One Piece RPG
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito XwqZD3u
One Piece RPG
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» I did not fall from the sky, I leapt
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Formiga Hoje à(s) 08:33 pm

» Ep 1: O médico e o marinheiro
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Wild Ragnar Hoje à(s) 08:00 pm

» Ato I - Antes da tempestade
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Dante Hoje à(s) 07:52 pm

» All we had to do, was cross The Damn Line, Elise!
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor King Hoje à(s) 07:23 pm

» Vou te comer
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Scale Hoje à(s) 07:19 pm

» Drake Fateburn
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor CrowKuro Hoje à(s) 05:06 pm

» I - Justiça: Um compromisso obstinado!
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Hammurabi Hoje à(s) 04:01 pm

» A HORSE WITH NO NAME
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Skÿller Hoje à(s) 02:40 pm

» Pandemonium - 9 Brave New World
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor CrowKuro Hoje à(s) 02:32 pm

» Vol 2 - The beginning of a pirate
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor GM.Milabbh Hoje à(s) 01:58 pm

» O que me aguarda em Ponta de Lança? Espero que belas Mulheres, hihihi
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor GM.Muffatu Hoje à(s) 11:09 am

» Steps For a New Chapter
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Achiles Hoje à(s) 10:14 am

» Um novo recruta: o nome dele é Jack!
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Arrepiado Hoje à(s) 08:30 am

» Em Busca do Crédito Perdido
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor PepePepi Ontem à(s) 11:55 pm

» A Ascensão da Justiça!
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor CaraxDD Ontem à(s) 11:28 pm

» II - Growing Bonds
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Subaé Ontem à(s) 11:05 pm

» O som das ondas é o meu chamado... Adeus, meu filho!
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 11:04 pm

» O catálogo continua, Baterilla a cidade da beleza
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor maximo12 Ontem à(s) 10:20 pm

» Viagem
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Rangi Ontem à(s) 08:11 pm

» Pandamonio, Vol 1 - Rumo à Grand Line!
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Emptypor Fran B. Air Ontem à(s) 06:41 pm



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 77
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : Fishman Island

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty03/12/16, 09:46 pm

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Ereshkigalsön. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mizushiro Hizumy
Revolucionário
Revolucionário
Mizushiro Hizumy

Créditos : 2
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 10010
Masculino Data de inscrição : 12/11/2014
Idade : 20
Localização : Cactus Island

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty04/12/16, 03:10 am



~ Passado & Presente  ~

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | Post: 01



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


D e todos, eu era o que mais bem conhecia a morte. Era um hábito comum divertir-me com ela, acompanhá-la até aos frágeis humanos e ver como agonizavam perante a efemeridade da vida. Porém, desta vez já não era divertido. Desta vez, era eu o peão no tabuleiro do jogo a que chamamos futilmente Vida. A ironia do destino.

 Apesar da ausência dos deuses, sabia que se riam de mim, ali no deserto escaldante, estátua em pé, segurando o único amigo que alguma vez tivera, sentindo o calor do seu corpo esvaziar-se por entre os meus dedos impotente. E antes que pudesse balbuciar qualquer suplício, antes que pudesse finalmente humilhar-me perante as divinas atrocidades à que os mortais chamam de deuses, senti, também pela primeira vez, o toque gélido de um rio que escorria pela minha face. Lágrimas! Eram lágrimas... Em situações passadas tal humilhação seria impensável, mas naquele instante, já não importava se era um deus ou não. Tudo o que mais desejava era ter conseguido salvar o meu companheiro. No entanto, não é esse o tipo de deidade que sou. Não tenho poderes para salvar ninguém. A minha especialidade é a Calamidade, causar guerras, desfortúnio. Ver os Homens matarem-se por meros objectos e recompensar aqueles que conseguissem, pois além da Calamidade, também a Fortuna material é o meu dever.

 Huwawa não tardara a desfalecer em meus braços. O toque fino de sua pele sentia-se pela última vez. E eu, enfeitiçado pela ira e a tristeza, também jazia. Como um covarde, os deuses antigos atiravam-me suas mil flechas e mil lanças. O céu pintou-se de negro e quando finalmente atingiram-me, não foi dor o que senti, misericórdia ou medo, mas a oportunidade de renascer.  

 Com o que restava do meu poder, um último sobro, deixei que meu espírito naufragasse pelos Caminhos sem fim até que viesse a encontrar o corpo perfeito para que pudesse renascer, e um dia, vingar-me dos deuses e dos Homens que os ajudaram... Naquele momento. No momento da minha morte. Havia jurado matá-los a todos e nunca deixá-los esquecer quem sou... Era por isso que não morreria ainda. Não de novo... Por isso levanta-te...

...

- [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]... - E seria gaguejando o próprio nome num sussurro atroz que ordenava ao próprio corpo despertar que o garoto abria os olhos, confuso. A cabeça explodia-lhe em dores e a tontura da visão juntava-se-lhe a paisagem turva. Poderia jurar ter sido nocauteado, mas não se lembrava de nada a curto prazo. Sua última lembrança foi avistar a ténue linha da ilha no longínquo oceano e depois... depois o dia fez-se noite, encheu-se de escuridão e caíra em um profundo sono sem sonhos.  

 Aos poucos, levantar-se-ia e deixar-se-ia sentar sob os joelhos, não só para intentar averiguar onde raios estava, mas também para não agravar a sensação que jurava sentir de tontura. - Hum... Minha cabeça dói! - Exclamaria acariciando a zona e trás da cabeça com um dos olhos fechados.  Depois de olhar o local onde havia sido deixado para trás, como que se fosse um embrulho de lixo ou um cadáver naufragado, examinaria o ambiente a sua volta, na esperança de ao menos encontrar algo de útil. - Maldição! Aqueles cães de recado não me deixaram nada! Como esperam eles que sobreviva? - Irritado, amaldiçoaria os culpados se fosse o caso de não terem deixado para trás nada que fosse de apreço ao rapaz. Em via contrário, se realmente houvesse algo que lhe provesse alguma utilidade, apanharia a mesma com um pequeno sorriso no canto do lábio.

 O noviço estava irritado. Ver-se-ia em seu olhar e no seu andar erecto e pontapeando o chão enquanto caminhava tentando sair dali, em procura de algo interessante. Por mais que tentasse, não havia justificação para o acto vil de seus progenitores. Haviam, ambos, conjurado entre eles e outros nobres o seu falso rapto. - Tzck! Eles irão pagar! ... um dia... - Diria, deixando um pouco do desencorajamento cair-lhe sobre os ombros pesados de cansaço.

 Estava exausto, em um lugar que não conhecia e por mais que lhe custasse admitir, lá no fundo, um pouco assustado. Apesar de saber que outrora fora um deus, agora não passava de um pequeno garoto e ainda havia coisas que não conhecia. Infelizmente, o lance das memórias era algo novo. Na verdade, só havia recuperado uma única memória. A do dia da sua morte. Por isso, segredos alguns lhe haviam sido desvendados. Não estava preparado para enfrentar uma multidão de desconhecidos. Pelo menos, não da forma como tratara recentemente o seu povo.

- Afff...! Talvez o melhor seja procurar um lugar o qual possa oferecer os meus serviços... - Suspiraria, olhando de certo modo aborrecido para suas pequenas, mas firmes, mãozinhas. Olharia para frente e tentaria encontrar uma loja de forja. Quem sabe lá, poderia trabalhar para comer e recomeçar.
 

__________________________________



Histórico:

Post: 01
Ganhos:
Perdas:
Bónus:
Players:
NPC's:

HP: 120/120
SP: 62/62

Vantagens:
• Adaptador
• Genialidade
• Visão Aguçada

Desvantagens:
• Fantasia (Reencarnação de Ereshigal, deus da Calamidade e da Fortuna.)
• Devoção (Eliminar todos os que praticam maldades e tornar-se o ser mais forte entre os Homens/Fazer a calamidade reinar até que mais um ciclo se reinicie.)




Perícias: Forja | Intimidação | Luta de Rua
Ofício: -x-
Patente:
Extras:

...

Objectivos:

  • Não relacionar com NPC's importantes;
  • Não aparecer no Jornal;
  • Não conhecer nenhum player;
  • Forjar uma arma;
  • Fazer um trabalho;
  • Aprender Atuação e Acrobacia;
  • Treinar ambidestria;
  • Inscrever-me no Governo Mundial/Marinha;
  • Ir para Yakira Town;
  • Matar algum fora da lei procurado;
  • Conseguir uma arma;


OFF escreveu:
Olá! õ/  Primeiramente, Thanks por me narrar. Segundo, peço desculpas por quaisquer erros, estive muito tempo sem narrar, por isso pode brigar se fizer bobeira. Agora, quanto aos objectivos, são só esses mesmos. Gostaria de terminar a aventura com cinco páginas se fosse possível, devido à construção(forja) de arma. Em fim, quaisquer dúvidas entre em contacto ^^ Thanks again! \õ/ Ah! Hum... meu char é uma criança, por agora...  

Thanks[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Elliot Irwin
Civil
Civil
Elliot Irwin

Créditos : 12
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 9010
Masculino Data de inscrição : 20/11/2016
Idade : 26
Localização : Rio de Janeiro

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty20/12/16, 05:04 am

Foi com um sussurro vindo do fundo de sua mente que Ereshkigalsön abriu seus olhos, a situação parecia crítica, pois apesar de ser o Deus Ereshigal renascido, apenas uma de suas memórias como Deus havia retornado, muitas das coisas desse mundo ainda lhe eram desconhecidas, e isso lhe trouxe um certo medo pelo seu corpo ainda infantil.

Acariciando a parte de trás de sua cabeça e resmungando, Ereshkigalsön finalmente se pôs de pé. Sua indignação com os homens que lhe deixaram em Toroa Island não haviam lhe deixado nada aparentemente, mas para a satisfação do pequeno Deus, uma pequena adaga foi esquecida ao lado de seu corpo, não era grande coisa mas era melhor do que estar de mãos vazias, pois assim poderia ao menos se defender.

Ainda irritado, se pôs de pé e olhando em volta começou a procurar algo interessante, foi quando lhe veio a memória de seus pais, que fizeram o ultrajante ato de combinarem com outros nobres o seu rapto, estado irado com essa situação, mas ao pensar que demoraria bastante tempo para que pudesse se vingar, deixou esse pensamento de lado, por enquanto.

Ereshkigalsön ainda se sentia cansado quando aproveitando de sua visão aguçada, conseguiu ver ao longe uma pequena montanha, e ao forçar um pouco mais pôde ver algumas casas, que pareciam ser parte de uma cidade, então resolveu ir até lá.

Ao chegar na cidade o sol já tinha nascido, então muitas pessoas já andavam livremente por lá. Tirando o Laboratório que estava guardado por cerca de 20 Marinheiros, o resto da cidade parecia ser bastante alegre, o clima estava bem ameno  esperado de uma ilha de primavera só melhorava a atmosfera da cidade, em o pequeno Deus se sentou em um banco que havia perto do lago que ficava exatamente no meio da cidade, de lá ele pôde ver os diversos tipos de lojas que haviam por lá, iam desde pequenos bares e bazares até ferrarias e um grande restaurante.


Ershkigalsön:
 

Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Sonho de Consumo:
 


Objetivos Futuros:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mizushiro Hizumy
Revolucionário
Revolucionário
Mizushiro Hizumy

Créditos : 2
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 10010
Masculino Data de inscrição : 12/11/2014
Idade : 20
Localização : Cactus Island

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty20/12/16, 03:10 pm



~  Procurando Trabalho  ~

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | Post: 02



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


O pequeno viajante descera a pequena montanha até a cidade. Seus pés, sujos de areia e terra, caminhavam agora pelas ruas e caminhos da localidade, passando por entre as pessoas e admirando a alegria daquele povo que se harmonizava com o clima ameno da ilha. Um ligeiro riso pintava-se-lhe nas pontas dos lábios, um riso sem significado ou sentimento, um riso inconsciente.

Veio a parar junto ao lago, no centro da urbe. Insaciável de sede, como quem navegara léguas náuticas sem fim, pôr-se-ia de cocaras, abaixando a cabeça e trazendo o líquido da vida à frágil boca com as mãos. A secura de um longo caminho percorrido sob o duro sol do estio, passado na caravela até então chegar à Toroa, agarrar-se-lhe-ia à goela. Ainda assim, sorveria o líquido devagar, saboreando-o, escondendo na delicadeza do gesto e dos esbeltos traços infantis, a imensa secura que lhe empastara a saliva. Assassinada a sede, lavaria o semblante e refrescaria o pescoço enquanto avaliaria as construções em sua volta: Tabernas, restaurantes, pequenos bares e ferrarias. As construções comerciais que haviam por ali pareciam ter uma pequena infinidade.

- Acho que irei procurar por um trabalho! - Explanaria pensativo, cruzando os braços ao pôr-se de pé. - Será uma boa oportunidade de aprimorar as minhas habilidades, conseguir informação e mais alguns trocados! - Continuaria, bem convicto da sua breve decisão. - Além disso, acho que só esta pequena adaga não me será útil! Tenho que construir uma arma mais apropriada e conseguir uma arma de fogo... - Olharia para a adaga após retirá-la de dentro das vestes, onde a havia guardado para não chamar atenções. Seus olhos vermelhos tremeriam um pouco, perdendo a confiança naquele pedaço metálico a que chamava de arma. Apesar da experiência em lutas, sentia-se muito mais confortável aniquilando seus oponentes aquém deles.

Voltando a guardar a adaga, o seu andar firme dirigir-se-ia à loja de forja. Estava decidido a conseguir o trabalho e a criar a arma perfeita.

 De mãos pequeninas e igualmente pequeninos dedos, empurraria a porta da loja e adentraria na mesma. O coração levemente alterado, ansioso. A oportunidade de criar algo com as próprias mãos... Era algo que sabia já o ter feito, porém, em outras dimensões. Agora, como um simples humano, ainda mais cria, forjar algo assemelhava-se a criar novos mundos, enfrentar deidades míticas ou destroçar heróis escolhidos, espalhando o caos pela humanidade. O sentimento de nostalgia fluir-lhe-ia pelas entranhas assim que adentrasse na loja e que sentisse os aromas quentes dos vapores da fundição do aço. Um brilho surgiria em seu olhar já singular.

 - Olá! - Exclamaria, surpreendentemente, alegre. - Eu gostaria de trabalhar aqui como um ferreiro! - Aproximar-se-ia da pessoa que lhe parecesse ser o responsável pelo local, alguém que talvez vestisse um avental ou que estivesse suja devido ao ofício. - Pode não parecer, mas sou até bom em forjar armas! - De sorriso no rosto, bateria firmemente o punho direito cerrado no peito, demonstrando toda a sua confiança.

E então, aguardaria por uma resposta. Se, por acaso, houvesse adentrado na construção errada, envergonhado, corado de bochechas rosadas, pediria desculpas e apressaria a deixar o local, atrapalhado e chateado consigo mesmo.

 Caso aceitassem a sua proposta, mostraria um sorriso bem grande, deixando a sua confiança e alegria transbordar.
 




 

__________________________________



Histórico:

Post: 02
Ganhos: 1 Adaga |
Perdas:
Bónus:
Players:
NPC's:

HP: 120/120
SP: 62/62

Vantagens:
• Adaptador
• Genialidade
• Visão Aguçada

Desvantagens:
• Fantasia (Reencarnação de Ereshigal, deus da Calamidade e da Fortuna.)
• Devoção (Eliminar todos os que praticam maldades e tornar-se o ser mais forte entre os Homens/Fazer a calamidade reinar até que mais um ciclo se reinicie.)




Perícias: Forja | Intimidação | Luta de Rua
Ofício: -x-
Patente:
Extras:

...

Objectivos:

  • Não relacionar com NPC's importantes;
  • Não aparecer no Jornal;
  • Não conhecer nenhum player;
  • Forjar uma arma;
  • Fazer um trabalho;
  • Aprender Atuação e Acrobacia;
  • Treinar ambidestria;
  • Inscrever-me na Marinha;
  • Ir para Yakira Town;
  • Matar algum fora da lei procurado;
  • Conseguir uma arma


OFF escreveu:
Thanks! ^^  Bem, eu gostaria de primeiramente forjar uma arma para o meu personagem, fazer um trabalho e só depois entrar para a Marinha. Se puder ser por essa ordem, eu agradecia, mas você que decide :D  Ah! Além da adaga, depois (talvez) comprarei uma arma de fogo, pois meu Edc é Atirador. ^-^  Meus post's serão pequenos até voltar a me habituar a narrar, espero que esteja tudo certo! ^^ E Sorry os erros de concordância e ortográficos.... Estava com preguiça de reler o post -.-' 

Thanks[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:

[ ] Ganhar uma Meitou lvl 2; (ノ≧∀≦)ノ
[ ] Ter Ofício Ferreiro lvl 2; (╯✧∇✧)╯
[ ] Forjar uma Katana lvl 2; (ര̀ᴗര́)و ̑̑
[ ] Caçar 5 Recompensas;  ヾ(〃^∇^)ノ♪
[ ] Vencer o torneio de artes marciais 1x; (๑•̀ㅂ•́)و✧
[ ] Encontrar dois tesouros; (۶ꈨຶꎁꈨຶ )۶ʸᵉᵃʰᵎ
[ ] Viajar por todo South e West Blue; ೕ(⁍̴̀◊⁍̴́ฅ)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Elliot Irwin
Civil
Civil
Elliot Irwin

Créditos : 12
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 9010
Masculino Data de inscrição : 20/11/2016
Idade : 26
Localização : Rio de Janeiro

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty20/12/16, 06:52 pm

Procurando Trabalho

Depois de beber um pouco da água do lago que havia no centro da cidade para matar sua sede, que parecia estar lhe matando, Ereshkigalsön decidiu que era hora de procurar um trabalho para si, já que estava precisando de dinheiro e com isso ainda poderia conseguir informações e melhoras suas habilidades. A adaga que tinha achado ao lado de seu corpo agora estava bem escondida entre suas vestes, o pequeno a observou e veio um sentimento de insegurança para si, já que sua habilidade era a de usar armas de fogo para aniquilar seus oponentes de longe.

Guardando a adaga, o pequeno Deus foi em direção a uma loja bem antiga, tanto que não era possível ler nada no letreiro de tão velho que este se encontrava. Não ligando para a aparência da loja, entrou na mesma e se deparou com algumas pessoas lhe olhando, o único que parecia não ter notado a invasão fora um velho, que usava um avental bastante gasto.

Ignorando a tensão aparente do local, Ereshkigalsön disse com um pequeno sorriso no rosto que queria trabalhar no local como ferreiro, o velho finalmente percebendo a presença do pequeno o olhou, analisando-o de cima a baixo e do nada começou a rir.

- Você é bem engraçado garoto, mas pela confiança deve ter alguma habilidade. Para sua sorte estou precisando de uma ajudante nesse exato momento. - Disse o velho virando de volta para o que estava fazendo anteriormente, martelar uma espada incandescente. - Mas eu gostaria de ver como vai se sair. Quero que para começar forje uma espada para mim, mas eu quero uma que corte, conheço muitos ferreiros que fazem espadas lindas, mas que não cortam nem um pedaço de papel, por isso eu quero uma espada que corte, não me importa sua aparência.

Com um sorriso bem grande iluminando seu rosto, Ereshkigaldön foi em direção à forja para começar seu trabalho


velho ferreiro:
 

Ereshkigalsön:
 

off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Sonho de Consumo:
 


Objetivos Futuros:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mizushiro Hizumy
Revolucionário
Revolucionário
Mizushiro Hizumy

Créditos : 2
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 10010
Masculino Data de inscrição : 12/11/2014
Idade : 20
Localização : Cactus Island

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty21/12/16, 10:27 pm



~ Forja - Uma espada Única? ~

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | Post: 03



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


O vermelhão de seus olhos à tal vislumbre brilhou como já em tempos e eras não brilhava. Nas veias, ramificações da vida, o sangue fervilhou. Perante o forno da criação e a bigorna do endurecimento, sentiu-se ele Nammuka. Por fim, poderia sentir em seus nervos as sensações que eram reservadas somente ao Deus da criação, pois a efemeridade humana havia o abençoado com a simplicidade do sentir. Agora, como um simples mortal, mais frágil que os demais, ingénuo e inocente, conseguiria vivenciar as mesmas sensações que Nammuka quando este forjou o Mundo, porque agora, era ele quem possuiria o Martelo da Criação.

Se olhos estranhos de clientes caíssem sobre o pequeno Deus, veriam nele um sorriso singular. Não era alegria apenas, ou diversão sequer. A luxúria dominava os lábios do jovem infante. Olharia para os itens em seu redor como um plebeu olha para a sua rainha, no intuito de possuí-la, mesmo sabendo da impossibilidade. Seria, por outras palavras, um sorriso vil e ganancioso. Era em momentos como aquele que, durante meia fracção de um segundo, as memórias do passado se confundiam com o presente. Um milagre a que alguns chamariam de ilusão esquizofrénica.
E o sopro milagroso trouxer-lhe-ia a memória da sua infância como divindade, junto aos rivais deuses. Nessa memória estava vivamente presente o sentimento que sentia perante as coisas mundanas. Amava-as a todas como uma fera, amava-as carnivoramente, pervertidamente e feralmente, isso porque ao contrário dos outros, nele estava incutida a vontade de possuir tudo que Nammuka criara: As coisas grandes, as banais, as úteis, as inúteis; As modernas e as do berço do Universo. E era essa vontade inexplicável de ser o Grande Deus que fazia dele a divindade mais próxima à humanidade e também era essa sua vontade de conquistar que o levou a ser mutilado pelos outros.

Despertaria então do sono ignavo que o local lhe jogara um pouco suado, contudo ainda com o brilho nos olhos, tornando a cor mais viva que o normal. - Uma espada que não corta nada mais é do que um palito para limpar os dentes. - Exclamaria fixando o olhar para o material, mas em um tom alto e sarcástico o suficiente para que o velho o conseguisse ouvir. Estava tentado a fazer uma boa espada, não somente uma que cortasse.

Estando traçado o seu objectivo, mentalmente, o momento era o ideal para arregaçar as mangas e por o seu sangue e suor na forja. De mãos na fina silhueta, seu semblante procurava por lenha ou outro material inflamável que pudesse carbonizar no forno, para que a este fosse possível atingir temperaturas elevadíssimas. Com seus bracinhos magros, agarraria nas lenhas, uma por uma, e as lançaria na zona correta do forno. Pararia quando toda a lenha estivesse a queimar. Não havendo lenha, porém carvão, procuraria por uma pá e, com todas as forças miseráveis que aqueles galhos finos a que chama braços têm, jogaria o carvão na fornalha. Lenha ou carvão, fosse o que fosse, assim que terminasse, não só estaria transpirado como com o rosto e o corpo sujo de sujeira e negrume da fumaça, com a palma da mão esquerda limparia o suor da testa e suspiraria. Por meio minuto, os olhos do garoto acompanhariam o corpo dançante das labaredas. Donde estaria daria para sentir o forte calor a queimar o ar e a tocar-lhe na face.

Crafting & Building - Greywolf


A temperatura da infernal fornalha parecia-lhe estar perfeita. Tão quente que conseguia castigar as almas opulentas sem manchar o frágil recipiente carnal. Obstinado a cumprir a sua tarefa, até mesmo orgulhoso e sedento por realizá-la, revestiu suas frágeis mãos em umas velhas luvas de ferreiro, e com elas, que pareciam ser dez tamanhos acima do seu, procurou por vários pedaços de metal bom, fosse aço, ferro ou outro espécime. Agarrou-os e depositou-os dentro de um balde de pedra. O mais fácil seria o garoto apenas aquecer um molde já pronto e depois martelá-lo até formar o corpo atraente que todos os espadachins desejam, todavia, a oportunidade de criar algo do inexistente mexera com ele.

Encaixou suas mãozitas nos orifícios de uma pinça colossal e firmando-a, segurou no "copo"/balde de pedra e o depositou no centro das chamas, para que o seu conteúdo pudesse ser derretido, alcançando a liquidez. Tal processo levaria alguns minutos. Virou-se e procurou por um molde perfeito, esse seria aquele que o fizesse sentir arrepios ao confrontá-lo. Desmitificado, pousou em cima da mesa e voltou-se para a pinça, novamente. O momento de retirar o "copo" da fornalha havia chegado. Com o recipiente bem firme pela pinça, lançou o magma derretido dentro do molde. Em pensamentos, tudo o que podia dizer era "OOOWWW!". Ver aquela pasta gelatinosa cor de fogo possuir a forma do molde era, estupidamente, incrível.

Com o líquido no molde, agora era arrefecê-lo. Para isso era necessário um tanque com água. O encontrando, depositaria o molde dentro do tanque e, atento, visionaria todo o fumo albo que emergiria do contacto do molde quente com a água. Não o encontrado, procuraria um balde que pudesse encher de água e lançaria a mesma em cima do molde.

Já o corpo da espada criado, era agora o momento do clímax, onde teria ele que endireitar o corpo e depois afiá-lo. Uma vez mais, com a pinça, retirou o corpo metálico do molde e o introduziu-o por alguns instantes no forno, até que adquirisse uma ligeira tonalidade vermelha. Atingida, pousaria o corpo metálico em uma bigorna e com um martelo na mão direita, martelaria cruelmente o mesmo até que este se endireitasse, sem envergaduras. Levar-lhe-ia algum tempo, mas mesmo que os braços doessem e quisessem ceder, mesmo que o suor escorresse como cataratas, não desistiria, pois o tilintar místico do martelo lembrava-lhe do seu pai passado, o criador do Mundo e dos Deuses. Aquele era o único momento em que podia assemelhar-se à ele. Não pararia até estar então satisfeito.

Endireitado o corpo, o que faltava agora era ter a certeza que aquele pedaço rectangular metálico cintilante era mesmo uma espada, para isso, teria que cortar. Com pedaços de lixas em ambas as mãos, lixaria o corpo da arma. Esfregaria incessantemente as lixas pelo metal, em movimentos repetitivos de vai e vem, alongando e flectindo os braços. Terminado com as lixas, continuaria a afiar a lamina contra uma pedra própria para o efeito, raspando a mesma na pedra uma e outra vez, de um lado e do outro, ao longo das duas extremidades.

Por fim, sentindo que estava afiada, limparia a lâmina com subtileza e delicadeza. Agora apenas faltava formar-lhe o cabo perfeito. Enfeitar-la-ia o cabo com pedaços de couro que encontrasse pelo local e, na ponta do mesmo, tentaria "desenhar" com a lixa o busto de um lobo.

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Achando ter o seu trabalho finalizado, chamaria a atenção do superior. Com a espada nas mãos como um pedaço de seda preciosa, em um gesto natural e mecânico, onde no olhar procurava, inconscientemente, descobrir a aprovação, levantou-a ao alto. - O que você acha? Não é muito bonita, é verdade... Porém, acho que é afiada! - A boca rasgar-se-lhe-ia no esboçar de um sorriso alegre, sádico e luxurioso ao imaginar o momento em que o idoso, impressionado, o elogiaria.

Feroz seria ele se todo aquele esforço mortal, todo o seu transpirar, a sua ambição, fossem varridos como poeiras ou ambições fúteis. Não o demonstrando, seria visível o seu desgosto, o amargurado ódio e as injúrias cantadas ao vento em silêncios. E cabisbaixo, sentindo-se humilhado, recolheria a lamina e voltaria a melhorar o seu trabalho falho.

No entante, atingido o objectivo, sentir-se-ia reluzente. Ingenuamente alegre, com a sensação de satisfação preenchendo-lhe a pequena alma. Sorriria, corado por todos os cantos. - Obrigado pela oportunidade! - Agradeceria pela trabalho, estendendo a mão caso o superior decidisse o pagar. - O senhor acha que posso forjar uma espada para mim? - Indagaria, ansioso por uma resposta.


__________________________________



Histórico:

Post: 03
Ganhos: 1 Adaga |
Perdas:
Bónus:
Players:
NPC's:

HP: 120/120
SP: 62/62

Vantagens:
• Adaptador
• Genialidade
• Visão Aguçada

Desvantagens:
• Fantasia (Reencarnação de Ereshigal, Deus da Calamidade e da Fortuna.)
• Devoção (Eliminar todos os que praticam maldades e tornar-se o ser mais forte entre os Homens/Fazer a calamidade reinar até que mais um ciclo se reinicie.)




Perícias: Forja | Intimidação | Luta de Rua
Ofício: -x-
Patente:
Extras:

...

Objectivos:

  • Não relacionar com NPC's importantes;
  • Não aparecer no Jornal;
  • "Não conhecer nenhum player";
  • Forjar uma arma;
  • Fazer um trabalho;
  • Aprender Atuação ou Acrobacia;
  • Treinar ambidestria;
  • Inscrever-me na Marinha;
  • Ir para Yakira Town;
  • Matar algum fora da lei procurado;
  • Matar [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] ou [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.];
  • Comprar a Perícia: Costura;
  • Conseguir uma arma


OFF escreveu:
Sorry o post sem qualidade, mas não sabia muito bem como fazer um post de trabalho.... Acho que o post da forja vai sair sem qualidade também, por ser a primeira vez... Se desse para capturar um procurado, acho que gostaria de tentar um desses dois aí de cima... Será que dá para o fazer sem que interrompa o Time Skip? :/

Thanks[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:

[ ] Ganhar uma Meitou lvl 2; (ノ≧∀≦)ノ
[ ] Ter Ofício Ferreiro lvl 2; (╯✧∇✧)╯
[ ] Forjar uma Katana lvl 2; (ര̀ᴗര́)و ̑̑
[ ] Caçar 5 Recompensas;  ヾ(〃^∇^)ノ♪
[ ] Vencer o torneio de artes marciais 1x; (๑•̀ㅂ•́)و✧
[ ] Encontrar dois tesouros; (۶ꈨຶꎁꈨຶ )۶ʸᵉᵃʰᵎ
[ ] Viajar por todo South e West Blue; ೕ(⁍̴̀◊⁍̴́ฅ)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Elliot Irwin
Civil
Civil
Elliot Irwin

Créditos : 12
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 9010
Masculino Data de inscrição : 20/11/2016
Idade : 26
Localização : Rio de Janeiro

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty21/12/16, 11:39 pm

Sorrindo, Ereshkigalsön foi em direção a forja, ele se sentia muito bem, graças as memórias recuperadas de Ereshigal durante o festival da "Lua que Sangra", enquanto andava em direção a forja o mesmo começou a olhar para tudo que pudesse usar para fazer a arma que fora lhe pedida e em seu era possível ver um sorriso, mas não um sorriso comum, era um sorriso completamente carregado por luxúria, o que assustou levemente os clientes que acabaram por observar o garoto.

Voltando a si, ele resolveu que era a hora de começar, olhou para o velho ferreiro que novamente estava concentrado em seu trabalho e lhe disse sobre espadas que não poderiam cortar, o velho não deu a mínima atenção ao menino, mas este não ligou pois estava completamente focado em fazer a melhor arma que seus finos braços e suas pequenas mãos permitissem.

Para a sorte do pequeno Deus, havia um grande saco separado das outras coisas, era um saco de carvão, então usando quase toda a sua força ele fez um imenso esforço para poder levar o saco até a forja e despejar o conteúdo dentro. com o rosto completamente sujo pela grande quantidade de fumaça proveniente do saco de carvão e totalmente molhado de suor pelo esforço. Algumas pessoas o olhavam e pensavam em como o trabalho do pequeno seria em vão, nenhuma dos clientes do local acreditava que ele conseguiria fazer sequer um pequeno pedaço de metal, quem diria uma espada que pudesse cortar, mas o ferreiro sabia que não era assim, ele tinha uma boa percepção dos fatos, e sua intuição quase nunca falhava, no momento ela lhe dizia que ali estava um menino que poderia terminar a tarefa lhe imposta.

Alheio a tudo que acontecia ao redor, Ereshkigalsön olhava para o bruxelear das chamas que exalavam um calor quase infernal, observou que a temperatura das chamas estava perfeita naquele momento, então era hora de começar seu projeto. Olhando em volta procurou por algumas luvas de ferreiro, mas só achou uma que estava quase escondida, era muito maior que o tamanho de sua mão, mas não deixaria que isso lhe atrapalhasse. E pegando um pinça enorme e começou seu trabalho.

O trabalho de um ferreiro era árduo e precisava acima de tudo paciência, pois se faltasse um único detalhe seu trabalho passava de esplêndido para inútil. Foram diversas vezes que os clientes pensaram que o pequeno Deus cairia sob o peso do martelo que usara para achatar o aço da espada pedida, mas ao ver a determinação nos olhos dele, os olhares dos clientes mudaram para uma pequena admiração ao ver o quão duro ele trabalhava, no final todo o trabalho duro de Ereshkilgasön foi recompensado em uma espada singular.

Era diferente das espadas que normalmente eram expostas a venda, mas não deixava de ter sua beleza. Terminando os últimos detalhes, o pequeno encaixou a espada na bainha e entregou para o velho ferreiro, que sem falar nada puxou e a brandiu de qualquer forma, o que quase se mostrou um erro, pois durante um desses movimentos a espada passou a poucos centímetros do pescoço do pequeno Deus.

- Me desculpe meu jovem. Estava testando o peso dessa espada. Você deve ter pego um pedaço bem grosso, já que ela é mais pesada que as espadas que eu costumo fazer. Disse o velho ferreiro fazendo com que o pequeno ficasse levemente corado. - Eu pretendia deixar essa espada com você, mas com esse peso, você teria bastante dificuldade de manuseá-la. Então vou lhe dar uma espada que eu tenho guardada aqui. Não pense que eu sou um cara generoso assim, só poderá ficar com ela, porque você me mostrou que a merece com seu esforço. - Finalizou o ferreiro de braços cruzados. - Espere um momento que já voltarei aqui com a espada.

Depois de um tempo, o ferreiro volta com uma espada embainhada em suas mãos, uma katana melhor dizendo, a bainha era totalmente preta, enfeitada com alguns detalhes dourados e uma faixa amarela, seu cabo era branco com alguns desenhos em forma de losango e assim como a bainha tinha alguns detalhes dourados. Mas sua lâmina prateada dava a impressão de ser uma arma poderosa.

- Ela agora é sua agora, poderá fazer o que quiser com ela. Disse o velho entregando-a nas mãos de Ereshkilgasön. - Esse foi seu pagamento pela espada que fez, mas você parece star precisando de dinheiro, então vou te fazer uma proposta. Faça mais uma espada para mim que te pago 20.000 Berries. O que acha? Pergunta o velho sorrindo com os braços cruzados.

Katana:
 

Histórico do NOME DO PLAYER:
 

off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Sonho de Consumo:
 


Objetivos Futuros:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mizushiro Hizumy
Revolucionário
Revolucionário
Mizushiro Hizumy

Créditos : 2
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 10010
Masculino Data de inscrição : 12/11/2014
Idade : 20
Localização : Cactus Island

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty23/12/16, 10:44 am



~ Forja - Um Florete?  ~

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | Post: 04



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


O seu coração começara a bater fortemente, o ataque desajeitado que acontecera sem aviso por parte do idoso não só deixara sua goela com um nó seco, como também abrira um sorriso hostil em seus finos lábios carnudos. - Velho maldito! Por pouco não mo arrancou o pescoço! - Pensou, com os nervos à flor da pele e as veias da testa a saltar de saliente.

Quando o ferreiro regressou, junto de uma katana e outro pedido de trabalho, o deus miúdo esforçara-se para disfarçar a raiva que ainda fervilhava em si e a sua vontade de atacar o homem à sua frente. - S-SIM!... Eu faço outra espada... - Pronunciaria, rangindo os dentes a princípio.

Colocaria a espada oriental presa à cintura, próxima a adaga que encontrara na praia, partilhando do mesmo destino que o seu. Limparia o que restasse de suor da testa e começaria a trabalhar, novamente. Desta vez, utilizaria já uma "lamina" pronta em vez de criar uma de origem. É verdade que o grandioso Criador era o único capaz de criar do nada, contudo, até mesmo ele transformava jarros velhos em jarros d'ouro.

Crafting & Building - Part 2

Envolvendo outro saco de carvão num abraço forçoso, esmagando o rosto contra o saco e apertando os braços no corpo do recipiente, levaria o mineral até a fornalha, onde depositaria o mesmo para reavivar aquelas chamas ardentes semelhantes ao Inferno. Esperaria as chamas atingirem a temperatura certa, para então, de seguida, com os olhos genuinamente mais vermelhos que as próprias labaredas, buscar por uma lamina inacabada longa e forte. Encontrando uma, com a pinça em mãos, firmar-la-ia e lançaria o pedaço de metal comprido às fornalhas infernais.
Desta vez, ao contrário da anterior, tinha que estar mais atento, pois o seu objectivo não era derreter o ferro, porém, deixá-lo quente o suficiente para que o mesmo esteja maleável. Quando a mistura de tons laranja e encarnado se fundissem ao cinzento metálico, o menino puxaria as mãos e redireccionaria a pinça, assim como o pedaço de ferro, para a superfície da bigorna.
De martelo cerrado bruscamente na minúscula mão direita, enquanto que a esquerda seguraria na pinça para manter a "lamina" esquentada imóvel, Ereshkigalsön possuiu-se do espírito brutal de Thor e começou a tilintar com muita mais agressividade e violência que na arma anterior. Era muito mais complicado dar forma a um corpo já modelado do que esculpir algo do zero. Ele teria que corrigir as falhas que existissem no metal.

Girando a pinça, e consecutivamente o pedaço longo de ferro, de um lado e do outro, o rapazito foi martelando sem parar todo aquele corpo gélido. O martelo criaria, por vezes, pequenas lascas e faíscas por estar a fazer fricção nas zonas mais aquecidas do metal. Terminado uma parte, voltaria a esquentar a lamina no forno e repetiria o mesmo processo de pousio na bigorna e de martelamento.
No instante que o pedaço de metal se tornasse algo fino e rectilíneo, sem curvas ou falhas, o jovem Deus pegaria no material de lixar e o esfregaria ao longo de toda a lamina: De um lado e do outro, nas extremidades e na ponta. Passaria ali uns bons minutos apenas a afiar a lamina para ter a certeza de que a mesma cortasse mais do que a anterior. Também queria ter a certeza que, desta vez, esta espada não fosse tão pesada, pelo contrário! Estava intentando criar um florete, se fosse muito pesado, não seria útil, pois teria que se usar ambas as mãos para a segurar.

Terminado de afiar a lamina, era o momento de a polir até que conseguisse ver o seu próprio reflexo na mesma. Outra vez, repetiria os gestos de vai e vem, para cima e para baixo, ao longo do corpo metálico.

Quando a arma já estivesse polida, procuraria por uns pedaços finos de ferro. Os aqueceria no forno com a pinça, mas não muito, e então os retiraria e com o martelo, os tentaria moldar e dar uma forma ligeiramente mais circular, tentando criar assim algo estético para usar como cabo da espada.

Feito todo o trabalho árduo, voltaria até ao superior para entregar-lhe a espada e para que ele a testasse. Desta vez, não abaixaria a guarda como da primeira. Assim que o velho segurasse na lamina, recuaria três passos rápidos e longos, quase saltados. Seus olhos, mais afiados que quaisquer laminas naquela loja, mais quente que o magma e mais peculiares que os olhos de gato, estariam atentos aos movimentos do ferreiro. Se o mesmo balançasse a espada em sua direcção, o garoto mover-se-ia para o lado oposto da arma dois metros. Poderia estar a exagerar, todavia, o velho realmente o havia deixado alerta e irritadiço após aquela quase decapitação sem sentido.

__________________________________



Histórico:

Post: 04
Ganhos: 1 Adaga lvl1 | 1 Espada Japones (Katana) lvl1 |
Perdas:
Bónus:
Players:
NPC's:

HP: 120/120
SP: 62/62

Vantagens:
• Adaptador
• Genialidade
• Visão Aguçada

Desvantagens:
• Fantasia (Reencarnação de Ereshigal, Deus da Calamidade e da Fortuna.)
• Devoção (Eliminar todos os que praticam maldades e tornar-se o ser mais forte entre os Homens/Fazer a calamidade reinar até que mais um ciclo se reinicie.)




Perícias: Forja | Intimidação | Luta de Rua
Ofício: -x-
Patente:
Extras: 2 Trabalhos Feitos (Post's 3 e 4) |

...

Objectivos:

  • Não relacionar com NPC's importantes;
  • Não aparecer no Jornal;
  • "Não conhecer nenhum player";
  • Forjar uma arma;
  • Fazer um trabalho;
  • Aprender Acrobacia;
  • Treinar ambidestria;
  • Inscrever-me na Marinha;
  • Ir para Yakira Town;
  • Matar algum fora da lei procurado;
  • Matar [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] ou [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.];
  • Comprar a Perícia: Costura;
  • Conseguir uma arma


OFF escreveu:
Desculpa o post pequeno e mais fraco, mas só tive alguns minutos para o fazer Ç.Ç Desculpa! Ah! Eu estive a pensar, se no post seguinte ainda ter para eu forjar uma arma para mim antes de ir comprar o revólver, eu queria... ^.^ Queria tentar forjar ainda umas correntes :/ Assim ficava com 1 adaga, 1 katana, 1 corrente e 1 revólver \õ/ Acho que com isso, talvez tenha hipóteses numa luta :/

Thanks[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:

[ ] Ganhar uma Meitou lvl 2; (ノ≧∀≦)ノ
[ ] Ter Ofício Ferreiro lvl 2; (╯✧∇✧)╯
[ ] Forjar uma Katana lvl 2; (ര̀ᴗര́)و ̑̑
[ ] Caçar 5 Recompensas;  ヾ(〃^∇^)ノ♪
[ ] Vencer o torneio de artes marciais 1x; (๑•̀ㅂ•́)و✧
[ ] Encontrar dois tesouros; (۶ꈨຶꎁꈨຶ )۶ʸᵉᵃʰᵎ
[ ] Viajar por todo South e West Blue; ೕ(⁍̴̀◊⁍̴́ฅ)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Elliot Irwin
Civil
Civil
Elliot Irwin

Créditos : 12
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 9010
Masculino Data de inscrição : 20/11/2016
Idade : 26
Localização : Rio de Janeiro

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty26/12/16, 04:54 pm

Após quase seu pescoço arrancado fora, a primeira reação de Ereshkilgasön foi a ira, pois mesmo sendo acidentalmente quase perdera a vida por nada, abriu um sorriso hostil e fez uma reclamação com o velho que fizera tal ação, o mesmo nem ligou para o que foi lhe dito, já que a culpa era inteiramente sua. Depois de entregar uma katana que estava guardada consigo para o pequeno, o velho lhe ofereceu para que fosse feita outra espada, mas essa seria como um verdadeiro trabalho já que receberia pela espada feita.

Ainda irritado com o ocorrido, o pequeno Deus aceitou o trabalho oferecido, colocou a katana recebida na cintura, próxima a adaga que fora achada na praia quando acordara de seu sequestro. Depois de limpar sua fronte, o mesmo se pôs a trabalhar novamente, mas pelo tempo que demorara a fazer a outra espada, não conseguiria fazer outra igual, decidiu que usar um pedaço de metal que tivesse um formato parecido com o de uma lâmina facilitaria bastante seu trabalho, procurou bastante e enfim achou, seria perfeito para a espada que tinha em mente, mas pensou que se pudesse criar as coisas a partir de velharias como o grande Criador fazia, sua vida seria mais fácil, mas nem tudo sai como o planejado, Ereshkilgasön começou o trabalho que foi lhe oferecido.

-------------------

Depois de mais um árduo processo de criação de uma espada, seu trabalho foi finalizado, poderia ser considerado uma obra prima, já que uma espada leve e afiada como aquela levaria bastante tempo para ser feita, mas o pequeno conseguiu reproduzi-la rapidamente. Após os toques finais, Ereshkiglsön encaixou o florete na bainha e entregou ao velho que observou todo o processo de fabricação daquela espada, mas devido ao descuido mais cedo do velho, o mais jovem deu dois largos saltos para trás para evitar outra reação daquela, o que divertiu muito o velho.

-Hahahahaha, não se preocupe garoto, não vou me descuidar de novo. Agora vamos dar uma olhada nesta belezinha. - Disse o velho desembainhando o florete que foi entrego.

Florete:
 

- É um belo trabalho, mas veremos se é eficiente. - Disse o velho começando a fazer alguns movimentos com a espada.

Depois de alguns movimentos, o velho deu uma forte estocada com o florete contra um boneco de madeira, aparentemente esquecido por lá, e para a surpresa de muitos, o florete atravessou o boneco completamente, devido ao trabalho extra para afiá-la, feito pelo pequeno Deus. Sorrindo, o velho pôs o florete de volta na bainha e foi na direção do pequeno Ereshkigalsön.

- É uma ótima espada, lhe dou 30.000 Berries por ela. Disse lhe entregando o dinheiro. - Se quiser utilizar novamente a forja, fique à vontade, mas terá que comprar mais metal, já que o que tem aqui só daria para fazer apenas adagas, ou então você pode ir até a loja de armas, fica a dois quarteirões daqui, só tome cuidado porque o dono da loja sempre tenta passar a perna nos clientes. - disse o velho ao pequeno que escutava tudo atentamente.

Ao sair da ferraria, viu que já passara do horário do almoço, apesar de ter chegado na cidade quando ainda era cedo, o estômago já lhe incomodava e o pequeno ainda não sabia o que faria a seguir.

Velho Ferreiro

Histórico do Hizy:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Sonho de Consumo:
 


Objetivos Futuros:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mizushiro Hizumy
Revolucionário
Revolucionário
Mizushiro Hizumy

Créditos : 2
Warn : Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito 10010
Masculino Data de inscrição : 12/11/2014
Idade : 20
Localização : Cactus Island

Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty27/12/16, 08:47 pm



~ Time to Eat ~

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | Post: 05



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


O pequeno Deus deixou um leve esboço de riso florir-lhe nos recantos dos lábios avermelhados, todavia secos e rachados de sede. Todo o seu rosto luzia tamanha convicção em suas habilidades, como que se já esperasse por aquele resultado final inevitavelmente óbvio. - Claro que a espada corta, fui eu que a forjei! - Pensaria, snobe, olhando de cima para os presentes, apesar da sua altura ser inferior, e permitindo que a sua divina personalidade se misturasse com a sua meramente mortal atitude.

Recebendo não apenas o elogio à sua obra, o garoto permitia que a oferenda que o ferreiro tinha para si caísse em suas mãos em concha. Trinta mil moedas. Algo dentro dele começaria a queimar muito lentamente. Não era raiva nem nada interligado com o seu passado como deidade mítica, porém, a latente emoção que se sente quando, pela primeira vez se consegue algo através do esforço e mérito próprio. Não havia como evitar, a boca abriria e mostraria os polidos e brilhantes dentes, afiados tal lâmina. As bochechas coradas ajudariam a entregar a felicidade ingénua do ainda criança Ereshkigal. - Com estas moedas posso muito bem comprar materiais para forjar novas armas, ou comprar um revólver! - Pensaria ansioso, quando, de repente, enquanto andava perdido em seus passos, ao passar pela porta do estabelecimento onde estivera então a trabalhar, o seu estômago roncasse. Vermelho por todo o rosto como jamais estivera até aquele instante, envergonhou-se de si mesmo, temendo que alguém tivesse escutado aquele som medonho vindo das profundidades de seu estômago. - ... Como é possível que me tenha esquecido de comer? Acho que ainda não me habituei a ideia de não ter ninguém que me diga à que horas devo ou não comer... - Realmente era uma sensação quanto nova para ele. Começara a sentir-la quando navegava pelos mares até Toroa, contudo, antes disso, nunca antes havia experimentado aquele sentimento que tantas outras crianças vivem perseguidas sem escapatória.

Hesitante no meio da calçada, matutaria freneticamente indeciso em onde ir primeiro, se comprar as peças e a arma, ou se comer. Por fim, a fome falou-lhe mais alto. Seus olhos buscariam por um lugar aproximado de si que se assemelhasse a um restaurante ou uma taberna e andaria em direcção à mesma.

Adentrando no local, sentar-se-ia numa mesa que estivesse vazia e limpa, ou, não havendo uma, perguntaria a um garçon onde poder-se-ia sentar para almoçar: - Desculpe. - Chamar-lhe-ia puxando-o por um pedaço das veste. - Onde me sento? E pode trazer-me uma carne bem tenra e algo bom para beber? - Diria, deixando sobressair, caso o empregado o julgasse um mendigo, a sua saca de dinheiro.


__________________________________



Histórico:

Post: 05
Ganhos: 1 Adaga lvl1 | 1 Espada Japones (Katana) lvl1 | 30.000 $Berries
Perdas:
Bónus:
Players:
NPC's:

HP: 120/120
SP: 62/62

Vantagens:
• Adaptador
• Genialidade
• Visão Aguçada

Desvantagens:
• Fantasia (Reencarnação de Ereshigal, Deus da Calamidade e da Fortuna.)
• Devoção (Eliminar todos os que praticam maldades e tornar-se o ser mais forte entre os Homens/Fazer a calamidade reinar até que mais um ciclo se reinicie.)




Perícias: Forja | Intimidação | Luta de Rua
Ofício: -x-
Patente:
Extras: 2 Trabalhos Feitos (Post's 3 e 4) |

...

Objectivos:

  • Não relacionar com NPC's importantes;
  • Não aparecer no Jornal;
  • "Não conhecer nenhum player";
  • Forjar uma arma;
  • Fazer um trabalho;
  • Aprender Acrobacia;
  • Treinar ambidestria;
  • Inscrever-me na Marinha;
  • Ir para Yakira Town;
  • Matar algum fora da lei procurado;
  • Matar [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] ou [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.];
  • Comprar a Perícia: Costura;
  • Conseguir uma arma


OFF escreveu:
Bem, o post foi mais pequeno... Estou um pouquinho cansado e perdi muito tempo no Chat ^-^' Desculpa! Ç.Ç    

Thanks[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] escreveu:

[ ] Ganhar uma Meitou lvl 2; (ノ≧∀≦)ノ
[ ] Ter Ofício Ferreiro lvl 2; (╯✧∇✧)╯
[ ] Forjar uma Katana lvl 2; (ര̀ᴗര́)و ̑̑
[ ] Caçar 5 Recompensas;  ヾ(〃^∇^)ノ♪
[ ] Vencer o torneio de artes marciais 1x; (๑•̀ㅂ•́)و✧
[ ] Encontrar dois tesouros; (۶ꈨຶꎁꈨຶ )۶ʸᵉᵃʰᵎ
[ ] Viajar por todo South e West Blue; ೕ(⁍̴̀◊⁍̴́ฅ)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty
MensagemAssunto: Re: Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito   Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Ereshkigalsön - O Segredo por de trás do Mito
Voltar ao Topo 
Página 1 de 5Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: West Blue :: Toroa Island-
Ir para: