One Piece RPG
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» ~ RESET ~
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor Mizzu Hoje à(s) 17:29

» [M.E.P] Nash
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor TsubasaNash Hoje à(s) 13:40

» [Kit - Garou]
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor Ainz Hoje à(s) 12:06

» V - Into The Void
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor GM.Alipheese Hoje à(s) 11:03

» Mini - DanJo
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor DanJo Hoje à(s) 02:51

» Crisbella Rhode
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor ADM.Ventus Hoje à(s) 02:48

» A Aparição de Mais Um Meio a Tantos
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor Wave Hoje à(s) 00:53

» O vagabundo e o aleijado
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor Ghastz Hoje à(s) 00:40

» Mini Aventura - Agyo Shitenno
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 23:16

» O Legado Bitencourt Act I
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor Faktor Ontem à(s) 22:16

» Apenas UMA Aventura
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor Van Ontem à(s) 17:49

» Bellamy Navarro
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor Greny Ontem à(s) 12:43

» Unbreakable
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor Ainz Ontem à(s) 11:55

» (Mini) Gyatho
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 01:02

» (MEP) Gyatho
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:55

» [MINI-Tenzin]Here we go again
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:53

» [M.E.P]Tenzin
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:43

» [Extra] — Elicia's Diary
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor GM.Noskire Ontem à(s) 00:27

» M.E.P DanJo
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:27

» Mini Aventura - No Mercy
Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 00:20



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG

Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


Compartilhe
 

 Chapter Zero - The Path of Order

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... 5, 6, 7 ... 9, 10, 11  Seguinte
AutorMensagem
Ceji
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas


Data de inscrição : 04/02/2013

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptyQua 15 Fev 2017, 21:46

Uma Nova Dupla


La estava eu, procurando ajudantes para uma missão de patrulha. Parecia que aquele tipo de missão parecia que me perseguia, mas dessa vez eu já estaria preparado para dar merda, porque aprendi que é melhor se preparar para nada do que não se preparar para a porrada. Eu havia acabado de ver aquele novato, e novatos normalmente são desocupados, então logo fui chamar o ser humano que ainda não sabia o nome - Ei! Você aí, novato! - Dizia enquanto caminhava na direção do garoto, enquanto dava uma boa olhada nele. Ele ainda estava de roupa... não-marinheira, então era provável que tinha acabado de se juntar a marinha. Não havia muita coisa em especial nele, mas sentia uma empatia por ele - Estou indo em uma missão de patrulha... E recebi permissão para trazer alguns desocupados comigo. E aí, vem na missão ou prefere ficar por aqui fazendo sabe-se lá o que? - Eu não sabia se podia falar daquele jeito, até porque a maioria dos Marinheiros que conhecia era mais formal e tals, e isso me deixou apreensivo depois de falar. Não, sério, imagina se eu fosse "repreendido" por um novato? Se isso acontecesse, acho que no mínimo iria expor minha patente, para ficar bem claro quem era o superior ali, uma das melhores coisas de ter sido promovido, na melhor das hipóteses. Felizmente o novato reagiu bem de boas, então me acalmei - Irei na missão com você, só preciso de alguns minutos para me trocar - Dizia ele enquanto batia uma punheta continência. Eu partirculatmente achava aquela punheta continência desnecessária, visto que era só um dia mais "Velho" que ele na marinha, mas daquilo ele não precisava saber.

- Ok, vai logo - Dizia em resposta ao jovem, enquanto via o inocente ir animado se trocar. Eu relembrava quando havia ficado animado assim para uma missão. Nesse dia, vulgo ontem, eu havia recebido uma missão de patrulha como essa. Teoricamente a missão era para patrulharmos uma base abandonada da marinha, com nós me refiro a eu e Rin, e não aos marinheiros que ficaram vigiando a área pelas nossas costas, mas acabou que fomos usado como isca para mercenarios cruéis. Péssimas lembranças. Relembrando mais uma vez do meu primeiro dia na marinha, eu começava a perceber que aquele dia mais parecia que havia acontecido a meses, quando na verdade havia sido literalmente ontem. Acho que a velhice estava começando a me atingir. Maioridade é foda.

Não demorou muito para o garoto voltar já com o uniforme de soldado e uma mochilinha estilosa, o que me fez pensar o porque raios eu nunca havia pensado em pegar uma mochila com a marinha. Bom, o garoto chegava e logo falava com animação - Estou pronto, podemos ir agora, e meu nome é Hyo - Ele parecia intusiasmado, mas também havia respeito em sua voz, por isso não quis quebrar suas expectativas, então dei uma resposta comum - Sou Sargento Lars. Pode me chamar só de Lars, não ligo muito para esses honoríficos de patentes - Dito isso nós dois seguimos para o local, mas não sem antes sermos interrompidos por outro Marine que trazia as manoplas da marinha que Hyo aparentemente tinha esquecido por não ter sido avisado que a receberia. Complicado, a cada dia aquela instituição parecia mais incompetence, não querendo me excluir, eu deveria ser um dos mais incompententes, mas tanto faz. No caminho, não tive muito tempo para falar por estar lendo as folhas dadas a mim com as informações da missão, que fiquei meio decepcionado ao ver que tinha menos coisa do que o esperado, e Hyo também não falou nada, provavelmente respeitando minha concentração. Em pouco tempo chegávamos no local indicado. Tirando o fato de só haver uma única loja aberta, o local não tinha tantos indícios, pelo menos visíveis para mim, de ataques, o que me deixou decepcionado e aliviado ao mesmo tempo. Tendo poucos indícios, o melhor que poderia fazer era perguntar às pessoas da loja aberta, por isso avisei meu acompanhante - Espere aqui. Vou ter uma palavrinha rápida com os donos dessa loja e já volto. Fique de olho em tudo - E logo entrei.

A loja não era tão impressionante, talvez eu que não tenha percebido muito por ter ido direto ao balcão, mas isso não vem ao caso, e o balconista era estranho demais para que eu pudesse prestar atenção em outras coisas. Ele usava óculos e seu bigode cobria totalmente a boca, o que deveria tirar o ato de comer relativamente complicado, além disso o homem usava um chapéu fedora, mas o que mais chamou minha atenção foi seu braço. Quer dizer, a falta dele. O homem não possuía um dos braços, o que me levou a me perguntar o que havia acontecido, mas decidi não pertubar ele com esse tipo de coisa e fui direto ao ponto - Ahn, olá, bom dia. Eu sou o encarregado pela proteção da área como aparentemente foi requisitado. Você poderia me dar uma explicação um pouco mais detalhado da situação? - Bem... Como já devem saber, uma trupe, ou uma dupla, quem sabe alguém sozinho, vem assaltando diversas lojas ultimamente. Eu fui o único quem abriu por hoje, talvez não tenha sido muito inteligente pois, como pode ver, não há muito movimento... De qualquer forma, prazer, meu nome é Terr - Maravilha, tirando o nome dele, o senhor Terra só repetiu o que eu já sabia. Antigamente os donos de estabelecimento eram mais úteis - Eu sou Sargento Lars, prazer - Dizia meio decepcionado, e então percebia a mulher atras organizando as joias e prestando atenção na conversa. Se ela não fosse funcionária dali, eu provavelmente mandaria um "tá bisbilhotando, é?", mas precisava da cooperação daquele pessoal, então prossegui o mais calmo que consegui em manter - E você aí atras, sabe de mais alguma coisa? Preciso do maximo de informação possível. Ah, algum de vocês conhece um tal de "Bon Clyde"? Parece que pode estar envolvido nisso tudo.

Tendo minha resposta ou caso dissessem que não soubessem mais nada, eu sairia da loja, e aproveitaria para explicar a situação para Hyo - Olá, voltei. Parece que eles não sabem muito mais do que a marinha. Tem um grupo assaltando as lojas de joias da região, e nos precisamos defender as lojas e capturar os ladrões vivos se os encontrarmos - Esperaria para saber se ele falaria algo. Se ele fizesse alguma pergunta, tentaria responder com o meu conhecimento da missão. Caso não perguntassem nem falasse nada, ou após ter suas dúvidas retiradas, continuaria - Um ponto muito importante em missões de patrulha, é se lembrar que esse tipo de gente dificilmente entra pela porta da frente, então fique sempre alerta a tudo - Esperaria ele concordar ou algo do género, e continuaria se ele o fizesse - Bom, não vamos focar juntos o tempo todo, pois precisamos coibir a defesa de toda a área. Caso veja algo suspeito, imite um pássaro, assim: CRRAAAH! - Diria tentando imitar o mais próximo que conseguisse de um gralhar. Caso ele ficasse meio apreensivo, com cara de "wtf" ou algo parecido, eu daria uma risada e diria - Eu estou brincando contigo, se vir algo suspeito, tente me chamar o mais baixo possível ou acenar - Caso ele aceitasse aquilo super na boa, pensasse que era uma ideia inteligente ou algo do género, diria - Sério? Você não tem senso de humor? Eu estava brincando, é óbvio. Se vir algo suspeito, tente me chamar o mais baixo possível ou acenar para mim - Independente dos casos, diria após - Bom, é melhor já começarmos a ronda, não sabemos como ou quando o ataque pode acontecer. Vamos ficar circulando a área em direções opostas, tudo bem? Eu vou pela direita e você pela esquerda - Diria e, caso ele concordasse, começaria a ir e voltar pela esquerda, olhando bem todo o local, inclusive janelas e becos, e periodicamente olhando para o lado que Hyo foi para ver se acenava, e caso o fizesse, iria o mais discretamente até ele possível. Se ele desse alguma ideia boa, como de disfarçar, diria - Se você quiser, pode tentar, mas eu não tenho boa lembranças de ações furtivas e muito menos uma roupa casual aqui comigo - E começaria a patrulha, com ou sem ele fazendo o mesmo que eu. Caso visse algo suspeito, olharia por mais algum tempo o alvo, e se tivesse certeza ou achasse que fosse o invasor, acenaria para o lado onde Hyo foi, ou o local onde ele estivesse, para ele vir até mim. Caso o alvo suspeito fosse invadir alguma da lojas pelas janelas ou algo parecido, diria para Hyo - Rápido, procure em volta pelos aliados dele, caso houver - E usaria minha velocidade e técnica de corrida e acrobacia para rapidamente ficar em uma posição que impedisse, ou no mínimo dificultasse, sua passagem, já preparado para sacar minha espada, e diria - Alto lá. Quem é você?
OFF:
 


Última edição por Ceji em Seg 20 Fev 2017, 22:25, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Teru
Soldado
Soldado
Teru

Créditos : 37
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 04/01/2014
Idade : 22
Localização : F3 + Teru

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptySab 18 Fev 2017, 22:39


Chapter Zero - The Path of Order
The First Jorney

I bite way more than I bark
A Dog In Big City XIV
.

Chegando no balneário masculino com alguma facilidade, a primeira coisa que lhe vinha a cabeça era o quão limpo estava o local, o chão brilhava e o odor horroroso que assombrava o local a momentos atrás tinha desaparecido, pelos vistos os outros dois rapazes do seu suposto "grupo" de treino havia completado a sua tarefa com alguma destreza e no fim nem precisaram da sua ajuda, talvez a sua ausência nem foi notada e foi beneficial para o trabalho. Entrando pela porta e escolhendo um local no canto, Rin retirou a sua mochila das costas e colocou-a num dos assentos de madeira normalmente encontrados em qualquer balneário, tirando a camisola e deixando ao lado da sua mochila o mais organizada possível, o cachorro aproveitava para examinar o seu corpo, nada de especifico ou por motivos de exibicionismo mas sim porque parte de si tentava calcular quanto tempo demoraria o seu corpo a recuperar dos ferimentos sofridos, não era nada de grave como é óbvio logo tratava-se apenas de uma questão de tempo para que finalmente pudesse tirar as ligaduras e seguir a vida como se nada tivesse acontecido.

Retirando as calças e a sua roupa interior, Rin aproveitava para desenrolar a sua cauda e abana-la ligeiramente, andando com ela quase sempre enrolada de modo a se perder no meio dos humanos todos que existiam no mundo, tendo em conta que nem muitos aceitavam os minks, o jovem aproveitava a situação para descontrair um pouco. Partindo de seguida para as suas ligaduras, o cachorro tirava as ligaduras a volta do seu corpo e colocava-a junto das suas roupas, elas estavam ainda em óptimo estado e eram apenas usadas por um questão de  constrangimento, elas não tinham nenhum vestígio de sangue nem nada do género logo teriam que ser reutilizadas novamente assim que saía do banho. Procurando uma toalha Rin iria de seguida tomar banho com a intenção principal de tirar o cheiro a sangue que pairava sobre a sua pessoa mas também para usar a água quente como uma pequena sessão terapêutica do seu corpo, água quente era umas das delicias do mundo e qualquer chance que tivesse para usufruir de água quente sem prejudicar a sua factura ou conta bancária eram sempre um aspecto positivo, água passava do seu cabelo para as suas costas, molhando os seus braços, peitos e escorrendo pela sua cauda antes de chegar as pernas e pés. Naqueles cinco ou dez minutos de banho o cachorro conseguiu sem dúvida nenhuma esquecer os seus problemas.

Com o banho concluído e uma mente e corpo mais relaxados, Rin saía do banho com um sorriso no rosto e com a sua cauda abanando de lado para lado, usando a toalha para secar o seu cabelo, o cachorro não estava minimamente preocupado em andar nu pelo balneário visto que qualquer entidade que entrasse pela porta adentro teria o mesmo que estava associado ao seu corpo sendo a único diferença o tamanho. Assim que acabasse de secar o seu corpo seria altura de voltar a colocar as ligaduras e voltar a vestir as suas roupas, apesar de já conseguir respirar um pouco melhor, ainda sentia dificuldade a efectuar expirações e inspirações de longa escala, algo muito melhor do que estava antes porém ainda não a 100%. Com o banho e limpeza efectuado, Rin iria agora procurar o seu suposto "grupo", a expressão grupo era usada de forma irónica visto que se tratava de um pequeno grupo de pessoas que decidiram entrar na marinha na mesma altura que ele e de certa forma eram as únicas pessoas que conhecia naquele local, enquanto explorava o local, o cachorro deparou-se com o marinheiro que havia encontrado na enfermaria, não o baleado nem o que tinha recebido cortes na cara, mas sim aquele que lhe tinha assistido na cirurgia do irmão, o moço parecia exausto como se estivesse a correr de um lado para o outro porém a sua expressão seria mais aliviada em comparação com a primeira vez que o viu.

— Arf, arf... O-obrigado por antes... Cachorro? É verdade... Não sei seu nome ainda, de qualquer forma, aparentemente meu irmão ainda tem esperanças graças a você... Mas eu não vim falar isso, me pediram para lhe informar que já que concluiu todas as etapas do alistamento, pode ir até a alfaiataria buscar seu uniforme. E também pediram para eu passar a mensagem que sua missão será de patrulha em uma loja da cidade. Ah... Se encontrar algum outro recruta, também pediram para que o levasse, pelo que eu sei estão mandando todos os recrutas de hoje para esta missão de patrulha... Não sei para que tanta gente.. E não se esqueça de pegar a arma que tem direito no local apropriado aqui no QG.

— Ah sim obrigado, vou agora mesmo tratar disso... Mas não me agradeça, se descobrirem que deixaram um cachorro civil brincar com laminas afiadas dentro da marinha ainda arranjamos problemas. Mas enfim, obrigado e até um dia companheiro.

Com um sorriso no rosto e a mão (pata...?) esquerda dentro do bolso, Rin iria se despedir do marinheiro acenando com a mão direita caminhando em direcção a alfaiataria ou pelo menos ao que julgava ser o caminho certo, o facto de ter passado no alistamento não indicava que soubesse a planta do local  e caso não houvesse nenhum tipo de sinalização, o moço provavelmente iria andar as voltas uns bons cinco a dez minutos. Assim que chegasse a alfaiataria, Rin iria expor a situação tentando explicar que tinha passado no alistamento e veio buscar o seu uniforme, assim que lho atribuíssem, Rin iria perguntar qual seria o melhor sitio para trocar de roupa, onde poderia deixar as suas roupas civis e se por uma questão de comodidade se poderia trocar de roupa ali mesmo. O cachorro tinha uma boa noção do equipamento de soldado, a sua mãe era capitã da marinha na sua terra natal e ela tinha fotos espalhadas por toda a casa com todos os momentos da sua vida, seja na carreira militar ou na vida pessoal.

A nível de escolha do uniforme a sua seria simples: mm boné branco com o símbolo dela na parte da frente; uma camisa totalmente branca com pequenos detalhes em azul complementado por um pequeno lenço azul em volta do pescoço, algo que era bastante semelhante ao seu vestuário actual visto que Rin sempre usou um uniforme colegial, o mesmo uniforme que era obrigado a usar em Las Camps; Uma calça branca simples emparelhada com um par de sapatos sociais pretos. A nível de roupa não havia muita diferença da actual, as suas orelhas caninas ficavam uma em cada lado do boné, a sua cauda continuava enrolada ao seu corpo porém desta vez um pouco mais abaixo junto a sua cintura para impedir o mesmo ferimento da última vez e acima de tudo por uma questão de comodidade, o seu único problema eram os sapatos sociais, algo bastante desconfortável comparado com os seus sapatos de civis e algo que sem duvida nenhuma levaria a Rin bastante tempo para se habituar.

"Nada mau, eu realmente fico bem em qualquer roupa..."

Com o novo vestuário equipado, Rin iria perguntar a alguém (de preferência a entidade que lhe atribuiu o uniforme) onde é que ficaria o armamento ou mais conhecido por local onde pudesse ir buscar as suas armas, o marinheiro tinha lhe dito que tinha direito a equipamentos de defesa pessoal, logo o cachorro apenas precisava de saber onde é que este local se encontrava. Assim que soubesse agradeceria a situação e por fim dirigir-se-ia ao local, a sua escolha era simples, um par de espadas comuns que fossem útil para o seu estilo de combate improvisado, não importava o seu estilo ou aparência visto que armas eram apenas utensílios com a simples utilidade de impedir a morte do usuário e se necessário a morte do oponente. Após chegar ao seu destino e solicitar as suas armas, Rin iria perguntar ao marine sobre a missão de patrulha, pelos vistos era um acontecimento do qual todos os novatos eram enviados por isso o marine obviamente teria informação sobre isso e caso tivesse algum mapa melhor seria para ele.

Depois de equipado e armado, Rin agradeceria e daria uma última volta pelo quartel com a intenção de conhecer um pouco melhor e acima de tudo tentar encontrar os dois moços de a pouco, Hyo e Yato provavelmente estariam juntos visto que ambos haviam partido da enfermaria simultaneamente logo existia uma grande probabilidade ainda estarem juntos mas se apenas um deles estivessem, era sempre melhor do que ir sozinho ou com um desconhecido. Assim que encontrasse um deles ou talvez ambos, perguntaria onde é que estaria o outro (caso apenas achasse um) ou faria uma piada sobre a limpeza do balneário masculino (caso estivessem ambos no mesmo local), de seguida iria questionar se o alistamento correu em condições e caso tivessem passado, algo bastante simples de ver visto que tal como ele estariam fardados, e por fim perguntaria se sabiam sobre a missão, caso não soubesse Rin iria explicar o melhor que pudesse, transmitindo a mesma informação que lhe transmitiram a ele. Se já soubessem Rin iria nesse caso motivar ou motiva-los a começarem a missão e ir para a suposta loja juntos visto que teria indicações para a mesma, se por infeliz circunstância não achasse ninguém depois de algumas rondas, o cachorro teria que respirar fundo e iniciar a missão de forma solitária.

Objectivos:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

L£t Me bE yOur gUIdE, in tHiS pAth of MeGaLoMaNiA


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Narração   -   Pensamento  -   Fala
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sakaki
Estagiário Narrador
Estagiário Narrador
Sakaki

Créditos : 6
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 1010
Masculino Data de inscrição : 22/10/2013

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptyDom 19 Fev 2017, 20:35

Chapter Zero - The Path of Order
We Are The Champion, My Friends

Yato simplesmente entrava em um estado de euforia interna ao ouvir as palavras do avaliador, finalmente aquilo tudo havia acabado, já se fora os tempos em que o antes vagabundo limpava banheiros e apanhava como um pobre coitado, agora perante todos ali o jovem era considerado um marinheiro, não poderia deixar de escapar um pequeno sorriso só de pensar nisso, não teria mais que  dormir em bancos de praça e fazer coisas da quais não se orgulhava para viver, agora ele era um homem da lei, todas as noites teria um lugar para dormir e poderia matar meliantes sem consequências, e ainda receberia por isso. E após refletir por alguns segundos apenas sorriria e responderia com um sinal de cabeça, guardaria suas mãos nos bolsos de seu moletom e seguiria em diante, tentando parecer descolado e tentando não demonstrar sua alegria.

Seguiria pelos largos e intermináveis corredores do QG atrás da tão famigerada alfaiataria, olharia cada porta aberta e fechada atrás de uma placa que sinalizasse a sala ou mesmo se notasse pelo interior do comodo que se tratava do local, enquanto procurava o local passava a mão em sua testa para tirar resquícios  da camada de suor que escorria por sua cabeça, levantaria o braço direito e levaria sua cabeça até aproximo de sua axila, realmente aquele exercício não havia deixado o jovem com um odor agradável. Caso após todas as rondas no QG ainda não tivesse encontrado a alfaiataria como ultimo recurso o jovem perguntaria para qualquer um que cruzasse o seu caminho, com a simples frase:

- Hey, aonde fica a alfaiataria?

Caso tivesse resposta negativa apenas perguntaria para outro, áleas era impossível que aquela construção gigante estivesse vazia, mas caso a resposta fosse positiva apenas seguiria para o local. Chegando na tão famosa sala iria atrás do seu precioso uniforme, caso houvesse algum responsável pelo local ele o abordaria e solicitaria seu uniforme de soldado, caso a sala estivesse vazia ele mesmo pegaria cada muda de roupa necessária, se não houvesse problemas e já com o uniforme em mãos partiria para o vestiário para tomar o banho que tanto necessitava, áleas nenhuma donzela iria gostar de ser salva por um marinheiro cheirando a cheirando a fezes. Caso em todo este percurso o mesmo encontrasse algum rosto conhecido como o cachorro ou Hyo ele apenas cumprimentaria erguendo uma das e mãos e dando um simples:

- Eae.

Yato se direcionaria para o vestiário no qual ele e Hyo haviam limpado, colocaria seu uniforme em um cabide ou algo semelhante pare que pudesse se banhar, iria até as duchas e se dispiria enquanto girava a válvula que liberasse a água, adentraria o box do banheiro e se banharia focando principalmente as axilas e suas partes. Após sair do mesmo iria se secar com alguma toalha que o jovem esperava que fosse fornecida no próprio vestiário, e então se secaria pressionando o mesmo em seu corpo para que absorvesse os resquícios de água, e já seco então iria vestir o uniforme, que agora prestando atenção era realmente horrível, uma camisa branca abotoada com detalhes azuis, a droga de um bonezinho ridículo com as mesmas cores, e o pior, um lencinho de marinheiro azul, Yato observaria aquilo com uma expressão duvidosa enquanto pensava sobre ter que vestir aquilo:

"Bom... Ser marinheiro tem suas desvantagens"

Por mais que não gostasse vestiria o mesmo até a última peça, levando de suas vestes antigas apenas seu lenço branco, amarraria o lenço no pescoço não sabendo se seria aceito pelos superiores ou não, porém o lenço tinha um valor sentimental para o ninja, e ele não iria desistir dele fácil assim, deixaria suas vestes antigas em um lugar apropriado coo uma lavanderia caso houvesse ou um armário, e assim seguiria em busca de sua arma, realmente aquele local era um labirinto, mas muito provavelmente haveria uma espécie de arsenal que liberasse as armas para os novatos, novamente andejaria pelos corredores da construção atrás  do local, seguiria o mesmo processo que fez para achar a alfaiataria perguntando caso necessário, e no caso de achar iria até o mesmo e solicitaria seu Ninjaken, por se tratar de uma arma bem "excêntrica" haveria a pequena  possibilidade do responsável pelo local não saber do que se trata ou até confundir com uma espada, nesse caso explicaria:

- É como a droga de uma espada comum só que um pouco menor, sem curvatura e com a ponta reta.

Analisaria a arma e caso fosse a certa apenas sairia do local, mas no caso de não houver alguém responsável pelo local apenas tascaria a mão no armamento apropriado e sairia do local. Agora o ninja estaria definitivamente pronto, limpo, fardado e fortemente armado, era hora de ir atrás de sua primeira missão, o quatro olhos havia dito alguma coisa sobre uma missão entregue para todos os novatos, porém não havia dado nenhuma informação sobre a mesma e nem como consegui-las, nesse caso Yato teria que procurar um marinheiro de patente superior para procurar se informar, diferenciaria as patentes de acordo com o vestuário, e ao encontrar quem procurava o questionaria com o devido respeito sobre a missão entregue aos recrutas, caso ele não soubesse o jovem partiria para outro.

Caso por sorte Yato já pronto e fardado encontrasse Hyo ou o cachorro, ou até mesmo ambos, procuraria saber se um dos dois tivesse conhecimento sobre a missão, ouviria o que tinham a dizer, e caso soubessem da missão Yato acompanharia ambos ao destino de seu primeiro trabalho como marinheiro. Caso encontrasse apenas o cachorro, responderia suas questões:

- Eu e ele nos separamos, ele foi aprovado antes mim, mas isso não importa, você sabe sobre essa droga de missão?

Ouviria o que o cachorro tinha a dizer e partiria para o local com ou sem a companhia do cachorro, como se tratava de uma missão externa esperava que o diluvio já tivesse passado, áleas a chuva poderia dificultar e muito o objetivo dos jovens.

Caso não encontrasse ninguém, alguém naquele maldito QG deveria saber algo sobre a missão, e caso soubesse após pegar as informações necessárias ou até mesmo apenas o local da missão Yato seguiria solitário para lá.

Off:
 

Histórico:
 

Objetivos:
 

Citação :
Legenda

- Fala
"Pensamento"

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por Sakaki em Sab 11 Mar 2017, 06:25, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hyo
Civil
Civil
Hyo

Créditos : 6
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 8010
Data de inscrição : 30/11/2016

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptySeg 20 Fev 2017, 16:40

Após chegar ao local eu apenas aguardaria no exterior da loja, enquanto Lars se certificaria do interior, eu olharia todas as pessoas que passassem, cumprimentando todas, se por um acaso alguma das pessoas se mostrasse nervosa com a situação ou tivesse alguma atitude suspeita eu iria em direção a mesma lhe abordando, perguntaria.

-Algum problema? Posso ajudar?

Se a pessoa me falasse algo ou alguma informação sobre o que estava acontecendo no local eu passaria a informação a Lars quando o mesmo saísse da loja, se nada acontecesse enquanto eu estava esperando fora da loja eu apenas aguardaria o retorno do sargento sempre atento a qualquer movimento.

- Olá, voltei. Parece que eles não sabem muito mais do que a marinha. Tem um grupo assaltando as lojas de joias da região, e nos precisamos defender as lojas e capturar os ladrões vivos se os encontrarmos -

Após o sargento voltar eu escutaria tudo o que ele tivesse pra me falar sobre a missão, e sobre as informações que lhe foram dadas.

- Um ponto muito importante em missões de patrulha, é se lembrar que esse tipo de gente dificilmente entra pela porta da frente, então fique sempre alerta a tudo .

Eu concordaria com o mesmo, balançando a cabeça positivamente.

- Bom, não vamos ficar juntos o tempo todo, pois precisamos coibir a defesa de toda a área. Caso veja algo suspeito, imite um pássaro, assim: CRRAAAH!

Eu não podia conter o riso, parece que o sargento tinha algum senso de humor, algo que eu não esperava de alguém superior a mim que sou um soldado novato, eu me sentia aliviado por não precisar me manter em um certo padrão com ele, parece que ele poderia ser um bom amigo, em seguida eu perguntava ao mesmo oque deveríamos fazer.

-Oque você acha melhor fazermos?.

Em seguida escutava todas as suas instruções.

- Bom, é melhor já começarmos a ronda, não sabemos como ou quando o ataque pode acontecer. Vamos ficar circulando a área em direções opostas, tudo bem? Eu vou pela direita e você pela esquerda.

eu concordava com o mesmo porém lhe perguntava.

-Sargento, já que os alvos tem sido lojas, e só tem essa loja aberta, não seria mais simples apenas tirarmos as nossas roupas de marinheiros e nos vestirmos como civis normais? Apenas aguardaríamos dentro da loja como clientes e quando o assaltante tentasse roubar a loja conseguiríamos pega-lo já ali dentro afinal, eu sou um recém marinheiro, não acho que muitas pessoas conheçam meu rosto ainda...

Se por acaso o sargento concordasse com o plano eu abriria a minha mochila, verificaria algum local onde ninguém pudesse ver, e trocaria minha roupa, colocando a minha roupa antiga, que estava guardada em minha mochila, e em seguida entraria na loja como um cliente e começaria a olhar todos os objetos da loja.  caso o sargento não concordasse com o plano, eu apenas seguiria as instruções do mesmo seguindo em direção oposta ao mesmo, atento a todo movimento, se por um acaso eu visse algo suspeito eu correria em direção ao mesmo, pronto para um combate caso fosse necessário, sempre mantendo a atenção em minha defesa, caso acontecesse de precisar lutar, eu gritaria na maior altura que minhas cordas vocais pudessem aguentar.

-Sargentooooooooooooo

Não iniciaria um combate, apenas me manteria em posição e atento a qualquer movimento em que o suspeito pudesse fazer, se nada disso acontecesse eu apenas andaria em direção as lojas que tivessem fechadas, e observaria se alguma delas estava violada, ou com alguma coisa suspeita na mesma.


Histórico:
 

off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Fala (#008B8B - Darkcyan)
Pensamento (#228B22 - ForestGreen)


Última edição por Hyo em Sex 24 Fev 2017, 00:03, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kenway
Pirata
Pirata
Kenway

Créditos : 30
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 25/11/2016
Idade : 19

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptyTer 21 Fev 2017, 18:20

Narração 3 – Encontro, Salva-Vidas e Tarefa

 
 
Lars e Hyo
 
 
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Lars obtinha poucas respostas e decidia que deveria conseguir informações também com a mulher, questionando-a sobre BonClyde


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Este não é aquele casal? Já ouvi sobre eles, até onde eu sei eles são bem românticos... Mas no final são vilões não é mesmo?

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Apenas a moça respondia, com uma voz doce e gentil e após obter a resposta o Sargento retirava-se, se encontrando então com Hyo do lado de fora. Ambos conversavam e até riam, enquanto sugeriam ideias para a patrulha. Logo um homem bem vestido chegava e de modo para lá de cortês apresentava-se para os homens, dizendo que seu nome era Willys, em seguida dizia mais algumas palavras


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]O que há com este local, rapazes? Pretendia comprar uma bela joia para minha amada esposa, vocês me permitiram adentrar e fazer este homem feliz?
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Os rapazes fardados estavam prestes a começar sua patrulha, quando foram abordados por um senhor de idade, que lhes surpreendeu assim que Hyo terminou sua proposta.

 

Yato e Rin
 
 
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]O canino terminava seu banho e respondia ao homem que lhe agradecia, que apenas acenava e saía do local. Rin então ia logo em seguida buscar a alfaiataria, que encontrou depois de algum tempo rodeando os corredores do QG. Lá pedia por seu uniforme e um local onde pudesse se trocar.


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Eu não me importaria se o fizesse mas melhor se trocar nos vestiários, cachorrão.
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]A moça da alfaiataria respondia ao que o canino dizia que seguia suas instruções e terminando pedia informações sobre onde arranjar armas. A mulher indicava onde o arsenal se encontrava e Rin seguia para o mesmo pegando suas espadas no local. Um pouco mais a frente estava Yato, já portando sua espada

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Yato que por sua vez fez basicamente o mesmo, buscando a alfaiataria. Lá pegou seu uniforme e banhou-se seguindo em seguida ao arsenal, solicitando sua arma, uma ninjaken para ser mais preciso. Agora Teru abordava Yato, amobs interagiam entre si e partiam para missão. Chegavam ao local, encontrando-se com um velho que conversava com a dupla formada por Hyo e um Sargento.



PP do Homem:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
TND... TND NEVER CHANGES
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG!
Links para ajuda
:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ceji
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Ceji

Créditos : 2
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 04/02/2013

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptyQui 23 Fev 2017, 21:10

Carencia De Pistas É Uma Merda


Ola, bom dia. Que tal começarmos com um quiz? Primeira pergunta: Quando se está lidando com a proteção de um estabelecimento (ou mais de um) de ladrões misteriosos, o que se deve fazer primeiro? 1- Vagar pela área procurando coisas suspeitas; 2- Procurar informações sobre a área e/ou seu inimigo; 3- Observar os arredores disfarçado. O que? Claro que não, seu burro do caralho, a resposta certa é a 2, embora as três estejam corretas. "Mas se as três estão certas, porque a correta é a 2?" você deve estar se perguntando, é claro que é porque eu faria a 2 primeiro, que pergunta idiota.

Como já falei, estava procurando informações. Da última vez que havia feito uma missão de patrulha, as informações obtidas haviam sido cruciais, então é óbvio que eu não seria retardado a ponto de não fazer isso. Infelizmente, o senhor Terra não sabia muito mais do que eu sabia, o que foi broxante (metaforicamente falando), mas logo percebi uma moça atras escutando furtivamente, ou nem tanto, a conversa. Talvez ela pudesse saber de algo, então, sem cerimônias, me pus a pergunta-lá sobre os mesmos assuntos - E você aí atras, sabe de mais alguma coisa? Preciso do maximo de informação possível. Ah, algum de vocês conhece um tal de "Bon Clyde"? Parece que pode estar envolvido nisso tudo - No meio da pergunta, subitamente me lembrava do tal "Bon Clyde" mencionado na papelada. Deveria ser algum bandido ou ladrão conhecido da região - Este não é aquele casal? Já ouvi sobre eles, até onde eu sei eles são bem românticos... Mas no final são vilões não é mesmo? - Espera... ELES?! AQUELE CASAL?! BON CLYDE ERA UMA DUPLA, AINDA POR CIMA ERA NOME DE CASAL?! É nesse tipo de momento que sua fé na vida vacila. Qual a necessidade de bandidos usarem um nome de casal, e pior, QUAL A NECESSIDADE DA MARINHA USAR ELE TAMBÉM?! Só faltavam me dizer que eles compartilhava, o mesmo cartas de procurado.

Aqueles dois da loja não pareciam saber tanta coisa, então tive que me contentar com o que já sabia, e sai da mesma. Me dirigindo ao me aliado chamado Hyo, decidia enfim esclarecer a missão ao novato - Olá, voltei. Parece que eles não sabem muito mais do que a marinha. Tem um grupo assaltando as lojas de joias da região, e nos precisamos defender as lojas e capturar os ladrões vivos se os encontrarmos. Um ponto muito importante em missões de patrulha, é se lembrar que esse tipo de gente dificilmente entra pela porta da frente, então fique sempre alerta a tudo. Bom, não vamos focar juntos o tempo todo, pois precisamos coibir a defesa de toda a área. Caso veja algo suspeito, imite um pássaro, assim: CRRAAAH! - infelizmente, não conseguia me conter. Falar tantas frases sérias seguidas sem estar irritado era contra minha natureza, e aquela brincadeira simplesmente "escapuliu". A reação do soldado, felizmente, foi bem positiva, pois começou a rir, entendendo a piada e percebendo que não era sério. Era bom ter um parceiro que não levava tudo a sério e parecia não seguir os superiores como deuses - Eu estou brincando contigo, se vir algo suspeito, tente me chamar o mais baixo possível ou acenar - Dito aquilo, já havia falado mais ou menos o que sabia e o que precisava falar, então o garoto deveria estar preparado para a missão. Só restava uma coisa agora: começar a patrulha. O jovem, não satisfeito apenas com aquilo, decidiu fazer uma pergunta óbvia - Oque você acha melhor fazermos? - Quando ouvi sua pergunta, me perguntei se era sério. Bom, a missão era para fazer patrulha, então... fazer patrulha, talvez? Tentava responder com o mínimo de tom de "você é burro, cara" possível na voz - Bom, é melhor já começarmos a ronda, não sabemos como ou quando o ataque pode acontecer. Vamos ficar circulando a área em direções opostas, tudo bem? Eu vou pela direita e você pela esquerda.

Quando me virava para começar a ronda, mais uma vez Hyo me chamava. Ele precisava mesmo ter esperado eu me virar? - Sargento, já que os alvos tem sido lojas, e só tem essa loja aberta, não seria mais simples apenas tirarmos as nossas roupas de marinheiros e nos vestirmos como civis normais? Apenas aguardaríamos dentro da loja como clientes e quando o assaltante tentasse roubar a loja conseguiríamos pega-lo já ali dentro afinal, eu sou um recém marinheiro, não acho que muitas pessoas conheçam meu rosto ainda... - Eu não simpatizava muito com a ideia, e a mesma era meio improvável para mim, mas poderia dar certo. Com ele protegendo a loja aberta e mais vulnerável, eu poesia me focar em procurar movimentos suspeitos pela área - Se você quiser, pode tentar, mas eu não tenho boa lembranças de ações furtivas e muito menos uma roupa casual aqui comigo - Após explicar o porque que ao menos eu não faria aquilo, um senhor bem vestido chegara, se aparentando como Willys — O que há com este local, rapazes? Pretendia comprar uma bela joia para minha amada esposa, vocês me permitiram adentrar e fazer este homem feliz? - Aparentemente ele queria entrar na loja. Nos estávamos ali para proteger a loja aberta e as outras, o que não incluía bloquear consumidores, então abria passagem para ele, mas não sem avalia-lo da cabeça aos pés enquanto o fazia - Ah... Desculpe. Pode passar - Assim que o mesmo passasse e andentrasse na loja, iria para perto de Hyo e sussurraria - Faça o que sugeriu e fique de olho em todos os clientes, inclusive esse dai - E, ao ver que ele assim o faria, começaria minha ronda. Caso chegassem mais gente para fazer a missão, diria -Ah, mais gente para a missão é o seguinte, tem um grupo assaltando as lojas da região, e por causa disso só essa loja dai abriu. Nosso trabalho é de proteger as lojas da área e capturar os ladrões vivos se os encontramos. Entendido? Hyo vai fingir ser um civil dentro da loja, para avaliar os compradores e ter certeza que não entrem pela porta da frente, enquanto eu, e agora o resto de vocês, iremos rondar a área procurando movimentos suspeitos, alguma dúvida? Espero que não, porque já estou ficando sem paciência - Caso houvessem dúvidas, eu as responderia. Caso não ou caso já houvesse as respondido, diria - Tudo bem, então se apresentem para começarmos logo o que viemos fazer - Caso eles se aparentassem, eu também o faria - Eu sou Sargento Lars, prazer, ou desprazer, dependendo do caso, em conhecê-los - Começando a ronda, prestaria atenção nos estabelecimentos do local, principalmente em janelas e portas, procurando sinais de arrombamento recente ou de alguém o fazendo, ou até mesmo de alguém passando furtivo pela área. Também olharia becos. Eu ficaria indo e voltando pela área, e sempre que passasse em frente à loja aberta, daria uma rápida olhada dentro para ver se Hyo estava bem. Caso visse alguém suspeito, manteria o mesmo na minha linha de visão e tentaria averiguar a situação, e em caso de um ladrão ou tentativa de invasão, usuária minhas técnicas de corrida e acrobacia, assim como minha velocidade, para me mover rapidamente para bloquear o caminho do sujeito é diria, com a mão na bainha da espada, mas sem perder a atenção a minha volta - Alto lá! Quem é você e o que está fazendo? - Cado encontrasse sinais de arrombamento recente, iria rapidamente conferir se havia a presença de alguém, e caso houvesse, faria o descrito acima. Caso não houvesse, voltaria a ronda, mas passaria a dar um pouco mais de atenção ao local.
Spoiler:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

R.I.P. Lars:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Teru
Soldado
Soldado
Teru

Créditos : 37
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 04/01/2014
Idade : 22
Localização : F3 + Teru

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptyQui 23 Fev 2017, 22:55


Chapter Zero - The Path of Order
The First Jorney

I bite way more than I bark
A Dog In Big City XV
.

Chegando a alfaiataria após alguns minutos de caminhada, Rin teve a sorte de encontrar alguns locais interessantes pelo caminho, como por exemplo uma sala óptima para dormir caso quisesse fugir as suas actividades e melhor ainda um pequeno resumo do local mas isso eram histórias para outro dia. Chegando ao local o cachorro simples perguntou se podia trocar de roupa ali mesmo, já tinha perdido tempo suficiente naquele local andando de um lado por ao outro naquele labirinto social e não achava melhor continuar perdendo tempo assim, ironicamente a pessoa que lhe atendeu até parecia meio indiferente ou talvez não se preocupava o suficiente mas qualquer das formas Rin nunca foi bom a ler as pessoas, ele sempre foi bom a interpretar os seus movimentos e prever os seguintes porém a parte psicológica era algo que apesar da sua área de capacidades, era algo que simples não pretendia se meter.

— Eu não me importaria se o fizesse mas melhor se trocar nos vestiários, cachorrão.

— Okay, eu vou trocar de roupas

Após se deslocar para dentro dos vestiários e trocar de roupa de uma forma muita rápida, Rin teve a sorte de puder escolher a roupa que iria usar, não que ela fosse muito diferente entre as selecções disponíveis visto que todos os marinheiros eram obrigados a seguir um padrão de vestuário, o cachorro colocou uma camisa totalmente branca com pequenos detalhes em azul complementado por um pequeno lenço azul em volta do pescoço, algo que era bastante semelhante ao seu vestuário, uma calça branca simples emparelhada com um par de sapatos sociais pretos pouco confortáveis. A nível de roupa não havia muita diferença da actual, as suas orelhas caninas ficavam uma em cada lado do boné, a sua cauda continuava enrolada ao seu corpo porém desta vez um pouco mais abaixo junto a sua cintura para impedir o mesmo ferimento da última vez e acima de tudo por uma questão de comodidade.

Assim que acabou se vestir e tirando uns minutos extra dentro do vestuário para coçar o seu corpo como o bom cachorro que era, Rin teve a sorte de encontrar Yatto quando se dirigia ao arsenal do quartel para pegar as suas armas, Yatto era o humano arrogante pouco sociável que provavelmente seria uma boa pessoa bem lá no fundo. Estando totalmente equipado e tentando criar alguma afectividade com o humano, Rin iria sorrir e tentar meter conversa com o mesmo.

— Olá de novo. Pelo vistos conseguimos ambos entrar na marinha. Parabéns... Pronto para a primeira missão? Ainda não sei onde bem o que é mas sei onde fica.

Após alguns minutos de dialogo e algumas piadas de péssimo gosto, o cachorro iria em direcção ao suposto lugar para dar inicio a sua missão, se tudo corre-se bem Yato iria acompanha-lo e Rin não precisa de ir sozinho. Durante o caminho o jovem iria andar calmamente com as patas nos bolsos e baixando as suas orelhas caninas, parte de si queria trocar o chapéu da marinha por um gorro mas infelizmente era algo que não podia fazer. Assim que chegou ao local Rin deparou-se com Hyo, o moço amigável que tinha encontrado mais cedo no quartel, um velho de aspecto engraçado e outra entidade de sexo masculino com um uniforme muito mais bonito do que o seu, aproximando-se do grupo Rin colocaria a para no ombro de Hyo com um sorriso no rosto, uma espécie de cumprimento pessoal sem utilizar palavras e de seguida assumiria uma postura séria e relaxada acenando ligeiramente com uma expressão calma e serena

— Olá fomos encaminhados para aqui... Podemos ajudar em que?

Tendo em conta que a marinha possuía um sistema hierárquico muito especifico e apesar de nunca ninguém lhe ter explicado, talvez teria a explicação no futuro numa altura mais pacífica, Rin tentaria manter uma postura calma e pouco interessante. Sendo um mink cachorro talvez fosse melhor não atrair muitas atenções, primeiro porque não fazia parte do seu estilo e acima de tudo pois não conhecia o humano de lado nenhum.

Objectivos:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

L£t Me bE yOur gUIdE, in tHiS pAth of MeGaLoMaNiA


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Narração   -   Pensamento  -   Fala
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Última edição por Teru em Sex 24 Fev 2017, 23:57, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Hyo
Civil
Civil
Hyo

Créditos : 6
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 8010
Data de inscrição : 30/11/2016

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptySex 24 Fev 2017, 00:00

Após dizer o meu plano para Lars, éramos interrompidos por um senhor de idade, o mesmo estava muito bem vestido, e não causava uma má impressão à primeira vista, eu apenas fixava o olhar ao mesmo por alguns instantes, fitando bem a sua roupa com os olhos para ver algum tipo de arma, ou algo que parecesse suspeito, da forma mais discreta possível, abrindo um sorriso ao mesmo.

— O que há com este local, rapazes? Pretendia comprar uma bela joia para minha amada esposa, vocês me permitiram adentrar e fazer este homem feliz?

Após as palavras ditas pelo senhor, eu apenas lhe respondia com educação.

-boa tarde, me chamo Hyo é um prazer conhece-lo, está é uma excelente loja tenha uma ótima compra.

Por dentro eu não podia negar que estava apreensivo, afinal se a nossa missão era patrulhar um local onde, já se encontram diversas lojas que foram roubadas e estão fechadas devido ao caso, é meio suspeito um senhor chegar bem vestido, como se nada estivesse acontecendo ali, eu continuava me mantendo com a aparência calma, de forma que o mesmo não conseguisse ver as minhas suspeitas sobre ele, em seguida eu apenas observava o sargento que, a aparentemente avaliava o senhor também, o que me mostrava que ele também teria tido as suas suspeitas do homem em seguida Lars falava para o senhor abrindo caminho ao mesmo.

—Ah... Desculpe. Pode passar -

Após o homem ir em direção a loja, o sargento caminhava em minha direção, chegando bem próximo a mim e em seguida sussurrava.

—faça o que sugeriu e fique de olho em todos os clientes, inclusive esse daí.

Após terminar a sua fala, eu apenas balançava a cabeça positivamente, caminhando lentamente em direção a loja.

"como aquele homem já me viu com o uniforme da marinha, agora não adianta eu tentar trocar de roupa, se ele for um dos assaltantes ele não irá vacilar sabendo que a marinha está aqui, a não ser que ele seja mais forte do que aparenta... oque seria um grande problema, acho que o melhor a fazer é observar de alguma janela ou algum outro local aonde aquele homem não consiga me ver"

Após chegar próximo a loja eu apenas andaria de forma sútil, tomando cuidado com cada local pisado para fazer o mínimo de barulho, procuraria por uma janela da loja e olharia pela mesma,com o mínimo  que pudesse mostrar do meu corpo e da forma mais discreta possível e que eu pudesse ter uma boa visão da loja. se por um acaso o senhor tentasse roubar algo, ou ameaçasse o dono da loja com algum tipo de arma eu não hesitaria em entrar em ação, abriria rapidamente a minha mochila, colocando as minhas manoplas, em seguida, se o homem estivesse com alguma arma em punhos eu correria em direção a loja, se fosse alguma arma de fogo eu correria em direção a entrada da loja e ao entrar na loja avançaria com toda a velocidade em direção ao senhor, em ziguezague mirando a sua arma, tentando com um forte soco desarma-lo, se fosse uma espada ou qualquer outro tipo de arma eu apenas entraria na loja dizendo.  

—parece que acabou para você, acho melhor você se render.

Se nada disso acontecesse e o senhor apenas efetuasse a compra sem cometer nenhuma atitude suspeita, eu apenas caminharia para algum local que fosse meio escondido de pessoas e próximo a loja, como atrás de alguma árvore ou algum mato, e trocaria de roupa, pegando a minha antiga roupa de dentro da mochila. E  em seguida caminharia de volta a loja entrando na mesma como um cliente qualquer, e ficaria ali parado esperando qualquer tipo de ação suspeita.


Histórico:
 

off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Fala (#008B8B - Darkcyan)
Pensamento (#228B22 - ForestGreen)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sakaki
Estagiário Narrador
Estagiário Narrador
Sakaki

Créditos : 6
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 1010
Masculino Data de inscrição : 22/10/2013

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptyDom 26 Fev 2017, 06:47

Chapter Zero - The Path of Order
Rin e Hyo eu Shippo <3

Yato se dirigia em passos calmos ao local da missão, estava acompanhado do cachorro que caminhava em um ritmo semelhante, o ninja mantinha uma expressão de tédio no rosto e deixava soltar até mesmo alguns bocejos durante o trajeto, ele não tinha pressa nenhuma para chegar ao local, áleas se tratava de trabalho, e como já deve saber, se há algo que o nosso amigo da vizinhança Yato odeia é esforço de qualquer tipo, porém não era um trabalho comum, se tratava da marinha, sendo assim haveria duas opções, ou o jovem passaria o dia inteiro coçando o saco em frente a droga da loja, ou haveria muita ação, morte, lutas frenéticas e morte, claramente ele torcia para que fosse a segunda opção. Enquanto se perdia em seus devaneios durante o caminho para a missão não podia notar o silêncio entre ele e o cachorro, realmente era um silêncio constrangedor, talvez a melhor opção fosse ficar calado, áleas os dois nem se conheciam direito, mas se tratando do jovem apenas olhou para os dois lados e falou a primeira coisa que veio a cabeça:

- Então... Você é um cachorro, como é isso pra você?

Não deveria demorar muito para chegar ao local, e chegando lá se depararia com a fachada de uma loja de jóias, oque era uma certa decepção, o ninja estava com tanta fome que esperava defender um restaurante ou até uma loja de chá, mas não a droga de uma loja de jóias. Tirando a atenção do estabelecimento notaria três pessoas em frente a mesma, uma delas era Hyo seu jovem colega, o outro era aquele cara da chuva, o mesmo usava uma farda de sargento, e por último um velho bem vestido, pelo jeito eles estavam no lugar certo. O ninja após cumprimentar ambos seus companheiros com um simples gesto de positivo com o polegar, deixava o cachorro tomar a dianteira e explicar a situação, e após uma troca de olhares um pouco curioso o cachorro ia ao ponto:

- Olá fomos encaminhados para aqui... Podemos ajudar em que?

Ouviria atentamente a resposta do sargento e cumpriria com as ordens assim como o cão, já que o homem estava a uma patente acima era óbvio que ele estava na liderança, e deveria guiar os jovens, a ideia de receber ordens não agradava muito ao ninja mas eram as regras da marinha, e agora o jovem era um marinheiro. Yato não fazia ideia sobre como o sargento agiria, talvez agisse de forma rígida, ou de forma normal como se fosse um deles, de qualquer forma apenas ouviria as ordens, fossem elas para fazer rondas em volta da loja ou apenas permanecer de guarda, após ouvir as palavras do homem, antes de cumprir os deveres ordenados o jovem andaria até próximo do sargento e estenderia seu punho fechado para o homem, esperando que ele fizesse o mesmo simbolizando um "toca aqui" enquanto diria:

- Yato Gami ao seu dispor.

Talvez fosse um cumprimento rude já que ambos tinham uma diferença de patentes, porém Yato não sentia a necessidade de demonstrar um "tamanho respeito", já que ambos pareciam ter uma idade semelhante.

Apenas seguiria as ordens do sargento, mas caso desse errado Yato agiria, caso fosse necessário lutar ou defender seus companheiros o jovem ninja sacaria uma Shuriken com a mão esquerda e com a direita retiraria o Ninjaken da bainha, e apenas se defenderia caso necessário, ou impediria o alvo de fugir arremessando a Shuriken, porém sempre seguindo as ordens do sargento.

Histórico:
 

Objetivos:
 

Citação :
Legenda

- Fala
"Pensamento"

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Kenway
Pirata
Pirata
Kenway

Créditos : 30
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 25/11/2016
Idade : 19

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptyTer 28 Fev 2017, 18:26

Narração 4 – Patrulha

 
 
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]A dupla já presente no local da missão acabava por deixar o senhor de idade passar, permitindo assim que este adentrasse a loja. Logo após, dois sujeitos que interagiam a caminho do local apresentavam-se para Lars e cumprimentavam Hyo, estes dois eram Yato e Rin.


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Apresentações a parte, Lars ordenava a Hyo que vigiasse a loja pela parte de dentro, inspecionando clientes e qualquer um que adentrasse o estabelecimento, obviamente visando de primeira instância já ficar de olho no homem que acabara de entrar. Apesar do mesmo não estar armado, poderia apresentar algum perigo de fato. O jovem recruta posicionou-se em um lugar estratégico, afim de impedir que notassem de longe que ele era um integrante da Marinha, não sabia ao certo se dava ou não, mas tendo em conta a cautela que teve, era provável que sim. Dentro da loja tudo permanecia normal e o senhor de antes inspecionava as joias.



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]Yato e Rin aguardavam as ordens de Lars, que vigiava o local e pretendia realizar a patrulha muito em breve, qualquer ajuda poderia ou não ser crucial no momento. Enquanto os três conversavam, discutindo o que cada um deveria fazer, isto é, Lars ordenando os soldados, um trio aproximava-se ao longe, apenas era visto suas silhuetas, não sabia-se se estavam armados ou qualquer coisa do tipo.
 

off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
TND... TND NEVER CHANGES
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG!
Links para ajuda
:
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ceji
Caçador de Recompensas
Caçador de Recompensas
Ceji

Créditos : 2
Warn : Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 10010
Masculino Data de inscrição : 04/02/2013

Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 EmptySab 04 Mar 2017, 17:47

Sombras A Espreita


Eu estava com uma má impressão daquela missão, mas não podia negar que estava uma chatice. Eu tinha a sensação de que a qualquer momento aqueles ladrões, ou o que quer que fossem, apareceriam, mas não havia nem sinal dos mesmos. Quer dizer, eu suspeitava um pouco daquele senhor, mas não tinha nada concreto. Eu e Hyo estávamos discutindo sobre nossas estratégias quando avistamos outros dois Marinheiros chegando. Ver que mais gente havia sido mandada para a missão me deixava aliviado e me irritava ao mesmo tempo. Me aliviava porque se houvesse realmente uma batalha contra um grupo de ladrões, seria mais difícil estarmos em desvantagem numérica; e me irritava porque teria que explicar novamente aquilo tudo para eles. Mas, fazer o que, a vida que segue.

Conforme os dois soldados chegavam, um deles, que possuía orelhas estanhas, ia até Hyo e botava sua mão no ombro do jovem, ao que parecia ser um cumprimento. Eles pareciam se conhecer, o que podia facilitar ou dificultar meu trabalho, dependendo da postura da postura que fosse, tomar - Olá fomos encaminhados para aqui... Podemos ajudar em que? - Dizia o das orelhas. Ele parecia simpático, diferente do outro que vinha com ele - Ah, mais gente para a missão. É o seguinte, tem um grupo assaltando as lojas da região, e por causa disso só essa loja dai abriu. Nosso trabalho é de proteger as lojas da área e capturar os ladrões vivos se os encontramos. Entendido? - Então faria uma pausa para respirar, devido a ter falado tenta coisa rapidamente. Então apontaria para Hyo, o soldado que estava comigo a mais tempo - Hyo vai fingir ser um civil dentro da loja, para avaliar os compradores e ter certeza que os ladrões não entrem pela porta da frente, enquanto eu, e agora o resto de vocês, iremos rondar a área procurando movimentos suspeitos, alguma dúvida? Espero que não, porque já estou ficando sem paciência - Eu não queria soar rude, nas as vezes aquele tipo de coisa acabava escapulindo, afinal, não era do meu feitio mentir. Eles não pareciam ter dúvidas, o que poderia significar que tinham entendido bem ou que tinham lido sobre a missão antes, e em ambos os casos eles me poupavam tempo, o que era ótimo - Tudo bem, então se apresentem para começarmos logo o que viemos fazer - Diferente das minhas expectativas, quem se apresentou primeiro foi o que eu tinha julgado como "menos amigável" - Yato Gami ao seu dispor - E estendia o punho fechado para um "toca aqui". Por um momento, esperava o jovem das orelhas se apresentar, mas vendo que ele não o fazia, dei o "toca aqui" que o soldado Yato queria - Eu sou Sargento Lars, prazer, ou desprazer, dependendo do caso, em conhecê-los.

Eu já estava pronto para me virar, quando vi três silhuetas se aproximando. Eu acho que estava ficando paranóico com aquela missão, porque qualquer pessoa que se aproximava me dava uma má impressão, e isso estava começando a fazer eu ficar puto comigo mesmo. Bem, com aquela desconfiava pairando constante na minha cabeça, decidi adicionar algumas coisas aos dois soldados - Ah, na verdade, gostaria que um de vocês ficasse perto dessa loja, já que é a única aberta e a mais vulnerável aos ladrões, em uma posição que possa ver os fundos da loja, mas sem perder visibilidade dos arredores. Acham que algum de vocês consegue? E também, o que for rondar, lembre-se de nunca ficar em posição que torne difícil visualização dos arredores, principalmente dessa loja. De resto deixo ao encargo de cada um, entendido? - E então me afastaria do local, mas sempre mantendo o trio em uma posição que pudesse ver, ao mesmo tempo que dividia minha atenção ao meu arredor, procurando pessoas suspeitas. Durante a ronda, periodicamente olharia para a frente da loja aberta para ver a situação, ação que seria bem mais frequente enquanto o trio estivesse ali por ali. Caso visse algo que parecesse problemático, como uma luta, alguém tentando passar furtivo, ou algo assim, correria de volta ajudar na proteção do local. Caso não acontecesse nada, prestaria mais atenção na ronda, mas nunca deixando de manter o local num ângulo momqual pudesse averiguar de tempos em tempos. Prestaria atenção nos estabelecimentos da zona de escolta, principalmente em janelas e portas, procurando sinais de arrombamento recente ou de alguém o fazendo, ou até mesmo de alguém passando furtivo pela área. Também olharia becos. Eu ficaria indo e voltando pela área, e sempre que passasse em frente à loja aberta, daria uma rápida olhada dentro para ver se Hyo estava bem. Caso visse alguém suspeito, manteria o mesmo na minha linha de visão e tentaria averiguar a situação, e em caso de um ladrão ou tentativa de invasão, usuária minhas técnicas de corrida e acrobacia, assim como minha velocidade, para me mover rapidamente para bloquear o caminho do sujeito é diria, com a mão na bainha da espada, mas sem perder a atenção a minha volta - Alto lá! Quem é você e o que está fazendo? - Cado encontrasse sinais de arrombamento recente, iria rapidamente conferir se havia a presença de alguém, e caso houvesse, faria o descrito acima. Caso não houvesse, voltaria a ronda, mas passaria a dar um pouco mais de atenção ao local.
Spoiler:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

R.I.P. Lars:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty
MensagemAssunto: Re: Chapter Zero - The Path of Order   Chapter Zero - The Path of Order - Página 6 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Chapter Zero - The Path of Order
Voltar ao Topo 
Página 6 de 11Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... 5, 6, 7 ... 9, 10, 11  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Shells Town-
Ir para: