One Piece RPG
Garras da Liberdade XwqZD3u


One Piece RPG : A GRANDE ERA DOS PIRATAS
 
InícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» Cap IX ~ Esperança ~
Garras da Liberdade Emptypor Kenshin Himura Hoje à(s) 16:34

» A Ascensão da Justiça!
Garras da Liberdade Emptypor K1NG Hoje à(s) 16:27

» Ato 157: Se eu quisesse tua opinião, Eu tirava na Porrada
Garras da Liberdade Emptypor K1NG Hoje à(s) 15:56

» Art. 4 - Rejected by the heavens
Garras da Liberdade Emptypor Ryoma Hoje à(s) 15:02

» The Hero Rises!
Garras da Liberdade Emptypor Achiles Hoje à(s) 14:36

» Pandamonio, Vol 1 - Rumo à Grand Line!
Garras da Liberdade Emptypor xRaja Hoje à(s) 14:35

» Vol 1 - The Soul's Desires
Garras da Liberdade Emptypor Arthur Infamus Hoje à(s) 13:42

» Meu nome é Mike Brigss
Garras da Liberdade Emptypor Shiro Hoje à(s) 13:41

» Carregada de Culpa / Amanhecer em Prata
Garras da Liberdade Emptypor Veruir Hoje à(s) 13:34

» Um novo recruta: o nome dele é Jack!
Garras da Liberdade Emptypor Arrepiado Hoje à(s) 13:09

» [Mini - Aventura] O Imparável Junichi
Garras da Liberdade Emptypor GM.Jinne Hoje à(s) 10:01

» [MINI-XICO] The midnight dawn
Garras da Liberdade Emptypor GM.Jinne Hoje à(s) 10:00

» [MINI-Thop] Onde ?
Garras da Liberdade Emptypor GM.Jinne Hoje à(s) 10:00

» A primeira conquista
Garras da Liberdade Emptypor Rangi Hoje à(s) 05:10

» Bitch Better Have My Money
Garras da Liberdade Emptypor Kylo Hoje à(s) 03:54

» Pequeno Gigante
Garras da Liberdade Emptypor Teo Hoje à(s) 00:53

» VIII - The Unforgiven
Garras da Liberdade Emptypor GM.Alipheese Ontem à(s) 23:41

» [MINI-*Kan Kin*] *Uma vida de merda*
Garras da Liberdade Emptypor Shideras Ontem à(s) 23:25

» [MINI-Koji] Anjo caído
Garras da Liberdade Emptypor Makei Ontem à(s) 22:53

» [M.E.P] Koji
Garras da Liberdade Emptypor Makei Ontem à(s) 22:52



------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG
Naruto RPG: Mundo Shinobi
Conheça o Fórum NSSantuário RPG
Erilea RegionRPG V Portugal
The Blood OlympusPercy Jackson RPG BR
A Song of Ice and FireSolo Leveling RPG
Veritaserum RPGPeace Sign RPG
Pokémon Adventure RPG

------------

:: Topsites Zonkos - [Zks] ::


 

 Garras da Liberdade

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte
AutorMensagem
ADM.Tidus
Duque Azul
Duque Azul
ADM.Tidus

Créditos : 65
Warn : Garras da Liberdade 10010
Masculino Data de inscrição : 10/06/2011
Idade : 27
Localização : 1ª Rota - Karakui

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptyQui 14 Jan 2016, 18:06

Garras da Liberdade

Aqui ocorrerá a aventura do(a) civil Mihos. A qual não possui narrador definido.


____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

Olá Convidado, seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.] | [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ran
Civil
Civil
Ran

Créditos : Zero
Warn : Garras da Liberdade 4010
Masculino Data de inscrição : 15/07/2012
Idade : 24

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptyQui 21 Jan 2016, 16:35

Faminto. Mihos estava faminto. Não limitando-se a apenas um sentido da palavra, sua fome era diversificada. Embora, talvez sua fome de comida fosse a maior, já que não havia comido nada desde o dia que fugiu do seu cativeiro. Só de lembrar-se ele ficava com água na boca, afinal fora a melhor refeição de toda sua vida, não que tivesse tido muitas. Já que até então o único objetivo da sua vida era lutar para comer e assim continuar vivo e continuar lutando para comer e sobreviver. Era um ciclo interminável aonde apenas essas três palavras existiam: lutar, comer e sobreviver.

O Mink aprendera tão bem que lutando conseguira sua liberdade, embora tenha tido uma pequena ajuda de um garoto que logo depois tornou-se sua primeira vitima, e em seguida pôde comer como nunca. Agora ele tentava sobreviver. Corria e corria em meio à floresta, tentando ir para o mais longe possível da ilha que por muitos anos foi seu “lar”. Um lar que se resumia a uma jaula de 4 metros quadrados, com o maior desconforto possível. Os únicos momentos em que saia da jaula era quando era obrigado a ir para a arena, lutar pela vida e por comida. Viver era sinônimo de comer, pois a refeição sempre era seu adversário, outro Mink. Entretanto, as lutas não aconteciam todos os dias, no máximo uma vez por semana. Assim os humanoides ficavam mais famintos e ferozes para o espetáculo.


E isso tudo explicava sua outra fome, fome de vingança. Não dos humanos que o manteve em cativeiro e o forçou a matar seus semelhantes. Não, esses já tiveram o que mereciam e foram digeridos há muito tempo. Sua vingança era contra todos os humanos fracos e nojentos que existiam no mundo. Ah, ele tinha ciência de que eles são numerosos e isso apenas o deixava mais feliz. Afinal, seria mais comida, não?  Não tome Mihos por idiota apenas por não saber que não poderia lutar com todos os humanos, já que muitos deles são mais fortes que ele e precisaria de apenas um grupo para matá-lo, afinal ele passara toda sua curta vida dentro de uma jaula. O que poderia conhecer do mundo dessa forma?

De uma coisa ele sabia, naquela florestava existia um lugar aonde outros Minks viviam. A maioria dos que eram levados para lutar vinham daquela floresta. Não lembrava-se muito bem de como descobriu isso, talvez de um guarda? Ou outro Mink durante a luta? Lá seria um local seguro aonde poderia se fortalecer e começar sua vingança contra os humanos. Isso, se eles não fossem amigos dos humanos. Pois se fosse dessa forma não passaria mais de um minuto no local.

Entretanto, seu objetivo maior naquele momento era comida. Um animal qualquer ou quem sabe um humano? Ah sim, ele adoraria encontrar um humano naquele momento. Sozinho ou até perdido na florestava? Qual conveniente seria. Seria tão difícil assim? Eles não são numerosos e estão e toda parte?



Objetivos iniciais:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jugram
Civil
Civil
Jugram

Créditos : Zero
Warn : Garras da Liberdade 4010
Data de inscrição : 24/07/2015

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptyQui 21 Jan 2016, 17:33

Um leão de pelagem clara corria pela floresta. O vento batia em seu corpo, fazendo seus pelos se movimentarem para a direção oposta a que ele estava indo, alguns até voando para longe. A luz do sol entrava por entre as folhas das árvores, muito grandes por sinal, indicando que ainda era dia, mas não dava para se saber especificamente o horário. Só se sabia que o céu estava azul e aparentemente com poucas nuvens.

O leão estava com fome. Sentia seu estômago roncar. As lembranças do primeiro dia em que se banqueteou de carne humana vinham e deixavam-no ainda mais esfomeado. Procurava por comida dentro daquela floresta. Podia até ser outro humanoide, mas tinha uma preferência por humanos, os odiados humanos...

Durante sua corrida, percebeu que havia uma espécie de trilha de galhos quebrados no chão, feita provavelmente por pisões. Olhando as árvores próximas a essa trilha, podia-se ver setas marcadas a faca, como se indicando um caminho para algum viajante perdido. A trilha parecia ter sido feita a poucos minutos, mas nada garantia que no futuro não a perdesse. Outra árvore, também nas proximidades, tinha um pequeno pedaço de pano. Talvez uma camiseta rasgada, quem sabe? De qualquer forma, se o humanoide fosse seguir esse rastro, seria melhor tomar cuidado, pois se fosse um humano no meio de uma floresta com vários animais selvagens, mesmo o mais tolo espalharia armadilhas para se proteger.

Caso o mink decidisse não seguir a trilha e caminhar em frente, acabaria chegando a uma caverna. Nessa caverna haveria um urso enorme, que parecia não estar dando o mínimo de atenção para quem entrava ou saía do local (Que não estava vazio, tinham vários outros minks ali). O urso tinha várias cicatrizes em seu corpo, uma vertical em seu olho e uma "armadura", que lhe cobria o tórax e o ombro direito. Olhando ao redor, a caverna teria várias prateleiras, com diversas armas, usadas e antigas aparentemente (Devem ter sido roubadas de vítimas antigas que não conseguiram vencer o urso).

O que o leão faria a seguir dependeria somente dele, e quem sabe como isso poderia acabar mudando sua história?



Observações:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ran
Civil
Civil
Ran

Créditos : Zero
Warn : Garras da Liberdade 4010
Masculino Data de inscrição : 15/07/2012
Idade : 24

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptyQui 21 Jan 2016, 18:15

A fome era a guia do jovem leão, ele continuava a correr com o objetivo de encontrar alguma comida. Alguns parariam e descansariam para manter as forças, entretanto Mihos não conseguiria ficar parado. Não agora que finalmente estava livre, queria correr, sentir o vento em sua pelagem e os aromas no ar. Sendo que a maioria deles ele nunca sentira antes. E descobria que correr era o que mais gostava de fazer, nunca soube que poderia correr tão rápido, afinal nunca pôde fazer isso.

Enquanto observava ao redor, buscando ver coisas novas, coisas que ele não sabia o nome e por isso os inventava, percebeu que havia algo errado no solo à sua frente. Havia galhos quebrados, isso era normal? Talvez alguém tenha passado por ali. Nas árvores havia espécies de arranhões, o que isso poderia significar? Talvez alguém tivesse afiado as garras nas árvores. Essa foi à conclusão do leão que não sabia que os “arranhões” eram setas e apontavam em uma direção.

Assim Mihos decidiu que prosseguiria seu caminho. Dessa vez andaria lentamente, seu instinto lhe dizia que havia algo errado naquela parte da floresta. E não é que estava certo? Pois logo encontrou uma caverna ou como ele chamou, “buraco em pé”. Tudo que ele conseguia ver ao se aproximar era o grande animal peludo que lá estava. Como ele usava uma armadura não poderia ser um animal qualquer, poderia? Mihos achava que não e por isso não o atacou. Colocar-se-ia em duas patas, para elevar sua altura e se aproximaria do Urso. Permaneceu alguns segundos em silencio, tentando buscar as palavras humanas para o que queria dizer. – Você... Tem comida?

Então, ao pensar na possiblidade que aquele poderia ser apenas um urso normal, decidiu falar com ele em sua própria língua de leão, usando rosnados e pequenos rugidos. – Estou faminto. Fugi de humanos, não como há dias. Você tem comida? Se não tiver não tem problema, apesar de velho parece apetitoso. – Sabendo que sua frase poderia provocar um ataque do Urso, Mihos se posicionaria novamente em sua quatro patas, atento a qualquer movimento do mamífero. Caso ele atacasse, tentaria usar sua velocidade para desviar do primeiro ataque, então pularia em suas costas e tentaria arranhar seus olhos com suas poderosas garras.


Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jugram
Civil
Civil
Jugram

Créditos : Zero
Warn : Garras da Liberdade 4010
Data de inscrição : 24/07/2015

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptyQui 21 Jan 2016, 19:42

A trilha era ignorada. Conforme o leão se afastava, o vento trazia alguns outros galhos, que cobriam as pistas. Ele já estava longe o suficiente quando três homens passavam pelo mesmo local que ele. Por mais que fossem diferentes em estatura e peso, todos usavam coletes e chapéus. Tinham facas e um revólver. Seriam caçadores? Não se sabe, mas eles seguiam as setas (Para a sorte dos animais ou até a deles mesmos).

Agora o humanóide estava na caverna. A atenção do urso se voltava para o leão assim que ele o chamava. O urso parecia experiente o suficiente para saber quando alguém era ou não um simples selvagem. -Novo por aqui, não? - Questionava, em voz alta. Os outros que ali estavam encaravam o leão. Aparentemente, estavam esperando que ele causasse algum problema e estavam prontos para atacar em casos de emergência.O urso adentrava ainda mais na caverna por alguns instantes. Quando voltava, trazia consigo três pedaços grandes, suculentos e crus de carne. Jogava o alimento para o leão, esperando que ele o agarrasse.

-Espero que você entenda o que estou falando - Dizia, com sua voz grave e ainda em volume alto, ao mesmo tempo em que fazia um aceno com a mão para os outros como se tudo estivesse sob controle. -Essa caverna serve pra comprar armas. As vezes nossas garras não são o suficiente para derrotar nossos inimigos. - Ele se diriga as prateleiras, pegando um martelo grande, quase do tamanho do leão. -Não espere por muita gentileza nessa floresta. Parece que você mal sabe como sobreviver por aqui. Vou te dar isso, mas um dia você vai ter que me pagar o favor... - Ele também pegava uma espécie de faixa de couro e, após acalmar o leão dizendo que não seria nada, colocaria em volta do corpo do humanóide. Nas costas havia um suporte para prender a nova arma. Essa faixa passava do ombro esquerdo até a lateral inferior direita do tórax de Mihos. Uma segunda faixa se prendia, passando do ombro direito até o meio da faixa anteriormente citada, formando uma espécie de "Y" no peito do animal.

-Bom, era isso o que eu podia fazer por você. Eu não costumo pegar dinheiro e sim favores. Não se esqueça, um dia irei cobrar...-O urso se afastava. Parecia ter se desinteressado pelo mink perdido. O que ele faria a seguir?

Spoiler:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ran
Civil
Civil
Ran

Créditos : Zero
Warn : Garras da Liberdade 4010
Masculino Data de inscrição : 15/07/2012
Idade : 24

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptyQui 21 Jan 2016, 20:16

Mihos percebeu que o urso humanoide meio que o ignorou, aparentemente não o entendeu muito. O Mink percebeu a atitude dos outros presentes, todos esperavam que ele atacasse, algo que ele provavelmente faria para conseguir comida. Entretanto, antes que ele pudesse fazer ou dizer mais alguma coisa o urso adentrou na caverna e voltou com grandes pedaços de carne que jogo na direção de Mihos. O felino ergueria as patas com velocidade, tentando agarrar os pedaços de carne. Entretanto, não os comeu ainda. Afinal, podia ser uma armadilha, jogar a carne o atacar enquanto ele comia.

O leão revirou os olhos ao ouvir o urso, por que ele não o entenderia, por acaso tinha cara de idiota? Mas o que ele disse em seguida interessou o Mink. – Quem são os inimigos de vocês? – Algo lhe dizia que ele já sabia a resposta, mas precisava saber se poderia confiar naquele urso e se aquelas animais poderiam ser seus aliados.

Não conseguindo mais resistir à fome, pegou um dos pedaços de carne e começou a mastigá-lo vagarosamente, sem tirar os olhos das pessoas na caverna. Nesse momento o urso foi até a prateleira de armas e lhe entregou um grande martelo. Depois se aproximou demais, fazendo com que Mihos exprimisse um rugido de aviso. Contudo a atitude do homem lhe revelou que ele só queria lhe entregar uma “coisa” que servia para apoiar o seu martelo. O leão logo perdeu o interesse pela carne para admirar sua nova arma, na arena eles não lutavam com as garras e dentes apenas, também podiam usar algumas armas se quisessem, a maioria eles mesmos faziam. Executaria alguns movimentos para testar o peso do martelo, era realmente uma boa arma para ele, sua força e velocidade compensavam o peso.

- Grrr... Obrigado pela comida e pela arma. – Proferiu, agora que perdeu o interesse pelo martelo e comia novamente. Então olharia para cada pessoa que estava na caverna, com intuito de ver se reconheceria alguma espécie. – Você está certo, não sei muito como sobreviver aqui e em nenhum outro lugar. – Começou a falar na sua própria língua, já que não conhecia bem as dos humanos. – Passei minha vida preso em uma jaula por humanos e era forçado a matar outros Minks se quisesse comer. Embora tivessem vários dias entre as lutas. Não tinha contato com outros de nossa espécie, apenas com guardas humanos que me torturavam. Creio que o mesmo acontecia com todos os outros. – Fez uma pequena pausa para comer mais um pouco.

- Então eu consegui fugir, matando um parente do dono da “toca” aonde acontecias às lutas. Depois matei os humanos guardas e todos os outros humanos da toca e os comi. – Proferiu sorrindo, o primeiro sorriso que dava na vida e não era algo agradável de ver. - E como era noite, consegui fugir. – Parou de falar e comia o último pedaço. – E os mataria de novo, assim como mataria qualquer humano que encontrar. Mas eles são muitos e alguns podem ser mais fortes. Eu preciso ficar mais forte que todos eles. Algum de vocês pode me ajudar nisso? Vocês são os únicos Minks nessa floresta? Existe algum lugar seguro aonde eu possa ficar? – Jogou todas as perguntas de uma vez, afinal era tudo que precisava saber no momento.


Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jugram
Civil
Civil
Jugram

Créditos : Zero
Warn : Garras da Liberdade 4010
Data de inscrição : 24/07/2015

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptySex 22 Jan 2016, 13:21

O urso, aparentemente, estava ignorando totalmente o discurso do leão. Estava mais preocupado em organizar as prateleiras de armas e ajeitar uma espécie de balcão improvisado feito de um pedaço velho de tronco. Em contrapartida, todos os outros minks no estabelecimento pararam e ouviram o que ele estava dizendo. Todos com expressões sérias, alguns com medo aparente. Ele estaria contando sua história ou estaria ameaçando-os?

Então veio a bomba. Chamou por ajuda. Os humanoides ali começaram a olhar um para o outro, sem saber o que fazer. De repente, um mink camaleão dava um passo a frente. Segurava uma clava e usava somente calças. Seus olhos eram amarelos e pele esverdeada. Era mais ou menos do tamanho do leão e não tinha nenhuma marca de combate aparente.

-Eu quero me juntar a você...

Logo em seguida, um humanoide gorila também se aproximava. Ele usava um elmo de metal e uma armadura que cobria seu tórax e seus ombros. Nos ombros haviam pequenas pontas de metal. As mãos do gorila tinham manoplas com placas de metal cheias de espinhos do mesmo material. Era um pouco maior que o camaleão e o leão e mais forte.

-Eu também.

Os três saiam da caverna. A pergunta de eles serem os únicos Minks parecia ser ignorada. Já para a outra pergunta, o gorila respondia prontamente:
-Há uma caverna a leste daqui onde podemos ficar. Eu e meu amigo camaleão costumamos ficar lá.

Havia uma pausa na conversa durante alguns minutos, quando o camaleão quebrava o silêncio:
-Eu sou bom eu sumir e chegar nos inimigos sem eles perceberem e meu amiguinho aqui é bom nas acrobacias e nas armadilhas. E você? O que tem a oferecer a esse grupo? - Seu tom de voz era sério, parecia mesmo curioso.

Enquanto isso, os caçadores também agiam. Havia um grupo com mais ou menos oito deles, todos com facas, armas e vestidos da mesma forma. Eles vigiavam a floresta, protegendo alguns barcos, onde alguns homens carregavam jaulas para dentro. Essas jaulas tinham várias espécies de humanoides e animais comuns. Alguns inconscientes, outros despertos e se debatendo contra as grades de aço, que pareciam resistir a força deles.

-Esse barco sairá hoje. O próximo sairá daqui dois dias, acho que podemos capturar mais alguns animais nesses próximos dias... - Um dos caçadores comentava com o outro, enquanto o barco desancorava e ia se afastando calmamente da ilha.

Spoiler:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ran
Civil
Civil
Ran

Créditos : Zero
Warn : Garras da Liberdade 4010
Masculino Data de inscrição : 15/07/2012
Idade : 24

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptySex 22 Jan 2016, 23:07

O leão albino percebeu que o urso o ignorava, mesmo assim ele não sentiu-se ofendido, pois ele o havia dado comida e uma arma, entretanto segundo ele fosse cobrar o favor. Além disso, os outros Minks lhe davam atenção e alguns pareciam compartilhar seu ódio pelos humanos. Entretanto, quando ele pediu a ajuda parecia que nenhum deles queria lhe ajudar. Mihos não pediria duas vezes, já fora difícil o suficiente o fazê-lo pela primeira vez, ele apenas esperava que sua raça fosse mais unida contra um inimigo em comum.

Então um humanoide que ele não reconheceu a espécie voluntariou-se, era grande como Mihos e sua pele era verde e seus olhos bastante estranhos, pareciam lhe podiam olhar em todas as direções. O que voluntariou-se em seguida o felino reconheceu, era um gorila, um verdadeiro monstro.

Mihos olhou para o camaleão e assentiu. – Fico feliz com a ajuda de vocês. – Voltou-se para o gorila. – Já lutei com um de sua espécie, ele me quebrou três costelas e um braço. E você parece muito mais forte do que ele. – Juntos o novo grupo saia da caverna, Mihos estava contente pela primeira vez na vida, pois agora tinha um grupo composto por membros de sua raça. Não eram leões como ele, contudo eram Minks e Minks fortes, seriam de grande ajuda. O melhor de tudo era não está sozinho, um leão sozinho não era um leão de verdade, era sua opinião.

- Além de lutar? Eu sei construir e consertar maquinas armas. Até mesmo aquelas coisas de fogo que os humanos usam. – Pensando no que o camaleão disse, imaginou que poderia ser útil aprender com eles. Algumas eram habilidades que ele deveria ter, entretanto como passou a vida preso, nunca teve a chance de aprender. – Vocês podem me ensinar essas coisas? Acho que podem ser uteis ainda mais todas elas juntas. – Iria dizer mais, entretanto foi interrompido por um bocejo. – Mas podemos descansar antes? Não sei quanto tempo passei correndo para fugir, e não dormi nem parei para descansar até chegar à caverna do humanoide peludo das armas.


Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Jugram
Civil
Civil
Jugram

Créditos : Zero
Warn : Garras da Liberdade 4010
Data de inscrição : 24/07/2015

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptySab 23 Jan 2016, 13:33

O camaleão dava um sorriso. Um sorriso não muito agradável de se ver. -Claro que podemos - Dizia em tom atencioso. -Vamos para a caverna e descansaremos lá. - O Gorila já parecia mais sério.

A caminhada era longa. Quando eles chegassem na caverna, o céu já estaria alaranjado, indicando que o dia já estava acabando e as trevas logo dominariam. A caverna não tinha nada de especial. Só rochas ao redor, que se estenderiam até além do que os olhos alcançavam. Haviam várias árvores por perto. O Leão e o Gorila descansavam por algumas horas enquanto o camaleão vigiava, olhando para todos os lados.

Ao mesmo tempo, mais ao centro da floresta, um grupo de três caçadores parecia buscar algo. Todos empunhavam suas armas e olhavam preocupados ao redor. De noite, seriam presas fáceis.
-Então aqui é a Old Tree que ouvimos falar... - Um dizia. Havia uma árvore antiga ali, tão grande que seu topo ficava muito acima das outras. O tronco largo dessa árvore tinha vários espaços. Ouvia-se o som dos "animais" dentro desses espaços. Os três entravam e não davam de cara com vários minks em repouso e sim com uma enorme jaula...

O trio de Minks na caverna parecia ter descansado o suficiente. Até o Camaleão, depois de algum tempo, decidiu dar um tempo da vigia. Já era de noite. A floresta estava totalmente escura agora que não tinha mais a luz do Sol para dar uma pequena, mas útil, iluminação naquela ilha. Agora, o que eles iriam fazer?

Spoiler:
 

____________________________________________________


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ran
Civil
Civil
Ran

Créditos : Zero
Warn : Garras da Liberdade 4010
Masculino Data de inscrição : 15/07/2012
Idade : 24

Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade EmptySab 23 Jan 2016, 20:26

Mihos acordou junto com os outros, exprimiu um forte rugido para espantar a preguiça e o sono, logo depois se espreguiçou como um gato. Ao olhar para fora da caverna percebeu que estava de noite, não era a sua hora favorita do dia, ainda mais em uma floresta fechada. Mas justamente por ser uma floresta fechada, a diferença entre noite e dia não era grande. Além disso, durante a noite ele teria a luz da lua para lhe guiar.

- Podemos começar aquele treino agora? – O felino perguntou para o Gorila e o Camaleão que já estavam acordos. – Essa é uma hora boa como qualquer outra. – Respondeu o gorila e o Mink camaleão apenas fez um sinal afirmativo com a cabeça. – Posso começar com você, vamos ver o quão bem você pode pular.



~Inicio do treino~


O humanoide gorila o guiou para fora da caverna, aonde poderiam praticar melhor devido ao espaço e as árvores que existiam no local. – Você tem uma boa forma física e deve ser um bom corredor. – Começou o gorila com sua voz grossa. – Mas em acrobacias você vai usar músculos que não costuma usar com frequência, por isso é necessário que faça um aquecimento rápido para não se machucar por nada. Comece dando pequenos saltos, ao mesmo tempo em que levanta e abaixas os braços. – O primata começou a fazer os movimentos indicados, saltando baixo e movimentando os braços. Mihos percebeu que mesmo com a armadura e o elmo ele saltava com ritmo e sem se cansar.

O felino começou a imitar seus movimentos de alongamento, realizando pequenos saltos e movimentando os braços para baixo e para cima. A dupla repetiu o exercício por alguns minutos, até que o Gorila parou. – Certo, hora de você aprender alguns movimentos. – O Mink retirou o elmo e o jogou de lado, então deu um salto e girou no ar, no segundo seguinte estava de pé sobre as mãos. – Não precisa fazer o giro que eu fiz, apenas tente se equilibrar nas mãos e depois... – Começou a andar tão bem como fazia com os pés, entretanto seus pés eram semelhantes a suas mãos, logo a diferença não era grande. – Caminhe dessa forma. Isso vai lhe ajudar a ter equilíbrio e talvez você se encontre em uma situação que isso seja útil. Além disso, é um exercício para os braços, os torna fortes. – Então começou a fazer flexões com seus grandes membros superiores, era praticamente um agachamento ao contrário.

O leão ficou alguns segundo contemplando o solo, pensando em como faria o que foi pedido pelo outro humanoide. Então deu de ombros e ficou de joelhos e depois colocou as “mãos” no solo e se impulsionou para cima com as patas. Mihos conseguiu permanecer na mesma posição que o gorila por alguns segundos, então desequilibrou-se e seu corpo caiu para o lado. – Bem, é um bom começo, tente andar para manter o equilíbrio. – Proferiu o outro, que durante todo esse tempo estava de pé sobre as mãos, então bocejou e colocou umas das mãos na boca, apoiando o corpo com apenas uma delas. O felino achou que o primata estava se exibindo e isso o irritou um pouco.

O humanoide repetiu o movimento, dessa vez se desequilibrou mais rápido do que antes e quando tentou andar caia novamente. Logo estava tentando novamente, dessa vez antes de se desequilibrar começou a andar para frente, conseguiu realizar alguns passos, quando caiu outra vez. – Isso é mais difícil do que eu imaginava. – Reclamou, rugiu e logo tentou outra vez. Na quarta tentativa seu desempenho foi bem melhor, entretanto ainda não conseguiu permanecer muitos segundos na posição. O Mink continuava tentando e continuava caindo de lado, de costas e até mesmo de cara. Até mesmo o gorila já havia se cansado e estava sentado no chão, apenas observando o leão, taciturno. Na sua próxima tentativa o felino não se desequilibrou, conseguindo ficar parado na posição, ariscou fazer alguns movimentos para frente, conseguiu fazê-lo sem nenhum problema. – Tente fazer uma curva. – Obedecendo à ordem do colega, Mihos mudou de direção, ainda sem perder o equilíbrio e continuou a andar em linha reta, quando tentou fazer outra curva, caiu novamente, - Muito bem, acho que você conseguiu ficar por mais de dois minutos, continue praticando até seus braços não conseguirem mais lhe sustentar. – E era isso que ele começaria a fazer.

Alguns minutos depois Mihos estava deitado no chão ofegante, depois de ficar vários minutos em pé apoiado pelas mãos, caiu apenas pelo cansaço. – Ótimo, até que você aprendeu rápido, agora tem um ótimo equilíbrio. Vamos tentar alguns saltos. – Rapidamente ele colocou as mãos no solo, ficando de pé sobe os membros superiores, então girou e ficou novamente de pé normalmente e continuou alternando o apoio entre os pés e as mãos, executando o movimento chamado estrela. – Tente. – Proferiu ao parar e fica de pé. – O leão albino repetia o primeiro movimento e logo executava o movimento com perfeição, com um pouco mais de rapidez que o gorila.

- Ótimo, sabia que conseguiria fazer esse com rapidez. Vamos tentar um mortal para trás, ótimo movimento para desviar de alguns golpes. – O gorila ficou de pé e ereto. – Mantenha sua cabeça nivelada, olhando fixamente para frente, não olhe para o chão ou vai perder o equilíbrio. – Começou a balançar seus grandes braços para cima e para baixo. – Balançar seus braços assim vai facilitar que você consiga saltar. Agora eu vou pular bem alto, dobrar os joelhos no peito e girar o corpo e por fim pousar no chão. – O gorila então saltou mais alto do que Mihos imaginava que ele conseguiria e no segundo seguinte estava pousando perfeitamente no solo. – É rápido. – Reclamou o felino. – Não posso fazer em câmera lenta para você. – Ele replicou, aborrecido. – É só fazer como eu disse. Saltar, dobrar os joelhos e girar. Não se esqueça de manter a cabeça fixa, olhando para frente.

O Mink felino colocou-se ereto, olhando fixamente para frete. Deu um salto, mas não fez nada, pousando no chão normalmente. Realizou mais dois saltos, testando a altura. No próximo salto ele dobrou os joelhos como o gorila, mas ainda não conseguiu girar seu corpo. Repetiu essa parte dos movimentos algumas vezes, para ter certeza que faria de forma certa, o primata apenas assentia com a cabeça, aprovando. Finalmente pronto, Mihos respirou fundo, saltando bem alto e girando o corpo realizando um mortal perfeito. Entretanto, seu pouso não foi tão perfeito, acabou tropeçando e quase caiu de cara. – Ótimo, agora pratique até pegar o jeito. Vai ter aprendido quando pousar com as duas patas inteiras tocando o solo ao mesmo tempo. – O humanoide começou a praticar, conseguindo executar o movimento todas às vezes, tendo problemas apenas no pouso. Depois de varias tentativas perfeitas o Gorila fez um sinal para que ele parasse.

- Certo, certo. Agora vamos tentar algo mais difícil. Você vai aprender a se equilibrar nos galhos das árvores. Alguns são finos e quebradiços, por isso você vai ter que ter equilíbrio e cuidado. Isso vai ser útil se você precisar passar por algum lugar estreito, não acha? – Sem esperar uma resposta o Gorila correu até árvore mais próxima e a escalou com facilidade. Logo estava de cabeça para baixo em um galho, apoiado com seus pés que eram tão bons quanto às mãos. – Acho que nunca subi em uma árvore. – Respondeu Mihos, um pouco envergonhando. – Para tudo tem uma primeira vez, use essas suas grandes garras e braços fortes. – Mihos mal conseguiu ver onde o gorila estava, devido a escuridão, não sabia como caminharia em um daqueles galhos dessa forma. Mesmo assim ele foi até a árvore e começou a escalá-la meio sem jeito, usando as garras e escorregando um pouco. Logo alcançava os galhos e parou em um que achou bom o suficiente par o seu treinamento.

Do nada a cabeça enorme do Gorila surgia à sua frente, quase fazendo o leão cair da árvore com o susto. Ao olhar para o primata percebe que ele estava pendurando pelos pés em um galho acima. – Comece a caminhar pelo galho, uma pata de cada vez. No começo mantenha seus braços abertos. – E sua cabeça sumiu em meio à escuridão e folhas. – Entendido. – O grande leão percebia que o galho que escolheu era longo, mas afinava muito rápido. Mesmo assim começou a andar sobre ele, com os braços abertos, chegou metade quando escorregou pela primeira vez. Antes que caísse ele conseguiu se agarrar no galho e conseguia subir novamente. Seguiu o percurso até que o galho começou a ceder com o seu peso. – Faça a volta! – Ordenou o outro humanoide e com todo cuidado Mihos giraria e voltaria até a base do tronco. Repetia o percurso mais algumas vezes, até que a cabeça do Gorila surgiu outra vez. – Seu equilíbrio é ótimo, não esperava outra coisa de um felino. Agora quero que tente saltar para o galho daquela árvore. – Proferiu apontando. – Milhos olhos na direção apontada, mas não viu nada. – Não consigo vez nenhum galho, só folhas. – O Gorila lhe mostrou um sorriso cheio de dentes. – Problema seu.

O leão praguejou, então cerrou os olhos, tentando ver o galho indicado. Achou que sabia mais ou menos onde ele estava, por causa das folhas. Preparou-se e saltou, batendo de cara no tronco da outra árvore e despescando no chão. A floresta encheu-se com o som da risada do gorila, que não se deu ao trabalho de descer – Primeira regra, amigo: Nuca pule para um destino que não ver ou não sabe onde fica. – O leão rugiu, pensando se havia sido uma boa ideia tentar aprender aquelas coisas. – Não desanime, suba mais alto que você vai conseguir ver os outros galhos.

Obstinado o felino subiu a árvore outra vez, dessa vez com mais habilidade do que na primeira vez. Parou em um galho no qual conseguiu ver o galho de outra árvore, embora bastante longe. Preparou-se e saltou, conseguiu pousar no outro galho, embora um pouco desiquilibrado, quase caia, mas conseguiu se estabilizar. Antes que o gorila pedisse, ele saltou outra vez e outra vez.

- Tá bom, já entendi que você aprendeu isso. Agora para finalizar, quero que dê ande com os membros superiores no galho e depois dê um mortal. Se não cair na primeira tentativa, você pode se considerar um acrobata amador. A experiência vem com o tempo.

Mihos demorou um pouco, já que não era fácil ficar sobre as mãos em uma superfície tão estreita e lisa como o galho, além da escuridão. Mas mesmo assim conseguiu, usando a parte mais grossa do galho e começou a andar por ele, chegando até mais longe do que conseguiria usando apenas as patas. – É até mais fácil. – Ele exprimiu sorrindo e colocando-se de pé novamente. Agora na hora de realizar o salto ele titubeou, não sabia se conseguiria fazê-lo em um galho. Recuou até o ponto mais grosso do tronco, suspirou fundo e saltava girando no ar e pousando novamente no galho. – Consegui! – Rugiu levantando as mãos, desequilibrando-se e caindo no chão. – Ou não. – Como todo gato, ele caiu de pé.


~Fim do treino~



Off:
 

____________________________________________________

[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


Última edição por Ran em Qua 03 Fev 2016, 20:18, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




Garras da Liberdade Empty
MensagemAssunto: Re: Garras da Liberdade   Garras da Liberdade Empty

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Garras da Liberdade
Voltar ao Topo 
Página 1 de 6Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
One Piece RPG :: Oceanos :: West Blue :: Kano Country-
Ir para: