One Piece RPG
Dragonslayer - O olho perdido XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Thomas Kenway
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Thomas Kenway Hoje à(s) 01:45

» The Victory Promise
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Takamoto Lisandro Hoje à(s) 00:42

» Momoko Yuki
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 23:49

» [Ficha] Joe Blow
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 23:46

» Akira Suzuki
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Ceji Ontem à(s) 23:18

» Revan Yamamoto
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 23:18

» Revan Yamamoto
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 23:17

» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Licia Ontem à(s) 22:44

» Uriel Seraphim
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Thomas Torres Ontem à(s) 21:25

» Sorte ou Azar? Uma Ascensão Pirata!
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Fran B. Air Ontem à(s) 21:13

» Cap IX ~ Esperança ~
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Alek Ontem à(s) 21:06

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Alê Ontem à(s) 21:00

» Pedido de Kit Drake
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor CrowKuro Ontem à(s) 20:58

» Azura V. Pendragon
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Kenshin Himura Ontem à(s) 20:51

» Hello darkness my old friend...
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Alek Ontem à(s) 20:29

» Livro Um: Graduação
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor ADM.Noskire Ontem à(s) 20:26

» ||Tesouro|| Ambição dos vadios - Down Island
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Fran B. Air Ontem à(s) 20:26

» ~ Mudanças Importantes ~
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor ADM.Tidus Ontem à(s) 20:21

» Que se ascenda o fogo!
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor Tensei Ontem à(s) 19:47

» The One Above All - Ato 2
Dragonslayer - O olho perdido Emptypor CrowKuro Ontem à(s) 19:26



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Dragonslayer - O olho perdido

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptyDom 08 Abr 2018, 15:26

Dragonslayer - O olho perdido

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Julian D'Capri. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
jonyorlando
Sargento
Sargento
jonyorlando

Créditos : 11
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Masculino Data de inscrição : 15/04/2016
Idade : 20
Localização : Grand Line - 2º rota - Ilha Aracne

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptySeg 09 Abr 2018, 20:01

Julian acabará de concluir seu treino, ele agora estava "formado" seu mestre não mais podia o ajudar, portanto ele agora deveria seguir para sua missão.
A bainha que antes fora recebida pelo mestre estaria em suas costas, infelizmente ela não poderia ser usada, afinal já estaria muito gasta e velha, Julian deveria encontrar um ferreiro para esse o ajudasse com isso, ele precisaria de armas e também precisaria de uma coisa importante, informações, sua missão deveria ser concluída o quanto antes, mas para o azar de Julian ele não saberia pelo que começar, revolucionários e marinheiros atrapalhariam sua missão, já que eles ordenariam muitas missões secundárias, mas ele não descartaria entrar para a marinha, já que eles tem muitas informações úteis e protegem os cidadãos, e piratas são a escória do mundo, bêbados e bandidos que saqueiam e matam pessoas, sendo estas inocentes ou não, esse seria o pensamento dele.
A única opção que restaria a Julian seria seguir sem grupo por enquanto, se ele realmente chegar a precisar de muita ajuda para conseguir informações ele se alistaria a marinha, mas esse não seria seu foco principal no momento.

Eu seguiria pela trilha de barro que certamente me levaria a uma estrada principal, eu com aquele treco nas costas andaria procurando uma cidade ou uma vila em Karate Island, e só pararia em uma delas se eu visse alguma loja de armas ou algum ferreiro.
Caso encontrasse o ferreiro eu iria até ele.
-Senhor ferreiro, desculpe incomodar, mas gostaria que avaliasse essa peça e me dissesse se poderias me ajudar com ela, a reforjando ou a consertando.
Caso ele negasse a ajuda eu faria uma reverência e me retiraria do local, indo procurar algum jornal em uma lixeira, ou então abandonado, pelo chão ou em um banco e o pegaria, e nele eu procuraria alguma informação sobre o pirata "Draco, o dragão caolho".

Caso ele dissesse que poderia me ajudar eu agradeceria.
-Obrigado senhor, mas antes de qualquer negócio poderias me falar seu preço para fazer tal ação?
Se o preço passasse de 20.000 berries eu faria uma reverência.
-Desculpe senhor por lhe fazer perder tempo, quando puder lhe pagar voltarei aqui e pedirei seu auxílio novamente.
E então sairia da ferraria e iria procurar um jornal abandonado, e nesse procuraria informações sobre Draco, qualquer coisa que pudesse indicar onde ele estaria.

Se o preço não passasse eu aceitaria a oferta e apertaria sua mão.
-Obrigado senhor por poder me ajudar, agradeço de coração, em quanto tempo ficará pronto?
Se demorasse entre 12 horas eu sentaria perto da ferraria e esperaria o prazo, caso levasse mais tempo eu deveria procurar alguma pousada, e procuraria um jornal abandonado e procuraria o nome "Draco, o dragão caolho" neste.

Caso eu encontrasse uma loja de armas eu iria até ela e ao entrar iria procurar as espadas, me concentrando em katanas, se viesse a encontrar alguma eu procuraria saber seu preço e compraria somente se o valor total não passasse de 20.000 berries, eu procuraria a maior quantidade de espadas baratas que eu conseguisse carregar.
Se houvesse alguma espada que somada as outras passasse desse valor, mas atraísse muito minha atenção eu falaria:
-Senhor, eu poderia realizar algum serviço para pagar pelas espadas?
Em caso positivo eu me ofereceria para realizar o serviço.
Em caso negativo eu agradeceria e pagaria só o que podia levar, indo em seguida procurar um jornal.

Caso encontrasse o ferreiro e a loja de armas iria primeiramente no ferreiro depois na loja e faria as mesmas ações.

No entanto se eu não conseguisse encontrar nenhum desses dois eu entraria em uma vila ou cidade e tentaria pegar algum jornal que estivesse no chão ou numa lixeira, que estivesse pelo menos legível.

Se eu encontrasse algum jornal eu procuraria o nome "Draco, o dragão caolho" para tentar descobrir onde ele estaria, ou onde ele teria sido visto uma última vez.
Se eu não encontrasse nenhum jornal, ou no jornal não encontrasse nenhuma informação eu procuraria um bar e entraria neste, indo direto para o barman. Caso não houvesse bar eu iria para as docas e procuraria algum barco que fosse zarpar.
-Senhor, eu gostaria de saber se poderia conseguir uma informação aqui?
Caso ele falasse que sim eu falaria:
-O senhor sabe me dizer algo sobre Draco, o dragão caolho?
Se ele dissesse que eu precisaria pagar alguma coisa, como bebida ou gorjeta eu daria se fosse inferior a 1.000 berries.
Se não fosse inferior eu agradeceria e sairia do bar procurando nas docas algum barco que fosse zarpar, caso encontrasse algum chegaria próximo ao dono do barco ou quem estivesse perto e perguntaria:
-Esse barco está indo para onde?
Se não me respondessem eu perguntaria uma segunda vez e caso não me respondessem (ou caso não encontrasse barco) eu sairia das docas e procuraria uma pousada.
Caso me respondessem eu perguntaria:
-O barco é seu?
Se a resposta fosse afirmativa eu perguntaria:
-Esse barco está indo para onde?

Se a resposta fosse negativa eu falaria:
-Sabe me dizer onde encontro o dono?
Se me respondessem a localização do dono eu a seguiria e o procuraria.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptySeg 09 Abr 2018, 22:24



Procurando Armas! Início Da Aventura!

O jovem Julian tinha acabado de finalizar seu treinamento na arte da espada com seu mestre, esse mesmo mestre que lhe pediu apenas uma coisa em troca, que vingasse seu filho morto por um homem chamado Draco. Ele já havia pensado nos grupos que existiam no mundo, mas aparentemente, esses grupos não serviriam para sua causa, por isso, decidiu partir sozinho nessa jornada. Querendo seguir com o pedido de seu mestre, Julian partiu em busca desse homem, mas para isso, precisaria de katanas que eram o estilo de combate que o rapaz conhecia.

O dia estava ensolarado, o Sol estava bem no alto, pássaros cantavam a todo momento, era pouco depois da hora do almoço quando Julian descia pela montanha após se despedir de seu mestre e tomar um rumo em sua vida, ninguém podia dizer o que Julian faria depois de conseguir realizar a vingança pelo seu mestre que tanto o ajudou, talvez nem ele mesmo, mas quem se importa com o futuro? Pensar no agora é bem mais fácil e prático. Ele continuava, não demorou muito para descer a montanha levando em conta todo o tempo que havia passado naquele lugar, já era como uma casa para ele, nesse caminho, ele não encontra nenhum perigo aparente, talvez por sorte, talvez pela habilidade e conhecimento do homem, de algum jeito, as coisas estavam dando certo.

Passado cerca de meia hora nessa decida, chegava na cidade, eram pessoas andando por toda parte, naquele horário, pessoas perambulavam fazendo todo tipo de coisa, Julian estava em uma parte da cidade que remetia bastante ao comércio, pessoas negociando na rua, comendo, comprando coisas, poucas eram as residências no lugar, ele que procurava um ferreiro, não precisava nem se esforçar para isso, batia o olho e já via uma loja de armas que era ao mesmo tempo uma ferraria.

Julian se aproximava do lugar, de cara já tinham três homens saindo, não pareciam soldados especificamente, estavam com katanas, mas não representavam ameaça para o rapaz, um deles que usava um grande chapéu de bamboo cumprimentava Julian ao abaixar levemente seu chapéu e dizendo - Boa tarde. - Julian entrava na loja e via dois outros homens bem parecidos com os outros em porte físico olhando algumas armas, mas o objetivo dele não era interagir com desconhecidos e sim arrumar sua bainha e comprar uma katana.

Ele dava sua bainha para o dono do lugar, um homem loiro com cabelo amarrado e também parecia ser muito bem treinado, estava sem a camisa, apenas com calças pretas, atrás do balcão polindo uma espada, sem nem olhar para Julian, ele avaliava a peça sem dizer nada a princípio e respondia Julian - É uma bela peça essa que você tem aqui meu rapaz, eu posso dar um jeito nela por pelo menos 15.000 berries. - Julian pergunta quanto tempo demoraria para que ele concertasse a bainha e ele responde - Bem, eu tenho outros pedidos, mas posso dar um jeito nela para você em cerca de seis horas. -

Ainda no ferreiro, Julian perguntava sobre o valor das espadas e ele respondia apontando para algumas espadas em uma sacola-Bem, minhas armas são as mais baratas da ilha, não sei o que você procura exatamente, mas minhas espadas mais baratas são aquelas ali, custam 50.000 berries cada. - era um preço acima do que o homem queria, ele então oferecia seus serviços em troca de alguma espada, o ferreiro colocava a mão direita no queixo e começava a pensar.

Nesse momento em que Julian negociava com o homem sobre o valor das espadas que ele vendia, entra um homem com tudo, batia a porta e ia andando na direção do balcão onde estava Julian e o vendedor, ele era careca, monstruoso em relação a um humano normal e tinha um cheiro muito forte como se tivesse acabado de ser atingido por um gambá - Olá Sora, eu vim pegar o aluguel de hoje, me dê o combinado de sempre 10% de seus ganhos. - antes que Julian pudesse fazer qualquer coisa, o homem pegava uma sacola fazendo barulho do que pareciam moedas e saia pela porta. No que ele saia, o ferreiro falava -Como você pode ver, as coisas estão difíceis por aqui, mas que tal fazermos o seguinte, você dá um jeito nesse brutamontes que me extorque e eu posso te conseguir uma de minhas katanas por um preço bem camarada, me deixe o valor de uma como garantia e eu posso até mesmo te emprestar para que você a use para dar um jeito nele, depois devolvo o troco, ele se chama Valter e mora no deserto, um pouco ao norte daqui. -

OFF:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
jonyorlando
Sargento
Sargento
jonyorlando

Créditos : 11
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Masculino Data de inscrição : 15/04/2016
Idade : 20
Localização : Grand Line - 2º rota - Ilha Aracne

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptySeg 09 Abr 2018, 23:42

Julian pensaria um pouco, o seu dinheiro todo seria entregue aquele homem.
Eu suspiraria e deixaria minha bolsa de moedas no balcão, bem como minha bainha metálica, mesmo com uma impressão estranha eu tentaria confiar naquele homem.
-Espero que fique tudo bem então, voltarei depois para buscar minha bainha, cuide bem dela senhor Sora.
Eu pegaria uma das katanas da área que o homem disponibilizara para mim e sairia da loja, a primeira coisa que eu deveria fazer seria ajeitar a katana que eu havia acabado de conseguir em minha cintura, amarrando seu sageo (Corda) em minha cintura, logo em seguida eu procuraria uma garrafa de vidro que ainda estivesse inteira e procuraria um poço de água doce para encher a garrafa e ao terminar eu poderia então continuar meu caminho, seguindo para o norte em rumo ao deserto escaldante, caso eu encontrasse algum chapéu de bambo no caminho eu o pegaria para me proteger do sol, assim como tiraria o sobretudo e apenas o colocaria sobre os ombros, para evitar calor e para proteger as costas.
Eu apenas seguiria as orientações do vendedor e iria na direção indicada, ao chegar perto de meu objetivo eu primeiramente tentaria subir em uma duana alta e observaria os arredores, para ver se encontrava mais homens ou coisas que poderiam fazer uma confusão maior do que deveria ser, eu apenas estaria lá para dar uma lição naquele homem chamado Valter, se eu não reconhecesse qualquer forma de ameaça ou interferência externa eu procuraria então meu alvo, caso viesse a ter mais homens eu seguiria até esses e ao chegar perto o suficiente para eles dizerem "Pare" eu diria:
-Vim encontrar o senhor Valter, chame-o pra mim, por favor.
Se negassem a chama-lo eu então chutaria a areia do chão na direção dos olhos dos homens, fazendo assim com que eles baixassem a guarda, nesse momento eu sacaria minha espada e com ataques rápidos deceparia e cortaria ao meio todos que pudesse e estivessem perto de mim, caso viesse a matar todos eu seguiria até a casa de Valter e o procuraria.

Caso não houvesse nenhum homem perto da casa de Valter que apresentasse perigo eu procuraria meu alvo, se o encontrasse fora da casa me aproximaria dele, caso não o visse fora da casa seguiria em frente e ao chegar na casa bateria na porta desta.
Se Valter abrisse a porta eu olharia para ele e o encararia sem medo, mesmo se ele já estivesse com uma arma em punhos, antes que ele pudesse falar, ou gritar algo eu levantaria meu indicador, mostrando sinal de que eu falaria primeiro.
-Pare de perturbar a cidade senhor Valter e se quer saber, não, não sou um guarda, mas sim um mercenário, comerciantes me contrataram para os proteger, eu analisei o problema e cheguei na raiz dele, o senhor, estou aqui para resolver o problema, seja com conversa ou espada, eu não quero lutar senhor Valter, apenas peço para que pare de extorquir os mercadores e me devolva parte do dinheiro, para que eu entregue para eles e tenho certeza que ficará tudo bem.
Caso Valter mostrasse qualquer sinal de que iria me atacar eu jogaria minha garrafa de água em sua cara (caso eu tivesse uma), se eu não tivesse nenhuma garrafa eu usaria o cabo de minha katana para acertar seu tórax, isso faria com que ele perdesse a concentração, eu sacaria a espada logo em seguida e bateria com a mune (Parte traseira da katana) em sua garganta, fazendo assim com que Valter recuasse sem ar e então tentaria fazer um corte superficial do peito até a barriga de Valter, o corte serviria mais de aviso e não de ataque, eu esperaria que ele me atacasse novamente, se ele tentasse me socar eu bloquearia o punho com a espada e tentaria fazer um corte em seu bíceps, caso ele tentasse um chute eu saltaria e logo em seguida faria um corte em sua coxa, e caso ele tentasse usar uma espada eu me esquivaria do golpe, se fosse na vertical eu saltaria para o lado, se fosse na horizontal eu me abaixaria e se ele fizesse a sequência eu esquivaria o máximo possível (já que ele deveria ter mais força que eu então tentar aparar um golpe dele seria loucura) até ver uma abertura e realizaria uma estocada em suas costelas do lado direito, o que seria um ferimento bastante grave, que o faria largar a arma, se estivesse usando uma, caso não estivesse ele deveria cair sobre o joelho com a dor, eu então continuaria mantendo minha guarda alta enquanto observaria o próximo movimento de Valter, isso se eu não sofresse alguma intervenção externa.
Caso Valter quisesse conversar eu seria todo ouvidos para o escutar, sempre mantendo minha guarda alta, mas tentando não mostrar agressividade.

Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Aventuras:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Última edição por jonyorlando em Ter 10 Abr 2018, 12:45, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptyTer 10 Abr 2018, 19:30



Deserto Escaldante! O Homem Que Não Dava A Miníma!


O ferreiro apenas dava uma ultima olhada em Julian, não parecia ter muita fé no rapaz, e nem um pouco de esperança de se livrar dessa cobrança sem nexo por parte de Valter. Mesmo assim, Sora dava um sorriso ao ver o homem sair, pegava o dinheiro e guardava em suas vestes, talvez ele estivesse pensando se seria possível que Julian desse um jeito naquilo para ele, talvez ele nunca saiba, mas ter que ficar dando dinheiro para um homem só porque esse homem quer não é motivo para que ninguém fique feliz.

Julian saia da loja determinado, pegava uma garrafa de sakê usada e a enchia com aguá de um barril que achou pelo caminho, sem frescura por sujeira e nem nada do tipo, ele seguia pelas ruas indo para o norte como indicado pelo vendedor, tudo que tinha agora eram as roupas de seu corpo e uma katana conseguida com Sora à pouco tempo. Ele não tinha problemas em andar pela cidade, não demorava até avistar o deserto, era até estranho, uma hora na cidade, dava dois passos e chegava em um lugar sem nada, apenas com areia, uma pouca vegetação aqui e ali e pronto.

Era uma paisagem plana, alguns minutos andando e a cidade ficava para trás, não dava para ver sequer uma construção, apenas um enorme deserto sem fim. De cara, Julian sentia a temperatura aumentar, era estranho como o clima mudava tanto em tão pouco tempo, a capacidade daquela areia de reter calor era absurda, mas totalmente plausível por ser um deserto, não havia uma nuvem no céu, o chão tremia de tanto calor.

O lugar era distante, mas nem tanto, após vinte minutos andando, ele via uma construção, de longe não dava para saber se era a casa de Valter, mas andando um pouco mais, se aproximava e via o próprio, era Valter, estava sentado em uma varanda em cima de uma cadeira de praia lendo um jornal, ao seu lado tinha uma mesa com um copo com uma rodela de limão, talvez seja alguma bebida exótica ou gelada, era estranho ver um monstro daqueles relaxando como se não houvesse amanhã, no lugar não era possível ver mais ninguém.

O espadachim que atravessou uma pequena porção do deserto atrás de satisfação logo soltava sua frase na tentativa de para Valter - Pare de perturbar a cidade senhor Valter e se quer saber, não, não sou um guarda, mas sim um mercenário, comerciantes me contrataram para os proteger, eu analisei o problema e cheguei na raiz dele, o senhor, estou aqui para resolver o problema, seja com conversa ou espada, eu não quero lutar senhor Valter, apenas peço para que pare de extorquir os mercadores e me devolva parte do dinheiro, para que eu entregue para eles e tenho certeza que ficará tudo bem. - enquanto ele falava, o careca sequer tirava os olhos do jornal, parecia muito concentrado lendo alguma coisa. Pouco depois que Julian acabava sua fala, Valter o olhava de canto, dava um sorriso e começava a rir - Puffff. DASHASHASHA. Você tem coragem garoto, enquanto eu escutava essa frase, imaginava alguém poderoso, mas você parece uma criança, vá atentar outro, tenho mais o que fazer. - ele direcionava seus olhos para o jornal novamente e voltava a ler o que quer que estivesse lendo.

Agora, ainda naquele deserto escaldante, o sol começava a afetar Julian com todo aquele calor infernal, não era possível escutar nada além do vento passando pelo chão e soprando um pouco de areia, Valter não dava a miníma para nada e nem ninguém, parecia focado apenas em ler seu jornal e cuidar de sua própria vida. Valter parava de ler, deixando seu jornal encostado na mesa, pegava um cigarro e fumava enquanto encarava o rapaz esperando para saber o que ele faria.

OFF:
 
Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
jonyorlando
Sargento
Sargento
jonyorlando

Créditos : 11
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Masculino Data de inscrição : 15/04/2016
Idade : 20
Localização : Grand Line - 2º rota - Ilha Aracne

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptyTer 10 Abr 2018, 21:25

Ele poderia falar o que quiser, mas não iria me estressar, eu escondido verificaria se na garrafa de sakê ainda haveria o rótulo, em caso positivo eu o arrancaria por completo.
-Parece que tem mesmo o que fazer, aconselharia a passar uma loção nessa careca ou vai ficar queimado. - Falaria essa frase visando o estressar. -Pode até pegar fogo.
Sorriria para Valter enquanto manteria ele sobre minha vista, para poder me preparar caso ele viesse me atacar.
-Andei muito para voltar de mão vazia.
Eu me aproximaria do lugar de onde ele estaria e mostraria a garrafa de sakê para ele.
-Essa bebida é dita como sendo muito forte, a mais forte, diz-se que ela é tão forte que tira todo o gosto de sua boca, me cobraram 200 mil por ela, eu a apostarei com você, se eu ganhar você para de cobrar os comerciantes e vai me pagar 50 mil, se eu perder, ela é sua, vai poder a revender por um valor até mais caro, e ainda poderá continuar cobrando dos comerciantes, e se quiser, eu o ajudo a cobrar, ou melhor cobro pro senhor.
Eu esperaria a resposta do homem, se ele aceitasse eu colocaria a garrafa na mesa e me afastaria da casa, cravaria minha espada no chão, esperando por ele.
Caso ele não aceitasse.
-Ofereço também minha espada, caso eu perca.
Se ele aceitasse agora eu me afastaria da casa e cravaria minha espada no chão esperaria por ele.
Se ele não aceitasse de jeito nenhum então eu jogaria minha garrafa no rosto dele.
-Loção pra careca

Quando ele se aproximasse de mim eu deixaria que ele me atacasse primeiro.
-Primeiro movimento é dos mais velhos.
Caso ele usasse socos eu desviaria, socos de direita eu esquivaria para a esquerda, socos de esquerda esquivaria para direita.
Se usasse chutes baixos eu pularia, chutes altos me abaixaria.
Se usasse armas eu iria esquivar como pudesse.
E sempre depois que ele fizesse um golpe eu procuraria uma abertura e realizaria um corte nos braços ou pernas, para limitar sua movimentação, e se possível usaria estocadas para acertar as costelas, assim caso acertasse prejudicaria ainda mais sua movimentação.
No entanto se ele viesse a me acertar com um soco ou chute e esse viesse a fazer com que eu caísse ao chão eu jogaria a areia em Valter tentando fazer com que está prejudicasse sua visão, se isso viesse a ocorrer eu realizaria um corte rápido em seu abdômen, caso a areia não me ajudasse eu tentaria me levantar novamente e continuar me esquivando e defendendo de ataques vindos de Valter.
Caso meu corte não acertasse eu recuaria e volataria a minha pose se esquiva, defesa e contra-ataque.
Se ele viesse a me acertar com ataques de armas eu no mesmo instante tentaria não recuar e me manter de pé, e quando ele menos esperasse eu enfiaria minha espada entre suas costelas ou em seu tórax e tentaria perfurar um de seus pulmões.

Caso ele avançasse contra mim eu pularia contra ele e tentaria acertar seu ombro direito com minha katana.
Caso ele defendesse com uma arma eu recuaria e esperaria seu próximo ataque para esquivar e atacá-lo logo depois.
Caso ele esquivasse e eu passasse reto eu prontamente pularia para o lado enquanto viraria na direção de Valter e tentaria o acertar com minha espada, caso eu não acertasse eu tentaria fazer uma aterrissagem suave e me prepararia para defender de seus golpes.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Aventuras:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptyTer 10 Abr 2018, 23:52



Julian Passa Dos Limites! A Coisa Começa A Ficar Séria!


O céu que até pouco tempo era ensolarado sem nenhuma nuvem, começava a ser coberto por nuvens escuras, era estranho para aquela região algo assim, mas já não era possível mais ver o Sol pouco tempo depois do início desse encontro entre Julian e o homem. A tensão no ar era grande, Julian não demonstrava medo, mas estava de frente para um monstro careca sentado com as pernas cruzadas de chinelos, usando roupas até que bem surradas e fumando um cigarro.

Julian sem medo começava a mexer com o homem falando - Parece que tem mesmo o que fazer, aconselharia a passar uma loção nessa careca ou vai ficar queimado. - mas Valter não tinha nenhuma reação diante daquilo, ele parecia não dar a miníma para o rapaz. Valter apenas encarava o rapaz que continuava tentando o irritar com suas frases - Pode até pegar fogo. - Valter então resolvia falar algo para Julian, dava um suspiro e dizia - Aaaah. Vai ser difícil me livrar de você, não é? - Julian não se abalava perante o homem falando - Andei muito para voltar de mãos vazias. - Valter voltava a fumar seu cigarro, ele não parecia se importar tanto assim com a presença do rapaz, parecia que para ele não representava ameaça alguma.

Diante da indiferença do homem, Julian resolve criar um plano, fingindo ter uma boa bebida, propões uma aposta, mas o que Julian não esperava era que o homem não dava a mínima para aquilo, apenas respondia com desdenho - Eu não bebo álcool garoto. - Julian oferecia também sua aposta, mas o homem não respondeu, simplesmente encarava Julian sem demonstrar o menor interesse nas propostas do rapaz, parecia que ele só queria que Julian o deixasse em paz.

Julian então vendo que não daria certo nenhum tipo de negociação, já que o homem estava de boa e não teria nenhum motivo para mudar de ideia, decide jogar a garrafa nele com força, apesar de não ter muita mira para esse tipo de coisa, realmente, a garrafa sai voando na direção da cabeça de Valter enquanto ele grita - Loção pra careca. - Valter simplesmente segura a garrafa ainda no ar antes que o acertasse, mas um pouco da água que Julian tinha usado para preenche-lá voa nas vestes e no cigarro de Valter, o apagando, ele coloca a garrafa no chão ao seu lado e responde bem mais irritado que antes, suas sobrancelhas desciam de tanto que ele fechava a cara - Esse é meu último aviso garoto, agora você está me irritando, saia daqui ou você vai ver só. -

O homem joga fora seu cigarro apagado que já estava no fim, pega um esqueiro e acende outro, então tira de trás da cadeira uma katana que estava encostada na parede e a coloca em seu colo enquanto fica lá encarando o homem, tudo que ele queria era seguir com sua vida sentado naquela cadeira e abusando de quem pudesse para poder continuar na facilidade. O que ele não contava era com esse espadachim enchendo sua paciência no quintal de sua casa, era mais do que óbvio para Julian ou qualquer um que visse a cena que aquela fera sentada fumando estava mais do que irritada, um movimento em falso e o homem poderia mostrar sua verdadeira face, quem sabe se ele estava em um dia bom ou ruim, talvez bom já que ainda não tinha partido para cima daquele espadachim que aos olhos dele não passava de uma mosca irritante.

OFF:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!
Voltar ao Topo Ir em baixo
jonyorlando
Sargento
Sargento
jonyorlando

Créditos : 11
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Masculino Data de inscrição : 15/04/2016
Idade : 20
Localização : Grand Line - 2º rota - Ilha Aracne

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptyQua 11 Abr 2018, 13:22

-Não me importo com sua espada, você não mostra ser uma boa pessoa e seu coração pesa mais que ela.
Ao que falaria isso eu andaria até onde ele estaria e o encararia.
-Vou continuar aqui, e vou lutar contra você, não me importo com o que diga Valter.
Eu me aproximaria e saltaria até as barras da sacada, se está tivesse uma, caso não tivesse eu visaria cair em cima da mesa de Valter, ou onde fosse possível ficar o encarando enquanto houvesse espaço para esquivar ou usar minha espada para defesa.
Se o lugar que eu caísse desabasse ou quebrasse eu procuraria ao máximo tentar ficar de pé.
Se Valter mostrasse ação de ataque eu daria um salto para trás, tentando escapar da espada.
Se ele não viesse me atacar eu sacaria a espada.
-Não vou lutar com um homem desarmado, embora mesmo com essa sua espada você ainda esteja desarmado.
Caso ele continuasse sem ligar para minhas palavras eu tomaria impulso e iria em sua direção com minha espada, visando acertar seu peito.
Caso ele esquivasse eu tentaria ao máximo não fincar minha espada na parede, desviando minha espada da parede e usando minhas pernas para segurar o impacto com a parede, eu então tentaria jogar a mesa ou uma da cadeiras na direção de Valter, caso ele esquivasse eu tentaria me aproveitar de alguma abertura e acertaria um corte em seu corpo onde danificasse sua movimentação.
Caso ele defendesse da cadeira ou mesa com os braços eu tentaria acertar uma estocada em suas costelas.
Caso ele cortasse a cadeira ou mesa eu tentaria usar minha velocidade para tentar acertar seu peito.
Caso acertasse algum golpe nele eu recuaria e tentaria manter uma distância segura dele, voltando para perto da mesa ou outras cadeiras, para caso ele avançasse eu as usasse para ganhar tempo.
Se mesmo assim ele conseguisse chegar perto de mim eu tentaria esquivar de seus próximos golpes, mas sempre procurando aberturas para lhe acertar, se ele usasse golpes na vertical eu esquivaria para os lados e tentaria acertar seu peitoral ou seus braços, caso usasse golpes na horizontal eu me abaixaria ou saltaria, dependeria se o golpe seria alto ou baixo, mas se eu me abaixasse eu procuraria tentar acertar suas pernas ou suas costelas.

Caso ele defendesse minha investida eu tentaria usar meus pés para me impulsionar para trás, me afastando dele e dando espaço para que o mesmo demore alguns segundos para me alcançar, caso ele avançasse para cima de mim eu tentaria usar minha velocidade para ir para as costas de Valter e acertar um corte na areia, caso acertasse essa levantaria e iria na direção de Valter, que se não estivesse virado para me acertar viraria para tentar o fazer, caso ele já estivesse virado a areia acertaria seu rosto e prejudicaria sua visão, algo que me ajudaria acertar um corte diagonal que desceria de seu peito e acabaria em seu abdômen, caso ele virasse para tentar me acertar eu mais uma vez usaria minha velocidade para tentar ir para as costas do mesmo e acertar nelas um corte diagonal, caso eu viesse a acertar algum dos golpes eu saltaria para trás, visando ficar de costas para uma queda na areia (procuraria ficar próximo a uma duna, mas no topo dela, para que em minhas costas ficasse a queda e aguardaria seus próximos movimentos, caso ele avançasse para cima de mim eu esquivaria e tentaria fazer com que Valter caísse pela duna, se ele não avançasse eu continuaria com minha defesa alta.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Aventuras:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Fran B. Air
Pirata
Pirata
Fran B. Air

Créditos : 32
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Feminino Data de inscrição : 30/11/2017
Idade : 24
Localização : The Wonderful Land

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptyQua 11 Abr 2018, 20:40



Luta Desafiadora! Vem A Proposta De Valter!


Julian não continuava não temendo e não se importando com as ameaças de Valter, talvez fosse um rapaz inocente e não tivesse noção nenhuma do perigo, talvez soubesse exatamente o que estava fazendo e por isso não temia a morte. O ponto é que ele não recuava apesar de todos os avisos, ele estava determinado a acabar com aquela extorsão que estava ocorrendo por parte de Valter em cima do ferreiro e possivelmente à outros comerciantes locais, a questão era se ele sozinho seria capaz de mudar os ideais pelos quais aquele homem seguia, uma coisa era certa, Valter não parecia ter a menor vontade de parar de fazer o que fazia.

O rapaz se aproximava, tendo uma visão melhor ainda de Valter, apesar de ele estar relaxando sentado, era possível se notar que não era o tipo de pessoa que ficava olhando para o deserto o dia inteiro, seu porte físico era extremamente acima da média, com certeza era mais forte que um humano comum. Julian se aproximava dele falando frases irritantes para tentar abalar o homem ou pelo menos chamar sua atenção, mas ele continuava ignorando as frases, embora sua face ficasse cada vez mais aterrorizante, ele não parecia estar nem um pouco calmo, era como se fosse avançar para cima de Julian a qualquer segundo, mas não o fazia, aumentando ainda mais o clima entre os dois naquele lugar.

Não demorava muito, Julian tinha percebido a pouco que o céu estava escurecendo e já estava tudo escuro, não era algo comum naquela ilha, mas nos últimos dias esse tipo de variação rápida no clima já havia ocorrido algumas vezes. Julian se aproximava e pulava em cima da mesa ao lado de Valter, o homem ainda não tinha nenhuma reação, mas ao subir na mesa agachado para não bater a cabeça no teto da varanda, Julian derrubava o copo onde estava a bebida de Valter, o homem que já estava bravo ficava ainda mais, se é que isso era possível, Valter apenas encarava o homem e ficava esperando para ver seus movimentos.

O rapaz soltava sua frase, mas Valter queria ver o que ele planejava fazer. E realmente, Julian decide ir para cima de Valter, sacava sua katana e tentava cortar seu peito, por um momento até parece que ele ia acertar, mas o homem simplesmente levanta sua katana ainda embainhada e se defende com muita facilidade e maestria dizendo, apesar de toda sua fúria por fora, com uma voz calma - É garoto, você conseguiu, me irritou de verdade. - pegou seu cigarro e jogou longe, Valter parecia estar certo, ele se levantava e Julian mesmo em cima da mesa tinha que olhar de baixo para ver o rosto do homem que ainda se defendia com sua katana.

Notando o perigo eminente, Julian recuava achando que escaparia dos ataques do homem com sua velocidade, mas ele sequer tentava acertar o rapaz, Valter permanecia quieto, vendo o afastamento de Julian, Valter falava ainda normalmente - É assim que vai ser então, hein? - Julian sentia um floco de neve acertar seu ombro, derretendo e aderindo às suas roupas, estava nevando no deserto, era estranho, mas estava acontecendo. Valter não dava a mínima para aquela neve, nervoso como nunca, andava devagar na direção de Julian, desembainhava sua katana e jogava a bainha na janela da frente de sua casa.

Vendo o homem se aproximar, Julian se posiciona e corre para trás dele, enfia sua katana na areia esperando que o homem virasse para arremessa-la em sua face abrindo assim sua guarda e facilitando seu próximo movimento. O que ele não esperava era que o homem ficasse parado sem se virar, Julian então tenta um corte diagonal, ele achava que o homem não poderia se defender, mas Valter simplesmente levanta sua katana por trás e bloqueia com facilidade o ataque de Julian, depois disso se vira para o garoto, dessa vez não parecia mais zangado, até estava com uma feição mais animada, ele fala - Interessante, eu tenho uma proposta para você, um serviço, eu tenho um amigo que precisa de medicamentos, ele mora do outro lado do deserto, mas não posso sair daqui para levar, você é até que determinado, como pode ver, eu sou bem mais forte que você, se levar isso para mim, deixo o velhote do ferreiro em paz, é só seguir reto por aquela direção. - Valter tirava do bolso um saco pequeno de pano com alguns comprimidos e apontava para o leste de onde estavam.

A neve caia sem parar, a areia do deserto começava a ficar humida devido a neve que caia e já derretia pelo calor que ainda reinava no lugar, era uma sensação estranha de calor com o frio anormal da neve que começava a cair no meio do deserto, agora cabia a Julian decidir se ajudaria o homem na esperança de que ele cumprisse com sua palavra ou tentaria ficar e derrotar aquele inimigo praticamente imbatível para pessoas normais.

OFF:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Convidado, consistência é o segredo! Só vai!


Última edição por Fanalis B. Ria em Qua 11 Abr 2018, 21:23, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
jonyorlando
Sargento
Sargento
jonyorlando

Créditos : 11
Warn : Dragonslayer - O olho perdido 10010
Masculino Data de inscrição : 15/04/2016
Idade : 20
Localização : Grand Line - 2º rota - Ilha Aracne

Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido EmptyQua 11 Abr 2018, 21:15

Eu olharia aquela cena com estranheza, eu não saberia como reagir a primeiro momento, olharia Valter nos olhos procurando ver se ele falara a verdade, eu então pegaria o pano com remédios.
-O senhor parará mesmo de cobrar? - Perguntaria de uma forma inocente, ainda que tentasse mostrar um porte sério.
-Eu estudei medicina, se quiser posso dar uma olhada em seu amigo se quiser.
Eu colocaria o pano com remédios no bolso de meu sobretudo, caso Valter aceitasse que eu olhasse seu amigo eu o faria quando chegasse lá, eu embainharia minha espada e olharia para Valter.
-Eu sinto muito mesmo... Por tudo, mas antes que eu parta poderia me dizer o nome de seu amigo?
Eu seguiria para o leste enquanto procuraria o amigo de Valter ou sua casa.
Caso houvessem pessoas que barrariam minha passagem eu avisaria:
-Vim a pedido de senhor Valter, ele pediu para que viesse entregar medicamentos para o senhor (Nome do amigo).
Caso fosse pedido para que eu examinasse o amigo de Valter eu completaria:
-E também o ver, para ver se esses medicamentos são os mais corretos, eu sou um médico e nisso eu posso ajudar.

Se achasse a casa eu bateria na porta falando:
-Senhor (Nome do amigo), fui enviado por seu amigo Valter, para entregar seus remédios.
Caso Valter tivesse pedido para que eu examinasse seu amigo, quando ele abrisse a porta ou quando o encontrasse eu completaria falando:
-O senhor Valter pediu para que eu o examinasse, para descobrir o que você tem, não se preocupe, sou médico.
Se outra pessoa abrisse a porta eu completaria falando:
-O senhor Valter pediu para que eu visse o senhor (Nome do amigo), para ver se eu poderia ajudar em algo, e sim, eu sou médico.

Se Valter não tivesse pedido para que eu examinasse seu amigo logo após entregar os remédios eu me despediria e voltaria ao encontro de Valter.
-Cumpri o que me pediu, espero que cumpra o que disse.
E então seguiria para a vila novamente e então ao chegar na loja do ferreiro diria:
-Cumpri meu trabalho.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Aventuras:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Dragonslayer - O olho perdido Empty
MensagemAssunto: Re: Dragonslayer - O olho perdido   Dragonslayer - O olho perdido Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Dragonslayer - O olho perdido
Voltar ao Topo 
Página 1 de 7Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: South Blue :: Arquipélago Wushu-
Ir para: