A Grande era dos Piratas



 
FAQCalendárioInícioBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
» [Mini-Theoscelo] The Awakening
por Theoscelo Hoje à(s) 20:08

» [MINI-*Towetz*] O Fanfarrão de Shells Town
por Towetz Hoje à(s) 15:07

» Edmure de Rivia
por Wing Hoje à(s) 14:24

» SeaGull Newspaper - Agosto a Dezembro de 2018
por Marciano Hoje à(s) 14:12

» Iris Ao'Yume Al'Nyat
por ADM.Bowel Hoje à(s) 12:54

» [Mini-Jean-Claude] Prólogo
por Jean-Claude Strauss Hoje à(s) 10:15

» [MINI - Bill Curly] - Meu Ódio Será Tua Herança
por Galaxy Dante Hoje à(s) 04:10

» [M.E.P] Curly Bill
por Galaxy Dante Hoje à(s) 04:10

» [M.E.P] Towetz
por Galaxy Dante Hoje à(s) 04:08

» MINI-TRIPZAP
por Galaxy Dante Hoje à(s) 04:06

» [M.E.P] - TRIPZAP
por Galaxy Dante Hoje à(s) 04:05

» Yamajin
por Galaxy Dante Hoje à(s) 04:04

» [MINI-*Shark D. Davy*] *Mundança...*
por Fanalis B. Ria Hoje à(s) 01:55

» [MINI-Shark D. Lee] A Primeira de Muitas
por Fanalis B. Ria Hoje à(s) 01:55

» [MINI-Ulricheisen] O Sopro Inicial
por ulricheisen Hoje à(s) 01:41

» [Mini - Hou Yi] Capítulo 0.5
por Hou Yi Hoje à(s) 01:07

» Olar Marilene
por Curly Bill Ontem à(s) 23:50

» Me apresentando aqui, tá okay?
por Reinhardt Ontem à(s) 23:27

» [MINI-Kurokami] Alvorada
por Rimuru Ontem à(s) 19:51

» [MINI-*Lion King*] *Bandidos Malvados*
por Fanalis B. Ria Ontem à(s) 14:42

Facebook

------------
- NOSSO BANNER-

------------

Naruto AkatsukiPokémon Mythology RPG


Conheça o Fórum NS


Compartilhe | 
 

 Sofia Schwarz

Ir em baixo 
AutorMensagem
Dazor
Civil
Civil
avatar

Créditos : Zero
Warn :
Masculino Data de inscrição : 25/03/2015
Idade : 23
Localização : Torino Kingdom - South Blue

MensagemAssunto: Sofia Schwarz   Dom 10 Jan 2016, 20:54

~ PESSOAL ~


Nome: Sofia Schwarz
Idade: 17
Altura: 1,6 m
Peso: 52 kg
Mão predominante: Destra
Sexo: Feminino
Raça: Humana
Tamanho/Espécie: Comum
Origem: Baterilla - South Blue
Localização: Baterilla – South Blue
Grupo: Pirata


~ ATRIBUTOS ~


(Começa com 10 pontos, BÔNUS RACIAL EM AZUL E BÔNUS DE EDC EM VERMELHO)

LEVEL: 1
EXP: 19/25
BERRIES: 50.000

HP: 62
SP: 68

DANO: 7 +2 (+2 Arma)
ACERTO: 4 +3 +2
PONTARIA:
ESQUIVA: 4 +3 +2
BLOQUEIO:    
RESISTÊNCIA: 4
PERSISTÊNCIA: +2
MANIPULAÇÃO: +2
VELOCIDADE DE ATAQUE: 3


KENBUN-SHOKU HAKI

Citação :
LEVEL: -X-
EXP DO PODER: 000/050
BUSOU-SHOKU HAKI

Citação :
LEVEL: -X-
EXP DO PODER: 000/050

~ ESTILOS DE COMBATE ~

Citação :
• Ceifador:
LEVEL DE COMBATE: 1
EXP DE ESTILO: ~PRIMÁRIO NÃO POSSUI EXP~

~ Perícias ~
Citação :

• Forja
• Mecânica
• Costura
• -X-
• -X-

~ Ofícios ~
Citação :
• Ferreira
• -X-
• -X-
• -X-
• -X-
• -X-

~ FAMA & REPUTAÇÃO ~

Photoplayer:
Spoiler:
 

Alcunha:
Recompensa: 500.000
Citação :
LINK DOS JORNAIS:
~ AKUMA NO MI ~

Citação :
Nome:
Tipo:
Energia:
Bonificação:
~ EQUIPAMENTOS ~


• ARMA(S)
-Nome: Foice
Bônus: -X-
Dano: 2
Requerimentos: -X-
Custo: 30.000

• CABEÇA
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• TRONCO
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• BRAÇOS
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• MÃOS
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• PERNAS
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

• PÉS
-Nome: -x-
Bônus: -x-
Requerimento: -x-
Custo: -x-

~ INVENTÁRIO~

(MÁXIMO DE 10W)

~ EMBARCAÇÕES ~

Nome:
Tipo:
Descrição:
Velocidade:
Número de tripulantes máximos acomodados:
Lotação máxima no transporte:
Número de ilhas sem precisar reabastecer:
HP:
Canhões:

~ TÉCNICAS ~

• -X-
• -X-
• -X-
• -X-
• -X-

~ TÉCNICAS PASSIVAS ~

• -X-
• -X-
• -X-


~ EXTRAS ~


APARÊNCIA:
As características mais marcantes na aparência de Sofia são sem dúvida os seus olhos e o seu cabelo, ela possui dois olhos de cores diferentes desde o  seu nascimento, sendo um deles negro e o outro de cor rosa, e ela também pinta seu cabelo naturalmente negro para  combinar com estes, pintando um dos lados do seu cabelo comprido de rosa e mantendo o outro lado na cor natural. Não é lá muito alta para a idade e é magra com um porte atlético. Costuma usar roupas simples e práticas, as quais permitem bastante mobilidade e não são muito exageradas, preferindo usar roupas de branco e preto e também as vezes utilizando detalhes de cor rosa, para combinar com seu cabelo e olhos, algumas vezes pode se esquecer de trocar de roupa após lutar ou mexer com a forja, por isso as vezes pode estar com seus trajes um pouco sujos ou amarrotados, prefere usar calças a vestidos ou saias. Não é muito fã de ostentar joias, mas também não tem nada sobre usar alguns acessórios, principalmente colares e pulseiras, preferindo bijuterias que não sejam muito excessivas, e também tendo um gosto por sombrinhas, principalmente as com desenhos nestas.
Cicatriz no pé direito, 4cm.
PERSONALIDADE:
Em uma primeira olhada, um observador descuidado poderia tomar a jovem por apenas uma garota comum, porém esta é uma primeira impressão que tende a desaparecer rapidamente quando se tornam claros os seus olhos, cheios de frieza e olhando para as pessoas como se na  verdade nem percebesse a existência destas. Ela não demonstra ter qualquer tipo de misericórdia ou pena pelas pessoas, e parece olhar através destas como se nem estivessem ali, e raramente presta atenção no que estas estão fazendo. Ela é uma pessoa bem simples e direta, até mesmo um bocado impulsiva, gostando de tomar uma atitude mesmo antes de entender a situação totalmente, mas pode demonstrar dificuldades para fazer decisões simples, principalmente quando se tem um grande número de opções. Pode se distrair facilmente quando um evento incomum acontece ou até mesmo enquanto se esforça para conseguir definir uma escolha, e em alguns casos pode até mesmo começar a falar consigo mesma enquanto está distraída com seus próprios pensamentos, ignorando tudo ao seu redor até terminar o que está fazendo ou ser interrompida por alguém, Em geral prefere ignorar provocações, e pode ser bastante sarcástica quando as pessoas agem de uma maneira que considera estúpida. Gosta de pessoas que demonstrem talento e sejam interessantes, mas tem um desgosto profundo por pessoas esnobes e mentirosas, sendo uma traição a melhor forma de perder sua confiança permanentemente, mesmo se for uma mentirinha inocente. Tem um profundo ressentimento por pessoas de origem nobre, e acredita que estas corromperam o mundo por meio de seu poder e riqueza, sendo os verdadeiros culpados por todos os flagelos das pessoas, mas também acha que os revolucionários são apenas um grupo de pessoas comuns que vão acabar deixando o mundo do mesmo jeito no final, sendo apenas uma mudança das mãos de um grupo de corruptos para outro, acreditando que apenas destruindo toda a estrutura de poder e deixando o caos tomar o seu lugar é que o mundo pode ser reparado. Aprecia profundamente sua liberdade, e odeia que as pessoas lhe deem ordens, e muitas vezes pode tomar atitudes contrárias apenas por pura teimosia. Gosta de deixar bem claro o que acha de cada coisa, e não gosta de  mentir, preferindo ser direta na sua abordagem ao invés de usar subterfúgios e manipulação.
HISTÓRIA:
Eu acho que antes de eu começar a contar a minha história, é importante se considerar a história da minha família, afinal é importante se saber de onde eu vim para entender realmente porque eu acabei sendo desse jeito. Minha mãe Leona e meu pai Daniel, ou pelo menos o homem que considero o meu pai, se conheceram quando os dois ainda eram apenas crianças, meu pai vinha de uma família de pessoas pobres porém trabalhadoras que possuíam uma pousada na ilha, enquanto a família da minha mãe tinha um grande número de posses, sendo conhecida por ter alguns dos melhores joalheiros dentro da Grand Line. Para todos os efeitos, eles nem ao menos deveriam ter a chance de se verem, afinal ela vivia em uma grande mansão cercada por muros altos e ele vivia no subúrbio, tentando trabalhar para ajudar um pouco que fosse com as contas em sua casa. Mas a família da minha mãe realmente não parecia ser do tipo esnobe ou controladora, pelo menos parecia na época, e deixava que está passasse o seu dia fazendo o que bem entendesse, desde que não saísse de dentro dos terrenos deles.  Foi durante um destes passeios que ela acabou encontrando com o meu pai, ele estava trabalhando como ajudante para o jardineiro da mansão para conseguir um pouco de dinheiro para ajudar nas dívidas do pai, e acabou ajudando minha mãe depois dela acabar tropeçando e se machucando, sem nem ao menos ter uma ideia da verdadeira identidade dela como dona de tudo aquilo ali. Ele tratou da ferida com o pouco que sabia de primeiros socorros, algo que aprendeu em um dos seus muitos trabalhos, e ajudou ela a retornar para a casa com cuidado, imaginando que era uma das funcionárias da família por não estar usando roupas ou joias de luxo no momento, o que não sabia é que ele já havia começado a conquistar um lugar no coração da minha mãe.

Depois desde dia minha mãe conseguiu que o meu pai obtivesse um trabalho permanente como ajudante de jardineiro ali, até mesmo aumentando o salário do jardineiro para garantir um extra para ele. Ela sempre ia visitar ele durante o trabalho, e algumas vezes levava algum lanche para ele, mesmo que não fossem lá muito bons e ele sempre reclamasse, mas ela melhorava a cada dia e a partir de certo momento meu pai apenas continuava agindo assim por gostar de ver ela irritada. Não é nenhuma surpresa que com o passar de cada dia que ficavam juntos, conversavam e se divertiam, eles acabaram entregando o coração de um para o outro, se tornando mais do que amigos, mas também namorados, mesmo que minha mãe ainda ocultasse sua real identidade do meu pai. Os dois cresceram juntos, e meu paia começou a preparar um presente único para a minha mãe, uma espécie nova de rosa que ele havia cultivado especialmente para ela, mas a época de inocência de crianças já havia passado para a família da mesma, e este recebeu uma visita desagradável de um dos funcionários dos pais da sua amada o mandando pegar suas coisas e sair dali, e destruindo as rosas que ele havia cultivado com tanto esforço, finalmente revelando toda a verdade sobre a moça que amava e partindo o coração dele declarando que já estavam preparando o casamento dela com alguém que achavam mais adequado. As notícias foram tão dramáticas para minha mãe como haviam sido para ele, sendo repentinamente proibida de sair dos olhos vigilantes de um guarda-costas contratado pelo pai e também avisada de que logo iria se casar com um nobre selecionado por este, pretendendo assim expandir os negócios da família e ao mesmo tempo manter o prestígio do seu nome, também sendo revelado que eles haviam pago uma significativa soma de dinheiro para o pequeno caso dela sair da ilha de vez, uma cruel mentira.

Daniel sofreu bastante com tudo o que acabou lhe sendo revelado após aqueles acontecimentos, mas minha mãe não estava disposta a decidir do sentimento que nutria por ele, e não acreditava nas mentiras que eram contadas pelo meu avô para separar eles. Ela conseguiu convencer uma das empregadas que cuidavam da mansão a levar mensagens escondidas dela para o meu pai, e também entregar recados dela para ele, e assim ele recebeu uma carta contendo toda a história desde o começo, e as desculpas dela por ter enganado ele e as razões para ter feito isso tudo. Mesmo se sentindo bastante traído por Leona por conta da grande mentira que ela havia mantido durante todo este tempo, mas ele também havia se apaixonado por ela, e realmente acreditava que ela também o amava, por isso ele decidiu que precisava encontrar uma maneira de resolver toda aquela situação em que a família de Leona havia deixado ambos. Para sua sorte, um grupo de piratas havia chegado ao porto e na tripulação estava um dos amigos de infância do meu pai, que ele convenceu a ajudar ele a recuperar a sua amada da mansão da família, dando ao bando informações que poderiam usar para invadir ela e roubar as riquezas que houvessem ali, não se importando de contribuir com um bando de ladrões se fosse para ter a mulher que amava ao seu lado. O ataque acabou transcorrendo sem maiores riscos, a tripulação conseguiu adentrar em secreto dentro dos terrenos da mansão e render os funcionários sem correr grandes riscos, o amigo do meu pai conseguiu convencer o capitão a não matar ninguém para que pudesse ter mais gente falando do quando ele era impressionante, uma tática realmente bem efetiva, enquanto meu pai fugia com a minha mãe do navio pirata após estes a sequestrarem, pegando um barco pequeno e fugindo enquanto eles estavam ocupados na própria comemoração.

Eles chegaram ao porto rapidamente, minha mãe se sentindo surpresa com tudo que Daniel havia sido capaz para a recuperar, estando ao mesmo tempo um pouco assustada e grata por finalmente tudo estar chegando ao final. Os dois se apressaram para conseguir um modo de sair da Grand Line, decidindo seguir para South Blue aonde poderiam ficar longe de qualquer tentativa de vingança da família dela ou perseguição dos piratas que haviam contribuído sem querer para o casamento deles. Assim eles estabeleceram residência em Baterilla, um lugar que parecia belo e seguro para poderem criar sua própria família longe do passado deles, meu pai conseguiu um trabalho em uma floricultura, fazendo um grande sucesso com a venda das rosas que cultivava, enquanto a minha mãe conseguiu um trabalho em uma casa de penhores da cidade fazendo a avaliação de joias que eram trazidas pelos clientes. Parecia que tudo ficaria bem, e então os dois tiveram o seu primeiro filho, meu irmão mais velho Frederico, que sempre foi muito parecido com o nosso pai na aparência mas bem diferente com relação a personalidade, sendo um bagunceiro e sempre arrumando confusão, bem diferente do nosso pai esforçado e sério, mesmo quando era criança. Ele cresceu sendo bem cuidado pela minha mãe, que abandonou seu emprego durante a gravidez e decidiu se manter em casa após o filho nascer, enquanto meu pai conseguiu comprou a floricultura do antigo dono que se aposentou, e estava fazendo dinheiro suficiente para manter a família bem melhor do que a situação dele quando morava com os pais. É justamente durante estes momentos em que parece que todo estarão felizes para sempre que as histórias sempre parecem ter uma virada, talvez por isso os autores de histórias infantis sempre parem as suas justamente neste ponto, quando uma criança pode realmente acreditar neste tipo de felicidade eterna e famílias perfeitas.

Isso foi na época em que meu pai recebeu uma visita inesperada, o antigo amigo dele que ajudou no resgate de Leona anos atrás, e sem o qual ambos não poderiam estar reunidos, ele havia perdido sua antiga tripulação, que foi capturada pela marinha e vários membros foram executados, enquanto a atiradora pela qual este havia aparentemente se apaixonado acabou sendo vendida como escrava para um Tenryuubito, agora ele estava no South Blue com a pretensão de entrar para o exército revolucionário buscando vingança contra o governo mundial e a marinha, e talvez ter alguma chance de resgatar sua amada algum dia. Mas ele estava gravemente ferido de uma batalha que havia ocorrido durante a sua jornada, e precisava de um lugar para descansar e se recuperar, e de pessoas que tomassem conta dele e garantissem sua segurança como um homem procurado. Desta forma ele procurou pelo meu pai, se lembrando dos planos que ele havia dividido com ele durante a operação de sequestro da minha mãe, contando que estaria disposto a pagar pelo favor feito tanto tempo no passado, e meu pai demonstrou ser um homem de palavra ao dar um teto e comida para seu antigo amigo. O que meu pai não sabia é o tipo de acontecimento que esta sua decisão acabaria trazendo para toda a nossa família.

Mesmo adorando o meu pai e sendo uma pessoa feliz com a vida que levava, minha mãe ainda sentia alguma saudade com relação a sua família e tudo que havia deixado para trás, e depois de ter abandonado seu antigo emprego ela sentia está depressão tomando mais e mais conta de sua alma, mesmo que não deixasse isso transparecer em seu rosto, está depressão também começou a fazer ela se sentir isolada e distante de seu amado Daniel. E agora este novo homem aparecia, cheio de histórias de aventuras extraordinárias, contos sobre lugares e coisas que ela nem havia ouvido falar ou imaginado antes, e ao mesmo tempo cheio de tragédia e tristeza, buscando por uma vingança que poderia custar a sua vida em nome de uma mulher que havia amado e perdido, mas não havia desistido de sua esperança. Ele poderia ser amigo de Daniel, mas era um pirata e ainda estava com dor por conta daquela que havia perdido, além do fato de minha mãe ter começado a dar claras demonstrações para ele de estar mais interessada por ele do que por meu pai no momento. No final de contas, ele não era um amigo tão confiável assim, e desta forma ele e Leona acabaram tendo um caso bem debaixo do teto do meu pai, que havia tão prontamente dado abrigo para um amigo que agora estava roubando o coração da sua querida esposa. Foi uma grande surpresa, e muito bem recebida pelo meu pai, quando minha mãe anunciou que teria outro filho com ele, e percebendo o brilho nos olhos dela naquele momento... só que eles estavam se desviando para outra pessoa na mesa. Meu pai começou a desconfiar naquele momento de cumplicidade que algo poderia estar acontecendo, e com o passar dos dias esta desconfiança crescia cada vez mais, até que ele pediu para o seu filho que se mantivesse atento para como sua mãe estava agindo e lhe contasse tudo que acontecia em casa com ele longe.

Foi uma surpresa cruel, algo que realmente machucou mais o coração do meu pai do que qualquer outra coisa que havia feito até então, inclusive abandonar sua própria família pela minha mãe. Ele havia amado Leona e dado tudo que ele podia para ela, havia feito tudo ao seu alcance e até coisas que estavam fora deste para que eles ficassem juntos, para que pudessem ter uma família e viver felizes, e ela agora o estava traindo com um dos seus melhores amigos, alguém que ele havia permitido aproveitar de sua hospitalidade por conta não de um débito mas de sua amizade e também gratidão. Era uma traição maior do que qualquer um poderia ter imaginado, o tipo de acontecimento que pode realmente mudar uma pessoa por dentro, fazer ela se tornar ressentida e transformar todo seu amor em ódio, e foi isso que transcorreu com o meu pai, que começou a planejar um ato de vingança contra aquela que já havia sido sua razão para viver. Mas antes de fazer justiça para minha mãe, ele iria garantir que a justiça alcançasse o seu amigo traidor, ninguém suspeitava do sorriso dele para aqueles que haviam perfurado seu coração, nem quando ele decidiu ajudar o seu pretenso amigo a conseguir um transporte para Centaurea, o pirata agora se sentia em casa mas não queria trazer mais problemas para a vida do seu amigo, se sentindo culpado por tudo que havia feito, e também por nem saber se poderia ter feito ainda mais estrago ao ter engravidado minha mãe, sem ter certeza se o filho que ela esperava era dele ou de Daniel. No final das contas ele aceitou a ajuda do meu pai e deixou uma mensagem para a minha mãe, que meu irmão achou e entregou ao meu pai para apenas encontrar sua destinatária muito tempo depois, enquanto o pirata não chegaria ao seu destino sendo emboscado por marinheiros ao adentrar clandestinamente no navio e sendo levado para ser julgado na calada da noite, sem que minha mãe sequer suspeitasse do destino de seu amante.

A partir daí meu pai continuou a agir com sua amada Leona como se nada tivesse realmente acontecido, escondendo seus ressentimentos e a dúvida sobre a criança que iria nascer bem fundo dentro dele, era importante para seu projeto que ela não percebesse nada até que ele estivesse pronto para executar aquilo que tinha planejado para ela. E assim ela se manteve como sempre, sem perceber como o marido não mais sentia o amor antigo por ela, tentando se entregar aos sentimentos que ainda tinha por ele para esquecer a paixão pelo pirata que havia florescido nela no curto período que ficaram juntos, se concentrando na família que havia construído e na criança que estava por vir. Alguns meses se passaram, e então em uma bela noite de inverno eu cheguei ao mundo, em uma noite chuvosa de outono, eu era bem pequena e pelo meu rosto não se poderia realmente dizer quem era o meu pai, ao me ver porém ele realmente decidiu que só poderia ser sua filha, até considerou perdoar a mulher que havia pissado em seu coração, mas aquela era a segunda vez que ela havia feito ele se sentir traído, e nem ao menos havia lhe contado a verdade ou pedido perdão. Ele então começou a preparar o seu plano, ele vendeu tudo o que tinha e preparou o dinheiro para viajar comigo e meu irmão para Briss, esperando apenas que eu estivesse um pouco mais grande e não precisasse mais dos cuidados da minha mãe. Leona saiu para um passeio planejado pelo meu pai para lhe dar algum descanso das tarefas em casa e ao retornar para o seu lar tudo que ela encontrou foi um lugar vazio com um aviso de aluga-se na entrada colocado pelo novo proprietário, e uma pequena carta no chão vazio, a mensagem perdida do seu amante anexada a uma mensagem do meu pai: “Eu sei de tudo, e isso eu não posso perdoar!”.

Daquele momento em diante eu e meu irmão nunca mais teríamos a chance de encontrar nossa mãe, e tudo que eu saberia sobre ela seria o que meu irmão mais velho me contasse. Ao chegar a Briss, meu pai conseguiu encontrar um novo negócio sem grandes dificuldades, como um jardineiro para uma casa de pessoas ricas, o mesmo trabalho no qual conheceu minha mãe, enquanto o meu irmão ainda encantado pelo antigo visitante continuou a praticar esgrima todos os dias, para o desgosto de nosso pai que esperava que aquilo fosse apenas uma fase e logo passasse. Eu cresci ali, em uma pequena casa fornecida pela família para nós graças ao estupendo trabalho feito pelo nosso pai, mas assim como meu irmão eu não havia puxado o talento do meu pai para jardins, mesmo que ele sempre comentasse que eu lembrava um pouco a minha mãe, talvez a principal razão para ele ser tão rígido comigo o tempo todo. Ele mal me deixava sair para passear, e as vezes ele gritava comigo e me castigava sem que eu realmente entendesse a razão para isto, até o dia em que ele contou toda a sua história para o meu irmão, quando descobriu que ele seguia pela mesma rota trágica que ele havia tomado muitos anos antes. Ele estava enamorado pela filha dos nobres para os quais ele trabalhava, e ela aparentemente correspondia aos sentimentos dele, ambos planejavam fugir logo dali para começarem uma família em outro lugar distante, e então Daniel abriu todos os fatos sobre sua vida para tentar dissuadir ele. Mas os avisos do meu pai foram em vão, e meu irmão permaneceu resoluto sobre o que ele pretendia fazer, até o dia em que a sua amada o convenceu a tentar roubar as joias da família enquanto ela levava os pais em um passeio, assim teriam dinheiro para fugir juntos, mas ela então o traiu. Ela não queria se casar com meu irmão, ela apenas queria ter a oportunidade de ser livre daquele lugar, ela roubou as joias da família e conseguiu que meu irmão acabasse sendo preso por um crime que ela havia cometido, tudo por ter ido contra o destino.

Para piorar nossa situação, após a prisão do meu irmão, o meu pai acabou sendo demitido pela família, que havia decidido que tudo era culpa de Frederico, que ele havia sido a causa de sua filha ter se desvirtuado e que agora só estava sendo feita a devida justiça, o que levou a uma briga entre ele e meu pai. Logo eles começaram a contar a história para todos os amigos, e rumores se espalharam pela ilha, de um jovem ladrãozinho meu irmão se tornou um temível pirata ou revolucionário na língua das pessoas, até mesmo contavam histórias sobre ele ter matado marinheiros antes de ser capturado. Meu pai não podia mais conseguir emprego por ali, e não tínhamos dinheiro para conseguir sair da ilha, por sorte alguém estendeu uma mão para nos ajudar, Mary uma velha bondosa da ilha que conseguiu que seus filhos contratassem o homem para cultivar rosas para serem usadas em seus designs, um acordo que permitiu que ele voltasse a trabalhar em paz e construir nossa casa, mas agora ele ficava mais distante de mim, não apenas pelo trabalho mas também por algum tipo de ressentimento, e depois de ter ouvido toda a história contada por ele para Frederico naquela noite, inclusive suas dúvidas sobre eu ser ou não a filha dele, eu me sentia realmente distante dele, ainda mais pelos comentários sombrios sobre o ‘pirata das roseiras’ como as pessoas agora chamavam injustamente o meu irmão, e também todas as palavras rudes direcionadas para mim por isso. Foi nessa época que eu percebi como as pessoas eram cruéis, e também entendi por toda esta história que aquelas que tinham dinheiro e poder acabavam sendo as mais corruptas e cruéis pessoas, aquelas que realmente fizeram do mundo o lugar que era.

As pessoas queriam chamar meu irmão de pirata? Então eu iria dar para elas uma verdadeira pirata, eu iria mudar o mundo através de qualquer meio que pudesse, mesmo que isso significasse usar medo e sofrimento. Depois disso, eu comecei a frequentar uma loja de armas local, eu apenas ficava olhando o ferreiro trabalhando e tentava entender o que ele fazia, este era um homem humilde e portanto bom, e por isso não me mandava embora, ele me mostrou como trabalhar com armas, e muitos tipos de armas diferentes, ele até me permitiu ter um trabalho na forma dele, e quando o trabalho terminava, eu as vezes conseguia ficar com alguma das armas que fazia para poder treinar, eu logo dominei um pouco como usar cada arma, mas foi com uma foice que eu realmente demonstrei maestria, a arma ideal para mim. Porém novamente o sofrimento iria afligir a minha família, pois uma última atora ainda não havia feito o ato final de nossa história a minha mãe desaparecida. Ela reapareceu um dia, eu nem a reconheci como ela observava a nossa casa, para mim apenas outra pessoa curiosa com a casa do mal falado ‘pirata das rosas’, mas ela continuou vigiando a casa, e depois de um tempo a mim, o que me deixou preocupada, até o dia que eu cheguei em casa e encontrei meu pai sentado em uma cadeira com aquela mulher lhe apontando uma arma. Então ela me confrontou, contou tudo que havia se passado, como havia sobrevivido sendo apenas uma mendiga e depois até mesmo se vendendo para alguns turistas pervertidos para conseguir dinheiro, tudo para conseguir sobreviver, sentindo-se como lixo depois de tudo. E ela culpava o meu pai, por ter feito ela se apaixonar por ele daquela forma, por ter a resgatado da sua família prometendo felicidade e amor eternos para esta, por ter falhado em perceber a sua solidão e então abrigado alguém que percebeu e ajudou ela a tratar disso, e então se vingando dela daquela forma cruel, tirando tudo que eles haviam construído juntos em um momento. Ela havia vindo para me resgatar, preparada para levar a filha dela e do pirata, ela não acreditava que eu podia ser  filha do homem que ela agora considerava um monstro.

Ela então se preparou para disparar, enquanto eu me movia para perto da única arma naquela sala, uma tesoura que meu pai usava na estufa nos fundos da casa para cuidar das suas roseiras. A verdade é que eu concordava com o meu pai, ela havia sido a culpada por tudo aquilo ter acontecido com ela, e tudo que sofreu foi simplesmente justo, ela que não entendia isso por ter crescido com riqueza e poder, por ser uma das pessoas que eram culpadas. Eu pulei nela, ela me apontou a arma por um momento, mas não podia atirar em mim, eu contava com isso, e eu era rápida demais para ela ter uma chance de vencer aquela trava na cabeça, em a atingi no coração, eu gravei a arma a varando e então deixei ela cair no chão... meu pai estava me observando com uma cara indecifrável, talvez um misto de sofrimento e raiva... eu não sei. Ele apenas se aproximou de mim e tomou a ferramenta das minhas mãos, e disse para eu limpar minhas mãos e trocar de roupas, pegar algumas mudas de roupas se quisesse, mas sair dali logo. Ele iria tentar esconder o que havia acontecido, e se falhasse ficaria com toda a culpa, mas eu ainda era filha dele, eu havia provado isso, e deveria ter a chance de viver a minha vida. Ele se desculpou por tudo, pelo que havia acontecido ali e antes, e ter permitido que aquilo acabasse daquela forma, e foi assim que eu deixei a casa do meu pai, apenas com minhas roupas. Eu pensei em passar na antiga loja do ferreiro para conseguir uma nova arma, mas ele havia dito antes que iria fechar a loja para passar o dia com sua família, algo que me parecia curiosamente irônico no momento, eu precisaria ir a outra loja para conseguir uma arma nova, e então iniciar minha verdadeira jornada fora dali.
~ VANTAGENS E DESVANTAGENS ~

(MÁXIMO DE 6 PONTOS GASTOS. TODOS COMEÇAM COM 2)

Vantagens:
• -Aceleração (2  Pontos)-
• -Adaptadora (2 Pontos)-
• - Aparência Inofensiva (2 Pontos)-

Desvantagens:
• - Distraída (1 Ponto)-
• - Sinceridade Excessiva (2 Pontos)-
• - Mau Humor (1 Ponto)-


~ PERSONAGENS CONHECIDOS ~


PLAYERS:
 

NPC's Importantes:
 

NPC's Criados:
 

Link da Mini Aventura concluída ou da ficha antiga cancelada:
Antiga ficha e mini aventura na lixeira.

____________________________________________________









Objetivos::
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Meiko Matsunaga
Civil
Civil
avatar

Créditos : Zero
Warn :
Feminino Data de inscrição : 18/06/2013
Idade : 26
Localização : Baterilla

MensagemAssunto: Re: Sofia Schwarz   Dom 17 Jan 2016, 20:26

Eu gostaria de pedir algumas mudanças na minha ficha. Primeiramente, gostaria de alterar o link do Photoplayer na ficha para este:

https://i.imgur.com/cVK4sow.jpg

Em código:

Spoiler:
 

Isso é devido ao fato da imagem que eu havia selecionado já estar em uso.

Com isso também gostaria de mudar a descrição da aparência dela para a seguinte:

APARÊNCIA:
As características mais marcantes na aparência de Sofia são sem dúvida os seus olhos e o seu cabelo, ela possui dois olhos de cores diferentes desde o  seu nascimento, sendo um deles negro e o outro de cor rosa, e ela também pinta seu cabelo naturalmente negro para  combinar com estes, pintando um dos lados do seu cabelo comprido de rosa e mantendo o outro lado na cor natural. Não é lá muito alta para a idade e é magra com um porte atlético. Costuma usar roupas simples e práticas, as quais permitem bastante mobilidade e não são muito exageradas, preferindo usar roupas de branco e preto e também as vezes utilizando detalhes de cor rosa, para combinar com seu cabelo e olhos, algumas vezes pode se esquecer de trocar de roupa após lutar ou mexer com a forja, por isso as vezes pode estar com seus trajes um pouco sujos ou amarrotados, prefere usar calças a vestidos ou saias. Não é muito fã de ostentar joias, mas também não tem nada sobre usar alguns acessórios, principalmente colares e pulseiras, preferindo bijuterias que não sejam muito excessivas, e também tendo um gosto por sombrinhas, principalmente as com desenhos nestas.  .

____________________________________________________

- Fala - Narração - Pensamento - Outros –
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Roy Collins
Membro
Membro
avatar

Créditos : 17
Warn :
Masculino Data de inscrição : 23/11/2012
Idade : 21
Localização : East Blue - Shells Town

MensagemAssunto: Re: Sofia Schwarz   Dom 17 Jan 2016, 22:10

Atualizado!

____________________________________________________


Olá, Convidado seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda:
Regras | Mudanças Importantes | Crie seu Personagem | Mini-Aventuras
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Meiko Matsunaga
Civil
Civil
avatar

Créditos : Zero
Warn :
Feminino Data de inscrição : 18/06/2013
Idade : 26
Localização : Baterilla

MensagemAssunto: Re: Sofia Schwarz   Dom 27 Mar 2016, 01:11

Gostaria de pedir a atualização de minha ficha devido a finalização da minha primeira aventura! =D

@Ryuza Ying escreveu:



~ Avaliação Sofia Schwarz ~





Perdas:
● N/A OK*

Ganhos:
● Foice OK*
● Grupo Pirata OK*
● Recompensa: 500 mil Berries OK*
● Cicatriz no pé direito, 4cm OK*

Relação com Personagens: OK*

● Akane Kazumi(Player) – Tratou seu ferimento, se mostrou bastante rude, mas de certa forma, amigável com Sofia. Em processo para a formação de uma boa amizade.

● Gregory Ross(Player) – O considera um idiota e odeia as suas cantadas, principalmente pelo fato dele cantar todas as mulheres que estiver em sua frente, apesar disso, o reconhece (relutantemente) como sendo capaz em combates.

● Shannon Jay(Player) – Sofia não conhece Shannon muito bem, mas de cara já não confiou nela e ainda a olha de forma desconfiada devido a sua entrada repentina no grupo e por achar sua aparência inocente muito “conveniente”.

● Kurihara L. Riki(Player) – O respeita e o segue naturalmente, mesmo não tendo tido conversas diretas com Kurihara, Sofia o reconhece como potencial liider.

● Pollo (NPC criado) – Tem um ódio pelo garoto por que o mesmo acidentalmente deixou um lançador de apões cair do barco e se perder em meio ao mar. Tentou matar o garoto e o teria feito se não fosse impedida por Akane. Pollo nutriu uma paixão à primeira vista por Sofia.

EXP: 9

Localização: South Blue - Baterilla OK.


Aqui o link:
http://www.onepiecerpg.com/t33452p110-cf-primeiros-passos-em-uma-nova-estrada#309878

Em relação aos pontos ganhos, gostaria de distribui-los da seguinte forma em minha ficha:

+4 Dano
+3 Acerto
+1 Esquiva
+1 Resistência

____________________________________________________

- Fala - Narração - Pensamento - Outros –
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Roy Collins
Membro
Membro
avatar

Créditos : 17
Warn :
Masculino Data de inscrição : 23/11/2012
Idade : 21
Localização : East Blue - Shells Town

MensagemAssunto: Re: Sofia Schwarz   Dom 27 Mar 2016, 01:39

Atualizado!

____________________________________________________


Olá, Convidado seja bem-vindo ao One Piece RPG.
Links para ajuda:
Regras | Mudanças Importantes | Crie seu Personagem | Mini-Aventuras
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Sofia Schwarz   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Sofia Schwarz
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
A Grande era dos Piratas :: Personagem e Mundo :: Arquivo de Fichas :: Piratas-
Ir para: