One Piece RPG
3° Tale - Blizzard of Revolution XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Cap 3: O alvorecer da névoa trovejante
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor PepePepi Ontem à(s) 23:55

» VI - Seek & Destroy
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor ADM.Senshi Ontem à(s) 23:52

» Chapter I: Seafret - Oceans ♪♫♪
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor tamerex12 Ontem à(s) 23:24

» [LB] O Florescer de Utopia III
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor Kekzy Ontem à(s) 22:52

» [MINI-Ballu] Um momento desesperador
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor DarkWoodsKeeper Ontem à(s) 22:34

» Enuma Elish
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor GM.Alipheese Ontem à(s) 22:05

» 1º Ato - O Despertar
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor Hammurabi Ontem à(s) 20:49

» The Claw
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor Achiles Ontem à(s) 20:46

» Vamos nos aventurar! Anjinhas me aguardem...
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor Pippos Ontem à(s) 20:15

» III ~ Uma Loira na Ilha das Aranhas?
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor PepePepi Ontem à(s) 20:06

» MaikLynn Scarlaiti de Orr
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor GM.Noskire Ontem à(s) 19:24

» II - Aliados
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor Hunson Ontem à(s) 19:19

» Tríade Selvagem
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor GM.Furry Ontem à(s) 19:18

» Escuridão total sem estrelas
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor K1NG Ontem à(s) 19:17

» Rumo à Grand Line?
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor Kekzy Ontem à(s) 19:00

» Una Regazza Chiamata Pericolo
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor Vrowk Ontem à(s) 18:40

» Arco North Blue: Uma Odisseia no Santuário
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor tamerex12 Ontem à(s) 18:26

» O início da pesquisa.
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor K1NG Ontem à(s) 18:07

» Yami Sukehiro
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor Mad Ontem à(s) 17:50

» O Sapo Mágico
3° Tale - Blizzard of Revolution Emptypor K1NG Ontem à(s) 17:47



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 3° Tale - Blizzard of Revolution

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptySeg 30 Maio 2016, 16:47

3° Tale - Blizzard of Revolution

Aqui ocorrerá a aventura do(a) revolucionário(a) Elsa Às Volkerbäll. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptySeg 06 Jun 2016, 18:12

A brisa de Lvneel durante a noite provocava repentinos e agradáveis arrepios, na realidade sempre havia gostado do clima de todo o North Blue, nunca havia calor em excesso e o frio não era empecilho para alguém criada na neve de Fernand Ice Island. O acampamento revolucionário estava completamente tomado pelo silêncio, nem mesmo a minha volta com Kim e os demais da missão havia perturbado a paz do local. – Só ouço o som da natureza. – pensava, contemplando a formação rochosa onde todos nós estávamos usando de abrigo, tal como a floresta que rodeava parte do local. Caminhava por entre as barracas com passos esguios, controlados e sutis. Vicent já dormia quando fui reportar o resultado da missão e completamente sem sono só me restava perambular entre aquela imensidão de tecidos até minha barraca, afinal de contas, havia muitos ferimentos para tratar e não estava falando exclusivamente de mim.

O ferimento que possuía no ombro doía de maneira constante, mas o sangue já não escorria com tanta intensidade. Busquei no kit de primeiros socorros que possuía as ferramentas necessárias para tratar de meus machucados. Sob a segurança do sono alheio senti-me segura o suficiente para limpar as feridas sem muito constrangimento. Havia retirado a parte de cima do vestido para limpar todos os cortes, tal como sangue que havia tingido boa parte de minha pele para um rubro que oscilava entre o claro até o mais escuro e violento. As ataduras e as gazes eram vermelhidões que davam dó ao fim de tudo aquilo e para minha triste avaliação, não poderia tão cedo usar meu braço esquerdo para algo. – Só que mais importante que isso. – pensava, enquanto voltava a vestir-me, olhando em direção ao local em que Kim havia colocado Mindy.

Só havia removido a máscara para tratar de meus ferimentos, mas a recolocava para que pudesse tratar da marinheira, por mais estranho que aquilo fosse. Seguiria para minha barraca, esperando encontrar a marinheira devidamente em repouso e imobilizada. – Desculpe a demora! – falaria, buscando trazer um tom mais animado na voz. – Lamento por deixa-la assim, imobilizada, mas pra cuidar de você eu preciso dar aos demais garantias de que você não tentará atacar ninguém aqui, mesmo eu achando que não será preciso isso. – dava de ombros, ou de ombro como era mais fácil de ser feito naquele momento. – Infelizmente eu também estou com menos uma mão para tratar você, por isso vou precisar que tenha paciência comigo, pode demorar mais que o comum, mas se eu não fizer nada suas feridas podem infeccionar. – procurava sentar-me ao lado da moça. – E não perderei você para uma infecção.

Iniciaria então o tratamento, primeiro despindo o excesso de roupa que estivesse ao redor da ferida, mas apenas o necessário para tratar a moça sem constrangê-la. – Você me perguntou antes... – quebrava o silêncio para tentar uma conversa. - ...sobre minhas razões para ajudar você. – voltava minha atenção a seu rosto. – É preciso uma razão para ajudar quem precisa agora? – me divertia com a resposta e de fato havia muita verdade no que dizia, trazer a marinheira para o acampamento poderia ser visto de muitas formas, aliviar um sentimento de culpa, trazer uma cativa, informações, tortura, tantas ideias e teorias que o simples sentimento de bondade parecia ser algo irreal de ocorrer, mas que de fato ocorria naquela situação. – Você falou que tem uma família, mas não entendi sobre o “se eles ainda se lembram”, gostaria de falar sobre isso? – buscava entreter a mulher enquanto limpava, dava pontos e fechava os curativos, mas pelo meu tom de voz, buscava deixar claro que não tentava ser demasiadamente invasiva ou impositiva, ela estava livre para fazer as escolhas que quisesse tal como dizer o que bem entedia.

Quando terminasse com os curativos, buscaria cobri-la. – Descanse, logo amanhecerá e eu terei de ouvir muita coisa no meu ouvido por ter trago você até aqui. – levava minha mão a testa de Mindy para verificar se não estava com sinal de febre e então buscaria uma cadeira para me sentar. – Boa Noite Mindy. – dizia em tom suave de voz, antes de me sentar de costas para a moça para que pudesse retirar a máscara e dormir, mesmo que sem vontade.



OBJETIVOS:
 

Histórico vem no próximo Post.

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Far
Pirata
Pirata
Far

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2015
Idade : 22
Localização : Your worst nightmare

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptySeg 06 Jun 2016, 23:58

Narração

Elsa chegava ao acampamento completando a missão que lhe havia sido designada anteriormente, porém todos já estavam dormindo após o longo e árduo dia que passaram, impedindo que a garota relatasse os acontecimentos para Vicent. A noite se mostrava fria e o vento ajudava a castigar os despreparados, mas Ás não se importava muito com isso, principalmente pelo fato de ser criada em uma ilha completamente cercada por gelo. Sem muito o que fazer, a jovem caminhava por entre as barracas observando o sono profundo daqueles homens. Enquanto isso, os demais que chegaram juntamente a Elsa se alojavam em suas barracas cansados, com exceção de Kim que se deitava ali mesmo no chão, observando as estrelas com as mãos posicionadas como apoio para sua cabeça.

A jovem revolucionária preocupava-se com as condições de Mindy, mas antes de qualquer coisa precisava tratar de si própria, afinal de contas também havia sofrido ferimentos consideráveis, principalmente em seu ombro esquerdo que restringia seus movimentos. Entretanto apesar dos danos, seu estado não era tão grave, não como anteriormente ao ponto de estar em uma cama recebendo tratamentos médicos novamente. Dessa vez a garota poderia cuidar de tudo, e de fato era o que ela fazia, tomando o restante de seu Kit de primeiros socorros em mãos, retirava parcialmente seu vestido e passava a tratar devidamente seu ferimento com gazes e ataduras.

- Boa noite. - Dizia Kim, sem olhar, enquanto Elsa vestia-se novamente, percebendo sua movimentação quando voltava a escutar passos.

Com os devidos cuidados médicos realizados, Elsa colocava novamente a máscara caminhando até a barraca onde Mindy estava, adentrava o local deixando o arqueiro para trás em sua reflexão com as estrelas. Como solicitado a marinheira encontrava-se imobilizada com as mãos e pés amarrados, aguardando o retorno da revolucionária até a barraca, não muito feliz por estar forçando seus ferimentos contra o corpo.

- Desculpe a demora! - Iniciava o diálogo tentando acalmá-la. - Lamento por deixa-la assim, imobilizada, mas pra cuidar de você eu preciso dar aos demais garantias de que você não tentará atacar ninguém aqui, mesmo eu achando que não será preciso isso.

- Como se eu conseguisse fazer alguma coisa, mesmo se eu quisesse. - Resmungava a marinheira tentando entender as intenções de Elsa, pois no final ainda não estava completamente convencida sobre as reais motivações da garota.

- Infelizmente eu também estou com menos uma mão para tratar você, por isso vou precisar que tenha paciência comigo, pode demorar mais que o comum, mas se eu não fizer nada suas feridas podem infeccionar. E não perderei você para uma infecção. - Afirmava, mostrando que se importava com Mindy, convicta de que a salvaria de uma possível infecção.

Terminando a conversa Ás sentava-se próxima a Mindy para iniciar o tratamento, a marinheira por outro lado fazia bico virando seu rosto para o outro lado, mas no final acabava estendendo os braços para dar continuidade ao processo. Levantava as mangas da garota para tratar de seus braços feridos, iniciando uma breve conversa enquanto realizava os pontos e curativos, servindo como uma forma de distração mas também era algo de interesse de Elsa, saber mais sobre a história daquela marinheira.

- Você me perguntou antes sobre minhas razões para ajudar você. É preciso uma razão para ajudar quem precisa agora? - O silêncio era quebrado, com uma uma explicação um pouco vaga para suas ações.

- Bom, nada nessa vida vem de graça. - Respondia Mindy, resistindo a bondade de Elsa, ainda desconfiando de suas intenções, até porque a mesma havia acabado de dizimar seu grupo.

- Você falou que tem uma família, mas não entendi sobre o “se eles ainda se lembram”, gostaria de falar sobre isso? - A conversa se estendia, enquanto os pontos eram postos gerando algumas expressões de dor, que logo eram suprimidas pela garota tentando se mostrar forte.

- Meus pais foram para a Grand Line quando ainda era pequena. Entrei na marinha pensando que se me esforçasse, quem sabe um dia encontraria eles novamente, mas parece que nem pra isso eu sirvo. Talvez seja por isso que eles me abandonaram para começo de conversa. - Desabafava, mesmo pensando que não faria diferença, buscava ser compreendida por alguém ao menos alguma vez na vida.

De qualquer modo a conversa acabava por ali, quando Elsa terminava de tratar os ferimentos da garota, desejando boa noite, mas não sem se queixar um pouco antes pela bronca que esperava levar por trazer uma inimiga até o acampamento. As duas então se deitavam uma de costas para a outra, passando a dormir, apesar de levar algum tempo devido a falta de sono e a constante agonia por parte dos ferimentos. A longa e fria noite se passava, até que com o amanhecer Vicent adentrava a barraca, acordando-as um pouco mais cedo do que provavelmente desejavam, já se pronunciando sobre o ocorrido.

- Ei, O que é isto? Você trouxe uma marinheira para o nosso acampamento? Não precisamos de outro traidor por aqui Ás, como se já não bastasse Tyler.
Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS


____________________________________________________


Fala (#B22222 - FireBrick)
Pensamento (#4682B4 - SteelBlue)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptyTer 07 Jun 2016, 18:42

As palavras de Mindy eram carregadas de sentimentos, infelizmente nenhum deles parecia ser bom o que inicialmente me botava a imaginar o quão impactante tal fato deve ter sido em sua vida, a batalha no armazém parecia ter lhe tirado todas as expectativas que tinha e sua autoestima havia se quebrado junto de tudo aquilo. A sensação de pena era capaz de comover, mas não auxiliava em nada na resolução do problema, falar algo podia ter ajudado, porém o tratamento havia chegado a seu fim e não tive a coragem de prosseguir com tudo aquilo, apenas a observava esperando que de alguma forma aquela minha atenção pudesse a confortar. – Ela está assustada, acha que está só no mundo onde as pessoas só querem tomar proveito de suas capacidades. – pensava por um momento enquanto refletia sobre as respostas dadas por ela, em especial em relação a ‘nada vir de graça’. – Um simples gesto de bondade tornou-se uma ação estranha, digna de ressalvas e precauções. – A dúvida sobre o passado dela aumentava a cada novo diálogo, mas prezando pelo bem estar dela e meu próprio decidi que era hora de dormir.

Havia tentado deixar a cama para que ela descansasse, mas como era o único local disponível para descanso, acabamos por dividir a cama. A estranheza era imediata com aquilo, dormimos de costas incapazes de nos mexer e tendo de suportar cada uma a dor das próprias feridas, até que o sono chegasse e enfim dormíssemos. Não tive sonhos, apenas o silêncio e a escuridão dos pensamentos, sempre havia julgado aquilo como um indício que o corpo e a mente estavam tão cansados que nem tinham forças para sonhar e poderia ser de fato verdade, pois as horas se passavam até que era despertada por Vicent, ainda dentro da barraca, seu tom de voz já era um indício de que minha conversa com ele não seria fácil.

Uma cama e duas mulheres dormindo nela, ué. – o despertar era lento e acabava por sem querer dando uma resposta não muito convencional, bocejava enquanto refletia sobre o que acabara de falar, mas preferia deixar por estar, não poderia ter pensando em algo melhor para responder senão aquilo. Levava as mãos ao cabelo e soltava a trança que o prendia, movendo os cabelos a fim de endireitá-los. Aos poucos sentia os pensamentos se reorganizando e a preguiça aos poucos se esvaindo, em um impulso procurava a máscara, para deixa-la próxima de mim em um ato quase instintivo. – Se estivesse acordado quando eu e Kim chegamos, saberia disso, as armas também estão aqui, a missão foi concluída. – embora desperta ainda estivesse com a língua bem solta, respondia a Vicent de forma certeira e firme.

Tyler escondeu que era do Governo, nos espionou, colocou o acampamento em risco, era um homem forte e saudável quando o pegou. – me levantava rapidamente, com a máscara em mãos. – Eu vim de uma missão que você me passou, capturei as armas, incendiei o armazém e matei todos que se colocaram no caminho. – fazia uma breve pausa, engolindo a seco as próprias palavras antes de um suspiro. – Todos menos ela, pedi para que os demais a revistassem antes de trazê-la e a primeira coisa que fiz quando botei o pé por aqui foi avisar você. Pergunte a Kim se desejar ele estava lá, viu tudo.

Movia o resto levemente para lado, com a segurança de que o cabelo fosse capaz de cobrir meu rosto. – Como estão as feridas Mindy? – buscava saber o estado dela e principalmente se estava bem. – Olha Vicent, eu pensei em conversar com você lá fora, mas isso é outro assunto, o que quero dizer é que... – afastava-me da cama. - ...ela implorou para morrer, de todos aqueles marinheiros ela foi a única que fez isso. Eu não sou uma carrasca, naquele momento eu tive muitas opções, mata-la, deixa-la a própria sorte para que sangrasse até morrer ou salvá-la da maneira que eu pudesse. – passava a língua sobre os lábios ante de voltar a encarar Vicent. – Eu escolhi salvá-la, mesmo que se a situação fosse o inverso ela ou qualquer outro tivesse me matado e sabe por que o fiz? Por que é o certo, é o que devemos fazer, do contrário o que nos torna diferentes daqueles que enfrentamos? Eles têm seu ideal, nós o nosso e por isso matamos uns aos outros de forma igual. Não, não sou igual a eles eu ainda acredito que há pessoas lá que ainda valem a pena ajudar, que valem a pena mostrar um caminho diferente. Você vê uma marinheira e uma traidora? Eu vejo uma revolucionária e uma garota que está amedrontada do que disposta a algo vil. – as palavras vinham com força, mas sem perder a suavidade, sabia que estava peitando Vicent com tudo aquilo, mas não iria ceder do contrário de que teria adiantado dizer tudo isso? Se ele possuía dúvidas sobre Mindy, eu só tinha certezas, de que ela era boa e de que ela valia a pena me por em risco.



Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Far
Pirata
Pirata
Far

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2015
Idade : 22
Localização : Your worst nightmare

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptyQua 08 Jun 2016, 17:51

Narração
Elsa conseguia compreender os sentimentos de Mindy perante aquela confusão toda, apesar de não serem nada positivo com relação ao acampamento e suas intenções, assim como a autoestima da garota que era praticamente inexistente, sem saber ao que se dedicar. Ás agora possuía conhecimento sobre a história de vida da marinheira, mesmo não sabendo todos os detalhas o básico já fora contado, provavelmente o suficiente para entender a frustração e as motivações da jovem para seguir em frente. A desconfiança da garota por uma simples ação bondosa intrigava Elsa, pois não sabia o que ela deveria ter passado até o momento para pensar dessa maneira, sabia que o combate havia acabado com Mindy mas não até que ponto era culpa daquilo. Mas de qualquer forma decidira por dormir para evitar ser evasiva demais, e acabar piorando a situação.

Talvez a decisão de deixar o assunto para outra hora tenha sido bom, ou quem sabe não, o importante é que os ferimentos estavam tratados, e já cansadas passaram a dormir após uma certa dificuldade causada pela dor. De fato o espaçamento não era dos melhores, e só uma cama estava a disposição naquela cabana, entretanto isso não incomodava tanto as mulheres durante o sono, afinal possuíam preocupações maiores no momento. A noite não era tão longa quanto deveria, não o suficiente para descansar o bastante facilitando no processo de cura dos ferimentos, mas não possuíam muita escolha visto que Vicent adentrava a cabana, já se pronunciando negativamente sobre o ocorrido.

- Uma cama e duas mulheres dormindo nela, ué. - Retrucava Elsa ainda acordando, sem muita noção do que falava.

Diante todo o rebuliço, a revolucionária levantava-se ainda um pouco sonolenta tentando estabilizar seu raciocínio, no entanto não se arrependia das palavras que acabara de pronunciar, acreditando não ter motivos para se explicar, e até sentindo-se ofendida. Soltava as tranças de seu cabelo, em um ato de desconfiança tentando esconder seu rosto diante a presença da marinheira, acreditava nela mas tomava as devidas precauções para não ser descoberta pelas forças inimigas. Esse ato, soava até um pouco irônico, visto que ela mesma estava defendendo Mindy ao ponto de passar a argumentar com seu líder e questionar seus princípios.

- Se estivesse acordado quando eu e Kim chegamos, saberia disso, as armas também estão aqui, a missão foi concluída. - Defendia-se, mais uma vez contra-atacando as palavras de Vicent.

Elsa prosseguia com as palavras, tentando convencer o líder de que fez o melhor que pode, cumprindo a missão sem hesitar e até mesmo matando a todos que estivessem em seu caminho para isso, mas que não pode fazer o mesmo com a garota. Afirmava ter tentado conversar com Vicent no momento em que haviam chegado, mas o mesmo estava dormindo e por isso não fora possível que isso ocorresse, essa conversa deixava-o um pouco impaciente apesar de escutar com atenção tudo que fora dito.

- Infelizmente não foram só vocês que tiveram um dia ruim, você acha que foi fácil recuperar os homens que mandei até lá? Não, não mesmo. - Explicava-se, mesmo sem ter motivos para isso.

- Como estão as feridas Mindy? - Elsa voltava as atenções a Mindy, que observava a discussão com o canto dos olhos, mas não respondia a pergunta.

A revolucionária então passava a explicar os ocorridos, e o motivo de ter salvo aquela garota apesar de todas as diferenças, pois apesar de ser ordenada a fazer tal coisa, seus princípios iam contra a irracionalidade da batalha deixando pessoas boas a beira da morte. Elsa provavelmente havia visto algo nessa jovem que ninguém mais via, talvez nem ela mesmo soubesse o que a fazia tão especial, mas para querer proteger alguém desse modo certamente se preocupava com Mindy. Vicent ao escutar o desenrolar da conversa, pensava melhor sobre os argumentos utilizados e parecia mudar um pouco, esboçando brevemente um sorriso de canto de boca que logo era cortado, voltando a sua expressão séria.

- Muito bem, se você quer protegê-la faça como quiser. Mas... Lembre-se, tudo que ela fizer ou deixar de fazer está em suas mãos, assim como todos desse acampamento estão nas minhas. Então se ela quiser fazer parte disso tudo, terá que ganhar minha confiança assim como todos o fizeram, e você sabe muito bem o porquê Ás. - Dizia Vicent, ainda sério mas mudando de opinião, e dando uma chance a garota. - A propósito, qual é seu nome? - Prosseguia Vicent, um pouco mais amigável direcionando-se até Mindy.

- Err... Meu nome é Mindy ... Mindy Einloft, senhor. - Respondia a garota, mais formal que geralmente é, talvez apenas tentando manter sua estadia no acampamento.

- Einloft ?! - Se surpreendia Vincent. - Você diz o mesmo de Spark Einloft? - Perguntava, dando voltas na cabana, de uma forma que Elsa nunca havia visto antes. - Ás, venha aqui fora, preciso falar com você! - Acrescentava antes que a jovem sequer pudesse responder.

O líder direcionava-se para fora da cabana, aguardando que fosse seguido até lá para então retomar a conversa, continuava com a movimentação estranha por mais alguns segundos, enquanto ao mesmo tempo olhava para o céu. Vicent levava as mãos a cabeça, levantando o cabelo se arrependendo de algo, mas sem muito tempo para lamentações voltava para Elsa e sem muita hesitação, logo dizia o que de fato queria.

- Ás, Marco acordou do coma... - Falava deixando que a boa noticia alegrasse Elsa, para então prosseguir com o porém. - ...  mas ele ainda não consegue andar, e talvez leve algum tempo para voltar ao normal. E agora temos coisas mais importantes para tratar... Spark Einloft é um comodoro muito famoso na marinha, eu não sei que relações essa mulher tem com ele, mas se de alguma forma ele descobre que estamos com ela. Bom, digamos que está tudo acabado aqui em Lvneel.- Explicava cabisbaixo a situação.
Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS


____________________________________________________


Fala (#B22222 - FireBrick)
Pensamento (#4682B4 - SteelBlue)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptyQua 08 Jun 2016, 22:01

Não duvido que tenha sido difícil, mas uma coisa não justifica a outra no fim das contas. – rebatia com fervor as respostas de Vicent, parecia que eu tinha acordado suficientemente disposta para contrariar os outros, mas não o fazia por mal, sentia-me suficientemente confortável com o arqueiro para lhe responder e talvez muito provavelmente fizesse mesmo se não possuísse essa ligação. Embora contrariado e visivelmente descontente com tudo aquilo, o revolucionário ouvia minhas palavras com atenção e aos poucos seu semblante parecia mudar. Seu tom firme ganhou contornos de dúvida, sua face tornou-se pensativa e no fim esboçava um leve sorriso que, embora tivesse prontamente mudado para sua habitual expressão de seriedade fora notado por mim. – Rapaz, eu sou melhor nisso do que pensava. – refletia através das reações de Vicent, não possuía certeza se minhas palavras o haviam convencido, mas que pelo menos era um belo e verdadeiro discurso isso não podíamos negar.

A dúvida tornou-se uma confirmação com a resposta do jovem de cabelos negros, não havia sido uma mudança completa de opinião, o que era um bom sinal, alguém na posição dele deve sempre manter as precauções. Suas palavras eram ao mesmo tempo um conselho, a responsabilidade pela moça não seria assumida por ele, como era de se esperar. – De acordo, iria pedir isso de uma forma ou de outra. Eu fico responsável por ela, com todo prazer. – sorria, aliviada, enquanto observava a aproximação entre ele e a jovem. Por precaução, ou receio de que algo lhe acontecesse caso se negasse a responder, Mindy lhe respondia a pergunta, falando seu nome completo. – Mindy Einloft. – repetia o nome com delicadeza, era um belo nome afinal de contas, mas Vicent parecia estar impressionado demais com apenas aquelas palavras.

A pergunta imediata sobre outro nome, onde embora não obtivesse uma resposta direta, parecia ter sido suficiente para transtorna-lo, uma visão que nunca tinha presenciado. – Você vai acabar ficando tanto com tantas voltas, algo ocorreu? – perguntava com serenidade, mas preocupada pela razão de toda aquela súbita mudança. O pedido fora direto e sem chances de questionar, não sabia o que pensar ou sentir sobre aquilo, mas a julgar pela tom da voz do revolucionário, o assunto seria sério. – E lá vamos nós! – soltava as palavras como em um suspiro e antes de partir, voltava minha atenção para Mindy, desta vez mostrando meu rosto para a mesma. – Tente descansar para recuperar-se dos ferimentos, eu volto em breve com algo para que possamos comer. – lhe lançava um sorriso gentil enquanto piscava um dos olhos.

Uma vez do lado de fora esperava que Vicent estivesse novamente calmo, mas ao que parecia ele só ficava cada vez mais estranho, o que acabava me deixando preocupada por seu estado. – Aconteceu algo Vicent? – perguntava com preocupação, antes dele finalmente se acalmar e dizer o que queria de forma bem direta, como era de se esperar dele. – Que?! – Não sabia o que havia vindo primeiro, as palavras ou o sorriso. – Isso é...isso é maravilhoso Vicent! – abraçava-o sem cortesias por alguns segundos, antes de me afastar, mantendo o contato com minha mão boa sobre seu ombro. As palavras dele prosseguiam e desta vez parecia não se tratar de algo bom, e de fato não era no fim das contas, mas aquilo pouco importava. – Vicent. – tentava atrair seu olhar, enquanto minhas palavras vinham mais baixas. – Ele acordou! Isso por si só já é algo maravilhoso. O coma era a pior parte, agora a recuperação isso ele vai tirar de letra, tenho certeza disso! Um passo de cada vez e tudo volta ao normal! – mantinha o sorriso de felicidade no rosto enquanto voltava a me afastar do rapaz para que ele continuasse a falar.

Dessa vez o assunto voltava ser Mindy, mais especificamente seu sobrenome e sua possível origem. Spark Einloft, um Comodoro da Marinha poderia ser um dos familiares da moça e a julgar pela forma que Vicent se referia ao marinheiro, aquilo parecia ser algo extremamente preocupante. Retaliação, uma tentativa de resgate, o próprio Spark nos caçando, as possibilidades eram imensas para o desânimo que havia se instalado nas feições do revolucionário, pela maneira que falava parecia ser o fim de tudo. – Se ele souber que não possui uma, mas duas mulheres familiares de marinheiros de altíssima patente no acampamento ele certamente iria pirar. – pensava enquanto absorvia toda aquela informação. – Hahahahaha! – mas não era capaz de esconder o riso de tudo aquilo. – Acabado Vicent? – perguntava de maneira irônica.

Tira essa preocupação do rosto, um Comodoro está a quilômetros de distância e mesmo se ele ordenasse que a buscassem nada garante que os marinheiros o fariam de maneira expressa. – explicava minha visão da situação. – Mindy parece ter se separado da família a muito tempo, questiona até mesmo se eles se lembram dele e isso é de partir o coração. Se tivermos dúvidas, é melhor perguntar para ela sobre o assunto, eu posso fazer isso tranquilamente se é pra tranquilizar você. – voltava a por a mão no ombro do rapaz. – E se por alguma razão tivermos de confrontar esse tal de Spark, eu serei a primeira a fazer isso, afinal de contas ela é minha responsabilidade não? – dizia sorridente. – Agora tira essa carranca do rosto, ela não lhe pertence. Temos muito que fazer por aqui ainda, antes de partir para a Grand Line. Só preciso me recuperar, até lá pode providenciar um café da manhã? Eu tenho fome, Mindy tem fome, talvez você também tenha fome. – me divertia com as palavras, enquanto finalizava o assunto com Vicent, voltando a entrar na barraca.

Voltei Mi! Posso te chamar de Mi né?! – voltaria a entrar na barraca, mantendo o tom leve. – Pedi um café para nós duas, espero que esteja com fome, pois estou faminta! – voltaria a me sentar perto dela, desta vez sem esconder nada dela. – Moça, esse seu sobrenome tem força hein, eu não podia fazer ideia. – brincava. – Olha, eu sei que falei com você em algum momento que não tentaria ser tão invasiva assim, mas eu gostaria de saber mais sobre você, sua família. Decidi que estou disposta a te ajudar, se assim você desejar. – Se o café chegasse, buscaria a primeira coisa apetitosa para comer, mas não antes de repartir igualmente entre ela. – Se você quiser me fazer perguntas também, sinta-se a vontade. Não vamos fazer disso um interrogatório. – aguardaria as respostas da moça, enquanto degustava a refeição.



Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Far
Pirata
Pirata
Far

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2015
Idade : 22
Localização : Your worst nightmare

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptySex 10 Jun 2016, 16:33

Narração
O diálogo entre Elsa e Vincent se tornava mais intenso, com a garota refutando as palavras do homem com convicção e confiança em seus argumentos, que apesar de um pouco rudes eram suficientemente bons para convencer o líder. Vicent chegava a esboçar um sorriso que escondia rapidamente tentando disfarçar, entretanto a garota notava a remota alteração em sua expressão facial, e isso apenas a deixava com mais certeza de que estava no caminho certo. Não demorava muito para que mudasse os pensamentos do arqueiro, fazendo-o entender a presença de Mindy no acampamento, mas propondo que ela fosse responsabilidade completa de Elsa, que por sinal aceitava sem queixar-se, muito pelo contrário era algo que ela até desejava fazer.

Mas deixando a confusão toda de lado, Vincent chegava a se comunicar com a marinheira tentando ser mais amigável, mas logo ao perguntar o seu nome já recebia uma nova surpresa como resposta, apenas deixando-o mais preocupado que já estava. Andando de um lado para o outro de uma forma estranha, nunca havia feito isso e chegava a intrigar Elsa que não fazia ideia do que estava acontecendo, questionando o que estava acontecendo sem obter respostas. No entanto não demorava muito para que Ás fosse chamada até a parte de fora da cabana, para tratarem dos assuntos de uma maneira mais reservada, talvez até por receio do que poderia acontecer.

- Aconteceu algo Vicent? - Comentava a revolucionária, antes que a conversa se desenrolasse.

Vincent então prosseguia com a conversa, falava para Elsa as novidades sobre Marco e sua repentina saída do coma, mas que ainda não estava apto a sair da cama e retomar suas funções como líder. Mas apenas o fato do Major ter acordado já era o suficiente para trazer a felicidade de volta ao grupo, Ás por exemplo não conseguia esconder o sorriso espontâneo ao ouvir as palavras que vinham como um colírio para seus olhos, no momento em que mais precisavam dele, Marco voltava para ajudar nessa jornada. Depositava sua confiança nas capacidades do revolucionário para a recuperação, acreditando que logo já estaria bom e de volta em campo. Mas nem tudo eram rosas, o assunto de Mindy voltava a tona com algumas informações adicionais que deveriam ser tratadas, algo que Elsa se familiarizava pois seu próprio pai era um marinheiro, assim para ela era muito mais fácil a aceitação.

- Acabado Vicent? Tira essa preocupação do rosto, um Comodoro está a quilômetros de distância e mesmo se ele ordenasse que a buscassem nada garante que os marinheiros o fariam de maneira expressa. - Comentava tentando tirar a preocupação de Vicent.

- Talvez você esteja certa, acho que estou me preocupando demais. - Se punha em ordem, passando a ouvir o restante.

- Mindy parece ter se separado da família a muito tempo, questiona até mesmo se eles se lembram dele e isso é de partir o coração. Se tivermos dúvidas, é melhor perguntar para ela sobre o assunto, eu posso fazer isso tranquilamente se é pra tranquilizar você. - Ressaltava, mostrando que a garota não possuía mais relações com quem quer que fosse de sua família, e portanto a chance de serem atacados por causa disso caiam drasticamente. Agora tira essa carranca do rosto, ela não lhe pertence. Temos muito que fazer por aqui ainda, antes de partir para a Grand Line. Só preciso me recuperar, até lá pode providenciar um café da manhã? Eu tenho fome, Mindy tem fome, talvez você também tenha fome.

- Bom, se ela não tem mais relações com seus familiares, realmente não teremos problemas por enquanto. Mas... Nosso problema agora é outro, as forças do governo e da marinha ainda estão a nossa procura. Ah, a propósito se conseguirmos alguma informação sobre os preparativos deles com essa garota, seria muito bom. - Comentava, buscando algumas alternativas para elaborar um plano, em seguida virando-se para Durong que passava pelos arredores naquele instante. - Ei Durong, pode trazer o café da manhã para Ás? - Fazia um pedido atencioso para o revolucionário, voltando a atenção para Elsa novamente. - Quando terminarem, venham até a minha barraca para tratarmos desse assunto.

Terminavam o diálogo, cada um virando-se para sentidos contrários com seus próprios afazeres, Elsa voltava a barraca com Mindy enquanto Vincent se direcionava para o outro canto do acampamento, provavelmente para tratar de preparativos. Dentro da barraca, Mindy movia seus braços testando o quanto de movimento conseguia realizar, mas ainda estava bem desconfortável para se movimentar com as cordas amarradas em seus braços e pernas. Elsa voltava contente com o resultado, compartilhando de sua felicidade com a garota, não apenas por ter conseguido convencer Vicent sobre a estádia da jovem, mas também pelos acontecimentos recentes com relação a Marco.

- Voltei Mi! Posso te chamar de Mi né?! Pedi um café para nós duas, espero que esteja com fome, pois estou faminta!

- Ah, eerr... Claro. Mas... - Mindy balançava seu corpo contra as cordas, estendendo suas mãos o pouco que podia. - ... Se eu sou uma prisioneira... Por que está me tratando assim? - Perguntava confusa, imediatamente virando sua face para o lado, na tentativa de esconder sua frustração.

- Moça, esse seu sobrenome tem força hein, eu não podia fazer ideia. Olha, eu sei que falei com você em algum momento que não tentaria ser tão invasiva assim, mas eu gostaria de saber mais sobre você, sua família. Decidi que estou disposta a te ajudar, se assim você desejar.

- Na verdade, eu sei tanto quanto você sobre a minha família. - Parava algum tempo para pensar, deitando-se novamente. - Talvez menos.

Nesse momento Durong chegava com a comida, quebrando um pouco do clima, não que fosse dos melhores mas mudava completamente com a chegada do café, o revolucionário ainda meio confuso se aproximava de Elsa esperando que estivesse no lugar certo. Carregava em uma das mãos uma cesta com alguns pães, queijo, presunto, bolachas e alguns copos, já na outra mão erguia um bule de café quente pronto para ser servido. Colocava tudo na frente de Ás, ajeitando para que ela não se desse ao trabalho, sorria para as duas balançando a cabeça como cortesia, e levantava-se novamente.

- Bom apetite. - Dizia alegre, afastando-se da barraca.
Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS


____________________________________________________


Fala (#B22222 - FireBrick)
Pensamento (#4682B4 - SteelBlue)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por Far em Sab 11 Jun 2016, 20:22, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptySex 10 Jun 2016, 17:34

Se ela quiser cooperar, será ótimo, mas se não também não vejo motivos para pressioná-la. Apenas sei que está em dúvida, não quero que ela pense erradas as coisas e ache que só queremos usá-la. – comentava com Vicent ao fim da conversa, antes dele solicitar a Durong que fosse buscar um bom café da manhã para mim. – Iremos sim, até lá então. – sorria, voltando para o interior da barraca logo em seguida. Mindy movia-se sobre a cama, tentando descobrir até onde conseguia se mover, mesmo que as cordas que a prendiam ao móvel não a deixassem fazer isso muito bem. Minha animação era tanta que não podia ser facilmente disfarçada, aos sorrisos buscava voltar a conversar com a marinheira que timidamente me respondia.

Meu olhar percorreu lhe a face frustrada e depois as cordas que a prendiam. – Me lembro de ter dito que lhe traria para cá, mas não me recordo de dizer que era uma prisioneira. – falava despreocupadamente. – Você se lembra de eu ter dito isso? – perguntava, mesmo sabendo a resposta para a pergunta. – Se são as cordas que lhe incomodam, bem quando a trouxe a coloquei sob a responsabilidade de Vicent, mas agora eu tomei toda e qualquer responsabilidade por suas ações aqui, farei o que já era pra ter feito assim que a coloquei aqui. – diria, enquanto movia meu corpo para soltá-la das cordas, ao mesmo tempo em que lhe falava sobre seu sobrenome.

Bom, vamos ficar na dúvida sobre seu grau de parentesco em relação a Spark. – pensava ao ouvir a resposta da moça. – Parece que você compartilha do mesmo sobrenome de um Comodoro da Marinha, isso pra alguns chega a ser assustador, acho engraçado como as vezes um simples nome pode fazer as pessoas te olharem de outra forma. – tratava o assunto com absoluta naturalidade, enquanto observava os curativos dela ao se deitar. – Parece que o nome lhe amarra a uma obrigação sabe? As pessoas a chamam de tradição e acho até mesmo bonito quando a tradição anda atrelada a vontade da pessoa, mas quando isso não ocorre, qual o problema de seguir outro caminho? – gesticulava sem parar, até que me dei por satisfeita com aquilo e decide deixar a moça respirar um pouco, talvez a estivesse sufocando com meu falatório.

Durong aparecia alguns minutos depois de tudo aquilo, com ele trazia o perfume do café e da comida. A expressão do revolucionário era clara, estava confuso sobre estar ou não no lugar certo, prontamente tratei de puxar assunto com ele. – Hmm, esse café cheira maravilhosamente bem. Muito gentil da sua parte, trazê-lo pessoalmente. – sorria. – A propósito, Bom Dia Durong! Haha. – brincava com a cordialidade, enquanto o rapaz ajeitava as coisas de maneira que fosse fácil para mim, servir-me. – Obrigada! – respondia as palavras dele, enquanto o observava se afastar do local.

Voltava meu olhar para Mindy após estarmos novamente sós. – Sirva-se, mas cuidado. – fazia uma pausa. – O café está bem quente. – fazia uma expressão faminta, enquanto colocava o café nos copos. Buscava tomar um gole do mesmo, antes de buscar uma lasca de pão e um pedaço de queijo para comer, só tinha uma das mãos boas para executar aquilo, então deveria fazer tudo com calma, para não me atrapalhar com algo simples. –Mi, a propósito. Vicent me pediu para que conversasse com você a respeito das ações do governo e da marinha por aqui, eles ainda estão em nosso encalço, possuíam até um espião entre nós. – fazia uma pausa para mastigar o queijo, enquanto buscava o presunto. – Eu sei que é muita pretensão da minha parte pedir para que você fale tudo, mas entenda, Vicent acabou tornando-se líder do grupo após uma batalha conturbada em Micqueot e temos muitos feridos que estão se recuperando, ele se preocupa com a segurança deles e eu também, cada vida que temos aqui é preciosa.

Tomava um bom gole de café. – Se você estiver disposta a cooperar, ficaremos gratos. Mas se não quiser falar nada sobre o assunto ainda, também não há problema. Você é livre para falar e fazer o que bem entender. – sorria. – Mas só quando estiver recuperada ouviu? Suas feridas foram sérias, temia que elas infeccionassem felizmente isso não ocorreu. – dizia em tom brincalhão. – O café está bom?



Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Far
Pirata
Pirata
Far

Créditos : 53
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Masculino Data de inscrição : 05/07/2015
Idade : 22
Localização : Your worst nightmare

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptySab 11 Jun 2016, 20:22

Narração
Para tranquilizar Vincent, Elsa concordava em tentar extrair mais informações da marinheira, para que o grupo obtivesse mais conhecimento e assim podendo traçar estratégias melhores e mais complexas, apesar de isso não ser completamente necessário. A revolucionária sabia que pressionar demais aquela garota poderia trazer pensamentos ruins por parte dela, até porquê ela havia acabado de chegar ali e nem ao menos estava ciente de sua posição no acampamento. Sendo assim Elsa não via problemas em aceitar o pedido de Vicent, mas colocando a condição de que apenas o faria caso Mindy realmente quisesse cooperar, do contrário não tinha motivos para fazer a força. O líder por outro lado não refutava a decisão, muito pelo contrário, deixava que a jovem fizesse como desejava, pois afinal de contas a marinheira era responsabilidade de Elsa e havia deixado isso bem claro há alguns minutos atrás.

- Me lembro de ter dito que lhe traria para cá, mas não me recordo de dizer que era uma prisioneira. Você se lembra de eu ter dito isso? Respondia Elsa, logo após entrar na cabana e ouvir as palavras de Mindy com relação as cordas, pois de certa forma aquilo lhe incomodava e fazia sentir-se uma prisioneira. - Se são as cordas que lhe incomodam, bem quando a trouxe a coloquei sob a responsabilidade de Vicent, mas agora eu tomei toda e qualquer responsabilidade por suas ações aqui, farei o que já era pra ter feito assim que a coloquei aqui. - Acrescentava retirando as cordas da garota, estabelecendo um clima mais harmonioso ao mesmo tempo.

- Bem melhor agora, obrigada. - Falava passando as mãos uma mão sobre a outra da forma que podia, sem levantar muito o braço devido aos ferimentos.

Elsa, sem perder tempo passava a explicar a situação para Mindy, deixando-a ciente dos motivos para a preocupação do revolucionário a alguns minutos atrás, após a jovem apenas citar seu sobrenome, que por sinal possuía um belo impacto para os que conheciam. Ás continuava a falar e gesticular frases bonitas de efeito, talvez com intenção de fazer a garota refletir sobre tudo que estava acontecendo, mas isso não era de fato o que ocorria, pois apesar dos esforços ela apenas continuava deitada erguendo um sorriso diante a conversa séria. Afinal de contas Elsa argumentava tendo em mente a sua história e suas decisões, por algum motivo concluindo que a marinheira possuía um passado similar ao seu, mas no fundo não fazia a mínima ideia sobre suas origens.

Em meio a todo o papo de família e origens, antes mesmo que Mindy falasse alguma coisa sobre isso, Durong entrava no local colocando a comida de forma organizada e retribuindo a cordialidade das mulheres. O arqueiro chegava um pouco perdido, sendo esclarecido por Elsa logo após fazer uma cara de incerteza, depois disso sem dúvidas finalizava o trabalho a ele designado deixando as duas novamente a sós.

- Sirva-se, mas cuidado. O café está bem quente. - Comentava, servindo os dois copos com café, além de pegar um pedaço de pão com queijo para satisfazer sua fome, enquanto deixava Mindy livre para fazer o mesmo. - Mi, a propósito. Vicent me pediu para que conversasse com você a respeito das ações do governo e da marinha por aqui, eles ainda estão em nosso encalço, possuíam até um espião entre nós. Eu sei que é muita pretensão da minha parte pedir para que você fale tudo, mas entenda, Vicent acabou tornando-se líder do grupo após uma batalha conturbada em Micqueot e temos muitos feridos que estão se recuperando, ele se preocupa com a segurança deles e eu também, cada vida que temos aqui é preciosa. - Voltava a discursar, dessa vez tentando convencer a garota a ajudar com seus conhecimentos de dentro da marinha, pois quem sabe soubesse de alguma informação que eles não tinham.

- Entendo a posição de vocês. - Pegava um pedaço de pão com queijo e presunto dentro, deslocando a boca até lá para comer, evitando mover seu braço. - Eles podem até não ser bem compreensivos, e até imprevisíveis a maior parte do tempo, mas... mas.. Com certeza... Eles não são maus! Os marinheiros foram a minha família quando ninguém mais me aceitou, desculpe moça... Abaixava a cabeça, olhando para a xícara de café em suas mãos, mas que não conseguia erguer até a boca para tomar. - ... Mas eu não posso ajudá-la. Respondia antes mesmo que Elsa pudesse falar algo sobre pressão, ou até acalmá-la de alguma forma.

- Mas.. Mas.. Se ninguém mais se machucar... - Pensava consigo mesmo em voz baixa, erguendo a cabeça e voltando a falar. - Eu posso levar vocês para fora daqui, se prometerem não lutar mais.
Thank's Lyra' @CUPCAKEGRAPHICS


____________________________________________________


Fala (#B22222 - FireBrick)
Pensamento (#4682B4 - SteelBlue)

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Volker
Frozen
Frozen
Volker

Créditos : 27
Warn : 3° Tale - Blizzard of Revolution 10010
Feminino Data de inscrição : 23/03/2013
Idade : 26
Localização : 1ª Rota - Karakui - Grand Line

3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution EmptyDom 12 Jun 2016, 18:40

Era difícil saber o que estava melhor, se era o café bem quente ou o pão extremamente macio, cada mordida apenas abria meu apetite e fazia-me pegar cada vez mais pão e frios. Bem diferente de Mindy, que parecia apenas beliscar a comida, já havia lhe tirado as cordas que a prendiam, mas mesmo assim ela parecia agir com extrema cortesia e timidez. Perto dela eu certamente parecia uma tagarela, tudo o que dizia era resumido pela mesma em poucas palavras o que no fim das contas também não diminuía o valor delas. Tentei a minha maneira chegar ao assunto que Vicent havia solicitado e neste ponto fora que a conversa tomava um rumo mais dentro do que eu esperava.

Mindy respondia de forma hesitante a princípio, mas logo as palavras pareciam ter ganhado coragem para defender os marinheiros do Quartel General e negar-se a dar qualquer informação que culminasse em um ataque aos mesmos. Porém, lançava uma proposta, a de mostrar um local que nos levasse para fora da ilha, sob a promessa de não machucar mais ninguém. – Eu não duvido de suas palavras. – respondia por fim. – Também não duvido de que haja bons marinheiros naquele QG, você não é obrigada a cooperar de qualquer forma. – falava aquilo após inclinar-me levemente em direção a ela, mas logo retornando a postura comum. Tomava mais um gole de café, após comer mais um pedaço do pão. – Mas não sou eu quem decide as coisas aqui. – fazia uma breve pausa. – Por isso que Vicent quer conversar conosco, tomar uma decisão a respeito do caminho que esse acampamento irá seguir. – voltava a me aproximar, tentava tocar a mão da moça. – Por isso é importante que você diga a sua vontade para ele, tememos um ataque da mesma forma que os marinheiros e agentes temem e talvez a sua proposta possa ser uma saída não sangrenta para essa situação. – sorria, tentando transmitir confiança.

E a propósito, não precisa me chamar de moça, chama-me Às. – ria. – Eu não sou tão cismada com cordialidades. – tocava meu ombro ferido, tentando movê-lo um pouco mais. As dores de antes já havia se aquietado e aos poucos sentia que já podia mover meu braço normalmente. – Esse café vai acabar ficando gelado Mi, você precisa comer tanto quanto eu. - me levantava, enquanto ainda mastigava mais um pedaço de queijo. – Vicent já deve estar a nossa espera. – comentava, enquanto ajeitava meus cabelos.

Assim que Mindy terminasse o café da manhã, lhe daria a mão para que levantasse e então juntas, seguiríamos até a barraca de Vicent. Uma vez no local, saudaria todos que eventualmente estivessem por ali, antes de me direcionar ao revolucionário. – Amara retornou da cidade? – procurava saber sobre a Viúva Negra, havia lhe incumbido de uma tarefa e a essa altura, me preocupava saber se ela havia ou não retornado. – Bem Vicent, eu e Mi conversamos um pouco durante o café. Acho que seria bom você ouvi-la antes de tomarmos uma decisão. – diria, entregando prontamente a palavra a marinheira. – Não precisa ter medo, apenas diga a sua proposta. – comentaria com um sorriso, antes de me por ao lado dela para ouvi-la. Aguardaria o desenrolar das palavras dela e das informações que Vicent tivesse para compartilhar também, a fim de traçar um objetivo para o acampamento em Lvneel.



Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]|[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

~The winds of winter approaching
Blood calls for what cannot be denied
The viper remains alive and their children join the hunt
They want to hunt, they must hunt
Their own dreams, their own pain, no going back
Blood calls and only vipers can feel it!~


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
O Painel a esquerda no fórum irá te ajudar.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




3° Tale - Blizzard of Revolution Empty
MensagemAssunto: Re: 3° Tale - Blizzard of Revolution   3° Tale - Blizzard of Revolution Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
3° Tale - Blizzard of Revolution
Voltar ao Topo 
Página 1 de 10Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: North Blue :: Lvneel Kingdom-
Ir para: