One Piece RPG
Don Reed’s Wayne XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Shaanti Mochan
Don Reed’s Wayne Emptypor GM.Furry Hoje à(s) 8:21

» Alipheese Fateburn
Don Reed’s Wayne Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 7:59

» Evento Natalino - Amigo Secreto
Don Reed’s Wayne Emptypor ADM.Tonikbelo Hoje à(s) 5:17

» Nox I - Loucura
Don Reed’s Wayne Emptypor Jin Hoje à(s) 3:32

» Kime's here
Don Reed’s Wayne Emptypor Kimerado Hoje à(s) 1:35

» I - Conhecendo o mundo
Don Reed’s Wayne Emptypor Bijin Hoje à(s) 1:15

» Teleton Chronicles I: Retaliação
Don Reed’s Wayne Emptypor Sakaki Ontem à(s) 22:46

» [FP] Kozuki Orochi
Don Reed’s Wayne Emptypor Akagami Ontem à(s) 21:30

» あんみつ - Anmitsu
Don Reed’s Wayne Emptypor Skÿller Ontem à(s) 21:27

» [ficha] Hinata Bijin
Don Reed’s Wayne Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 20:02

» Hinata Bijin
Don Reed’s Wayne Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 20:01

» Bizarre Adventure: Smooth Criminal
Don Reed’s Wayne Emptypor Achiles Ontem à(s) 18:41

» [KIT - Morgiana]
Don Reed’s Wayne Emptypor Jinne Ontem à(s) 18:15

» Desventura 3.5: O treino para Grand Line
Don Reed’s Wayne Emptypor Bijin Ontem à(s) 17:23

» Apenas UMA Aventura
Don Reed’s Wayne Emptypor Van Ontem à(s) 13:01

» Sétanta
Don Reed’s Wayne Emptypor Lancer Ontem à(s) 11:51

» O Legado Bitencourt Act I
Don Reed’s Wayne Emptypor Ineel Ontem à(s) 7:43

» Le voleur de coeurs - Un conte
Don Reed’s Wayne Emptypor Jin Ontem à(s) 3:01

» [MINI-Ichizu] O Aprendiz de ferreiro
Don Reed’s Wayne Emptypor TheJoker Ontem à(s) 2:20

» Bastardos Inglórios
Don Reed’s Wayne Emptypor Sunken Ontem à(s) 1:38



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG

Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


Compartilhe
 

 Don Reed’s Wayne

Ir em baixo 
AutorMensagem
Buggy
Coringa
Coringa
Buggy

Créditos : 16
Warn : Don Reed’s Wayne 10010
Masculino Data de inscrição : 30/07/2015
Idade : 22

Don Reed’s Wayne Empty
MensagemAssunto: Don Reed’s Wayne   Don Reed’s Wayne EmptySeg 10 Abr - 11:28

~ PESSOAL ~


Nome: Don Reed’s Wayne
Idade: 23
Altura: 1,70 m
Peso: 69 kg
Mão predominante: Ambidestro
Sexo: Masculino
Raça: Humano
Tamanho/Espécie: Normal
Origem: Yakira Town – West Blue
Localização: Lvneel – North Blue
Grupo: Caçador de Recompensas


~ O Player Desistiu do Personagem ~

~ EXTRAS ~


APARÊNCIA: Um homem de altura mediana, não muito alto, e não muito baixo, possui um estilo bem cowboy com roupas características, por baixo cores neutras, alguns dizem que é por que seria uma ótima camuflagem urbana, por cima uma espécie de manto vermelho com detalhes brancos, desgastado pelo o tempo de uso e com algumas remendas. Por cima do manto, é utilizado um cordão, que faz questão em mostra-lo, não se sabe o motivo, estilo talvez? Por cima da calça, usa uns adereços como um sinto de guarnição e 2 coldres no mesmo, para guardar seus revolveres e munições, deixando a mostra, as vezes ajuda de evitar encrenca com arruaceiros. Seu maior é orgulho é o chapéu, usando desde sempre, e o mesmo carregando algumas marcas de batalhas(cortes), ele é tão apegado com esse chapéu marrom, que acredita que é algo que já faz parte dele. Possui cabelos relativamente grandes, que vai até o pescoço, uma barba curta, porem, combina com o mesmo. Já a cor de seus olhos, não se sabe ao certo, e todos aqueles que viram, não estão vivos para contar. Mostra seus olhos apenas aqueles que conquistam sua plena confiança, porém mesmo assim não se sabe dizer ao certo, pois a sombra do chapéu sempre cobre a cor dos seus olhos, nunca a revelando.  

PERSONALIDADE: Don não é simplesmente um cara, ele é O cara. Ele se considera uma lenda viva, um verdadeiro cowboy invencível como nos contos de sua mãe. Mantendo sua promessa viva, procura sempre ir atrás dos seus objetivos mesmo que tenha que morrer para cumpri-los. Sua sutileza e seu jeito único faz com que sua primeira impressão causada seja realmente... Inusitadas. Carrega seu chapéu como se fosse um tesouro e não confiaria o ninguém. Ele é um simpático solitário, não se importa de criar laço, porém não dá sua confiança facilmente. Segue sempre suas promessas até a morte, mas faz de tudo para sobreviver, se considerar uma pessoa seu parceiro, pode se considerar sortuda, terá o lendário cowboy Don para salvar sua pele. Mantem-se sempre determinado a cumprir sua palavra e realizar ações, feitos heroicos apesar de ser excêntrico, o cowboy também carrega consigo um bom humor e determinação.

HISTÓRIA:  Don Reed's Wayne.

Guardem esse nome, ainda será lembrado por todos os continentes, o que me faz ter certeza disso? Bom, por onde posso começar?
Nascido em Yakira Town, uma terra pobre e traiçoeira, teve uma vida mais difícil do que a maioria. Acabou tendo que fazer coisas das quais não se orgulha muito, afinal, o que podemos esperar de alguém que... Literalmente nasceu em meio ao deserto? Don teve uma infância pobre, seu alimento era o que seu pai conseguia caçar, seu pai era um exímio atirador, possuía habilidades natas, habilidades essas desconhecidas pelo povo de Yakira Town, seu pai vinha de fora dá cidade, o mesmo nunca havia revelado nem a sua mulher, mãe de Don.

A vida de uma criança no deserto não é uma das melhores, constantemente corria risco de vida, ele precisava ser forte o tempo todo, lutar por sua sobrevivência, mas como as coisas precisam ser equilibradas, Don também tinha seus momentos de conforto, momentos esses que era quando passava ao lado de sua mãe, uma mulher linda e humilde, com um olhar penetrante que cativava qualquer pessoa, ele acreditava ser os olhos mais bonitos do mundo, mesmo que aos 15 anos nunca tivesse tido contato com outras pessoas fora seus pais, ele tinha isso como a maior verdade de sua vida.

Sua mãe, sabia a dura realidade na qual eles passavam, e buscava ao máximo ser o conforto de seu filho, todas as noites contava histórias de cowboys e suas incríveis aventuras, ela os representava como pessoas intocáveis e inigualáveis, dizia que precisavam apenas de um chapéu, revólver e um bom whisky. Don amava aquilo, era sua mãe que todas as noites o dava forças para continuar no dia seguinte, e era o seu pai, que ensinava como usar essa força dia após dia, seu pai o ensinou a atirar cedo, o jovem mostrava muito talento com  armas, conseguia atirar em alvos a distância que nem seu pai conseguia enxergar, foi ai que descobriu que ele havia nascido com uma visão sobre humana, começava a  se sentir um cowboy, ele amava aquilo, e adotou esse estilo para sua vida, transformando-se em megalomaníaco, pois ao se sentir um cowboy acreditava ser alguém como nas lendas que sua mãe contava.

O tempo foi passando, e Don seguia levando sua vida normalmente, como de praxe, misteriosamente seu pai começou a fazer uma espécie de "abrigo" subterrâneo em baixo da casa, isso instigou a curiosidade do jovem, não sabia o por que de aquilo tão repentinamente mas apenas ignorou e deixava seu pai trabalhar enquanto ficava ouvindo histórias contadas por sua mãe.
Tempos depois, no seu aniversário de 17 anos, seus pais lhe deram um chapéu marrom que desde então o mesmo nunca deixou de usar, embora com toda dificuldade, Don se encontrava no melhor momento de sua vida, mas...  As coisas nem sempre são tão belas quanto parecem. O sol insuportável, e a pequena casa em torno de toda aquela areia, tudo parecia que era apenas mais um dia normal, como todos os outros a qual buscavam sobreviver no meio do deserto, porém, o mormaço que exalava das areias aquecida por um sol escaldante escondia algo que... Ninguém imaginária, ainda mais um rapaz inocente que se encontrava no fundo de casa, atirando em garrafas que estavam mais ou menos a uns 10 metros de distância, sua mãe preparava o almoço, seu pai descansava, já que teria terminado o abrigo a alguns dias.

Don recarregava seu revólver após terminar seu treino diário, entrou em casa, sentou-se e se encostou na parede, o almoço já estava quase pronto, Don e seu pai esperavam ansiosos. Repentinamente, a pobre família ouve sons de correria e gritos, junto ao som de disparos isso ocorria em torno dá casa, eles estavam cercados, aparentemente tinha uns 10 homens em torno dá casa, o líder do bando gritava pelo pai de Don, mandava ele aparecer, sua mãe se encontrava muito assustada com medo do que pudesse acontecer ao jovem rapaz, enquanto o mesmo não demonstrava nenhuma emoção de temor em relação aquela situação, afinal... O que poderiam fazer contra um cowboy?  Era o que Don acreditava. O homem continuava em frente a porta, gritando feito um louco para que o pai de Don aparecesse, ao que parece, eles tinham assuntos pendentes.

O pai de Don mandou sua mulher e o jovem entrar no abrigo e se esconderem, ele iria resolver tudo sozinho, claro que seu filho se recusou, afinal... Ele era um cowboy intocável, e não era 10 homens que iriam detê-lo... Don saca a arma e dispara contra a porta acertando o líder que se encontrava do outro lado, o mesmo caí ao chão enquanto estribucha agonizando. Após esse acontecimento, o silêncio reinava, apenas se ouvia o som do vento sobre as areias e entrando pela casa.  Um dos homens, indignado, abre fogo sobre a casa,  em seguida, todos fazem o mesmo, enquanto a  casa é alvejada pelos supostos "criminosos", o pai e a mãe de Don pulam para cima do garoto, servindo como escudos humanos, ambos são atingidos, exceto o jovem, sua mãe, acabou levando mais tiros que seu pai, o pai de Don indignado e com uma incontrolável fúria no olhar não pensa em mais nada, apenas... VINGANÇA. Quando param de atirar o destemido homem sai velozmente pela a porta, com duas pistolas, atirando em todos os homens, ao mesmo tempo sendo alvejado por aqueles que recarregaram a tempo, nunca havia se visto tamanha resistência, um homem que só caiu após derrubar todos os outros.

Don se encontrava encarando sua mãe deitada aos seus braços, vendo os últimos momentos de sua amada mãe, a mesma querendo que seu filho permanecesse sempre forte, falou para ele:
-Nunca se esqueça de que eu te amo, meu filho. Lembre-se meu pequeno cowboy, "viva eternamente, ou morra tentando"-
Essa foi a única coisa que sua mãe lhe deixou, a vontade de arriscar tudo para ser eternizado. Ficou com sua mãe até seu último suspiro.

Don ainda tentando aceitar aquela realidade, encontrava-se mergulhado em seus pensamentos, logo o mesmo lembrou-se de seu pai, que saiu tempo antes atrás de vingança, levantou-se e seguiu saindo de casa em busca de seu pai, encontrou vários corpos caídos ao chão, procurava pelo seu pai imaginando que ele já estaria morto, afinal, nenhum homem batalha com outros nove sem levar alguns tiros. Mas chegando ao corpo de seu pai, viu que ele ainda estava vivo, e seu pai com suas últimas forças o instruiu a ir para o abrigo que ele havia preparado para essas situações de emergência, também disse que lá encontraria tudo que precisaria para sobreviver, junto com isso informações sobre o que ele deveria fazer daquele momento em diante, incluindo informações sobre a vida passada de seu pai, a força de seu pai havia acabado e ele havia morrido. Após algumas horas de luto por seus pais, ele começou a seguir as instruções de seu pai e foi para o abrigo e começou a estudar todo o material que seu pai havia deixado, além disso uma das sugestões de seu pai nos cadernos deixados pra ele, dizia que ele precisaria sobreviver por 1 ano sozinho no abrigo e mais 1 ano no deserto, só depois desse período ele poderia iniciar sua jornada pra fora do deserto em direção a cidade.

Durante esse período de 1 ano, Don, passou a maior parte do tempo aprimorando suas habilidades, fazendo treinamentos para melhorar seu físico e estudos sobre técnicas de navegação no abrigo. Seu pai, prevendo o que poderia acontecer, havia deixado suprimentos suficientes para o tempo de 1 ano, onde ele teria que racionar a comida em 3 refeições e em uma quantidade relativamente pequena. Logo após isso, Don, não viu outra alternativa para alimentar-se bem, a não ser a de adicionar a sua dieta a carne de algumas pessoas que foram mortas em sua casa, fazendo com que sua dieta diária fosse mais completa. Como possuía muito tempo livre, ele começou a escrever muito sobre cada dia no abrigo, desenvolvendo assim com o passar de algum tempo a habilidade de ser ambidestro, ou seja, ter naturalidade e perfeição de movimentos com as duas mãos.

Passados 8 meses desde o início do período de 1 ano, Don, só não estava com sua sanidade abalada, pois por ser megalomaníaco, ele acreditava ser inabalável, ou seja, nem a solidão por tanto tempo abalou sua sanidade mental. Faltavam apenas 4 meses para sua partida para viver mais 1 ano isolado no deserto. Então, tirou esses quatro meses para estudar sobre a história de seu pai, para que assim, depois do período que seu pai falou de 2 anos, pudesse entender seus passos.

Durante o estudo sobre a antiga vida de seu pai, ele descobriu que seu pai era um caçador de recompensas/mercenário muito talentoso, de onde viria sua grande habilidade com caça e tiro ao alvo. O pai de Don também era procurado por outros mercenários, pois depois de um último serviço como mercenário, ele resolveu se aposentar, mas esse tipo de decisão não era bem aceita por outros mercenários, devido a habilidade que ele possuía, o que era muito vantajoso para os outros mercenários que eram seus superiores. Após se aposentar, o pai de Don fugiu para uma ilha que tinha poucos habitantes, onde a chance de ser encontrado fosse muito pequena, essa ilha era Yakira Town.

Depois de algum tempo na cidade, ele conheceu uma bela mulher, na qual ele se apaixonara. Essa mulher era a mãe de Don. Depois de confirmada a paixão de ambos, o pai de Don chamou sua amada, para viverem juntos no deserto, ele não explicou o motivo de tal decisão, apenas disse que era o mais seguro a se fazer, e ela, como estava muito apaixonada, não pensou duas vezes em segui-lo, indo assim, os dois morarem juntos no deserto da ilha ao redor da cidade. Após alguns meses a mãe de Don já estava grávida dele, o que levaria assim a história a qual conhecemos.

Um ano passou, Don finalmente saiu do abrigo, sua saída não foi tão fácil, pois assim que abriu a porta, o forte clarão da luz solar  incomodou bruscamente sua visão, logo viu que tinha algo de "errado", sua visão havia se acostumado a penumbra, algo que ele tiraria a prova ao anoitecer. Don começa reparar ao seu redor, sua mente é invadida por lembranças, lembranças essas que deixarão o mesmo em uma espécie de transe, apesar de tudo, são cenas fortes! Porém, Don lembra de sua mãe, e a frase dita a ele: "Viva eternamente ou morra tentando". O mesmo decide seguir em frente, nunca abandonaria suas origens, mas algumas coisas precisam ser deixadas para trás, ainda mais, quando se tem uma longa jornada a seguir pelo deserto antes de ir a cidade, o que não seria muito difícil para ele, sendo que o  mesmo já era acostumado a viver nesse meio. Don decide começar o quanto antes, mas para isso, ele precisa se libertar de uma parte que ainda o incomoda de certa maneira. Será que há algo mais libertador que o fogo? Então, pega em um armário de seu pai, algumas bebidas alcoólicas, e procura por materiais  inflamáveis que mantinham em sua casa. Don acabou achando um manto vermelho com detalhes brancos a qual o fazia lembrar de sua mãe, pois foi o mesmo usado em seu parto, sendo o único objeto que carregaria consigo. Após juntar o material necessário, distribuiu-os por toda a casa, colocou todos os corpos dentro da casa e em seguida provocou um incêndio, que para o jovem rapaz simbolizava um recomeço.

Antes de sua partida, Don esperou o fogo consumir toda sua antiga casa e tudo que havia deixado para trás, assim podendo recomeçar, bom... Claro que ainda teria um ano pela frente antes de Don poder ir a cidade, mas agora ele se sentia pronto, estava preparado para qualquer desafio que aparecesse em seu caminho. Anoitece Don segue sua jornada pelo o frio noturno do deserto, procurando algum canto seguro para se estabelecer e passar um tempo tranquilo sem perigos eminentes, após algumas poucas horas de caminhada acaba achando grandes rochas, com ocos por dentro delas a qual caberia confortavelmente cerca de três pessoas. Don ver como um bom abrigo temporário, sendo que estaria protegido do sol durante o dia, e poderia passar a noite confortavelmente, algo bem incomum e estranho de se ver são rochas nesse formato, não parecia algo natural do deserto, e sim algo feito por alguém, Logo pegava-se questionando sobre isso, porém decidiu apenas ignorar, era seguro e é o que importa nessas horas!

Explorando um pouco aquele local rochoso e "misterioso" no dia seguinte, encontrou algumas lacunas entre duas rochas, lacunas essas coberta por uns tecidos grossos que por sua vez escondia mantimentos de litros de bebidas alcoólicas e água, o que beneficiária ainda mais sua estadia por alí. Realmente Don tirou a sorte grande logo no começo de sua jornada, será que essa sorte permanecerá até o fim?

Passam-se dois meses desde então, Don não encontrou nenhum grande problema aparente até esse momento. Tendo de se alimentar com insetos e pequenos répteis que o mesmo encontra  sobre as rochas no deserto, o jovem iria levando cada dia assim. Confiante no término desse um ano, poderia ir a cidade, encontrava-se muito ansioso para esse momento, sendo que por motivos de segurança nunca tinha ido lá, mesmo que sua casa se encontrasse relativamente perto dá cidade, sua mãe que sempre cuidava dessas pequenas viagens.

Quatro meses se passaram, Don começa a encarar reais dificuldades, pois seu estoque já havia acabado, por mais que esteja protegido do sol,  também precisaria de água para se manter estável. Tendo consciência que talvez exista outro canto como aquele pelo deserto, Don começa a vagar pelo deserto a procura de um canto rochoso esperando que sua sorte o ajude novamente, assim encontrando água no deserto, porém as coisas não saem como esperadas, enquanto caminhava pelo deserto, o sol escaldante o deixava cada vez mais desidratado, enquanto caminha, momentaneamente sua visão começa a embaçar, fazendo com que enxergasse de longe  uma casa, muito parecida com sua antiga, Don avista sua mãe saindo pela porta e seu pai logo em seguida, com ambos acenando para o mesmo. O rapaz emociona-se e corre em direção a casa, assim, desgastando-se demasiadamente. Quanto mais corria, mais longe avistava a casa, o que o fazia correr mais rápido, cada vez mais rápido, até que...

-AAAAAHHHH - escuta um "grito" em seu subconsciente, ficando cada vez mais alto.

-AAAAAAHHHHH - Don acorda pensando que era um grito de uma dama em apuros, mas era apenas um abutre sobrevoando sobre seu corpo. levanta-se vagarosamente falando baixo:
-Desculpe, não é hoje que servirei de ração para pássaro! - tornando a caminhar, sempre em frente, Don caminha de forma desengonçada em sinal de fraqueza, porém, encara aquilo como um simples sono, ou cansaço.

Enquanto caminha pelo deserto, com olhos pesados, a frente é avistado um velho, com um litro de alguma bebida alcoólica na mão, o mesmo se encontra parado e encarando o jovem rapaz. Don apenas olha para o velho bêbado por baixo do chapéu enquanto caminha,  segue seu caminho passando pelo mesmo, achando que seria outra miragem. A da alguns passos de onde o velho se encontrava, escutando o mesmo falando com ele - Ei, você parece está com cede, não quer um gole? É meio forte no começo, mas depois irá se acostumar- Bradou o velho enquanto direcionava o litro para o jovem. Por alguns segundos, Don para, e fica sem reação, olha para trás e fala. - Não falo com miragem, acabei dormindo dá última vez- bradou Don enquanto tornava a caminhar.

Após distanciar-se aproximadamente um metro do velho, o mesmo bebe o restante da bebida e em seguida corre em direção a Don o atacando por trás golpeando com a garrafa seca em sua cabeça, fazendo ele desmaiar. Don acorda deitado em uma cama, sozinho em um quarto pequeno, ao lado da cama,  acha uma garrafa d'água e desesperadamente pega e  bebe a água feito louco, pois o mesmo estava com muita sede, fora que não sabia por quanto tempo estava inconsciente e muito menos onde estava. Quando estava quase acabando de beber a água, entra pela porta um homem  barbados acompanhado de uma mulher que teria mais ou menos a idade do jovem, a mesma segurava uma tigela de sopa que exalava um cheiro ótimo, ao entrar o homem se pronuncia - Vai com calma garoto não beba tudo de uma vez, você se encontra em um estado crítico, sinceramente, não sei como está vivo agora!- falou com um ar de preocupação. A mulher leva a sopa para ele, o mesmo come rapidamente a sopa, e fica parado olhando para eles por baixo do chapéu de uma forma que esconda seus olhos.
- obrigado pela sopa e a água, mas ... Quem são vocês e aonde estou ? Aah, e a propósito, não estou em situação crítica, apenas com sono...

- Sim, verdade! Me desculpe rapaz hahaha, muito determinado você.

- Não é determinação, apenas sou intocável, nada pode me derrotar! Mas... Ainda não respondeu as outras perguntas, por favor, continue.

- Sim, desculpe-me garoto, meu nome é Dimitri, e essa... minha filha Aurora. Essa é a nossa casa em Yakira Town, somos residentes aqui. O velho Etsuku veio deixa-lo na cidade, pediu para que cuidassem de você, então o trouxemos para cá, pode ficar até melhorar!

- Não me diga que... Estou na cidade!!

- Bom, sim! Mas no estado em que se encontrava, não duraria muito tempo sozinho no deserto, sinceramente, não sei o motivo pelo qual vagava sozinho, você deve ter seus motivos, mas não importa! Você está seguro, e não precisa falar sobre se não quiser, mas isso está no passado, lhe darei um conselho, siga sua vida a partir daqui garoto.

- Obrigado pelo concelho, mas tenho que voltar!

- Você não pode, fique aqui! É seguro, posso arranjar-lhe um emprego, tem um bar aqui perto, estão precisando de alguém por lá, e vejo pela sua arma, que se daria bem em um lugar assim!

Os dois passaram um bom tempo conversando, e ao final da conversa Dimitri consegue convence-lo a ficar na cidade após ouvir toda sua história até o presente momento. Passado alguns dias, Don aparenta está bem melhor e saudável. Dimitri consegue um trabalho temporário para ele em um bar local com o nome de Brown Bar, um lugar muito frequentado na cidade que aceita vários tipos de pessoas, o que Don não esperava é que mais revelações estaria por vir.

Passando um pouco mais de um mês,  já adaptado a nova rotina, pessoas e trabalho, passava maior parte do tempo no bar e o restante na casa de Dimitri conversando com a Aurora. Enquanto o jovem rapaz trabalhava no bar limpando mesas, servindo pessoas e alguns serviços gerais, ele observava muito o comportamento das pessoas, seus assuntos hábitos e etc, Fazia isso dia após dia, até que... Uma certa vez acabou escutando um assunto que chamou bastante sua atenção, um certo homem, aparentemente deveria ter seus 35 anos, barba por fazer, tinha algumas cicatrizes de balas em seus braços e usava moletas pois o mesmo tinha sido atingido em seu joelho, logo carregava o fardo de uma perna inutilizada, mas... o que chamou  atenção nesse homem, era a conversa a qual estava tendo com alguns amigos, o mesmo falava de um incidente que ocorreu a um pouco mais de um ano, se tratava de um grupo de caçadores de recompensa que tinham sido dizimados por um único homem que eles procuravam a séculos, falaram um pouco desse homem, como, características e habilidades que batia perfeitamente com o pai de Don e um segredo a qual era o motivo pela tal perseguição, não havia sido revelado na conversa, pois o mesmo tinha um compromisso e precisava retirar-se do recinto. pensando em todas as histórias que leu sobre seu pai e não lembrou de nenhum segredo que seu pai escondia fora sua vida como caçador de recompensas. Isso despertou a curiosidade do mesmo e então resolveu segui-lo. Enquanto o seguia, manteve uma distância segura e o acompanhou, o homem caminhava lentamente por causa dos seus machucados permanentes. Andou por um bom tempo em meio as pessoas da cidade, até que passa por um beco deserto, comprido e relativamente estreito. Essa seria a oportunidade perfeita para entrar em ação. após o homem entrar no beco, e andar alguns poucos metros até que não seja mais visível pelas pessoas, o jovem perseguidor entra logo em seguida chamando a atenção do homem -hey, Você aí! - fala enquanto aponta sua arma para o homem.
- Estou com pressa! O que quer? Não tenho nada de valor.

- Apenas, respostas... se colaborar, pode seguir seu caminho, caso contrário... Não terá mais um caminho a seguir! Estava falando um assunto interessante no bar, poderia me falar sobre?

- entendo... Não lhe devo explicações garoto, você não tem nada haver com isso.

- Não? - brada e em seguida atira na perna boa do homem fazendo com que o mesmo caía. - Esses seus ferimentos... foi meu pai que causou, bom, agora foi eu... Então, sim! Tenho interesse nessa história, então, comece a  falar sobre esse "segredo", ou vou ter que atirar na sua boca para começar a falar? - bradou com um tom sério olhando por baixo do chapéu, ignorando a  dor do homem caído.

- Então... Você sobreviveu? ... Seu merdinha... Não tenho nada a lhe falar...

- Entendo... - Don atira no braço bom do barbado.  - Tem certeza que não tem nada a me falar ?

Agoniado pela dor, ele lembra-se daquele mesmo dia que passou por isso a um pouco mais de um ano, não querendo ter que depender da sorte para sobreviver novamente, resolve contar. - Seu pai... Não lhe contou?... Sabe! Nunca fomos de confiar muito nele... Ele tinha habilidades... Admito, mas... Escondia um grande segredo... Sabe qual? Em garoto?

- Acho que se eu soubesse não estaria aqui agora! Ele não mencionou nada na história que me deixou...

- Claro, ele era um egoísta... encontrou o maior bem que uma pessoa poderia ter, e guardou só para si...

- Maior bem? Do que está falando? O que ele encontrou? - pergunta com um olhar intimidador por baixo do chapéu.

- Talvez você não acredite... Garoto, sabe quantos anos seu pai tinha?

-Na...

- O desgraçado tinha mais de 100 anos... - Falou interrompendo a resposta do rapaz.

- Como assim?

- Seu pai... foi a única pessoa que encontrou... a lendária... fonte da juventude!

- Como assim? Está louco? Algo assim não existe!

- Como pode ter certeza? Acha mesmo... Que iríamos atrás do seu pai, só por causa de um mero... Afastamento? ... Hoje em dia... Temos homens bem... melhores do que ele era... O que realmente queríamos era a... Localização da ilha... Ele era... Um ótimo navegador, acima de tudo!

Don surpreende-se com a história, ver que algumas coisas começam a fazer sentido, o mesmo lembra-se que no abrigo, tinha um desenho que lembrava muito uma cachoeira, e existia esse mesmo símbolo em seus livros, O jovem aceita toda aquela história, questiona-se sobre o motivo por não ter falado dela. O mesmo lembra-se também dá frase de sua mãe, e pensa: "Viva eternamente ou morra tentando... Agora eu entendo...Não irei culpar meu pai por não contar sobre isso, afinal... Ele nunca foi muito de se abrir. Nunca tivemos muito dinheiro, e muito menos uma vida fácil... Mas se tem algo que meu pai deixaria para mim, seria essa tal fonte... Irei virar um navegador melhor que ele, tirei todo conhecimento necessário em seus livros, ainda tenho que aprender algumas coisas, mais... Claro que eu consigo! Irei atrás dessa ponte, ela será minha!" A partir desse momento, Don acaba de descobrir seu "North" para seguir, o seu maior sonho, algo a acreditar enquanto ele viver! O mesmo não tinha mais nada a tratar com aquele homem, e deixa-lo ir seria perigoso... Nesse momento, se tocou o quanto consegue ser intimidador, alguma habilidade despertada? Ou desenvolvida com a necessidade? Não importava, apenas estava feliz. - Não leve para o lado pessoal, mas não posso deixa-lo ir!

- Imaginei... Acabe logo com isso! Se não for nas suas mãos será nas deles...

- Deles?

- Não importa garoto... Apenas faça o que precisa!

- Isso é... Pela a minha família! - BAANG, o som do tiro ecoa pelo o local, e o homem já no chão se deita completamente até dá seu último suspiro. Acreditando em ter feito o certo, o jovem sai do beco e volta ao bar para conversar com alguém, ele precisa de informações para partir atrás dos seus sonhos o quanto antes.

Ao chegar no bar, o mesmo se direciona até o dono a qual lhe contratou, na esperança de alguma outra ajuda querendo saber se ele conhece alguém que navegue pelos mares, disse que precisava partir, não falou o motivo, apenas que precisava. O dono do local não mostrou resistência, pois o mesmo entendia tudo que o pobre rapaz já passou, logo, ele tinha seus motivos e não poderia passar o resto de sua vida preso naquele lugar, onde não teria nenhum futuro! Ele falou que tinha um velho conhecido, que viajava em um navio através de algumas ilhas em busca de mantimentos para o bar e coincidentemente hoje era o dia que ele vinha reabastecer o bar, e ele falaria com o mesmo se poderia leva-lo.

Na chegada do velho trazendo os mantimentos para o bar, o patrão do jovem rapaz conversa com o seu amigo a respeito de Don, explica a situação e diz que ele quer acompanha-lo. A princípio fala muito bem do mesmo, fazendo de tudo para convence-lo a leva-lo. Ao final dá insistência, e com um acordo de que o mesmo ajudaria nos afazeres do navio. Falam o combinado para o jovem que logo partirá em busca de seu sonho, pois o mesmo aceitou sem exitar. Após o acordo, ele foi encontrar Dimitri e Aurora, e agradecer por tudo que os mesmos fizeram por ele, em seguida, falou com o dono do bar agradecendo-no também, mais tarde partiu para o navio com o velho, seguindo seu rumo atrás de um outro recomeço, sem esquecer suas novas origens e tudo que aprendeu até ali. Ao zarpar no navio o mesmo pensa "Viva eternamente, ou morra tentando... Essa fonte será minha pai! Mãe! Olhem seu filho por toda a eternidade".  

Passando Alguns anos viajando de navio, a qual aprendeu pilotagem com os experientes dos navios que encontrava de porto em porto viajando através de ilhas. navegando por tanto tempo, e após ter aprendido pilotagem, o mesmo decide parar por um tempinho em alguma ilha, ilha essa que por alguma razão inexplicável decidiu ancorar, não se sabe o motivo... Alguma força misteriosa? Coincidência? Acaso? Destino? Não sabendo ao certo, apenas foi a ilha de Fernad Ice Islands.

~ VANTAGENS E DESVANTAGENS ~

(MÁXIMO DE 6 PONTOS GASTOS. TODOS COMEÇAM COM 2)

Vantagens:
• Ambidestro
• Visão na penumbra
• sentidos aguçados – visão aguçada

Desvantagens:
• Insano - Megalomaníaco
• -X-
• -X-


~ PERSONAGENS CONHECIDOS ~


PLAYERS:
 

NPC's Importantes:
 

NPC's Criados:
 

Link da Mini Aventura concluída ou da ficha antiga cancelada: https://www.onepiecerpg.com/t38231-minha-aventura-donm

____________________________________________________

Don Reed’s Wayne I8Sl9XY
Voltar ao Topo Ir em baixo
Donm
Civil
Civil
Donm

Créditos : Zero
Warn : Don Reed’s Wayne 10010
Masculino Data de inscrição : 14/12/2012
Localização : Casa

Don Reed’s Wayne Empty
MensagemAssunto: Re: Don Reed’s Wayne   Don Reed’s Wayne EmptyTer 23 Jul - 23:45

Don Reed’s Wayne 376653237 Faça um favor e atualizo minha ficha. Recebi 14 de exp, vou distribuir 4 em dano, 6 em esquiva e 4 em Pontaria, minha mira não pode falhar.

Lembrar de colocar + 2 de Dano do bônus racial e + 2 do Rifle que ganhei. Também quero o bônus de metade da minha pontaria para acerto. Ao colocar geografia, quero meu oficio de navegador.

Link de Confirmação: https://www.onepiecerpg.com/t36184p200-perdidos-na-ilha-do-gelo

As relação com os players:
Código:
[i]*Takamoto Lisandro*[/i] - [i]*North Blue - Fernand Ice Island*[/i] - [i]*De primeira vista apenas um moleque ruivo, porém se provou bravo o bastante para me acompanhar em uma batalha contra piratas, não se abalou com o tiro que quase dei nele, parece ter uns nervos de aço assim como as panelas que ele cozinhou algumas refeições.*[/i]

[i]*Blue, o Mendigo*[/i] - [i]*North Blue - Fernand Ice Island*[/i] - [i]*Parece mais um mendigo de cabelos azulados do que um médico dos bons, também lutou ao meu lado e talvez seja digno de me ter como companheiro.*[/i]

Dlç de Adv:
 

____________________________________________________

Don Reed’s Wayne JKtynMk
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hoyu
Olhos de Deus
Olhos de Deus
Hoyu

Créditos : 76
Warn : Don Reed’s Wayne 10010
Masculino Data de inscrição : 27/04/2013
Idade : 19
Localização : Grand Line - Jingle Bell Island

Don Reed’s Wayne Empty
MensagemAssunto: Re: Don Reed’s Wayne   Don Reed’s Wayne EmptyQua 24 Jul - 20:51

~Atualizado~

Faltou o template de caçador de recompensas. Peça atualização de novo com as informações referentes às caçadas para que seja atualizado.

____________________________________________________

Don Reed’s Wayne B9fzGji
Don Reed’s Wayne 9YSRQC2Don Reed’s Wayne Rfe2wza


Don Reed’s Wayne QKBJs1B

Grupo:
 


2017:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Donm
Civil
Civil
Donm

Créditos : Zero
Warn : Don Reed’s Wayne 10010
Masculino Data de inscrição : 14/12/2012
Localização : Casa

Don Reed’s Wayne Empty
MensagemAssunto: Re: Don Reed’s Wayne   Don Reed’s Wayne EmptyQua 27 Nov - 21:50

Cancela pra mim.

____________________________________________________

Don Reed’s Wayne JKtynMk
Voltar ao Topo Ir em baixo
ADM.Ventus
Pirata
Pirata
ADM.Ventus

Créditos : 77
Warn : Don Reed’s Wayne 10010
Masculino Data de inscrição : 15/12/2013
Idade : 25

Don Reed’s Wayne Empty
MensagemAssunto: Re: Don Reed’s Wayne   Don Reed’s Wayne EmptyQui 28 Nov - 0:10

~Ficha Excluída~

____________________________________________________


Don Reed’s Wayne KJbVkzo
~Ficha|Aventura~
Olá Convidado seja bem-vindo(a) ao One Piece RPG.

Don Reed’s Wayne ObLkbM2
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Don Reed’s Wayne Empty
MensagemAssunto: Re: Don Reed’s Wayne   Don Reed’s Wayne Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Don Reed’s Wayne
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Personagem e Mundo :: Criação de Personagens :: Fichas Excluídas !-
Ir para: