One Piece RPG
1° Chapter - The Beginning of a Marine XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» O vagabundo e o aleijado
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Tensei Hoje à(s) 22:11

» V - Into The Void
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 17:09

» A Aparição de Mais Um Meio a Tantos
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Vincentão Hoje à(s) 15:32

» Unbreakable
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Ainz Hoje à(s) 11:23

» O Ronco do Bárbaro
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor West Hoje à(s) 11:11

» [mini-nickgames1234] *East Blue*
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor ADM.Senshi Hoje à(s) 06:18

» [Fiction] — The Legend
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor GM.Noskire Ontem à(s) 21:46

» [Mini-Rosinante-san] O homem que quer ser livre
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Rosinante-san Ontem à(s) 20:23

» Mini - Serana
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Serana Ontem à(s) 19:42

» Bizarre Adventure: Smooth Criminal
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Achiles Ontem à(s) 12:37

» [Ficha] Pandora
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:20

» ~ Mudanças Importantes ~
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor DEV.Ryan Sex 15 Nov 2019, 23:45

» Cap. 1: Laços entrelaçados, as chamas da revolução se erguem!
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Wesker Sex 15 Nov 2019, 22:54

» Apenas UMA Aventura
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Van Sex 15 Nov 2019, 22:00

» De pernas pro ar! A revolução de Yumi
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Akuma Nikaido Sex 15 Nov 2019, 16:00

» Cap I: Veneno de dois Gume
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor Noelle Sex 15 Nov 2019, 15:12

» Retornando para a aventura
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor rafaeliscorrelis Qui 14 Nov 2019, 23:00

» [Mini - Asin] - Seja o Equilíbrio
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor TheJoker Qui 14 Nov 2019, 14:44

» Desventura 3.5: O treino para Grand Line
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor TheJoker Qua 13 Nov 2019, 18:54

» MEP Serana
1° Chapter - The Beginning of a Marine Emptypor TheJoker Qua 13 Nov 2019, 17:49



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG

Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


Compartilhe
 

 1° Chapter - The Beginning of a Marine

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 5ª Rota - Pindorama

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptySab 03 Jun 2017, 14:23

1° Chapter - The Beginning of a Marine

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Roy Collins . A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Roy Collins
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Roy Collins

Créditos : 17
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 23/11/2012
Idade : 22
Localização : East Blue - Loguetown

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptySab 03 Jun 2017, 20:16

Começando a jornada

Crescer tendo um pai marinheiro só me fez ver o mundo da forma mais correta. Hoje em dia o que mais se vê é notícias de piratas surgindo em um lugar,  outro surgindo em mais algum lugar e por ai vai. Pra piorar é que eles se orgulham disso, saquear, roubar, "viver segundo suas leis" ... Simplesmente lamentável. É cansativo ver essa raça crescer e poucas pessoas dispostas a combate-los, algo que deveria aumentar e muito. Como deveria! Uma vez meu pai participou de uma missão na qual o foco era tirar uma ilha do controle de um pirata ao qual mantinha como sua propriedade, cobrando impostos, tirando recursos de empresas para fortificar sua tripulação e consequentemente aumentando suas riquezas. Quando o vice-almirante Collins chegou na ilha juntamente com outros marinheiros ocorreu uma guerra sem precedentes, rolou uma carnificina total.

O orgulho daqueles nojentos em proteger o que eles consideravam deles era insano. Durante um mês aconteceu essa guerra e muitas falhas acontecera por ambos os lados, entretanto o que venceu foi a justiça. Ou seja, Marinha!! Graças aos relatos do meu pai e conselhos dele entendi perfeitamente o que uma missão representa, ela significa nada mais nada menos do que justiça perfeita. Por mais que precise certas vezes ir ao extremo, é necessário fazer o que for preciso. Por pouco ele não perdeu essa guerra quando fraquejou em proteger um de seus aliados em vez de executar o que era preciso, isto é, infelizmente naquele momento deixar o seu colega por sua conta pra terminar o que foi obrigatório. Se não fosse outras pessoas para terminar o serviço aquilo seria uma falha gigantesca e como resultado perderia aquela guerra, a sua honra e merecidamente seria demitido do cargo.

Quando ele comentou isso comigo foi estranho, o homem parecia que tinha tido seu orgulho ferido e realmente eu senti isso na própria pele. Só de imaginar em fraquejar numa missão por coisas fúteis me faria ter desgosto de mim mesmo, ainda mais ser derrotado por essa raça "piratesca" que se intitulam o futuro dessa geração. Não é atoa que eu consegui essas tatuagens, é o sinal de honra da nossa família e ao qual vou lutar para proteger até quando puder. Regras devem ser seguidas, leis aplicadas e justiça feita, custe o que custar. Destino ou não cresci assim com muito orgulho, treinamento e foco para poder combater o mal que for. E sinceramente, estou me sentindo confiante pra trilhar esse caminho difícil mas no fundo recompensador. Pra sociedade e para mim mesmo, afinal todos incluindo eu somos um, e mesmo eu como cidadão quero um mundo melhor e mais seguro dessas pessoas nojentas.

Portanto chegou a hora de fazer o que sinto que o mundo me preparou. Servir a justiça; Logo sairia de onde estivesse ajeitando minha calça roxa, camisa azul e jaqueta azul escura e caminharia com calma procurando usando minha visão aguçada algum prédio que tenha o símbolo da Marinha. Já andei por essa ilha outras vezes embora esse último ano tenha ficado mais do lado oposto de onde fica o prédio da Marinha, então não conheço tanto as redondezas por lá. Por isso caso eu demore e não consiga achar o prédio, perguntaria para algum comerciante. - Ei, onde fica o QG da Marinha? Caso não souber, perguntaria a outros comerciantes até algum saber e seguiria as instruções.

Ao chegar lá, usaria minha visão aguçada observando todos ao redor a fim de ver como se comportam. Iria até a recepção tomando cuidado para não esbarrar em ninguém lá de dentro para não começar com o pé esquerdo, principalmente se for algum oficial, porém se necessário se desvencilharia dando a volta ou mesmo com movimentos sutis. Assim que possível perguntaria ao recepcionista (a). - Como faço as inscrições para se tornar marinheiro? Perguntaria de modo objetivo, tentando não passar nenhuma brincadeira no tom de voz. Por mais que ainda eles não me conheçam, praticamente tudo começa com uma impressão. E por isso não quero começar minha jornada com o pé esquerdo.
Histórico:
 
Objetivos:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Olá, Convidado seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Wander
Pirata
Pirata
Wander

Créditos : 11
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2013
Idade : 21
Localização : Não sei :D

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptyQua 07 Jun 2017, 00:58


Era o inicio da tarde de um dia ensolarado, com poucas nuvens e muito calor. Esse era o clima que marcava aquela ilha e hoje não era diferente, com o calor fazendo os moradores procurarem abrigo em nos locais de trabalho e outros em estabelecimentos aleatórios, principalmente naqueles que lhes trouxessem uma boa conversa ou algum entretenimento. A população era muito amistosa entre os nativos, embora fosse marcado com um medo e receio por forasteiros devido a grande atividade de piratas na cidade.

É em meio a esse cenário que encontramos um rapaz em seus vinte anos, caminhando enquanto fitava com olhos estreitos o horizonte procurando pelo grande QG da ilha. Esse indivíduo se chamava Roy Collins, um jovem que havia crescido sobre a influencia de um grande marinheiro até o ponto de desenvolver um pensamento voltado por uma busca pela manutenção da justiça no mundo. Se esse jovem manter sua determinação, certamente chegará longe. Por isso, para pôr em pratica sua ambição, a primeira coisa que ele tinha que fazer era ingressar na marinha.

Por ser um morador da ilha e também por estar em um terreno ligeiramente elevado para poder se situar usando sua visão anormal, conseguiu avistar um caminho que o levava ao seu destino e logo seguiu por ele, descendo ladeiras até que enfim chegasse em chão plano. Mesmo com as casas ao redor, Roy agora estava mais próximo do prédio da marinha e por isso conseguia não perder-se em seu caminho.

Ao chegar em frente ao imponente QG da marinha, Roy vislumbrou sua entrada por alguns instantes tentando ver como estavam as coisas. O lugar parecia calmo, nada fora do comum. Assim como os moradores que viu antes, os soldados e oficiais ali eventualmente entravam e saiam para resolver seus assuntos, mas o jovem não percebia anormalidades, talvez pelo fato daqueles homens terem um temperamento calmo quando se tratava de obedecer ordens.

Após sua avaliação inicial, o jovem boxeador avançava até o prédio, contornando eventuais marinheiros que vinham em sua direção. Após entrar na porta da frente ele dava de cara com um saguão, onde de um lado poderia ver uma recepção e do outro um mural com procurados locais e mundiais. Não hesitou e seguiu de imediato até o balcão da recepção, onde encontrou um homem de moreno de boné de um lado, escrevendo em uma papelada enquanto falava com alguém usando um aparelho em formato de caramujo e uma mulher de idade que acatava a pergunta de Roy.

- Oh, mais um novato... Hohoho, que bom. Meu amor, me diga o seu nome e depois siga até os assentos ali no canto desse saguão. Em breve algum instrutor virá para fazer seu teste de admissão.

Se Roy seguisse para onde lhe era indicado, veria que ele não era o único esperando o teste. Haviam dois jovens adolescentes de cabelos negros que utilizavam óculos e uma moça ligeiramente mais velha com longos cabelos castanhos. O lugar estava silencioso, e ninguém ali mostrava interesse em mudar essa situação. Depois de alguns poucos instantes, um homem alto com cabelos curtos e negros e um chamativo olho azul daria as caras por ali. Ele tinha um bom porte físico. - Olá recrutas... Sou o Sargendo Jiron Beviore, estou responsável por acompanhar o teste de admissão de vocês... Sem demoras, vou passar-lhes a primeira etapa: Começaremos com um trabalho disciplinar de ocupação. Quero que façam alguma tarefa... Aqueles que tiverem conhecimento em alguma área, avisem, senão, escolham entre passar o esfregão no chão do corredor, lavar fardas ou descascar algumas batatas. Depois que concluírem essa tarefa, seguiremos para algo mais.

- Eu tenho conhecimentos na área de medicina, se puder me guiar até a ala médica... - Um dos jovens de óculos declarava.

- Eu sei trabalhar com engenharia e mecânica... Posso usar isso como uma ''ocupação'' para esse teste? - O outro diria, após ter a oportunidade.

- Eu os levarei todos até os locais para poderem exercer essa tarefa. E quanto a vocês dois, qual escolherão? Escolheram as tarefas simples? - O sargento questionaria a jovem de cabelos castanhos e o Roy.

- Se esse cara não tiver nenhum conhecimento em especial, irei para o mesmo lugar que ele... Não tenho preferência nessa questão, então ter companhia na minha tarefa parece ser o mais agradável. - Ela responderia calmamente com a indiferença estampada em seu rosto.

Após todo esse dialogo, eles apenas esperavam a escolha da tarefa por parte de Collins. Dado suas habilidades obtidas essencialmente pelo seu espelhamento na figura de seu pai e pelos constantes treinos, ele não tinha nenhum conhecimento especial, portanto suas opções eram o esfregão, uma pia de roupas ou um descascador de batatas. Quando ele anunciasse sua escolha, seria levado para o cenário onde realizaria tal tarefa.




OFF: Fui deixar acontecer naturalmente e o post se estendeu mais do que eu esperava Hmm... De qualquer forma escolhe tua tarefa ai e ja narra tu fazendo ela...


NPCS:
 


____________________________________________________

Falas
Pensamentos
Esquizofrenia (Fantasia)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] |[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

RIP:
 

Titulo Internacional:
 

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Roy Collins
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Roy Collins

Créditos : 17
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 23/11/2012
Idade : 22
Localização : East Blue - Loguetown

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptyQua 07 Jun 2017, 09:54

Teste da Marinha - 01/03

A atividade de pirataria sem dúvidas tem marcado o mundo nos últimos tempos, com os acontecimentos e o terror causado nas pessoas. Como pode acontecer isso? Só de pensar já me dá uma raiva! Enquanto caminho nesse dia pesado para estar embaixo do sol, consigo notar esse receio das pessoas acerca disso, confirmando mais ainda minha missão. Entrar na Marinha e garantir a justiça e repreender todo o mal causado por esses lixos humanos.

Graças ao caminho em que iniciei consegui focalizar através da minha visão aguçada o QG da marinha. Robusto e de certo modo destacável em comparação com os outros edifícios da ilha. Só de ver aquele prédio muitas recordações das histórias que meu pai contara veio à mente, perseguindo piratas durante dias em alto mar, travando às vezes guerras contras essa escória, prendendo e levando para as cortes marciais e muito mais. Como deve ser prazeroso fazer isso! Justiça. Desci as ruas mais animado e confiante, ansioso para ver o que me aguardaria quando chegasse lá, seria muitas pessoas lá dentro? Quanto mais pensava, mais rápido andava e pelo fato da minha visão abrangente não errei o caminho e rapidamente cheguei lá. E sinceramente, meu coração quase saiu da boca ao ver frente-a-frente aquela construção monumental. ~ Sensacional esse QG. Bem que meu pai diz que ao ver pela primeira vez um prédio da Marinha, se nota como a instituição é grande.

Batia meus punhos um contra o outro e se entusiasmava. - Para grandes coisas, exige grandes pessoas. Assim seguia para lá tomando cuidado com quem passava embora elas parecessem bem calmas, algo que estranhei. ~ Confesso que achei que era mais turbulento por aqui. Sem delongas entrei no saguão e logo vi o balcão onde fui perguntar sobre as inscrições, deparando com um homem que estava bem ocupado. ~ De um lado tudo parecendo calmo, do outro o cara sobrecarregado de coisas. Pensava e posteriormente perguntava sobre o alistamento, obtendo resposta de uma mulher de idade a qual não tinha notado.

- Oh, mais um novato... Hohoho, que bom. Meu amor, me diga o seu nome e depois siga até os assentos ali no canto desse saguão. Em breve algum instrutor virá para fazer seu teste de admissão. Expressei uma feição rejeitando sua intimidade na forma de falar. Felizmente nunca fui uma pessoa para socializar bem, afinal como meu pai diz, quanto mais laços afetivos mais propenso é para falhar em missão. - Meu nome é Roy Collins. Disse rapidamente e em bom som para ela ouvir, mas não deixei margem de intimidade.

Segui para os assentos conforme indicado e vi os dois jovens e uma moça. Pelo que percebi não sou o único interessado em servir a marinha, algo ligeiramente bom. Além do fato que provavelmente eles poderão ser meus concorrentes nos testes, fazendo apenas o melhor passar e certo é que farei por merecer essa vaga. Aguardamos silenciosamente o instrutor até que quando ele chegou o ambiente pareceu mudar. Um homem alto e de cabelos negros, tendo olhos chamativos por ser da cor do céu e com um porte físico forte, apresentou-se como sargento Jiron Beviore. Como dito anteriormente o ambiente pareceu mudar mesmo, aquele ar de desafio e teste pegou todos e conforme ele passava nosso próximo passo de realizar alguma tarefa, era notável que cada um articulava seu destino no que poderia executar. ~ Infelizmente não tenho nenhuma especialidade ... O jeito é pegar o que sobrar.

O jovem de óculos se encarregou da parte de medicina e outro com engenharia, restando apenas eu e uma garota. ~ Pelo visto não sou o único. Encarei a jovem esperando o que ela diria. - Se esse cara não tiver nenhum conhecimento em especial, irei para o mesmo lugar que ele... Não tenho preferência nessa questão, então ter companhia na minha tarefa parece ser o mais agradável. E isso me incomodou pois realmente não sou a melhor para pessoa para ter de companhia.

Perguntei-me se isso pode ser um problema futuro, e a minha intuição cegamente disse que sim. - Sargento, posso lavar as fardas. Pausaria e tossiria formalmente. - Apenas não me enchendo o saco está tudo bem. Diria a moça sendo bem profissional. Assim que o sargento nos levasse lavanderia e nos deixasse, ligaria a máquina.- Vamos fazer o seguinte, eu lavo metade e você a outra metade. Okay? Se ela concordasse comigo me prepararia entrelaçando as mãos aquecendo-as para colocar a mão na massa, mexendo meu pescoço para os lados e estralando. E prontamente começaria minha tarefa.

Pegaria uma mangueira pequena por perto e conectaria a torneira do tanque da sala. Abriria a mesma e encheria a máquina de lavar, até que nesse intervalo pegaria o amaciante para despejar nela. Lavar roupa sem usar amaciante é tipo tomar banho sem sabonete, um verdadeiro banho de gato. Colocaria uma quantidade consideravelmente baixa, praticamente dois copos cheios e com a mão mexeria o produto na água. À medida que mexeria a água criaria uma coloração branca e espumas, preparando todo material para lavar.

Depois pegaria a metade da quantidade fardas que tivesse, deixando a outra parte para a garota, e uma a uma despejaria na máquina. Creio que não teria dificuldades em lava-las, afinal por ter morado esse último ano sozinho para o meu próprio preparo acabei aprendendo a lavar a roupa. Confesso que é uma tarefa entediante e nem das minhas preferidas, porém simples. Ficaria de olho na máquina para caso precisar de mais amaciante para realizar o processo, nunca fui bom com quantidade disso. Sempre mantive a linha de que se estivesse com bastante espuma é que estaria suficiente para lavar, além de também evitar a moça. Fico pensando qual é a graça de criar laços afetivos com as pessoas, duvido muito que eles reflitam a vulnerabilidade que é criada quando permite esses laços.

Um dos meus maiores medo é esse, por isso sigo na linha que meu pai ensinara. Caso a máquina não tiver um botão liga/desliga para encerrar a lavagem, deixaria um tempo razoável. Retiraria as fardas respectivamente, torcendo uma a uma com toda força, virando elas pelo avesso e automaticamente se tivesse no local penduraria elas em algum varal, deixando a vez da moça. Cada uma daquelas roupas postas no varal deixaria uma distância de 2 metros uma da outra. Terminado isso me manteria no canto da sala esperando ela terminar seu trabalho, refletindo sobre aquelas peças de roupa. Muitas vezes das quais lavei as minhas próprias fora pelo fato dos treinamentos que realizava, nos quais certas vezes acabava treinando 13 horas por dia meu boxe e principalmente agilidade. Isso demandava muito vigor físico e fôlego, consequentemente obtive uma melhora na rapidez de movimentos de luta. Como foram bons esses treinamentos! Por isso lavar as roupas as quais usava para esses treinos era um prazer, afinal todo aquele suor que ficava na roupa era resultado de um esforço incessante dedicado há anos.

O único problema que tive com isso durante esse tempo foi não ter habilidade com a minha mão esquerda, pelo fato de as vezes necessitar de agilidade ou precisão. Graças a isso encontrei um pouco de dificuldade em até tarefas simples, como mesmo lavar roupa.~ Ainda preciso treina-la para ser assim. Fechava esta mão com força. Para eu poder lutar com mais opções e estar mais confortável também, é viável eu ter afinidade com esta mão; Por causa disso um dos meus objetivos no qual marquei é treinar esta mão, e uma oportunidade dessas na Marinha só irá 'facilitar' esse meu treinamento. Quer dizer, a dificuldade provavelmente será maior por minha vida estar correndo risco, contudo essa é uma boa forma de instigar minha força de vontade para desenvolver esse lado, pois esses dois punhos logo trabalharão juntos para me defender e trazer justiça ao mundo.
Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Olá, Convidado seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Wander
Pirata
Pirata
Wander

Créditos : 11
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2013
Idade : 21
Localização : Não sei :D

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptyQua 07 Jun 2017, 23:17


- Sargento, posso lavar as fardas... Apenas não me enchendo o saco está tudo bem. - Roy respondia o oficial e logo em seguida falava com grosseria com aquela que o acompanharia em sua tarefa.

A garota deu de ombros com um olhar que revelava indiferença e disse - Que abusadinho você, hein... - Ela estava indo para o mesmo lugar que ele apenas para se livrar um pouco do peso da tarefa e, se necessário, também desejava poder ter alguém com o resultado tão ruim quanto o dela para que pudesse compartilhar a vergonha. Ela não declarava isso pois não tinha interesse no jovem boxeador e também por que era pessoa reservada.

Deixando isso de lado, todos os recrutas seguiram o instrutor. Roy e sua companheira de tarefa foram os primeiros a ficarem para trás, na lavanderia. Ao entrarem na sala, sentiram seus narizes serem invadidos por uma mistura tanto das fragrâncias dos produtos de limpeza quanto do fedor das fardas e cuecas sujas. O garoto tomou a dianteira e já começou a colocar em pratica limpeza das roupas. A garota, apesar de ficar relutante por causa do nojo que tinha daquele amontoado de roupa suja, também fez o mesmo.

Durante todo o progresso de lavar as roupas, ambos os novatos ficavam em silencio, ignorando a presença um do outro. Após algum tempo esperando as maquinas lavarem enquanto eventualmente regulavam o sabão, por fim começaram a estender as peças em alguns varais que tinham em uma sala ao lado da lavanderia. Eles tinham lavado mais de cem fardas então isso tinha sido o suficiente para lhes fazer suar.

- Recrutas? Vim aqui verificar como foi o andamento da ocupação de vocês... - O sargento chegava na sala pouco tempo depois deles concluírem a tarefa. Após uma breve verificação, ele declarava. - É o suficiente. Vamos à próxima etapa do exame...

Ao seguir o instrutor, Roy se juntaria aos outros dois jovens de óculos para andarem por dois corredores em sequencia para por fim chegarem em uma quadra coberta por um teto de metal. Jiron apertava um interruptor que fazia as luzes do lugar se acenderem. O lugar era grande e bem iluminado, contando com um circuito de corrida, aparelhos de musculação, bonecos de areia e vários equipamentos de treino.

- Presumo que ao verem tais equipamentos já saibam mais ou menos do que se trata essa etapa... Quero que treinem tendo a chance de usar as dependências para aprimorar a habilidade de vocês. Aqui eu verificarei a capacidade física de vocês, algo importante para agir como um soldados. - Sargento Beviore lançava essas palavras e por fim deixava os recrutas livres para escolherem seus métodos de treino.

____________________________________________________

Falas
Pensamentos
Esquizofrenia (Fantasia)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] |[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

RIP:
 

Titulo Internacional:
 

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Roy Collins
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Roy Collins

Créditos : 17
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 23/11/2012
Idade : 22
Localização : East Blue - Loguetown

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptyQui 08 Jun 2017, 02:02

Teste da Marinha - 02/03

Quando o Sargento Jiron nos deixou naquela lavanderia, o fedor entrou no meu nariz sem mais nem menos. Avassalador e nojento. ~ Sei que por treinarmos bastante nossas roupas ficam encharcadas, mas cara ... Isso não supera o que estou sentindo. Colocava minhas mãos a frente do nariz e respirava pela boca. Por mais que a lavanderia está com uma fragrância, esse fedor não tem como esconder ... ~ Também, com tanta roupa dessas para lavar é impossível. Rapidamente dei o pontapé nessa tarefa e logo após ela me acompanhou, por sorte não dialogamos e algo me dizia que ela ficou incomodada com a forma que falei, entretanto posso fazer o que? Cada um precisa se adaptar com as características do outro, é o jeito.

Sorte de aquela máquina ser boa e não demorar pra lavar as roupas, afinal tivemos que estende-las nos varais ainda. Organizei as fardas numa distância mínima de uma a outra, deixando as cuecas no outro varal pra separá-las e deixar mais prático para o uso depois. Ao terminar notei como essa tarefa me consumiu energia, minha testa e costas estavam totalmente ensopadas. ~ Bem que posso trocar de camiseta depois, afinal ainda tenho mais testes para realizar. E finalmente o sargento retornava já checando se cumprimos com a tarefa, não demorou nada e logo fomos instruídos. - É o suficiente. Vamos à próxima etapa do exame...

Acenei com a cabeça e segui o instrutor, tendo a companhia da moça e os outros dois. Se eles estão conosco é porque passaram e são bons, dando-me vontade mais ainda de esforçar-se pra conseguir essa vaga. Passamos por uma sequência de corredor a qual minha mente não memorizou, contudo no fim das contas chegamos a uma quadra coberta por um teto de metal. ~ Lugar maneiro. Pensava feliz com aquele espaço e ansioso para ver o que nos aguardava. De repente o sargento ligou o interruptor e todo ambiente iluminou-se e meus olhos arregalaram-se ao ver tanta coisa disponível para esse prédio, no caso, os marinheiros dessa ilha.

Presumo que ao verem tais equipamentos já saibam mais ou menos do que se trata essa etapa... Quero que treinem tendo a chance de usar as dependências para aprimorar a habilidade de vocês. Aqui eu verificarei a capacidade física de vocês, algo importante para agir como um soldado. Sem querer soltava um sorriso e batia minha mão direita contra a esquerda em forma de empolgação. - Hora de treinar essa minha esquerda. Dizia para mim mesmo preparando-se para treinar. Aqueceria meu corpo levando minha perna direita para trás para segura-la por alguns segundos, posteriormente fazendo isso com a esquerda. Rodaria minha cabeça para os lados levemente a fim de não ficar tonto e entrelaçaria novamente as mãos, esticando-as para cima e por fim estralaria com toda força.

Preparado para treinar começaria usando minha aceleração na pista de corrida e daria umas quatro voltas. O foco seria manter o ritmo veloz por um tempo para deixar o corpo aquecido e acostumado com a velocidade. Depois disso faria uma breve musculação levantando os halteres, repetindo os movimentos 15 vezes e numa série de três. Para não perder o fôlego total pausaria um pouco nos fins das series e em sequência voltaria na mesma pegada. Também procuraria pelo aparelho LegPress e se tiver, colocaria alguns pesos do lado, em torno de 15 kg e com bastante cuidado empurraria para cima e depois soltaria levemente, fazendo repetições de 10 numa série três. Feito isso descansaria alguns segundos e logo retomaria as atividades.

Após ter feito uma breve musculação com as mãos e pernas, partiria para o treino de luta. Treinaria meus punhos com aqueles sacos de pancada, intercalando cada soco com cada mão. Um direto de direita, outro com a esquerda e fazendo movimentos de acordo com a mão, isto é, me moveria para direita e aplicaria um direto de direita, moveria para esquerda aplicando um direto de esquerda. Deste modo usaria bem minha agilidade e pegaria também mais força nos golpes, algo que preciso principalmente para minha mão esquerda. Tentaria repetir esses movimentos até minhas pernas estarem um pouco bambas, sendo assim mostrando que eu preciso de um breve descanso novamente.

E por fim treinaria outra vez meus punhos, usando agora aquele saco pêra. O bom desse saco é que ele treina sequências de socos e a velocidade em que é feita, fazendo pegar mais firmeza e precisão neles. Intercalaria os socos e bateria nele com os ossos das mãos, com socos mais de lados e também aqueles frontais. Buscando sempre variar nessas posições, principalmente com a esquerda com o intuito de buscar mais afinidade nesses golpes com a mesma. Como não tenho nenhum pouco ainda de facilidade com esse punho provavelmente estes socos não farão tanta diferença, mas ao longo do tempo e com sequências vou poder aumentar a potência e a precisão dessa mão.

Só pararia esta sequência usando esse peso quando meus músculos dos braços começarem a enrijecer ou mesmo ficar dolorido, pois pode ser que haja mais algum teste para ser realizado. Então nesse momento sentaria em algum banco e procuraria alguma garrafa d'água para nutrir minhas energias hidratando-se, além de também colocar a respiração em ordem por ter feito esse breve e puxado treinamento. E por fim diria para o instrutor em alto e bom tom. - Feito senhor! Com a mão direita na cabeça em forma de continência. Aguardaria todas as instruções do sargento Jiron e manteria-se preparado para suas ordens.
Saco pêra:
 
Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Olá, Convidado seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Wander
Pirata
Pirata
Wander

Créditos : 11
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2013
Idade : 21
Localização : Não sei :D

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptyQui 08 Jun 2017, 16:14


Com o fim das palavras do instrutor, todos estavam livres para realizar quaisquer tipos de treinos que lhes viessem em mente. Roy especialmente ficou animado em fazer aquilo, talvez por que tinha ficado tanto tempo fazendo algo monótono. Ele se alongou e logo em seguida aqueceu seu corpo com uma corrida em volta do circuito para preparar seu corpo para uma sessão de musculação. Depois de tudo isso, ainda testou suas habilidades como boxeador, tentando aproveitar a chance para aprimorar sua destreza com a mão esquerda.

Enquanto isso, os outros recrutas também se esforçavam para mostrar suas capacidades. Olhando de relance, Roy veria que entre os jovens de óculos o que era mais esguio e alto treinava e demonstrava sua aptidão em combate a distancia enquanto o outro, que era mais baixo e corpulento, treinava sua agilidade e força simulando golpes com uma espada de madeira em um tronco com varias hastes. Já a garota demonstrava lutar com as pernas, aplicando chutes poderosos em sacos de areia.

Depois de muito esforço e suor, finalmente o Sargento Jiron chamava a atenção de todos elevando sua voz o suficiente para fazê-la ecoar pelo ginásio. Com isso, todos eles paravam seus treinos e seguiam até o centro da quadra, onde um tatame tinha sido montado no espaço livre - Muito bem. Todos mostraram ter boas habilidades... Vejo que se prepararam muito para poderem servir a marinha. Porém, para ter certeza que são capazes, teremos mais uma etapa prática... Quero que lutem comigo e com um soldado que convoquei até aqui. - Dito isso, Jiron se afastava  indo em direção aos equipamentos de treino enquanto uma figura desconhecida se aproximava. O soldado convidado pelo sargento era um jovem de baixa estatura, tendo apenas um pouco menos de altura em relação ao pequeno Collins.

- Esse é o soldado Kenji Katamoto, um exímio atirador. Se querem uma dica, não o subestimem... Quanto a mim... - Jiron vinha dizendo se reaproximando dos recrutas agora com um bastão em mãos. - Luto com bastões. Enfim, vão até os equipamentos e peguem armas de treino... São armas de madeira ou acolchoadas, em geral. Foram todas modificadas para os treinos, para diminuir um pouco a chance de ferimentos. Para atiradores, adaptamos as armas para disparar balas de borracha banhadas em tinta. Os disparos doem, mas não tanto quanto um tiro de verdade, é óbvio. Haha!  Inclusive minha arma e a do atirador aqui estão adaptadas, não se preocupem.

O instrutor aguardaria pela escolha das armas dos recrutas e, quando isso ocorresse, ele entraria em um posição de combate. - Então... Vamos começar? - Ele declararia, aguardando as ações dos novatos.




OFF: Quem disse que vão ser 3 posts de teste? Se eu quiser posso estender essa luta 1° Chapter - The Beginning of a Marine 2425898600

____________________________________________________

Falas
Pensamentos
Esquizofrenia (Fantasia)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] |[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

RIP:
 

Titulo Internacional:
 

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Roy Collins
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Roy Collins

Créditos : 17
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 23/11/2012
Idade : 22
Localização : East Blue - Loguetown

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptyQui 08 Jun 2017, 22:50

Teste da Marinha - 03/??

Durante o meu próprio treinamento pude observar os meus concorrentes praticando suas áreas, um lutando com uma espada de madeira e colocando bastante força no golpe, fora sua agilidade que realmente eu me identificava, afinal é uma coisa na qual eu possuo de diferencial. A garota aplicava chutes no saco de areia ao qual parecia estar sendo socado pela força que eles eram dados, realmente me surpreendendo. ~ Ela não é uma garota qualquer, pelo menos não será um peso em missão. E o outro rapaz de óculos que era o mais alto entre nós treinava a distância, este que sinceramente não conhecia mas parece bastante perigoso. ~ Pelo visto preciso colocar mais intensidade e qualidade, porque cada um tem suas particularidades. E continuava com força total e focado meus exercícios.

No fim das contas quando terminei estava completamente um caos. Suado, com os punhos um pouco dolorido por ter usado e também estranhando a dor no punho esquerdo. Como sou destro normalmente quando minha mão fica dolorida, quase sempre é a direita por usar mais. Agora ter a esquerda doendo é realmente diferente apesar de ser interessante. - É com a dor que a fraqueza sai do corpo. Abria e fechava meu punho esquerdo. De repente o sargento se pronunciava aumentando o tom de voz, explicando que teremos mais uma parte e esta será prática, numa luta contra ele e mais um soldado. - Ótimo, hora de provar com que mereço essa vaga. Meu coração batia mais forte do que antes, porque pelo menos dessa vez será contra os marinheiros mesmo. Eles vão nos testar com suas habilidades.

Ele apresentou o rapaz com ele como soldado Kenji, um excelente atirador. ~ Ótima oportunidade para ver como eles funcionam em campo de batalha. Apertava os olhos observando sua silhueta. E posteriormente o instrutor mostrava sua arma que era um bastão, bastante eficiente, mas que de certa forma me lembrava os espadachins, sendo a única diferença o bastão. ~ Bem interessante ... Duas armas perigosas que se eu não tomar cuidado poderei me ferrar. Em seguida seguiria para onde estão os equipamentos e procuraria por uma manopla, mesmo não sendo bom com a minha canhota vou colocar também pelo fato de vai que pela sorte eu consiga desferir algum soco num dos oponentes. Falando neles ...

Precisaria escolher em quem inicialmente eu focaria na luta, pois pelo que entendi não será lutas individuais e sim nós quatro contra os dois marinheiros. Confesso que minha vontade primordial é lutar contra o sargento Jiron, entretanto o fato do soldado Kenji ser atirador me intriga. Sou rápido e ágil, ele é bom em longa distância, mas se, por exemplo, eu tiver sucesso em aproximar dele praticamente ele ficaria bem vulnerável, além de poder ter uma experiência em lutar com pessoas nesse estilo. Por isso quando todos meus outros 'companheiros' estiverem juntos se pronunciaria. - Então, não sei mais alguém vai lutar contra o soldado, mas eu vou ir direto no Kenji porque sou rápido, então basicamente vou precisar desviar e aproximar-se dele. Tossiria tentando disfarçar a facilidade que demonstrei falando, como se essa tarefa fosse fácil. - Assim que der, ajudo com o sargento Jiron.

Voltaria para perto dos adversários e mais uma vez estralaria meus punhos aquecendo-os novamente, desta vez para um combate sério. Ficaria numa certa distância para poder ter espaço para desviar dos ataques e usaria minha visão aguçada para procurar alguma fragilidade, isto é, algum ponto em que meus ataques possam ferir com mais impacto; Na região do peito, no abdômen ou mesmo no braço em que ele esteja com a arma em mão. Presumindo pelo seu tamanho que não é diferente do meu, pode ser que ele seja ágil como eu e dificulte a minha chegada nele, por isso minha chance sempre será no contragolpe. No momento que ele atacar preciso desviar e já partir pra cima tendo o objetivo de deixá-lo sem reação e consequentemente não ter velocidade.

No momento em que fosse dado o inicio da luta me moveria pro lado direito usando minha aceleração para caso ele tente acertar algum tiro. Procuraria ficar um pouco afastado da outra luta para obter mais espaço e assim poder ter mais campo para desviar dos tiros. Em seguida correria em zigue-zague usando minha agilidade para esquivar de qualquer tiro e a aceleração, até que quando chegasse bem perto do Kenji, tentaria intimidá-lo fazendo uma expressão furiosa com foco para tirar sua concentração do próximo movimento e rapidamente saltaria, aumentando a pressão do soco direto de direita na área em que estiver mais vulnerável. Caso ele consiga desvencilhar ou mesmo bloquear, rolaria para o lado oposto ao que ele estiver e com a aceleração pegaria impulso flexionando meus joelhos e partiria para cima dele atacando com um cruzado de direita na sua face.

Se por acaso acertar e de certo modo desconcertar ele por alguns segundos, arriscaria uma sequência de um direto de esquerda na mão que estiver empunhando a arma para tentar tirar sua arma. Apesar de não ter facilidade alguma com ela, preciso treinar esse punho e praticar num teste sério seria de bom proveito, independente de qual seja o resultado. No entanto caso chegue a falhar algum desses ataques, recuaria com saltos em diagonal para trás tentando trazer ele mais para perto e procuraria ir para baixo de algum feixe de luz. Estando debaixo de algum foco de luz, saltaria outra vez e procuraria não tampar a visão do Kenji para assim o reflexo da luz pegar em seu rosto e na mesma hora usaria a visão aguçada buscando qualquer parte em que ele esteja mais frágil e vulnerável, além de tentar intimidar-lo novamente com um breve grito. - AAAAAHHH TOMA!!! Aplicando o soco de direita nessa região mais frágil e vulnerável.

Dando certo essa investida, cairia no chão rolando para frente e em sequência outra vez usaria minha aceleração e correria em zigue-zague novamente até chegar bem próximo a ele, aplicando um direto de direita no estômago forçando seu rosto para baixo e tornando-o mesmo debruçado. Mover-me-ia um pouco pro lado saindo da área de risco de tiro e com o braço esquerdo aplicaria uma cotovelada em suas costas. Em seguida socaria com a mão direita a região do seu punho em que empunha arma quantas vezes fossem possíveis, para desta forma tentar inutilizar este membro e tornar quem sabe a luta vencida por minha parte. A qualquer momento de reação inesperada dele buscaria pular para o lado oposto ao do soldado e criar mais espaço na luta para qualquer esquiva, mantendo a visão aguçada também a fim de observar a luta do Sargento, precavendo-se de qualquer infortúnio por parte dele.
Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Olá, Convidado seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Wander
Pirata
Pirata
Wander

Créditos : 11
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2013
Idade : 21
Localização : Não sei :D

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptySex 09 Jun 2017, 23:06


Roy seguia até os equipamentos e tomava posse de uma manopla de treino feita de pano acolchoado com partes de madeira localizadas nas costas da mão e do antebraço, assim dando mais conforto caso ele tente usar bloqueios. Além disso, o garoto via todos escolherem suas armas. O recruta maromba de cabelos pretos pegava uma espada de madeira, o alto e esguio atirador pegava um revólver simples e a garota de cabelos longos se equipava com uma bota grossa que cobria grande parte de sua canela.

- Então... Se vamos nos juntar nessa luta, seria bom sabermos os nomes uns dos outros para facilitar a comunicação. Me chamo Arnold e esse espadachim malhado aqui é meu irmão, Ernest. - O atirador esguio falava, tentando quebrar um pouco da barreira de silencio que existia entre todos aqueles recrutas desde a sala de espera.

- Me chame de Joana...

Roy pulava essa parte de apresentações para passar para todos os seus aliados como ele se comportaria nessa batalha.

- Nesse caso, ficarei de longe dando apoio em ambas as lutas.

- Eu darei trabalho ao sargento, ou ao menos tentarei atrasá-lo.

- Eu não faço ideia do que irei fazer, mas me adaptarei às necessidades.

Todos faziam o mesmo que o recruta Collins e declaravam seus planos entre si, para que todos ficassem informados.

O boxeador seguia de volta para o tatame e então começava a analisar seus oponentes em busca de fraquezas. Visão aguçada ou normal, não se encontrava nada de muito revelador apenas com uma observação... O mais chamativo que Roy encontrava era o tamanho do atirador, mas isso seria uma fraqueza ou uma vantagem? Já o Sargento, parecia ser alguém normal, com um físico bem trabalhado. Como alguém bruto e com conhecimentos voltados apenas para a porradaria, Roy não tinha basear suas especulações sobre pontos fracos nos corpos, então essa ação para ele seria algo mais intuitivo do que racional. Ele pode saber, por exemplo, que levar um chute no saco doí pra caramba, já que ele tem ao menos bom senso.

Quando todos estavam no tatame e já prontos e lado a lado, deixando a dupla de oficiais logo em frente ao quarteto de novatos, Jiron bateu o bastão no chão e exclamou. - Vamos começar!

Como haviam combinado antes, Ernest teria o sargento como oponente e, por isso, correu habilidosamente até ele, brandiu a espada e desferiu um poderoso golpe, que parou ao se chocar violentamente com o bastão. Essa movimentação foi capaz de assustar de certa forma o Beviore, mas ele não perdeu a compostura e usou sua força para retaliar, empurrando o espadachim e assim fazendo ele perder o equilíbrio para que ele tivesse uma brecha para mexer seu bastão de forma a alvejar a canela de Ernest. - AH! - Ernest gritou ao receber a pancada na perna e recuou alguns passos, sem abaixar sua espada.

Enquanto isso, Joana chamava a atenção do atirador, ameaçando ir para cima dele. Ela tinha uma ótima agilidade e uma impressionante habilidade de esquiva, o que lhe permitia evitar os tiros disparados em sua direção com maestria.

Durante a distração da garota, nosso pequeno boxeador corria pelo flanco direito do tatame de forma a evitar tudo e todos, querendo ter a oportunidade de chegar ao seu alvo. E então chegou o instante que Roy finalmente chegava a alguns passos até a parte de trás de onde Kenji se encontrava. Nesse momento, a taekwondoca notava que o Sargento Jiron estava evitando Ernest para seguir até seu companheiro atirador para prestá-lo apoio e, por isso, correu em sua direção para interceptá-lo. Com isso, Jiron tinha que lidar com a espada de madeira que ocupava sua atenção para que pudesse bloquear com o bastão e também com os poderosos chutes da garota.

Voltando a situação de Roy... Agora que o atirador não tinha mais a garota em sua cola, ele pode finalmente perceber a aproximação de Collins, tentando espantá-lo com tiros. O boxeador movia-se em zigue zague e com isso conseguia evitar os projeteis enquanto mostrava um rosto furioso, tentando assim desestabilizar o atirador. Nesse momento, Kenji cessava seus disparos e até mesmo abaixava a arma, mas não parecia ter se abalado com a tentativa de intimidação por parte do seu oponente, muito pelo contrário. Aparentemente ele estava tentando provocar Roy com essa atitude.

Mesmo diante disso, o boxeador não parou sua aproximação. Por isso, não demorou para que a tentativa de ataque de Roy se realizasse, com ele pulando em direção ao atirador e direcionando seu punho para o rosto dele em uma tentativa de golpeá-lo. Kenji contraiu seu corpo, curvando suas costas e assim fazendo a cabeça sair da trajetória do ataque de Roy.

Vendo que seu ataque havia falhado, o boxeador estava prestes a pousar fazendo uma cambalhota para rolar para longe, mas sentiu um solavanco. Kenji usou uma das mãos para agarrar o tornozelo de Collins, o que o fez cair de cara no chão, com as costas viradas para cima.

- Não sou tão lerdo assim, garoto. - Kenji estava pronto para soltar uma rajada de tiros em Collins, mas foi surpreendido por uma força repentina que o fez desviar a arma de sua mira. Eram os tiros do companheiro atirador do boxeador, que obrigaram Kenji a recuar usando pulos em zigue zague depois de errar quase todos os tiros que desejava acertar em Roy durante a abertura que forçou na defesa dele. Enquanto desviava dos tiros do atirador recruta, Kenji recarregava sua arma, jogando para longe o cartucho de balas vazio.

Mesmo com a ajuda de Arnold, Roy ainda havia recebido dois tiros em seu peito, o que era claro graças as manchas de tinta em sua camisa. Agora livre para se afastar, o jovem boxeador usava de pulos para aumentar sua distancia com o atirador, esperando que ele o seguisse... Mas Kenji não demonstrava nenhum interesse em se aproximar, então essa escolha do Roy não tinha sido muito inteligente.

A luta prosseguia, com o sargento Jiron segurando Joana e Ernest ao mesmo tempo e com Kenji em vantagem de distancia em relação ao Collins. Como nosso jovem boxeador contornará tal situação? Quais serão suas ofensivas? Ou será que ele tentará um plano de batalha novo?




OFF: Qualquer dúvida ou contestação, manda no skype.

____________________________________________________

Falas
Pensamentos
Esquizofrenia (Fantasia)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] |[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

RIP:
 

Titulo Internacional:
 

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Roy Collins
Estagiário Orientador
Estagiário Orientador
Roy Collins

Créditos : 17
Warn : 1° Chapter - The Beginning of a Marine 10010
Masculino Data de inscrição : 23/11/2012
Idade : 22
Localização : East Blue - Loguetown

1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine EmptySab 10 Jun 2017, 21:58

Teste da Marinha - 04/??

Achei uma manopla diferente das que já vi, muito pelo fato dela ser de treinamento. Esta com um pano com partes de madeiras nas costas da mão e do antebraço, interessante e diferente. Apertei meu punho para sentir o conforto e além disso percebi a leveza dela, na qual sempre apreciei nas armas. Nunca fui muito com armas aparentemente robustas mas quando usadas pesadas, elas acabam tirando a estabilidade dos ataques e diminui as chances de acertar um golpe por causa do peso. Gostei bastante da arma. Em seguida os meus companheiros se apresentaram e colocaram cada um seu plano em prática, visto que não fui o único. O atirador e espadachim Ernest e o atirador Arnold eram irmãos, provando o fato deles possuírem boas habilidades. A menina era Joana e em seguida falei o meu plano, tornando-me o único a não falar quem é.

Aparentemente lutarei contra o atirador Kenji tendo o suporte do Arnold, deixando-me na verdade numa verdadeira encruzilhada. De um lado posso tomar tiro, do outro também posso tomar tiro. ~ Boa sorte meu caro. Pensava comigo mesmo tentando me reconfortar com essa ideia que de certa forma me dava um receio. Apesar disso poder ser um problema por ter mais probabilidade de tomar tiro, vou poder observar melhor esse estilo e talvez até aprimorar minha percepção no que poderei me beneficiar nas esquivas e ataques. ~ É o que pretendo. Seguimos ao tatame e infelizmente não consegui observar nada que eu pudesse considerar vulnerável. Apertei meus punhos e cerrei os olhos nervoso pelo desafio que estava a participar, terei que ir totalmente pela minha intuição. ~ Você tem de conseguir cara, honra essa sua tatuagem de família!

Lutar contra oficiais marinheiros é um nível totalmente diferente do que lutar com um civil normal. Normalmente quando lutei com pessoas sem status ou mesmo iniciantes elas costumam vacilar em pequenos detalhes, esquecem de levantar a guarda num ataque ou ficam desfocadas. Infelizmente dessa vez eu acabei vacilando, que erro. Talvez pelo fato de achar que por ser apenas um soldado fosse mais fácil, mas realmente aquele atirador me provou o contrário. O cara me deu um baile de esquiva ao qual me deixou furioso, não com ele por causa disso, mas comigo mesmo.

Comecei bem desviando de seus tiros usando de minha agilidade, o que veio a seguir demonstrou como fui infantil. Realmente subestimei sua agilidade e aproveitando da distração da garota a qual ganhou minha admiração por ser habilidosa, fui contra Kenji e por alguns segundos acreditei que a luta estaria para acabar logo de inicio. Ingênuo! De repente ele notou minha presença e interrompia seus tiros abaixando sua guarda, mostrando-se bem confiante com sua defesa e assim com um pulo apliquei o soco, porém usando de toda sua agilidade e de certo modo leveza, apenas curvou-se para trás e me deixou no vácuo. Tive de improvisar uma aterrisagem para não me machucar e tentei dar uma cambalhota, entretanto o jovem tomou meu tornozelo e por causa disso tomei um capote de cara no chão. Droga!!! Dizia furioso de como fui besta em ir tão seco desse jeito.

- Não sou tão lerdo assim, garoto. Ele me advertia mostrando que ele não era besta mesmo. Voltei-me a ele e logo ele estava pronto para me dar uma rajada de tiros, quando por sorte do destino Arnold me deu um suporte metendo bala no Kenji. Olharia para ele brevemente e se ele olhasse de volta, com um aceno de cabeça positivamente agradeceria a ele e levantaria mais uma vez, notando que tomei 2 tiros. - Não vou vacilar outra vez! Falaria em voz baixa para me motivar e preparando para o contra-ataque. Até onde me lembro eu desviei dos tiros no meu ataque, se algum passou despercebido eu lamento muito, ou quem sabe no ato de defesa do Arnold ele acertou sem querer em mim.

~ Terei que ataca-lo melhor dessa vez, prevendo uma reação das suas próprias defesas. Avaliava rapidamente como ele tentou me atacar, desviando e logo dando o contragolpe. Olhava pro meu antebraço e as costas da mão. ~ Isso pode ser bem útil. Mais uma vez usaria minha aceleração e correria contra o atirador, pronto para desviar para o seu lado oposto caso ele tente atirar; Na possibilidade de o ângulo dele estar muito bom para atirar e esse movimento para o lado não for viável, pularia um pouco acima de sua cabeça (não tanto como no último) e mandaria outro soco direto na sua face. Como o Kenji tem uma agilidade muito boa é provável que ele consiga desviar nesse primeiro ataque e já se prepare pro contragolpe, tendo essa ideia, deixaria meu antebraço preparado para onde quer que ele desvie eu já aplique uma sequência usando as costas da mão na sua própria face procurando desnorteá-lo.

Certo é que as costas da mão e o antebraço pode facilitar um bloqueio, contudo eu nunca treinei nada de bloqueio e por isso é melhor não vacilar. Caso o ataque for realizado com sucesso, pularia levemente pra trás dando espaço para meu companheiro ataca-lo, já flexionando meu joelho e posteriormente abusando de minha aceleração e agilidade correria na direção contrária a que estiver sua arma para dificultar seu contragolpe, se ele estabilizar-se para seu ataque, outra vez correria em zigue-zague e quando chegasse próximo a ele atacaria de baixo à cima usando mais uma vez as costas da mão diretamente no seu queixo. Sobretudo na possibilidade dele conseguir escapar, desta vez usando a acrobacia pularia dando a volta nele e ao mesmo tempo se aproximando, até que quando chegasse próximo as suas costas atacaria com toda força um soco no meio das suas costas.

Acertando ou não em suas costas usaria minha visão aguçada para observar onde está o Arnold, para assim abrir ângulo pro meu colega descer bala. Desvencilharia indo ao contrário da direção do adversário e através da minha aceleração e agilidade, correria para algum lugar com relevo mais alto. Se não houver, ficaria mesmo por perto do inimigo tentando ficar em alguma região em que ele não esteja observando e nessa chance declinaria meu corpo para frente e daria um impulso para frente focando acertar um cruzado de direita na costela mais fácil de acertar. Se ele tentar bloquear ou esquivar, rolaria para o lado contrário evitando ele me acertar num contragolpe com tiros.

Caso ele pegue meu tornozelo novamente ou outra parte do meu corpo para me inutilizar e atacar, revidaria com meu antebraço diretamente no seu estômago, sequencialmente engajaria um soco na mão em que estiver empunhando a arma para tentar tira-la. Errando o golpe, jogaria minha perna direita pra trás e guardando a força, iria para cima no lado contrário da arma e meteria um soco cruzado no seu peito. Como não deixaria ele se distanciar nesse ataque, se ele conseguir preparar-se para atirar em mim, curvaria minhas costas para trás e jogaria minha cabeça levemente para o lado tirando seu ângulo de tiro e no contragolpe declinaria meu corpo para frente e aplicaria um soco com as costas da mão no seu peito.

Buscando manter mais focado dessa vez a esquiva, saltaria algumas vezes para trás mantendo a distância do atirador e assim tendo uma visão melhor de como ele está. Usaria minha visão aguçada e procuraria onde ele esconde seus cartuchos, seja nos bolsos da calça (se ele estiver usando) ou short, na camisa, jaqueta e tudo que for possível enxergar. Quando achar onde ele capta esses cartuchos, diria ao Arnold. - Me dá cobertura cara! Correria em diagonal contra ele e dessa vez caso ele atirasse rolaria para frente procurando desviar do tiro até chegar nele e se possível, estando perto dele, daria um gancho no bolso que estiver os cartuchos tirando o quanto der dali de dentro.

Desvencilhando do meu golpe, jogaria meu corpo para o lado oposto e ele estando preparado para meter bala em mim, deixaria meu corpo e a cabeça abaixo de sua mira e meteria um cruzado na sua face. Dessa vez não daria chance dele respirar e logo em seguida com um impulso para frente socaria seu estômago forçando a deixa-lo de costas para cima, com brutalidade cotovelaria o mesmo na região das costas. Com rapidez pisaria em uma das suas mãos e logo aplicaria um soco no seu punho tirando sua arma. E por fim voltaria a distanciar dele e aguardaria seu próximo ataque, rolando em direção ao lado contrário dele se for preciso para esquivar-se.


Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Olá, Convidado seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty
MensagemAssunto: Re: 1° Chapter - The Beginning of a Marine   1° Chapter - The Beginning of a Marine Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
1° Chapter - The Beginning of a Marine
Voltar ao Topo 
Página 1 de 3Ir à página : 1, 2, 3  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Shells Town-
Ir para: