One Piece RPG
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Bellamy Navarro
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 01:27

» Mini Aventura - Agyo Shitenno
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 01:05

» (Mini) Gyatho
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 01:02

» (MEP) Gyatho
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:55

» [MINI-Tenzin]Here we go again
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:53

» [M.E.P]Tenzin
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:43

» Mini - DanJo
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:42

» [Extra] — Elicia's Diary
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor GM.Noskire Hoje à(s) 00:27

» M.E.P DanJo
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:27

» Mini Aventura - No Mercy
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:20

» [Mini-Rosinante-san] O homem que quer ser livre
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:15

» Retornando para a aventura
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:13

» Começo
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 00:12

» Bizarre Adventure: Smooth Criminal
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Ventus Ontem à(s) 21:38

» Aaron DeWitt
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor ADM.Ventus Ontem à(s) 20:55

» Apenas UMA Aventura
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor Mirutsu Ontem à(s) 19:08

» [M.E.P] Ichizu
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor Ichizu Ontem à(s) 13:38

» [MINI-Ichizu] O Aprendiz de ferreiro
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor Ichizu Ontem à(s) 13:37

» Cap I: Veneno de dois Gume
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor Noelle Ontem à(s) 13:02

» mini-aventura
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Emptypor guatemaia Ontem à(s) 09:55



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG

Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


Compartilhe
 

 Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3 ... 8 ... 16  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 5ª Rota - Pindorama

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptySex 01 Set 2017, 15:54

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !

Aqui ocorrerá a aventura dos(as) civis Lynn e Alipheese . A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Alipheese
Tenente
Tenente
GM.Alipheese

Créditos : 30
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 25
Localização : Mawakun-3ª Rota.

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptySex 22 Dez 2017, 05:58


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Os primeiros passos em direção ao meu sonho.



Alipheese havia crescido em Shells Town, uma cidade onde havia um dos inúmeros quarteis generais da marinha, um fato que talvez  pudesse desencorajar atos mais violentos, ainda que não pudesse descartar totalmente a possibilidade de que eles pudessem ocorrer. O fato inegável era que o mar conhecido como um exemplo de paz para o mundo, com o sucesso do governo em garantir a segurança e combater a pirataria.
A garota de longos cabelos esbranquiçados como a própria neve não podia ser colocada como alguém único  quando se tratava de ser inspirada por uma história heróica e buscando suprir as próprias inseguranças  buscar na ideia de um dia ser ela a exercer esse papel, como ela haviam muitas outras crianças. Talvez ela mesma se considerasse apenas mais uma na multidão e esse fato talvez tenha  a atrasado muito a ingressar na marinha e realizar o seu sonho que era tão puro e inocente como talvez também ela fosse. Era uma garota tímida  e a sua mente, mesmo que tivesse um temperamento tranquilo em situações comuns acabava agindo contra ela pelo simples passo de pensar demais sobre as coisas antes de agir. Estava parada em algum lugar da cidade já a algum tempo, talvez distraída demais pelos seus pensamentos para que seus pés ou o seu corpo se movessem na direção ao qual ela planejava ir.


" Será possível que me rejeitem por eu ser baixa demais? Ou talvez por considerarem o meu sonho muito infântil? Aaa, eu preciso dar o primeiro passo, do contrário… Continuarei apenas como mais uma na multidão frustrada por nunca ter dado o primeiro passo em meus sonhos..."


A simples ideia de que poderia fazer parte da instituição ao qual tanto admira fazia com que seu coração batesse levemente mais forte dada a intensidade  de seus puros sentimentos em relação ao ideal ao qual ela havia criado em sua própria cabeça. O sangue que circulava sobre sua face levemente fazia que como a mais bela obra de arte, suas bochechas fossem levemente tingidas com uma ruborização que a tornava ainda mais adorável, graças ao contraste de cores em sua pálida derme. A sensação de que suas bochechas estavam quentes a  faziam percebe a reação física que suas emoções e sonhos lhe traziam, algo que a fazia sentir-se um pouco envergonhada, ainda que no fundo houvesse certo orgulho pelo seu sonho mesmo depois de tanto tempo não ter diminuído.
Como um gesto rápido, seus olhos vermelhos moviam-se rapidamente a fim de tentar notar se alguém estava a observando parada e também para relembrar-se do local onde naquele momento se encontrava. Torceria para ninguém a importunar, assim poderia a passos tímidos atingir o seu local de objetivo. Havia tanta coisa que ela gostaria de realizar que suas expectativas se misturavam as suas próprias dúvidas em um profundo turbilhão emocional ao qual preenchia o seu peito das mais diversas emoções.


“ Eu estou… Eu estou realmente a cada passo chegando mais próxima de realizar a primeira parte de meu sonho eu…  Sou tão sortuda!”


Como uma reação fora de seu próprio controle, de forma totalmente subconsciente um belo sorriso puro e inocente havia formado-se em seu rosto, um sorriso que não apenas reforçaria seus angelicais traços faciais, como também remetia a uma imagem mais infantil e pura, algo que não fugia muito de sua realidade mesmo já sendo moça.

Seria pouco provável que ela desviasse o seu caminho naquele momento por vontade própria, como sendo essa sua ilha natal ao qual viveu toda a vida felizmente para ela e para sua dificuldade de interação não faria sentido que ela pedisse informação sobre a localização do local ao qual  se viu indo tantas vezes enquanto dormia ou fantasiava.


Ainda que não fosse sua intenção, era possível que o modo como estava  vestida p pudesse lhe trazer uma atenção indesejada. De forma alguma suas vestes eram vulgares ou incoerentes para o local ao qual ela planejava alistar-se, no entanto pela sua ausência de um maior poder monetário, haviam poucas roupas que pudessem preencher aquilo que ela considerava o correto para que ela pudesse  ir de forma ‘’ apresentável’’. Vestia uma longa camisa social branca junto de uma calça  social e um sapato de mesma cor, algo que talvez junto a cor de seus cabelos poderia fazer com que parecesse ali uma overdose monocromática. Eram roupas comuns, um pouco maiores do que o seu próprio corpo de forma que ela havia dobrado levemente as mangas e barras para que pudesse ter uma movimentação livre, a imagem de uma criança que havia pego as roupas de seu pai para que pudesse impressionar alguém poderia ser fortemente vista e a garota sincera como é, admitiria que essa havia sido realmente a sua intenção. Caso fosse abordada de alguma forma buscaria responder ou pelo menos ouvir educadamente o que lhe seria falado, mas se em algum momento algo pudesse assustá-la ou pudesse fazer sentir que haviam ali más intenções em relação a sua pessoa,  tentaria a solução pacífica de acelerar o seu passo.

Ficaria feliz se pudesse chegar ao posto de inscrição da marinha sem que pudesse ser interrompida.

Caso chegasse sem nenhuma interrupção ao local desejado ainda teria de encarar algo muito mais difícil para ela, suas pequenas e delicadas mãos suariam levemente e ela as sentiria um pouco geladas. E mesmo o seu lindo sorriso tornaria-se aos poucos uma feição mais preocupada que poderia ser refletida pelo modo que seu olhar estava. Ainda considerando que tivesse chegado ao local correto, se houvesse ali uma fila para o alistamento, tentaria entrar na fila correspondente ao seu sexo, caso fossem separados os candidatos e caso não houvesse uma separação, simplesmente se dirigiria para o ultimo lugar de qualquer forma. A menos que falassem com ela, não planejava puxar assunto com alguém.






Histórico.:
 
Objetivos:
 

Off:
 

____________________________________________________


Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ação
Pensamento
Fala


Última edição por Alipheese em Seg 01 Jan 2018, 17:36, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makei
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Makei

Créditos : 32
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  9010
Masculino Data de inscrição : 07/08/2017
Idade : 23

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptySex 22 Dez 2017, 20:57




[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]





Problemas Mentais








Sem saber qual caminho seguir, Lynn seguia um rumo sem rota ao andar pelas ruas de Shells Town, pela sua falta de conhecimento e interação social com o povo da cidade por crescer de maneira isolada, isso poderia vir a se mostrar um problema sério ao não saber como lidar com as pessoas e isso se refletia na sua falta de localização, o fazendo se sentir provavelmente perdido sobre o local que estava. Mas isso não o faria desistir de continuar a seguir em frente, não saberia o que poderia encontrar mas tentaria chegar em algum momento, dia ou hora no local onde pudesse se ingressar na Marinha e finalmente seguir a sua história.

A cada passo que continuaria a dar, seus olhos se mantinham atentos ao seu redor, mesmo sem saber onde estava, a sua atenção se manteria sempre em alerta para surpresas, porém algo parece meio errado sobre o garoto, pois deveria ser estranho para as pessoas a sua volta reparar em alguém que parecia falar sozinho pelas ruas de Shells Town, não saberia se isso geraria uma impressão agradável para aqueles a sua volta, assim talvez causando algum transtorno ou se isolando cada vez mais das pessoas por causa de seu tom desrespeitoso e rebelde que parecia não ter respeito algum para as pessoas ao seu redor.

"" Você deveria ser mais social e pedir ajuda, ninguem vai te morder por isso... Eu acho?... (;一_一) ""

- Cheguei até aqui, por que eu precisaria recorrer a algo assim? Só consigo ver inuteis... -

"" Por que você não sabe em que diabos você se meteu ? ¯\_(ツ)_/¯ ""

- Tch, cala a boca. Não é como se isso fosse fazer alguma diferença. -

"" Como alguém tão burro e idiota como você pode ter sequer nascido ? Porfavor, alguem salve a alma dessa criança ! ლ(ಠ益ಠლ) ""

- Calado ! Não fode. -

Sua pele de cor branca junto de um rosto delicado, corpo magro, cabelos avermelhados e uma maneira rebelde e orgulhosa de andar junto de seus olhos pálidos e afiados de uma cor próxima ao dourado poderiam vir a ser um atrativo para as pessoas a sua volta, principalmente aquelas que talvez tivessem um gosto especial para os "Badboys" mesmo que suas roupas parecessem estar um pouco desgastadas, elas ainda eram aceitáveis para uma boa interação inicial com o garoto, na verdade fazia parte do charme em demonstrar a sua rebeldia, mas quem talvez fosse querer entrar em contato com um "Maluco" que parecia falar sozinho? Não sabia se a sua falta de interesse nas pessoas a sua volta ou sua atitude de simplesmente sair falando sozinho por ai poderia lhe afastar delas, ou talvez fosse o contrário? Mas isso pouco importava para o garoto nesse momento que continuaria a andar e conversar consigo mesmo sem rumo até que provavelmente viria a ser abordado por alguém ou poderia ouvir um barulho estranho ecoar sobre o seu corpo, assim lhe restando duas opções, a primeira seria que Lynn estaria com sérios problemas internos e precisaria de um tempo para descobrir o que poderia ser, ou não, assim provavelmente sendo algo como descarregar alguma coisa de maneira urgente... ou a segunda opção, a fome !  Isso poderia vir a se tornar mais um problema para o garoto que continuaria a seguir em frente de maneira ignorante, porém dessa vez haveria um objetivo a seguir em sua mente, COMIDA ! Mas uma pergunta viria a sua mente nesse momento.

" Com qual tipo de gente será que terei que me envolver para isso? No final, vermes são vermes... Não acredito que teria algo que satisfaça alguém como eu, aquele que se tornará Imperador dos Mares ! "

"" Olha a merda que esse garoto me pensa, certeza que se abrirem a cabeça dele só vão encontrar uma coisa, titica de galinha. ლ(´ڡ`ლ) ""

- Cala a boca ! -












Histórico:
 
Objetivos:
 
off¹:
 
off²:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
        Ficha       ~ ~        Aventura


~> Fala <~
~> Pensamento <~


Medalhas:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
ZnorLAX
Narrador
Narrador
ZnorLAX

Créditos : 4
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 20
Localização : Farol - Grand Line

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptyQui 28 Dez 2017, 02:09



Narração


Começos



O começo. Ação de começar, de iniciar alguma coisa; início. Primeira parte de algo; princípio: começo de um reinado, de uma época. Para muitos, era o completo abismo. Mergulhar no desconhecido não era uma tarefa fácil. Até para os maiores e mais experientes desbravadores. Mas, como um dito “louco” agiria perante isso? Lynn, em um debate consigo mesmo vagava pelas ruas ensolaradas da pequena ilha do East Blue sem ter a mínima noção de onde ia. Por mais que estivesse perdido, desatento ele não estaria. Poderia estar discutindo com quem o julgava, mas em nenhum momento ele abaixaria sua pouca percepção para com o que acontecia na ilha.

Em contrapartida, na mesma ilha uma garota mergulhava no seu sonho de se tornar um oficial da Marinha. Repleta de dúvidas, a garota vagava pela ilha, arranjando mil e um problemas para não ter seu objetivo concluído. A dúvida era uma das dádivas que levara o maior dos guerreiros ao completo fracasso. Pensar no fracasso antes mesmo que iniciar algo, era um tanto quanto tendencioso ao erro, porém a garota poderia já prever o que viria em sua vida, vida essa que é unida a natureza de forma perfeita. Uma constelação.

No escuro céu a noite, sem nuvem alguma, os seres humanos começaram a formar imagens ligando os pontos luminosos que haviam no topo, acima do que sabiam, acima do que conheciam. A vida era assim. Diversos pontos que emanam luz própria e que são ligados de maneiras aleatórias, porém, que ao fim fazem algum sentido. Seria difícil acreditar em tremenda coisa? Não para o mais crente dos julgadores, ou comum conhecidos: os fiéis.

A pequena ilha de Shells Town era conhecida por sua calma, regida sob a batuta do rígido Hamaku Thor, o Gigante. Porém, naquele dia, alguma confusão ocorria em uma rua, na principal, no coração da ilha. Mal sabiam Lynn e Ali que suas vidas mudariam a partir dali. Uma briga ocorria nas ruas estreitas da ilha. Marinheiros corriam de um lado a outro, carregando alguns feridos, mas o centro do fluxo raivoso era um grupo de tritões que entravam em combate com os marinheiros. Eram cinco criaturas ao total. Duas já estavam feridas e recuavam. Os demais enfrentavam os fracos oficiais que possivelmente realizavam a ronda matinal.

Ambos podiam ver o que acontecia ali, porém suas sortes eram diferentes. Lynn era empurrado por oficiais que separavam os civis do que acontecia ali. O rapaz, por ser franzino, pairou sobre uma carroça de frutas que, graças a sua tremenda agilidade, conseguiu esquivar. Porém, Ali não teve a mesma sorte. O aglomerado de pessoas querendo ver o que acontecia, além do empurrão dos marinheiros que tentavam afastar as pessoas o mais rápido possível acabou derrubando a inofensiva garota, que agora estava de joelhos atrás daquela parcela de multidão que se afastava.

A sua esquerda, a cerca de cinco metros, mais ou menos, Ali poderia ver um garoto ao lado de uma carroça de frutas. Era Lynn. O rapaz, poderia fazer o mesmo, indo à ação contrária. Veria a garota caída e a população se afastando. Próximo a eles, uma criancinha chorava, segurando um brinquedo. A confusão acabara levando seu pai junto, que apenas a protegia da fúria dos lutadores. — Meu papai... Eu quero meu papai! — chorava ela, desconsolada, sozinha, vendo o amontoado de pessoas sendo empurrados em sua direção. Por outro lado, uma mulher desesperada tentava entrar na confusão, porém ela era segurada por duas crianças. Estava mais próxima a Ali, cerca de dois metros. — Você não pode ir, mãe! — reclamava o garoto, segurando a figura materna que lutava para soltar-se. A outra pessoa era uma garota, que o ajudava a segurar a mulher que era a mãe do garoto. — O Ronald está lá! Não podemos deixar seu pai lutar sozinho! — gritava ela, tentando se desvencilhar dos braços do seu filho.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Alipheese
Tenente
Tenente
GM.Alipheese

Créditos : 30
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 25
Localização : Mawakun-3ª Rota.

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptyQui 28 Dez 2017, 09:32


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Desafios]



Alipheese tinha em sua cabeça todo o trajeto, as ações e talvez até mesmo as suas falas já treinadas em frente ao próprio espelho milhares de vezes para que sua própria timidez não fosse um empecilho. Não tinha dúvida de que o primeiro passo não era fácil de se dar, sua experiência em combate era nula e as únicas coisas que ela sabia fazer bem eram relacionados a criação e manutenção de armas e o seu manuseio e a ideia de ter de sair dessa zona de conforto para abraçar a imagem heróica que ela mesma tinha como um dos objetivos a se alcançar despertavam emoções  que apresentavam uma dualidade, de medo e empolgação. Sua ilha era algo que poderia dizer com orgulho e talvez até mesmo como uma forma de alívio que graças ao  serviço dos bravos  marinheiros era relativamente tranquila, em sua memória por mais que buscasse não lembrava de ver a cidade excessivamente agitada ou com um problema que não pudesse ser resolvido em pouco tempo, mas o dia que ela havia escolhido como seu parecia reservar a ela um destino muito diferente da tranquila rota ao qual ela havia planejado.
Havia uma correria por parte dos marinheiros, ao qual graças aos seus olhos avermelhados privilegiados em relação a maior parte das pessoas, poderia notar que o cenário fugia muito do comum  e isso confirmou-se ainda mais, quando pôde ver que alguns carregavam espécies de macas improvisadas com feridos, definitivamente algo estava acontecendo na rua principal e infelizmente para ela sua percepção havia a feito notar isso tarde demais para que ela pudesse desviar o seu caminho, se é que seu próprio senso moral a permitisse ser egoísta a esse ponto em sua auto-preservação.

Diferente dos curiosos que se  juntaram em uma aglomeração desorganizada, onde sentia-se extremamente desconfortável com a forma como eles se empurram e por consequência, também a empurravam. Talvez se não houvesse aquele caos que era tão estranho para ela lidar, a situação de poder ver o trabalho ser executado a sua frente talvez fosse um motivo para que ela sorrisse e se inspirasse, mas a realidade é bem diferente da fantasia ao qual a garota nutria de forma tão inocente para a sua idade.

Poderia ver cinco criaturas em um embate contra cinco oficiais, criaturas essas que claramente não eram humanas, ou ao menos não tinham traços de um. Não lembrava de ter tido qualquer contato com alguma outra raça diferente por mais que pudesse ter lido uma ou mais vezes sobre uma raça ou outra mas, toda leitura do mundo não lhe faria estar preparada para a situação ao qual se encontrava, também não mudaria a primeira imagem que ela tinha de como eles poderiam ser assustadores. Seus pensamentos, não se referiam especificamente a raça ao qual ela não era capaz de identificar totalmente mas a vilania ao qual agora eles cometiam, seu número era pequeno se comparado ao número de civis e de oficiais aos quais ela pôde observar nesse curto período de tempo mas, ainda assim, mesmo com o aparente sucesso por parte da marinha em relação a eles quando dois deles recuaram o número de feridos era tão grande quanto o sentimento de impotência naquele momento por não poder ser nada além de uma observadora, algo não muito diferente dos curiosos que se  juntaram quase como borboletas indo em direção ao fogo, enquanto os soldados tentavam afastar a população para evitar que literalmente encontrassem as chamas de sua própria perdição ao andar na direção do perigo.

Seus pensamentos, por mais que pudessem processar diversas informações ao mesmo tempo, como na maioria das vezes acabava agindo como agente dificultador ao invés de facilitador, acabava sendo empurrada, de forma que não teve estrutura ou reflexos para que pudesse continuar de pé, sendo jogada contra o chão tendo sua queda amortecida pelos seus próprios joelhos.

A cena em sua cabeça por um momento, diante de sua volta a realidade pareceu correr em câmera lenta, os diversos sons de voz em meio a confusão se misturavam de forma que havia tornado difícil para que ela distinguia se quaisquer frase que ali era proferida.Antes que pudesse se levantar, pôde ver ao seu lado esquerdo um rapaz ruivo de boa aparência se ele tivesse olhado de volta ou não, de ambas as formas isso a faria pela sua própria timidez apresentar pequenos sinais de desconforto, quando rapidamente essa virou o seu rosto para ver o que mais estava ao seu redor, para que só assim pudesse tentar se colocar de pé.

Ouviu ali em meio a tudo uma criança que clamava pelo pai desesperada, com seus olhos tentaria identificar em meio a aquela situação quem era o pai da criança, o sinal que ela procuraria seria o de algum rapaz no meio da multidão tentasse ir contra o fluxo em direção a criança, porém como essa não era uma garantia não demoraria muito para agir. Algo dentro de si parecia pulsar tão fortemente quando o seu próprio coração e este algo era o desejo de ali fazer a diferença, por menor que fosse sua ação, garantir que aquela criança pudesse sair dali em segurança para dar a ela a possibilidade de reaver o pai era algo que lhe dava a força interior para que naquele momento ela tentasse se erguer para tomar sua atitude.

Não havia muito mais que ela pudesse fazer, mesmo que seu sonho fosse o de ingressar na marinha, de mãos nuas não poderia ser de muita ajuda para dar assistência aos marinheiros e como civil tudo o que podia fazer era fazer com que o trabalho deles não fosse ainda mais difícil com ela sendo um peso morto em uma situação de combate como aquela. A realidade não era capaz de dissuadir seu forte senso de justiça.


“ Mesmo pequenas ações podem salvar as pessoas.”

Estava ainda um pouco atordoada pela surpresa do acontecimento que agora lhe cercava, mas agir de acordo com seus próprios principios de forma rápida, limpa e eficaz tornava-se necessário, dando a ela uma coragem capaz de talvez trepassar mesmo que momentaneamente suas próprias dificuldades sociais, coisa que talvez só fosse possível devido a situação exigir e pressioná-la a superar mesmo que por pouco tempo essa limitação junto ao fato do alvo ser uma criança, talvez por se ver como mais madura do que uma criança em sua cabeça sua timidez não fosse um obstáculo tão grande mas, independente de qual  fosse o motivo ali ela tomaria a voz ativa, uma ação não muito comum até o momento devido a ausência anterior de situações como essa que poderiam forçá-la para fora de sua zona de conforto. O mais rápido que seu corpo pudesse permitir, tentaria ir em direção a criança e com poucas palavras tentar convencê-la  de que poderia ajudá-la a encontrar seu pai se primeiro eles saíssem da região de perigo.


-N… Não se preocupe! Você não está só, vamos sair dessa confusão e achar o seu pai!

Seriam as poucas palavras que pareciam sair de sua boca de forma tão fluída e natural que sequer pareciam ter passado pelos inúmeros obstáculos que sua própria mente parecia impor para que as palavras saiam da sua boca, seu tom de voz para aquela situação era tranquilo e acolhedor e a forma como o seu olhar se direcionava a criança poderia passar uma sensação confortável, sua boa aparência se aliada ao fato de também ter traços que não remetem uma ameaça se combinados ao temperamento calmo e racional exposto naquela situação poderiam fazer com que a criança fosse colaborativa para que Alipheese pudesse rapidamente estender a sua mão para guiá-lo para fora do foco da “ muvuca” que ali existia, de forma que ambos poderiam caso tudo corresse bem ter um tempo para que pudessem novamente estarem seguros na medida do possível.
Havia a pequena  possibilidade da criança não ser capaz de encontrar a segurança apenas nas palavras da garota e caso todo o conjunto de fatores que poderiam colaborar para que a criança agisse de forma a facilitar o seu próprio reencontro com o pai e a saída do possível pisoteamento não pudessem acontecer, a garota tomaria uma postura mais enérgica e puxaria a criança pela mão de modo a fazer o certo, mas essa era uma possibilidade que a incomodava só de pensar, não era essa a imagem que ela queria para si.

Mas, considerando aquilo que é mais provável dadas as características da garota que seria a colaboração, talvez nesse momento Alipheese pudesse ver melhor a situação e formular um caminho em que não precisasse expor-se ou expor a criança para que pudesse ajudá-la em sua necessidade, caso encontrasse esse caminho, tentaria guiar a criança de modo a tentar mantê-la calma, sempre com um belo e delicado sorriso no rosto. Seu sorriso e sua estabilidade emocional para aquela situação não adivinham de sua experiência ou da ausência da insegurança ou do medo, eles eram bem presentes, afinal estava muito longe daquilo que estava acostumada a vivenciar, mas bem próxima daquilo que sonhava exercer, fato esse que talvez só tenha se passado sobre seu subconsciente, não interferindo em sua essência de saber lidar racionalmente e com tranquilidade mesmo em situações estressantes ou desconhecidas, não havia problema se o medo ou a incerteza pudessem existir em sua mente, contanto que esses não pudessem sobrepor sua razão e realmente não sobrepunham.

Estava focada, ao ponto que talvez mesmo que tenha se aproximado do rapaz ruivo sem que essa fosse sua intenção ao tentar desviar do fluxo de pessoas seu olhar talvez pudesse ignorá-lo de forma inconsciente, assim como também em meio a tanto barulho era provável que ela não pudesse ouvir direito a sua voz.

Caso  tivesse sucesso em seu plano e pudesse encontrar algum marinheiro, tentaria fazer seu papel cívico de informá-lo/a sobre o caso da criança perdida, mas dessa vez, fosse pelo fato de falar com alguém de idade próxima ou superior a sua, que  por ela poderia ser visto como um herói faziam com que suas palavras de inicio fossem difíceis de sair, mas quando saíssem talvez pudessem conter informação até demais, resultado de sua honestidade excessiva. Dada a sua aparência fofa e infântil, talvez mesmo  em uma situação como aquela pudesse conseguir a atenção o suficiente para que pudesse passar aquilo que queria.


-O… Olá senhor(a), eu  sou Alipheese Abyss, aspirante ao cargo de marinheira, em meio a confusão eu acabei ajudando essa criança que se perdeu do pai e tenho certeza que como um grande exemplo para a sociedade como vocês são é provável que você saiba como guiar essa criança para a sua família melhor do que eu, caso eu possa contar com a sua experiência serei extremamente grata!


Seu rosto sem dúvidas tomaria um tom mais avermelhado, dando um destaque para seus angelicais traços que ali eram presentes, seus olhos vermelhos tinham um profundo brilho de admiração que talvez fosse capaz de trazer a luz até a mais desanimada e sombria alma, suas palavras eram carregadas de uma emoção que eram como a mais pura seda. Caso pudesse receber uma resposta positiva, complementaria.


- Eu… Eu sei que ainda não ingressei oficialmente a marinha, mas há algo que eu possa fazer para ajudá-los a controlar a situação? Talvez ajudar a guiar a população ou ajudar a levar os feridos?

Sua voz sem dúvidas soaria com um grande tom de animação, algo tão belo que poderia ser capaz de tornar mais fácil para que a resposta que ela pudesse receber fosse no mínimo gentil. Seguiria as instruções, fossem elas os procedimentos para achar o pai da criança ou mesmo o de deixar que a pessoa cuidasse do restante do caso, não era insubordinada, mesmo que ainda não tivesse exatamente uma patente para que pudesse se subordinar.


No caso de receber uma negativa, em relação ao seu pedido ou sequer tivesse como falar, com alguém fardado como parte da marinha,  tentaria manter a compostura perante a criança.


-Não se preocupe… Provavelmente deve haver algum motivo importante para que se siga sem  que nos ajudem, eu prometo que ajudarei você a encontrar seu pai! De qualquer forma, Eu sou Alipheese, qual é o seu nome? Você sabe me dizer onde você mora para que eu possa te levar até lá?

A todo o momento, tentava fazer com que a criança ao seu lado pudesse sentir nela uma segurança de que ela iria reencontrar a sua família, a forma como ela agia, era um reflexo da imagem que ela queria passar como marinheira, de alguém capaz de inspirar segurança e admiração a população e nada além disso. Caso a criança soubesse informá-la corretamente, tentaria seguir com a sua palavra, do contrário tentaria caso soubesse algum caminho alternativo levar a criança para o Qg, de forma a evitar o trajeto onde havia a confusão, para que ela pudesse ter a certeza de que ali estaria fazendo o melhor para aquela situação. A forma como se seguiria dependerá dos fatores correrem ou não da forma como ela havia estipulado nas múltiplas linhas de possibilidades aos quais ela havia traçado em sua mente, assim como também seriam suas atitudes e palavras, talvez ali não pudesse salvar o mundo, ser uma brava guerreira para ali ajudar seus futuros companheiros contra aqueles estranhos seres aos quais causavam tanto caos a sua amada cidade, mas ali sabia que sua ação poderia salvar o mundo daquela criança, daquela família e em momento algum se sentiria menor por fazer aquilo que acreditava ser o certo.






Histórico.:
 
Objetivos:
 

Off:
 
[/center]

____________________________________________________


Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ação
Pensamento
Fala


Última edição por Alipheese em Seg 01 Jan 2018, 17:36, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makei
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Makei

Créditos : 32
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  9010
Masculino Data de inscrição : 07/08/2017
Idade : 23

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptyQui 28 Dez 2017, 17:45




[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]





Problemas Mentais










Apesar de seus problemas mentais, o garoto continuava a andar pelas ruas de Shells Town enquanto discutia com as vozes de sua cabeça, mesmo sem fazer ideia do local em que estava, seus olhos palidos continuavam atentos a todos os cantos do que acontecia na ilha.

Geralmente se poderia sentir a calmaria do dia a dia do local, pelo fato de ser uma das sedes do QG da Marinha. Porém mal sabia o garoto que estava na rua principal que nesse momento algo incomum estaria a acontecer. Seus olhos atentos poderiam perceber a mudança de fluxo que estava a acontecer na rua, já que o mesmo poderia ver e sentir completamente a agitação do local com Marinheiros correndo de um lado para o outro, alguns até poderiam ser vistos feridos ao serem carregados por seus companheiros e no centro do fluxo raivoso havia um grupo de criaturas estranhas que estavam em um combate com os marinheiros, para ser mais exato, o número do grupo de criaturas se totalizavam em cinco no total, mas poderia ser visto duas recuarem com algumas feridas enquanto as outras três enfrentavam os oficiais do local.

"M-Mas que diabos é esse ?"

"" Olha o pau quebrando ! Eeetá porra ! Etá é briga na rua ! Etá porra ! Eeetá porra ! Eeeitá ! ""

- Cala a boca ! -

Sua mente parecia tentar entender a situação que se encontrava no momento, sabia que algo fora do comum estaria acontecendo e por isso não poderia se permitir ser atrapalhado por seus delírios mentais que continuavam a gritar com a agitação do momento. Em sua mente tudo parecia entrar e funcionar como um tipo de engrenagem ao juntar as informações dadas por seus olhos à sua cabeça, ele poderia perceber que mesmo que talvez tivessem varios marinheiros, alguns estariam tendo que lidar com o povo e seus companheiros feridos, apesar dos tritões estarem em uma quantia não muito grande, eles pareciam fortes o suficiente para colocar um pouco de pressão sobre os Marinheiros do local, talvez isso seria pelo fato de não haver algum Marinheiro de alto nível e apenas alguns oficiais fracos ? Mas mesmo assim, duas criaturas já estavam feridas... Por que a complicação ?

Perdido na tentativa de buscar respostas, a unica coisa que lhe restava era pensar que infelizmente os oficiais que estavam no local não eram totalmente capacitados para lidar com a situação, porém houve um fator que Lynn havia deixado de lado ao raciocinar que veio a lhe surpreender ao ser empurrado sobre uma carroça de frutas pelos oficiais que separavam os civis do que acontecia ali, por sorte a sua agilidade lhe veio a calhar ao conseguir se esquivar melhor de sua situação e finalmente talvez entender um pouco melhor o que estava acontecendo... A curiosidade das pessoas as vezes pode ser algo complicado... mas isso não era o que ele deveria se preocupar agora nesse instante, já que ao reparar ao seu redor ele poderia observar uma garota de cabelos brancos à sua direita que parecia ter sofrido um pouco com a multidão de pessoas que queriam observar o que estava acontecendo, mas algumas vozes o fizeram mudar a sua atenção, poderia observar uma criança próxima a eles chorar de maneira desolada em busca de seu pai ao mesmo tempo que conseguiria ver o amontoado de pessoas serem empurradas a sua direção. Por outro lado, uma mulher desesperada parecia tentar adentrar na confusão, mas era impedida por seus filhos que a seguravam talvez na tentativa de protege-la.

Um estalo era possível sentir em sua cabeça enquanto toda a informação parecia adentrar da mesma, varias coisas pareciam acontecer mas ele não podia aceitar colocar a vida das crianças em jogo nessa situação, uma estaria em perigo por causa da multidão, enquanto as outras por causa de sua mãe... Qual seria a melhor escolha a ser feita ? Como ele poderia ajudar os dois casos ao mesmo tempo ? Tudo parecia ficar lento diante de seus olhos enquanto ele tentava buscar uma resposta ideal para a situação, mas tudo parecia complicado para se resolver sozinho... Sozinho...

Novamente como um estalo em sua mente, o garoto começaria a agir, suas pernas se moveriam em direção a mulher e as duas crianças ao mesmo tempo que gritava e apontava para a garota de cabelos brancos ajudar a criança, não saberia se ela poderia ouvi-lo no meio turbulento que estava a rua, mas era a única opção que ele poderia apostar para resolver as duas coisas nessa situação.

- Pega essa criança e corra ou faça qualquer merda que a proteja, se ela se machucar eu juro que eu volto e te quebro na porrada. -

"" Puff, enquanto a otária ajuda um, a gente ajuda três ! E se ela não ajudar, a gente ainda pode voltar e bater nela, tem situação melhor ? (ง ͠° ͟ل͜ ͡°)ง  ""

Acreditando ter talvez resolvido um dos problemas, agora ele apenas precisaria se focar na mãe e seus filhos que sinceramente era um problema e tanto para resolver, mas a sua mente ainda continuava a mil em busca de tentar resolver isso, porém apenas três conclusões haviam sido formuladas e duas delas são bem brutas... Porem Lynn acreditava que era o mais correto, pois seria a atitude mais rápida e efetiva para resolver a situação e retirar as duas crianças do perigo eminente em que a mãe parecia coloco-las, por isso colocaria a tentativa a prova ao tentar resolver o desastre eminente.

Sua primeira ideia era a mais aceita em sua mente era de simplesmente chegar com uma voadora sobre a mulher na tentativa de apagá-la caso visse que o estado emocional da mulher estivesse fora de controle e que não seria possível convencê-la rapidamente a focar na segurança de seus filhos. Saberia que provavelmente não conseguiria fazer o ato perfeito, porém era a mais fácil, rápida e eficaz que ele poderia imaginar no momento, já que caso ela não apaga-se, pelo menos traria um dano considerável onde o garoto poderia carregá-la depois enquanto procurava um lugar seguro para os três o mais rápido possível enquanto falava a sua frase de tentativa em convence-la.

"" CACETE ! Ta tentando mata a muié? Mas eu gostei, aprova ai Narrador, namoralzinha, nunca te pedi nada ! ( ͡° ͜ʖ ͡°) ""

A segunda era tentar um golpe sobre a nuca da mulher para que tentasse desacorda-la e rapidamente retirar as crianças e a mulher do local, é uma maneira efetiva... Mas não é tão emocionante...

"" Er... Essa não seria a melhor opção ? Por sinal, quando você aprendeu Karate ? ""

" Não... Eu acho... Karate ? Nunca nem vi. "

A terceira e última seria a tentativa de convencer a mulher a desistir da ideia de entrar na multidão e se focar em proteger os seus filhos do aglomerado, também como uma opção caso as suas opções falharam, pois além da pancada ela ouviria um sermão do garoto, pois em sua mente ela estaria claramente colocando a vida deles em perigo, por isso suas palavras seriam severas e totalmente sem respeito algum para a mulher que não conseguia ver a situação que estava, caso ainda não fosse o suficiente ele agiria a força para retirar a mulher e as crianças para um lugar seguro o mais rápido possível, o único problema era que talvez a perca de tempo em tentar convencê-la fosse uma perda de tempo onde colocaria cada vez mais em perigo a vida das crianças, por isso deixando apenas essa como última opção.

- Caralho mulher do capeta ! Não ta vendo a porra da multidão correndo na direção das crianças ? Então acorde e me siga, se não for por bem, vai ser pelos cabelos ! PORRA ! -

"" Eta pora, precisa ser grosso assim ? Por isso que prefiro as outras opções... SEU BRUTO ! ლ(ಠ益ಠლ) ""

Caso Lynn não conseguisse resolver a situação e visto em uma situação precária pela falha de uma das opções ele priorizaria a proteção das crianças, principalmente caso a mulher não colaborasse ao vê-los nessa situação, assim até colocando o seu próprio corpo de proteção caso visse sendo atropelado pelo aglomerado de pessoas na tentativa de protegê-los.

"" A GENTE VAI MORRE ! (Sid voice) (;´༎ຶД༎ຶ`) ""

Após o transtorno, o garoto tentaria entender melhor o que estaria acontecendo ao tentar observar melhor as coisas, principalmente se a outra criança estaria a salvo, pois ele não se permitiria a imaginar a situação dela ao ser atropelada pelas pessoas, era uma visão que ele nunca gostaria de imaginar e de quem é o culpado por causar todo esse transtorno, não saberia se a mulher e as crianças saberiam lhe responder algo util, mas não custaria nada pergunta-los, já que a mãe parecia querer atravessar a multidão de maneira feroz e irracional, ao ponto de colocar as suas crianças em perigo.


- Por acaso, vocês sabem quem foi o maldito verme que causou todo esse alvoroço ? Por que quem é que seja, conseguiu me deixar PUTO ! -










Histórico:
 
Objetivos:
 
off¹:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
        Ficha       ~ ~        Aventura


~> Fala <~
~> Pensamento <~


Medalhas:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
SraVanuza
Membro
Membro
SraVanuza

Créditos : 12
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  10010
Data de inscrição : 14/12/2017
Idade : 21

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptySab 30 Dez 2017, 16:42



Be a pretty bitch!



Como poderia ser tão plena? Kariel não tinha ideia, seus planos eram traçados em sua cabeça com perfeição, cada possível acontecimento, cada pensamento e ação que a poderia a levar ao topo. Tantas coisas pra se fazer, a despedida de sua mãe foi um pouco dramática, mas ambas sabiam seu destino, então estavam cientes que isso aconteceria.

Seu coração ainda estava apertado, mesmo com a lógica estando acima de suas emoções, mas ainda era uma mera mortal, não era capaz de suprimir seus sentimentos, mesmo sendo completamente irracionais e ilógicos. Seus pensamentos permaneciam acelerados, com quem poderia falar? Onde buscaria auxílio? Instrução? Seu dinheiro era o suficiente? A resposta era obvia.

“ Meu deus, tudo isso vai dar errado… Eu sou um fracasso.. Como posso ser tão inútil e burra? Eu vou morrer na primeira oportunidade! Não sei como cozinhar, não acredito que eu vou morrer de fome, eu já sou magra…”

Sua cabeça era tão acelerada que ela atropelava seus próprios pensamentos, com mais pensamentos, sua inteligência era visível no lado externo, mas não imaginam quantas ideias bagunçadas ela teria dentro daquela linda e bela cabecinha de vento.

“O que eu estou dizendo? Eu sou incrível, com certeza eu vou  me virar, basta eu me planejar, a primeira coisa que tenho que fazer é ir pro centro daquela cidade, mesmo eu não fazendo ideia de como chegar lá, por isso vou ter que pedir ajuda pra alguém que não pareça maluco ou suspeito!  Assim que conseguir me adicionar lá dentro, posso seguir com o plano. Não sei se devo adentrar a marinha agora… Afinal estou completamente despreparada… Talvez devo conhecer melhor a cidade, buscando algumas coisinhas que tenho em mente… É definitivamente isso..”

Mesmo seus pensamentos estando muito agitados e suas ideias embaralhadas, o plano já estava pronto, só precisava ser executado, seus passos permaneciam elegantes e muito bem calculados, para não tropeçar e cair, o que seria uma baita vergonha. Olharia aos cantos em busca de alguem que pudesse lhe orientar dentro daquele ambiente urbano pouco conhecido. Se por uma benção do destino ela cruzasse com alguém, ela tentaria se aproximar da forma mais tranquila possível, para não chamar atenção de forma indesejada.

-Olá! - Pequena pausa - Me chamo Kariel e gostaria de saber como faço para chegar no centro da cidade? Estou desnorteada e não sei como me localizar sem me perder! - Seu tom de voz era realmente muito calmo e tranquilo, seus modos eram inquestionáveis.

Caso obtivesse alguma resposta útil tentaria seguir as instruções precisamente para poder chegar no ambiente desejado. Ficaria atenta em todo o ambiente, afinal tinha que conhecer bem a cidade para poder seu útil como integrante da marinha. Como o ambiente que estava era de pouca frequentação da gata, ela ficava meio receosa, sua audição estava no auge, queria detectar qualquer sinal ameaça.

"O que será que eu devo fazer agora? Um instrutor? Conhecer mais o local? Ou ir direto para a marinha... Assim que eu descobrir onde que fica..!"

Histórico:
 
Objetivos:
 


Off:
 



Thanks Faith @CG

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.][Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Voltar ao Topo Ir em baixo
ZnorLAX
Narrador
Narrador
ZnorLAX

Créditos : 4
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  10010
Masculino Data de inscrição : 12/07/2015
Idade : 20
Localização : Farol - Grand Line

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptyDom 31 Dez 2017, 01:15



Narração


Atitudes erradas, conclusões precipitadas. A timidez vencida!




O espírito heroico surge em meio ao completo caos. A mais desesperadora das situações faz o espírito crescer e se sobressair perante a dificuldade. Assim foi a reação da singela garota, que em um debate interno, partiu para salvar a criança que chorava em meio aquela confusão. O quão efetiva uma ação poderia ser? Esse questionamento poderia ser debatido muitas vezes, por muito tempo e uma resposta concreta poderia não ser encontrada. Porém, a garota poderia ter certeza que a menor das ações, sendo feitas com o coração e com sinceridade, já valeriam mais que as gigantescas e falsas.

Em contrapartida, mais relaxado que Ali, Lynn observava tudo que acontecia e decidia ajudar a mãe e os seus filhos. Ele havia visto a presença de Ali, que também o viu. Qualquer tentativa de argumentação naquele instante era nula, porém, a garota já havia pensado em realizar o que ele havia dito, então nada foi atrapalhado. — Pega essa criança e corra ou faça qualquer merda que a proteja, se ela se machucar eu juro que eu volto e eu te quebro na porrada! — bradou o mal-humorado rapaz, porém a garota nada disso ouviu. Era complexa a maneira de Lynn agir, para quem queria ser o símbolo da paz para os fracos e oprimidos.

Em uma batalha interna, a garota tentava acalmar a pequena criança que ali estava, porém, acima de tudo, ela tentava se acalmar e superar seus próprios limites. Não era fácil superar a dificuldade de comunicação e interação que a garota sofria, porém com o espírito em chamas, ela sabia que tinha de fazer algo. — N… não se preocupe! Você não está só, vamos sair dessa confusão e achar o seu pai! — afirmou a garota, tentando, acima de acalmar a pequena humana, acalmar a si mesma. Infelizmente, a garota não era o melhor símbolo de segurança que a criança veria naquele momento, porém, não se importando com sua vergonha, Ali pegou a mão da garota e, rapidamente a retirou dali.

Quanto mais ela se afastava, mais a população se aproximava, porém não demorou muito até que Ali encontrasse a figura que tanto almejava ser: um marinheiro. — O… olá senhor, eu sou Alipheese Abyss, aspirante ao cargo de marinheira, em meio à confusão eu acabei ajudando essa criança que se perdeu do pai e tenho certeza que como um grande exemplo para a sociedade como vocês são é provável que você saiba como guiar essa criança para a sua família melhor do que eu, caso eu possa contar com a sua experiência serei extremamente grata! Informando acerca do que havia ocorrido com a criança, o marinheiro indicou que a garota a levasse para um local seguro enquanto os oficiais cuidavam do inimigo. — Já que almeja adentrar para a marinha, faça a primeira parte de ser um oficial, respeito de ordens. Leve essa criança para um lugar seguro e não se preocupe, cuidaremos de tudo! — afirmou o homem.

Ao apontar o caminho para seguir, Ali poderia avistar mais alguns marinheiros evacuando o local. Ao fundo, distante, estava uma placa indicando as localidades da ilha. Seguindo em frente, em metros à frente, a aspirante encontraria o Quartel General da Marinha que estaria tendo a saída de marinheiros que haviam voltado para pegar redes de aprisionamento. Um certo marinheiro estava no balcão e receberia a garota, caso ela fosse até ali. A pequena garota, em meio aos prantos, demonstrava o desejo de ir para o caminho a esquerda, talvez ela quisesse só se desvencilhar, Ali não saberia ao certo, porém o caminho da esquerda levaria a moça a uma taverna, a Taverna do Rick IV.

Lynn, totalmente entregue a adrenalina que passeava desenfreada por suas veias, rapidamente pensava em diversas alternativas para cessar aquela mulher. Infelizmente, as decisões que qualquer um tomava, influenciariam em uma sequencia de fatos que, talvez mudados, dariam no mesmo fim. Rapidamente chegando a mulher, o rapaz saltou. Tentando desferir um golpe estabanado, por não saber praticamente nada sobre técnicas físicas, o rapaz errou o golpe e acertou o garoto que tentava impedir a sua mãe de adentrar na área de combate. Uma pequena atitude, ou grande, em um completo círculo de tensão, era um erro drástico.

O desespero tomou conta tanto da mãe, quanto de sua irmã, que tentavam acordar o garoto. Os marinheiros rapidamente chegavam e seguravam o rapaz. — Seu assassino! — bradou a mulher, que no calor do momento, pensava que seu filho havia padecido ao golpe estabanado do “aspirante” a marinha. — Levem esse moleque para a prisão! — bradou um dos marinheiros, ordenando dois cadetes que levaram Lynn do local. Por mais que o rapaz tentasse se mover ou espernear, não conseguiria se soltar e, cada vez mais longe, ele via a confusão se distanciar, ou o contrário, ele se distanciar da confusão.

Enquanto isso, ali na ilha, a curiosa Mink vagava em meio aos seus pensamentos. Pensamentos esses que não eram poucos, mas o objetivo da garota era colocado em primeiro lugar em sua meta e para isso, ela tinha de conseguir informações. A sua frente, ela avistou uma inocente garota correndo com uma criança em seus braços, que tentava se soltar em meio a um grande choro. — Olá! Me chamo Kariel e gostaria de saber como faço para... — antes mesmo que terminasse, a garota persistiu em seu caminho, ignorando Kariel por completo. A mink, olhando para a sua esquerda, poderia avistar um grande aglomerado. Um pouco mais perto que isso, ela podia avistar dois marinheiros carregando alguém. A direção dava de encontro com ela. A direita, ao longe estava o Quartel General da Marinha, porém, provavelmente, ela não saberia que era isso. A frente, estava uma taverna, ao longe.

Explicações:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


SUPER IMPORTANTE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
GM.Alipheese
Tenente
Tenente
GM.Alipheese

Créditos : 30
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  10010
Feminino Data de inscrição : 31/03/2013
Idade : 25
Localização : Mawakun-3ª Rota.

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptyDom 31 Dez 2017, 09:46


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Possibilidades.



Seu ato, mesmo que não fosse heróico era carregado de significado que talvez devido a idade e ao momento ela mesma talvez não pudesse compreender por completo a emoção que agora sentia, de estar no lugar daquela pessoa que faz a diferença era algo bem diferente de uma história heróica ao qual muitos bradariam com orgulho e convicção, também não seria algo que poderia entrar nos registros e consagrar-la como a heroína por ter salvo uma criança de forma tão simples e de forma tão “ sem graça”. Felizmente para ela, não era a fama que ela procurava, tampouco a glória, seu caminho era ditado pelo seu próprio senso de justiça e essa convicção pura e imaculada até o presente momento lhe fazia superar os obstáculos em sua mente para agir.
Ainda não era o símbolo de esperança e segurança que esperava um dia ser, mas seria isso realmente tão ruim? Era apenas uma cívil fazendo o que qualquer um deveria ter feito em seu lugar, ter empatia ao ajudar aqueles que precisam e este era apenas o primeiro de muitos atos, de uma grandeza construída através de pequenos e grandes atos. Não havia abalado-se pela improbabilidade da criança não ser totalmente colaborativa, talvez mesmo que todas suas características pudessem passar a luz a pequena garota em uma situação sombria com aquela o medo e a própria falta de maturidade poderiam ali agir como uma “ venda” a tapar os olhos da criança em relação a aquela que lhe estendeu a mão. Felizmente seus olhos a permitiram rapidamente encontrar um caminho para longe daquela situação de risco iminente. Não demorou muito tempo até que pudesse encontrar alguém que ela julgou que poderia mostrar-lhe a direção correta para prosseguir com o seu resgate.

O marinheiro não parecia ser alguém que ela já havia visto, tão pouco pareceu ter traços ou uma voz muito marcante, no entanto aquele era um momento importante pra garota ainda que fora do momento ideal em ter um primeiro contato direto com aquilo que ela enxergava como um futuro reflexo de seu sonho, de seu futuro. Seus olhos fixaram-se e pela sua expressão corporal era claro o seu interesse e a forma como ela como era capaz de gerar a impressão que cada palavra que havia sido proferida soasse muito mais importante, algo que geralmente é raro, dada a forma como no geral as pessoas podem ser bem mais desinteressadas. Havia sido indicado a ela um caminho a seguir e aquilo que ela interpretou como a sua primeira ordem, pensar no que estava fazendo era capaz de momentaneamente fazer com que em seu coração começasse a sentir um profundo preenchimento do sentimento eufórico que  parecia correr dentro de si naquele momento. Em um breve  e profundo respirar mais alongado buscou tentar firmeza nas poucas palavras que diria antes de seguir as instruções e em sua mente sua própria voz soou em mil e um tons diferentes de como ela deveria falar, mas no fim antes que pudesse projetar seus pensamentos para fora, sua boca já havia dito as palavras, de forma completamente diferente das várias formas que ela  julgava como a forma correta.

- Sim senhor! Pode contar comigo.

Rapidamente se deu conta de suas palavras e o quão constrangedor poderia ter sido sua frase, visto que seu tom havia saído de forma fina e nada firme, ainda que coberta da certeza de que havia o desejo de tornar suas palavras realidade. Talvez o pequeno embaraçamento por tão simples ato a tenha feito seguir um pouco mais rápido na direção que havia sido lhe indicada, seu rosto apresentava um leve rubor que durou apenas por um breve momento. Era agraciada com a visão do trabalho dos oficiais ao evacuar a população, na direção que estava seguindo naquele momento segurando a pequena  garota que havia perdido o pai pela mão, já não podia mais ouvir o som da confusão que agora estava às suas costas nesse momento. Já podia ver o Qg da marinha, mesmo que ainda tivesse de percorrer ali uma certa distância até que pudesse realmente dizer que havia chegado no local que era seu objetivo inicial, sentiu alguma ação da criança, fosse um puxão ou uma tentativa de desvencilhar-se, pareceria a ela que a criança queria partir na direção de uma das Tavernas da ilha e a menos que verbalizasse isso não poderia entender se a criança simplesmente queria se separar dela e ir a própria sorte ou se pensou em encontrar ali o seu pai, fosse aquele um local com que ele fosse com frequência ou até mesmo ele fosse um funcionário ou o dono do estabelecimento, era difícil para que ela pudesse se convencer que após ser separado de sua filha ele fosse para tal local, a menos que esse fosse um ponto de encontro prévio, abaixou sua postura sem quaisquer movimentos bruscos de modo que seus olhos poderiam ficar na mesma altura da garota que estava a sua frente.Graças a sua baixa estatura não era provável que precisasse se abaixar muito, mas se assim fosse necessário o faria da mesma forma.

Tentou direcionar seus olhos ao da garota, algo que era um desafio pessoal grande mesmo considerando que estava a sua frente uma criança. Tomou ar antes que pudesse falar, o motivo de ela ter nesse momento mais ‘’tranquilo’’ ter abaixado a sua postura para que ficasse a pé de igualdade a de criança, era para que pudesse lhe passar mais segurança sobre suas intenções de reunir ela ao seu pai, antes de prosseguir o próprio caminho.

-Por que você quer ir nessa direção? Pensa em encontrar seu pai na taverna? Ou talvez você sinta que eu tenho alguma intenção se não a levá-la de volta a sua família? Eu… Olhe no fundo de meus olhos, quando disse que a levaria novamente a encontro da sua família, eu realmente tinha e ainda tenho a intenção de fazer isso… Eu sei que provavelmente você está assustada… Seria estranho não estar se você puder me acompanhar mais um pouco, tenho certeza de que tudo começará a se resolver… Afinal o lugar onde estamos indo é provavelmente o primeiro lugar que seu pai irá vir para procurar por informações suas.

Era muito estressante emocionalmente e mentalmente para Alipheese para que pudesse manter ali a compostura e olhar diretamente nos olhos de alguém no tempo necessário para proferir aquilo que tinha a dizer mas em momento algum a calma parecia ter lhe abandonado de forma que até mesmo ela poderia ter se surpreendido com sua postura. Seu tom de voz, assim como seu olhar eram doces e acolhedores, não tinha intenção de desobedecer aquilo que ela havia considerado como sua primeira ordem, no entanto caso a criança ali apresentasse uma justificativa muito boa capaz de convencê-la a desviar o caminho que para ela nesse momento era a solução ideal, seu caminho seria o da taverna, mesmo que contra seus instintos, seria egoísta demais ela privar um possível reencontro devido ao peso na consciência que ela poderia sentir por em sua própria cabeça ter desobedecido.


Se este fosse o improvável caminho que ela fosse seguir, aproximaria com a criança, tentando a manter próxima de si, devido ao horário não deveria haver uma movimentação grande em uma taverna, mas isso não tornava menor o risco que poderia partir dela e por isso o seu cuidado para recuar ali era muito mais do que redobrado e ao menor sinal de perigo, sua intenção era a de novamente seguir para aquela que parecia ser a rota certa e mais segura.

Levando em consideração que nenhuma justificativa plausível o suficiente lhe fosse apresentada, ou do próprio convencimento da criança em relação às palavras e atos que lhe foram dirigidos, Alipheese se levantaria e seria visível em seu rosto um sorriso tão radiante quanto o próprio sol, transparecendo um sentimento de paz. Não deveria demorar muito tempo para que ela pudesse avistar um rapaz trajando as vestes da marinha de forma que rapidamente ela ali poderia identificá-lo como um membro da organização ao qual planeja se juntar no futuro atrás de um balcão. Sabia que havia muito que ela deveria dizer e isso a levou a um turbilhão de pensamentos aos quais a faziam por um momento sentir que iria ruir de dentro pra fora, tamanha era a sua insegurança em ter de falar com o rapaz diretamente, seria algo rápido e intenso ao ponto de ser difícil para que alguém pudesse ver em seu exterior alguma pista além de sua respiração levemente acelerada.

“Organize os pensamentos Ali… Organize seus pensamentos… Pense nas palavras, você não vai passar papel de idiota, você vai conseguir ajudar alguém e dar o seu primeiro passo em direção ao seu sonho… Não é impossível… Não é impossível… Você já está aqui, pouco a separa de mudar a sua vida e devolver a normalidade a vida desta menina adorável ao seu lado, tenha coragem, respire e fale… Não esqueça de respirar!”

Seus passos em direção ao balcão se fossem ininterruptos seriam levemente tímidos, um pouco mais curtos do que normalmente seriam  conforme se dava sua aproximação, igualmente se dava o aumento da ansiedade aquilo que estava prestes a fazer e por mais que pudesse pensar rapidamente nas mais diversas possibilidades, nem mesmo se ela pudesse parar ali o tempo poderia encontrar algum meio de falar ou agir que pudesse fazer aquilo algo fácil em que ela não pudesse sentir de forma alguma sua própria timidez ser um obstáculo, mas ainda assim não ficaria paralisada. Caso precisasse olhar para cima para falar com o rapaz o faria e o mesmo se aplicaria caso ela tivesse de olhar para baixo no caso de ele estar sentado e com isso, fecharia os olhos por um breve momento enquanto respirava fundo, sua mão esquerda acabava por tomar o centro de  seu peito enquanto seus olhos se abriam delicadamente, seu semblante e mesmo seu tom sairia muito mais tranquilo e estruturado, ainda que talvez isso não durasse por muito tempo.

- Olá… Eu… Esta criança foi separada do pai durante a confusão e eu… Consegui fazer com que ela não fosse engolida pela confusão… Em meio ao caminho me foi instruído por um dos oficiais que procurar o QG seria a melhor chance para que essa criança possa ser reunida novamente com a sua família… Eu ainda que tenha desejo de me alistar não tenho o conhecimento ou os meios para fazer mais nesse momento, então seria grata caso o senhor pudesse me instruir.


Caso a menina tivesse lhe falado algo pertinente para que pudesse ajudar a tornar possível reuní-la novamente com a sua família, em sua frase também seria incluso de forma completa e sem omissão de detalhes, mantendo sempre a perfeita cordialidade.
Suas palavras eram sinceras, talvez até demais devido ao modo como ela revelava-se alguém que não era perfeito e ainda tinha algo a aprender, estava longe ainda de alcançar aquilo que ela poderia estabelecer como meta, mas sua atitude era positiva em relação a abrir as próprias portas, a arrogância não poderia levá-la a lugar nenhum, por outro lado saber subordinar-se a situação em que se encontrava para o seu lado racional passava longe de nesse momento ser um defeito. Sua expressão facial para que pudesse manter um tom que considerava profissional transparecia o esforço e passava uma imagem adorável de si com muito mais intensidade do que uma imagem respeitável e imponente, como em sua cabeça pensava executar.
Expressão:
 
Mesmo que preparasse o seu coração para uma resposta era provável que se houvesse algum elogio ela acabasse por desviar levemente o olhar para baixo, enquanto possívelmente a cor vermelha poderia lhe pintar delicadamente as bochechas, dando a ela uma aparência ainda mais fofa. Se lhe fossem dadas instruções tentaria seguí-las a risca, da melhor forma como suas próprias limitações pudessem permití-la.

Talvez sua boa ação nesse momento pudesse ser bem vista e talvez até facilitasse o processo de alistamento, supondo que a transferência de responsabilidade a mãos mais capazes fosse nesse momento visto como mais do que um ato cívico exemplar, mas sim como talvez uma ação digna ao papel do cargo ao qual almejava alcançar, visto que os demais marinheiros de baixa patente haviam se encarregado de tarefas menores como o resgate de feridos, evacuação populacional ou ações de grau heróico menor como reunir crianças as suas famílias, tarefas que normalmente são pouco valorizadas pela ausência de charme nelas, mas igualmente importantes para manter a paz.





Histórico.:
 
Objetivos:
 

Off:
 

____________________________________________________


Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  >
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Ação
Pensamento
Fala


Última edição por Alipheese em Seg 01 Jan 2018, 17:38, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Makei
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Makei

Créditos : 32
Warn : Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  9010
Masculino Data de inscrição : 07/08/2017
Idade : 23

Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  EmptyDom 31 Dez 2017, 19:30




[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]





Prisão ?










Finalmente estava colocando seus valores e o seu sonho a prova com atos heroicos e pelo bem das pessoas inocentes do local, mesmo que apresentasse estar mais relaxado que deveria ao observar as coisas, suas atitudes eram todas pensadas para um bem maior, pelo menos era o que o garoto acreditava ao fazê-las. Sabia de seus modos ortodoxos de agir e que talvez não fosse o correto para um Marinheiro, mas era o seu sonho e seguiria dessa maneira até o fim, não poderia se deixar pelas aparências, pois no fim o que importava era a sua verdadeira vontade em ajudar as pessoas e isso estava totalmente a prova no momento em que se colocou ao calor da adrenalina que poderia ser sentido pulsar cada vez mais sobre as suas veias.

Cada vez que se aproximava, mais opções em suas mentes se iam embora, ele precisava resolver isso rápido e sem complicações, mas nada parecia chegar a um fim aceitável, todos tinham uma sequência de fatos que talvez dariam tudo no mesmo fim, mas o garoto não poderia desistir nesse momento. Se aproximando rapidamente da mulher e seus filhos, Lynn poderia sentir seu corpo mais leve e a flutuar, sim, o garoto havia saltado na tentativa de desferir um golpe estabanado que por fim acabou em um erro grave ao acertar o golpe sobre o garoto que tentava impedir a sua mãe de adentrar na área de combate.

"" (;´༎ຶД༎ຶ`) Q-Que porra você fez  piá do caralho ?! Alguém ligue para o 190 agora ! Temos um Assassino ! PORFAVOR ALGUEM ME AJUDE ! ESTOU DENTRO DO CORPO DELE E NÃO SEI COMO SAIR ! Em caso de tribunal só queria avisar que sou inocente e não tenho nada a ver com a situação ! ""

" CALADO ! Foi você que me apoiou na ideia ! "

"" Eu ? NUNCA ! QUEM SERIA O RETARDADO A TER UMA IDEIA DESSA, NÉ NARRADOR ?! EU TO É VAZANDO DAQUI, TA LIGADO MEU IRMÃO ! ~ ᕕ(ᐛ)ᕗ ""

Confuso por seu erro, Lynn sentiria como se algo estivesse se desabado diante de sua visão, havia feito um erro drástico e provavelmente não conseguiria arruma-lo o mais rápido possível, mas pela situação final, talvez isso poderia ter sido tratado como uma missão cumprida? Afinal... Ele havia impedido a mulher de adentrar na confusão, mesmo que de uma maneira totalmente errada e incoerente... É, acho que isso não poderia ser considerado como missão cumprida, talvez meio ? A resposta era clara que não, já que ouvir a mulher o chamar de Assassino e logo após ser mandado a prisão, não parecia algo muito correto para o garoto que poderia sentir dois Marinheiros o retirarem do local enquanto tentava se explicar do talvez "Mal Entendido", mas a unica coisa que ele podia ver era a confusão se distanciar cada vez mais dele, por mais que tentasse se espernear na tentativa de conseguir talvez se explicar para os dois cadetes.

- Eh... Uhm... Calma, não, pera ! ISSO TA ERRADO. Hey, pera, por que vocês estão me pegando ? Isso é um mal entendido, eu só... HEY ! Me solta ! Quem vocês pensam que são ? Aé... Eles são da Marinha... Mas é sério, isso não foi por querer, foi um engano ! Era pra eu ter acertado a mulher, não a criança ! Hey, me solta ! -

Vendo que provavelmente não teria volta nesse momento, Lynn deixaria que os cadetes lhe carregassem sem muitos problemas, já que pareciam seguir firmemente o pedido que o prendessem, assim agiria de maneira totalmente desleixada e sem muitas complicações enquanto comentaria para os cadetes a sua grandiosidade como pessoa.

- Já que querem tanto me carregar. Eu, aquele que se tornará o Imperador dos Mares lhe deixarei me carregar hoje, mas é só hoje, Okey? -

"" Você deveria ser mais Humilde nessa situação, e não um cuzão... (;一_一) ""

Não sabia o que passava pela cabeça dos cadetes naquele momento, mas se caso perguntassem sobre os motivos de suas ações, Lynn não teria problemas em explicar para eles o que passava por sua cabeça, afinal, em sua mente ele apenas estava tentando fazer o melhor ao salvar aquelas crianças de algum futuro problema que talvez pudesse colocá-las em perigo, ele só não esperava acabar errando o alvo...

- Er... Eu ter acertado o garoto não foi de proposito, eu simplesmente queria na verdade salvá-las do perigo que a mãe deles estava a colocá-los, pois a mulher estava totalmente de maneira frenética ao tentar adentrar da confusão enquanto seus filhos a seguravam pelos braços, então eu pensei que para não colocá-los em perigo por causa dela e da multidão que estava sendo empurrada, era mais fácil apagá-la e depois levar para um um lugar seguro... Mas o meu pé meio que escorregou e... Vocês sabem o final. -

Caso os cadetes se mantivessem calados pelo caminho inteiro, Lynn não tentaria trazer muitos problemas, já que a Prisão provavelmente era próxima ao QG da Marinha, talvez isso pudesse agir como uma carona para o garoto que acenava de maneira alegre com um sorriso no rosto e abanando as mãos caso fosse possível para as pessoas a sua volta que pudessem vê-lo nessa situação.

- Olá, como vai ? Espero que tenha um bom dia. -

"" (>ლ) ""










Histórico:
 
Objetivos:
 
off¹:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
        Ficha       ~ ~        Aventura


~> Fala <~
~> Pensamento <~


Medalhas:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty
MensagemAssunto: Re: Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !    Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !  Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Rumo ao Mar - Os primeiros passos de um Marinheiro !
Voltar ao Topo 
Página 1 de 16Ir à página : 1, 2, 3 ... 8 ... 16  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Shells Town-
Ir para: