preparada como iria desta vez, pescar provavelmente ia ser a melhor coisa.

Histórico:
 


Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] / [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Andando muito tempo por aí
Percebo que não tenho muito onde ir
E todos os caminhos percorridos
São páginas velhas viradas de um livro já lido.

(Jimmy & Rats)

Best Gang:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: I - For Whom The Bell Tolls   I - For Whom The Bell Tolls - Página 2 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
I - For Whom The Bell Tolls
Voltar ao Topo 
Página 2 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Shells Town-
Ir para: