One Piece RPG
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Arriscando a sua vida pelo objetivo - O Despertar do Rei da Destruição
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Aokine Daiki Hoje à(s) 17:06

» Xeque - Mate - Parte 1
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Jacob Allan Hoje à(s) 16:48

» BOOH!
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor CaraxDD Hoje à(s) 16:40

» Blue Guardian! Luca o soldado da justiça!
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Noah Hoje à(s) 16:22

» salve salve
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor DFoolZ Hoje à(s) 16:19

» [MINI-Kujo]
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Kujo Hoje à(s) 15:57

» Cap.1 Deuses entre nós
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Thomas Torres Hoje à(s) 15:39

» Escuridão total sem estrelas
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor K1NG Hoje à(s) 14:25

» [M.E.P - TurtleSpeaker] My Way
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor TurtleSpeaker Hoje à(s) 14:18

» [MINI-TurtleSpeaker] My Way
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor TurtleSpeaker Hoje à(s) 14:12

» [Ficha] Joe Blow
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Joe Blow Hoje à(s) 14:00

» Seasons: Road to New World
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor ADM.Tidus Hoje à(s) 13:20

» Sorte ou Azar? Uma Ascensão Pirata!
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Quazer Satiel Hoje à(s) 13:19

» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Furry Hoje à(s) 12:40

» O catálogo continua, Baterilla a cidade da beleza
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor maximo12 Hoje à(s) 10:28

» [Mini-Aventura] A volta para casa
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Fiest Hoje à(s) 09:27

» Voltei, Dattebayo
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Joe Blow Hoje à(s) 07:32

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Ineel Hoje à(s) 06:25

» Cap 3: O alvorecer da névoa trovejante
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor PepePepi Hoje à(s) 06:04

» Primum non nocere
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Emptypor Misterioso Hoje à(s) 04:48



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 10 ... 15  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptyQui 17 Maio 2018, 01:15

Relembrando a primeira mensagem :

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!

Aqui ocorrerá a aventura do(a) pirata Fanalis B. Ria. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Fran B. Air
Pirata
Pirata


Data de inscrição : 30/11/2017

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptyTer 26 Jun 2018, 01:45



Luta Acirrada?! Ria Vai Com Tudo!

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Alguns poderiam acha que eu estava sentindo medo, outros que estava com ódio, mas não sentia nenhum desses sentimentos, eu jamais sentiria medo e nem ódio por aquele homem ou o gigante, o máximo que eu sentia naquele momento era desprezo e desgosto para com aquelas pessoas que feriram meu aliado, mas nada que fosse enraizado. Afinal somos piratas e eles são caçadores de recompensas, em teoria somos inimigos naturais, desde que eles não matem ninguém da minha tripulação, não teria porque sentir raiva ou ódio por eles, pelo menos não ainda.

“Já faz tanto tempo que não coloco minhas mãos em um cano desses... Me parece ser mais longo e grosso que o normal... Com certeza estou apaixonada por essa escopeta, preciso pegar ela para mim, quero usar seu modelo para forjar uma melhor depois....”

Eu avançava contra Genji, mas ele era forte e sempre dava um jeito de me distrair e conseguir me atingir com seus ataques ao utilizar de suas manhas como usar essa bela escopeta para remover o meu foco. Além de conseguir contra-atacar com sua arma de fogo, sua espada e até mesmo suas pernas, aparentemente ele foi criado no mundo da luta e não fazia nada da vida além disso, para mim ficava bastante claro apenas por ter analizado seus movimentos, ficava difícil para uma ex-fazendeira fazer algo a respeito.

Finalmente eu consigo acertar Genji com uma de minhas técnicas, mas ele foi rápido o suficiente para se esquivar, coisa que me fazia arregalar levemente os olhos diante de sua destreza absurda, não era todo dia que conseguia ver alguém fugindo desse golpe, tudo bem que na maioria das vezes, usei para cortar capim, mas mesmo assim era impressionante. Finalmente eu me afastei para usar mais um belo combo quando o homem fala algo que me intriga e faz com que eu solte um sorriso de orelha à orelha querendo mais.

“Own...Ele disse como esperado de uma recompensa de sessenta e dois milhões... Eu não vi o cartaz ainda para confirmar, mesmo assim, é tão legal ser chamada pela recompensa, tomara que ele fale de novo...”

Mais uma vez eu partia para cima dele para ataca-lo, nada de mais, deslizaria ao seu lado para acertar sua pernas com minha foice, era apenas um movimento corriqueiro que fiz várias vezes quando criança, mesmo que não com essa finalidade, o problema foi que por alguma ironia do destino maluca, talvez causada por divindades superiores, eu não consegui realizar a investida com proeza e de algum jeito fui derrubada antes mesmo de executar minha performance acrobática. Algo que uma criança conseguiria fazer, pareceu se tornar algo extremamente difícil e facilmente percebido até para mim que pretendo me tornar a Rainha dos Piratas, no momento que caia, um turbilhão de pensamentos se passou em minha mente.

“Mas o quê? Como ele conseguiu perceber meu movimento? Era tão óbvio assim o que eu faria a seguir? Deslizar pelo chão sempre foi uma coisa simples para mim que brincava com meu amigo quando criança e desenvolvi várias habilidades acrobáticas... Seria essa a primeira pessoa que possui uma akuma no mi que eu encontrei? Igual as histórias, primeiro suspeitei do pai de Yue com sua audição absurda onde escutou o cochicho no ouvido de outra pessoa à uma quadra de distância, agora isso.... Será possível? Não importa, mesmo prevendo meus movimentos, vou dar um jeito de vencer esse...”

- CARA DO DREAAAD! –

Daria um grito quando caísse e começasse a rolar no chão para salvar minha vida, enquanto rolava, via Dk caindo dos céus e me perguntava se ele sabia voar até que uma rajada de vento vinha em minha direção, mas não era algo comum, era o vento causado pelo próprio gigante que fazia com que o homem se afastasse e me empurrava a alguns metros de distância. De algum jeito, graças a aquele vento, eu estava salva de levar um tiro, mesmo assim ainda sentia a dor e a queimação dos estilhaços de tiros em meu ombro e coxa, além de meu torço e o corte que ele fez em meu abdômen.

- Argh... –


“Droga... Yue acabou de me tratar e eu já estou nesse estado de novo, estava achando que viraria o capítulo depois de Savage, mas pelo jeito o novo capítulo aprendeu com o antigo e pessoas poderosas vão continuar aparecendo. É assim que eu gosto, se eu não conseguir sequer derrotar esses caras, como vou me tornar a Rainha dos Piratas?”

Estava jogada no chão graças ao impacto causado pelo gigante, ao menos percebia que Dk estava bem e continuava lutando com o mesmo, começava a achar que não precisava me preocupar com Dk, se ele é meu companheiro, tenho certeza de que vai ficar bem, preciso me focar nesse caçado em minha frente para ir ajudar contra o gigante logo.

"Mesmo não me preocupando com Dk, sinto que estamos correndo risco aqui, é só questão de tempo até a marinha intervir, é melhor acabarmos rápido com isso, não posso ficar brincando, preciso me concentrar."

- Dk, Yue, Morena, cuidem do gigante, só vou acabar com o Cara do Dread e já ajudo vocês! -

Falaria em um tom alto enquanto ergueria meu braço segurando a foice para os céus de modo que todos escutassem enquanto ainda estava caída. Então, tentaria me manter mais séria no combate e ignorar a dor causada por meus ferimentos, me levantaria mesmo que cambaleando com o auxílio de minha foice, assim que ficasse de pé, seguraria ela com as duas mãos e correria na direção de Genji com minha lâmina voltada para cima simulando que daria um corte vertical de baixo para cima em seu abdômen, mas no momento em que me aproximasse, se ele fosse tentasse se esquivar, se defender ou me atacar e eu percebesse, pularia por cima dele dando um mortal e enquanto giraria com minha foice em mãos, tentaria desferir um corte vertical em suas costas, se ele não me atacasse antes, não pularia, apenas realizaria meu corte vertical.

Conseguindo passar ou não, eu giraria meu corpo se estivesse de costas para Genji ou avançaria contra ele se estivesse longe, sendo que assim que estivesse próxima o bastante, daria um corte horizontal tentando acertar suas costas ou abdômen dependendo da posição. Pensando se não conseguisse derrota-lo.

“Parece que esse cara realmente não vai cair tão facilmente.”

Logo depois, o acertando ou não, seguraria o cabo de minha foice, de modo que sua lâmina fique na horizontal atrás de mim o mais rápido possível, tentando esconder meus movimentos para que ele não perceba meus planos. Depois disso, correria em sua direção tentando o acertar com a lâmina na altura de sua cintura causando um corte profundo enquanto o puxaria comigo por alguns metros e pararia minha corrida em seguida fazendo com que ele seja lançado para frente.

Então, mais uma vez correria na direção dele se estivesse afastado e quando me aproximasse o suficientemente, pularia o mais alto possível enquanto giraria no ar em torno de mim mesma ainda segurando minha foice. De modo quem quando me aproximasse, tentaria um corte com minha força total somada a força centrípeta criada pela rotação do mortal que eu usaria, assim usando minha técnica especial - Ceifamento Mortal -.

Se Genji tentasse atirar em mim com sua arma, tentaria sempre correr em ziguezague caso estivesse afastada, além de que no caso de estar próxima ou mesmo correndo em sua direção, ficaria de olho no cano de sua bela arma sempre tentando evitar que em algum momento eu ficasse na mira dela.

No caso de ele tentar uma estocada, golpe contundente ou corte horizontal, eu pularia por cima dele já tentando prosseguir com meus ataques. Se tentasse golpes verticais, tentaria me esquivar ao me movimentar para os lados e retirar meu corpo da direção de seus ataques.

Era bem provável que o gigante se envolvesse na luta como sempre. Eu já estava ficando calibrada em receber ataques aleatórios dele sem conseguir me esquivar, entretanto continuaria tentando. Se percebesse seu bordão, ou alguma parte de seu corpo vindo em minha direção, imediatamente sairia da frente para impedir que ele me acertasse e me desse dano.

Ceifamento Mortal:
 

Objetivos:
 

Histórico:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
West
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
West

Créditos : 38
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 8010
Data de inscrição : 12/03/2016
Localização : East Blue

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptyTer 26 Jun 2018, 10:49



Loguetown!
A Honra de um Homem, Eu Irei te Derrotar!


Por pouco eu nao fui a nocaute, o soco do Sargento entrou em minha defesa acertando meu queixo com violência, minha mandíbula doía, eu sentia o sangue escorrer dos meus ferimentos, eu não conseguia falar nada, minha respiração já era ofegante e o suor escorria sobre meu rosto, com minha mão livre colocaria a palma sobre o local onde havia tomado a estocada anteriormente, havia um pequeno furo, minha visão turva apreciava aquela cena, eu nunca havia ficado numa posição tão desfavorável em um combate.

Minha perna esquerda estava recebendo todo o peso do meu corpo, afinal, eu teria que guardar minha coxa direita para o golpe fatal, eu posso lutar, eu vou vencer a qualquer custos, minhas costas apoiavam nas da escudeira, eu também conseguia sentir o melado em suas vestes, ela já havia derrubado alguns homens, e eu ainda estava no primeiro, eu tenho vergonha de me considerar um espadachim – Eu jamais perderei antes de completar minha vingança – tentando ficar novamente ereto, mesmo que minha perna direita doesse, eu apenas sentiria a dor, eu aceitava aquele machucado como um filho bastardo que não quer criar, eu não posso ignorar nenhum sinal que meu corpo possa me dar.


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Meu peito se enchia novamente de ar fresco, o cheiro de sangue e suor seria tragado pelo meu nariz como um fumante traga seu cigarro, a presença do meu companheiro mink so mostrava que eu não estava lutando apenas por min, que egoísta foi meu pensamento, eu tenho que vencer para que todos possam completar seu destino, eu que sempre fui um falastrão agora parecia uma caça encurralada no penhasco com o caçador a minha frente, vendo o pelo de Chô tomado pelo vermelho, as costas de Illya machucadas, e eu aqui sendo apenas um alvo para ser furado, olhando fixamente para Faker a minha frente, minhas testa franzida pelo ódio, assim como meus olhos negros como a noite, eu segurava a Anzol em minha mão direita como uma mãe segura seu recém-nascido, eu sentia a brisa do mar passando em meus cabelos – Voce devia saber Faker, o que move um homem na beira do precipício? – Um sorriso era formado em minha boca, portando minha katana na mão direita, sua ponta encostava no chão de madeira daquele barco.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ignorando todos a minha volta, minha visão se concentrava apenas no alvo a minha frente, ficaria a alguns metros do mesmo (entre 3 e 10 metros), para então embainhar novamente a Anzol, verificaria o caminho para escolher o melhor trajeto, então usaria o meu golpe especial – Eu irei com tudo que tenho Faker, espero que você não se segure também – com isso, avançaria com toda a velocidade que meu corpo permitia naquele momento, mesmo com o ferimento em minha coxa direita, eu ignoraria a dor naquele breve instante para efetuar minha técnica –

WEST X



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Defesa, caso ele esquive do golpe:
 

Posições usadas para bloquear:
 

Doravante, se o golpe tivesse acertado e ele fosse derrotado, sacaria minha outra katana para tentar ajudar meus companheiros, mesmo sabendo de suas forças, não poderia deixar que ninguém perecesse ali, partiria em ajuda de Illya, e caso alguém me ataque com uma katana, tentaria bloquear usando minhas katanas, não faria nenhum bloqueio especifico, apenas colocaria minhas espadas a frente do meu corpo e absorveria o impacto, tentaria me manter de pé, mas caso meu corpo estivesse dolorido demais, procuraria um local para me apoiar e recuperar meu folego. Observando que todos estavam relativamente dando conta do combate, viraria minha atenção para quem estava pilotando a embarcação, para começar a avançar sobre o mesmo.



Histórico:
 

Objetivos na atual Aventura:
 

Legenda:
FALA
PENSAMENTO

Willian West


West X:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kaminari Dk
Pirata
Pirata
Kaminari Dk

Créditos : 6
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 9010
Masculino Data de inscrição : 27/11/2017
Idade : 24
Localização : Conomi Island

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptyTer 26 Jun 2018, 16:50

Deuses... Criaturas, monstros, seres superiores, onipotentes, onipresentes, oniscientes... Poderia ficar o dia todo dando definições para meus perseguidores. Existem milhares de histórias contadas pelos humanos, mas a verdade é que eu consegui descobrir a verdade absoluta, várias histórias, várias versões diferentes e mesmo assim todas existem e todas são verdadeiras, a única parte que geralmente não contam nas histórias é que todas essas divindades estão atrás de mim, caçoando de minha existência ao mostrar sua própria, eu vou escovar os dentes e eles estão lá, eu vou comer alguma coisa e eles estão lá, eu vou matar um gigante e adivinha... Não existe fuga, o máximo que posso e estou tentando desenvolver é um tipo de convivência apesar de saber o que me atinge o tempo todo.


Já estava completamente machucado, mas precisava segurar aquele gigante enquanto Ria dava um jeito no outro caçador de recompensas. Com isso, minha estratégia consistia basicamente em cortar sua perna até que ele caia e eu possa acertar partes mais vitais, mas quando o acerto, percebo o que os deuses haviam planejado para mim, eu cravo minhas katanas em sua perna e o gigante se move rapidamente me lançando para cima, arregalo os olhos diante da situação, mas logo tento me acalmar enquanto saio voando e começo a cair em queda livre.

~~ É claro que não era algum tipo de conto religioso onde o pequeno herói chamado Da... Não sei o que, mata o gigante que se chama Go... Não sei o que, igual minha avó me contava quando pequeno. Na história, o herói havia sido abençoado pelos deuses, mas eu sou um condenado pelos deuses, eles não perderiam uma oportunidade tão clara de me jogar para os céus, a Deusa da Gravidade se uniu com a Deusa da Queda para que minhas katanas se soltassem e eu fosse lançado aos céus. ~~


Mas uma coisa estava clara em minha mente, pelo menos levando em conta o que presenciei até agora ao longo de minha vida mortal.

~~ Os deuses não vão me matar assim, a luta acabou de começar e ainda tem infinitos modos de brincar com minha vida, essa certamente só poderia ser mais uma casquinha que os deuses queriam tirar de minha vida ao me humilhar. Talvez seja por influência da Deusa da Humilhação que acaba me ajudando a dar um jeito de escapar dos planos malignos dos deuses com suas tentativas de me deixar para baixo enquanto outros tentam me matar e brincar comigo. ~~

Olharia para baixo já dando um sorriso, quem estava lá era Jeanne pronta para me aparar, mais uma clássica pegadinha dos deuses, mas dessa vez não queria dar o gostinho para eles, sequer vou sentir medo disso. Já sabia que se eles haviam me jogado para cima, com certeza dariam um jeito de me salvar para que continuem a zombar de mim enquanto tentam tornar minha vida um inferno. Eles estão conseguindo? Sim, eles estão conseguindo. Mas não deixaria que soubessem disso. Então percebo que o bastão do gigante vinha vindo em minha direção, mas lá em baixo estava Yue que golpeava sua perna e com a ajuda da Deusa do Acerto, fazia com que o gigante errasse e com isso o brinquedinho dos deuses se mantivesse vivo.

~~ Não posso perder essa chance, esse pequeno erro dos deuses, não sei quando ou se vai acontecer de novo, mas dessa vez, precisaria aproveitar a oportunidade, nem que seja um pouco apenas. ~~


Era o que pensava quando estava quase caindo e sendo aparado por Jeanne em mais um dos jogos dos deuses onde mantinham minha vida para diversões futuras. Utilizaria minha visão treinada para ver por baixo de sua saia, nem que seja de relance, tenho certeza de que conseguiria guardar em minhas memórias a visão do verdadeiro paraíso, um paraíso onde possivelmente não tivesse que dar de cara com deuses, é claro que a Deusa da Precocidade sempre está vagando por ai, mas tentaria encará-la se chegasse a esse ponto, afinal minha sanidade é a única coisa e possivelmente o único lugar onde estou livre da boa vontade dos deuses, é possível também que a Deusa dos Ventos ou qualquer outro dos deuses tentassem intervir naquela gota de felicidade, mas mesmo assim, eu tinha que tentar, quando ela fala comigo, eu falaria em resposta sorrindo.

-Não vou desperdiçar, pode confiar em mim.

~~ Tão jovial, mal sabe ela que os deuses vão fazer de tudo para que eu falhe... ~~

-Kakaka.

Riria um pouco com Jeanne sabendo do meu provável fracasso eminente enquanto daria uma leve olhada para ver como Ria estava indo e se faltava muito para que ela derrotasse o outro, os deuses dificilmente me deixariam matar um gigante sem a ajuda dela, mas eu tinha que tentar, se Jeanne achava ter força para me lançar assim, não tinha porquê hesitar. Jeanne então me lançou contra do gigante em que eu desferia um corte vertical no abdômen, eu queria usar minha técnica na perna, mas já que ela me jogou no abdômen dele do nada, porque não? O único problema seriam as consequências disso, o gigante me dava um tapa, me jogando longe. Mas de alguma forma, eu acordado, tudo doía um pouco mais, o sangue saia e a respiração estava começando a ficar difícil, mas achava estranho.

~~ Um golpe assim poderia matar uma pessoa normal, mas não me sinto muito mais debilitado que antes, estaria a Deusa da Dor aliviando os danos para que os deuses usem esse gigante para brincar comigo um pouco mais? Então quando eu achar que vou ficar bem, eles vão liberar toda a dor em cima de mim de uma só vez, assim me matando? Seria uma explicação bastante lógica dada a situação, de toda forma, o que é encontrar a Deusa dos Cortes para quem acaba de conhecer a Deusa da Mutilação? ~~


De algum jeito, Jeanne e Yue ficaram no caminho para me segurar e impedir que eu recebesse mais dano causado pela Deusa do Impacto. Nesse momento, cuspiria um pouco de sangue no chão enquanto sorriria para as duas e ao escutar Yue começo a ficar louco por dentro por saber a verdade e não poder contar, então fico pensando no que falar para elas na tentativa de acalmá-las, apenas manteria meu sorriso tentando não transparecer a verdade embora o suor que escorria do meu rosto claramente me denunciar, puxaria ar para falar e falaria como se tudo estivesse na mais perfeita paz e ordem, apesar é claro, da dor que sentia.

~~ Como responder ela? Se eu estou bem? Você não vê que tem deuses por toda parte querendo me matar Yue? Está louca? Qual é o seu problema? Se bem que eu matei o seu pai apenas por ter me aproximado de você em uma tentativa dos deuses de me deixarem abalado... Não tem problema, já tenho a resposta perfeita para falar. ~~

-Sim, estou bem.

Mantendo meu sorriso enquanto olharia para Yue e logo depois para o gigante em minha frente, eu bolava algo que poderia nos ajudar a dar algum dano real no gigante, aparentemente o que fizemos até agora não passaram de leves arranhões ao se comparar com um rato com um palito de dentes atacando uma pessoa comum ou um dos deuses tentando me abalar com suas façanhas ardilosas.

-Yue, você pode fazer com que o gigante foque em você por alguns instantes? Enquanto isso Jeanne, preciso que você me arremesse no pescoço dele de maneira que eu não seja visto, consiga passar causando um corte horizontal por toda sua extensão e ainda caia na água, se não conseguir, acho que no abdômen novamente já causará um dano elevado, se tudo der certo, vamos acabar com esse gigante. Acha que pode fazer esse lançamento quando eu der o sinal? Kakaka.


~~ Estou rindo, mas estou rindo porque vou morrer, os deuses não vão deixar isso passar em branco, bem, ao menos morrerei perseguindo o meu sonho... ~~

Mais uma vez limparia minha boca ao passar meu braço nela removendo o sangue causado pelos ataques certeiros graças a ajuda da Deusa da Pancadaria e com Jeanne concordando ou não com meu plano, eu correria na direção de Skrýmir de modo que tentasse chegar em sua perna pela lateral após contorna-lo, então mais uma vez pularia em sua direção ao me aproximar pelo lado e segurando minha katana na altura de minha cabeça, daria um corte horizontal na tentativa de fazer com que ele levasse algum dano.

Logo depois, chegaria por trás de sua perna e pularia nela ao cravar minhas katanas e deslizar tentando causar mais um corte de maneira que desequilibrasse o gigante mais ainda. Feito isso, me afastaria dele já correndo na direção de Jeanne, enquanto correria, olharia para Yue dando um sorriso e falando alto de modo que ela escutasse.

-Yue, agora.

~~ Os deuses vão matar a gente ferrado... ~~

Nesse momento, tentando resistir a toda a dor que sentia, sacaria minha outra katana já preparando meus músculos enquanto correria na direção de Jeanne. Então mais uma vez pularia em suas pernas bem mais fortes que o comum e novamente perguntaria apenas para ter certeza de que a morte eminente não seria tão trágica. Estaria sorrindo, mas focado exclusivamente no gigante, nesse momento já teria visto o que tinha para ver, isso se os deuses tivessem me permitido é claro.

-Você tem realmente certeza de que pode fazer isso? Kakaka.

~~ Da ultima vez eu fiz no calor do momento, mas não quero dar tantas chances dos deuses me obliterarem assim. ~~

Balançaria minha cabeça em sinal de confirmação e assim que Yue pegasse a atenção do gigante e Jeanne fosse me lançar, eu forçaria minhas pernas para pular junto e pegar o máximo de altura possível e ir na direção dele. Ao me aproximar, segurando minhas duas katanas por trás, atacaria com força tentando causar o corte de uma ponta até a outra do monstro e causar um dano mais sério ou até derrota-lo de vez, sendo que logo depois, se Jeanne tivesse acertado seu movimento e os deuses não tivessem intervindo tanto a ponto de acabar com nosso movimento, embainharia minhas katanas já me preparando para cair na água.

O gigante com certeza não ficaria parado nos observando acabar com ele, se ele tentasse me golpear com seu corpo ou atacar com seu bordão, eu daria um pulo para frente para pegar impulso e conseguir me esquivar dele se a Deusa da Esquiva permitisse que eu o fizesse nem que fosse uma vez. Além disso, se seus movimentos causassem alguma rajada de vento, enfincaria uma de minhas espadas no chão para não ser lançado para longe como já aconteceu antes graças a Deus dos Ventos com seus impactos que desafiam a física.

Se enquanto eu fosse disparado contra o gigante ou o atacasse, ele tentasse me acertar no ar ou no chão em um momento em que eu não conseguiria me esquivar, fincaria minhas katanas na pele de seu membro ou em seu bordão e começaria a escalá-lo indo rumo ao seu pescoço utilizando minhas katanas para ir enfincando em minha frente e subir nele o mais rápido que pudesse. Ele era uma montanha de carne e não o pico de uma montanha de rochas, pelo menos eu poderia tentar por mais que não tivesse conhecimento de escaladas, o único problema era que a Deusa da Queda provavelmente não deixaria que eu fizesse isso, mas não custava tentar.

OFF:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]///[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Rimuru
Orientador
Orientador
Rimuru

Créditos : 11
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 10010
Data de inscrição : 20/03/2018
Idade : 22

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptyQua 27 Jun 2018, 07:38


Confesso que não estava prestando muita atenção na peça,tenho uma sensação estranha a respeito dos meus arredores,tanto que estou procurando disfarçar o máximo meu interesse na apresentação enquanto  procuraria observar cada canto em busca da razão do meu mal pressentimento.

Algo que não era o unico motivo de distrair meus pensamentos, apesar de ser uma pessoa espetacular cometi erros tão bobos momentos atrás que me deixaram um pouco frustrado.

Meu tiro foi perfeito, não tenho culpa de um gigante ter entrado na frente, isso sem dúvida foi pura sorte do envolvido, apenas dessa maneira ele conseguiria evitar seu destino fadado.

Se não terminarem esse confronto até eu retornar obviamente que irei dar a volta por cima,ninguém faz minhas habilidades de idiota,nem mesmo a roda do destino.

Olharia para o papel a quem me fora encarregado, com intenções de ler seu conteúdo e identificar sua importância.

Vejamos aqui o que me foi entregue, então estão todos prontos? Que informação interessante, está na hora desse detetive fazer seu papel e incentivar o público, o momento de brilhar está próximo e apenas eu sou adequado para essa humilde tarefa.

Seria o que gostaria de pensar mas eu não estou pronto ainda, depois de ter visto a ruiva enfrentando uma muralha de carne ambulante vítima de pesquisas de laboratório, tenho que fazer algumas alterações em minha abordagem.

Rasgaria o papel e guardaria seus pedaços por precaução, voltaria minha atenção para o ruivo,sabia que ele tinha certo interesse em mim mas não esperava que segurar minha cintura fosse o suficiente para ele adquirir forças sobre humanas e ser capaz de repelir um ataque de grande escala como aquele, como era de se esperar das minhas curvas:

- Não quero ser de grande incômodo a essa altura dos acontecimentos mais gostaria que adquirisse algumas coisas para mim.

Mexeria os polegares um no outro meio afobado, dando uma olhada meio de relance, desviando minha visão para outra direção no momento que nossos olhos se encontrarem.

Toda pessoa precisa deixar seu charme e fazer sua companhia interessada ou focada, espero que isso seja efetivo para me tornar o centro de suas atenções.

Retiraria a ligeira quantia de 400.000 berryes e entregaria para o homem sem excitação, dando um sorriso meio entusiasmado meio que não se incomoda com nada, respondendo o motivo de algo tão inesperado e espontâneo:

--  Como na primeira vez que nos conhecemos quero que me ajude a fazer compras riririri, veja se consegui arrumar ótimas máscaras para mim e minha parceira Emma, feitas de material de qualidade e que não atrapalhe a percepção.

Acariciaria o canto da orelha da gata enquanto tentaria parecer uma garota acompanhada da amiga enquanto pede para o namorado fazer todo o trabalho buscando não levantar suspeitas:

- Alguns capuzes também seriam ótimos para nos aquecer e quem sabe uma boina que combine com meu visual?Emma também irá precisar de uma mochila grande para depositar seus pertences, daria uma piscadinha com o canto do olho e fecharia ambos logo em seguida acenando como se fosse uma deixa para ele ir logo.

- Sei que escolhera algo que realce minha beleza então estou confiante sobre seu resultado,ahhh e não se esqueça disso. entregaria a besta marcial esperando que o mesmo a adquirisse.

- Essa cidade e perigosa,não tente ir muito longe sem proteção, quem sabe você venha a precisar,colocaria a mão esquerda sobre a boca abafando os risos, me encontre na rota que nos levará a Jeanne logo estaremos la.

Embora goste muito de me manter elegantemente vestido isso não se vem ao caso, estou tentando garantir que ele consiga disfarces razoáveis para nós, talvez venhamos ter que precisar dependendo da situação e se ele não conseguir ao menos fiz ele ir para um lugar mais seguro e fora do centro de toda a confusão.

Apoiaria me sobre Emma enquanto finalmente me atentaria a peça, talvez eu tenha ficado um pouco delirante por ter errado um tiro, esse ainda é meu plano, como algo feito e moldado por mim desacredito na possibilidade de fracasso.

Vamos apenas nos manter atentos até o grande final, tudo começara a ficar muito desesperador daqui a alguns breves instantes, que outra oportunidade eu terei para alegrar minha pequena se não nesse pequeno intervalo:

-  Você está gostando do espetáculo minha jovem? realmente Erin não é nada má atriz embora eu iria desempenhar seu papel muito melhor,riririri, se for do seu interesse podemos orquestrar nossa própria apresentação durante a viagem.

Aguardaria a resposta e daria um leve beijo em sua testa seguido de um beteleco fraco caso a mesma tentasse falar alguma coisa em retorno:

-Seu professor vai te manter segura, só queria que soubesse disso. me posicionaria  próximo a ela e seguraria seu ombro caso o primeiro e único fogo de artificio brilhasse sobre os céus.

Me certificaria que minha mochila e todos os meus pertences estão bem seguros em minha pose para não se perderem durante uma repentina confusão e aguardaria o caos se estabelecer.

Quando os primeiros sinais de desordem e questionamento começassem a brotar me levantaria segurando a mão de Emma com firmeza para que não sejamos separados e iria em direção a patrulha de marinheiros mais próxima;

-Poderiam ir investigar o que esta acontecendo? Temos membros suficientes aqui para nos mantermos seguros.

Como um velho detetive dizia, separar e conquistar é uma ótima maneira de sair vitorioso,irei tentar deslocar essa imensa tropa de 50 marinheiros, espalhando os pelo local para que seja mais fácil realizar seu extermínio fora do alcance dos civis e sem levantar a curiosidade dos desavisados.

Me dirigiria até Erin em meio ao palco com uma cara confiante em meus olhos,uma vez ela me disse que me ajudaria caso eu lhe contasse o que precisaria,então irei cobrar tal ajuda se provar se necessário e irei dar minhas devidas explicações mais tarde,mesmo que demore é muito até que consiga transmitir essa mensagem:

- Não é seguro aqui venha,irei te levar para outro lugar.

Se conseguir me distanciar dos outros em sua companhia falaria baixinho em seu ouvido para que apenas ela escute:

-Eles armaram pra mim Erin,preciso de sua ajuda,a Marinha descobriu sobre meu passado e quer agora me incriminar por incidentes a qual não tenho participação,eu me aprofundei por essa cidade,tudo isso foi armado e estrategicamente elaborado pela Ruiva,uma pirata que deu início a sua jornada exatamente nessa cidade.

Tentaria parecer preocupado e sem nenhuma esperança além da jovem garota ingênua então através dessa atuação continuaria meu esquema buscando conseguir sua participação na operação mesmo que ela não venha a  saber exatamente a verdade por trás de suas ações:


-Não confie neles,são pessoas terríveis que não se importam com nada além de seu próprio benefício,meu povo fora escravizado com a ajuda desses jaquetas brancas e ridicularizados e usados por puro entretenimento, pensei que poderia levar uma vida tranquila como detetive mas o mundo é mais cruel do que vim a aceitar

Abraçaria a garota apoiando minha cabeça em seu pescoço, com pequenas lágrimas saindo dos meus olhos,afastaria a gentilmente olhando a claramente continuando toda minha encenação:

-Terei que continuar minha jornada como um fora da lei pois eles não querem que alguém como eu,conhecedor dos seus podres ande tranquilamente em seu ambiente sendo capaz de retirar o manto que camufla sua real aparência e interesses a qualquer momento,mas gostaria que as pessoas que conheço soubessem da verdade, por favor, contactei alguns membros da célula revolucionária eles irão te proteger e ajudar todo os outros cidadãos enquanto a Marinha apenas se afastará por ter tido seus objetivos realizados,preciso que você os exponha e não deixe saírem lucrativos novamente com seus esquemas diabólicos,quero que realce os verdadeiros heróis que são os membros da revolução e revele o único responsável por esse momento de terror,a pirata Ruiva.Se for para um dia ser alvejado por atos cruéis ao menos gostaria que seja por incidentes que eu mesmo causei.

Observaria a atentamente esperando que a mesma colabore, me despediria com um beijo em sua bochecha e diria com peso em minhas palavras:

- Preciso de ti Erin,você é minha amiga valiosa,espero poder vê-la novamente no futuro.Irei retirar o máximo desses urubus brancos de perto para que não saia machucada e um risco sobre minha vida que irei estar disposto a enfrentar.

Puxaria Emma gentilmentr sinalizando que era hora de seguir jornada e iria em direção ao maior aglomerado de marinheiros possíveis:

-Eu como grande detetive descobri o paradeiro do chefe responsável por toda essa euforia ela não se encontra muito distante daqui,preciso que me acompanhem,ela tem um gigante ao seu lado,vamos.

Correria até o ponto de encontro onde Alfred estaria a meu aguardo sinalizando com a cabeça que tudo estava bem por enquanto é gesticularia com as mãos para que ele me entregasse a mercadoria se estivesse em sua posse com os seguintes dizeres:

-Avise Mash que seus homens são requisitados para a faxina,os inimigos estão posicionados no lugar adequado e minha vida depende disso.

Vamos ver se a tropa de extermínio realmente existe,até lá vou tentar usar desses peões para causar sérios danos naquele colosso,certamente ele irá se arrepender do dia que se colocou a frente desse grande detetive.

Falaria para os marinheiros que estivessem ao meu redor:

- Talvez o gigante seja uma figura conhecida,mas não se engane, ele se aliou a ruiva e fará todo o possível para convencê-los do contrário,ataquem com tudo o que tem ou seremos massacrados pelo seu poder.Mash faz parte da minha companhia de detetives logo estaremos cercados por homens que nós apresentaram apoio.

Talvez o gigante seja um marinheiro,então é bom me previnir contra pequenos deslizes como esse ou muito provávelmente eles se aliaram a ele e estaremos ainda mais condenados.

No momento que chegasse ao ambiente onde se encontrava a ruiva pararia a uma distância razoável comandando os com uma voz estridente:

- A ruiva não almeja perigo agora,foquem sua concentração no gigante, todos os que estão aptos a atirarem posicionem-se ao meu lado e aguarde meu sinal.Demais combatentes flanquem o inimigo para que possamos adquirir certa vantagem.

Esperaria que minhas ordens fossem cumpridas tentando manipulá-los e assim que visse o gigante tentando abrir a boca gritaria com os pulmões ao vento ao mesmo tempo que engatilharia meus dois revólveres disparando contra seu rosto:

--Foooogooooo!!!!!

Procuraria Jeanne e tentaria fazer contato visual,piscaria com o olho direito para demonstrar que tudo era parte do plano é daria uns tapinhas nas costas de Emma para que ela me seguisse:

- continuem disparando concentre-se no alvo diria enquanto me afastaria devagar esperando que não prestassem mais a atenção em mim tomando todo o cuidado para qualquer ataque corporal eminente procurando rolar para frente.

Esperaria conseguir alcançar um canto onde fora do alcance dos demais pudesse colocar as vestimentas recém adquiridas em mim e em minha parceira,assim como sua mochila em suas costas.

Procuraria ao meu redor pelos homens de Mash e quando estivesse convicto de suas presença retornaria em cena disparando nas costas do marinheiro mais próximo:

-Eu sou o grande detetive mascarado e essa é minha parceira fiel e somos membros da tripulação da ruiva.

Faria uma pose com o revólver apontado para frente e exclamaria:

-Estejam prontos para o seu fim,pois esse caso esta encerrado.
[/color]
Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Johnny Bear
Pirata
Pirata
Johnny Bear

Créditos : 17
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 9010
Masculino Data de inscrição : 20/04/2016
Idade : 19

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptyQua 27 Jun 2018, 18:50




Busco palavras para demonstra o que sinto, dor, ódio ou felicidade, são ambíguos; e não demora para que este prefácio tome rumo do outro,de meu instinto feral e a besta que regem dentro de mim, sinto fundo o gosto do sangue, sinto o meu escorrer, era fulminante como corriam pelas veias e ao gume de minha espada, pois como já sei, não posso descrever o que eu estou sentindo nesse momento, apenas abri minha boca e rosnei, mostrei as presas para intimidá-los como antes fiz, e como se nem mesmo percebesse – tão natural quanto fosse buscar por comida ou beber água – movi a arma pela madeira maculada do convés, e fincaria a ponta de minha espada a fundo na carne extinguida, a vida já lhe esvairá, coberto pelo manto da morte e, pouco a pouco, fosse tomado de alimento aos vermes – ó seres inglórios ao vislumbre, e assim que sentisse fisgar à lâmina, o pegajoso som da carne a cortar o corpo deixando escapar aquele último suspiro impiedoso, me abria um sorriso largo de escárnio, e dessa vez, deixava saltar o rugido largo que tímido se escondia nos recônditos.

Queria fazer desse meu momento algo mais do que uma intimidação, não se dando ao meu tamanho ou a minha cólera, queria mostrar aos marinheiros que como pequenos insetos não feriam ao meu orgulho, era evidente que podiam manchar meus pelos com meu próprio sangue, ou apodrecer minha carne a dá-las a serviço dos seres da teleológica matéria, mas algo que não conseguiriam arrancar de meu corpo era essa minha determinação e glória. E com o corpo já fincado, levantá-lo-ia, de modo a colocar a lâmina apontada para as minhas costas e apoiando-a em meu ombro.

– Vocês são inúteis, sua política é chata e agem como crianças mimadas! Não banquem os heróis, pois nem ao menos honram sua causa, o governo fede, a marinha fede! – E em protesto, o corpo que carrego seria atirado para frente, tentaria arremessá-lo em direção ao grupo que nos cerca, e caso afinco cerco não cessasse avanço, iria colocá-lo a frente de meu corpo, como um escudo e só então arremessá-lo.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

E é nesse primeiro movimento que formo meu avanço, pois se faria algo a me atirar encima de mais de uma dúzia de homens que fosse para abrir-lhe uma distração, mas não me encorajo de fazer tudo sozinho, antes de correr eu faria um sinal para que Auster subisse em minhas costas, seria uma espécie de montaria enquanto ela se encarregaria de vingar a defesa com seu escudo, talvez aparar algumas lâminas no meio do caminho, mas o ponto forte e determinante para o sucesso que fixaria no avanço em cavalaria com Auster às minhas costas seria no instante de colisão, onde frente ao cerco eu iria arremessar a garota de madeixas azuis – madeixas que se repetem na minha mente como uma figura distante – por cima do cerco, colocá-la às costas dos marinheiros seria um completo desastre em sua formação, era notório sua desordem até os comandos do sargento, mas ele estava ocupado, ou ao menos contei com isso a esperar algo de Will, ele fora tão excitado para cima daquele homem que julguei uma completa desonra intervir, e era sua obrigação ganhar depois do que estávamos passando no convés. Esperei que ela fosse de serventia útil, deixei-me a mercê de uma humana para voltar a encarar o cerco de frente.

Tentaria avançar por cima do buraco criado se eu conseguisse arremessar o corpo, senão, apenas iria conduzi-lo a minha frente como um tapume vivo – ou talvez eu devesse me referir a ele como morto – e no instante do impacto com os homens colocaria todas as minhas forças nas patas traseiras para realizar uma furiosa investida, em uma das mãos eu estaria carregando minha espada a demonstrar meu resplendor, tentaria abrir uma brecha no cerco de modo que fosse realizado um corte horizontal para tentar retalhar o máximo de inimigos possíveis no meu alcance em arco, mas eu contava com um bloqueio ou defesa, ai onde estaria se baseando toda a alma do meu avanço, entendendo o problema da defesa e do possível contra-ataque que os homens armariam, tentaria empurrar meu braço livre com as garras prontas para perfurar seus rostos, a princípio, o movimento feral deslocando meu total poder de destruição para tentar cortar o mais rápido possível o primeiro alvo, e se ainda sim, meu segundo golpe fosse parado, utilizaria esse outro bloqueio como ponto de apoio, fecharia minha patas de modo a fixá-las junto ao meu corpo, se fosse um escudo eu puxaria para mais perto de modo a contornar a defesa com minha cabeça, se fosse uma espada que me cortasse ou estocasse o palmo, iria prender ainda mais o golpe e puxar a arma para junto de meu corpo, e em todos os casos, os homens me ferindo ou não, o contorno dado pela minha cabeça à escondida abria as presas de minha enorme boca de modo que iria tentar abocanhá-los, tentaria pegar o membro que estivesse mais próximo, ou se não, realizaria um pequeno salto com meu corpo a colocar todo meu peso sobre minha parte dianteira, tentaria empurrá-los ou derrubá-los, e assim, tentaria morder a cabeça de um e de outro fincar as garras, de todo modo, faria da forma mais brutal e sórdida possível.

A primeira instância, abrir outro buraco e desestabilizar o cerco, esperar Auster agir pelas costas ou tentar distrair parte dos homens, tentaria agir em conjunto com a mulher para que esta não ficasse sobrecarregada, imaginei que deixar muitos oponentes para ela poderia não dar tempo da loira gorila chegar para ajudar, ou tal vez desse a essa ainda mais ego em seus movimentos “heroicos” e chegadas clichês de qualquer shonen que se vê pelas bancas, mas comigo não, eu estava além de coisas banais ou lutas heroicas, não me importava em enfeitar meus movimentos, de certa forma, eu ainda me movia com o garbo da dança fina, a valsa que ainda ritmava e conduzia todos os horrores que estava depondo em campo, mas eu não buscava tornar aquilo uma cantiga de se passar em bares, nem em poemas de um heroico feito, eu queria tornar aquilo como um mito, algo que faça as pessoas temerem, pois é isso que eu desejo, ser reconhecido pelo medo, monarca de toda a desgraça de destruição que eu for capaz de distribuir pelas linhas desses marinheiros, não desejo nada além de sua completa destruição e farei o possível para ser fator determinante na queda destes.

Utilizaria minha espada a colocá-la a frente dos golpes de meus inimigos, aparando os movimentos que eu conseguisse com o primeiro tranco, de certa forma, compreendi que era melhor colocá-la apoiada em meu ombro para ter maior capacidade de suportar o impacto, sentaria de toda forma tentar pressionar o movimento em direção contrária para mantê-los ocupados o bastante para que eu pudesse recuar em um rolamento a me ver menor pressionado, meu contra-ataque se estabeleceria encima de uma brecha aberta durante o próprio ataque do homem, se eu visse sua guarda alta o bastante ou que a espada se movesse de forma aleatória e descuidada, pegaria minha bainha com a pata livre e a colocaria a frente da trajetória de corte, assim, tentando parar o golpe ainda na execução e realizar o meu na mesma hora na região exposta, se fosse o tronco, tentaria cortá-lo em diagonal, se fosse algum membro superior ou inferior eu iria tentaria estocá-lo na articulação e comprometer sua movimentação com a ajuda do meu conhecimento em anatomia.

Histórico:
 


____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Remenuf
Designer
Designer
Remenuf

Créditos : 19
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 01/12/2017
Idade : 20
Localização : No seu coração

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptyQui 28 Jun 2018, 22:09

"The End Of All Hope: 07


Will


A entrada de Chô dava o tempo para que tanto Will quanto Faker recuperarem seus fôlegos, após um pequeno discurso para os soldados o Sargento já não parecia mais se preocupar muito com seus subordinados acreditando que dariam conta do serviço enquanto agora podia se focar completamente em West. O jovem pirata proferia curtas palavras para seu oponente o qual mantia seu olhar fixo, nenhuma resposta era ouvida do marinheiro, apenas um leviano sorriso que se insinuava no canto de sua boca. Ao mesmo tempo em que William se concentrava focalizando novamente sua visão junto do embainhar de sua espada, ele percebia que Faker fazia algo parecido se mantendo imóvel na mesma pose de antes mas desta vez emanando algum tipo de sensação de perigo ou no mínimo ameaçadora, para os arredores o caos ocorria deliberadamente, mas naquele curto espaço de três segundos, apenas para os dois espadachins que duelavam, o tempo já não corria mais, todos os sentidos de Will se aguçaram ao máximo, o vento em seu corpo, o cheiro da maresia carregado com um leve frescor de sangue, os sons nos arredores e até mesmo o barulho de poderosas pancadas vindas da cidade, mas o foco do espadachim era apenas um, Faker e suas claras intenções de finalizar tudo em um golpe só.

Ainda que seus pensamentos pareciam estar paralisados, ou melhor, acelerados de tamanha forma que tudo ao seu redor parecia lerdo, seu corpo ainda se movia normalmente em direção á Faker que se mantia na mesma pose até o momento em que o pirata se aproximava em um metro para seu ataque, a medida que Will sacou sua katana o marinheiro finalmente se movimentava levando seu punho até a altura do rosto soltando sua katana no meio do percurso deixando-a no ar apontada para West, a lâmina do pirata avançava em um corte diagonal à medida que Faker com sua outra mão pegava no cabo de sua katana negra e rapidamente avançando em uma estocada que acabava por coincidir na trajetória do golpe de Will desviando seu alvo para a lateral do braço do Sargento. O sangue começava a respingar por todo o braço do marinheiro que não tinha um indício sequer de que pararia seu avanço ao mesmo tempo em que William já iniciava seu segundo ataque, ao mesmo tempo em que ditava o nome de sua técnica Will podia ouvir Faker sussurrar algo. - Dark Requiem - Os golpes por fim acertavam, devido a movimentação o segundo ataque de Will acertava nas costas do marinheiro dando-lhe um corte profundo em toda a extensão do tronco, este que por outro lado conseguia cravar sua lâmina no abdômen do pirata rasgando sua carne de dentro para fora causando uma grave laceração.

Ambos davam mais uma passada ficando de costas um para o outro em aproximadamente 1 metro, mas nenhum som de queda era escutado, os dois se permaneciam de pé com suas armas em mãos, aquele deveria ser o golpe decisivo, mas nenhum vencedor havia sido decidido ainda.

- UUryaaaaagh! - Com um grito determinado e em suas últimas forças Faker se virava rapidamente ao mesmo tempo de West em que juntamente ao golpe horizontal da segunda katana do espadachim que cravava no marinheiro até as costelas, Faker atravessava sua lâmina através do pirata de forma que os dois ficavam se olhando com as lâminas atravessadas.

A visão de Will novamente começava a embaçar e tudo que ele conseguia sentir agora era o frio do gélido metal da katana escura enquanto podia também notar a pesada respiração de seu oponente bem à sua frente juntamente ao sangue cuspido pela boca deixando Faker nas mesmas condições de West, o marinheiro no entanto parecia ter um resquício de força em que levava sua mão esquerda até o pescoço de West começando a lhe enforcar, o jovem nada podia fazer naquelas condições e parecia que tudo estaria acabado a medida que seu ar se acabava e Will começava a sufocar, porém após não haver mais esperanças seu ar começava a retornar gradualmente, ou melhor, Faker começava a perder suas forças fechando os olhos lentamente e perdendo o controle de sua mão que deslizava do pescoço de Will para baixo enquanto caía morto no chão.

William havia ganho, mas não a troco de nada, no momento em que Faker o soltava o pirata dava três passadas para trás em recuo, talvez intencionalmente ou quem sabe pela fraqueza em suas pernas que logo o forçavam a ajoelhar, o fato era que seus ferimentos eram tão graves quanto os do homem que havia acabado de matar, o único diferencial era que ao contrário de Will que havia provocado outro ferimento fatal, por uma sorte do destino o Sargento havia perfurado no local previamente estocado na primeira investida do pirata que acabava por não receber danos extras, ficando assim vitorioso ajoelhado no chão com uma espada cravada em seu abdômen à medida que observava o sangue de seu oponente escorrer pelo piso amadeirado.

Chô


Paralelo ao duelo entre espadachins uma batalha de cerco ocorria bem ao lado com Chô e as duas escudeiras, enquanto que Illya parecia não ter muitos problemas em enfrentar seus quatro oponentes não dando a mínima importância para estes, o mink por outro lado fazia questão de causar um impacto entre os soldados, em um movimento da mais pura violência gratuita Chô fincou sua espada no corpo morto do pequeno John erguendo-o na cruz com a ponta de sua espada, mas aquilo não aturdia os soldados, muito pelo contrário, John havia se tornado um mártir, uma fonte de determinação para os mais fracos que se enfureciam ao ver o pequeno recruta naquela situação e logo dois espadachins avançavam na direção do Urso, o corpo era então arremessado em direção aos dois atacantes, um parava para pegar seu pequeno herói no ar enquanto que o outro continuava avançando com um corte simples e horizontal que era simplesmente defendido por Chô já abrindo uma brecha para que Auster finalizasse o homem com um rápido corte.

A luta se seguiu de forma que ao fazer a sinalização para a garota de mechas azuladas ela abria uma felicidade em seu rosto, como se tivesse vontade de fazer aquilo já a algum tempo e logo pulava nas costas do Urso como um cavaleiro faz com seu cavalo aproveitando-se também do momento para afagar o pêlo macio no mink. A cavalaria ursalaria dava início a sua investida tentando criar uma brecha na formação, e seu sincronismo era tamanho que enquanto Chô avançava impiedosamete Auster bloqueava com seu escudo as balas disparadas e chegava a derrubar mais um marinheiro que se posicionava na lateral.

No final do percurso três soldados de juntavam para parar Chô que pausava sua investida para se defender mas não antes de arremessar Auster que pulava por cima dos marinheiros aterrissando com um rolamento e dá estocando sua lâmina no coração do atirador que havia sido pego desprevenido. Junto a isso o mink já aproveitava que seus oponentes estavam ocupados segurando sua lâmina para rasgar o da direita com suas garras enquanto o da esquerda já era finalizado pela escudeira de cachos azuis atacando pelas costas restando naquele momento o soldado do meio que caía com uma potente mordida no pescoço.

A performance do Urso não poderia ter sido melhor, em questão de instantes ele havia limpado o número de inimigos de forma que dos que o cercavam apenas três permaneciam ao mesmo tempo em que Illya aparentava ter derrotado outros três soldados mortos de formas tão brutais quanto Chô o fez e deixando apenas um vivo para ficar brincando com ele. A forma como os piratas finalizavam os marinheiros de baixo escalão com facilidade sugava a vontade dos que haviam sobrevivido, e isso só se agravava no momento no momento em que Faker caía, os quatro soldados sobreviventes começavam a hesitar dando passos para traz, a vitória parecia certa, no entanto, fácil demais…

Rimuru


No tempo em que as lutas ocorriam Rimuru se localizava ali em meio a multidão que assistia a apresentação, se parasse para observar os arredores veria que teriam homens encapuzados como o que a pouco havia lhe entregado a mensagem, só esperando pela a ordem de ataque assim como Harima que os notara de longe. Ao se dirigir a Alfred Rimuru podia notar o ruivo limpando sangue do canto de sua boca mas sem muitas preocupações, como se fosse algo recorrente, ele parecia distraído, talvez com a peça, ou quem sabe não gostasse muito daquela situação, embora o detetive estivesse atuando Alfred não tinha problemas em entendê-lo, em seu olhar no entanto era possível perceber uma certa hesitação e até mesmo uma pontada de preocupação para com o detetive, uma resistência no entanto era inútil e após algum tempo de silêncio o ruivo aceitava o pedido.

- Certo… Mas tome cuidado. - Dito isto ele pegava o dinheiro e saía com o rifle que já estava previamente em sua posse, ao perceber a movimentação do ruivo Harima logo se juntava a Alfred e juntos sumiram em meio as pessoas.

Retornando sua atenção a peça o jovem podia notar que já era o ato final, Héracles finalmente recebia o direito de voltar a terra dos deuses no céu mas acabava por escolher uma vida em terra com os mortais, e isso quem sabe até poderia lembrar Rimuru de sua própria história, infelizmente para o ego do detetive Erin não era apenas uma atriz nada má, e sim uma das melhores, se o jovem celestial quisesse ter o mínimo de ousadia para se comparar com ela ele teria que treinar muito, era uma diferença tão evidente que nem mesmo Emma tinha como argumentar a seu favor, para a sorte da felina ela não tinha tempo de responder, pois logo o show acabava com os atores se reverenciando ao mesmo tempo em que uma única luz subia ao céu.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Boom! No soar dos primeiros fogos de artifício a platéia ia a loucura gritando e aplaudindo, esses gritos de felicidade no entanto logo se transmutavam em desespero com a cadeia de acontecimentos que se seguia, logo assim que o primeiro e único sinal era dado uma cadeia de explosões se iniciava por diversos navios no porto ao mesmo tempo em que homens encapuzados se moviam furtivamente e executavam alguns marinheiros ainda desatentos, do outro lado havia um homem forte e grande com alguns capangas atacando marinheiros e algumas pessoas de terno que se colocavam para lutar, este era Tank que gritava o combinado sobre ser um pirata sobre o comando da Ruiva. Crianças e grandes comerciantes choravam, as pessoas corriam de um lado para o outro enquanto alguns marinheiros tentavam lutar de volta, os artistas ficavam no palco sem reação do que fazer, mas no meio de todo aquele Caos só haviam três pessoas tranquilas devido aos seus conhecimentos, a primeira era Rimuru que corria em direção a pequena atriz Erin para executar parte de seu plano, a segunda era Emma, que apenas se mantia no foco de seguir seu mestre, e por último mas não menos importante a terceira pessoa talvez ainda mais serena que o próprio detetive que arquitetou o plano era o homem arbusto, ainda imperceptível e considerado como uma mera planta na mais pura paz interior.

A jovem atriz era levada para um local não planejado para ser atacado e os outros artistas aproveitavam para seguí-lo, uma vez “seguro” o detetive começava a explicar a situação para Erin em sua versão da história enquanto a pequena artista apenas acenava com a cabeça enquanto demonstrava um rosto de surpresa sem dizer uma única palavra, afinal, não haveria o que dizer naquela situação a não ser:

- Pode deixar comigo, espalharei a verdade! - Era o que dizia ela com uma forte determinação para ajudar.

O primeiro passo estava feito e logo Rimuru partia para seu próximo objetivo, no entanto era difícil encontrar marines que já nãos estivessem mortos ou tentando lidar com o grupo de Tank, quem acabava por ter atenção no detetive era o jovem de anteriormente de cabelo loiro e afiados caninos, Sargento Wolve, que ao invés de batalhar estava junto de mais cinco soldados organizando uma rápida evacuação de civis e coordenando outras pequenas tropas.

- Então o que estamos esperando? - Respondia o Sargento eufórico. - Se derrubarmos essa tal de Ruiva eles não terão mais essa moral toda. Você! - Ele apontava para um soldado. - Termine de evacuar os civis e segurem a situação neste local, os reforços devem chegar logo. - E então olhava para Rimuru assentindo com a cabeça esperando que o jovem o levasse até a líder prometida.

Ria e Dk


Diferente dos invasores ao barco ou de Rimuru, a situação no porto para Ria e Dk era realmente caótica, ambos pareciam estar com extrema dificuldade, e por mais que houvessem feito seus oponentes sangrarem, estes haviam causado muito mais dano, o gigante Skrýmir conseguia ter sua atenção ocupada por Dk e as duas moças que com muita dificuldade mal sobreviviam aos golpes do gigante, Ria por outro lado optou por lutar sozinha com seu oponente que era mais forte do que Ruiva, e isso quem sabe poderia ocasionar em seu maior erro.

A Ruiva que mais uma vez se encontrava no chão levantava-se dizendo palavras “reconfortantes” para seus companheiros logo antes de mais uma vez avançar contra seu oponente que apenas sorria sarcasticamente ao escutar o que Fanalis dizia. O avanço da Ruiva era impiedoso assim como o ataque que Genji fazia dando um corte horizontal com sua lâmina curva, o golpe do caçador era fácilmente esquivado por um pulo de Ria que já iniciava uma acrobacia para contra-atacar em suas costas, seu movimento no entanto era previsível, e Genji já esperava com a escopeta apoiada em seus ombros apontada para trás que no puxar do gatilho disparava mais uma vez.

Por sorte o tiro era no mais puro instinto sem tentar uma única mira, boa parte do projétil fragmentado era repelido pela lâmina da foice direto para as costas do homem que grasnava pela dor enquanto que a outra parte se alojava no antebraço esquerdo da pirata que aterrissou à alguns metros.

Sem perder tempo ambos os lutadores já se viravam avançando um contra o outro, Ria tentava um golpe horizontal com sua arma enquanto que Genji se aproveitava de umas das maiores fraquezas de uma foice longa, proximidade, antes que a Ruiva completasse seu trajeto o homem jogava suas duas armas para cima tentando uma distração enquanto entrava na área entre a ceifadora e sua lâmina da morte tentando parar o braço de Fanalis com uma de suas mãos enquanto a outra golpeava com um soco bem na barriga, este que por sua vez não era potente, por outro lado era efetuado bem nos ferimentos da pirata que sentia uma dor mais aguda ainda.

A troco de ainda ter conseguido cravar a ponta de sua lâmina no ombro de Genji, Ria era empurrada pelo golpe em cerca de dois metros trazendo consigo sua foice que dilacerava toda a região do bíceps de seu oponente, no momento em que se separavam a escopeta do caçador já caía em suas mãos apontando para a pirata atordoada, mas algo distraía o atirador, um flash no céu tirava sua atenção dando a brecha necessária que a Ruiva precisava para saltar com uma mortal que finalizava em um corte descendente, o caçador não percebia a tempo e até tentava se esquivar com uma passada para trás mas ainda assim o golpe acerta cortando desde seu Úmero direito até o abdômen . Um golpe finalmente efetivo era aplicado pela Ruiva que apenas observava Genji cambalear com algumas passadas para trás, o rosto do homem no entanto não aparentava ser de derrota, muito pelo contrário, sua feição era de alguém que já havia ganho enquanto uma força esmagadora e inesperada vinha em direção a Ruiva…

Enquanto Ria e Genji se digladiavam quem lutava ali no mesmo cenário era Dk junto de Yue e Jeanne, seu oponente era bruto e qualquer golpe poderia ser mortal, mas aquilo não desanimava o jovem, ao mesmo tempo em que tinha conhecimento de suas constantes maldições Dk sabia que os deuses não o deixariam perecer e se o fizessem seria sem arrependimentos, assim, sem temer a morte seu próximo plano era ousado mas destemido.

- Certo… Kukuku - Respondia Jeanne ao plano de Dk. - Vou tentar o mais alto que puder. - Yue por outro lado respondia com ações e já corria em direção à Skrýmir.

- Pode deixar comigo! - Bradava a loira enquanto já corria entre as pernas do gigante cortando-lhe uma parte do tornozelo.

- Vocêêêê! - Anunciava Skrýmir tentando pisotear Yue no qual culpava pelo erro de seu último golpe, era a brecha perfeita e Dk já avançava rasgando a panturrilha do gigante que dava uma longa passada para frente perdendo seu equilíbrio, um acontecimento ocorria atrás do outro e como se já não bastasse a sequência de golpes para chamar-lhe a atenção uma explosão de fogos de artifício era o prelúdio para um mar de chamas que se iniciava no barcos do porto causando uma enorme distração, gritos eram ouvidos ao longe e todos ali perdiam sua atenção nem que por um mero segundo, com exceção de uma pessoa, Jeanne que ao ver o rastro subindo no céu já sabia o que viria a seguir se aproveitava deste momento para saltar e dar um potente chute por trás do joelho do gigante que não podia fazer nada senão se ajoelhar perante aquela mulher.

Skrýmir agora estava alguns metros mais baixo facilitando o alcance do alvo, a morena rapidamente recuava se juntando a Dk e tomando a mesma posição de antes ela impulsionava o espadachim na direção do gigante, este que se tentasse novamente espiar como da última vez em que se surpreendia ao olhar por debaixo das vestimentas daquela jovem garota demônio que possuía calcinhas brancas como a neve o que o deixou marejado nas ondas de seus próprios pensamentos, admirado pela visão e meio confuso por esperar algo de tonalidade mais escura, perceberia que Jeanne agora tinha uma de suas mãos posicionando a saía para que cobrisse completamente a região enquanto esboçaria um sorriso de deboche para o espadachim.

juntando os esforços de ambos ali Dk era arremessado contra o gigante bem em direção à seu pescoço, mas como esperado Skrýmir não ficava ali parado, e em uma tentativa de se levantar o gigante trocava sua garganta pelo peitoral que era cortado horizontalmente fazendo uma cruz com o corte antes feito, o sangue começava a jorrar como se fosse uma garoa de céu vermelho enquanto o espadachim caía seguro no mar mas sentindo ainda mais dor em seus ferimentos devido ao impacto da água.

Foi neste exato momento que Ria havia acertado sua técnica mortal, e ao ver seu amigo sendo golpeado junto a fúria causada pelos danos causados Skrýmir descontrolado ergueu seu bordão segurando com as duas mãos pela primeira vez, uma aura azulada saía da arma como se estivesse transpirando e com um grito furioso o gigante tentava golpear a ruiva com toda a sua força. A Ruiva tinha êxito em escapar do golpe que colidia com o chão, o que ela não esperava era que a força aplicada pelo gigante era tão grande que um pequeno tufão era formado jogando não só Ria como também Yue e Jeanne em uma forte corrente de ar que as arremessava para cima desorientadas e por fim caindo no chão com tudo devido a gravidade.

Tanto as duas piratas quanto Jeanne se encontravam agora caídas no chão, conscientes, mas aparentemente mortas para quem observasse de longe, e Dk por outro lado, ainda não havia dado sinal nenhum desde que entrara na água e os caçadores interpretaram isto como uma vitória, o gigante azul se arguia ofegante e já um pouco mais calmo enquanto Genji começava a gargalhar pelo louvor enquanto pegava o cartaz de Fanalis Boris Ria e o largava no chão.

- Eles tiveram um final digno, muito bem grandão! - Dizia Genji enquanto guardava sua espada novamente no cinto e retirava de sua mochila um pequeno comprimido que ao tomar parecia ter suas dores aliviadas. Por fim o caçador pegava também de sua bolsa uma luneta que expandia para observar a embarcação que deveria ser escoltada.

- Vejamos como vai nossa outra fonte de rend… Mas o que? - Ao ver a situação que acontecia as palavras fugiam da boca de Genji por alguns instantes. - Skrý! O barco está sendo tomado, Faker parece ter sido derrotado! - O gigante também se surpreendia com aquilo levando uma das mãos à testa tentando forçar a vista para ver melhor. - Precisamos fazer algo! Me ajude com isso!. - Gritava o homem.

Will e Chô


Já no barco, após todos os fogos, explosões e uma súbita brisa da direção contrária à esperada, o grupo de piratas já podia se considerar vitorioso, no momento em que Faker fora derrotado a ruína dos marinheiros começava um por um de forma que tanto Illya quanto Auster derrubavam mais um soldado cada sobrando ao todo apenas dois, era só uma questão de tempo para finalizar aqueles dois pobres coitados e render todos os civis dando sucesso a empreitada, mas como dito antes, estava tudo perfeito demais.


Assim como panelas acumuladas na pia após serem lavadas, toda aquela operação desabava em questão de segundos com a chegada de algo muito rápido que acertava o convés bem na localização de William como se fosse uma bala de canhão fazendo a embarcação até mesmo balançar um pouco. Era difícil para os que estavam a bordo perceberem, mas na visão de Tj que ainda tentava forçar a vista para observar as belas mulheres em solo, era possível ver que o gigante azul havia arremessado algo, ou melhor, alguém. Sim, era Genji que havia pedido para que Skrýmir o lançasse.

- Então vocês são os moleques que estão causando uma confusão por aqui. - A chegada do homem poderia ser desesperadora para alguns, ele tinha uma pele escura com um cabelo arranjado em dreadlock, seu corpo estava praticamente todo ensanguentado, sangue este que não era necessariamente dele, mas boa parte saía de seu abdômen e costas, em uma de suas mãos estava a escopeta de cano cerrado, enquanto que com a outra Genji forçava o rosto de Will contra o chão, exatamente, o caçador havia aterrissado bem ao lado do pirata já o imobilizando e pressionando um de seus joelhos na ferida dilacerada de West que quase estava caindo em sono até ser subitamente despertado pela dor causado por seus ferimentos sendo prensados.

- West! - Gritava Illya correndo para tentar socorrê-lo, mas tudo que ela ganhava era uma escopeta apontada e disparada contra seu peito que apesar de protegido pelo escudo empurrava a loira para trás derrubando-a no chão. ao ver aquilo os dois soldados remanescentes recuperaram o brilho em seus olhos enquanto que alguns do grupo dos piratas, como Auster por exemplo, quase entravam em desespero, o que fariam agora?

Rimuru e Ria


Enquanto isso Rimuru corria em direção a última localização conhecida da Ruiva acompanhado de sua aprendiz, o Sargento Wolves e mais quatro soldados portando espadas, Alfred lhes encontrava no caminho entregando todos os pertences requisitados e com receio para o caminho que o detetive estava tomando, Rimuru no entanto era dono de sua própria vida e não seria um conhecido de três dias que iria pará-lo. Atento ao pedido do celestial o ruivo jogava um den den mushi para Harima que ao receber parava de acompanhar o grupo no intuito de chamar o revolucionário sem levantar mais suspeitas.

- Mash? - Balbuciava o Sargento em dúvida mas mantendo suspeitas para si enquanto Rimuru os orientava do que deveriam fazer, mas ao chegar na cena o resultado era o completo oposto do esperado. Skrýmir estava sentado em containers enquanto observava a Ruiva caída em seus pés com orgulho e logo redirecionava sua atenção um pouco confuso ao grupo recém chegado, e era naquele momento que a máscara de Rimuru caía, o fato do gigante ter matado a Ruiva, pelo menos era o que parecia na visão de terceiros, quebrava completamente a base das mentiras de Rimuru, uma arma sendo engatilhada podia ser escutada por detrás de sua cabeça, era Wolves que com dois revólveres apontava uma arma para o detetive e outra para a garota gato enquanto que os soldados ao perceberem as ações de seu superior começavam a cercar Alfred apontando-lhe suas espadas.

- Aquele gigante é um mercenário contratado pela Marinha. - Dizia o marinheiro. - Ele cumpriu seu papel de exterminar os piratas não tenho nada que disparar contra ele, vocês três por outro lado são no mínimo suspeitos, Mash é o nome de um homem procurado! Rendam-se agora e eu não usarei a força. - Neste momento as tropas já devem ter controlado a situação no porto então vamos até o QG esclarecer bem essa história.

Spoiler:
 

Histórico:
 
Offzão:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Johnny Bear
Pirata
Pirata
Johnny Bear

Créditos : 17
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 9010
Masculino Data de inscrição : 20/04/2016
Idade : 19

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptySex 29 Jun 2018, 01:02




Já se me ia aquele pique de antes, arfava com uma intensidade agora considerável, como não antes de cingir ao cerco com o lenço que embainho ao punho de minha arma, é austero, carreguei aquele gume pelo campo no horizonte a trejeitar os corpos com o suave, convidei-os a entrar em minha dança profunda, em sofrimento e agonia jaziam os corpos inertes, dominados pelo frio e pela escuridão adormecida. Suspiro gélido, a abraçar meus pelos, aquele campo esbranquiçado de neve, que se exauria, ou que permeasse, mas aquele reconfortante afagar gélido trazia-me, adjunto do mórbido silêncio, uma sensação de profunda paz, e nesta estabelecida, quis sentar, olhar para o horizonte e aproveitar a brisa relaxante a olhar no fim das águas salinas um regozijo em meio a meus desatinos.

Eu estava por fitar aquele campo, os corpos caídos, sangue escorrendo por todos os lados a manchar os honrosos, limitado também Will que pouco a pouco encontrava o fim de seu desafio, me senti profundamente orgulhoso do que ele fizera, e mais ainda, do que eu tinha conseguido permear com não só a chegada, fui capaz de manter a ordem, reconheço que com a ajuda da garota tudo havia se tornado mais fácil e rápido, e lá sorria, de canto a canto, abriam-se as presas a compor, caiam os poucos que sobravam, e os que ainda prostravam de pé, a quem vos dedico esse sorriso, nada fiz senão assistir caírem como lixo, suas vidas frágeis e de espíritos exauridos, tomados como espólios, era como adicionar uma moeda à uma pilha, um grão a uma saca, sem significado e sem importância.

Mas o que me para, sinto o profundo desgosto, solavanco com o impacto a atingir logo a frente no convés, logo agarro o cabo de minha arma para me preparar, seria outro navio? Reforços eu imaginei, talvez aquele sargento não estivesse mesmo andando sozinho, mas que será de uma nova invasão sem Will, o mata sargentos? É de se notar que me desesperei, parecia uma horda a nos esgotar, não falo por mim de modo recluso, senti os músculos e os ferimentos que antes não fustigavam minha carne, e como em água mole e pedra dura, uma hora iríamos perecer, mas não me dei por vencido em espírito, que viessem mais, eu estava pronto o bastante para mais uma antes mesmo de considerar levantar, apenas queria me dar conta do que estava por vir, olhei mais a fundo.

A inquietação bradou em meu peito, o que era todo esse êxtase? Senti meu corpo todo tremer em companhia a inquietude e tremulação, eu estava sentimento medo? Não, não era possível que eu estava temendo meu primeiro humano, eu nunca tremi antes, não era isso, sinto que é algo mais profundo do que medo, é algo mais doentio e metódico que aflora os sentidos, fez-me salivar, fez-me arquear as garras e dilatar as pupilas, eu estava tremendo de raiva "O que é essa sensação?! Eu não consigo controlar essa fome crescente... Será... ódio?" Ergui as patas a frente do rosto, queria ver se algo estava diferente, sentia minhas veias queimarem, algo se consolidava mais profundo a gravar-se, naquele instante eu senti o gosto pútrido de minhas ambições, peçonhenta e volumosa escorria de meus lábios, beirando a loucura. Percebi pouco tempo depois que minha raiva não se consolidava no sentimento de desafeto com o outro, mas sim, nutria uma decepção para comigo mesmo, como podia deixar aquelas coisas acontecerem?  

– Quer zombar de nós?! Então me encarrego de dá-lo de comida aos vermes, assim como todos estes, servirás como um banquete aos Deuses que jantarão de sua podridão e contubérnio com os peixes! ILLYA! Vai ajudar a Auster... Auster, foca nesses dois lixos, eu cuido do homem samambaia aqui.– Bati-me no peito com o punho fechado, forcejei-me a levantar usando a arma de apoio a um peso, estava mais uma vez disposto a lutar, a raiva que jazia era capaz de me fazer esquecer quase toda dor, exceto, aquela que maculava algo mais profundo do que a carne, esta, meu desempenho vergonhoso, reparável apenas com o sucesso daquele combate, por isso, como um arauto de sua ira, cozinheiro de sua realeza, roguei aos meus senhores uma última chance “Senhores, sei que falhei convosco, mas se me derem mais um pouco de energia para que eu possa lutar, se puderem alimentar-se da teleológica matéria, minhas dores e fadiga, tirá-los de mim para conceder-lhes um último banquete.” Se nesse instante, passei a lâmina, sem tocar ao gume, em meus pelos, o ponto de concentração seria nos braços, mais precisamente, nas articulações que me ardiam a movimentação, o cheiro de sangue já seco, mais escuro, cuja vida abandonada despojava-se até mesmo da luz, sinal da morte absoluta.

Estava certo do que a arma daquele homem poderia fazer, vi-a arremessar Illya para longe que poderia facilmente me desestabilizar, concentrei-me em poupar minhas energias para que conseguisse realizar um movimento mortal. Busquei ao meu redor um corpo, qualquer que fosse já morto não se importaria que eu o usasse como um escudo para aquelas balas, erguê-lo-ia pela gola a colocá-lo contra meu corpo que seguiria de lado, esperei que este realizasse o primeiro disparo em meio ao meu avanço, pois se não, iria até perto deste para jogar-lhe o corpo e em seguida realizar um salto para frente a fim de dar-lhe uma estocada no peito. Se o primeiro disparo fosse realizado, utilizando então aquele como escudo e tentando então permanecer-me de pé no momento do impacto, e desde então, seguiria isento de qualquer defesa, observando a movimentação do homem, deixando o cadáver com furos para trás, iria depender apenas de minha mente e velocidade para finalizá-lo.

Iria tentar avançar em uma velocidade constante, porém, estrategicamente colocada, nem tão rápida e nem tão lento, uma velocidade na medida em que deixasse o homem incerto e indeciso quanto ao meu tempo de aproximação, queria deixá-lo relutante ao realizar o segundo disparo, me chegaria a tempo dele recarregar e disparar? Pois se os questionamentos lhe subisse a cabeça, esperaria que o segundo disparo fosse feito, dessa forma, no instante em que este viesse a recarregar a arma eu iria colocar minha arma contra a luz de modo a resvalá-la em seus olhos, queria distraí-lo ou atrapalhá-lo enquanto eu ainda seguiria, agora, em disparada com meu tronco inclinado, a arma posta à boca pelo punho e ambas as patas remando em grande velocidade.

Não conseguindo acertar a luz, cabia-me o  ímpeto de receber os disparos no peito a abri-lo e me jogar frente as balas, tentaria segurar-me para não escorregar ou cair, cravaria minhas garras na madeira, e só então, iria disparar em direção ao homem.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Iria levantar tentando acertar o homem com a espada ainda na boca, dessa forma, subiria o tronco enquanto estivesse virado para este, no instante da subida, acertando o primeiro corte ou não, iria arremessar a espada para cima com a boca. Seguido do golpe da espada, com pouco menos que um segundo de intervalo, iria tentar golpeá-lo com a garra da pata cujo lado estava virado para este. Enquanto a arma arremessada para cima, com a intenção de fazê-la cair na mesma pata que tentei acertar o homem momentos antes, realizaria um giro de 360º para trocar de lado e, durante este, tentaria acertá-lo com uma pata traseira enquanto a outra servia como um ponto para me sustentado. Quando com a arma na pata, ainda pega durante o giro de 360º, iria tentar cortá-lo com a mesma em um movimento diagonal vindo de baixo para cima, começando do lado que o giro estivesse terminando, e, logo em seguida, iria para frente na intenção de realizar um rolamento no convés para colar ainda mais no oponente. Logo após o giro eu iria tentar aplicar-lhe uma rasteira com a pata traseira enquanto colocaria a arma entre os dedos da outra pata, assim, logo após a rasteira eu iria erguer meu corpo com um dos braços e, enquanto a pata com a arma seria empurrada para frente a fim de aplicar uma estocada na altura do pescoço.

Movimento:
 

Logo em seguida da estocada, iria largar a arma das patas e realizar um giro ainda na mesma posição, a pata que estava atrás agora seria direcionada de modo a tentar acertar o homem com um golpe com as garras vido em horizontal, o giro seria realizado com uma das mãos enquanto que a outra, deixada livre, iria tentar agarrar a arma que estaria caindo, assim, tentaria pegá-la e, logo após tentar efetuar o corte com a pata, iria realizar outro rolamento em direção ao homem e, então, iria ficar de joelho e realizar um giro de 180º tentando acertar a espada na região do estômago. Levantaria desse golpe para assumir a pose Epaule ( Ballet ) enquanto a arma seria utilizada na intenção de cortá-lo durante a subida e empunhada pelo braço colocado a frente do corpo. Iria, logo depois da subida, realizaria um giro ao mesmo tempo em que iniciaria um salto para cima do homem com a arma na boca.

Salto:
 

Com o salto tentaria acertar minha pata e cravar as garras em alguma parte de seu tronco, conseguindo ou não, cairia no convés perto do mesmo e então deixaria a arma cair em minha articulação do cotovelo, iria efetuar outro giro de 360º  com o braço cuja lâmina estava presa a articulação colocado para cima da cabeça, tentaria efetuar um corte com a pata livre no começo do giro ao mesmo tempo que levantaria um de meus joelhos para tentar acertá-lo, e na metade do giro, iria deixar a arma cair de minha articulação no mesmo instante em que eu tentaria mudar de pata de apoio cuja qual era responsável pelo giro, assim, a que antes estava me mantendo fixa no chão e rodando agora iria seguir o giro, eu iria esticá-la para tentar acertar o homem enquanto que, ao mesmo tempo, iria tentar pegar a arma com uma das patas para que, no fim do giro, eu aplicar-lhe-ia um corte horizontal na altura da cabeça.

Eu iria realizar todos os meus passos e movimentos indo em direção ao oponente, assim, caso este fosse para trás eu ainda estaria realizando os movimentos na medida em que avançaria para que, cada vez mais que ele retrocedesse, ficasse mais encurralado. Caso o mesmo tentasse m desestabilizar durante meus movimentos, eu tentaria bloquear com a espada ou com as garras na posição em que estivesse, assim, iria realizar o movimento que eu estava a fazer na direção contrária e, logo em seguida, continuaria meus golpes. Se o homem conseguisse sacar e recarregar a arma, voltaria alguns de meus golpes para tentar lhe atingir o braço ou senão a arma com a intenção de tirá-la de sua mão, e, logo em seguida, iria voltar a mirar meus ataques em seu tronco.

Histórico:
 


____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Última edição por Johnny Bear em Dom 01 Jul 2018, 14:24, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kaminari Dk
Pirata
Pirata
Kaminari Dk

Créditos : 6
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 9010
Masculino Data de inscrição : 27/11/2017
Idade : 24
Localização : Conomi Island

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptySex 29 Jun 2018, 19:06

Conforme acertava os cortes no gigante, junto de Yue e Jeanne, ia ficando mais confiante de que poderíamos vencer. Começava a me perguntar o porquê de os deuses estarem permitindo algo assim. Nessa altura do campeonato, eu já deveria estar bem mais ferido do que estou, apesar de todo meu corpo estar dolorido graças as dores ampliadas pela Deusa da Dor e meu cansaço superior a qualquer um, causado pela Deusa da Energia que me fazia gastar para me manter em pé o mesmo que alguém gasta para correr em uma maratona, eu ainda conseguia continuar com meu conflito. Até que presencio algo bastante oportuno, provavelmente a primeira manifestação da Deusa das Explosões em minha frente, causando explosões aleatórias do nada para me distrair e acabar comigo.

~~ Cabe a mim usar dessas explosões feitas para me distrair e me abalar como algo útil. ~~

Assim que Jeanne derruba Skrýmir, eu pulo nela e mais uma vez sou lançado, o cortando. Mas mesmo assim, é claro que algo aconteceria, não teria como os deuses permitirem que eu consiga realizar um ataque decente no enviado deles sem que sofresse o que qualquer pessoa comum não sofreria, mesmo me preparando para mergulhar na água, era mais do que óbvio que sentiria o impacto na mesma, pessoas saltam o tempo todo dessa distância e não sentem nada de mais, mas eu, o perseguido pelos deuses, não conseguiria fugir de tal dor. Enquanto caído na água, ficaria sério imaginando o que fazer agora que dar um ataque desses provavelmente vai ser tão previsível.

~~ Como acabar com esse gigante? Precisamos de algo um pouco mais efetivo que atacar suas pernas e peito, talvez causar algum sangramento, mas ele tem uma pele muito dura, sem falar que seu pescoço é muito alto, precisamos de um jeito mais eficaz de subir nele... É claro que se eu subir, a Deusa da Queda vai me derrubar... Talvez se Ria tiver acabado com aquele cara, ela possa acertar o pescoço desse monstro. ~~

Nadaria até a margem calmamente enquanto pensaria em nossa situação, mas no momento que estava subindo de volta para a margem, teria uma surpresa se visse aquela bagunça onde estariam Ria, Yue e Jeanne caídas no chão, parecendo estar mortas de tão paradas que estavam. Sem falar em marinheiros chegando com o garoto ou garota que eu havia visto atirando no gigante algum tempo atrás, não sabia o que estava acontecendo, talvez a marinha tenha matado todos e capturou aquela pessoa que antes havia nos ajudado. Sairia da água me esquecendo da dor, me posicionando de frente para os corpos de minhas aliadas mesmo que distantes, então fecharia meus punhos, ao abaixar a cabeça levemente olhando para baixo e olharia para o gigante sentado com ódio daquela situação.

~~ Mais uma vez... Mais uma vez perdi tudo ao meu redor, não acredito nisso, foram vocês, não foram? Deuses!? ~~


-Mais uma vez, não tenho nada... Tudo por culpa de vocês!


Diria alto falando com os deuses, talvez os que estivessem perto achassem que eu estava falando dos caçadores ou da marinha, mas se algo estava diferente, era minha voz mais grossa e roca de ódio por aquele que aparentemente havia matado minhas companheiras. Sacaria minhas katanas e correria na direção do gigante tentando o atacar antes que se levantasse, assim que me aproximasse, pularia nos containers tentando chegar o mais alto e próximo dele antes que ele conseguisse se afastar, assim que chegasse o mais próximo possível de seu pescoço, pularia em sua direção tentando fincar minhas duas katanas o mais próximo possível do mesmo, então faria força para baixo junto do peso de meu corpo para tentar cortar desde a parte superior de seu peito até a parte inferior de seu abdômen, torcendo para que nenhum dos deuses me atrapalhasse.

~~ Cair, ser esmagado, ser lançado, ser pisoteado eram algumas das infinitas coisas que os deuses que nunca estão do meu lado podem e vão fazer, mas tenho que ser forte e resistir até matar esse gigante. ~~

O acertando ou não, utilizaria minhas katanas para ir fincando em seu corpo e ir escalando até sua cabeça, colocando uma após a outra com agilidade, começando de suas pernas e subindo até na altura de seu pescoço por trás, então mais uma vez, fincaria minhas duas katanas e faria força para baixo tentando um corte vertical de uma ponta à outra de suas costas para causar algum dano um pouco mais sério.

No caso de perceber que Ria ainda estava viva, eu daria um grande sorriso ao perceber que sua vida não havia sido tomada e aquela era mais uma pegadinha dos deuses, talvez a Deusa dos Desmaios brincando comigo. Se ela ainda quisesse lutar, concordaria com a cabeça, enquanto encararia o gigante e falaria sorrindo para saber se ela poderia fazer algo para tentar finalizar aquele monstro que está me dando tanto trabalho.

-Vou te lançar nele e você corta o pescoço do gigante com sua foice, deve ser o melhor jeito.

~~ Tomara que eu não mate minha capitã... ~~

É claro que isso pode dar errado, mas desde que a Deusa dos Lançamentos não faça uma das suas, acho que é a melhor ideia no momento, levando em conta que atacar suas pernas não tem causado tanto dano assim. Me afastaria em uma direção que ele não conseguisse nos acertar, cruzaria minhas katanas de modo que a parte não cortante fique para frente, deixaria que Ria subisse nelas, é claro que se tivesse percebido que Yue e Ria estavam bem, queria tentar observar por baixo de seu vestido também, afinal, um amaldiçoado pelos deuses como eu não poderia perder jamais uma chance dessas, mas respeitando minha capitã, não olharia, com tudo pronto, pularia na direção do monstro e quando chegasse na altura máxima que consigo pular, forçaria meus braços como se fosse dar um corte cruzado com força, de maneira que ela fosse lançada com minha força na direção do pescoço do gigante, enquanto gritaria.

-VAAAAI!

Assim que Ria fosse lançada e eu voltasse para o chão, já correria por baixo para tentar acertar suas pernas e distraí-lo do ataque vindo por cima. Me aproximaria pela lateral do gigante e pularia por trás de suas pernas tentando um corte atrás de seus dois joelhos, pensando que ao mesmo tempo que tentaria criar uma distração, me aproveitaria da distração criada por Ria e que a Deusa da Percepção não ajudasse o gigante a perceber meu avanço por baixo.

A marinha poderia querer intervir a qualquer momento, nesse caso, se percebesse que dariam tiros com minha visão aprimorada, assim que fossem mirar, tentaria sair da mira de suas armas ao correr em ziguezague em sua direção e retirar meu corpo da mira me movendo para os lados ou me inclinando. Se eu me aproximasse por ser alvo de tiros ou eles se aproximassem de mim para me atacar de perto, deixaria a katana em minha mão esquerda na frente de qualquer ataque de curta distância que fossem dar para bloqueá-lo e se necessário, a direita, se não, eu usaria a minha direita para dar um corte horizontal, tentando atingir o máximo de marinheiros possível na altura do peito.

Caso algum dos deuses queira aprontar enquanto eu estiver no ar indo na direção do gigante e ele tente me atingir, rotacionaria meu corpo para acertar o que ele usasse para me acertar, assim cortando o que usasse ou fazendo com que o ataque parasse, isso na tentativa de acertar o corte. Se enquanto eu usasse minhas katanas para subir, ele tentasse me acertar, rotacionaria meu corpo para os lados ou me puxaria para cima na tentativa de me esquivar, além de deixar uma de minhas katanas com a lâmina voltada para aquilo que ele usasse para me atingir, de modo que ela se encrave na parte do corpo do gigante ou em sua arma de madeira e eu fique no espaço gerado pelo cabo da mesma que seria parada pelo próprio corpo do mesmo, no caso de eu não ter força para conter o golpe.

Se percebesse que conseguiria me esquivar e ficar em pé de seu braço, tentaria subir nele correndo e chegando no lugar onde pretenderia acertar meus golpes. Se fosse cair, fincaria minhas katanas na tentativa de me manter suspenso no gigante sem cair. No caso de alguma rajada do gigante surgir, cravaria uma de minhas katanas no chão ou nele caso estivesse em cima do mesmo para que não fosse lançado pela Deusa do Vento.

OFF:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]///[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptySex 29 Jun 2018, 22:43


O Que Você Fez? YUEEE!


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Eu não entendia direito o que estava acontecendo comigo, eram tiros batendo na lâmina de minha foice, me salvando por sorte, eram pessoas surgindo do nada para me segurar, era alguém que sabia onde eu ia atacar antes mesmo que eu começasse o ataque, a única coisa que estava fazendo sentido nessa luta era o fato de nada estar fazendo sentido, um sentimento de impotência contra meu adversário começava a circular pelo meu corpo. Realmente, esse homem é forte, me lembra alguns dos agentes que matei na mansão que invadi, ele está me deixando cada vez mais machucada, sinto a ardência causada pelos tiros, o sangue escorrendo pelo corte feito em meu abdômen e dores internas que não sentia a muito tempo, por sorte a adrenalina da situação parece estar amenizando tudo, mas tenho que acabar logo com esses caras. Enquanto mais uma vez era empurrada pelo meu adversário, pensava comigo mesma.

“Eu não sinto medo desse homem, mas que sentimento é esse? Se continuar assim, tudo levará para minha derrota, como é possível existir alguém tão forte assim em Loguetown? Talvez eu esteja lenta devido aos ferimentos sofridos durante a invasão nos Mallone, só pode ser isso, se bem que ele tem um buraco e eu uma foice longa, acho que se eu focar em acertar minha foice no ferimento causado pelo meu ultimo corte, talvez eu tenha uma chance de acabar com isso.”

- MAS O QUÊ? –

Falava até que alto ao ser surpreendida por um forte clarão nos céus, mas não desperdiçaria essa oportunidade, saio correndo na direção do Cara Do Dread e consigo o acertar com um corte vertical. Parecia que finalmente eu havia o acertado em cheio, mais alguns desses e ele com certeza não conseguiria continuar lutando por mais forte e resistente que fosse e tenha se mantido por toda a luta, ao acertar o ataque dava um sorriso e o provocaria enquanto o mesmo parecia não ter se abalado apesar de receber tal ataque.

- Então você resistiu a isso, nada mal Cara do Dread, mas não vai matar tão facilmente a futura Rainha dos Piratas! –

Depois dessa frase, veria mais uma vez o bordão do gigante vindo em minha direção, algo estava estranho como sempre, dele estava emanando uma espécie de aura azulada e eu não entendia o que estava acontecendo novamente. Se eu achava algo, mais uma vez, era que as coisas não faziam sentido, como é possível algo assim vir em minha direção do nada, mas já era previsível, a todo momento o gigante interferia em minha luta na tentativa desesperada de me acertar um ataque, facilmente me esquivava daquele golpe colossal.

“Esses caras não conseguem lutar direito, sempre usando coisas sujas...”

Antes mesmo de concluir meu pensamento, sentia mais uma vez um vento absurdo se formando, era algum tipo de ciclone que me puxava antes mesmo de fincar minha arma no chão e me arremessava para cima, fazendo com que eu caísse novamente devido à uma forte rajada de vento. Por alguns segundos, eu não conseguia me mexer, dando a impressão de que estava morta e lá permanecia deitada pensando no que estava acontecendo, mas pronta para me esquivar rolando assim que escutasse quaisquer passos em minha direção.

“Dou um ataque e sou jogada longe, dou um ataque e sou jogada longe, dou um ataque e sou jogada longe... O que está acontecendo aqui? Ficar em pé e continuar com a luta sempre foi tão difícil? Qual é o meu problema? O que estou fazendo? Não... Ainda não acabou, ainda não mostrei tudo para esses caçadores ou sei lá o que!”

Me levantaria lentamente devido a dor que sentia e olharia para os lados para ver onde o Cara dos Dreads estava, ele já estava me deixando nervosa com toda essa brincadeira onde seu amiguinho ficava nos interrompendo. Apesar de procurar olhando para os lados, não o encontrava, parava um segundo para pensar sobre o que havia ocorrido e era nesse momento que eu percebia o que provavelmente era a verdade.

“Entendo, então eu o acertei com tanta força que ele não conseguiu resistir ao ataque de seu amigo, caiu no mar e morreu afogado, pobrezinhos... E eu achando que teria uma luta digna... Se não foi isso, saiu correndo de medo... Só pode ser isso.”

Não encontrando aquele desgraçado medroso, daria uma olhada para ver se os outros estavam bem, nesse momento, se visse Yue deitada sem se mexer, parecendo morta, minhas pupilas dilatariam ao me lembrar de meu passado onde meu querido amigo de infância morreu, com isso, por alguns instantes ficaria em choque sem me mexer ao me lembrar do que havia me ocorrido. Sentiria uma lágrima escorrendo do olho direito e nesse momento, olharia para o gigante como se aquele fosse seu último dia de vida, estaria furiosa com aquele acontecimento e não ficaria parada por nem mais um segundo.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

“Você... O quê você fez com a...? Eu não tive nem a chance de... De... Eu vou... Eu vou...”

Várias lágrimas começavam a escorrer diante daquela cena, eu não queria acreditar no que via, mas estava na minha frente e nada que eu fizesse mudaria aquilo. A única morte que presenciei antes foi a de meu pai e olha que já estava preparada para ele por muito tempo, levando em conta que ele estava bastante doente e já bastante debilitado em seu leito de morte.

- EU VOU MATAR VOCÊ, DESGRAÇADOOOO! –

Gritaria com todas as minhas forças, enquanto correria na direção daquele assassino, até veria a marinha próxima com a garota de antes, Jeanne caída e talvez Dk lutando com o gigante, mas nada mais me importaria naquele momento, tudo que eu queria era acabar com aquele que havia matado Yue. Meu olhar de desprezo por ele, que agora eu considerava um ser tão insignificante quanto uma formiga, crescia a cada instante durante minha investida, se alguém conseguiu me deixar furiosa nessa vida, foi ele. Durante minha investida, tentaria segurar o choro para vingar Yue da melhor maneira possível e não acabar morrendo tentando.

Se no caminho, visse Dk fazendo a proposta de me jogar no gigante, concordaria com ele com a cabeça sem falar nada e sem tirar os olhos nem por um segundo daquele gigante, pularia em cima de suas espadas cruzadas para que ele me lançasse sem me importar com nada. Assim que tivéssemos a altura máxima e ele começasse a fazer o movimento para me lançar com força, pularia indo na direção do pescoço daquela criatura, pronta para degolá-lo. Se nesse trajeto, percebesse que ele tentaria me atacar, utilizaria minha técnica – Ceifamento das Mil Almas – ao girar meu corpo em torno de mim mesma, de modo que minha foice ficasse perpendicular e horizontal ao meu corpo, na tentativa de repelir ataques vindos.

- Isso é pela Yue! -

Quando estivesse próxima do gigante, posicionaria minha foice com sua lâmina atrás de meu corpo em uma posição horizontal para que assim que o acertasse, eu a puxaria com bastante força que somada a minha aceleração, de modo que, provavelmente causasse um corte bastante profundo no pescoço do gigante. Conseguindo ou não realizar esse ataque, tentaria ficar sobre seu ombro de modo que me equilibrasse no mesmo, usando toda a habilidade e conhecimento que tenho para conseguir me manter lá e ainda por cima, estável.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Com isso, se conseguisse ficar lá e ainda não tivesse visto sinal de vida de Yue, ainda um pouco fora de mim, começaria a desferir vários cortes horizontais com minha foice tentando acertar alguma coisa importante em seu pescoço, fazendo com que ele perca sangue até não resistir mais. Se em algum momento eu caísse, utilizaria minha foice para acertá-lo no lugar mais próximo possível e ter uma decida tranquila até o chão, enquanto dilaceraria sua pele, abrindo um ferimento grave em seu corpo.

"Morra... Morra... Morra... Maldito!"

- Morra! Gordo Gigante! -

Se não conseguisse chegar nele ao pular com a ajuda de Dk, utilizaria de sua armadura para ir subindo ao pular e me agarrar em qualquer parte sobressalente da mesma, sempre me equilibrando e tentando chegar em seu pescoço para realizar meus ataques, mas se visse que não conseguiria chegar lá, cortaria o local mais alto que conseguisse, dando preferência ao seu abdômen, peito e coxas.

Talvez a marinha tentasse algo, mas eles não chegavam nem perto de ser o meu foco naquele momento de raiva, eu iria querer acabar com o gigante a todo custo, por isso, me esquivaria de possíveis balas ao evitar de ficar em sua mira e correndo em ziguezague se percebesse que começariam a mirar em mim. Caso viesse para cima com espadas, me esquivaria ao me afastar e continuar com meus avanços contra o gigante, rolando quando necessário, inclinando meu corpo na direção contrária aos ataques ou recuando, mas sempre tentando me retirar da direção dos ataques e continuar com meu avanço contra Skrýmir.

Caso o gigante fosse me atacar com seus membros ou seu bordão, manteria minha corrida, mas indo para o lado na tentativa de me esquivar, sempre visando o lado mais propenso ao meu sucesso da finta. Caso seus ataques causem alguma rajada de vento como tem acontecido até agora, acertaria a ponta de minha foice nele ou no próprio chão para me estabilizar e não ser lançada longe pelo impacto de seus golpes.

"Yue!?"

- Eu achei que você estava morta... -


Se percebesse que Yue estava viva em algum momento, sorriria diante do milagre com os olhos brilhando de felicidade, enquanto mais lágrimas escorreriam, mas não de tristeza como as anteriores e sim de felicidade por ela ainda estar viva, correria para abraçar ela ao pular em seus braços com tudo enquanto diria o que havia imagino que tinha acontecido. Depois de algum tempo abraçada, sem deixar de ficar atenta com o gigante e a marinha, já que estávamos no meio de uma luta pela sobrevivência de nosso bando, balançaria a cabeça em sinal de aprovação e felicidade por ela ainda estar lá e continuaria com os ataques que havia planejado sabendo que aquele gigante havia machucado a minha preciosa amiga, que tem me apoiado praticamente desde que dei inicio a essa aventura em busca de meus sonhos.

Ceifamento Das Mil Almas:
 

Objetivos:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Rimuru
Orientador
Orientador
Rimuru

Créditos : 11
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 10010
Data de inscrição : 20/03/2018
Idade : 22

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptySab 30 Jun 2018, 23:46


Que reviravolta inesperada, realmente espero que Jeanne tenha esquematizado um plano com os demais de se fingirem de mortos pois trouxe os marinheiros aqui arriscando o meu é o bem estar de minha aluna apenas para criar uma oportunidade de salvá-los.

Do contrário eu devia ter tirado ela daqui no momento que vi o combate se desenrolando, isso poderia ter garantido a vida de minha amiga mesmo que a ruiva não sobrevivesse poderíamos ter procurado outros métodos de adquirir certa vantagem, estava apenas querendo usá-la para entrar no submundo mas também posso fazer isso utilizando meu próprio nome.

Esse não está sendo meu dia, eu o melhor detetive do mundo estou sendo ridicularizado pelos acontecimentos que não sou capaz de deduzir.

Melhor eu mostrar para essa tal de vida que eu sou muito maior e mais importante do que ela para ser decidido meus acontecimentos de maneira tão imprevisível,sou superior s todos e irei traçar meu próprio caminho do jeito que eu quiser e não vai ser algo tão inferior como o destino que me guiará durante meu percurso,farei isso com meus próprios passos no ritmo que bem entender.

Fanalis Bastet Ria, agora sim acho que acertei seu nome, Bastet foi utilizado em um velho livro de detetives onde o adorável e audacioso protagonista desmascarou os planos cruéis de um culto com uma deusa com tal nome que representa a vida.

Mas como vida é algo que você não tem, compreendo o motivo de o B não possuir um significado,não se preocupe minha jovem, eu ainda não perdi meu respeito por você, usarei os pertences que adquiri pelo Alfred para me passar pela sua pessoa,se não for o suficiente tingirei meu cabelo de ruivo, acho que deve ser o suficiente para dar prosseguimento em sua linhagem,honrarei seu nome com prazer e farei com que todo nossos esforços até o momento não tenha sido em vão.

Embora esse nome seja muito ridículo para alguém tão grandioso como eu, acho que meu primeiro ato de pirataria será atacar um cartório e trocar seu nome por um novo, algo mais impactante é destemido.

Já sei Rimuru,isso mesmo irei trocar seu nome por Rimuru o nome perfeito para a nova ruiva,tudo que tenho que fazer e permanecer vivo para que tudo ocorra como esperado.

Falando nisso não tinha alguém lutando com o gigante ainda cedo? Não vi ele entre os caídos. Amado seja todos os detetives da terra que não chegam ao meus pés, não me diga que esse gigante prática canibalismo? Se bem que é bem plausível, com uma grande estrutura como essa ele precisa manter se nutrido, duvido muito que ele sinta o gosto de coisas pequenas, elas devem ir direto para o estômago serem dissolvidas e transformadas em energia.

Que eficiente, acho que vou usar esse jovem também, a energia que supostamente ele gerou sendo devorado por esse ser deve ser o suficiente para mim usá-lo ao meu prazer.

Se não posso usar os jaquetas para atacar o gigante, o inverso pode ser praticado. Hoje estou fazendo muitas pessoas se revoltarem contra a Marinha, um indivíduo a mais não seria problema.

Suspiraria e voltaria minha atenção para o sargento com as mãos para cima dando umas leves batidinhas com o ombro em direção a minha parceira para que fizesse o mesmo, sabia que de todos os estilos de combate armas de fogo são as únicas eficazes, se tivesse sido qualquer outra não seria um desafio para mim mas como é algo de minha utilização e reconhecimento fico lisonjeado que meu rival tenha a opinião certa a respeito.

Falaria com a voz alta e aumentando gradativamente conforme fosse me comunicando para que até mesmo os enormes ouvidos do gigante a distância pudessem escutar minhas palavras cativantes:

-Sabe sargento você só aumenta minha descrença de que marinheiros são muito preconceituosos,falar que meu funcionário Mash e um criminoso procurado só por ter um nome de um fora da lei é desapontador, ririririri, vai me dizer que se eu tivesse um recruta chamado Wolves ele seria considerado um patente alta por sua causa?

Daria uma leve mexida no corpo,como se estivesse relaxado e que não estivesse muito surpreso com os recentes acontecimentos, eu gostaria de conversar bastante para distrai-lo ao máximo enquanto a ajuda está a caminho, só que não sou bobo de acreditar que isso será possível então terei que mudar minha abordagem logo:

-Eu não fiquei aqui para ver claramente as coisas então deduzi conforme minha própria opinião.A ruiva estava atacando um outro espadachim que não se encontra nesse lugar enquanto o gigante lutava com outros integrantes, entre eles uma das minhas a qual ordenei achar e procurar a Ruiva com vida,afinal seria muito importante interrogá-la e descobrir como ela arquitetou todo esse plano ardiloso e sem ser descoberta até os recentes acontecimentos.

Olharia para ele com uma tristeza sincera em minha expressão,olhe atentamente para mim seu cretino, se não tivessem pago um mercenário as coisas estariam perfeitas:

-Devido a isso supus que ele estivessem juntos até mesmo o atacamos antes de virmos até vocês buscando auxílio, eu não tenho controle da folha de pagamentos gerenciadas pela marinha para saber quem contratam ou não.So sei que uma das minhas garotas agora está morta,talvez tentando manter a ruiva viva obedecendo minhas ordens.

Enxugaria uma parte das minhas lágrimas com a mão esquerda e voltaria a ficar firme como antes, sabendo atuar ou não é horrível quando você não pode se enganar a respeito do que sente:

-Não e nada pior para um líder saber que mandou aqueles a que é responsável para uma viagem sem volta, se tiver consideração com minha pessoa sobre isso não vejo porque não ir com você para o quartel general e prestar meu depoimento,mas agradeceria se não apontasse uma arma para minha aprendiz, ela ainda é uma criança e esperava não ter que coloca-la numa situação traumatizante como essa, ao menos se fosse esse o caso,adoraria pegar minha arma que está em posse do meu camarada ali.

Exclamaria indicando o rifle com a cabeça,meus revólveres estão escondidos por baixo das vestes de empregadas como eu havia me arrumado ainda em Conomi a menos que ele fosse um pervertido, desonrado de nascença, a qual não duvido muito, creio que não irá colocar suas mãos em mim embora seja irresistível, se ele acreditasse que estivesse desarmado e da inocência de minha colega talvez consigamos uma abertura para agir:

-E sem dúvida não podemos nos esquecer de levar a ruiva conosco,mas primeiramente.

Viraria em direção ao gigante olhando para cima ainda com as mãos para cima tentando demonstrar rendição enquanto na verdade estava apenas querendo fazer eles se tornarem relaxados e confiantes demais e surpreende-los:

- Desculpa pelo inconveniente de antes se não estiver ressentido poderia me contar qual  é a recompensa pela cabeça dela, eles terão que te pagar pelo ótimo serviço, talvez com um pouco de acréscimo, eu iria abafar essa informação antes mas ela causou algumas reviravoltas ultimamente então deve subir um pouco o valor.

Se o mesmo se pronunciasse aguardaria ouvir a estimada quantia de berries e olharia para o sargento com certa dúvida:

-Então?você irá pagar o gigante, seria uma pena deixa-lo de mãos vazias,até mesmo porque elas são enormes elas definitivamente precisam ser preenchidas ririririririri.

Se houvesse negação ou alteração do valor mencionado:

-Entendi,então essa é a tática realizada nos dias de hoje para se garantir eficiência,colocam um valor elevado para clarear os olhos de possíveis candidatos para no final encararem a triste realidade de uma recompensa tão baixa.

Balançaria a cabeça negativamente com certa indignação:

-Francamente isso não é de minha jurisdição mesmo, ei gigante! Você foi tapeado, e eu estou sendo preso injustamente,mas essas coisas acontecem, poderia deixar os marinheiros pegarem a dita referida ruiva para que eu pudesse ir embora logo com a dignidade que nunca sairá de mim? Não quero que eles se tornem hostis e tentem lhe retira-la a força com seu poder opressor.

Faria um sorrisinho diabólico e provocaria um pouco,para incentivar a chama anti-jaquetas brancas que procuraria atiçar dentro desse possível aliado colossal:

-O que?acha mesmo que eles não são capazes,esse cara aqui apontando uma arma pra mim é o grande sargento Wolwes responsável por deixar o melhor detetive do mundo em total submissão,acha mesmo que um mero gigante como você poderia fazer algo?duvido até mesmo que consiga desferir um mísero soco ou chute nele seu maricas.

Começaria a minha risada registrada de maneira intensa e caçoando esperando que seja o suficiente para que o mesmo ataque:

-Ririririririririririririririririririririririririririririririririririririririririririri!

Se um ataque se aproximasse esperaria que todos decidissem desviar do eminente em nome de suas vidas,me agarraria a minha parceira e nos jogaria para o mais afastado possível.

Procuraria me levantar depressa lhe dando a sua bolsa assim como os pertences comprados por Alfred que possivelmente estariam dentro dela,retiraria as bandagens que guardava na minha própria e se Alfred se encontrasse livre do cerco de marinheiros jogaria para ele:

--Alfred!de uma olhada na Jeanne,pode ainda não ser tarde demais.

Buscaria contato visual com minha parceira abraçando a rapidamente para conforta-la e acariciando sua cabeça:

-Agora somos eu e ti gatinha,um irá definir o destino do outro está pronta para isso?

Pegaria o revólver ódio com a mão direita recarregaria o mesmo até que estivesse com todos os espaços de balas preenchidos e ofereceria minha mão esquerda para que ela segurasse:

-Eu cuido da ofensiva e deixo a defensiva contigo,se perceber que irão me atacar me puxe para outra direção,logo em seguida farei o mesmo para te manter ainda mais afastada do perigo do que eu.Como sou um utilizador de ataques a longa distância estaremos seguros se eu realizar as investidas,estou contando contigo,com nosso trabalho em equipe não iremos perder!

Seguraria a mão dela com firmeza e correria em direção oposta a suas posições para ganhar vantagem ficando um pouco para trás para ser mais fácil de ser puxado e ter uma distância mais próxima para minha mira.

Procuraria atirar nos capangas do sargento primeiro para diminuir suas forças,ele já é um perigo sozinho então quanto menos apoio ele tiver melhor.

Engatilharia o revólver com meu polegar, concentraria o máximo que pudesse em movimento, tendo como alvo o centro da cabeça de um dos espadachins de farda que estivesse mais próximo é dispararia no momento que notasse um passo em falso do mesmo ou oportunidade,desde uma tropeçada ou uma virada para o lado para ver melhor o que estava acontecendo ao seu redor,qualquer coisa do tipo serviria.

Se Emma procurasse me puxar não excitaria,pelo contrário ajudaria me impulsionando para onde ela desejasse colocaria força sobre meus pés assim que chegasse e com firmeza puxaria minha parceira para frente.

Se percebesse a possibilidade de um disparo contra nós empurraria Emma para baixo para que agachasse fazendo o mesmo para tentarmos evitar a bala e diria para ela:

-Role e pegue minha mão novamente.

Rolaria e procuraria pelo seu contato físico continuando a nos afastar um pouco e nos protegermos.

No momento que visse a possibilidade de outro disparo miraria em outro marinheiro desferindo duas balas em sua direção, no centro do tórax para ter uma possibilidade a mais de chances com firmeza em meus braços para que seja capaz de resistir ao recuo da arma e permitir uma melhor trajetória.

Me dirigiria até Jeanne finalmente onde esperaria que Alfred estaria e gritaria com fôlego enquanto com cuidado guardaria o revólver no coldre enquanto abraçaria Emma para deslizarmos ao lado do corpo de Jeanne:

-Atire neles!algo simples e condizente para a situação .

Com a participação de Alfred ou não manteria me meio por cima de Emma por precaução para que não venha a correr perigo e perguntaria para o ruivo:

-Ela está bem?diria perguntando sobre Jeanne Lamento ter te colocado nessa enrascada poderíamos ter resolvido tudo no porto mas fiquei preocupado com ela por causa do gigante e achei que pudesse usar os marinheiros para ajudar.

Aguardaria a resposta dele e se fôssemos atacados por um espadachim sairia de cima de Emma rolando para o lado tentando segurar a perna do agressor puxaria  meio sem jeito por não ser exatamente algo que tenho prática apenas para desfocar sua atenção e diria para mesma:

-Emma e sua vez,cuide dele. Com foco em minhas palavras buscando transmitir confiança para ela.Um professor sempre deve demonstrar para seus alunos que está ciente de suas capacidades.

E esperaria que ela desferisse um golpe ou talvez mais no indivíduo, no entanto se fosse outro disparo ou até mesmo um gigante indignado rolaria nos dois para o lado puxaria ela para cima seguraria sua mão e começaria a correr novamente ao seu lado.
Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por Rimuru em Dom 01 Jul 2018, 11:25, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
West
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
West

Créditos : 38
Warn : Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 8010
Data de inscrição : 12/03/2016
Localização : East Blue

Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 EmptyDom 01 Jul 2018, 01:13



Loguetown!
West x Faker! West Vencedor!


Tudo aconteceu rápido, meu corpo havia agido apenas por intuição, meus olhos estavam pesados, eu sentia sede, o balançar do barco parecia estar mais forte, eu conseguia ouvir mil vozes ao meu redor, mas não conseguia concentrar, minha respiração estava curta e rápida, como a de um sedentário apos fazer exercício – Ahhg, eu venci! – Esse era o único pensamento a vir em minha cabeça, a visão de Faker morto a minha frente era como o pote no final do arco-íris, eu odiava admitir, mas aquela luta quase me custou a vida.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Eu tentava me levantar, mas era inútil, olhando para meu corpo, eu podia notar os estragos, todo o meu peitoral estava ensanguentado, e para piorar, havia uma espada encravada em meu abdômen – Isso vai doer para caralho hehe – o sorriso em meu rosto era curto, pois no momento em que pus minhas mãos sobre o cabo da katana, meus músculos se contorceram – Tenho que puxar de uma vez – meu braço esquerdo tremia, talvez eu tenha perdido muito sangue – AHHHHHHHHH ! – Eu não conseguia segurar o grito em minha garganta, assim que eu puxei aquela espada negra, a mesma caia de minhas mãos, nesse instante, tudo que eu pude fazer era cair com o peso do meu corpo para o lado, era tão bom ver o céu azul, será que ele sempre foi tão belo assim? Meus pensamentos eram interrompidos por algum tipo de fogo subindo em meio as nuvens.

Uma explosão de fogos de artifícios, aquilo era realmente uma bela visão – Devem estar comemorando a minha vitória – por mais dolorido que estivesse, eu daria um grande e belo sorriso, com a mão esquerda tampando o buraco onde anteriormente estava a minha katana, eu levantaria meu punho direito rumo aos céus – Eu subirei até o topo – eu não sabia direito o que estava acontecendo, mas houveram outras explosões, outras grandes explosões, por mais que eu estivesse curioso, eu so queria que aquele ruivo safado subisse no barco e me curasse.

Eu não sabia muito sobre o corpo humano, mas acho que perder muito sangue deve ser uma coisa ruim, pois, a luta mais difícil agora era me manter acordado, a respiração estava mais longa, a dor me incomodava, pra ser sincero, eu sentia que eu poderia morrer se nao desse um jeito logo, eu não conseguia levantar dali para ajudar qualquer um que seja, tateando com minha mão direita, eu procuraria por alguma katana que estivesse ao meu redor, caso encontre alguma, pegaria a mesma e colocaria sobre minhas pernas, se estivessem longe de min, eu não iria fazer um esforço desnecessário, afinal, a situação era ruim demais para piorar.

Como sempre dizem, tem que ter cuidado com o que fala, naquele instante, eu sentia um forte impacto ao meu lado, uma mão cobria meu rosto, era forte o suficiente para me pressionar contra o chão de madeira daquele barco, eu tentava ver quem era – Quem raios e esse filho da p...  AHHHH ! – o sujeito colocava seu joelho contra minha ferida, so havia tido tempo de tirar minha mão esquerda que tampava o ferimento, naquele instante, num ato de desespero, eu tentaria agarrar seu braço em meus rosto com meus dois braços, eu não serei capturado pela marinha, não aqui, não agora.

Eu tentava pensar em algo, mas o som de algo cortava totalmente meu raciocínio logico – Então ele está armado, odeio atiradores – mesmo não tenho uma audição muito apurada, eu tentava deduzir que o tiro havia acertado algo solido, o escudo de Illya talvez? Era apenas um chute, mas não estava errado, pois, eu notava o corpo da escudeira caindo ao fundo. A situação havia piorado, e piorado muito, na minha atual situação, eu seria apenas um peso morto – Eu vou matar esse cara – aquilo era a única coisa que eu conseguia pensar, eu vou mata-lo e jogarei seu corpo para os tubarões enquanto eu subirei para o Farol, claro, dava as circunstancia, eu tentaria não me engasgar com algum acumulo de sangue em minha boca.

A fagulha de fogo em meu corpo ainda ardia, eu não podia deixar que ninguém ali morresse, eu poderia estar quase morto, mas e nessas horas que um homem se ergue em meios as chamas – Deixem eles irem, eu e você num duelo, o que acha? Um duelo de homens – tentaria não demonstrar toda a dor que estava sentido naquele momento, manteria pelo menos firme a minha voz, e se por acaso o homem forçasse o joelho mais forte em meus machucados, seguraria o grito em minha garganta e tentaria não demonstrar minha dor para o inimigo – Deixem eles irem, eu não fugirei, tem minha palavra – reforçaria minha proposta, eu poderia segurar ele até o porto, e quando todos pulassem para fora do barco, eu poderia pular na canhoneira onde TJ estava, e tentar uma fuga, levanto em conta, que eu não poderia derrota-lo num duelo, eu precisava averiguar sua situação primeiro.


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


O homem aceitando minha proposta, e saindo de cima do meu corpo, eu tentaria me levantar da forma mais honrosa possível, me apoiaria em qualquer objeto próximo, seja nas minhas katanas, numa pilha de corpos, ou na borda do navio, mas jamais, em hipótese alguma, me ajoelharia para aquele rapaz. Ficando de pé, recuperaria meu folego novamente, controlando minha respiração, caso eu ameace cair para traz ou para frente, colocaria um pé na frente do outro e tentaria me manter de pé. Caso me levante sozinho, e não esteja com nenhuma katana por perto, caminharia até alguma delas, e a pegaria com a mão direita, caso eu conseguisse, senão, apenas pediria alguma katana do Urso, e faria sinal com a cabeça para o mesmo se afastar. Com a katana em mãos, colocaria a mesma em frente ao meu corpo, numa empunhadura dupla – Estou pronto – falaria pausadamente, dando um tom serio a minha voz, tentaria manter a compostura de um homem, ou pelo menos, tentaria parecer um oponente, e não um suicida, se o mesmo atirasse, eu tentaria pular para o lado e me afastar o máximo dele até todos saírem do barco, caso venha golpes diretos, simplesmente colocaria a katana na frente dos seus golpes, e tentaria não cair no primeiro deles, me seguraria até minhas forças acabarem, e deixaria para o destino decidir o que fazer.

Se alguns dos meus companheiros atacassem o homem, e este me solta-se, eu olharia rapidamente para o mesmo, avaliando quais armas usava, seu estilo de luta, seu porte físico, onde seus machucados estavam, mesmo com meu corpo ferrado, minha visão ainda era perfeita, posteriormente, rolaria ou me arrastaria para o mais longe possível dos ataques, sempre tomando cuidado para não piorar minha situação,  primeiro pegaria a espada negra do falecido, e assim que estivesse na borda do barco, usaria a borda do barco e a espada para pelo menos sentar de frente para a luta, durante todos estes movimentos, manteria minha mão esquerda sobre o machucado em meu abdômen tentando conter o melhor que eu podia o sangramento.

Encostado na borda, verificaria quantos inimigos estavam no local, se por acaso alguns deles fosse acertar o meu bando meu grupo, eu alertaria com grito – Cuidado! – gritaria alto suficiente para que meu colega escutasse. Doravante, se alguns desses inimigos viesse em minha direção, eu rezaria colocaria minha espada na frente e tentaria de alguma maneira evitar que seu golpe me matasse, como provavelmente estaria sentado, colocaria a katana sobre a minha cabeça e absorveria todo o impacto com meus braços, e esperaria alguém vir me ajudar, era o máximo que meu corpo aguentaria fazer.


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Contudo, se o homem começasse a ameaçar me matar, caso alguns dos meus amigos se movessem, eu não aceitaria aquilo de forma alguma, tentaria gritar com uma voz que passasse confiança, ou simplesmente gritar mesmo – Sabem o que fazer me salvem, matem esses caras para darmos o fora daqui, não se preocupem comigo, eu ficarei bem! – caso durante minha fala, me faltasse ar, ou minha boca enchesse de sangue, daria uma pausa pelo contratempo e continuaria posteriormente.




Histórico:
 

Objetivos na atual Aventura:
 

Legenda:
FALA
PENSAMENTO

Willian West

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!   Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line! - Página 5 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Aparecem Os Piratas Da Ruiva! Rumo à Grand Line!
Voltar ao Topo 
Página 5 de 15Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 10 ... 15  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Polestar Islands-
Ir para: