One Piece RPG
O Início da Jornada - Página 5 XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» [Mini-Azarado] Um falastrão beberrento
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor GM.Jinne Hoje à(s) 10:58

» Os 12 Escolhidos, O Filme
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Fran B. Air Hoje à(s) 05:24

» Cap 3: O alvorecer da névoa trovejante
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Wesker Hoje à(s) 03:53

» Jade Blair
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Kylo Hoje à(s) 03:42

» Seasons: Road to New World
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Ravenborn Hoje à(s) 02:26

» The Victory Promise
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Akise Hoje à(s) 00:33

» Ler Mil Livros e Andar Mil Milhas
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Fukai Hoje à(s) 00:27

» Kit Phil Magestic
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor GM.Muffatu Ontem à(s) 22:25

» 10º Capítulo - Parabellum!
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Marciano Ontem à(s) 22:12

» [E.M] - Gostosuras e Travessuras
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Achiles Ontem à(s) 21:59

» II - Growing Bonds
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor War Ontem à(s) 21:36

» Xeque - Mate - Parte 1
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Ceji Ontem à(s) 21:20

» Pandamonio, Vol 1 - Rumo à Grand Line!
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Fran B. Air Ontem à(s) 19:58

» Livro Um - Atitudes que dão poder
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Quazer Satiel Ontem à(s) 18:28

» Galeria Infernal do Baskerville
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Blum Ontem à(s) 18:16

» O Log que vale Dois Bilhões de Berries
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Blum Ontem à(s) 17:48

» Hey Ya!
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 17:25

» Blackjack Baskerville
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Baskerville Ontem à(s) 17:21

» Cap. 2 - The Enemy Within
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Takamoto Lisandro Ontem à(s) 16:07

» ブルーベリーパイ ~ Blueberry Pie
O Início da Jornada - Página 5 Emptypor Skÿller Ontem à(s) 16:07



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 O Início da Jornada

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 62
Warn : O Início da Jornada - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptySeg 25 Jan 2016, 23:01

Relembrando a primeira mensagem :

O Início da Jornada

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Istylian Von Dracnier. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Atsushi
Civil
Civil


Data de inscrição : 26/12/2012

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptySex 30 Dez 2016, 01:02



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Ao que parecia Istylian tinha um pensamento rápido, claro que para chegar até ali muitos acontecimentos haviam moldado o jovem para que ele consegui-se pensar nessa velocidade. Mesmo com uma crise das grandes ele conseguiu pensar com calma após uma luta feroz e chamou todos que lá estavam para perto de si. A taverna tinha um tamanho mediano, mas conseguiu acolher todos os aldeões de um modo que não fica-se apertada e todos conseguiram se sentar com o jovem ao centro deles. Foi então que seu discurso começou, suas palavras conseguiam ser ouvidas por todos ali presentes, e ninguém ousou falar ao mesmo tempo que o espadachim. Quando suas ultimas palavras saíram -E essa variável, somos nós! – Todos ali presente pareciam ter se contagiado, mesmo não sendo um líder nato Istylian havia conseguido cativar todos, e após suas palavras um aldeão se levantou -É isso ai garoto ! Essa doença está atacando minha mulher e filhos, se esse cara realmente é um charlatão vamos pega-lo!! Estou com você!!!- Todos os outros pareciam compartilhar da mesma forte emoção, e ninguém se após de inicio.

Depois de explicar a parte de cada um em seu plano Istylian viu Kazuo se levantar -Posso pedir para as pessoas da vila me ajudarem levando os enfermos até um salão de dança abandonado, é grande o suficiente para todos .. - Tudo parecia correr de acordo com o plano do jovem, ou não! Pois assim que falou sobre os denden mushi a resposta foi desanimadora -Temos bastante daquelas orelhas aqui, pode pegar todas mas ... Não tenho nenhum denden mushi, sinto muito.- Apesar disso Istylian continuou a falar, dessa vez convocando as Mink's para ajuda-lo com o plano, e quem deu a resposta foi Clarice, a mink gata -Bem, acho que todos vão querer ajudar a acabar com isso. Mas não espere um exercito, nossa especie não é muito grande nessa ilha.- A ultima resposta era a de Kazuo, o samurai e essa poderia acabar com o plano, afinal grande parte dele se baseava em saber onde encontrar Jonas. -Na verdade ele apenas me disse para pegar as mink's, e assim que eu as tivesse para ligar desse denden mushi para ele. Combinaríamos onde nos encontrar depois.- Enquanto falou Kazuo tirou de seu bolso um denden mushi bebê e o entregou para Istylian, oque o garoto faria com aquilo era de inteira responsabilidade ele.

- Bem pessoal é isso por enquanto, então poderão ajudar? - Tal pergunta não precisou ser respondida, a atitude de todos no local se mostrou de total apoio para o plano, sendo assim Istylian partiu: rumo a casa de telhado verde. A noite se encontrava negra, como se um manto tapa-se as estrelas e a lua, nada que atrapalha-se nosso jovem aventureiro que enxergava bem mesmo na escuridão. Talvez por isso conseguiu correr com destreza e não encontrou dificuldades para encontrar a tal casa, oque ele não esperava era encontrar a porta da frente aberta e todas a luzes acesas. Ao entrar na casa seria possivel ver o cenário de algo brutal, todos os moveis quebrados e muito sangue espalhado, parecia que algo muito ruim havia acontecido ali. Um pouco mais dentro da residencia era possivel encontrar Samul caído no chão sem consciência, seu corpo ainda que muito ferido estava vivo e um rastro de sangue saia dele, como se alguém tivesse pisado em seu corpo e andado com os sapatos cheios de sangue, tal rastro levava até a porta dos fundos da casa que dava de cara para com um bosque.

As perguntas na mente do jovem deviam ser inúmeras, mas antes que qualquer resposta aparece-se o estralar de um despertador pode ser ouvido, era o denden mushi que Kazuo havia lhe dado, e as palavras que saíram dele trariam ainda mais perguntas -Olá? Conseguiu minhas mink's? Ouve alguns incidentes e tive que mandar meus dois guarda costas para a cidade, eles vão te encontrar no bosque, leve elas lá... O remeio está com eles... Ah claro, tenho alguns homens na cidade, é melhor trazer logo minhas mink's.- A voz parecia soar em um tom ameaçador, e qual seria a próxima ação tomada por Istylian? Será que as perguntas vão ser respondidas?

Observações:
 

Voltar ao Topo Ir em baixo
Italo000
Membro
Membro
Italo000

Créditos : 12
Warn : O Início da Jornada - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 21/06/2013
Idade : 26

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptyTer 03 Jan 2017, 17:14


O Início da Jornada

“Cap. 20 - Surpresas e Ira. O Que Acontecerá?!”
Paciência!


Paciência e nada de pressa fazem mais do que a força e a ira. Jean de La Fontaine

A preparação do plano já estava em andamento, logo estaria a me encontrar com Samul e seu amigo misterioso, este que a qual eu deveria reportar o ataque e possível sequestro de Faham Dorothy. Correndo em meio ao breu da noite, não encontrei dificuldade alguma em alcançar meu objetivo.  ... Sim a casa de telhado verde. ... Porém algo estava estranho. ~ Luzes?! ... A porta esta aberta. ... Algo não esta certo aqui. ~ Pela maneira que Samul agiu até o momento de nos separarmos, ao entrarmos em Porto Branco, esse amigo deveria estar escondido já que deveríamos despistar alguns perseguidores. ~ Espero que estejam bem. ~

Não havia mais nada o que pensar, era hora de adentrar a casa e descobrir o que raios estaria acontecendo. – Ah! –  Se já estava surpreso antes, ficou pior ao ver o cenário do interior da casa. Dúvida, surpresa, raiva ... um misto de sentimentos afloravam juntos em minha mente a cada passo que dava ao adentrar o resinto. – O que aconteceu aqui?! ... –  Ao percorre um pouco mais adentro pude ver móveis quebrados e muito sangue espalhado, e então achei um corpo caído sobre chão. – ... Samul! –  Algo tinha acontecido, mas o que fora? ... ~ Droga! ... Se eu tivesse chegado antes! ~ ... Não era hora e nem o momento para questionamentos, logo tinha que checar as condições de Dindi. – Ainda bem, esta vivo. ... Mas o que são essas marcas de sapatos? – Samul estava vivo e isso era um alívio. Embora não aliviava os sentimentos ardentes que ainda perduravam em minha mente e corpo. ~ Essas marcas de sapatos, provavelmente, são do agressor de Samul. ... Mas onde esta o amigo dele? ... E todo esse sangue espalhado? ... Com certeza não é só do Samul, mas não há mais corpos aqui? ... Droga! Não pense que vai escapar ileso por machuca-lo desgraçado! Seja você quem for. ~ Não poderia dizer que era alguém apegado a Samul, pois pouco o conhecia antes de hoje, mas esse bom senhor sempre esteve a frete dos assuntos e cuidando da Vila de Frushin, assim como de todos que lá viviam. Isso mesmo o esse senhor sempre ajudava e cuidava de todos e isso inclui minha família, além de ter me ajudando quando estava ferido. ~ Desculpe-me por arrasta-lo para isso Samul-ojisan. ... ~ Estava arrependido, mas o fato não pode ser mudado. Agora tudo que resta é acabar com todo esse problema de uma vez!

- O rastro das pegadas veem até a porta dos fundos.  ... Humm. ... – Murmurava baixo, até que um som chamava minha atenção. ... Purupuru, purupuru, purupuru ... ~ O den den mushi que Kazuo me deu. ... Então estão entrando em contato para saber sobre as mink’s. ~ Agora não era a melhor hora, mas tinha que atender para evitar suspeitas e quem sabe para descobrir algo. Manter a calma é essencial...  ... Catch! ...

- Olá? Conseguiu minhas mink's? Ouve alguns incidentes e tive que mandar meus dois guarda costas para a cidade, eles vão te encontrar no bosque, leve elas lá... O remédio está com eles... Ah claro, tenho alguns homens na cidade, é melhor trazer logo minhas mink's. –

~ Jonas! ... Malaquias! ... Desgraçado é você! ... ~ Não sei explicar o sentimento que começava a si moldar dentro de mim, mesmo nunca tendo o encontrado diretamente. Essa era a primeira vez que ouvia sua voz e falaria com o sujeito que quer destruir a paz de Dawn, que quer prejudicar a vida de tantos inocentes. ... Pude sentir o mais amargo dos gostos em minha boca, pois não podia descarregar toda minha fúria naquele momento ou o que tinha planejado antes poderia ir por água abaixo. ~ Preciso manter a calma agora. Agora tenho que me controlar como um sábio uma vez disse: ‘Paciência e nada de pressa fazem mais do que a força e a ira’. Vou guarda-la até nosso sucinto encontro! ~ Ficaria calado por alguns instantes, respiraria fundo e calmamente inspiraria, até acalentar meus sentimentos. ~ O que devo dizer? Fazer? ... Com certeza ele saberá que não é Kazuo que estará falando. Mas não tenho certeza se saberá que sou eu, ou saberá do que houve? ... Ele que as mink’s, mas não tenho ninguém comigo para fingir ser uma... hum ... Devo pedir mais um tempo? ... ~ Estaria um pouco indeciso sobre o que dizer, provavelmente nesse período de silêncio, acabaria sendo questionado pelo homem do outro lado do den den mushi. Mas teria que escolher bem minhas palavras e minhas ações, para conseguir dar tempo a todos para agirem e descobrir o que aconteceu fora que tinha que cuidar de Samul. ~ Essa situação esta cada vez pior. ... Ele falou que seus homens estarão no bosque. Coincidência ou não, este bosque logo aqui atrás? ... hum ...  ~ Respiraria profundamente e inspiraria próximo ao microfone. – Olá! ... Preciso de mais duas horas, para conseguir levar as mink’s para o local do encontro? ... Você não foi único que encontrou problemas hoje. – Pediria um pouco de tempo, para conseguir acertar tudo e planejar uma contra medida. Embora, não poderia deixar de cogitar ir ao bosque mesmo sem esta com mink nenhuma, afinal o remédio poderia estar lá. ~ Ir ao bosque e conseguir o remédio seria ótimo, mas são os guardas particulares dele... então pode ser que não entreguem sequer o remédio visto que Kazuo estava doente. E pelo cenário, só Kazuo teria uma chance, os aldeões seriam claramente massacrados. ... Além de que podem sequer estar com o medicamento e, ainda tenho que cuidar de Samul. ... Preciso de algum tempo, vamos desgraçado fale algo! ~ Ficaria apreensivo esperando uma resposta pelo pedido de tempo. E caso fosse questionado por não ser Kazuo falando pelo den den mushi, diria. – Infelizmente, o Kazuo foi ferido e devido à doença não poderá levar as mink’s e é por isso que preciso de um tempo. ... Lhe entregarei as mink’s que tanto quer pela cura, Jonas. – Diria o seu nome, mesmo sem que o mesmo tenha dito. Visto que já era sabido por todos, que o único que poderia curar a tal doença e que queria as mink’s era ele.

Tendo ou não o consentimento do homem por trás do den den mushi, tudo que pude pensar até ali fora isso e agora tinha que espera sua resposta. Durante a conversa tentaria além de manter a calma, avaliar os cômodos da casa para buscar pistas ou procurar por alguém além de Samul. Afinal de contas o amigo misterioso, não estava ali. Observaria com cuidado cada canto, enquanto tentaria manter a atenção aos arredores a uma movimentação suspeita.  




A conspiração de Dawn: Parte I
A praga de Malaquias



Narração / - Fala - / ~ Pensamento ~





HP: 120
SP: 62 - 17 = 45

Histórico:
 


Objetivos:
 





__________________________________________





“Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele.O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista por cima do medo.” Nelson Mandela


Off:
 




[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



Objetivos no jogo:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

“Afie suas presas, prepare suas garras e dilacere todos aqueles que ficarem em seu caminho! ... Ruja e amedronte seus inimigos, pois sois um dragão! Aquele que representa a liberdade!...”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Atsushi
Civil
Civil
Atsushi

Créditos : 5
Warn : O Início da Jornada - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 26/12/2012
Localização : Olhe para trás ..

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptyQua 04 Jan 2017, 00:29



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

A casa de telhado verde trouxe com sigo mais perguntas que respostas, e com toda certeza fizeram o jovem Istylian se perguntam o motivo dela estar naquele estado. Não que o destino o desse tempo para pensar muito, pois assim que achou seu amigo Samul caído em seu próprio sangue o denden mushi começou a tocar.  A voz do outro lado da linha era dele! O homem que Istylian e toda a ilha procuravam: Jonas, ou Malaquias! E ele parecia irritado com a demora na entrega das mink's, com toda certeza isso deixaria qualquer um com raiva mas nosso jovem espadachim conseguiu manter a calma e dar uma resposta sem pressa.

-DUAS HORAS? Você acha que sou um idiota? Você tem meia hora, e as traga até o bosque, deve ser fácil achar nossa cabana. Lembre-se MEIA HORA !- O homem parecia bravo, mas para a sorte de Istylian a casa de telhado verde tinha um bosque atras dela, destino? Bem, seja lá oque fosse as próximas palavras do jovem irritaram a voz do outro lado do denden mushi -KAZUO FERIDO? IMPOSSÍVEL, EU TENHO CERTEZA QUE ELE NÃO IRIA SE FERIR COM A DOENÇA! QUEM ESTÁ AI?- Seria prudente responder? Se revela-se sua identidade poderia lhe causar problemas no futuro, mas o tempo para pensar sobre isso foi curto para Istylian, pois alguns segundos após o homem parar de falar outra voz pode ser ouvida.

-Quem é você, oque faz aqui?- A pessoa que falava era um jovem de longos cabelos negros, sua pele era extremamente branca mas estava coberta de sangue e barro, alem de que vários ferimentos podiam ser vistos espalhados por seu corpo. Depois de perguntar sobre a identidade do garoto a mulher entrou na casa pela porta dos fundos, porta que dava acesso ao bosque, e parou a 3 metros de Istylian -Me responda ! Estou ordenando como Tenente da marinha, Nagisa Moon ! Me diga quem é você e o oque faz aqui com Samul!- Sua voz era confiante e soava como um trovão. Ela aguardaria a resposta do jovem, segurando sua espada na mão esquerda pronta para atacar se necessário.

Observações:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
É tão repugnante que eu sinto vontade de vomitar, todas essas coisas que vocês buscam: trabalho duro, coragem, fé. Eu vou esmagá-los, tudo.
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

HUE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Italo000
Membro
Membro
Italo000

Créditos : 12
Warn : O Início da Jornada - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 21/06/2013
Idade : 26

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptyQui 05 Jan 2017, 16:23


O Início da Jornada

“Cap. 21 - O Mala, A Tenente e O Espadachim?!”
O transcorrer!

Os deuses fiaram a ruína dos homens, para que poemas fossem gerados à posteridade. Homero



Questões eram levantadas quase que instantaneamente. De um lado, tem-se o homem por trás do den den mushi contrariado e questionador. - KAZUO FERIDO? IMPOSSÍVEL, EU TENHO CERTEZA QUE ELE NÃO IRIA SE FERIR COM A DOENÇA! QUEM ESTÁ AI? – Me identificar agora com certeza seria um problema, mas essa atitude tomada por essa pessoa confirmava algo que estava pensando. ~ Ele ainda não sabe do ocorrido. ... Mesmo tendo homens na cidade, eles não sabem do que ocorreu com Kazuo e o seu grupo de aldeões  ... isso é ótimo! ... Poderei utilizar isso ao nosso favor nessa batalha. ... Já que nunca sequer nos vimos ou nos falamos, você não conhece minha voz... shishishi...  ~ Nesse momento de pequeno furor momentâneo outro questionamento surgia de outro lado. - Quem é você, o que faz aqui? – Essa mulher aparecia antes mesmo de ter tido tempo para responder o homem por trás do den den mushi, o que provavelmente não seria lago bom. ~ Que!? ... Quem é essa mulher?! ... ~ Essa pessoa que surgia num momento de transição de suma importância, que poderia vir a ajudar ou não a minha situação. - Me responda ! Estou ordenando como Tenente da marinha, Nagisa Moon ! Me diga quem é você e o que faz aqui com Samul! –

O den den mushi provavelmente ainda estaria ligado e o homem por trás devia ser capaz de ouvir nossa conversa, o que poderia se transformaria num problema caso eu não escolhesse bem minhas palavras. Mas o problema agora era o que falar? ... Tempo é o que precisava, mas não sabia se o teria. ... ~ Preciso responde rápido, mas o que? ... O sangue! ~ ... Não podia deixar de usar essa oportunidade para confundir ainda mais o homem por trás da linha, entretanto precisaria de ajuda e essa ajuda ainda seria incerta. ~ Vejamos se essa mulher vai servi de ajuda ou não agora!? ~

A tenente transbordava um ar confiante e ameaçador, sendo uma tenente é claro que a mesma seria forte e vendo aquele cenário a sua frente desconfiaria de mim. Provavelmente levaria um tempo para contar tudo e poder solicitar sua ajuda, fora que ainda estaria a responde o homem por trás da linha. Logo, tanto mentir como falar a verdade seriam escolhas mortais e consequentemente acabariam com todo o inicio do plano. ~ Espero que ela entenda. ... Ou teremos problemas! ~ Olharia para a jovem, especificamente para seus olhos, com um olhar sincero, enquanto levantaria devagar a mão esquerda até a altura da boca e estenderia o dedo indicador, enquanto os outros dedos estariam serrados ao punho, pediria para a mesma fazer silencio. Em seguida, rapidamente trocaria o den den mushi de mão, e com a mão direita tentaria escrever na parede ou no chão. “Sou um amigo dele e estou sem tempo pra explicar. ... Preciso enrolar o cara da linha, vidas dependem disso! ... Por favor, ajude-me!” Esse pedido, viria com uma demonstração de ação. Retiraria as duas bainhas com as espadas embainhadas da cintura e a colocaria sobre o chão, na tentativa de demonstrar que não estava ali a mentir.

Porém questionamentos provavelmente viriam do outro lado da linha. Logo teria que os respondes apropriadamente. ~ Vamos entrar num joguinho Jonas, ou melhor, Malaquias! ~ Levaria a mão direita até o pescoço, então apoiaria os dedos sobre o mesmo e o pressionaria um pouco, logo em seguida um pequeno sorriso seria mostrado. - Droga a marinha! ... Já não bastava aquele moleque que derrotou o Kazuo-san, agora tem uma tenente! ... Jonas cumpriremos com nossa parte do acordo! -  Não poderia deixar a ligação durar muito tempo, pois era incerto o que a mulher ali poderia fazer, portanto desligaria o den den mushi logo após terminar de falar. ~ Bem agora não tenho mais tempo, tenho que começar a agir com o que conseguirem reunir! ... Mas primeiro tenho que dar um jeito nessa situação. ~ Esperaria ter conseguido a ajuda da moça, mas mesmo sem ter a obtido antes agiria da mesma forma. Assim com o den den mushi já desligado, voltaria minha atenção primordialmente a jovem. Como antes ela havia perguntado, teria a iniciativa de apresentar-me apropriadamente. – Istylian é meu nome. Sou um amigo e o acompanhante de Samul-ojisan, mas devido alguns problemas nos separamos e marcamos de nos encontrar nessa casa, porém como pode ver algo aconteceu antes mesmo que eu pudesse chegar aqui! – Daria uma pausa, para ver a reação e possivelmente ouvir uma resposta da tenente, para poder prosseguir. – Viemos até aqui para encontrar um de seus amigos, que pode nos ajudar com um sério problema. Infelizmente não sei quem é esse amigo que Samul desejava encontrar, para que eu pudesse relatar sobre um certo incidente. – Novamente, daria uma pausa e tentaria de maneira sutil e, sem esboçar nenhum movimento de hostilidade, pegar minhas armas postas sobre o chão anteriormente e as colocaria novamente na cintura. – Com certeza é mais confortável assim! – Acabaria por soltar essas poucas palavras, enquanto caminharia em direção ao corpo de Samul. – Ele precisa de atendimento, então irei leva-lo comigo. ... Senhorita Nagisa pode me acompanhar, claro se você quiser. ... Acredito que você pode nos ajudar! Além disso, precisa cuidar desses ferimentos. –

~ Provavelmente ela deve estar desconfiada, mas não posso perder mais tempo. Tenho que levar Samul para o salão que Kazou indicou. ... Depois passarei na taberna. Só espero que as garotas tenham conseguido alguns homens para ajudar! ... Se a tenente nos acompanhar, posso tentar obter sua ajuda. Isso seria de grande valia! ~

Ela poderia desconfiar de mim, seria normal visto que não nos conhecíamos e ela nem sequer sabia o motivo para que eu estivesse ali. Ela poderia até tentar evitar que eu encostasse em Samul, mas em nenhum momento me colocaria a tomar uma postura agressiva, mesmo que a mesma me atacasse. Nesse caso, falaria. – Não tenho intenção de lutar, nem tempo a desperdiça aqui. ... Tenho que levar Samul para ser tratado, tenho que acabar com os sujeitos que o machucaram, além de dar um fim em Malaquias e resgatar todos que ele levou, isso inclui Faham o regente dessa ilha! ... Então, por favor... Me acompanhe e veja com seus próprios olhos, se o que falo é verdade ou não! ... Mas estamos sem tempo, precisaremos correr! ... Caso não consiga correr, posso muito bem carregar os dois?! -

Caso ela concordasse em me acompanhar de primeiro, diria. – Desculpe-me, mas estamos sem tempo, precisaremos correr! ... Caso não consiga correr, posso muito bem carregar os dois?! - Trataria de sair dali, se possível, com Samul e rumaria pelas ruas até o salão de dança onde Kazuo estaria com os enfermos, para deixar o velho Dindi a seus cuidados. ~ Embora ele esteja ferido, ele não vai morrer! ... Esse velho é forte! ... Devo deixa-lo com Kazuo, ele deve ter conseguido reunir o pessoal e deve ter alguém para cuidar do Samul. ... Assim que Dindi acordar peço que eles expliquem o que esta acontecendo. ~ Utilizar-me-ia de minhas capacidades motoras avantajadas, além de minha boa visão e audição para correr pelas ruas, rumando o mais rápido e seguro possível para o Salão, onde Kazuo. No caminho trataria de repassar algumas informações a tenente. – Muita coisa esta acontecendo no momento. Faham foi sequestrado por Malaquias, esse cara também usa um outro nome que é Jonas, ele esta por trás de um surto de doenças que ataca apenas pessoas humanas e espalhou que a culpa e dos mink’s. ... Porém ele fala que possui a cura, mais para isso precisa de jovens mink’s fêmeas onde precisa macula-las para conceber a cura as pessoas! ... Pode acreditar nisso, antes na chamada ele falou que estava com o remédio... Isso prova que é tudo culpa dele. Foi por isso que vim com Samul até aqui encontrar seu amigo, que nos ajudaria a resolver tudo e dar um fim a esse lunático do Malaquias! ... Se possível gostaria de contar com sua ajuda tenente. -

Conseguindo chegar até o local, simplesmente tentaria avistar Rosibelle, Kazou ou algum dos outros aldeões que havia conhecido anteriormente e falaria. – Onde esta Kazuo ou Rosibelle? – Perguntaria por essas duas pessoas, as quais eram de confiança. Esperaria que ao menos um deles estivesse por ali, para receber o velho.  ...  Conseguindo me encontrar com um deles, diria. – Esse senhor é o homem que falei que poderia ajudar a cuidar dos enfermos, enquanto irei buscar o remédio. ... Como eu disse antes, esse Jonas (Malaquias) não passa de um charlatão. ... Cuidem das feridas dele e quando ele acordar, falem que fui resolver as coisas e mostrem as crianças e os outros doentes, que ele ira ajudar. ... – Teria afora que começar a agilizar as coisas.

Caso a tenente houve nos acompanhado.    – ... Se houver alguém disponível trate as feridas dessa jovem também. –

- Tenho que ir. Logo teremos uma resolução de tudo! – Estas seriam as últimas palavras que diria por lá antes de sair.     ... Caso a tenente tivesse me acompanhado diria a ela. – Estaria indo até a Taberna Maid Café encontrar com algumas pessoas, para que depois possamos seguir rumo ao bosque atrás da casa verde onde nos encontramos! ... Iniciar a operação ‘Ruína’! -

~ Operação Ruína! ... Acho que é um bom nome.  ~ Sorriria um pouco e esperaria uma resposta da tenente, pois ela poderia muito bem me seguir dali ou depois partir, não saberia o que ela poderia fazer. Logo esperaria uma resposta para então prosseguir até a taberna, para me encontrar com Henrid e as garotas mink’s e, ver o exército (pequeno grupo) que poderiam ter formado.


A conspiração de Dawn: Parte I
A praga de Malaquias



Narração / - Fala - / ~ Pensamento ~


HP: 120
SP: 62 - 17 = 45

Histórico:
 


Objetivos:
 


__________________________________________


“Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele.O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista por cima do medo.” Nelson Mandela


Off:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



Objetivos no jogo:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

“Afie suas presas, prepare suas garras e dilacere todos aqueles que ficarem em seu caminho! ... Ruja e amedronte seus inimigos, pois sois um dragão! Aquele que representa a liberdade!...”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Atsushi
Civil
Civil
Atsushi

Créditos : 5
Warn : O Início da Jornada - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 26/12/2012
Localização : Olhe para trás ..

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptySab 07 Jan 2017, 14:08



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

Talvez a grande diferença entre um plano bem sucedido ou não seja a capacidade de se adaptar as situações adversas. E nesse quesito Istylian estava conseguindo se virar bem, pois mesmo com o aparecimento de uma famosa tenente da marinha e estando com Jonas/Malaquias no denden Mushi o jovem espadachim não perdeu a calma, seu pensamento rápido talvez tenha salvo sua vida. Toxic viu no momento em que Istylian olhou em seus olhos que ele não era um inimigo, e ele se mostrou sem intenções de luta quando colocou suas espadas no chão e começou a escrever.

O sangue foi bem utilizado, as palavras mesmo não ficando todas legíveis conseguiram passar a mensagem e a tenente da marinha balançou a cabeça positivamente, confirmando que havia entendido. As palavras do jovem no denden mushi foram rápidas e sem cercos, e antes mesmo de obter uma resposta ele desligou, encerrando a ligação. Após ouvir as palavras de apresentação do jovem e da relação que ele tinha com Samul a tenete começou a falar -Eu sou o "amigo" que Samul-sama iria te apresentar. Estávamos lhe esperando quando fomos atacados por capangas de Malaquias e mesmo eu conseguindo levar a maioria deles para a floresta alguns ainda ficaram na casa. Sinto que a culpa por Samul-sama estar assim é minha ...- Seu rosto de repente se tornou uma mistura de triste com raiva, era difícil decifrar aquela mulher.

-Samul-sama havia me falado de você, não tenho motivos para duvidar de suas palavras ... Então vamos.- Ao que parecia ela não gostava muito de falar, mas concordou em seguir Istylian pelas ruas enquanto ele explicava a situação atual da ilha para ela -– Muita coisa esta acontecendo no momento. Faham foi sequestrado por Malaquias, esse cara também usa um outro nome que é Jonas, ele esta por trás de um surto de doenças que ataca apenas pessoas humanas e espalhou que a culpa e dos mink’s. ... Porém ele fala que possui a cura, mais para isso precisa de jovens mink’s fêmeas onde precisa macula-las para conceber a cura as pessoas! ... Pode acreditar nisso, antes na chamada ele falou que estava com o remédio... Isso prova que é tudo culpa dele. Foi por isso que vim com Samul até aqui encontrar seu amigo, que nos ajudaria a resolver tudo e dar um fim a esse lunático do Malaquias! ... Se possível gostaria de contar com sua ajuda tenente. - Enquanto corriam era difícil ver oque se passava pela cabeça da tenente, mas ela logo deu ombros -Eu fui mandada especialmente para investigar esse Malaquias. Já sabia do sequestro de Faham, mas essa doença é nova para mim. Como você é amigo de Samul e temos um objetivo em comum acho que vou te acompanhar..-

Agora com a confirmação de uma forte aliada Istylian chega até o local de tratamento de doentes, já na entrada ele encontrou Kazou seu aliado e explicou a situação de Samul -Tudo bem, vamos cuidar dele .. Mas você não exagere Istylian-san.- A tenente não aceitou nenhum tratamento e apenas seguiu o espadachim para a taverna onde deviam se encontrar. Mas eis que algo não previsto aconteceu, ao  chegar na entrada da taverna a visão de Istylian foi horrível, 8 ou 9 mink's caídos no chão e nem deles parecia respirar, em volta de seus corpos dois homens idênticos riam descaradamente -HAHAHAHA veja mano, eles desafiaram Jonas-sama e não aguentaram as consequências HAHAHA- O homem que ria segurava uma katana vermelha de sangue, enquanto o outro tinha o liquido vermelho em seus punhos. Para a sorte da dupla recém chegada dos homens ainda não os tinham visto, oque daria a eles uma bela oportunidade. Oque Istylian e a tenente fariam ?

Observações:
 


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
É tão repugnante que eu sinto vontade de vomitar, todas essas coisas que vocês buscam: trabalho duro, coragem, fé. Eu vou esmagá-los, tudo.
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

HUE:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Italo000
Membro
Membro
Italo000

Créditos : 12
Warn : O Início da Jornada - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 21/06/2013
Idade : 26

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptyDom 15 Jan 2017, 19:31


O Início da Jornada

“Cap. 22 - O Caminho De Shura?!”
Meu modo de viver!

Um Shura não luta por honra, não luta por dinheiro, não luta por poder e não luta por Deus ou deuses. Um Shura luta simplesmente pelo PRAZER da batalha e APENAS quando encontra um adversário a altura de suas capacidades ou quando o destino o exige. Shin Rogério Gouveia

Havíamos acabado de deixar Samul nas mãos de Kazuo e seus amigos. Com certeza o samurai tem uma notável constituição, mesmo sofrendo da misteriosa doença e tendo sido perfurado pela minha katana ele ainda perdura firme e vivo, mantendo a segurança e liderando os aldeões ao cuidar dos enfermos. ... Por perceber isso já podia confirmar o porquê de Malaquia/Jonas duvidar quando falei de sua derrota, porém aquele joker desgraçado tem o azar de não conhece minha força. O quão engraçado será, quando perder o controle de tudo e sentir na pela o gosto do caos que tanto ama... ~ Jonas, você adora o caos não é?! ... Mas quero ver bem sua cara, quando sentir o gosto da dor que causou a todos em sua própria pele! ... ~

Era notável sua força de vontade e agora era minha vez de demonstrar a minha, entretanto algo fora dos planos acabou acontecendo. ~ Aqueles dois... será que são os guardas-costa de Jonas ou são os outros homens que mandou para cidade? ... De qualquer forma eles acabaram com os mink’s ... Droga! ~ Particularmente eu deveria esta raivoso e coberto de ira, mas parecia que aquilo havia se tornado normal. ... Estaria eu ali a me tornar insano? Ou simplesmente comecei a compreender melhor o mundo que me cercava? O mundo que ainda não conhecia. Mesmo sem saber a resposta para essa indagação, as premissas dos acontecimentos iriam continuar e quem sabe no fim poderei descobrir o que mudou em mim. ... A insanidade dos fatos que aconteceram até o presente momento ali, um maluco que não deseja nada além de caos, pessoas sequestradas, mortas, levadas ao desespero e se continuar até mesmo ao fim de tudo na ilha. Dizer que estava com raiva era pouco, o ódio latente percorria todo o corpo e com certeza seria descarregado em meus inimigos. ~ ... Mas que grande merda! Estou estranhamente calmo com essa cena. ... Mas é uma pena pra vocês, pois não haverá mais misericórdia e nem honra para com vocês ... só a dor e esplendor do Shura no michi! ... Preparem-se! ~

“O verdadeiro caminho do guerreiro não encontra-se em esmagar os fracos, mas sim em submeter aqueles que se acham fortes e mostrar-lhes suas fraquezas.”

A morte dos mink’s com certeza seria algo a pesar nas nossas ações futuras, mas ainda precisávamos confirma. Entretanto apenas ao olhar o sorriso sínico dos homens ali, já bastava para saber que seria pouco provável que alguém tenha sobrevivido. Mas toda essa pompa poderia ser sua perdição, pois enquanto se vangloriavam ou estavam a rir de tudo, nos estávamos ali, observando e preparando para eles o troco por suas ações. ~ Parece que temos o elemento surpresa. ... A tenente é forte! Então deve ser capaz de cuidar de um deles. ... Meia hora, precisaremos acabar com isso em menos da metade desse tempo! ~ Com a imposição de tempo posta por Malaquias/Jonas teríamos meia hora até a entrega na cabana, logo alguns minutos já haviam se passado devido ao socorro de Samul. Isso com certeza encurtada o tempo ainda mais e aumentava a dificuldade de nosso plano. Aproximar-me-ia da tenente de forma sutil e em um tom baixo de voz sussurraria. – Senhorita Nagisa, precisaremos acabar com eles rapidamente. Os mink’s podem estar mortos, mas temos que confirmar e eliminá-los é um dever que tenho para com esses valentes guerreiros, que resolveram lutar ao invés de se esconder e viver em desonra. ... Posso contar com sua ajuda? -

Esperaria por uma confirmação da bela tenente, afinal de contas, estávamos ali em uma aliança com um objetivo em comum. Logo, seu consentimento era de suma importância, pois mesmo ela sendo uma aliada, isso não quer dizer que deva lutar porque é meu desejo. ... Seria problemático não contar com sua ajuda, visto que ambos os homens, mesmo que desgraçados sem valor aparentavam ser fortes. Sem contar com o limite de tempo que tínhamos, a luta deve ser rápida de brutal! ... ~ Provavelmente não conseguiremos cumprir com o tempo imposto por aquele desgraçado. ... Já que é impensável subestimar esses caras ou qualquer adversário. ... Eu lembro bem \ “Nunca subestime um adversário! Não importa o qual fraco ou forte, ingênuo ou arrogante, homem ou mulher! Vocês dois devem ter sempre em mente que o inimigo é mais poderoso que vocês. E que se o subestimarem, cavaram suas próprias covas! Mantenham sempre a calma, lutem com seriedade e tenacidade, que mesmo os mais fortes caíram por suas laminas! ... Agora, balancem as espadas mais 1000 vezes! Impregnem em suas mentes e corpos, essa mensagem! “ \ ... Tia Ilhya, esta impregnado, entalhado em minha alma! ... Vamos começar. ~

A questão é como utilizaríamos nossa vantagem? ... Uma das ações poderia ser ataca-los silenciosamente utilizando o elemento surpresa, mas possivelmente eles acabariam percebendo.  Embora aparentem serem patifes, eles emanam um sentimento suspeito. ~ Eles são fortes! ... Mas, não tanto quanto Kazuo. ~ Logicamente não iríamos subestima-los e, pela falta de tempo, vamos com algo simples. – Tenente, eu gostaria de lhe pedir algo. Espero que não seja rude da minha parte em lhe pedir isso, mas poderia dar a volta na taberna? Ela possui uma porta dos fundos e algumas janelas, elas possivelmente estão abertas, visto que durante a ação dos aldeões as portas e janelas foram abertas para entrarem e, também para a tentativa de fuga das mink’s. ... Gostaria que enquanto chamarei a atenção deles, que finalize um deles! Não deve demorar mais que 1 minuto para dar a volta, há um beco lateral com janelas, tente não ser vista na passagem e vamos causar um pouco de caos! – Ao terminar de sussurrar, levaria a mão esquerda até o bolso e puxaria um par de orelhas falsas e estenderia a mão esquerda na direção da tenente, há entregando as orelhas. – Poderia utiliza-las! ... Não sei se será efetivo ou não, mas eles possuem pouca informação concreta sobre nos e eu gostaria de bagunça-las. Tentar, fazer com que eles acreditem que somos mais do que imaginam. – Enquanto esperaria que a tenente decidi-se, se iria ou não utilizar, colocaria a mão direita no bolso e puxaria outro par de orelhas falsas e o colocaria na cabeça. – Pronto! ... Agora sou um mink. ... hum ... Dreike é um bom codinome! ... Isso! – Por que não utilizar um nome falso para auxiliar no plano!? ... Agora para finalizar, com a mão direita, novamente, colocaria a mão sobre a garrafa de sakê que havia guardado e a colocaria em mão. – Vamos começar Senhorita Nagisa. ... Hora de dar o troco! –

Pronto para agir, esperaria ver a Nagisa se colocar em movimento. Assim que a mesma agi-se, colocar-me-ia a agir! ... Primeiramente, dirigir-me-ia até a porta de entrada da taberna, onde os dois patifes poderiam me ver, nesse momento estaria dando uma bela golada no sakê. ...Glut – Glut ... – Ahh! ... Isso é bom! – Falaria em alto e bom som.

Nesse momento minha presença já teria sido revelada e seria possível ver melhor o interior da taberna, como também dos corpos no chão e do rosto descarado dos patifes. – Oi, oi, oi ... PESSOAL, O QUE HOUVE AQUI!? ... – Com um tom alto voz e com olhos sérios, observaria a reação dos homens ali. ~ Espero esta sendo um pouco convincente, mesmo não sendo um ator tão bom. ... Hora de continuar! ~

- Desgraçados! ... Como ousam machucar meus camaradas!? ... Vão pagar por isso. – Esperaria conseguir chamar a atenção dos dois para mim e que se focasse apenas em mim, para dar a chance de Nagisa derrota um deles. Porém não ficaria apenas a falar, afinal de contas, fugir de uma luta não faz o meu estilo! ... E ainda tinha toda a raiva acumulada, precisaria afugenta-la e ali seria uma boa oportunidade para isso. – Qual dos dois quer ser o primeiro? ... Que tal vermos o que pode fazer com essa espada, seu bastardo! - Nesse momento, minha expressão estaria ainda mais séria e determinada. As sobrancelhas franzidas, olhos compenetrados e um sorriso nada fascinante, transbordado uma ar de sarcasmo e insanidade! – Vamos começar! - O tom de voz poderia ter mudado, agora poderia esta parecendo ser arrogante e, poderia até estar sendo, mas a finalidade era atraí-los e concentra-los em mim. Não era certo se essa minha atuação, ou não, conseguiria ter êxito, mas era tudo o que pude pensar até ali. Logo agora seria a hora de começar a improvisar. ~ O básico do plano já foi. Agora só me resta contar com a sorte e claro com nossa força! ... NÃO IREMOS PERDER AQUI! ... Essa é uma boa oportunidade para testar a Tetsuishi. ~

Uma luta seria inevitável a essa altura, a questão que ficava aberta era  que tomaria a iniciativa. Seriam eles a começarem? Atacando juntos? O espadachim aceitaria meu desafio? Ou o lutador tomaria a frente? ... Bem eles também poderiam não atacar e esperar por minha iniciativa.


1.1 Caso o espadachim aceita-se meu desafio ou Tomando a iniciativa

Tendo aceitado o meu desafio, trataria de colocar-me em posição.  Posicionar-me-ia com a perna direita mais a frente, enquanto recuaria um pouco a perna esquerda, ficando quase que lateralmente. Flexionaria um pouco as pernas, dobrando levemente os joelhos e inclinaria um pouco o corpo para frente, ficando sobre a ponta dos dedos dos pés. Olharia para meu adversário com olhos ávidos com um vislumbre de um novo combate, manter-me-ia atento utilizando-me de minha audição apurada. Tentaria me manter concentrado, para analisar os movimentos do adversário e assim tentaria compreender/assimilar os dados de sua velocidade e tempo de ação, através de minha capacidade de estimar a passagem do tempo com exatidão.  ...  Ele tanto poderia tomar a iniciativa como não, ai esta a questão. Porém para ambos os casos, estaria pronto para agir da seguinte forma. Posicionaria a mão esquerda sobre a bainha da Tetsuishi e com o polegar esquerdo empurraria um pouco guarda-mão da katana descolando-a da bainha. Com levaria o braço direito a se posicionar a frente do corpo na altura do umbigo e trataria de avançar (caso o espadachim avança-se, ao ter tomando a iniciativa, seria no mesmo instante / Caso o espadachim não tivesse tomado a iniciativa – estaria eu a toma-la), utilizando-me de minha velocidade avantajada para reduzir rapidamente a distancia entre nós, ao chegar aproximadamente a 1,5m desferiria um golpe diagonal, este que trataria de um saque rápido cortando na diagonal ascendente da esquerda para direita.

1.1 Fim para esse caso

1.2 Caso ambos atacassem

Colocar-me-ia em posição. Com o pé direito à frente e o esquerdo um pouco para trás, com as pernas flexionadas para baixo e ficando sobre a ponta dos dedos, pronto para agir em velocidade para uma esquiva ou para apoiar firme no chão amortecendo um possível bloqueio. Sacaria minha Tetsuishi e com os braços estendidos a frente do corpo a seguraria com as duas mãos, na altura da cintura e com sua ponta voltada para cima. Ficaria firme e atento a aproximação, além de que estaria concentrado e tentando analisar os movimentos do adversário, para assim tentar compreender e assimilar os dados de sua velocidade e tempo de ação, através de minha capacidade de estimar a passagem do tempo com exatidão. Tentaria bloquear o primeiro ataque e logo utilizar-me-ia de meus conhecimento de luta de rua, para tentar chutar rapidamente o adversário para tentar não machuca-lo, mas sim afasta-lo, para poder-me me colocar novamente em posição e ter condições de bloquear um possível segundo ataque, caso houvesse.

Tentaria encontrar uma brecha para encaixar uma estocada rápida, esta na altura do abdômen. Logo voltaria a me colocar em posição defensiva. E a continuar a analisar a movimentação.

1.2 Fim para esse caso


Enquanto a luta estaria a acontecer, aguardaria a entrada da minha aliada e da mudança da maré na situação.

A luta seria acirrada e com certeza rápida, então ao menor sinal de hesitação ou de deslize de meu ou meus adversário, não deixaria a chance escapar e executaria minha técnica. – Ryūjin! -  Para tentar finalizar um deles rapidamente.

Mas não obtendo êxito, colocar-me-ia novamente em posição defensiva. Tentando esta pronto para bloquear um, ou mais, possível (eis) ataque(s), deslocando rapidamente a katana na direção do ataque do adversário e tentaria recuar rapidamente, voltando a me colocar em posição.  ... Estaria a evitar o combate? Estaria com medo? – Quem ligaria para o que estariam a achar. A analise estaria a continuar e esse era o melhor modo de descobri, para planejar o contra golpe final.


A conspiração de Dawn: Parte I
A praga de Malaquias



Narração / - Fala - / ~ Pensamento ~


HP: 120
SP: 62 - 17 = 45

Histórico:
 


Objetivos:
 


__________________________________________

Referência ->  GOUVEIA R. Shin, O caminho de Shura. Disponível em: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


“Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele.O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista por cima do medo.” Nelson Mandela


Off:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



Objetivos no jogo:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

“Afie suas presas, prepare suas garras e dilacere todos aqueles que ficarem em seu caminho! ... Ruja e amedronte seus inimigos, pois sois um dragão! Aquele que representa a liberdade!...”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Dragonmbr
Civil
Civil
Dragonmbr

Créditos : Zero
Warn : O Início da Jornada - Página 5 5010
Masculino Data de inscrição : 01/04/2013
Idade : 24
Localização : Casa da mãe joana

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptySeg 13 Mar 2017, 11:19

NARRAÇÃO




O jovem Shura podia sentir um forte cheiro de sangue, naquele lugar, um dos minkis, que tinha a forma de um felino, ainda jovem de aproximadamente 19 anos, estava agonizando olhando para a cabana, sua barriga tinha um furo de onde jorrava sangue, uma olhada era o suficiente para notar que o Minki estava alem da salvação, mas mesmo assim ele tentava engatinhar em direção a cabana, isso até que um dos homens que riam enfiasse uma espada nas costa do minki, que parou de mover após ter um curto espasmo, os dois homens idênticos aumentaram o tom da risada enquanto após isso.


Como um bom estrategista que é o jovem Shura foi rápido em formular um plano, embora a tenente não soubesse muito bem a utilidade da orelhas de gato ela concordou acenando com a cabeça, mas falou com o rosto um pouco vermelho-Se você contar para alguém que eu usei isso eu te mato!!!! - algo no tom de voz dela fez o jovem Shura pensar que ela não estava brincando, após falar isso ela se foi, foi fazer a parte dela no plano e agora só faltava o jovem Shura fazer a parte dele no plano.

Com uma atuação digna do Oscar(SQN) – Oi, oi, oi ... PESSOAL, O QUE HOUVE AQUI!? ... Desgraçados! ... Como ousam machucar meus camaradas!? ... Vão pagar por isso.... ambos os homens olharam desconfiados para o jovem “minki” era evidente que a atuação dele não era muito boa (manipulação 02 sem pericia não ajuda muito...) somente quando o “minki” falou – Qual dos dois quer ser o primeiro? ... Que tal vermos o que pode fazer com essa espada, seu bastardo! - que os homens mostraram uma reação, ambos olharam um para o outro e mostraram um sorriso tão malicioso que faria qualquer dama sair correndo com medo de ser violada.

O espadachim aceitou o pedido do “minki” e ficou na frente do boxeador, se aproximando do “Minki” com a armas em mão, em uma velocidade surpreendente o “minki” se aproximou do espadachim e sacou sua arma fazendo um corte em diagonal, o espadachim surpreendido com a velocidade do “Minki” não teve tempo de ergue sua espada para bloquear apenas deu um passo para trás tropeçando em seus próprios pés e caindo, por sorte a sua falta de agilidade que o fez cair salvou sua vida, fazendo a espada do “minki” apenas fazer um corte superficial em sua barriga, -Des-desgraçado...... o espadachim caído no chão falou, o medo era evidente em sua voz e em sua face, pois ele tinha acabado de encarar a morte e escapado por pura sorte( ou por capricho do narrador).

Graças a audição aguçada que o “Minki” tinha(afinal as orelhas grande não são só enfeite, são?) ele foi capas de ouvir passos se aproximando rápido por trás, por instinto ele foi capas de esquivar sua cabeça para direita um pouco, fazendo o soco passar furtivamente em sua cabeça, retirando de sua cabeça as orelhas de Minki e fazendo o jovem Shura sentir uma sensação de ardência na onde o soco tinha raspado, o lutador tinha se aproximado furtivamente do Jovem Shura enquanto lutava contra o espadachim, o espadachim e o boxeador ficaram surpresos quando as orelhas de minki caíram, gerando uma pequena hesitação, o Jovem Shura não perdeu tempo e ativou sua técnica, em uma aceleração impressionante ele avançou em direção ao boxeador, que conseguiu escapar da morte por pouco, mas mesmo assim tinha sofrido um corte feio na esquerda de seu corpo, sangue manchou o chão e a espada do Von Dracniar, antes que o mesmo pudesse continuar a atacar e dar o fim no boxeador o espadachim em um corte lateral feriu a barriga de Von Dracniar, fazendo um corte não muito profundo -Você não vai ferir meu irmão e sair impune!!!- o medo havia desaparecido do rosto do espadachim

Com essa pequena troca de golpes Von Dracniar notou algumas coisas, ambos oponentes eram irmãos(por isso eram parecidos, GENIO), eles estavam acostumado a lutar junto, para começar eles se posicionaram de modo que Von Dracniar ficasse no meio e sempre que ele atacava o que no lado oposto também atacava, observando o estado dos oponentes, o espadachim parecia bem, seu rosto apenas mostrava ódio, sem medo nem um, o boxeador não corria risco de vida, mas seu rosto apenas mostrava dor, ele ainda estaria em condições de lutar?. O estado de Von Dracniar ainda estava bem, o soco em sua cabeça ainda gerava uma sensação de queimadura, fazendo ficar desconfortável, a dor em sua barriga não impedia seus movimentos, embora doesse bastante quando Von Dracniar fazia uso de sua velocidade ou de acrobacias, Não havia sinais da tenente, mas graças ao ouvido aguçados do Jovem Shura ele ouviu algo vindo da casa, algo parecido com vidro se quebrando, os minkis mortos agora estavam sobre os pés dos combatentes, podendo atrapalhar na movimentação, ou talvez não já que Von Dracniar tinha bastante equilíbrio (acrobacia).



off: PF me manda uma MP, com os objetivos que voce ainda quer, qualquer duvida em meu post me mande MP, há e PF na próxima vez que usar a técnica, bota ela no post, tive que entra na sua ficha Okay .... acho que isso é tudo.


____________________________________________________

Link(s) da(s) Ficha(s):[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


tédio....:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Italo000
Membro
Membro
Italo000

Créditos : 12
Warn : O Início da Jornada - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 21/06/2013
Idade : 26

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptyTer 21 Mar 2017, 11:21


O Início da Jornada

“Cap. 23 - Vocês Estão Com Raiva?! ... Não!... Eu É Que Estou Com Raiva!”
Farei vocês sentirem a nossa fúria!

Algumas pessoas querem que algo aconteça, outras desejam que aconteça, outras fazem acontecer. Micheal Jordan

Minha atuação não era tão convincente, mas isso não era o importante no momento. Afinal de contas parecer ingênuo ou idiota as vezes pode gerar frutos bem interessantes, principalmente quando se esta encarando inimigos arrogantes que se superestimam demais. Toda a atuação amadora pode ou não ter surtido o efeito que estava esperando. Uma coisa ficou certa, consegui atrai toda a atenção dos dois cães de Malaquias/Jonas. ~ Agora estão concentrados apenas em mim! ... Embora eu não vá perder, não posso demorar contra esses dois ... Nagisa-san precisamos acabar com eles e partir para a cabana de Malaquias. ~ Minha maior preocupação não estava no caso de enfrentar esses dois, mas sim no tempo para encontrar-me com Malaquias na cabana dentro do bosque dentro do tempo que tínhamos acordado, 30 minutos, evitando que o mesmo suspeitasse ainda mais e acabasse fugindo. E no pior dos casos levando ou destruindo a cura (os remédios) para a doença que o mesmo espalhou, além de poder acabar com a vida de Faham e das mink’s que capturou, para abusa-las.

Esses desgraçados no caminho eram só um pequeno empecilho... Eles achavam que estavam com raiva? ... Mas não sabem da minha fúria! Primeiro Malaquias manda sequestradores atacarem Faham quando o mesmo visitou Frushin, o que poderia acabar resultando em um genocídio caso os moradores do vilarejo fosse tidos como culpados, o que arrastaria minha família e amigos para dentro desse cenário desastroso... só isso seria o bastante para estripa-lo vivo... Ainda por cima, acabou por espalhar uma mentira deslavada com relação a essa doença desgraçada, espalhada por ele levando a vida de muitas pessoas ao desespero e por fim levando jovens garotas minks para abusar delas... Esses cara não merece salvação e quem diga esses patifes que o ajudam!

Dor... O que seria essa dor que sentia diante de todo esse caos e desespero que poderia eclodir? ... A dor poderia ser excruciante, mas usar-me-ia de raiva para supera-la! – Você disse que não me deixara sair impune? ... Isso é realmente engraçado. – Mudaria minha feição facial, franziria as sobrancelhas e com olhos afiados, demonstraria uma face de raiva/fúria e um sorriso um tanto quanto sombrio. - ... Que não sairá impune pelos seus pecados, são vocês! ... Mas antes de confirmamos isso, veremos o que o destino lhes tem reservado! – Palavras agora não eram mais necessárias, era hora de prosseguir e findar com esse combate.

Posicionar-me-ia com minha katana em frente ao corpo segurada firmemente pelas duas mãos, flexionaria um pouco as pernas para baixo, ficando sobre a ponta dos dedos pronto para agir rapidamente a alguma movimentação e tentando manter os sentidos apurados, preparado para um possível ataque, que assim acontecendo, trataria de agir rapidamente movendo a katana, contra o ataque do oponente visando um possível bloqueio. No caso de um golpe vertical ou diagonal descendente, moveria a katana segura de modo que ficasse quase que horizontalmente (com uma pequena angulação para baixo do lado esquerdo) na altura acima de meus ombros, levando-a de encontro com a arma do adversário e logo em seguida dando um passo a frente no intuito de evitar que nossas armas perdessem o contato e, tomaria cuidado com a possível aproximação de seu irmão ou do punho livre do espadachim, que poderia utilizar para atacar, entretanto nesse meio tempo entre golpes poderia me surgir uma chance de um contra-ataque, esse que utilizando-me de minhas habilidades de luta de rua, para socar o adversário a frente ou chutar baixo em direção a virilha do adversário a frente ou do viesse por trás. ... Desleal ou não honrável para um samurai, sim... mas honra em um combate só serve para aqueles que merecem e esses dois desgraçados aqui, só merecem a morte! E das mais dolorosas!

Mas para o caso de um golpe vindo à horizontal vindo do meu lado direito, utilizaria a katana segurada de encontro ao ataque, moveria a mesma na diagonal com sua ponta virada para cima e em seguida dando um passo a frente no intuito de evitar que nossas armas perdessem o contato, para um contra-ataque. Caso o ataque viesse no sentido oposto, da esquerda para direita inverteria a mão de bloqueio, bloqueando com a katana segurada pela mão esquerda.

Seguiria com um golpe rápido, uma estocada frontal, caso nota-se que o mesmo tentaria dar um passo para trás a fim de esquivar-se, ou mesmo tenta-se medir forças comigo tentando empurra-me para trás.  Mas caso demonstra-se que se moveria lateralmente, não dar-lhe-ia tempo nem espaço para sair de meu alcance, desse modo daria um passo na mesma direção do adversário seguindo-o e já desferindo um contra-ataque, um corte diagonal descendente da direita para esquerda. Pois em tal situação possivelmente o desgraçado só teria uma escolha, recuar para trás ou um passo para o lado desviar e evitar o ataque, embora não poderia deixar de cogitar uma possível ação externa a nosso combate afinal ali seu irmão poderia vir novamente a intervir. Ambos os planos de contra-ataque visariam o abdômen do adversário.

Em seguida recuaria um ou dois passos, se possível, de modo a tentar ficar com os dois adversários em meu campo de visão. O ataque ou contra ataque poderia surpreender os inimigos ali presentes, mas com certeza eu não poderia ficar tão confiante assim. Logo trataria de voltar a colocar-me em uma postura sólida de defesa e a observar a situação como um todo. Posicionando as pernas um pouco afastadas uma da outra e de modo que ficassem paralelas, flexionando os joelhos um pouco para baixo e posicionando a katana frente ao corpo na altura da cintura, levemente inclinada com a ponta voltada para cima observando o oponente e ao redor, de modo a estar preparado para a possibilidade de um possível ataque.

Caso um deles viesse ao ataque, responderia avançando o pé esquerdo à frente, assumindo uma posição lateral e posicionando a katana para trás do outro lado do corpo para um contra-ataque. Assim, logo em seguida ao ataque, responderia com um giro do corpo ao avançar o pé direito num movimento de arco jogando todo o peso do corpo para frente e desferindo assim um corte forte na horizontal.

Caso o adversário se esquiva-se ou bloquear-se, me moveria para trás um pouco afastando-me para avaliar melhor a situação e tentaria novamente colocar todos os inimigos no meu campo de visão. Nagisa-san já deveria ter conseguido prosseguir e já deveria ter chegado ao campo de batalha ou estaria para chegar. Entretanto, manter-me-ia atento e claramente, não ira subestimar esses caras, então me colocaria em posição defensiva, com a katana segura um pouco acima do umbigo com a ponta virada para frente do corpo formando um ângulo de 15º, ficaria sobre a ponta dos dedos, pronto para me esquivar ou bloquear um futuro ataque.

A conspiração de Dawn: Parte I
A praga de Malaquias



Narração / - Fala - / ~ Pensamento ~


HP: 120
SP: 62 - 17 - 17 = 28

Histórico:
 


Objetivos:
 


__________________________________________

Referência ->  GOUVEIA R. Shin, O caminho de Shura. Disponível em: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


“Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele.O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista por cima do medo.” Nelson Mandela


Off:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



Objetivos no jogo:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

“Afie suas presas, prepare suas garras e dilacere todos aqueles que ficarem em seu caminho! ... Ruja e amedronte seus inimigos, pois sois um dragão! Aquele que representa a liberdade!...”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sasaki Kojiro
Estagiário Narrador
Estagiário Narrador
Sasaki Kojiro

Créditos : 6
Warn : O Início da Jornada - Página 5 9010
Masculino Data de inscrição : 13/01/2012
Idade : 25

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptySeg 03 Abr 2017, 00:00




Part XXIII - Two vs. Two

A feição de Istylian murada por completo, sua normal aparência dera lugar a traços hostis, demonstrando que sua ira finalmente vira a tona. Logo assumira uma posição formidável de combate, inclinando levemente seus joelhos em direção ao solo, distribuindo e apoiando o seu peso sobre as pontas dos dedos dos pés e colocando sua katana, mantida firmemente entre seus dedos das mãos, a frente de seu corpo. Os irmãos guarda-espadas de Malaquias/Jonas que cercavam o jovem Istylian mantinham olhares concentrados sobre seus movimentos, ambos por fazerem parte da guarda principal de Malaquias possuíam uma experiência combatente respeitável, independente do carácter que possuíam.
– Parece que alguém começou a levar a sério essa brincadeira, irmão. –Argumentou o Boxeador dirigindo-se ao seu irmão Espadachim que estava no outro extremo, que contestou em seguida. – Exato, mas não baixe sua guarda, pelo visto esse jovem carrega consigo um pouco de ódio. Os irmãos estavam posicionados de maneira que o jovem Istylian encontrava-se encurralado de norte a sul, leste a oeste. Sem contar os corpos dos Mink's que estavam espalhados pelo solo, deixando a situação para combate desfavorável e limitando de certa forma o movimento de ambas as partes, pois teriam que esquivar-se para não acabar pisando sobre os corpos.

O Boxeador, que se encontrava frente a Istylian fora o primeiro a movimentar-se, correndo rapidamente em direção ao jovem, pisando entre os espaços vazios no solo. Ao adentrar no raio de alcance do jovem, o Boxeador proferiu um soco veloz com seu punho destro, aparentemente o mais pesado, visando a região torácica de Istylian mas fora bloqueado pela lâmina da katana do mesmo. Que absorveu o golpe segurando com uma das mãos o cabo e com a outra o gume da espada. O impacto do golpe foi tremendo, onde submeteu o jovem a realizar dois passos paralelos para trás, buscando estabilidade. Neste momento o segundo ser em cena faz o seu movimento. O Espadachim, aproveitando a aproximação de Istylian e sua instabilidade momentânea, realizou um avanço ingênuo com sua guarda baixa, visando perfurar a dorsal exposta do jovem mas fora surpreendido pela agilidade de Istylian, que girando em seu próprio eixo, realizou um corte horizontal onde teve destino a região do glúteo médio do Espadachim, que perdera sua base de postura e caíra de joelhos contra o solo. – Logo eu, que avisara para não baixar a guarda, fui pegue ingenuamente. –Argumentaria o Espadachim, tratando de colocar-se de pé sem muitas dificuldades, pois o golpe a pesar de imprevisto, fora por sorte superficial. Com guarda e postura restabelecida, retornaria com os dizeres. – Você acaba de subir um nível no meu conceito, garoto. Tanto que lhe fornecerei meu nome; me chamo Pedro; e você, como se denomina? Neste momento o Boxeador, que agora estava ao lado de seu irmão Pedro, falaria com tom de irritação. – Que subiu no seu conceito o que, ele é apenas um verme irmão, um verme! Trate de se recompor e deixe que eu o massacrarei! – Falaria o Boxeador já indo em direção á Istylian para uma segunda ofensiva.

Neste momento o clima mudara. Em questão de segundos algo surgira dentre a escuridão. Era Nagisa, que manuseando levemente sua espada, realizara uma ofensiva visando atingir a região jugular do Boxeador, que seria pego sem misericórdia. Mas fora salvo pelos reflexos e a firme lâmina de Pedro, que prevendo antes de todos os presentes a aproximação da Tenente, ergueu sua katana com seu braço esquerdo, que ficou milimetricamente próxima a jugular de seu irmão. O contato de ambas as espadas gerou um som distinto e pequenas faíscas poderiam ser vistas bailando no ar. Neste momento Nagisa recolheu sua espada e encaminhou-se rapidamente para o lado de Istylian. A empreitada falhara mas agora seria uma luta dignamente justa, onde cada um veria-se lado a lado com seu companheiro e teria o seu próprio adversário á sua frente. – Perdão, não fui capaz de realizar o combinado. –Falaria Nagisa dirigindo uma mirada desapontada em direção a Istylian. Mas de imediato mudara seus traços faciais e fixando seu olhar nos adversários á sua frente encerraria o diálogo com a seguinte frase: – Mas será bem mais excitante derrotar estes canalhas frente a frente, você não acha!?



Off:
 


____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Italo000
Membro
Membro
Italo000

Créditos : 12
Warn : O Início da Jornada - Página 5 10010
Masculino Data de inscrição : 21/06/2013
Idade : 26

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptySab 08 Abr 2017, 14:10


O Início da Jornada

“Cap. 24 - Os Passos Até Esse Momento?!”
O caminho até aqui!

Não ande apenas pelo caminho traçado, pois ele conduz somente até onde os outros foram. Alexander Graham

Nosso plano inicial tinha falhado. E algumas coisas passavam por minha cabeça... conheci pessoas que confiaram e depositaram sua fé em mim, pessoas que sofrem devido a um lunático que apenas quer ver destruição e se aproveitar. Quanto tempo passou desde que sai de casa?

Flashback

Foi ontem pela manhã que provei a minha última refeição em casa. Tia Ilhya preparou o café e me desejou uma boa jornada, meu tio já avia saído para seu trabalho na guarnição da vila. Morando aos arredores da vila, dei uma pequena caminhada até chegar à vila onde cresci. Pude notar um ar diferente na vila, as pessoas estavam agindo estranho, embora tivesse notado não liguei e adentrei a pequena loja de armas, que ali havia avistado, lá comprei minha primeira katana. O vendedor também estava agindo estranho e quando sai do estabelecimento pude notar o porque, o regente de Porto Branco havia adentrado a vila com seus guardas. Não tardou para algo acontecer, um bêbado insultou o nobre, que não tardou e sacou sua arma e matou sem nenhum remoço o pobre homem. Em resposta as pessoas se agitaram e dentre elas, um homem armado com uma espada e uma pistola, avançava contra o Faham. Fui o único a perceber e ali estava eu em um dilema, proteger o nobre ou deixar o homem ter sua vingança? ... Se Faham fosse ferido ou morto ali, os nobre poderiam simplesmente condenar toda a vila a morte, afinal eles são nobre e possuem o aval do governo.

Sem tarda, coloquei-me a deter o homem. Por sorte, consegui para-lo e Samul-san o salvou de ser executado pelos guardas, também controlando a comoção que quase se instaura. Por fim acabei recebendo o convite do nobre para acompanha-lo até Porto Branco, como esse era o meu próximo passo na minha aventura aceitei o convite. Porém logo após de sairmos da vila, fomos atacados por um grupo de pessoas, essas que facilmente mataram os guardas de Faham. O grupo queria sequestrar Faham, coloquei-me a lutar contra o grupo e esperava que Faham pudesse me ajudar, mas isso era apenas uma falsa esperança afinal Faham é como a maioria dos nobres (cagões medrosos), falei para Faham fugir caso não estivesse disposto a lutar e o mesmo não tardou para tomar essa atitude. Fique a lutar contra um grupo, matei alguns e acabei ferido, mas para minha surpresa o líder do grupo decidiu me ignorar e rumar com o grupo atrás de Faham.

Por sorte não estava muito longe de Frushin e pude me encontrar com uma pessoa, essa que me levou até Samul Dindi, que me tratou. Ao explicar a Samul a situação, decidiu me ajudar e rumamos para Porto Branco para encontrar um amigo de confiança de Samul, com quem poderíamos contar para resolver o problema que poderia cair sobre a vila, levando-a a uma completa destruição caso os nobres culpassem as pessoas da vila.

No caminho até a cidade encontramos um sujeito suspeito que era um enviado de um tal Malaquias, esse veio entregar uma mensagem do sujeito citado, mandando que não nos envolvêssemos ou acabaríamos morrendo. Nos, claro, recusamos recuar e o mesmo ao ouvir nossa resposta sumiu entre a floresta. No caminho Samul contou que Malaquias:-  Influência? Nenhuma… Ao mesmo tempo muita… Se ele esta interessado nesse caso então tudo pode ser mais complexo do que imagino… talvez a confusão contra os minks na outra cidade seja parte disso, talvez até o surto de doenças e a aparição do religioso recentemente… Malaquias é um homem cercado de pessoas de todo tipo, todos esses lhe devem favores ou fazem favores a ele, ele pode movimentar toneladas de materiais ilícitos com aprovação de pessoas do governo ou pedir a morte de alguém para os mendigos famintos da rua, lidando com ele é melhor estar atento para não levar uma facada das costas de seu próprio irmão, ele é um homenzinho asqueroso que sabe extrair o pior de cada um. -

Ao chegarmos na cidade, Samul notou que estávamos sendo seguidos. Nos separamos e acabei entrando numa taberna: “Taberna Nyan: Maid Café.”. As garçonetes eram todas mink’s muito bonitas, o bar estava vazio (sem clientes- apenas eu), mas tinha um homem que estava sentado num canto observando, esse era o segurança do bar Henrid. Acabei conhecendo as garotas, todas muito gentis e com Henrid, tive algumas problemas simples (ele suspeitava que Jonas/Malaquias havia me mandado). Quando falei que era de Frushin e pedi que me explicassem a situação Henrid contou sobre a doença que estava se espalhando por Porto Branco, uma doença rara que apenas os humanos estavam pegando e que um homem surgiu dizendo ser um chamam, este que disse que a culpa era dos mink e que ele poderia curar as pessoas, mas para isso precisaria macular jovens mink’s virgens.

Esse doente é um homem chamado Jonas, que era nada menos que Malaquias usando um codinome. Isso me enfureceu ainda mais, esse sujeito estava por traz de muita coisa. Dawn Island poderia se tornar um mar de sangue a qualquer instante devido a esse lunático, eu já tinha me decido antes em dar um basta nesse cara e depois de descobrir mais essa barbaridade, a morte seria uma punição leve.

Alguns instantes depois um grupo de pessoas podia ser vistas se aproximando da taberna com uma aura opressora, pareciam aldeões caçando bruxas. Henrid logo se levantou e as jovens se amedrontaram. Aquelas pessoas se aproximando estavam ali para sequestrar as garotas para leva-las até esse Jonas. Henrid saiu para lutar, enquanto me disse para me manter dentro da taberna. Logo ele estava a lutar contra muitas pessoas sozinho, ele logo seria sobrepujado e ao ver as garotas com medo, eu não poderia deixar de fazer algo, afinal todos me trataram tão bem e sem falar que nada daquilo era culpa deles... era apenas culpa daquele cara, Malaquias/Jonas!

Sai para lutar com Henrid e foi ali que conheci, Kazou um samurai honrado contra quem lutei e descobri, que Malaquias prometeu a cura para sua filha e para os filhos dos aldeões ali, se eles levassem mink’s fêmeas para ele. Kazuo também estava doente, mesmo assim ainda conseguia se manter de pé e lutar com muita habilidade e força, ele engoliu o orgulho e sua honra para salvar sua filha. Ele tinha coisas por que lutar, mas eu também, não podia deixar que levassem as garotas e nem o desgraçado do Malaquias as tê-las. Lutei até encontrar uma saída, consegui derrotar Kazuo e o mesmo me pediu para mata-lo, porem me recusei a mata-lo... ao invés de fazer um homem como ele morrer decidi ajuda-lo, mas não lhe entregaria as mink’s. Lhe dei minha palavra que salvaria a todos e resolveria tudo por trás da doença se confiasse em mim, o mesmo decidiu confiar em mim e acabou por me confiar sua katana, além do colar com o nome de sua filha.

Kazuo logo ordenou todas as pessoas a pararem e todos os ouviram, ele era alguém que todos que vieram com ele respeitavam. Logo formei um plano rápido, pedi ajuda a todos ali e logo nos reunirmos na taberna. Kazuo e os aldeões que com ele estavam, ordenei agrupar os doentes em um único local, um salão próximo à taberna, e tentar amenizar os sintomas, enquanto eu daria cabo de encontrar a cura (remédio). Kazuo me deu um den den mushi, esse que seria utilizado para se comunicar com Jonas para saber a localização para levar as mink’s.

As garotas mink’s e Henrid, pedi que reunisse alguns mink’s que tiveram suas filhas, mulheres, namoradas levadas e queriam salvá-las ou proteger sua família. Eles deveriam se reunir na taberna, enquanto as garotas deveriam ir para um local seguro. Pedi as garotas algumas orelhas de gato falsas também.

Com tudo pronto, cada um deu seguimento com sua parte. Eu tinha que me encontrar com Samul no ponto de encontro. Ao chegar lá a casa estava aberta, ao adentrar pude ver muito sangue espalhado por todos os lados (parede, chão, teto), mais adentro o corpo de Samul esta no chão ensanguentado. Não tardei e corri até ele e pude verificar que ele ainda estava vivo, ele estava apenas inconsciente. Nessa sala onde o corpo de Dindi se encontrava havia muito mais sangue e uma porta aberta, que dava para um bosque. Logo depois de repara no bosque o den den mushi, que me foi dado por Kazuo, tocou. Ao atender era Malaquias/Jonas perguntando sobre as garotas mink’s, fiquei calado por um tempo até fomentar um plano simples. Ele não sabia quem estaria por trás do den den mushi, logo criei uma pequena mentira. - Olá! ... Preciso de mais duas horas, para conseguir levar as mink’s para o local do encontro? ... Você não foi único que encontrou problemas hoje.  .... Infelizmente, o Kazuo foi ferido e devido à doença não poderá levar as mink’s e é por isso que preciso de um tempo. ... Lhe entregarei as mink’s que tanto quer pela cura, Jonas.  –

- DUAS HORAS? Você acha que sou um idiota? Você tem meia hora, e as traga até o bosque, deve ser fácil achar nossa cabana. Lembre-se MEIA HORA ! ...  KAZUO FERIDO? IMPOSSÍVEL, EU TENHO CERTEZA QUE ELE NÃO IRIA SE FERIR COM A DOENÇA! QUEM ESTÁ AI?-

O desgraçado suspeitou que Kazuo não cairia devido a doença, isso é um fato afinal tive muito trabalho para derrota-lo doente, imagine se estivesse saudável. Ele iria continuar com suas perguntas e isso poderia não ser bom, por sorte uma mulher apareceu pela porta, essa era a tenente da marinha Nagisa. Ela se apresentou e me perguntou: - Quem é você, oque faz aqui?-   Me responda ! Estou ordenando como Tenente da marinha, Nagisa Moon ! Me diga quem é você e o oque faz aqui com Samul!- -

Não podia falar a verdade, então escrevi com sangue no chão que eu estava ali falando pelo den den mushi com Malaquias/Jonas e que eu era o amigo de Samul, que lhe acompanhou até Porto Branco. Ela consentiu com a cabeça e eu logo utilizei essa chance. - Droga a marinha! ... Já não bastava aquele moleque que derrotou o Kazuo-san, agora tem uma tenente! ... Jonas cumpriremos com nossa parte do acordo! –

Com isso desliguei o den den mushi, peguei Samul Dindi em meus braços e chamei a tenente Nagisa para me seguir. Tinha que levar Samul até o salão onde Kazuo e sua esposa Rossibelle estavam com o resto dos aldeões e os doentes, para deixar Samul com eles. Afinal com o conhecimento de ervas e a sabedoria do bom senhor, ele poderia ajudar a amenizar os sintomas ou quem sabe até descobrir que doença (envenenamento) era aquele. No caminho expliquei a tenente Nagisa tudo. - Muita coisa esta acontecendo no momento. Faham foi sequestrado por Malaquias, esse cara também usa um outro nome que é Jonas, ele esta por trás de um surto de doenças que ataca apenas pessoas humanas e espalhou que a culpa e dos mink’s. ... Porém ele fala que possui a cura, mais para isso precisa de jovens mink’s fêmeas onde precisa macula-las para conceber a cura as pessoas! ... Pode acreditar nisso, antes na chamada ele falou que estava com o remédio... Isso prova que é tudo culpa dele. Foi por isso que vim com Samul até aqui encontrar seu amigo, que nos ajudaria a resolver tudo e dar um fim a esse lunático do Malaquias! ... Se possível gostaria de contar com sua ajuda tenente. –

Logo depois de deixar Samul com Kazuo, Nagisa e eu partimos para a taberna. Quando lá chegamos, pudemos notar antes de adentrar a taberna, que algo estava errado. Ao olharmos pela porta reparamos em dois homens de pé sorrindo com sangue nas mãos, enquanto no chão havia vários corpos de mink’s. Um dos homens falou. - HAHAHAHA veja mano, eles desafiaram Jonas-sama e não aguentaram as consequências HAHAHA- -

Pedi a Nagisa que coloca-se um par de orelhas de gato para parecermos mink’s, para que pudéssemos esconder nossas identidades. Embora, Malaquias saiba quem é Samul, ele não sabe nem conhece Istylian, mas deve ter minhas características já que o mensageiro enviado por ele me viu, porém ele ainda não sabe o meu nome.

Colocamos cada um, um par das orelhas de gato. Contei a Nagisa que havia uma porta dos fundos e algumas janelas que ela poderia adentrar sem que eles percebessem, enquanto eu iria os distrair. Gostaria de acabar com eles rapidamente enquanto eu os distrairia, Nagisa entraria por trás e furtivamente acabaria com eles.

Seguindo com o plano, Nagisa contornou a taberna por fora. Enquanto isso eu adentrei pela porta da frente fingindo não ter visto nada. Logo discuti um pouco com os gêmeos e já partimos para a batalha.

No embate acabei ferindo os gêmeos, atingi o espadachim com um corte superficial no abdômen e o boxeador com um corte profundo e feio no lado esquerdo do seu corpo. Entretanto não sai ileso, fui atingido pela espada do adversário no abdômen, por sorte foi apenas um corte superficial.

Fim do Flashback

Embora o tempo fosse curto e tivéssemos coisas importantes que dependiam de nós, não podia discordar da tenente Nagisa. – Tenho que admitir, será bem mais punitivo! ... Ei você perguntou quem sou?  - Daria uma breve pausa, enquanto dirigira um olhar determinado ao meu inimigo. - ... Sou só um simples espadachim por enquanto. ... Mas um dia me tornarei o mais poderoso espadachim! ... Sinto muito por vocês seguirem um cara como Jonas, ou melhor, Malaquias, por tudo que fizeram vocês vão pagar! – Ainda encarando o tal de Pedro nos olhos, continuaria a falar. – Escute bem o meu nome! ... Istylian, Istylian Von Dracnier! –

Convencido? Será? ... Esses caras sequer mereciam saber quem sou, mas agora não importa mais saberem ou não que sou. Esses sujeitos são os guardas pessoais de Malaquias e estavam aqui, o que significa que o desgraçado esta com suas força de defesa muito mais fracas! ... Derrotar esses dois seria algo que abalaria a fundação de Malaquias, sem contar que o mesmo ainda esta a esperar na cabana na floresta pelas mink’s, que acredita que o um homem no lugar de Kazuo ira leva-las... pena que não espera que esse cara seja eu. Malaquias você esta apenas a alguns passos de ver e sentir na pele o que tanto gosta! E serie eu aquele que ira fazê-lo sentir o circo pegar fogo na sua pele!


~ Não faz tanto tempo desde que sai de casa e agora estou nessa jornada. ... O mundo é grande e os acontecimentos que vivenciar serão uma grande experiência, além de que esse é apenas o primeiro degrau rumo a minha ambição! ~

Olharia rapidamente para Nagisa e com um pequeno sorriso e olhos afiados. – Está bem empolgada, não? ... Mas tenho que concorda, será bem mais interessante assim! – Colocar-me-ia ao lado de Nagisa e posicionar-me-ia com a katana segura um pouco acima do umbigo com a ponta virada para frente do corpo formando um ângulo de 15º, ficaria sobre a ponta dos dedos, pronto para me esquivar ou bloquear um futuro ataque.

A conspiração de Dawn: Parte I
A praga de Malaquias



Narração / - Fala - / ~ Pensamento ~


HP: 120
SP: 62 - 17 - 17 = 28

Histórico:
 


Objetivos:
 


__________________________________________

Referência ->  GOUVEIA R. Shin, O caminho de Shura. Disponível em: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


“Eu aprendi que a coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele.O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista por cima do medo.” Nelson Mandela


Off:
 


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]



[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]



Objetivos no jogo:
 



[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

“Afie suas presas, prepare suas garras e dilacere todos aqueles que ficarem em seu caminho! ... Ruja e amedronte seus inimigos, pois sois um dragão! Aquele que representa a liberdade!...”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sasaki Kojiro
Estagiário Narrador
Estagiário Narrador
Sasaki Kojiro

Créditos : 6
Warn : O Início da Jornada - Página 5 9010
Masculino Data de inscrição : 13/01/2012
Idade : 25

O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 EmptyQua 03 Maio 2017, 12:35




Part XXIV - Informações necessárias

Malaquias ou Jonas, o chame como quiser. Se tornou famoso pelos seus pequenos feitos e por obter ligações importantes com chefes do submundo, incluindo contatos dentro do governo mundial. Dono de uma fisionomia diferenciada, medindo em torno de 182cm, é recordado por sua grande barriga que foge dos padrões de seu corpo. Malaquias herdou uma personalidade maligna onde não é adepto de bons modos e despreza as regras e padrões estabelecidos pelo governo. Nunca agiu/age sem premeditações, e jamais teve seu nome envolvido em grandes tragédias a pesar da certeza de envolvimento. Sua fama é ressaltada também pela facilidade que tem de conseguir soldados fieis aos seus comandos e pela alta recompensa que fornece aos seus empregados para que mantenham sigilo, até hoje não havendo indícios de traições. Sempre agiu por meio de terceiros, conduzindo-os com maestria para obter sucesso em seus planos maléficos. Carrega um fetiche totalmente obscuro, que até os mais fieis ao seu comando se veem desconcertados ao presenciar; o seu desejo incessável por obter prazer sexuais com jovens Mink's, priorizando o seu estado virgem.

Em seu comando há o destaque para a presença de dois seres com habilidades invejáveis, responsáveis pela guarda pessoal de Malaquias, seus nomes são Pedro e Bartho. Ambos, irmãos gêmeos de origem desconhecida foram resgatados de um orfanato por Malaquias quando ainda eram criança. Pedro, dono de uma personalidade fria mas cortês, é respeitado no submundo por possuir habilidades no manejo de espadas e acabou tornando-se um temido samurai em sua maturidade, famoso por degolar a cabeça de seus adversários e conservar seus crânios. Já Bartho, é dono de uma personalidade similar a de Malaquias talvez pelo intenso convívio e o apreço que possui pelo mesmo, acabara então herdando suas características. O rapaz, que cedo despertara peculiaridades com as mãos, seguira o que seria uma promissora carreira de boxeador mas foi proibido de subir nos ringues novamente após ter assassinado 3 jovens pugilistas em seus momentos constantes de fúria. Crimes que foram facilmente acobertados pela influência de Malaquias. Desde então passou a dedicar sua vida em proteger a integridade de seu ''pai''. O tratamento dos irmãos para com Malaquias vai muito além do dinheiro e do respeito, ambos veem nele a imagem paternal que não tiveram em seus nascimentos e estariam dispostos em fornecer suas vidas para protege-lo.

Em um lapso de momento Istylian relembra de fatos importantes que viveu nos dias antecedentes. Alguns dos fatos traziam informações necessárias sobre o local onde se concretizava o combate atual.

Flashback

Istylian, ao chegar na taberna juntamente com Nagisa, percebeu que algo estava bem errado antes mesmo de adentrar no local onde havia combinado a reunião com os Mink's moradores da cidade. A porta principal estava arrombada, e dentro do local era possível encontrar mesas, cadeiras e estantes totalmente quebradas. Um pouco mais internamente alguns Mink's surgiam isolados no solo, desfalecidos, alguns ensanguentados, outros sem seus membros implorando por auxílio; aquela era uma visão catastrófica. Em meio a todo o tumulto Istylian notou a presença de dois seres cuja identidade era desconhecida, onde um deles se divertia golpeando a face de um cidadão Mink que já havia perdido a consciência. – HAHAHAHA veja mano, eles desafiaram Jonas-sama e não aguentaram as consequências HAHAHA –Debochava enquanto lastimava o pobre ser. Antes de que percebessem a chegada de Istylian e Nagisa, o jovem sugeriu que a tenente usasse uma espécie de orelhas-de-gato falsas para tentar ingressar no local sem alardes. Em sequencia arquitetou um plano e orientou que Nagisa desse a volta na taberna buscando adentrar o local pela parte inferior, onde teria como tarefa surpreender a dupla de assassinos com um ataque.

Restou a Istylian manifestar-se para atrair a atenção da dupla e neste momento uma batalha sem diálogo precedente foi iniciada. Em combate o jovem Istylian foi atingido superficialmente em seu abdômen por Pedro, ainda podendo manter-se com sua base precisa. Já o adversário recebeu um golpe similar, também superficial. Bartho que atacou precipitadamente, não teve a mesma sorte que seu irmão e tive o seu deltoide esquerdo marcado por um corte grave, mas permaneceu em batalha com algumas pequenas queixas de dor.

Reconhecendo as habilidades de Istylian, Pedro e Bartho resolveram cercar o jovem para que pudessem fazer uma investida precisa sobre ele. Bartho fora o primeiro a avançar e nesta empreitada teve seu golpe bloqueado pela katana do jovem, que foi empurrado e se viu obrigado a dar dois passos para trás pela força do impacto, buscando retomar sua base. Neste momento Pedro, que encontrava-se na parte traseira de Istylian, avançou ingenuamente contra o jovem rapaz para aplicar um golpe descendente com sua espada, mas Istylian, prevendo a aproximação do samurai, conseguiu girar em seu próprio eixo e efetuar um corte superficial na região do glúteo superior de Pedro que ficou impressionado com as habilidades do rapaz.

Ambos ficaram animados com o combate e resolveram leva-lo a sério. Pedro e Bartho estavam preparados para realizar uma nova investida contra Istylian mas no momento em que Bartho caminhava a passos rápidos em direção ao jovem para efetuar um golpe, Nagisa aparece dentre a escuridão e realiza um movimento veloz e preciso com sua katana, visando rasgar a região jugular do boxeador mas fora interceptada pela katana de Pedro, que reagiu instantaneamente com seriedade, demonstrando um pouco de sua verdadeira habilidade. Nagisa, frustrada pela falha na ofensiva, buscou o chão e caminhou para próximo de Istylian. E assim permaneceram, um ao lado do outro com suas bases firmes tendo a sua frente seus adversários.

Fim do Flashback

Após revelar sua identidade, Pedro fez uma pergunta ao jovem Istylian buscando saber seu nome e o jovem respondeu encarando-o: – ... Sou só um simples espadachim por enquanto. ... Mas um dia me tornarei o mais poderoso espadachim! ... Sinto muito por vocês seguirem um cara como Jonas, ou melhor, Malaquias, por tudo que fizeram vocês vão pagar! Escute bem o meu nome! ... Istylian, Istylian Von Dracnier! –Terminaria o diálogo fixando o olhar em Pedro.

O espadachim, surpreendido com as palavras do jovem Istylian, respondeu de imediato: – Istylian Von Dracnier? Que nome interessante meu jovem! Talvez eu já tenha ouvido falar sobre esse sobre-nome, ou não. Aparentemente você se orgulha bastante dele, não é verdade? Mas darei-lhe um sábio conselho, gratuitamente. Não apegue-se a este detalhe. Não se esforce para ser alguém de grande valor apenas para trazer orgulho a sua família! Faça para si mesmo. Pense unicamente em você pois a vida é um jogo solitário onde mesmo os mais próximos um dia partem. Ouviu bem? –Fez uma breve pausa para observar o modo que o jovem empunhava sua katana e retornou com os dizeres: – Então você deseja tornar-se o melhor espadachim do mundo? Estou começando a gostar de você, Istylian! Admiro pessoas que sonham além da caixa mas você esta ciente de que essa será uma tarefa árdua, certo? E que para isso você terá que passar por desafios inimagináveis, sem contar o número de coisas que você deverá descartar da sua vida para cumprir este objetivo. Ou você acha que o atual melhor do mundo tem em volta sua família, amigos ou esposas? Se você pensa dessa maneira meu jovem lamento lhe informar mas está profundamente enganado e essa não é uma vida para você, portanto pense bem antes de prometer tal coisa em voz alta. A medida em que Pedro aprofundava-se em suas palavras, seu olhar tornava-se sem brilho e o seu tom de voz aumentava gradativamente, chegando a soar agressivo. Bartho constatou que os nervos de seu irmão afloravam e tratou de tranquiliza-lo colocando sua mão direita sobre o ombro de Pedro. – Irmão, tenha calma. A feição de Bartho era outra, suas risadas maníacas deram espaço a um rosto fechado com aspecto de preocupação e insegurança.

Nagisa foi rápida na interpretação da cena que estava vendo e aproximando seu rosto ao rosto de Istylian, murmurou no ouvido do jovem sem desviar seu olhar atento dos adversários: – Notou a preocupação dele? Suas palavras afetaram de alguma forma o espadachim, podemos tirar um bom proveito disso. Nagisa distanciou seu rosto de Istylian, retomou sua base e chamou a atenção dos irmãos para fazer um breve pronunciamento. – Ei, você, espadachim. Você mesmo! Notei em suas palavras uma leve amargura de frustração. Por acaso você falhou na tentativa de ser o melhor espadachim vivo? Tenha quase certeza disso, o que me diz, Istylian? Essas palavras ditas por Nagisa entraram desconfortavelmente nos ouvidos de Pedro e o fez não conseguir conter os ânimos. – Eu vou te matar. – Falou em voz alta correndo em direção a Nagisa com sua katana empunhada.



Pedro e Bartho:
 

Planta da Taberna:
 

Off:
 


____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




O Início da Jornada - Página 5 Empty
MensagemAssunto: Re: O Início da Jornada   O Início da Jornada - Página 5 Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O Início da Jornada
Voltar ao Topo 
Página 5 de 5Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: East Blue :: Dawn Island-
Ir para: