One Piece RPG
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Sidney Thompson
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Zed Hoje à(s) 1:19

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Fukai Hoje à(s) 0:49

» Seasons: Road to New World
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Ravenborn Hoje à(s) 0:26

» Hello darkness my old friend...
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Zed Hoje à(s) 0:09

» Phantom Blood
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Licia Ontem à(s) 23:50

» [M.E.P]Kujo
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Kujo Ontem à(s) 23:42

» [Mini-Aventura] A volta para casa
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Ryoma Ontem à(s) 23:30

» Enuma Elish
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Thomas Kenway Ontem à(s) 23:07

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Blum Ontem à(s) 22:44

» Xeque - Mate - Parte 1
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Ceji Ontem à(s) 22:22

» Ain't No Rest For The Wicked
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Hoyu Ontem à(s) 22:00

» BOOH!
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Oni Ontem à(s) 21:35

» [LB] O Florescer de Utopia III
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Kekzy Ontem à(s) 21:27

» Apresentação 6 ~ Falência Bombástica
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Furry Ontem à(s) 21:24

» Meu nome é Mike Brigss
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Oni Ontem à(s) 21:07

» The One Above All - Ato 2
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Thomas Kenway Ontem à(s) 21:07

» Que se ascenda o fogo!
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor ADM.Tidus Ontem à(s) 21:01

» Mise en place
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor ADM.Tidus Ontem à(s) 21:01

» [MINI - Gates] O Pantera Negra
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Ryoma Ontem à(s) 20:46

» [M.E.P - Gates] O Pantera Negra
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Emptypor Ryoma Ontem à(s) 20:44



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptySeg 14 Mar - 18:19

Relembrando a primeira mensagem :

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Francis. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
'Francis
Civil
Civil


Data de inscrição : 04/03/2016

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptyDom 27 Mar - 18:56


O Ínicio de uma Infiltração?!


Eu não sabia os motivos para as lágrimas do hipnotizado homem, ou o que passava pela mente dele naquele momento, mas eu sentiria a dor dele. Eu sentiria que, tal como eu havia previsto, havia algo de grande bondade dentro daquele homem que agia tão brutalmente para esconder os seus verdadeiros sentimentos. Eu não sabia o que passava pela mente dele, mas eu esperava que quando ele acordasse, as acções dele mudassem após a luz que havia trazido de volta pensamentos que causaram as lágrimas do tal. Quem sabe, talvez eu conseguisse ser a luz que este mundo necessitava.

Você não precisa me agradecer. Repassar a bondade a outras pessoas será o suficiente. ― Essas eram as palavras que sairiam da minha boca ao ver a reação da antiga refém, que choramingava aos meus joelhos. Eu me abaixaria e beijaria a testa dela, calmamente e pacificamente, mostrando grande respeito pela tal.

O suposto chefe me entregava a permissão para me retirar, após pagar as bebidas que eu havia prometido pagar, claro. Eu engoliria um seco, dois barris de cerveja na minha conta?! O meu plano para chamar a atenção do povo havia soado bem melhor quando passado apenas pela minha mente. Agora que chegava o momento de pagar, o plano já não aparentava ser tão bom. Talvez houvesse alguma forma de eu pagar pelas bebidas, sem ter de pagar literalmente. ― Eu peço perdão pelas confusões que eu causei. Realmente não era a minha intenção. No entanto, eu estava chegando à conclusão que um homem como você deveria ter assuntos inacabados, trabalhos sujos, inimigos à solta, talvez? Não me leve a mal, só estou procurando algo que possa matar o meu tédio e que possa substituir o pagamento pelas bebidas. ― Eu dialogaria calmamente, em um tom de voz confortante o suficiente para não insultar ou enervar alguém. Eu ainda não sabia ao certo que tipo de homens aqueles eram, principalmente os grandões, mas eu suspeitava altamente que eles fossem bandidos, e se esse fosse o caso, o homem com certeza teria algum "trabalho" para me dar. Eu lamberia os lábios levemente para conter a minha sede por piratas. Existiam coisas dentro da minha mente que ainda tinham de ser resolvidas. Quem sabe, talvez eu estivesse por baixo do mesmo tecto que um pirata.

Eu estaria distraído com o chefe e não notaria que o homem que eu havia desmaiado, estaria agora acordado. Eu não queria mais confusões dentro daquela taverna por motivos específicos, sendo assim, se o homem me atacasse eu iria apenas tentar me defender ao máximo, sem contra-ataques. Neste momento eu tinha interesse em conhecer melhor aquele suposto chefe e possivelmente a mulher dona dos olhos cinza. Eles aparentavam ligeiramente suspeitos aos meus olhos e eu pretendia descobrir se existia algo mais no histórico deles do que apenas uma taverna. Talvez eles me direcionassem exactamente para onde eu desejava.

Eu haveria notado que o homem de olhos verdes não tinha sinal algum de perfurações em seu corpo. Será que o homem não teria acertado a bala? Mas, sendo assim, o que havia causado a imobilidade dele? As dúvidas eram inevitáveis, mas uma onda de alivio passaria pelo meu corpo. O que havia acontecido a ele? ― O homem não tem sinais de perfurações... ― Eu falaria com uma expressão confusa, apenas se a situação fosse estável e segura para tal, esperando que o homem me desse quaisquer explicações, ou talvez apenas ignorasse a minha citação.

OFF:
 

Objectivos:
 

Histórico:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
shawking
Estagiário Narrador
Estagiário Narrador
shawking

Créditos : Zero
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 28/01/2016

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptySeg 28 Mar - 19:57

O rapaz seguiu o chefe, parecendo ignorar a garota hesitante a quem havia salvado. Ela então abaixou a cabeça e se retirou do bar. Acompanhou o grande homem, como que querendo alguma coisa e, no meio do caminho pareceu perdido ao passar pelo corpo do homem caído. Ele respirava normalmente e seus lábios começavam a ganhar cor. Parecia estar dormindo agora.

- O homem não tem sinais de perfurações... – disse para si mesmo, demonstrando uma expressão intrigada. De repente, um som alto e constante encheu o ambiente.

ZZZZZZzzzzzzz... ZZZZZZZzzzzzz... ZZZZZzzzz

Parecia vir do homem caído.

O que estava à espreita, saindo do quarto, gritou para o rapaz:

- Hey!! Você me bateu seu pirralho. Agora eu vou me vingar de você, imundo.  - Ele estalou os dedos, rangendo os dentes. Mas o homem do chapéu de couro o repreendeu:

- Fique onde está, Desmond. Chega de confusões

- Ma... Mas chefe...

- Nada de "mas". Fique quieto

O homem se dirigiu a uma mesa e se sentou, dando uma olhada para Van Fredriksen, como se quisesse uma revanche outra hora.

Francis continuou seu caminho, se dirigindo ao gigante:

- Eu peço perdão pelas confusões que eu causei. Realmente não era a minha intenção. No entanto, eu estava chegando à conclusão que um homem como você deveria ter assuntos inacabados, trabalhos sujos, inimigos à solta, talvez? Não me leve a mal, só estou procurando algo que possa matar o meu tédio e que possa substituir o pagamento pelas bebidas.

O homem, que estava de costas, se virou para ele e abaixou-se, à semelhança de uma professora quando tenta impor sua autoridade sobre um aluno rebelde e respondão.

- HAHAHAHAHAHAHA!!! Você acha que eu sou burro, moleque?! - Ele pôs as mãos no chapéu e levantou levemente a aba do lado direito. Seus olhos ainda estavam envoltos pelas sombras, mas era possível distinguir algo como uma cor amarelo-escuro. - Realmente, eu posso ter um trabalho pra você. - Suas mãos estavam agora no queixo, em pose de pensador. Sua posição estava ereta. - Mas o que me garante que você não vai fugir hein?! Pague primeiro metade, e terei seu dinheiro como penhor. Assim que completar o serviço, você terá de volta o que lhe pertence. São nove mil berries: sete e quinhentos pelas bebidas e o restante pela taxa de juros. - ele ajeitou o chapéu na cabeça e se sentou, estendendo a mão para  receber o dinheiro.

- O negócio é o seguinte... - Diria, caso recebesse o dinheiro. Ele aproximou o grande rosto do de Francis e falou , como em sussurro: - Há um certo “frequentante” daqui que deixou de vir há um tempo e que possui um alto débito. Quero que você o procure e me traga vivo para eu fazer pessoalmente o acerto de contas. HAHAHA!! Mas não demore. Ouvi rumores de que ele estava tentando deixar a ilha. Aqui está uma foto dele. - Ele puxou um papel, contendo a imagem do homem. - Procure-o no Lar das Queixas. E boa sorte... Espero que sobreviva - Seu rosto exibia um leve sorriso de canto de boca.

A Mulher de três metros usuária de kunais, que havia atacado o agressor do momento de antes, levanta-se de seu assento e caminha em direção ao banheiro feminino. O rapaz a quem Van Fredriksen havia desmaiado após uma hipnose, começa a se mexer por instantes sem, contudo, despertar por completo. Suas costas estavam apoiadas na parte da frente do balcão, suas pernas estiradas para frente. O homem de olhos verdes continuava roncando.

Ao sair do local, Ele se depararia com o mesmo ambiente de sempre. As pessoas seguindo suas vidas e a loja de armas atraindo visitantes de vez em quando. Se olhasse o lugar aonde o rapaz que havia hipnotizado estava agredindo alguém mais fraco há certo tempo, poderia notar que este não estava mais no local. O garoto tinha agora uma tarefa árdua diante de si. O que faria? Recuaria dela? Por onde começaria?


Histórico:
 

Off:
 

Frequentante devedor:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]




[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


"Se o homem não foi criado por Deus, por que só é feliz com Deus?" - Blaise Pascal
Voltar ao Topo Ir em baixo
'Francis
Civil
Civil
'Francis

Créditos : Zero
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 10010
Data de inscrição : 04/03/2016
Localização : East Blue, Shells Town

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptyQua 30 Mar - 21:43


Questões e hesitações!


Bem, parecia que os meus instintos haviam estado certos. O homem do chapéu era de facto o "chefe". Agora a pergunta seria, o chefe de quê?! Uma tripulação pirata, talvez? Um bando revolucionário? Um simples bando de bandidos? Ou provavelmente apenas o chefe da taverna? Eu esperaria que tivesse mais mistério por detrás daqueles homens do que apenas uma taverna. Isto era o início da minha grande jornada e eu estava pronto para todas as experiências que estavam por vir. Eu estava pronto para todas as inesperadas situações, todas as personalidades novas que eu haveria de conhecer, todas as novas ilhas e principalmente para descobrir mais sobre mim próprio.

A gargalhada do chefe mostraria finalmente algum humor vindo dele, algo que me faria rir também, mas rapidamente eu ficaria sério, mantendo-me atento às informações que ele me dava. "O que me garante que você não vai fugir. [...] Espero que você sobreviva", isto eram tudo frases que haviam causada uma hilária gargalhada vindo de mim, como se o homem acabasse de citar uma cómica piada. ― Francis Van Fredriksen, meu caro, lembre esse nome, pois esse é o nome do homem que você jamais precisará de duvidar denovo e jamais recusará um trabalho tão simples como esse. ― Talvez esse não fosse o melhor lugar para entregar a minha completa identificação. No entanto, eu não possuiria a menor importância para o caso, não naquele preciso momento. O meu tom de voz não seria tão sério, mas sim acompanhado por um confiante sorriso que demonstraria os meus brancos dentes. Após a minha fala, eu entregaria ao homem o dinheiro pedido e pegaria então a fotografia do homem que eu estaria perseguindo. Repentinamente, eu avistaria algo que roubaria a minha completa atenção por milésimos segundos, algo que causaria o perfeito foco dos meus olhos e um futuro sorriso no canto da minha boca; O meu querido vício. Quando o interessante negócio estivesse finalizado com o homem, me direcionaria aos massivos maços de cigarros que se situavam perto do armário usado para garrafas de bebidas e etc. Ao alcançar os cigarros, eu pegaria um maço, olhando para o homem com um grande sorriso de orelha-a-orelha e falaria em uma animada provocação. ― Pode colocar isto na minha conta! ― Felizmente, eu havia sido capaz de controlar o meu vício por nicotina, não necessitando de consumi-la tão frequentemente. No entanto, o vício continuava a ser existente e fazer parte de mim. Era algo que eu não pretendia largar tão brevemente.

Eu correria para fora da taverna, antes que alguma mudança de ideias ocorresse com o homem, dono do chapéu. O principal motivo para a minha correria, seria no entanto a mulher, uma das quais eu haveria salvado. Eu havia reparado a hesitação dela para abandonar a taverna, ela com certeza ainda tinha algo para falar comigo. Eu não pude parar para falar com ela no momento em que ela estava presente, devido às minhas prioridades com o homem. Ainda assim, não poderia ter passado tanto tempo desde que ela havia abandonado o local, e assim talvez eu conseguisse alcança-la. Eu olharia por todas as direções, à saída da taverna, tentando avistar a mulher. Se por sorte eu conseguisse avistá-la, eu correria na direção dela, tentando alcançá-la e era então que eu deixaria serenas palavras correrem pela minha boca: ― Hey! Espere! Madame.... ? ― Eu entregaria palavras ao livre ar, com a maior cortesia e cavalheirismo, em uma intensidade incomum para a minha geração. Eu faria uma pausa após mencionar a palavra "madame", com uma expressão de questionamento, querendo receber em troca o nome dela. ― Eu notei que você tinha algo para me dizer, lá dentro. Estou errado? ― O meu sorriso no canto da boca, encantaria o clima com o seu charme. ― Ha... Que rude da minha parte! O meu nome é Francis. Francis Van Fredriksen. ― Eu me apresentaria, simpaticamente, sem permitir que o meu meigo sorriso fugisse do meu rosto, a não ser que ela dissesse algo sério ou chocante o suficiente para tal. Eu pretendia descobrir o que passava pela mente dela, portanto se ela hesitasse a responder, eu tentaria insistir um pouco.

Se nada saísse daquela conversa, eu me despediria então educadamente e me retiraria, permitindo a pressa dominar a situação. O meu destino agora seria o Lar das Queixas. Caso eu nunca tivesse encontrado a mulher, eu teria apenas me dirigido directamente a tal destino. Devido aos meus imensos anos frequentando a ilha de Shells Town, o mais provável era que eu reconhecesse a localização de tal taverna. Tavernas nunca haviam sido o meu local de relaxe, como muitos jovens. Afinal, eu tinha uma paixão incondicional por artes e pela natureza, e foi por ai que eu passei todo o meu tempo livre, desde a minha infância até os dias de hoje. Enquanto alguns jovens se divertiam a beber cerveja, eu apreciava a maneira que a relva se entrelaçava entre os meus dedos do pé, ao caminhar descalço. Enquanto outros jovens se divertiam a seduzir o sexo feminino, eu apreciava o cheiro da grama após um dia chuvoso. Enquanto a maioria dos jovens se divertia com a música altíssima, eu apreciava o som das folhas de árvores dançarem calmamente quando as leves brisas chegavam. Eu apreciava a forma como as cordas de um instrumento musical balançavam e o som que era transmitido delas, transformando o comum ar em uma beleza sonora. Eu apreciava o conhecimento que as minhas mãos obtinham, sem precisar puxar esforço do meu cérebro, capacitando-me de transformar as imagens que existiam perante os meus olhos, em um deslumbrante quadro de pintura. Ah, se apenas existissem palavras suficientes para descrever o interior do meu ser.

Ali estaria eu, possivelmente me dirigindo ao Lar das Queixas, caso eu tivesse obtido motivos para abandonar a mulher. Caso eu não recordasse ao todo a localização da taverna, eu tentaria encontrar alguém para perguntar por direções. Era possível que eu não encontrasse uma única alma pelas ruas e em tal situação eu tentaria avistar algum edifício público para pedir instruções do caminho, como lojas e etc. Um dos lugares que eu queria visitar era a loja de armas que se localizava bem na frente da prévia taverna em que eu havia causado diversas confusões. Independentemente do meu conhecimento sobre a localização do Lar das Queixas, eu adentraria tal loja de armas para observar que tipo de opções eu teria. Se algo me cativasse bastante dentro da loja, eu me manteria dentro da mesma, para chegar à conclusão se valeria a pena comprar tal objecto. As minhas prioridades seriam utensílios para luta em corpo-a-corpo, visto que a minha área de conforte era Taekwondo. No entanto, se a loja não obtivesse nada do meu interesse, eu apenas abandonaria o local após desejar uma boa tarde ao trabalhador do local.

Caso eu eventualmente alcançasse o Lar das Queixas, eu executaria uma silenciosa e calma entrada, livre de confusões, diferentemente da minha entrada na prévia taverna. Procuraria apenas por um lugar calmo e vazio onde eu pudesse me sentar e observar o local discretamente sem aparentar ser um autentico intruso. O meu primeiro plano seria tentar avistar o tal homem por quem eu caçava. Será que ele estava por debaixo do mesmo tecto que eu? Mais uma vez eu observaria pelo tipo de frequentadores que esta taverna tinha e me atentaria às diferenças entre esta taverna e a outra. Quem aparentava ser o chefe do local, ou a pessoa que guardava e cuidava do tal? Se algum trabalhador do local me viesse perguntar pelo meu pedido, eu apenas explicaria que ainda não havia escolhido nada específico. Se a situação fosse segura o suficiente para tal, eu mostraria ao trabalhador a imagem do homem pelo qual eu procuraria, e perguntaria por ele; se ele havia sido avistado por aqui recentemente ou se o trabalhador sabia onde eu poderia encontrá-lo. As minhas perguntas jamais seriam feitas caso o trabalhador agisse estranhamente para comigo ou se eu estivesse vivendo uma situação de mau-olhado naquele local vindo dos frequentadores.

OFF:
 


Histórico:
 

____________________________________________________

Aventura Actual:
I - [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
shawking
Estagiário Narrador
Estagiário Narrador
shawking

Créditos : Zero
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 28/01/2016

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptyQui 31 Mar - 19:20

"Van Fredriksen!?" O grande homem pareceu intrigado com esse nome, como se estivesse tentando encontrá-lo nas imagens de sua memória. Mas não demonstrou nenhuma outra reação para além dessa. Ele deu um sorriso de meia boca quando ouviu as palavras ousadas e confiantes do rapaz, e viu seu sorrido de mostrar todos os dentes. Francis pôs o dinheiro cobrado em cima da mesa, o qual o gigante recolheu e pôs em algum lugar embaixo do balcão, e estendeu as mãos em direção à prateleira de cigarros, mas foi interceptado pela mesma pessoa. Ela pegou sua mão e a jogou de volta contra ao corpo do garoto, tomando ele mesmo o objeto desejado. Com muita felicidade o rapaz o tomou e saiu correndo da taverna, antes mesmo que o vendedor pudesse lhe cobrar algo a mais.

Ao por os pés fora do local, o jovem virava a cabeça para ambos os lados, como que procurando algo. Estava atrás da garota que salvara, a quem, talvez por motivos justos, havia ignorado. Mas, para sua infelicidade, não a encontrou. Talvez se deparasse com ela em um momento posterior, ou quem sabe nunca mais. A vida traz oportunidades únicas, as quais nunca voltam se desperdiçadas, e nos encurrala em situações em que precisamos decidir nossas prioridades, mas também apresenta encontros milagrosos. Qual dessas opções irá ocorrer ninguém sabe. Apenas o tempo pode dar as respostas.

Tristemente, ou talvez não, o jovem loiro se dirige a uma senhora que passa distraidamente pelo local, passeando com seu cachorro, que se mostra um cão gentil. O rapaz, educadamente, lhe pergunta onde encontrar o local conhecido como Lar das Queixas, e ela lhe indica seguir em frente, cerca de três quilômetros, e procurar por uma casa pintada completamente de azul, com marcas d'água, a única no local. Na mesma quadra, na parte de trás, estaria o tal edifício. Ele agradece e segue em frente.

Em seu caminho, o jovem se depara com a loja de armas, e demonstra interesse na mesma. A movimentação parecia ter amenizado, mas ainda era possível encontrar algumas pessoas observando as prateleiras, experimentando alguns itens. Duas mulheres uniformizadas com camisa azul e crachás atendiam as pessoas, e dois homens de cerca de dois metros, bem musculosos, permaneciam de braços cruzados e expressão séria à porta do local, aparentemente vigiando para evitar confusões. Ao lado direito da entrada, estava sentado um homem de meia idade, já avançando para a velhice, mas ainda forte, que recebia o pagamento. Ao se aproximar, foi recebido por uma das atendentes.

- Olá, meu caro. Por favor, entre, e experimente nossos produtos. Temos as melhores armas da região.

Ao aceitar o convite a dentar o local, Van Fredriksen se depararia com uma gama de prateleiras bem organizadas por classe de armas. Algumas delas continham sais, adagas; outras kunais, shurikens, ninjakens; algumas pistolas; e ainda outras, algumas botas simples, mas bem desenvolvidas. Eram alongadas até certa altura para proteger as canelas dos usuários, e pareciam bem resistentes.

- Alguma coisa de seu interesse, senhor?


Histórico:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]




[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


"Se o homem não foi criado por Deus, por que só é feliz com Deus?" - Blaise Pascal
Voltar ao Topo Ir em baixo
'Francis
Civil
Civil
'Francis

Créditos : Zero
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 10010
Data de inscrição : 04/03/2016
Localização : East Blue, Shells Town

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptyTer 5 Abr - 11:33


De Taverna a Taverna. O Lar das Queixas!


Eu havia recebido as informações necessárias para encontrar o meu destino. No entanto, uma paragem em uma loja de armas seria necessária. O mais apropriado seria eu comprar umas botas úteis para a minha treinada arte marcial de Taekwondo. No entanto, eu só me encontraria naquele lugar para observar as minhas opções. A verdade era que a minha falta de Berries não era inexistente e eu estaria em dívida com o chefe de uma taverna. A última coisa que alguém desejará em toda a sua vida será estar em dívida com um homem como aquele, principalmente devido ao seu tamanho inumano. Felizmente e para o bem do meu futuro, eu ainda obteria em minha posse uma arma simples, escondida na parte posterior das minhas calças, com a minha camisola escondendo o topo da mesma.

Obrigado senhora, mas eu voltarei mais tarde.

Com tais palavras, eu abandonaria o local, deixando tais planos de compras para o futuro. Pela minha mente passariam infelicidades por não ter encontrado a mulher pelo qual eu procurava. A mulher que eu tinha salvo na taverna e que havia hesitado se retirar do local, como se tivesse algo ainda para me dizer. Eu esperava que, por uma magnífica coincidência eu conseguisse encontrá-la no futuro, conforme a minha jornada percorreria. Agora eu seguiria em frente até encontrar uma casa completamente azul com marcas de mar, provavelmente a única do local, tal como mencionado pela senhora que havia me entregue tais instruções. Na mesma quadra estaria o Lar das Queixas, se as instruções tivessem sido correctas.

Caso nada ocorresse para me impedir de alcançar o meu destino, eu executaria uma silenciosa e calma entrada, livre de confusões, diferentemente da minha entrada na prévia taverna. Procuraria apenas por um lugar calmo e vazio onde eu pudesse me sentar e observar o local discretamente sem aparentar ser um autentico intruso. O meu primeiro plano seria tentar avistar o tal homem por quem eu caçava. Será que ele estava por debaixo do mesmo tecto que eu? Mais uma vez eu observaria pelo tipo de frequentadores que esta taverna tinha e me atentaria às diferenças entre esta taverna e a outra. Quem aparentava ser o chefe do local, ou a pessoa que guardava e cuidava do tal? Eu também observaria o local e procuraria por objectos que me pudessem ser úteis no futuro, como principalmente instrumentos. Se algum trabalhador do local me viesse perguntar pelo meu pedido, eu apenas explicaria que ainda não havia escolhido nada específico. Se a situação fosse segura o suficiente para tal, eu mostraria ao trabalhador a imagem do homem pelo qual eu procuraria, e perguntaria por ele; se ele havia sido avistado por aqui recentemente ou se o trabalhador sabia onde eu poderia encontrá-lo. As minhas perguntas jamais seriam feitas caso o trabalhador agisse estranhamente para comigo ou se eu estivesse vivendo uma situação de mau-olhado naquele local vindo dos frequentadores.

OFF:
 

Objectivos:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

Aventura Actual:
I - [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Senshi
Civil
Civil
avatar

Créditos : Zero
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 4010
Data de inscrição : 22/03/2016

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptySeg 18 Abr - 21:13

Era um festival. Provavelmente era a melhor comparação possível. Logo ao entrar Francis pode ver a atmosfera festiva do lugar. Para onde quer que olhasse homens e mulher estavam bebendo e comendo como se fosse o ultimo dia de vida deles. Garçonetes com roupas estilosas iam e vinham entre as mesas. Naquele apertado estabelecimento de madeira, onde até o balcão e as mesas pareciam ser feitos de algum tipo de carvalho, miraculosamente ainda acharam espaço para colocar um pequeno palco no centro da taverna. Com uma plateia em volta deles todos assistiam a um casal de artistas, um dançarino e acrobata habilidoso que cativava os olhos com movimentos precisos, ousados e graciosos, assim como uma talentosa violinista que fornecia um tom animado para a taverna e para os movimentos de seu parceiro. Ambos usavam fantasias da figura mais estereotipada que se pode imaginar de piratas.

Fredksen voltou-se para uma parte mais quieta da taverna e apenas começou a observar o lugar, procurando por certos detalhes. Não conseguia distinguir quem seria o dono do lugar, percebera que o publico alvo do estabelecimento era bem... *aham* variado, matade das pessoas ali poderiam se passar por piratas facilmente. Depois de algum tempo uma das garçonetes se aproximou, suas roupas eram únicas, uma mistura de kimono com vestido vitoriano e palito. Com um sorriso tão caloroso quanto seus cabelos ruivos ela pergunta para Francis o que gostaria de comer. Depois de analisar a garota Van decide mostrar a foto que tinha com ele para ela e dizer que estava procurando por aquele homem.

--Hmm? Ah, você é amigo do Marei? Ele está meio ocupado agora, como pode ver.--Dizia enquanto apontava para o palco, mais expecificamente para o dançarino.--Melhor voltar amanhã, do jeito que estamos agora acho que ele vai ficar dançando até o amanhecer!

____________________________________________________

Narração e Pensamento/--Fala

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]                          [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
'Francis
Civil
Civil
'Francis

Créditos : Zero
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 10010
Data de inscrição : 04/03/2016
Localização : East Blue, Shells Town

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptySeg 10 Abr - 14:39


A Caça ao Devedor de Favores


Era quase impossível evitar, eu estaria completamente enojado por aquele povo que seria provavelmente piratas. A parte mais inaceitável de tudo isto era o fato de o motivo por este sentimento ser desconhecido por mim. Por quê? Eu questionaria-me de novo e denovo. Por que este tipo de pessoas, piratas, dominam partes tão grandes dos meus sentimentos? Por que piratas têm um efeito tão grande em mim? O motivo para tudo isto era desconhecido perante a minha mente, mas era exactamente por isso que eu estaria aqui hoje e agora. Era exactamente por isso que eu iria descobrir quais eram os meus limites e iria alcançá-los.

Aquele lugar estaria festivo e alegre e o meu aspecto, apesar dos meus sentimentos e pensamentos, combinaria com o clima da taverna. A minha serenidade, o meu relaxe e a levidade do meu sorriso deixaria qualquer um com o coração quente. No entanto, se eu quisesse me misturar com aquele povo eu teria de mudar a minha atitude. Serenidade e relaxe não iria ser o suficiente para atingir os meus objectivos em um lugar tão barulhento e vivo como aquele. Eu necessitaria de iniciar um plano imediatamente.

Afinal, como eu desejava, o meu alvo estava bem por debaixo do mesmo tecto que eu. Marei era o nome dele, ou pelo menos era isso que ele havia feito as pessoas acreditar. Ele era um artista e estava com a possessão do holofote naquela taverna. Como poderia um homem que em uma fotografia aparentava ser tão intimidador e perigoso, ser na verdade um palhaço entretenedor. Será que aquele era o disfarçe do homem conhecido por Marei? Será que ele havia se colocado em graves sarilhos e estava agora a tentar lucrar uns últimos berries para conseguir se retirar da ilha? Afinal, o chefe da última taverna que eu havia frequentado havia me dado tais informações que este homem possivelmente pretendia abandonar a ilha brevemente. Hm, a situação se tornaria cada vez mais interessante e empolgante. Francis passaria a sua lingua calmamente pelo seu lábio superior, ansioso para o futuro desta sua missão.

Ah, será que o pobre homem não tem direito a uma pequena pausa depois de uma noite inteira de trabalho? ― Eu soltaria uma leve gargalhada direcionada à ruiva garçonete. Após a amigável gargalhada, eu me levantaria ainda mantendo a minha aura de conforto e me focaria em manter contacto visual com a profissional. Ao me levantar, eu chegaria perto da mulher, mirando os olhos dela de uma forma mais intensa que o normal, apesar de não retirar do meu rosto o meu leve sorriso. A forma como os nossos olhos se encontravam deixaria rapidamente de ser simplesmente um mero contato visual. Sem ela notar, ela começaria a perder-se calmamente nos meus olhos, tão azuis como a cor de um céu limpo em um dia de verão.

Que tal o seu belo ser fazer com que o intervalo daquele bom homem começe agora?

Aquele lugar estava barulhento e muitas coisas aconteciam ao mesmo tempo de uma maneira festiva, visto que aquilo era uma taverna aparentemente coberta por possíveis piratas. No entanto, naquele preciso momento poderia parecer como se eu e aquela mulher ruiva fossemos os unicos seres vivos na ilha de Shells Town. A única coisa que importava eram os nossos olhos e a única coisa capaz de se mecher eram os meus suaves lábios que soltavam pequenas e pacíficas palavras. A minha voz seria calma, tão calma que poderia estar a vir de um anjo caído do céu. Tão calma que eu poderia estar a descrever o meu plano para assassinar cada amado daquela mulher e ainda deixá-la com os pés e a mente nas nuvens. Eu estaria a realizar uma tentativa de hipnose para alcançar os meus objectivos naquela taverna. Eu teria de retirar aquele homem do palco para prosseguir com o meu plano, afinal, a bagunça feita por mim na anterior taverna teria de ser o suficiente por hoje. Se eu bagunçasse completamente o Lar das Queixas, a minha missão se tornaria mais complicada.

Use essa sua bela boca e vá conversar com quem for preciso e diga o que for preciso para disponibilizar o nosso caro amigo Marei. ― Tais palavras só sairiam da minha boca caso eu notasse que a hipnose estava a funcionar.

Caso a hipnose funcionasse a mulher provavelmente iria falar com Marei ou com um superior para iniciar o intervalo do homem. Nesse momento eu me prepararia para me aproximar dele assim que ele se retirasse do palco. No entanto, enquanto isso eu me sentaria de novo para não alertar suspeitas. A minha primeira iniciativa seria me dirigir ao homem e elogiá-lo alegremente pelo seu incrível e divertido trabalho no palco. Desta vez eu queria agir mais estrategicamente e por isso iria analisar a situação e o homem delicadamente antes de agir. Eu queria descobrir se ele era quem ele dizia ser ou se era na verdade um pirata como grande parte dos frequentadores do Lar das Queixas aparentavam ser. Eu perguntaria a Marei onde ele havia aprendido todas aquelas habilidades e técnicas para criar um clima amigável entre nós e um diálogo.

Caso a minha tentativa de hipnose falhasse eu teria de prosseguir o meu plano por outro caminho. Esse caminho teria de ser um menos seguro e que chamaria mais atenção. Eu me aproximaria um pouco do palco e deixaria as minhas palavras cuidarem do resto. ― HEY ACROBATA!! Eu desafio-te a fazeres esses truques ao meu ritmo. Que tal eu experimentar esse violino e tu tentas me acompanhar? Se conseguires ou tiveres coragem, claro! Hahaha! ― Eu sabia que se existisse algo que piratas adoravam era este tipo de clima. Homens a desafiar outros homens e a insinuar que o seu alvo não tinha coragem de prosseguir com o desafio. Piratas adoram animação e bagunça e era exactamente esse tipo de divertimento que eu estaria à procura de florescer. Caso tudo corresse como planeado, eu subiria o palco tomando a posse do violino e iniciaria uma melodia desafiadora para Marei. A melodia era veloz e complicada. Seguir o ritmo da melodia com acrobacias e passos de dança seria desafiante e complicado e deixaria os observadores provavelmente estupefatos. O meu objectivo por enquanto era somento divertir o povo e apesar de estar a desafiar o homem, eu ainda me manteria amigável com o meu sorriso e a minha gargalhada malandra.



Objectivos:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

Aventura Actual:
I - [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Bread
Civil
Civil
Bread

Créditos : 22
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 03/04/2017
Idade : 30
Localização : Cactus Island - 1st Ilha 7th Rota

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptyTer 2 Maio - 20:57

NARRAÇÃO

A bela garçonete de cabelos rubros e ondulados sorri amigavelmente, mas humildemente, sem acompanhar a grande gargalhada de Francis, enquanto aponta para o bailarino de costas para ele com o dedão, em um movimento semelhante como se estivesse pedindo uma carona: - Esse daí não tem descanso não! Ele é apaixonado pela arte... sempre fica se exibindo para o público até que as costureiras cheguem pela manhã e a festa acabe!

- Que tal o seu belo ser fazer com que o intervalo daquele bom homem começe agora? Francis marcou o olhar na moça e viu seus ombros abaixarem levemente, suas pupilas começaram a dilatar aos poucos e sua boca abrir aos vagarosamente até que um pouco de baba começou a escorrer por seus lábios como se ela estivesse começando a sofrer uma lobotomia. Sim, ela estava dominada pela hipnose potente de Van Fredriksen, mas...

- Eu... eu... não sei o que fazer, eu... não tenho poder para isso. Se eu tentar impedir minha chefe vai me MATAR! A garçonete amplia consideravelmente o seu tom de voz quase como um grito, atraindo brevemente a atenção de quem estava à sua volta, eles estavam levemente incomodados pelo grito inesperado. "Ela é louca..." balbuciava um homem próximo de Francis e um breve murmúrio pôde ser ouvido até que a bela ruiva voltou a explicar o motivo que a impossibilitava de encerrar a apresentação de Marei: - A última garota que tentou sobrepujar uma regra da casa acabou vendida como uma escrava para a Grand Line... A garçonete desvia o olhar para o lado e aperta firmemente seu antebraço direito com a mão esquerda, suspirando profundamente - Pelo menos é o que ouvi falar...

Deduzindo que mesmo tendo sua dama sob controle, Van Fredriksen não conseguiria induzir a garçonete à trabalhar por ele. O rapaz loiro decide então desafiar o artista em algo que ele dominava: Arte.

- HEY ACROBATA!! Eu desafio-te a fazeres esses truques ao meu ritmo. Que tal eu experimentar esse violino e tu tentas me acompanhar? Se conseguires ou tiveres coragem, claro! Hahaha! Francis acertou em cheio. Sim... os piratas adoram um desafio e de fazer bonito em frente à um público para aplaudí-lo e vaiar o seu adversário.

O homem que aparentemente era Marei cambaleia um pouco para frente para pegar uma garrafa contendo um líquido amarelado, obviamente alcoólico de cima do palco e dá uma longa golada, deixando escorrer um pouco pela sua camiseta. Mas ele não parecia nem um pouco embriagado: - HAHAHAHA! Suba aqui garoto, vou te mostrar como que eu brinco com crianças como você!

Francis começa a dar passos alegres, mas ainda longe de serem tão suaves e impressionantes como os do artista que agora colocava a garrafa de volta de onde pegou. Todavia, a sonoridade que retirava do violino que possuía era sublime, arrancando palmas e olhares surpresos do público. - Booooom, booom... agora vamos ver se consegue tocar e dançar ao mesmo tempo como eu! Marei retira um flautim de um dos bolsos de sua longa calça avermelhada de cetim enquanto executava passos cada vez mais elaborados de uma dança de rua.

Em off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]~~~~~~~~~~~~~~~~~~[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Legendas:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
'Francis
Civil
Civil
'Francis

Créditos : Zero
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 10010
Data de inscrição : 04/03/2016
Localização : East Blue, Shells Town

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptySex 5 Maio - 18:16


A Habilidade de dois Artistas

A habilidosa hipnose havia funcionado, mais uma vez, apesar de ter sido inútil. Chefe, morte, Grande Line.... Hum, todas estas palavras e este tópico de conversa fariam com que eu lambesse o meu lábio superior, ansioso e excitado para o futuro desta jovem noite. A garçonete aparentava estar vulnerável e estar com medo dos seus superiores. Com certeza eu estaria não só no Lar das Queixas mas também em um ninho de mistérios, trabalhos sujos e possivelmente de futuras vítimas minhas. O meu instinto seria pescar por mais informações sobre essa tal perigosa "chefe" que a garçonete mencionava e sobre a garota que havia quebrado as regras da casa. Porém, a oportunidade certa não havia estado em minhas mãos e eu me encontraria agora no palco, ao lado do meu alvo. Tão perto, mas tão longe da minha vítima. Eu olharia ao meu redor e avistaria aquele monte de humanos, rindo e batendo palmas com o seu álito e cheiro a cerveja. Eles com certeza aparentavam se estar a divertir, algo que nós teriamos em comum. O divertimento estava apenas a começar.

As minhas delicadas mãos e os meus longos dedos que se mechiam como que penas flutuando pelo aberto ar. Ambas partes do meu corpo que aparentavam ter sido criadas por uma força do outro além apenas para simplesmente tocar aquele instrumento, doador de um som divino. E apesar da melodia ser algo belo que deixaria os espectadores delirando, os meus movimentos de dança não seriam igualmente deslumbrantes. Ser desafiado para dançar e tocar ao mesmo tempo ao ritmo do meu adversário haveria sido inesperado. No entanto, nada que chegasse perto de ser considerado um problema para mim.

Belos passos! Bem, eu posso não conseguir dançar como você, mas você jamais tocará como eu velhote! Hahaha! Veremos, o meu violino e o seu flautim, você tocará a melodia mais complicada da forma mais veloz que você conseguir, e eu tocarei a minha melodia. O vencedor à escolha do público receberá uma cerveja do perdedor! E então, está pronto para ser o meu garçon está noite? Hahaha!

O meu plano desde o início havia sido tirar o homem daquele palco e do meio das atenções para que eu pudesse agir. Que melhor maneira para atingir os meus objectivos do que humilhar o meu alvo fazendo o que fazia de melhor nesta vida e ainda deixando para trás uma memorável lembrança do meu nome nas mentes daquele pobre povo. Eu daria alguns poucos e calmos passos, me colocando na ponta do palco e fazendo um gesto com a mão para que Marei iniciasse a "batalha", caso ele aceitasse o desafio. Eu me situaria em uma zona onde a atenção não se focasse em mim, para dar a oportunidade a Marei de possuir o palco, apesar de não por muito tempo. Pelo que a minha audição havia atingido, Marei e eu tinhamos um estilo muito diferente de música. Enquanto o dele seria mais divertido e empolgado, o meu roubaria o fôlego dos presentes. Marei e os demais pouco sabiam o que eles estariam prestes a testemunhar.

Quando o Marei terminasse, eu com um sorriso malicioso no meu belo e claro rosto, caminharia para o meio do palco com pés de lã e ainda assim, cada passo parecia aumentar cada vez mais o suspanse. Os meus fios de cabelo balancariam com o ritmo do meu andar. Os meus olhos cerúleos encarar-iriam o público, sem abandonar o meu sorriso ansioso para os mostrar o meu delicioso talento. A vida era um ponto de interrogação, mas a minha melodia era com certeza um ponto de exclamação. Quando o momento fosse certo, eu posicionaria o violino embaixo do meu queixo, com toda a calma do mundo e... Iniciaria o show.

Os meus movimentos seriam quase que inexplicáveis. A velocidade podia não ser tão intensa de início, porém o poder e a energia seriam explícitos. Aquele era com certeza um lugar barulhento, mas o poder sonoro vindo daquelas simples cordas pareceriam ter a capacidade de mutar até um lugar como aquele, frequentado por pessoas como aquelas. A melodia penetraria primeiramente os ouvidos dos auditores, passando por cada célula do cérebro e alcançando finalmente a alma dos suficientemente sortudos. Uma melodia realçadora de lágrimas, capaz de partir corações mas também curá-los no mesmo instante. Seria a melodia ou o dono dela? Quem sabe. Ela ficaria por momentos mais veloz, mais feroz, como se fosse perigosa, no entanto, a delicadeza dela permaneceria sempre intacta. Por vezes eu fecharia os olhos, vivendo completamente a ação que eu estava a executar, a minha paixão, e demonstrando uma grande atuação. O som das dominadoras cordas daquele simples instrumento aparentariam deixar vários efeitos diferentes dentro das pessoas. Algo bizarro, esquesito e talvez.... Misterioso. Algo que a melodia e eu tinhamos em comum. Misteriosidade. Seria conforte ou disconforte aquele sentimento que o som do violino oferecia? Faria tudo aquilo parte de uma hipnose ou seria aquilo apenas uma habilidosa melodia? Uma coisa seria certa, a musica tocada por mim, a quebradora de silêncios, tinha uma incrível beleza e seria habilidosa o suficiente para deixar qualquer um estupefacto, de queixo caído, de saliva visível.

Quando eu terminasse a melodia, me curvaria, inclinando a cabeça para agradecer pela atenção. Eu então daria uma gargalhada, trazendo de volta o habitual clima daquela taverna. ― ENTÃO POVO?!! Não fiquem calados. Quem pagará a quem uma bela E FRESCA cerveja? HAHAHA! ― Independentemente de quem fosse o vencedor aos olhos do público, este seria uma ótima oportunidade para tirar Marei do palco por poucos minutos. O objectivo seria ficar a sós com o mesmo.




OFF:
 

Objectivos:
 

Histórico:
 

____________________________________________________

Aventura Actual:
I - [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Bread
Civil
Civil
Bread

Créditos : 22
Warn : Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 10010
Masculino Data de inscrição : 03/04/2017
Idade : 30
Localização : Cactus Island - 1st Ilha 7th Rota

Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 EmptySab 6 Maio - 18:49

NARRAÇÃO



Era impressionante... o som retirado por Francis e seu violino transmitiam emoções que eram colocadas diretamente no coração de cada um dos ouvintes como se isto fosse feito com as próprias mãos. Alguns deles ficavam boquiabertos, semelhante a garçonete após a hipnose mas em um estado bem menos torpe, enquanto outros não conseguiam ficar parados em suas cadeiras e levantavam prontamente batendo palmas tão fortes e efusivas em delírio que parecia até que estavam machucando suas próprias mãos no processo. O show do garoto novo era espetacular.

Marei parecia concordar a princípio. Ele sorria bastante: - Já era hora de um oponente à minha altura! O dançarino começa a tocar seu flautim enquanto executava passos e algumas acrobacias desconcertantes, como espacates e passos que se assemelhavam à uma forma bem rústica de break dance. Isso frustrava bastante Van Fredriksen pois no fundo sabia que não poderia ganhar de tal pessoa na dança e isso colocava duas artes distintas uma contra a outra: Dança X Música. Ou seja, a habilidade não importava mais, e sim qual o público apreciava mais naquele momento.

Porém de forma firme Francis toma fôlego e coragem o suficiente para perguntar ao público: - ENTÃO POVO?!! Não fiquem calados. Quem pagará a quem uma bela E FRESCA cerveja? HAHAHA!. Obviamente gostaria de ganhar o desafio, mas caso perdesse seus planos ainda continuariam de pé, tendo em vista que atrairia a atenção de Marei para si e conversar pessoalmente com o dançarino.

O público estava dividido completamente. Gritos de "MÚSICA" e "DANÇA" eram ouvidos sortidamente de diversos cantos do Lar das Queixas. Era impossível decidir um vencedor. Com um sorriso humilde no rosto, Marei coloca a mão no ombro esquerdo de Francis ao ouvir a galera vibrando e tentando eleger seu vencedor: - Vamos dizer que foi um empate... justo não? Ele mantinha o sorriso no rosto enquanto arqueava as sombrancelhas e franzia sua testa. Seus longos cabelos negros e bigodes como de um lorde eram lisos e escorriam suor enquanto ele estendia a mão em direção ao bar - Tomemos um drink em comemoração à nossa vitória conjunta e cada um paga o seu. Sua risada agora era mais forçada. Aparentemente ele não contava que a habilidade musical de Francis batesse de frente com a sua arte.

Em off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]~~~~~~~~~~~~~~~~~~[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Legendas:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty
MensagemAssunto: Re: Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!   Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda! - Página 2 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Um Herói ou Um Vilão? O Nascer de Uma Nova Lenda!
Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Yotsuba Island-
Ir para: