One Piece RPG
O Mundo pela Perspectiva de um Civil XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Que tal um truque de mágica?
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Kenshin Himura Hoje à(s) 03:17

» Art. 4 - Rejected by the heavens
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Kenshin Himura Hoje à(s) 01:58

» O catálogo continua, Baterilla a cidade da beleza
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor maximo12 Hoje à(s) 00:00

» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Licia Ontem à(s) 23:32

» Seasons: Road to New World
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Volker Ontem à(s) 22:37

» Vol 1 - The Soul's Desires
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Arthur Infamus Ontem à(s) 22:08

» VIII - The Unforgiven
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor GM.Alipheese Ontem à(s) 22:00

» The Hero Rises!
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor GM.Alipheese Ontem à(s) 21:56

» The One Above All - Ato 2
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor CrowKuro Ontem à(s) 20:53

» Cortes e Tiros, resgate na ilha das aranhas!
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Achiles Ontem à(s) 20:49

» Bakemonogatari
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Milabbh Ontem à(s) 20:39

» Caçadoras Eternas: Almas entrelaçadas!
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Kenshin Himura Ontem à(s) 20:25

» Ato 157: Se eu quisesse tua opinião, Eu tirava na Porrada
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Dante Ontem à(s) 19:52

» [MINI-DoflamingoPDC] A pantera negra da ilha montanhosa
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Makei Ontem à(s) 19:43

» [Mini - Nice] A espada que dorme.
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Ryoma Ontem à(s) 19:35

» [M.E.P] Nice
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Ryoma Ontem à(s) 19:34

» [Mini] Albafica Mino
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Makei Ontem à(s) 19:16

» [M.E.P] Albafica
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Makei Ontem à(s) 19:15

» A primeira conquista
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor Rangi Ontem à(s) 18:19

» A Ascensão da Justiça!
O Mundo pela Perspectiva de um Civil Emptypor K1NG Ontem à(s) 16:26



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 O Mundo pela Perspectiva de um Civil

Ir em baixo 
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 65
Warn : O Mundo pela Perspectiva de um Civil 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil EmptySab 04 Fev 2017, 13:53

O Mundo pela Perspectiva de um Civil

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Albert Rolmes. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jinxxx
Civil
Civil
Jinxxx

Créditos : Zero
Warn : O Mundo pela Perspectiva de um Civil 10010
Data de inscrição : 06/01/2016

O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: Re: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil EmptyDom 12 Fev 2017, 00:22

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Albert Rolmes

O Mundo pela Perspectiva de um Cívil






Não era apenas mais um dia comum na mente complexa e curiosa de Albert, o "aspirante a gênio" estava com os pensamentos mais agitados de que de costumes, sua vontade de aprender era percebida por sua inquieteza, mordia os lábios e não conseguia ficar parado em um mesmo lugar, queria ir o mais rápido possível para a biblioteca, tantas coisas para ler, seu conhecimento representava apenas uma fração de seu potencial e não poderia ficar quieto sabendo disto.

"Argh, eu preciso ir logo a biblioteca, essa angústia esta me matando! Já se passou algum tempo e ainda não conquistei nada de valor expressivo, preciso melhorar minhas habilidades, não basta apenas ser persuasivo, preciso ser o melhor, o mais inteligente, usar minha mente para conquistar tudo aquilo que piratas tomam a força....Espera...Espera...Estou sendo muito impulsivo, este não é você Albert, se acalme....*respira*...*inspira*... Ok, agora está tudo bem, vamos sistematizar a situação, quais são meus objetivos e o quê eu preciso para atingir-los:
primeiramente montar um negócio de sucesso é meu foco, porém isto é um objetivo de médio/longo prazo, o quê eu poderia fazer agora? Bom... Preciso de dinheiro, logo um emprego viria bem, mas não posso perder meu tempo com qualquer vendinha de esquina, preciso de um emprego em uma empresa grande, assim vou poder aprender mais sobre negócios enquanto trabalho. Mas onde aqui em Las Camp teria uma empresa assim?  Minhas opções são a Apple, que é de fato bem-sucedida, ou o Banco Mundial onde poderia conseguir diversos contatos.. Huum... Por hora creio que a Apple seja uma melhor opção... É, é, definitivamente a melhor opção... Enfim, por hora tenho alguns Berries,  vou para a biblioteca de uma vez, espero que esteja aberta, se não teria que ir naquela universidade de falsos intelectuais..."


Após colocar em ordem seus pensamentos confusos, Rolmes parte em direção a biblioteca, constantemente mexendo em seu cabelo e arrumando sua roupa, como se algo estivesse errado, mas provavelmente era apenas sua ansiedade. Ao caminhar pela rua Albert deslizava seus olhos por todas as construções e pessoas a sua volta, sempre com uma visão muito descritiva e analítica, sempre estava tentando estar o mais ciente sobre o ser arredor o possível, sua habilidades de dedução sempre o ajudaram na hora de manipular uma situação ao seu favor, e apara isso precisava estar preparado.
Uma vez na biblioteca, Albert ajeitaria sua roupa, limparia seus calçados e adentraria o local com um bondoso sorriso no rosto, mas esta já era sua faceta de manipulação, tentando simular uma pessoa amigável e simpática. Analisaria todas as pessoas do local, suas vestimentas, características distintas ou incomuns e tentaria montar um padrão em sua cabeça. Buscaria a pessoa que aparentasse estar no comando do local, e se aproximaria dela.

- Olá! Tudo Bem? Me chamo Albert Rolmes, prazer! Que biblioteca interessante, não sei o que outros dizem, mas eu realmente gosto dela...Enfim, estou me estendendo, estou a procura de livros sobre hipnose e arqueologia, eu sei não é? Gostos bem distintos, mas por favor mostre-me onde estão.

Logo antes de ir ao local informado,  utilizaria de toda sua lábia e atuação,  para falar novamente com aquela pessoa. Mostrando sinais de nervosismo e curiosidade, também falsos, diria:

- Desculpe-me a pergunta, mas não vou conseguir me conter, por acaso você nas horas vagas é um/uma atriz/ator? Pois eu juro que você é idêntica a alguém que eu vi em uma peça de teatro muito famosa, e sabe você meio que tem uma presença artística hahaha. Mas deve ser só coisa da minha cabeça.


Tais elogios disfarçados eram apenas meios que Albert tinha para ganhar a confiança das pessoas, mesmo se não tivesse nenhuma utilidade para aquele "relacionamento" ainda, nunca se sabe quando irá precisar. Após sua "bajulação discreta" iria agradecer pela informação e buscar algum livro desejado do tema,  e iria passar horas lendo sobre, seja hipnotismo ou arqueologia.

Obs:
 
Objetivos:
 





HP: 120 || SP: 62

Histórico de Albert Rolmes:
 


Post: 001 ~ Apenas um Civil ~Civil ~ Las Camp

____________________________________________________

~Mini Ficha~:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
TheJoker
Agente Graduado
Agente Graduado
TheJoker

Créditos : 20
Warn : O Mundo pela Perspectiva de um Civil 10010
Masculino Data de inscrição : 12/01/2017
Idade : 26

O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: Re: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil EmptySeg 13 Fev 2017, 17:08

Era uma agradável manhã em Las Camp, Holmes estava decidido a ser um empreendedor de sucesso e para iniciar tal jornada, decidira que a estação de Zeppelin da Ilha seria sua melhor opção.

No trajeto em direção a biblioteca, via crianças brincando nas ruas, algumas com espadas rusticas de madeira, outras brincando de correr. Via idosos sentados em cadeiras do lado de fora de suas casas conversando tranquilamente.

O sol junto a brisa do vento lhe traziam um agradável conforto, não teve problemas no curto trajeto até a biblioteca. Era um local simples, uma casa branca com porta de madeira e janelas redondas na cor azul, a pintura parecia um pouco gasta devido a ação do tempo e da maresia. Grama e arbustos em um tamanho razoável cresciam aqui e ali, dando a impressão de leve abandono.

Por dentro via dois andares, dois conjuntos de cinco largas estantes de livros em cada andar, 20 no total; mesas e cadeiras de madeira em frente as estantes, luminárias de querosene iluminavam e traziam um ar de conforto. Apesar das bibliotecas serem silenciosas, Holmes sentia um silêncio de certa forma até triste vindo dessa. Era um jovem astuto, sabia que com a Universidade da região as pessoas optavam em estudar, ler e aprender por lá.

Logo na entrada, um balcão, e atrás dele a unica pessoa do local. Uma jovem senhora de cabelos acinzentados. Devia ter sido muito bonita quando nova, trazia traços graciosos apesar das marcas da idade. Tinha um ar sereno, trajava um quimono cor marrom por cima de vestes simples e utilizava um colar de ouro com uma chave pendurada, ao olhar para Albert, deu um sorriso.


Albert escreveu:
Olá! Tudo Bem? Me chamo Albert Rolmes, prazer! Que biblioteca interessante, não sei o que outros dizem, mas eu realmente gosto dela...Enfim, estou me estendendo, estou a procura de livros sobre hipnose e arqueologia, eu sei não é? Gostos bem distintos, mas por favor mostre-me onde estão.


Bibliotecária Lisandre: Olá meu jovem, o prazer é meu, me chamo Lisandre... A biblioteca já esteve melhor, mas fico grata por gostar dela. Esses livros você vai achar no segundo andar, o de Hipnose é um livro azul escuro, segunda estante dos fundos, quarta prateleira. Já o de arqueologia achará na estante ao lado, um livro muito grande cor bege, na segunda prateleira.

Falava de forma tranquila e com um sorriso no olhar, seus olhos cor mel transpareciam bondade.


Albert escreveu:
Desculpe-me a pergunta, mas não vou conseguir me conter, por acaso você nas horas vagas é uma atriz? Pois eu juro que você é idêntica a alguém que eu vi em uma peça de teatro muito famosa, e sabe você meio que tem uma presença artística hahaha. Mas deve ser só coisa da minha cabeça.


A senhora deu um largo sorriso, possuía belos dentes brancos, coçou a cabeça um tanto sem jeito e disse:

Bibliotecária Lisandre: Hihi, muito bondoso de sua parte proferir tamanho elogio, mas não, passei minha vida toda aqui. A administração da biblioteca passa de geração em geração na minha família. Hoje somos só eu e meu neto, que essa hora deve estar brincando na rua, ele tem o sonho de ser um almirante da marinha, hihihi... essas crianças.

Lisandre falava muito, mas Albert podia entender, devia ser a primeira pessoa em muito tempo que chegava até lá.

IMG Lisandre:
 
Off:
 

____________________________________________________

Objetivos nessa aventura::
 


A voz do Joe:
 


Aventura:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jinxxx
Civil
Civil
Jinxxx

Créditos : Zero
Warn : O Mundo pela Perspectiva de um Civil 10010
Data de inscrição : 06/01/2016

O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: Re: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil EmptyQua 15 Fev 2017, 01:27

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Albert Rolmes

O Mundo pela Perspectiva de um Cívil






Rolmes andava pelas ruas de Las Camp, era uma pacata manhã onde moradores comuns faziam coisas comuns em um clima ameno,  sempre observador e pensativo, não se continha em fazer suas analises teóricas mesmo sobre coisas tão triviais, embora não usufruísse de tais observações seu instinto era quase incontrolável .

"O dia está realmente bem calmo,  talvez ainda seja cedo para afirmar mas quem sabe hoje eu finalmente possa ler meus livros em paz, sem o distúrbio de uma confusão ou desentendimento na rua,  ou alarmes da marinha sobre algum ataque pirata..."Corram protejam suas crianças..", como se alguns pais não fossem pior que os próprios piratas. Falando em crianças e piratas, olha só elas, brincando com espadas de madeira, mau acabadas, chega a ser irônico como em uma época como esta é normal crianças brincarem de matar seus amiguinhos, a cultura da violência foi disseminada e glamurizada, estas crianças vão crescer idolatrando piratas, ou aqueles que os matam... Em contraponto os nossos idosos veja eles, "os sábios da antiga geração" não parecem tão sábios assim, passam o resto de seus dias divagando sobre o passado e parado em frente a suas casas vendo as pessoas, a brisa e o tempo passar, apenas esperando o momento em que a morte virá. Chega a ser melancólico, um pouco dramático demais talvez, mas melancólico. "

Ao avistar a biblioteca, Albert percebia que lá havia toda simplicidade e quietude que precisava, o local mostrava sinais de deterioração e matos cresciam em sua volta, ainda sim não cobriam o local, logo ele era cuidado porém não possuíam funcionários suficientes, talvez nenhum. Não ter funcionários é claramente um resultado de não ter dinheiro, logo a biblioteca não recebia muitas visitas, o quê faria sentido por causa da Universidade da ilha. As cores do estabelecimento entregavam para o jovem outra característica do local, era regida por um idoso(a), a casa branca com janelas azuis, cores remetentes a maternidade e ao céu, temas de fortes no subconsciente de pessoas com mais idade pelo saudosismo da juventude e sua visão do "paraíso", o regente ser um(a) idoso(a) seria outro motivo para a fachada com maus cuidados. Todo este raciocínio complexo e confuso, levava Albert apenas a uma simples conclusão trivial, o lugar era perfeito para descansar e aproveitar seus estudos, sem pessoas ou importunios.

Adentrando o local, percebe um interior muito melhor cuidado, com 20 estantes de livros divididas em dois andares, mesas , cadeiras e iluminação ao seu dispor,  na entrada atrás de um balcão a confirmação de sua tese, uma senhora de aparência gentil, vestia um quimono aparentemente confortável,  entretanto o que lhe chamava atenção era seu pescoço, nele havia um colar de ouro com uma chave pendurada, aquilo destoava completamente do resto do ambiente, se a biblioteca não tinha um lucro interessante,  e a senhora vestia trajes simples e não aparentava se importar com jóias, seus cabelos eram da cor natural acinzentados com o tempo, logo não era uma questão de beleza.

"Única conclusão no momento, seria que a chave ali guardada é de grande valor, mas não monetário e sim emocional, mas ainda sim...não estou convencido das minhas conclusões, creio que estou perdendo algo aqui..."

O colar havia chamado a atenção de Rolmes, mas não era seu foco,  ao conversar com a senhora percebia que era uma mulher de fato gentil e bondosa, também muito humilde por sua reação aos elogios de jovem. Em meio a conversa também descobre que a biblioteca é passada de geração em geração na família da mulher, logo uma boa hipótese seria a chave abrir a própria biblioteca, a herança de sua família, todavia a porta do local era de madeira e embora a chave não fosse de ouro como o colar, era no mínimo estranho guardá-la com tanto estimo e manter a porta tão simples.

Após suas observações e anotações mentais, Albert agradece a senhora com um sorriso gentil em seu rosto, e sobre para o segundo andar, onde estariam os livros que desejava ler,  passa pelas estantes analisando quais outros livro o local tinha, até que pegaria o livro de hipnose azul escuro, abriria, veria quantas páginas eram, qual o autor e o título, após isto o levaria até uma das mesas , puxaria uma das cadeiras e sentaria, estralaria seu pescoço como ritual de preparo e  arrastaria uma das luminárias mais próximas para ter uma melhor leitura. Assim então começaria a ler, um processo que iria demorar por volta de 3 a 4 horas, sem parar, focado em seus estudos tentando tirar o máximo de cada capítulo, faria anotações mentais e repetiria em voz alta, ainda que em tom baixo, as passagens mais importantes.
Livro:
 

Fascinado pelo livro de Hipnotismo, Albert até mesmo ignora o conteúdo de arqueologia que antes desejava aprender, decidira focar na arte da manipulação, que seria de fato mais útil em um primeiro momento. Após suas horas de estudo,  Rolmes se espreguiça e solva um leve bocejo não de tédio mas cansaço, ele então desce para o primeiro andar, com o livro na mão, anda até a senhora e começa uma conversa.

- Você tem um ótimo livro aqui sabia? Bem melhor do que eu esperava e muito útil... Aliás, quanto sairia para eu levar ele para a casa? Além disso, não tenho certeza se você teria isto aqui, mas gostaria de comprar um caderno pequeno e uma caneta, pra fazer anotações, tenho uma entrevista de emprego em breve e me ajudaria bastante. E se possível a senhora poderia ser gentil com o preço? Haha meu bolso nem sempre acompanha minha vontade de aprendizado.

O rapaz dizia aquilo com sua voz mansa, sempre mostrando bom humor e gentileza, queria leva o livro consigo para continuar seus estudos, apesar de sua inteligência talvez ainda precisa-se de alguém para ensiná-lo a prática em questão.  Já em relação ao caderno e caneta, era apenas uma questão pessoa, gostava de estar preparado para anotar tudo que possa ser útil no futuro, fazer desenhos e anotar padrões, sua memória nem sempre era confiável. Ainda tinha consigo algum dinheiro, logo estava disposto a pagar, porém não gostaria de ficar "zerado", então caso o conjunto ultrapassasse 30.000 Berries, iria perguntar se não havia jeito de diminuir o preço, caso não houvesse iria levar apenas o caderno e a caneta, se nem isto pudesse comprar, iria apenas agradecer a senhora e partir em direção a estação de Zeppelin.

Já na estação, iria discretamente adentrar o local, sorriria e diria um tímido"Olá", para todos que olhassem diretamente, tomaria cuidado para não ficar na frente ou atrapalhar as pessoas apressadas que transitam pela estação, aproveitaria para analisar o local, os tipos de pessoas que ali passavam, o ambiente de trabalho, e até mesmo o humor dos funcionários, claro que de forma superficial, sendo esta apenas uma primeira impressão do local. Procuraria então alguma atendente ou recepcionista, e lá pediria por informações.

- Com licença, eu estou aqui para a entrevista de emprego, você poderia me informar onde é por favor?

Isto na verdade era um blefe, Albert não sábia de nenhuma entrevista de emprego, porém não ia esperar por uma, sua intenção era conseguir uma entrevista individual, ou por sorte estar de fato tendo uma agora. Rolmes esperaria atento a resposta, estava com seu foco no máximo, analisaria a atendente de cima a baixo, suas mãos, seu rosto,  suas vestimentas e seu ambiente de trabalho, os próximos movimentos seriam cruciais e para ter sucesso precisaria montar uma tática precisa e convincente, poderia ir para muitos lados, ser agressivo, romântico, galanteador ou apelar para a pena, sem um perfil exato poderia falhar miseravelmente.


Obs:
 





HP: 120 || SP: 62

Histórico de Albert Rolmes:
 
★ Narração ★ Falas★ Pensamentos


Post: 002 ~ Apenas um Civil ~Civil ~ Las Camp

____________________________________________________

~Mini Ficha~:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
TheJoker
Agente Graduado
Agente Graduado
TheJoker

Créditos : 20
Warn : O Mundo pela Perspectiva de um Civil 10010
Masculino Data de inscrição : 12/01/2017
Idade : 26

O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: Re: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil EmptyQui 16 Fev 2017, 18:10

Rolmes indagava a cerca de suas questões pessoais, seu instinto observador e analisador era quase que incontrolável, suas teorizações eram certeiras e isso antes mesmo de adentrar na biblioteca.

O colar de ouro logo lhe chamou a atenção, aquilo certamente destoava de todo o contexto. A bibliotecária ao notar que Albert observava a chave prontificou-se a escondê-la sobre as roupas, aquilo soava um tanto estranho e misterioso. Finalizada a conversa, o jovem subiu as escadas, abriu o livro de hipnose e começou seus estudos.

Durante as três horas o silêncio reinava no local, e apesar de parecer um pouco triste não haver mais ninguém no local, aquela solidão o fazia adentrar em cada parágrafo do livro, como se estivesse em um transe. A luz baixa iluminando o recinto e a almofada colocada delicadamente sobre a cadeira lhe traziam conforto e bem estar.

Passadas quatro horas, Rolmes sentia fome além da visão cansada e então desceu com o livro em mãos até Lisandre, que lia um livro pequeno de capa avermelhada sob o título "Ensinando boas maneiras para sua criança" .


Albert escreveu:
Você tem um ótimo livro aqui sabia? Bem melhor do que eu esperava e muito útil... Aliás, quanto sairia para eu levar ele para a casa? Além disso, não tenho certeza se você teria isto aqui, mas gostaria de comprar um caderno pequeno e uma caneta, pra fazer anotações, tenho uma entrevista de emprego em breve e me ajudaria bastante. E se possível a senhora poderia ser gentil com o preço? Haha meu bolso nem sempre acompanha minha vontade de aprendizado.


A senhora pousou o livro em seu colo, levantou-se da poltrona e respondeu:

Bibliotecária Lisandre: Claro, por 10.000 berries ele é seu por três dias, mas.... Sabe meu jovem, você foi tão educado, e estou feliz por ter vindo até aqui, faz muito tempo que não vem ninguém... Lhe proponho um trato, se você ir buscar meu neto para o almoço eu faço de graça pra você e lhe dou um caderno de anotações da biblioteca, o que acha? Ele provavelmente deve estar brincando de espadas com os amigos. Tome aqui está uma foto dele, ele se chama Yahiko, se quiser poderá almoçar conosco.

O jovem sentia no ar um cheiro de arroz e curry que automaticamente fazia seu estomago roncar, mas o que a intuição diria a Rolmes?

Foto Yahiko:
 
Off:
 

____________________________________________________

Objetivos nessa aventura::
 


A voz do Joe:
 


Aventura:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jinxxx
Civil
Civil
Jinxxx

Créditos : Zero
Warn : O Mundo pela Perspectiva de um Civil 10010
Data de inscrição : 06/01/2016

O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: Re: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil EmptyDom 19 Fev 2017, 18:43

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Albert Rolmes

O Mundo pela Perspectiva de um Cívil






Ao descer as escadas Albert vê a senhora quieta, com seus olhos concentrados lendo um livro, na capa dizia "Ensinando boas maneiras para sua criança".

"Hum... É verdade, quando havia chegado ela havia dito que eram apenas ela e seu neto, e se ela é a encarregada de cuidar desta criança, pergunto-me o quê será que aconteceu com pais da mesma...".

Conversando com Lisandre sobre os itens que desejava adquirir, um trato foi proposto, Rolmes poderia ficar com o livro por 3 dias e ainda receberia um bloco de anotações da biblioteca de graça, se trouxesse o neto da bibliotecária para o almoço, uma tarefa em tese bem simples. Aparentemente os cortejos antes despejados haviam surtido efeito e trazido benefícios para o jovem.

Albert também estava com sua barriga a roncar, e o aroma do arroz e curry bem temperado na ar não o ajudava neste aspecto, e como a dona havia também lhe convidado para almoçar caso cumprisse esta tarefa, não havia maneira de recusar, seus planos futuros poderiam esperar uma bela refeição. Logo, Rolmes pegaria a foto do garoto oferecida pela senhora, analisaria a aparência do garoto e guardaria consigo,  deixaria o livro de hipnose no balcão e obviamente agradeceria a gentileza ofertada.

- Oh, muito obrigado!  Sua bondade é além da compreensão, fico mais do quê feliz em ajudar, novamente, muito obrigado!

"Okay... Em tese ela esta dona tem um vida bem humilde, e esta me dando estas coisas de graça? Por uma tarefa tão simples, talvez seja apenas por não ter mais ninguém para ajudá-la, não preciso desconfiar de todos, pois de fato cortejos são bem efetivos em mulheres de idade avançada. Entretanto, ainda mantém-se o mistério do colar/chave, o fato dela ter escondido de mim ao perceber que eu estava olhando... Isto despertou minha curiosidade!  Talvez eu possa o Yahiko para desvendar mais disto, e o tempo extra aqui talvez ajude também."

Lisandre havia dito que seu neto estaria provavelmente brincando de espadas com seus amigos, e Albert em sua vinda até a biblioteca havia passado por garotos lutando com suas espadas de madeiras,  logo, acreditava que o neto da bibliotecária estaria lá, e para o local se direcionava com a foto da criança em mãos, para reconhecê-lo com mais facilidade. O fato deste garoto provavelmente não possuir pais,  junto de sua vó estar lendo livros de "boas maneiras", levavam Rolmes a acreditar que o temperamento de Yahiko não seria dos melhores.

Uma vez no lugar, caso avistasse Yahiko, Albert iria apenas esperar, analisar o que o garoto estava fazendo, quem eram seus amigos que estavam em sua volta, não queria ser o cara estraga prazeres da criança, ter uma boa primeira impressão com o neto de Lisandre era importante, pois irá ajudá-lo a descobrir mais sobre aquela chave no colar de ouro, precisava da confiança de Yuhiko. Após observar por alguns segundos, iria esperar uma brecha na brincadeira, algum momento que dessem um pequeno pause, iria aproximar-se do garoto e começar sua abordagem, um pouco peculiar.

- Hey! Você é o Yuhiko? Meu nome é Albert, sua vó Lisande me pediu pra vir aqui chamá-lo para almoçar, mas sabe... Eu fiquei impressionado com suas habilidades de espadachim, é... Você com certeza é um dos melhores entre seus amigos, mas seria você, palio para mim?

Sua abordagem era com uma voz suave, mas um sorriso arrogante, tentando incentivar o garoto a aceitar o "desafio", dificilmente não o faria, pois além de estar na frente de seus amigos, tinham indícios de ser um garoto rebelde.  Albert chegaria perto de alguma das outras crianças que ali estavam, e gentilmente esticaria sua mão em direção a uma das espadas de madeira deles, e pediria com educação.

- Eu poderia?  

A intenção do jovem era se misturar com o garoto, mostrar para ele que não estava ali para dar ordens ou ser mais um adulto chato, ganhar a confiança de Yahiko. Na pior das hipóteses, caso "perdesse" poderia dizer que o fez para q o garoto parecesse mais forte na frente dos amigos, e caso levasse a melhor, diria que o ensinaria a lutar em troca de alguns "favores".

Caso Yahiko aceitasse fazer este pequeno duelo de brincadeira, Albert entraria em guarda, com ou sem a espada de madeira, e tentaria apenas bloquear os ataques do garoto, ao mesmo tempo que andava de costas e em círculo, sempre que bloqueasse um ataque, daria um leve empurrão na criança para trás, afinal não queria machucá-la. Entretanto se o menino não aceitasse brincar,  apenas falaria com o garoto e voltaria para a biblioteca.

- Pois bem Yahiko, sua vó lhe espera, ela fez um ótimo almoço, vamos!

Todavia, se por desventura do destino, não encontrasse o garoto, não restaria opção a não ser mostrar a foto dele para alguém no local, e perguntar se haviam visto ele pelas redondezas.

Obs:
 




HP: 120 || SP: 62

Histórico de Albert Rolmes:
 
★ Narração ★ Falas ★ Pensamentos


Post: 003 ~ Apenas um Civil ~Civil ~ Las Camp

____________________________________________________

~Mini Ficha~:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
TheJoker
Agente Graduado
Agente Graduado
TheJoker

Créditos : 20
Warn : O Mundo pela Perspectiva de um Civil 10010
Masculino Data de inscrição : 12/01/2017
Idade : 26

O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: Re: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil EmptyQua 22 Fev 2017, 01:56

O colar de Lisandre mantinha Rolmes curioso a respeito a bibliotecária e sua história, o que aquele item tão contrastante com o cenário poderia abrir? Em meio a agradecimentos, o jovem decide ajudar a senhora.

O sol estava a pino do lado de fora, o céu parecia mais azul e o clima ameno de manhã fora
substituído por um forte calor. Lembrava-se das crianças brincando de espadas na rua, certamente era um bom local para achar o garoto.

Caminhou durante dez minutos até encontrar um grupo de três garotos, via dois no chão com as mãos a cabeça e no centro deles, Yahiko, que segurava uma espada de madeira em sua mão e dava um sorriso debochado. Ao se aproximar mais, pode ouvir os garotos, diziam com voz de choro:

Garoto 1: Não vale Yahiko! Você bateu muito forte!

Garoto 2: Não precisava pegar tão pesado, era brincadeira só....

Yahiko: Ora seus chorões, isso não é uma brincadeira é um treinamento, aprendam a dar o melhor de vocês em qualquer coisa!

Garoto 2:  Certamente você será o melhor pirata do West Blue Yahiko!

Holmes pode perceber Yahiko fechar a cara e então dar um cascudo no garoto

Yahiko: EU MATAREI TODOS OS PIRATAS! SEREI UM ALMIRANTE! E MATAREI O MALDITO DO MEU PAI QUE ABANDOU A MIM E A MIHA VÓ!

Albert deu um tempo até o garoto voltar ao normal, se aproximou e disse:


Albert Rolmes escreveu:
- Hey! Você é o Yuhiko? Meu nome é Albert, sua vó Lisande me pediu pra vir aqui chamá-lo para almoçar, mas sabe... Eu fiquei impressionado com suas habilidades de espadachim, é... Você com certeza é um dos melhores entre seus amigos, mas seria você, palio para mim?


O garoto olhou com curiosidade para Rolmes, sentia que estava sendo analisado por Yahiko. O garoto concordou com a cabeça quando Albert se abaixou para pegar a espada e então disse com um sorriso confiante:

Yahiko: Posso observar que você não é lá muito forte... mas só volto com você se você vencer... Mas já vou adiantando, eu serei o maior marinheiro que esse mundo já viu! Vence quem acertar o outro

O garoto abaixou-se pegando a outra espada, segurava uma em cada mão. Uma postura avançada de combate para apenas uma criança, pés separados em um alinhamento perfeito, e espadas cruzadas formando um X. Mal esperou Albert se preparar e avançou, batendo suas sandálias de madeira conforme corria.

Yahiko: Nitoryuu Fukaaai Slashh

Yahiko saltou próximo a Rolmes e então efetuou um golpe de espadada dupla, suas mãos faziam um X, descendo de cima para baixo.

____________________________________________________

Objetivos nessa aventura::
 


A voz do Joe:
 


Aventura:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jinxxx
Civil
Civil
Jinxxx

Créditos : Zero
Warn : O Mundo pela Perspectiva de um Civil 10010
Data de inscrição : 06/01/2016

O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: Re: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil EmptySab 29 Abr 2017, 01:15

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Albert Rolmes

O Mundo pela Perspectiva de um Cívil






Rolmes consegue encontrar Yahiko com facilidade, o garoto estava realmente no lugar imaginado brincando com espadas de madeira com seus amigos.  Pelo o que Albert pode ouvir da conversa, o neto de Lisandre estava levando a brincadeira um pouco a sério demais, mas aparentemente tinha um bom conhecimento de luta. No meio da conversa dos garotos, o desejo de Yahiko de ser um Almirante e o motivo para tal, intrigavam Albert.

" Um Almirante então? Seu pai o abandonou... Com certeza um pirata então. Ele fala sobre sua avó, mas nada sobre a mãe... Talvez ele não a tenha conhecido? Ele não demonstra o mesmo ódio pela mãe, logo ela deve ter morrido no parto ou quando era ainda muito jovem."

Independente da habilidade de batalha do garoto, ele ainda era apenas uma criança, e de um estilo que age mais do que pensa, logo, Rolmes decide se manter ao plano e desafia o garoto. Yuhiko aceita, porém confiante da vitória não encara Albert como um desafio. As "regras" são simples, "Vence quem acertar o outro ".

" Este é um garoto bem decidido e explosivo, e bem emocional também visto que grita sua motivação de peito estufado, aparentemente ele gosta de sua avó, afinal é a única pessoa que ele tem, então não terei problemas com isso. Sobre seu estilo de luta, espadachim Nitoryuu? Quem será que lhe ensino isto, mas não é um estilo de luta simples, mesmo que com espadas de madeira exige muito mais força do usuário, e como é apenas uma criança creio que  ele venha a perder muita velocidade pra utilizar as duas espadas, porém aqui vence quem acertar o adversário primeiro, então não me surpreende que ele ganhe de seus amigos, mas se eu for capaz de desvia de seu ataque e conseguir contra-atacar, dificilmente ele terá velocidade para se defender. "

A mente metódica de Albert já começava a agir, analisando a situação, e as possíveis medidas a serem tomadas, mas o garoto era afoito e rapidamente salta em direção a Rolmes, com duas espadas em posição de X, tentando desferir um duplo ataque cruzado. A cena de Yuhiko saltando passava lentamente em sua mente, que tentava processar cada segundo das ações e trabalhava rapidamente para encontrar a melhor estratégia, nem só de músculos é feito um duelo e Albert ia mostrar isto para o garoto.

" Okay Albert, você não é um lutador, mas esta criança também não, olhe essa irresponsabilidade, neste momento ele esta no ar, ele está incapaz de se esquivar, é um ataque completamente imprudente e da infantilidade esperada de uma criança.
Eu tenho uma espada de madeira e posso tentar me defender dos dois ataques... Não, está não é uma boa ideia, ele acabaria com uma espada de cada lado de mim e me encurralaria no próximo ataque.
Talvez um impulso para trás para me esquivar, seguido de um ataque de cima pra baixo com a espada,  pois ao cair ao chão o garoto estaria  completamente sem guarda,  e com suas "armas" pras laterais, deixando sua cabeça exposta por um momento... Não, muito arriscado, o garoto se mostrou um possível prodígio, não posso menosprezá-lo, é possível que ele tente complementar a investida dele com um rolamento até meu estômago, e aí eu que estaria desprotegido.
Já sei! O impulso para trás tentando me esquivar é a melhor opção com certeza, mas atacarei de baixo para cima, assim que ele caia no chão, pois desta maneira independente de seu movimento serei capaz de acertá-lo, e bem... Isto é tudo que preciso para vencer."

Diversos de pensamentos passavam pela cabeça de Rolmes naquilo que eram apenas alguns milésimos de segundo, sua mente lógica mostrava-se a todo vapor.  O Jovem intelectual então segurava sua espada para trás, com ambas as mãos na altura da cintura,  aponta da espada próxima ao chão, preparada para o movimento do ataque. Tentaria então se esquivar do golpe de Yuhiko com um impulso para trás e rapidamente tentaria desferir seu golpes de baixo para cima no momento em que os pés da criança tocassem o chão. Tentaria ser veloz no ataque, porém não violento, não gostaria de machucar o neto de Lisandre.



Obs:
 





HP: 120 || SP: 62

Histórico de Albert Rolmes:
 
★ Narração ★ Falas ★ Pensamentos


Post: 004 ~ Apenas um Civil ~Civil ~ Las Camp

____________________________________________________

~Mini Ficha~:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ayui
Membro
Membro
Ayui

Créditos : 4
Warn : O Mundo pela Perspectiva de um Civil 10010
Masculino Data de inscrição : 06/08/2014
Idade : 17
Localização : East Blue - Shells Town

O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: Re: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil EmptyDom 30 Abr 2017, 16:20

— A curiosidade matou o gato...


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Rolmes tinha andado todo aquele caminho até ali, reparando em cada pequeno detalhe que seus olhos pudessem enxergar, e outros que apenas a sua mentalidade afiada podia descrever, como era o caso de suas teorias e deduções mirabolantes. Apesar de na realidade não ter sido nada longe e muito menos cansativo, dez minutos eram dez minutos ora! Ele poderia ter feito muitas outras coisas naquele meio tempo, mas se bem que ajudar a senhora bibliotecária era de certa forma interligado com seus objetivos pessoais, sejam estes grandiosos ou não.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Durante o trajeto ele pôde perceber casais namorando, crianças brincando, pessoas observando tudo sendo aglomerado em mais e mais informações em seu cérebro, mais e mais "cálculos", estes tão bem desenvolvidos e polidos que se alguém de fora pudesse ler os pensamentos do garoto teria certamente sua consciência expandida junto de um emaranhado de exctasy que seria receber todas aquelas informações sem o mínimo esforço, sem a menor das dores de cabeça.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Mesmo assim, calculando tudo, tentando e na maioria dos casos SENDO atento ao seu redor, ele não foi capaz de sequer prestar atenção nos meninos que brincavam junto de Yahiko e se o fez, foi pouco. Afinal ele tinha mais com oque se preocupar não é mesmo? Tinha uma espécie de diabrete (ou um ser com a mesma energia de tal) nos seus pés, sedento por uma boa luta de espadas e a importância de ressaltar em sua própria mente, se aquela criança tivera uma boa criação, se seus parentes estavam vivos ou mortos e... meu deus, até mesmo pensar se ele tivera algum treinamento para estar utilizando o estilo de luta, Nittoryu. Foi tanta, mais tanta que Albert, simplesmente se esqueceu que ele era uma criança! e mais do que isso, um menino e todos sabemos que nessa idade são poucos os que não tem amigos e também gostam de um jogo limpo. Foi com uma pequena fiscada na região de seu calcanhar, esta que começou a subir em direção á seu joelho, que o calculista percebeu oque se passava á seu redor, e que aqueles dois garotinhos já não se mantinham atrás de Yahiko, pelo contrário, tinham se movimentado e agora amarravam com uma cordinha, não muito grossa, as pernas do mesmo.

- De novo dependendo da gente pra isso Yahiko?! -
dizia o mais baixinho do grupo, portador de um corte ralo, mas que mesmo assim mostrava que o cabelo que um dia existira ali fora negro. Este trajava roupas simples e folgadas, quase como se fosse um pequeno mendigo.

- Para com isso Kaiba! depois ele bate forte na gente, você reclama e eu pago o pato... -
Pronunciava em um tom cabisbaixo um garotinho, que pelo que podia se notar era o mais tímido do trio, e também o mais sensato, mas não menos sapeca. Este por sua vez vestia roupas glamourosas, mas igualmente simples.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]A nossa mente nos prega peças não é mesmo? Era isso que a de Rolmes, fazia neste instante meio que punindo o jovem por não ter notado os garotos lá atrás, apenas por parecerem dois coadjuvantes chorões. Ah mas como ela fazia isso? simples, se "auto-lotando" de diversas informações enquanto aproveitava da surpresa do momento para, exatamente! Paralisar por alguns poucos segundos o civil, o deixando sem quaisquer reação enquanto seu corpo era envolto por cordas e seu peito doía por conta da espada de madeira que batia neste. Voltando á plena consciência apenas quando ouviu o baque de seu próprio corpo batendo no chão, junto da voz das crianças:

- E ai? oque achou do esplêndido; TRIO DIABRETE!? -







TEMPLATE FEITO POR [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty
MensagemAssunto: Re: O Mundo pela Perspectiva de um Civil   O Mundo pela Perspectiva de um Civil Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O Mundo pela Perspectiva de um Civil
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: West Blue :: Las Camp-
Ir para: