One Piece RPG
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 XwqZD3u
One Piece RPG
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Ep 1: O médico e o marinheiro
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Rangi Hoje à(s) 01:56

» O som das ondas é o meu chamado... Adeus, meu filho!
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Subaé Hoje à(s) 01:51

» Cortes e Tiros, resgate na ilha das aranhas!
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Koji Hoje à(s) 01:04

» Pandemonium - 9 Brave New World
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:17

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Kyo Ontem à(s) 21:28

» Razão
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 21:27

» Razão
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 21:26

» I did not fall from the sky, I leapt
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Formiga Ontem à(s) 20:33

» Ato I - Antes da tempestade
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Dante Ontem à(s) 19:52

» All we had to do, was cross The Damn Line, Elise!
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor King Ontem à(s) 19:23

» Vou te comer
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Scale Ontem à(s) 19:19

» Drake Fateburn
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor CrowKuro Ontem à(s) 17:06

» I - Justiça: Um compromisso obstinado!
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Hammurabi Ontem à(s) 16:01

» A HORSE WITH NO NAME
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Skÿller Ontem à(s) 14:40

» Vol 2 - The beginning of a pirate
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor GM.Milabbh Ontem à(s) 13:58

» O que me aguarda em Ponta de Lança? Espero que belas Mulheres, hihihi
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor GM.Muffatu Ontem à(s) 11:09

» Steps For a New Chapter
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Achiles Ontem à(s) 10:14

» Um novo recruta: o nome dele é Jack!
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor Arrepiado Ontem à(s) 08:30

» Em Busca do Crédito Perdido
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor PepePepi Qui 04 Mar 2021, 23:55

» A Ascensão da Justiça!
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Emptypor CaraxDD Qui 04 Mar 2021, 23:28



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 9 ... 14  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 77
Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : Fishman Island

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyQui 29 Mar 2018, 13:50

Relembrando a primeira mensagem :

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) piratas e civis Asken Kanogan, Helves, Kryn Nerelin e Bruce Chaos Sun. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Punk
Pirata
Pirata


Data de inscrição : 01/07/2013

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyDom 29 Abr 2018, 16:07



Love is more Punk than Punk


Analisaria um pouco o local enquanto responderia a Elisabeth, sempre com calma então diria: " - De volta ao início, malditos marinheiros." Estava sem minha espada, acreditava que ainda poderia fazer muita coisa apenas com os punhos. " Até que posso me virar bem, mas não sei se conseguirei torturá-los só com as mãos." Olharia para Bruce então responderia: " - Certo, se a coisa ficar feia conto com você." O macaco estava atrás do dinheiro, não me irritaria ou repudiaria sua decisão, pois cada um tem suas prioridades, então diria aos soldados. " - Eu nunca entendi a marinha, porque tudo o que você faz na vida, cada escolha que faz, tem uma consequência. Quando faz coisas sem pensar não está escolhendo nada, está sendo escolhido." Colocaria um sorriso diabólico, pois naquele momento acharia que valeria a pena, pois eles acabavam de ser escolhidos pelo diabo. " - Ou seja, estão sendo escolhidos para visitar o inferno!! Eu farei meu melhor para que isso aconteça." Havia mais duas pessoas junto com a gente, não sabia ao certo o que eles queriam.

Um deles falava sobre Justiça, não acredito nela, ela é falha. " Isso nunca existiu e nem vai existir." Eles procuravam algo, diferente, irritados talvez, tanto faz eram inimigos dos meus inimigos. Queria analisar as coisas parecia que ia ser divertido, meu movimento inicial era esperar. Sussurraria para a linda garota de cabelo rosa. " - Estou sem minha espada então vamos dessa vez fazer as coisas um pouco mais pensada. Me de cobertura se eu precisar, daquele jeito sem dó do adversário gata." Se a resposta dela fosse de confirmação então continuaria a colocar minha decisão em pratica. Meus movimentos se baseariam na paciência e na calma, de acordo com os movimentos dos marinheiros ou das pessoas ali presente. " Um banho de sangue vai rolar por aqui, quem será que vai dar o primeiro passo." Se os marinheiros vierem a atacar alguns dos outros ali presente estaria preparado para um contra-ataque baseado na esquiva do possível aliado. Caso ele consiga se esquivar do golpe do adversário então investiria no momento da esquiva do mesmo atacando de surpresa com um forte soco no rosto do meu oponente. " - Surpresa!!!" Contaria com Elisabeth para fazer o mesmo para caso o segundo marinheiro vim atacar.

Mas caso o marinheiro venha atacar alguém ali presente e o mesmo consiga bloquear, eu aproveitaria para tentar agarrar o mesmo pelas costas e o seguraria enforcando. " - Fique feliz, não é o primeiro marinheiro que morre hoje." Continuaria enforcando o mesmo, se ninguém aproveitasse a situação para golpeá-lo iria tentando quebrar o pescoço do mesmo. Caso o segundo soldado vier a atirar com sua arma, então me viraria e usaria o meu inimigo como escudo. Queria ouvir o estralo do pescoço do mesmo quebrando e iria adorar muito isso. " Talvez eu possa pegar essa arma e usar a lâmina como uma espada, o princípio é quase o mesmo." Pensaria independente se minhas ações desse certo ou não.  

Também ficaria atento para disparos, tentaria me esquivar dos tiros, então iria me aproximando, nunca em linha reta. Caso consiga me aproximar de alguns deles, assim que ficasse próximo tomaria cuidado, pois poderia mudar sua forma de combate para a lâmina. Então observaria seu movimento, sendo um disparo na altura do peito me abaixaria e aplicaria um gancho na sequência. " - Hoje não." Sendo algo na altura da perna, pularia e daria um chute em sua arma numa tentativa de fazer com que o mesmo a deixe cair. Assim que caísse no chão, aplicaria um soco em seu peito, caso ele bloqueie então daria uma cabeçada em seu nariz. " - Não esperava por isso." E depois ficaria em guarda, atento para possíveis esquiva se preciso.

Caso as pessoas não esteja entendo nada então apenas diria, sempre demonstrando ser uma pessoa calma e utilizando da minha voz encantadora. " - Olha, não me leve a mal, temos inimigos em comum, não sei o que vocês buscam, porém podemos todos saírem felizes daqui?" Uma pausa e um suspiro então voltaria a falar. " - Você pode ter o que busca, podemos ajuda-los e eu e ELisabeth matar o máximo desses caras possíveis, até porque decidi ajudar o Bruce a torturar um tal de Gokudera e com certeza seu povo macaco terá sua terra de volta. Então não pretendo morrer aqui." Esse sou eu quando colocava uma coisa em minha cabeça, dificilmente mudaria de ideia. Estava decido a gente tem um contrato, ou quem sabe Bruce sem perceber tinha feito um pacto com Diabo.

Se por algum motivo eu consiga entrar no local primeira coisa que eu faria era olhar tudo calmamente, se tivesse muitas pessoas então apenas diria: " - Quem vai ser o primeiro a morrer." No caso de ter apenas o velho eu então falaria: " - Caramba, olha que incrível não é só eu que quero te matar." Me colocaria em posição de defesa e ficaria esperto para me esquivar de ataques possíveis, ou bloquear golpes dos inimigos. Tendo exageradamente uma quantidade de pessoas também falaria em voz bem alta. " - Ei Bruce, já achou o que procura? Digamos que sua ajuda aqui possa ser necessária." No intuito de deixar o macaco alerta.


Histórico do Punk:
 


Objetivos:
 


Última edição por Punk em Qua 02 Maio 2018, 20:42, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alê
Narrador
Narrador
Alê

Créditos : 2
Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 21
Localização : Farol - Grand Line

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyTer 01 Maio 2018, 23:06



NARRAÇÃO

A Entrada


— Hey mortais a sua justiça é apenas uma vingança humana, como a vingança é a justiça de humanos em um mundo selvagem. Vocês não possuem capacidade para reconhecer uma justiça. Helves, procure aos arredores e invada todas as construções possíveis. Eu vou olhar se o imundo mortal que pegou a Aya está sendo protegido por esses mortais. Então querem descobrir o motivo do fim só existir para aqueles que não conhecem o recomeço? — bradou Asken.

Em um misto de sentimentos e achismos, o negro ordenava que Helves vasculhasse o local, coisa que ela fez.

— Vou dar uma olhada nos arredores então! — afirmou ela.

A garota então ia em direção as latadas de lixo, enquanto seu irmão afrontava os marinheiros. Todavia, ali também estavam Kryn, Bruce e Liza. O macaco optava por procurar o saco de dinheiro que imaginava estar por ali, deixando o seu recém-conseguido parceiro ali com sua dama, que não demorou muito, para optar por procurar também.

— Vou dar uma olhada no local também! Segura as pontas! — afirmou Liza.

Dando um beijo rápido, porém sensual, a garota rumava até as grades, local onde estava Helves. Com receio de ser atrapalhado, Bruce partiu. Chegando primeiro que Helves, o macaco começou a derrubar os latões e rasgar todos os sacos, coisa que a garota fez após chegar no local com alguns segundos de atraso. Saco por saco Bruce podia sentir os mais variados odores, desde alimentos podres, até papel e um curioso odor de peixe fresco.




Enquanto isso, em frente ao local, os marinheiros se viam ameaçados por Asken e Kryn, que aparentavam enfrentar os oficias, mesmo após os mesmos afirmarem para saírem, quase que um alerta.

— Eu nunca entendi a marinha, porque tudo o que você faz na vida, cada escolha que faz, tem uma consequência. Quando faz coisas sem pensar não está escolhendo nada, está sendo escolhido. Ou seja, estão sendo escolhidos para visitar o inferno!! Eu farei meu melhor para que isso aconteça! — sorriu Kryn.

Os oficiais se mostravam intimidados com a situação, porém mesmo titubeando ensaiavam um possível combate ali. Asken sacava a carabina que havia conseguido anteriormente e a preparava para usar como uma arma de corte e estocada, mantendo ambas armas em mãos. Encarando ambos os marinheiros, visto que o outro rapaz se mantinha parado até então, Asken optou por testar sua santidade perante aqueles humanos.

Tendo em frente ambos os marinheiros, o rapaz optou por atacar o da esquerda, primeiramente, que rumava ensaiando um golpe com a lâmina da carabina. O rapaz com sucesso esquivou do golpe inicial, porém, arriscando, o marinheiro optou por deixar o braço esquerdo de Asken mais propício para o golpe, o que acarretou o seu erro por ser destro. Aproveitando-se dessa brecha, o marinheiro com uma investida, conseguiu afastar o espadachim algumas passadas para trás, o que seria a brecha ideal para o ataque do segundo marinheiro, que iria desferir um disparo certeiro em Kanogan, caso ele não tivesse sido rápido o bastante para disparar com antecedência. Sem a habilidade correta, o disparo era feito e isso assustava o outro marinheiro, que errava o disparo por pouco, acertando o ombro do negro de raspão.

— Surpresa! — bradou Kryn.

Surpreendentemente Elizabeth surgia atrás do oficial atirador e, golpeando-o na região posterior das pernas, mais precisamente das coxas, a garota obrigava o oficial a ajoelhar-se com o sangue escorrendo por seus membros inferiores. Vendo que o pessoal recém-chegado demostrava ter controle sobre a situação, Asken optou por prosseguir até o interior do local, porém antes Kryn optou por conversar com o mesmo.

— Olha, não me leve a mal, temos inimigos em comum, não sei o que vocês buscam, porém podemos todos saírem felizes daqui. Você pode ter o que busca, podemos ajuda-los e eu e Elisabeth matamos o máximo desses caras possíveis, até porque decidi ajudar o Bruce a torturar um tal de Gokudera e com certeza seu povo macaco terá sua terra de volta. Então não pretendo morrer aqui! — afirmou.

Sem entender, Asken apenas ouvia e seguia. O negro estava determinado a conseguir entrar e recuperar sua aliada, custe o que custar. Vendo que o marinheiro restante planejava atrapalhar o negro, o rapaz aproveitou a brecha na atenção e, puxando seu braço, lhe deu uma cabeçada no nariz, o que fez sangrar quase instantaneamente, respingando no rosto do espadachim.

— Esse é meu! — bradou Lisa saltando por trás.




Perto da construção, Bruce então utilizou dos latões e de sua boa habilidade em escalada para saltar as grades. Durante este salto, o macaco pode perceber que próximo a última antes da porta, havia uma alavanca e dois botões, um vermelho e outro verde. Pousando no outro lado da segunda grade, o macaco pegou uma vassoura que avistou próximo a um pequeno balde lá e preparou-se para um possível embate. Da posição que o macaco estava, ele pode ver que Helves cansada de procurar, voltou a entrada do local. Observou também que haviam portas que abriam as grades, porém não havia qualquer mecanismo próximo a elas. Observando pela porta, o macaco observou que haviam dois homens com jalecos e óculos, andando de um lado a outro. Ao adentrar no local, o macaco logo esbarrou em um dos homens, falhando totalmente no que tocava ser discreto.

— Segurança! Socorro! Intruso! — bradou o homem.

Não demorou muito tempo e quatro marinheiros chegavam cercando Bruce. Um dos aparentes cientistas, pois no jaleco dizia isso, logo apertou um dos botões, de cor vermelha, travando a porta, impossibilitando que o macaco pudesse voltar de onde veio. Ao fundo, havia diversos papéis com fotos das mais variadas espécies, minks, celestiais, humanos, tritões, porém em destaque estava uma, sirenas. Com um grande círculo vermelho, a foto de uma curiosa sirena era destaque naquele quadro. Os homens não portavam armas de fogo visíveis, porém todos portavam espécie de cassetetes de metal que vinham como um fio até a cintura deles.




— Infelizmente não achei nada! — falou Helves.

De volta com Asken, a garota agora observava o rapaz agir. Tentando entrar no local, o negro conferia que a porta frontal estava fechada. Sem possibilidades de entrar o negro se via impedido de adentrar, até que como uma sorte, a mulher que acompanhava Kryn arremessava um certo objeto.

— Acho que isso serve! — falou Lisa.

Arremessando as chaves encontradas nos bolsos de um dos marinheiros, o negro se via possibilitado de entrar com Helves. Ao fundo ambos podiam observar um “batalhão” chegando, coisa que foi atraída pelo marinheiro anteriormente. Vendo isso, Lisa deixou o serviço por terminar e puxou logo Kryn para o interior do local, onde entraram os quatro. No interior, o grupo podia avistar algumas prateleiras de livros, além de uma grande mesa com frascos e uma maleta. Além disso, haviam dois aparentes cientistas e quatro marinheiros cercando uma parede ao longe. A noroeste da sala havia uma porta trancada.

— Mais intrusos! Vou chamar reforço! — bradou um os cientistas entrando na porta que travou.

Mapa situação:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Punk
Pirata
Pirata
Punk

Créditos : 13
Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 01/07/2013
Idade : 29
Localização : No barco

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyQua 02 Maio 2018, 20:42



Love is more Punk than Punk


Kryn conseguia junto com os outros entrar no lugar, observava algumas prateleiras com livros, uma mesa com frascos, uma maleta e não menos importante tinha um batalhão chegando. " Cientista, esse lugar deve ser algo importante, bom agora tenho essa arma, tentarei usar a sua lâmina." Mediante a situação me manteria calmo e tentaria analisar a melhor possibilidade, porém algo me chamava atenção. Uma sala estranhamente trancada por pessoas que devem ser importantes. "Seja lá quem ou o que estiver naquela sala, dever ser muito importante para ambos os lados. "pensaria. Com isso colocaria em sua cabeça que deveria ajudar, tanto o negro quanto a outra mulher, só que não sabia como, caso algum deles peça para não matar algum dos adversários ali presentes então responderia. " - Certo, é todo seu!!!" Na sequência falaria com a garota de cabelos rosas. " - Elisabeth, sem morte a esses que eles estão pedindo, foco nos outros. " Falaria em um tom agradável e amigável. " Cada combate que passa, eu vou adorando mais isso. Lutas, Sangue e Matança."

Kryn encararia os seus adversários, levando até mesmo uma das mãos até o queixo. Raciocinaria sobre o que poderia fazer ali. A bem da verdade, não tinha nenhuma estratégia, sabia que o havia um batalhão vindo, mas não sabia como fugir dele. " Até quando isso irá durar, é excitante, mas cansativo." Bom Bruce tinha entrado por outra porta, pensaria se ali poderia ser nossa saida, toda aquela diversão estava começando a ficar perigosa, mais excitante e sangrenta. A pouco tempo atrás o homem negro havia encarado o marinheiro e sua companheira também parecia estar pronta para o combate, não sabia ao certo se toda essa confusão era culpa minha e de Lisa. Me agradava estar na presença de pessoas como eles, me divertia apesar de talvez não sentirem o mesmo que eu pelo combate, então diria as mais sinceras palavras. " - Apesar de não conhecermos muito bem, vocês são divertidos!!!" Uma pausa então antes de partir para cima do meu oponente, voltaria a falar. "- Tentarei fazer o melhor para que os nossos inimigos não atrapalhem no que vocês buscam aqui."

Assim contava com a garota para atrapalhar o plano dos homens da lei, ao máximo possível e claro tirando algum que alguém ali presente queira vivo, o resto se possível mataríamos. "- Bem, é o seguinte divirta-se gata. Tirando o que eles querem o resto podem virar defuntos para ir para a cidade dos pés juntos." Diria com sua voz penetrante para Elisabeth, com isso partiria para cima dos meus adversários. Caso antes de sair em direção algum dos inimigos tentasse acertá-lo com um golpe, se agacharia caso o golpe fosse em horizontal acima da cintura, e saltaria por cima do golpe - tomando cuidado com a cabeça e até mesmo dobrando o pescoço para a frente para não se bater em nada - caso ele fosse abaixo da cintura. Caso fosse uma estocada ou um ataque vertical, daria um passo para o lado ou usaria a arma que peguei para apenas bloquear. Caso fosse um ataque em diagonal, daria um passo para trás e veria a direção em que o golpe estaria indo, para que pudesse dobrar a cintura na mesma direção que o golpe, e, assim, se esquivar dele. Uma vez tendo esquivado do ataque tentaria acertar o oponente com um soco em cheio no seu rosto. Acertando eu continuaria com um outro soco forte só que agora na garganta do soldado de chumbo e rapidamente tentaria passar a lâmina a qual se encontra na arma para furá-lo.

Caso o oponente esquive do meu soco, sendo uma esquiva para baixo, logo na sequencia daria uma cotovelada no mesmo com toda minha força. Rapidamente faria um movimento com minha perna chutando o mesmo no rosto. Mas se o oponente defender meu primeiro soco e a gente ficar num impasse então, daria uma joelhada no mesmo, tentando atingir sua barria e logo na sequência com dois dedos, tentaria furar seus olhos para uma vantagem futura. " - Mais um inseto nojento disposto a morrer." Falaria para meu oponente e encararia toda aquela situação a qual a gente se encontrava com muita calma.

Ao fim das ações dando certo olharia quantos oponentes ainda tinha, se alguém ali precisa de ajuda e como estava Beth. Ao menos, o local com aquela prateleira de livros também me chamaria muita atenção. Só não saberia se teria tempo para dar uma olhada em algo, ficaria atento a possíveis disparos de armas para me esquivar ou esconder em algum local. " Droga acho que não temos muito tempo, para variar ainda estou sem minha espada e Bruce sem o seu bastão." Analisando a situação atual, também não sabia o nível de combate dos outros dois e era esses mistérios todo que deixava as coisas ainda mais divertida. " Pena que eles provavelmente é quem irão se divertir com o velho. Queria muito quebrar os ossos dele, bem devagar, cada osso um grito de dor."

Histórico do Punk:
 


Objetivos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Kiodo
Honorário
Honorário
ADM.Kiodo

Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 16/12/2010
Idade : 27
Localização : Crtl + F - Depois digita ADM.Kiodo

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyQui 03 Maio 2018, 13:48

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] Post: 09 - Fala ’Pensamento’
Under an Ancient Dragon!

O grupo se reunia para o embate e o deus conseguia notar claramente que seu corpo não respondia com o seu funcionamento adequado e com isso o negro acabou sendo ferido no ombro, sendo que o casal estranho ajudava o negro, apresentando a Liza e dizendo sobre um tal de Bruce. ’Presumo que seja o macaco.’ E o casal conseguiu terminar com aquela rápida batalha. Helves não encontrava nenhum sinal de Aya, assim o grupo adentrava naquela construção, enquanto estavam sendo perseguidos por um batalhão que chegava para formar reforços. Com as chaves em mãos, o negro em seguida trancava a porta do local que entrava. Imaginando que ganharia o mínimo de tempo contra aquela batalhão. ’Um cientista… Será que este homem sabe fazer uma escotilha?’ O espadachim pensava sobre o plano de criação de seu futuro barco, visava tentar utilizar aquele cientista como um apoio para a criação de uma engenhoca. - Deixem o cientista vivo… Talvez ele possa ser útil. Rapidamente tomou a frente e em tom alto e firme bradou o deus para todos que estavam ali presente. Em seguida o jovem humano de cabelos negros falava que ajudaria o deus, algo que o fazia esboçar um sorriso fechado. - O que eu busco é punição para aqueles que tentar machucar uma das minhas demônias. De uma forma um pouco confusa e filosófica, respondia Asken de forma rápida e singela e ao final de sua sentença, um sorriso psicótico voltava a esboçar em sua face.

Empunhando a carabina com a mão direita, dava um disparo visando atingir um dos marinheiros e em seguida jogou a arma para a celestial de modo que seja fácil da mulher agarrar e que fique entendido que Asken queria que a mesma a guardasse. Seguidamente foi em disparada do primeiro marinheiro a esquerda, usando o cientista que estava a sua frente como um escudo para a linha de disparo do inimigo, entretanto visava em não entrar na linha de disparo da sua companheira deixando um visão diagonal bem aberta para ela. No momento em que o espadachim chegar próximo ao cientista, daria um passo largo para o lado direito do mesmo para desviar e em seguida avançou o mais rápido que conseguiu tentando executar uma forte estocada no tórax do seu adversário, empunhando a sua espada com ambas as mãos. ’Conheça o seu recomeço, mero humano.’ A mente do negro consentia as palavras de Lusacan, o deus que estava preso em um corpo humano. Posteriormente a estocada visava em dar um forte chute com seu pé direito, visando arremessar aquele primeiro marinheiro contra o que estava mais atrás dele uma forma de tentar ganhar um pouco mais de tempo.

Caso se algum momento o deus for alvejado por disparos visava tentar usar a lâmina da espada para bloquear os disparos, mesmo que não conseguir evitar de forma completa contra seu corpo, visava fazer de um maneiro que não viesse a atrapalhar ainda mais a sua movimentação. Caso a estocada inicial não tiver êxito, o deus tentava continuar seu avançando abaixando a lâmina de sua espada e quando chegar novamente em um combate curto virava o fio da lâmina para cima e visava aplicar um golpe de baixo para cima na vertical, tentando atingir o máximo do corpo possivel do marinheiro.




Histórico:
 

Informações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


[Você precisa estar
registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ryoma
Super Nova
Super Nova
Ryoma

Créditos : 100
Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Feminino Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 22
Localização : hell

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyQui 03 Maio 2018, 14:21



나는 너를 정말로 사랑해

Tudo se resumia ao interior daquela construção. Aya não estava em lugar nenhum e só restava entrar ali e encontrar a sirena o mais rápido possível, derrotando qualquer um pelo caminho. O tal Bruce ia pela porta de trás e após a derrota dos marinheiros os quatro conseguiam entrar pela frente, dando de cara com quatro marinheiros e dois cientistas. – Droga, mais reforços. – Dois deles tinham conseguido chamar ajuda e uma delas estava a caminho, deixando Helves preocupada com a situação em que eles estavam entrando. Um dos cientistas entrava também estava partindo para chamar ajuda e no caminho até ele existiam os marinheiros, impossibilitando qualquer ação desesperada. – Ela só pode estar ali. – Iria recarregar a carabina caso estivesse descarregada ou apenas pegaria uma das pistolas já prontas para o combate. – Vou cobrir essa área, terminem isso rapidamente. – Helves primeiramente daria uma olhada no cientista que Asken queria.

O combate contra os marinheiros era mais importante do que entrar na sala, pois tinham que terminar a luta de maneira rápida e partir daquele lugar. Helves não entraria na luta, ficando de uma distância segura enquanto se aproximava lentamente do cientista e mirava com ambas as pistolas os alvos, a esquerda estaria mirando no cientista que seria mais um refém e algum dos marinheiros também estaria na mira da pistola na direita. A qualquer sinal de fraqueza ou distração dos guardas ela retiraria a mira do cientista e usaria ambas as pistolas para executar disparos contra os marinheiros, visando o tronco, pernas e braços deles. As balas poderiam servir de distração e ajudar o combate dos outros três, mas Helves queria mesmo acertar um tiro ou talvez dois, só não estava completamente focada nisto e preferia ser um suporte no combate.  Após sua parte ser feita ela se voltaria ao quadro com todas as informações, observando em detalhes cada coisa e guardando na cabeça tudo.

Aya estava ali. Na realidade era uma foto dela, mas isto já fazia a garota se alegrar um pouco com aquela situação. – Desgraçados... – Sem paciência para a situação ela iria tranquilamente realizar um disparo com a carabina na perna direita do homem, diminuindo sua mobilidade e impedindo qualquer tentativa de fuga. – Cadê ela? – Com velocidade pegaria a foto de Aya que estava naquele quadro e esfregaria no rosto dele. – Fale logo! – A fúria no olhar da celestial não podia ser controlada. Helves tinha passado dos limites ao ver todas aquelas informações. Todas aquelas fotos de diversas raças diferentes com sirenas em destaque, nada poderia incomodar a garota mais do que isto. "Somos apenas diferentes, ninguém aqui é material de estudo desses idiotas." Sem a presença de Asken ao seu lado ela já teria perdido a cabeça, fazendo algo que não gostava e nem queria, mas estava prestes a chegar neste ponto. – Sorte sua o meu irmão precisar de ti. – Levar aquele homem como refém seria algo importante dependendo do quão habilidoso ele era. No caso do combate ainda não ter sido finalizado a celestial usaria o cientista de escudo, ficando por trás dele enquanto segurava ambas as mãos do mesmo para trás.

A qualquer momento da luta a jovem usaria de saltos, corrida e impulsos para escapar de qualquer tipo de golpe, tomando cuidado para não ser acertada. A movimentação do corpo também seria algo interessante de ser usado, abaixando ou saltando, talvez apenas tirar o ponto alvo da linha de ataque. Helves bloquearia com as machadinhas ou pistolas em momentos que fosse preciso e se nem mesmo um bloqueio ajudasse, buscaria receber os ataques em pontos menos complicados e que pudessem ser tratados de maneira simples após o combate. Em último caso Helves sacrificaria o braço esquerdo em algum bloqueio onde suas armas não estivessem no alcance, recebendo todo o dano no braço na esperança de não perder a movimentação no mesmo.

Por fim a garota ficaria próxima do cientista, estancando o sangramento dele com pedaços de pano do jaleco, fazendo um curativo temporário enquanto dizia. – Abra aquela porta. – Pegaria uma das pistolas com a mão direita e brincando um pouco com ela atiraria ao lado dele, no chão. – Vocês estão com ela, sei disso. – Aya poderia estar sofrendo algo dentro daquela sala e nada impediria Helves de ajudar sua amiga. Nem mesmo o batalhão que estava se aproximando. A celestial lutaria contra tudo e todos para salvar Aya. "Estou chegando..." Helves ainda não estava pronta para perder um companheiro. Ela ainda não tinha notado o quão apegada estava com a sirena, mesmo sendo complicado se aproximar de outras pessoas ela encontrou algo parecido com o que sofria ao conhecer Aya. Sem ela o grupo não seria a mesma coisa. "Essa ilha esta acabando com a minha mente, precisamos sair logo após roubar o banco." Fugir da ilha não era um plano, mas sim a certeza que ela tinha. Após tantas confusões eles estariam sendo perseguidos pela marinha até mudarem de ilha, onde ninguém os conheceria facilmente e daria para passar algum tempo tranquilos antes da Grand Line.

Histórico:
 
Objetivos:
 
Informações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Chaos
Designer
Designer
Chaos

Créditos : 9
Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 23/10/2011
Idade : 28

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyQui 03 Maio 2018, 23:07

Bruce recuava logo após esbarrar com um dos desconhecidos dentro do local. O macaco arregalava os olhos e cerrava os dentes, com o cabo de vassoura em punho amaldiçoando sua própria tolice em tropeçar em um dos únicos dois seres vivos presentes na sala.

”Por Hanuman! Que idiota, como não vi esse merda no meu caminho!? Tsc, já estão chamando reforços e estou sozinho aqui dentro, preciso escapar e me reunir com Kryn”

Um dos cientistas havia alarmado os marinheiros e novos adversários surgiam. O símio sabia que não duraria sozinho contra vários oponentes, precisava do seu aliado, afinal aquela invasão era apenas para reconhecimento e não para derrubar o prédio. Entretanto, o pior acontecera: a rota de saída de Sun fora bloqueada. De relance o primata avistou um dos pesquisadores apertar um botão na parede e logo soube qual fora o desgraçado que o colocará em tamanha merda.

Chaos logo assumia posição de combate. Estava encurralado em um canto daquele salão e os marinheiros o cercavam, prontos para mais uma vez subjugá-lo. O sangue do símio fervia e sua mente se tornava nebulosa, ele lembrava do seu tempo de escravidão e preparava-se para lutar até a morte para evitar voltar a tal inferno, afinal a fuga não era mais possível.

- Vou matar todos vocês seus merdas! CÁÁÁ - o grito esganiçado de Sun era um misto de fúria e desespero. Porém algo com que o macaco não contava ocorreu: mais alguém adentrara no recinto e o primata prontamente reconheceu a voz dos invasores. Kryn e Liza.

A mesa estava virando a favor de Bruce e aquilo o ajudara a recobrar a calma e manter seus pensamentos coerentes. Agora estava em vantagem e iria usar aquilo para tirar proveito da situação

- MACACACA se fuderam otários. Seu merda que fechou a porta, eu vou socar teu saco até tuas bolas saírem pela boca !!! - E assim partiria ao ataque. Durante todo o combate Sun se manteria atento aos inimigos, evitando que estes o rodeassem por completo, usando o espaço limitado a seu favor. Também escaparia das investidas dos oponentes com passadas e esguios laterais, a não ser que sofresse um ataque na horizontal o qual buscaria escapar com rápidos recuos ou agachamento, caso não fosse possível recuar.

O primata atacaria usando seu bastão feito de cabo de vassoura. Utilizaria seu alcance médio e aptidões acrobáticas para realizar cambalhotas utilizando a parede para efetuar ataques variados, principalmente na diagonal e estocadas. Iria investir com um ataque diagonal descendente mirando a cabeça do inimigo mais próximo, acertando ou não seguiria com um estocada tentando atingir a virilha do alvo e finalizaria independente do resultado dos golpes anteriores com um golpe em arco horizontal mirando no rosto do marinheiro e em seguida faria um salto para trás. Se precisasse interromper seus ataques para realizar alguma defesa, Bruce logo retomaria a ofensiva assim que se defendesse, continuando a sequência planejada.

- Kryn!!! Vamos acabar com esses desgraçados e tocar fogo nesse prédio maldito. Eles estão fazendo pesquisas em prisioneiros, olha esse quadro !! Poderia ser eu!! E não achei o velho com o saco, bastardo veloz!! - Bruce gritaria, deixando claro a Kryn sobre sua situação.

Objetivos:
 

Informações:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Cadetblue - Fala
Darkseagreen- Pensamento

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Voltar ao Topo Ir em baixo
Alê
Narrador
Narrador
Alê

Créditos : 2
Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 21
Localização : Farol - Grand Line

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyDom 06 Maio 2018, 13:51



Narração

Não sei o que colocar aqui. Sorry!


A situação se mostrava complexa para todos os invasores. Elisabeth e os demais avistavam que em certo tempo, que não sabiam exatamente, um reforço de marinheiros chegaria no local, então todos estavam contra a parede e, literalmente, contra o tempo. Além disso, Bruce se encontrava em uma situação difícil, principalmente por ter tido o azar de não conseguir disfarçar sua chegada no loca. Um erro amador? Talvez, mas o que esperar de um macaco burro e louco, que apenas é bom e bater e chutar bundas? Tudo dentro da normalidade.

Os seguranças, ao notarem a chegada de mais quatro aparentes inimigos e o alarde todo do cientista que não fazia nada além e fugir, deixando seu colega para trás, separavam-se, para sorte do macaco. Três deles partiam para fazer frente ao grupo recém-chegado, enquanto um deles ainda enfrentava Bruce, porém temeroso. Asken de maneira astuta, analisava a situação, assim como os objetivos que ele teria para aqueles humanos, ou pelo menos um deles. Pensando já no bem próprio, o negro ordenou, de maneira perceptível, que deixassem o cientista vivo.

— Deixem o cientista vivo. Talvez ele possa ser útil! — afirmou ele.

As palavras dele eram sérias. Salivando mais que o normal, o fraco cientista sentia-se mais tranquilo, porém só de imaginar a sua utilidade o arrepiava por completo. A intimidação do espadachim afetava o fraco homem de maneira que ele tremia mais que vara verde. Kryn, por sua vez, durante toda essa cena inicial, pensava consigo mesmo que agora podia ser mais ativo na luta por estar portando a arma de fogo com a lâmina em seu cano, que poderia ser usada como arma de corte, a qual estava acostumado. Ouvindo as palavras de Asken, não se mostrou contrariado, apenas concordando em ajudar o negro.

— Certo, é todo seu.  Elisabeth, sem morte a esses que eles estão pedindo, foco nos outros! — alertou Kryn.

— Não pense que farei isso porque ele mandou... — gaguejou um pouco a garota.

Incomodada com o fato de estar sendo intimidada pelas palavras de Asken, Lisa acabou por obedecê-lo, mesmo que indiretamente. A garota, agora mostrando-se mais ativa do que furtiva, pegava sua adaga e, posicionando-a a sua frente, flexionando só joelhos, ela se mostrava pronta para combate, ao lado de seu amado espadachim. Gostando do que via, Asken sorria tão profundamente que era até confuso para qualquer um que conseguisse notar a felicidade presente naquele rosto sério e amargurado.

— O que eu busco é punição para aqueles que tentar machucar uma das minhas demônias! — afirmou.

Durante toda essa interação, Helves carregava sua carabina, que conseguia dar dois tiros antes de ser carregada novamente. Vendo o cientista que seu irmão almejava e o possível local onde sua amiga Aya poderia estar, a garota então focava em uma missão individual, auxiliando o restante na situação. Sacando sua pistola, a garota tentou se aproximar do cientista e assim tentar o colocar na mira de sua arma, mas rapidamente os “seguranças” se movimentaram. Formando uma espécie de parede, eles se colocaram a frente do cientista, que mesmo nervoso, tentou se aproximar da porta pela qual o outro passou, mas acabou tropeçando e batendo sua testa no botão verde, que abriu a porta. Zonzo, o alvo de Asken tentava se erguer.

Iniciando realmente o combate, Asken disparou contra o marinheiro que, mesmo o atingindo de raspão, o distraía. Rapidamente arremessando a arma para Helves, que sem pensar duas vezes, aproveitando-se da distração causada por seu irmão, disparou contra os marinheiros. Abrindo brechas para Asken, acertando dois dos marinheiros, a garota atraiu a atenção para si de ambos inimigos. Os três disparos feito pela garota, após Asken disparar uma vez, fizeram dois ferimentos, um em cada marinheiro. Um disparo no ombro e outro na coxa. Tal ação abriu a brecha necessária para que Asken conseguisse pegar o homem, ainda grogue, o golpeasse com uma estocada no abdômen e o usasse de escudo, porém o negro avistou sua irmã sendo ataca pelos dois inimigos. Um deles mais lento que o outro.

As armas dos seguranças estranhamente emitiam um certo estalar rápido e compassado que, ao acertarem a parede, após a celestial esgueirar-se, queimou um pouco o local. Sem saber do que se tratava e sem estar carregadas as armas, Helves se viu encurralada, se não fosse Lisa, que tomou a frente e, atacando a cintura, em seguida a coxa do inimigo mais a fundo, que estava com um projétil na coxa. O golpe da garota derrubava o homem, que deixava seu estranho amamento cair. O segundo, parava seu golpe por alguns segundos, que olhou para o ataque de Elisabeth, mas voltou a atacar a pequena garota, que recebeu o golpe em sua cintura, quase que minimamente. Durante o encontro de golpes, entre o armamento e o corpo da garota, Helvez pode sentir uma sensação de choque elétrico, que adormeceu a região da sua perna direita quase que imediatamente e poderia ser pior caso não tivessem a ajudado.

Se Elisabeth estava ali, ajudando Helves, era porque ela e Kryn já haviam finalizado seu oponente. A garota havia servido de distração para que, ao sinal de ataque inimigo, ela esquivasse e o garoto bloqueasse o golpe, e assim aconteceu. Kryn ao bloquear sentiu um leve formigamento nas mãos, como de um choque elétrico, porém, não demorou muito, já que Lisa atacava a panturrilha do inimigo, o desequilibrando e permitindo que o espadachim conseguisse tomar a frente do combate. O cotovelando no rosto, o espadachim logo abria uma ferida no rosto inimigo, que se agravou mais com o chute dado posteriormente, o qual derrubou um dos inimigos próximo ao quadro. O impacto fez com que parte das anotações caísse, até a foto de Aya, que estava lá.

Helves, vendo o ataque do inimigo mais uma vez chegando a sua frente, logo avistou uma sombra estranha caindo sobre o inimigo. Era um macaco. Bruce surgia na situação, caindo sobre o marinheiro. O macaco havia iniciado sua luta contra o marinheiro restante, porém a arma de choques elétricos não havia funcionado no bastão do macaco, o que lhe permitiu vencer até com facilidade aquele inimigo que não tinha tantas aptidões em combates de mãos livres.

— Kryn!!! Vamos acabar com esses desgraçados e tocar fogo nesse prédio maldito. Eles estão fazendo pesquisas em prisioneiros, olha esse quadro! Poderia ser eu!! E não achei o velho com o saco, bastardo veloz! — bradou o macaco.

Tendo finalizado todos os inimigos e saído apenas com dormência em alguns dos membros ou regiões, o grupo agora tinha apenas acordado o cientista. Helves, se aproximando com dificuldade de andar e pegando a foto de sua amiga, começou uma investigação com o cientista que voltava a si e estava nos braços de seu irmão.

— Cadê ela? Fale logo! — bradou Helves.

A fúria no olha da garota era totalmente diferente do olhar que os demais haviam visto anteriormente. A figura da garota, naquele instante se mostrava tão temível quanto qualquer criatura selvagem e perigosa que já tenham visto. O cientista, tremendo-se por completo, ainda mais por estar sendo rendido pela figura que tanto o intimidou, logo começou a urinar-se e gaguejar enquanto tentava responder os questionamentos. O sangue escorria pelo jaleco brando e o fazia tossir, mas nada que o impediu de tentar falar, pois para sua mente, aquilo podia o livrar da morte.

— M-Me desculpe! Não tenho culpa de nada. Apenas nos pagaram para estar alguns protótipos que vieram da Grand Line, além de experiências com certos materiais de doações, não sabíamos que eram seres vivos! Não somos esse tipo de gente — tossiu sangue — Essa sua amiga está lá embaixo, posso leva-los até lá!

O cientista, mesmo perdendo certa parcela de sangue, apontou para a porta que o cientista anterior havia passado durante seu oferecimento de auxílio. Estancando o sangramento rapidamente, Helves cada vez, mas horripilante ordenava para que o cientista abrisse a porta. Com dificuldades, o homem assim o fez. O local era escuro, porém não totalmente. Uma escada de metal com dez degraus os levaria até um compartimento inferior onde estariam três comportamentos onde estariam três criaturas. A primeira era uma espécie de tritão, que estava adormecido na água com alguns fios em seu corpo. O segundo estava uma espécie de homem, porém peludo como Bruce. Seu corpo estava quase todo queimado, principalmente seus braços, mas os ferimentos já eram passados, pelo menos quase todos já haviam cicatrizado. E o terceiro recipiente, estava Aya, desacordada.

A frente dos recipientes estava uma espécie de aparelho tenológico que tinha diversos botões. Tanto a direita, quanto a esquerda desse painel, haviam balcões onde estavam os mais diversos aparelhos e objetos que para os jovens não tinha necessidade, mas destacava-se metros de fio, metal, três cassetetes de metal, porcas, chaves de fenda e estrela, um martelo e fita. No outro lado do comportamento inferior, estavam três portas, além algumas anotações.

Anotação 01:
 

Anotação 02:
 

Anotação 03:
 

Uma das portas tinha o título “Apenas Seguranças”, além disso a outra se encontrava fechada. Na primeira porta, estaria um longo corredor, que alternaria seu caminho entre direita e esquerda, sem muita surpresa, apenas com uma outra escada de dez degraus no fim dele. A segunda porta estaria uma espécie de closet com roupas e jalecos, além de livros sobre anatomia dos mais diversos seres e informações sobre os mesmos.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Chaos
Designer
Designer
Chaos

Créditos : 9
Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 23/10/2011
Idade : 28

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyDom 06 Maio 2018, 16:11

Bruce derrubava o marinheiro e o finalizava. Ao olhar ao redor, o macaco notou que o combate estava findado e Kryn e sua parceira não eram os únicos presentes. Outro casal fazia parte daquela bagunça, e o macaco se lembrava vagamento de ambos.

"São os dois que estavam na rua. Falando sobre alguém desaparecido. O que fazem aqui?"

Antes que Sun pudesse se pronunciar de qualquer forma a jovem de cabelos verdes se adiantou sobre o oponente capturado. O pesquisador sangrava e tremia amedrontado e logo tudo fez sentido na cabeça de Chaos. Haviam capturado a companheira da dupla e agora eles a resgatavam. O símio lembrou-se de todos os outros membros de sua tribo de Chaos Island. Como muitos deviam estar vivendo hoje, ainda aprisionados, subjugados, amaldiçoando seu próprio destino, desejando que alguém os ajude, que lute por eles como aquela dupla estava fazendo por sua amiga perdida. O macaco logo simpatizou com os dois afinal ele sabia como era ser capturado e desejar todo dia ser resgatado...todo dia sonhar em sair daquele inferior.

Bruce cerrou os punhos ao redor do bastão e ao ouvir o cientista falando sobre um nível subterrâneo lembrou-se do desgraçado que o havia prendido ali. Se o encontrasse iria castigá-lo...bastante.

- Sou Bruce. Já fui escravo uma vez e perdi todos os meus companheiros. Sei como se sentem. Se precisarem de mim irei ajudá-los - O macaco sabia que não era o momento para conversa jogada fora então foi breve. Aquele era o momento de se introduzir e se firmar como aliados daquela dupla, pelo menos naquele momento. O símio então acompanharia o grupo, em direção ao nível inferior. Se manteria na traseira da formação, contando com seus sentidos aguçados para lhe ajudar a detectar qualquer oponente que se aproximasse por trás.

Ao avistar os três tanques, Sun pararia por um momento. O símio engolia em seco, vendo aquilo. Criaturas em tubos, como materiais para experiências. Ele então se adiatava até o do meio, de olhos arregalados e boquiaberto. A mão colada no vidro, ele parecia não acreditar no que estava vendo. Outro como ele. Talvez até mesmo um de sua tribo.

"Desgraçados. O que são essas cicatrizes? Porque fizeram isso com ele?"

O macaco então socava o vidro, indignado. - Precisamos tirá-lo daqui também. Preciso saber o que aconteceu. Você ai, seu merda, abra os vidros agora! - Bruce apontava ao cientista, com olhos furiosos. Se por algum motivo não fosse possível libertar o outro mink da sua prisão, Sun iria pegar o martelo na mesa e tentar quebrar o vidro com múltiplas marteladas no mesmo local. Conseguindo concluir seu objetivo de uma maneira ou de outra, buscaria acordar seu semelhante, o sacudindo e chamando veementemente. Se ele não acordasse, o colocaria nas costas e apoiaria com o bastão. Caso ele acorde, Bruce se falaria:

- Ei, ei, calma, calma. Você tá livre, viemos aqui para salvá-lo. Eu sou Bruce, de Chaos Island, quem é você? O que aconteceu? Consegue andar? - E tentaria colocá-lo de pé, emprestando o ombro como apoio.

De todo modo, se voltaria o resto do grupo. - Precisamos sair daqui. Com certeza tem reforços chegando e outro cientista está sumido. Você!! Abra a porta fechada!! Aquele merda deve tá ali dentro, eu vou acabar com ele!! Essa aberta deve ser uma saída! - Se a porta trancada fosse aberta e o cientista estivesse dentro, Sun deixaria o outro macaco no chão e se aproximaria atento para ataques do inimigo. Ao estar no alcance para o seu bastão, martelaria a cabeça do oponente com sua arma, não forte o bastante para fazê-lo desmaiar.

- Anda! Você vem junto! - E vasculharia as vestes do homem e retiraria e guardaria qualquer pertence que tivesse. Por fim, pegaria roupas, cobriria o mink e o colocaria novamente em suas costas.

O mink então se adiantaria pelo caminho com o nome "Apenas Seguranças". - Eu vou na frente tentar reconhecer se há realmente saída ou oponentes ao fim do corredor! - E assim partiria em corrida. Seguiria pelo corredor e subiria as escadas, mas apenas prosseguiria se não ouvisse ou farejasse qualquer oponente, e olharia antes de avançar, confirmando onde aquele caminho acabava. Caso terminasse novamente nas ruas da cidade, aguardaria o resto do grupo chegar e infomaria o que tinha conseguido de informação: se oponentes, movimento de civis, e afins. E seguiria com o seus aliados, tentando manter-se furtivo como conseguisse.

Se oponentes aparecessem e fosse necessário lutar primeiro se adiantaria em algum lugar com cobertura para poder colocar o mink resgatado e se prontificaria ao combate.


Objetivos:
 

Informações:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Cadetblue - Fala
Darkseagreen- Pensamento

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ryoma
Super Nova
Super Nova
Ryoma

Créditos : 100
Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Feminino Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 22
Localização : hell

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyDom 06 Maio 2018, 17:06



동창회

Helves estava completamente em fúria. Seus pensamentos só eram sobre salvar a sirena e nada mais a impediria de fazer isto, usando qualquer método para chegar até a companheira. Por ter perdido sua família a muito tempo ela não sabia lidar bem em perder amigos, fazendo-a ter uma mente instável em momentos assim. "Estou chegando." Não importava as dores ou ferimentos que tinha, seu desespero era muito maior do que qualquer dor, podendo superar tudo se Aya estivesse ali mesmo. As apresentações não importavam muito para ela naquele instante, Helves estava tão focada que mal via as pessoas ao seu redor. Eles haviam ajudado ela no combate e seu agradecimento viria depois, quando Aya fosse encontrada e libertada. – Vamos. – As palavras da celestial soavam como uma ordem mesmo que ela não estivesse querendo passar esse sentimento, querendo apenas que o cientista fosse na frente para os guiar ao andar inferior. Chegar lá foi bem simples, descendo algumas escadas que davam no local exato onde a sirena estava. O alivio percorria todo o corpo da jovem, libertando ela de todos os pensamentos ruins que tinha até então. Estava feliz de encontrar sua amiga, mas sentia-se incomodada por ver aqueles três presos como simples materiais experimentais. As anotações mostravam exatamente o que eles queriam e mesmo podendo não ser culpa daquele homem, Helves estava pouco se importando com isso. – Você vai soltar todos eles. – A mão direita segurava a pistola mirada para o cientista enquanto a esquerda apontaria aos três seres presos. – E também vai nos dizer onde seu amigo está escondido. – Mais uma vez ela estava irritada. Os humanos tinham passado dos limites outra vez e a celestial podia simpatizar com todos aqueles que tinham sido usados em seus experimentos. "Somos apenas diferentes... Fazer isso é horrível, se não fosse por Asken eu teria terminado com esse homem aqui mesmo." Sem sorriso ou calma, o ódio consumia sua alma e enquanto aquilo não fosse resolvido ela provavelmente continuaria daquela forma.

A tranquilidade e educação característica da celestial não estavam presente tudo por conta dos humanos. "Asken sempre teve razão e eu não queria acreditar, mas esses humanos..." Terminar aquele pensamento só a faria se tornar algo pior do que gostaria. Helves não era uma pessoa ruim, sempre foi boa e preferia se manter assim. A jovem esperava a libertação dos três seres presos, aguardando o cientista fazer seu trabalho. No caso dele não conseguir fazer nada daquele lugar ela só poderia questionar o cientista. – Onde ficam os controles para libertar eles? – Com a pistola ela pressionaria contra o corpo do cientista, colocando-a até mesmo no ferimento se fosse necessário para fazer o mesmo falar ou liberar os três. Com as indicações dadas ela seguiria até onde precisava, chutando a porta com força para abrir no caso de estar trancada. Uma pistola na mão direita e a machadinha na esquerda seriam as armas dela para enfrentar quem estivesse no interior da sala que precisava ir. Avançando em velocidade movimentaria seu corpo para longe de qualquer ataque vindo em sua direção e iria disparar duas vezes, uma em cada perna do inimigo, principalmente se fosse o segundo cientista. Por fim a celestial esperava chegar rápido perto do alvo, empurrando o mesmo até qualquer parede próxima e com a machadinha no pescoço do mesmo. – Solte aqueles três, sei que você sabe como fazer isso. – Pressionaria de leve a machadinha no pescoço para fazer um pequeno corte que poderia assustar o homem e forçar sua ação de maneira rápida, soltando o tritão, o macaco e também a sirena. Em último caso a jovem ajudaria os outros a quebrar o vidro e assim soltando todos imaginando que era seguro fazer aquilo.

Quando tudo fosse resolvido e os três estivessem livres, Helves iria de imediato para pegar Aya em seus braços, abraçando a sirena de leve para não machucar. "Finalmente consegui te encontrar." Se ela continuasse dormindo a jovem só poderia olhar o cientista e questionar ele sobre tal situação. – O que fizeram com ela? – Diria com o olhar fixo no homem sem qualquer vontade de trata-lo bem por ter ajudado no caminho até ali. Com a sirena acordando após tudo a jovem celestial voltaria seu olhar a mesma, sorrindo e segurando ela firme. – Nunca mais me obrigue a te deixar para trás. – Com cuidado Helves levantaria ainda tendo Aya em seus braços, segurando-a sem problemas e a deixaria da maneira que fosse melhor, sendo nas costas ou carregando ela apenas nos braços como uma princesa. – Nos tire daqui, você sabe o caminho e também sabe como evitar os marinheiros. – Estava séria e sabia que o cientista conhecia aquele local melhor do que todos eles juntos, podendo saber alguma saída secreta ou mesmo algum modo de saírem sem encontrar o batalhão visto anteriormente.

Segurando Aya, iria até a mesa onde estavam os itens estranhos e pegaria um cassetete de metal, indo também até as outras portas rapidamente para ver se alguma delas os levaria para fora. Se alguém ali estivesse precisando de roupas, Helves jogaria as que fossem encontradas para o centro do local onde estavam. Por fim ela retornaria aos companheiros e começaria a fuga pelas direções indicadas pelo cientista ou mesmo por um dos companheiros, tomando qualquer caminho que fosse seguindo sempre atrás deles para proteger Aya de ataques pela frente. Em qualquer momento que houvesse uma luta, Helves tentaria escapar dos golpes com saltos para os lados ou para trás, usando também de sua movimentação ágil para evitar golpes com o simples movimento do corpo. Somente em último caso ela usaria de bloqueios, visando sempre mudar a direção dos ataques para uma direção onde Aya não seria acertada. O corpo da celestial seria um escudo caso necessário, recebendo todo o dano pela sirena, tentando não ser acertada em pontos críticos, pois precisava se manter acordada e bem para levar a sirena até o lado de fora. Para atacar ela usaria de uma das pistolas, segurando sua amiga enquanto atirava com a mão direita nas pernas ou braços dos alvos para garantir vantagem aos lutadores na linha de frente.

Histórico:
 
Objetivos:
 
Informações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Kiodo
Honorário
Honorário
ADM.Kiodo

Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 16/12/2010
Idade : 27
Localização : Crtl + F - Depois digita ADM.Kiodo

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyDom 06 Maio 2018, 18:15

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] Post: 10 - Fala ’Pensamento’
Under an Ancient Dragon!

Aquele intenso combate em grupo começava e seu fim aparentava está predestinado, aquele grupo aparentava se dar bem em conjunto. Por mais que Asken possuía uma forma de combate mais isolada, acabando se focando apenas no cientista. Helves o intimidava era nítido a fúria de sua bela e saudosa irmã, contudo o combate não houve grandes e trágicos problemas apenas feridas leve nas pessoas que estavam presentes, o espadachim guardava suas armas enquanto caminhava lado a lado daqueles novos companheiros. O cientista acatava as ordens da celestial e levou aqueles grupos para o andar de baixo que funcionava como um laboratório. - Deveria ficar surpreso… Humanos. Seu tom estava baixo e apenas pronunciou sua palavras ao vento, como se já estivesse prevendo uma atitude dessa da raça que mais desgosta e está preso naquele corpo humano. Bruce aquele novo mink ficava furioso e começava a socar no vidro daquele ser de sua espécie, como se estivesse tentando o libertar de toda forma, o negro era sábio por mais que muitas das vezes não age com inteligência, sendo que naquele momento imaginava que o melhor a se fazer era segurar o Mink e assim fazia, segurava os braços dele de modo que não possa mais bater no vidro. - Calma, destruir um vidro assim pode piora a situação de seu amigo e pode deixá-lo mais ferido. Em uma voz e expressão de seriedade e firmeza, Asken dizia para aquele mink, de modo que pudesse o acalmá-lo e após uma breve pausa. - Iremos achar um modo de abrir esse recipiente, confie na anja. Voltava a se expressar esboçando um sorriso no rosto e em uma postura confiante, sabendo que sua irmã irá conseguir.

O deus ficava olhando para sua irmã enquanto a mesma tomava as atitudes sobre os controles de abertura daqueles recipientes. ’Você cresceu rápido né… Hahahaha, continuará sendo minha pequena.’ Caso o mink conseguir ficar calmo, o negro iria soltar seus braços para que o ser pudesse ficar mais à vontade. - Me chamo Asken. De forma neutra e simplória enunciou seu nome para aqueles novos companheiros que não tiveram a oportunidade de conhecer de uma forma mais adequada. Caso a celestial conseguir fazer com que aquele cientista venha a abrir todos os recipientes, notava que rapidamente a sua preocupação se transformava na saúde da sirena e enquanto os outros ajudavam aqueles seres que estavam presos, O negro se movimentava rapidamente para ficar ao lado daquele cientista e colocava a sua mão direita no ombro do rapaz. - Vou te dar um dica, se quiser continuar vivo é melhor me tirar daqui. Ainda tenho um acordo para te libertar, sendo que antes me diga qual é a saída?. Abaixando levando o seu corpo em direção ao ouvido do cientista e em um tom sério com sua voz baixa sussurrava e sua expressão era para ameaçar aquele humano. Caso aquele cientista cooperar com o caminho, a primeiro momento o espadachim daria umas apalpadas no corpo do homem, para revista-lo e descobrir se o mesmo possui algum tipo de perigo para o grupo. Caso notar que o cientista está muito ferido para uma fuga rápida e o negro o carregaria no colo, imaginando que os outros iriam carregar aqueles prisioneiros. Caso se algum momento o negro, ver um velho que se assimila com o sequestrador. - Ele é meu. Levantaria sua mão esquerda estendida demonstrando um sinal de que todos parem, seu tom de voz era grave e sério. ’Você irá conhecer a verdadeira face do demônio.’ Desembainhava a espada com sua mão direita e rapidamente dava um avanço para uma estocada na barriga daquele velho, observando sua expressão de dor com um sorriso estampado em seu rosto.

A fúria de Asken não queria fazer que fosse apenas uma simples morte, queria algo doloroso e lento. Com isso girava sua espada para direita e para esquerda simplesmente alargando o ferimento. - Não perturbe a calma de um deus. Sua voz e sua expressão, justamente com o seu tom era sombrio seguidamente o deus executava um corte para baixo até que sua espada viesse a sair entra as pernas daquele velho e após isso rapidamente fincou a espada na garganta daquele velho sequestrador e depois continuar a seguir seu fuga com aquele refém cientista e com seus companheiros - Vamos acabou. Sua expressão era mais serena aparentava que teve o dever cumprido ao aplicar o recomeço naquela alma insignificante. Caso não existir uma possibilidade de abrir os vidros de uma forma mais segura através dos comandos, o deus desembainhou sua espada e em um postura normal a frente de seu corpo e iria se concentrar de forma calma aplicaria um corte naquele vidro, tentando executar o corte mais perfeito possível, para que não haja nenhum risco de rachar, despedaçar ou atingir aqueles prisioneiros. Caso houver mais algum tipo de combate o foco do espadachim seria bloquear todos os golpes, enquanto buscava um caminho para que todos os seus companheiros pudesse fugir de forma segura e após isso iria ficar parado no caminho da fuga final deles, visando evitar qualquer um que tente perseguir os seus companheiros com cortes na diagonal.




Histórico:
 

Informações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


[Você precisa estar
registrado e conectado para ver esta imagem.]


Última edição por ADM.Kiodo em Dom 06 Maio 2018, 18:40, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Punk
Pirata
Pirata
Punk

Créditos : 13
Warn : Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 01/07/2013
Idade : 29
Localização : No barco

Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 EmptyDom 06 Maio 2018, 18:39



Love is more Punk than Punk


"Você... está aprendendo rápido Bruce. Incendiar isso tudo aqui parece maneiro fazer desse local um inferno. Um bom pensamento... já vi que vamos nos dar muito bem." Pensaria referente ao que o Mink falava e de fato uma das primeiras coisas que passaria pela minha cabeça era. " Precisamos sair daqui e logo!!!" Chamaria Elisabeth para me acompanhar e seguiria o macaco, como se tivesse fazendo uma segurança para o mesmo. Caso acontecesse alguma coisa ou o mesmo observasse algo que o deixasse triste ou muito irritado, tentaria entender sua dor. Eu estava amando a sentir a dor dos outros, mais algo em mim doía ao ver aquele rapaz peludo socando o vidro, então olharia para Elisabeth e diria com uma voz calma e tranquila. " - Nós iremos ajudá-lo ... Esses malditos ... Derrubaremos todos eles, matarei todos que cruzarem meu caminho, todos que machucaram seu povo, não vai sobrar nenhum." Caso alguém consiga usar o cientista para soltar os animais que estavam usando os tritões e mink ali presente então tentaria falar com meu parceiro de pacto. " - Iremos soltar ele Bruce-san !!! Quebrar esse vidro pode ser pior ... só em ultimo caso, porém eu prometo para você ... Eu juro para você ... Salvaremos o seu povo." Diria com toda sinceridade excessiva, vindo de dentro do meu coração.

" - Asken !!! É um prazer sou Kryn Nerelin." Deixaria a garota se apresentar, porém caso ela não falasse uma palavra então diria." - Ela é minha companheira Elizabeth De Dammartin, ex-baronesa" Apontaria para a garota de cabelo rosa, com um pequeno sorriso no rosto. Estaria sempre calmo e usando a sutileza da minha voz encantadora, apesar da boa aparência não esperaria que achasse que sou uma pessoa boa. Sim, depois de todo esse sangue rolando por ai, adorava conhecer pessoas por um breve momento me sentia feliz, sem mudar muito minha expressão facial, porem logo lembrava do que tinha que ser feito ali que era resgatar aquelas criaturas. " Terminamos essa conversa outra hora, meu camarada."

Nunca tinha visto aquilo que estava descrito como tritão e sirena, então Kryn pensaria o quanto era estranho aquelas criaturas que estavam sendo usadas como testes. " Nunca tinha visto peixes desse tamanho? De onde será que eles veem." Então tentaria ver se o tritão estava bem, já que aparentemente Bruce cuidaria do seu amigo mink então me aproximaria do tritão caso ele acorde e falaria: " - Você está bem? Precisa de algo, fique calmo iremos tirar todos daqui esses imundos ... ainda pagaram muito caro pelo que fizeram com vocês." Se eles se mostrassem bem me sentiria feliz, ofereceria seu ombro amigo para qualquer um deles e se ainda fosse preciso pediria ajuda para Elisabeth. " - Pode me ajudar aqui vamos tirar ele daqui." Logo após isso, observaria se alguém sabia onde era a saída e tentaria segui-los carregando o tritão, se eu conseguisse carrega-lo sozinho, então falaria para Beth. " - Faça nossa guarda, estou contando com você." " O Homem é a pior espécie que já foi criada. Capaz de fazer qualquer coisa por poder."

Caso o tritão desconfiasse de Kryn, tentaria acalma-lo e ajudá-lo do jeito que poder. "- É tranquilo, sei que não passou por coisas fáceis ... aquelas pess ... pessoas deve ter te machucado - Ele nunca havia sequer sido sequestrado, porem lembrava do que Elisabeth passou em micqueot. A bem da verdade, ele nem sabe o tanto que aquilo doía. Quantas coisas ruins podem ter acontecido ou tipo de coisas ruins. Será que todas as criaturas que ele matou para fazer experimentos, tiveram uma chance? Então Kryn voltaria a falar com o tritão " - Bem.. Digo. Não.. Eu só os matei por diversão, prazer, satisfação, talvez porque eu seja um tirano sanguinário. Mas quero que você saiba que eu faria tudo de novo. por vocês '' Não sabia se deveria dizer aquilo, porém eu não conseguia mentir meu sentimento era de muito ódio, só de pensar que cientista podem trabalhar para o Governo e eu cresci na miséria por culpa deles, levaram meus pais então continuaria falando. " - Sabe porquê? Faria o mesmo por vocês? Por que eu quero que eles sintam o mesmo que fizeram com vocês, que eles saibam como é a perda, como é a dor ..." Com isso tentaria ganhar a confiança do tritão para conseguirmos sair daquele local juntos.

Mas caso o cientista se recusa a soltar os três então eu tentaria quebrar o vidro, pegaria alguma coisa próximo e começaria a bater contra o mesmo, enquanto falaria. " - Cuidado ae, vamos tirar vocês daí." Pediria ajudar para Elizabeth. " - Vamos quebrar isso, ou sabe como abrir isso?" Daria chute ou socos se fosse possível, não se importaria se iria machucar minha mão ou pé, só queria tirar aquelas criaturas dali. " Desgraçado ... Aposto que isso deve ser obra do governo mundial." Ficaria esperto para caso aparecer algum soldado da marinha e esquivar de possíveis golpes, usando minha acrobacia, para os lados e me escondendo se fosse preciso, analisaria com muita calma a quantidade de inimigos.

Histórico do Punk:
 


Objetivos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!   Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings! - Página 5 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Cap. 2 - You Burned on The Shadows of our Wings!
Voltar ao Topo 
Página 5 de 14Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6 ... 9 ... 14  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: West Blue :: Toroa Island-
Ir para: