One Piece RPG
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» [MINI - Gates] O Pantera Negra
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Gates Hoje à(s) 10:45

» [M.E.P] Joe Blow
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Joe Blow Hoje à(s) 09:56

» [Mini-Aventura] Joe Blow
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Joe Blow Hoje à(s) 09:55

» Livro Um - Atitudes que dão poder
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor gmasterX Hoje à(s) 09:54

» [M.E.P] Veruir
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Veruir Hoje à(s) 08:16

» [Mini-Aventura] Veruir
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Veruir Hoje à(s) 08:14

» Mise en place
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor arthurbrag Hoje à(s) 07:24

» I - A Whole New World
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Makei Hoje à(s) 07:01

» ブルーベリーパイ ~ Blueberry Pie
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Skÿller Hoje à(s) 04:45

» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Licia Hoje à(s) 03:45

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor GM.Jinne Hoje à(s) 03:15

» Sidney Thompson
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Zed Hoje à(s) 01:19

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Fukai Hoje à(s) 00:49

» Seasons: Road to New World
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Ravenborn Hoje à(s) 00:26

» Hello darkness my old friend...
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Zed Hoje à(s) 00:09

» Phantom Blood
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Licia Ontem à(s) 23:50

» [M.E.P]Kujo
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Kujo Ontem à(s) 23:42

» [Mini-Aventura] A volta para casa
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Ryoma Ontem à(s) 23:30

» Enuma Elish
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Thomas Kenway Ontem à(s) 23:07

» Xeque - Mate - Parte 1
Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Emptypor Ceji Ontem à(s) 22:22



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Tróia - Parte 3 - Pandemonium

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1 ... 9 ... 14, 15, 16  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptyQua 11 Abr 2018, 21:22

Relembrando a primeira mensagem :

Tróia - Parte 3 - Pandemonium

Aqui ocorrerá a aventura do(a) agente Achiles. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Makei
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador


Data de inscrição : 07/08/2017

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptySeg 01 Out 2018, 22:48

The Emperor of Sea


Com um belo sorriso retardado no rosto e uma expressão de felicidade, o pequeno show saia como o esperado após admirarem os meus movimentos magníficos de um fudendo Imperador, sem esperar muito, era o momento de eu seguir o meu caminho até onde realmente as coisas importam, Sala do Capitão Bob Flay, não, pera… Flappy Bob, desculpa, escrevi errado. Não esquecendo é claro de agradecer com o mesmo tom de voz que a expressão que eu tinha no momento ou se você preferir, pode ser com a do Lula também.

- Muito obrigado meu querido magnificentíssimo companheiro -

Agora com a rota trajada para o meu objetivo, apenas conseguia notar alguma coisa estranha como um vulto negro pelo caminho a minha frente, vulto esse que eu definitivamente não conseguia decifrar o que diabos de cacete era aquilo, será que eu tou realmente tão chapado assim ?

” Que porra é essa ? “

“” Carai menor, tu ta batendo uma brisa pesaaada, pega leve nisso ai vei… Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 344152600 “”

Perdido em meus pensamentos e vislumbres provavelmentes do além, acabei por tropeçar em algo minúsculo que rapidamente começou a me xingar igual um arrombado sem que eu percebesse, quando eu fui ver, o filho da puta era o ser mais pequeno que eu já tinha visto na minha vida trajando roupas da Marinha, chegava até mesmo se tornar algo estranho de ver algo assim, era um pouco fofo mas claramente bizarro ao mesmo tempo pela sua forma de falar, contudo, isso não era o suficiente para esconder a minha expressão de surpresa em ver tal criaturinha se comunicar comigo, seria esse um ET ?

” Que porra é essa mano ?... CARAI VIADO ! UM ET ! “

“” Santa mãe de Deus! “”

Incrédulo e boquiaberta com a situação, apenas olhei para os lados como se não acreditasse no que estava vendo e ouvindo antes de apontar para o pequenino murmurando sem som comigo mesmo.

- Vocês estão vendo isso ? IN-CRI-VEL ! -

” CARALHO MENOR ! O filho da puta jogou meu bagulho no chão vei, caralho viado ! QUI FODA ! “

“” Que porra tu tá fazendo Ventus ? Eu que uso drogas e você que fica doidão vei ? “”

” QUEEEEEEEEE, ELE TA FALANDO UMAS COISAS MUITO NONSENSE VEI ! CARAI MANO ! QUI DOIDERA ! “

E não é que o pequenino não parava de me surpreender ? Ele havia pegado a minha carta de recomendação e jogado sobre o chão antes de falar totalmente tiltado em minha direção, não é que o Rolinha Peluda tava realmente puto ? Por sinal “Rolinha Peluda” é o apelido que eu dei pra ele, espero que não se importem. Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 1439049992

Pegando a minha carta de recomendação sobre o chão ainda sem acreditar no que eu estava vendo e esquecendo totalmente do que eu tava vendo a um tempo atrás, abri um sorriso gigantesco sobre o rosto antes de levantar agora as minhas duas mãos, mantendo apenas o dedo do meio e o polegar eretos na direção do pequenino.

- Foda-se ! Heheheh -

“” KAKAKAK ! PAU NO SEU CU ! E se você tiver lendo isso, pau no seu cu denovo, HUEHUEHUE. LUL  “”

Essa era a minha resposta pro Mink antes de simplesmente seguir meu caminho para a sala do Capitão Bob sem dar a mínima para o que o Rolinha poderia falar, andaria até mesmo de costas, já que eu pretendia me manter olhando para ele com aquele sorriso desgracento de Troll enquanto mexia minha cabeça de cima para baixo com os dedos do meio ainda eretos.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Cagando para a opinião do pequenino que provavelmente continuaria a pegar os seus papéis, me virei para seguir o meu caminho em direção a sala do capitão alegremente, estava claramente feliz e não era apenas pelo uso da Pequena Alegria, viu ? Diante de um grande escritório com diversas coisas ao meu redor, não pensei duas vezes antes de oferecer o meu coração, quero dizer… A Carta de Recomendação. Me engasgando até mesmo naquela desgraça de fumaça do tabaco desse cretino, espero que esse puto pegue cancer tambem, só de zoeira.

- Sim, si- -

Quando eu estava a responder, apenas senti uma leve recaída sobre mim mesmo sem nenhum aviso prévio, apenas me senti enojado como se estivesse a sentir o cheiro insuportável da podridão que a realidade tinha sobre o meu nariz, toda a alegria e beleza havia simplesmente sumido em um piscar de olhos, lembram da primeira impressão sobre Terralegre ? Sem um pingo de aviso, aquilo havia voltado a aflorar a minha mente ao observar aquele cenário totalmente decaído. Por sorte ou talvez não… O cenário voltava a mudar rapidamente, me fazendo acordar daquele sonho ruim e para a vida, aquele maldito sorriso se instalava rapidamente em meu rosto novamente ao perceber que agora eu tinha uma bela maçã sobre as minhas mãos.

- Sim, sim ! Agora eu sou um Sargento ! -

Respondia Bob ao sentir o cheiro intoxicante daquela fruta, por mais incrível que pareça, aquela desgraça me ajudava a abrir cada vez mais aquele sorriso malévolo e falso.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

- Por sinal, eu gostaria de conhecer melhor essa Ilha e o QG ! Aqui parece um lugar MAGNÍFICO ! Será que você teria alguma sugestão a me aconselhar ? -

Perguntaria alegremente após me recompor da situação anterior, esperava obter uma resposta positiva do Capitão, talvez talvez fosse a droga ou alguma outra coisa, mas eu me sentia realmente fora do comum… Era algo diferente do meu Ideal, entende ?... Onde será que eu vou parar ?

“” Obviamente morto. Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 1439049992 “”

- Oooh ! Obrigado pela sugestão e pela maçã ! Se possivel eu gostaria de me despedir por aqui, qualquer coisa sabe por quem chamar ~ Sargento Lynn, O Imperador dos Mares ! -

Batéria até mesmo continência para Bob antes de me retirar da sala, onde havia aprendido isso mesmo ? Aé… Foi com o puto que estava saudando a mandioca, não, pera… Ah, foda-se lembro quem era não, deve ter sido o maluco que tava dando “Tchau” pro seus amigos do Inferno… Isso ficou meio macabro do nada…

Com a possível indicação ou não de Bob para onde eu poderia visitar, eu cagaria para a sua opinião já que seguiria o meu próprio caminho, ninguém manda no Imperador dos Mares, porra. Por isso eu andaria pelo QG em busca de um banheiro, essa era a minha marca registrada para conhecer melhor o local, mesmo que eu não viesse a usá-lo era bom saber onde eu iria no caso de necessidades, nunca se sabe quando vem aquele sinal de emergência, correto ? Quem sabe no meio desse caminho eu encontrasse algo interessante para mim ? Afinal, ainda tenho duas perícias para aprender, sendo elas Danças e Briga de Rua, ou seja… Não esconderia o meu olhar de admiração e surpresa caso visse alguém lutando por aí de alguma forma estranha, já que gostaria de até mesmo aprender alguns truques a mais para as situações de combate, pois como vocês sabem, conhecimento nunca é demais !

~ Pericia Briga de Rua, carai ! ~

Me aproximaria batendo palmas da possível pessoa que estivesse a demonstrar os seus belíssimos movimentos, pelos menos eram belíssimos aos meus olhos… Olhos de um verdadeiro Drogado Imperador !

- Onde aprendeu estes movimentos ? São incríveis ! Por acaso pode me ensinar alguns truques ? É sempre bom ter movimentos extras em baixo das mangas, me entende ? Tipo uns chute e pá ! -

Por mais incrível que parecesse, essa seria a minha abordagem sobre o cidadão, seria a correta ? Não sei, de qualquer forma eu iria oferecer a maçã que eu havia ganhado de Bob para resolver essa merda, no final, quem nega uma fudendo maçã ?

- Que tal essa maçã ? Pega aí, vamos dizer que é o meu pagamento, que tal ? -

Jogaria a maçã nas mãos de meu novo Mestre e com o pagamento feito, agora só restaria seguir com os ensinamentos de quem fosse que estivesse a me ensinar, prestaria a atenção e imitaria seus movimentos como um verdadeiro retardado, quero dizer, aprendiz em busca de conhecimento, técnica e força. Estava prestes a me tornar um verdadeiro mestre Kung-fu ! Só que não.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Histórico:
 
Objetivos:
 
Off¹:
 

Créditos a @[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por GM.Lacraia em Qui 04 Out 2018, 22:08, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
CrowKuro
Comodoro
Comodoro
CrowKuro

Créditos : 5
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 10010
Masculino Data de inscrição : 24/01/2018
Idade : 26

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptyTer 02 Out 2018, 16:54

Rio de Janeiro? Tô em casa!!
-Oh, eu vim de um circo em Shells Town, lá foi onde eu praticamente moldei parte da minha personalidade, claro que não a que você conheceu durante todo esse tempo, mas sim a que está prestes a conhecer, eu aprendi muito com todos no circo mas parece que uma parte minha ainda se via distante de ser uma pessoa que se dedicaria em fazer outras sorrirem… Talvez a perda de minha família tenha tido mais impacto negativo em minha vida do que as pessoas do circo tiveram de impacto positivo, os considero como uma família, afinal eles me acolheram como ninguém mais fez, mas mesmo assim eu ainda sou muito diferente de todos ali…


Enquanto caminhávamos pelos corredores Hana se mantinha empolgada para encontrar Zed e o gritava enquanto andávamos pelos corredores da embarcação mas isso não duraria por muito tempo, sem pensar muito em minhas palavras acabei por dizer a ela que talvez Zed já poderia ter ido para o QG sem ela e isso a afetou de forma extrema, a garota que até o momento parecia alegre naquele momento desabou, era nítido para mim como essas palavras a afetaram mesmo ela estando de costas para mim e isso me deixou um pouco mau, mas antes que eu pudesse tentar dizer algo a marinheira rosa saiu correndo e subiu as escadas e eu preferi não incomodá-la naquele momento então não a segui.


Enquanto eu continuava seguindo sozinho pela embarcação indo em direção a enfermaria eu pensava no quão mal eu poderia ter feito a ela com aquelas pequenas palavras, para mim aquilo era algo normal mas para ela pareceu ter um peso enorme e isso me deixou pensativo por todo o caminho, ao chegar à enfermaria percebi que já não havia mais ninguém por lá e parecia que  todos já tinham seguido para o QG antes de nós, decidi sair da enfermaria fechando a porta e seguir para o convés e após um tempo caminhando eu acabo por encontrar com Hana novamente que estava conversando com outros dois oficiais que estavam na saída do navio, enquanto eu me aproximava um os oficiais começava a falar dizendo que só haviam nós dois na embarcação naquele momento, eu e Hana e que precisávamos sair logo pois uma equipe de manutenção só estava esperando por isso para começar os reparos do navio, nesse momento o homem puxava duas doses da droga que precisávamos utilizar para enfim seguir até o QG, eu ficava com um e Hana com outro e então nós usamos da mesma para assim seguir nosso caminho.


Após o uso da droga eu podia perceber a sensação de alívio e felicidade que vinha de suas faces “Bando de maconheiro safado, Boca do Ben 10 em ação” mas para mim era tudo normal como se não tivesse nada de diferente, porém ao olhar melhor percebi a mudança no cenário que antes era árido e feio e havia se tornado verde e bonito, muitas plantas e vida em um solo que a poucos segundos atrás estava morto, Hana parecia empolgada novamente e parecia estar bem vislumbrada com alguma coisa em suas mãos, não entendia muito bem o que poderia ser mas preferi não perguntar para talvez não deixá-la mal novamente, afinal era melhor ela estar feliz de novo e com toda a sua empolgação de volta do que ficar triste como estava a momentos atrás por culpa minha.


Enquanto eu ainda me perguntava que porra de droga era aquela um dos oficiais nos apressava para seguirmos logo ao QG pois estávamos atrapalhando a equipe de manutenção que estava esperando para começar a agir, Hana então me chamava para finalmente começarmos a seguir para o quartel general e então começamos a seguir juntos para o local, naquele momento eu apenas observava tudo à minha volta, em como tudo havia mudado tão de repente, o que era um local aparentemente morto agora tinha vida e beleza e claro, não podia deixar de notar na felicidade de Hana enquanto seguíamos e para mim aquilo me fazia bem e me fazia não me sentir tão responsável pelo seu choro momentos atrás.


“Oh, ela parece bem feliz… Não havia notado antes, mas ela parece é bem bonita e essa expressão de felicidade no rosto dela só deixa isso mais evidente… Bom, espero que ela continue assim e se sinta melhor com o passar do tempo.”


Após uma longa caminhada enfim chegavamos ao QG, existiam construções pequenas e que pareciam ser depósitos com a aparência de um galpão enquanto a segunda era um pequeno forte com torres altas e com uma segurança aparentemente forte, mais alguns passos e finalmente chegavamos no prédio principal do QG, Lynn estava no hall onde havia um belo lustre e era um local bem grande, havia escadas e um dos três marinheiros da recepção analisava uma espécie de papelada enquanto um respondia uma conversa por Den Den Muchi e quando finalmente entramos no local Hana se virava para mim em toda sua alegria, beleza e empolgação e dizia que eu precisava falar com um capitão para oficializar a minha promoção e que algum dos marinheiros na recepção poderiam me ajudar com isso.


-Oh, sério? Ok, vou procurar saber com eles onde posso encontrar um capitão para tornar isso oficialmente… Ah, e essa expressão no seu rosto está muito melhor do que a de antes na embarcação e isso me deixa mais tranquilo e digamos… Feliz, haha continue assim e obrigado pela dica sobre a promoção…


Nesse momento eu me aproximava calmamente enquanto tocava a testa da marinheira rosa com dois de meus dedos enquanto sorria levemente para a mesma e seguia em direção à recepção para me informar melhor sobre a promoção.



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]




Ao chegar frente a recepção eu perguntaria a um dos marinheiros ali presentes como eu poderia fazer para falar com um capitão sobre minha promoção, e por onde eu deveria seguir para encontrar algum.


-Olá senhores, meu nome é Drake e gostaria de saber onde eu posso falar com um capitão? Preciso resolver sobre a minha promoção e me disseram que eu deveria falar com um para que eu pudesse oficializar a mesma… Poderia me ajudar nesse caso?


Eu esperaria a resposta do marinheiro e suas instruções de para onde eu poderia seguir para encontrá-lo e após o mesmo me dar todas as informações das quais eu precisaria eu seguiria para oficializar a minha promoção para sargento, iria para o local designado e quando o encontrasse pediria licença para o capitão caso o tivesse encontrado e então entregaria a ele a carta de recomendação e o diria o motivo de minha presença ali.


-Olá capitão, meu nome é Drake e estou aqui para oficializar a minha recomendação para sargento e me disseram que o senhor poderia me ajudar com isso… Estou errado ?



Histórico:
 

PLAYERS:
 

PLAYERS:
 

PLAYERS:
 

NPC's Importantes:
 

NPC's Criados:
 

Ferimentos:
 

Objetivo:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Pensamento
Fala
Extras

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Meursault
Agente em Treinamento
Agente em Treinamento
Meursault

Créditos : 3
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 8010
Masculino Data de inscrição : 28/01/2018
Idade : 23
Localização : Loguetown - East Blue

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptyQua 03 Out 2018, 14:59



Era uma vez...




Apesar do ambiente em questão ser muito mais austero que o resto da ilha e os agentes serem figuras muita mais sérias do que o jovem esperava, Bjarke não se deixava abalar por tal fato, por alguma razão, permanecia em um estado de constante euforia. Os três agentes eram diferentes do que o médico havia imaginado, eram mais velhos do que os outros membros do Governo Mundial que havia conhecido anteriormente e bem menos receptivos, mas não era nada que o espadachim não pudesse contornar fazendo uso de seu carisma irresistível. Quando o jovem escutasse o pedido de um dos agentes sobre fechar a porta, o faria sem hesitar. - Claro. - Entre os seus colegas, o que mais se destacava era, sem sombra de dúvidas, a mulher, por motivos óbvios, mas, mesmo sendo um galanteador nato, Sven não se sentia atraído por ela, não era exatamente o seu tipo, mas talvez o homem não estivesse em condições de exigir muito na condição deplorável em que se encontrava.

Quando o terceiro agente fizesse uma observação sobre as suas vestes, Bjarke responderia de forma ácida. - Isso se chama infiltração, é algo relacionado a furtividade, não sei se está acostumado com o conceito, não parece ser sua especialidade. - Apesar do tom crítico do que fora dito, o espadachim pronunciaria tais palavras com cortesia. Assim que Luciano se apresentasse, Sven apertaria a sua mão, respondendo o cumprimento. - Igualmente, bem, você já parece saber quem eu sou. - Diria o médico, com um sorriso de canto de boca. Quando fosse pedido que Bjarke acompanhasse o agente, o jovem simplesmente acenaria com a cabeça e seguiria até a mesa indicada. O pedido feito era bastante natural e lógico, além disso, era extremamente fácil de ser realizado, já que o espadachim só precisaria ser sincero, assim sendo, não havia motivo para hesitar. - Sobre os nobres envolvidos nessa missão, Esmeralda Blazestone é uma jovem maravilhosa, apesar de ter um passado um tanto quanto triste é uma pessoa bondosa e caridosa que não vê maldade aonde as outras pessoas costumam ver. Foi um verdadeiro prazer passar tanto tempo ao seu lado, nós nos aproximamos muito durante a missão, não seria exagero dizer que eu vejo ela como se fosse uma irmã. Sobre a sua mãe, Natasha Blazestone, é uma pessoa sensacional, em todos os sentidos, se é que me entende. - Diria, esboçando um sorriso, para voltar a prosseguir com a história logo em seguida. - Sobre o outro nobre, que ficou sobre responsabilidade do Agente Achiles Wolf, não tive muito contato com ele então não tenho uma opinião formada.

Aproveitando o fato de ter mencionado um dos agentes, discorreria sobre o tópico. - Todos os agentes que atuaram na missão aparentavam ser extremamente competentes, creio que não deva existir nenhuma dúvida sobre a lealdade ou competência deles. - Era um ponto importante para se destacar, tendo em vista que a responsabilidade inevitavelmente recairia sobre alguém. - Acredito que a invasão seja fruto da pura incompetência da marinha, é muito difícil ter informações e colaboração interna e ainda assim se sair tão mal quanto eles se saíram. Vale salientar que o objetivo era claramente o sequestro dos nobres e não o assassinato. - Depois de fazer tais considerações, Bjarke esperaria pelas ponderações do agente.

Histórico Bjarke:
 



____________________________________________________




Última edição por Meursault em Seg 08 Out 2018, 04:27, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Ventus
Mercenário
Mercenário
ADM.Ventus

Créditos : 61
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 10010
Masculino Data de inscrição : 15/12/2013
Idade : 25

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptySex 05 Out 2018, 17:12



NARRAÇÃO




Cena: Alipheese

Após passar pela leve reação de “constrangimento” provocado pelas ações íntimas de Jibril, Alipheese conseguia se acalmar escondendo um pouco das emoções que realmente sentia no fundo de seu peito, entrando no QG a garota se pronunciava falando da emoção de ser promovida e suas expectativas mas a celestial apesar do ânimo que ela esboçava em seu semblante ela não parecia tão empolgada para aquilo quanto Alipheese, sua felicidade talvez fosse algo mais pela alva atiradora que para ela mesma uma reação que talvez fosse confusa para Alipheese mas era bem natural na visão de Jibril. - Fico feliz por você Ali, você realmente merece isso e tenho certeza que seus pais se orgulhariam de você… Vamos só perguntar ali na recepção onde podemos encontrar a biblioteca. - Falou ela sorrindo para a companheira e apontando em direção ao balcão da recepção, a celestial deu alguns passos na frente talvez sabendo que Ali não se sentiria muito confortável em falar com estranhos mesmo que fosse para pedir uma informação e talvez por isso era Jibril que questionava os marinheiros na recepção. - Ei rapazes, vocês sabem me dizer onde posso encontrar uma biblioteca? - Perguntava ela já caminhando e terminando sua fala chegando no balcão onde pode apoiar os cotovelos e inclinar um pouco seu tronco para frente de uma maneira casual.

- É subindo as escadas e seguindo o corredor da direita na segunda porta a esquerda. - Respondia um dos marinheiros do outro lado no balcão, Jibril já se afastava agradecendo a informação e se despedindo do oficial para que o mesmo voltasse aos seus afazeres. - Vamos parece que é por alí. - Dizia a celestial seguindo pelo caminho indicado oferecendo também a sua mão para a alva marinheira, aquilo para Jibril meio que tinha se tornado um costume com Alipheese ou talvez um gesto que agora era tão natural que a celestial fazia sem nem perceber transformando tal ação em algo íntimo de Alipheese e Jibril, seguindo as direções dadas pelo o oficial não demorou muito para que as duas encontrassem o local desejado.

A biblioteca ali no quartel general não era algo muito exuberante, a sala era mediana com uma mobília modesta e rústico em uma simplicidade que não agredia o charme e a beleza do QG, possuindo um atrativo modesto sendo talvez a coisa mais cara ali o lustre sustentado no teto, as prateleiras cheias de livros formavam corredores sendo que no centro da sala tinha quatro mesas retangulares não muito grandes de madeira e cadeiras simples do mesmo material, a primeira momento se tinha a impressão que o lugar poderia estar vazio mas em meio ao silêncio existente ali as garotas poderiam escutar som de passos vindo de um dos corredores. Não existia muitos motivos para se suspeitar de passos ali e já se acostumando com os efeitos da droga Alipheese e Jibril seguiram em direção a origem do som, lá ambas puderam ver uma menina usando óculos arrumando o topo de umas prateleiras com o auxílio de uma pequena escada articulada de alumínio, era algo positivo Alipheese se aproximar com calma e se pronunciar de maneira calma e sem exageros já que a bibliotecária estava tão distraída em meio ao seu serviço que provavelmente tomaria um susto se a alva marinheira tivesse se manifestado de outra forma. - Ah ok Sgt. Fateburn. - A garota exibia uma breve continência o que a fez se desequilibra por breve momento mas por sorte ela não caia. - Se for de sua vontade eu mesmo posso ensiná-la Sra. Fateburn. - A garota descia as escadas e voltou a prestar continência. - Deixe-me só guardar a escada, por favor me espere ali sentada que já levarei todo o material necessário. - A loli de cabelos azuis fechou a escada e caminhou para o canto da sala deixando e esperando que as duas ali se acomodasse mais em seus lugares.

Não demorou muito para que a garota retornasse com dois livros, dois blocos de notas e alguns lápis com borracha na ponta, a garota se sentou ao lado de Alipheese distribuindo os livros para ela e para Jibril assim como o restante dos materiais e assim a garota começou uma breve aula usando o livro como material de apoio explicando cada equação e as teorias conhecidas, mesmo nova a garota apresentava grande segurança em seus ensinamentos explicando tudo de maneira clara podendo as vezes confundir a Alipheese pelo conteúdo complexo mas essas horas o material de apoio prestava algum auxílio. Quando dessem por si teriam notado que já havia passado duas ou quase três horas imersos naquele assunto é na aula da pequena marinheira que já recolhia todo o material utilizado. - Isso é tudo senhoritas, continuem praticando que o tema vai se tornando natural com o tempo. - A garota concluía tudo é voltava aos seus afazeres arrumando o local, a atiradora estava mentalmente fatigada com aquela aula ainda absorvendo um assunto complexo aproveitando do momento para conversar com Jibril. - Aaaawngh - Bocejou ela espreguiçando os braços para o alto mas ainda se mantinha sentada na cadeira. - Isso foi tão cansativo, vamos lá senão vou acabar caindo no sono. - Terminou ela se levantando e espreguiçando-se mais, já estava de noite na ilha e provavelmente a celestial estava cansada de toda jornada por qual tinha passado até agora mas ela ainda se via disposta para seguir com Ali até a sala do capitão para que juntas pudessem oficializar a promoção.


Cena: Bjarke

O agt. Muscle ouvia tudo que Bjarke tinha para relatar sobre a missão com grande interesse, aquelas informações não eram novidades para o agente mas nem por isso ele desvalorizou as informações que a visão de Bjarke agregava no relatório. - Isso é esclarecedor meu caro colega, agora vamos ao ponto importante da noite… Você executou uma missão de extrema importância e mesmo que tenha existido seus contratempos você como um agente em treinamento exibiu uma grande eficiência no que se era esperado, talvez pelo seu “histórico” isso já fosse previsto mas ainda assim o governo está bastante satisfeito com suas ações… - O agente dizia isso enquanto batia uma pequena pilha de papéis na mesa a organizando de maneira uniforme antes de engavetar os documentos. - Com isso dito estaremos promovendo você de agente em treinamento para agente graduado, parabéns pela promoção, está liberado agora para conhecer o QG como bem entender… Temos uma ala ao sul reservada para os agentes descansarem lá você deve encontrar uma cama confortável e um conjunto novo do uniforme… Bem vindo a Terralegre, Sr. Koza. - Terminou o homem se levantando e seguindo para onde estava os outros dois agentes da sala, junto com os mesmo o homem saiu talvez buscando resolver mais alguns assuntos que Sven provavelmente não ajudaria muito com seu braço quebrado.

Sven agora estava “livre” para seguir pelo QG e talvez ter algum descanso depois de um missão com final tão árduo, o agente agora teria que trabalhar também, pelo menos por um tempo, com a sua mão inábil o que poderia ou não ser extremamente complicado dependendo das tarefas que o médico buscaria desempenhar. Não havia mais nada que Bjarke pudesse fazer ali se não explorar a sala tendo acesso a documentação e relatórios que os agentes ali analisavam ou seguir para o ala que o agt. Muscle tinha informado.


Cena: Drake

A dupla seguiu andando pelo pátio do quartel general contemplando um pouco do ambiente e se acostumando com os efeitos da droga, chegando ao salão de entrada os dois seguiram até a recepção, Drake respondeu Hana enquanto se aproximava um pouco para dar uma espécie de peteleco na testa de Hana lhe dando um “toque” sobre sua expressão dizendo implicitamente para ela não se entristecer, a garota levou uma de suas mãos até onde o peteleco tinha acertado e um tanto surpresa ela ficou ali olhando Drake se afastar genuinamente surpresa por receber uma palavra amiga daquele que parecia ser o mais insocial do grupo, a garota voltou a si para acelerando seu passo para fora da construção talvez querendo dar uma volta ou até mesmo buscar pelos demais colegas lembrando de Hana ainda carregava a roupa deixada por Alipheese e Jibril na embarcação.

O ruivo parou em frente ao balcão da recepção tendo um dos marinheiros já se apresentando na frente de Drake enquanto os outros dois continuavam com suas tarefas, Drake se apresentando e revelando os motivos de estar ali o balconista logo analisava uma folha que tinha por ali. - Aaaah~  só um momento Sr. Drake que eu acredito ter visto o seu nome escrito aqui em algum lugar… Algo sobre uma recompensa para receber... - O marinheiro analisava folhas e folhas até franzir seu cenho em alívio por finalmente ter encontrado o documento. - A há… Aqui está… Oficial Drake derrotou o Arraia da Utopia do Sul… Uau esse cara era perigosos... - O marinheiro passou mais e mais lendo os feitos do criminoso. - Você derrotou esse cara sozinho!? Uau isso é impressionante… Digo, não quero ofender mas esse cara era o combatente número um da Utopia, um karateca sem igual com o poder de manipular as ondas e tudo mais e você o derrotou sozinho! Isso é incrível... - Drake pode notar uma meia verdade ali, de fato ele tinha derrotado o tritão mas não sozinho e sim com o apoio de Achiles, no entanto ele também pode lembrar que o agente parecia ter experienciado um luta difícil devido toda a situação do ambiente em que eles lutaram e das condições do agente naquele local, surrado e com as roupas rasgadas, talvez Drake lembrasse também que Achiles estava ali disfarçado e que tinha lhe dado todo o crédito pela morte do tritão um criminoso que nem mesmo o agente tinha conseguido derrotar sozinho o que logo daria um criminoso uma alta recompensa. - Ele tinha uma recompensa de 13.000.000 de berries… Não é atoa que você está sendo promovido, bem a marinha recolhe parte dessa recompensa mas você ainda vai receber uma boa quantia pela cabeça desse cara. - O marinheiro dizia tais palavras com um certo brilho no olhar pois diante dele estava um mero oficial... - que ainda não oficializou a promoção na lore - … que foi capaz de matar um criminoso com certo renome, aos olhos daquele balconista Drake estava ascendendo do nada para o topo como um herói.

O recepcionista ficava em silêncio por um tempo gerando uma pausa que em seus olhos ele via Drake em meio de um cenário brilhoso onde o vento soprava glitter e um foco de luz angelical iluminava o boxeador. - Arh me desculpa Sr. Drake eu não queria encarar o senhor! - Falou o marinheiro um tanto abobalhado sequer dando tempo e oportunidade para o lutador tentar se explicar da ajuda de Achiles. - A sala do capitão fica no fim do corredor depois das escadas, ele provavelmente vai querer lhe entregar uma medalha após a sua promoção. - Falou o homem em palavras rápidas e apontando para as escadas no local, logo em seguida ele voltou a olhar para Drake e se curvar de maneira respeitosa inclinando seu tronco para frente e abaixando sua cabeça. - Obrigado pelos seus serviços Sr. Drake! - Terminou o marinheiro ficando em silêncio e em tal posição até que o novo sargento seguisse seu rumo até a sala do capitão, essa cena chamou a atenção dos demais que só olhavam para aquilo com curiosidade mas não se metiam naquele assunto já que não parecia ser algo que lhes dissesse a seu respeito.

Seguindo as instruções do marinheiro Drake chegava na sala do capitão Flappy Bob já entrando na mesma ele dava de cara com o homem que parecia imerso em um livro. - Ah então tem mais um para promover… Quem o mandou aqui? - O homem estendia um de seus braços como se esperasse por Drake lhe entregar algo que provavelmente era a carta de recomendações, quando entregue o capitão sacaria uma faca para abrir o envelope e cravaria a lâmina de tal ferramenta na mesa em um golpe único, com a mão que agora estava livre ele pegava o conteúdo no interior do envelope. - Shiro mandou mais um? Dizem que o cara não indica ninguém e só hoje já manda duas pessoas… Pelo menos você parece ser mais interessante que o ruivo anterior... - O capitão analisava o boxeador o olhando dos pés a cabeça. - Ouvi dizer que você pode até ser forte, derrotou alguém que estava fazendo muita merda… Acho então que merece uma dessas. - O homem abriu uma gaveta em sua mesa pegando algo que Drake não tinha muita visão do que seria, o capitão se levantou de sua cadeira e caminhou até parar na frente do ruivo.

- Por matar um revolucionário procurado e com um valor alto pela sua cabeça eu lhe entrego a medalha “Enterprise”, que ela seja o símbolo pelo trabalho que você desempenhou pela Marinha.. - O capitão prendia a medalha no uniforme de Drake a fixando no peito do ilusionista ao lado da Admission Mark. - Assim como a Enterprise eu também lhe entrego a medalha Ascendence para que ela possa simboliza que você enfrentou alguém de grande valor. - Falou o capitão prendendo uma segunda medalha ao lado da primeira que ele fixou no uniforme do rapaz. - Parabéns Sargento Drake. - Terminando a breve “cerimônia” o capitão oferecia sua mão em um aperto para Drake que sem perceber tinha ganhado algum renome e grande conceito na visão de alguns marinheiros, o oficial de baixo escalão na recepção tinha visto Drake como um provável herói talentoso sendo um soldado especial enquanto para o capitão o rapaz poderia ser alguma promessa que teria despertado e aberto os olhos de Shiro exibindo o talento que teria ao matar o tritão “sozinho”. - Bem se não tem mais nada para falar então considere-se dispensado, pode descansar da viagem ou fazer seja lá o que for. - Falou o capitão voltando para a sua cadeira.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.][Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

OFF:
 

Cena: Lynn

Lynn sofria com uma onda errada gerada pela droga por um breve momento tendo o vislumbre de um cenário “errado” mas isso se encerrava ao ter em mãos aquela apetitosa maçã que só pelo odor emanado pela pequenalegria embutida no fruto já era o suficiente para alegrar a alma do rapaz, Lynn se levantou de maneira apressada pedindo informações sobre o QG coisa que talvez qualquer capitão responderia de boa vontade, qualquer um exceto pelo Cpt. Bob. - Para fora da minha sala seria um bom começo, ou você pode ficar para engraxar o meus sapatos. - Falou o capitão de maneira rude enquanto puxava uma faca da cintura e começava amolar a mesma com uma pedra, era uma faca simples que talvez não fosse exatamente a arma que o capitão utilizava - ou pelo menos não como a principal. - mas ainda assim era uma bela ferramenta, talvez Lynn entendesse ou não o recado mas ainda assim o ruivo agradecia pela sugestão e se retirava batendo uma continência antes de sair da sala evitando que talvez algo não muito legal acontecesse ali.

Makei seguiu seu caminho em direção de um banheiro andando por um momento às cegas pelo quartel general que ainda não apresentava nenhuma sinalização de onde seria o banheiro o que provavelmente se dava ao fato dele não estar muito próximo do mesmo, meio perdido o ruivo seguiu pelo local quando passou pela sala de treinamento no corredor e tal cômodo se apresentava com a porta aberta o que permitiu Makei ter visão do que rolava no interior de tal ambiente, sua atenção era chamada devido aos gritos de dor de algumas pessoas. - Não… Não por favo! Eu não quero mais brincar! - Lynn pode ver um marinheiro grande, forte, moreno deitado no chão caído enquanto um velho estava sentado sobre as costas do marinheiro puxando uma das pernas do homem e as mordendo como se fosse uma de suas refeições. - Ah para! Por favor não me coma! - Gritava o marinheiro já começando a chorar. - A eu vou te comer porra! Eita que carne dura Jesus… - Respondia o velho mordendo a canela musculosa de seu oponente. Makei se aproximou nesse momento aplaudindo as ações do velho? Sua habilidade? Determinação? O que importava era que o ruivo chamou atenção do pequeno senhor que parou o que estava fazendo e ainda montado em seu oponente ele escutava o que Makei tinha a dizer. - Eu aprendi na rua mesmo, caçando porcos, cervos, gente… Esse tipo de coisa sabe. - Respondia o velho um tanto confuso com o rapaz, Lynn lançou uma maçã para o velho e nesse momento sim o ruivo pareceu ganhar um pouco da confiança do homem. - Ah muito bem… Mas eu não como maçã só carne de humana de porco! - O velho enfiou a maçã na boca do marinheiro o fazendo morder o fruto. - Vem cá magrelo vou te ensinar a importância de uma dieta bem balanceada e em como dar uns bons socos, chutes, mordidas, dedo no toba… Coisas do gênero. - Dizia o velho desamarrando a faixa em sua cintura e amarrando as mãos do marinheiro caído junto aos pés para que ele não fugisse. - Aaaah! Por favor alguém me ajude ele vai me comer! - Gritava o marinheiro no chão.

Os dois começaram a treinar enquanto o caído continuava amarrado, em meio a isso o velho ensinava a Makei dar uns golpes precisos de luta corpo a corpo, ele também explicava sobre sua dieta voltada apenas para carne deixando de fora grãos, vegetais e frutas, ele aceitava alguns legumes mas isso era a única exceção, destacava o seu favoritismo por carne de porco e explicou também que a “ciência” fala sobre uma grande semelhança da carne e pele de porco com a carne e pele humana e por isso ele se diz um possível canibal mesmo que até o momento só tenha ameaçado comer alguém, constantemente o velho criticava o porte físico de Lynn dizendo que ele deveria adotar a mesma dieta. Depois de três horas de prática, ensinamentos e muito treino o velho terminava sua breve aula naquela sala de treinos. - Pronto, acho que agora você deve ser capaz de se virar… Se me der licença eu tenho que cozinhar uma pessoa. - O velho já ia caminhando em direção ao marinheiro que ainda estava amarrado.

Naquela sala de treinos outra coisa chamou atenção de Makei, um grande tumulto acontecia no canto daquela sala com um grupo grande de pessoas reunidas em um círculo. - Olha isso vei o Folgore foi muito humilhado... - / - PowerMITO! - / - Putz vei perdi uma grana por apostar no Folgore... - Eram conversas sem nenhum sentido para Lynn mas caso o ruivo se aproximasse no círculo ele poderia ver em seu centro duas pessoas, uma era um mink canino que poderia lembrar muito aquele com qual o lanceiro lutou, o Mink estava com um sorriso largo no rosto olhando para a segunda figura que era um humano loiro com vestes bastante chamativas também, o humano estava de joelhos como alguém prestes a cair se não fosse pelas suas mãos apoiadas no chão. - Você não é nada Folgore! O rei da pista de dança sou eu!/ E você deveria estar em algum programa com a Claúdia Abreu!/ Você está velho doutor, já tá parecendo com um monte de cocô. - Dizia o Mink com certa rima em uma ritmo frenético e agitado, cada rima vinha com um passo de dança estiloso sincronizado com as palavras mas quando o mink terminava sua movimentação o humano parecia ser acertado por golpes físicos invisíveis que o faziam cair de cara no chão. - Isso não vai ficar assim Powerline… Eu vou pega-lo… Irei derrotá-lo com o Triplo Bye Bye Bird... - Falou Folgore tentando se levantar inutilmente antes de tombar mais uma vez, Powerline riu da tentativa patética e dos comentários sem noção do humano e em resposta o mink simplesmente começou a caminhar com sua gangue seguindo para fora da sala de treinamentos, Makei tinha ali sua chance de aprender dança com um professor derrotado ou um vitorioso, qual seria a escolha desse palerma?




- Npc’s ainda não apresentados/ aleatórios -
- Npc’s acompanhantes. -
- Oficiais rasos (marine) -
- 2º Ten Shiro -
- Cpt. Flappy Bob -

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
~[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]~
Olá Convidado seja bem-vindo(a) ao One Piece RPG.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Última edição por Ventus em Seg 08 Out 2018, 17:23, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Alipheese
Comodoro
Comodoro
GM.Alipheese

Créditos : 56
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 26
Localização : Olympo- 5ª Rota

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptySex 05 Out 2018, 22:17

Promoção e caminho.

A celestial havia lhe ajudado a encontrar a biblioteca, no entanto não parecia tão animada assim para ser promovida, o que fez com que a pequena se perguntasse naquele momento o motivo pelo qual ela não parecia tão empolgada com a promoção, talvez não se achasse merecedora ou algo assim? Se essa era a idéia que ela tinha, tinha fortemente em sua mente que deveria em algum momento sentar e conversar melhor com ela, afinal ainda conhecia pouco sobre ela, apesar da idéia de ter de conversar com a garota lhe parecia tão interessante quanto assustadora em uma mesma proporção, no entanto não seria inteligente de sua parte que pudesse perder muito tempo, tinha ainda muito a aprender e talvez não tanto tempo até que pudesse ver que tipo de missões e aventuras lhe esperavam na Grand Line, aquela era uma ilha que não queria passar muito tempo, tinha medo de que comer ou beber pudesse lhe causar algum tipo de dependência química e não era agradável a idéia de que sua visão fosse menos do que precisa, quanto ao ambiente em que estava.

A garota que havia lhe passado a tarde explicando era muito gentil e respeitosa, e todo o aprendizado havia sido bem cansativo para que a garota pudesse acompanhar, apesar de ter uma boa base de algumas partes do conhecimento, outras mostravam-se um desafio completamente diferente mas, era empolgante poder aprender mais e estava animada para que pudesse aplicar o melhor possível o seu conhecimento para a construção de novas ferramentas que pudessem ajudá-la no futuro, havia muita coisa que a deixava animada naquele local, fosse o melhor dos lugares ou não, haviam pessoas ali e se quisesse realmente se tornar digna daquilo que almejava ser no futuro, havia um longo caminho pela frente.Bocejaria colocando a mão a frente da boca ao término dos estudos e desceria da cadeira a encostando e ajudaria ajeitar os materiais que havia usado, talvez o cansaço fosse tanto que  até havia se esquecido de perguntar o nome daquela que havia lhe ensinado, mas olhando a feição cansada de Jibril, naquele momento apenas se focaria no que ainda haviam de fazer, lhe estenderia a mão com um sorriso no rosto, e um leve rubor nas bochechas, ainda que aquele tivesse se tornado um hábito para a pequena era tão especial como a primeira vez, talvez até um pouco mais se a droga pudesse deixá-la ainda mais feliz. Deixaria a biblioteca junto a celestial e perguntaria a alguém que pudesse informá-la que encontrasse no caminho, em que desceria para a entrada.

-C-Com licença, você sabe me informar onde posso encontrar o superior responsável pelo QG?

Diria em um tom educado com sua voz doce que não era alta demais aos ouvidos, enquanto dirigiria-se a pessoa com seus olhos vermelhos bem focados na pessoa que havia a sua frente, cheios de expectativa, fosse a pessoa de utilidade ou não, ela havia gastado seu tempo com ela e teria lhe respondido, ou não e por esse ato, ela seria grata.

-Obrigada!

Completaria enquanto faria uma leve reverência, se houvesse a necessidade de que perguntasse mais uma vez a outra pessoa ou a primeira não pudesse lhe informar, apenas perguntaria novamente a pessoa mais próxima que pudesse lhe informar, repetindo o processo, sendo no pior dos casos, recorreria a recepção para que melhor pudesse se guiar, se pudesse seguir direto até a sala, o faria junto a celestial, parando pouco antes da porta indicada  e respiraria fundo, segurando a mão da celestial, apertando levemente, demonstrando certo nervosismo.

-J-Jibril, eu não sei como é o nosso superior, também não sei o que vamos encontrar aqui mas, queria lhe agradecer por estar ao meu lado, eu… Talvez sem sua ajuda não pudesse estar aqui hoje e… Bem… Ainda que… Ainda que … Seja um pouco difícil de admitir...  Enquanto eu… Eu.. Estava preocupada com você eu… Bem… O que me guiou e deu muitas forças… Foi pensar em poder ver você novamente… Sabe? Eu… Tive medo de que talvez eu não pudesse vê-la ou… Que a encontraria ferida mesmo que… Mesmo que você tivesse sobrevivido a tanta coisa eu… Sei que você talvez tivesse em uma situação bem assustadora quando começou  o ataque… E se eu quero ser uma lider eu… Devo começar a tentar entender melhor como cada um se sente para que eu possa tomar uma decisão melhor, a minha decisão em aceitar o conselho de Zed não foi boa a nenhum lado e… De toda forma, o que eu quero dizer com isso é… Por favor, você é tão merecedora de estar aqui com a carta de recomendação quanto eu e… Eu… Bem… Eu a quero do meu lado para realizar o meu sonho assim como… Um dia espero que você possa me contar o seu e confiar de que… Como lid… Como amiga eu também irei batalhar para ver o seu realizado… Então… Vamos acabar com isso? Depois nós… Nós… Bem… Aquele convite sabe… Eu... Não sei que tipo de clima essa ilha tem mas...  Se você quiser eu… Realizaria aquele pedido, sabe? Eu não entendi bem mas… Eu quero tentar...  Eu não durmo ao lado de alguém desde que eu era uma criança e bem.... As vezes eu sinto falta… Até mesmo abraço um travesseiro para me sentir menos só e… Bem.. Depois vemos isso! Vamos lá.

Diria a garota  com um tom rubro lhe pintando as bochechas, enquanto tentava olhar diretamente aos olhos da celedtial, mas acabava  por muitas vezes parando para respirar, para organizar as idéias ou mesmo para continuar a ter coragem de ser sincera com seus sentimentos, tentava de verdade passar alguma segurança ainda que claramente fosse um pouco insegura ainda em suas palavras, sua respiração estava um pouco acelerada e seu coração batia bem forte, a garota esperaria por uma resposta da celestial, e não resistiria em casos de demonstração de carinho que a celestial poderia ter, se não houvesse mais nada a acrescentar, respiraria fundo mais uma vez, levando a mão que não estivesse segurando a de Jibril ao peito e respiraria fundo diversas vezes, até que pudesse recuperar um bom ritmo de respiração e o seu coração pudesse amansar um pouco.

-C-Com licença, O(A).... Senhor(a) é o(a) responsável pelo QG? Eu… Peço desculpas pela hora mas… Sei que como aquela responsável pelos demais eu deveria ter sido a primeira a me apresentar mas… Eu sou a Oficial Alipheese Fateburn e essa é Jibril, nós fomos recomendadas pelo Tenente Shiro… Acredito que talvez nós sejamos as últimas… Eu não sei de fato o conteúdo das cartas, mas acredito que deva ter um relatório completo… Segundo ele, essa carta deveria formalizar nossa promoção…

Diria a garota fazendo uma pequena reverência, entregando a carta se assim lhe fosse pedida, sendo bem educada, procuraria não reparar muito na sala ou encarar muito a sua figura superior, mostrando respeito e diligência, enquanto esperava para que pudesse receber as instruções e palavras daquele que estava acima dela em sua hierarquia, não iria ingerir algo, fazendo um sinal com a mão, caso lhe fosse oferecido, de forma educada, fosse para ela ou para a celestial, Jibril era assustadora sobre o efeito de pequenalegria. Uma vez que pudesse ser liberada, esperaria que a Celestial, caso não tivesse lhe dado uma resposta completa anteriormente e preferisse fazer nesse momento a desse, e com isso pensaria em quais seriam seus próximos passos. Estava cansada e talvez não fosse muito produtiva, ainda mais se não poderia comer nada para que pudesse se manter acordada por mais tempo.


Histórico.:
 


Objetivos”:
 

Off:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ação
Pensamento
Fala
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
CrowKuro
Comodoro
Comodoro
CrowKuro

Créditos : 5
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 10010
Masculino Data de inscrição : 24/01/2018
Idade : 26

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptyDom 07 Out 2018, 19:36

Aceitar ou não aceitar?
Após minha entrada no QG da marinha e ter recebido a dica de Hana para que eu fosse ver um capitão para validar a minha promoção, segui até a recepção e perguntei sobre onde eu poderia encontrar o capitão responsável por aquilo, um dos marinheiros que me atendia parecia estar vendo algo como uma celebridade ou algo do tipo mas eu não fazia idéia do por que até que o mesmo disse o motivo de estar vislumbrando a minha presença ali, para mim era algo um pouco estranho ter alguém me venerando como se eu fosse uma pessoa muito importante na marinha mas eu não me incomodava com aquilo e até que gostava, era como uma exibição no circo de certa forma, ao me dar a localização de onde eu poderia encontrar o capitão o marinheiro fez uma reverência abaixando sua cabeça enquanto agradecia pelos meus serviços prestados a marinha, para mim aquilo não era certo, ver alguém abaixando sua cabeça daquele jeito então me aproximei do mesmo e com minha mão esquerda levantei sua cabeça com a ponta do dedo tocando sua testa de baixo para cima enquanto o dizia.


-Não abaixe sua cabeça… Não sei qual o motivo do seu vislumbre, afinal eu só derrotei um cara conhecido e… Mantenha seu orgulho como marinheiro e nunca abaixe sua cabeça para ninguém e apenas aceite que abaixem suas cabeças para nós aqueles que tentam contra a justiça que nós defendemos… Bom, mesmo assim obrigado pela orientação de onde está o capitão.


Enquanto minha fala ia terminando meus punhos ião se fechando demonstrando minha indignação por estar recebendo todos os créditos daquilo sozinho, meu orgulho era algo que parecia me sufocar por dentro mas no fundo eu sabia que eu não poderia falar o que realmente havia acontecido lá, comecei a seguir até o local onde estaria o capitão até que encontrei sua sala e então, ao entrar percebi um homem sentado e parecia estar imerso em um livro mas o mesmo rapidamente olhou para mim dizendo que havia mais um para ele promover e perguntou quem o havia me mandado e logo eu entregava o envelope com a carta de promoção para o capitão.
No decorrer da conversa o capitão dizia que eu parecia ser forte enquanto me olhava dos pés a cabeça e novamente entrando no assunto da morte do tritão no navio, aquilo de certa forma me incomodava ainda mais, mas a única coisa que eu poderia fazer era aceitar as palavras do capitão enquanto eu esbravejava mentalmente o quão indignado eu estava com aquilo, o capitão então disse que iria me entregar alguma coisa enquanto pegava a mesma em uma gaveta, eu não tinha muita visão do que era de início mas logo pude perceber que era uma medalha conforme ele se aproximava com a mesma em mãos, o capitão me entregava a primeira medalha chamada “Enterprise” que seria o símbolo do meu desempenho e trabalho feitos pela marinha, enquanto ele prendia a primeira medalha em meu uniforme ele pegava outra medalha e já aproveitava que estava ali e também me entregou a medalha de “Ascendence” que simbolizava que eu havia enfrentado alguém de alto valor, e logo após o término da entrega das medalhas o capitão Flappy Bob me dava os parabéns me chamando de Sargento Drake, nesse momento a indignação por estar recebendo todo o crédito sozinho se deixava de lado e um certo orgulho tomava conta de mim junto a uma grande felicidade de estar sendo enfim notado pela marinha e estar me tornando alguém importante na vida.
“É uma pena eu não poder falar que eu não fiz aquilo sozinho… Mas de certa forma eu me sinto feliz por enfim estar sendo notado pela marinha, bom acho que devo um obrigado ao lobinho quando o encontrar de novo.”


Após a pequena cerimônia de premiação e promoção eu aproveitava a deixa que o capitão me dava e após o cumprimentar apertando sua mão eu pedia licença fazendo uma breve reverência prestando continência para o mesmo enquanto agradecia a promoção e o reconhecimento e então virava de costas após desfazer a continência e seguiria até a porta tantando abrir a mesma e sair da sala do capitão, logo depois de sair eu voltaria até a recepção para perguntar ao marinheiro que havia me atendido antes onde ficaria meu os dormitórios e se os mesmos já estavam denominados para cada pessoa, mas caso não tivesse quarto específico para cada marinheiro eu perguntaria a ele qual dos quartos eu poderia pegar para mim.


-Oh, olha eu aqui de novo, desta vez preciso de ajuda para saber onde ficam os dormitórios, estou bem cansado e queria dormir… Os quartos são reservados para cada marinheiro ? Ou qualquer quarto vazio pode ser meu? Poderia me ajudar novamente com isso ?


Esperaria a resposta do mesmo e até mesmo uma chave de algum quarto caso o mesmo a tivesse e a pegaria, após pegar a chave e ouvir a instrução sobre onde ficaria os dormitórios eu o agradeceria e o perguntaria se ele havia visto a marinheira que estava comigo antes, daria todos os detalhes sobre a mesma e se caso ele a tivesse visto eu perguntaria onde a mesma estaria e então seguiria até o local, provavelmente ela poderia estar com Alipheese, Jibril e talvez Lynn então eu poderia dizer aos mesmos que eu estava indo para o meu quarto descansar.


-Oh, só estou passando para avisar que eu estou indo para o meu quarto dormir, já falei com o capitão Flappy Bob sobre a minha promoção e já está tudo oficializado, bom é isso, irei descansar pois estou no meu limite… Tudo aquilo no navio me deixou esgotado.


Eu esperaria a resposta de todos e então me despediria e enquanto andava e dava minhas costas eu acenava com a mão direita e seguiria para o balcão novamente e perguntaria para o marinheiro sobre os banheiros para que eu pudesse tomar um banho, após a resposta do mesmo eu seguiria para o meu banho e então após acabar de me lavar iria para o meu quarto para enfim descansar em um belo sono.



Se caso o marinheiro não soubesse a localização de Hana eu apenas o perguntaria onde ficariam os banheiros para eu me banhar e após a resposta do mesmo eu seguiria para o meu banho e após terminar de me lavar iria para o meu quarto enfim descansar.




Histórico:
 

PLAYERS:
 

PLAYERS:
 

PLAYERS:
 

NPC's Importantes:
 

NPC's Criados:
 

Ferimentos:
 

Objetivo:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Pensamento
Fala
Extras

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makei
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Makei

Créditos : 32
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 9010
Masculino Data de inscrição : 07/08/2017
Idade : 24

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptySeg 08 Out 2018, 19:58

The Emperor of Sea




Dps eu edito essa porra


Com um belo sorriso retardado no rosto e uma expressão de felicidade, o pequeno show saia como o esperado após admirarem os meus movimentos magníficos de um fudendo Imperador, sem esperar muito, era o momento de eu seguir o meu caminho até onde realmente as coisas importam, Sala do Capitão Bob Flay, não, pera… Flappy Bob, desculpa, escrevi errado. Não esquecendo é claro de agradecer com o mesmo tom de voz que a expressão que eu tinha no momento ou se você preferir, pode ser com a do Lula também.

- Muito obrigado meu querido magnificentíssimo companheiro -

Agora com a rota trajada para o meu objetivo, apenas conseguia notar alguma coisa estranha como um vulto negro pelo caminho a minha frente, vulto esse que eu definitivamente não conseguia decifrar o que diabos de cacete era aquilo, será que eu tou realmente tão chapado assim ?

” Que porra é essa ? “

“” Carai menor, tu ta batendo uma brisa pesaaada, pega leve nisso ai vei… Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 344152600 “”

Perdido em meus pensamentos e vislumbres provavelmentes do além, acabei por tropeçar em algo minúsculo que rapidamente começou a me xingar igual um arrombado sem que eu percebesse, quando eu fui ver, o filho da puta era o ser mais pequeno que eu já tinha visto na minha vida trajando roupas da Marinha, chegava até mesmo se tornar algo estranho de ver algo assim, era um pouco fofo mas claramente bizarro ao mesmo tempo pela sua forma de falar, contudo, isso não era o suficiente para esconder a minha expressão de surpresa em ver tal criaturinha se comunicar comigo, seria esse um ET ?

” Que porra é essa mano ?... CARAI VIADO ! UM ET ! “

“” Santa mãe de Deus! “”

Incrédulo e boquiaberta com a situação, apenas olhei para os lados como se não acreditasse no que estava vendo e ouvindo antes de apontar para o pequenino murmurando sem som comigo mesmo.

- Vocês estão vendo isso ? IN-CRI-VEL ! -

” CARALHO MENOR ! O filho da puta jogou meu bagulho no chão vei, caralho viado ! QUI FODA ! “

“” Que porra tu tá fazendo Ventus ? Eu que uso drogas e você que fica doidão vei ? “”

” QUEEEEEEEEE, ELE TA FALANDO UMAS COISAS MUITO NONSENSE VEI ! CARAI MANO ! QUI DOIDERA ! “

E não é que o pequenino não parava de me surpreender ? Ele havia pegado a minha carta de recomendação e jogado sobre o chão antes de falar totalmente tiltado em minha direção, não é que o Rolinha Peluda tava realmente puto ? Por sinal “Rolinha Peluda” é o apelido que eu dei pra ele, espero que não se importem. Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 1439049992

Pegando a minha carta de recomendação sobre o chão ainda sem acreditar no que eu estava vendo e esquecendo totalmente do que eu tava vendo a um tempo atrás, abri um sorriso gigantesco sobre o rosto antes de levantar agora as minhas duas mãos, mantendo apenas o dedo do meio e o polegar eretos na direção do pequenino.

- Foda-se ! Heheheh -

“” KAKAKAK ! PAU NO SEU CU ! E se você tiver lendo isso, pau no seu cu denovo, HUEHUEHUE. LUL  “”

Essa era a minha resposta pro Mink antes de simplesmente seguir meu caminho para a sala do Capitão Bob sem dar a mínima para o que o Rolinha poderia falar, andaria até mesmo de costas, já que eu pretendia me manter olhando para ele com aquele sorriso desgracento de Troll enquanto mexia minha cabeça de cima para baixo com os dedos do meio ainda eretos.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Cagando para a opinião do pequenino que provavelmente continuaria a pegar os seus papéis, me virei para seguir o meu caminho em direção a sala do capitão alegremente, estava claramente feliz e não era apenas pelo uso da Pequena Alegria, viu ? Diante de um grande escritório com diversas coisas ao meu redor, não pensei duas vezes antes de oferecer o meu coração, quero dizer… A Carta de Recomendação. Me engasgando até mesmo naquela desgraça de fumaça do tabaco desse cretino, espero que esse puto pegue cancer tambem, só de zoeira.

- Sim, si- -

Quando eu estava a responder, apenas senti uma leve recaída sobre mim mesmo sem nenhum aviso prévio, apenas me senti enojado como se estivesse a sentir o cheiro insuportável da podridão que a realidade tinha sobre o meu nariz, toda a alegria e beleza havia simplesmente sumido em um piscar de olhos, lembram da primeira impressão sobre Terralegre ? Sem um pingo de aviso, aquilo havia voltado a aflorar a minha mente ao observar aquele cenário totalmente decaído. Por sorte ou talvez não… O cenário voltava a mudar rapidamente, me fazendo acordar daquele sonho ruim e para a vida, aquele maldito sorriso se instalava rapidamente em meu rosto novamente ao perceber que agora eu tinha uma bela maçã sobre as minhas mãos.

- Sim, sim ! Agora eu sou um Sargento ! -

Respondia Bob ao sentir o cheiro intoxicante daquela fruta, por mais incrível que pareça, aquela desgraça me ajudava a abrir cada vez mais aquele sorriso malévolo e falso.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

- Por sinal, eu gostaria de conhecer melhor essa Ilha e o QG ! Aqui parece um lugar MAGNÍFICO ! Será que você teria alguma sugestão a me aconselhar ? -

Perguntaria alegremente após me recompor da situação anterior, esperava obter uma resposta positiva do Capitão, talvez talvez fosse a droga ou alguma outra coisa, mas eu me sentia realmente fora do comum… Era algo diferente do meu Ideal, entende ?... Onde será que eu vou parar ?

“” Obviamente morto. Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 1439049992 “”

- Oooh ! Obrigado pela sugestão e pela maçã ! Se possivel eu gostaria de me despedir por aqui, qualquer coisa sabe por quem chamar ~ Sargento Lynn, O Imperador dos Mares ! -

Batéria até mesmo continência para Bob antes de me retirar da sala, onde havia aprendido isso mesmo ? Aé… Foi com o puto que estava saudando a mandioca, não, pera… Ah, foda-se lembro quem era não, deve ter sido o maluco que tava dando “Tchau” pro seus amigos do Inferno… Isso ficou meio macabro do nada…

Com a possível indicação ou não de Bob para onde eu poderia visitar, eu cagaria para a sua opinião já que seguiria o meu próprio caminho, ninguém manda no Imperador dos Mares, porra. Por isso eu andaria pelo QG em busca de um banheiro, essa era a minha marca registrada para conhecer melhor o local, mesmo que eu não viesse a usá-lo era bom saber onde eu iria no caso de necessidades, nunca se sabe quando vem aquele sinal de emergência, correto ? Quem sabe no meio desse caminho eu encontrasse algo interessante para mim ? Afinal, ainda tenho duas perícias para aprender, sendo elas Danças e Briga de Rua, ou seja… Não esconderia o meu olhar de admiração e surpresa caso visse alguém lutando por aí de alguma forma estranha, já que gostaria de até mesmo aprender alguns truques a mais para as situações de combate, pois como vocês sabem, conhecimento nunca é demais !

~ Pericia Briga de Rua, carai ! ~

Me aproximaria batendo palmas da possível pessoa que estivesse a demonstrar os seus belíssimos movimentos, pelos menos eram belíssimos aos meus olhos… Olhos de um verdadeiro Drogado Imperador !

- Onde aprendeu estes movimentos ? São incríveis ! Por acaso pode me ensinar alguns truques ? É sempre bom ter movimentos extras em baixo das mangas, me entende ? Tipo uns chute e pá ! -

Por mais incrível que parecesse, essa seria a minha abordagem sobre o cidadão, seria a correta ? Não sei, de qualquer forma eu iria oferecer a maçã que eu havia ganhado de Bob para resolver essa merda, no final, quem nega uma fudendo maçã ?

- Que tal essa maçã ? Pega aí, vamos dizer que é o meu pagamento, que tal ? -

Jogaria a maçã nas mãos de meu novo Mestre e com o pagamento feito, agora só restaria seguir com os ensinamentos de quem fosse que estivesse a me ensinar, prestaria a atenção e imitaria seus movimentos como um verdadeiro retardado, quero dizer, aprendiz em busca de conhecimento, técnica e força. Estava prestes a me tornar um verdadeiro mestre Kung-fu ! Só que não.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Histórico:
 
Objetivos:
 

Créditos a @[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
~Eis aqui uma amante do Volker~


Medalhas:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
Meursault
Agente em Treinamento
Agente em Treinamento
Meursault

Créditos : 3
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 8010
Masculino Data de inscrição : 28/01/2018
Idade : 23
Localização : Loguetown - East Blue

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptySeg 08 Out 2018, 22:55



Do balacobaco




Apesar do ambiente em questão ser muito mais austero que o resto da ilha e os agentes serem figuras muita mais sérias do que o jovem esperava, Bjarke não se deixava abalar por tal fato, por alguma razão, permanecia em um estado de constante euforia. Os três agentes eram diferentes do que o médico havia imaginado, eram mais velhos do que os outros membros do Governo Mundial que havia conhecido anteriormente e bem menos receptivos, mas não era nada que o espadachim não pudesse contornar fazendo uso de seu carisma irresistível. Quando o jovem escutasse o pedido de um dos agentes sobre fechar a porta, o faria sem hesitar. - Claro. - Entre os seus colegas, o que mais se destacava era, sem sombra de dúvidas, a mulher, por motivos óbvios, mas, mesmo sendo um galanteador nato, Sven não se sentia atraído por ela, não era exatamente o seu tipo, mas talvez o homem não estivesse em condições de exigir muito na condição deplorável em que se encontrava.

Quando o terceiro agente fizesse uma observação sobre as suas vestes, Bjarke responderia de forma ácida. - Isso se chama infiltração, é algo relacionado a furtividade, não sei se está acostumado com o conceito, não parece ser sua especialidade. - Apesar do tom crítico do que fora dito, o espadachim pronunciaria tais palavras com cortesia. Assim que Luciano se apresentasse, Sven apertaria a sua mão, respondendo o cumprimento. - Igualmente, bem, você já parece saber quem eu sou. - Diria o médico, com um sorriso de canto de boca. Quando fosse pedido que Bjarke acompanhasse o agente, o jovem simplesmente acenaria com a cabeça e seguiria até a mesa indicada. O pedido feito era bastante natural e lógico, além disso, era extremamente fácil de ser realizado, já que o espadachim só precisaria ser sincero, assim sendo, não havia motivo para hesitar. - Sobre os nobres envolvidos nessa missão, Esmeralda Blazestone é uma jovem maravilhosa, apesar de ter um passado um tanto quanto triste é uma pessoa bondosa e caridosa que não vê maldade aonde as outras pessoas costumam ver. Foi um verdadeiro prazer passar tanto tempo ao seu lado, nós nos aproximamos muito durante a missão, não seria exagero dizer que eu vejo ela como se fosse uma irmã. Sobre a sua mãe, Natasha Blazestone, é uma pessoa sensacional, em todos os sentidos, se é que me entende. - Diria, esboçando um sorriso, para voltar a prosseguir com a história logo em seguida. - Sobre o outro nobre, que ficou sobre responsabilidade do Agente Achiles Wolf, não tive muito contato com ele então não tenho uma opinião formada.

Aproveitando o fato de ter mencionado um dos agentes, discorreria sobre o tópico. - Todos os agentes que atuaram na missão aparentavam ser extremamente competentes, creio que não deva existir nenhuma dúvida sobre a lealdade ou competência deles. - Era um ponto importante para se destacar, tendo em vista que a responsabilidade inevitavelmente recairia sobre alguém. - Acredito que a invasão seja fruto da pura incompetência da marinha, é muito difícil ter informações e colaboração interna e ainda assim se sair tão mal quanto eles se saíram. Vale salientar que o objetivo era claramente o sequestro dos nobres e não o assassinato. - Depois de fazer tais considerações, Bjarke esperaria pelas ponderações do agente.

Histórico Bjarke:
 



____________________________________________________


Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Ventus
Mercenário
Mercenário
ADM.Ventus

Créditos : 61
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 10010
Masculino Data de inscrição : 15/12/2013
Idade : 25

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptyTer 09 Out 2018, 20:31



NARRAÇÃO




Cena: Alipheese

Nem os efeitos da pequenalegria poderiam servir naquele momento como alívio para a enxaqueca que aquela enxurrada de conhecimento poderia gerar na cabeça de Alipheese, o que de certa forma funcionava como consolo era a sensação de ter aprendido um novo tema em sua vida imaginando como aplicar aquele conhecimento em suas futuras ferramentas mas isso ficaria para uma outra hora em vista que tanto ela quanto Jibril já estavam exaustas. Seguindo para fora da sala deixando que a marinheira responsável pela biblioteca terminasse o seu serviço ali as duas rumaram pelos corredores de mãos dadas em um puro gesto de intimidade, pedindo instruções para um marinheiro que andava por ali a dupla conseguiu fazer seu caminho até a sala do capitão sem nenhuma dificuldade enquanto Alipheese seguia junto com seus passos o seu diálogo, Jibril seguia pelo caminho olhando para a companheira apenas pelo canto de olho para que sua atenção não fosse completamente tirada do trajeto mas mesmo assim a Sgt. Fateburn pode notar um semblante mais sério no rosto da celestial onde nem mesmo o cansaço era mais exibido e talvez no lugar do cansaço, junto com a seriedade no olhar de Jibril era possível perceber talvez uma possível preocupação com o que a alva atiradora dizia. - Sim, sim vamos dividir uma cama e termos uma noite só para as garotas… ou no caso só eu e você. - Respondia Jibril abrindo um sorriso malicioso enquanto um marinheiro passava pelas duas no corredor ficando um pouco constrangido provavelmente imaginando o que não deveria, Alipheese podia notar que a celestial evitou ou mudou de assunto preferindo não responder sobre o que lhe incomodava naquela promoção mas talvez a atiradora já tivesse uma ideia sobre o que incomodava a cozinheira.

Antes que pudesse ter oportunidade de se aprofundar em mais uma tentativa de diálogo a marinheira era surpreendida com a velocidade em que Jibril dava continuidade a sua fala. - Olha parece que chegamos. - Dizia ela já batendo na porta e abrindo uma pequena fresta em seguida, o capitão tinha uma bela e magnânima sala possuindo uma grande janela atrás de sua mesa onde o mesmo se encontrava admirando a paisagem do quartel general, o capitão Flappy Bob estava em pé de costas para a porta olhando a janela com as mãos juntas atrás de seu corpo apenas ouvindo Alipheese se pronunciar, seu rosto se virava para o lado e olhando pelo canto de olho ele podia ter visão das duas que adentravam na sua sala, mascando um charuto que impregnava o ar com o cheiro de canela e algo que era desconhecido pelos olfatos das marinheiras o capitão se virou para as duas que poderiam ou não se sentir um pouco mais “alegres” com aquele aroma. - Uma líder que foi a última a se apresentar para o seu superior… Seria isso um sinal de desrespeito ou puro descuido? - O capitão colocava o charuto entre os dedos e começava a caminhar até ficar em frente as duas enquanto no trajeto balançava de leve o charuto dando leves toques com o um dedo para derrubar as cinzas que se formavam na ponta. - Sendo um ou outro tal ato não é bem visto no MEU quartel general estamos entendidos? - Cpt. Bob dizia isso já na frente das duas levando seu charuto de volta para a boca esperando uma resposta de suas subalternas. - Que isso não se repita novamente... - Terminava ele fazendo uma pausa longa já puxando das mãos da Alipheese sua carta de recomendação e logo em seguida pegar a de Jibril, ele voltou até a sua mesa abrindo ambas as cartas e se sentando na cadeira para ler cada uma delas enquanto terminava seu charuto amassando o que sobrava contra um cinzeiro.

- Então você seria aquela que lidera o grupo de Drake e da menina Lynn… Entendo... - O capitão talvez estivesse cansado ou irritado demais para demonstrar algo perante aquela carta mas ele simplesmente as deixava aberta sobre sua mesa enquanto abria uma de suas gavetas parecendo pegar algo sobre as mesmas. - Venham as duas até aqui... - Dizia ele gesticulando com a mão livre para as duas se aproximarem. - Se tivessem vindo todos juntos como se é o esperado todos teriam recebido isso juntos mas enfim... Durante sua missão o Sgt. Drake conseguiu capturar alguém de grande periculosidade, alguém que o governo estava mirando a um bom tempo e como vocês estavam trabalhando juntos então acho que também devam receber a premiação apropriada... - O capitão estendia sua mão entregando para Alipheese e Jibril as medalhas Enterprise e Ascendence - geral carregado pelo Achiles - diferente com que tinha feito com Drake com uma breve e respeitoso gesto reconhecendo os feitos do lutador, com as meninas ele era mais desleixado apenas deixando as insígnias caírem na palma das mãos das marinheiras talvez ainda um pouco irritado entendendo a apresentação tardia das oficiais como um descanso ou apenas revelando um lado mais seco e rude de sua personalidade se revelando alguém bem oito e oitenta, tais condecorações pareciam ter um mínimo valor naquela entregando as medalhas como se lhe fossem apenas adornos decorativos para o uniforme, um gesto que talvez entristecesse a pequena Alipheese. Aquilo poderia outrora ter um significado para Jibril que talvez pelo efeito da pequenalegria impregnada conseguia se manter com certa compostura mesmo encarando naquelas medalhas a cena de antigos companheiros caídos em combate sobrando apenas ela para contar a história, em seu âmago a celestial se questionava sobre sua promoção já até mesmo esquecendo o motivo de continuar na marinha já que claramente ela tinha testemunhado mais perdas do que conquistas, o fato era que nem a postura do capitão lhe incomodava naquele e por isso ela sequer via motivos para se pronunciar aceitando qualquer coisa que lhe oferecessem ali quase como em um piloto automático.


Cena: Bjarke



Cena: Drake

Se o marinheiro da recepção antes idolatrava Drake agora então o homem teria a foto do ruivo em uma moldura sobre o criado mudo ao lado de sua cama, o recepcionista nem em seus sonhos esperaria tal postura e palavras gentis de apoio já que o capitão daquele quartel general era tão severo, ouvindo tais palavras o marinheiro levantou sua cabeça e apenas bateu continência deixando que o boxeador seguisse seu rumo até a sala do capitão se sentindo incomodado por receber o crédito por algo que ele não tinha exatamente desempenhado sozinho, a luta de Achiles e o tritão tinha começado bem antes de Drake chegar e junto com o agente conseguir finalizar o oponente que ainda possuía de algum vigor mas ainda assim o ruivo conseguiu se manter em pé aceitando o peso daquela escolha imaginando que em resposta para aquilo ele só teria que atender qualquer expectativa que a marinha tinha sobre si. O ilusionista seguiu se despedindo apresentando seu respeito pela posição do capitão saindo de lá seguindo até a recepção onde antes ele tinha conseguido a informação sobre a localização da sala do capitão, agora com a promoção oficializada Drake era um sargento e por isso receberia o tratamento digno de um mas também teria as responsabilidades de alguém do cargo.

Chegando na recepção ele via lá o mesmo grupo de marinheiros atrás do balcão já se preparando guardando algumas coisas para uma possível troca de turnos até Drake chegar no local perguntando sobre os dormitórios e Hana. - Os quartos ficam no segundo piso, tem uma ala de dormitórios livres na área B, você acha achar a chave dentro do quarto na atrás da porta. - Respondeu o marinheiro gesticulando com uma das mãos apontando para direção e pelo caminho que teria que se seguir como se desenhasse uma rota imaginária no ar, Drake não tinha dificuldades de discernir a direção que deveria ser seguida, quando questionou sobre a marinheira o recepcionista não parecia ter resposta para a pergunta relatando que não tinha visto ninguém que se encaixava na descrição passada, sobre o banheiro o marinheiro passou as direções que o ruivo poderia seguir pelo QG até o destino.

Sem a localização de Hana ou de seus companheiros Drake seguiu seu caminho até o banheiro onde poderia tomar um breve banho antes de seguir até o quarto, o banheiro no quartel general tinha o tamanho ideal para o que possui em seu interior, de começo assim que passava pela porta Drake podia ver cinco boxes de sanitária em um lado da parede e do outro pias com espelhos pendurados na parede, no fundo da sala ainda tinha um espaço para mais seis boxes com chuveiros onde o marinheiro poderia se banhar. No canto da sala próximo a porta de entrada tinha dois cestos, um com toalhas limpas e dobradas e o outro com toalhas molhadas e sujas, Drake poderia pegar uma das toalhas no cesto limpo para o seu uso mas ali não parecia ter uma muda diferente de roupas caso o ilusionista fosse procurar, o lugar estava parcialmente vazio tendo ali apenas uma pessoa escovando os dentes e outra em um dos box sanitários o que poderia passar ao ruivo alguma sensação de privacidade.

Quando saísse de seu banho e rumasse até o quarto o boxeador poderia notar o local um pouco mais “vazio” de uma forma que a segurança não era afetada ainda sendo possível ver alguns marinheiros de guarda, com patrulhas sendo feitas e guardas estrategicamente posicionados Drake chegava no dormitório sem nenhuma dificuldade para encontrar o quarto desejável, a porta estava aberta e a chave estava na fechadura do lado de dentro do quarto como o marinheiro tinha falado, ali tinha duas beliches em cada lado do quarto com um criado mudo no centro encostando na parede do cômodo, tinha um ventilador de teto no local e uma janela que dava vista para a entrada do QG sendo possível também ver as luzes na cidade assim como a das estrelas.


Cena: Lynn





- Npc’s ainda não apresentados/ aleatórios -
- Npc’s acompanhantes. -
- Oficiais rasos (marine) -
- 2º Ten Shiro -
- Cpt. Flappy Bob -

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
~[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]~
Olá Convidado seja bem-vindo(a) ao One Piece RPG.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Alipheese
Comodoro
Comodoro
GM.Alipheese

Créditos : 56
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 26
Localização : Olympo- 5ª Rota

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptyQui 11 Out 2018, 20:26

Resoluções importantes.

A resposta de Jibril, de algum modo havia alegrado o seu coração, apesar de ainda assim como um todo deixá-la preocupada, a celestial parecia muito incomodada com a idéia de que seria promovida e talvez fosse muito necessário que pudessem em algum momento a sós conversar, em especial ouvir o que a celestial teria a dizer, entender melhor as pessoas era algo que a pequena ainda lutava bastante para que pudesse aprender melhor, relações como as que tinha hoje ainda lhe eram um universo novo, assim como esses novos sentimentos que agora corriam em seu peito, chegar na sala do seu superior teria sido rápido o suficiente para que antes que pudesse organizar os pensamentos, pudesse insistir no que havia dito para a garota novamente e com isso, restou-lhe se apresentar ao responsável pelo QG, o efeito de pequenalegria provavelmente ainda inebriava seus sentidos ao ponto de que talvez o cenário lhe parecesse muito mais belo do que realmente era, mas algo em suas entranhas parecia de contorcer um pouco.

O homem pareceu distraído ao momento em que adentraram a sala, era um homem de aparência muito mais intimidadora do que poderia esperar de um lugar com aquele nome, talvez pela própria história que havia ouvido, talvez fosse na realidade a perfeita representação, aos seus olhos por um momento a imagem de um pirata se fez muito mais do que a de um marinheiro, ao menos pela imagem quase imaculada que a garota criava em sua própria cabeça sobre o que seria a marinha, as pessoas que nela agiam e isso se espelhava em seu modo de agir, em seu objetivo e até mesmo no seu modo de sonhar, de certa forma. O homem parecia mascar um charuto que tinha um aroma que não lhe era estranho ao olfato, e firmemente ela aguentaria a responsabilidade pela própria demora, havia sido de sua escolha que pudesse priorizar o próprio aprendizado naquele momento em que não se fazia a urgência de se apresentar, algo que talvez tivesse sido um erro de sua parte, respirou fundo antes que pudesse alcançar a postura necessária para que pudesse responder o homem apropriadamente, mas no fim, acabou apenas concordando com a cabeça em relação a não deixar que isso pudesse acontecer novamente.


“ Eu ouvi muito que a Grand Line tinha muitas coisas diferentes, mas é realmente assustador pensar que em um lugar que precisa tanto de uma real esperança, possa encontrar tanto conforto na mentira, não me parece algo certo, mesmo o capitão é completamente distorcido em relação aos ideais que representam a marinha, creio que mesmo heróis talvez possam acabar cedendo em meio ao desespero ou se transformarem devido a ele em algo que não é algo tão bonito, se não houver a força para que se possa lutar pela mudança… No entanto… É certo eu assumir isso? Ou talvez a auto-afirmação de cargo seja algo que tenha lhe feito parecer alguém autoritário aos meus olhos? Eu ainda não tive uma experiência do tipo, mas lembro de ter lido uma vez, algo que me marcou muito e que talvez faça um sentido muito grande para essa situação… Qualquer homem que precise firmar sua autoridade, dizendo: Eu sou o rei, não é um rei verdadeiro… Bom, talvez eu não devesse levar tão a sério, mas ainda que um homem desprezível, era um bom líder, dentro do contexto da obra… Devo levar em consideração que nessa ilha há entorpecentes por toda a parte, mesmo a minha mente não trabalha direito… Eu imagino o que a exposição prolongada possa fazer, minhas inibições… Ainda que seja bom viver um pouco sem elas, que tanto me acorrentam...Não me fazem tomar a melhor das decisões… Encare a responsabilidade, você tem de ser forte por todos eles se quiser ser aquela a carregar o fardo que escolheu carregar… Ou que foi escolhida para carregar…”


Sua mente se passavam muitas coisas, ainda que estivesse focada no que ouvia, se aproximaria junto a Jibril, assim que entregassem suas cartas, o homem parecia irritado, ou talvez só estivesse cansado, a  posição de poder não era algo que pensasse como algo que não fosse exaustivo e de certo, o volume de pessoas que haviam chegado sob sua jurisdição em um tempo de intervalo curto, haviam sido grandes, já que mesmo a embarcação por onde tinham acabado de chegar, tivera problemas. Pegaria as próprias medalhas e olharia para o lado, ainda vendo a reação de Jibril ao receber, ela parecia estar em um piloto automático, talvez só estivesse estável naquele momento, devido a própria droga, mesmo quando ela havia aceitado o que ela mesma havia proposto anteriormente, não havia a mesma vivacidade e naquele momento isso a incomodou mais do que a atitude do capitão, ao qual a garota após ter colocado suas novas medalhas no uniforme, acabaria o olhando, antes que pudesse respirar fundo e finalmente falar.

-A intenção não foi de que o senhor pudesse interpretar isso como uma falta de  respeito, ainda assim reconheço o erro, agradeço pelo tempo e por nos ter recebido, caso o senhor precise, farei com que o esquadrão fique a disposição para que possamos fazer o melhor.


Diria a garota carregando um tom de responsabilidade grande, devido a pressão que colocava em si mesma naquela situação, havia a dicção necessária para que ela pudesse se expressar de forma mais clara, o efeito da falta de inibição da droga, certamente também teria o seu papel, assim que fosse liberada,  junto a Jibril, teria saído da sala, e se necessário, levaria a garota consigo, a levando pela mão, tomar essa atitude era algo difícil e que sem dúvidas teria a feito ficar muito nervosa em relação a própria iniciativa, tomaria a dianteira, de modo que olharia para frente, em silêncio até o caminho dos dormitórios, onde esperava poder ter alguma privacidade, ou ao menos algum conforto para que pudesse falar, seus passos eram fortes e ela tinha dificuldade de olhar para trás até que chegassem ao local.


-Jibril, sei que você deve… Deve estar cansada mas… É importante conversarmos e… Eu… Se possível não quero que você fuja de mim ou do que vou te perguntar… Você...É visível que você esta incomodada desde que nos separamos… O que aconteceu?  Como você se sentiu ao ter que vivenciar esse medo? Eu… Imagino que não tenha sido fácil… Você é muito… Muito forte por ter passado por tudo isso e ainda estar aqui ao meu lado… Eu … A… Adm…. Admiro isso em você.


Diria a marinheira, enquanto se sentava em uma das camas, retirando os calçados com os próprios pézinhos, assim como  a meia, com as próprias mãos desfazendo o laço caracteristico do uniforme, enquanto a olhava e indicava com uma das mãos para que ela se sentasse também, sua respiração estava um pouco pesada e era notável que a garota se esforçava para entender aquela situação para por fim dar algum conforto a celestial, abrindo a própria bolsa, guardaria em algum compartimento o lenço, prontamente fechando,  enquanto também deixou a bolsa ao lado da cama, assim como o seu rifle, retirando também o coldre e deixando tudo bem organizadinho, era um processo que faria enquanto conversava de modo a ficar mais confortável e talvez as tarefas a teriam ajudado a se concentrar enquanto ouvia o que a celestial teria a dizer e se lhe parecesse coerente respiraria fundo antes de continuar a falar.

-... Desculpa te pedir para falar sobre isso… Há coisas que as vezes são boas de se tirar do peito e sei que eu peço muito… Quando lhe peço para que possa confiar em mim a dizer tais coisas… Assim como para estar ao… Ao seu lado para que possamos enfrentar juntas esses obstáculos e dificuldades… Eu imagino que a perda, deva ter sido algo que para você tenha a afetado demais e… Talvez até a feito se sentir culpada… A forma como Cruzis se referia a você… Bem… O próprio modo como você esta agora,.. Me leva a pensar que você teve de ouvir muita coisa que não merecia, quando já estava machucada… Não há como não se machucar com o que aconteceu…


Diria a garota dentro do próprio ritmo, parando algumas veses para respirar e organizar os pensamentos, sua voz não era muito alta, mantendo-se o tom agradável que parecia aos ouvidos algo quase melodioso, seus olhos vermelhos tentavam olhar sempre para os olhos da celestial que para ela eram tão lindos e  talvez por ficar tão encantada, que suas bochechas fossem pintadas pela coloração vermelha e as vezes, obrigava-se a olhar para as próprias mãos, enquanto seus dedos polegares acabavam  se colocando um por cima do outro, enquanto ela deixaria os pés balançando do lado de fora da cama e ofereceria segurar a mão de Jibril, enquanto conversavam ao deixar a sua palma virada para cima e colocar mais próxima a sua mão, da mão da celestial e se ela aceitasse o convite, entrelaçaria os dedos e com o polegar acaraciaria a parte de trás da sua mão, enquanto se focaria em olhar para ela. Respiraria fundo antes que pudesse voltar a falar.

-Eu… Não sou capaz de mentir, acho que mesmo que fosse eu… Acabaria me entregando ou fosse muito fácil de perceber pela culpa… De toda forma, quando eu falei que você realmente foi relevante para o  sucesso da missão, porque eu de verdade acredito nisso… Para ambas missões… você foi importante, sem os equipamentos que você me deu, eu não teria conseguido ajudar as pessoas e talvez nem estivesse aqui… De toda forma, o nosso passado não deve determinar aquilo que seremos Jibril… Você não pode mudar o que você perdeu, mas eu sei que  você é forte o suficiente para estar aqui ao meu lado,  e sei que talvez seja injusto que eu peça para que você me acompanhe em meu objetivo, que eu sei que é muito maior do que eu, como sou hoje e… Eu não vou conseguir crescer, sozinha e … Eu quero você ao meu lado e pra isso… eu quero saber mais, se você puder sobre o que a faz se sentir assim e quero que você me guie, para que eu possa te ajudar… Eu… Não sou tão boa assim com pessoas.. Mas eu quero melhorar. E quero me tornar quem eu preciso ser…



Diria a garota, de forma carinhosa, enquanto esperou pelo que a outra teria a dizer, se dentro do que acreditava parecesse a ela coerente que  ela pudesse abraçar a celestial, fosse para demonstrar afeição ou mesmo zelo, ela o teria feito, estava disposta tanto a continuar acordada a ouvindo e conversando,até que tudo pudesse se resolver, como também não lhe faria mal poder deitar junto e descansar, essa segunda opção seria algo extremamente diferente ao emocional da pequena marinheira, que provavelmente acabaria dormindo abraçando a garota,  ou mesmo sendo abraçada, se fosse preferível, de toda forma quem determinaria como seriam as coisas seria a celestial naquele momento, já que a garota estava disposta a ceder a ela o direito da escolha, pelo que fariam a seguir.


Histórico.:
 


Objetivos”:
 

Off:
 

[/quote]

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ação
Pensamento
Fala
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
CrowKuro
Comodoro
Comodoro
CrowKuro

Créditos : 5
Warn : Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 10010
Masculino Data de inscrição : 24/01/2018
Idade : 26

Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 EmptySab 13 Out 2018, 21:51

SONHO
Após a tentativa frustrada de encontrar alguns de meus companheiros a única coisa que me restava era seguir para tomar um banho e enfim descansar em uma cama, segui até o banheiro onde enfim consegui me banhar e me livrar daquela sujeira em que me encontrava e então seguindo as instruções do balconista peguei um dos quartos para mim, adentrei ao mesmo e o tranquei por dentro para que ninguém me incomodasse ou saísse entrando no mesmo, me deitei na cama e tentei ler mais sobre o livro de anatomia mas sem muito sucesso, logo após ter aberto o mesmo e começado a ler a primeira estrofe eu acabei pegando no sono devido ao cansaço.



SONHO




Eu estava ali, parado em meio a uma densa escuridão onde eu só conseguia ver o meu próprio corpo e nada mais, tudo a minha volta era negro como se eu estivesse no centro de um buraco negro ou no fim de toda a existência do mundo, a primeira impressão que tive era de estar mergulhando nessa escuridão e chegando cada vez mais fundo na mesma e eu não sabia o que se passava naquele momento, algum tempo depois de eu me questionar sobre o que era aquilo, flashes de memória começaram a passar diante de mim, coisas que eu havia feito, coisas que deixei de fazer e a cada flash eu me sentia mais pesado, algum tempo se passou e em meio a tudo aquilo eu comecei a me questionar se aquilo era a morte, será que eu morri? Será que isso tudo é o fim? Será que esse é o legado que eu estou criando? Um vazio existencial, e me questionei sobre a minha própria existência, será que tem algum valor para o mundo? Ou sou apenas mais um qualquer que nele vive? Bom, eu sinceramente não sei, tudo o que fiz até aqui foi agir de acordo com os meus próprios objetivos, não posso nem dizer que os laços que criei foram de fato verdadeiros, será que tudo não se passou de uma encenação minha? e tudo o que fiz foi fingir para todos a minha volta? Eu sinceramente nem sei mais…

Em meio a minha indagação um último flash se apresenta diante de mim, a missão completa por mim “sozinho” e no final a recompensa recebida de acordo com essas missões, a raiva que senti em receber algo por uma missão que não havia executado sozinho e o orgulho me consumindo de dentro para fora, o fato de eu não aceitar aquilo de mente aberta estava me sufocando e então eu percebi que aquele local escuro onde eu me encontrava não era nada além do meu próprio orgulho, um lugar que eu mesmo havia criado inconscientemente sem perceber no momento em que fui dito como uma promessa para a marinha, quanto mais as imagens passavam e mais cenas eu via mais eu percebia o quão ruim era ser tão orgulhoso em minha vida e que às vezes receber ajuda de outras pessoas talvez não fosse tão ruim e que com isso eu poderia evoluir mais e mais e sim, ao ver como um marinheiro praticamente me idolatrava apenas por eu ter desempenhado uma missão me fez sentir felicidade, ao ver o rosto de uma de minhas companheiras sorrindo depois de uma profunda tristeza me deixou feliz e de fato alegre, naquele momento eu percebi que algum dia de fato eu teria de me tornar não apenas uma promessa mas sim uma realidade alguém que poderia se tornar o pilar da justiça para o mundo todo e assim trazer essa felicidade e paz a todas as pessoas do mundo.




FIM DO SONHO



Enquanto a última imagem ia se apagando em minha cabeça eu iria despertando aos poucos até que a imagem termina e eu enfim acordo e abro meus olhos, meu semblante não era como o de costume, um sorriso se abria em meu rosto enquanto eu me espreguiçava para enfim levantar, olharia para minhas mãos e perceberia que o livro de anatomia estava ali ao meu lado, me levantaria, pegaria minha escova de dentes e seguiria até o banheiro, jogaria água fria no rosto o lavando para melhor despertar e então escovaria meus dentes, após terminar de escova-los voltaria para meu quarto para assim continuar o estudo da anatomia humana como eu havia iniciado no dia anterior.




Histórico:
 

PLAYERS:
 

PLAYERS:
 

PLAYERS:
 

NPC's Importantes:
 

NPC's Criados:
 

Ferimentos:
 

Objetivo:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Pensamento
Fala
Extras

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por CrowKuro em Seg 15 Out 2018, 14:55, editado 1 vez(es) (Razão : Edit em ganhos que eu havia esquecido de por.)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty
MensagemAssunto: Re: Tróia - Parte 3 - Pandemonium   Tróia - Parte 3 - Pandemonium - Página 15 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Tróia - Parte 3 - Pandemonium
Voltar ao Topo 
Página 15 de 16Ir à página : Anterior  1 ... 9 ... 14, 15, 16  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Polestar Islands-
Ir para: