One Piece RPG
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» ~ RESET ~
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor Shiro Hoje à(s) 12:53 pm

» [Kit - Garou]
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor Ainz Hoje à(s) 12:06 pm

» V - Into The Void
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 11:03 am

» Mini - DanJo
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor DanJo Hoje à(s) 2:51 am

» Crisbella Rhode
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor ADM.Ventus Hoje à(s) 2:48 am

» A Aparição de Mais Um Meio a Tantos
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor Wave Hoje à(s) 12:53 am

» O vagabundo e o aleijado
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor Ghastz Hoje à(s) 12:40 am

» Mini Aventura - Agyo Shitenno
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 11:16 pm

» O Legado Bitencourt Act I
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor Faktor Ontem à(s) 10:16 pm

» Apenas UMA Aventura
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor Van Ontem à(s) 5:49 pm

» Bellamy Navarro
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor Greny Ontem à(s) 12:43 pm

» Unbreakable
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor Ainz Ontem à(s) 11:55 am

» (Mini) Gyatho
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 1:02 am

» (MEP) Gyatho
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 12:55 am

» [MINI-Tenzin]Here we go again
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 12:53 am

» [M.E.P]Tenzin
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 12:43 am

» [Extra] — Elicia's Diary
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor GM.Noskire Ontem à(s) 12:27 am

» M.E.P DanJo
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 12:27 am

» Mini Aventura - No Mercy
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 12:20 am

» [Mini-Rosinante-san] O homem que quer ser livre
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 12:15 am



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG

Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


Compartilhe
 

 Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1 ... 8 ... 12, 13, 14, 15, 16  Seguinte
AutorMensagem
Makei
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador


Data de inscrição : 07/08/2017

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptySeg Mar 12, 2018 1:10 am

The Emperor of Sea



As luzes do sol batiam sobre seus olhos que haviam passados pela janela da enfermaria, os galos cantavam e os pássaros brincavam, finalmente estava na hora de acordar, o dia havia amanhecido novamente após uma longa noite de descanso e Lynn era um dos primeiros a se levantar no local, a fome parecia dominá-lo por completamente, podia ouvir os estrondos de seu estômago reclamarem por tal atitude, assim seguindo diretamente em direção ao refeitório após tirar suas dúvidas sobre o seu estado e o local onde era.

Adentrando do refeitório, o Ruivo era surpreendido de maneira positiva, o local era imenso ! podia ver mesas e cadeiras feitas de ferro com leves almofadas costuradas/parafusadas em um estado perfeito e confortável, o ambiente ao todo era limpo e predominante pelo cheiro de comida, os chãos quadriculados em branco e azul davam um ar mais tranquilo enquanto o símbolo da Marinha estava estampado na parede, tendo por volta de 2 metros, enquanto acima poderia avistar uma claraboia que iluminava o local por completo ao transmitir as luzes do Sol, com algumas nuvens e um clima amistoso, talvez fosse até possível avistar alguns pássaros voarem sobre o céu se lhe desse o devido interesse. Nas áreas de comidas, avistou as famosas cozinheiras e uma grande seleção de comida além do cheiro delicioso de café que parecia cada vez mais forte ao se aproximar. Pegando uma das bandejas com fundos para separar a comida, Lynn aproveitava do fato de estar vazio para comer o melhor que podia, estava morrendo de fome e isso lhe era visível ao agir de uma maneira apressada com as Cozinheiras.

- Hey, pode encher isso aqui logo ? To morrendo de fome ! -

A comida era colocada sobre a sua bandeja e a quantidade não havia sido pouca, havia recebido um pouco de café para acompanhar junto da comida e ajudar no processo matinal, podia sentir o cheiro da comida adentrar de suas narinas abrindo cada vez mais o seu apetite enquanto o de café o ajudava a acordar cada vez mais. Colocando sua bandeja sobre a mesa, ele começava a comer sua refeição, a comida entrava rapidamente em sua boca, a mastigando podia sentir o gosto atacá-lo por completo, não estava esperando algo deste género, más era algo Magnífico ! A comida era fabulosa, o contraste de sabores era perfeito, podia sentir o gosto umami predominar o seu paladar enquanto a quantia de sal era cada vez mais perfeita em cada colherada que dava, o café parecia acordar a sua alma para mais um dia árduo de batalha, aquilo realmente era um trabalho merecido ao Imperador dos Mares que demonstrava o seu contentamento por completo diante daquele banquete que o empolgava e revigorou a sua energia. Com sua mão esquerda levemente inclinada para esconder o sorriso de sua boca, o mesmo obtinha uma aparência mais delicada ao segurar com a mão direita sobre a sua roupa e com um olhar mais infantil após sua primeira mordida, era uma experiência que o garoto nunca havia passado em toda sua vida e estava adorando nesse momento ao sussurrar para ele mesmo.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

- D-Delicioso ! Uma comida divina, merecedora de minha presença como o Imperador dos Mares, Perfeito ! -

Caindo literalmente de boca sobre a sua bandeja, o Ruivo comia de maneira rápida e apressada, não sabia se era a sua fome ou o tempero... Mas tudo era perfeito ! O peixe, a carne, o café que até havia aproveitado para tomar seu último comprimido sem sequer reclamar ! Uma coisa era certeza nesse momento, após essa refeição, Lynn nunca mais olharia com maus olhos para aquelas Cozinheiras, elas eram divinas ! De primeira linha ! E apenas o seu respeito era sobrado para elas, coisa que deveriam se sentir muito orgulhosas, afinal... É do Imperador dos Mares que estamos falando. Finalizando sua refeição, o jovem fez questão de agradecer com um lindo sorriso as moças que haviam o oferecido por essa refeição maravilhosa ao entregar sua bandeja, se sentia totalmente cheio, não apenas de comida, de energia ! O valor de ter um cozinheiro para que cuidasse dele parecia um plano gigantemente fantástico de se imaginar no futuro, só pelo fato de ter algo assim para comer no dia-a-dia era fenomenal, sentia que precisava botar isso em prática alguma hora.

Já satisfeito, só faltava duas coisas a serem feitas, voltar na enfermaria para pegar as suas coisas e se trocar antes de ir para o Banco, precisava tentar resolver o que faria com esse papel de um valor inestimável o mais rápido possível, não podia manter algo tão fácil de ser perdido em seus bolsos de maneira tão descuidada, contudo, precisava urgentemente de um banho primeiro e era o que o garoto fazia ao pedir informação de um banheiro ou vestiário para um dos enfermeiros do local.

Cheiroso, vestindo seu uniforme e suas medalhas, agora a única coisa que restava era ir ao banco antes de finalizar a sua estadia em Shells Town, a cidade havia lhe cuidado por um tempo, porém como tudo na vida... Tudo tem um fim e a presença do Imperador dos Mares para proteger e cuidar do clima de Shells estava se acabando. Não tinha arrependimentos, havia conseguido iniciar seu sonho e a sua história só estava no prelúdio ! No entanto... Uma companhia parecia fazê-lo esquecer totalmente dessas coisas, já que ao seu lado nesse exato momento havia um Gato Humanoide de um tamanho desproporcional, a troca de farpas era inevitável, principalmente ao perceber que estavam se direcionando para o mesmo local e Lynn não poderia deixar isso limpo dessa maneira, de maneira bruta e rude o mesmo mostrava seu dedo do meio enquanto a questionava os motivos de segui-lo, mesmo que no final ele sabia que o destino dos dois poderia ser o mesmo, aquilo o incomodava... Tinha um respeito sobre a Mink mas, não podia deixar de esquecer das desavenças, era algo natural para ele e provavelmente para Kariel... No entanto foi surpreendido ao ver a gata agir de maneira diferente, confuso com as ações da mesma, responderia de início meio desconfiado ao reparar para o seu rosto enquanto continuava a andar, sua interação estava totalmente abalada já que havia preparado milhões de respostas para atitudes mais convencionais que os dois vinham a ter, assim não esperando por algo desse gênero.

- A-Acho.. Que sim... Vou no banco primeiro... H-Hey... Se tá passando bem ? Tá doente ? -

" QUE PORRA TA ACONTECENDO ? HEY, VOZ DO CARALHO ! PRECISO DA TUA AJUDA ! "

"" Por que me acordou seu filho da puta ! Vamo, me fala, o que está acontecendo ?  ლ(ಠ益ಠლ)""

" Essa gata do demonio ta agindo estranho !! Você ouviu o que ela acabou de falar ? Ela literalmente me deu "Bom Dia" ! Que porra é essa ? "

"" Oh meu deus ! O mundo está acabando ! Vamos pessoal, corram para as colinas ! ┬┴┬┴┤(・_├┬┴┬┴ ""

- Entendo... Eu acho…? Melhoras ? -

Mais confuso que uma formiga no meio de uma floresta, Lynn estava totalmente sem reação, era algo totalmente estranho para ele, não sabia como lidar com aquilo mas, continuava a andar ao lado da Mink de maneira nervosa até que seus caminhos se diferenciam por um fim, sendo surpreendido novamente pela atitude de Kariel novamente, apenas lhe respondendo com um aceno de mão sem jeito, não foi nem capaz de sequer levantar um pouco o braço, apenas levantando sua mão, sua voz saia confusa e sem nexo... O garoto havia bugado por inteiro, não sabia atualmente se Branco era Preto ou se Azul era Verde... A única coisa que sabia era que sua mente deu tela azul enquanto fumaçava com vários gritos de "ERROR".

- T-Té? -

" ... Acho que to passando mal... "

"" Calma, estou indo pegar minha roupa de doutor agora mesmo ! Aguente mais um pouco, não me abandone ! ~ ᕕ(ᐛ)ᕗ""

" M-Me desc... Me desculpe mas...N-Não sei se consi-...go *Piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii* "

"" É UMA EMERGÊNCIA ! ME TRAGAM O DESFIBRILADOR ! *THUD* *THUD* (ノಠ益ಠ)ノ "

" *Pip* *Pip* *Pip* "

"" Boa guys ! Conseguimos salvar mais uma vez a vida desse merda ! VIVA CARALHO ! ヾ(⌐■_■)ノ♪""

Adentrando do Banco, o seu estado só parecia continuar péssimo, já estava totalmente bugado e não saber o que fazer lá dentro fazia as coisas só mais complicadas, estava com o papel em mãos mas, não sabia onde colocá-lo... Olhando de um lado para o outro, tinham tantas opções de caminho a seguir que só atrapalhavam cada vez mais ao ter sua mente em um estado desastroso, mexendo seu corpo de um lado para o outro em busca de uma resposta, esperava simplesmente entender o que deveria fazer... A realidade era triste, já que infelizmente havia se perdido em suas próprias ações, não sabia se deveria andar para frente ou dar marcha ré, deitar ou gritar... Tudo estava confuso... Sentia como se tivesse desaprendido as coisas e que o mundo estava começando a girar e para ajudar na receita do desastre a sua falta de conhecimento social só se mostrava pior... Entretanto uma voz o faria voltar a vida, ela perguntaria se o Ruivo precisava de ajuda e o mesmo respondia rapidamente sem pensar direito no que estava falando.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

- Eu não sei... Me mandaram vir aqui para resolver as coisas deste papel de merda... E-Eu não sei o que tenho que fazer, essa merda é muito complicada, porque EU O IMPERADOR DOS MARES TENHO QUE FAZER ISSO ? Na Moral, toma no cu... E-eu, eu... Moça, me ajuda... -

"" Calma garotos ! Estamos perdendo esse retardado novamente ! Estejam prontos para tratá-lo novamente ! ┬──┬ ノ( ゜-゜ノ) ""

Por mais assustada que a moça pudesse estar, Lynn ainda estava com o uniforme da Marinha junto de mais três medalhas, talvez tivesse um leve peso na consciência em desrespeitá-lo, mesmo vendo seus atos fora do normal o respeito é algo necessário para as pessoas de um banco... A não ser que fosse um guarda, aí a história provavelmente seria outra ! Ainda perdido, Lynn continuaria a olhar a sua volta mais perdido que nunca e como um raio de Luz, as suas respostas pareciam serem resolvidas ao ver aquela pequena garota de cabelos brancos entrar em sua visão, como um remédio para sua vida, as suas pernas mexeriam sozinhas em sua direção de maneira desajeitada como se aquilo fosse a coisa mais natural do mundo, o desespero em seu rosto era evidente ao se ter pequenas lágrimas de alegria escorrerem de seus olhos. A sua salvação havia chegado ! Não sabia o porque mas a confiança que Lynn tinha sobre a pequena garota para resolver essas coisas era um pouco maior que o normal, não se sentia mais confortável do que nunca ao tê-la ao seu lado para resolver essas coisas, por isso que o mesmo agiu de maneira estranha ao vê-la no meio de seu desespero, estava perdido no meio da escuridão sem saber o que fazer e identificar aquela pequenina trazia uma felicidade imensa para o seu coração e estado mental. Com grandes passos largos ele se aproximava cada vez mais da garota, seu jeito estranho de correr ao gritar o nome dela provavelmente chamaria a atenção de todos, mais ainda ao vê-lo abraçá-la como se fosse um objeto especial de um valor inestimável, porém isso não fazia diferença para o Jovem, precisava disso, era um ponto seguro que havia conseguido e aquele mundo "Social" parecia um pouco assustador a sua vista por não entendê-lo por completo, tendo uma reação totalmente fora do comum... Por enquanto.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

- ALIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII -

"" Boys ! Estamos salvos ! A Waifu chegou ! *Yayyyyyyy* (Varios gritos juntos) (ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧ ✧゚・: *ヽ(◕ヮ◕ヽ) ""

- Aliiiiiiiii… Eu to confuso... Eu não sei o que fazer com essa merda de papel… Por que diabos eu tenho que fazer isso ? Me ajudaaaa -

"" Boa rapaz, +100 Pontos ! ʕ•ᴥ•ʔ ""

Com a garota talvez em seus braços, não sabia como ela reagiria mas, podia sentir o próprio coração bater mais forte, mesmo que houvesse uma certa inocência em seu ato, era algo fora do comum, principalmente ao envolver esse tipo de interação entre sexos opostos, a visão das pessoas poderia vir a ser de ruim a pior ao ter Alipheese como base, uma garota de aparência delicada e infantil sobre os braços de um garoto ? Se não fosse provavelmente por suas roupas de Marinheiros, a chance de dele ter sido preso era gigantesca ! De onde pode imaginar um garoto do tamanho dele abusar de uma pequena garotinha como ela?  Mas com o devido tempo, era bem provável que ela conseguiria se recompor e finalmente começar a lhe explicar como as coisas funcionavam, afinal... Essa era a visão que o Ruivo tinha da jovem. Atendendo a todos as ações que ela o falaria para fazer, ele os faria sem sequer discutir, sobre a explicação que ela poderia vir a dar, esperava que fosse de fácil entendimento, assim demonstrando com ações e palavras o seu compreendimento.

- Uhum... Tendi... É, faz sentido... Ok... Eu acho... -

Tendo Alipheese provavelmente como um exemplo, tudo ficaria mais fácil para ser resolvido e finalmente finalizaria tudo que havia iniciado ali ao colocar 700.000 Berries em seu bolso enquanto o resto manteria guardado no banco para seguir seu caminho em direção ao Barco.

Soltando um suspiro profundo, podia se sentir finalmente mais livre com tudo aquilo, havia acabado com aquilo e agora só restava ir em direção ao Barco ao lado de sua companheira, a observando pelo caminho que seguiam, ainda estava um pouco perdido em seus pensamentos mas dessa vez eram diferentes, se perguntava como as coisas prosseguiriam e como ele tentaria lidaria com isso, já que a sua História estava apenas começando !

Chegando finalmente ao porto, poderia sentir o cheiro da maresia entrar em seu nariz, era uma plataforma gigantesca e simples de madeira com várias embarcações paradas, podia observar várias caixas, homens ao redor, crianças praticando alguns movimentos e do antigo Senhor Mascarado conversar com alguns marinheiros em uma das embarcações, seu tamanho era gigante e provavelmente seria nela que iriam partir. Apesar da variedade de coisas, uma chamava sua atenção e não sabia se era a sua inocência ou a falta de conhecimento básico o fazendo ter curiosidades estranhas mas, infelizmente Lynn era um homem e aquilo chamava um pouco sua atenção ao ver aquele tipo de coisa, assim dirigindo a pergunta a pessoa que mais confiava nesse momento para se ter uma resposta... Provavelmente sendo ignorado.

- Hey Ali, é normal as pessoas vestirem dessa forma ? -

“” Aquilo é a perdição meu jovem ! É tudo que um homem deveria buscar ! ( ͡° ͜ʖ ͡°) “”

Chegando na embarcação, podia ver o Capitão pular dela diretamente na plataforma de madeira ao se segurar em uma corda para facilitar o trabalho como um rapel, o mesmo dizia para que aproveitassem do local para explorar o Barco até as 11 horas, coisa que o jovem não veio a negar ao apenas se manter em silêncio com um simples gesto de cabeça para confirmar que havia entendido. Acompanhando Alipheese, Lynn podia se sentir extremamente estranho no primeiro momento que colocasse seus pés sobre o Barco, sentia a instabilidade do local o atrapalhar, era uma sensação muito parecida com o que havia tido em seus momentos de tontura em que sentia uma grande deficiência em se manter um bom equilíbrio sobre o corpo, tentando se manter o mais calmo possível para que se acostumar naquela situação, aproveitaria para simplesmente talvez descansar até que algo se mostrasse interessante, diferente da pequena garota ao seu lado, Lynn não era tão produtivo assim para coisas simples, sua visão em se considerar algo "Maior" não lhe permitia ser tão colaborativo, por isso vindo a talvez se separar da garota se a mesma achasse algo para fazer, se despedindo previamente. Buscaria um lugar provavelmente em que pudesse ter uma boa vista para reparar nas pessoas e aproveitar da brisa do céu sem muitas complicações, mantendo uma atitude folgada.

Histórico:
 
Objetivos:
 
off¹:
 

Créditos a @[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por Makei em Seg Mar 12, 2018 2:37 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
SraVanuza
Membro
Membro
SraVanuza

Créditos : 12
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 10010
Data de inscrição : 14/12/2017
Idade : 21

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptySeg Mar 12, 2018 1:31 am



Be a pretty bitch!



“Eu não posso acreditar que eu tenho que usar isso? Muletas? Infantis sério? Eu sou uma lutadora, é claro que vou forçar o meu pé, não posso ficar com isso, o que diabos eu vou fazer? Mas que ótimo…”

O diálogo com aquele médico havia a afetado, fingia ser condescendente com a situação, sorrindo e acenando a cabeça, mesmo desesperada por poder perder sua perna, aceitaria de bom grado as recomendações, mesmo tendo ficado confusas com algumas delas, tinha que relaxar o máximo possível, para que quando acordasse estivesse melhor, não podia jogar um dia fora por causa de um ferimento desses, as dores a incomodavam, mas seu orgulho não permitia deixar que os demais vissem essa vulnerabilidade. Não podia fraquejar agora.

Caminhando até o banheiro com suas novas companheiras, parecia cabisbaixa, desmotivada, tinha que melhorar logo, não poderia ficar ali naquela situações por mais tempo. O banheiro de fato era impressionante, tinha de tudo e era bem organizado. Finalmente sem mais interrupções naquele momento, poderia relaxar durante seu banho, mas claro que as coisas não seriam assim tão fáceis, olhar para aquelas muletas a fazia se enxergar de um outro ângulo, talvez ela não estivesse em cima daquele pódio onde acham que estivesse. Quem sabe ainda exista um grande caminho para ser percorrido. Sua emoções eram conturbadas e confusas, uma nova onda chegou e lhe arrebatou com força.

Que sensação estranha não? Conversar com pessoas, rir? Que droga era isso? Não parecia tão ruim assim, pelo menos era o que parecia. Kariel sentia-se acolhida e ao mesmo tempo jogada fora, alguma vozes ecoavam em sua cabeça, o que novamente a deixavam mal. Não iria ficar para trás, não de novo. A jovem Em seu banho quente, pensava a fundo o que faria, não estar 100% poderia de fato ter lhe afetado de certo modo. Enquanto a água escorria por seu corpo deixando-o mais confortável e sonolenta, afinal era um momento muito relaxante, porém sua mente novamente se expandia para pontos não recomendados.

“Isso está certo? Eu estou realmente aqui?”

Sua mente era conturbada pelos eventos daquele dia, o sangue, as lutas, os sucessos e fracassos, mas por algum motivo aquilo ainda parecia desequilibrado, como se mesmo no final do dia, ainda fosse uma fracassada qualquer. E isso não era seu objetivo ali, não era para isso que treinou tanto. Após terminar de se lavar, vinha outro desafio, se secar, seus pelos molhados pareciam não ceder no incrível desafio de lhe deixar ainda pior.

“Mas que droga, isso não vai passar não? PRECISO FICAR SECA!”

Ela esfregava a toalha com mais força e mais velocidade, tinha o intuito de conseguir de fato estar o mais seca possível, até que desistiu, parecia o suficiente, o resto secava naturalmente, com suas mãos ajeitava seu pelo, para que eles pudessem ficar mais rentes em seu corpo e menos estufados, afinal não queria ser vista como uma bola de pelos pelos demais marinheiros no recinto. Após estar de fato “apresentável, com suas novas vestes, se locomoveria de volta a enfermaria, onde iria encontrar novamente aquele médico.

A dor de colocar a perna no chão era ainda repulsiva, ao poucos ela deveria cessar, mas a fraqueza naquele período era muito incômoda. Somando ainda as dores no resto de seu corpo, buscaria dormir bem, sentia se melhor do que estava antes do banho e do remédio, mas algo a afligia, um medo de aquele ferimento pudesse a atrapalhar em um momento decisivo.

Guardaria as palavras do médico, na manhã seguinte deveria estar melhor. Deitar naquela cama era reconfortante de alguma forma, uma certa vontade de chorar vinha em seu peito, mas a esmagaria com todas as suas forças, talvez isso fosse contra o que sua sanidade mental pedia, mas naquele momento aquilo era preciso. Ficava de costas para o ruivinho que estava do seu lado, abraçava o travesseiro, respirava fundo, fechava seus olhos e apagada.

Não queria mais estar naquele dia, era pesado, triste e solitário, sensações que não a fazia bem, então acabar logo com aquilo era o melhor a ser feito. Esperava não sonhar com nada, para que de fato pudesse acordar bem com a vida de novo e fingir que nada daquilo havia acontecido.

No dia seguinte, acordava um pouco melhor, os pensamentos ruins haviam saído de sua cabeça, poderia se considerar que seu sono havia sido muito bom e reconfortante. As dores deveriam estar menores do que antes, ao acordar, passaria suas mãos em seu rosto, para poder ficar mais apresentável e com isso sobre suas vestes, para tentar desamassá-las um pouco. Após essa pequena cerimônia, tentaria colocar seu pé direito no chão, não usando ele como apoio central, apenas para saber em que estado ela estaria.

Se sentisse muita dor, usaria suas muletas para poder se locomover, pelo menos por enquanto, mas se já fosse capaz de andar sem aquele suporte, ficaria mais motivada para começar aquele outro dia.  Arrumava suas coisas, prestando atenção para não esquecer nada. Um sentimento diferente ardia em seu peito, parecia familiar, fazia um dia que começou sua jornada e naquele meio tempo, já teria mudado tanto. Algo como começar de novo, de novo. Era diferente da primeira vez, não tão motivada, por que o mundo tratou de baixar sua bola, agora de cabeça em pé, iria para frente, sem volta, sem retornos e sempre fracassos.

A saída dali, poderia ser conturbada, iria em direção de um médico próximo, perguntaria se deveria tomar outro de seus remédio , já com aquele velho medo das dores aumentarem, suas costas e seu rosto ainda estava doloridos.

-Olá, bom dia, gostaria de saber se devo tomar mais alguma coisa… Sinto um pouco de dor ainda.. E outra, sobre a tornozeleira, devo continuar com ela? Ou ela já pode ser removida? - Diria isso com um pouco mais de animação, caso se sentisse mais disposta em relação as dores, não queria ficar mancando com isso o tempo todo, tinha muito o que se fazer. Seguiria as recomendações assim que possível, agora teria de ir para o tal local de encontro.

Logo na saída, como mesmo destino, deveria encontrar aquele grande e velho amigo. Lynn. Rolaria seus olhos para cima, olhando para ele, para que ele possa ver sua expressão de desgosto, mas em seguida, daria um sorriso meia boca, não por ser ele, mas sim pelo que acontecia na cabeça dela.

-Bom, acho que estamos indo para o mesmo caminho… - Sua voz parecia distante, não tão focado em ser tóxica, como de costume - Já está indo para o barco?

Era evidente que não estava tão bem, estava meio desligada, não tão ativa como sempre, olhava para os cantos e extremidades, não focava tanto no rapaz, não parecia querer gastar energia com isso naquele momento. Mas se caso aquele rapaz fizesse algum tipo de provocação ou piada, como eles trocavam de costume.

-Ah… Hoje não, hoje não… - Agora soaria como um pouco mais brava ou sem paciência, parecia querer evitar aquele tipo de situação naquele momento. Caso ele continuasse a falar algo negativo ou tóxico, Kariel aceleraria seu passo, para sair de perto do rapaz o mais rápido possível, deixando ele falar sozinho.

Entretanto se por algum tipo de milagre ou distúrbio mental, o rapaz fosse empático, mesmo que da forma dele, fazendo algum comentário não tão ruim ou que pelo menos visasse entender o que estivesse acontecendo com ela. Responderia de outra forma.

-Bom, não estou tão bem hoje, ontem foi um dia bem estressante.. Mas pode ficar tranquilo, vou ficar melhor.. - Mesmo desanimada, falaria de forma um pouco mais animada, se forçaria a estar melhor naquele momento, para não deixar  esse momento vulnerável tão exposto.

Se continuasse perto do rapaz, ou seja, se não tivesse se afastado dele durante o caminho, chegaria em um momento que seguiram caminhos diferentes, ou seja, ele se direcionaria para sua origem e ela para a dela.

-Eu estou indo para o barco, pretendo chegar mais cedo para não ter de me desesperar! - Após terminar de falar daria um aceno de mãos, para se “despedir” naquele momento, logo continuaria a andar até o porto.

Sua mente voltaria a se embaralhar com seus pensamentos caóticos. O que não estivesse fora do padrão naquele momento, estava reflexiva para que pudesse superar aquela barra que estaria passando. Depois de caminhar até o porto, daria de cara com uma “velha” amiga, Setsuni. Que logo tratou de a receber de forma amistosa e convidativa.

-Oh.. Não achei que veria você de novo! O que aconteceu? Conseguiu entrar e recuperar o que procurava? - Ficaria um pouco mais alegre em vê-la, afinal aquela mulher lhe daria uma grande energia positiva para poder seguir em frente, como o que havia feito com ela anteriormente.

~Inicio da Pericia~

Setsuni respondia negativamente sobre a pergunta feita, de fato não havia conseguido o que pretendia buscar de volta. Mas ela não parecia abatida ou abalada. Estava bem, não demonstrava o “fracasso” de forma  explícita, o que deixava Kariel ainda mais impressionada, afinal em qualquer falha, a gata sentaria no chão e começaria a choramingar.

-Mas deixando isso de lado… Estava pensando no que havia me dito mais cedo, sobre eu ter de te orientar! - Dava uma pausa breve em sua fala, colocava sua mão esquerda em seu quadril e a direita com um dedo apontado para cima, o indicado, nesse momento um repentino sorriso que em seguida era trocado por um expressão de raiva - Eu não sou obrigada a nada! Não tenho que te ensinar coisa alguma! Mas eu vou, vou lhe dar uma última lição, algo que quem sabe pode ser útil em sua jornada!

As expressões de Kariel variam entre extrema alegria e “Que droga ela ta falando”. Mas no final da fala, a jovem aperta suas duas mãos, em forma de “Oração”, em frente a seu rosto, estava com um sorriso gigante, de orelha a orelha, seus olhos brilhavam em um forte dourado. Estava animada, quem sabe se isso poderia lhe tirar da fossa que havia se enfiado.

-Vou te ensinar… A Arte da Sedução! - A mulher falava isso com um certo poder, um encanto. Mas a expressão de Kariel não ficou animada por muito, tempo, parecia confusa e indignada.

-Mas o que? Eu pretendo ser uma espadachim poderosa e você quer me ensinar a seduzir marmanjos? No que diabos isso vai me ajudar? - Dizia de forma levemente nervosa, mas controlada, ao mesmo tempo que terminava de falar, Setsuni, pega um leque, que estava preso em suas roupas e bate com ele na cabeça da gata. Ação que a deixava ainda mais confusa.

-Com ousa? Sedução é uma das maiores vantagens para qualquer um! Ainda mais para alguém que estará na frente de um combate! Não terá segundas chances e deverá usar de todos os seus atributos para conseguir vencer! Além de quem sabe conseguir algumas bebidas de graça em algum bar! - Ria de forma a parecer que estivesse vendo “flashback´s” em sua cabeça.

-Hey hey! Pode voltar para esse mundo? Ok, entendi, consigo visualizar isso me sendo útil… Então, o que devo fazer? - A jovem parecia se contentar com o que havia sido colocado em suas mãos, como conhecimento nunca é demais, aceitaria os ensinamentos de sua, até então, mentora.

-Bom, vamos começar. Vou te dar algumas instruções básicas e orientações, se tiver alguma dúvida me avise! - A gata acenava com a cabeça positivamente, parecia estar 100% focada no que aquela mulher lhe estaria dizendo.

-Então… Muitas pessoas têm um conceito muito errado sobre o que é Sedução, não é apenas algo utilizável em flertes e paqueras. Pode ser muito mais profundo e útil que isso. Essas razões, até o momento são completamente fora do que você procura, mas com certeza saber lidar com esse tipo de situação e tirar proveito dela, te tornará muito mais crítica e esperta do que antes. Não se trata apenas de sexualização, mas sim de sensualidade. Não necessariamente vai usar isso pra sair transando com desconhecidos por aí… Um momento bom para se usar das vantagens de ser mulher e das desvantagens cerebrais de um homem… É que eles se distraem muito fácil com algo que consideram atraente. Se uma mulher com os peitos de fora aparece num recinto. TODOS, eu disse TODOS, os homens vão olhar para ela. Diretamente e sem discrição. Isso os torna muito fácil de ser manipulados. Por outro lado, quando um homem muito atraente aparece, as mulheres começam a “jogar”... Ou seja, usam de seus atributos físicos, mentais e psíquicos para conseguir chamar e manter a atenção dele, focada nela. Você pode apelar pro sexual? Sim. É útil? Sim, mas existem outros meio de se conseguir roubar a cena. - A mulher parecia dizer isso com certa profundidade, de fato sabia do que estava falando, não era apenas conversa sendo jogada fora. Kariel acenava com cabeça novamente, mas um pouco confusa.

-Então quer dizer que ser sensual, pode em algum momento me ajudar em uma situação de perigo? - Ainda parecia descrente do que estava aprendendo.

-É claro! Obviamente que depende da situação, não adianta cruzar as pernas e mandar beijinho para um monstro do mar, por que isso não vai rolar. Mas em certos casos, sim, isso pode funcionar. Vejamos algumas situações onde a Sedução poderia te ajudar… Você está seguindo ou espionando alguém só que essa pessoa nota. Usar da sedução para burlar as suspeitas e se aproximar do alvo. Outra seria dentro de um combate ou até mesmo antes do combate começar, isso poderia lhe ajudar a distrair seu alvo, para que quando você ataque, seja perfeito, podendo diminuir as chances de ele reagir de forma efetiva. Outra ótima situação é na busca de informações, o papel da gostosa burra é sempre muito eficiente, homens não são muito espertos nesse quesito. Mas em contra partido, seduzir uma mulher é muito mais complicado, por que temos isso dentro de nós, mas nada que a prática não resolva! Uhum! - Fechava os olhos e balançava a cabeça - Alguma dúvida?

-Então não é só apertar os peitos e fazer “beicinho”? - Nesse momento Kariel recebe mais uma “lecada” na cabeça, sendo um pouco mais forte dessa vez, fazia a gata fechar os olhos e colocar as mãos na cabeça - Ai ai.. Já entendi, já entendi!

-Se já entendeu, vamos ver isso agora! - Kariel inclinava o rosto um pouco para o lado - Já que você ainda teima que sedução é completamente uma apelação sexual, me mostre sua tentativa mais sensual… Quero você o que você é capaz! - Gargalha.

Kariel faz uma cara de preocupada, mas tentaria seguir o comando dado a ela. Da forma mais patética, precária e estereotipada possível, a gata inclina sua coluna, empinando seu bumbum, coloca seu braço esquerdo segurando sua cintura. Sua perna direita para frente, como se fosse dar um passo, e a esquerda servia de base, um pouco mais para trás,  seu rabo fazia um “S”. Seu rosto era o mais trágico. Fazia um leve “biquinho”, deixava os olhos abertos, o que faziam eles brilharem, olhava fixamente para sua tutora.

-Meu deus.. ISSO É PIOR DO QUE EU IMAGINAVA! VOCÊ QUER UM POUCO DE RAÇÃO??? - A mulher tinha um ataque de risos, parecia estar completamente em choque, a mulher abaixou seu rosto, deixando sua coluna ainda mais baixa, parecia ficar sem ar, seu rosto ficava levemente corado - Ai, ai, não consigo respirar…

Kariel abaixava os braços, como se estivesse “derretendo”, junto com sua coluna, sua expressão parecia completamente apática a situação.

-Para de rir e me ajuda!!!! Eu ainda estou confusa! - Dizia indignada com a atitude da mulher, a cena era claramente cômica pra qualquer um que estivesse assistindo. Setsuni então voltava a sua postura habitual. Ficando um pouco mais pensativa.

-Você ainda não entende que não precisa ser clichê, sensualidade varia de acordo com seu alvo. Um bom exemplo disso seria você tentar seduzir alguém acadêmico, intelectual ou introvertido, vamos usar uma coisa mais genérica, esse tipo de pessoal costuma ser um pouco mais casual e simples, do que algo muito luxurioso. Então coisas mais fofas e atrativas são mais eficiente, assim como quando seu alvo for algum tipo de mafioso, pirata ou alguém mais “gueto”, você já usa algo mais sexual e vulgar. Entendeu? - Instantaneamente recebeu um aceno positivo de cabeça da gata - Então, vamos lá, de novo! Sem graça dessa vez!

“Eu não estava fazendo graça! Pensei em algo infalível! Nem ela vai resistir.”

Novamente a gata usaria de suas poses infalíveis para seduzir sua tutora. Seu próximo movimento seria ainda pior. Em pé, cruzou suas pernas, uma na frente da outra, deixando suas coxas juntas e sobrepostas. Levemente inclinada para frente, também cruzar seus braços, o esquerdo para baixo e o direito por cima. Em suas mãos, faria um sinal, como se fosse de duas “arminhas”, o indicador e o dedo do meio para frente e retos, e o polegar para cima. Sua expressão permanecia a mesma, só que agora faria movimentos “sutis” com a boca. Aquilo estava horrível.

A cara de Setsuni era de completo desgosto, como alguém poderia ser tão seco assim? Kariel ao ver novamente sua falha, tenta alterar sua pose. Descruzar suas pernas. ficaria mais reta, porém ainda levemente inclinada, sua mão esquerda ia em direção a seu cabelo, fazendo leves movimentos circulares com uma madeixas de cabelo. Sua expressão ficaria mais leve e sorridente. Com a mão direita colocaria em seu ombro direito, com o braço passando um pouco mais embaixo de seu queixo. Com um tom de voz mais “adocicado”, faria uma leve provocação.

-Será que eu posso te ajudar meu senhor? - Diria de forma confiante, porém vulnerável, dando uma certa ideia de “fragilidade”, o que homens adoram achar sobre as mulheres.

A mestra, fazia uma leve expressão de surpresa, parecia estar satisfeita com o que havia acabado de ver, de forma “sarcástica” daria um sorriso e uma silenciosa e breve batida de mãos, como palmas discretas e amigáveis.

-Bom, isso foi bem melhor. E você também conseguiu seguir uma ótima vertente, sua personalidade, se fazer parecer mais “frágil”, pode ser mais atrativo de acordo de quem se quer seduzir, então foi uma ótima jogada. Uma postura mais severa também serve para encantar brutamontes, que quem sabe curtem uma figura mais forte e menos frágil. Também não podemos esquecer daquele velho padrão de avanços sexuais pesados e mais frágeis, a famosa “gostosa burra”. Essas “personas” são muito eficientes, mas também requer um pouco de Atuação, então tente aprender isso o mais rápido possível, por que é bem claro que você está fingindo. Então, assim que se organizar, aprenda a atuar!

-Mas não precisa se desanimar, isso é algo que se aprende com calma e com o tempo, sempre que possível… Mesmo que antiético. É ótimo para aperfeiçoar e desenvolver mais técnicas, nunca se deixe se manter no mesmo level que no dia anterior!

Por um leve segundo, Kariel sentiu-se orgulhosa, aparentemente fez algo certo, pelo menos naquele momento. A partir dali  e com aquelas recomendações e dicas, iria com certeza praticar para poder melhorar em suas táticas e formas de atingir seus alvos.

-Mestra, muito obrigada! Eu pretendo me esforçar muito! Prometo que logo estarei no seu nível! - A garota parecia emocionada, mas ainda firme. Limparia seus olhos e novamente olharia para sua tutora no intuito de se despedir, afinal  o tempo havia passado, algumas horas quem sabe, poderiam ter sido jogadas fora.


~Fim da Perícia~

-Espero te encontrar no futuro… Posso estar indo para algum outro lugar agora, mas com certeza eu devo voltar aqui para te encontrar de novo! Mas voltarei como uma grande espadachim! - Riria de forma mais descontraída e satisfeita, pareceria um pouco melhor, ver Setsuni de fato melhorava sua energia naquele momento. Era exatamente o que precisava.

Tentaria dar um novo abraço, para que pudesse selar aquele compromisso, mesmo que por pouco tempo, aquela mulher serviu para um grande incentivo e empoderamento para Kariel, que não tinha tantas referências que qualquer garoto que queira aprender a usar uma espada.

Após finalmente dar “Tchau” a Setsuni, iria em direção ao barco, onde o Capitão fazendo um grande anúncio, que a embarcação não ficaria pronta até um determinado horário, usaria desse tempo para poder descansar um pouco mais de seus ferimentos das lutas do dia anterior.

Ao subir ou entrar no barco, buscaria alguém para poder se localizar.

- Olá, bom dia. Gostaria de saber onde possa repousar, algum tipo de quarto ou área comum, será que poderia me orientar se houver um?  - Diria de forma mais tranquila e carismática, se recebe alguma informação útil - Obrigada!

Seguiria as instruções se fossem dada de forma não duvidosa, tentaria observar o ambiente de forma aprofundada, para que pudesse se locomover sem precisar de segurar na mão de um guia.



Histórico:
 

Off:
 

Avaliador:
 

Objetivos:
 

Thanks Faith @CG

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



Última edição por SraVanuza em Qua Abr 04, 2018 9:42 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Pirata
Pirata
Achiles

Créditos : 38
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : Loguetown - East Blue

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptySeg Mar 12, 2018 12:07 pm


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Rumo ao mar - Os primeiros passos de um marinheiro




Todos começavam os seus dias de formas diferentes, embora todos tivessem um objetivo em comum, suas ações e pensamentos divergiam entre si. Kariel tinha dúvidas sobre a sua tornozeleira e seus remédios, perguntava um médico próximo se deveria tomar outro ou retirar a tornozeleira, o homem observava a situação de sua torção e vendo como estava pisando firme no chão, não havia necessidade de continuar com aquilo que provavelmente se tornaria um incômodo. - O remédio continue e tomar para melhorar suas dores, a tornozeleira será removida. - Assim era feito com a garota.

Um leve tempo se passava e por incrível que pareça, Lynn e Kariel não trocavam farpas pela manhã o que era estranho para ambos, embora parecessem que ainda teriam um bom tempo em alto mar. O ruivo não sabia como sacar o seu dinheiro do banco e Alipheese chegava para salvar a pátria, ambos tinham o seu dinheiro sacado e seguiam ao porto.

Enquanto isso, Drake estava recebendo o seu uniforme e conversando com Thor, o homem observava a felicidade no soldado que havia sido aprovado e não poderia deixá-lo mais orgulhoso de poder contar com homens que gostavam de realizar o seu trabalho com empenho. Quando o marinheiro perguntava sobre o caminho até o porto, Hamaku não tinha problemas em lhe explicar falando detalhadamente como seguir, o que olhar para se situar da direção e outros detalhes menos importantes. Antes que se despedissem, o sargento lembrava de uma coisa que havia esquecido retirando de seu bolso direito. - Espere, aqui. Esta é sua medalha do recrutamentol, coloque-a no uniforme, agora você é um soldado oficial. - Era uma Medalha azul com bordas brancas e representava o recrutamento.

Ambos se despediam e agora o garoto de roupas de circo estava na enfermaria novamente, pedia a licença para ir tomar um banho e assim era feito usando do banheiro ao lado, seu caminho agora era em direção ao porto.

Setsuni olhava para Kariel com um gostoso olhar de orgulho, ela via o uniforme da marinha como uma felicidade para a jovem vendo a mink conseguindo seu objetivo principal. - Infelizmente não consegui, encontrei alguns tritões pelo caminho, mas marinheiros me salvaram para minha alegria. - Sua feição era de tristeza, mas aquilo não parecia a abalar completamente.

Alipheese e Lynn subiam na embarcação por uma plataforma que estendia-se do navio até a base do porto, ambos tinham pensamentos bem diferentes do que fazer em relação a passar o seu tempo, enquanto a jovem garota era mais produtiva, o ruivo era mais largado querendo apenas descansar por mais que tivesse feito isso a noite inteira e havia energia de sobra para gastar, ele ia até a proa da embarcação, a parte mais erguida da mesma lhe dava uma boa visão e o forte vento batia sobre o seu corpo tranquilamente, as ondas fracas batiam levemente sobre o casco da grande embarcação e dava uma leve tremulação, aquilo causava uma certa dificuldade para que andassem por não estarem acostumado, mas homens como o capitão e seu braço direito já estavam tão acostumados que para eles era a mesma coisa que andar em terra firme.

Alipheese era chamada por um marinheiro para seguir ao seu lado, ela era levada para dentro da embarcação por onde descia uma escada e passava por corredores feitos de ferro e madeira, pareciam ser dormitórios para os tripulantes da embarcação, eram portas enumeradas que não haviam um fim, continham desenhos em algumas dessas portas, alguns bons e outros terríveis, algumas placa de "Don't enter HERE! Mãedafoca! ". Mas ali não era o seu objetivo, claramente o homem não estava querendo se aproveitar da marinheira. Eles desciam mais uma escada e encontravam a sala de armamentos, os canhões eram posicionados ali estrategicamente onde as paredes da embarcação eram revestidas de ferro, as balas de canhão eram devidamente amarradas para não rolarem e haviam mesas de trabalho, homens estavam ali criando materiais e outros tipos de ferramentas, havia uma fornalha leve que sua cabeça havia um cano do qual jogava a fumaça para fora como uma chaminé. Ela estava acesa e com seu fogo ardente onde ao seu lado havia um tanque de água para resfriar o metal, tudo parecia da maior tranquilidade dentro daquela sala, havia pólvora do outro lado da embarcação totalmente afastada da fornalha para que simplesmente não explodisse tudo, prateleiras repletas de moldes para pontas de lanças, lâminas de espadas, balas de revólveres, entre outros. Era um lugar lindo para qualquer ferreiro que estivesse ali, o trabalho de Alipheese era ajudar a carregar as coisas para que os ferreiros trabalhassem e isso era feito.

Drake após uma longa caminhada, finalmente chegava e se apresentava ao capitão, o homem mascarado lhe dava um sorriso mostrando que todos estavam ali e agora havia quatro soldados novos em sua embarcação, pelo menos até Loguetown. Dando-lhe a permissão para poder explorar pela embarcação, conseguia ver Lynn tirando um cochilo e rolando conforme a tremulação da embarcação seguia, os passos do mais novo marinheiro ainda eram lentos e precisava se apoiar nas bordas do barco para que não viesse a cair. Ele entrava por uma porta e passava por uma escada que levava aos dormitórios, o mesmo caminho que a garota havia passado chegando a vê-la ao chegar na casa de armas. Todos aqueles detalhes que lhe surpreendiam como um navio conseguia esconder tanto em seu interior, ali não havia outro caminho a seguir a não ser voltar e assim era feito. Ele agora estava na proa da embarcação olhando a sua parte traseira e chegava a subir o caralho(esse é o nome mesmo), lá em cima ele conseguia observar toda a cidade como o mar, era tudo bem lindo.

Se passava um tempo e estavam cada vez mais próximos de zarpar, Kariel fazia uma promessa com Setsuni de se encontrarem após um longo tempo, a despedida era mais do que emocionante chegando a fazer a garota soltar uma leve lágrima nos pelos da gata roxa após se abraçarem. - Volte com bastante orgulho e seja a melhor espadachim! - Com o Tchau dado, a mink subia para a embarcação, todos estavam a bordo da mesma. A garota queria repousar um pouco e perguntava para o capitão sobre isso, o homem ainda estava meio ocupado dando ordens para os seus tripulantes, mas não deixava de responder a garota. - Há quartos no andar inferior, os 10,11,12 e 13 estão disponíveis, conte para seus amigos e escolham esses quatro quartos como preferirem. Mas sugiro que fique na proa ao lado de Lynn, estaremos partindo em três minutos. - E a garota ia até o lado do ruivo embora não fosse muito fã de sua companhia.

- Zarpar! - Os outros marinheiros começavam a trabalhar, desamarravam cordas, mexiam nas velas, posicionavam-as bem e a embarcação começava a fluir, o leme era girado com força e dava um grande impulso para a esquerda, os tripulantes todos se seguravam e Lynn acordava girando e quase batendo a sua cabeça contra a amurada. O vento fluía forte nas velas que esticavam-se ao máximo, mal se passavam cinco minutos e Shells Town já virava um borrão no horizonte. Os homens agora estavam mais relaxados, alguns deles subiam até o convés e estendiam uma mesa grande, traziam consigo tabuleiros e alguns baralhos, prendiam a mesa ao chão para que não escorregasse e o capitão estava mais relaxado segurando o timão. Neve levemente começava a cair, dando início a um nevisco bem leve. Algumas marinheiras começavam a dançar por ali e outros davam mortais, talvez isso fosse de interesse para Drake ou Kariel. Eles estavam no convés todos bem reunidos.

O marinheiro que estava ao lado de Alipheese já dizia para a mesma. - Tem alguma dúvida sobre algo? Agora estamos partindo para Loguetown! - Esperava sua resposta.





Considerações:
 


Dicas:
 


Ferimentos:
 



____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
CrowKuro
Tenente
Tenente
CrowKuro

Créditos : 2
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 10010
Masculino Data de inscrição : 24/01/2018
Idade : 25

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptySeg Mar 12, 2018 6:21 pm


Drake agora se via dentro do navio seguindo para loguetown, o jovem parecia muito estar gostando do que acontecia, pois seu objetivo estava sendo cumprido. Ao entrar na embarcação avistou quem parecia ser Lynn que estava deitado tirando um cochilo enquanto descia até a casa de armas do navio em meio a sua exploração, ao chegar a casa de armas avistou uma pessoa que parecia ser Alipheese, o jovem não a conhecia pessoalmente mas a havia visto em meio ao combate contra os tritões, Drake então acenava para a menina e se virava de costas seguindo até chegar a proa do navio, o mágico se via olhando para a parte traseira do navio, Drake conseguia observar toda a cidade assim como o mar e via como tudo aquilo era muito lindo, porém essa sensação não durava muito, o jovem ainda sentia um pouco de dor em sua cabeça o que fazia o mesmo se sentir enjoado devido a movimentação do navio, Drake perde o equilíbrio por um breve momento mas se apoia rapidamente a uma das partes do navio para se segurar, se sentava e olhava para o céu buscando se aliviar de seu enjoo e percebe que havia alguns pequenos neviscos caindo sobre seu rosto, Drake respira fundo, fecha seus olhos e solta o ar novamente buscando acalmar seu enjoo então se levanta apoiando-se sobre a parede do navio sentindo-se melhor e ouve a voz do capitão Bruce, que dizia aos marinheiros para se prepararem para zarpar, todos os marinheiros começava a trabalhar e Drake observava aquilo da proa do navio até que resolve ir até a frente do mesmo, enquanto seguia observava como todos os marinheiros ali presentes trabalhavam e faziam tudo para zarpar, cada um dos marinheiros tinha sua função e tudo funcionava perfeitamente com os preparativos para zarpar, o leme era girado com força fazendo o navio dar um grande impulso para a esquerda, Drake se segurava igual a todos os demais marinheiros enquanto observava Lynn sendo acordado e jogado de um lado para o outro no navio o fazendo pensar.



“Esse cara é idiota? Ele vai acabar caindo lá embaixo.”



O vento forte batia nas velas fazendo o navio seguir seu rumo a Loguetown, não se passava cinco minutos e a cidade de shells town já tinha se tornado um borrão na visão de Drake que agora observava os de mais marinheiros mais relaxados enquanto erguiam uma mesa no convés do navio e traziam junto a si alguns tabuleiros e baralhos fazendo com que o mágico quisesse se aproximar dos mesmos para se divertir junto a todos, logo após Drake se aproximar o que parecia ser uma comemoração começava e o jovem via alguns de seus novos companheiros dançando e alguns dando alguns mortais, aquilo soou como algo familiar a Drake que vinha de um circo e sempre que havia uma comemoração havia também shows de seus ex-companheiros, fazendo acrobacias, contando piadas e tudo mais.


Drake então vai diretamente aos marinheiros que estavam dando mortais, o jovem demonstrava um interesse incrível por aquilo que era um de seus objetivos em sua viagem, Drake sempre via seus companheiros fazendo todo o tipo de acrobacias no circo mas nunca teve tempo para que pudesse aprender tais manobras como queria, então nunca aprendeu de fato como se fazia aquele tipo de coisa, apenas observava e tentava aprender com o visual, algo que não era tão bom quanto a própria prática.



Drake se aproximava da turma que parecia muito feliz e pede para que os mesmos fizessem mais de suas acrobacias mostrando completo interesse naquilo demonstrando também querer aprender, Drake se senta ao lado de todos ali e pergunta aos que faziam as manobras.


- Nossa, não sabia que veria pessoas que soubessem fazer esse tipo de coisa por aqui… Vocês fazem parte de algum tipo de show? Ou já fizeram parte de algum circo? Eu vim de um circo, mas nunca tive oportunidade de aprender a fazer acrobacias mesmo tendo interesse em aprender, é realmente nostálgico ver vocês fazendo isso, me faz lembrar do circo onde eu vivia.



Drake então observava a todos os movimentos que eram feitos por seus novos colegas prestando bastante atenção em cada movimento feito, o jovem não tinha a prática com esse tipo de coisa, mas tinha uma genialidade incrível para descrever padrões de movimentos nos quais poderiam lhe ajudar na parte prática caso algum dia pudesse aprender a como fazer esse tipo de movimentos. Seu olhar era fixo a cada movimento feito pelos outros marinheiros o que poderia chamar a atenção de qualquer um à sua volta.



- Se não for muito incomodo, depois que tudo terminar eu gostaria de aprender com algum de vocês a fazer esses movimentos, claro se puderem me ensinar…



Com essa frase Drake deixava bem claro o seu interesse em aprender sobre acrobacias, e então seguia junto aos seus novos companheiros festejando e jogando com todos ali, o jovem rapidamente observou que haviam baralhos em cima da mesa e perguntou se poderia pegá-los quando não o estivessem mais usando. Drake se sentia calmo enquanto brincava com o baralho e isso era como um passatempo para o jovem mágico, no circo após o show e agora na marinha será após uma batalha.



Drake se sentia bem junto a todos ali e parecia se sentir feliz de estar onde finalmente queria estar, em um navio junto a marinha fazendo parte da mesma, então o jovem que por mais que às vezes pudesse ser frio e irônico ainda mais em meio a batalhas na qual se tornava completamente diferente levando sua loucura ao extremo e a vontade de sangue para matar seus inimigos, também tinha um lado engraçado, já que vinha de um circo havia aprendido muitas piadas com um dos palhaços que lá vivia, o jovem se levanta e chama a atenção de todos pedindo para que todos se reúnam perto para ouvir uma piada, após todos terem se aproximado, Drake começa a contar sua piada para descontrair mais e se enturmar com todos a sua volta.



- Bem, vamos lá… Uma mulher que tinha três filhos uma certa vez foi perguntada por seus filhos o porquê de cada nome dado a cada um. O primeiro filho foi até a mãe perguntou. - Mamãe, porque eu me chamo gotinha? Ah mãe foi e lhe disse: - Porque quando você nasceu, caiu uma gotinha bem na sua cabecinha. Gotinha ficou feliz e saiu, e logo veio o segundo filho porque ele queria saber também né, e pergunta: - Mamãe, porque eu me chamo peninha? - Ah, é porque quando você nasceu, caiu uma pena bem na sua cabecinha. Aí chegou o tijolinho HAUMHAUMHAUMHAUMA.











Após contar sua piada Drake fazia uma cara hilária e esperava que todos a sua volta sorrissem e se sentissem bem com essa forma de descontrair mais e de ficarem todos alegres até que continuassem com os seus shows de acrobacias e de dança enquanto bebiam seu saquê.



- É melhor vocês rirem….






[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]




Histórico:
 



Ferimentos:
 


Objetivo:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Pensamento
Fala
Extras

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Alipheese
Tenente
Tenente
GM.Alipheese

Créditos : 30
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 25
Localização : Mawakun-3ª Rota.

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptySeg Mar 12, 2018 10:51 pm


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


O começo da viagem para loguetown.

Estar agora sobre um navio era definitivamente estranho, era como se tivesse de reaprender a andar, era ao mesmo tempo algo que a deixava encantada e levemente assustada, uma das muitas experiências novas ao qual provavelmente teria em sua jornada e isso a deixaria animada, ansiosa pelo que o futuro lhe aguardava. Ainda estava enfrentando certa dificuldade para encontrar o modo certo de andar no navio, se pudesse  comparar a sensação, provavelmente compararia a idéia de sonhos onde ela acabava por andar  acima de um pudim ou gelatina, talvez se ela bebesse poderia ter uma referência mais normal em relação a falta de equilíbrio, mas não tinha. O que quer que ela tivesse em mente naquele momento era completamente interrompido pela ação súbita do ruivo, a garota se assustou em um primeiro momento, um barulho alto de forma repentina, não poderia ter outro efeito e em sua feição isso ficou claro, no entanto não só o que o garoto dizia mas também os gestos e feições ao qual seu rosto era capaz de tomar, naquele momento a fez ter uma dificuldade muito séria em manter sua própria compostura,  um pouco sem jeito, a garota acabou soltando um pouco de ar, como se tivesse soltado uma risada contida, em uma cena ligeiramente adorável a qualquer um que pudesse ver, era algo puro e genuíno ao qual o ruivo presenciaria pela primeira vez.
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Por mais que parecesse séria e sem graça, a garota apenas tinha dificuldades em ser verdadeira consigo mesma e colocar para fora aquilo que ela pensa, justamente por pensar demais antes de se permitir agir e naquele momento ele havia passado por aquela barreira. Rapidamente o rapaz se despediu, ainda desconcertada pela situação, limitou-se a levantar a mão para acenar, quando ele havia dito que iria em direção a proa, algo que ela não tinha total certeza do que significava, mas não estava curiosa o suficiente para perguntar, seus olhos a responderiam de qualquer forma.
Não se passou muito tempo até que ela pudesse ser chamada para conhecer melhor o interior do navio, não resistiu a idéia, por que haveria de haver alguma resistência por parte dela? O mais rápido que pôde, caminhou em direção ao rapaz a passos mais atrapalhados que o normal, devido aos leves movimentos que o mar poderia fazer com que o barco tivesse, a fazendo buscar por apoio com as mãos, pelo menos até que pudesse se acostumar, era agora uma marinheira e missões ao mar não deveriam ser tão assustadoras, apesar de que se ela pudesse pensar a fundo, talvez sua falta de habilidade em nadar, pudesse ser algo assustador mas, felizmente para a garota esse pensamento não lhe ocorreu. O rapaz não havia falado muito, talvez devido ao seu formulário de inscrição, já se fosse de conhecimento dos demais membros da tripulação a quem receberiam e se sua teoria estava correta, seria reconfortante ser alocada a algum trabalho que tivesse mais experiência. Acompanhando o rapaz, passaria por alguns corredores onde haviam quartos com numerações ou desenhos e com isso, levaria em consideração que ali talvez fosse parte de onde os marinheiros poderiam repousar, quando terminassem os seus deveres e isso a fazia ficar bem atenta por onde caminhava, afinal o lugar era grande e parecia fácil de se perder, caso não prestasse atenção, por dentro se mostrou muito maior do que imaginou. Iria descer mais uma escada até que pudesse chegar a um ambiente ao qual para ela era extremamente chamativo, havia canhões estrategicamente posicionados, nunca havia visto um de perto e tinha curiosidade em relação a como seria disparar, tinha o conhecimento técnico sobre sua construção, manutenção e funcionamento, quando se tratava sobre o assunto, Alipheese realmente deixaria seu lado mais “ nerd” aflorar, suspirou ao pensar em como deve ser a sensação, assim como no dia anterior havia sido agraciada com a oportunidade de manusear um tipo de rifle ao qual nunca teve acesso, onde trabalhou levemente para que pudesse fazer com que ele funcionasse a inspiravam. Agora tinha recursos e talvez, inspirada por suas experiências, quando chegasse a loguetown, tentaria fazer de uma de suas prioridades adquirir materiais, para que pudesse usar uma arma de sua própria criação. Distraída pela própria empolgação, só então se deixou perceber as mesas de trabalho, uma grande fornalha com uma chaminé apontando para o lado de fora, um tanque de água para resfriar o metal, assim como várias ferramentas de qualidade muito maior ao que estava acostumada a trabalhar com, seus olhos brilhavam em admiração, sentia-se em casa, cada pequeno detalhe lhe fascinaria, lhe fazendo ansiar pela ordem de trabalho que poderia ter e não demorou muito para que lhe atribuissem uma função, era algo simples, carregar alguns materiais, de bom grado começaria a ajudar os demais marinheiros que pudessem executar a mesma função, se não interagissem com ela, era provável que o fizesse em total silêncio, algo que na verdade era muito bom para que ela pudesse carregar um volume maior sem que pudesse correr o risco de derrubar algo. Ainda que fosse um trabalho simples era completamente braçal e o grande volume de trabalho a fazia ficar absorvida até que fosse a hora de zarpar, caso pudesse ver alguém se segurando, antes do primeiro movimento brusco do barco, repetiria a ação, no objeto que pudesse lhe dar firmeza para que não pudesse cair, caso lhe dessem a liberdade, tentaria ir em direção a uma das possíveis “ janelas”, levando em consideração o posicionamento dos canhões, não era de se estranhar que pudesse ali aproveitar para ver mesmo que um pouco do cenário de sua ilha que agora se afastava.

Sua ficha finalmente caiu, estava deixando para trás, literalmente tudo que ela já teve um dia, sua casa, sua ilha e a todos ali que conheceu e por um momento, essa sensação pareceu-lhe um pouco triste, talvez nunca voltasse a sua ilha natal, era a sua primeira vez viajando de barco, estava indo para uma cidade desconhecida, era definitivamente muita coisa para pensar, aflita com a torrente de pensamentos, suspirou forte, sendo sincera consigo mesma, veria que o que ela sentiria, na verdade seria saudade, do clima de sua cidade, dos clientes que tinha e até mesmo de sua velha casa, não tinha muitas roupas novas, sua alimentação estaria longe de  ser das melhores, já que ela seria a responsável por sua própria comida e em meio ao trabalho, dificilmente poderia ver a oportunidade de dedicar-se ao aprendizado de algo que não lhe traria retorno financeiro e por mais que alguns pudessem achar sua realidade dura, Alipheese era feliz, não podia reclamar. Gostava do que fazia para viver e por mais que não fosse a carreira de seus sonhos, aquilo lhe permitiu não só seguir até o dia em que tornou-se oficialmente marinheira, como também foi decisivo na hora de salvar a si mesma e a todas as vidas que poderiam ser afetadas por aqueles tritões.Ainda tinha muito a aprender e felizmente, era algo que ela realmente gostava de fazer, havia visto por sua experiência em sua pequena jornada que o conhecimento, mesmo teórico se bem aplicado faria uma diferença absurda e isso a fazia ficar animada, verdadeiramente animada, com um sorriso no rosto, permitindo-se aproveitar da brisa marítima, que batia contra seu rosto e faria com seus cabelos esvoaçarem. Tão abstraída por sua empolgação, se sentiu leve como nunca e ao ouvir o marinheiro lhe perguntar se ela tinha dúvidas, acabou por mostrar-lhe seu belo sorriso, era cativante e extremamente inocente, um momento raro em que a sua beleza não se escondia por trás de sua timidez, antes que a razão lhe viesse, perguntaria.


-Sim, eu gostaria de aprender mais sobre como funcionam munições!

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Dizia a garota em um tom de extrema animação, que pouco duraria, até que ela se tocasse do quanto seus atos haviam sido vergonhosos, se deixou levar pelo momento bom e por mais que tenha gostado de se soltar um pouco mais, o que pensariam dela? O que ela deveria fazer? A garota em meio a espera pela resposta pareceu que iria explodir, sua vontade era de esconder a cabeça em um buraco ou algo do tipo, estava extremamente vermelha a um ponto que suas mãos tremeriam.
~ Pericia ~


Alipheese estava  extremamente nervosa, mas um pouco disso se passou com a resposta positiva de um dos marinheiros que havia ali se levantado. Olhou pra baixo por um segundo e respirou fundo para respirar a compostura, estava empolgada em ter alguém que pudesse lhe ensinar novamente, a falta da necessidade de ter de insistir, tornou a situação um pouco mais fácil. Aproximou-se um pouco do rapaz e observou melhor a sala, era surpreendente que apesar de não ser um ambiente aberto, a circulação de ar era magnífica, tornando um ambiente que muitas vezes é abafado se não for construído da forma correta em um local extremamente confortável para se trabalhar.

Então o rapaz que havia se erguido, se apresentou formalmente. Seus cabelos eram negros e usava um óculos de grau forte, deveria ter pelo menos 10 anos a mais que a jovem garota e talvez a diferença na idade pudesse tornar aquilo mais fácil.

-Eu sou o oficial James, sem piadas com a equipe míssil, já ouvi muito isso em minha vida.
Completou o rapaz de forma séria, fazendo referência a um popular conto infantil onde havia uma equipe de piratas atrapalhados, acompanhados de um cão falante que tentavam roubar  e sempre fracassavam.


Ali provavelmente naquele momento talvez se sentisse mais leve ao lembrar de que já havia lido um dos muitos livros relacionados a série em que ele fazia referência e isso a fez ter vontade de rir, ainda que não o fizesse, ficava claro que ela estava segurando.

James ajeitou o seu óculos com uma das mãos, enquanto observou por um momento a reação da garota, talvez fosse um hábito de sua parte, ou apenas precisava que seus óculos pudessem ser ajustados naquele momento. Acabaria deixando escapar um sorriso de lado, poderia enxergar na garota o interesse e ela não parecia ignorante em relação ao uso das ferramentas, uma vez que notou como ela observava o local. Iria até uma bolsa de pano antiga próxima de uma das estantes e dali, iria retirar dois livros aos quais Alipheese só poderia ver quando ele os colocasse em uma bancada próxima dela.

-Sente-se em uma das bancadas de sua escolha, vou te explicar o que eu espero que você faça. Vê esse livro mais velho? Ele está completamente preenchido por informações técnicas, mas diferente de um livro padrão, você vai logo notar que não há muitas páginas e que a informação já se encontra bem mastigada, mesmo que eu pense que você não deva ter muita dificuldade para uma melhor compreensão de muito do que há nele, se lhe trouxeram até essa parte do navio, provavelmente se deve ao seu conhecimento técnico ser útil aqui na forja, se fosse apenas para carregar pesos, qualquer um aqui poderia ter feito. Quero que você lembre que mesmo com uma boa base, há também o espaço para que vícios de ofício possam lhe atrapalhar, por isso quero que você me pergunte tudo que tiver dúvidas… Pra falar a verdade, quero que você anote nesse outro livro mais novo, suas páginas estão em branco.Há diferenças sutis que fazem a total diferença, se você tiver a mente aberta para o aprendizado, não acho que você vá demorar muito, mas isso dependerá de você… Eu sei que é um investimento, mas mesmo eu, tenho desejo de gastar o menor tempo possível para lhe transmitir o conhecimento.


A garota se sentou em um dos assentos que julgou que poderiam ser mais apropriados e ouviu com atenção tudo que o rapaz tinha a dizer, estava verdadeiramente interessada e a cada gesto do rapaz, tentou acompanhar com os olhos e assim que ele terminou de falar Fechou os olhos por um momento, respirando profundamente enquanto deixou que o peso e a tensão sobre seus ombros pudessem se esvair um pouco, era difícil para ela não pensar no que havia acontecido e o quanto poderia ser um diferencial enorme para o sucesso de suas futuras missões que ela pudesse ter um conhecimento melhor. Precisava de tornar uma Artífice melhor. Quando abriu seus olhos, balançou a cabeça como um sinal de sim, para indicar que estava pronta.

“Não consigo crer que vá ser uma tarefa fácil, no entanto tenho alguém disposto a me ensinar e isso é maravilhoso...Espero que eu possa atender as expectativas que são colocadas sobre mim, não quero desapontar a mim mesma em falhar em aprender algo relacionado ao que tanto trabalhei em minha vida… Não, definitivamente, não irei falhar. Eu encarei tanta coisa que eu nunca tinha feito, encarar essas dificuldades de frente, vão me ajudar a crescer, tanto como ferreira, como também como guerreira… Hehe, guerreira, quem diria que um dia eu usaria essa palavra em referência a eu mesma? Bom, vou aproveitar essa chance, ela pode não vir novamente.”

Observando melhor ambos os livros, um com a capa vermelha e outro com a capa esverdeada, não só as capas se diferenciavam, mas a conservação de ambos os livros deixava claro que o livro de capa vermelho era muito mais novo. James abriu ambos os livros um deles exatamente na metade de suas páginas enquanto o outro, apenas havia movido a sua capa para que se pudesse ver o indice. Estes eram respectivamente o livro vermelho e o livro verde, em ordem. Havia no entanto uma característica que para a garota era algo estranho a fazendo levar  o dedo indicador de sua mão direita a parte inferior de seu lábio, pensativa.James, com um ar que talvez o fizesse soar como superior arrumou novamente os óculos enquanto fitou a garota a olhando de cima, devido a não só a sua altura natural, como também ao fato de ela estar sentada neste momento.

J-Lembre, quero que você anote as suas dúvidas teóricas, quando passarmos para a parte  prática eu quero que você use apenas o livro vermelho como sua base em caso de dúvida, estarei ao seu lado para evitar erros que poderiam causar acidentes grandes.Também responderei suas perguntas e ajudarei a corrigir os erros. Por mais rapida que seja a sua leitura, não vou ficar aqui sentado te esperando, tenho trabalho a fazer e vou continuar com ele, até ver que você terminou, então não se preocupe em me chamar, eu mesmo irei vir.

Dizia o rapaz com uma excessiva confiança deixando sobre a mesa adicionalmente um pote com tinta preta e uma pena, para que a garota fizesse uso, deixando a garota ler em paz, enquanto voltou ao seu trabalho.


Alipheese aproximou um pouco mais a sua banqueta da mesa e começou a leitura, usando da pena, segurava com uma das mãos o pote de tinta, para que o balanço do mar não a fizesse se manchar. Aproveitando o espaço, naquele momento tentaria escrever uma parte de suas anotações usando sua mão não dominante, sabia que demoraria mais, mas estava em um ambiente tranquilo, ainda teria o tempo da viagem e diferente do combate, aquela situação não tinha riscos.
Livro verde:
 

Era um conteúdo muito extensivo, mesmo para a garota que havia estudado sobre a complexa engenharia por trás da construção de armas de fogo, tinha dificuldades em entender todos os termos e com isso muitas dúvidas surgiam, por mais que no livro em específico houvesse  um detalhe maior sobre as munições 0.44 ao passar algumas das páginas em branco, a garota havia notado que havia as medidas de outros tipos de munição mais comuns e até mesmo de alguns tipos aos quais ela nunca havia ouvido falar. Havia lido sobre os cinco principais tópicos sobre a construção de munição, a estrutura, a construção da cápsula, a construção da bala, os principais tipos, e por fim como manipular pólvora. Não era um livro didático, parecia ter sido escrito por alguém amador e a garota logo entendia que provavelmente o autor daquele livro era o próprio James, ao qual pode ter tido um método de ensino similar.

No livro, haviam pequenas anotações, rabiscos e principalmente havia ali, pequenos cuidados a se tomar,  talvez para que ele mesmo não se esquecesse. A jovem, a cada um dos capítulos, havia feito as anotações principais para consultar durante o processo prático, mas também havia muita coisa que ela gostaria de uma explicação melhor, não podia ter a total informação apenas lendo, sem que alguém pudesse lhe passar o contexto geral e tirar suas dúvidas. James havia demorado, talvez propositalmente até que no exato momento em que ela parou de escrever,  Quando fechou o livro mais velho, esperando por James, o rapaz não demorou muito até aproximar-se de sua bancada.

J-Por mais que esteja em formato de livro, há muito mais anotações do que apenas informações técnicas em si. Sei que você tem algum conhecimento na manipulação destes materiais, no entanto sei também que justamente por isso que várias perguntas podem surgir.


Alipheese olhou para o próprio papel e acabou por suspirar, a situação ao qual se encontrava de ter de perguntar a alguém ao qual conhecia a tão pouco tempo lhe era estranha, desconfortável. Mas ela precisava aprender, queria. Aquilo poderia fazer um bem tanto a sua cabeça, quanto em suas futuras missões.

-P… Porque a parte da bala é mais resistente em relação as demais partes? Há um motivo específico?


James sorriu, era uma boa pergunta. Ajeitou os óculos e colocou-se  a explicar.

J- Bom, a resposta óbvia seria os processos ao qual geralmente essa parte recebe, em relação as demais, mas creio que isso você já saiba e não seja o foco da pergunta. Geralmente essa parte da estrutura é menos maleável, apresenta uma resistência superior as demais partes, justamente pelo seu propósito. Em especial, para balas com a ponta arredondada, elas são mais resistentes devido a terem de aplicar uma maior força cinética. Ou em outros termos, ela é responsável pelo maior impacto. No entanto, não é sempre que isso deve ser verdade, vejamos exemplos de balas incendiárias, ou até mesmo caso o seu objetivo não seja o de causar um impacto e sim um ferimento em uma maior área, em balas que se fragmentam, geralmente essa parte encontra uma resistência muito menor, pois assim no contato, o impacto faz com que se fragmentem, então não é sempre uma verdade, afirmar que essa parte sempre será a mais resistente.


A garota ouvia atentamente, seus olhos brilhavam em relação ao interesse que nela havia pela àrea, aprender mais era uma experiência maravilhosa e talvez pela animação que sentia, não demorou muito até que ela pudesse ler a segunda pergunta que ela havia anotado sobre o tópico.

-É mesmo sempre necessário que a cápsula seja a parte mais maleável? O que aconteceria caso um material mais rígido fosse usado?


James olhou para a garota e compreendeu pensando. “ então esse é o tipo de pupila ao qual eu fui capaz de atrair, devo admitir que isso é bom…”

J- Há quem pudesse lhe responder que  a cápsula ser de um material levemente mais maleável e menos resistente no material possa ser uma parte essencial do trabalho de construção, mas de fato não é. O que acontece é, que a cápsula geralmente é feita em massa, principalmente em fábricas automatizadas, sendo assim o processo de temperar o metal e torná-lo em uma composição metálica melhor não é um processo comum. Um material mais rígido, poderia aumentar o poder de penetração do disparo, no entanto ao custo de tornar todo o trabalho mais complexo e demorado, a maior parte das pessoas não se dá a esse trabalho, por não achar que ele compense.



“ É bom que eu anote esse tipo de coisa, acredito que possa me ser útil ainda mais do que o texto, para que eu entenda.”


-O livro fala sobre o uso de pólvora apenas, como material de combustão, por que?


J-  É um material mais barato, para ser  comprado em grandes quantidades, sua composição sólida e não líquida, facilita o manuseio e em muitos casos evita possíveis acidentes, munições incendiárias, geralmente abusam mais de materiais diferentes da pólvora do que disparos normais.

A garota mudou de pagina, pegando sobre o segundo tópico algumas perguntas.

- Eu não entendi direito a diferença entre a bala incendiária e a de polímero, você consegue me explicar de outra forma?


J- Bom, primeiro você deve entender  que ambas têm propósitos diferentes e alvos diferentes. A bala de polímero, se assemelha mais ao tipo de munição que você está acostumada a usar, seu propósito é causar um grande impacto em um grande alvo e com isso a precisão muitas vezes é a chave. A bala incendiaria por outro lado, geralmente tem um propósito de controle de multidão, devido a ser melhor utilizada ao se aproveitar da extensão do dano ao qual ela é capaz de aplicar. Sendo assim, é pouco provável que você use o segundo tipo de bala, focando na sua precisão como atiradora em um único alvo, geralmente usar esse tipo de munição na área de efeito desejada, se torna mais efetiva, ao menos é assim para o padrão.

James puxou uma cadeira, debruçando os ombros e apoiando-se sobre as mãos, olhando a garota, que envergonhada, concentra-se em virar a página de anotações movendo-se para o terceiro tópico.

-As medidas são bem precisas, elas são feitas pensando no tipo de arma, certo?

J- Exatamente, medidas diferentes, poderiam diminuir a efetividade do disparo ou inviabilizá-lo por completo.


Com isso, o quarto tópico viria, e assim a pergunta que havia sobre o tópico, também viria.

- O propósito de temperar o metal, me pareceu similar a forja comum, há uma situação onde o processo não seja recomendado?


J- Em balas incendiárias e de fragmentação, o processo nem sempre é necessário, em fábricas de grande escala, eles normalmente utilizam ligas metálicas com qualidade um pouco maior, para evitar a necessidade do processo para produzir em larga escala. E quanto a manipulação de pólvora, você tem alguma dúvida? Acredito que seja o último tópico.

Alipheese respirou fundo e um pouco mais tranquila perguntou:

-Como que são feitas as medidas de peso na manipulação de pólvora?


J- Usando uma balança de precisão, durante o processo prático eu posso te ensinar a trabalhar melhor com ela, com isso  acredito que os demais processos possam ter sido mais fáceis de se entender, certo? Vamos tentar por em prática o que você leu, aqui há alguns moldes e cápsulas prontas, então eu quero que você faça o processo de montagem, que você trabalhe principalmente nessa parte que você não tem experiência, errar não é um problema.


James então se afastou, pegou uma balança de precisão e colocou sobre o balcão de Alipheese, junto a alguns pedaços de metal que serviriam como pesos para usar na balança, pegou também algumas cápsulas, cartilhas, aros e por fim balas, espalhando sobre a mesa, para que a garota pudesse tentar montar. A par disso, dois pequenos frascos de vidro mais grossos eram colocados, algo que não constava nos livros e faria com que a garota ficasse confusa.

-  Certo, eu quero que você monte uma bala funcional, todas as ferramentas que eu coloquei aqui tem o seu uso, por mais que eu pudesse exigir que você fizesse o processo do zero, eu apenas te mandaria fazer aquilo que você já sabe fazer, então vamos trabalhar com a montagem e com a manipulação de pólvora, dois tópicos importantes. Ficarei observando e irei lhe interromper, quando ver que você está fazendo algo de errado.

Alipheese se levantou, um pouco insegura e pegou um dos frascos, não viu outro sentido em ter dois frascos que não fosse usá-los para carregar um pouco da pólvora, mas ainda assim não viu sentido em existir dois frascos, mas naquele momento preferiu não questionar. Com o vidro em uma das mãos e usando a outra mão de apoio, buscou estabilidade, ainda era difícil ficar em pé no barco em movimento, já estaria feliz de não ter enjôo ou algo do tipo. Procurou entre os barris da sala o de pólvora e com cuidado preencheu o frasco quase por completo. Seu trajeto de volta era mais lento do que o seu processo para pegar o material que tinha em mãos, deixou o frasco sobre a mesa, enquanto procurou em suas anotações as medidas em  miligramas do quanto de pólvora deveria usar, olhou então para os pesos de diversos tipos de ferro que haviam próximos da balança de precisão, em um dos lados posicionou 6 pequenos pesos de 10 miligramas, um de cinco miligramas e três com uma miligrama cada, totalizando assim as 68 miligramas necessárias, em um dos lados da balança. Até então a garota ia muito bem, de forma intuitiva havia entendido parte de como deveria agir em frente a uma balança daquele tipo, era até impressionante.  No entanto, o que havia começado bem, não seguiria da forma perfeita como a garota gostaria de ter feito.  Do outro lado da balança, que fazia o contra-peso, a garota havia derrubado um pouco da pólvora diretamente sobre a balança e era nesse momento que James a interrompeu.

James- Você estava indo bem, recolha a pólvora de volta pro pote, antes que desperdice o material. Não é assim, você não pode colocar o material diretamente sobre a balança, você checou se ela estava úmida? Ou se havia algo que pudesse causar alguma reação? No primeiro dos casos, com a pólvora úmida, você faria uma bala sem utilidade e no segundo, você poderia perder um dedo, no pior dos casos… Bom… Eu te dei dois frascos por um motivo… Antes que você transfira o conteúdo de um para o outro, não esqueça. Pese primeiro  o frasco, assim você saberá quanto ele pesa.

Alipheese se sentiu envergonhada pelo erro, parecia até grotesco que ela não tivesse pensado em algo tão óbvio, mas a sua falta de experiência, felizmente não havia a gerado consequências, colocou o frasco de vidro vazio sobre a balança após recolher toda a pólvora que havia colocado em um dos lados, deixando apenas o frasco. O lado da balança onde estava o frasco, mostrou-se mais leve e com isso, aos poucos a garota iria retirando e guardando os pesos que usava, até que a balança estivesse equilibrada. Notou que havia apenas um peso de 10 miligramas, e com isso anotou no papel do livro, usando sua mão esquerda o número 10, levaria um tempo e dificilmente sua letra sairia perfeita, mas aquele era um processo em andamento, não a desanimou.

- Bom… Se o frasco pesa 10 miligramas… Tenho que colocar um peso de 78 miligramas do outro lado… e ir preenchendo aos poucos esse frasco com a pólvora, até chegar a medida exata… Ok Ali, você consegue.


Sussurrou para si mesma, fazendo contas, que pareciam simples, assim como sua lógica, mas dizer de forma a se ouvir, a ajudava a prestar mais atenção no que faria a seguir.

Colocou mais alguns pesos, de modo que  um dos lados da balança continham 7 pesos de 10 miligramas, 1 de cinco miligramas e 3 de uma miligrama. Aos poucos  transferiu o pó negro até que ambos os lados da balança estivessem em equilíbrio, separando assim o frasco e o deixando na mesa, sussurrava para si mesma enquanto lia suas anotações, como havia escrito aquela parte com a mão esquerda, assim como feito o desenho, demoraria um tempo para entender o próprio desenho e a própria letra.


-Primeira parte de cima, bala… Encaixo na cápsula… Dentro da cápsula vai a pólvora… Fecho com o aro e ajusto a cartilha… Ok.. Não parece tão difícil

Como primeiro passo, pegou o pequeno pedaço de metal já previamente trabalhado, com ponta  arredondada e num estalo, logo percebeu que aquela era uma bala similar a que suas armas usavam, uma bala que fazia proveito cinético. Sem se distrair muito pela própria conclusão, pegou então a cápsula, tentando encaixar por cima a bala, porém não tinha sucesso, sem forçar muito,  foi mudando a posição da bala, até que conseguiu realizar um encaixe perfeito, apertando levemente com uma das mãos a cápsula, de modo a firmar a posição da bala, agora finalmente entendia o porque geralmente a cápsula é mais maleável, do contrário precisaria trabalhar com o metal quente ou usar de um martelo para fazer esse ajuste na hora da montagem, lembrando de esperar que o metal se resfriasse antes de sequer pensar em mexer na pólvora. A garota então com a primeira parte pronta, colocou uma mão por baixo do queixo, pensativa em como deveria por a pólvora, sem que o seu conteúdo caísse.

James vendo a dificuldade da garota e como seus olhos variaram de olhar o que ela tinha montado e o frasco de pólvora, para evitar erros e uma perda de tempo desnecessária, comentou:

J- Você teve o raciocínio certo, montou da forma correta, porém está segurando de forma errada, deixe a bala de cabeça pra baixo e segure pela cápsula, a ilustração enumera de 1 a 5 de cima pra baixo, no entanto para montar, você deve manter a bala virada para baixo, para colocar a pólvora e encaixar o aro, de forma que a cartilha possa ter o contato perfeito com a arma.


Ouvindo o que o rapaz havia dito, imediatamente corrigiu o modo como segurava o projeto de munição  em sua mão esquerda, ao qual seguraria de modo a deixar a bala virada para baixo, deixando o espaço perfeito para despejar a pólvora por cima, com a mão direita segurou o frasco com a medida correta com firmeza, o balançar do barco tornava o que deveria ser um processo simples em um processo extremamente complexo, aos poucos despejou o conteúdo do pó negro para dentro da cápsula, este  que não vazava do outro lado devido ao bom encaixe da bala. Tapou com a própria mão esquerda, com o polegar a parte onde encaixaria o aro e arrumaria a cartilha, para terminar o processo, nesse momento era extremamente conveniente que suas mãos fossem pequenas. Com a mão direita, então pegou o aro sobre a mesa e só tirou o dedo polegar do local onde iria encaixar o aro, quando o navio parasse de balançar devido ao choque de ondas e só então usando seu dedo indicador da mão direita, apertaria o encaixe ao inserir o aro a cápsula, apertando levemente com os dedos indicador e polegar de sua mão esquerda os lados da cápsula próximos do aro, enquanto rotacionava com sua outra mão, de modo que o metal se adapta se para um perfeito encaixe, com isso pronto bastou que ela checasse a posição da cartilha e o processo estava pronto.

James, pegou da menina a bala, uma vez que ela tivesse montado sozinha e checaria de perto, se havia algo que ele pudesse dar como errado, mas diferente dos outros processos, finalmente pareceu que a garota havia entendido, talvez em um ambiente melhor fosse mais fácil para que ele pudesse ensinar, mas a adversidade e os erros, seriam algo que ela nunca esqueceria, assim como também as perguntas que fez, já que não só trabalhou na parte auditiva, como também escreveu, reafirmando a informação de cada uma de suas dúvidas sobre o livro vermelho. O rapaz então fechou o livro vermelho, recolhendo também o livro verde, colocou a bala no bolso e com um sorriso lhe disse.

J- É isso, como pagamento para o que eu te ensinei, vou ficar com sua primeira criação e com suas anotações, eu não acho que em um ambiente  mais controlado, sem tantas flutuações você vá ter problemas, pelo que notei em suas perguntas, enquanto eu lhe ensinava, você tinha suas próprias idéias e isso é bom, caso houver algum trabalho a mais

Alipheese, estava feliz, havia realmente obtido sucesso, apesar de isso ter demandado dela um bom tempo, abaixou a sua cabeça levemente e timidamente diria.


-O… Obrigada!



~Fim da Pericia ~
Uma vez que tivesse terminado seu aprendizado, sem a noção do tempo que havia realmente gasto, devido ao quanto estava absorvida em aprender, a garota caso fosse liberada, tinha o desejo de comer algo, então caso não fosse interrompida, subiria as escadas por onde desceu, até que pudesse alcançar a parte de fora da embarcação, caso não pudesse se guiar por nenhuma placa ou aroma para que pudesse guiar-lhe até  o refeitório, caso não fosse capaz de entender sozinha como chegar até lá,  respiraria fundo e com dificuldade perguntaria a algum marinheiro ou marinheira que pudesse guiá-la.

-O- Onde é o refeitório, você poderia me mostrar?

Apesar de pequena, com uma aparência dócil e gentil, seu úniforme com as medalhas colocadas, poderiam passar uma impressão um pouco mais séria em relação a garota, mesmo que sua aparência e atitude pudessem dizer o contrário. Caso a pessoa pudesse lhe ajudar, a seguiria, do contrário, agradeceria e continuaria a procurar.








Histórico.:
 




Vantagens:
Spoiler:
 
Desvantagens:
Spoiler:
 
Objetivos Atualizados:
 

____________________________________________________


Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ação
Pensamento
Fala


Última edição por Alipheese em Ter Mar 13, 2018 8:11 pm, editado 12 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makei
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Makei

Créditos : 32
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 9010
Masculino Data de inscrição : 07/08/2017
Idade : 23

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptySeg Mar 12, 2018 10:54 pm

The Emperor of Sea



Tendo resolvido as coisas com o papel que Thor havia lhe dado, agora só restava subir no barco que já estava a sua frente e de Alipheese, de passo em passo, os dois subiam a plataforma que estendia-se do porto até o Navio, não conseguia imaginar como seria os próximos dias mas, tentaria descansar e aproveitar o máximo do tempo que estivesse ali de maneira largada. Seus pés encostavam sobre o chão de madeira e a instabilidade era sentida abalar o seu corpo com cada batida leve das ondas do mar sobre o casco do Barco, lembrava por completo aquele tipo de sensação de maneira parecida com a que teve um tempo atrás, era como se estivesse levemente tonto ao sentir seu corpo balançar de um lado para o outro, dificultando a sua movimentação, felizmente não sendo o suficiente para jogá-lo ao chão, apenas para sentir como se fosse sensação ruim estar de pé sobre o Navio.

Com pequenos passos, Lynn tentava se estabilizar e se acostumar cada vez mais a andar sobre o local, Alipheese parecia estar na mesma situação ao sentir a dificuldade de se movimentar sobre algo desconhecido e vê-la nessa situação fazia algo palpitar em seu coração, uma vontade tremenda de fazê-la desestabilizar mais ainda parecia atiçar o seu corpo cada vez mais e mais, e antes que percebesse... O Ruivo se virava de maneira abrupta na direção da garota de cabelos brancos, seu pé poderia ser visto bater fortemente sobre o chão e talvez fazer tanto ela quanto ele perderem um pouco o balanço, entretanto, aquele desejo e vontade eram muito grandes para se deixar de lado... Precisava jogar aquilo para fora, fazendo com que todos sintam a sua alegria do momento, era o início de tudo e de agora em diante apenas os céus podiam responder se seriam ou não bem sucedidos, a não ser que o Imperador dos Mares o mandasse contá-lo... Mas aí qual seria a graça ? Com um belo sorriso, levaria sua mão direita ao lado da posição de seu olho com um gesto de "V", antes de apontá-lo para Alipheese, suas ações e gestos eram empolgantes e alegres, igual sua voz que poderia quem sabe contagiar a pequena jovem e quem sabe esquecer daquela sensação ruim de andar sobre o Navio.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

- Alipheese ! É Agora que nossos sonhos começam ! Hehe. -

"" E NAMORO !!! (づ ̄ ³ ̄)づ  ""

“” Só cuidado com a Polícia ! ʕ•ᴥ•ʔ “”

" WUT ? "

"" Cala a boca e só segue o ritmo. ┬┴┬┴┤ ͜ʖ ͡°) ├┬┴┬┴ ""

- Se não se importa, vou tomar um ar ali, se precisar de mim, não hesite em me chamar. -

Apontando para a proa do Navio, Lynn continuava a falar com um belo sorriso no rosto para Alipheese, não sabia como seria a reação dela sobre a sua ação, esperava que fosse no mínimo positiva para ela, teve alguns problemas no início para conversar com ela mas, gostaria de manter uma boa relação com a pequenina já que se via cada vez mais próximo dela, apesar da mesma sempre demonstrar um lado diferente do convencional esperado pelo garoto, coisa que faltava em muito nele... Bom Senso ! Com um leve gesto de mãos, o garoto se despedia da jovem antes de seguir em direção à proa, a parte mais erguida do Navio, lhe dando uma boa visão por completo das coisas a sua volta e principalmente de Shells Town, os ventos batiam de forma tranquila sobre o seu corpo como se estivesse limpando todas as impurezas que poderiam manchar o Imperador dos Mares ao agradecer a sua presença. Com um leve tom de voz, fazia uma promessa tão baixa que era difícil até para ele mesmo ouvir, aquilo havia saído de forma tão natural que o mesmo se assustou ao entender o que havia falado, porém se sentia satisfeito com isso, assim vindo a se deitar e dormir ali mesmo, como se estivesse aceitando o agradecimento dos ventos.

- Vou me indo pessoal... Me desculpe mas, agora só me resta seguir em frente na busca do meu Sonho, se me for permitido... Eu espero que nunca mais nos encontremos novamente. -

"" Ele fala isso, mas esquece que todos nós estamos aqui... Ele é muito burro, puta que pariu ! É (Outra voz) ! Concordo (Mais uma voz) ! Só agora perceberam (Mais uma voz) ? Eu me recuso a comentar sobre isso... (Várias outras vozes) ( ͡°( ͡° ͜ʖ( ͡° ͜ʖ ͡°)ʖ ͡°) ͡°) ""

" Caralho ! Desde quando eram tantas ? "

"" É que você é tão burro que nunca percebeu !! ლ(ಠ益ಠლ)  ""

" Se ta de zoeira com a minha cara, né ? Fudeu ! "

O Tempo passava, deitado e rolando de um lado para o outro na busca de se ajustar e conseguir uma posição mais confortável com cada tremulação que a embarcação obtinha, ele tirava um leve cochilo ao aproveitar o bom sentimento que estava tendo nesse momento, contudo, um movimento súbito era causado, os marinheiros começavam a agir ! Desamarraram as cordas, mexiam nas velas, o leme era girado e os tripulantes se seguravam para o tranco que teria ao ir para a esquerda... Coisa que o garoto não havia feito por completo ao estar dormindo sobre a proa do Navio que acordava assustado ao ficar girando e colocando rapidamente suas mãos para a frente, permitindo que conseguisse se apoiar na amurada, quase batendo a cabeça sobre ela.

“ O QU- QUE CARALHO ! Que porra foi essa ? “

“” Séloco meu bom, quase que isso deu muito ruim, ia ficar igual o tijolinho lá na enfermaria. HUehueHUE   LUL  “”

O vento fluía e parecia um pouco mais forte que antes, se levantaria e poderia ver Shells Town diminuir de tamanho cada vez mais e mais, até finalmente virar um borrão no horizonte. Soltando um suspiro profundo, finalmente olharia para o lado, provavelmente vendo Kariel ao seu lado, alguém que ele continuava a se surpreender cada vez mais nesse dia, com um sorriso sem jeito, coçaria a cabeça sem saber o que falar, fazendo apenas um pequeno gesto com a cabeça como se estivesse-a comprimentando antes de seguir em frente ao observar os Marinheiros agirem de forma mais relaxa, podia vê-los estender uma mesa grande sobre o convés com vários tabuleiros e baralhos, algo que o garoto gostava muito em sua época mais jovem, apesar de sempre ter sido com jogos de Lógica, adorava aprender essas coisas, o que havia trazido um certo interesse em seu olhar ao se aproximar daquelas pessoas. Neve começava levemente a cair sobre os céus e a temperatura provavelmente a diminuir, porém aquilo não importava tanto, já que parecia ter visto algo interessante para seus olhos !

Histórico:
 
Objetivos:
 
off¹:
 

Créditos a @[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
        Ficha       ~ ~        Aventura


~> Fala <~
~> Pensamento <~


Medalhas:
 



Última edição por Makei em Ter Mar 13, 2018 5:10 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
SraVanuza
Membro
Membro
SraVanuza

Créditos : 12
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 10010
Data de inscrição : 14/12/2017
Idade : 21

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptyTer Mar 13, 2018 4:06 pm



Be a pretty bitch!



Seu diálogo com Lynn naquela manhã havia sido muito estranho, pareceria mais na dela do que de costume, o que de fato poderia gerar certo espanto nas pessoas ao redor, afinal era muito claro que ela não estava em suas plenas consciência.

-Já vai no banco pegar seu dinheiro? Tente não gastar tudo de uma vez só.. - Pausa - Eu..Eu to bem, só não estou ! - Ri de forma constrangida, sua voz ainda soava meio abalada, mas tentando parecer melhor, já que ficou claro que ela não estava bem - Até! Vai ficar tudo bem, relaxa! - Dizia isso um pouco antes de se separarem, indo para caminhos diferentes.

Kariel e Setsuni, isso sim era uma boa e produtiva relação que  seria regada, afinal tinha uma vibe de “Mestre e Aprendiz”, aquela mulher possuiria grandes ensinamentos para a gata, tornando-a ainda mais eficiente tanto em combate como em situações críticas. Conhecimento nunca é demais, fato visto pela garota de forma muito severa, em vários momentos pode se parecer que ela não está interessada em algo ou em alguém, mas está sempre analisando e colhendo informações, já que isso traria vantagem durante algum tipo de situação problema.

"Alipheese é uma ótima atiradora, porém tem uma locomoção limitada. Com a velocidade necessária era possível desviar de seus ataques e avançar com tudo, ela não teria a mesma chance de desviar e bloquear. Já Lynn, mesmo aparentando ter evoluído de alguma forma, ainda parece meio distraído e fácil de manipular, seus movimentos não parecem ser muito bem calculados, muitos deles até precipitados. O que poderiam gerar contra-ataques simples e eficazes. Porém nenhum dos dois deveriam ser subestimados, afinal passaram por momentos críticos assim como eu. isso tornarão eles futuros rivais a altura, sendo que em pouquíssimo tempo já demonstraram um grande avanço físico e emocional."

A cabeça de Kariel estava atiçada, encontrar sua “tutora” lhe forneceu boas energias, mesmo com o massacre do dia anterior lhe assombrando. O momento ápice foi a despedida entre elas, afinal mesmo que em pouco tempo aquele laço foi criado, gerou certo ressentimento, por ter de ir tão cedo, mas seria o suficiente naquela situação para gerar  mais um objetivo para o futuro: Superá-la!

Com seus olhos cheios de água, tentava se manter firme, não iria chorar de forma tão precária na frente dela, isso seria muito prematuro e deselegante. Mas era evidente sua tristeza. A motivação dada por ela seria um tesouro precioso durante aquela viagem, precisava se fortalecer e se aprimorar, tornando-se a melhor que poderia ser naquele momento.

“Eu vou!”

Após isso caminharia para o barco, subiria pela plataforma, a sensação de caminhar sobre algo que estava em cima da água era um pouco estranha e ao mesmo tempo familiar, já que seu pai era pescador, mas isso fugia de sua memória, era provável que em algumas passadas já teria se adaptado ao movimento do barco sobre a água. O capitão logo vem com uma trágica notícia, teria de ficar com o ruivinho, mesmo tendo sido “mansa” com ele naquela manhã, não era como se sua relação mudasse da água pro vinho, talvez um mínimo de afeto e respeito.

“Já começamos com desafios, não se matar ou matar ele... E… O que é proa?“

Caminharia até onde a caçamba de lixo estava. Não falaria nada por enquanto, tentaria ficar discreta e furtiva, pensando em como de fato estariam naquele momento. O capitão dá o comando de partida e com isso o barco começa a se mover. A força do arranque fez com que Kariel se segurasse onde pudesse, para que não fosse ao chão, e ao mesmo tempo faz com que Lynn praticamente gire sobre o chão. O que não poderia de acontecer é Kariel rir de forma descontrolada.

-Meu deus AAAAAAAAAAA.. Eu estou passando mal…. - Tenta respirar enquanto ri - Nossa, isso foi tudo o que eu precisava… Ai meu deus.. To sem ar!! Isso foi muito bom AHAHAHAH!

Era provável que depois disso o jovem viesse com paus e pedras, afinal era o que costumavam fazer em situações como essa, mas tentaria manter a compostura depois desse chilique. Com sua mão direita passaria um de seus dedos, o indicado, em seu olho direito, tirando uma lágrima que veio de seu ataque de risos.

-Ai desculpa. Ui… Ahaha! Isso foi muito inesperado… Você ta bem? - Diria tentando parar de rir da situação, mas com respeito.

Mas se caso o “bonitão”, claro que entre aspas porque né. Ele é feio. Tentasse falar alguma gracinha em relação a sua cabeça, ela já teria uma resposta bem prática na ponta de língua.

-Meu cabeção foi capaz de se segurar aqui, já você caiu que nem um balde de bosta! Seria melhor começar a calcular algo novo, por que está começando a ficar ultrapassado e sem graça! - Diria cruzando os braços e fechando os olhos, erguendo a cabeça para um direção oposta a do rapaz, dando uma leve inclinada para cima, enquanto seu rabo ficava paradinho para cima com a ponta dobrada em uns 120º.

-E antes que eu me esqueça, nossos quartos são do número 10 ao 13, então temos que avisar ao outros… Espero que você não se perca, ou pelo menos se se perder, me chama pra eu rir! - Era debochado, mas com certeza menos do que antigamente.

A jovem colocaria seus braços apoiados sobre a borda, para que pudesse olhar aquela vista, ver a ilha se distanciando e indo para algum  outro lugar no horizonte, ao mesmo tempo que era emocionante era desesperador, novas pessoas, novos objetivos, novos locais, novamente estaria perdida em meio a um mar, literalmente, sem saber onde está. Suas costas ainda estavam um pouco doloridas, mas agora já deveria estar bem melhor que quando acordou, afinal era um machucado recente, mesmo que o outros já estavam bem melhores.

Depois de um tempo, após a ilha ficar completamente fora do campo de visão, um novo ambiente se instalava ali, as pessoas pareciam relaxar um pouco, descontraído e leve, dançar, jogos, tudo estava ali, o vento soprava de uma forma deliciosa, Kariel fechava os olhos e levantava um pouco seu rosto para poder apreciá-la da forma mais intensa possível, de fato aquele seria o início de sua jornada como uma marinheira.

“Mas que diabos eu vou fazer aqui durante todo esse tempo???”


Histórico:
 
 


Objetivos:
 





Thanks Faith @CG

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Voltar ao Topo Ir em baixo
Achiles
Pirata
Pirata
Achiles

Créditos : 38
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 10010
Masculino Data de inscrição : 01/09/2017
Localização : Loguetown - East Blue

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptyTer Mar 13, 2018 6:38 pm


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Rumo ao mar - Os primeiros passos de um marinheiro




Alipheese havia começado o seu aprendizado na parte inferior do navio e os outros membros aproveitavam da boa brisa que o vento lhes proporcionava, o vento estava ficando frio e o nevisco vinha acompanhando disso, era notável a queda de temperatura, mas nada que uma dança, movimentos acrobáticos ou um bom jogo de cartas com os amigos não aquecesse os seus corpos. O capitão continuava com os olhos firmes a sua frente tentando observar pro debaixo das velas e para os seus lados, o homem do caralho também estava atento com a sua luneta observando cada detalhe do mar.

Ao ver Lynn se aproximar, um dos marinheiros, um homem musculoso de cabelos raspados e um uniforme apertado lhe cumprimentava com um aceno, o mesmo estava segurando as peças de um tabuleiro de xadrez em sua mão, ele deveria ter dois metros e sua palma era do tamanho do rosto do ruivo, embora toda a sua aparência que poderia ser intimidante para alguns era toda quebrada com o sorriso amigável em seu rosto. - Me chamo Jonas, como é o seu nome, novo companheiro? - Esperava pelo nome do garoto. - Sabe jogar? - Ele apontava com a outra mão para o tabuleiro de xadrez onde ia posicionando as peças da maneira correta.

Enquanto isso, Drake era mais sociável, era ele quem começava a interação com os acrobatas presentes, era um marinheiro jovem de pele morena e cabelos marrons que lhe respondia. - Nós costumamos usar isso de uma maneira mais agressiva, por enquanto estamos só mais treinando mesmo. Qual é o seu nome, novo marinheiro? - Ele notava a vontade que o mais novo marinheiro estava olhando para aquilo como se quisesse praticar junto a eles, o ruivo então exibia a sua vontade perguntando se um deles poderia lhe ensinar a fazer aquilo. - Claro que podemos! - Ele exibia um sorriso e parecia estar animado com aquilo, embora ele já estivesse pronto para começar a ensiná-lo, o garoto ainda parecia interessado também com os jogos de cartas que estavam ali, haviam alguns barulhos fechados ainda e que não pareciam que seriam usados, um dos homens lhe dava o baralho de bom grado, parecia que o ambiente era todo bem clamo e bem interessante. O homem moreno ainda esperava Drake para começar o ensinamento, o ruivo ainda haviam problemas com aquilo, suas costelas doíam, seu nariz quebrado não ajudava em sua respiração bloqueando levemente e toda vez que respirava era uma dor constante, a sua cabeça ainda lhe dava um certo enjoo naquela embarcação e era notável que seria um aprendizado bem difícil dado a esses sintomas.

Com Kariel apreciando a brisa que passava entre os seus pelos, era surpreendida por uma marinheira que chegava calmamente por sua direita apoiando de costas na amurada, seus cabelos loiros balançavam pelo vento e era difícil segurar o seu chapéu, seu uniforme todo simples e seus olhos loiros lhe davam uma boa expressão, suas curvas eram bonitas e tinha um belo sorriso. - Você é uma Mink, né? Nunca vi uma gata humanoide dançar, você sabe dançar? - Ela lhe perguntava com um tom curioso esperando por uma resposta da gata, suas palavras eram calmas e por algum motivo parecia transmitir uma certa tranquilidade para quem ouvisse como se fosse uma pessoa mais do que inocente. As dores nas costas da gata roxa haviam desaparecido lhe deixando totalmente recuperada de seus machucados já que não sentia mais nada, seria o efeito do remédio ou realmente estava bem? Não saberia, mas era uma tranquilidade para a garota.


Todo o ambiente era tranquilo e parecia que os marinheiros gostavam bastante de se interagir, tudo estava calmo e não podiam deixar de se ver alguns homens e mulheres que não gostavam muito desse clima pelo que pareciam, eles estavam separados, mas a maioria parecia estar sentado, encostado na amurada ou olhando para o mar estando atento a qualquer instante.

~~ No futuro ~~

Alipheese concluía o seu aprendizado com o homem e agora queria se alimentar, embora a sua barriga ainda não começasse a roncar, a fome estaria próxima e não sabia quanto tempo havia passado desde que havia se perdido nos ensinamentos daquele marinheiro. A sala estava bem mais vazia do que antes dado ao passar do tempo e o término de alguns trabalhos e infelizmente isso acabava não liberando a garota por enquanto. O marinheiro que havia lhe trazido até ali olhava para seus olhos e antes que pudesse sair da sala ele lhe pedia mais uma última coisa. - Me desculpa, garota, mas será que você poderia me ajudar uma última vez? Prometo que se você quiser, te levarei aos melhores lugares de Loguetown. - Ele olhava para o lado e apontava para uma caixa ali, haviam parafusos enormes e várias chaves de fendas de tamanhos diversificados, algumas dobras de ferro e martelos. - Precisava de alguém para me ajudar a colocar essas dobras de ferros e reforçar algumas paredes e prender melhor os canhões ao chão. - Ele olhava com uma cara de quem precisava de ajuda, seus olhos castanhos claros lhe davam uma boa expressão, O marinheiro tinha uma boa aparência com sua pele clara e uma leve barba rala castanha, seus cabelos cobertos pelo boné eram de formato desconhecido, mas seus físico era forte e portava uma espada em sua cintura, além de vários utensílios de ferreiro.





Considerações:
 


Dicas:
 


Ferimentos:
 





____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ficha na Sign
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Alipheese
Tenente
Tenente
GM.Alipheese

Créditos : 30
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 25
Localização : Mawakun-3ª Rota.

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptyTer Mar 13, 2018 8:06 pm


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Pequenos atos que fazem a diferença.

Estava cansada do processo de aprendizado, mas muito disso era fadiga mental, já que felizmente não houve um processo que tivesse demandado muito esforço físico, pensou em ir ao refeitório, havia perdido um pouco da noção do tempo, era um conteúdo extenso e por mais que acreditasse que sua leitura era rápida, por insistir em fazer anotações para melhorar sua coordenação de seu lado esquerdo tinha a noção que todo o processo levaria ainda mais tempo, mas estava animada, havia um grande prazer em estudar aquilo que era de seu interesse e sua cabeça já iria a mil com as idéias, algo que talvez, mesmo que provavelmente não fizesse muito tempo, desde sua última refeição era um fato que uma vez que se tenha experimentado algo tão superior ao que estava acostumada, que ela gostaria de aproveitar a oportunidade mais vezes. Já havia planejado todo o seu trajeto, subiria pelas escadas por onde desceu e passaria pelos quartos, procurando por indicações visuais, fossem em forma de cartaz, placas ou mesmo texto nas paredes, que pudesse indicar a direção da cozinha, apenas no último caso teria de recorrer a perguntar.

Esse era o seu plano, porém não iria adiante com ele, o senhor que havia  a guiado até o local, diretamente em seus olhos, por toda sua expressão a pequena donzela não poderia ali ser egoísta, principalmente frente ao pedido e até mesmo a oferta do marinheiro, ela estava indo para um lugar que não conhecia, não achava certo que ela pudesse cobrar por algo que deveria ser também sua função, mesmo que agora fosse uma marinheira e não apenas uma ferreira, todos ali presentes tinham uma responsabilidade para manter a embarcação funcional e segura a todos. A garota demorou um pouco para responder ao senhor, levantando seus olhos avermelhados a direção do teto, quase como se pudesse ver um pequeno balãozinho de seu próprio pensamento na cabeça, com uma expressão pensativa, levou o dedo indicador de sua mão direita a parte inferior de seu lábio, involuntariamente fazendo um pequeno barulho com a boca, devido a respiração mais profunda. Ao terminar de pensar, um processo que não levou muito tempo, pôde perceber uma certa ternura no olhar do marinheiro, não havia dúvidas de que ela o ajudaria, questionar isso nunca foi uma opção, poderia não parecer algo glorioso para muitos, mas a garota apreciava poder ajudar, por menor que fosse a boa ação, ainda era uma boa ação. Sua feição era simpática, quando abaixou a mão e o olhou novamente, estaria talvez, um pouco mais tranquila, uma vez que soubesse o que dizer, mas ainda assim requeriu certo tempo até que ela se comunicasse abertamente.


- Eu… Eu… Adoraria conhecer mais sobre Loguetown...Não há nada que eu conheça sobre a cidade além de ela ter uma base da marinha… Eu não posso pedir como pagamento que o senhor faça esse esforço...Mesmo que fosse me fazer feliz… Seria egoísta… Es-Estava pensando se eu poderia também checar se os canhões estão com a manutenção em dia… Estudei muito sobre suas… Estruturas, mas nunca tive a oportunidade de realizar a manutenção…


Então, em meio as palavras com pausas para respirar, se reestruturar e encarar sua própria timidez, a garota revelaria o motivo de ela ter pensado antes de responder, ficaria claro que suas intenções na verdade eram de não explorar o senhor, por fazer sua própria função, assim como também havia se proposto a fazer mais do que lhe era pedido, certamente deveria haver o necessário para a realização da manutenção naquela sala, caso fosse necessário e a garota teria o conhecimento para realizá-lo se tivesse oportunidade. Caso pudesse, pegaria as ferramentas que julgaria necessárias para ajudar o senhor, assim como a caixa que ele havia pedido. Por menor que fosse em estatura, poderia ser surpreendente a sua força física e até mesmo sua força mental ao não demonstrar em momento algum descontentamento pelo que estava fazendo, caso ele lhe desse alguma instrução específica sobre como deveria prosseguir com o seu trabalho, seguiria suas instruções, do contrário era bem provável que ela usasse do seu conhecimento para que pudesse tentar fazer o trabalho da forma mais eficiente ou seja, algo que fosse mais fácil para a manutenção futura, duradouro e que usasse o menor número necessário do material, tentando aproveitar ao máximo o valor de cada item. Caso pudesse ver dificuldade no senhor para que ele pudesse realizar a tarefa ao seu lado tentaria de duas formas sugerir para que ele deixasse o maior ou todo o volume restante do trabalho a ela, sua primeira abordagem, seria direta, onde tentaria conversar de forma educada para que ele não colocasse tanto de si, uma vez que ela poderia terminar o trabalho sem problemas. Caso tivesse o sucesso em convencê-lo, se a situação chegasse a seguir dessa forma, sem em nenhum momento demonstrar cansaço ou insatisfação a frente do marinheiro, ela tentaria não só concluir, como também checar a manutenção de cada um dos canhões que ali haviam, buscando corrigir qualquer falha que estivesse ao seu alcance arrumar com o seu conhecimento e suas ferramentas. Caso ele pudesse recusar sua oferta, simplesmente tentaria pegar o maior volume de trabalho ao acelerar o seu processo, sem que pudesse diminuir a qualidade ou cometer erros.

Se  o seu trabalho pudesse ser concluído, antes de prosseguir pararia um pouco para respirar, tentaria organizar as ferramentas e materiais que foram  usados e caso houvesse suor de sua parte, tentaria  jogar um pouco do seu cabelo sobre o ombro de forma a ventilar um pouco a sua nuca, enquanto com suas pequenas mãos se abanaria um pouco. Seria cortez com o senhor, em caso de algum comentário que não fosse maldoso e se houvesse um, optaria pelo silêncio acima do conflito. Caso não houvesse algo que ele pudesse falar, se permitiria ser um pouco egoísta e perguntaria algumas coisas que seriam importantes para ela conhecer, ainda havia um tempo de viagem e provavelmente a estrutura dos navios da marinha quanto ao posicionamento de suas salas deve ser similar, então respirou fundo, tanto para recuperar o possível fôlego, quanto para dizer o que ela precisava.


- Se… Se não for pedir muito, o senhor poderia me mostrar o restante do navio? Apenas onde eu devo dormir, o refeitório,  onde é o banheiro e se possível a enfermaria… Se… Se achar que estou pedindo demais, não tem problema, de verdade. Eu só queria entender melhor como é o lugar, para que eu não tenha de importunar…


A garota dizia com certa dificuldade, suas mãos juntavam-se  e seus dedos polegares circulavam entre si, mostrando uma notável apreensão, seu tom de voz era baixo, ainda que audível e a forma como poderia passar a impressão daquilo que falou,  provavelmente poderia passar uma ideia boa, não havia maldade em suas palavras ou em seu pedido, que seria até mesmo simples. Caso o marinheiro pudesse guiá-la o seguiria, seria notável sua atenção e o quanto a cada novo lugar que ela pudesse descobrir poderia fazer com que seu olhar brilhasse levemente mais em uma mistura de admiração e surpresa, sua forma de agir  seria possivelmente, profundamente adorável e natural, suas poucas palavras se acompanhada de suas ações, poderiam ser cativantes a quem a tivesse por perto, era uma pessoa fácil de se lidar e muito mais fácil de se criar uma boa impressão do que uma ruim, em especial quando se trabalhava ao seu lado.








Histórico.:
 
Vantagens:
Spoiler:
 
Desvantagens:
Spoiler:
 
Objetivos Atualizados:
 
off:
 

____________________________________________________


Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ação
Pensamento
Fala
Voltar ao Topo Ir em baixo
CrowKuro
Tenente
Tenente
CrowKuro

Créditos : 2
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 10010
Masculino Data de inscrição : 24/01/2018
Idade : 25

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptyQua Mar 14, 2018 12:23 am


Drake se via completamente feliz onde estava e com quem estava e todos ali a sua volta poderiam sentir isso, logo após ter se descontraído junto a todos contando uma de suas piadas de circo Drake era perguntado de seu nome, o jovem então responde ao homem que lhe perguntava o dizendo.


- Meu nome é Drake, prazer em conhecer… Eh, usar isso de maneira agressiva de fato é o ponto onde eu quero chegar.


O jovem o respondia o marinheiro com um leve sorriso em seu rosto enquanto estendia sua mão para o mesmo com a intenção de cumprimentá-lo e logo após o ter cumprimentado, Drake rapidamente vai a uma das mesas na qual pedia um dos baralhos que estavam fechados em cima da mesma, um dos homens o dava de bom grado e isso era algo muito bom para Drake que o agradecia dizendo um obrigado, Drake adora baralhos e ficar passando as cartas e fazendo pequenos truques com as mesmas o deixa completamente calmo e isso seria muito útil depois de um trabalho exaustivo ou uma luta complexa na qual o jovem poderia ficar irritado ou descontente.


Drake então se volta para o marinheiro que havia dito que poderia lhe ensinar as acrobacias, o mágico o responde de forma animada, com sua feição sorridente e seus olhos fechados enquanto sorria. Drake então o pergunta se poderiam começar  esperava a resposta do homem para iniciar seu treinamento, porém antes que o homem pudesse dizer para iniciar Drake o avisa de seus ferimentos para que não pegasse muito pesado com ele porque seus movimentos estariam litados devido às dores.




[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]




- Bem, eu ainda estou muito machucado por conta do último combate então se puder pegar leve comigo at melhore eu agradeceria.




Começo da Perícia



Após Drake se apresentar ao seu companheiro instrutor, o jovem o pergunta seu nome para que pudesse falar com o mesmo mais livremente e sem precisar ficar o chamando de instrutor, o mágico ouve a resposta do homem que dizia seu nome enquanto dava um leve sorriso.


Homem: - Meu nome é Andy, prazer.

Drake o olhava enquanto sorria e o respondia de forma simples e logo em seguida começava a dizer sobre o que já havia “aprendido” sobre acrobacias enquanto vivia no circo.


- Prazer Andy, meu nome é Drake. Bom me deixe apenas adiantar algumas coisas que talvez possa o ajudar no meu ensino. Eu vivi em um circo por muito tempo, na verdade por quase minha vida inteira e lá eu sempre observei os acrobatas fazendo suas acrobacias, desde caminhar sobre cordas bambas a se movimentar enquanto plantava bananeira de cabeça para baixo. Claro que eu apenas os observei então não tenho nada de prática sobre as acrobacias, porém consegui analisar alguns pontos e padrões importantes em cada movimento que me fizeram entender bastante sobre os mesmos, mas volto a dizer, eu nunca os pratiquei embora tenha uma boa teoria sobre eles.

O homem olhava para Drake e então sorria e o dizia. - Entendo, então você tem uma pequena teoria sobre os movimentos não é? Está certo, isso realmente pode me ajudar a lhe ensinar de forma mais efetiva e simples sobre os movimentos de acrobacia, porém mesmo que tenha alguma base teórica sobre eles você ainda não os praticou então não os subestime.


Após ter dito tudo a Drake, Andy começa a se posicionar para iniciar seu ensinamento ao  jovem mágico e futuro acrobata, o moreno então prefere começar com algo simples como plantar bananeira e decide explicar a Drake sobre cada pequeno movimento que seu corpo precisa fazer para que o mesmo não perca o equilíbrio e consiga permanecer por bastante tempo daquele jeito. O acrobata se põem de cabeça para baixo se apoiando sobre seus braços mantendo seu corpo completamente ereto e parado enquanto diz para Drake prestar bastante atenção em seu corpo e como se comportar para manter o equilíbrio.


Andy: - Drake, observe atentamente aos meus movimentos corporais e veja que nesse momento eu não estou me mexendo quase que nenhuma parte do meu corpo a não ser os meus pulmões para respirar e minha boca para falar, procure sempre se manter nesse estado como se estivesse completamente inerte, como você é um iniciante isso é o principal ponto no qual você deve se focar e aí quando dominar isto poderemos passar para a próxima parte.

Drake olha para Andy atentamente observando cada pequeno detalhe da postura que seu instrutor se punha, e começava a lembrar dos pontos aos quais havia citado no início de seu treinamento, o mágico então após o observar tenta iniciar o seu movimento para imitar Andy. Drake olha a sua volta e procura uma superfície na qual pudesse se encostar assim facilitando seu movimento, o jovem pretendia se acostumar com o peso de seu corpo se apoiando antes de literalmente se afastar da parede e tentar fazer o que Andy estava fazendo. Drake se aproxima da parede e coloca suas mãos ao chão e logo em seguida ergue seu corpo em direção a parede, suas pernas agora estavam estendidas para cima enquanto se apoiava em seus braços, rapidamente o jovem começa a sentir o cansaço que aquilo exercia sobre seus braços e então perdia o equilíbrio mas virava seu corpo rapidamente para não cair de rosto no chão.


Drake agora se via ofegante pelo esforço feito sobre seus braços o que também deu uma pequena fisgada em sua costela mas nada que fizesse desistir. O mágico ruivo agora olhava para Andy que ainda estava de cabeça para baixo e pensava.

“Como ele consegue se manter assim por tanto tempo sem se cansar? Isso deve vir de muito tempo de prática, parando para pensar os acrobatas do circo também pareciam não se incomodar com o cansaço… Bom, só me resta praticar e um dia terei esse gás que eles tem.”


Andy logo após ter visto Drake cair sai da sua posição de bananeira e fica de pé novamente e segue até o jovem mágico dizendo que a forma como Drake havia feito não estava errada mas também não estava correta, se basear em uma parede para se manter era algo inteligente porém ele precisava manter seu corpo livre ao ar para sentir como se equilibrar sobre o mesmo.

Andy: - Drake essa sua idéia é inteligente, porém não é eficaz. Eu entendi o que você quis fazer mas isso não irá te ajudar a se manter no ar por seu puro equilíbrio e força, dessa vez tente fazer o mesmo mas agora sem o apoio da parede, eu ficarei aqui do lado para apoiar sua perna enquanto você está se equilibrando.


Drake acena com a cabeça positivamente e tenta mais uma vez, o mágico agora jogava seu corpo com muita força para trás após apoiar suas mãos ao chão e isso o fazia praticamente dar um mortal, Andy olha para o jovem e diz.


Andy: - Tá aí, você conseguiu fazer um movimento meio que inconsciente… Você acabou de praticamente dar uma cambalhota, mas não é isso que nós estamos tentando aprender, tenta manter seus braços firmes ao solo enquanto levanta seu corpo levemente colocando suas pernas para cima, não se preocupe eu estarei aqui atrás para lhe segurar caso você perca o equilíbrio.


Drake então tenta mais uma vez mas dessa vez seus braços perdem um pouco da força pelo esforço excessivo causado nos mesmos e sua costela dá uma fisgada mais intensa e o jovem não consegue se levantar por completo. Seus braços se dobram ao perderem a força e Drake parecia que iria cair de rosto no chão, mas no último segundo Andy o segura pelas pernas evitando que o mesmo se chocasse com mais força no solo e que pudesse se machucar seriamente.


O jovem mágico então tenta mais uma vez, Drake agora parecia mais sério e pensativo do que nas últimas tentativas, seu olhar estava focado onde iria se equilibrar e olhava para suas mãos buscando entender alguma coisa que estivesse faltando, Drake olha para cima e fecha seus olhos e puxa o ar mais profundamente e o solta em seguida o que fazia o seu nervosismo e ansiedade se acalmarem, o jovem começa a pensar em tudo o que Andy o havia lhe dito sobre cada ponto da acrobacia.


“Respirar fundo antes de começar, manter a respiração o mais leve possível e evitar ao máximo mexer o corpo desnecessariamente, apenas movimentar seus pulmões para respirar, manter a concentração enquanto estivesse de cabeça para baixo, e focar extremamente no que está fazendo.”


Drake levemente coloca suas mais ao chão e respira profundamente soltando o ar logo em seguida para que acalmasse seu corpo e repetiu isso três vezes, quando terminou de puxar e soltar o ar na terceira vez, Drake flexiona seus braços enquanto joga suas pernas para o alto e no mesmo momento estica seus braços para manter a posição, o jovem havia conseguido ficar de cabeça para baixo e agora só precisava permanecer daquele jeito por algum tempo.


Andy: Isso Drake, é exatamente desta forma, agora procure se manter calmo e focar apenas nisso, controle sua respiração e concentre suas forças nos seus braços e mantenha sua respiração curta e tente ficar assim por mais um tempo.


Drake ouvia o que Andy falava mas não respondia o mesmo com a voz e sim com seu olhar, a determinação era visível nos olhos do jovem mágico que se esforçava o máximo, Drake então para de olhar para o acrobata quando o mesmo parava de falar e se concentrava completamente na acrobacia, por mais que estivesse ali e com os olhos abertos parecia como se Drake não visse mais ninguém a sua volta e não os ouvisse e apenas tinha em sua mente a voz de Andy o dizendo como proceder com seu movimento, o jovem então permanece daquele jeito por mais uns 3 minutos até que seus braços se cansaram e Drake precisou desfazer a acrobacia.


Andy: O que ouve Drake? Você estava indo muito bem, você já havia dominado aquilo, porque você parou? Você poderia completar 5 minutos daquele jeito se quisesse, sua respiração estava perfeita e seu corpo completamente imóvel.


- É eu já consigo me manter daquele jeito mais facilmente, o problema é que meus braços se cansaram de mais e eu não pode continuar naquela posição, me desculpe Andy… Parece que eu preciso de mais tempo até me acostumar com o peso do meu corpo por tanto tempo daquele jeito, meus braços ainda não estão acostumados com isso, por mais que eu esteja fazendo o certo na acrobacia eu ainda preciso de uma melhor resistência para que meus braços aguentem por mais tempo…


Andy: Não se preocupe garoto, você foi muito bem para quem está aprendendo agora, como você havia dito antes, por mais que você tivesse um conhecimento visual das técnicas você nunca as havia treinado, então para uma primeira vez isso foi excelente… Meus parabéns, parece que eu não preciso mais lhe ensinar nada.





Fim da Perícia









O jovem mágico se via completamente cansado pois os movimentos que havia executado eram completamente diferentes dos quais ele estava acostumado a fazer, a movimentação era algo completamente fora dos padrões que Drake usava no seu dia a dia como boxeador tanto fora quanto dentro de combate e aquilo o deixava exausto, além do mais suas costelas ainda doíam junto a seu nariz e a dor que sentia em sua cabeça o fazendo se sentir mais debilitado ainda. Drake agora pedia para dar uma pausa para que pudesse tomar um banho e descansar para não forçar demais sua costela, o que poderi agravando seu estado caso continuasse a forçando dessa maneira.

[/font][/size]

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Pensamento
Fala
Extras

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por CrowKuro em Ter Mar 27, 2018 11:38 pm, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makei
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Makei

Créditos : 32
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 9010
Masculino Data de inscrição : 07/08/2017
Idade : 23

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 EmptyQua Mar 14, 2018 12:29 am

The Emperor of Sea



Com um ambiente tranquilo e calmo, os marinheiros pareciam gostar bastante de se interagir com os outros a sua volta, sendo com jogos, movimentos acrobáticos, conversas e entre outros. Era uma maneira bem simples e satisfatória de passar o tempo no barco, afinal, o tempo que teriam que passar dentro do Navio não seria pequeno e mesmo diante do nevisco, não se deixavam manter seus corpos frios ao se interagirem com os seus amigos e companheiros.

Lynn podia observar tudo aquilo, a boa brisa do mar poderia ser sentida bater sobre o seu corpo e mesmo que a queda de temperatura era notável, não parecia atrapalhá-lo nesse instante. Se aproximando mais dos Marinheiros, um deles veio a abordá-lo com um amigável sorriso em seu rosto, era um pouco estranho de ver aquela pessoa, já que a sua ação era algo totalmente diferente da primeira impressão que poderia receber do Marinheiro, seu nome era Jonas, um homem musculoso com cerca de dois metros de altura e cabelos raspados, com um uniforme apertado e um tabuleiro de xadrez em sua mão, ele parecia convidá-lo para jogar com ele.

O vê-lo apontar com uma de suas gigantes mãos para o tabuleiro de xadrez enquanto as ia posicionando, Lynn o respondia de maneira rebelde e confiante, lembrar dos jogos antigos de Lógica que jogava mais jovem, fazia ter um tipo de interação mais fácil com o Marinheiro, mesmo que não o conhecesse e não esperava muita coisa dele, havia tido uma certa curiosidade ao jogo que estava em suas mãos antes de se sentar na cadeira na frente de Jonas.

- Eu sou o Imperador dos Mares ! Lynn para os mais íntimos mas, eu lhe permito dessa vez. -

~ Perícia Estratégia ~

-> COR DA FALA DO JONAS ! <-

Com o badalar do barco de um lado para o outro por causa das ondas do mar, as peças do Xadrez se encontravam todas enfileiradas de uma maneira surreal, talvez fosse algum tipo de magnetismo ou sejá lá o que tenham inventado para aquelas malditas peças, era realmente incrível que se mantivessem em perfeito estado. Continuando a olhá-las atentamente, como se estivesse tentando decifrar algumas coisa naquele tabuleiro, com vários quadrados de uma cor contrária da outra, uma ao lado da outra o fazia se perguntar o motivo de estarem assim, contudo ver cada peça diante de um quadrado já havia facilitado o seu entendimento de como se posicionavam… Só não sabia o movimento que deveria seguir para retirá-las.

Jonas ao dar a iniciativa para que o Ruivo pudesse começar com as peças brancas, percebeu rapidamente que o garoto na verdade realmente não sabia como jogar o jogo a sua frente. Abrindo um pequeno sorriso no rosto, suas mãos gigantes pareciam abrir um caminho para o jovem ao gestar e apontar como as coisas funcionavam junto de sua explicação.

- Olha garoto, isso aqui é um jogo de Xadrez e cada peça tem tanto uma função quanto uma série de coisas que elas podem fazer. Quem tem o inicio são as peças brancas e esses aqui são os Peões... Tem mais algumas regrinhas, mas se eu for explicar por completo ai já é outra história, certo ? Então vamos indo que eu te explico com o jogo.

Acenando com a cabeça a cada momento que o Grandalhão comentava e demonstrava as ações do Xadrez, fazendo o garoto se aprofundar cada vez mais naquele jogo, era algo tão simples e tão complexo ao mesmo tempo, como que as pessoas haviam conseguido criar algo tão magnífico assim ? Não sabia responder, estava ansioso para começar o jogo e com o primeiro movimento, não demorou muito para que as coisas realmente começassem a andar.

Pouco tempo passava e o Ruivo já se encontrava em dificuldades, apesar de ser novo, havia tido uma boa ideia de como as coisas funcionavam, conseguia reagir às ideias que Jonas tentava, porém tudo parecia não andar como ele gostaria, no momento que ele conseguia parar a investida de um lado, o outro parecia desabar era uma situação desastrosa para o nosso Jovem Imperador que parecia ficar cada vez mais frustrado com o tempo, ao ponto de chegar a ter um momento de explosão ao sentir que o jogo era injusto.

- Mas que porra ! Esse jogo é injusto ! Se ta querendo fuder com o Imperador dos Mares ? Hey ! Você está escondendo alguma coisa ou ta roubando né ? Se eu descobrir… Ahhhh, você vai ver… -

- HAHAHAHAHAHA ! Claro que não, o problema é que tem algo muito importante que falta para você, você parece responder bem para o que eu faço no momento, contudo, não para o que eu PLANEJO fazer !

- Você tem a cara de pau de falar que tem algo faltando em mim ? Ta maluco ? -

- HEHE ! Relaxa mano, é só um jogo, vamos jogar outro e se for isso mesmo eu te explico o que é, que tal ?

- Tch ! -

”” Tu é muito burro, puta que pariu… (>ლ) “”

” Calado ! Não quero ouvir um pio seu ! “

Tendo um novo jogo, dessa vez o garoto começava com o lado Preto e … Infelizmente o jogo não demorava muito para se encontrar um impasse novamente, realmente havia algo que lhe faltava, mesmo que respondesse de maneira correta com o que o Brutamontes tentasse, mal ele sabia que estava andando na palma de sua mão, já que ter um jogo de pura reação em Xadrez é o principal caminho para a derrota ao não se ter um bom planejamento futuro e era exatamente isso que faltava na mentalidade de Lynn, um bom conceito de Estratégia !

Lidando com mais uma derrota em mãos, Jonas parecia cair em uma gargalhada novamente que o fazia ter um pequeno susto ao perceber a sua ação, não entendia direito, no entanto as palavras que o rapaz vinha a comentar faziam total sentido ao apontar para a sua cabeça com aquelas mãos gigantes, Lynn realmente estava agindo de maneira totalmente “Reativa” e não com um conceito por trás, facilitando que fosse totalmente lido.

- HAHAHAHAHAHA ! Entendi, entendi ! Você realmente não é tão burro... Mesmo que talvez não pareça, o que te falta está aí ! Na sua cabeça. -

- Oi ?

- Estratégia meu jovem, o que te falta é Estratégia ! Você faz boas decisões, o único problema é que você não pensa no futuro, você não tem um “Plano” dentro do jogo e isso faz as coisas se tornarem totalmente fáceis para mim, entendeu ? Vamos pegar um exemplo, quem é mais difícil de acertar, aquele que anda apenas reto ou aquele que anda em Zig-Zag ?

- O que anda em Zig-Zag…

- Errado ! A resposta certa é nenhum dos 2 ! O mais difícil de acertar é aquele que abusa das 2 coisas e de muito mais ao seu redor, ele não apenas está pensando em como andar mas como lidar com o que você está pensando e o que ele tem a sua volta para usar, assim tendo uma chance de dificultar mais ainda a sua vida pelo simples fato de ter uma visão melhor do “Futuro” ou de como te “Controlar”, quer ver um exemplo ?

Sem que o jovem o respondesse, Jonas puxava um papel e caneta em cima da mesa deixando o Xadrez de lado por um tempo, ele fazia 2 riscos Horizontais e 2 Verticais, fazendo um “Jogo da Velha” no papel antes de olhar com um sorriso sarcástico para o rosto de nosso Imperador, o maldito realmente estava gostando de tudo aquilo.

- É o seguinte, isso aqui se chama “Jogo da Velha” e nós só vamos fazer “X” e “O”, Okey ? Basicamente quem conseguir uma linha com 3 delas tanto nas Horizontais,verticais ou diagonais ganha, entendeu ? Eu vou começar, preste a atenção e siga o fluxo.

Fazendo um risco de “O” bem no meio do Papel fazia o garoto se sentir cada vez mais confuso… Porém já estava ali, não custava nada seguir o fluxo, parecia que seria algo interessante para que ele aprendesse no futuro e de um bom valor, não havia mal em continuar. Sem pensar muito no que fazer, o jovem colocava um “X” logo abaixo do risco que Jonas havia feito no papel, mal ele sabia que nesse instante o sorriso do grandalhão se tornava mais evidente, o resultado já estava premeditado !

Sem demorar muito e ainda calado, o rapaz fazia agora um “O” na diagonal da direita acima, forçando a Lynn tomar uma atitude de total reação ao não permitir que o mesmo fizesse o seu 3° naquela linha da diagonal, uma ação que o garoto não esperava ser forçado a tomar… Algo de estranho estava acontecendo… Apenas faltava mais um “X” seu para finalizar o jogo e fechar a risca, todavia dava para se perceber que não era tão simples como ele havia imaginado, era claro que Jonas não iria permitir essa façanha, contudo ver que apenas faltava mais uma rodada para completar a sua linha, fazia abrir um pouco de felicidade em sua cabeça… Felicidade essa que durou pouco ao ver aquele maldito “O” ser colocado diante de sua vitória mas, o que o fez se sentir mais indignado nem foi o motivo de sentir a vitória nas postas de seu dedo e sim perceber rapidamente que havia perdido naquele pequeno jogo idiota, toda aquela sensação de quem sabe ter tido a oportunidade de “Ganhar” havia sido apenas uma desilusão de sua cabeça que Jonas o fez pensar, desde o início ao fim o garoto estava andando na palma da mão daquele maldito cabeça de músculos… Por sinal, uma pessoa dessas não era para ser o contrário ?...

- Eai, o que você entendeu até agora ? -

- Que tu me fez de retardado ? -

”” Mas isso você sempre foi… (☞゚∀゚)☞ “”

Não terminando de responder o Ruivo, o grandalhão não demorou muito para terminar o jogo, a insatisfação no rosto do garoto era totalmente visível para o rapaz que parecia gostar do que via, era um sentimento estranho que ele havia criado dentro do Jovem, já que essa era a sensação de ter sido totalmente usado e manipulado de uma maneira tão idiota e simples que o fez acreditar por alguns instantes que havia a vantagem. Com um sorriso no rosto, Jonas voltou a falar, dessa vez suas palavras pareciam entrelaçar nesse sentimento o fazendo mostrar a grandiosidade de realmente ter algo em mente, não basta apenas seguir o fluxo das coisas, você que tem que criá-los ! E era exatamente isso que lhe era passado.

- Isso é o que eu chamo de Estratégia, eu não apenas tinha um plano como te forcei a agir como eu bem queria, entendeu ? Basicamente, Estratégia serve para várias coisas, desde jogos, lutas, guerras e até coisas simples da vida como cozinhar e blablabla. Apenas o fato de você colocar um plano, um conceito por trás daquilo… Tudo isso geralmente vai envolver uma estratégia, já que isso explica exatamente a mentalidade e os “Meios” para obter, ganhar ou sei lá o que você vá querer... Está começando a compreender um pouco melhor ? -

”” Tipo… Você está esperando demais dele, eu que moro com ele a tanto tempo, tenho quase certeza que isso não vai adiantar de nada… Sabe… (ಠ_ಠ) “”

A curiosidade era vista florescer em sua mente, as palavras de Jonas eram simples e de um contexto gigantesco, Lynn havia sempre “Seguido o fluxo”, porém essa era a maneira certa de seguir ? Essa pergunta em sua cabeça o fazia pensar mais e mais nas coisas que havia feito tanto ultimamente como em sua vida e até no futuro, era como se uma pequena porta trancada havia se aberto para um novo mundo… O mundo dos Estrategistas !

- Então… Você quer dizer que eu posso usar isso não apenas aqui, como para literalmente tudo ? Tipo… Lutas ou ajudar meus subordinados e coisas do gênero ? -

- Não vejo o por que não disso… Pense comigo, se você conhece os pontos fortes e fracos das pessoas ao seu lado, não fica mais fácil de você lidar com elas ? Em uma luta, se você consegue observar uma fraqueza no inimigo, o que tu faz ? Assistir ou simplesmente ignorá-la ? Claro que não ! Abuse daquilo, debilite-o e force ele a usar cada vez mais sua fraqueza a seu favor ! Se a pessoa é destra, então obrigue ele a usar mais a canhota… Coisas assim são simples no entanto contém Estratégia no meio… Chega a ser triste perceber coisas assim e simplesmente deixá-las de lado...

Com um pequeno barulho de sua mão fechada batendo sobre a outra aberta, o Ruivo olhava atentamente para Jonas com um olhar de surpreso, realmente havia descoberto algo hoje e não era algo tão simples como ele imaginava… Aquilo era algo incrível ao ponto de fazê-lo se perguntar o quão burro ele era por nunca ter percebido algo tão simples como isso !

- Agora eu entendi, agora eu saquei ! Agora todas as peças se encaixaram ! Mas mesmo que você fale isso, não parece um pouco simples demais ? O que eu deveria fazer...? Vamos, continue ! -

”” Caralho, o maluco é muito burro vei ! (>ლ) “”

- HAHAHAHA, claro que isso não é tão simples assim quando se coloca nessa situação, principalmente em lutas e combates ! O que você precisa sempre ter para montar uma boa Estratégia é algo bem simples, no entanto é geralmente uma das mais importantes ; “INFORMAÇÃO” ! Você sempre ter uma noção do que tem em mãos ou do que está enfrentando sempre é bom. Você pode simplesmente fazer uma jogada diferente pelo fato de você saber que aquela Pessoa não sabe daquilo ou pelo motivo dela ser fraca, então criar um plano de antemão sempre é importante, nunca comece de mãos vazias ! Outro fator que pode mudar muito e que trás a real diferença de uma pessoa realmente boa em Estratégia não é apenas saber o que você tem e um plano bem formado, na verdade é em como você posiciona as suas peças, sejam ela os seus companheiros ou em um simples jogo como o Xadrez, isso faz diferença… Já que é você quem vai trazer o maior potencial deles. Por exemplo, vamos dizer que no seu grupo tem uma pessoa que consegue dar tiros de precisão a uma distância grande, o que você faz ? Coloca ela de frente ao inimigo ou aproveita isso a colocando em uma distância boa e com uma boa visão ? Em uma batalha de Estrategistas quem ganha não é apenas aquele que monta o melhor plano e tem mais informações, claro que isso faz diferença… Mas muitas vezes a diferença vem da qualidade das “Peças” que você tem ao seu lado, já que elas sempre vão ser o seu diferencial. -

- Sim, faz sentido… Basicamente o que você me passou é ; Tenha um bom entendimento das coisas ao seu redor, por isso busque a maior quantidade de informação possível para que você possa explorá-lo. Tendo o máximo de entendimento em mãos, agora depende de mim em criar alguma coisa, no caso, posicionar as “Peças” conforme eu quero, sendo elas abusando da vantagem ou surpreendendo com posicionamento. Certo ? As Estratégias que eu posso criar consistem em diversas maneiras, provavelmente eu tenha que escolher entre uma delas na hora de eu colocar em prática, podendo ser algo defensivo, ofensivo ou um ataque surpresa… Tudo depende de mim… ? -

- Boa, boa, você parece ta pegando o jeito. A última dica que eu te dou é bem simples… Seja flexível ! Já que imprevistos acontecem.

Com um pequeno suspiro, Lynn pode ver o grandalhão se acomodar novamente antes de tocar no Xadrez novamente, como se estivesse o preparando para mais uma partida em especial ao convida-lo de maneira silenciosa. Recebendo uma quantia de ensinamentos novos que não podia simplesmente deixar de lado, não via motivo melhor para finalmente colocar tudo aquilo em prática, precisava colocar em prática as ideias de sua cabeça em algum momento.

” Okey… Eu vou começar com tudo, direto na ofensiva ! As peças que eu tenho são os Peões, cavalos, bispos, torres, rainha e Rei… Os Peões são os mais fracos, entretanto eles compensam com quantidade, por isso tenho que tomar cuidado já que provavelmente vão ser os primeiros a entrar em conflito… Cavalo e Bispos tem um tipo de movimentação especial, mas ainda acredito que as torres sejam um pouco mais fortes em conteúdo, já a rainha… Ela é a minha peça mais forte, já que ela pode fazer quase literalmente tudo… E o Rei ?... Bom, o Rei a gente deixa quieto por enquanto, já que ela é quem precisa de um cuidado extra. “

Dessa vez com as peças brancas ao seu lado de inicio novamente, o Ruivo começou o jogo, o ritmo rápido e frenético que havia nas duas primeiras partidas não era mais visto dessa vez, optando por um jogo mais conceitual, pode expressar várias expressões de pensamento, surpresa e dúvidas ao ver o jogo desenrolar, em momento nenhum teve o interesse de sequer manter na defensiva, optando por uma atitude extremamente agressiva, suas jogadas eram arriscadas e cheias de vontade, entretanto… Suas investidas eram totalmente repelidas por Jonas, parecia estar se divertindo ao manter um sorriso sarcástico no rosto, ele pode sentir a dificuldade aumentar mas a confiança que o rapaz emanava era simplesmente esmagadora aos olhos de Lynn.

” O que eu faço ? O que eu faço ? O que eu faço ?... PORRA ! Por que isso não ta funcionando ? Eu penso nas ações que ele vai fazer, eu faço as coisas e ele faz algo diferente quando eu menos espero ! QUE DROGA ! Se eu simplesmente limitasse a movimenta-... É ISSO ! Por que não pensei nisso antes ? Se eu não consigo prever o que ele vai fazer ao atacá-lo pela múltipla quantidade de opções, então basta eu limitar isso ao fazer ELE VIR PRA MIM ! CARALHO EU SOU UM GÊNIO ! Quer dizer… IMPERADOR !

”” Vei… Você tem uma coisa perfeita pra usar e não usa ! Isso ta me dando agonia ! SEJA INTELIGENTE, USE A CABEÇA ! H-Hey ! Por que você ta me ignorando ? Hey ! Olha aqui ! 。゜(`Д´)゜。 Caralho borracha…

Com uma nova atitude e estratégia em mente, o garoto conseguiu se manter mais tempo no jogo ao recuar com as suas peças, precisava do momento certo para que pudesse realmente colocar um verdadeiro peso no tabuleiro, já que provavelmente o momento que fizesse a primeira jogada, teria que ter a visão inteira do jogo para que pudesse finalizá-lo de uma só vez e isso só dependerá de seu talento, todavia, algo pareceu chamar a sua atenção. Um pequeno relance de olhar o fez simplesmente paralisar por alguns segundos, o olhar de Jonas que a poucos momentos se encontravam de maneira sarcástica como se estivesse apenas brincando com uma criança havia sumido, um olhar sério e pensativo se mantinha sobre a sua face, coisa essa que o garoto havia se esquecido por completo… “INFORMAÇÃO”. Uma de suas maiores qualidades era a de simplesmente saber do conhecimento das pessoas, como a mente delas geralmente funcionam e para isso o garoto aprendeu sobre Psicologia, coisa essa que até o momento ele não havia colocado em prova ao reparar no rosto do Grandalhão.

” POR QUE EU NÃO PENSEI NISSO ? Estratégia não consiste apenas no que se tem a sua frente ! E sim no máximo que você pode aproveitar e se tem uma melhor maneira de eu tentar realmente prever as ações dele, não consiste apenas no jogo, afinal… EU NÃO ESTOU AQUI PRA APRENDER A JOGAR ! E sim a abusar do conhecimento que ele me passou ! Como eu pude negar tal fonte de informações na minha cara ? Caralho Lynn ! “

”” Man… Eu quero muito te bater, sério mesmo ! Tou aqui tentando passar essa porra pra você a moh tempo e tu fica me ignorando ! VAI SE FUDE ! TOMARA QUE PERCA TAMBÉM ! ლ(ಠ益ಠლ) “”

Colocando o plano em funcionamento, havia limitado com sucesso as ações de Jonas, porém o que mais parecia estar realmente ajudando o garoto a ter uma ideia melhor de como prever as ações do rapaz eram as próprias feições que o mesmo parecia fazer sem perceber. Como um livro aberto, Lynn mudou sua tática de Defensiva para novamente Ofensiva ao fazer um contra-ataque que pareceu surpreender totalmente o Grandalhão. A mente do jovem se consistia de várias hipóteses e possibilidades, como uma máquina de computador ela continuava a processar de uma maneira surreal a cada momento que olhava tanto para o tabuleiro observando as suas peças e a de seu inimigo como em seu próprio rosto, pode perceber o desastre no rosto de Jonas ao ver o jogo tomar um outro rumo e fugir de suas mãos, tornando mais fácil ainda prevê-lo a cada momento que se passava e como um Show de Mágica, o garoto parecia responder as jogadas do Marinheiro  como se estivesse simplesmente às esperando. Com isso o jogo finalmente chegou a um fim com uma verdadeira reviravolta inesperada pelos dois.

- Xeque-Mate !

- C-Como ? Não é possível...

- Você deu mole… E eu como um verdadeiro Imperador dos Mares que possui um nível de inteligência anormal, não pude deixar passar...  Você deixou uma brecha ao deixar suas emoções demonstrar as suas ações… Lembra que você me falou sobre sempre buscar a maior quantia possível de informações ? Então né…

- Mais um jogo !


~ Fim da Perícia ~

As coisas que aprendeu junto de Jonas havia aberto um novo mundo em sua cabeça, mesmo que talvez nunca fosse ter a oportunidade de usar isso de maneira prática para os outros como havia pensado nos jogos acima, incrementar esse tipo de coisa em suas ações no geral seriam altamente positivas, principalmente se pudesse fazer um bom uso tanto dele quanto de seus companheiros. Com uma visão dessa vez totalmente diferente de Jonas, seu tom de voz era bem mais camarada a Jonas, se levantaria após se despedir do mesmo, agradecendo de sua maneira pelo o que havia aprendido ao lado do grandão.

- Tch... Não aguento mais essa porra, da próxima vez EU O IMPERADOR DOS MARES garanto que vou te destruir, entendeu ? Então trate de melhorar até lá, se não vai ser muito fácil, té. -

"" Ui uiuiui, não me toque, não me chore, eu sou "Imperador dos Mares". Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 2665178174  ""

Com um pequeno sorriso amigável, Lynn poderia observar mais calmamente as coisas à sua volta, não sabia o tempo que havia passado naquela mesa ao lado de Jonas, os três jogos haviam sido extremamente satisfatórios para Lynn, mesmo que no final veio a perdê-los.

Sentindo provavelmente a fome bater se aproximaria da amurada para tomar um ar e colocar as coisas em ordem, a quantia de informações conseguidas eram tantas que o fazia pensar totalmente diferente de como havia agido antigamente, precisava decidir o que fazer agora e isso parecia deixá-lo levemente confuso, já que em vez de buscar informações do Barco, preferiu por dormir na proa.

" Se eu pensasse dessa maneira nas lutas contra aqueles bixo fedorentos... Provavelmente teria sido muito mais fácil... Eu não tomaria um tiro na perna, não deixaria os outros dois Marinheiros morreram e até poderia usar aquela Cabeça de Pelo de maneira efetiva... Coisa difícil mas, ela parece meio estranha ultimamente, não sei como lidar... Aaaaaahhhh ! Preciso ver o que fazer... Por sinal... Aprender esses movimentos idiotas que esses doido ai faz não parece uma má ideia, tudo que eu tiver ao meu dispor seria bom, principalmente se eu souber usá-lo a meu favor.. Se abrir a oportunidade, acho que não seja uma má ideia... "

“” Se tá pensando de mais… Zzzzzzz… Por acaso está querendo se tornar um Líder ? (ಠ_ಠ) “”

“ Ué… E um Imperador não se deve ser um Lider ? Preciso saber como usar e ajudar os meus súditos, se não , como eles vão me respeitar ? “

“” Isso se chama “CARISMA”, seu babaca. ლ(ಠ益ಠლ) “”

Suspiraria levemente antes de tomar uma atitude, não tinha certeza se deveria simplesmente andar pelo barco sem um rumo ou se deveria entrar em contato com essas pessoas que ficavam pulando de um lado para o outro, era estressante ficar olhando para elas, mesmo que Lynn tinha a confiança para fazer esses movimentos, não tinha certeza se teria êxito. Por isso se tivesse a oportunidade, falaria com algum deles, de sua forma levemente rude com alguns gestos de mãos para que talvez ajuda-se no entendimento do que queria passar.

- Hey Bixo Piruleta, não se sente mal em ficar pulando de lá pra cá no Navio não ? Ou você tem algum truque pra não cair de boca no chão ? -

Levaria uma de suas mãos para o seu queijo enquanto usaria a outra para apoiar o braço com uma expressão pensativa, mesmo que já tivesse a um tempo sobre o Navio, ainda sentia o desconforto de andar pelo Barco e tinha certeza que não conseguiria se imaginar fazendo esses tipos de movimentos, principalmente quando havia sofrido alguns danos bem pesados em sua luta de antes, coisa que estranhamente não o estava incomodando até o momento, talvez seria por causa do remédio ?

Histórico:
 
Objetivos:
 
off¹:
 
off² 06/04:
 

Créditos a @[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
        Ficha       ~ ~        Aventura


~> Fala <~
~> Pensamento <~


Medalhas:
 



Última edição por Makei em Sex Abr 06, 2018 5:08 am, editado 5 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  - Página 13 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !
Voltar ao Topo 
Página 13 de 16Ir à página : Anterior  1 ... 8 ... 12, 13, 14, 15, 16  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Shells Town-
Ir para: