One Piece RPG
Não há certo ou errado XwqZD3u
One Piece RPG
Não há certo ou errado XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Vou te comer
Não há certo ou errado Emptypor Hammurabi Hoje à(s) 17:50

» Drake Fateburn
Não há certo ou errado Emptypor CrowKuro Hoje à(s) 17:06

» I - Justiça: Um compromisso obstinado!
Não há certo ou errado Emptypor Hammurabi Hoje à(s) 16:01

» A HORSE WITH NO NAME
Não há certo ou errado Emptypor Skÿller Hoje à(s) 14:40

» Pandemonium - 9 Brave New World
Não há certo ou errado Emptypor CrowKuro Hoje à(s) 14:32

» Vol 2 - The beginning of a pirate
Não há certo ou errado Emptypor GM.Milabbh Hoje à(s) 13:58

» All we had to do, was cross The Damn Line, Elise!
Não há certo ou errado Emptypor Akuma Nikaido Hoje à(s) 12:22

» O que me aguarda em Ponta de Lança? Espero que belas Mulheres, hihihi
Não há certo ou errado Emptypor GM.Muffatu Hoje à(s) 11:09

» Steps For a New Chapter
Não há certo ou errado Emptypor Achiles Hoje à(s) 10:14

» Um novo recruta: o nome dele é Jack!
Não há certo ou errado Emptypor Arrepiado Hoje à(s) 8:30

» Em Busca do Crédito Perdido
Não há certo ou errado Emptypor PepePepi Ontem à(s) 23:55

» A Ascensão da Justiça!
Não há certo ou errado Emptypor CaraxDD Ontem à(s) 23:28

» II - Growing Bonds
Não há certo ou errado Emptypor Subaé Ontem à(s) 23:05

» O som das ondas é o meu chamado... Adeus, meu filho!
Não há certo ou errado Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 23:04

» O catálogo continua, Baterilla a cidade da beleza
Não há certo ou errado Emptypor maximo12 Ontem à(s) 22:20

» Ep 1: O médico e o marinheiro
Não há certo ou errado Emptypor TerryBogard Ontem à(s) 22:18

» Viagem
Não há certo ou errado Emptypor Rangi Ontem à(s) 20:11

» I did not fall from the sky, I leapt
Não há certo ou errado Emptypor Moonchild Ontem à(s) 19:46

» Pandamonio, Vol 1 - Rumo à Grand Line!
Não há certo ou errado Emptypor Fran B. Air Ontem à(s) 18:41

» 11º Capítulo - Cataclismo em Skypeia!
Não há certo ou errado Emptypor Yami Ontem à(s) 18:24



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Não há certo ou errado

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 77
Warn : Não há certo ou errado 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : Fishman Island

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptyQua 28 Fev - 21:21

Não há certo ou errado

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Sugar Lee. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sulphuric
Membro
Membro
Sulphuric

Créditos : 6
Warn : Não há certo ou errado 10010
Data de inscrição : 12/06/2017

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptyQui 1 Mar - 5:04



Sonho

^INÍCIO DO SONHO^

- O destino, será que ele existe? Mamãe certa vez me falou que destinos não existem, pois se existissem ela estaria condenada. Porque mamãe tem sempre que estar certa? - Cerrando meus punhos abaixo minha cabeça e seguro as lágrimas, não era um bom momento para chorar. ~Quando o velho me deixou nesta ilha eu ainda não havia pensado no que fazer ou como fazer, minha mãe e meu irmão estavam mortos, meu pai... É me lembro fui eu quem o matou, passei todo esse tempo viajando pelos mares no navio mercante do velho e segundo ele esta é uma boa ilha para começar a preparação. ~ Fui aliviando meus punhos aos poucos, o lugar onde eu estava me parecia estranho, não haviam pessoas, não existia vento, meu pulmão parecia não precisar funcionar. - Isso é um sonho? - Olho ao meu redor e uma paisagem branca era formada, cheia de árvores de cor branca, a grama estática era branca não haviam locais para sentar, não havia nada no horizonte além de árvores e grama branca até que meus olhos repousaram em uma estátua. Comecei a caminhar até a estátua e percebi que a grama onde eu pisava não recuava ante ao peso do meu corpo, ela parecia feita de pedra e a julgar pela cor ser parecida a cor da estátua da qual me aproximava aquele mundo parecia feito de puro mármore.

Ao me aproximar da estátua pude perceber seus traços, ela parecia comigo, tinha meus traços faciais, meu cabelo, tudo do mais puro branco, pisquei meus olhos e senti que a grama a qual antes mal alcançava a altura da sola do meu pé, havia crescido, até mesmo as que estavam embaixo do meu pé tinham crescido para os lados e se entrelaçado à minha perna. - A estátua. - Ergui meus olhos para encarar a estátua e nela rasuras de cor preta estavam se alastrando, e a cada segundo que passava a grama continuava a crescer e quanto mais a grama crescia mais rasuras apareciam até que de rasuras, passaram a ser manchas que aos poucos foram mudando os traços da estátua até que quando a grama alcançou meu pescoço e a estátua fora toda coberta de negro. Neste momento sentia que conhecia o novo rosto da estátua.

- PAI? - Soltei um grito de fúria, mas logo notei algo que me arrepiou dos pés a cabeça - Não, não pode ser. Sou eu? Não, NÃO VOU SER COBERTO PELAS TREVAS. NÃO SOU ELE, NÃO!!!!!!!!! EU NÃO SOU O IMPERADOR NEGRO - Com meus olhos cheios de lágrima desatei a chorar, eu senti uma enorme vontade de socar aquela estátua, quebrá-la em mil pedaços, mas estava preso pela grama que me cobria, continuei a forçar até que meu corpo pareceu fadigado, e aos poucos fui olhando para baixo e então a sombra negra continuou a se espalhar pela grama. - Droga, não, não quero...
^FIM DO SONHO^




Realidade

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! - Gritaria em desespero, com meus olhos abertos olharia ao redor para verificar o mundo ao meu redor. ~Mais uma vez esse sonho, desde o dia em que matei o Imperador Negro, desde aquele dia sonho com isso~ Me levantaria e olharia ao meu redor, estava no hora de decidir o que eu iria fazer. ~Se aquela escuridão que o velho citou realmente existir preciso estar preparado para destruí-la.~ Olharia ao meu redor e tentaria saber que horas eram pela imagem desenhada nos céus. Se fosse dia, andaria calmamente pela cidade procurando por um restaurante barato ou uma barraca que estivesse vendendo algo para comer, afinal saco vazio não para em pé, ao mesmo tempo ficaria atento ao meu redor pronto para reagir caso alguém me reconheça e me ataque ou caso algum espertinho tente me roubar. Na possibilidade de alguém me chamar pelo alcunha de meu pai ou parecer me reconhecer falaria em alto e bom tom - Qual foi? Não enche meu saco. - e ficaria pronto para correr se necessário, este não seria o melhor momento para arrumar confusão. Na possibilidade de alguém tentar roubar meu dinheiro tentaria segurar seu braço e faria força para empurra-lo para longe de mim dizendo - Cê ta querendo apanhar? Quem você acha que é pra tentar me roubar seu otário. - E me colocaria em guarda, neste caso o homem precisa defender seus bens e fugir de um ladrão faria de mim um covarde.

Caso consiga encontrar o local para comer, se fosse um restaurante entraria no mesmo e procuraria uma mesa com cadeira para me sentar e caso encontrasse andaria até a mesma e sentaria logo pediria em voz alta - Traz o cardápio logo. - Caso me trouxessem um olharia o mesmo a procura do preço da comida, caso fosse mais de B 1.000 a refeição me levantaria e deixaria o local sem dar explicações e nem olhar para traz. Caso não exista preço no cardápio perguntaria a primeira pessoa que estivesse ao meu alcance - Quanto é pra comer aqui? - No caso de falar um preço maior que B 1.000 viraria e deixaria o local e continuaria minha busca por um local com refeição que entre no custo máximo que desejo gastar. No caso de não existir mesa livre sairia do mesmo e continuaria minha busca por um outro local para comer. Porém na possibilidade de ter onde eu me sentar e o preço do alimento estiver no que desejo pagar pediria o mesmo - Então me traz logo que eu quero comer. - esperaria ser servido e então comeria enquanto observaria as pessoas ao meu redor e tentaria ver se as mesmas poderiam estar armadas, mas apenas se no local houvessem pessoas. Caso o local que eu encontrasse fosse uma barraca de comida perguntaria pelo preço e se estiver entre 0 e 1.000 Berries falaria - Me vê um pouco logo aí que eu to com pressa. - Então comeria ali mesmo. Caso o preço for maior do que posso pagar viraria as costas e sairia andando sem dar explicação e continuaria minha busca por alimento. Caso não encontre um local para comer continuaria a procurar.

Mas se fosse noite andaria pela cidade a procura de uma taverna, tomaria também os mesmos cuidados que tomaria de dia caso alguém me reconheça ou tente me roubar, caso encontre uma taverna entraria e pediria por comida - Manda algo pra eu comer aí. - Caso eles não tenham nada para comer em tal lugar, pediria por uma bebida - Então manda uma garrafa de bebida barata aí e um copo. - Aguardaria que me trouxessem o que pedi e então tomaria o copo e a garrafa em minhas mãos, colocaria uma porção da bebida no copo, tamparia a mesma e guardaria o resto para um outro momento. Tanto se tiver a bebida ou a comida, beberia ou comeria enquanto observaria as pessoas ao meu redor e tentaria ver se as mesmas poderiam estar armadas, mas apenas se no local houvessem pessoas.




Histórico:
 

Objetivos:
 

Off:
 
edit:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Bora fecha?:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Capitão
Capitão
Achiles

Créditos : 59
Warn : Não há certo ou errado 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : The Wonderful Land - 1º Rota

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptyTer 6 Mar - 5:57



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Não há certo ou errado.



Sugar Lee estava sonhando, um sonho detestável do qual mexia com suas emoções e lembrava suas falecidas mães e irmã, havia matado o seu pai e depois quem era o Imperador Negro era Sugar, o que trazia um enorme susto ao mesmo e que acordava mais do que assustado alertando várias das pessoas que observavam o garoto acordando de uma pilha de papelão coberto pelos mesmos, a noite passada havia lhe deixado com certos desconfortos em algumas partes do corpo e uma leve dor nas costas que ao se espreguiçar se esvaia. Ao olhar para o céu conseguia ver que estava de dia, havia bastante pessoas andando pelas ruas da cidade.

Ninguém havia lhe reconhecido ou coisa parecida começando a procurar por algum lugar para comer, achava uma barraca de cachorro quente logo a frente, o homem estava preparando-os com uma variedade de molhos que eram possíveis ser utilizados, mas o garoto chegava apressado, querendo um cachorro simples e não aproveitando nada além do pão e a salsicha, o valor de mil berries era pago ao homem e ele começava a se alimentar ali mesmo, o sabor do cachorro quente era de alta qualidade, o alimento preenchia uma boa parte de seu estômago deixando sua fome de lado.

Ele conseguia notar uma grande movimentação ocorrendo pela cidade, grito de louvores eram dado e sorrisos podiam ser vistos, a população começava a aplaudir os marinheiros que estavam andando em direção ao QG, o capitão carregava o seu bastão de ouro em suas costas e uma flauta podia ser vista em suas mãos, eles voltavam de uma missão importante na cidade e essa era a razão de ser aplaudido, embora o marinheiro fosse novo na cidade no cargo que ocupava, os nativos já estavam começando a se acostumar com a sua presença trazendo boas novas e segurança para a cidade.

O que nosso protagonista imaginava ao ver aquilo, será que o mesmo queria ser prestigiado dessa maneira, ser aplaudido de pé e ter grito de louvores em seu nome? O homem era completamente confiante de si mesmo e passava ao lado de Sugar sorrindo para o mesmo, um sorriso cativante de seus dentes brancos e olhos castanhos mais do que confiantes, seu cabelo negro pairava sobre suas costas e suas vestes eram mais do que refinadas, aquele bastão de ouro com várias escrituras era mais do que belo e poderia causar inveja em qualquer lutador de bojustu.





Considerações:
 

Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign

Arco 01 - Budou Island
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Arco 02 - Wonderful Land
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sulphuric
Membro
Membro
Sulphuric

Créditos : 6
Warn : Não há certo ou errado 10010
Data de inscrição : 12/06/2017

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptyQua 7 Mar - 1:03

[quote="Sulphuric"]


Review


- OQUE VOCÊS TÃO OLHANDO SEUS DESOCUPADOS??? - Falei ao acordar e perceber que várias pessoas me olhavam, mas passei a ignorá-los depois, afinal não é hora de me revelar, não sou forte o suficiente ainda para lidar com a escuridão. - Droga, dormir na rua tem sido foda. - O dia já havia nascido e tudo o que eu queria era comer, apesar de duro, ainda haviam me sobrado alguns trocados, pois bem, iniciei minha busca e parece que este era meu dia de sorte, logo a minha frente uma barraca de cachorro quente estava disposta, me aproximei da barraca e com meu humor nada agradável já fui logo mandando - Me vê um pouco logo aí que eu to com pressa. - O vendedor dispunha de uma variedade de molho para adicionar, mas tudo o que eu queria era comer. - hump.. molho... um vira-latas não precisa de molho. - Meti o dog inteiro pra dentro e sem pestanejar senti meu corpo se fortalecendo, o alimento entrou e assim tomou o lugar, a fome coitada, foi posta para fora com o rabo entre as pernas. - É incrível como pão e salsicha é algo tão revigorante.

- Ei mas que porra é essa - resmunguei baixinho, a cidade parecia movimentada, parecia até uma passeata, mas os seres sendo aplaudidos eram meros mortais como eu, talvez até mais fodidos, afinal, já viu homem da lei se dar bem na vida? - Nem eu. - mais um sussurro, as palavras escaparam ao vento enquanto uma ideia se formava em minha mente, conforme os marinheiros passavam pude notar um cara que gostava de levar coisas roliças e duras atrás, ou é o que aparentava, afinal carregava um bastão dourado, roliço e grande em suas costas, levava nas mãos uma bela flauta... - Ei esse cara gosta de levar na frente e atrás os negócios roliços, em? - me escapavam mais algumas palavras. ~É isso, já sei o que fazer pra me proteger até estar forte o suficiente para encarar o futuro...~ Ei ei ei, calma ê, não é nada disso que vocês estão pensando pô, eu não tava pensando dessa forma, a esquece seu mente poluída.



O que poderia dar errado?


- O cara do bastão. - Gritaria de forma aleatória indo em direção do homem que levava na mão a flauta, ele parecia ser alguém importante na marinha e se eu quero alguma informação, teria de ser com ele. - Ei olha aqui cara, to falando com você. O que são essas escrituras no seu bastão? - Não era bem isso que eu planejaria falar, porém minha natureza curiosa não me permitia ignorar tal fato. Mas caso ele me responda ignorarei a resposta e darei continuidade com o que mais me interessa - Ei eu não terminei ainda, Me diz uma coisa, porque você leva uma flauta? - Caso minhas perguntas fossem respondidas meus olhos iriam brilhar conforme o conhecimento era absorvido. - Uau que maneiro. - Caso ele apenas ignore continuaria a falar.

~Droga o que eu to fazendo, porque sou sempre assim?~ Indignado com o que me acontecia e a incapacidade de fazer um pergunta tão fácil quanto - COMO EU ME ALISTO NA MARINHA? - diria gritando. Aguardaria então sua resposta, caso o homem me indique onde fica o prédio da marinha seguiria pra lá, caso me diga para segui-lo até o prédio também iria. Se por motivo maior o homem pedisse explicações pelo grito comigo diria a ele - Foi mal. - Caso o homem se recuse a me dar a informação os seguiria até onde forem. ~Para estarem sendo aplaudidos talvez estejam indo para o QG~

Caso seja completamente ignorado pelos marinheiros que passavam, voltaria ao homem da barraca de cachorro quente e diria - O homem, me diz logo como faço pra chegar na base da marinha. - E seguiria as instruções do homem caso por vontade maior o mesmo tivesse tal informação e quisesse me fornecer a mesma. Caso o homem recuse falar como chegar a base da marinha ou não tenha conhecimento desta informação, eu mesmo iria procurar pela cidade até encontrar, de rua em rua, de ponta a ponta da ilha.

Na possibilidade de chegar ao QG pediria informações de como prosseguir com o alistamento. - Ei, eu quero fazer parte dessa organização, como proceder? - Caso me dissessem para preencher minhas informações em alguma lista, forneceria cada informação, nome, idade, estilo de combate, mas omitiria um pouco da minha história, colocando apenas que vim de Organ Island, afinal ninguém precisa saber do meu passado na Grand Line e muito menos do meu pai. Caso não consiga chegar ao QG procuraria por minha própria conta o lugar. ~Esta é minha chance de estar protegido enquanto me preparo para enfrentar qualquer represália que venha a mim por conta do meu título.~

Histórico:
 

Objetivos:
 

Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Bora fecha?:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Capitão
Capitão
Achiles

Créditos : 59
Warn : Não há certo ou errado 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : The Wonderful Land - 1º Rota

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptyQua 7 Mar - 4:33



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Não há certo ou errado.



Sugar Lee parecia gostar de chamar as atenções, dava um grande grito em direção ao capitão da marinha do qual não havia conhecimento, o garoto caminhava em sua direção passando por entre os marinheiros e chegando ao chefe que o olhava com estranheza, mas mantinha-se calmo dando ordens para seus companheiros com um simples olhar e sua mão abaixando como sinal para abaixarem suas armas em sinal ao garoto por que ele não parecia oferecer perigo nenhum ao marinheiro.

Ouvia a pergunta de Sugar e respondia calmamente. - São apenas detalhes de beleza. - As suas palavras não pareciam soar estranhos como uma mentira e mais uma pergunta era lhe dada. - Eu gosto de tocar. - Era direto e não esvaia muito, a presença do garoto talvez estivesse lhe incomodando, mas ria quando o garoto falava com os seus olhos brilhando.

Mas a pergunta que queria não saia de jeito nenhum, quando finalmente saia todos paravam,os olhos de todos ao redor se dirigiam a Lee e o capitão falava. - A marinha não é brincadeira para criança. Nela, ou você amadurece ou conhece o outro lado da vida mais cedo que qualquer um. Então se você realmente quer virar um marinheiro, seja mais maduro. Sua resposta era dura, ele não gostava que zombassem da marinha desse jeito mesmo que não fosse a intenção do garoto, mais uma vez eles começavam a se movimentar em direção a entrada o QG, o caminho era longo e eles paravam em frente aos muros abaixo da entrada para o quartel que ficava na montanha.

- É aqui que você toma a sua decisão, amadureça ou irá morrer. - o homem era duro mais uma vez e os portões se abriam, era um pequeno jardim do lado de dentro com uma grande entrada para dentro da mansão onde era bem iluminado. Eles seguiam por aquele corredor branco recheado de símbolos e uma listra dupla na parede azul que se estendia por todo o corredor. O cheiro era normal e parecia ser bem ventilado, o calor aumentava devido a estarem dentro da montanha e não demorava muito para que chegasse a recepção. - Fale com ela, ela lhe indicará para onde deve seguir. - O capitão finamente conseguia escapar das garras de Sugar que era deixado para falar com uma loira de olhos azuis com um corpo bem sexy abaixo da roupa padrão da marinha. -Siga por aquela sala após preencher esse formulário. - Ela apontava para uma porta dupla dando o formulário em suas mãos.

Lee preenchia o mesmo com suas informações e se dirigia até a sala, ao passar pela porta conseguia ver o enorme salão do qual havia entrado, grandes janelas transparentes que mostravam uma bela visão da vidade, havia um grande tâtame em um dos cantos, alguns lugares para se exercitar e praticar esportes, uma academia ao ar proposto das janelas e podia se ver bastante sujeira por todo o salão. Haviam bastantes pessoas posicionadas em meio ao centro do salão e um homem mais afastado com uma prancheta em suas mãos, ele portava o uniforme da marinha e parecia estar falando, ao se aproximar percebia que o mesmo estava começando a explicar o recrutamento.

- Parece que temos um atrasado... - Dizia o mesmo esperando Sugar se posicionar. - O recrutamento conterá três partes que seguirei explicando conforme forem avançando, a primeira será bem simples, vocês deverão realizar um trabalho de limpeza. - Alguns pareciam não gostar da ideia, não entendiam o real motivo daquela etapa. - Manter uma boa higiene é crucial para qualquer tripulação, olhem para si mesmo e se estão limpos, vocês podem ficar doentes se o ambiente ao qual trabalhar estiver muito sujo e sempre deverão estar respeitando a ordem de um superior de qualquer maneira, se não podem completar uma única limpeza, como serão seguindo as ordens?! - Ele explicava de uma maneira mais puxada para rude, mas parecia não se importar. Ao seu lado se encontravamm baldes de água e sabão com grandes esponjas e alguns esfregões. - Sigam fazendo grupos ou da maneria que quiserem, peguem um balde e uma esponja ou esfregão, sigam limpando qualquer sujeira que encontrar pela frente. Comecem! - O homem dava a liberação e os mais apressados iam correndo buscar o seu equipamento para começarem a sua limpeza, queriam se destacar. O marinheiro estava a observar todos os seus recrutas, outros marinheiros pareciam estar observando também e esperavam que Sugar começasse a se mover.







Considerações:
 

Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign

Arco 01 - Budou Island
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Arco 02 - Wonderful Land
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sulphuric
Membro
Membro
Sulphuric

Créditos : 6
Warn : Não há certo ou errado 10010
Data de inscrição : 12/06/2017

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptyQua 7 Mar - 22:02



Review




~Eita, to morto.~ Em minha mente foi o que se passou no momento em que percebi que todos os cabos da marinha por onde eu passava empunhavam suas armas, parecia até que eu era um monstro, talvez eles estivessem certos. Mas logo o homem que parecia estar no comando daqueles homens os conteve com apenas um sinal de mão, ele deveria ser um bom líder, afinal nenhum dos homens havia contestado sua ordem. ~hm... detalhes de beleza, INCRÍVEL, eu quero uma luva com escritos de beleza também!!!!!~ Coisas assim sempre afastavam meu mau humor e o fato do homem ainda saber tocar flauta fazia meus ossos tremerem, a arte estivera sempre em minha vida, apesar de instrumentos musicais não estarem na minha lista de prioridades, são eles que dão ritmo e energia para para dançarinos como eu.

Mas a felicidade presente em realizar meu lado curioso não durava muito e logo meu mau humor toma conta de mim novamente e volto ao mundo real. ~Droga o que eu to fazendo, porque sou sempre assim?~ Não que eu fosse alguém com muita pressa, mas é que pessoas que enrolam demais para abordar o assunto principal acabam por me deixar de mau humor e o maior causador desse mau humor sou eu. Em certas ocasiões meu mau humor acaba por me atrapalhar bastante e essa foi uma delas, acabei gritando com o representante militar disposto a minha frente e acho que a impressão que ele teve de mim não deve ter sido das melhores e sua resposta deixou isso claro.

- A marinha não é brincadeira para criança. Nela, ou você amadurece ou conhece o outro lado da vida mais cedo que qualquer um. Então se você realmente quer virar um marinheiro, seja mais maduro. - O outro lado da vida, aquelas palavras que falavam da morte de uma forma tão inexpressiva e cômica. ~Outro lado, que lado? A morte é o fim e eu sei bem disso, quem sabe um dia a minha hora chegue, mas não tão breve, não posso morrer sendo lembrado apenas por ser filho de quem sou, primeiro marco meu nome nesta maldita história e depois porque não abraçar a fria morte?~ Meu desvaneio viera em um segundo e partiu em outro, tudo o que disse fora um - Foi mal. - Mas por sorte fui ignorado, se fosse com meu antigo professor de luta o mínimo que me aconteceria era um olho roxo.

Sem mais delongas seguimos na direção do QG, a caminhada era longa e nostálgica uma vez que despertava em mim lembranças de quando eu e meu falecido irmão tocávamos o terror em Organ Island, bons tempos aqueles, tempos que não voltariam, lembranças que me davam maior vontade de viver e superar as cicatrizes que levo no coração. ~Parece que a Marinha não economiza quando o assunto é infra-estrutura.~ O QG era basicamente uma mansão e devo admitir que fiquei muito impressionado com o local. O capitão novamente me falava sobre morte, mas não me dei o trabalho de argumentar com ele, quem sabe esta seja uma forma dele de demonstrar sua preocupação e outra que entrando na marinha ou não minha vida não seria fácil, mal sabem eles que trago comigo mais problemas para eles do que servi-los me traria. Os portões se abriram e adentramos a mansão que fazia parte de uma montanha. ~Uau!! Isso deve ter dado muito trabalho para ser construído.~ O calor aumentava conforme seguíamos montanha a dentro por corredores bem iluminados. ~Parece que quem teve a ideia de criar a Marinha realmente gostava de azul ou será que gostava mais de branco? Prefiro preto, mas pelo jeito que todos estão vestidos vou ter que usar branco e azul mesmo.~

- Fale com ela, ela lhe indicará para onde deve seguir. - Dissera o capitão a mim e fiquei aliviado de ao menos dessa vez ele esqueceu de colocar a palavra morte no meio de sua sentença, logo me direcionei a mulher que fora apontada. ~Hmm.. Parece que o povo dessa ilha toma remédio pra ficar bonito, não é possível.~ Pensava enquanto recebia as instruções da mulher que me entregava o formulário. - Ah, beleza, valeu. - Sem perder tempo preenchi meu formulário de inscrição e me direcionei a porta que fora indicado pela secretária. O local onde adentrei possuía janelas com uma visão diferenciada da cidade, mas tal vista não importava muito pra mim, o que realmente me chamou a atenção foram o tatame posicionado em um dos cantos, uma peça com a qual o boxeador tem bastante familiaridade, a academia e o espaço que era bem organizado para a prática de esportes. ~Estou começando a gostar desse lugar, espero que em cada ilha que eu parar tenha um desses, mas epa, ta tudo sujo, esse povo é meio porco não?~ Fui me aproximando do pessoal que ocupava o centro do espaço em questão, pessoal este que parecia receber instruções de um homem uniformizado.

- Parece que temos um atrasado... - O homem parecia se dirigir a mim e logo que pensei argumentar, percebi que de nada me adiantaria. ~Melhor me juntar com esse pessoal sem piorar minha situação.~ O homem retomou as instruções conforme eu havia me acomodado. ~Interessante, nada de diferente do que aquele safado do meu professor de dança e o folgado do professor de boxe faziam comigo, tinham preguiça de limpar os salões e me encarregavam da tarefa, sob pretexto de fazer parte do treinamento.~ O homem terminava suas instruções dizendo que poderíamos nos juntar a outras pessoas para a realização da tarefa e que deveríamos limpar tudo que víssemos pela frente.

Dançando e limpando!!!




~Parece que limpar os salões em minhas aulas vão ter alguma serventia agora.~ Em minha mente começaria a pensar na música que mais amo da banda que mais amo, a canção era "Perdidos na selva" da banda "Piradas Piratos". ~Eu e minha gata perdidos na selva, mas que tremenda loucura....~ Tomaria em minhas mãos um esfregão e um balde com água e sabão. Seguiria o ritmo da música enquanto balançaria meus quadris e ombros, passaria o esfregão na água do balde e começaria a esfregar pouco a pouco o chão, tomando todo cuidado para não deixar nenhuma sujeira fugir das minhas habilidades de limpeza e o mais importante, tomando cuidado para não errar nenhum dos passos relacionados a minha performance. ~Um bom dançarino é privado do direito de errar, tudo tem de ser perfeito em minha performance.~ Volta e meia entre 4 ou 5 requebradas de quadril daria uma breve no movimento e trocaria o sentido para o qual esfregaria, A cada quatro vezes que mudasse de direção molharia meu esfregão novamente na água e continuaria a  esfregar. ~Vamos, vamos, requebra esse corpo, brilha garoto, esse é o seu momento, você está no palco e ao menos aqui meu professor de dança não fica enchendo o saco para dançar música clássica enquanto limpo o chão.~ Me manteria firme durante a tarefa passada a mim, apesar de que a cada vez que acabar por errar minha sequência e/ou algum passo pararia brevemente a limpeza e daria um tapa em minha própria cabeça enquanto iria sussurrar para mim. - Que vergonha, você errando algo tão simples. - Tomaria cuidado com os equipamentos de ginástica e o tatame, utilizaria a esponja para o serviço, tentaria utilizar a menor quantidade possível de água nessa parte da limpeza, fazia movimentos na horizontal e alternaria com movimentos na vertical tomando cuidado para deixar a superfície o mais limpa possível.

- Ihaaaaaa vamos lá galera, vamos terminar o exercício rápido e com o máximo de eficiência. - O fato de dançar teria o mesmo efeito em mim que a curiosidade saciada, meu humor muda enquanto estou dançando e o espírito da arte me domina, tudo parece tão belo e as cicatrizes em minha alma, viram memórias distantes por aqueles momentos de euforia. Dançaria enquanto limparia o salão até que tu estivesse limpo ou até que fosse ordenado que a tarefa estava completa. Mas a dança não era só o que importava, prestaria atenção em detalhes como se o piso fosse irregular esfregaria com maior intensidade aplicando mais força e em casos de pisos laminados ou superfícies lisas faria movimentos circulares com o esfregão e aplicaria menos força evitando deixar riscos na superfície. Assim que o trabalho estivesse pronto Sugar guardaria o material utilizado e agiria como se nada tivesse ocorrido. Se alguém lhe perguntasse sobre sua performance ou comentasse sobre a mesma sendo de forma boa ou ruim ele responderia apenas com um sorriso sem dar detalhes.
Histórico:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Bora fecha?:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Capitão
Capitão
Achiles

Créditos : 59
Warn : Não há certo ou errado 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : The Wonderful Land - 1º Rota

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptyQui 8 Mar - 1:18



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Não há certo ou errado.



O ambiente começava a sua limpeza, os esfregões deslizavam sobre o chão limpando toda e qualquer sujeira que havia em seu caminho, as esponjas tinham o seu trabalho começando esfregando sobre as partes mais sujas ou os equipamentos que necessitavam de um toque mais delicado que qualquer esfregão pudesse alcançar. Quanto a Sugar, ele era mais alegre do que os outros embora a sua personalidade curiosa não parecia concordar bem com aqueles movimentos, ao som de sua música favorita que tocava em sua cabeça, ia limpando o chão com movimentos de dança dos quais possuía uma grande afinidade sobre os mesmos exercendo passos que eram complicados e que eram bonitos de se ver.

O chão era limpo e embora algumas interrupções de terceiro entrando em seu caminho, o trabalho havia concluído. O marinheiro mais ao centro começava a chamar todos para se agruparem a sua frente, os esfregões, baldes e esponjas eram colocadas ao seu lado todas sendo retiradas por marinheiros auxiliares. - Embora alguns tenham se esforçado mais do que os outros, todos pareciam estar trabalhando em conjunto para deixar esse salão enorme limpo. Gostei de ver o resultado, aspiras! Espero que continuem se esforçando desse jeito mesmo fora daqui! - O homem parecia ser bem autoritário tendo orgulho de estar vestindo o uniforme da marinha. - Todo marinheiro precisa de uma força física exercendo o seu batalho, sendo tendo uma resistência mais avantajada, um corpo mais esguio ou sendo mais forte! Praticaremos isso agora, esse é parte do seu treinamento. - O homem começava a caminhar para mais perto das ferramentas de exercícios citadas anteriormente.

Ele chegava ao lado de uma bicicleta sem rodas e olhava para os seus recrutas. - Usem das máquinas e dividam-se, o treinamento deve durar durante trinta minutos e vocês devem ficar bem cansados após isso! Ao se passar dos trinta minutos, vocês darão cinco voltas durante todo esse salão, o primeiro homem a concluir a volta receberá um agrado a mais. Agora comecem! - Era dada a largada mais uma vez e os aspirantes a marinheiros começavam a correr para terem mais tempo de fazer os exercícios.

Como se sairia Sugar nesse momento, seu corpo aguentaria a bateria de treino? Qual aparelhos utilizar para se destacar em meio a todos aqueles marinheiros? havia feito um certo destaque que era comentado entre alguns dos aspiras com a sua dança limpado o salão, mas aquele era o seu único destaque embora tivesse se esforçado bastante.







Considerações:
 

Dicas:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign

Arco 01 - Budou Island
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Arco 02 - Wonderful Land
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sulphuric
Membro
Membro
Sulphuric

Créditos : 6
Warn : Não há certo ou errado 10010
Data de inscrição : 12/06/2017

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptySab 10 Mar - 0:45



Review




A limpeza não fora bem da forma como eu queria, tentei me dedicar e divertir durante a execução da ordem de um superior, mas o que pude perceber é que existem muitos vagabundos tentando passar no teste de hoje e isso me deixa, me deixa muito p... Bolado! "Porque esses vagabundos não ajudam? Cadê a parte de manter seu ambiente de trabalho limpo? Aposto que fazem suas refeições sem tomar os devidos cuidado de higiene. Se um desses caras for aprovado e serem médicos ou cozinheiros, prefiro a morte do que comer algo que fizeram ou ser tratado por um porco desses." E quanto mais eu ia dançando, maior a vontade de socar a cara desses vagabundos era, acredito que se meu irmão estivesse aqui ele já tava esfregando o chão com a cara deles, eles tem sorte por eu estar realmente interessado em entrar nessa corporação, não fosse por este motivo ambos tomariam uma surra. "Esfrega direito seu vagabundo, se você não servir nem para limpar um chão sob ordens de um superior, quem dirá o que vai fazer quando tiver dificuldades em uma missão, provavelmente vai fugir igual um cagão." Apesar da raiva que sentia me mantive a limpar sem interagir com a escória.

Mas logo a tortura acabou, com o fim do serviço não fui mais forçado a ver aquela escória fazendo corpo mole, mas ao menos pelo que tudo indica o avaliador estava de olho nesses vagabundos. - Mal conseguem limpar um chão, quem dirá carregar a responsabilidade de usar a farda da marinha - Sussurrei apenas para mim, enquanto era anunciado o próximo teste. Teríamos que mostrar nossas capacidades físicas e eu não tinha a mínimo vontade de fazer aquilo. - Isso é um teste ou uma aula de ginástica? - Será que a marinha estava participando de algum evento esportivo por isso queria recrutas atletas? Não bastava ter que ver a escória fazer corpo mole na limpeza, agora eu teria que fazer demonstração atlética? - Bom que seja, já to aqui mesmo, então que eu faça o meu melhor. - Esperaria o avaliador se afastar ou se distrair com algo e serrando os punhos olharia para quem fez corpo mole no primeiro teste e falaria - É bom eu ver as mocinhas dando o melhor de si agora ou vou esfregar o chão de volta usando vocês como esfregão. - Caso o avaliador não se afastasse ou não desse abertura para o comentário apenas sussurraria ao vento essas palavras entre meus dentes.

Enfim o humor volta ao normal.




"Merda, não basta todo o suor de limpar, agora vou suar que nem um cavalo pra mostrar pra eles e eu nem tenho platéia pra isso!" Marcaria o tempo correto em minha cabeça para que não fosse obrigado a nenhum segundo a mais de exercício além do necessário. - Se são 30 minutos, não são 30 minutos e 1 segundo. - Olharia ao redor e procuraria primeiramente um alguma superfície elevada, podendo ser composta de materiais duros como concreto e madeira ou materiais maleáveis como cordas, que fosse estreita onde pudesse demonstrar minhas habilidades de acrobacia da melhor forma. Na possibilidade de encontrar tal superfície, me dirigiria a mesma, olharia agora por uma forma de subir nela, subiria da melhor forma no equipamento. Em caso de sucesso em encontrar o equipamento e em subir no mesmo, iniciaria minha demonstração me equilibrando sobre a superfície deixando os braços abertos para ajudar no equilíbrio e alternando a posição dos mesmos conforme a necessidade para não perder o equilíbrio, em caso de manter o equilíbrio e confiando em meu domínio sobre acrobacias flexionaria minhas pernas de forma a tomar impulso, com as pernas flexionadas empurraria a superfície para baixo com a força que julga-se necessária para que meu corpo subisse a altura necessária para dar um mortal, jogando meu tronco para trás e minhas pernas para para a frente , tentaria então aterrissar de forma suave sobre a superfície novamente, caso algo desse errado durante a tentativa da execução falaria - Merda! Não tenho direito de errar em algo tão fácil! - E tentaria novamente o mesmo movimento diversas vezes até conseguir acertar. Em caso de sucesso no primeiro movimento sentiria bem a superfície e em seguida simularia uma luta em cima do equipamento, a simulação de luta sob a superfície estreita seria iniciada por duas troca de posição dos pés, ou seja, inversão de base, onde daria um leve impulso assim que meus pés perdessem o contato com a superfície faria com que o pé posicionado atrás fosse para a frente e o pé posicionado na frente fosse para trás tentando acompanhar o movimento dos pés com o troco do corpo também, invertendo também a posição das mãos de forma a inverter a guarda também, completando a primeira inversão com sucesso tentaria realizar a mesma novamente de forma a voltar a base da forma inicial, em caso de sucesso em uma ou nas duas tentativas de inversão tentaria o mesmo movimento até acertar. Completando com sucesso o segundo movimento partiria para a terceira parte da minha demonstração onde daria quatro passos para a frente invertendo minha base ao mesmo tempo que a cada avanço tentaria dar um golpe direto no ar onde tentaria limitar o tempo entre um avanço e outro pelo tempo de voltar a guarda das mãos, em caso de sucesso da sequência de quatro passos combinados com quatro diretos tentaria encaixar uma um salto rotativo combinado com um uppercut onde o pé e a mão que ficassem para trás após a execução do quarto passo seriam lançados para a frente e para cima na tentativa de impulsionar o corpo e fazê-lo perder contato com a superfície ao mesmo tempo que tentaria rotacionar o corpo na direção oposta a posição do lado que estava sendo utilizado para o impulso, ou seja, se o pé e a mão utilizados para realizar o golpe no ar fossem esquerdos a rotação seria para a direita e ao contrário caso o movimento fosse originado com os membros direitos, obtendo sucesso na realização dos golpe aéreo tentaria pousar na superfície novamente de forma leve e mantendo o equilíbrio, caso meus cálculos falhassem e o movimento saísse com imperfeições ou falhasse iniciaria uma nova tentativa partindo das inversões de base. - Cê ta me tirando que depois disso ainda tem uma corrida pela frente.

Caso a realização dos meus exercícios durassem um tempo menor do que 30 minutos, os realizaria diversas vezes até bater 30 minutos. Se durante a execução de algum dos meus movimentos houvesse falha e alguém tirasse sarro, não me daria o trabalho de olhar para o ser, mas diria em alto e bom tom - O inútil, para de prestar a atenção nos outros e foca no seu teste. - enquanto continuaria minhas tentativas. Em caso de não encontrar uma superfície estreita, tentaria realizar os mesmos exercícios em uma área livre em que evitasse colidir com outros participantes, porém nesta possibilidade todas as tentativas de movimentos seriam em dobro, ou seja, invés de realizar apenas um mortal para trás, tentaria emendar o primeiro mortal, se realizado com sucesso, em um segundo mortal que contrariando o primeiro seria direcionado para a frente, ou seja, ao terminar o primeiro mortal com sucesso tentaria cair flexionando as e depois empurraria o solo com ambos os pés tentando jogar o corpo ao ar uma segunda vez, mas desta tendo sucesso em sair do chão e alcançando com o salto uma altura satisfatória jogaria meu tronco para a frente enquanto jogaria minhas pernas para trás tentando assim realizar um mortal para frente, caso houvesse falha no primeiro ou no segundo mortal tentaria o movimento novamente sempre tomando como partida o primeiro mortal, ou seja o mortal para trás. Obtendo sucesso nos mortais realizaria a inversão de base só que quatro vezes invés de apenas duas vezes, caso não obtenha sucesso nas inversões de base iniciaria novamente do primeiro mortal e repetiria todos os movimentos arquitetados até a falha desta inversão. Obtendo sucesso nas inversões tentaria agora realizar os movimentos com quatro inversões mixadas com quatro golpes diretos finalizando com um uppercut giratório no ar e em seguida tentaria realizar a mesma sequência no enquanto partindo do lado oposto a partida da primeira tentativa, ou seja, se na primeira tentativa eu iniciar pelo lado esquerdo na segunda iniciaria pelo lado direito e vice-versa. Em caso de falha em alguma das tentativas durante este ultimo movimento iniciaria novamente da parte dos mortais iniciais. Em caso de sucesso na sequência antes dos 30 minutos começaria os movimentos novamente e os repetiria até chegar o tempo limite.

Caso consiga realizar a leitura exata do tempo e saber quando acabam os 30 minutos terminaria a manobra que estivesse fazendo, isso no caso de manobras aéreas, em caso de estar com os pés tocando a superfície deixaria de dar continuidade aos movimentos e começaria a realizar a corrida em volta do salão, primeiramente tomaria rumo para a a extremidade do salão mais próxima a mim e então começaria a corrida. -Humpf... Agrado a mais... Vou enfiar esse agrado a mais no seu... - Sussurraria e guardaria o final da frase apenas para mim "RETO SEU AVALIADORZINHO DE MERDA". Aproveitaria de minha aceleração para alcançar minha velocidade máxima o quanto antes e daria tudo de mim para completar aquela prova primeiro. "MALDITO EU QUERO SABER O QUE É O AGRADO A MAIS, eu vou socar muito a cara desse cara se ele continuar a me deixar curioso". Colocaria um perna frente tentando sempre aproveitar o impulso que ele acabaria por me fornecer antes de ser enviada para a frente e assim faria com a outra perna que antes estava na frente e que agora teria o dever de me impulsionar, com os joelhos levemente dobrando e esticando como uma válvula sempre tentando manter um bom ritmo e tentando evitar tropeçar no próprio pé. Ficaria também atento em outras pessoas que estivessem participando do teste, caso em algum momento alguém tentar me derrubar, tentaria saltar para a frente se fosse capaz de ver a tentativa de sabotagem antes da mesma ser realizada, no entanto caso apenas perceba que fui sabotado quando estiver próximo de cair, analisaria a situação da forma mais rápida possível, tentando identificar para qual lado seria ideal tentar uma rolagem para então tentar continuar a corrida sem muito atrasos e/ou contusão, ou seja, caso a melhor alternativa seja rolar sob o lado esquerdo, colocaria minha mão direita no chão tentando utilizá-la como apoio enquanto recolheria meus ombro esquerdo e cabeça em direção ao peito de forma que a parte superior esquerda de minhas costas possa ir em direção ao chão ao mesmo tempo que recolheria minhas pernas até que minhas costas após tocar o chão percorra o mesmo em um giro que teria inicio de contato com o chão, neste caso, no canto superior esquerdo das costas e fim no canto inferior direito da mesma, chegando ao fim do giro esticaria minha perna direita enquanto que manteria minha perna esquerda semi-flexionada com as quais tentaria me levantar e aproveitar o impulso para manter o ritmo da corrida e tentaria tomar a liderança para mim, tentando realizar o movimentos todas as vezes em que puder. Caso a melhor opção seja rolar para o lado direito faria o mesmo movimento que o giro para o esquerdo, no entanto com as indicações de direção e membros utilizados invertidos. Em caso de falha em alguma rolagem ou até mesmo acabar caindo por tropeçar por conta própria, levantaria e continuaria a corrida, no entanto com o semblante mais fechado. - AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!!! EU VOU QUEBRAR TODO MUNDO - Falaria isso durante toda a fase de corrida com uma intonação de raiva e mau-humor.



MAL-HUMOR PANDA MODE ON
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Histórico:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Bora fecha?:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Capitão
Capitão
Achiles

Créditos : 59
Warn : Não há certo ou errado 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : The Wonderful Land - 1º Rota

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptyDom 11 Mar - 1:47



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Não há certo ou errado.



Sugar se sentai irritado pois mesmo coma sua dança havia trabalhado mais que os outros ao seu ponto de ver e chamava-os de preguiçosos sussurrando para si mesmo ou em seus pensamentos, nada que os outros recrutas notassem ou fossem capazes de ligarem vendo isso como uma competição onde o prêmio era a vaga de marinheiro.

Tendo o exercício físico como o próximo passo do teste, era mais um teste de resistência e fortalecimento dos seus futuros marinheiros, embora Lee parecia demonstrar-se incapaz de entender aquilo ficando irritado por ter que fazê-lo, mas não podia ser diferente de um mal-humorado que estaria sempre reclamando de tudo, mais como um velho ranzinza do que um jovem raivoso.

O treinamento havia tido o seu início e Sugar parecia não querer perder nenhum segundo, em sua cabeça a contagem para os trinta minutos começavam, sua precisão com o tempo sempre foi uma qualidade notável no garoto e isso não mudaria naquele instante. Com exercícios básicos e alguns mais complexos conseguia ver alguns recrutas mais molengas.

Na troca de exercícios, um homem caiu a sua frente segurando dois pesos grandes dos quais quase caíram nos pés do aspirante a marinheiro, felizmente ele conseguiu desviar a trajetória de ambos antes que viesse a cair, os marinheiros o repreendia e o homem era pedido para se retirar se continuasse assim, o homem que havia deixado cair ficava mais abaixado e pedia desculpas por isso, continuando o seu treinamento um pouco mais desanimado e frustado com o evento que acontecia.

Podiam se ver vários dos marinheiros repreendendo seus recrutas e as ameaças eram iguais as outras, embora houvessem realmente alguns que já estava sendo repreendidos duas vezes e eram pedido para se retirar mesmo falhando naquele exercício básico e traiçoeiro. Para a sorte ou esforço do garoto de cabelos negros, nenhum marinheiro repreendia pelo excelente trabalho físico que estava fazendo, sendo até elogiado por um recruta que estava o observando enquanto tirava uma pequena pausa antes de continuar seus treinamentos.

Os trinta minutos se passavam e não poderia ser mais preciso, já em sua marca começava a correr na hora que era anunciando que deveriam estar correndo na pista, ganhando uma grande vantagem por já estar na frente do outros começava a sua corrida, como estava longe dos outros a sua precisão acabava não funcionando contra trombadinhas que queriam adquirir uma melhor vantagem empurrando ou derrubando os outros competidores e eram esses detalhes como ser preciso e estar longe dos outros que permitia que ficasse mais relaxado em questão a isso.

Ao térmico nas instruções, tinha tempo para poder descansar levemente, o recrutador mais uma vez começava a falar, embora ainda houvessem atletas mais relaxado ou fracos que não estavam conseguindo concluir o exercício ainda. - Bom, alguns de vocês já disseram um adeus para o recrutamento de hoje, teremos a parte mais divertida e provavelmente também a mais perigosa e pesada do recrutamento, vocês estarão lutando contra sargentos para adquirirem uma mínima experiência de combate e um treinamento com suas armas, não queremos marinheiros que fiquem atrás da mesa e sim marinheiros que vão ao trabalho em campo. - Terminava o homem, podiam ser vistos homens mais bem trabalhados e com uma vestida um pouco mais diferenciada como a não utilização do chapéu, uma camiseta colorida levemente em um tom fraco, laços ou coisa parecida. O tatame parecia estar sendo arrumado para que fossem ser usados.

Os sargentos traziam consigo armas de madeiras, colocavam a mesma espalhada um pouco mais abaixo do tatame para terem uso de seus recrutas, os recrutas se posicionavam bem mais atrás das armas e os sargentos se colocavam mais ao centro do tatame, o avaliador mais uma vez começava a se pronunciar. - Sugar Lee, você será o primeiro, se destacou nas duas primeiras atividades e quero saber logo de início qual é sua experiência em combates, quanto ao agrado que eu havia dito, é poder ser o primeiro, o tatame está mais limpo e isso te dá um melhor solo. Bom, não contaremos como objetos para serem utilizados além das armas de madeira, infelizmente não temos nada além de uma simples soqueira de madeira para quem gosta de usar as mãos. - Anunciava o homem, o único sargento que ficava dentro do tatame era o seu adversário, um [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] de um metro e oitenta vestindo as roupas tradicionais da marinha, sua pele havia um leve bronzeado e seus cabelos eram marrons, o homem parecia despreocupado com o que estava acontecendo e subestimava claramente Sugar. - O que será que você tem para mim? - Sua voz era seguida de um sorriso sarcástico do mesmo, ainda despreocupado e deixando sua guarda baixa, o homem parecia usar suas mãos ou pés para o combate.



Considerações:
 

Dicas:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign

Arco 01 - Budou Island
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Arco 02 - Wonderful Land
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sulphuric
Membro
Membro
Sulphuric

Créditos : 6
Warn : Não há certo ou errado 10010
Data de inscrição : 12/06/2017

Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado EmptySeg 12 Mar - 4:38



Review


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


"Droga! Porque não paro de pensar nesse maldito agrado?" Em nenhuma situação que me lembro meu lado curioso fora fácil de controlar, bastava uma fagulha que a chama interminável tomava conta da minha mente, funcionando como se a cada 3 pensamentos 1 era sobre o que havia despertado minha curiosidade, tornava-se uma compulsão, eu precisava solucionar aquilo, precisava descobrir que fim teria e o que aconteceria, desta forma foi quando meu examinador prometeu um agrado para o vencedor, meu empenho não era para ser o melhor ou para humilhar os demais, meu objetivo a partir daquele momento era conquistar o primeiro lugar para descobrir o que era este agrado, não suportaria viver se o examinador decidisse dar a informação sobre tal agrado apenas para o vencedor e este não fosse a minha pessoa. A curiosidade mesclada com o desprezo por preguiçosos e por fim multiplicadas as razões pelo mau-humor que desenvolvi durante essa minha vida me davam um gás a mais. Minhas acrobacias somadas a golpes de luta davam certo, eram dignas de um artista, e como todo apreciador de arte me orgulhava quando era capaz de produzir um espetáculo. Contava cada segundo, calculava cada movimento, enquanto ouvia alguns homens sendo repreendidos por seus erros sentia-me aliviado por não ter que escutar ninguém, reclamando da minha performance. "Humpf! Inúteis, se não são capazes nem de passar nisso é melhor que desistam mesmo, afinal eu quero entrar aqui é pra ser protegido e não ter que proteger caras que mal conheço."

O tempo passou e enquanto alguns descansavam eu continuava firme e forte, teria momento para descansar depois que tudo estivesse terminado, um dos homens que prestava o exame comigo acabou por gastar saliva para me elogiar mas quase não lhe dei atenção, não tinha a mínima vontade de ser o centro das atenções, eu queria era saber qual era o agrado que receberia ao sair vitorioso alí! - Não sou marinheiro ainda... Não puxa meu saco! - Ignorando qualquer sequência que o homem pudesse dar, ignorando até mesmo a sua existência naquele momento, nada deveria me distrair, meu cálculo do tempo precisava ser exato! "29 minutos e 57 segundos... 58 seg... 59... 30 minutos" Como sempre fiz em minha vida, confiei em minha capacidade de medir a passagem do tempo e atirei-me a louca corrida, estava extremamente preparado para situações adversas que poderiam vir a me atrapalhar durante meu avanço para a a primeira colocação na segunda fase do exame de alistamento, mas não me foi preciso utilizar de nenhum dos meus planos, pois minha noção exata do tempo tinha me dado uma vantagem sobre aqueles os outros participantes. "Essa foi fácil, UHUL AGORA NÃO PRECISO ME PREOCUPAR SOBRE QUAL É O AGRADO, SEREI EU A SABER MEU BENEFÍCIO!!!"



Hora de apanhar do Senpai.


As manobras acrobáticas não haviam sido muito cansativas para meu corpo que estava acostumado com tais exercícios, mas devo admitir que a corrida ainda não era meu forte. Aproveitaria que cheguei primeiro e descansaria um pouco sentando-me no chão onde esticaria as e inclinaria meu corpo, também esticaria os braços para trás e usaria as mãos para firmar-me ao chão de forma ficar confortável, alongaria meu corpo um pouco, mas isso apenas caso me sobrasse algum tempo depois do possível descanso. Ficaria atento para as instruções do examinador que para mim seriam o fim da tortura causada por pura curiosidade em minha mente "Se esse cara estiver planejando alguma pegadinha eu quebro esse lugar"

- Bom, alguns de vocês já disseram um adeus para o recrutamento de hoje.

"O cara já ta passando as instruções e aqueles fracassos ainda não chegaram aqui, bando de preguiçosos!"

-Teremos a parte mais divertida e provavelmente também a mais perigosa e pesada do recrutamento, vocês estarão lutando contra sargentos para adquirirem uma mínima experiência de combate e um treinamento com suas armas, não queremos marinheiros que fiquem atrás da mesa e sim marinheiros que vão ao trabalho em campo.

"Usando recrutas como saco de pancadas e ainda falam que é pra dar experiência de combate, babacas!" Observaria os homens ali dispostos que levavam o título de sargento e tomaria suas notas para si. "Esses oficiais devem ter passado por este teste em algum momento, melhor tomar cuidado, afinal ninguém ganha uma promoção de cargo sem realizar algo que foge a realidade do cargo anterior!" Engoliria em seco, não por medo, mas por saber que se um desses casca-grossa me quisesse ferido provavelmente lhes seria fácil. - Tá mas qual era a surpresa pra quem chegou primeiro? - Perguntaria enquanto os marinheiros traziam armas de madeira para usarmos. "Ao menos o combate fica mais seguro, não quero correr o risco de tomar uns golpes de um desses caras e menos ainda se usassem armas letais." Meus devaneios partiriam assim que meu examinador continuasse seu discurso.  - Sugar Lee, você será o primeiro, se destacou nas duas primeiras atividades e quero saber logo de início qual é sua experiência em combates, quanto ao agrado que eu havia dito, é poder ser o primeiro, o tatame está mais limpo e isso te dá um melhor solo. Bom, não contaremos como objetos para serem utilizados além das armas de madeira, infelizmente não temos nada além de uma simples soqueira de madeira para quem gosta de usar as mãos. - "QUEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE? EU ME MATEI SÓ PRA SER O PRIMEIRO A APANHAR???? QUE PUTA PRÊMIO EM CUZÃO." Em minha mente tudo o que sabia fazer era reclamar, mas por fora tentei manter a aparência que haviam comprado de mim, eles pareciam acreditar que eu estava fazendo o que fiz apenas pela marinha, imagino se descobrissem meus motivos, quais seriam as reações deles? - E eu lá tenho escolha? Que seja.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Pegaria um par de luvas de madeira dentre os disponíveis e os vestiria, prenderia os mesmos tentando deixar o mais fixo possível. Subiria no tatame onde um sargento me aguardava, o encararia, analisaria sua postura e sua fisionomia, ele parecia ser um pouco mais alto que eu, mas o homem que anteriormente me pareceria intimidador seria pouco a pouco desmistificado através das atitudes que tomava. O homem parecia relaxado e convencido de que este seria mais um combate unilateral e por fim suas palavras. - O que será que você tem para mim? - O tom sarcástico presente em sua voz me faria traçar como objetivo mínimo ao menos tirar sangue desse homem, sua atitude me faria lembrar o ignorante do meu pai minutos antes de perder a vida nas minhas mãos!

Com os punhos fechados e firmes envoltos por soqueiras de madeira, partiria em direção ao Sargento que estava no tatame comigo, mas não avançaria com toda velocidade ainda, esperaria estar a 4 passos do homem, neste momento usaria minha capacidade de aceleração para tentar atingir minha velocidade máxima na intensão de encurtar a distância entre nós em um tempo diferente do que o homem poderia ter calculado. Caso durante meu avanço o Sargento avance em minha direção também, tentaria acelerar minha velocidade assim que fosse capaz de perceber sua ação, neste caso esperaria estar próximo ao meu adversário e

Avançaria em direção ao homem usando minha aceleração para chegar o quanto antes na área de alcance dos meus golpes, chegando a área em que eu teria alcance eu tentaria saltar em direção ao meu adversário dobrando meus joelhos tentando compactar minhas pernas ao mesmo tempo em que tentaria manter a guardar com minhas mãos, posicionando meu braço direito na altura do ombro e levaria meu cotovelo para trás, dando a impressão de que um direto de direita estava por vir. Desde o inicio do golpe eu estaria refletindo em minha mente conforme ia desenhando meu golpe."Vou tentar me aproveitar das informações que eles ainda não tem sobre mim, até agora lhes mostrei que sou um bom dançarino e acrobata, talvez até possam desconfiar que tenho boa noção de tempo, mas em momento algum citei minhas habilidades de improviso derivadas da época em que participava de lutas clandestinas, mais do que um estilo de luta uma luta pela sobrevivência nas ruas, a luta de rua e não lembro de entregar informações sobre minha ambidestria a eles, portanto vou tentar utilizar esses dois para tentar ao menos convencê-los de que vou ser útil na marinha e assim ser aceito neste teste." Se obtivesse sucesso até este momento e meu corpo estivesse voando em direção ao sargento com as pernas flexionadas e braço direito pronto para soltar um murro direto... Com a face do sargento como alvo esticaria  minha perna com o intuito literal de pisar com o pé direito no alvo, obtendo sucesso com o pé direito como apoio na face do sargento, tentaria então rotacionar rapidamente meu corpo de modo a dar impulso para minha perna esquerda, obtendo sucesso nesta manobra tentaria recolher minha perna direita ao mesmo tempo que projetaria um chupe lateral com minha perna esquerda mirando a face do homem, obtendo sucesso no chute tentaria aterrissar com segurança e depois me afastaria de meu adversário saltando para trás. Caso o homem consiga interceptar meu pé direito enquanto tento lhe dar uma pisada na face, tentaria dar sequência com o chute lateral de esquerda da mesma forma, caso ele se esquive da tentativa de pisar em sua cabeça tentaria lhe encaixar um direto de direita ou de esquerda dependendo para que lado o mesmo tentaria desviar aproveitando da trajetória que estava fazendo em pleno ar. Caso eu obtenha sucesso em pisar com o pé direito nele e o mesmo tente segurar minha perna tentaria antecipar seu agarro recolhendo minha perna direita e daria continuidade ao ataque com a perna esquerda, mesmo sem contar com a força a mais que o giro poderia lhe fornecer, mas caso ele consiga segurar minha perna direita, tentaria flexionar tanto a perna esquerda quanto a direita de modo a me aproximar da face dele ao mesmo tempo que tentaria lhe dar um jab de direita tentando emendar um direto de esquerda e tentaria finalizar com um cruzado de direita.Caso tenha dificuldades em completar o golpe com a perna esquerda por ser bloqueado durante o percurso, eu tentaria realizar o mesmo que faria com a esquerda mas com a perna direita. Em caso de errar o chute com a perna esquerda por conta de seu adversário desviar, tentaria esticar a mão esquerda e segurar a cabeça do sargento com ela, em caso de sucesso lhe socaria com a mão direita e depois tentaria rodar meu corpo para tomar impulso e me deslocar para longe do bruta-montes. Em caso de um contra ataque vindo do homem durante minhas tentativas de ataque durante o tempo no ar, tentaria apenas aproveitar os impulsos que seus golpes poderiam me proporcionar sempre mudando de direção quando interceptado, uma vez que não estava seguro se ganharia em uma disputa de força bruta.

off:
 

Histórico:
 

Objetivos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Bora fecha?:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Não há certo ou errado Empty
MensagemAssunto: Re: Não há certo ou errado   Não há certo ou errado Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Não há certo ou errado
Voltar ao Topo 
Página 1 de 2Ir à página : 1, 2  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: West Blue :: Toroa Island-
Ir para: